Cuiabá, 02 de Abril de 2015
  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

Várzea Grande | 04/01/2014, 11h:30 - Atualizado: 04/01/2014, 20h:18

Até dia 30, Jaqueline deixa Saúde para concorrer a deputada federal


 

 

capa-jaquelinehj3.jpg

Secretária de Saúde de VG Jaqueline Guimarães sairá candidata à Assembleia

  O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), estabeleceu prazo até 30 de janeiro para que os integrantes da administração que pretendem disputar as eleições deste ano entreguem os cargos. Na lista das possíveis exonerações está a primeira-dama e secretária de Saúde Jaqueline Guimarães, além do diretor do Pronto-Socorro Renato Tetila.

  Os substitutos serão escolhidos por Walace a partir de critérios técnicos. Segundo o peemedebista, a gestão da saúde não deve ser partidarizada. “Não vamos politizar a saúde. A escolha é pessoal já que a responsabilidade e as cobranças recaem sobre mim”, afirmou.

  Jaqueline, que irá tirar 10 dias de recesso para descansar com a família, deve pedir exoneração do cargo no próximo dia 15. Fora do comando da Saúde, pretende intensificar a articulação da candidatura a deputada federal.

  Essa não é a primeira vez que Jaqueline tanta uma vaga na Câmara Federal. Em 2010, pelo nanico PHS, a secretária de Saúde chegou perto de conquistar uma vaga ao obter 31.921 votos, que garantiu o posto de primeira suplente do deputado federal Eliene Lima (PSD).

  A primeira-dama se filiou ao PMDB em setembro do ano passado com a justificativa de que no mesmo partido do marido, poderá trabalhar melhor sua candidatura. “A candidatura é viável. A consolidação depende da análise feita em conjunto com o partido”, explica Walace.

  Outro que deve deixar o staff nos próximos dias é Tetila, que pretende disputar uma cadeira na Assembleia. Ele se filiou ao PP com intuito de ampliar a bancada progressista, atualmente formada pelos deputados Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja.

Jacqueline ingressa no PMDB para tentar Câmara Federal

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Julio Muzzi | Sábado, 04 de Janeiro de 2014, 22h51
    2
    0

    Ambos são boas pessoas, bem articulados, e que vem lutando por Varzea Grande.

  • diego | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 23h41
    3
    1

    diego, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuzi Kalafate | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 22h08
    3
    2

    É uma pena né, quando a pessoa vai querendo acertar, vem a Política e tir do lugar gerando descontinuidade na administração

  • Elifas Jose Ribeiro Ribeiro Ribeiro | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 20h58
    1
    4

    Serå que ela ira descansar onde ?junto com os pobres da periferia de vadju? Pra dai ja ir angariando votos pra dep.federal? Acho ela vai pra zöropa (sic).miami.

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 18h09
    5
    1

    Mato Grosso e suas capitanias hereditárias. Aqui é mesmo um feudo!

| 01/04/2015, 16h:37 - Atualizado: 06h atrás

Em nota, PT-MT reage com indignação e diz que não compactua com corrupção


O diretório estadual do PT, sob William Sampaio, se mostra indignado com os comentários críticos feitos aqui no Blog pelo jornalista Romilson Dourado, sob título “Sem estrela e falido, PT vira uma piada” – confira aqui.

Emitiu nota pública. Diz considerar “um absurdo a acusação de que as lideranças do PT formam uma quadrilha”. Sustenta que o partido é democrático e de massas. A nota de oito tópicos não menciona a Petrobras, muito menos mensalão. Recorre ao termo “acusação de cometer erros” para completar dizendo que “os acusados vão responder por seus atos, ainda que muitos deles tenha pagado sem uma mísera prova concreta que os culpassem”. E tem mais: Segundo o PT-MT, “foram condenados previamente por setores da mesma turba midiática, que mais uma vez tenta destruir o PT e seu projeto popular democrático".

william sampaio 250pixels nota

William Sampaio preside diretório petista no Estado

Eis, abaixo, a nota pública do PT-MT

  1. O Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores em Mato Grosso (PT-MT) repudia os ataques proferidos por meio de artigo “Sem estrela e falido, PT vira uma piada” postado nessa terça-feira (31.03), pelo senhor Romilson Dourado, em seu Blog RDnews. O conteúdo acusatório é muito semelhante ao comentário do jornalista da Grande Mídia Tradicional, Josias de Souza, no site UOL realizado no mesmo dia.
  2. Sobre o teor dos ataques o PT-MT afirma:
  3. 1 – Ser um absurdo a acusação de que as lideranças do PT formam uma quadrilha. O PT é um partido democrático e de massas, onde não pesa qualquer mácula contra a maioria esmagadora de seus líderes/filiados.
  4. 2 – As lideranças petistas que foram acusadas de cometer erros, responderam por seus atos, ainda que muitos deles tenham pagado sem uma mísera prova concreta que os culpassem, aliás foram condenados previamente por setores da mesma turba midiática, que mais uma vez tenta destruir o PT e seu projeto popular democrático.
  5. 3 – Filiados nossos que estão ou estarão sob investigação também responderão por seus atos, mas reivindicaremos a eles o direito do contraditório, da ampla defesa e do duplo grau de jurisdição princípios basilares da democracia abalados em nosso país por muitos justiceiros seletivos de plantão, que tiveram seus egos inflados pelo justiçamento promovido por setores da Mídia.
  6. 4 – O PT não compactua e jamais compactuará com a corrupção. Continuaremos apoiando as investigações promovidas pelos nossos governos que estão combatendo a corrupção política e empresarial, antes varrida para debaixo do tapete em governos apoiados pela Grande Mídia Tradicional. Reiteramos que caso qualquer filiado do PT seja condenado com provas e não com meros indícios, em virtude de eventuais falcatruas, será excluído de nossas fileiras.
  7. 5 – Reafirmamos que nosso Partido é perseguido sim pelas nossas virtudes. Setores das Classes A e B do país não suportam o fato de que agora seus filhos tenham que dividir as salas das Universidades com os filhos dos trabalhadores, com os negros, os indígenas e os antes marginalizados e excluídos. O ódio à melhoria de vida promovida pelo PT aos do andar de baixo, sempre incomodou os do andar de cima e os leva a destilar furor e atacar a democracia como ocorreu em 1954 e 1964.
  8. 6 – As acusações do criminoso comprovado Alberto Youssef terão de ser provadas. Não aceitaremos que parte da Mídia Monopolizada transforme criminosos que acusam sem apresentar uma mera prova, em heróis nacionais. Não aceitaremos a inversão do ônus da prova. E denunciaremos àqueles que vivem nos atacando, mas não tem credibilidade e nem moral para isso, pois praticam a ética seletiva e não querem a mudança do status quo.
  9. 7 – O PT-MT em sintonia com o Diretório Nacional seguirá trabalhando pela construção de um país mais democrático, soberano, fraterno, justo e solidário. Para isso continuará na luta pela Reforma Política que garanta maior participação popular e que interrompa a força do poder econômico, raiz da corrupção política, nas campanhas eleitorais.
  10. 8 – O Partido dos Trabalhadores é Patrimônio do Povo Brasileiro, nossa história e trajetória merece respeito!
  11. Cuiabá, 01 de abril de 2015.
  12. Diretório Estadual do PT-MT

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Carlos | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 21h02
    2
    4

    Essa quadrilha tirou 36 milhões de pessoas da miséria. E fácil para filhinho de papai criticar, nunca passou fome. Viva o PT

  • alexandre | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h46
    6
    2

    Acorda pra realidade o PT acabou, o acordo é delaçao premiada com YOSSEF, se mentir perde a reduçao de pena, agora o que ministro da justiça propôs as empreiteiras é LENIENCIA isso é prejudicial a democracia e a populaçao, pois nao se pune as empreiteiras, nem politicos, nem ninguem isso que a dilma quer IMPUNIDADE e ela continua na cadeira dela. Esse discurso anos 80 dos excluidos e divisão de classes nao cola mais, o PT pegou a casa organizada e com dinheiro tanto lula quanto dilma gastaram horrores com medidas populistas, agora que o pais quebrou a culpa é da crise internacional. toda a liderança nacional do PT foi parar na PAPUDA, nunca antes nesse pais a corrupçao foi tão endêmica graças ao aparelhamento do Estado pelo PT. Vacarri foi denunciado e lula o defende...,pegou propina na porta do DIRETÓRIO NACIONAL do PT em SP, quer símbolo maior do que este ? me cite 01 tesoureiro do PT que nao esteja envolvido em escandâlos nos últimos 12 anos. a presidente perdeu a confiança do povo arruinou a economia e apresenta a conta para o povo pagar.. cadê o FIES, PRONATEC o dinheiro acabou, corte de direitos trabalhista este é o legado do PT, os direitos que Getúlio Vargas deu dilma está tirando do povo. hoje temos RECESSÃO, DESEMPREGO, INFLAÇÃO, JUROS E TARIFAS E REMÉDIOS E ALIMENTOS ALTOS. O combate a corrupçao é só para inglês ver. em suma ela mentiu em tudo e continua a tentar engambelar o povo. precisa refundar o PT, pois o atual afundou no desejo do poder, tudo o que o PT dos anos 80 combatia, é exatamente o que o PT se tornou hoje... dia 12 companheiro estaremos nas ruas lutando por um pais melhor... Fora dilma

  • joaoderondonopolis | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h37
    6
    2

    Doze anos atrás minha mãe me falava que eu ainda iria ver o que o PT iria aprontar no país. PT nunca mais, chega de tantos escândalos. Dia 12/04 vamos a rua para "Muda Brasil", desta vez deve chegar a casa dos 10 milhões de manifestantes contra Dilma.

  • patricia | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h33
    5
    2

    Mas que papinho mais bobo hein filho... andar de baixo, andar de cima e o Lulla que mora num triplex cobertura é o que hein, afff

  • jose antonio | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h27
    5
    2

    Combater a corrupção e melhorar a vida da gente, este é o que o PT pensa a Petrobrás é o que o PT faz. Lula é contra a corrupção, ze Dirceu tambem isto é o que eles dizem e o que fazem?

  • Fabiano Nogueira | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h00
    6
    2

    Esse povo não tem desconfiômetro. PT nunca mais. Chega de corrupção.

  • Elifas Ribeiro | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 17h22
    6
    5

    Esse PT não se emenda mesmo hein? Parece uma seita fundamentalistas eles não defendem o Brasil e sim o partido

  • Amarildo | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 17h21
    4
    6

    Essa matéria do sr. William Sampaio esta corretíssima pela data. É UM PRIMEIRO DE ABRIL MESMO. Quase mim convenceu.

Articulação | 01/04/2015, 15h:40 - Atualizado: 08h atrás

PSB oficializa convite a Taques, que ainda "almoça" com membros do PSDB, PTB e PV


Jacques Gosch

mauro_reuniao

Mauro diz que fez o convite em nome do presidente nacional do PSB Carlinhos

O governador Pedro Taques (PDT) recebeu, para almoço no Palácio Paiaguás realizado nesta quarta (1º), a cúpula do PSB. Liderados pelo prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, os socialistas oficializaram o convite para o chefe do Executivo romper com o PDT e aderir à sigla, que hoje conta com dois deputados federais e três estaduais. A bancada federal é formada por Fábio Garcia e Adilton Sachetti. No Estado, o partido conta com Eduardo Botelho, Max Russi e Oscar Bezerra na Assembleia.  

Nos próximos dias, Taques deve se reunir com lideranças do PSDB, PTB e PV. Os três partidos já manifestam interesse na filiação de Taques, que enfrenta problemas de relacionamento com o presidente do PDT mato-grossense, deputado estadual Zeca Viana.  

 O prefeito Mauro Mendes, que preside o PSB no Estado, afirmou que a reunião serviu para debater projetos na área da saúde e reafirma o apoio das bancadas na Câmara Federal e Assembleia.   “Entre os temas estava a eventual possibilidade de mudança partidária. Em nome da Executiva Nacional e do presidente Carlinhos Siqueira, oficializamos o convite. O governador Pedro Taques seria muito bem-vindo aos quadros do PSB”, declarou. 

Sobre a Lei da Fidelidade Partidária, que prevê brecha para migração somente em casos de perseguição, fundação de novo partido, fusão ou incorporação de siglas e mudança radical de orientação programática, Mauro Mendes disse que situação será avaliada pelo próprio Taques.  “O governador é um grande jurista, foi procurador da República e conhece os riscos previstos na legislação e as oportunidades  existentes na Lei de Fidelidade Partidária. Por isso, agradeceu o convite e pediu tempo para maturar a decisão que merece toda cautela”, completa. 

Taques admite assédio para deixar PDT e diz que não "briga" com Zeca

O chefe da Casa Civil Paulo Taques, atuando como porta-voz do governador, lembrou que a eventual saída do PDT não pode ser tratada como fato consumado. De acordo com o secretário, o almoço reuniu velhos companheiros que falaram sobre emendas parlamentares e assuntos de interesse do Estado. “O convite foi feito e o governador Pedro Taques se comprometeu a avaliar. O  PSB é um partido valoroso e o convite o deixou lisonjeado, mas não existe resposta no momento”, explica. 

Paulo Taques também confirmou, para os próximos dias, encontros políticos com dirigentes do PSDB, PTB  e PV. “Vamos conversar com todos os aliados. No PSDB, por exemplo, o governador já tratou do assunto com o senador Aécio Neves, em Brasília”, conclui.  

PSB aposta na filiação de Taques e formaliza convite com almoço na 4ª

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Antonio | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 17h11
    2
    0

    Como fica a questão de fidelidade partidária?

| 01/04/2015, 08h:15 - Atualizado: 01/04/2015, 08h:33

Riva deve passar Páscoa e aniversário de 56 anos preso; ex-deputado emagreceu


Davi ValleRdnews

Riva coça a cabeça na coletiva

José Riva está na cadeia há 41 dias e tenta obter liberdade. Ele está mais magro

O ex-presidente da Assembleia, José Geraldo Riva (PSD), deve passar não apenas a Páscoa na cadeia, mas também o seu aniversário, que é comemorado coincidentemente no dia em que a Capital mato-grossense completa 296 anos, 8 de abril, próxima quarta. Preso há 41 dias, ele já sofreu 7 derrotas na Justiça, que buscavam revogar a detenção e/ou a tornar nula por meio do pedido de suspeição da juíza que deferiu a sua prisão, Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Riva, que chegou a ser um dos homens mais poderosos e influentes do Estado, chega aos 56 anos numa situação totalmente diferente da que era acostumado. Segundo pessoas ligadas à família, que foram ouvidas pelo Rdnews, Riva, que já era naturalmente ansioso, está ávido por notícias de fora e seus dias têm sido de altos e baixos.

A rotina do ex-parlamentar sempre foi agitada, acostumado com muito trabalho, acordava cedo e dormia tarde, despacha projetos, recebia inúmeras lideranças em seu gabinete e ainda sobrava tempo para se dedicar a família. Assim, a reclusão tem sido sufocante para o social-democrata.

Ainda conforme pessoas próximas, ele bem que tenta escrever ou ler, no entanto, por falta de concentração, devido às preocupações com o mundo exterior, essas atividades, que lhe eram habituais e diárias, se tornaram difíceis e talvez, por isso, ao final do dia, conforme o Blog do Romilson revelou, o ex-parlamentar rasgue suas anotações e as jogue fora.

Os próprios familiares, em conversa com pessoas do seu círculo de amizade, afirmam que existe uma preocupação com a sua saúde do social-democrata. Além da constante ansiedade, Riva teria emagrecido, pois se alimenta apenas com o que é oferecido no sistema prisional. A família costuma visitá-lo todas as quartas e domingos, por coincidência, são os dias da semana em que serão celebrados a Páscoa (domingo) e o aniversário dele (quarta). Além da visita, é provável que preparem algo especial para dar forças ao patriarca da família Riva. 

Enquanto isso, a defesa aguarda o julgamento do mérito do HC, negado pela ministra Maria Thereza de Moura Assis, que não deve ocorrer antes do aniversário em razão de procedimentos burocráticos. O caso será apreciado pela Sexta Turma. Ocorre que a publicação ocorreu ontem (31) e, entre os trâmites legais está a necessidade de parecer da Procuradoria Geral da República para que o pedido seja incluído na pauta.

Além disso, há um feriado prolongado, o que dificulta o andamento processual. De todo modo, paralelo a isso, a defesa estaria trabalhando em um novo recurso, que deve ser protocolado no próximo dia 9. Riva foi preso durante a Operação Imperador, deflagrada pelo Gaeco. Ele é acusado de participar de um esquema que desviou R$ 63 milhões por meio de fraudes em licitações na Assembleia.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • luiz alfredo feresin de Abreu | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 19h20
    0
    0

    Ninguém deve ser preso sem condenação definitiva. Prisão ilegal deveria acarretar ao juiz o mesmo tempo na cadeia.O STJ vai revogar o decreto prisional.

  • José Pedro Ribeiro | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 14h04
    0
    0

    José Pedro Ribeiro, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • joyce pasco | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 12h28
    0
    0

    joyce pasco, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Cristina | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 12h11
    9
    2

    Oh dó! Vai passar a páscoa e o aniversário no xadrez? Tadinho!!! Mas quantos aniversários com pompa e circunstâncias ocasionadas pelo dinheiro público esse ai não deve ter passado. Quem planta vento colhe tempestade! Espero que minimamente essa aprenda que o crime não compensa!

  • Lucas | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 10h44
    12
    1

    Coitadinhooooo.... o dó, vou nem dormir de noite de tanta dó...

| 01/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 01/04/2015, 08h:34

MPE, Governo e o desenvolvimento

antonio_joaquim_nova_dentro_texto

Antônio Joaquim

Desde 2012 venho defendendo a obrigação de o Governo atuar como indutor do desenvolvimento local. Falo especificamente do tratamento diferenciado que os órgãos públicos devem assegurar às micro e pequenas empresas, no que diz respeito às compras governamentais até R$ 80 mil. Isso está estabelecido em lei. Cumpri-la equivale a executar uma política pública consequente e de amplo alcance social. Gera empregos e faz circular riqueza.

Destaco que, no ano passado, com a aprovação da Lei Complementar 147/2014, e que fez modificações no Estatuto da Micro e Pequena Empresa (LC 123/2006), houve uma substituição de verbo no artigo 47. Antes, era facultado ao poder público o tratamento diferenciado, com a palavra “poderá”. Agora, o regramento está instruído com a palavra “deverá”, ou seja, o que era opção tornou-se obrigação.

Na esmagadora maioria dos municípios brasileiros, as Prefeituras e os demais órgãos públicos são os principais compradores de bens e serviços. Comprar ou contratar do microempreendedor é a ação objetiva e eficaz que se espera dos gestores governamentais, principalmente dos prefeitos. Para tanto, as aquisições públicas com valores até o teto mencionado têm que assegurar o disposto na Lei da MPE. Infelizmente, os gestores se atentam apenas aos preceitos contidos na Lei 8.666/93, a Lei de Licitações. Esse equívoco tem que acabar.

Recentemente fui convidado para participar de um debate durante o “III Seminário do Desenvolvimento Local”, promovido pelo SEBRAE e pela Frente Nacional de Prefeitos, em Brasília, de 7 a 9 de abril. Os organizadores têm a expectativa de reunir mais de cinco mil participantes entre prefeitos, vereadores, secretários municipais e membros de vários segmentos e entidades que representam os municípios brasileiros.

Participarei de mesa redonda que terá como tema “As Políticas Públicas para as Compras Governamentais direcionadas às Micro e Pequenas Empresas (Lei do Estatuto da Micro e Pequena Empresa). O convite foi feito em decorrência da parceria firmada entre a Associação dos Tribunais de Contas do Brasil (ATRICON), que presidi em 2012/2013, e o SEBRAE. O objetivo é o de dar executoriedade à Lei Complementar 123/2006, utilizando do poder fiscalizatório dos Tribunais de Contas.

Na época, sete anos após a edição da lei, fiquei muito impressionado com a perversidade dos números que nos foram apresentados. A Lei, em seus aspectos principais, tinha sido colocada em prática em apenas 800 dos cerca de 5.700 municípios brasileiros. Além disso, segundo o Sebrae, as MPE representam mais de 90% do segmento empresarial brasileiro. Liderei o chamamento e obtive o apoio e a adesão da quase totalidade dos dirigentes dos 34 Tribunais de Contas.

O marco da parceria ocorreu no dia 13 de março de 2013, às 13h, quando a maioria dos Tribunais de Contas promoveu reuniões nos Estados brasileiros com a presença de prefeitos, vereadores e secretários municipais, na promoção de seminário de capacitação sobre os dispositivos da Lei Complementar 123/2006. Ela previa legislação e dispositivos municipais (a LC 147/2014 diz que, na ausência de regramento local, prevalece a instrução federal).

Os TCs ainda deveriam instruir sua fiscalização no sentido de verificar a aplicação do Estatuto da MPE, em especial no tocante às compras governamentais. Os eventos da Atricon também passaram a contar com a presença de representantes do Sebrae, convidados para palestras e, finalmente, nossa entidade aprovou uma Resolução Orientativa aos TCs tratando da fiscalização em observância às Leis Complementares 123/2006 e Lei 147/2014.

Sei que toda transformação cultural se processa em passos mais lentos que o desejado, mas a nossa parceria pelo desenvolvimento local já conquistou vitórias. Pouco mais de 1 ano após aquele mutirão nacional dos TCs e a atuação conjunta, o SEBRAE informa que cresceu em quase 200% o número de municípios que hoje cumprem o Estatuto das Micro e Pequenas Empresas - cerca de 2.400 municípios.

Este é um belo exemplo da contribuição efetiva que os Tribunais de Contas podem oferecer à sociedade na execução e consolidação de boas políticas públicas. É a superação do discurso pela prática, comprovada por números e estatísticas oficiais. 

Antonio Joaquim é conselheiro e ouvidor-geral do Tribunal de Contas de Mato Grosso e escreve exclusivamente para este Blog às quartas-feiras. www.anjoa@tce.mt.gov.br 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Novaes de Albuquerque | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h50
    1
    0

    Concordo, com o conselheiro Antonio Joaquim. Agora, outros órgãos fiscalizadores também precisam sair de seus castelos, não é Ministério Público?

  • Hudson Saturnino | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 07h47
    5
    1

    Por diversas vezes já ouvi o seguinte enunciado: "Pensar Globalmente e agir localmente". É perfeitamente notável a postura de alguns gestores públicos que se prevalecem da transferência de responsabilidades, a exemplo do próprio governo federal que atribui ao discurso da crise internacional, suas ingerências e desmandos políticos. Percebo que o gestor público municipal, teria em muito o que fazer para provocar o desenvolvimento endógeno, entretanto, alguns preferem utilizar do expediente que o problema está no próximo. Privilegiar as micro e pequenas empresas nas compras governamentais, certamente foi uma grande conquista para o combate a evasão de rendas. Ainda nesse sentido, vimos trabalhando intensamente para fazer ver ao gestores públicos das esferas governamentais: federal; estadual e municipal, que dispensem tratamento diferenciado no âmbito das legislações ambiental, sanitária, fiscal e tributária ao micro e pequeno produtor rural, pois, estes precisam da agroindústria na retaguarda para fazer agricultura continuada e agregação de valores. Aproximadamente 20 municípios do Estado de Mato Grosso tem sua vida resolvida no agronegócio, enquanto os outros 121 municípios poderiam diante sua vocação e recursos naturais, transformarem 140.000 pequenas propriedades rurais em 140.000 pequenas empresas rurais. Uma nova matriz econômica poderia preponderar nesses pequenos e sofridos municípios que ainda não se descobriram economicamente a que vieram. Sr. Conselheiro: Achei oportuno fazer este comentário, considerando que o tema proposto provoca a busca de alternativas para o desenvolvimento local, pois, não consigo vislumbrar qualidade de vida aos munícipes, se não for pela geração de riquezas e para que isso ocorra a chave esta nas mãos das bases, que precisam ser atuantes para serem fortalecidas.

  • Pablo Rodrigo | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 07h32
    5
    1

    Vendo o ponto de vista de uma pessoa tão inteligente e com visão tanto no ramo político quanto empreendedor, sinto-me lisonjeado de estar acompanhando às quartas-feiras temas com este pretexto acima descrito. Te admiro muito. Pablo Rodrigo.

| 31/03/2015, 23h:13 - Atualizado: 01/04/2015, 01h:15

Sem estrela e falido, PT vira uma piada


Desculpem-me, petistas, mas passou da hora de caírem a ficha. A desfaçatez. O PT não só faliu como virou piada. E uma piada de mau gosto. Só provoca risos de indignação, salvo naqueles que demonstram estar contentes com a forma como o petismo governa o país e como alguns de seus líderes corruptos formam quadrilha. Ou então seus militantes que se juntam para, ao invés de refletirem sobre o desgoverno e corrupção, vingir de vítimas e disparar contra quem se opõe.

Analise que absurdo! Na segunda, após reunião com Lula e o presidente Rui Falcão, dirigentes do partido nos Estados divulgaram um manifesto. Um dos trechos anota, acerca do escândalo na Petrobras: “Como já reiteramos em outras ocasiões, somos a favor de investigar os fatos com o maior rigor e de punir corruptos e corruptores. (...) E, caso qualquer filiado do PT seja condenado em virtude de eventuais falcatruas, será excluído de nossas fileiras”.

Isso não é uma piada? Antes, o partido de Lula e Dilma também havia prometido os rigores da lei e da disciplina ética-partidária aqueles filiados que viessem a ser condenados pela Justiça. Parte da cúpula ficou enjaulada um bom tempo no presídio da Papuda, em Brasília, após julgamento e condenação no mensalão. Não se tem notícia de expulsão.

Aliás, fizeram o contrário. Delúbio Soares foi readmitido nos quadros da sigla. Genoino e Dirceu são até recebidos como santos e heróis nos encontros partidários.

Ainda sobre o manifesto, sustenta que “Perseguem-nos pelas nossas virtudes. Não suportam que o PT, em tão pouco tempo, tenha retirado da miséria extrema 36 milhões de brasileiros e brasileiras. Que nossos governos tenham possibilitado o ingresso de milhares de negros e pobres nas universidades”. Estão roubando o velho discurso eternamente vinculado a Paulo Maluf do “rouba, mas faz”. 

Nesta terça, o doleiro Alberto Youssef, um dos delatores da Operação Lava Jato, disse, em depoimento à Justiça Federal, que mandou um de seus funcionários entregar "400 e poucos mil reais" para o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, em frente ao prédio do diretório nacional do partido, em São Paulo. De imediato, petistas saíram em defesa de Vaccari. Eles gostam mesmo de comédia. Tentam sustentar discurso de que há “campanha de cerco e aniquilamento”, na qual vale tudo para acabar com o PT, “inclusive criminalizar” a legenda.

Não, não! É o próprio PT que está se deixando morrer pela boca. Muitos de seus líderes, disfarçados de salvadores do país, não tiveram tempo para praticar a honestidade.

Postar um novo comentário

Comentários (15)

  • alexandre | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 18h55
    2
    0

    Todos os petistas na LAN HOUSE votando, pois lula mandou defender o partido, tem BLOGUEIRA que recebe 48 mil pra defender o PT, minha consciência nao está a venda e as contas estão apertando 100,00 mais na conta de luz de todo mundo no mes graças a dilma, e mesmo eu gastando menos luz,e tem outro aumento em ABRIL por isso ABRIL VERMELHO ainda tem propaganda na TV tentando enganar o povo, onde o PT ganhou nao teve aumento na conta de luz. Fora dilma dia 12 e quantas vezes for necessário...

  • Alexandre | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 14h27
    4
    3

    nem Deus há de deixar hoje o lula tenta descolar da imagem da dilma que está queimada, pra voltar em 2014 acredita que nao abalou a sua imagem, mas toda a terça feira ele tem reunião com a dilma em sao Bernardo SP, vejo o aviao da presidente sempre em SP, quem era dilma antes do lula ? ninguém, dilma é uma estranha no ninho pois ela sempre foi PDT, nao era PT que até hoje nao engole ela, quem foi petista sabe que o partido é todo dividido, a iminência que manda no Brasil é o lula que também manda na dilma hoje e sempre, ele é responsável pela situaçao mas o que está por trás de tudo é o projeto de permanência no poder do PT . dilma queimada, o PT queimado na corrupção e nao vai sobrar para o lula ? o medo do impeachment é queimar o PT de tal forma que inviabilize lula em 2018, tem que dar tempo para o povo esquecer.... sarney, collor aprontaram e voltaram infelizmente brasileiro tem memoria curta... mas PT nunca mais... todos os envolvidos em corrupçao na petrobras foram indicaçao do lula e nos depoimentos da lava jata diz " eles sabiam de tudo" no planalto...

  • Valdecir | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 13h57
    5
    6

    Caro articulista. Motivo de piada é a disfarçates da Direita Golpista e seus partidos (PSDB, DEM, PPS dentre outros da oposição). Vai demorar ainda muito tempo pra que essa Direita sem discurso retornar ao Poder. A começar pelo maior ícone da Direita e do PSDB Aécio Neves. Quem é Aécio Neves? Quem é Marconi Perillo? Quem é Agripino Maia. Lula e Dilma e o PT são muito mais que todos juntos. FHC vendido quem é? Serra entreguista quem é? E o Governo do Estado disfarçado de moralista do qual vossa excelências baba os ovos. Pra direita voltar ao poder vocês precisavam aproximar do povo. Mas sei que a Direita tem nojo do povo. Então jovem vaõ continuar sendo nada. Absolutamente nada. E em 2018 é Lula. Estou aqui a pensar de quem vamos ganhar a Eleição.

  • benildo | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 13h25
    5
    5

    Os golpistas revoltados volta a atacar, kkkk, orgulho de ser PT, e pra vc romilson e revoltados, pode esperniar mais Lula vai voltar.

  • Nando | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 13h20
    0
    0

    Nando, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Alexandre | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 12h32
    4
    4

    O PT ruiu no seu projeto de poder perpetuaçao no poder, ele se vendeu, corrompeu, cooptou a todos Hitler tambem queria um REICH de mil anos.. deixou de ser PT e hoje mais se parece com os partidos FASCISTAS da década de 1930. vamos lá mesmo se o pacote de maldades/ajuste fiscal do LEVIR der certo, são 2 ANOS DE RECESSÃO, com juros altos, desemprego, inflaçao, diminuiçao da renda real e corte de direitos trabalhistas, pra cobrir DÉFICIT do governo Federal , vai sair dinheiro do meu bolso através de mais impostos/tarifas pra cobrir descontrole das contas publicas causadas por medidas populistas e irresponsáveis da dilma, e a conta eu que tenho que pagar ? mesmo cobrindo o rombo das contas do governo e da petrobras que vai demorar isso vai gerar mais empregos, vai gerar mais desenvolvimento ou renda para a população, infelizmente a resposta é NÃO, só serve pro PT ganhar mais tempo empurrando com a barriga e inventando mais "slogan" de efeito pra se promover, como lançar a patria educadora e cortar milhoes de reais da educação, FIES, PRONATEC, MINHA CASA MINHA VIDA.. isso é FATO , veja as medidas fiscais do LEVI. as vezes é preciso sair da CAVERNA DE PLATÃO e olhar a realidade do mundo em volta, falta isso aos petistas...

  • Amarildo | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 08h15
    6
    7

    Esse felipe Matos é mais um deles, mas uma virtude ele tem, ter coragem de defender um partido que esta arruinando com nosso pais. Concordo plenamente com essa matéria, como fizeram na campanha presidencial passada, descaracterizando quem fala a verdade e enaltecendo quem fala a mentira, como aquela frase que a Dilma sitou "NEM QUE A VACA TUSSA", lembra Sr. Felipe Matos?, a vaca não tossiu e veja como esta nossa economia. REALMENTE É UMA VERDADEIRA PIADA DEFENDER ESSE PARTIDO.

  • Regis | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 07h47
    0
    2

    Regis, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • BETH MACHADO | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 07h47
    8
    7

    Parabéns, Romilson. PT é mais que lixo, e quem o defende também !!

  • joaoderondonopolis | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 07h34
    8
    9

    Romilson foi muito econômico em suas palavras. O Lula está preocupado com a corrupção. kkkkkkkkkkkkkk. Vamos população para as ruas dia 12/04, vamos fazer bonito, dizer que o PT pediu investigação é balela. É esperado cerca de 12 milhões de manifestantes.

posicionamento | 31/03/2015, 17h:39 - Atualizado: 31/03/2015, 17h:40

Blairo questiona ministro, que assegura recurso para Mato Grosso ainda neste ano


O senador Blairo Maggi (PR) questionou o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, sobre o montante de R$ 1,1 bilhão que Mato Grosso aguarda receber da União neste ano. A indagação ocorreu nesta terça (31), durante encontro com senadores da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), a qual Levy sinalizou positivamente.

A reunião ainda serviu para explicar como será feito o ajuste fiscal proposto pelo governo federal. “Estamos aguardando que a União nos pague os R$ 400 milhões do FEX (Auxílio Financeiro de Fomento das Exportações), compensação prevista pela Lei Kandir, que não nos foi pago no ano passado e um empréstimo já aprovado pelo Banco do Brasil, e que só estamos aguardando a secretaria de Tesouro Nacional dar o aval, contraído para construção de pontes e estradas, na ordem de R$ 720 milhões”, alegou Blairo ao lembrar que o Estado é o maior exportador do país e que poderá ser prejudicado caso estes recursos não sejam liberados.

Reprodução

blairo-maggi

Senador Blairo Maggi cobra R$ 1,1 bilhão do governo federal para Mato Grosso em reunião com Levy

Neste sentido, o ministro explicou que o Governo depende da aprovação do orçamento 2015, ainda não sancionado pela presidente Dilma Rousseff (PT), para organizar a programação financeira deste ano. “A questão do FEX, vamos procurar dar encaminhamento dentro da programação financeira que vamos publicar após a votação do orçamento”. Já em relação aos empréstimos, Levy ressaltou que estão sendo analisados, pois existem vários, em diferentes estágios, mas que a resposta será dada em breve. “Não há nenhuma intenção de segurar empréstimos, e obviamente, precisamos desse novo cenário para dar uma sinalização que está relativamente avançado com relação a Mato Grosso”.

Para Blairo, os investimentos devidos a Mato Grosso devem contribuir com a infraestrutura da região. Segundo ele, o Estado precisa com urgência de estradas e pontes, para seguir contribuindo com a economia nacional. “Mato Grosso precisa de infraestrutura, e agora, exatamente neste esforço de controlar a economia do país, a União falta conosco. Se não continuarmos investindo em nosso Estado, talvez no ano que vem não tenhamos a mesma quantidade de grãos produzidos”.

Blairo ainda explicou que há casos em que o produtor precisa dar uma volta de mais de 100 km, porque a ponte por onde passaria caiu, e o Estado não tem condições de refazê-las. “A população que vive lá está na dependência destes recursos. Porque, como sabemos, a economia nacional está de marcha ré, e os investimentos no setor privado e público praticamente não existem este ano. Mato Grosso, provavelmente, terá em 2015 uma receita menor que nos anos anteriores”. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • paulo césar farias | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 11h44
    1
    1

    Desculpe, mas este cidadão ão está credenciado para defender os direitos do povo matogrossense....

  • Evanildes Corrêa da Costa | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 09h09
    4
    2

    Enquanto o Senador/Governador Blairo Maggi defende e busca soluções para os problemas do estado, o Professor Pedro Taques vai à Portugal " ministrar" palestra!!!!

  • ivan nunes | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 07h48
    5
    1

    Parabéns senador Blairo...

  • benedita | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 22h51
    1
    3

    Para cara de pau óleo de peroba ! Só quem não conheçe é quem compra fez estradeiro, gastou $$ e neca de resultados

  • Zé Poxoréo | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 19h28
    5
    1

    Bem lembrado Senador, "a ponte caiu"! Caiu porque historicamente nesse Estado que o senhor foi eleito governador tem o péssimo mal hábito de não fiscalizar a qualidade das obras e também de não exigir garantia. Tire por exemplo os poucos trechos que foram pavimentados na sua gestão, alguns com menos de 5 anos de inauguração já estão se esfarelando!

| 31/03/2015, 10h:37 - Atualizado: 31/03/2015, 16h:15

51 anos após golpe, protestos revelam defensores, mas maioria quer democracia


tira-comentario-500 

Hoje o golpe militar completa exatos 51 anos e a boa notícia é que a maioria da população não deseja retornar aos tempos de escuridão, violência, censura e muita coisa errada que o Brasil ainda esconde debaixo do tapete. É bem verdade que a crise econômica e política brasileira “desenterrou” alguns defensores, muitos fanáticos, deste regime que oprime e que tanto foi nocivo à nação.

Mário Okamura/Rdnews

protesto cuiaba 15 de marco 215 530pixels

Em 15 de março, milhares de cuiabanos foram às ruas cobrar melhorias no país

Mas, a reação da maior parte dos 202,7 milhões de brasileiros, segundo dados do IBGE divulgados no ano passado, incluindo adeptos ao Governo Dilma Rousseff (PT) e os que estão insatisfeitos com a gestão petista, foi de ojeriza a essa possibilidade.  

Em dezembro, um levantamento feito pelo Ibope apontou que para 46% dos brasileiros a “democracia é preferível a qualquer outra forma de governo”. Apenas 18% disseram que “dá na mesma se um regime é democrático ou não”.

Justamente, por isso, hoje é um dia de reflexão. Uma professora minha, de história da Comunicação, repetia sistematicamente na sala de aula: antes não tínhamos democracia, hoje temos e ainda não sabemos o que fazer com ela.

Essa frase martela na minha cabeça até hoje. Acredito que precisamos de pessoas mais politizadas, que consigam fazer debates profundos, porque só assim teremos uma democracia fortalecida e uma nação com voz e ação, imune a tantos maestros que levam as bandas para um lado e para o outro.

A missão não é fácil, afinal, são apenas 30 pós-ditadura, que durou mais de 20 anos e que tem seu marco final em 15 de janeiro de 1985, com a eleição de Tancredo Neves. Ele, entretanto, morreu às vésperas de assumir o posto. No lugar dele, assumiu o vice José Sarney .

Alguns estudiosos e analistas avaliam que o Brasil, um senhor de 514 anos, viveu mais de 400 anos sem democracia. Diante disso, fica claro que ainda estamos aprendendo a utilizar a democracia em favor do desenvolvimento desta nação. Os protestos ocorridos nos últimos 2 anos, sendo as duas últimas grandes manifestações em 13 e 15 de março, demonstram que, mesmo engatinhando, aos poucos, os brasileiros entendem a força que têm e isso é salutar.

Em Mato Grosso, a ditadura também deixou marcas. Neste período 6 deputados perderam o mandato, perseguição e tortura contra pessoas contrárias ao regime. E foi também do hoje Estado campeão em grãos que surgiu uma das principais vozes contra o regime, a do ex-governador Dante de Oliveira. Em 2 de março de 1983, o então parlamentar mato-grossense apresentou no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 5, que propunha eleição direta para a presidência da República. Ela foi rejeitada em 26 de abril de 1984, mas é considerada um marco na luta pela democracia.

Confira, abaixo, reportagens acerca dos reflexos do golpe militar em Mato Grosso publicadas pelo Rdnews

Ditadura militar cassou mandato de 6 deputados no Estado - confira a lista

Dante começa luta contra ditadura ainda na década de 70, lembra viúva

Divisão de MT e construção da BR-163 acontecem durante a ditadura

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Alexandre | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 15h46
    6
    3

    o período do milagre econômico,da educaçao, da industrializaçao do Brasil e grandes obras estruturantes foram com os militares, é claro que tinha os contrários que queriam implantar uma DITADURA DO PROLETARIADO no pais e alguns que verdadeiramente protestaram por mais liberdade, houve excessos sim tanto dos militares na repressão quanto dos guerrilheiros, a esperança era a democracia tanto a direita quanto a esquerda tiveram oportunidades de governar o pais, e 30 anos depois somos eternamente o pais do futuro, estamos mais pobres, a corrupção está instituicuionalizada, não é essa democracia dos 30 segundos na urna, que servem somente aos partidos que queremos, eles nao me representam. as obras estruturantes dos portos, aeroportos, Hidrelétricas,estradas transposiçao do Rio sao Francisco nada está pronto e tudo foi desviado ou mau feito... Cadê a familia, cadê a educaçao, segurança, cadê os valores tudo foi deturpado, Sinceramente creio que viviamos melhor. Trabalhador homem de bem, nao tinha medo dos militares pois nao estava devendo... ECA, patria educadora faça me favor.... esse é um desabafo de um brasileiro que já passou por hiperinflaçao e está vendo a vaca indo pro brejo...

  • Profº Santana | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 15h15
    3
    2

    Sou um leitor assíduo desse Blog e fico feliz com o grau de maturidade com que esse emérito jornalista aborda este assunto. Somos filhos da Democracia e devemos ter o cuidado de zelar por ela e repudiar o que um regime totalitário ou militar pode fazer de cruel e degradante contra o cidadão. Por maior que seja a crise é dentro do regime democrático que temos que encontrar a solução. Parabéns nobre jornalista pela postura corajosa e pela lucidez.

  • marta | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 13h46
    6
    0

    os tempos são outros, e se for militar o regime, não seria aquilo tudo da epoca, mas que o brasil ta precisando e pulso firme isso ta.

| 31/03/2015, 00h:00 - Atualizado: 30/03/2015, 22h:07

O mundo está chegando ao fim

Olga_200_fora

Olga Lustosa

Se o ar está poluído, os oceanos contaminados, os animais sendo extintos, a economia está em colapso, a educação não é valorizada, a inteligência é menosprezada e a ignorância recompensada, o mundo está chegando ao fim, como sugere a letra da música com este nome, do rapper Prince Ea.

Não se trata de associar-me aos maledicentes do mundo moderno, no sentido de rejeitar tudo o que a modernidade nos proporciona, ocorre que, tampouco associo-me à aqueles que fazem elogios cegos ao mundo contemporâneo. E, então, o que podemos fazer diante de toda essa loucura e caos? Podemos nos amar. Envolver o coração em tudo o que se faz, seguramente ajuda a navegar através da incerteza, tristeza, da complexidade e de tempos desafiadores. 

O mundo está passando por uma fase rara de avanços tecnológicos, mas tumultuada a ponto da ordem existente não ser capaz de acolher as mudanças, sem grandes sobressaltos. Possivelmente, essa fundação materialista servirá como um interlúdio para levar a humanidade para o conhecimento uma era de valores não-materialistas. Muitas religiões e filosofias oferecem alternativas ancoradas na visão de mundo mais existencialista, com interações mais profundas entre a espiritualidade, a natureza e os seres humanos, e um papel mais forte para o coletivo contra o individualismo. Em alguns aspectos de algumas culturas, o dinheiro e o poder não exercem o mesmo efeito de progressão da ordem social, como nos países industrializados.

 Efetivamente já estamos vivenciando o propagado choque de civilizações, com modelos e visões de mundo divergentes e nem sempre coerentes com o que fomos levados a acreditar. O que não podemos é experimentar uma nova idade das trevas onde o vazio de valores, o nacionalismo, o populismo, xenofobia em combinação sinistra com fanatismo e ignorância fez cair em colapso grandes dinastias, no passado. 

A observação pode ser assustadora, porém, mesmo que mudemos as palavras, o cenário será igualmente lúgubre; O fato é aqui estamos nós, personagens centrais de uma era que inevitavelmente tem que chegar ao fim, porque não é possível cometer equívocos maiores e mais determinantes para o fim de um ciclo.

E como renascemos a cada dia, quem sabe possamos começar a restaurar nossas identidades como seres sensatos, preparados para responder de forma prudente e amorosa os eventos da era moderna, mergulhados numa vida de significados e propósitos reconciliáveis com uma existência pacífica. Uma nova visão de mundo depende muito da capacidade e vontade dos indivíduos de construir confiança mútua, sem que a raça e religião sejam problemas, sem que a tecnologia roube o tempo das crianças brincarem e dos adultos se amarem. Enfim, que a humildade se eleve a um nível mais alto que o orgulho e que a conciliação seja o primeiro passo para o recobramento da humanidade perdida.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • chocolate | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 13h45
    0
    0

    Estamos apenas no começo do fim.

  • Edval da Silva Campos | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 12h56
    0
    0

    Simplesmente inigualável artigo........me ajudou sobre-maneira.....obg amiga......

VÁRZEA GRANDE | 30/03/2015, 16h:58 - Atualizado: 30/03/2015, 17h:06

A possibilidade de renunciar é zero, alega Walace sobre a situação política de VG

Defesa diz que não existem provas de compra de votos e caixa 2


O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), nega a intenção de renunciar ao mandato, para evitar a cassação devido ao processo por suposta compra de votos e caixa 2 na campanha eleitoral de 2012. As alegações finais, elaboradas pelo advogado Elvis Klauk Júnior, foram protocoladas no Poder Judiciário hoje. “A possibilidade de renúncia é zero. As ilações não passam de falácias plantadas para desestabilizar a gestão. Tenho mandato legítimo, conquistado em eleição histórica e disputado voto a voto. Se quiserem me derrotar, esperem dois anos e venham para disputa”, declara em entrevista coletiva, realizada no Paço Couto Magalhães, na tarde desta segunda (30).

Walace afirma que a ação judicial interposta pelo DEM, que abriga o grupo político do ex-senador Jayme Campos, é uma tentativa de promover o “segundo turno” em Várzea Grande. O peemedebista também ressalta que os democratas desrespeitam a população, porque não aceitam a derrota e querem retomar o comando do Executivo a qualquer custo. “Parece criança que perde o doce e faz aquela choradeira. Quando perdi as eleições para o Murilo Domingos, aceitei o resultado e desejei boa sorte. Não sou apegado ao cargo, mas se querem me derrotar, disputem a eleição daqui a dois anos”.

Mário Okamura/Rdnews

walace-coletiva

Prefeito de VG Walace Guimarães ao lado do advogado Elvis Klauk Júnior diz que não vai renunciar

O advogado Elvis Klauk Júnior aproveitou para rebater as acusações sobre “gastos de campanha camuflados”, indicando que, apesar da prestação de contas no valor de R$ 1,4 milhão, o cruzamento de dados apontou gastos de R$ 4,3 milhões. Segundo o jurista, o processo tramita em “segredo de justiça” e os vazamentos de dados são ilegais. “Se não existisse o segredo de justiça, qualquer pessoa poderia comprovar que não existe relatada nos autos qualquer ilicitude do prefeito Walace. A advocacia na Justiça Eleitoral ensina a diferenciar as questões políticas das jurídicas e juridicamente não há nada de ilegal na conduta do meu cliente”, garante.

O processo contra Walace está sob responsabilidade do juiz eleitoral José Lindote. A tendência é que profira a decisão até 20 de abril. De acordo com Elvis, a ação ainda está em primeira instância e qualquer ilação sobre cassação do prefeito é precipitada. “Mesmo com condenação, ainda cabe recurso até no Superior Tribunal Eleitoral. O processo só acaba quando transitar em julgado”, conclui.

Contas de Governo

Walace protocolou, na última quinta (26), na Câmara Municipal, a defesa prévia referente às contas do Executivo, exercício 2013. O balanço recebeu parecer contrário à aprovação do Tribunal de Contas frente à existência de irregularidades consideradas gravíssimas, a exemplo de gastos com pessoal acima do limite constitucional e déficit financeiro e de execução orçamentária. O peemedebista considera que o Legislativo tem autonomia para julgar, mas lembra que as finanças de Várzea Grande apresentaram avanços significativos. “Espero que os vereadores considerem que as contas de gestão foram aprovadas pelo TCE”.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Euclides Neto | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 08h51
    1
    1

    Nobre WALACE, suas contas já veio com restrições recomendadas pelo TC, portanto não poderá ser votado favorável pelos vereadores, deve ser imediatamente sanadas as irregularidades existentes. Quanto a sua renuncia, como diz Raul Gil, PEGUE SEU BANQUINHO E SAIA DE MANSINHO. E BOA SORTE.

  • adomiram botelho andrade | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 18h40
    1
    2

    Esse Dr das quantas está recebendo quanto pra saber que vai se sujar com esta questão. Se ele não é conhecido, imagine agora que defende um sujão, irresponsável e delinquente prefeito da VG.

| 30/03/2015, 16h:31 - Atualizado: 30/03/2015, 21h:27

Um senador inexpressivo de MT que já começa ganhar espaço entre os notáveis


Pode-se dizer muita coisa do jovem senador José Medeiros, menos que ele seja do tipo que traz as opiniões na coleira. O conheço desde os bancos do Campus Universitário de Rondonópolis. Frequentamos a mesma sala em algumas disciplinas, nos anos 1990. Eu, no curso de Letras. Ele, de Matemática. Ali já se via, com posições convictas e coerentes, um rio-grandense do norte que chegara menino em Mato Grosso disposto a ocupar espaço. Ao mesmo tempo que fazia faculdade, passava no concurso para atuar como policial rodoviário federal. A militância política já corria na veia. Se filiou ao PPS. Virou presidente municipal. Concorreu, sem êxito, a deputado federal. Sob indicação de Percival Muniz, entrou na chapa de Pedro Taques ao Senado como primeiro-suplente, em 2010. Este ano torna-se senador com quatro anos de mandato pela frente.

Jefferson Rudy

jose medeiros

Em dois meses na cadeira de senador, José Medeiros (PPS) já presidiu sessão e fez vários pronunciamentos

No Congresso, para surpresa de muitos, Medeiros passou a marcar posição. Não falta a uma sessão. Fala grosso. Aos poucos, vai tirando dos céticos a pecha de inexpressivo. Sobe a tribuna com discurso afiado. É bom orador e está perdendo a timidez. Nesta segunda, por exemplo. disse que a coalizão de forças proposta pelo Executivo para tirar o país da crise somente será possível se houver confiança no governo. O problema, diz Medeiros, é que esta confiança está abalada pelas diversas frustrações geradas pelo próprio governo Dilma. Entende que houve quebra de confiança quando a petista anunciou diversos projetos e estes não saíram do papel ou não tiveram o resultado esperado. Como exemplos, ele citou o trem-bala e as mudanças no setor energético, o pré-sal, o programa da concessão de ferrovias, entre elas a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), planejada para atravessar todo o Mato Grosso e garantir o escoamento da produção local pelo Oceano Pacífico.

Marcos Oliveira

jose medeiros blairo maggi

Assim como Blairo Maggi, José Medeiros tem base em...

Levanta problemáticas do país, especialmente de Mato Grosso. Se mostra aliado do governador Pedro Taques, sobre o qual discorre comentários acerca de feitos já realizados pela nova gestão. Já teve oportunidade de presidir a sessão do Senado. A ficha dele está caindo aos poucos. Trata-se de um sujeito simples que se torna autoridade carregando os traços da humildade. É honesto e trabalhador. Se abre ao diálogo com as lideranças e segmentos. Isso, na vída pública, deve ser elogiável. Em certo momento, Medeiros foi desprezado por Taques. Em outro, por Percival. Fingiu-se de morto. Deu a volta por isso e, nem por isso, carrega rusgas desses conflitos que quase eliminaram sua chance de ter estreado como senador.

Jefferson Rudy

jose medeiros wellington

...da mesma forma que o senador Wellington Fagundes

Em menos de dois meses de mandato, Medeiros já fez 11 pronunciamentos da tribuna. Apelou ao governo federal para atender as reivindicações sociais em MT e evitar bloqueio de rodovias, criticou a falta de infraestrutura logística, alertou para os entraves ao crescimento da indústria no Brasil, disparou sobre a crise na Petrobras, saiu em defesa da liberação do Fundo de Apoio às Exportações, forma de compensar perdas tributárias dos Estados exportadores, e reclamou da impossibilidade de parlamentar eleito em 2014, como é o seu caso, destinar recursos da Lei Orçamentária, ainda não aprovada, ao Estado de origem. Também se mostrou preocupado com a interdição de rodovia em MT por indígenas e conclamou à Funai por resolução. Cobrou pressa na apreciação do projeto de lei que institui o Fundo Nacional de Amparo a Mulheres Agredidas e defendeu a criação de universidade federal em Rondonópolis.

Ele pode encerrar o mandato daqui a quatro anos, entrando para a história como um dos que ocuparam cadeira de senador sem ter sido cabeça de chapa e sem o peso político de figuras que ocuparam outros mandatos, mas, por enquanto, está dando orgulho aqueles que acompanham a sua trajetória. Não se curva. Que a linha continue reta!

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • adildo de oliveira | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2015, 14h34
    0
    0

    É importante para o nosso Estado que um Senador jovem possa despontar positivamente no cenário político, trabalhando nas principais necessidades do Estado que são aquelas que todo cidadão cobra: saúde, educação, segurança, industrialização, tudo com ética e honestidade.

  • Celson | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 15h29
    0
    0

    tambem estou impressionado com a desenvoltura do jovem Senador, parabens Medeiros.

  • Carlos | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 15h22
    0
    0

    Realmente, a palavra inexpressivo foi de uma infelicidade total. O certo, sem dúvidas, seria desconhecido, inexperiente.

  • Brás Silva | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 09h39
    2
    0

    Valido aqui as palavras do Romilson Dourado. Realmente o Senador José Medeiros tem me impressionado pela posição firme com que tem representado o nosso estado. Muita gente assim como eu se sentiu meio órfão do Senador Pedro Taques no Congresso quando ele de lá veio para o Governo de Mato Grosso, mas felizmente e para a nossa surpresa o Senador Medeiros está suprindo muito bem a sua ausência. Falo isso por que diariamente assisto à TV Senado. E por falar em TV, assisto também a TV Câmara e não poderia deixar, já que estamos falando de boas atuações, de elogiar o Deputado Nilson Leitão por estar nos representando muito bem na Câmara e faço esse elogio sem nunca ter nele votado, mas é merecedor. Parabéns aos dois nobres parlamentares matogrossenses, que assim continuem.

  • Angelo | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 09h35
    3
    0

    Por que usar o termo "inexpressivo"? Talvez o mais correto seja desconhecido e não inexpressivo ... e quem atribui ao senador a pecha de inexpressivo? Você, Romilson?

  • natalino almeida lima | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 23h15
    4
    0

    Romilson assim como você escreveu o senador Medeiro realmente será num espaço muito pequeno de tempo orgulho para nós mato-grossense pelas suas posições não só como politico que está sendo, mas como cidadão que o é, parabéns pelo artigo e também ao senador pela posições tomadas no congresso, e em defesa dos mato-grossense.

  • Amarildo | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 22h54
    5
    0

    Parabéns Senador, continue assim, não siga o exemplo dos outros Dois senadores que temos, Blairo e Welinton, só estão ai para manchar mais um pouco nossa politica.

  • JOSÉ DOS SANTOS | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 21h02
    6
    2

    Torço por esse jovem como senador a se destacar como um grande político. É o novo que oxalá , seja orgulho de nós mato-grossenses .

  • breno | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 20h04
    6
    1

    Parabéns senador tamo junto

  • Diogo Egidio Sachs | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 19h33
    5
    1

    Parabéns ao Romilson Dourado; lúcida e serena análise do personagem político e do homem José Antônio Medeiros. Quem o conhece, sabe, e não confunde a humildade com falta de determinação ou garra e, sobretudo, capacidade de superar vaidades tendo em mira um horizonte com objetivo bem maior!

| 30/03/2015, 11h:14 - Atualizado: 30/03/2015, 11h:31

AL dá pontapé inicial em CPIs; missão é provar que não vão acabar em pizza


Maurício Barbant

Zé do Pátio

Deputado Zé do Pátio comanda CPI da Sonegação Fiscal. Instalação será hoje

Deputados estaduais dão o início aos trabalhos nas CPIs da Sonegação e do VLT, nesta segunda (30) e terça (31), respectivamente, com a árdua missão de reverter à imagem de que todas as investigações no Legislativo terminam em pizza. Vão investigar assuntos complexos e espinhosos que esbarram em interesses econômicos.

A de Sonegação e Renúncia Fiscal é investigação com o leque mais amplo e, justamente por isso, pode patinar. Ela nasce com o objetivo de apurar todo tipo de sonegação e, para tanto, terá até uma ouvidoria, utilizada para receber denúncias. Além disso, Zé do Pátio (Solidariedade), que vai comandar os trabalhos, já adiantou que pretende passar a limpo à concessão de incentivos fiscais no Estado.

A outra comissão, sob Oscar Bezerra (PSB), terá a missão de apurar as responsabilidades acerca do fiasco nas obras da Copa. Muitas não ficaram prontas e a maior parte das que foram entregues à população apresentam falhas graves.

 A situação mais preocupante se refere as intervenções referentes as intervenções relacionadas ao pacote de obras necessárias para a implantação do VLT. Todas as obras passaram por auditoria por meio da Controladoria. Os documentos devem ajudar a embasar os trabalhos no Parlamento. 

Outra situação que será alvo de investigação é gestão da Saúde e a administração feita pó OSSs nos hospitais estaduais. Neste caso, ainda não foi marcada data para a instalação dos trabalhos, que serão comandados por Leonardo Albuquerque (PDT).

Neste caso, o pedetista quer saber, especialmente, as motivações de atrasos nos repasses para os municípios, que foram regularizados por Pedro Taques (PDT), sucessor de Silval Barbosa (PMDB), e porque a gestão por meio de organizações sociais funcionou bem em cidades como Cáceres e Rondonópolis, mas foi um fiasco em outras como Alta Floresta, Colíder e Sinop, que estão com a gestão sob intervenção.

Histórico

Na legislatura passada, foram 6 CPIs, sendo que algumas patinaram e outras tiveram pouca efetividade. Os parlamentares  investigaram problemas na Saúde, que voltam a ser tema de investigação e a construção de pequenas hidrelétricas, a das PCHs. Também tramitaram as comissões da Telefonia Móvel, da Unemat e da Cooamat. A mais ineficiente foi a da Unemat que já nasceu morta. Já a do MT Saúde garantiu a revisão e a reestruturação do plano, mas o MT Saúde ainda é alvo de duras críticas.

A última foi a da Cooamat. O relatório foi apreciado em 6 de janeiro e foi encaminhado para investigação da Delegacia Especializada da Fazenda Pública Estadual (Defaz), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público Estadual (MPE), Polícia Federal (PF) e Receita Federal. A Comissão investigou a suspeita de fraude e simulação de negócios na Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso (Cooamat), ligada ao empresário do agronegócio Eraí Maggi (PP).

Postar um novo comentário

| 30/03/2015, 07h:35 - Atualizado: 30/03/2015, 22h:07

Amor

sandra_alves_colunista_segunda-feira

Sandra Alves

Flávio Venturini e Jorge Vercilo compuseram a magnífica letra da música Fênix. Paralelo da lenda mística da fênix com o mais nobre sentimento, o Amor. As mais diversas etapas da vida conduzem por caminhos adjetivados por sentimentos. A confusão entre os sentidos físicos, os sentimentos, as escolhas da vida e as lendas mitológicas faz viajar em reflexões. 

Alguns dias, embora respirar seja uma necessidade vital, apesar da concentração de força para levar oxigênios aos pulmões, falta ar. Uma sensação de pressão sobre o peito faz sentir mais forte a batida do coração. A emoção incontida escapa do ser e se rompe na lágrima - marejar de olhos - e percorre de forma graciosa o rosto até chegar ao canto da boca. 

A saudade profunda de alguém. A dor de um sentimento porque este não pode se imortalizar no tempo. Contraponto ao êxtase de viver tanto amor. Quisera neste momento poder ser a Fênix mitológica, preparar a própria urna funerária com uma pira de ramos de canela, sálvia e mirra em cujas chamas morreria queimada. O pássaro que vive 500 anos, que transforma sua matéria em fogo até morrer. Mas renasce das cinzas. 

Alegoria da morte e do renascimento. A crença na ave lendária que renasce das próprias cinzas existiu em vários povos da Antiguidade como gregos, egípcios e chineses. Em todas as mitologias o significado é preservado: a perpetuação, a ressurreição, a esperança que nunca têm fim. 

Num encontro de pessoas com novos amigos, velhos amigos, alguns pais, outros filhos e tantos outros, é interessante observar o fenômeno do renascimento. Alguns momentos são permeados por uma intensa energia. Prova o reencontro de homem e mulher após duas décadas, dois casamentos, filhos e diversos acontecimentos até a separação, para, enfim, viver um amor no reencontro. Uma dezena de erros, caminhos e anos para o renascimento. 

Também a angústia nos olhos e no coração da mãe, que com a maturidade de tantos desafios enfrentados, anseia pelo reencontro de seu filho com um verdadeiro amor. Qual o caminho a seguir para encontrar a companheira que o auxilie na vida, no realinhamento das bases de uma família desfeita pela falta de afinidade dos cônjuges, constituída apenas no fulgor da paixão. 

Paixão! Os milhões de mensagens em apps, em qualquer horário do dia ou da noite, a necessidade do toque, do beijo, o frio no estômago, o arrepio na nuca, a inconveniência de mãos que se enlaçam sem limites. A Fênix em chamas traduz sutilmente o sentimento vivido eternamente. 

Eterno! Eterno o segundo que o adolescente sofre por amor; que os amigos falam sobre a devassidão das festas; que se concretiza a confiança quando o segredo é dividido com a mãe; na malandragem incentivada pelo pai; nos irmãos que se abraçam fraternamente; no pai, filho e neto em foto para a posteridade das gerações. Todos os desencontros necessários, cada morte da Fênix, para o renascimento no encontro destas pessoas.  

Quinhentos anos vividos pela Fênix, uma vida não se sabe de quantas possíveis na lenda. Todos os anos com intensa força, que lhe permitiu levar consigo fardos de grande peso e responsabilidade. Uma paixão, um amor, uma amizade, uma família, uma função social, um ciclo. 

A esperança nunca tem fim. Na paixão, na angústia, no encontro, na saudade, o desafio e a responsabilidade de ser Fênix. Na música diz o cantor: "Agoniza virgem Fênix// O amor!// entre cinzas, arco-íris// esplendor// por viver às juras// de satisfazer o ego mortal". Fogo, cinzas e renascer. Mais uma vez, a necessidade de respirar, o sentir bater o coração, a emoção, a lágrima a escorrer em todas essas situações...O amor!

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • SANDRA CRISTINA ALVES | Terça-Feira, 31 de Março de 2015, 11h00
    2
    0

    Obrigada Wilson Pereira! Com toda a certeza pode me chamar de Sandra, a doutora só existe para efeitos formais no trabalho. E na verdade, uno-me a você no sentimento de "simples mortal". Equivocados estão aqueles que imaginam ser mais do que isto, hehe. Abraços!

  • Wilson Pereira | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 15h49
    2
    0

    Oi, Sandra, se permite assim chama-la (no Brasil, considera-se mais o "dr", o ser fica em segundo plano), belo texto, às vezes, nós leitores simples mortais, sentimos falta de leituras como essa, que nos leve à reflexão, sobre o sentir, algo mais forte, incontrolável, o "amor". Parabéns!

| 29/03/2015, 20h:36 - Atualizado: 29/03/2015, 20h:58

Taques já coopta maioria e anula oposição na AL; enquanto adesistas entram, Zeca sai


O desafio está lançado: quem do grupo dos 13 ficará até o final da legislatura na oposição ao governo Pedro Taques, que detém o peso da caneta de um orçamento anual de R$ 13 bilhões. Provavelmente ninguém. Com menos de 100 dias de mandato, o governador já cooptou, de graça, a maioria. E isso porque agiu até com certo desprezo com os deputados aliados ao fechar as portas para indicação de cargos de primeiro escalão. Bastou uma boa conversa, diplomática e republicana, como diz o chefe do Executivo.

Nem Taques acreditava que poderia ser tão fácil reunir quase todos, governistas e “oposicionistas”, por mais que o histórico da relação entre os Poderes Executivo e Legislativo demonstre isso. Foi dessa forma com Júlio Campos no comando do Estado, com Carlos Bezerra, com Jayme Campos, com Dante de Oliveira, com Blairo Maggi e com Silval Barbosa. E com quem mais vier a ser governador.

Widson Maradona

pedro satelite

Pedro Satélite (PSD) é um dos eleitos pela oposição que viraram governistas de carteirinha, enquanto...

Quase todos deputados são adesistas por natureza.  Mesmo eleitos pela oposição, costumam recorrer ao vago discurso de que precisam da mão amiga do governo para emplacar reivindicações paroquiais. E, aos poucos, vão tomando chegada. Nas anotações entram cargos e outras contemplações. É audiência ali para encaminhar demanda, pedido aqui para nomear fulano e outro acolá para destravar processo em nome da boa relação.

Fiscalizar mesmo os atos do Executivo, (quase) nada. Por melhor e bem intencionado que seja o governador, sempre haverá o risco do excesso. O poder, como a prática tem demonstrado, na maioria das vezes, quando não seduz, corrompe. O que justifica a existência do Estado é o homem, quer na sua dimensão individual, quer na sua perspectiva coletiva e não o contrário, o que é, muitas vezes, confundido pelo chefe do Poder Executivo e seus auxiliares.

Não se nega a importância do Judiciário, do Ministério Público e de outros órgãos do controle do excesso praticado pelos governantes, mas o papel da oposição nesse sentido também é inegável e na maioria das vezes, preventiva. Deveria servir para cortar o mal pela cabeça. O debate com uma oposição forte é importante, pois, em face do que, ainda que não evite o mal, ao menos, pode amenizá-lo.

Mário Frieldlander

zeca viana

...Zeca Viana, do mesmo PDT do governador Pedro Taques, por causa de divergências, se torna opositor

Os adesistas já se declaram abertamente. Nem deram trégua de seis meses. Estão com Taques para o que der e vier Pedro Satélite e Gilmar Fabris (ambos do PSD), Ondanir Bortolini, o Nininho, Wagner Ramos e Emanuel Pinheiro (os três do PR), Dilmar Dal Bosco (DEM), Baiano Filho (PMDB) e Zé do Pátio (Solidariedade). Eles garantiram mandato fora do palanque do pedetista, mas encontram dificuldades para ser opor ao Executivo. Taques agradece. Deve contar com apoio de 21 dos 24 parlamentares.

O curioso é que enquanto a maioria está entrando, o deputado pedetista Zeca Viana arrumou as malas para sair, após divergências com o governador. Pode ser o único a levantar a voz como oposição a um governo que ele próprio ajudou a eleger. Então, ficará tudo em casa. Outros deputados, como Mauro Savi (PR) e Janaína Riva (PSD), vão fazer apenas críticas pontuais. Não passarão disso.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Ernesto | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 19h29
    0
    1

    Ô, Alexandre, põe logo no teu nariz o bico de tucano. O que o Aécio e companhia estão fazendo no congresso? Isso não é cooptar?

  • Ilze | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 10h57
    2
    0

    Por isso que há muito tempo, dou o meu desprezo a essa classe politica. Não conseguem fazer nada de novo, é o mesmo discurso de sempre que ainda pegam o desavisado eleitor ávido por achar um salvador da pátria.Para discursar eles são competentes, mas do discurso para a prática sempre existe uma distancia abissal.

  • Alexandre | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 10h24
    1
    0

    o mesmo que a dilma fez cooptou... é arriscado, não é patrolamento é atropelamento mesmo...

  • ANTONIO CARLOS PINHEIRO | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 08h13
    3
    1

    Como acreditar nos políticos? É por isso que o povo anda descontente com a classe

| 29/03/2015, 13h:01 - Atualizado: 29/03/2015, 13h:11

Autoengano político

marrafon_artigo

Marco Marrafon

A democracia vive de tensões. E as tensões são o fio condutor para o constante reconstruir das estruturas sociais e das instituições, levando ao desenvolvimento político saudável. No entanto, em um mundo de valores fragmentados, marcado pelas diferentes visões e modos de enxergar a realidade, é preciso maturidade para evitar o canto da sereia autoritária, seja no próprio Judiciário (os justiceiros estão a toda hora violando o devido processo legal, na tentativa de coibir ilegalidades a partir do cometimento de novas ilegalidades), seja no debate político. 

Uma democracia jovem precisa de tempo para que os cidadãos aprendam a viver com os conflitos e a respeitar o próximo. Do contrário, as sementes ditatoriais criarão raízes e florescerão. Analisando o contexto brasileiro atual, em que as lutas políticas vêm sendo marcadas por grave cegueira em relação ao direito à diferença (o que se nota nos discursos de ódio propalados de lado a lado), fiquei tentado a refletir sobre as raízes de tamanha intolerância.

Uma das explicações que nos ajudam a compreender esse quadro está na obra Auto-engano, de Eduardo Giannetti (São Paulo: Companhia das Letras, 1997). Nela, o autor procura responder uma instigante pergunta: como é possível que uma pessoa acredite nas mentiras que ela mesmo conta? 

A resposta surge a partir da investigação da arte do engano: impulsionados pela necessidade de sobreviver e reproduzir, o fenômeno do engano está presente no mundo natural (basta lembrar do mimetismo do camaleão), no social (pequenas mentiras inofensivas deixam a vida mais suave e evitam conflitos desnecessários) e até no individual, ou seja, a psique humana adota mecanismos de falseamento da realidade, aliviando o sentimento de culpa e tornando a vida mais colorida ante ao fato de sermos seres imperfeitos e cometermos erros. Este último revela o autoengano.

O autoengano, ensina Giannetti, não é um processo racional ou racionalizável, ele é involuntário e acontece quando o sujeito menos percebe. Também não diz respeito ao aspecto crítico ou questionador, mas antes à dogmática aceitação de convicções individuais como se fossem verdades absolutas. Daí a produção ensimesmada de sentidos: aquilo que para o sujeito pode ser a solução de todos os males do mundo, pode significar apenas uma idiotice para os outros. É o argumento do apaixonado que, de tão envolvido na causa (ou na pessoa), não consegue enxergar seus defeitos.

Mas por que é tão difícil mudar de opinião, mesmo quando há evidências de erro em seu próprio argumento? Como é possível que alguém continue acreditando em uma ideia pré-concebida ainda que haja fortes razões em sentido contrário? O fenômeno do autoengano se realiza na dinâmica entre três variáveis: desejo, conflito interno fomentado pelo sentimento de culpa e argumento salvador.

"O autoengano, ensina Giannetti, não é
um processo racional ou racionalizável,
ele é involuntário eacontece quando o
sujeito menos percebe", diz Marrafon

Um exemplo cotidiano pode explicar esse processo: quando se tem pressa, é comum que a pessoa sinta um súbito desejo de furar a fila (banco, correio etc.). Diante dessa situação, imediatamente seu aspecto racional, o lado apolíneo da psique humana, lhe causa um mal estar: furar a fila não é correto! Daí vem certo sentimento de culpa. Passo seguinte, em face do conflito “desejo X sentimento de culpa”, surge um argumento salvador, um motivo “superior” para justificar, naquele momento, a ação inadequada.

Mesmo sabendo que furar a fila não é correto, sempre se encontra um ou mais argumentos que dão “razão” para a atitude tomada, ainda que desrespeitando o direito do outro. Assim, por acreditar nesse novo argumento racional, a pessoa apaga o sentimento de ilicitude/inadequação do ato cometido, se autoenganando quanto à correção da ação realizada.

O mesmo ocorre com aqueles que bradam contra a corrupção e contra a classe política, mas forjam atestados médicos para faltar ao trabalho ou ainda tentam subornar policiais para não pagar multa. Esse fenômeno revela a parcialidade moral que pode atingir as ações humanas, parcialidade especialmente aguçada pela proximidade: maior valor é dado aos semelhantes (mesma classe social, mesmo sotaque, gíria, jeito de vestir), que recebem tratamento mais condescendente e perdão, enquanto que o estrangeiro, o diferente, é tratado de maneira mais dura, com maior exigência ética ou ainda desprezado. Deveres éticos para os outros, para os diferentes, não para mim e os meus – eis o lema fundamental da hipocrisia social.

 O agora é concebido como mais importante que o longo prazo, daí a dificuldade de se implantar uma consciência ambiental e de se planejar as políticas públicas, pois aquilo que não é imediato parece não ter valor ou importância. O autoengano revela aspectos individualistas – o eu centro do meu universo – que fazem sentido a partir da teoria dos círculos concêntricos. Essa teoria diz respeito aos códigos de identificação que posicionam o sujeito no mundo.

Quando perguntam “quem é você?”, a resposta expressa os códigos de identificação que te localizam perante a existência, perante o mundo, perante as demais pessoas. Começa pelo nome (indicativo de sua individualidade), passa pelo nome de família (te diferencia como parte de um primeiro agrupamento humano) e assim por diante: sua escola, sua religião, sua cidade natal e seu país são variáveis que te posicionam no mundo, impregnando sua condição existencial e, logo, sua subjetividade.  

Quanto mais códigos de identificação semelhantes, maior benevolência, afinidade e conforto. Quanto mais longe, mais fraco é o vínculo fraterno. Edgar Morin explica que desde um nível muito básico – o nível intracelular do ego computo – em que o sujeito não tem ainda a consciência de si, mas já trabalha com o código binário igual X diferente, é possível notar a existência de um código de sobrevivência em que o igual é protegido e o diferente aniquilado.  

 O ego cogito (o eu que pensa) também não escapa dessa lógica e ela é reproduzida nos vínculos de fraternidade. O diferente causa um certo estranhamento, por isso a cultura de viver em diversidade é tão difícil para o ser humano. O mesmo, o igual, traz uma simpatia “natural”, uma certa segurança, um certo conforto e isso influencia o julgamento. As pessoas mais inteligentes são aquelas que pensam como nós.

Oriundos da ação humana, o direito e a política não escapam desse fenômeno. Certamente a proximidade de códigos de identificação do réu com o magistrado, ainda que inconscientemente, pode gerar interpretações e decisões judiciais mais favoráveis ao réu. No limite, o autoengano legitima – em nome de uma boa causa e fomentado por um bom argumento salvador – a ação de justiceiros que violam a lei em nome da proteção da lei.

Na política, vislumbra-se a presença de diferentes níveis de autoengano. Ele pode ser percebido na inconsciência de classe no interior do Parlamento em que as leis originadas expressam fielmente soluções para os problemas imediatos da classe social ali dominante (o que, por si só, justificaria a necessidade de maior diversidade social entre os legisladores para que a lei pudesse se aproximar de interesses comuns da coletividade).

Mais grave, no entanto, é o hiperindividualismo e o autoengano em excesso dos sujeitos que, protegidos por um partido, grupo ou classe social, extrapolam toda sua parcialidade moral e adotam posições totalitárias, crendo que sempre estão com a razão. Não percebem o quanto se autoenganam e acreditam em vãs fabulações que confirmam sua concepção de mundo perfeito. Em nome de uma boa causa, matam e não percebem a ilicitude de seus atos. De direita ou de esquerda, esses germes levam ao autoritarismo e ao desprezo pelas conquistas civilizatórias que garantem os direitos fundamentais de todos – iguais e diferentes – à medida que não conseguem lidar com a diversidade e não suportam as tensões democráticas.

Por essa razão, ao assistir o crescimento desses germes autoritários e da intolerância nos discursos políticos, mais do que nunca é preciso serenidade e luta em prol do Estado Democrático de Direito, da Constituição que lhe serve como lei fundamental e de suas instituições. Todo debate deve estar circunscrito às regras do jogo, sem tentativas constituintes ou ditatoriais.

Se é certo que jovens democracias em países de pouca tradição democrática precisam de insistência para poder se sustentar e evitar o retrocesso, mais certo ainda é que essa é uma luta pela qual vale a pena lutar, pois sem liberdade e capacidade de ação política, sobra muito pouco para diferenciar a humanidade dos rebanhos bovinos.

Marco Marrafon é doutor e mestre em Direito do Estado, presidente da Academia Brasileira de Direito Constitucional, Professor de Direito e Pensamento Político na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e secretário de Planejamento de Mato Grosso.

Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • Alex | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 14h32
    2
    0

    Uma análise teórica e mais um diagnóstico. A ação e o pragmatismo da execução vem quando ?

  • Luis Silva | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 12h02
    1
    0

    Parabéns pelo coerente texto. Expressão de uma realidade vivenciada em todas as esferas de governos. Quanto, ainda, se padece por subordinação à pessoas (chefes) com DNA autoritário e inoperantes nos espaços públicos. Quiçá os incompetentes e bajuladores de superiores lessem este texto, entendessem e colocassem em prática.

  • Olavio Silva | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 11h44
    1
    0

    É salutar que sejam invocados debates desta envergadura para que possamos estar fomentando o instituto da democracia, a intolerância é a principal ameaça à democracia. Muito bom seu editorial. Parabêns

  • marco véio | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 11h16
    0
    1

    parabens!!!!!

  • adria muniz | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 10h56
    1
    1

    muito bom seu texto, parabéns

  • Soraia | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 07h13
    2
    1

    "Por essa razão, ao assistir o crescimento desses germes autoritários e da intolerância nos discursos políticos, mais do que nunca é preciso serenidade..." Marrafon, este parágrafo é para o Zeca Viana?

  • Zé Bolo Flo | Domingo, 29 de Março de 2015, 21h00
    5
    0

    Muito bom Marrafon. Conhecia sua capacidade de "ler" o ambiente interno e externo de uma organização. Só não sabia que você teria a coragem de expor com tamanha franqueza e isenção o "RX" desse "novo" governo que você faz parte. Parabéns pela coragem. Resta saber se o Pedro Taques vai entender o recado ou vai fazer de conta que não é com ele.

  • Olga | Domingo, 29 de Março de 2015, 19h53
    3
    0

    A obra citada de Giannetti é fantástica, exatamente por discutir a possibilidade de que estejamos sistematicamente enganados sobre nós mesmos e sobre as crenças, paixões e os valores que nos governam. Belo texto!

  • Justiça Emparedada | Domingo, 29 de Março de 2015, 17h41
    4
    1

    No momento em que a Justiça está emparedada pelos "justiceiros" midiáticos e a democracia e as leis afrontada por todo tipo de golpismo e golpistas esse texto é um grito de alerta!

| 29/03/2015, 10h:57 - Atualizado: 29/03/2015, 11h:15

Bezerra e Wellington tentam evitar que deputados do PR e PMDB "engrossem" base de Taques e fortaleçam o Governo


Os presidentes do PR e do PMDB, Wellington Fagundes (PR) e Carlos Bezerra (PMDB),  tentam “enquadrar” os deputados estaduais para evitar que a base aliada do Governo Pedro Taques (PDT) cresça ainda mais. 

Agência Câmara

bezerra e wellington blog

 Carlos Bezerra e Wellington Fagundes tentam impedir adesão do PMDB e PR à base do Governo

Wellington tem dito que o PR precisa apreender a ser oposição, mas liberou os correligionários a votarem conforme a sua consciência. Uma reunião para debater o assunto acontece amanhã (30).Já Bezerra ressalta que se tornar governista deixa a legenda com a ética e moral abalada, tendo em vista que a sigla não só apoiou a candidatura derrotada de Lúdio Cabral (PT) ao Palácio Paiaguás, como indicou a esposa de Bezerra, Teté Bezerra como vice. O cacique entende que não é o momento de se fazer uma oposição raivosa, mas que é de bom tom o PMDB se manter fora do grupo aliado de Taques. O problema é que tradicionalmente, o fisiologismo está nas entranhas dos presidentes e dos militantes.

 Apesar das orientações, a missão é praticamente impossível. Basta observar o perfil dos parlamentares para chegar a conclusão de que dificilmente vão entrar em confronto com o Palácio Paiaguás, especialmente se continuar a "lua de mel" do governador com a população. Entre os que já são Taques de carteirinha estão Wagner Ramos (PR) e Baiano Filho (PMDB), ambos já declararam abertamente que são governistas e que vão continuar dando respaldo à gestão do pedetista. Entendem que a proximidade será fundamental para viabilizar pedidos e, assim, atender aos clamores da base.

Outros que têm postura governista são os republicanos Ondanir Bortolini, o Nininho e Sebastião Rezende. Já os peemedebistas Romoaldo Júnior e Silvano do Amaral tentam adotar uma postura mais neutra, evitando se posicionar na oposição. O único das duas legendas que tem uma postura incisiva é Mauro Savi (PR). Já Emanuel Pinheiro (PR) se define como independente.Preterido durante o processo de formatação e definição da Mesa Diretora, Savi não esconde a mágoa e, por isso, integra a ala de parlamentares que estão na ala oposicionista.

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Rebeca | Domingo, 29 de Março de 2015, 12h53
    3
    2

    Bezerra foi ofendido pelo Governador, que o chamou de dinossauro. Os deputados estaduais do PMDB ao apoiarem Taques, praticamente endossas as críticas ao Bezerra. Fidelidade partidária já. Expulsão dos Deputados e posse dos suplentes.

| 29/03/2015, 00h:00 - Atualizado: 27/03/2015, 11h:04

A importância da saliva

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Muito falamos sobre os componentes do sistema mastigatório: dentes, músculos, periodonto (estruturas que sustentam os dentes: ossos e gengiva) e articulações, e pouco se discute sobre a saliva, que é um fluido corporal com inúmeras funções. Ela atua na deglutição, mastigação, gustação, facilita a digestão dos alimentos e ainda protege e umedece o meio bucal.

É um líquido claro e viscoso,  de PH alcalino (em torno de 7), em encontramos em sua composição o ar (que dá aquele aspecto bolhoso) e diversas outras substâncias como água, ptialina, nitrogênio, enxofre, potássio, sódio, cloro, cálcio, magnésio, ácido úrico, ácido cítrico e proteínas. Basicamente substâncias orgânicas e sais minerais. A enzima encontrada na saliva, chamada amilase, auxilia na digestão dos alimentos.

De uma pessoa para outra encontramos variações de volume e viscosidade da saliva, o que nos remete a associarmos a sua quantidade baixa a diferentes situações como trauma, stress, uso de medicamentos antidepressivos, antihistaminícos, antihipertensivos ou diuréticos, desordens autoimunes, terapia com radiação, diabetes, diálise renal e câncer.

Quando apresentamos pouca saliva é comum apresentarmos problemas na deglutição, a sensação de alimentos grudados nos dentes após as refeições, lábios secos, dificuldade para sentir o sabor das comidas, mastigar ou falar, ardência na gengiva e língua com mais saburra (acúmulo de placa bacteriana na região posterior da língua). Para casos extremos, existe no mercado um gel umectante de longa duração, cuja fórmula suaviza e alivia a sensação de ressecamento bucal.

Com importante papel de proteger os dentes contra a cárie, ela ajuda na limpeza dos dentes, e o seu PH neutraliza a acidez bucal minimizando a ação dos ácidos que resultam da fermentação dos restos de alimentos pelas bactérias bucais. Esses ácidos “amolecem” o esmalte dos dentes e pode dar início ao processo carioso. Ao dormirmos não produzimos saliva pois o nosso cérebro não recebe nenhum estímulo, e é por isso que todo cirurgião-dentista repete e repete aos pacientes que devemos fazer a escovação dos dentes antes de dormir. Claro que a saliva não cumpre seu papel de combate à cárie sozinha, uma exaustiva rotina de higiene e cuidados orais deve ser adotada. Uma das causas do mau hálito é a alteração da  composição, viscosidade e  fluxo da saliva, que alteram também seu odor.

Ao contrário da hora de dormir, quando sentimos um sabor ou cheiro, ou lembramos um alimento saboroso ficamos com água na boca, isso acontece porque o cérebro recebe estímulo e manda a informação para as glândulas salivares, estimulando-as.

Ao notarmos qualquer alteração, devemos visitar o cirurgião-dentista para pedirmos esclarecimentos. Um exame indolor e rápido chamado sialometria pode ser para detectar alterações, ele mede a quantidade de saliva produzida em um determinado espaço de tempo.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

| 28/03/2015, 19h:44 - Atualizado: 30/03/2015, 08h:57

Assembleia nomeia 383 DAS e contempla ex-deputados Zilda e Pinto e ex-vereadores

Mais 400 serão contratados para recompor quadro comissionado


zilda pereira ex-deputada

A ex-deputada Zilda Pereira Leite, já aposentada, atua agora como assessora do deputado Wilson Santos

A nova Mesa da Assembleia nomeou oficialmente os primeiros 383 de um quadro que deve chegar a 600 ocupantes de cargos comissionados. Essa primeira relação sai publicada no Diário Oficial de segunda. Tratam-se de DAS que já estão trabalhando desde 1º de fevereiro, data do início desta Legislatura. Na mesma edição, a publicação oficial exonera 76, com data de 31 de janeiro, e que já estavam no pacote dos quase 900 demitidos há dois meses.

Com 24 deputados, a AL recebe R$ 32 milhões de duodécimo mensal. O quadro de servidores, entre efetivos e comissionados, deve ficar em 1,8 mil, o que representa cerca de 200 a menos se comparada à legislatura passada.

dito pinto

O ex-deputado Dito Pinto

Entre os 383 notáveis que entraram na folha da AL desde o mês passado e só agora conhecidos oficialmente estão os ex-deputados Dito Pinto, que retorna à Casa como ouvidor-geral, com salário de R$ 16 mil, e Zilda Pereira Leite, agora como assessora parlamentar do deputado Wilson Santos. Zilda exerceu outras funções, como de secretária de Educação de Várzea Grande, onde já concorreu e perdeu para prefeita. Zilda e Pinto, que até o mês passado presidia a Agência estadual de Desenvolvimento Metropolitano (Agem), já são aposentados. Ela como professora e, Pinto, pelo extinto FAP da Assembleia.

Também na equipe de Wilson está o velho aliado Andelson Gil do Amaral, que foi seu assessor na Câmara Federal e depois secretário de Cuiabá quando exerceu mandato de prefeito. Dois ex-vereadores por Cuiabá foram para o quadro do deputado Eduardo Botelho, sendo eles Caio Cesar de Andrade, em assessoria parlamentar, e Ricardo Adriane, como chefe de gabinete. 

O irmão da ex-deputada federal Thelma de Oliveira, Ronaldo Pimentel Figueiredo, do diretório do PSDB de Cuiabá, trabalha agora como assessor do deputado Saturnino Masson. Entre os nomeados pelo ex-prefeito jaciarense e parlamentar de primeiro mandato Max Russi está o empresário Marcelo Ivan Klein, da empresa Viva Publicidade.

 A recomposição dos cargos comissionados vem sob muita expectativa, após a reviravolta provocada pela nova Mesa, comandada pelo trio Guilherme Maluf (presidente), Botelho (primeiro-vice) e Ondanir Bortolini, o Nininho (primeiro-secretário). Assim que foi empossada, decidiu implementar choque de gestão. Suspendeu todos os contratos, que passam por auditorias, e pagamentos com fornecedores e ainda exonerou quase 900 DAS. Aos poucos, as equipes estão sendo recompostas.

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Junior | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 15h02
    2
    0

    Essa Assembleia Legislativa de MT é uma vergonha. É o único órgão público do Estado de MT que o número de servidores COMISSIONADOS é MAIS QUE O TRIPLO DE servidores CONCURSADOS. É o maior cabide de emprego de MT. Verdadeira farra com dinheiro público!!!

  • Zé Poxoréo | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 10h33
    2
    0

    Ou seja, depois de todo bafafá, só mudaram os mosquitos, pois o produto continua o mesmo!

  • Rafa | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 09h47
    3
    0

    PALHAÇADA HEIN SR. MALUF!!!!! Demitiu para contratar novamente, o povo não é bobo e sabe que existem aprovados no concurso público da Casa aguardando nomeação. Isso aí tem que ser denunciado no Fantástico.

  • Tina | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 09h46
    3
    0

    Tanta gente estuda pra passar em concurso e fica a ver navios, sem perspectiva de ser nomeado. Enquanto isso os cabos eleitorais e puxa-sacos de plantão ganham emprego. Esse mundo tá virado mesmo!

  • Tales | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 09h44
    2
    0

    Que há necessidade de alguns cargos comissionados, ninguém duvida. Mas será que precisa de tantos??? Comissionado é pra exercer função de chefia e assessoramento, APENAS. Mas na assembleia a gente vê comissionado exercendo funções técnicas, que deveriam ser exclusivas de servidores efetivos aprovados em concurso público! Isso é um absurdo! A prioridade deveria ser nomear os aprovados no concurso!

  • Kawana | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 09h41
    2
    0

    Choque de gestão para inglês ver, estão todos eles voltando, demitiram e recontrataram... só no Brasil, e o mais inacreditável, 157 pessoas aprovadas no concurso público e que não são apadrinhados políticos, estão desempregados aguardando nomeação... NOMEAÇÃO ESTA QUE PARECE QUE NUNCA VIRÁ.

  • Ednor fernandes | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 08h10
    4
    2

    Comissionado e da Ordem Parlamentar, são os cargos de confiança exclusiva dos Parlamentar. Eles coloca quem eles bem entenderem nos seus gabinetes. Os funcionários de carreiras e do parlamento. E cargo de comissão Existe, vai existir sempre em todas os Três Poderes ,Executivo, Judiciário e legislativo senhor ou senhora MT indignado. Uma lembrança não sou comissionado e nem funcionário Publico.

  • Paulo | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 07h55
    4
    0

    Oh sempre mais do mesmo....

  • Ilze | Domingo, 29 de Março de 2015, 13h04
    17
    2

    Oh oh nada mudou.. como diz a canção.musica de Leo Jaime. As mesmas figurinhas carimbadas de sempre que já estão até bicudas de tanto que mamam nas tetas da vaca gorda que é o erário público. Infelizmente é o mais do mesmo.

  • Pedro Henrique | Domingo, 29 de Março de 2015, 11h40
    22
    1

    Alguém acreditou que era séria a mudança? Volta a mesma situação de sempre. Os melhores salários para quem não faz nada. As mesma figurinhas de sempre...

ENQUETE | 28/03/2015, 10h:37 - Atualizado: 29/03/2015, 11h:20

Você acha que Riva, que comandou a AL por 20 anos, aceitaria delação premiada?


interrogacao enquete

 

No ar uma nova pergunta. Agora é sobre a situação do ex-presidente da Assembleia, José Riva, preso há mais de um mês na Casa de Custódia de Cuiabá, sob acusação de liderar uma quadrilha que teria desviado R$ 42,2 milhões, entre 2005 e 2009, por meio de contratos com cinco empresas que seriam de fachada. O ex-deputado comandou o Legislativo por duas décadas.

"Você acha que Riva, que logo deverá ser julgado pela Justiça, aceitaria acordo de delação premiada para, em benefício de redução da pena, falar tudo que sabe?". Então, vote na enquete na capa deste portal, na parte de baixo. E aqui deixe comentário sobre o assunto.

A enquente anterior trouxe a seguinte indagação: "O governo da presidente Dilma está perdido em meio ao turbilhão da crise. E você, o que acha? Ela deve ou não cair?"  Votaram 2.370 - o sistema só permite um voto por IP de computador. A maioria (1.828 votos - 66,9%) votou na alternativa "pela cassação do mandato". Já 30,4% (830 votos) defenderam que a presidente siga no mandato por considerá-lo legítimo. Veja o resultado final abaixo.

enquete dima

Resultado da enquete feita junto aos internautas sobre a situação da presidente Dilma, sem valor científico

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Benedito Eraldo da Silva | Segunda-Feira, 30 de Março de 2015, 08h11
    2
    2

    jose geraldo riva nao e homen disso querem fazer justiça onde se tem que prender todo mundo ate alguns secretarios atuais por favor publiquem

  • JOSÉ | Domingo, 29 de Março de 2015, 14h24
    6
    2

    Enquanto tivermos o congresso que temos , nenhum outro presidente vai dar conta do recado.E por que não protestar contra também todo o congresso nacional? Eles deveriam fiscalizar os governos mas parece que só o ministério público que faz isso. E a oposição nem se fala anda mais tonta que barata envenenada , nisso a máfia no governo deita e rola.

  • junior | Domingo, 29 de Março de 2015, 12h08
    2
    2

    se o MP indiciou Jose Riva como mentor , articulador e beneficiario no esquema de lavagem de dinheiro e corrupcao ativa, o mesmo nao podera ter delacao premiada. entendo que o reu nao pode falar ou declarar provas contra si. diz a lei, a justica so vai acatar metiras e depoimentos falsos como fez Eder Morais, assim que recebeu beneficio delacao premiada vive mudando o depoimento, o todo reu eh assegurado o direito de nao falar a verdade

  • joaoderondonopolis | Domingo, 29 de Março de 2015, 10h53
    5
    2

    Na manifestação a favor de DILMA o PT conseguiu colocar nas ruas do país 33.000 pessoas, assim mesmo fiquei sabendo que foram pagas. Como disse o PMDB dia 12 será o divisor das águas. Vamos população para as ruas dia 12/04 e 21/04.

  • wilson | Sábado, 28 de Março de 2015, 22h34
    7
    12

    10 milhões contra DILMA. 150 milhões a favor da nossa presidente. DILMA. .

  • joaoderondonopolis | Sábado, 28 de Março de 2015, 15h47
    9
    9

    Dia 12 tem PROTESTO e deve chagar a casa dos 10.000.000 (dez milhões) de manifestantes. Já passou da hora da DILMA deixar o governo.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 645