Cuiabá, 19 de Dezembro de 2014
  • Camila Cecílio

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

Várzea Grande | 04/01/2014, 11h:30 - Atualizado: 04/01/2014, 20h:18

Até dia 30, Jaqueline deixa Saúde para concorrer a deputada federal


 

 

capa-jaquelinehj3.jpg

Secretária de Saúde de VG Jaqueline Guimarães sairá candidata à Assembleia

  O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), estabeleceu prazo até 30 de janeiro para que os integrantes da administração que pretendem disputar as eleições deste ano entreguem os cargos. Na lista das possíveis exonerações está a primeira-dama e secretária de Saúde Jaqueline Guimarães, além do diretor do Pronto-Socorro Renato Tetila.

  Os substitutos serão escolhidos por Walace a partir de critérios técnicos. Segundo o peemedebista, a gestão da saúde não deve ser partidarizada. “Não vamos politizar a saúde. A escolha é pessoal já que a responsabilidade e as cobranças recaem sobre mim”, afirmou.

  Jaqueline, que irá tirar 10 dias de recesso para descansar com a família, deve pedir exoneração do cargo no próximo dia 15. Fora do comando da Saúde, pretende intensificar a articulação da candidatura a deputada federal.

  Essa não é a primeira vez que Jaqueline tanta uma vaga na Câmara Federal. Em 2010, pelo nanico PHS, a secretária de Saúde chegou perto de conquistar uma vaga ao obter 31.921 votos, que garantiu o posto de primeira suplente do deputado federal Eliene Lima (PSD).

  A primeira-dama se filiou ao PMDB em setembro do ano passado com a justificativa de que no mesmo partido do marido, poderá trabalhar melhor sua candidatura. “A candidatura é viável. A consolidação depende da análise feita em conjunto com o partido”, explica Walace.

  Outro que deve deixar o staff nos próximos dias é Tetila, que pretende disputar uma cadeira na Assembleia. Ele se filiou ao PP com intuito de ampliar a bancada progressista, atualmente formada pelos deputados Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja.

Jacqueline ingressa no PMDB para tentar Câmara Federal

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Julio Muzzi | Sábado, 04 de Janeiro de 2014, 22h51
    2
    0

    Ambos são boas pessoas, bem articulados, e que vem lutando por Varzea Grande.

  • diego | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 23h41
    3
    1

    diego, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuzi Kalafate | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 22h08
    3
    2

    É uma pena né, quando a pessoa vai querendo acertar, vem a Política e tir do lugar gerando descontinuidade na administração

  • Elifas Jose Ribeiro Ribeiro Ribeiro | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 20h58
    1
    4

    Serå que ela ira descansar onde ?junto com os pobres da periferia de vadju? Pra dai ja ir angariando votos pra dep.federal? Acho ela vai pra zöropa (sic).miami.

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 18h09
    5
    1

    Mato Grosso e suas capitanias hereditárias. Aqui é mesmo um feudo!

| 19/12/2014, 00h:40 - Atualizado: 08h atrás

O alerta continua sobre material escolar

Elga_artigo_sexta

Elga Figueiredo

Passado um ano de vigência da Lei 12.886/2013, que proíbe as escolas de inserirem listas de material escolar qualquer item de uso coletivo, nota-se que, apesar da redução por parte da maioria das escolas nesse excesso, ainda existe muita resistência na adequação à lei. Existem escolas que, mesmo sendo evidentemente proibidas, ainda cobram dos pais o pagamento de taxas de material escolar, o que caracteriza abuso ao consumidor. Anteriormente, além da taxa para suposto material do ano letivo, também exigiam a compra de material de uso individual para cada aluno. Uma incoerência!

Outra recomendação vai aos pais que têm filhos nas creches, berçários, posto que a grande maioria desses estabelecimentos agem como se a lei não se aplicasse aos mesmos, o que não é verdade, e devem tais estabelecimentos seguir os ditames da lei no que refere ao material escolar.

Infelizmente, apesar da melhora, os pais devem agir com muita atenção e cautela, exigindo o reconhecimento deste direito e não aceitando tais abusos. Assim, a recomendação é denunciar se a escola agir de forma em desacordo com a lei.

Tal conduta acima mencionada, se exercida pela grande maioria dos pais, contribuirá para adequação das escolas para que estas aprendam a seguir a legislação. Então a dica e questionar!

Por fim, cabe ainda reforçar quanto à proibição da exigência da compra de material no próprio estabelecimento, bem como de restrição de marcas ou local para a compra. E ainda quanto à determinação de uniforme a ser usado pelos alunos, sendo que para tanto devem considerar a situação econômica da família, entre outros fatores.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

COMANDO DO LEGISLATIVO | 18/12/2014, 22h:02 - Atualizado: 18/12/2014, 22h:38

Sob Taques, surge chapa Emanuel-Botelho com chances de bater a dupla Maluf-Savi

Governador eleito não comparece a jantar promovido pelo tucano


emanuel pinheiro

Emanuel Pinheiro lidera chapa...

botelho 150 mesa

...com Eduardo Botelho, do PSB

Surge com força uma nova articulação e já com chances reais de surpreender a chapa Maluf-Savi e vencer a Mesa Diretora da Assembleia.

Tem como opção para presidente o deputado reeleito Emanuel Pinheiro, do PR e da base do governo Silval Barbosa, e como primeiro-secretário o eleito para primeiro mandato, empresário Eduardo Botelho, do PSB do prefeito cuiabano Mauro Mendes e integrante do bloco de Pedro Taques (PDT), governador a partir de 1º de janeiro. A dupla avança nas articulações.

Emanuel e Botelho tentam "abocanhar" os dois cargos mais importante da Mesa, que controla duodécimo mensal superior a R$ 20 milhões. O trunfo da nova dupla é o apoio do futuro chefe do Executivo, amarrado ao discurso de renovação. E já contabiliza, ao menos nos bastidores, apoio da maioria dos 24 futuros parlamentares.

Considerando a divisão de palanque que saiu das urnas, a Assembleia, em tese, se dividiria a partir da nova legislatura entre 11 governistas e 13 oposicionistas. Mas, com o peso da máquina e da caneta, como de praxe, o governador acaba atraindo naturalmente adesão de grande parte daqueles que seriam da oposição. Eventual interferência do Executivo na eleição do Legislativo representa empurrão decisivo à vitória.

Tanto a dupla Maluf-Savi quanto Emanuel-Botelho buscam votos de todos os grupos. Nessas articulações, eles não fazem tanta distinção de quem será oposição ou situacionista.

Taques e apoio

Taques não compareceu a um jantar nesta quinta que Guilherme Maluf (PSDB), até agora considerado o favorito à disputa da presidência, promoveu com o seu grupo. É mais um sinal de que o pedetista está pulando do barco do tucano. Aliás, Taques já havia demonstrado descontentamento com Maluf por este ter declarado voto à indicação de Janete Riva para o cargo de conselheira do TCE, o que só não aconteceu por reação e interferência de entidades e do Ministério Público e por decisão da Justiça. 

Maluf havia formado chapa já com quatro nomes. Além dele, manteria Romoaldo Júnior (PMDB) como primeiro-vice e Savi como primeiro-secretário. O então reeleito Walter Rabello (PSD), que morreu no último dia 10, também seria contemplado na Mesa. Mas, em meio a mudanças, interferência de Taques e por causa do surgimento de outra chapa, o bloco de Maluf pode começar a se “dissolver”. A eleição só acontece em 1º de fevereiro.

Postar um novo comentário

RETRATO DA NOVA LEGISLATURA | 18/12/2014, 09h:21 - Atualizado: 18/12/2014, 09h:36

Cáceres retoma assento na AL; Cuiabá e Rondonópolis dividem a maior bancada


Após duas décadas, Cáceres volta a ter representante na Assembleia. O médico Leonardo Albuquerque, derrotado a prefeito em 2012 pelo empresário Francis Maris por uma diferença de apenas 312 votos, teve a recompensa eleitoral neste ano. Com 34.753 votos, ele conquistou vaga de deputado, após ter trocado o PSD pelo PDT. O último cacerense a exercer mandato de estadual foi Zé Lacerda, no final da década de 80.

Aliás, a região Oeste, com Cáceres como pólo e composta por outros 20 municípios, viverá um novo momento político a partir de 2015. Se libertou da era Pedro Henry, que cumpre pena em regime semiaberto por envolvimento no escândalo do mensalão. Além de Leonardo, a região passa a contar no Legislativo mato-grossense com o policial civil e ex-vereador por Pontes e Lacerda, Wancley de Carvalho (PV). E ainda elegeu Ezequiel Fonseca, ex-prefeito de Reserva do Cabaçal, para a cadeira de deputado federal.

Os três (Leonardo, Wancley e Ezequiel) pertencem ao grupo político do governador eleito Pedro Taques. Isso cria boas expectativas à região, uma das que mais cobram projetos e investimentos, especialmente em infraestrutura. 

Mário Okamura/Rdnews

regioes deputados al representacao

Maiores bancadas na AL, considerando o município de cada deputado, são de Cuiabá e Rondonópolis

Considerando os 24 que tomam posse em 1º de fevereiro na Assembleia, Cuiabá, que perdeu a representação do então reeleito Walter Rabello, falecido no último dia 10, terá quatro deputados, a mesma bancada de Rondonópolis. A Capital contará com o empresário Eduardo Botelho (PSB), com o ex-prefeito Wilson Santos (PSDB), e com os reeleitos Emanuel Pinheiro (PR) e Guilherme Maluf. Rondonópolis tem os reeleitos Ondanir Bortolini, o Nininho, e Sebastião Rezende (ambos do PR), além de Zé do Pátio (Solidariedade) e de Gilmar Fabris (PSD).

Sinop terá três porta-vozes, sendo eles o eleito Silvano Amaral (PMDB) e os reeleitos Baiano Filho (PMDB) e Dilmar Dal Bosco (DEM). Sorriso, Juara e Tangará da Serra terão dois parlamentares. Como vozes de Sorriso foram reeleitos Mauro Savi (PR) e Zé Domingos. Curiosamente, de Juara, hoje representada por José Riva e Luciane Bezerra, passam a atuar na Assembleia Janaína Riva, filha do deputado Riva, e Oscar Bezerra, marido de Luciane. 

Sete municípios de diferentes regionais vão ter um representante. Várzea Grande elegeu Pery Taboreli (PV). Alta Floresta, no Nortão, segue com Romoaldo Júnior (PMDB), assim como Guarantã do Norte com Pedro Satélite (PSD) e Primavera do Leste com Zeca Viana (PDT).

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Andre | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 18h34
    1
    0

    OHH DEPUTADOS DE RONDONOPOLIS, POR FAVOR TRABALHEM PARA TRAZER A UNEMAT PARA CÁ!!! PASSOU DA HORA!!!!

| 18/12/2014, 00h:00 - Atualizado: 18/12/2014, 08h:28

A importância dos rituais da vida


maria rita colunista

Maria Rita

Eu não pensava em me casar. A ideia de ter um marido, uma família e a casa de cerquinha branca sempre me arrepiavam. Para evitar incorrer em tal erro e garantir a eterna solteirice evitava a todo custo dar três beijinhos ao cumprimentar alguém. Curtia que varressem meu pé e também abria guarda-chuva dentro de casa. Tudo para me certificar de que o plano não iria mudar. Eu queria apenas viver a vida sem ficar noiva, casar, ter filhos e o roteiro já armado para toda menina que nasce.

Eu cresci e a ideia de não casar continuou a me acompanhar. Mas eis que aos 27 anos conheci um cara que simplesmente me fez jogar o roteiro as avessas pela janela. Depois de poucas semanas juntos já sabia que queria passar o resto da vida ao lado dele. Mas eis que tive a lucidez de não pular nenhuma etapa do clássico envolvimento emocional. Ficamos noivos em três meses de namoro. Ele com a aliança pediu minha mão na frente da família e amigos mais próximos. Brindamos. Depois de mais quatro meses nos casamos. Com vestido de noiva, véu, madrinhas, padrinhos, aquele bolão, padre e tudo o que cabe num momento como este.

Esta semana meu filho de seis anos formou-se na educação infantil. A escola solicitou que para a formatura os meninos fossem vestidos com terno e gravata. A princípio, achei um pouco demais. Ele é tão pequeno, será que é o caso de usar uma roupa tão formal? Acatamos a orientação e fomos a uma loja providenciar o terno. O pequeno experimentou a roupa e ficou muito empolgado.

Chegado o momento de ir para a formatura, ele se vestiu e disse todo orgulhoso "estou parecendo um presidente!". Chegado o momento da cerimônia a turma tinha orador e prestou juramento. Foi uma surpresa a seriedade com que ele encarou o momento. Até por que ao longo de seu pequeno repertório de vida aquela formatura foi seu auge acadêmico.

Como a vida nos faz rever os conceitos. Nos coloca em situações onde a reflexão permite que ampliemos nossos horizontes. Eu sempre achei tão careta qualquer tipo de ritual e ao longo da minha própria vida tenho vibrado com cada um deles. As cerimônias, as festas e as situações típicas de cada etapa da vida, do ano e assim por diante merecem ser celebradas. E isso independe de orientação sexual, ideologia ou religião.  Agora está chegando o período de festas. O clássico peru, o almoço de natal com a família. Aquele prato especial que só a vovó sabe fazer devem ser saboreados. Aproveite este período para refletir sobre o que te faz feliz e celebre. Até porque desta vida só levamos as lembranças.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Ademar Adams | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 10h48
    1
    0

    Lindo texto Maria Rita. Parabéns!

| 17/12/2014, 00h:37 - Atualizado: 17/12/2014, 01h:00

Riva "ferra" com governo Taques com lei que leva 50% do Fethab para municípios


Em meio aos embates políticos e jurídicos com Pedro Taques, José Riva conseguiu, senão vencer uma, ao menos complicar a vida administrativa do pedetista, que toma posse como governador em 1º de janeiro. O deputado foi o autor do projeto que virou lei, garantindo transferência de 50% da arrecadação do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) para os municípios. E essa divisão do bolo foi, propositalmente, programada para valer na prática a partir do próximo mês.

Com isso, a gestão Taques já começa combalida financeiramente. Precisa fazer ajustes porque enfrentará redução de aproximadamente R$ 260 milhões no caixa no primeiro ano de mandato. Esse dinheiro, que deve representar metade do que se arrecada com Fethab, deve ser dividido entre os 141 municípios, com vistas a recuperar e fazer manutenção de estradas. O critério de rateio se baseia em número de rodovias estaduais e vicinais que cortam cada município, no IDH, na população e no percentual local recolhido pelo Fethab.

riva taques fethab

Deputado José Riva emplaca projeto que virou lei, garantindo 50% da arrecadação do Fethab aos municípios e começa a valer já a partir do Governo Pedro Taques, cuja impacto supera R$ 250 milhões

De um lado, Riva agradou as prefeituras, inclusive carregando o carimbo de parlamentar municipalista. Mas “ferrou” com o futuro governador, que enfrentará dificuldades para fazer investimentos. É com o dinheiro do Fethab que o Estado programa construção de unidades habitacionais, pavimentação e recuperação de rodovias. Agora ficará sem metade desse montante. 

Numa sintonia com o governador Silval Barbosa, que sancionou a lei, Riva apresentou o projeto 261 no ano passado. E mobilizou prefeitos e colegas parlamentares até conseguir alterar a Lei 7.263, que criou o Fethab na época do governo Dante de Oliveira. O Fundo incide sobre cobrança de ICMS no transporte de soja, de gado em pé, de madeira e de algodão.  “Engorda” o caixa do Estado em cerca de R$ 700 milhões por ano.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • David Luis | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 05h46
    6
    3

    Aí está a prova concreta de que esse senhor não que o bem de Mato Grosso. Só quer mesmo é "ferrar" a sua gente, como fez durante toda sua carreira na vida pública. Não quer largar o osso de jeito nenhum e está fazendo de tudo para continuar no poder.

  • Júlio | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 05h43
    0
    0

    Júlio , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Mane | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 16h27
    8
    11

    Mais uma ¨acertada¨do Riva!!! Parabéns!!!

  • carlos cross | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 14h51
    13
    5

    FERRA ELE MESMO. TA ESPERNEANDO MAS NAO TEM MAIS JEITO. FOOOOOORRRRA

  • JOSE ROBERTO | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 13h55
    14
    0

    Os problemas estão nos municípios, são dos prefeitos que a população cobra, pois para a população todas as estradas dentro dos limites do município são responsabilidades dos prefeitos que acabam por acatarem e recuperá-las mesmo sendo incumbência do Estado. Acho que isso é pouco, tínhamos que revermos alguns outros impostos que pagamos e do dinheiro vai para estados e união e de lá tomam "sentido ignorado".

  • Edivaldo Moreira | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 13h45
    11
    2

    Olha, se o novo governo olhar com bons olhos essa Lei, verá que o Estado não vai se ferrar, como diz a matéria, pois, apesar de perder metade do recurso do Fetahb, vai diminuir, consideravelmente, o número de prefeitos e vereadores solicitando recurso para asfalto e casas. Tomara que a nova gestão não queira mexer nessa lei que vai ser um dos principais recurso de investimento dos 141 prefeitura do Estado de Mato Grosso.

  • Kaique Ferreira | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 10h45
    13
    3

    O governador Pedro Taques já ensaia através de secretários indicados a derrubada dessa lei que vai beneficiar enormemente os municípios de Mato Grosso. Na campanha assumiu compromisso de manter o repasse do FETHAB. Vamos ver agora o que vai fazer. Seria uma sacanagem tentar derrubar isso agora através da Assembleia. Vamos ver o tamanho da subserviência desta assembleia que irá assumir. Estamos de olho!

  • sidney carvalho | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 10h26
    12
    10

    Quero parabenizar o deputado riva pelo projeto que viro lei muitas prefeitura estão quebrada com essa fatia do fetbab vai ajudar muitas prefeitura principalmente As do interior várzea grande está muito precisanso

  • Joacir | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 10h07
    1
    2

    Joacir, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • aguinaldo | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 08h26
    15
    10

    O dep.Riva não ferrou,essa lei vem pra realmente resolver o problema de quem paga o imposto e não tem o retorno merecido, pois não temos estradas para o produtor q paga o imposto. Enquanto o imposto é desviado para outros fins. Só espero q realmente que seja cumprida a lei e que nós do interior tenhamos uma pouco mas d conforto com estradas dignas.

| 16/12/2014, 10h:40 - Atualizado: 16/12/2014, 10h:53

AL inaugura dia 22 maior teatro do Estado


O deputado José Riva quer encerrar o ciclo de 20 anos com os pés fincados na Assembleia inaugurando o maior teatro do Estado. Edificado ao lado do prédio da Assembleia, o Teatro do Cerrado está pronto. É imponente e moderno. Como parte do complexo da obra, falta apenas a conclusão do estacionamento, com três pisos e que terá capacidade para 540 veículos. Riva pretende fazer a inauguração, ao menos do teatro, na próxima segunda (22), já na última semana das atividades parlamentares antes das férias. Embora o atual mandato só termine em 31 de janeiro, os deputados que não farão parte da nova legislatura começam a limpar as gavetas. E um deles é Riva.

O valor da obra não é revelado oficialmente. Uns calculam em R$ 8 milhões. Outros acreditam que passará dos R$ 30 milhões. Nem a comissão de fiscalização de Obras da Assembleia sabe ao certo o custo. A Mesa Diretora argumenta que no pacote não entra apenas o teatro, mas também o estacionamento e a reforma nos gabinetes parlamentares, que foram ampliados de 100 para 150 metros quadrados. 

Fotos: Maurício Barbant/AL

teatro da al

O Teatro do Cerrado, prestes a ser inaugurado, tem na parte central 3 elevadores e capacidade para acomodar 770 pessoas sentadas; é o maior do Estado, superando o Cine Teatro Cuiabá e o da UFMT

Com a parte central com três elevadores, o teatro tem capacidade para 770 pessoas sentadas, sendo 500 na parte de baixo e 270 no piso superior.  É maior do que o Cine Teatro Cuiabá, com 600 lugares, e o da UFMT, com 516 cadeiras. Devido à versatilidade, a casa poderá sediar diversas atividades, além das peças, como musicais, apresentações de dança, exposições, desfiles de moda e eventos corporativos. A própria AL deve recorrer ao espaço para realizar audiências públicas, conferências e solenidades.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • ines martins | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 17h11
    3
    5

    Achei maravilhoso, Mato Grosso precisava de um teatro a altura do que é o nosso Estado. Vou frequentá-lo, de alguma forma sou também ligada a cultura. Portanto, fiquei sem entender por que foi a ASSEMBLEIA a construi-lo, pois na minha relativa ignorância sempre achei, que um poder legisla e outro executa.Então, que caberia ao estado construir o seu teatro Municipal, que sempre foi um grande desejo dos agentes culturais. Que fique a lição, se um não faz, o outro faz... enfim, ganhamos um lindo teatro.

| 16/12/2014, 00h:00 - Atualizado: 16/12/2014, 00h:02

Para cada ganho há uma perda

olga_artigo_domingo

Olga Lustosa

Uma jovem de nacionalidade holandesa passou as férias viajando pela Ásia e documentou todos os momentos da viagem através das mídias sociais. Ela posou para fotos saboreando comidas típicas em restaurantes tradicionais, mergulhou em águas azuis entre peixes coloridos e visitou belos templos budistas na Tailândia. Férias perfeita, assim parece! Só que na realidade Zilla não saiu de Amsterdam, sua cidade natal.

Todos os cenários foram planejados com riqueza de detalhes, montagens e photoshop, justamente para enganar a todos e comprovar como é fácil manipular a atenção das pessoas e estabelecer como verdade o mundo online que orgulhosamente exibimos. O mergulho na água azul foi retratado com câmera especial numa piscina pública, os peixes foram adicionados pelo photoshop, um restaurante local colaborou com a experiência preparando os pratos e no próprio quarto, a jovem montava os apartamentos dos hotéis, com decoração oriental.

Viu só? É plenamente possível construir uma identidade falsa e disseminá-la para satisfazer as necessidades da cultura em particular exibicionista e vazia em significado e satisfação. A dependência cega da mídia para ler sobre a vida dos outros fornece alimento para reforçar a identidade que queremos exteriorizar, seja ela verdadeira ou não. Há uma grande diferença entre registrar a vida e compartilhar com amigos e familiares e exibir-se diante de uma câmera gigantesca que gira ávida para controlar a vida alheia. É certo que não mais podemos viver como estranhos, cabe-nos então, compreender e ajustar esse mundo emergente e acelerado que marca a contemporaneidade e transitar entre a confiança e a reserva.

Se há necessidade de ganhar o amor e aprovação, de ser valorizado não é neste espaço que o afeto vai se manifestar. No mundo virtual sobrevive sem machucar-se quem tem maturidade para suportar o fascínio das mensagens implacáveis de galanteios e do patrulhamento político. No meu entendimento, o mundo online favorece as relações sólidas já existentes, e abre, com racionalidade, algumas possibilidades de construção de relacionamentos novos e saudáveis. Há evidências da influência positiva do mundo digital no desenvolvimento das pessoas e na construção da autoestima, no aprimoramento das habilidades sociais, permitindo certa expansão na interação de pessoas tímidas.

Depois de certo tempo de compartilhamento da identidade, tornamo-nos todos pessoas públicas e torna-se impossível apagar as evidências da nossa existência neste belo mundo real. Considere não se expor em demasia, estabelecer filtros razoáveis e mais do que tudo, comunicar-se com mensagens a partir do mundo real, lembrando-se que as fotos tem uma relação ambígua com a realidade e é uma batalha fazer o objeto fotografado o mais bonito possível e retratar a verdade.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

Postar um novo comentário

| 15/12/2014, 22h:54 - Atualizado: 15/12/2014, 23h:10

Mesmo sob protesto, Janete vai para TCE; aprovação será em sabatina "relâmpago"


Mesmo sob protestos paralelos, a Assembleia vai mesmo aprovar o nome de Janete Riva para o cobiçado cargo de conselheira do Tribunal de Contas do Estado. Ela se tornará a primeira mulher a integrar o Pleno e também a única sem curso superior. Com prerrogativa de desembargadora do Tribunal de Justiça, vai atuar no julgamento das contas de agentes públicos das esferas municipal e estadual, de órgãos vinculados, de entidades e associações.

Este Blog levantou que, sob orientação do deputado José Riva, esposa da indicada, a Mesa Diretora programa um rito “relâmpago”. Outras indicações serão “patroladas”, como do deputado Zé Domingos e do já conselheiro substituto Luiz Carlos Pereira. A proposta passa pelas comissões, especialmente pela de Constituição, Justiça e Redação, presidida pelo petista Alexandre Cesar e que tem como integrantes Sebastião Rezende, Dilmar Dal Bosco e Emanuel Pinheiro. O vice-presidente da CCJ era Walter Rabello, que faleceu na semana passada. A maioria dos membros tende a aprovar o parecer.

Na sessão vespertina desta terça, a Mesa convoca, então, Janete para a sabatina. Como já está tudo combinado entre a maioria dos parlamentares, poucos vão levantar questionamentos. A estratégia é não deixá-la em saia justa. 

Janete se apresenta, conta sua experiência de vida e profissional, discorre sobre atribuições do cargo de conselheira, colocando-se como preparada, competente e dentro dos requisitos para ocupar o posto vitalício. E, ao final, será chancelada pela maioria. Em seguida, o processo “voa” numa distância de 300 metros até chegar à mesa do governador Silval Barbosa, no Palácio Paiaguás, para sacramentar a nomeação.

Maurício Barbant/AL

janete riva jose riva

Sob articulação do marido e deputado José Riva, Janete vai passar pela sabatina da Assembleia nesta terça e se tornará primeira mulher conselheira e também única sem curso superior no Pleno do TCE

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • ANTONIO MARCOS | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 10h50
    5
    1

    ESSES SÃO OS DEPUTADOS QUE O POVO ELEGEU E QUE ESTÁ NOMEANDO A SRA. JANETE..PARABENS POVO MATOGROSSENSE

  • Jairo Oliveira | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 10h40
    1
    7

    E o Lula tinha alguma formação superior? Apesar disso foi o melhor presidente do Brasil, especialmente para os PeTistas!!

  • Dani | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 10h21
    4
    0

    A Lei pode ser descumprida e ignorada quando não atende aos anseios de um determinado grupo? O sistema e critérios de escolha dos conselheiros membros do TCE foi criado pela Emenda Constitucional 06/93, ou seja, a 21 anos atrás e nunca foi motivo de questionamentos ou manifestos pelas pessoas, associações e entidades que a questionam atualmente. Será que eles não tinham conhecimento da lei que regulamenta e disciplina esse processo? Todos conselheiros do TCE foram escolhidos respeitando e cumprindo rigorosamente essa mesma lei, questionar a escolha de um novo conselheiro por esse sistema seria o mesmo que questionar a indicação de todos os membros titulares daquela corte. Não só o Tribunal de Contas, mas cada conselheiro deveria se manifestar e informar à sociedade se a indicação da Assembleia Legislativa é lícita ou não, se está obedecendo a mesma lei pela qual os atuais conselheiros foram escolhidos, pois cada conselheiro do TCE foi indicado pelo governo, Ministério Público e Assembleia Legislativa. Portando se querem fazer manifestos, que os façam também contra os atuais conselheiros, pois ascenderam ao cargo obedecendo rigorosamente a Constituição Estadual Art. 49, parágrafo 2º pela qual a Assembleia Legislativa está indicando a nova conselheira. Constituição Estadual do Estado de Mato Grosso Art. 49 ... "§ 2º Os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado serão escolhidos:15 I – três pelo Governador do Estado, com aprovação da Assembleia Legislativa, sendo um da sua livre escolha e dois, alternadamente, dentre auditores e membros do Ministério Público junto ao Tribunal, indicados em lista tríplice pelo Tribunal, segundo os critérios de antiguidade e merecimento; (EC n.º 06/93) II – quatro pela Assembleia Legislativa. (EC n.º 06/93)"

  • EDU | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 10h20
    5
    6

    PARABENIZO A INDICAÇÃO DE JANETE COMO CONSELHEIRA,TEM CAPACIDADE SIM PARA EXERCER O CARGO DE CONSELHEIRA,EXERCEU OS CARGOS DE PRIMEIRA DA DO MUNICIPIO DE JUARA,VARIAS VEZES OCUPOU O CASA DA MULHER DA ASSEMBLEIA E SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO,SABE MUITO BEM TRATAR LIDAR COM O SER HUMANO,É EXTREMAMENTE COMPETENTE E SEM DUVIDA DEMONSTRARÁ SUA CAPACIDADE E SENSIBILIDADE COMO A PRIMEIRA MULHER CONSELHEIRA.QUEM VIVER VERÁS.

  • jaber | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 10h03
    9
    3

    cadê o NOTÓRIO conhecimento jurídico, contábil, etc (inciso III do artigo 73 da Constituição Federal)....???? a mulher só tem nível médio!!!!! meu Deus, a monarquia não acabou em 1889.....

  • Renato | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 09h32
    5
    1

    Será que esta sabatina será aberta ao publico para sabermos como sera este questionamento a sra. Riva, pra que saibamos se realmente a mesma tem conhecimento da causa, para ser conselheira do TCU, ou será pergunta tipo: "No cafezinho servido nas instituições publicas se usa açúcar ou adoçante?"

  • João Edson Fanaia | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 09h18
    6
    1

    E a meritocracia? Conhecimento técnico dos processos a serem analisados, formação intelectual compatível com cargo de tamanha responsabilidade, ou seja, o mínimo exigido. Estas questões são apenas detalhes sem a menor importância. DEFINITIVAMENTE NÃO É ESTA A REPÚBLICA DOS NOSSOS SONHOS. VIVA O CETICISMO!!!!

  • Carlos | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 08h44
    0
    1

    Carlos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Anderson | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 08h42
    1
    0

    Anderson, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Carlos | Terça-Feira, 16 de Dezembro de 2014, 08h41
    3
    1

    Realmente a questao tem relevancia politica, mas tem respaldo juridico para poder intervir e evitar absurdos. Uma decepção juridico-cientifica o argumento do Magistrado. Triste ver a miopia judicial em um caso referencial e de notoria repercussão social. Além do aspecto tecnico de nomear alguem desqualificado e sem atributos para o exercicio de tao nobre funcao de Conselheiro, o exemplo d a atitude do Poder Legislativo não traduz um padrão etico moralizador mínimo almejado pela sociedade. Ademais, o TCE é orgao fiscalizador guardiao dos principios da Administraçào pública. Triste ver o Brasil, num período democratico, com tanto cinismo e deboche com a Republica, a coisa pública.

| 15/12/2014, 10h:52 - Atualizado: 15/12/2014, 12h:12

Com poucas mudanças, Mauro redefine o 1º escalão; Kleber assume supersecretaria

Henrique na Ordem Pública; Máximo e Lamartine na lista de cortes


Após aval da Câmara Municipal na implantação de uma profunda reforma administrativa, com extinção de sete secretarias (de 24 para 17), da Fundação Educacional de Cuiabá (Funec) e do Instituto de Previdência dos Servidores (Cuiabá-Prev) e ainda corte de 500 cargos comissionados, o prefeito Mauro Mendes começa a recompor o quadro de secretários. Cada membro do staff ganha R$ 10,4 mil. Adjunto tem subsídio de R$ 8,9 mil.

Deve anunciar nesta terça quem permanece no primeiro escalão. Para evitar "vazamento", o prefeito alertou assessores que vão continuar na equipe a manterem sigilo. Este Blog apurou que muitos já estão confirmados dentro da nova estrutura.

kleber lima

Jornalista Kleber Lima vai assumir Governo e Comunicação 

O jornalista Kleber Lima, por exemplo, passa a conduzir a superpasta de Governo e Comunicação Social, que terá agora 72 cargos DAS, entre eles 4 adjuntos, 5 diretores e 42 assessores. Gilberto Figueiredo continua na Educação, assim como Rogério Gallo na Procuradoria-Geral e Marcelo Bussiki na Controladoria-Geral.

Fontes revelam que José Rodrigues também será mantido na Assistência Social e Desenvolvimento Humano, assim como o cantor Beto Machado na secretaria que agrega Cultura, Esporte e Turismo; Suelme Evangelista na Habitação e Regularização Fundiária; Marcelo de Oliveira, o Padeiro, em Obras Públicas, e José Roberto Stopa no Serviços Urbanos.

Pode haver mudança de comando no Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano. Comenta-se que devem "cair" os secretários Antonio Máximo e Lamartine Godoy. O prefeito pretende nomear um promotor de Justiça para este cargo, cujo nome mantém sob segredo. Domigos Sávio, que foi promovido de promotor para procurador de Justiça, foi sondado para o cargo, mas, devido à promoção, tende a decliná-lo. O coronel Henrique Eduardo Souza é cotado para Ordem Pública. A situação de Werley Peres na Saúde é uma incógnita. Uns acreditam que Mauro o manterá, enquanto outros apostam em substituição, inclusive pelo ex-secretário Luiz Soares.

Postar um novo comentário

| 15/12/2014, 00h:00 - Atualizado: 14/12/2014, 23h:27

Chuvas e paixões

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Química, física, biologia. De algum modo as coisas se repetem de forma inexorável. Átomos de hidrogênio e oxigênio numa geometria de equilíbrio se unem para formar água. Se esta atração ocorre no nível das nuvens, pode ocorrer a precipitação de gotas de água, daí a chuva. Com seres humanos, uma tempestade bioquímica com dopamina, noradrenalina e serotonina precipita paixões avassaladoras.

Tal qual a facilidade de olhar o céu e constatar a possibilidade da chuva, é a de observar o homem e mulher tomados de paixão. O tom crescente cinza nas nuvens e a evaporação intensa de superfícies de água sinalizam a chuva. A curvatura do corpo em direção ao outro, a mão no queixo e o olhar fixo na imagem alheia, são precipitação de paixão.

Quando chove, gotas pequenas crescem por difusão de água, esbarram umas nas outras em suas trajetórias, até que se inicia a queda. Pode ser que a chuva chegue à superfície, mas algumas se evaporam e retomam seu caminho de volta à nuvem. Um caminho acompanhado minuciosamente pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Quando homens e mulheres se apaixonam, fato que ocorre em um quinto de segundo, conforme estudo da professora Stephanie Ortigue (Syracuse University EUA), a sensação é semelhante a de algumas drogas, como a cocaína. Existe uma liberação contínua de dopamina e noradrenalina que causam a taquicardia e o "frio na barriga".

A chuva está associada a diferentes situações, como aquelas causadas pelo encontro de uma massa fria com outra quente; como a provocada pela intensa evapotranspiração (a chuva de verão); ou ainda, a chuva de serra, que ocorrem naquelas barreiras naturais, como montanhas, encostas de mar. Na paixão, a tempestade bioquímica, o índice de serotonina baixa ao nível próximo do portador de transtorno obessessivo-compulsivo (TOC), e seu pensamento se fixa naquela pessoa sem que se possa exercer qualquer tipo de controle. Aqui a situação é a perda completa da razão, sem sentir o frio, o quente ou a transpiração.

Por fim, o impacto. Pesquisadores afirmam que o efeito das chuvas sobre o planeta é dramático, todos os seres vivos existentes precisam da água para sua sobrevivência. E não dá para afirmar o contrário em relação à paixão, um evento que ocorre em um quinto de segundo, com uma tempestade bioquímica em seu organismo e que te faz perder a razão, é, no mínimo, dramático!

Chuvas, paixões, fenômenos da vida. No conceito, na forma, no procedimento e no impacto, semelhantes. Chuvas que trazem a doce lembrança de paixões. Paixões vividas nos dias de chuva. Química, física, biologia que explicam essas leis de atração, mas não substituem a necessidade das chuvas e paixões.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

| 14/12/2014, 23h:03 - Atualizado: 14/12/2014, 23h:20

Após muito porrete, governador e prefeito inauguram hoje hospital regional de Sinop


Thiago Valeriano

hospital regional de sinop

Camas e equipamentos, como aparelhos de anestesia e para UTIs chegaram no hospital na última 6ª

Prestes a sair da cadeira de governador, Silval Barbosa decide pagar uma dívida com a população de Sinop. Inaugura o hospital regional, em ato nesta segunda à noite. Pacientes do SUS de toda região Norte, principal base eleitoral do peemedebista que começou na vida  pública como prefeito de Matupá, não suportam mais tanto sofrimento.

O prédio foi inaugurado pela Prefeitura de Sinop, em 2008, com mais de 70 leitos. Em 2011, Silval absorveu a unidade como de responsabilidade do Estado e, um ano depois, transferiu o gerenciamento para a OSS Fundação Santo Antônio. Mesmo com investimentos de R$ 10 milhões do governo federal, especialmente na compra de equipamentos, e passando por constantes reformas, o hospital regional não tem conseguido atender a demanda. Vários setores ficaram mais fechados do que em funcionamento. Faltam medicamento e médicos.

Mayke Toscano

juarez silval

Prefeito Juarez Costa e governador Silval Barbosa foram bastante criticados pela inoperância do hospital regional

A inoperância da unidade trouxe desgaste tanto para o prefeito quanto para o governador. De tanto “apanhar” na região, Silval determinou intervenção administrativa, tirando autonomia da OSS na gestão do hospital. Agora, a duas semanas de entregar o cargo, volta a Sinop para inaugurar a unidade. 

Vários equipamentos foram adquiridos para esta nova fase de funcionamento do hospital, como aparelhos de anestesia, equipamentos para UTIs adulto e infantil e dois novos geradores de energia. Camas também chegaram na última sexta numa frota de caminhões. Funcionários passaram o final de semana na montagem dos equipamentos para a inauguração. O hospital passa a contar com 10 leitos de UTI adulta, 5 de estabilização e com um quadro com cerca de 200 profissionais. Mesmo de última hora, Silval consegue entregar o hospital funcionando ao sucessor Pedro Taques.

Postar um novo comentário

| 14/12/2014, 00h:05 - Atualizado: 14/12/2014, 00h:20

Maluf vota com Janete, contraria Taques e pode perder eleição à presidência da AL


Maurício Barbant/AL

guilherme maluf

Guilherme Maluf (à esq., logo atrás de Teté Bezerra), durante a sessão extraordinária da AL na sexta

Guilherme Maluf foi um dos 15 deputados que, na última sexta, votaram pela indicação de Janete Riva ao cargo vitalício de conselheira do Tribunal de Contas do Estado, o que surpreendeu e trouxe contrariedade ao governador eleito Pedro Taques. A sabatina será na próxima terça, sob um clima tenso. É que o nome da esposa do deputado José Riva enfrenta resistências. Alguns segmentos protestam. Argumentam que a ex-secretária estadual de Cultura e candidata derrotada ao governo não preenche os requisitos legais para o cargo, como notório saber jurídico e reputação ilibada e só possui o ensino médio e está sendo apoiada politicamente, sem embasamento técnico.

O posicionamento de Maluf contraria o governador eleito Pedro Taques, de cujo grupo político o tucano faz parte. O deputado ficou numa saia justa porque recebeu pedido para votar em Janete do próprio Riva, que o ajuda nas articulações de bastidores para conseguir o comando da Assembleia. Aliás, foi graças a Riva que a chapa com Maluf presidente, Romoaldo Júnior de vice e Mauro Savi de primeiro-secretário conseguiu avançar e conta hoje com a maioria dos votos dos 24 deputados. A eleição à Mesa acontece em 1º de fevereiro, minutos depois da posse dos que vão atuar na próxima legislatura.

Aliados de Taques disseram que ele ficou contrariado ao saber que Maluf deu aval à indicação de Janete. Em manifestação pública, Taques considerou absurda a indicação da filiada ao PSD e que foi sua adversária política. E, sobre Maluf, comentou a aliados próximos que o tucano traiu o grupo. O governador pedetista pensa até em interferir na disputa pela Mesa, o que pode dificultar a eleição de Maluf. Podem surgir outras alternativas, além das candidaturas dos governistas Eduardo Botelho (PSB) e Zeca Viana (PDT).

Como foi a votação

Este Blog apurou que os cinco que se opuseram ao nome de Janete, optando por votar em Zé Domingos, foram Airton Português (PSD), Luiz Marinho (PTB), Luciane Bezerra (PSB), Emanuel Pinheiro (PR) e  o próprio Domingos.

Quatro faltaram ou, de última hora, resolveram se ausentar do plenário: Zeca, Ezequiel Fonseca (PP), Dilmar Dal Bosco (DEM) e Alexandre Cesar (PT).

Já os que deram voto à Janete foram João Malheiros, Wagner Ramos, Sebastião Rezende, Mauro Savi, Jota Barreto e Ondanir Bortolini, o Nininho (os 6 do PR), Ademir Brunetto (PT), Romoaldo Júnior, Teté Bezerra e Baiano Filho (os três do PMDB), Antonio Azambuja (PP), assim como José Riva, Pedro Satélite e Gilmar Fabris (os três do PSD) e ainda Maluf.

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Kaique Ferreira | Quarta-Feira, 17 de Dezembro de 2014, 10h51
    1
    2

    Esse Maluf é da panelinha antiga da Assembleia. Agora com as bênçãos do Grupo Taques quer assumir a Assembleia mancomunado com esse Mauro Savi outro "rivista" de carteirinha. Vamos esperar que outros candidatos se posicionem e mudem o perfil da Mesa da Assembleia. Chega de corrupção nas barbas das autoridades!!

  • José Dias | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 11h18
    1
    0

    Romilson essa conta não fecha. O Zé Domingos votou nele e Fabris votou na Janete, quem está Deputado é o Zé Domingos, portanto o Fabris não vota, e faltou dizer Luizinho Magalhães esse sim que acho que votou em Janete e não o Fabris.

  • Luís andre | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 22h27
    4
    13

    Acho melhor o Pedro cuidar do governo e não ficar interferindo em indicação de TCE, afinal ele tem mto problema pela frente p resolver.e no meu entender ele não tem nada de interferir em decisão de nenhum deputado.....

  • jose carlos lopes | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 21h42
    5
    6

    Já estou de saco cheio com tanta ignorância. Porque não se manifestam contra os corruptos da operação ararath, os grileiros da operação terra prometida, os desvios de dinheiro das obras da copa, contra as obras inacabadas, o custo da campanha eleitoral do governador eleito. Porque não se manifestam contra o aumento da violência, o enriquecimento ilícito dos que sonegam através de cooperativas. Porque não se manifestam contra aqueles que tem doação de de campanha feita por indiciados na operação lava jato. Manifestem contra a lavagem de dinheiro, contra a máfia dos combustíveis, contra os deputados eleitos com dinheiro publico, deputados empreiteiros com grandes contratos com o estado e prefeituras. Porque não se manifestam contra novos secretários indicados por financiadores de campanha, secretários inadimplentes com projeto cultural, secretario empresários com contratos milionários junto aos poderes executivos do estado. Protestar com tanta veemência contra uma indicação em órgão acessório. Manifestem-se contra a corrupção na Petrobras, no BNDES, contra os ladroes do PT e contra os condenados já soltos. Por favor, vocês já estão enchendo o saco...

  • walacce | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 21h20
    5
    1

    pedro taques pode tentar interferir na eleiçao da mesa, mais nao consegue mais, haja vista que a oposiçao ja tem 14 deputados e podendo chegar a 15 com o barranco, sendo que o maluf ja fechou com a aoposiçao e sera o proximo presidente da al/mt com as bençãos de RIVA e SILVAL, pois Zé domingos nao vota em mauro savi mais vota no maluf a pedido de riva e com isso ele se torna unanimidade a mesa, maluf presidente, savi 1º secretario e romoaldo junior 1ºvice. E com isso temos PSD 4 VOTOS, PR 5 VOTOS, PMDB 3 VOTOS, SD 1 VOTO E PSDB 1 VOTO DO MALUF, e se o barranco descongelando os votos o PT TEM 1 VOTO, e nao tem mais volta, haja vista que com o pedro taques fazendo um governo tecnico nao ter indicaçao politica a oposiçao, sendo que nao esta liberando cargos nem aos aliados que estiveram com ele na eleiçao e se liberar pra oposiçao so pela mesa da al/mt ai sim e falta de companheirismo com quem o ajudou.

  • Barros | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 18h38
    9
    4

    Senhor Ricardo, ao invés do senhor ficar falando asneiras e claramente estar PUXANDO O SACO da família Riva, vamos nos ater ao assunto em questão e faça uma coisa ÚTIL, exponha quais as qualidades da senhora Janete que atendem as qualificações exigidas por lei para ocupar ao cargo de Conselheiro do TCE-MT.

  • Barros | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 18h20
    7
    3

    Prezado senhor Ricardo, NÃO PERCO O MEU TEMPO para cuidar da vida alheia, muito menos para cuidar da vida de POLÍTICO FICHA SUJA (segundo o TSE), mas pelo jeito é o senhor quem está saindo em defesa do "ficha suja", portanto, ou é igual ele, ou depende dele de alguma forma. Para não ser injusto com o Deputado Riva, conheço alguns assessores dele e admiro muito essas pessoas pelo mesmo motivo que de certa forma admiro o sr. Riva, pois tanto o sr. Riva quanto alguns assessores, tem uma incrível capacidade de lidar com o ser humano, tratam todas as pessoas de forma digna, respeitosa, educada, e vou além, se um dia eles forem apresentados a você uma única vez, o tratarão pelo nome sempre. Concluindo, no aspecto de educação, tratamento com todos (desde o porteiro da AL até um presidente da república) são impecáveis e educadíssimos, mas no caso em questão, estamos falando de política, de idoneidade, honestidade e capacidade profissional para ocupar o cargo de Conselheiro de TCE-MT. No caso, a senhora Janete, de fato não atende requisitos básicos que são exigidos por lei para o cargo de Conselheiro do TCE-MT, segundo informações que constam no TRE, então senhor Ricardo, deixe de ser PUXA SACO e vai se informar antes de falar tanta idiotice. Apesar de tudo, quero declarar aqui o meu grande respeito e admiração pela enorme EDUCAÇÂO e POLIMENTO nas pessoas do senhor José Riva e do senhor Salim (seu assessor). Vamos aprender a separar as coisas...

  • Ricardo | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 13h27
    3
    15

    este barros é mais um que fica de plantao para atacar familia Riva....vao orar pelas autoridades. ..param de apontar....olhem para seu umbigo....Riva tem moral sim....e muito com o povo de MT...Janete tbem....Riva é o politico que mais fez por MT

  • Barros | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 11h41
    17
    5

    Esse seu infeliz e mal escrito texto, sr. ou sra. DU, provam que além de você não saber escrever, também não tem bom senso, não tem integridade e é totalmente conivente com os mal feitos que os políticos corruptos e bandidos de Mato Grosso fizeram até hoje. Totalmente sem noção as suas colocações. Por outro lado, parabéns pela excelente colocação, senhor CUIABANO, em relação às atitudes do senhor Guilherme Maluf, em trair o seu grupo político ao apoiar a candidatura da senhora Janete Riva, afinal, "COMPANHEIRO É COMPANHEIRO, FDP É FDP". Pelo jeito o sr. Maluf não se mostrou companheiro com essa atitude. Cuidado com ele Dr. Pedro Taques.

  • Elifas Ribeiro | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 11h05
    12
    6

    O movimento só quer dar um basta nessa bandalheira, esse conchavos entre al/mt e tce/mt só isso, é pedir demais?

| 14/12/2014, 00h:00 - Atualizado: 14/12/2014, 09h:20

Mamadeira com bom senso

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Sabemos que o aleitamento materno é, sem sombra de dúvidas, o melhor meio de suprir as necessidades nutricionais de uma criança. É uma proteção e confere resistência a infecções, alergias e até mesmo alívio às cólicas e stress. É um gesto de amor. O leite materno tem em sua composição células de defesa e fatores anti-infecciosos, faz com que o bebê sinta-se seguro. O contato com a mãe evita o choro e a ansiedade da mãe.

Os leites artificiais podem causar alergias intestinais e deficiência de ferro no bebê, ao contrário do leite materno, naturalmente. Algumas crianças podem ser alérgicas ao leite de vaca, que possui uma proteína que pode ser agressiva ao intestino do recém-nascido, irritando o seu organismo levando ao surgimento de amigdalites, dermatites, bronquites asmáticas e até sinusites.

O leite materno não passa pela fase de fermentação para ser digerido, sendo assim, o bebê acaba tendo os eventos de cólicas e gases diminuídos. O mesmo efeito é causado quando o ar é ingerido junto com o leite, que na mamadeira a quantidade é muito maior que no peito. Os outros leites possuem uma quantidade maior de sódio, potássio, magnésio e proteínas que o leite materno e pode trazer para crianças doenças futuras como obesidade, hipertensão, diabetes e síndromes metabólicas.

A anemia infantil também é um agravo preocupante. O ferro presente nos leites artificiais não é suficiente para suprir a necessidade do bebê, e a imensa quantidade de cálcio presente dificulta a absorção de ferro, sendo assim na maioria dos casos é necessário fazer uso de suplementação, sendo esta sempre com a supervisão de pediatra e odontopediatra. Aliás, amamentar no seio estimula favoravelmente a musculatura da boca e da face, estimula o desenvolvimento dos ossos do crânio e da face resultando em melhor respiração, mastigação, deglutição e fala.

Apesar de saber de todos esses benefícios nem sempre é possível alimentar o bebê de forma natural, ou seja, no peito. Quando o uso da mamadeira for inevitável temos que tomar alguns cuidados para que problemas fonoaudiólogos e ortodônticos sejam evitados. Posicionar o bebê verticalmente no colo é a posição mais correta, assim como fazer uso do bico ortodôntico, que não substitui o bico do peito, mas permite que a aproximação dos lábios e a elevação da língua chegue bastante perto do ideal. O tamanho do furo do bico deve ser adequado à consistência do alimento e facilitar a sucção, deglutição e respiração. Eu costumo brincar com as mães dos meus pacientes dizendo que não pode ser um "furaco" (mistura de furo com buraco).

Após os doze meses de vida é hora de fazer a troca da mamadeira pelo copo ou caneca. É um processo difícil, precisa de paciência e persistência pois a criança pode não aceitar muito bem esse processo de mudança. No começo pode acontecer crises de choro, derramar o leite, mas é importante que a independência no ato da alimentação seja estimulada.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Eleições | 13/12/2014, 19h:11 - Atualizado: 13/12/2014, 19h:18

3 registram chapas na disputa pela chefia da AMM; no pário Pivetta, Neurilan e Adair


Três chapas se inscreveram para concorrer à presidência da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM) para o biênio 2015-2016. As candidaturas foram oficializadas perto das 17h, deste sábado (13), prazo final estabelecido pelo regimento eleitoral da entidade. O prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), encabeça a chapa AMM: Leve e Servidora. "Não tenho pretensão de ocupar gabinete. Só quero promover reformas, inovação e modernização na AMM, que está caduca, envelhecida e ineficiente", afirma.

Entre as propostas do pedetista está o enxugamento da entidade, a reforma do estatuto, sugerindo que os municípios contribuam conforme o número de habitantes e receita per capita assim como a criação do Índice do Desenvolvimento dos Municípios Mato-Grossenses (IDMT) para subsidiar as referências das diferenças regionais.

Além do entrosamento com o Conselho Nacional dos Municípios (CNM), Pivetta pretende estabelecer parceria com as universidades públicas e privadas para a elaboração de projetos e com o Governo, por meio de um programa denominado "Estado Único", envolvendo diretamente as secretarias de Planejamento, Saúde, Educação e Segurança.

Reprodução

montagem_eleicao_amm

Prefeitos Otaviano Pivetta (PDT), Neurilan Fraga (PSD) e Adair Alves (PMDB) estão no páreo à AMM

Apesar da proximidade com o governador eleito Pedro Taques (PDT), chegando inclusive a coordenar a equipe de transição, Pivetta garante que não é candidato governista. "Sou o candidato da mudança. O fato de eu ter participado da eleição do governador não me faz melhor que ninguém e não pretendo usar isso para barganhar nada".

Diante do cenário, Nilson Borgatto, prefeito de Glória D'Oeste, que cogitou disputar o cargo, resolveu apoiar a candidatura de Pivetta após conversa com o governador eleito Pedro Taques (PDT). "Taques me convenceu a apoiá-lo devido ao alinhamento de ideias e as propostas do grupo". Como 1º vice-presidente, promete cobrar uma atenção especial aos municípios de pequeno porte.

Durante as articulações, Borgatto tentou cooptar o prefeito de Alto Paraguai Adair Alves (PMDB) para a chapa, sem sucesso. "Não chegamos a um entendimento. O grupo também achou que pudessem usá-lo para interferências políticas e partidárias e é preciso entender que a AMM, antes de tudo, é municipalista". Isso porque Adair é considerado o candidato que representa o grupo do governador Silval Barbosa (PMDB).

À frente da chapa "AMM Eficiente" está o prefeito de Nortelândia, Neurilan Fraga (PSD). Acusado pelos adversários de representar a continuidade, já que é do mesmo partido do atual presidente Valdecir Colle, o Chiquinho do Posto, Neurilan classifica sua candidatura como independente. "Os dedos das mãos não são iguais. Não aceito interferência de nenhum partido, nem a grupo político e nem aos prefeitos que estão nos apoiando. Só aceitei ser candidato nessas condições”, explica.

O diferencial da sua gestão, caso se consagre presidente, será fortalecer o departamento de projetos da entidade e buscará o fortalecimento dos consórcios. "Sabemos que está deficiente, mas não é fechando que vamos resolver. É preciso investir em profissionais capacitados e melhor remunerados com cobrança de metas".

Como terceira via, aparece a chapa "Mato Grosso por inteiro" liderada por Adair, que promete a união dos municípios de pequeno, médio e grande portes. "É preciso uma AMM independente. Temos três candidatos: um governista, outro da continuidade e nós que queremos fazer diferente".

O peemedebista assegura que dará atenção especial aos problemas fundiários registrados nos municípios e na cobrança dos repasses de recursos, em especial da saúde. "É preciso dar o apoio e assessorias técnico-jurídicas para aqueles que não têm condições de ter essa equipe".

Ao todo, 18 prefeitos integram a diretoria e o conselho fiscal, além do presidente de honra. A lista completa só será divulgada pela assessoria jurídica da AMM na segunda (15). A falta de acesso às informações foi alvo de reclamação do jurídico da chapa "AMM: Leve e Servidora". "Faltou transparência. De maneira desnecessária não informaram nem as chapas e nem as composições", afirmou o advogado Gustavo Antonelli.

As eleições da AMM estão agendadas para a próxima quinta (18), a partir das 9h, na sede da entidade. Cerca de 136 gestores estão aptos a votar por terem situação de regularidade junto à AMM. A posse ocorre em fevereiro de 2015.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • benedito alencastro | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 18h47
    1
    1

    se existe alguém que não transmite confiança esse é o pivete.

  • BRITO/NOVO MUNDO | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 11h53
    2
    1

    CHEGA DE CONTINUISMO, CHEGA DE GOVERNO MANDAR NA AMM É HORA DE FAZER DIFERENTE, RENOVAR ESTATUDO? ISSO É NATURAL PRECISA EVOLUIR, MAS PRECISAMOS MESMO E DE EMPENHO PRA DIRECIONAR RECURSOS PARA OS PEQUENOS MUNICIPIOS E SOBRE TUDO ATENDER AS NECESSIDADES: (RECURSOS PRA SANEAMENTO: AGUA, ESGOTO, ATERRO SANITÁRIO, REGULARIZAÇÃO FUNDIARIA DE FORMA DEFINITIVA E EFICIENTE), É DISSO QUE OS PEQUENOS PRECISAM, PARCERIA, APOIO, CORPORATIVISMO, VAMOS LÁ ADAIR.

  • Ricardo Anzil | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 11h46
    1
    2

    Neurilan Fraga é disparado o melhor nome para a AMM, esse não vai se curvar a esse governo que esta vindo ai que quer todo os poderes aos seus pés, governo esse que lançou seu candidato para tentar manter o poder a qualquer custo. Não tenho duvidas que no dia 18 a maioria dos prefeitos vai dar a resposta e mostrar ao futuro governo que a AMM não pode virar soldado do sim senhor e não senhor, a independência tem que se sobressair aos poderes daqueles que querem mandar até no TCE do Estado do MT.

  • Juninho | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 10h53
    2
    2

    Nao se pode permitir que uma entidade tao representativa aos municipios continuem sendo palco de manobras politicas individuais e formacao de quadrilha para sugar os pequenos municipios, como fez Riva e seu cumplice Valdecir Coller, prefeito de Juscimeira, a cidade da um caos, nao deu retorno e vive fazendo dupla contabilizacao de gastos publicos aqui em juscimeira e na AMM, Os municipios mais pobres foram os mais explorados como associados tudo pra usurpar recursos a candidatura de Riva... so nao viu quem nao quis.

  • JOÃO | Sábado, 13 de Dezembro de 2014, 22h04
    6
    2

    SE QUEREM MUDAR ESTA É A HORA. NEURILAN FORA

| 13/12/2014, 17h:30 - Atualizado: 14/12/2014, 08h:31

Os requisitos para ser conselheiro do TCE

As zonas de certeza negativa e de certeza positiva

mauro viveiros artigo

Mauro Viveiros, procurador de Justiça

As escolhas para certos cargos públicos no Brasil chamam a atenção quando o escolhido tem afinidade política com o grupo que o indica e não reúne os predicados exigidos por lei. As pessoas de senso comum nesses casos sentenciam: “Esse indivíduo não pode ser membro dessa Instituição, não tem condições de exercer as funções do cargo”.

Esse julgamento sumário em geral está certo e, não obstante, não se tem como provar. As dificuldades residem no fato de que os requisitos exigidos dos candidatos vêm envoltos em linguagem vaga, carente de precisão. São os chamados conceitos jurídicos indeterminados, que exigem definição por meio de um processo de intelecção dos termos e de aproximação de significados. Essas dificuldades e a ausência de mecanismos de controle social sobre as decisões parecem estimular a perpetuação do vício. Mas o nível do conhecimento atual, em pleno século vinte e um, já não permite o engano.

A maioria das pessoas, mesmo as que não têm formação jurídica ou linguística, sabe perfeitamente que certos indivíduos não possuem os predicados exigidos, enquanto outros podem ou não satisfazer as exigências legais. Isso porque, apesar da vagueza dos conceitos, há neles um núcleo de significação inconfundível quando examinada a situação concreta de determinado indivíduo.  Há uma zona de certeza positiva e uma outra zona dita de certeza negativa que são descobertas por exclusão, intuitivamente.

Entre essas zonas de certeza positiva – na qual se sabe perfeitamente que o candidato possui – e de certeza negativa – na qual se sabe de antemão que o candidato não possui - há, contudo, zonas intermediárias, que suscitam incertezas, exigindo exame mais detido sobre os predicados do postulante ao cargo em vista das funções que deverá exercer.

Os conceitos idoneidade moral e reputação ilibada, os de maior vagueza e indeterminação dentre os requisitos exigidos na Constituição Estadual (art. 80,§ 2º),  podem ser extremados, sob o método das zonas de certeza positiva e de certeza negativa, olhando-se para o curriculum do candidato com os olhos de um pai a quem a filha apresenta o pretenso namorado.

Conselheiro do Tribunal de Contas é responsável pela fiscalização da probidade dos agentes públicos que manipulam dinheiro e bens públicos. Essa atividade técnica não deve ser entregue a qualquer cidadão, mas, de acordo com as constituições federal e estadual apenas aos que possuam de fato idoneidade moral e reputação ilibada, ou seja, contra quem não pese qualquer suspeita de desvios éticos na vida pública ou privada.

Não é difícil para o cidadão mediano compreender o que é isso se colocar-se na posição do pai que deve aprovar, ou não, o noivado da filha amada.  Afinal, você permitiria que sua filha namorasse um bêbado ou desocupado? A resposta é fácil porque estamos na zona de certeza negativa. Mas, caminhando para a zona intermediária poderíamos seguir perguntando: você entregaria sua filha a um indivíduo que é um bom moço, mas que é acusado por um crime sexual? A resposta ainda poderia ser negativa.

Mas nesse caso o namorado poderia argumentar que a acusação é falsa, que ele é inocente e que ainda não foi considerado definitivamente culpado. Isso poderia exigir de você mais investigação; quem sabe pedindo a um advogado que olhasse o processo criminal do rapaz, mas só se sua filha caísse em prantos aos seus pés, suponho logicamente!

Ocorre que, diversamente da vida privada, onde o pai tem plena liberdade de fazer o que bem entende para defender, ou não, os interesses de sua família e o bem-estar de sua filha amada, podendo, inclusive, permitir que ela seja desposada por qualquer rapaz, apenas porque “foi com a cara dele”, na vida pública não existe espaço de liberdade semelhante, não se pode facilitar no trato da coisa pública!

Os agentes públicos - especialmente os agentes políticos -, encarregados de tutelar o interesse geral, têm obrigação de proteger os interesses que lhes foram confiados pela Constituição e suas escolhas não são baseadas em critérios pessoais, incontroláveis. As escolhas, ainda que aparentemente discricionárias, subjetivas, devem ser otimizadas para o atendimento da finalidade pública.

Se na vida pessoal podemos percorrer zonas intermediárias ao tomar decisão, para atender a desejos, certas conveniências, apelos ou interesses inconfessáveis, escondendo-nos até no biombo da ambiguidade, na vida pública o agente deve limitar-se às zonas de certeza positiva ou de certeza negativa, as únicas capazes de assegurar a lisura da decisão.

É dizer: se a escolha enfrenta obstáculos que afetam o núcleo do significado,  porque para a média da sociedade o candidato não reúne os requisitos de idoneidade moral e reputação ilibada, é vedado ao agente público ingressar nas zonas intermediárias, onde vicejam as dúvidas e os vícios tendem a ser relativizados. A postura há de ser objetivada, posto que, embora os agentes políticos sejam encarregados da escolha pela própria Constituição, os destinatários da decisão são, imediatamente o Tribunal de Contas como instituição, e mediatamente os representados, os cidadãos.

A escolha orientada por zonas de certeza é a que cumpre o interesse público primário. Nela não têm lugar considerações de ordem estritamente jurídicas como as de presunção de inocência, aplicável ao processo penal para a generalidade das pessoas, pois o critério único que a informa é o da confiança social, correspondente ao atributo histórico do candidato.

A nomeação para as altas funções constitucionais do Tribunal de Contas se legitima, assim, quando o senso médio da comunidade empresta confiança social à escolha; quando, sem margem de erro, reputa ilibada e idônea a conduta pública e privada do escolhido.

Superado o teste de reputação, notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos, financeiros ou de administração pública, com mais de dez anos de exercício de função ou de efetiva atividade profissional surgem à mente com muito mais clareza, posto que se são notórios, por tanto tempo, a comunidade certamente saberá reconhecê-los.

Mauro Viveiros é procurador de Justiça e Corregedor-Geral do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, mestre e doutor em Direito Constitucional pela Universidad Complutense de Madrid

Postar um novo comentário

Comentários (15)

  • eduardo | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 17h32
    1
    0

    O que esperar de um BRASIL que tem suas leis voltadas para a minoria, deixa janete ser conselheira!!!!!!!! As empresas J&F, lideradas pela JBS, financiaram quase um terço dos parlamentares da Câmara dos Deputados e distribuíram recordes R$ 387 milhões em ações nas eleições de 2014, segundo o Tribunal Superior Eleitoral.

  • MOREIRA | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 16h41
    2
    0

    Os órgãos fiscalizadores deveriam ter em seus quadros, pessoas altamente técnicas e com alto grau de escolaridade, inclusive, doutorado. Creio que teríamos um órgão mais qualificado. O que estamos presenciando hoje, com a indicação da Dona janete à este órgão é realmente um absurdo, extrapolando qualquer índice técnico para tal função.

  • Armando de OLiveira | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 16h28
    3
    0

    Aguardo com muita ansiedade o resultado final desse ato sem qualidade de critérios quanto a indicação de uma importante função responsável pelo bom julgamento imparcial de Contas Públicas das Instituições Mato-Grossense. Refiro-me a escolha de Conselheiro do TCE/MT. Sei perfeitamente que em outros tempo não muito remoto isso não passava de um show barato onde a sociedade sequer tomava conhecimento, porém ao surgir a nossa "Magna Carta de 1988" e suas riquíssimas interpretações que nos leva a cada dia entender mais e melhor seu verdadeiro objetivo. Finalmente o Brasil esta acordando e conseguindo dar um basta em ações totalmente patética e esdruxula. VIVA MATO GROSSO, VIVA O BRASIL...

  • Augusto | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 15h50
    2
    1

    José Antônio pinheiro esqueceu de olhar para o seu umbigo e dizer que ocupa cargo comissionado né? toma vergonha rapaz

  • José Antonio Pinheiro | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 15h02
    2
    7

    Os Doutores da Lei, estão grosseiramente atacando a uma pessoa que tem direitos tão iguais a qualquer brasileiro, considerando que ja tivemos um Presidente da República ANALFABETO. Os Doutores da Lei, deveriam questionar neste momento todas as indicações até hoje feitas para o Pleno do TCE e destituir todos os outros ja indicados, inclusive ao Conselheiro Campos Neto que herdou como se herda vacas no pasto do Pai... Esses ataques ficam claros quando se percebe nas entre linhas o viés politico claro e direcionado. PEÇO RESPEITO A D. JANETE, peço aos que a criticam, olhem o próprio umbigo e vejam quanta falta de respeito a uma pessoa que mal conhecem.

  • Iara Mendes | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 21h12
    10
    2

    OU SEJA, A SRA. JANETE que mal sabe falar "nonagésima segunda"não tem os predicados suficientes para tal cargo!

  • Roque Licciardi | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 19h11
    12
    2

    A indicação do Dr. Luiz Carlos Pereira atende os requisitos constitucionais! Nada melhor que uma pessoa capacitada, para exigência do cargo! Muda MT, Feliz 2015!!!

  • Marcus | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 18h23
    9
    2

    Acontece que a indicação é do interesse do "capo di tutti capi", que tem somente mais de 100 processos nas costas

  • Roque Licciardi | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 17h49
    8
    2

    A indicação do Dr. Luiz Carlos atende os requisitos constitucionais! Nada melhor que uma pessoa capacitada, para exigência do cargo! Muda MT, Feliz 2015!!!

  • Fabão | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 14h00
    7
    9

    é muita palhaçada mesmo agora aparece até PROCURADOR DIZENDO QUE tem que ter, tal coisa etc... porque esse procurador não apareceu antes nas outras INDICAÇOÃES ?????

JUSTIÇA ELEITORAL | 13/12/2014, 16h:53 - Atualizado: 13/12/2014, 17h:15

Com morte de Rabello, Português entra na relação de 53 que serão diplomados dia 19


O deputado Airton Português (PSD), derrotado à reeleição, entrou na lista dos 53 eleitos e suplentes que serão diplomados na próxima sexta (19), em sessão solene do TRE-MT no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá. Vão receber diploma dois suplentes de cada coligação, que conseguiu eleger ao menos um. A futura cadeira na AL de Walter Rabello, que morreu na última quarta, fica com Gilmar Fabris, que recebe diploma na condição de titular. Com isso, Português, que sobe para a segunda-suplência do PSD, será diplomado na mesma solenidade, assim como o primeiro-suplente Meraldo Sá.

A cerimônia, que deverá ser bastante concorrida, deve demorar duas horas. Dentro do rito, o TRE vai exibir um vídeo institucional. Haverá pronunciamento não só do presidente Juvenal Pereira, mas também de outras autoridades e de representantes dos eleitos. Como trata-se de sessão solene, não será permitido uso de buzinas, assim como de confetes ou outros dispositivos sonoros e manifestação que venha atrapalhar o andamento do evento. 

Mário Okamura/Rdnews

diplomados blog romilson 19-12-2014

Relação acima dos eleitos e suplentes que vão ser diplomados pelo TRE-MT em sessão solene dia 19

Pedro Taques fará discurso já como governador diplomado, ao lado do vice Carlos Fávaro. Wellington Fagundes vai receber o diploma de senador, acompanhado dos suplentes Jorge Yanai, de Sinop, e de Manoel Mota, de Rondonópolis. Vão ser diplomados os 8 federais e os suplentes José Augusto, o Tampinha; Ederson Dal Molin, o Xuxu; Jota Barreto e Juscimaria Ribeiro, a Jusci da Eletronorte. Quanto ao novo quadro de deputados estaduais, serão 24 e mais 12 suplentes. Embora a coligação de cinco partidos pequenos (Solidariedade, PEN, PTN, PRTB e PTC) tenha garantido apenas uma vaga com Zé do Pátio, dois do bloco vão receber o diploma, sendo eles Adalto de Freitas, o Daltinho, e o vereador por Cuiabá Marcrean dos Santos.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • walacce | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 21h45
    0
    0

    erraram ai heim, vai ser diplomado o altir peruzzo na condiçao de primeiro suplente e bruneto sai fora, "graças a deus"

| 13/12/2014, 00h:00 - Atualizado: 12/12/2014, 20h:30

Por que comemoramos o Natal?

Gilson_Nunes_sabado

Gilson Nunes

Na semana passada recebi um vídeo pelo Facebook produzido pela reportagem do SBT, falando do que se tornou o Natal na vida das pessoas, das famílias e do mundo. Achei interessante. Mas, o que tem essa reportagem de tão interessante ao ponto de me fazer escrever um artigo sobre o Natal ou, a observação contida na reportagem da emissora? Tudo. A matéria retrata que o Natal perdeu a sua essência divinal e que, por conta disso, o seu verdadeiro sentido, que é o nascimento do menino Jesus, não é lembrado. Como o Natal é visto diante desse importante posicionamento?

Ora, ora, ora, venhamos e convenhamos! O Natal de hoje em dia não passa de interesses comerciais que nada mais é do que fazer com que os lojistas se mobilizem para divulgar suas promoções, muitas vezes enganosas, com prazos que vão endividar o pobre do consumidor durante todo o ano que se aproxima. Onde fica a crença por um menino Jesus que é o aniversariante do dia? E tem mais: esse menino Jesus que está nascendo tem a árdua missão do sacrifício da própria vida para humanizar a sociedade mundial?

A sociedade mundial se prepara para o grande dia: o dia da confraternização entre familiares, amigos e colegas. A pulsação dos corações se sujeita a apenas um batimento, suplicando que as emoções sejam harmoniosas, repleto de sutilezas capazes de deixar a gratidão com inveja. É nesse clima de generosidades que o mercado capitalista rouba a cena e o comércio se empanturra.

Não se trata de uma ideia pessimista do Natal. Pelo contrário, ele, o Natal, tem o poder de provocar a vulnerabilidade das pessoas, extraindo dos sentimentos mais sinceros a clausura do amor e seus adjacentes. O que se coloca aqui não é oposição do presentear uns aos outros, mas sim, o fato de a sociedade ignorar o personagem principal do enredo. O momento, por certo, exige que a sociedade faça suas orações diante de um presépio, ou altar improvisado em casa ou até mesmo na igreja, como se fazia antigamente. Quando a sociedade passa pelo Natal sem esses costumes, a impressão que fica é que ele, o Natal, não passa de interesses festivos e a troca de presentes.

O menino Jesus nasce com a missão de nos perdoar, de aumentar a nossa fé, e nos mostrando o caminho da prosperidade, da sensatez, e empunhando o amor como centro de todos. Precisamos lembrar o aniversário do menino Jesus oferecendo-lhe, como presente de aniversário, nosso perdão pelos males que causamos aos outros, por conta de um egoísmo inexoravelmente ridículo. Sejamos mais fraternos, façamos a troca de presentes, comemoremos com a família, tendo a ceia de Natal como alimento irrigado do espírito santo. Amém!

Gilson Nunes é jornalista e funcionário público e escreve neste Blog todo sábado. E-mail: gnunes01@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Nicinha | Quinta-Feira, 18 de Dezembro de 2014, 16h44
    0
    0

    Parabéns pelo artigo e um feliz natal pra você e sua família.

| 12/12/2014, 12h:03 - Atualizado: 12/12/2014, 12h:16

Taques divide 1º escalão entre secretários e gabinetes e fecha quadro na próxima 5ª

Governador quer ser diplomado já com equipe definida; faltam Fazenda, Ciência, Assistência Social, Esporte, Cultura e Turismo


Mário Okamura/Rdnews

secretarios taques

Governador eleito Pedro Taques, que conclui na próxima semana quadro de secretários e de gabinete

Pedro Taques terá uma agenda intensa na próxima semana. Entre terça e quinta ele participa das sessões no Senado, onde pretende apreciar alguns projetos, entre eles a votação da reforma do Código Penal, do qual é relator, e ainda fará discurso de despedida. Depois, anunciará, em entrevista coletiva, os  quatro últimos nomes que faltam para concluir o secretariado. Na sexta, será diplomado juntamente com outros eleitos e suplentes, em sessão solene a ser realizada pelo TRE-MT, no Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá.

Gilberto Leite/Rdnews

pedro taques equipe

Pedro Taques vai concluir também o projeto de reforma administrativa

Sobre a equipe do primeiro escalão, o governador eleito definiu 14 secretários. E outros quatro estão escalados para atuarem em setores intermediados, com status de secretaria e que serão denominados de Gabinete. São os gabinetes de Comunicação, sob Jean Campos, de Desenvolvimento Regional (Eduardo Moura), de Projetos Estratégicos (Gustavo Oliveira) e ainda a Chefia de Gabinete (José Arlindo).

Como futuros secretários, serão nomeados Paulo Taques (Casa Civil), Marco Aurélio Bertúlio (Saúde), Permínio Pinto (Educação), Eduardo Chilleto (Cidades), Patryck de Araújo (Procuradoria-Geral), Mauro Zaque (Segurança Pública), Antonio Ribeiro Leite (Casa Militar), Ana Luíza Peterlini (Meio Ambiente), Seneri Paludo (Desenvolvimento Econômico), Marcelo Duarte (Transporte e Obras Públicas), Júlio Modesto (Gestão) e Marco Aurélio Marrafon (Planejamento).

Na próxima semana, Taques define quem conduzirá a pasta da Fazenda e a área social, cuja nomenclatura está sob análise. O governador eleito pretende, dentro da reforma estrutural, mudar a denominação Trabalho e Assistência Social. Avalia também se fará fusão das pastas de Esporte e Lazer, de Cultura, de Turismo e de Ciência e Tecnologia.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • wander | Segunda-Feira, 15 de Dezembro de 2014, 21h19
    0
    0

    E a Justiça e Direitos Humanos? A segurança absorve?

  • marcos vinicius de arruda pinto | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 18h53
    0
    2

    Mais uma vez se repete o mesmo erro de 12 anos na escolha do secretário de meio ambiente: pessoa em perfil técnico e sem vivência na área. o engraçado é a conduta da mídia que ainda discursa sobre escolha técnica no secretariado, brincadeira!!!na verdade,pedro taques com essa escolha criminaliza a gestão ambiental e desrespeita os técnicos de carreira da sema.

  • ines martins | Domingo, 14 de Dezembro de 2014, 10h53
    3
    1

    Gostei de ver uma mulher 'ANA lUIZA"escolhida pela competencia,pela ética, pelo conhecimento e pelo trabalho já mostrado em favor do meio ambiente. aliada a sensibilidade proprio da mulher. A natureza é feminina e precisa de cuidados de mãe.Portanto, tudo em perfeita sintonia.Parabésn e sucesso.

  • Servidor Publico | Sábado, 13 de Dezembro de 2014, 21h59
    4
    0

    Senhor governador Pedro Taques, se quiser economizar e só rever os acordos que foram firmados, com varias categorias de funcionários públicos, no apagar das luzes, tem nível médio q passou para nível superior, tem técnico que entrou agora e já foi para o ultimo nível da carreira. Alias uma coisa que "inchou" a folha de pagamento do estado, foi o tal "aproveitamento do tempo de serviço de carreiras distintas", quer dizer, uma pessoa que era faxineira durante 28 anos, faz um concurso de nível superior, já pode se enquadrar no ultimo nível desta classe, ai ela trabalha mais 2 anos e se aposenta com o salário de nível superior, igual a quem esteve estes 28 anos trabalhando na mesma carreira, cada a carreira neste caso? Isto aconteceu em quase todos os órgãos, nestes últimos meses, mas a conta vai ficar para o próximo governo. Tudo isto foi aprovado contrariando parecer da PGE, havia ate proposta de Adim em alguns casos. Podem perguntar o que eu tenho a ver com isto. Eu respondo: Sou funcionário publico, existe uma lei de responsabilidade fiscal, se impactarem a folha de pagamento, eu que estou no final de carreira e cumpri todos os tramites legais, não terei aumento, ou pior se faltar dinheiro podemos todos ficar sem salário. Alem do mais existem leis para serem cumpridas, não é justo tivemos que esperar nos qualificar para chegarmos ao final de uma carreira e outros pq tem apadrinhamento político chegarem ao final de carreira “na tabela” recém tendo começado a carreira. QUAL O ESFORÇO QUE FARAM? CAPACITAÇÃO, EMPENHO, PRODUTIVIDADE, SE JÁ ESTÃO NO FINAL DA CARREIRA.

  • jose de figueiredo | Sábado, 13 de Dezembro de 2014, 19h44
    2
    1

    O governador insistiu no mesmo erro dos governos passados, escolheu alguém sem relação com a gestão ambiental estadual, só entende de legislação, e para isso a sema têm muitos advogados. os servidores da sema irão cobrar a execução do plano de governo na área ambiental do senhor pedro taques, item por item. não se trata de ser contra a figura de promotora de justiça, mas, de valorizar a categoria dos profissionais da área ambiental, sempre marginalizados, embora muitos desses são honestos e éticos, e aquele servidor que defende o nome da promotora parece de olho numa boquinha, num carguinho de DAS, em vez de ter a altivez de lutar pela categoria e pela instituição. Até porque duvido que os promotores aceitariam a indicação de alguém que não fosse promotor para a PGJ. Bem, quem sabe nas próximas eleições o servidor de carreira da sema será reconhecido e valorizado como agora está sendo os servidores da sefaz. a sema não precisa ser criminalizada, precisa de apoio para executar a politica ambiental, e a grande maioria dos seus técnicos são sérios, não precisamos de xerife.

  • Servidor | Sábado, 13 de Dezembro de 2014, 17h25
    3
    1

    com todo respeito ao comentário do Sr. Miguel Luís Matosso. Entretanto, o seu comentário parece de alguém que tem medo da legalidade, porque criticar de forma velada a indicação da Drª. Ana Luiza Paterlini, a mim parece coisa daqueles que já se acostumaram com as falcatruas não só na SEMA mas em todos os órgãos do Desgoverno que já agoniza para o seu fim. Nós servidores de bem estamos felizes e com a certeza que daqui para frente a SEMA terá o respeito que merece da sociedade e será uma Secretaria de Meio Ambiente e não um escritório para resolver a qualquer modo os interesses de poucos. Acredito que todos tenham o mesmo sentimento de que escolhemos o Governador Certo. Seja bem vinda doutora Ana Luiza Peterlini Ávila, o meio ambiente agradece.

  • miguel luis matosso | Sábado, 13 de Dezembro de 2014, 14h12
    1
    3

    servidores da sema, principalmente aqueles que trabalharam para eleger esse cidadão, vocês não têm competência? tomem vergonha, se organizem e lutem pela valorização da classe de vocês!

  • Juca | Sábado, 13 de Dezembro de 2014, 12h09
    1
    0

    Kd a sejudh????

  • Moreno | Sexta-Feira, 12 de Dezembro de 2014, 18h05
    3
    1

    Parabéns Governador!

  • João Carlos | Sexta-Feira, 12 de Dezembro de 2014, 15h54
    4
    4

    uaiiiiiiii cadê a 1ª ministra Paolla Reis kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

INíCIO
ANTERIOR
1 de 633