Cuiabá, 22 de Agosto de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

Várzea Grande | 04/01/2014, 11h:30 - Atualizado: 04/01/2014, 20h:18

Até dia 30, Jaqueline deixa Saúde para concorrer a deputada federal


 

 

capa-jaquelinehj3.jpg

Secretária de Saúde de VG Jaqueline Guimarães sairá candidata à Assembleia

  O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), estabeleceu prazo até 30 de janeiro para que os integrantes da administração que pretendem disputar as eleições deste ano entreguem os cargos. Na lista das possíveis exonerações está a primeira-dama e secretária de Saúde Jaqueline Guimarães, além do diretor do Pronto-Socorro Renato Tetila.

  Os substitutos serão escolhidos por Walace a partir de critérios técnicos. Segundo o peemedebista, a gestão da saúde não deve ser partidarizada. “Não vamos politizar a saúde. A escolha é pessoal já que a responsabilidade e as cobranças recaem sobre mim”, afirmou.

  Jaqueline, que irá tirar 10 dias de recesso para descansar com a família, deve pedir exoneração do cargo no próximo dia 15. Fora do comando da Saúde, pretende intensificar a articulação da candidatura a deputada federal.

  Essa não é a primeira vez que Jaqueline tanta uma vaga na Câmara Federal. Em 2010, pelo nanico PHS, a secretária de Saúde chegou perto de conquistar uma vaga ao obter 31.921 votos, que garantiu o posto de primeira suplente do deputado federal Eliene Lima (PSD).

  A primeira-dama se filiou ao PMDB em setembro do ano passado com a justificativa de que no mesmo partido do marido, poderá trabalhar melhor sua candidatura. “A candidatura é viável. A consolidação depende da análise feita em conjunto com o partido”, explica Walace.

  Outro que deve deixar o staff nos próximos dias é Tetila, que pretende disputar uma cadeira na Assembleia. Ele se filiou ao PP com intuito de ampliar a bancada progressista, atualmente formada pelos deputados Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja.

Jacqueline ingressa no PMDB para tentar Câmara Federal

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Julio Muzzi | Sábado, 04 de Janeiro de 2014, 22h51
    1
    0

    Ambos são boas pessoas, bem articulados, e que vem lutando por Varzea Grande.

  • diego | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 23h41
    2
    1

    diego, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuzi Kalafate | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 22h08
    3
    1

    É uma pena né, quando a pessoa vai querendo acertar, vem a Política e tir do lugar gerando descontinuidade na administração

  • Elifas Jose Ribeiro Ribeiro Ribeiro | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 20h58
    1
    3

    Serå que ela ira descansar onde ?junto com os pobres da periferia de vadju? Pra dai ja ir angariando votos pra dep.federal? Acho ela vai pra zöropa (sic).miami.

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 18h09
    5
    0

    Mato Grosso e suas capitanias hereditárias. Aqui é mesmo um feudo!

| 22/08/2014, 09h:13 - Atualizado: 13min atrás

Debate precisa sair do banheiro e ir para a sala, avalia Percival sobre disputa eleitoral


Especial para o Rdnews

Davi Valle/Rdnews

percival muniz

Prefeito Percival Muniz cobra debate sobre o Pacto Federativo e a Lei Kandir

O prefeito de Rondonópolis Percival Muniz (PPS) se mostrou insatisfeito com o nível dos debates envolvendo os candidatos majoritários e defende campanha propositiva. Para o gestor, o que vem ocorrendo são fofocas que não acrescentam em nada e estão sendo implantadas para confundir o eleitor. O clima está mais tenso entre José Riva (PSD), Pedro Taques (PDT) e Lúdio Cabral (PT), principais nomes na disputa pelo Palácio Paiaguás.

“Esse tipo de debate que estamos assistindo não resolve o problema do Estado e dos municípios. Precisamos tirar o debate do banheiro e trazer para sala. Hoje o eleitor não se deixa enganar por leviandades”, afirmou Percival, em entrevista ao Rdnews. O socialista é um dos principais conselheiros políticos  de Taques e comanda o terceiro maior colégio eleitoral do Estado.

Ainda segundo Percival, existem três frentes que devem ser discutidas para que o debate se torne amplo e construtivo, a Lei Kandir, a revisão do Pacto Federativo e a ampliação das vagas voltadas para a qualificação profissional.

Ressalta que a A Lei Kandir é a lei da “morte”, pois, incentiva o desemprego, com ela temos uma economia rica, mas um estado pobre com uma receita menor que a do Piauí. "Em relação ao Pacto, precisamos dobrar o valor repassado aos municípios e chegar a 26% do montante arrecadado. Por final, Mato Grosso tem potencial para se transformar em um polo de transferência do conhecimento, ampliando o que nós já temos e criando novos campos”, destaca. 

Postar um novo comentário

| 22/08/2014, 07h:21 - Atualizado: 01h atrás

Acidentes em vias públicas danificadas

Elga_colunista

Elga Figueiredo

São relatos corriqueiros os de acidentes causados por estrada má conservada com buracos na pista, ou outras irregularidades nas vias públicas de passagem de veículos e de pedestres. Infelizmente as ruas e rodovias do nosso Estado estão em estado precariedade, esquecidas pelo poder público, sendo assim, causam danos aos veículos, bem como acidentes que geram danos físicos permanentes como casos de amputações de membros, e até morte.  

A jurisprudência pátria tem assentado a possibilidade jurídica do pagamento de indenização, a vítimas e seus familiares, decorrente de acidente de trânsito ocorrido em rodovia de federal, estadual ou municipal, conforme o caso. O posicionamento se baseia no fato de que o consumidor tem o direito de exigir que todos os serviços essenciais pagos com o dinheiro dele, sejam seguros, adequados e tenham qualidade.

Dessa maneira, no caso de acidentes acarretados por uma rua ou rodovia esburacada, por exemplo, o consumidor tem direito por lei, de acionar judicialmente ente responsável. Isso porque, como regra a responsabilidade civil do Estado é objetiva, fundamentada na teoria do risco administrativo.

Nesse ponto, digamos que a constituição foi bastante generosa com o cidadão, já que responsabilidade civil objetiva independe de culpa, conforme reza o Artigo 37, § 6º, da CF "A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: § 6º - As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa". 

Portanto, em caso de acidentes provocados por buracos no asfalto da rua, entre outros. Exija o ressarcimento pelo dano sofrido. O ideal é que se registre boletim de ocorrência e reúna provas através de fotos, vídeos e testemunhas que presenciaram o fato. Acionando judicialmente o estado, alem do ressarcimento, o cidadão esta colaborando para uma expectativa de melhora, já que com o aumento de demandas judiciais acaba sendo mais vantajoso em termos financeiros, conservar as ruas, estradas, mantendo a ordem publica, do que pagar indenizações.

Os danos a serem ressarcidos podem ser dos mais diversos׃ patrimoniais ocasionados ao veículo; ressarcimento de despesas médicas; danos estéticos em caso de cicatrizes ou perda de membros; e danos morais, a depender da natureza das lesões sofridas e do constrangimento que estas podem acarretar, como, por exemplo, fraturas que geram invalidez e morte.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta-feira - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com 

Postar um novo comentário

| 21/08/2014, 18h:40 - Atualizado: 41min atrás

RDTV traz detalhes das desapropriações previstas para o Projeto Porto Cuiabá


O RDTV desta sexta (22) traz os detalhes do estudo feito pela Prefeitura de Cuiabá no intuito de definir os valores das indenizações envolvendo as desapropriações de 35 construções antigas, localizadas no bairro do Porto, construções que, na maioria, são tombadas pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e estão incluídas no projeto Porto Cuiabá.

Confira também uma entrevista especial com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller (PMDB), feita durante a passagem do gestor na última semana pela Capital, oportunidade que ele revela ainda mais ações promovidas para o setor do agronegócio tanto para o Brasil quanto para Mato Grosso.

Para assistir e interagir ao vivo, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br, ao vivo, a partir das 8h30. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Jandira Maria Pedrollo | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 21h21
    6
    1

    Informação errada. "Construções que, na maioria, são tombadas pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e estão incluídas no projeto Porto Cuiabá" Não é pelo Iphan, é pela Secretaria de Estado de Cultura.

| 21/08/2014, 16h:50 - Atualizado: 21/08/2014, 16h:52

Candidatos iniciam a campanha "tímidos"

Taques, Lúdio e Riva possuem munições mútuas e devem utilizá-las até final do horário eleitoral, dependendo da necessidade


Por enquanto os 3 principais candidatos a governador estão utilizando o espaço no horário eleitoral, seja no rádio ou seja na TV, para valorização do currículo pessoal. Contam história de vida, militância e até drama familiar. Mas este clima mais voltado à comoção, logo vai ganhar embate mais duro. Pedro Taques (PDT), líder nas pesquisas, Lúdio Cabral (PT) e José Riva (PSD) guardam munições mútuas. À medida que o horário eleitoral avança e se desenha melhor o quadro de quem mais tem chance de ganhar para governador, eles vão disparando as metralhadoras giratórias. Pelo visto, quem ganhar o Governo chegará “baleado” de tantos ataques.

Fernando Ordakowski

taques_ludio_riva_charge_21-8-2014 (1).jpg

Principais candidatos ao Governo: Taques, Lúdio e Riva devem iniciar embate durante horário eleitoral

Postar um novo comentário

| 21/08/2014, 13h:43 - Atualizado: 21/08/2014, 16h:22

MPF e PF apuram suposta interferência de grupo ruralista na tramitação da PEC 215


De Barra do Garças

Davi Valle

Restaurante-posto

Destroços na gleba Suiá Missu, em Alto Boa Vista

O presidente da Associação dos Produtores Rurais da Suiá Missu (Aprossum), Sebastião Ferreira do Prado, preso pela Polícia Federal no início deste mês sob acusação de liderar uma organização criminosa responsável pela reocupação da Terra Indígena Maraiwatsédé, em Alto Boa Vista, planejava o pagamento de R$ 30 mil a um advogado ligado à Conferência Nacional da Agricultura (CNA), que seria o responsável pelo relatório da Proposta de Emenda Constitucional – PEC 215, na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, que analisa a matéria. 

A participação do líder no suposto esquema foi revelada por uma interceptação telefônica autorizada pela Justiça durante a fase de investigação realizada pela PF. No diálogo, Sebastião afirma que “o cara que é relator, o deputado federal que é o relator da PEC 215, quem tá fazendo pra ele a relatoria que é o Rudy, advogado da CNA, que é amigo e companheiro nosso”. 

Diversas diligências investigatórias sobre essa interferência ainda estão em curso, mas o MPF e a Polícia Federal descobriram que o grupo sustentado por Sebastião do Prado recebia recursos de apoiadores de outros Estados para financiar suas atividades e inviabilizar a ocupação do território pelos índios. A influência do movimento de resistência extrapolava os limites de Mato Grosso com ramificações também em conflitos na Bahia, Paraná, Maranhão e Mato Grosso do Sul. 

O dirigente da Aprossum é o único ainda preso da operação realizada pela PF em 7 de agosto deste ano sob acusação de liderar os reiterados movimentos de invasões da antiga Suiá Missu. Ele teve prisão temporária decretada juntamente com mais cinco pessoas, porém, a temporária foi transformada em preventiva pra que Sebastião não interferisse nas investigações que ainda prosseguem.  

A possível participação de parlamentares federais no caso foi encaminhada à Procuradoria Geral da República para a abertura de providências. A PEC 215 transfere a competência da União na demarcação das terras indígenas para o Congresso Nacional, que regulamentaria as demarcações por meio de leis e não por decretos como é hoje. (Com assessoria)

Postar um novo comentário

| 21/08/2014, 13h:31 - Atualizado: 21/08/2014, 13h:40

Lúdio recebe apoio de prefeitos e vices de 50 cidades e propõe gestão compartilhada


Assessoria

ludio prefeitos

   Em encontro com prefeitos, candidato Lúdio Cabral  defendeu a gestão compartilhada do Estado

Durante ato político realizado na noite dessa quarta (20), prefeitos, vice-prefeitos e vereadores de mais de 50 municípios  reafirmaram apoio ao candidato a governador  Lúdio Cabral (PT), da coligação Amor à Nossa Gente (PT, PMDB, PR, Pros e PCdoB). O evento foi realizado no Hotel Mato Grosso Palace, em Cuiabá. 

A prefeita de Rondolândia, Bett Sabah (PT), afirmou que a agricultura familiar estará fortalecida no futuro governo Lúdio. “Ele faz de uma das tarefas do ofício dele como médico, a escuta, uma das suas maiores qualidades na atuação política. Assim como faz no consultório, ele vai ouvir as pessoas para governar”, declarou.

 O prefeito afastado de Tangará da Serra, Fábio Junqueira (PMDB), ressaltou a experiência de Lúdio como ex-vereador por Cuiabá por oito anos e médico da rede pública há mais de 17 anos. “A atuação dele mostra que poderá fazer mais por Mato Grosso. Ele é conhecedor dos problemas da saúde e representa a liderança de uma nova geração de políticos”, garante.

 Candidata a vice-governadora, Teté Bezerra (PMDB) ressaltou a importância da parceria com os prefeitos para administrar o próximo governo, mas também para tocar a campanha. O deputado federal Wellington Fagundes (PR), candidato ao Senado, conclamou todos os filiados dos partidos da Coligação no sentido de permanecerem unidos e, dessa forma, viabilizarem a eleição de Lúdio e o maior número de aliados. 

Lúdio aproveitou o encontro para reafirmar o compromisso de implementar uma gestão compartilhada com prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, além dos diferentes segmentos da sociedade. “Vamos compartilhar poder e estamos aqui para mostrar como é o modelo de governo que queremos para nosso Estado, pois ninguém faz nada sozinho”, ponderou.

Os deputados federais Valtenir Pereira (Pros), Ságuas Moraes (PT) e Carlos Bezerra (PMDB) compareceram no ato político.  Também estiveram presentes os secretários de Estado Rafael Bastos (Ciência e Tecnologia) e José Lacerda (Meio Ambiente) e candidatos proporcionais da coligação. (Com assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Felipe Matos | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 22h28
    6
    5

    Vamos lá Lúdio. Estamos com vc.

  • Luiscarlos | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 15h45
    13
    11

    Graças a Deus esse povo todo está saindo e Pedro Taques não terá compromisso com essa turma que tá só sendo mal tratada pelo governo estadual e ainda assim vão bater palmas para o governo.. Depois não reclamem seus "baba-ovos". A faxina deverá ser geral.

Câmara de Cuiabá | 21/08/2014, 12h:38 - Atualizado: 0min atrás

Chapa de Júlio Pinheiro segue indefinida e pode ter “reviravolta” no final de semana


Especial para o Rdnews

Rdnews

Lueci e Chico 2000

Vereadores Lueci Ramos e Chico 2000 estão na disputa para ordenar despesas da Câmara de Cuiabá

A eleição da Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá marcada para próxima segunda (25), ainda deve gerar algumas polêmicas para o anúncio da chapa encabeçada pelo atual presidente, vereador Júlio Pinheiro (PTB). O motivo seria o surgimento de uma terceira via para disputar a vaga de 1º secretário, almejada por Chico 2000 (PR) e Lueci Ramos (PSDB). O cargo é responsável pela ordenação de despesa do Legislativo. A decisão deve ocorrer durante uma reunião, que será realizada neste final de semana, ainda com local a definir e provavelmente fora da Capital.

Definida como “balaio de gatos” por um parlamentar, a chapa de Júlio Pinheiro também não tem deliberado os nomes para segundo secretário. O encontro deve confirmar os nomes de Haroldo Kuzai (Solidariedade) como 1º vice-presidente e de Toninho de Souza (PSD) na 2ª vice-presidência. 

Até o início do mês estava definido que 20 parlamentares apoiariam a chapa de Júlio Pinheiro. Porém dos cinco que se propunham articular outra chapa para entrar na disputa e desistiram, dois já sinalizam votar a favor da reeleição do presidente e três devem entrar  em consenso no final de semana.

A atual Mesa Diretora da Câmara é composta pelo presidente Júlio Pinheiro (PTB), 1º vice-presidente Onofre Junior (PSB), 2º vice-presidente Haroldo Kuzai (Solidariedade), 1º secretário Maurélio Ribeiro (PSDB) e 2º secretário Clovito Hugueney (Solidariedade). A votação deve ocorrer às 16 horas.  Os 25 vereadores devem estar presentes na sessão. 

Postar um novo comentário

| 21/08/2014, 09h:50 - Atualizado: 21/08/2014, 09h:58

Riva promete construir hospital militar e dar autonomia financeira para os PMs


Assessoria

riva_pm_

O candidato ao Governo José Riva promete melhorar a política salarial dos PMs

O candidato ao Governo, José Riva (PSD) garante que vai dar autonomia administrativa e financeira à Polícia Militar (PM) e ao Corpo de Bombeiros, reformulando, assim, a gestão da segurança pública do Estado. Atualmente, o orçamento dessas corporações é gerido pela secretaria estadual de Segurança Pública (Sesp). “Esse modelo de núcleos sistêmicos é uma verdadeira teia de aranha. Queremos buscar um novo modelo para dar às secretarias autonomia da gestão orçamentária. E, no caso da PM e dos Bombeiros, a própria corporação terá essa autonomia”, disse Riva em reunião com cerca de 250 bombeiros e policiais.

No encontro, Riva apresentou ainda dez propostas à categoria para atender às reivindicações dos representantes das associações. É o caso do investimento na saúde física e psicológica dos militares, da entrega de um kit de segurança a cada policial, do aumento do efetivo e a convocação de novos concursados, além da melhoria salarial e dos benefícios.

Para Riva, os avanços já conquistados pela corporação foram por meio das próprias associações. Segundo ele, outra proposta é equiparar os salários dos delegados da Polícia Civil com os dos coronéis da PM, além de elevar o percentual de vinculação dos subsídios de cada patente em relação aos oficiais. “E temos que discutir com as associações a questão de benefícios, como periculosidade e adicional noturno”, disse.

Para o cabo Adão Martins da Silva, presidente da Associação dos Cabos e Soldados (ACS), a atenção dada atualmente à saúde dos policiais é “lamentável”. O major Wanderson Nunes de Siqueira, por sua vez, afirmou que o policial precisa ter equipamentos de segurança, inclusive com arma, para se proteger e entrar em ação, se for necessário, mesmo que esteja à paisana.

Outra reivindicação dos PMs é o retorno do fardamento antigo, na cor azul petróleo, que foi substituída este ano por uma farda de cor mais clara. “Pretendo fazer um governo de entendimento e diálogo. O governo não pode tomar uma decisão como essa sem ouvir os principais interessados, que são os policiais.”, observou Riva.

Unidade de Saúde

 Para contemplar as reivindicações da categoria com relação à saúde, o candidato se comprometeu a transformar o ambulatório em uma unidade que atenda alta complexidade e, até o final do mandato, construir um hospital militar. O candidato considera essencial, ainda, reformar e recuperar as instalações da corporação em todo o Estado, pois, em muitos lugares, os destacamentos estão em situação precária. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Geraldo | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 18h38
    5
    7

    Não somos de SP e nem do PR.... Voltem o uniforme azul da Gloriosa Polícia militar....

  • Catarino | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 10h59
    11
    6

    Ressuscitem a PM!!!! Retornem a farda azul!!!!!!

| 21/08/2014, 07h:56 - Atualizado: 21/08/2014, 08h:01

Chapada recebe o Ultramacho

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

Para alguém que desconhece o assunto, o título deste artigo pode soar meio duvidoso. Mas o fato é que a charmosa cidade de Chapada dos Guimarães receberá neste domingo a segunda etapa do Circuito Ultramacho. O festival de provas de aventura será realizado na cidade novamente, mas desta vez levará para o município cerca de 450 atletas, praticamente o dobro da última edição.

Os trajetos das provas são considerados os mais difíceis pelos competidores, mas se é um percurso duro que os atletas procuram é possível afirmar que Chapada é a Disneylândia dos aventureiros.  Na corrida em trilha de 12 km os atletas partirão do centro da cidade, percorrerão trilhas na mata, atravessarão um córrego e um vale, subirão trechos intermináveis e correrão paralelo aos paredões. Já os participantes da provas multiesportivas percorrerão estradões, single tracks e atravessarão obstáculos naturais como rios e barrancos, tudo utilizando bicicletas, caiaques e os próprios pés.

É muito bacana ver como o evento tem se transformado num estilo de vida para muitos dos participantes. Hoje há atletas que fazem um treino específico para abarcar a gama de competências que as atividades requerem.  Mas o melhor de tudo e também o motivo da criação do Ultramacho é ver tantas pessoas em contato com o universo outdoor. Gente que só corria e pedalava no asfalto e que hoje tem ampliado o repertório de trajetos para incluir trilhas na mata e rios em caiaques. São pessoas que tinham resistência em estar na natureza e que agora mostram com orgulho os arranhões típicos de quem viveu bons momentos na mata.

Esta edição também traz uma novidade em relação a interação com a cidade sede da prova. Vários empresários se organizaram para atender especificamente os competidores que irão para Chapada. Isso significa restaurantes com pratos voltados a performance dos atletas, pousadas preocupadas em receber bem os participantes, supermercados e distribuidoras que apóiam um evento que se propõe a divulgar as belezas do município. Isso cria uma nova experiência para quem consome e uma oportunidade de customizar o atendimento do comércio.

Mais um evento feito com carinho. Espero que todos se divirtam e voltem para casa com aquela sensação boa de quem se sente vivo. Será um encontro de amigos, um momento onde as famílias torcem por seus atletas e uma oportunidade de assistir um show de superação e determinação. Vamos com tudo!

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

| 20/08/2014, 18h:07 - Atualizado: 21/08/2014, 13h:41

Entre ter um infarto ou AVC, preferi ficar fora da eleição, diz Jayme após desistência


Iara Rezende/Rdnews

Jayme_iara_500_interna.jpg

Senador Jayme Campos, diz que está fazendo campanha com tranquilidade

O senador Jayme Campos (DEM), que nesta semana reapareceu na campanha do candidato a governador Pedro Taques (PDT) após desistir da reeleição, afirma que decidiu abandonar a disputa porque está com 63 anos e não tem mais disposição para “engolir sapos”.

O democrata também ressalta que não foi apunhalado pelos aliados, no entanto, estava se sentindo desconfortável com a postura de pessoas que participam da coordenação da campanha. “Entre eu ter um infarto ou um AVC, preferi ficar de fora”.

Jayme também disse que está fazendo a campanha com tranqüilidade porque, após abrir mão da candidatura, não é mais obrigado a se relacionar com pessoas que considera como "indigestas". Além disso, garante que a decisão não trouxe conseqüências negativas porque não vive da política. “Sou empresário. Faço política porque gosto. Não tenho rabo preso. Sempre tive independência e altivez. Posso voltar se quiser”.

O democrata ainda lembra que deixou a candidatura a senador com 43% nas pesquisas de intenção de voto, enquanto o adversário mais próximo tinha 25%. Por isso, acredita que conseguiria se reeleger sem dificuldades. “Sem falsa modéstia minha eleição seria tranqüila. Agora, vou continuar na luta e mesmo sem mandato, defenderei os  interesses de povo de Mato Grosso”, conclui.  

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Getulio Ribeiro Mello | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 15h03
    11
    1

    Getulio Ribeiro Mello , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Rumo às urnas | 20/08/2014, 14h:38 - Atualizado: 21/08/2014, 09h:59

Ex-vereador pode ser expulso do PSDB por apoiar Riva e se diz vítima de perseguição


Rodinei Crescêncio/Rdnews

antonio-fernandes--fotos-ney-(1).jpg

Ex-vereador Antônio Fernandes afirma que as traições contra ele por líderes do PSDB começaram primeiro e não se considera traidor agora

O secretário-geral do PSDB, Ussiel Tavares, afirma que filiados que apoiam candidatos adversários de Pedro Taques (PDT) ao Governo terão que deixar à sigla. Caso contrário, serão submetidos a julgamento pela Comissão de Ética, que pode expulsá-los por infidelidade partidária. “Isso demonstra descomprometimento. Se é filiado tem que se submeter as regras”, enfatiza Ussiel em entrevista ao Rdnews.

As palavras de Ussiel são direcionadas ao ex-vereador por Cuiabá Antônio Fernandes (PSDB), que declarou apoio aos candidatos pelo PSD  José Riva, ao Governo, e Meraldo Sá, à Assembleia. Além disso, Fernandes trabalha como coordenador da campanha para a reeleição do deputado federal Eliene Lima. “O partido sabe que eu sou assessor parlamentar do Eliene. Foi ele quem me ajudou quando eu mais precisei”, argumenta o ex-vereador, ao se referir quando ficou doente e desempregado.

Antônio Fernandes afirma ainda que há 15 dias protocolou um pedido de licença do partido para apoiar os candidatos rivais, mas nunca houve um posicionamento da sigla. Entretanto, de acordo com Ussiel, o ex- vereador nunca foi tratar do assunto com o partido, só pela imprensa. “Então também vamos tratar, somente, pela imprensa”, retruca.

Diante disso, Fernandes ressalta que é perseguido pela cúpula do diretório estadual, além de não obter apoio quando disputou reeleição na Câmara de Cuiabá no pleito de 2012. “A Comissão de Ética deveria ser instalada quando a ex-deputada federal Thelma de Oliveira apoiou o vereador Leonardo de Oliveira (PTB), em detrimento da candidatura de Guilherme Maluf à Prefeitura de Cuiabá”, critica.

Além de Thelma, Fernandes dispara contra o deputado federal e presidente estadual do partido, Nilson Leitão, que disputará à reeleição. O ex-vereador alega que foi abandonado por ele nas eleições de 2012 para apoiar o atual vereador Marcrean dos Santos (PRTB). “Então a traição vem daí”, ressalta.

CPI da Sanecap

Para justificar a perseguição e que sempre foi deixado de lado pelo partido, o ex-vereador explica que, em 2012, quando iria propor uma CPI da Sanecap, tendo em vista que as investigações na Câmara apontavam irregularidades no órgão, o tucano foi barrado por meio de uma resolução do partido a se pronunciar sugerindo a CPI. “Para direção me proibir de mexer com a CPI é porque pode pegar algum companheiro do partido?”, questiona.Apesar disso, não cita nomes.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • eve | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 12h39
    9
    5

    Sem noção

  • Ricardo | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 09h32
    13
    10

    É UMA VERGONHA ESTE PSDB DE MATO GROSSO.....PARABENS LIDER POLÍTICO ANTONIO FERNANDES....O PSDB ACABA DE FECHAR MAIS AINDA AS PORTAS PARA O PARTIDO COMO UM TODO EM MT....

  • Luiz Antonio | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 08h44
    14
    12

    Parabéns Verador Antonio Fernandes, saia deste partidinho, ele já foi grande, ficou órfão desde Dante de Oliveira, o bairro Alvorada e bairros vizinhos estão com o Senhor, e quanto a este secretário de partido, até o Maurício Aude que foi eleito na OAB, não quis saber do apoio dele... Vá em frente com seus apoios, são de grande valia para a sociedade

  • juca | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 08h18
    15
    8

    O PSDB FOI GRANDE EM MT,HOJE É PEQUENO MUIOS OPORTUNISTAS DEIXARAM A SIGLA,ESTE ,TEM QUE SER EXPULSO SIM,ESTÁ APOINDO RIVA ,TUDO BEM MAS TEM QUE SER EXPULSO E RÁPIDO JUNTAMENTE COM LUICI

| 20/08/2014, 10h:29 - Atualizado: 20/08/2014, 14h:41

Taques se sente "confortável" em palanque múltiplo, mas não comenta sobre Marina


Iara Rezende/Rdnews

Taques e Aécio-Garapa-Iara (7).JPG

Pedro Taques ao lado do presidenciável Aécio Neves em Cuiabá tomando garapa

O candidato ao Governo Pedro Taques (PDT) demonstrou estar bastante à vontade com o palanque “múltiplo” de presidenciáveis, formado em torno de seu projeto rumo ao Palácio Paiaguás.

Durante visita do tucano e candidato à presidência da República Aécio Neves a Capital e em Sinop, Taques reforçou o fato de sua aliança ser plural e que seja qual for o presidente eleito, ele dará apoio ao Estado.

“Cada cidadão apóia quem quiser. O PP apóia Dilma Rousseff (PT), o PDT apóia a presidente também. Cada cidadão tem o direito de escolher. Tem militantes do PDT que apóiam o Aécio e não a Dilma”, pontua. O grupo de Taques é formado por 13 siglas - PDT, PP, DEM, PSDB, PSB, PPS, PV, PTB, PSDC, PSC, PRP, PSL e PRB. Dentro delas há 5 presidenciáveis: Aécio, Marina Silva (PSB), pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV) e José Maria Eymael (PSDC). Além deles, ainda tem o PP (partido do vice do Taques, Carlos Fávaro), cujo partido inteiro faz campanha para Dilma, assim como alguns membros do PDT.

O pedetista preferiu não comentar a escolha de Marina Silva (PSB) como substituta de Eduardo Campos, vítima fatal de acidente aéreo, na corrida presidencial, pelo menos até que seja homologada.

Acontece que o setor produtivo tem resistência em relação à Marina desde a época em que era ministra do Meio Ambiente. “Não vou jantar para depois almoçar”, afirmou Taques, ao ser questionado sobre a situação. A tendência é que o nome de Marina seja homologado hoje, sendo indicado deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS)  como vice.

Taques, por sua vez, pondera que é necessário esperar a situação se definir. Apesar da resistência em comentar a definição em torno de Marina, o pedetista garante que o PSB é um aliado de primeira hora e que, por isso, seja quem for o candidato, terá o seu apoio.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Marco cuia bano | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 16h41
    10
    12

    Se Pedro Taques nao elogiar marina Silva perde todos votos da nossa familia ...ela defende o desmatamento desenfreado de mato grosso uma v e r g o n h a pra nos que moramos aqui estado campeão.. O agronegocio que o diga.

  • Jose carlos | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 13h24
    16
    6

    SE COMENTAR OS MAGGI NAO COLOCA DIM DIM NA CAMPANHA, COMO A POLITICA MUDA O CARÁTER DAS PESSOAS.

| 20/08/2014, 07h:55 - Atualizado: 20/08/2014, 08h:02

Um presidente que o Brasil não teve

vinicius_artigo_quarta

Vinicius de Carvalho

A morte trágica e precoce do candidato a presidente pelo PSB Eduardo Campos na última semana suscitou muita discussão e análise. Um dos maiores objetos de lamentação foi a perda de uma liderança política promissora com todas as condições de chegar à Presidência da República em algum momento da história. Tal situação me lembrou a frase do historiador Ronaldo Costa Couto sobre Tancredo Neves por ocasião do centenário do seu nascimento (2010), referindo-se ao político mineiro como “o melhor presidente que o Brasil não teve”.

Este pensamento me levou a outros personagens da política brasileira que não lograram a oportunidade de exercer a presidência por diversas razões. Posso mencionar aqui Carlos Lacerda, André Franco Montoro, Ulysses Guimarães, Mário Covas, Leonel Brizola, Darcy Ribeiro e Miguel Arraes. Todos eles foram líderes de correntes políticas importantes e teriam possivelmente chegado à Presidência da República se não tivéssemos passado por trinta anos sem eleição direta por conta do regime civil-militar. Numa democracia estável e competitiva presume-se que haja alternância nos principais postos de comando, com acesso garantido aos representantes dos maiores partidos e facções destes.

Um dos aspectos mais lamentados após a morte de Eduardo Campos foi a perda de uma liderança política que vinha se afirmando em nível nacional tanto no campo administrativo quanto no político. No administrativo pelos resultados obtidos com a implantação de um modelo de gestão inovador no Governo de Pernambuco, rendendo-lhe inclusive prêmios internacionais e grande visibilidade no Brasil inteiro. No campo político pela estruturação do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em vários Estados, com a eleição de seis governadores e uma boa bancada federal em 2010 e também em nível municipal em 2012. É possível dizer que o PSB foi um dos grandes estuários do esvaziamento dos grandes partidos que apoiavam o Governo Fernando Henrique Cardoso (PMDB, PFL e PSDB), em particular no Nordeste. Deste modo, ele ganhou mais musculatura e emergiu como um dos partidos importantes em escala nacional.

Campos foi o principal articulador de todo este processo, demonstrando seus dons de conciliação. Ele demonstrou com clareza seu imenso pragmatismo ao aceitar a filiação de quadros com perfil mais conservador e adversários do PT, como os ex-senadores Jorge Bornhausen (SC) e Heráclito Fortes (PI). Ele assimilou uma das principais características do sistema político brasileiro, que é a necessidade de ganhar a eleição com a esquerda, mas governar com a direita. Assim pôde obter tanto êxito no Governo de Pernambuco e na direção nacional do PSB.

Campos assimilou bem as lições da política brasileira, que ensinou ser possível aglomerar vários grupos políticos com interesses e visões contraditórias. Ele percebeu que a grande maioria das forças políticas objetiva apenas participar da distribuição de recursos de responsabilidade do Estado, mas sem a pretensão de hegemonizar. Isto significa formular programas de governo mais amplos e lutar pela direção daquela coalizão. Como as eleições majoritárias vêm apresentando uma tendência cada vez maior para a esquerda, ele pode ter dito ou pensado: “cuidem das respectivas partes do aparelho do Estado que lhes cabem que eu administro o conjunto”.

Outra dimensão a ser salientada é o vazio de lideranças políticas. Líderes do seu porte, que tenham conseguido fazer a difícil passagem da política estadual para a nacional, são raros. Com sua saída deverá surgir uma luta entre os atuais governadores do partido e o grupo da ex-senadora Marina Silva. Descanse em paz Eduardo. Seja muito bem vindo na galeria dos presidentes que o Brasil não teve. 

Vinicius de Carvalho Araújo é gestor governamental do Estado, mestre em História Política, professor universitário e escreve neste Blog toda quarta-feira vcaraujo@terra.com.br www.professorviniciusaraujo.blogspot.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Aroldo | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 10h06
    12
    9

    Excelente artigo! Vinicius descreveu muito bem a postura do Eduardo Campos, sua forma de administrar e fazer política. Esse sim, era o novo. O texto expressa o pensamento de todos que querem mudanças.

| 19/08/2014, 20h:08 - Atualizado: 20/08/2014, 12h:47

Candidato Avalone promove até talk show, mas apenas com correligionários na plateia


No momento em que se inicia o horário eleitoral, tendo de um lado os candidatos ávidos pela aparição para mostrar a cara, mensagens, propostas e pedir voto e, de outro, eleitores nem tanto animados para manter a televisão ligada ou para ouvi-los pelo rádio, surgem formatos que fogem a regra e o habitual, estratégias para se prender atenção. A ideia partiu do ex-secretário de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia do governo Dante de Oliveira, o suplente de deputado e empresário do ramo de mineração Carlos Avalone (PSDB). Ele concorre pela terceira vez a uma cadeira na Assembleia. Em duas ficou como suplente e legislou por alguns meses, dentro de um combinado com titulares da coligação.

carlos avalone talk

Numa cadeira giratória e sobre tablado, o candidato Carlos Avalone se abre para perguntas, tendo na plateia correligionários, sabendo que não sairiam questionamentos capazes de deixá-lo em saia justa

Avalone figura na lista de políticos que acumulam décadas na vida pública e desta vez teve a iniciativa de inovar, mesmo que o talk show que marcou o lançamento de sua campanha, na segunda, tenha registrado na plateia somente amigos e pessoas que já trabalham com ele. Diferente seria se submetesse a perguntas e questionamentos de eleitores para os quais estaria se apresentando pela primeira vez.

Mas, para não correr risco de eventualmente ficar em saia-justa, nada melhor do que debater as problemáticas do Estado com os próprios correligionários. E foi assim que Avalone fez. Dispensou palanque e protocolo. Sentiu-se uma estrela, numa cadeira giratória, em cima de um tablado e cercado por quase 400 pessoas, no buffet Tereza Bouret, em Cuiabá. 

Convidou para o centro do debate o parceiro da dobradinha eleitoral, deputado federal Nilson Leitão, que tenta a reeleição, e o candidato a governador da coligação, senador Pedro Taques (PDT). Outros concorrentes se fizeram presentes. As principais preocupações manifestadas na sabatina foram violência e combate as drogas,  situação da saúde, os problemas da educação, cobrança de impostos e o abandono dos bairros.

carlos avalone nilson leitao talk

O candidato Carlos Avalone até lança perguntas ao aliado do PSDB, deputado federal Nilson Leitão, cercado por quase 400 pessoas, todas elas envolvidas em sua campanha por cadeira na Assembleia

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Carla | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 17h09
    7
    4

    Carla, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Fernando Roberto | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 11h11
    17
    7

    Parabéns pela inovação Deputado Avalone.

  • Jorge Roberto | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 10h12
    15
    9

    Não participei do evento, mas achei interessante esse formato apresentado pelo candidato. Normalmente os candidatos sobem no palanque e falam horas e horas sem parar. Penso que o candidato deveria levar isso para as pracas publicas e debater diretamente com a sociedade. E preciso levar as ideias e propostas para a população. Espero que os candidatos tenham essa coragem e ousadia. Realizar debates. assumir compromissos. Mostrar propostas.

  • Nilton Lopes | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 07h23
    21
    11

    A construtora do deputado está refazendo um trecho da MT 170, entre Caramujo e Vila Cabaçal (57 km). A obra é orçada em pouco mais de 10 milhões, e a empresa tem 360 dias para concluir a obra. Os 360 se acabaram, e na ultima semana a construtora desmontou o acampamento. Apenas 18 km de asfalto foram refeitos. A pavimentação é de baixa qualidade, tem lugarem que já foram refeitos, a sinalização vertical e horizontal ainda não foi feita. A empresa deixou trechos de desvios entre Santa Rita e Curvelandia, não está aproveitando o período de seca. Quer que eu envie as fotos para o site?!

  • André Barcelos | Terça-Feira, 19 de Agosto de 2014, 22h23
    19
    7

    O candidato não permitiu que pessoas estranhas entrassem no lançamento? O candidato não convidou a todos pelas redes sociais? Ele impediu que alguém fizesse alguma pergunta? RD, porque você mesmo não fez uma pergunta para o candidato? Mas pelo menos foi o primeiro lançamento de campanha de dep. estadual a chamar a atenção. Acho que valeu pela iniciativa

| 19/08/2014, 18h:00 - Atualizado: 20/08/2014, 09h:08

Ao vivo, presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/MT participa do RDTV


Rodinei Crescêncio/Rdnews

silvio-teles--fotos-ney-(9).jpg

Presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/MT, Sílvio Teles, ao vivo nesta 4ª - participe

O presidente da Comissão de Direitos Eleitorais da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Mato Grosso, Silvio Teles, é o convidado ao vivo do RDTV desta quarta (20) para falar sobre o trabalho desenvolvido pela entidade no intuito de fiscalizar o andamento do pleito-2014 especialmente em relação ao cumprimento dos dispositivos previstos na legislação.

Os interessados em participar dessa entrevista, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz os detalhes da visita do candidato à presidência Aécio Neves (PSDB) a Mato Grosso com o objetivo de reforçar a chapa “Coragem e Atitude pra Mudar”, encabeçada pela candidatura de Pedro Taques (PDT) ao Governo.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Manoel de Souza | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 09h00
    10
    5

    oi bom dia, eu gostaria de saber se o candidato ao governo Jose Geraldo Riva, não conseguiu retomar a presidencia da Assembleia Legislativa do Estado devido a improbidade administrativa, foi caçado no mandato anterior a esse. Ha possibilidade de ele continuar no pleito?

| 19/08/2014, 16h:13 - Atualizado: 19/08/2014, 16h:24

Seduc alimenta candidaturas petistas


Fernando Ordakowski

rosa neide

Rosa Neide conduz a pasta de Educação do Estado e se empenha nas candidaturas de Ságuas e Allan

A secretaria estadual de Educação, maior das pastas da estrutura da máquina do governo Silval, se transformou em um núcleo político fechado do petismo. A secretária Rosa Neide, em sinal de gratidão e apoio por ter sido contemplada com o cargo, conduz as articulações em favor das candidaturas de Ságuas Moraes, deputado federal que busca a reeleição, e do vereador cuiabano Allan Kardec, que disputa vaga de deputado estadual. Muitos ocupantes de cargos DAS e até efetivos reclamam que estão sendo "forçados" a fazer campanha para a dupla. E o Palácio Paiaguás, que tem o PT como parceiro, faz de conta que a estrutura da Seduc não está sendo usada na campanha. 

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Felipe Matos | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 22h32
    3
    2

    É Marcelo, o Brasil tem n partidos mas a mídia só bate no PT. Pq será né?

  • marcelo | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 15h26
    10
    1

    pela amor de deus tira essa mulher dai e bula vencida faz me um favor não tem outra matéria para colocar vale milha nossa uma ves pt sempre pt.

  • Garibaldi Reis | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 15h17
    9
    1

    Enquanto isso a SEDUC está as moscas. Filas intermináveis, colaboradores estressados, falta de material de expediente...Verdadeira casa da mãe Joana...E a dita cuja secretária fazendo bulling sobre os colaboradores para que votem nos candidatos Allan Kardecc e Ságuas Moraes...E o comandante mór do Estado de Mato Grosso, parece não saber de nada...ACORDA GOVERNADOR....

  • João José | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 09h31
    6
    4

    João José, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Cidadão MT | Quinta-Feira, 21 de Agosto de 2014, 09h30
    5
    5

    Cidadão MT, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Victor Luis | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 17h02
    15
    9

    SEDUC , PT e suas panelinhas, vergonha para o nosso querido estado de MT.

  • Claudião | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 16h50
    10
    1

    Claudião, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Dimas Arruda | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 15h37
    17
    12

    O mesmo acontece na prefeitura tanto para fabio garcia e como pedro taques. Allan é o melhor vereador da capital e merece uma vaga na assembleia. Vamo que vamo.

  • Renato | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 12h38
    19
    6

    Não sou partidário. Engana-se aquele que acha que se entrar turma A, B ou C, a mamata vai acabar. Simplesmente troca-se a "turma de merecedores"...

  • Dimas Arruda | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 11h58
    7
    3

    Dimas Arruda, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Eleições | 19/08/2014, 15h:54 - Atualizado: 20/08/2014, 11h:03

Aécio promete criar pasta do Agronegócio e fomentar crescimento do setor produtivo


Iara Rezende

Aecio Neves

Aécio Neves, ao lado de Taques, garante que vai valorizar MT em seu governo

Com cerca de 30 minutos de atraso, o presidenciável Aécio Neves (PSDB) desembarcou em solo mato-grossense, no aeroporto internacional Marechal Rondon, às 13h30. A tônica do discurso foi voltada especialmente para o setor produtivo do Estado, campeão na produção de grãos e apontado como o celeiro do país.

Para conquistar votos, durante coletiva, o tucano reforçou 3 eixos relacionados ao setor: logística, política tributária e desenvolvimento sustentável. Embora o tom seja de redução do número de pastas, o presidenciável garantiu que vai implementar o “super” Ministério do Agronegócio, dando à área a importância que merece.  

Segundo ele, a proposta é que a pasta tenha voz de decisão junto aos Ministérios da Fazenda, Planejamento e Infraestrutura, possibilitando ao setor produtivo mais competitividade no mercado. “Vamos retirar o Ministério da Agricultura do loteamento partidário”, disparou. Hoje a pasta é comandada pelo mato-grossense e peemedebista Neri Geller.

Quanto à logística, Aécio afirma que vai privilegiar as ferrovias e hidrovias que, segundo ele, têm ficado de lado. Mas também reforça a importância das rodovias para o escoamento dos grãos.

Cita como exemplo a hidrovia Tapajós - Teles Pires, e a BR-163, tanto a duplicação quanto a pavimentação no trecho que abrange o Estado do Pará. "O que falta é um governo que tenha planejamento, que inicie e entregue as obras". Aécio também diz que "no Brasil tem um cemitério de obras não concluídas".

Sobre a política tributária, o tucano prometeu a simplificação do sistema. Ele ressalta que o setor é produtivo da porteira para dentro, mas que sofre para crescer porque faltam rodovias, ferrovias e portos competitivos, além de políticas externas mais modernas e menos “esquizofrênicas”. “O meu governo será governo do estímulo a quem trabalha no Brasil. Venho a Mato Grosso reafirmar meu compromisso com este Estado". 

De olho no setor produtivo, mas sem esquecer dos ambientalistas, Aécio Neves ressaltou, durante todo o tempo, que é possível ampliar o crescimento do setor de forma sustentável, respeitando o meio ambiente. Segundo ele, há, sim, uma “compatibilidade entre os setores ambiental e produtivo”. 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Clauberto Franco | Quarta-Feira, 20 de Agosto de 2014, 10h43
    7
    3

    Boa iniciativa Ministério do Agronegócio tem que colocar técnicos e Engenheiros responsáveis, tem construir rodovias primeiro, pra só depois construir ferrovias e hidrovias, porque não há sentido gastar milhões com ferrovia e as estrada estarem em péssimo estado, preciso solidificar o Estado de Mato Grosso, Governador Taques tem que buscar parceria com Exercito 9bec para execução deste projeto.

| 19/08/2014, 11h:22 - Atualizado: 19/08/2014, 14h:27

Juíza nega recurso, mantém condenação e ex-servidora devolverá R$ 316 mil ao erário


O Tribunal de Justiça por meio da Terceira Câmara Civil negou, por unanimidade, o Recurso de Apelação contra a sentença da Ação Civil Pública por improbidade administrativa, que obriga a ex-servidora estadual Marlene Ferraz de Arruda a indenizar o Estado em R$ 314,9 mil. O valor corresponde ao dobro dos valores apropriados de forma ilegal, devidamente atualizado. A ação foi impetrada pelo Ministério Público.

Marlene era ex-chefe da Divisão de Aposentados e Pensionistas da (Sade), e responde ao processo de suposta concessão fraudento de benefício de pensão por morte, mediante a inserção de dados falsos no sistema, bem como a apropriação indevida dos valores referentes ao benefício, que ficou comprovado que somente ela possuía os dados pessoais da suposta beneficiária da pensão, que era sua empregada.

De acordo com a relatora, desembargadora Vandymara Zanolo, não se trata de meros indícios, mas de prova indireta que leva à comprovação da responsabilidade da apelante na concessão da pensão fraudulenta. Segundo ela, são provas suficientes para embasar a condenação. “O ato de improbidade encontra-se demonstrado, violando os princípios da administração pública, com enriquecimento ilícito e ocasionando danos ao erário público”, trecho do despacho.

Conforme o MP, a ex-servidora implantou, no Sistema de Recursos Humanos da secretaria de Administração de Recursos Humanos do Estado, dados inverídicos do suposto funcionário Geraldo S. Siqueira, incluindo empregada doméstica da apelante, como dependente do suposto servidor, causando dano ao erário mediante pagamento de pensão fraudulenta.

Postar um novo comentário

INíCIO
ANTERIOR
1 de 705