Cuiabá, 18 de Setembro de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Gabriele Schimanoski

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Larissa Malheiros

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Larissa Malheiros

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

Várzea Grande | 04/01/2014, 11h:30 - Atualizado: 04/01/2014, 20h:18

Até dia 30, Jaqueline deixa Saúde para concorrer a deputada federal


 

 

capa-jaquelinehj3.jpg

Secretária de Saúde de VG Jaqueline Guimarães sairá candidata à Assembleia

  O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), estabeleceu prazo até 30 de janeiro para que os integrantes da administração que pretendem disputar as eleições deste ano entreguem os cargos. Na lista das possíveis exonerações está a primeira-dama e secretária de Saúde Jaqueline Guimarães, além do diretor do Pronto-Socorro Renato Tetila.

  Os substitutos serão escolhidos por Walace a partir de critérios técnicos. Segundo o peemedebista, a gestão da saúde não deve ser partidarizada. “Não vamos politizar a saúde. A escolha é pessoal já que a responsabilidade e as cobranças recaem sobre mim”, afirmou.

  Jaqueline, que irá tirar 10 dias de recesso para descansar com a família, deve pedir exoneração do cargo no próximo dia 15. Fora do comando da Saúde, pretende intensificar a articulação da candidatura a deputada federal.

  Essa não é a primeira vez que Jaqueline tanta uma vaga na Câmara Federal. Em 2010, pelo nanico PHS, a secretária de Saúde chegou perto de conquistar uma vaga ao obter 31.921 votos, que garantiu o posto de primeira suplente do deputado federal Eliene Lima (PSD).

  A primeira-dama se filiou ao PMDB em setembro do ano passado com a justificativa de que no mesmo partido do marido, poderá trabalhar melhor sua candidatura. “A candidatura é viável. A consolidação depende da análise feita em conjunto com o partido”, explica Walace.

  Outro que deve deixar o staff nos próximos dias é Tetila, que pretende disputar uma cadeira na Assembleia. Ele se filiou ao PP com intuito de ampliar a bancada progressista, atualmente formada pelos deputados Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja.

Jacqueline ingressa no PMDB para tentar Câmara Federal

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Julio Muzzi | Sábado, 04 de Janeiro de 2014, 22h51
    1
    0

    Ambos são boas pessoas, bem articulados, e que vem lutando por Varzea Grande.

  • diego | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 23h41
    2
    1

    diego, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuzi Kalafate | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 22h08
    3
    1

    É uma pena né, quando a pessoa vai querendo acertar, vem a Política e tir do lugar gerando descontinuidade na administração

  • Elifas Jose Ribeiro Ribeiro Ribeiro | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 20h58
    1
    3

    Serå que ela ira descansar onde ?junto com os pobres da periferia de vadju? Pra dai ja ir angariando votos pra dep.federal? Acho ela vai pra zöropa (sic).miami.

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 18h09
    5
    0

    Mato Grosso e suas capitanias hereditárias. Aqui é mesmo um feudo!

| 18/09/2014, 10h:00 - Atualizado: 01h atrás

Pátio reclama falta de espaço no horário eleitoral e coloca a culpa em presidente


.

zé do pátio

Candidato à Assembleia, Zé do Pátio reclama da falta de espaço em programas

O candidato a deputado estadual José Carlos do Pátio (Solidariedade) reclama da falta de espaço dentro do partido. Sem inserções nos programas eleitorais, o ex-prefeito de Rondonópolis perde a oportunidade de utilizar a ferramenta mais disputada em campanha, a televisão e o rádio. Embora lamente a situação, ele garante que seu trabalho não está sendo prejudicado. 

A assessoria do candidato comunicou que a exclusão de Zé do Pátio do programa eleitoral do Solidariedade aconteceu depois que o presidente estadual do partido, Adalto de Freitas, o Daltinho, dividiu o tempo por conta própria. Dessa forma, deixou de fora alguns postulantes da proporcional e optou por inserir fala da esposa sobre a ala feminina da legenda.

Zé do Pátio chegou a gravar os programas, um de 10 segundos e outro de 30 segundos, mas só foi veiculado uma vez, no início da campanha. O problema chegou a ser levado para a Justiça Eleitoral, que entendeu se tratar de questão interna e que não poderia ser resolvida no âmbito judicial.

O clima piorou após declarações do advogado do Solidariedade nacional, André Bacellar, a um veículo de comunicação de que Pátio não precisaria de inserção em programa eleitoral e que seus eleitores não assistem televisão. “Durante meus 30 anos de vida pública, o maior aprendizado que tive foi que para ganhar é necessário agregar força, ou seja, o contrário do que está sendo praticado pela executiva estadual do Solidariedade”, afirma o candidato. 

A reportagem tentou por diversas vezes entrar em contato com Adalto de Freitas para comentar sobre o assunto. No entanto, não obteve sucesso e nem retorno até a publicação desta matéria. (Com assessoria)

Postar um novo comentário

| 17/09/2014, 22h:51 - Atualizado: 17/09/2014, 23h:41

Hoje na AL, Barreto e Ezequiel têm chances reais a federal - veja quem são os cotados


Em palanques opostos, dois deputados estaduais vivem expectativas reais de se tornarem federais. De um lado está Jota Barreto (PR), que faz parte do palanque do candidato a governador pela situação, petista Lúdio Cabral. De outro, Ezequiel Fonseca (PP), integrante do bloco oposicionista de Pedro Taques (PDT). E nesse jogo eleitoral dois líderes do PSD, o vice-governador e o deputado federal Eliene Lima, brigam entre si na esperança do grupo agora liderado por Janete Riva ao Palácio Paiaguás conquistar ao menos uma vaga na Câmara.

Pelo blocão governista, composto pelo PR, PT, PMDB e Pros, quatro devem garantir vaga. E os mais cotados são os já federais Valtenir Pereira (Pros), Carlos Bezerra (PMDB) e Ságuas Moraes (PT). A quarta vaga ficaria com Barreto, que entrou como uma das vozes da região da Grande Rondonópolis, tentando ocupar espaço do federal de seis mandatos Wellington Fagundes, que concorre ao Senado.

O quociente eleitoral é de 210,1 mil votos. Estão em jogo oito vagas para representação mato-grossense na Câmara. Dos que exercem mandato hoje, somente Roberto Dorner (PSD), Júlio Campos (DEM) e Wellington não tentam novo mandato.

bancada federal disputa

Por cada coligação, surgem nomes com maiores chances na disputa por cadeira de deputado federal

Pelo blocão de oposição, que conta com 10 partidos, a expectativa é de garantir entre três e quatro vagas. Os mais cotados são o já federal Nilson Leitão (PSDB), da Grande Sinop; o ex-secretário de Governo de Cuiabá, Fábio Garcia (PSB), apoiado pelo prefeito da Capital Mauro Mendes; o ex-prefeito rondonopolitano Adilton Sachetti, também do PSB; e Ezequiel Fonseca, dirigente do PP e representante da região Oeste. Também está no páreo como um dos cotados pelo grupo de Taques o suplente de federal Victório Galli (PSC).

A coligação do PSD corre risco de ficar de fora. No máximo, asseguraria uma vaga. O próprio Daltro se mostra preocupado e até desmobilizou alguns "cabeças" de sua campanha. O que pode levar esse grupo, que lançou Janete ao governo em substituição a José Riva, barrado pela Lei da Ficha Limpa, é o fato do deputado Dorner ter desistido de uma nova disputa. Ele seria candidato para mais de 50 mil votos. Mesmo que Daltro e Eliene venham a obter 60 mil votos cada, a coligação dificilmente terá votação de legenda dos demais candidatos suficientes para avançar além de uma cadeira.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Professor Eliseu | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 10h02
    0
    0

    Professor Eliseu, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • pedrinho | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 09h21
    2
    0

    O Mauro Garcia,,de Sinop,,tambem esta correndo por fora,,e podera surprender muita gente,,, tem chances reais tambem de conquistar uma vaga...se a coligaçao fizer 5 ,,,

  • neiza dias | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 08h39
    5
    4

    Essa eleições tem grande tendência de boa parte dos eleitores(as) votarem em mulheres e nesse sentido , acompanhando voto de Dilma Presidenta, a Jusci Ribeiro do PT, poderá ser também uma grande surpresa , inclusive para os aliados.E MT precisa de sangue novo na Câmara Federal.

  • Dhony | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 08h04
    6
    2

    Victorio Galli! Vamos que vamos em busca de 1 vaga na câmara federal!

  • joaoderondonopolis | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 07h45
    1
    2

    O prefeito de Rondonópolis está trabalhando ferrenho para conseguir votos para o candidato a deputado federal Fábio Garcia. Me perguntaram, caso o cidadão não concorda com a multa dos radares em Rondonópolis o recurso será dirigido ao posto forum ou a prefeitura/Setrat?

  • Lucas Oliveira | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 07h37
    1
    0

    Lucas Oliveira, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Rumo às Urnas | 17/09/2014, 22h:02 - Atualizado: 01h atrás

Mauro diz que Taques não tem “sangue de barata” e acusa Lúdio de fazer demagogia


Iara Resende

Mauro Ludio

 Mauro chegou no Palácio Paiaguás acompanhado pelos secretários Kleber Lima e Alberto Machado

O prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB), que faz parte da coordenação da campanha do candidato a governador Pedro Taques (PDT),  afirma que o pedetista não tem “sangue de barata” e vai reagir  contra as “conversas  fiadas” lançadas pelos adversários. Segundo o socialista, a troca de acusações não é natural, mas faz parte da  história politica brasileira. “Candidatos com  chances de ganhar são mais atacados e os que estão perdendo buscam alguma estratégia para mudar  o rumo da eleição. Pau que bate em Chico, bate em Francisco”, avaliou após reunião com o governador Silval Barbosa (PMDB), na tarde desta quinta (17), para tratar de parceria para construção no novo Pronto Socorro na Capital.

Conforme o prefeito, o adversário Lúdio Cabral (PT) age como “irresponsável, demagogo e inconsequente” ao atribuir as mazelas da saúde em Cuiabá ao secretário Werley Peres (PDT), que foi indicado por Taques para assumir a pasta. Para Mauro, o setor enfrenta problemas  nos 5.564 municípios do Brasil. “A incompetência é do PT da presidente Dilma Rousseff, que está no poder há 12 anos”, reagiu.

Mauro também rebateu as críticas de Lúdio, que acusa o grupo político pró-Taques de não cumprir a promessa de construir o novo Pronto Socorro na Capital no início do mandato e, agora, promete a construção de hospital com 350 leitos. “Faz 10 anos que o PT, que comanda o governo federal,  promete o Hospital Universitário que até agora não foi concluído. Então, deveria ter desapeado do poder porque não resolve o problema até hoje?”, questiona .

 Na opinião de Mauro, os candidatos deveriam concentrar aos ataques aos problemas enfrentados por Mato Grosso. De acordo com o gestor, os eleitores estão mais interessados nas soluçãoes para saúde, educação e infraestrutura apresentadas na campanha. 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • jose alves da silva | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 07h27
    5
    8

    A COISA MAIS ESTRANHA É ESSE ILUDIO SER CANDIDATO PORQUE JÁ PERDEU PARA PREFEITO DE CUIABA COM TODA MENTIRA QUE ESSA TURMA DO PT PMDB PR TENTA ENGANAR O POVO DESSA VEZ DINOVO NÃO VÃO CONSEGUIR O POVO ESTA CONSCIÊNTE E ATNENTO E QUER MUDANÇA AFINAL JÁ SÃO 12 ANOS ESTA NA HORA DE LARGAR A MAMATA.

  • JOVM | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 23h13
    0
    1

    JOVM, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Vilson Nery | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 23h11
    11
    6

    Diga com quem tu andas que te direi quem és, Taques. Ajudei a te eleger em 2010, mas hoje me arrependo amargamente. Entrou no sistema e deixou a ânsia de ser governador lhe consumir, fazendo pactos que não são dignos de uma pessoa que foi eleita como a esperança para tudo de errado que acontece em nosso estado. O que vimos foi um senador que esqueceu o mandato para fazer pactos com todos que ele próprio condenava com o único objetivo de chegar ao governo. Esqueceu todas as promessas de campanha. Quando ouço o senhor falando sobre a vergonha que é o repasse que a Assembleia recebe, ai que me decepciono ainda mais, também concordo que aquilo é uma pouca vergonha, mas se o senhor realmente é contra, como senador que é e só o senhor ou os deputados federais podem fazer, por que não apresentou uma emenda a Constituição baixando esse percentual que as Assembleias recebem, não só em MT, mas em todos o país? Passou 4 anos la sem falar nada sobre isso e só agora vem bater nisso. Decepção, esse é o sentimento que tenho pelo senhor.

| 17/09/2014, 18h:30 - Atualizado: 02h atrás

Ao vivo, assessorir jurídico do MCCE-MT


Davi ValleRDNews

RDTV Ceara MCCE

Coordenador do MCCE em Mato Grosso, Antonio Cavalcante Filho (Ceará), ao vivo nesta 5ª - participe

O coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral em Mato Grosso, Antonio Cavalcante Filho, o Ceará, participa ao vivo do RDTV desta quinta (18) para falar sobre os últimos acontecimentos envolvendo as eleições-2014, a exemplo dos indeferimentos das candidaturas de José Riva (PSD) e José Marcondes (PHS) ao Governo e o tom mais embativo registrado nas campanhas ao Senado.

Os interessados em colaborar com esse bate-papo, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no botão RDTV no topo do portal RDNews. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

08h15 - Assessor jurídico do MCCE estará ao vivo

O assessor jurídico do MCCE em MT, Vilson Nery, será o entrevistado ao vivo do RDTV desta quinta (18) devido à impossibilidade do coordenador da entidade participar do programa.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Belmiro | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 08h07
    2
    1

    Gostaria de saber do Ceará como pode um cidadão fiscalizar os erros politicos se ele faz parte do sistema?

Rumo às Urnas | 17/09/2014, 16h:00 - Atualizado: 17/09/2014, 22h:16

Lúdio rebate Blairo e declara que postura do senador na campanha é contraditória


Davi Valle/Rdnews

ludio_blairo_blog_interna.jpg

Candidato ao Governo Lúdio Cabral alfineta Blairo Maggi (PR)

O candidato a governador, Lúdio Cabral (PT), da coligação Amor à Nossa Gente, voltou a questionar a posição que o senador Blairo Maggi (PR) está adotando nesta campanha. Ocorre que o republicano, mesmo sendo de partido aliado, se omitido do processo eleitoral, mas conta com vários afilhados políticos e parentes financiando o adversário Pedro Taques (PDT). “Estranhei esse posicionamento do senador porque é contraditório. Ele disse que não participaria do processo eleitoral, mas seus familiares e apoiadores mais próximos participam da campanha do adversário, inclusive com financiamentos milionários?”, aponta Lúdio.

O petista também questiona o  fato da família Maggi ser a maior doadora da campanha de Taques, que já arrecadou mais de R$ 11 milhões. Depois de ter o nome envolvido na Operação Ararath, que investiga crimes contra o sistema financeiro, Maggi disse que se omitiria do processo eleitoral. “Ele escolheu se omitir, o que já não é um comportamento adequado para um senador da República que tem filiação partidária, mas não podemos ignorar o fato de que a família Maggi, ao financiar o adversário, joga contra a nossa campanha e, consequentemente, contra a campanha da presidente Dilma à reeleição”, completa.

Blairo conta com o primo Eraí Maggi e o homem de confiança Luiz Antônio Pagot como alguns dos principais coordenadores da campanha de Taques. Neste sentido, o presidente estadual do PT, William Sampaio, afirma que não adianta dizerem que estão com a Dilma, pois quem apoia a reeleição da presidente está com ele. Ressalta que ambos estão no mesmo projeto para fazer de Mato Grosso um Estado ainda melhor e que Taques é adversário da presidente. “Ou seja, quem não está com a gente está no grupo dos milionários. Será que existe algum acordo com o candidato Pedro Taques para que sejam escondidos inclusive alguns erros do passado?”. (Com Assessoria)

Blairo diz que nunca fez acordo com Lúdio e critica reclamação do petista

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Devalter Freitas | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 08h45
    0
    0

    Devalter Freitas, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • castranha | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 06h36
    0
    0

    castranha, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Augusto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 21h43
    9
    8

    Senhor Lúdio, quem disse q Dilma ta com vc, que eu saiba Dilma e Lula ta evitando vir a Mato Grosso, porque se ela vim e pra subir no Palanque de TAQUES não seu. Acorda Lúdio, só o nome já fala Lúdio Iludido.

  • Augusto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 21h37
    1
    1

    Senhor Lúdio, quem disse q Dilma ta com vc, que eu saiba Dilma e Lula ta evitando vir a Mato Grosso, porque se ela vim e pra subir no Palanque de TAQUES não seu. Acorda Lúdio, só o nome já fala Lúdio Iludido.

  • João Moessa de Lima | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 20h28
    10
    6

    Senhor Ludio Cabral tem todo razão de exercer o direito do esperneio, que exerça! Não sou fã do Sr. Blairo Borges Maggi no entanto acho que deu uma explicação sobre a campanha absolutamente clara e coerente com o que vem dizendo de há muito, quanto aos seus familiares estar doando para seu adversário a explicação foi ainda mais clara e justa.

  • Rebeca Cantarini | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 19h31
    11
    7

    Lúdio vai acabar com a mamata da AMaggi e do Grupo Bom Futuro e Scheffer. É a vez dos produtores familiares, que se tornarão, em breve, grandes produtores.

  • CLAUDIO | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h19
    12
    10

    belas palavras Jorge Luiz, o Ludio prova com isso que o limite dele mesmo é um POSTO DE SAUDE.

  • Jorge Luiz | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h00
    14
    13

    mimimimi, eu quero dindin do Maggi, mimimi, ele não quer dar, mimimi, vou chorar, buábuábuá. cresce cara, quando alguém não quer tua amizade não fica dizendo todo dia que não quer, pois, uma única vez já basta. Você (Lúdio) deve crescer com suas propostas e ter aqueles ao seu lado tem que merecê-los e não exigir que fique com a sua companhia.

| 17/09/2014, 14h:43 - Atualizado: 17/09/2014, 14h:45

Ministro e o apoio de faz de conta a Lúdio


Fernando Ordakowski

charge_neri_geller.jpg

Ministro Neri Geller diz apoiar a campanha de Lúdio ao Governo, mas nos bastidores torce por Taques

O ministro Neri Geller (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), filiado ao PMDB, tem afirmado publicamente que apoia Lúdio Cabral ao Governo. Mas esta adesão à campanha do petista, que tem a peemedebista Teté de vice, só está expressa em fotografia e em algumas entrevistas. Nos bastidores, o candidato de Neri chama-se Pedro Taques (PDT). É neste grupo de oposição que o ministro mato-grossense se sente à vontade, pois tem nele fortes aliados como o vice de Taques, Carlos Fávaro e o rei da soja Eraí Maggi (ambos do PP), além de outros líderes dos segmentos do agronegócio.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Felipe Matos | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h24
    1
    3

    Felipe Matos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Dr, JOÃO OSORIO DOS SANTOS | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 15h56
    0
    1

    Dr, JOÃO OSORIO DOS SANTOS, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 17/09/2014, 14h:35 - Atualizado: 17/09/2014, 19h:14

Polícia Civil libera "laranjas", mas mantém conselheiro da Cultura e a esposa presos


A Polícia Civil liberou 20 pessoas apontadas como “laranjas” no esquema de desvio de recursos nas secretarias de Cultura de Cuiabá e do Estado, desmantelado pela Operação Alexandria na última segunda (15). Os suspeitos foram liberados pelo delegado Gianmarco Paccola após prestarem depoimento na Delegacia Fazendária (Defaz).

Somente o conselheiro Alceu Marcian Cazarin e a esposa, Elaine Cristina da Silva Naves, considerados como mentores do esquema, permanecem presos. Eles devem ser encaminhados ao sistema prisonal ainda nesta semana. Entre os “laranjas” liberados pela Polícia Civil estão estão empregadas domésticas, militares do Exército, personal training, zeladores e frentistas. O delegado considerou que os envolvidos não representam perigo para sociedade e se comprometeram a colaborar com as investigações.

O  grupo desarticulado pela Operação Alexandria é acusado de ter desviado R$ 1 milhão por meio de projetos culturais que tinham os recursos liberados, mas nunca saiam do papel.  O dinheiro era depositado nas contas em nome dos “laranjas”, que ficavam com 2% ou 3% do valor, enquanto o restante era embolsado pelos integrantes do Conselho Estadual de Cultura envolvidos na fraude.

 As prisões da Operação Alexandria foram executadas em Cuiabá, Rondonópolis e São José dos Quatro Marcos. Os três suspeitos que não foram capturados na segunda seguem na condição de foragidos. 

Operação Alexandria prende 21 pessoas por fraudes na Cultura - confira

Postar um novo comentário

| 17/09/2014, 09h:06 - Atualizado: 17/09/2014, 15h:22

Se Lúdio não mudar de atitude, jamais vai deixar de ser vereadorzinho, rebate Júlio


O deputado federal Júlio Campos (DEM) rebateu crítica do candidato ao Governo Lúdio Cabral (PT), que durante o programa eleitoral se referiu ao democrata como “velharia” da política mato-grossense. Para o deputado, é perda de tempo o petista tentar criticá-lo já que ele não está no páreo.

“Nem eu nem o Jayme estamos concorrendo nessas eleições. Não tenho motivos para respondê-lo, porém, caso o candidato não mude suas atitudes jamais vai deixar de ser um vereadorzinho”, dispara Júlio, em entrevista ao Rdnews.

O deputado ainda alfineta que se um dia Lúdio chegar onde ele chegou ou fizer a metade do que fez por Mato Grosso, aí vai poder falar alguma coisa. “Entretanto, quem nasceu para ser vintém não chegará a centavo”, completa.

O democrata faz questão de lembrar sua trajetória política como governador do Estado, senador, deputado federal por três vezes, sendo o mais votado nos ano de 78 e 1986, para mostrar a diferença entre ele e o petista. 

Para o deputado, que faz parte da “Coligação Coragem e Atitude para Mudar”, cujo candidato ao Governo é Pedro Taques (PDT), o cenário eleitoral, que traz Lúdio como segundo colocado nas intenções de voto, não deve mudar. “Nós da coligação acreditamos na vitória no primeiro turno. Só se acontecer algum fato inesperado, mas seguimos confiantes de que vamos sair vitoriosos nesse primeiro momento”, finaliza.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • benedita | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 10h05
    0
    0

    Será que Deus não tem mais o que fazer, afinal há conflitos muito mais importantes acontecendo com o genocídio de milhares de pessoas, agora, pedir a DEUS segundo turno é muita mediocridade, a entrada de marina no cenário da disputa eleitoral esta fazendo os mas se a candidata a reeleição nem vai pisar no MT para apoiar o iLúdio, o Lulla não mais lá, é que deveria vir, afinal na outra eleição ele veio e o iLúdio se iludiu e deu no que deu. Qu!e campanha mequetrefe

  • Victor Luis | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h03
    6
    7

    Ludio não passará de um vereadorzinho ? Que tal presidente de bairro ? SERÁ QUE GANHA?

  • Batista | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 14h09
    9
    8

    Se Lúdio não quer velharia na política, tinha que ter dispensado Carlos Bezerra. Mas, escolheu a mulher dele como vice.

  • Cleison | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 14h03
    13
    6

    OS CAMPOS COM CERTEZA REPRESENTAM TUDO AQUILO QUE A DE MAIS ARCAICO NA POLITICA DO NOSSO ESTADO, E APESAR DE ESTAREM JUNTOS COM QUEM DIZ SER A MUDANÇA ELES NÃO SÃO E ISSO É FATO. VEREADORZINHO OU NÃO O QUE O LUDIO NÃO PODE FAZER É TER AS MESMAS PRATICAS DESSA TURMA.

  • Paulo Sérgio | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 12h02
    18
    6

    Um político que se diz experiente, como esse Julio Campos se acha, não poderia nunca usar a expressão "vereadorzinho" para tentar desqualificar ninguém. Entao quer dizer que para ele, vereador não é nada ? Ou, esta abaixo da linha da dignidade dele ?

  • Vicente Trindade Neto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 11h59
    15
    5

    O Júlio Campos tem experiência própria já foi Governador, Senador e agora Deputadozinho e dos bem fracos e cassado, e agora não se elege mais nem pra Presidente de Bairrozinho, pro bem de MT.

  • Vicente Trindade Neto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 11h58
    6
    4

    O Júlio Campos tem experiência própria já foi Governador, Senador e agora Deputadozinho e dos bem fracos e cassado, e agora não se elege mais nem pra Presidente de Bairrozinho, pro bem de MT.

  • Getulio Arrantes | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h39
    4
    0

    Getulio Arrantes, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • elias melo | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h00
    15
    8

    os campos não podem esquecer que eles são bananeiras que deu cacho.(rsrsrsr), ja era agora é um nova fase, um no leque de politicos no qual Ludio assim como outros protagonisam....

  • Felipe Matos | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h00
    17
    13

    A campanha do Taques está em desespero. Estão usando todo seu poder de comunicação para desqualificar o Lúdio. Mas teremos segundo turno.

| 17/09/2014, 07h:25 - Atualizado: 17/09/2014, 07h:33

Mapa das forças políticas em MT

vinicius_artigo_quarta

Vinicius de Carvalho

Resolvi lembrar hoje um pouco da geografia do campo político mato-grossense e apontar algumas tendências da política brasileira que estão se manifestando por aqui também. A meu juízo, o campo político mato-grossense está hoje muito mais fragmentado do que nas décadas de 1980 e 1990, quando a clivagem se dava em dois polos bem distintos.

Hoje temos um quadro com cinco grandes grupos no Estado, olhando os dados das duas últimas eleições (2010 e 2012). Numa das pontas deste pentágono está o Partido da República (PR), cuja grande liderança é o senador Blairo Maggi. Com cerca de 23% dos votos para deputado estadual e 20% para federal em 2010 e a bela bancada daí derivada o PR fica situado numa posição de destaque. Numa outra ponta do polígono está o PSD. Em 2010 o partido ainda não existia, mas a maior parte de seus atuais correligionários estavam no Partido Progressista (PP). A sua maior liderança no Estado é o deputado Riva que, em conjunto com o vice-governador Chico Daltro, levou muitos deputados, prefeitos e vereadores para o PSD em 2011. 

Depois destes dois grandes vértices temos outros dois de menor porte, mas que ainda têm seu peso no processo político mato-grossense. O primeiro é o PMDB, que teve cerca de 13% dos votos para deputado estadual e 10% para federal em 2010. Os resultados colhidos pelos candidatos do partido nas eleições municipais impressionaram, em particular pelas conquistas em cidades-polo como Cáceres, Sinop, Alta Floresta, Colíder, Juína, Tangará da Serra e Várzea Grande. Eles apresentaram 60 candidatos a prefeito, tiveram 28 eleitos e reuniram cerca de 20% do total de votos em todo o Estado.

A maior liderança do PMDB em Mato Grosso, como se sabe, é seu presidente, o deputado federal Carlos Bezerra. A outra ponta é o Democratas, liderado pelo Senador Jaime Campos. O Democratas ainda merece ser considerado, mesmo coma perda progressiva de espaço experimentada pelo partido desde a década de 1990, com ocupação do “vácuo” pelo PR, PP e PSD.

Chegamos, por fim, ao quinto polo do nosso campo político, ocupado pelos partidos com perfil de centro até a centro-esquerda, como PSB, PSDB, PDT e PT. É um vértice com participação significativa no cenário regional, equivalente a um PR, já que a votação somada para deputado estadual atingiu 21% em 2010. Aqui há um conjunto de lideranças que emergiram dos escombros das disputas centradas na grande Cuiabá, em particular no PT e no PSDB. O senador Pedro Taques e o ex-vereador Lúdio Cabral souberam ocupar o espaço político deixado por atores como Serys Marli, Carlos Abicalil, Antero Paes de Barros, Telma de Oliveira, Wilson Santos e outros. 

É interessante observar que daqui saíram dois candidatos a Governador (Lúdio e Pedro). Ambos têm um perfil político-ideológico mais progressista do que os respectivos blocos de poder por eles liderados. Aqueles outros vértices do campo político estão divididos entre estes dois candidatos, com a candidatura Riva em voo solo. Lúdio traz em sua coligação partidos como PR e PMDB e Taques coligou-se com PP, PTB e Democratas.  Isto repete um padrão verificado nas eleições presidenciais de “ganhar a eleição com a esquerda e governar com a direita”, já que as bancadas estaduais eleitas pelos seus respectivos partidos serão muito pequenas. Isto os obrigará a uma composição na Assembleia Legislativa que deslocará o centro de gravidade programático do governo. Vejamos se esta eleição nos mostrará algum realinhamento de forças.   

Vinicius de Carvalho Araújo é gestor governamental do Estado, mestre em História Política, professor universitário e escreve neste Blog toda quarta-feira vcaraujo@terra.com.br www.professorviniciusaraujo.blogspot.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • pedro americo | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 13h40
    0
    0

    Grande Vinicius, competência e seriedade no programa chamada geral de LINO ROSSI, como é cara de pau este lino rossi, fica falando mal dos políticos no seu programa, como vereador e deputado federal, fez o quê? nada. Pura demagogia cinismo e falta de vergonha na cara, só falta querer candidatar ainda. isto também vale para o Sr. Roberto França do RESUMO DO DIA, que durante 08 anos teve que fazer empréstimo em nome dos servidores municipais para receberem seu próprio salário, com juros altíssimos para o município(contribuintes), enquanto isso para o TCE/MT foi tudo legal, mas para nós foi imoral e lesivo aos cofres públicos.

horário eleitoral | 16/09/2014, 19h:16 - Atualizado: 17/09/2014, 12h:53

Juiz do TRE vê injúria e suspende peça de Wellington contra Salles em programa


Davi Valle

capa wellington

 Conforme os autos, Wellington apresentou programa com conteúdo injurioso

O juiz Alberto Pampado Neto, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), acatou na tarde desta terça (16) o pedido da coligação Coragem e Atitude para Mudar  e do candidato ao Senado Rogério Salles (PSDB) e proibiu a exibição do programa eleitoral do adversário  Wellington Fagundes (PR), no qual o tucano é acusado de “mentir e tentar iludir o eleitor para conseguir votos”. A decisão ainda prevê multa diária de R$ 5 mil e determina que o programa seja suspenso imediatamente.

 Conforme os autos, propaganda possui conteúdo injurioso, por isso, não deve mais ser veiculado. Alberto Pampado Neto também reforça que a propaganda no horário gratuito pode até apresentar críticas, mas que elas não devem ultrapassar os limites do questionamento político e do natural jogo de ideias e que não descambem para o insulto pessoal ou para degradação e ridicularizarão do candidato.

Na decisão, o magistrado notifica a TV Centro América que é geradora do sinal, para abster de veicular a propaganda citada nos autos. E caso a coligação Amor à Nossa Gente não substitua a mídia, deve-se conter na legenda do horário destinado “Corte Efetuado pela Justiça Eleitoral”, diz trecho da decisão.

Ao comentar a decisão, Rogério Salles  declarou que sua política tem sido pautada em projetos, apresentando soluções. O tucano ainda se defende afirmando que nunca atacou Wellington na ordem pessoal, mas pontuou que questiona os posicionamentos do republicano, que é deputado federal, e que de acordo com ele, propôs a divisão do Estado duas vezes. “Mas infelizmente ele tem usado o horário eleitoral e a imprensa para me atacar na ordem pessoal e se nega a dar uma resposta concreta”, disse.

Em contrapartida, a juíza do TRE Ana Cristina Silva Mendes proibiu em decisão deferida ontem (15), que Rogério Salles fale que seu adversário Wellington é favorável à divisão do Estado. O tucano já foi notificado da decisão.

Juíza proíbe Rogério Salles de acusar Wellington sobre divisão do Estado

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • luís de paula | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 09h19
    5
    4

    welton é o cara que mato grosso precisa pra mudar o interior esta com você

| 16/09/2014, 18h:20 - Atualizado: 17/09/2014, 09h:17

Ao vivo, às 8h30, presidente do DEM em MT, Julio Campos, responde internautas


Iara Rezende/RDNews

julio_reuniao_500.jpg

Presidente do DEM-MT, Julio Campos, é o convidado  ao vivo do RDTV nesta 4ª - mande sua pergunta

O presidente do Democratas em Mato Grosso, Julio Campos, é o convidado ao vivo do RDTV desta quarta (17) para revelar as expectativas da legenda a fim de garantir o maior número possível de eleitos às vagas da Assembleia Legislativa e da Câmara Federal assim como falar sobre o trabalho desenvolvido para fortalecer as candidaturas de Pedro Taques (PDT) ao Governo e Rogério Salles (PSDB) ao Senado já que a sigla compõe a coligação “Coragem e Atitude pra Mudar” formada por 13 agremiações.

Para colaborar com esse bate-papo, que começa às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no botão RDTV no topo do portal RDNews. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Confira também os detalhes do lacre das urnas eletrônicas que serão usadas no primeiro turno das eleições-2014.

Postar um novo comentário

| 16/09/2014, 16h:26 - Atualizado: 16/09/2014, 16h:31

PSD só deve eleger um deputado federal


Fernando Ordakowski

charge_daltro_eliene.jpg

Vice-governador Chico Daltro e Eliene Lima brigam pela única vaga disponível ao PSD na Câmara

A mudança de cabeça de chapa ao Governo, de José Riva para Janete Riva, trouxe mais aflição para os candidatos proporcionais. Na chapa de deputado federal havia uma expectativa otimista de garantir até duas das oito cadeiras. Mas, agora o temor é de fazer no máximo uma vaga. Por isso, a briga se acirra entre o vice-governador Chico Daltro e o já federal de dois mandatos Eliene Lima. O primeiro dispõe de maior estrutura e de poder de articulação. Eliene, por sua vez, faz o chamado trabalho “formiguinha” e dessa vez não terá o padrinho José Riva, em cujo ombro se apegou nas duas eleições à Câmara.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Marcia/ Paranatinga | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 11h52
    3
    3

    Eu acredito na eleição do Chico Daltro, admiro um político que está a tantos anos e continua um nome limpo, fora que venho acompanhando estes anos todos porque já vai ser a 5 vez que voto nele...e cada vez mais vejo o qto já fez pelo Mato Grosso

  • Juca do Pequi | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h48
    7
    5

    Graças a Deus nenhum dos dois será eleito!

  • MARIA | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h22
    7
    5

    COM CERTEZA O ELEITO SERÁ O DEPUTADO ELIENE LIMA , POIS DOS 2 É O MELHOR PREPARADO PARA CONTINUAR NOS REPRESENTANDO EM BRASÍLIA.

| 16/09/2014, 14h:49 - Atualizado: 17/09/2014, 12h:54

Assembleia deverá receber ao menos 15 novos deputados - saiba quem são cotados


A Assembleia deve receber ao menos 15 novas caras, que passarão no teste das urnas de 5 de outubro para atuar na próxima legislatura. Mesmo com 336 candidatos para as 24 cadeiras, é possível arriscar quem serão eleitos e/ou reeleitos ou que apresentam chances reais de êxito nas urnas, considerando estrutura logística e financeira de campanha, coligação, potencial eleitoral, histórico e serviços prestados. Dos 24 parlamentares, 9 não buscam novo mandato, o que contribui para expectativa elevada do percentual de renovação, podendo chegar a 65%.

A coligação considerada mais “pesada” é a que reúne o blocão de 5 partidos: PT, PR, Pros, PMDB, Pros e PC do B. Nos bastidores, acredita-se na conquista de ao menos 10 vagas. E entre os mais cotados estão 8 deputados. Os “novatos” desse grupo com possibilidades de garantir vaga são o advogado Francisco Faiad, o ex-secretário de Governo de Sinop, Silvano Amaral, os ex-prefeitos Zózimo Chaparral (Barra do Garças), Altir Peruzzo (Juína) e Valdir Barranco (Nova Bandeirantes), além do vereador cuiabano Alan Kardec.

O PSD, que lançou chapa pura, espera conquistar entre 4 e 6 vagas. Os maiores destaques são os já deputados Walter Rabello e Zé Domingos, o suplente Luizinho Magalhães, e também os novatos Janaína Riva e Meraldo Sá.

al composicao deputados

Em meio a uma "inflação" de candidaturas, surge relação dos mais cotados para deputado estadual

A chapa PSB-PP pode conquistar entre uma e três vagas. Na lista dos mais cotados estão o empresário Eduardo Botelho, o ex-reitor da Unemat Adriano Silva e os ex-prefeitos Max Russi (Jaciara) e Oscar Bezerra (Juara).  A chamada Frentinha, com 5 partidos e liderada pelo Solidariedade, deve fazer um deputado, cuja vaga estaria sendo disputada entre Zé do Pátio e Adalto de Freitas, o Daltinho. Saiba mais no quadro acima.A tríplice-aliança PSDB-PDT-DEM reúne condições de assegurar até 5 vagas. E os que mais se destacam são os já parlamentares Guilherme Maluf, Zeca Viana e Dilmar Dal Bosco. Também estão no páreo Wilson Santos, Carlos Avalone e o cacerense Leonardo Albuquerque.
 

Postar um novo comentário

Comentários (33)

  • Jardes Felix de Macedo | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 03h45
    0
    1

    Cáceres MT Juntos somos fortes, nós professores e muitos diretores das escolas pública, em todo Mato Grosso, estamos com o candidato Allan Kardec. A vitória é do povo!!!!

  • Max | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 11h24
    1
    1

    Como o dep português fica atrás de nomes que estão vindo agora... Que utopia é essa??? Vai dar uma volta na região Oeste Romilson

  • Juca do Pequi | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h32
    2
    1

    Na coligação Coragem e Atitude para Mudar III tem mais de 30 candidatos a deputado estadual. Farão uma vaga, que será de Wancley, Taborelli, Dirceu Cosma ou ainda outro. Mas farão com certeza!

  • jeferson luis m. dos santos | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h15
    0
    8

    a coligação PP/PSB vai eleger o DEPUTADO DEUCIMAR, homem competente e corajoso.

  • Rebeca Cantarelli de Mello | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 09h58
    2
    5

    PPS-PTB-PSL, possuem Emídio, Reginaldo Santos (apoiado pelo Percival) e Neto Galindo, somente esses dois, já conseguem 30 mil votos. E Zulu Moto e Junior Chaveiro, mais 10 mil votos. Eles fazem 1 Deputado, que deve ser o Reginaldo, com Galindo de primeiro suplente. Na chapa do PV-PRP-PSC, vai ser o Dirceu eleito com apoio dos prefeitos de Mutum e Lucas, há o Wancley com o apoio do prefeito de Lacerda, o Taborelli que teve 10 mil votos, o Madureira e o Milton, apoiado pela Igreja do Valdomiro. Além do PRB, com o Rogério da Universal.

  • jeferson luis magalhaes dos santos | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 09h44
    1
    1

    jeferson luis magalhaes dos santos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • IVAN NUNES | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 08h15
    1
    1

    IVAN NUNES, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • leci | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 06h53
    0
    2

    leci, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Plauto Augusto | Terça-Feira, 16 de Setembro de 2014, 22h59
    3
    4

    Caro amigo Romilson Dourado compartilho com as estatísticas e possibilidades, projeções e nomes, mas em números de prováveis eleitos discordo penso que 02 vagas dessas vagas podem migrar para as outras 02 frentinhas só uma dessas frentinhas tem nomes como Wancley, Taborreli,na passada fez 11.500 Madureira e Dirceu dos 04 três são vereadores e o quarto é secretário de Pivetta tem ainda Milton Rodrigues que na ultima fez 9.000 votos, oque você me diz pense bem só esses 05 fazem juntos mais de 65.000 votos grande abraço Deus te ilumine...

  • Lucas Miguel | Terça-Feira, 16 de Setembro de 2014, 22h27
    5
    3

    O Rdnews acha que o PPS, PTB e PSL não faz um. Se o Romilson analisar ele vai ver que ele esta errando.

| 16/09/2014, 13h:57 - Atualizado: 16/09/2014, 13h:59

Secopa ganha 15 dias para contratar nova empresa responsável por perícia em obras


A Secopa terá mais 15 dias para contratar a empresa especializada em perícia a fim de elaborar laudos de segurança dos viadutos e trincheiras em construção em Cuiabá e Várzea Grande. A prorrogação do prazo foi submetida e anuída pelo Pleno do TCE e liberada, nesta terça (16), pelo relator das contas anuais da Secopa, conselheiro Antônio Joaquim.

Segundo o secretário da Secopa, Maurício Guimarães, a extensão do prazo é em razão de duas empresas demonstrarem interesse no serviço, contudo, solicitaram visitas in loco, que devem ocorrem nesta semana, em todas as obras antes da elaboração do orçamento. Maurício ressalta ainda a importância de atendê-las, visto que é pequeno o rol de empresas especializadas em perícia.

A contratação por parte do Governo foi determinada pelo conselheiro em decorrência das notícias de possível desabamento do viaduto da Sefaz, que está interditado desde agosto devido às rachaduras na estrutura. A estimativa de reestruturação do elevado é de 4 meses. Além disso, conforme Antônio Joaquim, a perícia irá apontar soluções para eventuais problemas detectados nas obras.

Em paralelo ao trabalho do TCE, o Ministério Público também faz acompanhamento nas obras. Neste sentido, os órgãos fiscalizadores estudam a hipótese de processar os responsáveis pelos caos gerados à população. (Com Assessoria)

Após interdição de viaduto, TCE quer perícia em todas as obras da Copa

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • LUCIA | Terça-Feira, 16 de Setembro de 2014, 22h15
    4
    0

    PARA QUE CONTRATAR UMA EMPRESA PARA FAZER VISTORIA? PORQUE NÃO PEDE LOGO ESTA VISTORIA JUDICIALMENTE E PAGA SOMENTE UM CUSTO. BASTA DO DINHEIRO PUBLICO VAZAR PELO RALO.

| 16/09/2014, 12h:27 - Atualizado: 16/09/2014, 12h:37

TRE autoriza candidatura de Meraldo à AL


Rodinei Crescêncio

meraldo_capa.jpg

Ex-secretário Meraldo Sá ganha aval para disputar as eleições deste ano

O TRE acolheu os embargos declaratórios impetrados por Meraldo Sá (PSD) que, agora, está apto a disputar a eleição deste ano como candidato a deputado estadual. A decisão do juiz federal, Pedro Francisco, ocorre após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) ter concedido liminar ao social-democrata, suspendendo os efeitos da condenação por porte ilegal de arma, que havia barrado o seu registro de candidatura.

O aval para Meraldo, ex-secretário de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar, foi indeferido pelo TRE por ter tido decretada a suspensão dos seus direitos políticos em razão de condenação criminal, que ainda tem recurso a ser julgado. Na primeira decisão, ele foi penalizado com prestação pecuniária no valor de 10 salários mínimos e prestação de serviços à comunidade.

De acordo com o relator, Pedro Francisco, houve omissão no acórdão recorrido, na medida em que não se pronunciou sobre o confronto entre as certidões negativas expedidas pela Justiça Comum e as anotações constantes dos registros da Justiça Eleitoral.

“Nessa mesma linha de compreensão, diante na suspensão dos efeitos da decisão condenatória, posteriormente comprovada nos autos, o acórdão que denegou o pedido de registro de candidatura encontra-se em contradição com a prova dos autos, circunstâncias que impõem o acolhimento dos declaratórios”, diz trecho da decisão do juiz.

Postar um novo comentário

| 16/09/2014, 10h:45 - Atualizado: 16/09/2014, 11h:08

MP solicita a suspensão de contrato de R$ 22 mi da Prefeitura de Sinop com Oscip


Rdnews

Juarez Costa hj2

Prefeitura de Sinop, sob Juarez Costa, já ultrapassou o limite de contratações

O Ministério Público, por meio da 4ª Promotoria de Justiça Cível de Sinop, ingressou com ação contra o prefeito Juarez Costa (PMDB). O objetivo é requerer a suspensão do contrato firmado entre a prefeitura e a Agência de Desenvolvimento Econômico e Social do Centro-Oeste (Oscip Adesco). O MP sustenta que a contratação, ao custo de R$ 22 milhões, tem por finalidade a terceirização de pessoal para a prestação de serviço público.

De acordo com a promotora, Audrey Illity, a prefeitura vem burlando a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), no que se refere ao limite estabelecido para gastos com pessoal. Além disso, segundo ela, a cidade não realiza concurso há quase sete anos. “Não bastasse esta situação caótica e até surreal, o município celebrou a referida parceria com o objetivo de terceirizar servidores para desenvolverem atividades-meio e atividades-fim da administração pública”, diz a ação.

Segundo a promotora, serão terceirizados 250 cargos, que, na gestão pública de Sinop, têm direito a Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos. Até o momento, a Oscip Adesco já realizou processos seletivos para preenchimento de vagas de auxiliar administrativo, de consultório dentário, biomédico, farmacêutico bioquímico, enfermeiro, técnico em enfermagem, técnico de laboratório e odontólogo.

No decorrer da instrução do inquérito civil, o Ministério Público requisitou informações da Unidade de Controle Interno de Sinop e comprovou que, desde 2013, a prefeitura vem extrapolando o limite máximo de despesas com pessoal, que é de 54%. No terceiro quadrimestre de 2013, atingiu 55,46% e, no primeiro quadrimestre deste ano, 56, 895%.

Conforme a promotora de Justiça, a omissão do Executivo em realizar concursos já levou o Ministério Público a ingressar com duas ações civis públicas contra o município. “Além de ardilosa e absolutamente imoral, reafirma um cenário de absoluto descaso quanto à prestação de serviços públicos em Sinop, de consequência descaso em relação à população, descaso quanto os princípios da administração pública”, acrescenta.

Além da suspensão dos efeitos da parceria firmada entre o município e a Oscip, o MPE requereu ao Poder Judiciário que determine a imediata regularização dos limites estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal. No julgamento de mérito, o MPE pleiteia a declaração da ilegalidade da parceria e a devolução aos cofres públicos de todos os valores despendidos com a parceira.

 Além do prefeito Juarez, foram acionados o secretário municipal de Saúde, Francisco Specian Junior; o presidente do Conselho Deliberativo da Oscip, Donizete da Silva; e a Adesco.

O telefone do prefeito Juarez Costa estava desligado  e não retornou a ligação para comentar a denúncia. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • josé carlos | Terça-Feira, 16 de Setembro de 2014, 14h49
    2
    0

    O MP tem que proibir a prefeitura de entregar o sistema de Àgua para iniciativa privada, sofremos muito no passado com a falta da água e agora que estamos com fartura vai vender, ai vamos pagar caro. e o pior é que nenhuma cidade com concessão da água esta contente com esta mudança.

| 16/09/2014, 07h:17 - Atualizado: 16/09/2014, 07h:25

Fidelidade é entre político e eleitor

olga_artigo_domingo

Olga Lustosa

Sem protesto público, sem provocações, oposição e desafios, a democracia morre. Diria que, quase sem exceções, os políticos brasileiros estão provando do próprio veneno ao não levarem a sério a reforma partidária. O sistema político é irremediavelmente antiquado e esta é uma das razões do distanciamento entre os políticos e o cidadão e entre o cidadão e o voto.  As campanhas eleitorais hoje estão demasiadamente despolitizadas e a principal lição a aprender não é ideológica, mas prática. O estado pode ser popular, pode ser grande, mas tem que funcionar. Temos que pagar impostos, mas os serviços públicos e privados, sobretudo educação, saúde e transportes devem ser decentes; os programas de benefícios devem existir, porém, devem ser colocados em bases sólidas para evitar o comprometimento das políticas públicas em favor de gerações futuras. É preciso combater a desigualdade com um modelo de estado eficiente e ágil. É crucial que o governo esteja disposto a acabar com a corrupção.

Muitas pessoas e toda a classe política está consciente dos problemas gigantes que fragilizam o sistema político vigente, que vão da impunidade à maneira nada convencional pela qual os empresários ricos controlam a política, promovendo o financiamento de campanhas. Porém, a reforma política está emperrada e é empurrada desde que inicialmente fora trazida à tona, décadas atrás. Enquanto isso vê-se uma desordem constituída e legalizada, com a atuação de 32 partidos compondo o quadro político brasileiro. É do entendimento do  ministro do STF e presidente do TSE,  Dias Toffoli, que as decisões judiciais andam em desacordo com a realidade do mundo político, que o horário político na TV virou business e que a discrepância entre as coligações regionais e a nacional é cada vez maior. Ao falar sobre a fidelidade partidária, disse que a proliferação dos partidos ocorreu porque a Justiça determinou que se mudar de partido, o político eleito perde o mandato, mas se criar partido, não. Então, eles criam partidos.   

Temo que haja um abismo cada vez maior entre os grandes partidos e o eleitor, porém está cada vez mais tênue a linha que separa alguns setores que se dizem oposição mas tem relação íntima de negócios com o governo. Para mudar as práticas políticas talvez seja necessário renovar e renovação não tem ligação direta com idade, mas com perspectivas e estabelecimentos de novas formas de fazer política. Convenções mais democráticas e transparentes seria um bom começo e de fato, é onde as candidaturas começam. Depois, é só abandonar as velhas práticas ortodoxas de poder excessivo, de familiocracia, direita e esquerda e favorecimento aos aliados. A aliança deve ser com o povo, fundada em boas ideias para dar fôlego novo ao espectro político. 

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Gutemberg Abreu | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 14h43
    0
    1

    O debate de propostas entre os candidatos e as classes representativas está fora dos planos de governo o que leva a população ao descrédito em relação aos políticos que em todas as campanhas defendem as mesmas propostas mas na prática não fazem nada pela reforma politica. Defendo mandato de 5 anos sem reeleição e eleições gerais, o povo não aguenta mais tanta mentira!

| 15/09/2014, 19h:00 - Atualizado: 16/09/2014, 09h:09

Ao vivo, presidente do Sintep-MT, Henrique Lopes, responde perguntas dos internautas


Arquivo/RDNews

henrique - sintep

Henrique Lopes do Nascimento, que é o presidente do Sintep-MT, ao vivo no RDTV desta 3ª - participe

O RDTV desta terça (16) conta com a participação ao vivo do presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso, Henrique Lopes do Nascimento, para repercutir os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que apontaram o Estado abaixo da meta projetada para 2013 em alguns casos, e os investimentos feitos pelo Governo do Estado no setor.

Para colaborar com esse bate-papo, que começa às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no botão RDTV no topo do portal RDNews. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz os detalhes do treinamento realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) com os técnicos responsáveis pela transmissão via satélite dos dados das urnas eletrônicas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia das eleições-2014.

Postar um novo comentário

INíCIO
ANTERIOR
1 de 715