Cuiabá, 28 de Janeiro de 2015
  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

Ministério Público | 01/09/2011, 12h:20 - Atualizado: 01/09/2011, 15h:12

Procurador de Justiça ganha quase R$ 30 mil; auxílio "engorda" salário

Marcelo Ferra, chefe do MPE  Procurador de Justiça do Estado ganha mensalmente R$ 28,9 mil de salário porque, além do teto do subsídio de R$ 24,1 mil, tem direito a 20% sobre o vencimento a título de auxílio-moradia.

    É o que revela o próprio procurador-geral de Justiça, Marcelo Ferra, ao responder solicitação feita pelo deputado Emanuel Pinheiro. Os dados foram entregues à Mesa Diretora da Assembleia, que vai disponibilizar no seu site todos os salários de autoridades dos Poderes e dos órgãos vinculados.

    O blog teve acesso, com exclusividade, a todas as informações junto à Mesa. Você saberá aqui quanto embolsa cada autoridade que representa a sociedade em cargo público.

    Enquanto promotor e procurador de Justiça têm incremento de 20% de salário devido ao pagamento de auxílio-moradoria, os servidores usufruem de R$ 900 a mais de auxílio-alimentação. Um diretor-geral recebe R$ 9,4 mil. Pessoas que atuam em cargos de chefia de departamento, como auditor de controle interno e/ou em chefia de gabinete recebem R$ 7,3 mil, fora o auxílio-alimentação. Há quatro funções no MPE com subsídio fixo de R$ 6 mil, sendo elas de assessor especial, de supervisor administrativo, de assessor de procurador e de assessor de comunicação social. Gerente tem subsídio de R$ 4,8 mil, enquanto oficial de gabinete ganha R$ 3,7 mil e, assistente ministerial, R$ 2,7 mil.

   O MPE de Mato Grosso é um dos cinco do país que não aceitam acabar com o pagamento do auxílio-moradia a procuradores e promotores. O benefício varia de R$ 2 mil a R$ 5 mil, conforme a progressão da carreira. Dessa forma, os paladinos da moralidade, responsáveis por denunciar os chamados desmandos cometidos pelos demais Poderes e órgãos da administração pública, acabam recebendo os maiores subsídios do Estado.

    O auxílio-moradia é somado aos salários que variam de R$ 16,5 mil, para promotores recém-chegados ao MPE, a R$ 24,1 mil, pago aos procuradores que ocupam o último degrau da carreira. O subsídio destes corresponde a 90% do valor que é pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O resultado é uma folha de pagamento orçada em cerca de R$ 3 milhões por ano.

Postar um novo comentário

Comentários (23)

  • sabrin8i | Quarta-Feira, 24 de Setembro de 2014, 12h43
    0
    0

    nossaa ]

  • augustus | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 09h11
    1
    1

    PALHAÇADA NEM!!!!!E SE DIZEM ACIMA DO BEM E DO MAL, EXPLORANDO INDIRETAMENTE A SOCIEDADE!!!!VC, HARPIA, DEVE SER LIGADA Á ESSA INJUSTIÇA A ACHAR CORRETO ESTA ABERRAÇÃO QUE EXISTE NESTE PAIS, ONDE UM PROFESSOR GANHA 1.300,00...SÃO UM BANDO DE HIPOCRITAS...E OLHA OS VENCIMENTOS DE JUIZES DE DESEMBARGASORES TAMBÉM!!!!!PURA REGALIA E EXPLORAÇÃO..E VIVA A HIPOCRISIA NO JUDICIARIO MATOGROSSENSE!!!!!O PIOR DE TODOS OS PODERES!

  • Orlando | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 09h07
    0
    1

    Esqueceram de colocar o auxílio funeral, autorização para promotores serem donos de empresas dentro do cartel do combustível, usar da pressão do cargo para ganhar licitação e ser sócio de empresa que contrata com o Estado ...........podem tudo, mas não se preocupe, vão fiscalizar o seu.

  • Marcela Acosta | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 09h05
    0
    0

    E A POLICIA CIVIL 100% DE GREVE.... Governador Silval, Secretário Cesar Zilio, mais uma vez vocês demonstraram má fé ao apresentarem para os Escrivães e Investigadores de Polícia uma tabela salarial prevendo aumento de 40% para o mês de novembro de 2014. Acordem, tem gente pensando na Polícia Civil sim, afinal são carreira de nível superior! 2014 é ano eleitoral, e é proibido DAR AUMENTO de salário aos servidores públicos 03 meses antes e 03 meses depois das eleições, que ocorre no mês de outubro de 2014. Outra coisa, a lei orçamentária PROIBE a criação de despesas no final do mandato para o gestor que irá suceder nesse caso, para o futuro governador que iniciará seu mandato em janeiro de 2015. Pode publicar a lei agora e dar esse aumento, mas quando chegar em 2014, o Governador acionará sorrateiramente o Tribunal de Contas de MT, que com uma LIMINAR, irá suspender os efeitos da lei, e bau-bau aumento... Gente, que armadilha essa proposta salarial. Atenção praças, irmãos da gloriosa PM de MT, o aumento dos coronéis e oficiais a ultima parcela ficou para maio de 2014, e para os praças, novembro de 2014. Abram o olho... Assim, mais uma vez a sociedade paga o pato e os servidores se decepcionam com a forma de governar do Silval e seus secretários.

  • ana maria sousa melo | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 08h44
    1
    0

    Parabens, merece fizeram concurso. Neneu faz tambem você não é advogado?

  • Souza | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 07h34
    0
    0

    O ex Procurador Federal Pedro Taques exterminou várias quadrilhas em MT. Os nossos, Estaduais, além de investigação de Paternidade, o que mais eles fazem para "MERECEREM" esses poupudo Ganho???. Éis a questão.

  • Ditao Cuiabano | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 06h11
    0
    0

    Auxillio Alimentacao pra quem ganha R$30.000,00 por mes, e de R$ 900,00...corresponde a bolsa familia de 10 familias de baixa renda...pra um engravatado, e da justica, que justica????

  • Harpia harpyja | Sexta-Feira, 02 de Setembro de 2011, 01h50
    1
    0

    os procuradores estudaram para ganhar bem, diferente dos politicos ladrões deste estado que estão bilhonarios a custa nossa

  • Lyse Santos | Quinta-Feira, 01 de Setembro de 2011, 20h06
    0
    0

    Pelo menos, esta categoria de profissionais assim como os do Poder Judiciário, TRABALHAM e fazem por merecer o subsidio. Agora pergunto: OQ FAZEM ESSES POLÍTICOS SAFADOS E CORRUPTOS com o nosso País? Esses, sim, são os grandes INUTEIS que infestam a sociedade. E, o pior: além de passarem a mao nas verbas destinadas à saude, educação, segurança, etc, AINDA RECEBEM GORDISSIMOSSSSSSSSSSSS subsídios além das VERBAS EXTRAS q

  • Junior | Quinta-Feira, 01 de Setembro de 2011, 19h39
    0
    0

    É legal esse auxilio moradia ...a Constituição Federal comunga com esse direito concedido em MT....é a mesma coisa que sessao extraordinaria do legislativo...e esse dinheiro bem que podia ser devolvido aos cofres público para construção de casa para quem nao tem... E outra com um valor desse EXTRA da para financiar pela CEF uma mansao, apartamento de luxo...e pagar com o auxilio....Ahhhhh até eu que sou mais bôbo quero desse!!!!!!

| 28/01/2015, 01h:00 - Atualizado: 4min atrás

Grupo pró-Maluf só obtém 9 assinaturas e pode levar Taques à derrota na Mesa da AL

Botelho promove jantar, esperando reunir 16 para antecipar já a vitória, mas 5 não comparecem e Wilson alega estar avaliando voto


A chapa Maluf-Nininho, mesmo com apoio do Palácio Paiaguás, corre risco de sair derrotada na disputa à Mesa da Assembleia. Houve nova reviravolta nos bastidores. Disposto a "liquidar" a eleição de forma antecipada - a votação será no domingo, logo após a posse dos 24 deputados da nova legislatura -, o deputado Eduardo Botelho (PSB) convocou o grupo que estaria apoiando Guilherme Maluf para presidente com vistas a um jantar em sua residência nesta terça, após várias horas de reunião na Casa Civil, sob coordenação do secretário Paulo Taques. A intenção seria obter assinatura de 16 deputados.

Para frustração do bloco, eis que cinco não compareceram, sendo eles Dilmar Dal Bosco (DEM), Zeca Viana (PDT), Oscar Bezerra (PSB), Pery Taborelli (PV) e Emanuel Pinheiro (PR). De quebra, Wilson Santos (PSDB), ao ser consultado por telefone sobre assinatura no documento pró-Maluf, alegou que ainda precisar analisar o quadro.

Na prática, a chapa com Maluf de presidente e Ondanir Bortolini, o Nininho, de primeiro-secretário, só conta hoje com 9 votos, insuficientes para garantir o comando do legislativo mato-grossense, que recebe mensalmente duodécimo de R$ 34,3 milhões. O Paiaguás, que acreditava eleger Maluf, vê acender o alerta amarelo.

Em meio a traições, conspirações e revolta,  a tendência é que os cinco que não foram ao jantar se juntem aos parlamentares que garantiram vaga na AL pela oposição. E eles já marcaram reunião para esta quarta. Vão redefinir chapa. Em princípio, trata-se de um bloco com 15, entre eles membros da atual Mesa, como Mauro Savi e Romoaldo Júnior, respectivamente, primeiro-secretário e primeiro-vice-presidente e que se sentiram traídos por Maluf. As negociações sobre cargos na Mesa dentro desse bloco começam da estaca zero.

Postar um novo comentário

(IN)DEPENDÊNCIA | 27/01/2015, 23h:37 - Atualizado: 01h atrás

Submissos, parlamentares se sujeitam à orientação do Executivo para votar à Mesa


A briga pelo comando da Assembleia está expondo uma submissão absurda, perigosa e nociva ao processo democrático e fragilizando a relação entre os Poderes Constituídos. Nos bastidores, o Executivo passou a interferir no Legislativo por pura conivência deste. Ou melhor, de vários deputados. Em fila, eles batem a porta do Palácio Paiaguás. Encontram aconchego na Casa Civil, grudada no gabinete do governador Pedro Taques. E fazem negociações políticas para “amarrar” voto à chapa encabeçada por Guilherme Maluf, tucano que se tornou o candidato a presidente da AL apoiado pelo Paiaguás.

Nessa hora, aqueles que agem como cordeiros não estão nem aí para o que preconiza a Constituição Estadual acerca da independência e autonomia dos Poderes. Preferem avançar na tese da convivência harmônica, aceitando voto de cabresto. É mais ou menos assim: “diga para quem eu devo votar e assim o farei”. Perde-se a autonomia, a moral e a independência.

É o poder da caneta e de quem cuida do caixa impondo regras e condições. Para o governo, que tem obrigação de cumprir com repasse do duodécimo não só para a Assembleia, mas para o Judiciário e aos órgãos vinculados, como Ministério Público e Tribunal de Contas, o melhor caminho é conseguir controlar logo no início da legislatura um Legislativo que, entre as atribuições, tem a missão de fiscalizar os atos do Executivo. Tendo a Mesa Diretora como aliada, a administração fica mais livre e solta para agir. Projetos e outros proposituras do Executivo vão receber chancela sem dificuldades. 

Quase todos os 24 deputados que serão empossados no domingo apresentam perfil mais de governistas, mesmo aqueles que na campanha estiveram na oposição. Sendo assim, acham melhor construir boa relação com o novo governador, seguindo orientação política do Executivo até na hora de votar. Abaixo a submissão!

José Medeiros

paulo taques guilherme maluf pedro taques

Secretário Paulo Taques (Casa Civil) e o governador Pedro Taques recebem o deputado Guilherme Maluf (PSDB), respaldado nos bastidores pelo Palácio Paiaguás para presidir a Assembleia Legislativa

Postar um novo comentário

Rondonópolis | 27/01/2015, 19h:00 - Atualizado: 01h atrás

Em reunião com Taques, Percival pede a manutenção de OSS e quitação das dívidas

Não pedi R$ 1, vim ajudar meu parceiro político, ressalta Percival


Gilberto Leite

reuniao_percival_taques

Percival apresentou demandas relativas à saúde, infraestrutura e segurança

O governador Pedro Taques (PDT) e o prefeito de Rondonópolis Percival Muniz (PPS), aliados políticos desde 2010, passaram à tarde desta terça (27) reunidos em busca de soluções para os problemas enfrentados pelo município. Na pauta do encontro foram incluídos temas como saúde, infraestrutura e segurança pública. As principais reivindicações apresentadas foram a regularização da situação administrativa do hospital regional e o pagamento de dívida na ordem de R$ 14,7 milhões.

“Não pedi R$ 1 porque sei que o Estado não tem recursos nem para pagar as contas. Vim ajudar meu parceiro político. Estou auxiliando na solução dos problemas que estão impactando negativamente perante população. No outro Governo não tínhamos esperança. Agora, vamos tentar resolver”, disse Percival em entrevista ao Rdnews.

"Desviaram (ex-gestão) verbas da
saúde para pagar empreiteiras. Foi
um desvio criminoso", diz Percival

Na área da saúde, Percival pediu a regularização da situação administrativa do hospital regional de Rondonópolis, gerido pela Sociedade Beneficente São Camilo desde 2011. Neste caso, o contrato vence dia 31 e os médicos já estão suspendendo cirurgias porque não sabem se poderão fazer o acompanhamento dos pacientes.

Segundo Percival, a OSS São Camilo é aprovada pela população. Entretanto, reconhece que a decisão de continuar ou não com o contrato cabe ao Governo. “Eu pedi para não deixar paralisar o atendimento porque a saúde não tira folga. Se parar, as pessoas morrem. O governador disse que vai fazer contato pessoalmente para resolver a questão o mais rápido possível”, revelou.

Percival lembra que existem dívidas na ordem de R$ 14,7 milhões. Somente com o hospital regional o débito chega a R$ 4 milhões. Para Santa Casa de Misericórdia, o repasse pendente chega a R$ 2 milhões. Com o Samu e Pronto-Atendimento, a dívida é de R$ 8 milhões, enquanto o hospital psiquiátrico tem R$ 700 mil para receber.

Gilberto Leite

reuniao_percival_sachetti_medeiros

Sachetti, Medeiros, Percival, Taques e o secretário Brustolin debateram a situação de Rondonópolis

De acordo com Percival, Taques prometeu fazer os repasses em dia e encontrar formas de pagar os atrasados. O plano de pagamento será apresentado até 3 de fevereiro, quando o Governo pretende reunir os 141 prefeitos de Mato Grosso.“As dívidas existem porque o Governo anterior não pagou o município. Nem os recursos federais foram repassados. Desviaram os recursos da saúde para pagar empreiteiras. Foi um desvio criminoso”, disparou.

No setor da infraestrutura, Percival reivindicou convênio com o Estado para legalizar os reparos que estão sendo executados em rodovias estaduais. Para o prefeito, as estradas estão esburacadas e a população cobra soluções imediatas. “A população cobra do  prefeito que é mais próximo. Estou fazendo a manutenção, mas sem convênio faço de forma ilegal. Preciso de solução rápida”, completou Percival.

Na segurança, Percival solicitou que o Governo reforce o efeito e cumpra as prerrogativas constitucionais. “É obrigação do Estado e da União, mas o município aplica recursos para não permitir que a situação fuja do controle”, concluiu.  

Postar um novo comentário

| 27/01/2015, 11h:36 - Atualizado: 27/01/2015, 11h:45

Estrategistas, Taques recebe prefeitos individualmente e anula investida da AMM


José Medeiros

pedro taques gabinete paiaguas

 O governador pedetista Pedro Taques, no Palácio Paiaguás, busca uma boa recepção aos prefeitos

Pedro Taques percebeu que a oposição a seu governo, neste início de mandato, poderia surgir com força não na Assembleia, onde, em tese, terá minoria - seu grupo elegeu 11 dos 24 parlamentares -, mas nas prefeituras. Havia temor de que a decisão do Executivo em não aceitar rachar ao meio com os municípios os recursos do Fethab pudesse criar movimento raivoso dos prefeitos em relação ao Palácio Paiaguás.

Estrategistas, Taques passou a chamar um a um os prefeitos em seu gabinete.  E, com cada, trabalha a política do convencimento e por abertura de parcerias. Foi o bastante para anular as ações do presidente eleito da AMM, Neurilan Fraga, que estava "inflamando" os colegas gestores a reforçar a luta em defesa da vigência da lei que assegura 50% do Fundo Estadual de Transporte e Habitação. O embate na Justiça prossegue nesse sentido. Neurilan é do PSD do cacique político José Riva, adversário ferrenho do pedetista e autor da proposta que virou lei sobre a divisão do Fethab. 

Em menos de um mês na cadeira de governador, Taques já recebeu 24 prefeitos. Em meio às primeiras conversas, surgem diversas demandas, especialmente por melhorias na infraestrutura, saúde e logística. Muitas delas são encaminhadas de imediato para resolução. O governador, que trabalha com orçamento de R$ 13 bilhões, tem dito que o Estado apresenta um quadro financeiro crítico e que, apesar disso, honrará compromissos de repassar regularmente recursos da saúde, do transporte escolar e para recuperação de estradas. Após a conversa sem separado com dezenas de prefeitos, Taques já agendou uma data para receber todos os 141 gestores no Paiaguás. Será no dia 3 de fevereiro.

Postar um novo comentário

| 27/01/2015, 00h:00 - Atualizado: 27/01/2015, 00h:41

Nai Talim, Gandhi e ideia sobre a educação

olga_lustosa_artigo_terca_dentro_texto_187pixel

Olga Lustosa

O relatório de Desenvolvimento do Milênio elaborado por profissionais do mundo inteiro, coordenados pela ONU, prevê até final deste ano, a universalização da educação “primária” no mundo, garantindo que todas as crianças completem o ciclo do ensino básico. Meta que o mundo não alcançará, por várias razões, entre elas, a exorbitante disparidade social que ainda separa um homem do outro e pela lentidão com que as reformas são implantadas.

 A estrutura fundamental do pensamento de Gandhi sobre a educação, baseia-se no princípio de preparar a sociedade com pessoas boas, não apenas com alfabetizados e escolarizados. A educação deve ser uma arma poderosa capaz de promover uma revolução social silenciosa. Desdobra-se em liberdade, libertação da ignorância, da superstição e da submissão.

A concepção dessa ideia de educação, conhecida como Nai Talim, traduzida como Educação Básica para Todos, deu-se nos anos que Gandhi esteve na Africa do Sul e tal modelo educacional contraporia a herança imperial do modelo inglês vigente na India, que legava à nação a educação de homens dentro das necessidades de absorção de mão de obra do mercado e do estado, numa ação descoordenada entre mente, corpo e alma; por esta razão, a ênfase foi dada na conduta, nas qualidades espirituais, no serviço comunitário; uma escola com práticas acolhedoras, que se utiliza da diversidade cultural e religiosa do país subdividido em castas, para promover a inclusão. O objetivo da prática Nai Talim é extraordinário: Remover as intocabilidades. 

 Este estado bom, perseguido como um sonho distante, foi sendo implantado no país, diante do olhar incrédulo de muitos educadores e especialistas. Gandhi, um advogado que pregava a resistência à dominação inglesa, não está preocupado apenas com o intelecto. A alfabetização é apenas uma ferramenta para atingir o verdadeiro fim, que é o desenvolvimento pleno do ser humano.

Gandhi considerava que dois aspectos poderiam regenerar e melhorar a vida de seu povo: a saúde e a educação. Tanto a saúde quanto a educação, em sua opinião, envolvem todos os homens e toda a sociedade.  A saúde da comunidade não pode ser alcançada apenas através da construção de uma clínica; nem a educação da comunidade poderia nutrir e manter o espírito altivo, apenas construindo escolas. A visão holística ampliada de Gandhi foi marcada pelo uso de um novo vocabulário. A partir de então ele falou não só da Educação Básica Nacional, considerada um equipamento mínimo necessário para as crianças da nação, mas também de Nai Talim, o modelo da nova educação. 

Para ser educativo para a mente, o corpo e alma, o projeto deve ser planejado e os materiais e ferramentas preparados para um fim comum. São todos ensinados a cooperar a despeito das diferenças de capacidade e temperamento. O tempo de provação, porém, não tardou chegar. O governo prendeu não só políticos companheiros de trabalho de Gandhi, mas muitos trabalhadores e alunos adultos das novas escolas.

O trabalho foi interrompido e somente gradualmente reorganizado em  1947, ano em que a liberdade política do domínio britânico foi restabelecida. Um ano depois, Gandhi é assassinado. Mesmo muitos anos após a morte de Gandhi um grupo grande de educadores Nai Talim prometem dedicar o resto de suas vidas para propagar a educação baseada no espírito da verdade e da não-violência.   

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

Postar um novo comentário

| 26/01/2015, 15h:07 - Atualizado: 26/01/2015, 15h:21

Sob Percival, comitiva vai a Taques nesta 3ª e defende que hospital continue com OSS


Davi Vale/Rdnews/arquivo

percival muni

O prefeito rondonopolitano Percival Muniz leva reivindicações ao governador Pedro Taques, uma delas do hospital regional

Acompanhado de lideranças do Sul do Estado,  o prefeito de Rondonópolis Percival Muniz (PPS) apresenta nesta terça, na primeira audiência com o novo governador Pedro Taques, no Palácio Paiaguás, demandas e reivindicações da região, algumas delas com necessidades de soluções emergenciais. O encontro está agendado para as 14 horas. Vão estar presentes líderes que, em tese, são da base do pedetista, como o próprio Percival, o vice-prefeito Rogério Salles (PSDB), derrotado ao Senado, deputados estaduais e federais, senadores e vereadores.

"Vamos para a audiência para discutir coisas de obrigação do Estado em Rondonópolis e região. A ideia não é cobrar, mas sim ajudar a regularizar algumas situações. É hora de unir forças para atender a população", enfatiza Percival, para quem o novo governador está sendo coerente com o discurso de campanha ao tomar medidas  austeras de contenção de gastos.

Uma das preocupações do prefeito é com a situação administrativa e funcional do hospital regional de Rondonópolis, desde agosto de 2011 sob gerenciamento da Sociedade Beneficente São Camilo. Percival defende que o Estado renove de imediato o contrato por entender que a OSS melhorou a gestão. O contrato da organização com o Estado vence no próximo sábado, dia 31, e os médicos, em meio a incertezas, já suspenderam cirurgias, deixando pacientes do SUS desesperados. O Estado acumula atraso no repasse de recursos de novembro, dezembro e não tem previsão de quando vai liberar o deste mês. "Temos que agir rápido e decidir o que fazer. Na saúde pública não tem férias".

Outro pleito a ser apresentado ao governador é de recuperação dos 12 km do anel viário, que circunda o perímetro urbano, ligando a BR-364 às MTs-130 (Rondonópolis-Poxoreu) e 270 (Rondonópolis-Guiratinga). A prefeitura resolveu até fazer trabalho paliativo, mas não tem essa obrigação, pois trata-se de um trecho sob responsabilidade do Estado. Entre outras propostas está também a de melhoria na infraestrutura das vias do distrito industrial, que recebe diariamente fluxo intenso de carretas.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Rafael | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 23h29
    3
    1

    Nao melhorou a gestao! é ridicula essa posiçao de quem nao conhece saude publica de considerar que a OSS melhorou alguma coisa! Problemas mascarados, comida ruim e funcionarios ganhando uma miséria! Me desculpe, mas é inconcebível!

  • Ana Rita | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 22h38
    3
    1

    FICA A PERGUNTA, A OSS GANHA QTOS MILHÕES SÓ PARA ADMINISTRAR? Será que não tem servidores para administrar? Faz igual no DETRAN, coloca delegado para administrar!

MESA DA ASSEMBLEIA | 26/01/2015, 13h:52 - Atualizado: 26/01/2015, 17h:08

Maluf trai Riva e Savi, volta ao bloco de Taques e vai ser eleito presidente da AL


Rodinei Crescêncio/Rdnews/arquivo

guilherme maluf deputado

Guilherme Maluf se recompõe com o grupo de Taques e será eleito presidente da Assembleia

O deputado de terceiro mandato Guilherme Maluf (PSDB) rompeu compromissos políticos com José Riva (PSD), Mauro Savi (PR) e com Romoaldo Júnior (PMDB), e retornou ao grupo do governador Pedro Taques para conseguir votos suficientes com vistas à presidência da Assembleia. Com isso, reforçou o bloco governista e implodiu o grupo de oposição. A tendência agora é de Maluf ganhar com ao menos 16 dos 24 votos.

Emanuel Pinheiro (PR), que vinha se mantendo candidato, jogou a toalha, assim como o então primeiro-secretário da chapa, empresário Eduardo Botelho (PSB). Recuaram após uma conversa com Taques.

O governador disse que o republicano deveria abrir caminho na disputa de presidente para receber de volta Maluf. Até então havia dúvida se o tucano teria mesmo coragem de sair dos grupos de Riva e Savi. E Maluf os abandonou a menos de uma semana para a eleição, que acontece no domingo, logo após a sessão que marcará a posse dos 24 parlamentares. Em vários momentos, Maluf jurou para Riva, que está deixando a vida pública, que "estava firme no grupo e que dali não sairia". Fez o mesmo em relação a Savi, que tinha esperanças de continuar como primeiro-secretário. Ambos foram surpreendidos com a decisão de Maluf, de os abandonar.

Composição

A chapa de Maluf terá como primeiro-secretário ou Pinheiro ou Ondanir Bortolini, o Nininho. Se ambos não chegarem a um acordo, o bloco dos 11 eleitos e/ou reeleitos no palanque de Taques vai decidir, em votação, quem ocupará o cargo cuja atribuição é de ordenar despesas de um Legislativo que receberá de duodécimo R$ 34,3 milhões por mês. 

Botelho deve ficar de primeiro-vice-presidente. O médico e deputado de primeiro mandato Leonardo Albuquerque (PDT) entra na chapa como segundo-vice-presidente. Completando a chapa com sete integrantes, Max Russi (PSB) e Dilmar Dal Bosco (DEM) ficarão nos postos de segundo e terceiro- secretários, cujo ordem ainda está em discussão.

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • benedito costa | Terça-Feira, 27 de Janeiro de 2015, 21h04
    0
    0

    Sou a favor que o Maluf ganhe que, só assim queima as crias do riva, como é o caso do savi, romualdo, fabris e cia ltda. Por outro lado abre uma brecha aí: maluf na presidência resolve o problema financeiro do hospital dele ,agora ou nunca mais.

  • Edson Palma | Terça-Feira, 27 de Janeiro de 2015, 10h56
    1
    0

    Sem dúvida a Presidência nas mãos do Deputado Guilherme Maluf terá uma gestão com foco no comprometimento e transparência , haja visto que sua conduta e trajetória política não deixa dúvida de seu caráter e seu compromisso com nosso Estado.

  • João Menna Neto | Terça-Feira, 27 de Janeiro de 2015, 09h18
    7
    2

    Vem de longe esta questão de traição no cenário político. César, já dizia que "amava as traições, mas odiava os traidores". Eu, particularmente, não entro no mérito na conduta do Dep. Guilherme Maluf, porque aprendi que "das pequenas ou grandes traições iniciam-se as grandes renovações". E o momento, no Estado e de modo especial na ALMT já está passando da hora de ser iniciado um novo período de gestão e, sobretudo, de comportamento ético, para por fim ao continuísmo desregrado implantado na era Riva. E isso deve começar por mudança na norma que permite a flexibilidade de alternância continuada nos dois principais postos executivos da Mesa Diretora: presidente e 1º secretário.

  • ZILMAR BARBOSA MEDEIROS | Terça-Feira, 27 de Janeiro de 2015, 07h47
    0
    7

    Eu tenho certeza que se colocar o Max na disputa ele também fara uma boa administração, na assembleia.

  • Manoel Cavalcante dos Santos Albuquerque | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 18h45
    10
    9

    não votei em nenhum destes Deputados que dizem estar fazendo parte da disputa da Mesa Diretora da Assembléia, quem sabe agora com este Deputado Maluf poderemos ver mudanças naquela Assembéia pois alí tinham monopolizado e só um grupinha fazia parte da Mesa, os Deputados tem tudo pra mostrar que a Assembléia não é a Casa da mãe Joana que tem mostrado ser nestes 20 anos, esperamos mudança em todos os sentidos, com dignidade, caracter e responsabilidade para com o dinheiro Público e contamos também com a responsabilidade e o caracter de nosso Governador Taques e sua equipe.

  • Julimar Esther | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 18h40
    10
    1

    Como funcionária aposentada da Assembléia Legislativa de Mato Grosso, estamos torcendo por uma Mesa Diretora que valorize seus funcionários Inativos e da Ativa, pois temos nossos direitos da URV a receber e aí esta mesa que vai sair dia 01.02.15, começou a pagar e parou, muitos de nós fazemos tratamentos de CA e pra continuar com acompanhamento com nossos médicos Oncologista temos que pagar a consulta, pois os mesmos não atendem pelo MT Saúde por irresponsabilidade destes políticos corruptos que não zelam de verdade pelo bem público, estão dizendo que irão voltar a pagar nossa URV, estamos confiantes na mudança da Mesa Diretora e confiantes no nosso Governador Pedro Taques.

  • Sanchez | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 18h24
    6
    0

    Coerência, simples e pratica. Então tão.

  • goncalo pedroso da silva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 17h36
    13
    2

    GRANDE NOVIDADE..TRAIÇAO..NA ASSEMBLEIA VALE TUDO PELO PODER...

  • Fernanda Martins | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 17h17
    8
    4

    Pois é...tão ilibado...tão honesto senhor das verdades..nem foi eleito e já está agindo com um JUDAS. Tadinho de nós...O POVO. Pesquisem por ai de qdo o nobre representante usou nome de pessoas simplorias como laranja sem que estas soubessem. Depois fez acordo na calada. Ou então falar o qto custou seus votos? Exemplo bem ali num Distrito de Acorizal quando fechou com uma certa vereadora os votos e os valores pagos por eles. Isso td funciona no antigo e conhecido esquema...Tô contigo até q o outro pague mais. TOTALMENTE NEGOCIÁVEL e TRAÍRA. Credo em Cruz..AVE MARIA. Livrais-nos

  • Ressai | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 16h52
    14
    10

    Não vai pegar bem ter, Nininho como Secretário, o certo é Emanuel ...

| 26/01/2015, 00h:00 - Atualizado: 26/01/2015, 19h:53

Árvores que não ouvem pensamentos

sandra_alves_colunista_segunda-feira

Sandra Alves

Caminhar no parque Mãe Bonifácia, uma aventura indescritível. O rumo dos pensamentos depende da companhia. Os rapazes correndo sem camisa; o caixa do Governo; o contrassenso entre o rico e o pobre; as moças com seus shorts curtos. Enfim, que a ciência não caminhe no sentido de possibilitar que aquelas árvores contem tantos segredos que por ali passam.

Primeiros passos, você entrelaça os dedos, eleva os braços acima da cabeça, ouve o barulho de estalar de ossos, balança a cabeça, respira e começa. Inevitável que as primeiras palavras transitem entre o estou ficando velho, estou entrevado, preciso emagrecer! O corpo esquenta e a conversa também.

Pessoas com cargos comissionados no Estado recebendo exonerações; perspectivas de redução da máquina; incertezas quanto a real situação do caixa de Mato Grosso. Se por um lado se deseje acreditar que o governo quer colocar ordem na casa, adequar os gastos, para de fato, ter eficiência na gestão - beneficiar o povo; por outro, não cria qualquer espanto a reestruturação de algum órgão com extinção de 193 cargos para recriação de 197!

Metade da caminhada, a fase da revolta. Nós, povo brasileiro, somos absurdamente coniventes e acomodados. Augusto Jorge Cury, cientista teórico e psiquiatra, denomina este fenômeno de psicoadaptação, que é a "incapacidade da energia emocional e motivacional de se submeter aos mesmos processos de transformações essenciais" mantendo o mesmo grau de reação.

Sandra Alves - Museu Britânico

museu britânico

Até que ponto estamos dispostos a que nossos pensamentos sejam ouvidos

Funciona assim, quando você compra um carro novo, tem prazer de observá-lo e dirigí-lo. Depois de um mês, após ter vivido a emoção diversas vezes, o carro novo não tem mais a mesma eficiência psicodinâmica em produzir as mesmas emoções. Depois de um período, o proprietário do veículo é capaz de entrar dentro dele como entra no banheiro da sua casa, sem nenhuma emoção, pois adaptou psiquicamente sua energia emocional a ele.

É a única explicação para a reação, mais especificamente, para a falta de reação do povo brasileiro frente ao caso "petrolão", a crise de recursos hídricos, ao caso "Eder", a situação das obras da Copa, entre tantos e tantos outros. Pois bem. Continue caminhando, as mãos formigam e a panturrilha começa a doer.

Nesta altura, cabe um juízo crítico. Verificar se, em algum ponto, o raciocínio foi contaminado e as conclusões se tornaram equivocadas. Deve existir uma lógica para o comodismo. Então vem à mente o caso de um jovem que responde processo criminal por roubo, utilizando uma faca e auxiliado por mais dois agentes. Recebeu condenação de 6 anos com base na palavra da vítima.

A vítima teve roubado R$ 17 e chamou a polícia. Informou que foi ameaça por 3 pessoas, que utilizavam uma faca. O jovem foi preso caminhando na avenida. Negou que fosse ele. Não foi encontrada a faca. Não foram encontrados outros agentes. A condenação foi exclusivamente com base na palavra da vítima abordada em local escuro e sob o influxo da emoção do assalto.

Fossem as mesmas regras aplicadas a operação Lava Jato (onde várias pessoas já disseram que viram; onde documentos foram apreendidos; onde perícias constataram os desvios; onde o patrimônio da estatal não paga suas dívidas), poderíamos esvaziar alguma unidade prisional do país que atendem aos ladrões de R$ 17 e colocar os responsáveis pelo rombo de R$ 1,5 bilhão da Petrobrás. Difícil encontrar alguma lógica nisto tudo.

Reta final, corpo suado. Aquele belo e forte peitoral passa ofegante ao seu lado com o vento carregando o perfume. O bumbum e os seios desenhados sob a roupa chamam a atenção, os olhos acompanham de forma automática. As árvores do parque não podem ouvir pensamentos, que alívio. Por outro lado, a indignação e inquietude destes questionamentos também não irão a lugar nenhum se não forem levados além das caminhadas no parque. Conversar consigo mesmo faz bem, mas levar nossos pensamentos para os outros e pensar é necessário para não cair na acomodação.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Lázaro | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 21h31
    1
    0

    O povo brasileiro já acostumou com pão e circo,agora psicoadaptação encontra-se nos poderes!

  • Angelo | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 16h55
    1
    0

    Boa reflexão !!!

  • Moraes | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 16h04
    2
    0

    Não sou bom em interpretação de texto. Talvez seja porque minha educação formal não contribuiu nesse sentido. Estude sempre em escola pública que em nosso país não é bem conceituada. Em seu artigo você quis dizer que estamos ou perdemos a capacidade de nos indignarmos com as coisas erradas que ocorrem em nossa sociedade? E que olhamos somente para nossos umbigos? Se for isso concordo com você. Nessa perspectiva, me esforço em identificar algum fato ocorrido no passado que demostre que , em algum relapso de tempo, nossa população estava coesa no sentido de encarar de frente os graves problemas que a afligiam. Em relação a nós como nação faço a seguinte analogia: somos parecidos com uma galinha quando está botando um ovo. Ela faz um barulho tremendo naquele momento e após volta a calmaria. É assim quando eclodem as grandes manifestações pelo Brasil a fora. Não damos continuidade e nem tomamos medidas contundentes que coloquem as autoridades desse país contra a parede. O problema é que o sistema que serve de paradigma para organização de nossa existência como sociedade nos transformam em pessoas individualistas, consumistas e descompromissadas com o bem público. Somos acomodados culturalmente. Não aprendemos desde cedo a lutar pelo bem comum. As coisas erradas estão acontecendo e continuamos preocupados somente com o nosso mundinho particular. Esquecemos o verdadeiro sentido da palavra sociedade. Sociedade vem de sócio? O que é ser sócio? Vamos refletir um pouco..

  • Hélio Augusto Gomes | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 14h32
    2
    0

    Um belo parque, mas apenas 20% da população cuiabana prática caminhada regularmente. 55% dos cuiabanos estão sobrepesos e 20% obesos. O parque é momento de reflexão, e as árvores não ouvem pensamentos, mas transmitem radiação solar melhorando a temperatura do ar e de reduzir a poluição, os ruídos. As suas contribuições sociais que podem ser definidas como a saúde física e mental. Faço um convite ao governador, Pedro Taques, que faça a sua caminhada regularmente, e sua reflexão, que vai fazer bem para a sua saúde, e usar a ferramenta de gestão sustentável, para o bem todos os mato-grossense.

  • Prof. Osvaldo | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 14h11
    1
    0

    Parabéns pelo texto. Pela primeira vez, caminhei pelo parque Mãe Bonifácia.

  • Sandra Alves | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 09h49
    2
    0

    Obrigada Alex e Moisés! Uma boa semana para todos nós.

  • alex | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 09h12
    3
    0

    Seus textos consegue como poucos tele transportar o leitor aos ambientes por vc proposto. Uma viagem na essência do espírito intelectivo da letra mor.

  • Moisés Drockwed de Santana | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 08h54
    4
    0

    Cada vez melhor, Sandra. Texto fantástico. Viajo nas suas imaginações. Parabéns por esse dom.

| 25/01/2015, 21h:47 - Atualizado: 25/01/2015, 22h:22

Governo quer dobrar receita do Estado em 3 anos e fechará cerco contra evasão fiscal


Prestes a completar um mês como governador, Pedro Taques tem pressa. Sentado ou andando, está antenado com tudo. Cobra solução o tempo todo de sua equipe sobre uma série de demandas. Com cada secretário discute estratégias. No caso da Fazenda, que cuida do caixa do Estado, a missão é desafiadora. O novo chefe do Executivo quer dobrar a arrecadação dentro de três anos, embora não admita isso publicamente para não assustar o empresariado. O governo trabalha hoje com uma receita de R$ 13 bilhões. Dentro dessa previsão, pode superar os R$ 25 bilhões em 2018. Mas, de que maneira, se as previsões são pessimistas diante de um país tecnicamente em recessão?

José Medeiros

pedro taques gabinete palacio paiaguás

Governador Pedro Taques, na garagem do Paiaguás em direção ao veículo para compromisso externo

Taques iniciou a ofensiva por melhores receitas definindo mecanismos para evitar tanta corrupção na máquina pública e pela montagem da equipe. Escolheu a dedo não só o executivo Paulo Brustolin como secretário de Fazenda, mas também os adjuntos Carlos Antonio da Rocha (Tesouro Estadual) e José Robero Miorim (Receita Pública). São especialistas em propostas para melhorar o caixa do Estado. E vão partir para a prática. É tudo que Taques pretende. Está inquieto devido à falta de recursos para investimentos. O que se arrecada hoje fica limitado à folha de pagamento, aos repasses carimbados para saúde e educação e para os demais Poderes e órgãos vinculados.

De um lado, o governo reduz estrutura da máquina, corta gastos e controla o caixa. De outro, vai fechar o cerco com fiscalização, tanto nas barreiras quanto nas empresas para combater a evasão fiscal.

E, para não alegar que o Executivo será duro com o contribuinte e com o empresariado de modo geral, Taques até autorizou o lançamento imediato do programa de Recuperação de Créditos da Fazenda Pública Estadual. Por meio do chamado Refaz, oferece vantagem para quem quitar débitos junto à Sefaz que ainda não foram encaminhados à inscrição em dívida ativa e/ou parcelados. Nessa negociação, o Estado perdoa juros e multas de mora. A ideia é estimular o pagamento de débitos, entre eles de ICMS e até de IPVA, que estavam pendentes até 31 de dezembro de 2013. Podem ser quitados em parcela única, com redução de até 100% do valor da multa e dos juros. E há outras propostas.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • luiz marcos | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 17h06
    2
    0

    Para o bem do Estado é necessário, rever todo estes Programas de incentivos fiscais, e fiscalizar com rigor a entrada e saída dos produtos de Mato Grosso, estava muito solto o sistema de fiscalização e cobrança das empresas. Os empresários serio e honestos não tem o que temer, pois já cumprem com as leis fiscais, agora os desonestos estes sim ficarão revoltados.

  • joaoderondonopolis | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 13h57
    1
    1

    Mal notícia para a população de MT, pois os empresários só recolhem impostos que são cobrados embutidos nas mercadorias vendidas ao contribuinte.

  • Batista | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 12h06
    3
    0

    É, o Governo tem espaço de sobra para aumentar a arrecadação. Ela vinha perdendo força nos últimos anos por pelo menos três motivos que podemos argumentar. Possíveis acordos de campanha do antigo Governador para afrouxar a arrecadação, excesso de incentivos fiscais e ineficiência do Fisco. A relação percentual da receita tributária caiu de 9,95% em 2006 para 8,33% em 2013.

  • Sergio Rubens da Silva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 11h47
    2
    0

    Na campanha o ano passado, durante uma reunião na Associação dos Delegados de Policia, sugeri ao candidato Pedro Taques, que caso eleito, adotasse em MT, um programa que acontece no estado de São Paulo, chamado Nota Fiscal Paulista, onde parte do ICMS devido e recolhido, é revertido para a população, em espécie ou em beneficios.

  • Pedro Pereira e Silva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 10h57
    7
    1

    Concordo que tem que arrecadar.Melhor seria tirar os incentivos fiscais das grandes empresas e principalmente das que doaram milhoes para a campanha.Justiça fiscal e isso que se chama.Agora vao tirar dos pequenos porque os grandes gastaram com doaçoes.Vamos ver e esperar.

  • Meire M. de Souza | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 09h30
    5
    2

    Agindo assim, com rigor, a arrecadação vai é quadruplicar.

  • SANDRA ALVES | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 08h11
    3
    4

    José Medeiros, parabéns pelo trabalho fotográfico, digno de aplausos. Sou sua fã. Abraços, Sandra Alves

  • dalva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 00h16
    2
    2

    dalva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 25/01/2015, 20h:50 - Atualizado: 26/01/2015, 13h:53

Empresas refazem o Viaduto da Vergonha

Ex-governador Silval, que pagou R$ 1,4 bi pelo elevado da Sefaz e que acabou interditado depois, promoveu inauguração há um ano


Ednilson Aguiar

viaduto da sefaz

Orçada em R$ 1,4 bilhão e já entregue, a obra do viaduto da Sefaz recomeça para correção de falhas

Intimado pelo governador Pedro Taques a tomar providências antes do Estado acioná-lo na Justiça, o consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande se comprometeu a sanar os defeitos e a refazer parte da obra do já batizado Viaduto da Vergonha. Montou de novo canteiro de obras sob e também debaixo da estrutura com 278 metros de extensão, construída em forma de alça e que já levou R$ 1,4 bilhão do caixa do Estado.

O consórcio promete refazer o serviço mal feito e entregar de novo a obra ao governo em abril. Após apresentar o projeto de restruturação ao Palácio Paiaguás, deslocou máquinas e equipamentos para o viaduto. Estão posicionados nas laterais para não atrapalhar o trânsito. As construtoras responsáveis colocaram isolamento. Cones sinalizam que o transtorno da época dos preparativos para a Copa, com desvios das principais avenidas, vai começar de novo. Ao menos ali. Foi-se a Copa. Ficaram obras pela metade.  

Ednilson Aguiar

viaduto da sefaz inauguração

O então governador Silval Barbosa, todo sorridente, inaugura o viaduto da Sefaz, em fevereiro do ano passado, em meio a vários convidados, como deputados, homenageados e o prefeito Mauro Mendes

Silval Barbosa, que comandou o Estado de abril de 2010 até o mês passado, teve a coragem de inaugurar, em fevereiro do ano passado, o Viaduto da Sefaz, batizado de Jamil Nadaf, uma homenagem ao pai do ex-secretário do próprio governo Silval, Pedro  Nadaf. E logo na primeira inspeção, descobriram fissuras milimétricas em suas juntas de dilatação. A partir daí, surgiu temor geral do viaduto despencar. Seria uma tragédia. O elevado foi construído sobre uma das mais importantes avenidas e com fluxo intenso de veículos, próximo tanto do Pantanal Shopping quanto do Centro Político Administrativo. 

A solução foi interditar o viaduto. Virou um elefante branco, por enquanto. Os (ir)responsáveis pela obra já deveriam estar respondendo na Justiça por um serviço desse. Ao menos o novo governador agiu de forma dura, exigindo do consórcio que faça a recuperação estrutural, com reforço das fundações do viaduto.

Edson Rodrigues

viaduto da sefaz em construcao

Logo após inauguração, uma inspeção detectou fissuras que comprometem a estrutura do viaduto da Sefaz e, a partir daí, a obra foi interditada. E o novo governo espera que o serviço seja refeito até abril

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Benedito | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 17h27
    0
    1

    Quem noticiou que o viaduto da SEFAZ custou aos cofres públicos 1,4 bilhões etá mentindo; É necessário escrever alguma com algum fundo de verdade; Isso é esculhambação da própria mídia. isso leva o periódico ao descrédito.

  • Jonas Silva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 16h56
    2
    0

    Pior mesmo é alguém acreditar que não há motivos para nos envergonharmos dessa 'maravilha' arquitetônica! Impossível admitir que TODAS AS OBRAS que DEVERIAM SER ENTREGUES ATÉ A COPA DO MUNDO (e obviamente nem chegaram próximas de chegarem à metade quando da sua edição e apenas fazem-nos vergonha até a presente data). São grandes exemplos HISTÓRICOS do mau uso das verbas destinadas às melhorias da nossa capital. Cabe-nos a obrigação de cobrar dos nossos gestores fiscalização mais dura e cobrança judicial dos envolvidos para que ninguém mais precise morrer até que tudo isso seja concluído.

  • MAD | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 12h55
    0
    1

    MAD, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Mario Silva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 12h37
    1
    1

    Eu não sei o que esta errado. Foi pago para se feita a obra e se se essa obra apresentou defeito depois de entregue, tem que ser recuperada pela empresa que recebeu para entregar pronta,,,,não sei o porque desse escandalo todo.

  • Otavio | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 11h22
    0
    1

    Otavio, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Roberto Brima | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 08h41
    3
    1

    Viaduto Cail Nadaf.... Vergonha mundial!

  • dalva | Segunda-Feira, 26 de Janeiro de 2015, 00h21
    1
    1

    dalva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 25/01/2015, 00h:00 - Atualizado: 25/01/2015, 14h:31

Obrigada Odenil!

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Semanalmente recebo e-mails dos leitores deste site expressando as suas opiniões sobre o artigo. Leio uma diversidade de relatos: são críticas, sugestões, elogios e no que posso e está ao meu alcance tento sanar dúvidas, encaminhar aos contatos que possam oferecer o auxilio nas situações específicas e, sobretudo, aprender com as histórias de vida que tenho o privilégio de conhecer.

No domingo passado escrevi um texto explicando de forma simplista o que são as OSS (Organizações Sociais de Saúde), e como resposta recebi um e-mail do senhor Odenil, morador do bairro do Porto, com um pedido de ajuda. Ressalto aqui que o próprio autorizou a divulgação de seu nome e também de sua situação. Aos 52 e pai de duas filhas menores, desempregado, sofre constantemente com dores de dente e que, segundo ele, mal consegue dormir. Estuda para concurso, porém não consegue se concentrar justamente porque sente dores de cabeça, que ele acha que estão relacionados à saúde bucal.

Este não é um quadro incomum para a realidade dos brasileiros, infelizmente. Somos um povo que sofre em consequência das más condições de saúde, da falta de investimento e valorização desta área e do sucateamento das unidades de atendimento provenientes de má gestão, corrupção e falta de comprometimento de todos os envolvidos nesse processo tão complexo que é a saúde pública.

Mas, nem tudo é ruim, quando eu digo que temos em nossa rede municipal de saúde profissionais qualificados, apaixonados pelo que fazem e dedicados ao atendimento eficiente e eficaz ao usuário, sempre com vistas à humanização e ao acolhimento, na maioria das vezes ouço que sou utópica, que a minha paixão pela odontologia e pela saúde pública me cega, e outras coisas do tipo. Pois bem, após ler o e-mail do senhor Odenil fui consultar a minha rede de contatos na tentativa de ajudá-lo. As redes sociais nessas horas são um grande instrumento e, após ter acionado o grupo dos componentes do Forúm Permanente da Odontologia do Estado de Mato Grosso, onde a Coordenação de Saúde Bucal do Município de Cuiabá faz parte, e também a secretaria de Governo e Comunicação por meio do seu secretário e assessoria de imprensa recebi uma resposta positiva: o senhor Odenil seria atendido.

E assim aconteceu. Os colegas da Clínica odontológica do Leblon o acolheram, e o seu tratamento está em curso. O usuário está satisfeito com o atendimento e me enviou e-mail agradecido. Isso prova que temos sim uma odontologia de qualidade em nosso município e que, apesar de não ser valorizada em muitas situações e carecer de incentivos e investimentos, com o que temos fazemos o melhor. Aproveito para lembrar que o SUS é para todos e de todos, e que no município temos inúmeros “Odenis”, que assim como o protagonista deste artigo recebeu e recebe destes guerreiros profissionais da odontologia um tratamento digno.

Obrigada senhor Odenil por me lembrar que esta paixão pela saúde pública não tem nada de utópica, e podemos sim ter esperança e lutarmos por melhorias. Obrigada colegas (gestores e cirurgiões-dentistas que atendem diretamente os usuários nas clínicas odontológicas municipais) por me concederem a honra de chama-los de COLEGAS. Obrigada Rdnews por me tornar instrumento de ações com bons frutos como esta. Fico realmente emocionada, e arremato este texto de domingo com uma de minhas frases preferidas: SOMOS TODOS USUÁRIOS DO SUS.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Orleine | Domingo, 25 de Janeiro de 2015, 14h20
    3
    0

    Parabéns prof. Jack bons profissionais são assim mesmo! !! Concordo com você em números e graus?

| 24/01/2015, 11h:29 - Atualizado: 24/01/2015, 12h:08

Chapa Pinheiro-Botelho contrapõe Maluf, diz ter aval de Taques e divulga propostas


Reprodução

folder deputados emanuel e botelho blog romilson

Capa do material de campanha da dupla Pinheiro-Botelho pel Mesa da AL

A oito dias da eleição da Mesa da Assembleia, o deputado Emanuel Pinheiro disse neste sábado que sua chapa à presidência conta com apoio do governador Pedro Taques e, animado, até produziu material gráfico para a campanha, com fotografia na capa ao lado do candidato a primeiro-secretário Eduardo Botelho (PSB) e com diversas propostas voltadas tanto para os colegas parlamentares quanto à sociedade. A eleição para dois anos de mandato acontece em 1º de fevereiro, logo após a posse dos 24 da nova legislatura.

Mesclando apoio de situacionistas e de governistas em relação ao Poder Executivo, Emanuel lidera a chapa com Botelho no segundo cargo mais importante, o de primeiro-secretário (ordenador de despesas) de um Legislativo que terá R$ 412,3 milhões de duodécimo neste ano, R$ 34,3 milhões mensais.

Reprodução

propostas mesa pinheiro botelho

Em material gráfico, nove das 20 propostas lançadas pela dupla Pinheiro-Botelho na disputa à Mesa da AL, cuja eleição acontece logo após a posse

O outro grupo tem o tucano Guilherme Maluf como cabeça de chapa e mantém na Mesa deputados como Mauro Savi (PR) como primeiro-secretário e Romoaldo Júnior (PMDB), hoje na vice-presidência.

Em meio a conspirações e omissões, as informações públicas dos dois grupos quanto à conquista de votos são conflitantes. Maluf anuncia que tem maioria e que o Palácio Paiaguás estaria dando respaldo a sua candidatura. Emanuel, por sua vez, assegura também contar com mais deputados-eleitores e que tem aval do governador, tanto que as suas propostas de trabalho trazem o slogan "Coragem e Atitude para Mudar", o mesmo da campanha vitoriosa de Taques. Esse material gráfico que será divulgado na próxima semana seria uma prova de que o Paiaguás está mais afinado com a chapa Pinheiro-Botelho.

Reprodução

propostas_mesa_emanuel_botelho_24-1

Entre as propostas de Pinheiro e Botelho estão de fazer reforma administrativa para valorizar o servidor e otimizar gestão com digitalização

Entre as 20 propostas da dupla Pinheiro-Botelho estão a de agir com rigor, respeito e transparência na publicação da movimentação financeira da Casa, convocar os aprovados no último concurso da AL, promover amplo diálogo com todos os demais Poderes e instituições, investir no Instituto de Memória, fortalecer a Escola do Legislativo, e ainda recuperar o protagonismo do Legislativo, com agenda que contemple mais projetos de lei e PEC de interesse popular. O grupo promete também, se eleito, zelar pela moralidade e fortalecer setores como Corregedoria, Ouvidoria, Conselho de Ética e Procuradoria e apurar denúncias com transparência, celeridade e imparcialidade.

Os deputados

Os 24 parlamentares que tomam posse na próxima semana são: Eduardo Botelho, Max Russi e Oscar Bezerra (os 3 do PSB), Dilmar Dal Bosco (DEM), Zeca Viana, Leonardo Albuquerque (ambos do PDT), Guilherme Maluf, Wilson Santos e Saturnino Masson (o trio do PSDB), Mauro Savi, Sebastião Rezende, Emanuel Pinheiro, Wagner Ramos e Odanir Bortolini, o Nininho (os 5 do PR), Baiano Filho, Romoaldo Júnior e Silvano Amaral (os 3 do PMDB), Zé do Pátio (Solidariedade), Wancley de Carvalho e Pery Taborelli (ambos do PV), Janaína Riva, Zé Domingos, Pedro Satélite e Gilmar Fabris (os quatro do PSD).

Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • Pedro Pereira e Silva | Domingo, 25 de Janeiro de 2015, 10h00
    3
    1

    So um detalhe.O Emanoel pinheiro foi eleito para ser legislativo e nao executino.Se come Marmita com Taques nao pode ser outro poder.Fora alinhamento.O Maluf e independente tem suas prerrogativas de legislativo.Cada um no seu quadrado sr nobre deputado que so se preocupa nos carginhos que o Taques vai te dar.

  • Marcio Abrahao | Domingo, 25 de Janeiro de 2015, 08h26
    4
    0

    Emanuel Pinheiro (PR) forma um seleto grupo de parlamentares que vão receber cerca de R$ 95.000,00 mensal (R$ 40 mil mensais, sem contar a verba indenizatória, hoje fixada em R$ 35 mil por gabinete e a aposentadoria de R$ 20.000,00) Serys Slhessarenko, Wilson Santos e Jose Geraldo Riva recusaram o privilégio que é considerado pela sociedade como imoral, uma vez que o trabalhador aposentado ganha no máximo R$ 4.300,00

  • mario | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 22h37
    8
    1

    A Itamar Jefferson larga de falar besteira esse Botelho é um dos donos do transporte coletivo da capital e nada fez para melhorar, sim fez juntamente com o prefeito que é amigo dele foi aumentar o valor da passagem para 3,10 larga de conversa fiada no minimo é uma baba ovo dele!!!!

  • joana | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 20h09
    5
    2

    Gostaria de saber qual é a mudança que o senhor se refere, se a muitos anos faz parte desta AL e nada fez.

  • GILSON | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 14h37
    5
    2

    Os deputados entram num processo acirrado pelo poder e isso deveria ser mudado e minha sugestão seria que os dois deputados mais votados fossem os respectivos Presidente e os outros cargos escolhido por eles.

  • ITAMAR JEFFERSON | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 13h45
    3
    7

    EDUARDOR BOTELHO HOMEM SERIO QUE REPRESENTA A MUDANÇA. ITAMAR JEFFERSON LÍDER COMUNITÁRIO REGIÃO DO COXIPO. itamarjefferson@hotmail.com

  • Mauro M uralha | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 13h21
    5
    3

    Coitado do Emanuel vai sonhando,BOTELHO que não e bobo já esta com Maluf e o Emanuel só resta o Batomuche.

  • leticia | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 13h18
    7
    4

    Parabens dep. Emanuel Pinheiro, espero que realmente estejamos vivendo um novo tempo ... e que não fique só no papel !!

  • Marcus Parreira | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 12h37
    7
    4

    Agora estou vendo renovacao em MT!! Parabens Emanuel e Botelho !!! O Grupo do Riva governam a Assembleia a 20 anos !!! Chegggaaaa!!!

| 24/01/2015, 00h:00 - Atualizado: 24/01/2015, 00h:14

O modelo acadêmico brasileiro

A ampliação do FIES a partir dos governos Lula e Dilma se tornou um negócio muito rentável e não mais um simples financiamento

akio maluf texto fixo

Akio Maluf Sasaki

A educação brasileira, aquela que está protegida na Constituição e, é um dever do Estado, tem se tornado cada vez mais um negócio e cada vez menos conteúdo, não só aos olhos da iniciativa privada, como também é percebida pelos gestores públicos, que aprenderam com o modelo de financiamento estudantil americano e ao invés de fornecer o ensino garantido pela Carta Magna, cobra duas vezes do cidadão brasileiro pela capacitação.

O modelo americano de ensino superior é todo privado. Existem universidades públicas mas não gratuitas, universidades privadas e universidades público-privadas, todas com mensalidades exorbitantes que passam o valor bruto de 50 mil dólares o ano, valores que obrigam os cidadãos americanos a economizar durante toda uma vida para poder pagar uma boa universidade aos seus filhos ou, no caso dos mais necessitados, adquirir um financiamento estudantil com juros exorbitantes.

Em contrapartida, o modelo de ensino brasileiro é composto por universidades públicas gratuitas financiadas pelos impostos absurdos, estes pagos pelos contribuintes brasileiros e universidades privadas, sendo que em virtude da falta de investimento na primeira e a pouca oferta de vagas abriu-se espaço para as universidades particulares, mas, em um primeiro momento, o modelo verde amarelo possuía valores acessíveis e trabalhavam na real formação de novos profissionais.

Em um momento mais recente da nossa breve história acadêmica o governo federal observou que é mais barato criar um programa próprio de financiamento estudantil, a juros para o cidadão brasileiro, e incentivar a criação e expansão das universidades particulares do que a expansão do seu próprio sistema de ensino, seja por custo com capacitação de profissionais, seja por custos com manutenção ou até mesmo de aparelhamento, bem, eis que surge o crédito educativo, criado pelo governo militar para financiar a educação de nível superior, sendo sucedido em 1999 pelo hoje tão famoso FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior), cuja ampliação no governo do presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff o tornou um negócio rentável e não mais um simples financiamento.

Com as novas proporções tomadas pelo FIES, as instituições de nível superior começaram a perceber que um aluno não era mais um ser que precisava aprender uma profissão, mas sim uma variável que se bem administrada poderia gerar um lucro formidável, criando desta maneira os grandes grupos de educação como, por exemplo, o Grupo Kroton e Estácio, cujas ações na bolsa têm se valorizado em um ritmo absurdo nos últimos anos, tendo como principal fator os reajustes acima da inflação em suas mensalidades, situação que força a grande massa acadêmica a realizar um financiamento. Oportunidade que as universidades estão aproveitando, pois é mais fácil enviar ao governo federal uma planilha com nomes, CPF e matrícula do que preparar um corpo jurídico para realizar cobranças, ajuizar ações e ter que lidar com inadimplências.

Mesmo com todo esse cenário onde alguns grupos lucram bilhões da verba destinada a educação todos os anos para fornecer ensino aos cidadãos brasileiros, não há real interesse público para reverter o cenário, pois a república verde e amarela está aprendendo que é mais barato pagar as altíssimas mensalidades impostas pelas instituições privadas do que investir efetivamente na educação pública superior.

Portanto, estamos assistindo de camarote a privatização do ensino brasileiro e a americanização do modelo educacional brasileiro, onde para pagar as mensalidades de um curso de medicina, engenharia ou direito, que na melhor das hipóteses custa 40 mil reais ao ano e 200 mil reais pela graduação, a população brasileira irá precisar fazer uma poupança no ato do nascimento dos filhos para poder pagar por uma educação de nível superior e, caso não a façam, verão seus altos impostos pagos para a educação voltarem para seus filhos em forma de empréstimo a juros mensais.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade de Cuiabá, atua em cooperação internacional do turismo e passa a escrever neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Prof. Vitamina | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 21h06
    1
    2

    Parabéns ao Dep. Emanuel Pinheiro e ao Dep. Botelho, pela coragem de colocar a cara a tapas, pois para mudar é necessário disputa de ideias e ideias e realmente governar democraticamente do povo para o povo.

  • José F. da Silva | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 19h18
    1
    0

    Bela abordagem. A educação no Brasil, há muito tempo, deixou de ser gratuita

  • Mariana | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 17h41
    1
    1

    Parabéns, eu me sinto indignada com esses reajustes, minha mensalidade dobrou desde o início do curso a 3 anos, estão fazendo a gente de palhaços.

  • Mariane Pereira Albuquerque | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 10h39
    4
    1

    Traduziu bem, Akio, a realidade educacional do ensino superior. Está tudo privatizado. Parabéns por trazer à discussão um assunto tão relevante.

| 23/01/2015, 14h:40 - Atualizado: 23/01/2015, 14h:58

6 pastas seguem sem adjuntos; quadro da Saúde é refeito, inclusive com 7 diretores


Mário Okamura/Rdnews

secretarias_secretarios_adjuntos_mauro_mendes

Prefeito cuiabno Mauro Mendes define todo quadro de secretários e, sobre adjuntos, faltam algumas nomeações, o que ocorrerão na próxima semana

Das 17 secretarias que restaram, após extinção de sete e incorporação de atribuições e demandas, o prefeito Mauro Mendes definiu titulares e, quanto aos suplentes, restam seis ainda sem secretários-adjuntos.

No caso da Saúde, detentora do maior orçamento de todas as pastas (R$ 584,7 milhões), o quadro com os principais assessores está redefinido. Ary Soares é o secretário. Ele tem dois adjuntos, sendo o de Atenção, sob Fernando Antonio, e de Planejamento e Operações, com Iracema de Queiroz.

A nova superintendente é Edite Eunice Souza, em substituição a Daniel Alves. A Auditoria-Geral segue com Jamil de Paula Ramos. Na estrutura da Saúde existem sete diretores.  Destes, apenas um foi substituído. A nova diretora-técnica de Obras e Serviços é Isabela Flores Mendes. Entrou no lugar de Lauro Boa Sorte, cujo cargo até então era de diretoria de Obras. No administrativo e financeiro segue Janete Mônica, assim como o diretor-técnico do hospital e Pronto-Socorro Municipal, Glen Carlos de Arruda. Como diretores-técnicos de Atenção Primária e Secundária, respectivamente, continuam José Ricardo de Amorim e Simone Balena de Brito. Silvana Ribeiro é diretora de Vigilância em Saúde e, Francisco Xavier, de Logística e Suprimentos.

As pastas com mais adjuntos são de Governo e Comunicação Social, com quatro, e de Ordem Pública, com três. Outras quatro contam com dois adjuntos cada: Saúde, Gestão, Fazenda, Cultura, Esportes e Turismo, Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano. 

O prefeito, que trabalha com orçamento de R$ 1,9 bilhão, avalia opções para completar o segundo escalão. Falta definir os adjuntos de Assistência Social e Desenvolvimento Humano, de Educação, de Habitação e Regularização Fundiária, de Obras Públicas e de Serviços Urbanos. A conclusão do quadro com todos adjuntos sai na próxima semana. Quase todos em cargos DAS nas secretarias extintas estão sendo aproveitados.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • DINHO | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 15h45
    2
    0

    Faltou na reportagem citar que ainda não foi nomeado o adjunto do ESPORTE da nova SECRETARIA DE CULTURA, ESPORTE E TURISMO.

| 23/01/2015, 00h:00 - Atualizado: 23/01/2015, 09h:27

Volta às aulas – transporte escolar

elga_figueiredo_imagem_texto

Elga Figueiredo

O mês de fevereiro se aproxima e muitos pais já entram na operação volta às aulas. Alem de material escolar, entre outros tantos afazeres que englobam o inicio do ano letivo, para muitos pais, ainda é hora de contratar serviço de transporte escolar. Quando contrata o serviço de transporte escolar os pais confiam à segurança de seus filhos na condução escolar ao fornecedor do serviço escolhido, motivo pelo qual, é preciso verificar antes de contratar o serviço, vários itens que podem garantir a tranquilidade para família.

Os pais devem ser atentos aos seus direitos e deveres, devendo assim, fiscalizar a segurança dos filhos na condução escolar, e um dos primeiros itens a fiscalizar é se o condutor tem capacidade técnica com o curso específico para esse tipo de trabalho. O condutor também precisa ter mais de 21 anos, não possuir antecedentes criminais, estar credenciado pelo Detran e Prefeitura.

Infelizmente, no transporte escolar existem muitos serviços prestados de forma clandestina, e sempre é identificado várias irregularidades: veículos sem os equipamentos de segurança, como, cinto, extintor de incêndio com o prazo de validade vencido, pneu careca, até mesmo condutor sem habilitação tipo D, conforme exige do Código de Trânsito Brasileiro.

Essas regras são sinônimos de segurança! Além averiguar a habilitação e as condições de segurança do motorista e do transporte, o uso do cronotacógrafo – equipamento utilizado para registrar velocidade, tempo e distância percorrida pelo automóvel, é imprescindível. A negociação do contrato de prestação de serviço também merece atenção. É fundamental que tudo que for tratado esteja escrito no contrato.

Por derradeiro, devo pontuar que os pais não devem permitir, de forma alguma, que os filhos sejam transportados de pé ou que a lotação seja maior que o permitido pela lei. Adotando essas medidas, com certeza, estarão contribuindo para um transporte mais seguro, bem como certamente evitando inúmeros acidentes decorrentes da negligencia que paira entre alguns vários prestadores do serviço de transporte escolar.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Cuiabano | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 16h59
    3
    0

    Muito gata! bela matéria.

Mesa Diretora | 22/01/2015, 19h:14 - Atualizado: 23/01/2015, 09h:56

Chapa de Maluf terá Dilmar como 1º vice e Romoaldo na 2ª Secretaria - confira aqui


O grupo político do deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), virtual candidato à presidência da Mesa Diretora da Assembleia, acaba de definir a composição da chapa que disputará as eleições marcadas para 1º de fevereiro, logo após a posse dos 24 integrantes da nova legislatura. 

O 2ª vice-presidente ainda não está confirmado e deve ser definido durante final de semana. As vagas de 3o e 4o secretários também precisam ser preenchidas. As informações são do deputado estadual Mauro Savi (PR) que, apesar da resistência do Palácio Paiaguás, conseguiu se garantir na 1ª Secretaria. "A chapa já está formada e eu sou candidato a primeiro secretário, isso não muda mais", ressalta o republicano, em entrevista ao Rdnews. 

Davi Valle/Rdnews

Dilmar Dal bosco deputado-21-05-2014-Davi Valle (17).JPG

Deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) deve concorrer ao cargo de 1º vice-presidente

A chapa liderada por Maluf com Savi na 1º Secretaria apresentará Dilmar Dal Bosco (DEM) como 1º vice-presidente. O deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB), que chegou a presidir o Legislativo durante o afastamento judicial de José Riva (PSD), foi acomodado como 2º secretário. Os cargos de 2º vice-presidente, além da 3o e 4o secretários,  serão oferecidos para os deputados que declararam voto na chapa adversária. O grupo pretende lançar Emanuel Pinheiro (PR) para presidente com Eduardo Botelho (PSB) na 1a Secretaria.

A nominata da chapa encabeçada por Maluf e Savi foi definida com objetivo de pressionar o grupo político adversário a aceitar a construção do consenso. Com isso, mudanças na composição não estão descartadas até momentos antes do processo eleitoral. Por enquanto, emissários de Maluf e Savi estão conversando individualmente com os parlamentares, com objetivo de convencê-los sobre a conveniência de lançar chapa de consenso. Uma reunião com a presença dos 24 deputados estaduais que assumem em 1ª de fevereiro deve acontecer até terça (27).

Adversários

Emanuel Pinheiro e Eduardo Botelho ainda têm a esperança de consolidar as candidaturas e prometem auditar as contas da Assembleia, caso sejam eleitos. O candidato ainda afirma que a análise das movimentações financeiras deve abranger a folha de pagamento, os contratos com fornecedores ou prestadores de serviços e o custo de órgãos como a TV Assembleia. 

Além disso, Emanuel Pinheiro garante que o placar da votação está empatado em 12 a 12. De acordo com o republicano, a chapa “Coragem e Atitude pra Mudar”, em alusão ao slogan de campanha do governador Pedro Taques (PDT), está próxima de cooptar o 13º apoio, mas prefere não revelar o nome do parlamentar para não prejudicar as conversações. 

Emanuel promete auditoria na AL e garante que disputa segue empatada

Chapa de Maluf

  • Presidente - Guilherme Maluf
  • 1º vice - Dilmar Dal Bosco
  • 2º vice - indefinido
  • 1º secretário - Mauro Savi
  • 2º secretário - Romoaldo Júnior

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Francisco | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 10h33
    3
    2

    Riva e riva

  • Rosangela Alves | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 09h10
    6
    3

    Matérias recentes davam conta que não se suporta a presença do Mauro savi na chapa do Maluf. Agora como reforço, trazem o Romoaldo, isso sim é contraditório .... Queremos mudança, não gente que só sabe mamar nas tetas .... O Governador Acorrrrdaaaa !!!!!

  • joao | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 08h13
    4
    1

    senhor Julio cezar, não precisa tecer comentarios, o seu emprego ja esta garantido e para de ficar com esse puxa-saquismo, fica até feio.

  • Amarildo | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 08h05
    5
    0

    Será possível que esses deputados vão ser conivente com a condução de Mauro Savi na diretoria da mesa da assembleia. Onde esta a renovação pregada?, ou isso era só promessa de campanha?, Guilherme Maluf tem sede de poder e nunca fez nada para esse estado, espero que esses deputados pensem melhor.

  • Raimundo | Sexta-Feira, 23 de Janeiro de 2015, 08h04
    8
    0

    Ou seja, José Geraldo Riva, "CONTINUARA", mandando na Assembléia Legislativa ...... Valew Pedro Taques ...... Fez a gente acreditar no novo, e esta ai de novo .... O RIVA E SEUS PAUS MANDADOS ..... Mto agradecido ...

  • julio cesar | Quinta-Feira, 22 de Janeiro de 2015, 20h30
    7
    7

    Auditar contratos ???? Conta outra! Emanuel queria engavetar a CPI da Cooperativa do Erai. Ajudou a abortar a CPI da Construtora Nhambiquaras que é de propriedade do Botelho. Esses dois vão auditar o que? Com que moral?

| 22/01/2015, 11h:17 - Atualizado: 22/01/2015, 11h:34

Acadêmico Akio integra time de colunistas


O acadêmico de Direito da Universidade de Cuiabá, Akio Maluf Sasaki, de 23 anos, é o novo integrante da equipe de colunistas do Blog do Romilson, agregado ao portal Rdnews. Ele passa a escrever artigos aos sábados, em substituição ao jornalista Gilson Nunes, que assinou a coluna por dois anos e a quem agradecemos pela valiosa colaboração.

colunistas 22-1-2015

Com estilos e abordagens diferentes, os sete colunistas escrevem semanalmente artigos exclusivos

Gilberto Leite/Rdnews

akio materia estreia colunista

Akio Maluf Sasaki trará artigo todo sábado

Filho da empresária mineira Nizilda Maluf e do diretor comercial Gilberto Seije Sasaki, Akio é um jovem estudioso, antenado com o mundo globalizado, com senso crítico aguçado e acostumado a enfrentar desafios. Além do português, possui domínio do inglês e espanhol, as línguas mais requisitadas pelas empresas no Brasil, e está aprendendo o idioma francês. Fez intercâmbio por um ano em Coimbra (Portugal).

Mas Akio não é daqueles que saem se aventurando por aí. Se dedica a projetos e aos estudos visando crescimento profissional e ampliação de conhecimento. Passou por estágio no Tribunal de Justiça e no Ministério Público de Contas e hoje atua com a mãe em cooperação internacional de turismo, o que o permite conhecer o mundo.

E o que esperar de Akio Maluf como articulista? Ele adianta que traduzirá em seus textos uma visão de mundo jovem. "Vou me dedicar a escrever sobre as aspirações da juventude e com uma abordagem de mundo um pouco diferente", destaca o novo colunista. Akio se junta ao time, que tem a defensora pública Sandra Alves na coluna de segunda-feira; a cerimonialista e servidora pública Olga Lustosa, na terça; o professor universitário Vinícius de Carvalho, na quarta; a jornalista Maria Rita, com artigo toda quinta; a advogada Elga Figueiredo, na sexta; e a cirurgiã-dentista Jackelyne Pontes, no domingo.

Postar um novo comentário

| 22/01/2015, 06h:38 - Atualizado: 22/01/2015, 21h:14

Explore Jaciara

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

Quando se pronuncia o nome da cidade que é considerada a capital dos esportes radicais de Mato Grosso, o rafting é a primeira atividade que vem à cabeça. Em seguida vem as técnicas verticais desenvolvidas nas cachoeiras e por fim um banho nas piscinas dos balneários da estrada parque. Mas acredite, Jaciara é muito mais do que isso.

É claro que descer num bote inflável por um canyon onde cachoeiras desembocam nas laterais é algo impressionante. Como não se emocionar com a força da água e sentir a energia que emana do rio?  Também é inesquecível descer de rapel bem no meio de quedas de água, como se tivéssemos o poder de pisar por onde poucos humanos conseguem estar. Por fim, relaxar nas piscinas de água natural aquecidas ou não que estão espalhadas na beira do Rio Tenente Amaral. Mas depois de já ter feito este roteiro algumas vezes têm-se a impressão de que isso é tudo o que a cidade oferece aos visitantes. Mas não é. Há muito mais!

Já pensou em levar uma bicicleta para Jaciara? O mesmo desnível que permite a existência das quedas no rio é responsável por subidas insanas e visuais especiais. Experimente pedalar pelas estradas e trilhas da região. São pontes com pequenos riachos desenhados a mão. Morros para todos os lados e grandes paredões de pedra. Você pode escolher o tamanho dos trajetos, sendo possível até mesmo pedalar até a Cachoeira do Prata, local que já foi sede de uma etapa do Ultra, em 2013.

As mesmas trilhas que você pode percorrer de bike são possíveis a pé. O desnível possibilita que em poucos quilômetros suas panturrilhas chorem enquanto seus olhos assistem a um belo pôr do sol por entre a morraria da região. Mas como se aventurar por um lugar desconhecido? Basta espírito aventureiro, respeito, humildade e cara de pau. Como diz o ditado “quem tem boca vai a Roma”. Basta chegar na região e começar a fazer perguntas como: onde vai dar aquela estrada? Tem mais cachoeiras por aqui? Conhece alguma trilha antiga?

As respostas vão te impressionar, pois há muita aventura além do roteiro comercial, que inclui ainda exploração em cavernas com inscrições rupestres e dezenas de cachoeiras menos conhecidas espalhadas pela região. Cada vez que vamos a Jaciara descubro algo novo e extremamente interessante.

Entre os dias 6 e 8 de março nossas descobertas no âmbito da aventura serão compartilhadas com 900 atletas do Circuito Ultramacho. Correndo, remando e pedalando eles irão descobrir ainda mais emoção na cidade pioneira do turismo de aventura de Mato Grosso. Se você não quiser esperar até lá já pode ir neste final de semana e escrever seu próprio trajeto. Afinal o baú da adrenalina e das belezas naturais de lá possui ainda muitas atrações para se descobrir.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • papagaio_7@hotmail.com | Sábado, 24 de Janeiro de 2015, 16h47
    1
    0

    Muito boa a Matéria

  • MONICA CAMOLEZI DOS SANTOS MELO | Quinta-Feira, 22 de Janeiro de 2015, 16h34
    4
    0

    Jaciara é realmente incrível! Vale muito conhecer suas belezas e encantos!!! Natureza exuberante e povo acolhedor!!!

  • Cesar Paludo | Quinta-Feira, 22 de Janeiro de 2015, 15h16
    3
    0

    Jaciara é realmente muito bonita. Fez esses passeios de rafiting e rapel. Gostaria de conhecer mais!

INíCIO
ANTERIOR
1 de 636