Cuiabá, 28 de Abril de 2015
  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

Várzea Grande | 04/01/2014, 11h:30 - Atualizado: 04/01/2014, 20h:18

Até dia 30, Jaqueline deixa Saúde para concorrer a deputada federal


 

 

capa-jaquelinehj3.jpg

Secretária de Saúde de VG Jaqueline Guimarães sairá candidata à Assembleia

  O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), estabeleceu prazo até 30 de janeiro para que os integrantes da administração que pretendem disputar as eleições deste ano entreguem os cargos. Na lista das possíveis exonerações está a primeira-dama e secretária de Saúde Jaqueline Guimarães, além do diretor do Pronto-Socorro Renato Tetila.

  Os substitutos serão escolhidos por Walace a partir de critérios técnicos. Segundo o peemedebista, a gestão da saúde não deve ser partidarizada. “Não vamos politizar a saúde. A escolha é pessoal já que a responsabilidade e as cobranças recaem sobre mim”, afirmou.

  Jaqueline, que irá tirar 10 dias de recesso para descansar com a família, deve pedir exoneração do cargo no próximo dia 15. Fora do comando da Saúde, pretende intensificar a articulação da candidatura a deputada federal.

  Essa não é a primeira vez que Jaqueline tanta uma vaga na Câmara Federal. Em 2010, pelo nanico PHS, a secretária de Saúde chegou perto de conquistar uma vaga ao obter 31.921 votos, que garantiu o posto de primeira suplente do deputado federal Eliene Lima (PSD).

  A primeira-dama se filiou ao PMDB em setembro do ano passado com a justificativa de que no mesmo partido do marido, poderá trabalhar melhor sua candidatura. “A candidatura é viável. A consolidação depende da análise feita em conjunto com o partido”, explica Walace.

  Outro que deve deixar o staff nos próximos dias é Tetila, que pretende disputar uma cadeira na Assembleia. Ele se filiou ao PP com intuito de ampliar a bancada progressista, atualmente formada pelos deputados Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja.

Jacqueline ingressa no PMDB para tentar Câmara Federal

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Julio Muzzi | Sábado, 04 de Janeiro de 2014, 22h51
    2
    0

    Ambos são boas pessoas, bem articulados, e que vem lutando por Varzea Grande.

  • diego | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 23h41
    3
    1

    diego, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuzi Kalafate | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 22h08
    3
    2

    É uma pena né, quando a pessoa vai querendo acertar, vem a Política e tir do lugar gerando descontinuidade na administração

  • Elifas Jose Ribeiro Ribeiro Ribeiro | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 20h58
    1
    4

    Serå que ela ira descansar onde ?junto com os pobres da periferia de vadju? Pra dai ja ir angariando votos pra dep.federal? Acho ela vai pra zöropa (sic).miami.

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 18h09
    5
    1

    Mato Grosso e suas capitanias hereditárias. Aqui é mesmo um feudo!

| 28/04/2015, 12h:27 - Atualizado: 02h atrás

Riva deixa colegas da AL em saia justa ao chamá-los como testemunhas de negócios


José Riva, preso há 67 dias na casa de Custódia de Cuiabá, está deixando constrangidos e em saia justa os seus colegas da legislatura passada, principalmente aqueles deputados que, assim como ele, integraram a Mesa Diretora. Os arrolou como testemunhas dos negócios que são considerados pelo Ministério Público de difícil explicação.

Gilberto Leite/Rdnews/arquivo

dilmar dla bosco 240

Dilmar Dal Bosco (DEM), reeleito e um dos deputados arrolados por José Riva como testemunhas, dirá que não checava compra de materiais pela antiga Mesa

O ex-presidente da Assembleia e agora recluso tem em seu poder um trunfo. Trata-se de um documento com assinatura da maioria dos parlamentares da época - alguns deles se reelegeram -, atestando recebimento de calhamaço de material de expediente.

Riva acha que, com isso, figuras como o deputado Dilmar Dal Bosco (DEM) e os ex-parlamentares Airton Português, Luiz Marinho e Antonio Azambuja, vão defendê-lo no processo em que é acusado de fraudes e de desfalque de R$ 62 milhões da Assembleia. Os quatro foram intimados a prestar depoimento como testemunhas à juíza Selma Rosane, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá. Outros constam da lista de testemunhas de Riva, como Romoaldo Júnior, Mauro Savi, Guilherme Maluf e Sérgio Ricardo.

Eles estão temerosos. Devem muitos favores a Riva mas, como este os jogou na fogueira, vão se esforçar para sair desse purgatório o menos queimado possível. Sob orientação jurídica, afinaram o discurso.

Vão alegar em juízo que podem até ter atestado recebimento de mercadorias, especialmente de material gráfico, mas fizeram isso de "boa fé", sem fazer conferência, acreditando que tudo estivesse dentro das normalidades. Ensaiaram dizer também que dos sete cargos da Mesa, apenas dois administram efetivamente a Casa, que são o presidente e o primeiro-secretário (ordenar de despesas). Em síntese: as testemunhas graúdas em nada vão ajudar Riva. Aliás, podem até complicar mais ainda a situação do ex-deputado por cinco mandatos.

Postar um novo comentário

| 28/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 27/04/2015, 14h:37

Somos filhos do mesmo pai?

Olga_200_fora

Olga Lustosa

As migrações, desde a Idade Média, tem afetado toda sorte de indivíduos que procuram proteção dentro dos muros das cidades.  O movimento de pessoas e migração dos povos tem sido expressa de várias formas nos séculos XX e XXI; são trabalhadores, refugiados, perseguidos, indivíduos desempregados, buscando melhores condições  e colocações no trabalho e na sociedade. Atravessam nações, continentes, culturas e contradições, numa viagem mitigada pela esperança e medo. Embrenham-se numa travessia cara e insegura, para oferecer mão de obra pouco qualificada, para serem considerados classe de "pessoas perigosas”, para serem humilhados e ignorados em muitos destinos.

São milhares de pessoas que movem-se em todas as direções. São migrantes, imigrantes, emigrantes, retirantes, seres errantes. São irmãos, que compartilham a travessia, com as inquietações que afligem toda tragédia errática. A grande maioria castigados já são em seus cotidianos e agora levados pelo destino, mesclam suas carências com esperança, são tangidos pela incompreensão  dos que não conseguem enxergar além de seus muros.

"Rocco e seus irmãos” é um belo filme de Luchino Visconti,  que narra a saga de uma família Italiana pobre, do campo, que migra para a moderna Milão, buscando condições melhores de vida. Tentam manter-se unidos na assustadora cidade grande, porém não conseguem evitar que o dinheiro fácil, a traição, a ganância seja o palco das tensões que modifica e deteriora os laços familiares entre a mãe viúva e seus quatro filhos. 

A família Parondi  é abrigada em um cortiço e vive de pequenos bicos, como retirar neve das ruas. Porem, apesar da vida dura e das vicissitudes, os Parondi agarram-se às oportunidades, determinados a vencer. Rocco une-se ao exército e ajuda os irmãos a conseguirem trabalhos na Milão, que está um canteiro de obras, recuperando-se da destruição causada pela Segunda Guerra Mundial. A família Parondi acaba sendo vítima da prostituição, do dinheiro sujo, dos heróis descartáveis de fama instantânea e o desvirtuamento de um dos irmãos, ocasiona a desagregação da família que depende da intervenção de Rocco para salvar o que resta nos escombros sentimentais.

Assim como a família Parondi, retratada no filme de Luchino Visconti, muitas famílias haitianas são abatidas pela tragédia dos relacionamentos que se perdem na distância e no tempo da separação. No longo prazo, entretanto, povos e raças que vivem juntos, compartilhando a mesma economia, inevitavelmente se cruzam e desta forma, as relações que eram apenas de cooperação e economia, tornam-se social e cultural. A maioria dos haitianos vem de pequenas cidades. Cuiaba, parece-lhes grande e bruta e estão cientes que será muito difícil ascender socialmente, trabalhando na construção civil, enfrentando a tensão do idioma, das práticas religiosas, da desconfiança, do preconceito. 

Assim, os haitianos, homens marginais vivem seus dilemas. Uns se adaptarão, aprenderão a conhecer seus direitos, cumprir com seus deveres, outros desistirão e farão de volta aquele caminho que parecia não ter volta. Nada foi feito para facilitar a vida dos que escolheram ficar em Cuiabá, nenhuma política pública voltada as necessidades dos haitianos foi implantada.

Talvez não falte trabalho, se continuarem não importando-se em ignorar suas ambições, se continuarem levantando paredes falando quatro idiomas. Crescer?  O migrante sabe que é inevitável, embora indesejável, que aceite qualquer ocupação nesse estágio transitório. Só que o que é transitório não pode levar tanto tempo. 

Entretanto não se vive apenas de emprego e estamos falando da vida em geral, da aceitação, da vida social, do amparo legal, das oportunidades de crescer, de trazer as famílias, de se firmarem como indivíduos na sociedade cuiabana e mato-grossense. Nessa complexa teia é preciso trabalhar políticas públicas que contemplem os estrangeiros, os estranhos, os diferentes; no sentido de facilitar a assimilação, a integração dos imigrantes com o povo local. Creio que os governos devem proporcionar aos migrantes a efetivação de um sistema de igualdade de direitos civis, políticos e sociais, dentro dos padrões oferecidos aos grupos nacionais.

Se somos, como muitos creem filhos do mesmo pai, não devemos ter fronteiras a nos separar ou a nos jogar um contra o outro. É disso que falo, de recriar laços solidários entre os povos e essa questão do acolhimento aos migrantes, remete-me a uma frase de Dom Hélder Câmara, "Quando ajudou os pobres dizem que sou santo, quando falo das causas das injustiças, dizem que sou comunista."

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

| 27/04/2015, 16h:57 - Atualizado: 27/04/2015, 17h:15

Sob risco de perder o mandato, Taborelli deve enfrentar mesmo dilema de Ságuas


Mesmo na trincheira e pronto para o confronto jurídico, o coronel PM da reserva Pery Taborelli (PV) deve mesmo perder a guerra pela cadeira de deputado. Esta semana o TSE põe fim ao imbróglio no processo movido pelo petista Valdir Barranco. Ex-prefeito de Nova Bandeirantes, Barranco alega ter sido perseguido por vereadores, que em 2007 reprovaram as suas contas, mesmo contrariando parecer do TCE.

Cinco dos sete ministros já se manifestaram no sentido de torná-lo elegível. Se nenhum deles reformar a decisão, considera-se Barranco ficha limpa, o que levaria a Justiça Eleitoral a validar os seus quase 20 mil votos. Nessa linha, assumiria quase de imediato a vaga no lugar de Taborelli.

Além disso, outra situação avaliada pelo Corte Superior também é favorável a Barranco, a de que outros dois itens questionados no registro de candidatura (pendências junto ao TCE) não interferem no julgamento que lhe deu direito de concorrer no pleito do ano passado. Os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e João Otávio de Noronha entendem que o caso não precisa retornar ao TRE-MT. Mas o Tribunal Regional não apreciou essas duas situações em 2014. Por isso, há esse impasse no sentido de saber se o TSE já dará o assunto por encerrado ou se o remeterá ao TRE. De todo modo, a defesa de Barranco garante que isso não atrapalha a posse.

Taborelli já avisou que vai bater na porta do Supremo para continuar ocupando cadeira na Assembleia. Até poderá espernear, mas fora do cargo.

Maurício Barbant

peri taborelli 530

Pery Taborelli, que renunciou ao mandato de vereador por Várzea Grande para se tornar deputado estadual

Ele corre risco de viver o mesmo drama do petista Ságuas Moraes, que ganhou para federal em 2010, deixou o cargo de secretário estadual de Educação para atuar na Câmara e, um ano depois, perdeu a cadeira para o tucano Nilson Leitão, em razão do "descongelamento" dos votos do tenente PM da reserva William Dias. O petista só retomou o mandato em outra vaga, a de Homero Pereira, que veio a falecer.

 Em janeiro deste ano, Taborelli renunciou ao mandato de vereador por Várzea Grande para poder assumir como deputado. A sua carreira meteórica nos últimos três anos, decolando de vereador para deputado, agora está prestes a implodir. Sem mandato, se inviabilizará até como pré-candidato a prefeito de Várzea Grande no próximo ano, a não ser que seja amparado pelo governador Pedro Taques em algum cargo, já que é considerado aliado.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Jonas | Terça-Feira, 28 de Abril de 2015, 15h42
    0
    0

    Reginaldo, TSE é superior ao TRE. Se o candidato em questão fosse do PSDB, você teria a mesma opinião?

  • REGINALDO | Terça-Feira, 28 de Abril de 2015, 11h38
    0
    0

    ESTE POLITICO FOI JULGADO CLARAMENTE PELO TRE MT DE FICHA SUJA. OU SEJA FICHA SUJA E LEI ELEITORAL NO BRASIL. POR TANTO SE OS MINISTRO DO TSE JULGAR ESTE POLITICO ELEGIBILIDADE... SIMPLESMENTE TEM QUE PEGAR ESSA LEI DE FICHA SUJA E RASGAR E JOGAR NO LIXO.... AGORA QUE ACHAMOS A FALTA DO DIGNÍSSIMO EXCELENTÍSSIMO SR. EX MINISTRO JOAQUIM BARBOSA......

  • Jonas | Terça-Feira, 28 de Abril de 2015, 09h54
    0
    0

    Jonas, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Marcaniano Xômano do Araguaia | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 22h00
    4
    7

    Fica frio xômano o Coronel vai voltar mais forte, e vocês sabem que essa manobra foi para colocar um partidinho de volta pelo menos em uma vaga de Deputado, porque nosso Estado não admite mais esse partidinho no poder, mas esse partidinho esta forte em nivel nacional, mas até em nivel nacional esse partido vai acabar, ma o Coronel vai crescer, porque ele é sangue bom, saibam amigos precisamos desse Taboreli na politica do Mato Grosso, e vamos fazer um limpa nessa Assembleia, tem muitos ali que só querem se dar bem, e o povo do mato grosso, se dar mal.

  • jair | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 19h23
    5
    4

    Enfim a justiça está sendo feita

| 27/04/2015, 10h:20 - Atualizado: 27/04/2015, 10h:21

Veto de Dilma ao FEX prejudica MT

everton_carvalho

Everton Carvalho

Neste momento em que Mato Grosso busca se organizar para a retomada do desenvolvimento em bases sustentáveis, a notícia do veto da presidente Dilma ao Fundo de Apoio às Exportações (FEX) cai como uma “ducha fria” sobre todos aqueles que estão comprometidos com este processo de retomada.

Na nossa visão, Mato Grosso, pela pujança na produção de commodities e do seu potencial em termos de recursos naturais sustentáveis, como os nossos recursos hídricos, minerais, pesqueiros e florestais, tem hoje todas as condições de liderar o processo de retomada de crescimento do Brasil. Porém, para isto, não pode ser penalizado com este veto, pois os recursos do FEX são fundamentais para ressarcir perdas do setor produtivo e para oxigenar o fluxo de capitais necessários para a melhoria da nossa infraestrutura e para incentivos à inovação e incorporação de novas tecnologias adequadas para a exploração sustentável destes recursos naturais com a devida agregação de valor.

Hoje, não só exportamos, gerando grandes superávits nas contas externas do país, como atendemos a expressiva parte da demanda por alimentos no mercado interno, gerando emprego e renda, neste momento de crise econômica – estrangular a economia de Mato Grosso é um “tiro no pé” que a presidente Dilma comete – esperamos que a ação do nosso governador e das lideranças políticas do Estado reverta esta decisão.

Dados da consultoria LCA indicam que Mato Grosso deverá passar imune em relação à recessão prevista para este ano e as projeções para 2016 apontam para um crescimento em nível chinês de 10%. Todos os segmentos produtivos do Estado estão se preparando para esta retomada e o aporte de capitais, a retomada do planejamento estratégico e as ações de implantação dos projetos estruturantes são elementos essenciais para que estas previsões positivas se tornem realidade.

Portanto, o veto da presidente é um entrave significativo a esta retomada, pois retira do Estado R$ 450 milhões, preciosos e esperados pelo setor produtivo, tornando-se imperiosa a reversão desta medida em nome do bom senso e racionalidade econômica por parte do Governo Federal.

Everton Carvalho é engenheiro e presidente da Associação Brasileira de Integração e Desenvolvimento Sustentável e diretor da Câmara de Comércio Brasil-Bolívia da ACRJ

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Jonas | Terça-Feira, 28 de Abril de 2015, 09h56
    1
    2

    Roseli, você entende nada de política. Vai assistir tuas novelinhas da rede Bobo, que disso você entende muito!!!!

  • Roseli Ávila | Terça-Feira, 28 de Abril de 2015, 08h18
    3
    1

    Não consigo entender a política e má gestão desse desgoverno da Dilma. Ela nega investimento nos estados Brasileiros e investe em países vizinhos...

  • francisco José da Silva | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 19h27
    3
    0

    Estado que anuncia calote de dividas consolidadas com fornecedores não pode reclamar de calote do governo federal.....pau que bate aqui...apanha de lá.

  • Alcebíades Carvalho | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 12h40
    2
    0

    Alcebíades Carvalho, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 27/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 27/04/2015, 14h:37

Das Rheingold

sandra_alves_colunista_segunda-feira

Sandra Alves

Sábado à noite! Marcar o salão, passar o dia sem comer para que aquele vestido fique show, torcer para encontrar aquele cara mais tarde. Lavar o carro, tirar um cochilo à tarde, pesquisar onde a festa vai rolar até amanhecer. Ritual de homens, mulheres, seres humanos, enfim.

Mas a pauta não é a rotina, é o poder. Chegar a qualquer lugar, atrair as pessoas para si, dar o tom da conversa, ser aquele que pode, faz e é admirado por todos. A ideia do anel de ouro que pode dar ao seu dono o domínio sobre o universo, independente da influência corrupta na mente de quem o possui, não chega a ser ruim.

Na ópera Das Rheingold (O ouro do Reno), as donzelas do Reno são inconsequentes e cruéis em relação ao cortejo do anão nibelungo. Seus atos possibilitam o roubo do ouro e feitura do anel que dá o poder sobre o universo. A história lida com o tema da busca desmedida pelo poder, envolvendo a renúncia ao amor e contratos inadequados.

Encontrar a pessoa, não qualquer pessoa, mas sim aquela pessoa, a que causa taquicardia quando aparece on line, a que te faz mudar a roupa, o sapato, o cabelo, tudo. E o poder do seu anel colocará este ser tão perdido e submisso a você, quanto você sente-se por ele.

E este é o exato ponto em que a humanidade se perde. Quando você alcançar algum nível de poder - seja em relação à pessoa, à empresa, ao negócio, à política - e estiver realmente apaixonado por sua convicção, é muito provável que uma viseira te impeça de olhar para alguma alternativa que não seja a sua.

Na política, na economia, na indústria, no relacionamento pessoal, ocorre o tempo todo. A busca incessante pelo poder, para organizar o mundo, porque você faz apaixonado e com a crença de que o caminho está correto. O problema é que pode não estar.

Por mais que você ame e acredite que é o melhor para todos, o poder utilizado para subjugar alguém ao seu sentimento, ao seu negócio, a sua política, cedo ou tarde, te levará a algum tipo de cegueira. As desmedidas conseqüências do inter-relacionamento de amor e poder, "mistura esquizofrênica" de difícil controle.

Tudo pronto. Hora de sair para a noite. Uma olhada para o anel de canto de olho. Só por hoje! Vou usar o poder do anel para conseguir o ingresso no camarote. Poderia também usar o poder para ter aquele carro, afinal, todos irão ver quando eu chegar. Ah, e bem que aquela pessoa pode ficar comigo sob o influxo do poder, depois deixarei que ela decida, darei a oportunidade de me conhecer, pois, eu a amo tanto. Não fará mal um pouquinho de uso do poder, só por hoje, só mais uma vez!

Será?!

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Celso de M. Custódio | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 11h49
    5
    2

    Lindo demais o texto. Parabéns, Sandra. Cada vez mais me apaixono pela coluna.

  • Arthur Bianchini | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 09h15
    6
    2

    Que fantástico! Amei o texto.

| 26/04/2015, 20h:55 - Atualizado: 26/04/2015, 21h:37

Indicações para cargos DAS no Governo Taques estão na reta final; aliados cobram

Nomes sugeridos pelos 13 partidos da base e por deputados são entregues à adjunta Paolla, que ganha influência na administração


paulo taques 220

Paulo Taques, secretário-chefe da Casa Civil, é quem recebe indicações dos cargos DAS...

O governador Pedro Taques está prestes a fechar as portas das indicações políticas e partidárias para cargos comissionados, embora muitos aliados ainda estejam na expectativa de conquista de espaço. Para o primeiro escalão, o chefe do Executivo não abriu, sequer, uma fenda às sugestões. Já para postos de adjunto agiu com certa flexibilidade política.

O rateio varia de 10 a 20 postos para cada uma das 13 legendas que estiveram no palanque vitorioso de 2014, sendo elas PDT, PP, DEM, PSDB, PSB, PPS, PV, PTB, PSDC, PSC, PRP, PSL e PRB. Os subsídios ficam entre R$ 1,8 mil e R$ 7 mil. São cargos de livre nomeações.

Nas negociações, conduzidas pela Casa Civil, deputados da base também têm direito a alguns cargos. Mas outros que conquistaram cadeira na Assembleia pela oposição e que já se tornaram situacionistas carregam a relação pronta para emplacar apadrinhados na estrutura da máquina.

Segundo informações, dos 24 parlamentares, 19 já contam com indicados no governo. Mas nem todos os nomes foram oficializados ainda.  E há parlamentares reclamando da demora. Ouviram do Paiaguás pedido de trégua. A nova administração cortou mil DAS. Com isso, o projeto de reforma, que ainda será votado na AL, reduz para cerca de 3,5 mil o quadro de comissionados.

paolla reis 220

...com ajuda da adjunto de Relações Políticas, Paolla Reis, que se tornou bastante influente

Dependendo do “grau de importância”, sob a ótica do governo, deputado pode ter mais de 30 cargos. Mas, para a maioria, a abertura é para até 10 indicações, foram aquelas que entram pela cota dos partidos. Taques tem feito espécie de "teste" e também analisado a postura dos parlamentares para saber, de fato, quem atua com fidelidade ao Executivo.

A lista é entregue a secretária-adjunta de Relações Políticas, Paolla Reis, que já atuava nas articulações de Taques quando este exercia mandato de senador. É ela quem faz o encaminhamento tanto ao chefe imediato, secretário Paulo Taques (Casa Civil) quanto ao primo deste, governador Taques.

Ouvido neste domingo à noite por este Blog sobre as indicações partidárias, Paulo Taques afirmou que “a maioria dos 13 partidos já fez as indicações”. Observou, sem entrar em detalhes, que cada partido da base tem uma cota e que a quantidade não chega a 30.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Joao | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 09h30
    11
    3

    Fala que cortou mil DAS, porém o que se vê em algumas secretarias que as contratações estão sendo muito mais do que as que foram cortadas. Diga de passagem que na Casa Civil as contratações estão além do que foram exonerados, falta até lugar para sentarem. E por cima pessoas com pouca bagagem de conhecimento do sistema público. Enfim!! muita demagogia e nada de eficiência nas ações. Esperamos mais ação, menos bla, bla. Vamos deixar o passado e pensar no presente, com ações já estabelecidas no provável plano de governo que deve ter sido elaborado na campanha. Mesmo porque o que se ouve é reclamação da SEMA, SEAF, Saúde....

| 26/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 26/04/2015, 19h:02

Criticar ou não, eis a questão

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Categorias com profissionais unidos, tendo como objetivo as melhorias para a sua classe, lutando por melhores condições de trabalho e para oferecer um serviço público de qualidade para o cidadão é o que sempre esperamos. A qualificação continuada, voltada para a atenção integral e humanizada, sensibilizando tanto gestores como servidores por meio de ações resolutivas são necessárias, porém, para se impor como atores de imensurável importância para a sociedade, não é necessário ações radicais sem antes esgotarem todos e quaisquer meios de negociação.

Duas situações me deixam pensativa sobre o futuro das categorias profissionais: a primeira é quando o individualismo fala mais alto e não conseguimos ver que uma atitude passiva por parte de nossos representantes vale muito mais que o radicalismo exarcebado, e a segunda é quando não participamos do dia-a-dia da luta de classe, não frequentamos o nosso espaço comum (o sindicato por exemplo), não nos colocamos à disposição para discutirmos melhorias, mas, mesmo assim, criticamos as atitudes tomadas (ou não tomadas) que são exaustivamente debatidas na base, antes de serem colocadas em prática.

Só tem o direito de criticar quem participa, isso é fato. Só sabe das derrotas e vitórias quem faz parte do todo, quem dá a cara a tapa, quem opina, concorda, discorda, e está sempre presente em todos os momentos. Uma andorinha só não faz verão, assim como o representante de classe não toma as decisões sozinho, ele é apenas o porta voz de um grupo. Democracia é isso. Quantas vezes as nossas opiniões são votos vencidos, e ao final da discussão o desejo da maioria deve ser defendido com unhas e dentes justamente porque no momento é o que mais estava de encontro às necessidades?

Ao invés de criticarmos os nossos pares, deveríamos pensar em mecanismos para tomadas de decisões conjuntas. Mas, nós estamos preparados para tomarmos decisões? É claro que a escolha nem sempre pode ser a acertada, pois ao optarmos por este ou aquele caminho sempre nos resta o questionamento sobre o resultado da alternativa descartada, e como só temos  apenas um dos resultados fica impossível fazer a comparação.

Para tomarmos uma decisão é necessário conhecermos o problema, mas como faze-lo se não estamos suficiente envolvidos na rotina de nossa profissão. Olhar os acontecimentos de fora, como se estivéssemos na plateia de nossas vidas não é inteligente. Decida-se se envolver. A palavra decisão vem do latim e é formada por dois radicais: de, que significa interromper; e caedere, que significa cortar. Em outras palavras, decisão significa “parar de cortar” ou “deixar fluir”. A tomada de decisão não é um ato, mas sim um processo que pode envolver muita informação, recursos, cultura e objetivos.

Não seja aquele que se esconde em comentários restritos a pequenos grupos, brade em voz alta para que todos possam saber que você tem potencial e pode contribuir positivamente.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

| 25/04/2015, 20h:51 - Atualizado: 25/04/2015, 21h:05

Carta ao governador denuncia ingerência e irregularidades na Colônia das Palmeiras

Na unidade que mais parece condomínio popular atuam mais de 20 agentes para cuidar de 5 reeducandos em regime semiaberto


penitenciária das palmeiras

Vista da Colônia Penal Agrícola das Palmeiras, em Leverger, com somente 4 reeducandos e vários agentes

Uma carta anônima endereçada diretamente ao governador Pedro Taques a qual este Blog teve acesso denuncia irregularidades e ingerência na Colônia Penal Agrícola Rural das Palmeiras, em Santo Antonio do Leverger. Aponta que na unidade, que mais parece um condomínio popular, estão lotados dois diretores e mais de 20 agentes penitenciários para cuidar de apenas quatro reeducandos, que cumprem pena em regime semiaberto. Eram cinco, mas um fugiu recentemente. Entre os muros do presídio, há igreja, quadra de esporte, creche e escola.

Esses agentes poderiam ser deslocados para outras unidades com maior número de detentos e que necessitam de ampliação do quadro de pessoal para atender a demanda.

A carta escrita à caneta numa folha de caderno sustenta que diretores e agentes vivem uma verdadeira mordomia. A viatura estaria sendo usada pelo comando da penitenciária agrícola para serviços particulares. Cita que as casas que abrigam os reeducandos são precárias, necessitando de reforma e manutenção. Segundo a denúncia, a diretoria exige de direito metade de tudo que se produz na roça e na pecuária ou o do que se colhe na hortaliça.

Abaixo reprodução do conteúdo da carta enviada ao governador

Reprodução

carta colonia palmeiras

Carta ao governador revela que na Colônia das Palmeiras há mais de 20 agentes para cuidar de 4 detentos

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • jefferson luis da conceição | Domingo, 26 de Abril de 2015, 19h51
    9
    0

    ai esta cidadã tem coragem por muito brasileiros que veda os olhos, felicidade que deus continue agindo em vosso coração valente de ordem e respeito pelo estado mt fazendo o certo que mt tem certeza do gigante que é. artigo 5º inciso iv da cr 1988 em vigor.

  • Simone | Domingo, 26 de Abril de 2015, 17h09
    9
    0

    sejudh brinca de ressocialização! olha o tamanho dessa área! Sinal de incompetência!

  • Sandra CPA | Domingo, 26 de Abril de 2015, 16h27
    9
    0

    A MUDANÇA AINDA NÃO ACONTECEU NA SEJUDH! TUDO ISSO E MAIS OUTRAS COISAS IRREGULARES E ILEGAIS SÃO MANTIDAS DEVIDO O ESPIRITO DA GESTÃO PASSADA TEREM VICIADOS OS SERVIDORES E QUEM OCUPAM OS CARGOS, AFINAL, AINDA NA SEJUDH, TEM UMA HERANÇA DO SILVAL QUE MANDA MAIS QUE O SECRETARIO NOMEADO PELO GOVERNADOR PEDRO TAQUES. AGUARDAMOS AS MUDANÇAS!

| 25/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 25/04/2015, 14h:13

O consultor de viagens

akio materia estreia colunista

Akio Maluf

Em homenagem ao dia do Consultor de Viagens, nada mais justo que apresentar para  a sociedade a importância desta profissão e os benefícios que um consultor pode trazer à sua viagem, planos e projetos. Assim como você tem o seu médico, professor, dentista e personal trainer, ter seu consultor de confiança só irá lhe trazer agilidade e benefícios em sua viagem. Um consultor de viagens não cuida apenas de emitir-lhe os bilhetes aéreos, mas ele trabalha a sua rota para que ela seja a mais barata possível, ele estuda os mapas das cidades para que seu hotel seja bem localizado e você não sofra com bairros pesados ou com muitos assaltos.

O Consultor (Agente de Turismo) costuma agir nos três momentos de uma viagem: que são a pré-viagem, a viagem e o pós-viagem, pois estão preparados, treinados e disponíveis exclusivamente para atuar em todas as fases com maestria, precisão e carinho.

Durante a fase de pré-viagem os consultores terão disponíveis em seus sistemas os melhores preços em bilhetes, uma gama de hotéis seletos, sistemas para reservas de restaurantes, roteiros prontos, dicas locais e você terá, além da agilidade na confirmação da reserva, a certeza que não irá visitar um hotel que não existe ou que o hotel não recebeu a sua reserva.

Um exemplo bem próximo foi o problema que o Hotel Urbano enfrentou com um fornecedor online de passagens, onde as reservas efetuadas não foram pagas e a Avianca afirmou que não iria embarcar os passageiros, situação triste, pior ainda pois aqueles que compravam suas passagens precisavam brigar contra um computador, um atendente online e um call center que, como sabemos, é feito para você perder tempo e não resolver nada. Mesmo que tal situação viesse a acontecer com o fornecedor de uma agência de viagens (Pouco provável), o seu consultor logo te realocaria em um novo voo ou resolveria o problema, evitando desta maneira horas e mais horas de dor de cabeça e uma provável não viagem.

No que se trata da viagem em si, é sempre importante ter um consultar para qual ligar durante a viagem, você pode precisar da segunda via de algum voucher, documento, numero de reserva, pois não é raro um passageiro esquecer algo e ter um transtorno grande depois tentando encontrar, além de que você pode precisar de assistência para auxiliar com imprevistos e remarcar passagens, hotéis ou reservas de restaurantes.

No pós-viagem, ter um consultor irá facilitar muito a sua viagem, pois não é raro necessitar de auxilio para tramitar um pedido de reembolso para uma seguradora, assim como auxilio para com sua bagagem extraviada e, os comuns, débitos não “conhecidos” no cartão, como por exemplo multas e pedágios não pagos que as companhias debitam nos cartões sem avisar, assim como por qualquer item “quebrado” nos hotéis, situações essas que costumam pegar os brasileiros de surpresa, uma vez que não é “assim que funciona” na nossa cultura.

Portanto, novamente homenageio essa profissão querida, que tem tornado os sonhos de muitas pessoas realidades todos os dias e aproveito para reforçar os pontos positivos de ter o seu consultor particular, pois essa maravilhosa profissão tem sua única e total atenção focada no bem estar de seus clientes, visando sempre o melhor preço, com a melhor acomodação e a realização plena de todos os seus sonhos.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Fernando | Segunda-Feira, 27 de Abril de 2015, 15h47
    2
    0

    Parabéns, eu aproveito pra dizer que sempre viajei por consultores, me lembro bem de ter tido experiências maravilhosas graças a alguns profissionais como o Seiji e a Cilbene.

| 24/04/2015, 17h:19 - Atualizado: 24/04/2015, 17h:21

Wilson é escalado para articular aprovação do Bom Pagador; votação ocorrerá na 3ª


O deputado estadual e líder de Governo na Assembleia, Wilson Santos (PSDB), defende a apreciação, na próxima terça (28), da mensagem de autoria do Executivo que trata do programa Bom Pagador. Com a aprovação do projeto, o Governo deverá quitar cerca de 80% das dívidas deixadas pela gestão passada, sob Silval Barbosa (PMDB).

O projeto está em tramitação e prevê o pagamento de restos a pagar por meio de um leilão reverso, ou seja, recebe primeiro o fornecedor que oferecer o maior desconto. De acordo com o deputado, escalado para articular a aprovação do Bom Pagador, o Governo aguarda a apreciação dos parlamentares para dar início aos pagamentos. 

Wilson ainda ressalta que o governador Pedro Taques (PDT) faz esforço para pagar a dívida de R$ 912 milhões, como forma de não prejudicar os empresários. O parlamentar acredita que a maior parte dos deputados votará a favor, uma vez que Taques atendeu a principal reivindicação do Parlamento, ao anunciar que fará o pagamento em até três parcelas, mas sem desconto, dos credores que têm até R$ 150 mil para receber.

Gilberto Leite/Rdnews

Wilson_Santos

Deputado estadual Wilson Santos (PSDB) é escalado para articular aprovação do Bom Pagador

Segundo Wilson, Silval empenhou R$ 400 milhões nos últimos meses de governo, sem a previsão orçamentária para o pagamento. No total, a gestão passada deixou cerca de R$ 700 milhões de restos a pagar. “Mais de R$ 400 milhões estão aí nos ombros do governador Taques. Muitos virariam de costas e diriam: esta dívida não é minha, não vou pagar. Mas, Taques é diferente, é legalista e aceita paga-la, propondo várias formas de quitar a dívida”.

Para o tucano, a última gestão fez uma barbaridade com as contas do Estado. “A barbaridade é tanta que mais da metade da dívida foi inscrita nos últimos oito meses do ano passado. Algo que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) proíbe”. O deputado ressalta ainda que outros fizeram esta dívida, inclusive, de forma irresponsável e criminosamente. “Mas, o governador assim como fez no início de março, com o Bank of American, pagando R$ 103 milhões por compromissos e dívidas feitas por outros gestores, também honrará centavo por centavo daquilo que é legal. Taques está inaugurando um novo tempo em Mato Grosso, de respeito à legalidade”.

Opções

O pacote de medidas adotado pelo Governo disponibiliza três maneiras para os credores receberem, sendo o parcelamento da dívida com desconto, a compensação dos débitos com créditos relacionados à dívida ativa, bem como um “leilão reverso”, no qual serão feitos pagamentos integrais das propostas vencedoras, ou seja, as que propiciem maior desconto ao Executivo. Além disso, o Governo também anunciou que pagará de forma integral os credores que têm até R$ 150 mil a receber do Estado. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Walter liz | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 21h35
    13
    0

    Ilustre deputado, quem fez a lambança não foi o silval e a turma dele ? , então vá para cima deles é punam eles e não as empresas com este calote.

  • marcos | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 18h24
    13
    1

    nao ia falar mas ao meu modo de ver e conhecer muitoooo bem a casa e seu funcionamento o wilson nao terá vida longa como lider Do executivo... é q para ser lider do executivo perante aos companheiros da casa a pessoa tem ser admirado pelos pares ...como wilson todo mundo sabe que é liso demais ele nao agrega essa simpatia dentro... ali tem q ser do estilo J barreto tranquilo e sereno todo mundo acompanha pelo oq o cara é nao pelo oq o executivo quer

| 24/04/2015, 07h:45 - Atualizado: 24/04/2015, 23h:08

Golpes na obtenção de crédito

elga_figueiredo_imagem_texto_sexta

Elga Figueiredo

Consumidor, muita atenção na hora de fazer empréstimos, financiamentos, depósitos de valores ou qualquer outra transação financeira com uma instituição, confirme se ela está autorizada a funcionar pelo Banco Central. Se alguma empresa lhe oferecer crédito de forma muito vantajosa, facilitada, dispensando avalistas, ou que não façam consultas a cadastros restritivos, desconfie! Essa situação apresenta indícios de golpe.

A rigor, ninguém está livre de sofrer o famoso golpe do crédito, portanto, na contratação de operações de empréstimos ou financiamentos, todo cuidado ainda é pouco! Procure sempre uma instituição autorizada pelo Banco Central, em hipótese alguma forneça seus dados pessoais nem cópia de documentos para desconhecidos, nunca faça nenhum depósito inicial para obter empréstimos, principalmente, em contas de pessoas físicas.

E ainda, evite fazer empréstimos com empresas desconhecidas que veiculam anúncios em jornais, internet ou outros meios de comunicação e que não possuam uma sede física, ou seja, um endereço conhecido.

No caso dos aposentados que são as vitimas preferidas dos golpistas nos empréstimos consignados, devido à hipossuficiência, por recebem pontualmente, e pela garantia do benefício até o fim da vida, o que facilita a liberação do credito, varias medidas foram tomadas para resguardar a terceira idade: os pagamentos de bancos denunciados por irregularidades nos empréstimos serão bloqueados, como também, vale enfatizar que só é permitido que o aposentado comprometa, no máximo, 30% do orçamento, mesmo que faça mais de um empréstimo.

Existem varias normas previstas no amparo legal ao consumidor na hora da busca por credito que são importantes aos mesmos o conhecimento destas, como: a obrigatoriedade de as instituições financeiras emitirem, em cinco dias úteis, boleto ou documento de pagamento detalhado, quando o beneficiário quiser quitar antecipadamente suas operações de empréstimo ou com cartão de crédito. O boleto ou documento de pagamento informará o valor total do empréstimo, o desconto para o pagamento antecipado e o valor líquido a pagar. 

As instituições também devem informar previamente, o valor total financiado, a taxa mensal e anual de juros, acréscimos remuneratórios, moratórios e tributários, o valor, número e periodicidade das prestações e a soma total a pagar por empréstimo. Ao assinar o contrato, o beneficiário deverá exigir sua via, impreterivelmente! 

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Mr. Peter Johnson | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 18h41
    7
    0

    Mr. Peter Johnson, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 24/04/2015, 00h:46 - Atualizado: 24/04/2015, 01h:02

Serys deixa bandeiras à esquerda, se filia ao PRB da Universal e quer ir à prefeita


serys marly 530

Ex-deputada e ex-senadora, Serys Marli saiu do PT em 2012, passou pelo PTB e agora decide aderir ao PRB

A ex-senadora Serys Marli, professora aposentada da UFMT, decidiu se filiar ao nanico PRB, ligado à Igreja Universal do Reino de Deus do bispo Edir Macedo. Este Blog apurou que a decisão, a ser oficializada nos próximos dias, será recebida com surpresa até pelos aliados da ex-petista e ex-petebista. Para quem deseja disputar as eleições municipais de 2016, deve estar filiado até um ano antes do pleito.

Aos 69 anos, completados no dia 4 deste mês, Serys salta de um extremo para outro. Foi de militância à esquerda por décadas, inclusive em defesa das minorias e da bandeira do arco íris, do movimento LGBT. Agora, tende a conviver com filiados conservadores que se opõem a essas lutas e, alguns deles, tidos até como fundamentalistas.

Independente disso, a esperança de Serys é de, na nova agremiação partidária, mesmo considerada pequena, construir candidatura à prefeita de Cuiabá, desta vez sem obstáculos internos. Seria a segunda tentativa. Pretende cooptar à legenda todo o seu grupo.

No PT, onde foi deputada estadual por três mandatos (91/99) e senadora (2003/2010), Serys acabou perdendo espaço devido a brigas com outras correntes. Pediu desfiliação em outubro de 2012, alegando ter sido prejudicada politicamente pelo chamado grupo majoritário, em vários momentos. 

Em 2006, concorreu ao governo estadual sem apoio do bloco majoritário petista. Quatro anos depois, queria tentar à reeleição como senadora e, de novo, foi preterida. Disputou para deputada federal. Em 2012, assim que deixou a sigla petista, anunciou que apoiaria Mauro Mendes (PSB), eleito prefeito de Cuiabá no segundo turno.

No pleito do ano passado, Serys, já no PTB, vivia também expectativa de entrar na disputa para o Senado. E, de novo, perdeu espaço. Decidiu neste ano sair do partido comandado no Estado pelo ex-prefeito Chico Galindo. Agora, pretende recomeçar, desta vez em um partido que terá ela como principal estrela no Estado.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Francisco Borges | Sábado, 25 de Abril de 2015, 15h46
    8
    0

    Coitada....quem diria, " Greta Garbo matucha, foi parar no Iraja' "Infelizmente a velhice chega e muitas pessoas não conforma com ela....isso e' o exemplo da SERYS, que não conforma que o seu tempo de política passou. Lamentável sob todos as fórmulas essa sua decisão, mais uma vez ERRADA. E' tempo de cuidar dos netinhos,ou se brincar dos bisnetos.

  • Arnoldo | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 20h12
    10
    1

    José Marques, ela ERA mulher de fibra.... Mas isso já faz algumas décadas!

  • JOSE MARQUES BRAGA | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 14h48
    13
    2

    SERYS É UMA MULHER DE GARRA E LUTA PELO QUE ACREDITA. ACREDITOU NA ESQUERDA BRASILEIRA QUE FAZ DISCURSOS DE ESQUERDA E AGE COMO EXTREMA DIREITA. COMO ELA EXISTEM MUITOS ELEITORES E AGENTES SOCIAIS À MARGEM DO PROCESSO ELEITORAL. A VIDA É FEITA DE INOVAÇÕES E A ESQUERDA NÃO É PROPRIETÁRIA DAS BANDEIRAS DE INOVAÇÕES. A HISTÓRIA TEM MUITOS EXEMPLOS DE POLÍTICOS CONSERVADORES QUE FIZERAM VERDADEIRAS REVOLUÇÕES COM EFEITOS MULTIPLICADORES NA SOCIEDADE. ESTÁ PROVADO DE QUE QUEM FAZ A DIFERENÇA SÃO AS PESSOAS QUE FORMAM AS AGREMIAÇÕES PARTIDÁRIAS OU INSTITUIÇÕES E NÃO AS TERMINOLOGIAS CRIADAS DE FRASES DE EFEITOS QUE VIRARAM MITOS, COMO DIREITA E ESQUERDA. " JÁ IMAGINOU A CESTA ESCOLA NUM DISCURSOS DE ERQUERDAS? POIS ENTÃO, O PT ESTÁ SE MANTENDO NO PODER ATRAVÉS DA DENOMINADA "CIDADANIA TUTELADA" TÃO COMBATIDA POR ELE. ENTÃO, NADA DE SE SUPREENDER COM MUDANÇAS DE LADO E AINDA BEM ANTES DO PLEITO ELEITORAL. QUEM VAI JULGAR SÃO OS VOTOS NAS URNAS....

  • Alfredo | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 14h32
    11
    5

    Bola pra frente Serys!!! Filiarei com você e nem por isso deixarei de ser católico. Prefeita já!!!

  • Sérgio | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 10h43
    13
    1

    Agora ela encontrou seu verdadeiro caminho para ser feliz.... até que o partido ache alguém para lhe passar a perna!

  • TOMAZ MATHEUS FRACHINI | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 08h32
    13
    13

    ESTAMOS COM A SENADORA... NAO IMPORTA O PARTIDO...FUTURA PREFEITA...

| 23/04/2015, 17h:17 - Atualizado: 23/04/2015, 17h:35

Concorda ou não com projeto do governo de pagar em parcelas dívidas "herdadas"


interrogacao enquete

 

Está no ar uma nova enquete. A pergunta agora é sobre a mensagem do governo estadual, que propõe pagar, em parcelas, dívidas herdadas de administrações passadas até R$ 150 mil por credor. Pelos cálculos do Palácio Paiaguás, conseguiria, com isso, resolver 80% das pendências. A proposta de Taques, no quarto mês de mandato, deve ser apreciada em segunda votada na próxima semana. E você, o que acha disso? O atual governo está ou não agindo certo com esse tipo de proposta? Vote na enquete na capa do portal. E aqui, logo baixo, deixe o seu comentário.

A pergunta anterior foi a seguinte: "Você acha que Riva aceitaria acordo de delação premiada para contar tudo à Justiça acerca de esquemas feitos, principalmente na Assembleia?" Votaram 1.412 internautas - o sistema só permite registro de um voto por IP de computador. A maioria (663 votos - 46,9%) clicaram na opção "Não, aguenta tudo sozinho", ou seja, não acreditam que o ex-presidente da Assembleia abrirá o jogo. Já para 26,9% (381 votantes), Riva, que está preso, aceitaria delação premiada. Veja abaixo o resultado completo.

riva enquete delacao

Resultado da enquete em que a maioria votou acreditando que Riva recusaria acordo de delação premiada

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • marcelo cardoso | Sábado, 25 de Abril de 2015, 22h05
    4
    0

    Quem casa com viuva assume os filhos, governo nao pode ser tao irresponsavel assim.

  • jose dalmo ferreira | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 20h12
    10
    3

    nao concordo. si esta reconhecendo adivida, ou paga ototal. ou considera calote parcial;

| 23/04/2015, 16h:57 - Atualizado: 23/04/2015, 16h:58

MT é "campeão" em desmatamento em março; Feliz Natal lidera lista de pesquisa


Portal UOL

quadro_portal-UOL.jpg

 Mato Grosso é recordista de desmatamento no país, de acordo com pesquisa

Mato Grosso, mais uma vez, aparece no topo da lista dos Estados que mais desmataram no Brasil. Conforme dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), o Estado responde por três quartos de todo o desmatamento registrado em março deste ano. O cenário negativo é tema de reportagem publicada no Blog InfoAmazônia, do Portal Uol, em reportagem assinada pelo jornalista Stefano Wrobleski.

Segundo a pesquisa, sete dos 10 maiores em desmatamento estão no Estado, campeão na produção de grãos. Feliz Natal, inclusive, encabeça a lista dos recordistas na devastação da Amazônia Legal com 17,2 km² de alertas de desmatamento.

A cidade, inclusive, chegou a fazer parte da lista de municípios prioritários da Amazônia, entre 2009 e 2013 – quando saiu da lista e passou a ser classificado como “monitorado e sob controle”. Na relação do Ministério do Meio Ambiente estão os locais que registram as maiores taxas de desmatamento e que continuam registrando aumento.

Para se ter uma ideia, em março, a Amazônia registrou 58 km² de alertas de desmatamento. O número é praticamente três vezes maior do que os 20 km² registrados, no mesmo período, em 2014.

Outras cidades 

Além de Feliz Natal,  entre as cidades mato-grossenses que estão no topo da lista negativa estão Itaúba, União do Sul, Gaúcha do Norte, Juara e Novo Ubiratã.

Leia aqui a reportagem do Uol

Portal UOL

quadro_verde_portal-UOL.jpg

 Conforme pesquisa, acima os pontos vermelhos demonstram áreas desmatadas em Feliz Natal

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Viviane | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h09
    8
    0

    E não sei de onde que a Secretária cumpriu o Contrato de Gestão dos 100 dias! Acho que ficou só no arcabouço da legislação.

cadeira na AL | 23/04/2015, 16h:42 - Atualizado: 23/04/2015, 17h:47

Defesa de Taborelli aguarda o voto de ministro e sinaliza que vai recorrer no STF


A defesa do deputado estadual coronel Pery Taborelli (PV) afirma que irá aguardar a vinda do voto do ministro Admar Gonzaga, que pediu vistas do processo, para só então tomar providências quanto aos recursos possíveis para a permanência do deputado no Parlamento. A defesa explica que haverá embargo de declaração no prazo de 5 dias após o voto, pois, segundo os advogados, o voto do ministro Gilmar Mendes tem obscuridades.

Ocorre que Taborelli está a um passo de deixar o Legislativo. Em decisão desta quinta (23), os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, João Otávio de Noronha, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), votaram a favor do recurso de Valdir Barranco (PT), ex-prefeito de Nova Bandeirantes, que busca a diplomação como deputado estadual. De acordo com o advogado de Barranco, Rodrigo Ciryneu, assim que decisão for finalizada, os 19.227 votos do petista serão contabilizados, fazendo com que ele “tome” a vaga de Taborelli, que obteve 18.526 votos.

Neste sentido, entre as obscuridades apontadas pela defesa de Taborelli está o fato de Gilmar Mendes ter alegado que as contas, inicialmente reprovadas de Valdir Barranco (PT), foram agora aprovadas pela Câmara Municipal, não é válido, uma vez que o decreto que aprovou as contas do petista foi suspenso por decisão liminar da juíza da comarca de Nova Monte Verde. Para a defesa, o ministro não se atentou a isso.

A defesa alega ainda que não é da jurisprudência daquela corte, no caso o TSE, apreciar o acerto ou desacertos de contas aprovadas ou rejeitadas pela Câmara. “Então o ministro fugiu totalmente ao entendimento que já é pacificado naquela Corte”, dizem os advogados. Os juristas ainda destacam que existem dois processos já julgados, determinando a remessa dos autos aos Tribunais de origem e surpreendentemente o voto do ministro caminhou fora do entendimento do TSE, “então haverá embargo de declaração no primeiro momento para sanar essa obscuridade que existe. E após podemos pensar num recurso extraordinário para o Supremo Tribunal Federal. Nós não descartamos a possibilidade de recursos para o Supremo”, finaliza.

Barranco tem maioria de votos no STJ e está a um passo de assumir AL

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • rosangela | Domingo, 26 de Abril de 2015, 10h09
    5
    2

    Digite o texto aquiNa verdade, há pessoas que não sabe nem o que falar e vomita pela boca, sempre Maria vai com as outras, quem gosta de corrupto, corrupto é, não sabe nem porque existe no mundo, vai ser mais consciente das coisas que acontece ao seu redor tenha dignidade própria, de valor a si mesmo e lute pela justiça, não dos outros mais pela própria seja honesto, lutador e digno para deixar a seus dependentes a dignidade que hoje não temos em nosso PAIS. Desejo que o senhor te ilumine e abençoe a cada dia para que não sirva de boneco repetitivo a corrupção. Essa mensagem vai para essa pessoa, que não tem o que falar e vomita pela boca, e tenho dito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Sou brasileira amo meu Pais, Sou TABORELLI.

  • sérgio | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 17h29
    5
    1

    Oba! Mudou o discurso, Júnior!!!! coitado, ainda vi ter muita decepção na vida. Vai mudar de opinião cada vez que o vento muda de sentido!!!! Vivendo e aprendendo!!!

  • Junior | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 15h21
    6
    0

    Caro Sérgio, muito embora respeite a sua opinião, o que não é o seu caso, ressaltando que, vivemos numa democracia e com isso, tenho o direito de manifestar minha opinião, o que parece você não saber ou não entender. Outro detalhe, “ninho tucano”? Você está usando comentário feito pela Folha de São Paulo em 06/02/2010? Em primeiro lugar, caso você não saiba o significado de Ventriloquia ou ventriloquismo, segundo Wikipédia, a enciclopédia livre. “é a arte de projetar a voz, sem que se abra a boca ou mova-se os lábios, de maneira que o som pareça vir doutra fonte diferente do falante”. Mas como você usou o significado baseado na matéria da Folha de São Paulo, foi traído pela interpretação. Procure ler mais um pouco antes de querer debater sobre o comentário dos outros, que mais uma vez repito, é direito meu de manifestar opinião. Só mais um detalhe, não sou filiado a nenhum partido político, não sou adepto de nenhum simpatizante político e só para constar, não tenho nenhum interesse em que A ou B esteja na AL.

  • Sérgio | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 10h40
    8
    1

    Junior, você tem nenhum conhecimento de causa. Portanto, guarde tua opinião de ventríloquo para emitir lá no ninho tucano.

  • jose fernando prado | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 08h33
    11
    1

    REFAZENDO MEU COMENTÁRIO: DEPUTADO QUE AMEAÇA SEUS PARES COM ARMA DE FOGO, EM PLENÁRIO, CONFORME NOTICIADO PELA MÍDIA, DEVERIA SER PUNIDO INCONTINENTE, POR AFRONTAR NOSSAS LEIS.

  • jose fernando prado | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 08h12
    7
    1

    jose fernando prado, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Junior | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 07h42
    10
    3

    Não dá nem pra dizer que seria a famosa troca do "seis por meia dúzia". Esse Cel Taborelli tá se achando o comandante da AL. Já diz o ditado... quer realmente conhecer uma pessoa? Atribua a este ser humano o direito de portar uma arma de fogo e o livre direito de usa-la, ou conceda a este mesmo ser humano a oportunidade de estar no poder, e verás quem realmente é uma pessoa de bem e que não sucede as tentações. Um cara que vai armado para a AL, que se acha o dono do mundo, se cair, cai tarde! Agora, o outro? Difícil até comentar, se está recorrendo ao meio jurídico para conseguir viabilizar seus votos, que está sendo investigado por manobras no INCRA. Portanto, vai sair o ruim e entrar o pior, ou vice versa.

  • Ariosvaldez Rodrigues de Lima | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 07h30
    7
    0

    Ariosvaldez Rodrigues de Lima, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Ricardo Marcos | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h38
    10
    18

    Na minha opinião Barranco não deveria nem ter concorrido ao legislativo, complicado para a população perder um parlamentar que luta pelo povo, pela segurança pública, apresentou projeto de lei para melhorar o acesso a informação de defcientes visuais, tirar Taborelli e colocar Barranco é uma afronta a população matogrossense.

  • edson | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h35
    23
    5

    Ja rodou coronel, nao soube nem fazer amizade no parlamento. Achou que la era quartel.

| 23/04/2015, 10h:19 - Atualizado: 23/04/2015, 10h:46

Nunca vi um centavo de fundo partidário, dispara Blairo contra aumento aprovado


Guilherme Alves Filho/Assessoria 2010

Blairo-Maggi-com-Dilma-e-Silval.jpg

Blairo Maggi durante campanha em 2010, ao lado de Silval e Dilma. Republicano diz que sempre custeou suas campanhas e nunca recebeu verba do Fundo

O senador Blairo Maggi usou a tribuna nesta quarta (22) para criticar a aprovação da emenda sugerida pelo Congresso Nacional de aumentar para R$ 867,5 milhões o repasse ao Fundo Partidário, “sugestão” sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT) e já publicada no Diário Oficial da União. A previsão inicial no orçamento era de R$ 289 milhões. 

Aproveitando o aparte concedido pela senadora Ana Amélia (PP-RS), o republicano disparou contra a medida e afirmou nunca ter sido contemplado com esses recursos. “Não sei onde e porque vai tanto dinheiro nessas verbas partidárias já que, pelo menos nas eleições que participei, nunca vi um centavo de fundo partidário”. Blairo, um dos empresários mais ricos do país, sempre custeou as próprias companhas e do seu grupo, o que pesa no posicionamento sobre aumento do fundo.

Blairo, que faz parte da base de sustentação da petista, ainda criticou a postura do Congresso Nacional em apresentar essa demanda. “Acho que foi de muito mal tom esse aumento. O Governo não tem nem recurso para fazer frente aos serviços já contratados no passado”. Segundo o senador, a iniciativa segue na contramão da necessidade do “arrocho” difundido tanto pelos legisladores quanto pelo Palácio do Planalto. E completou. “Há momentos que se pode pedir algo a mais e há momentos que tem que dar algumas coisas para conseguir avançar. Nesse momento, nós não soubemos dar a nossa parte”.

Congresso triplica recursos para partidos ao aprovar Orçamento 2015

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • JOSE MARQUES BRAGA | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 11h39
    10
    0

    PRÁ QUEM SÓ USA OS PARTIDOS PARA REGISTRAR ELEIÇÃO E TEM SACOS DE DINHEIRO, O ASSUNTO NÃO INTERESSA. ACHO QUE DEVERIA REGULAMENTAR O USO DO FUNDO PARTIDÁRIO. FINANCIAR CAMPANHAS DE CANDIDATOS COM PROJETOS PRÉ-DEFINIDOS PELOS PARTIDOS SERIA UMA BOA OPÇÃO. ASSIM PODERIA EVITAR A PROMISCUIDADES ENTRE EMPRESAS E RECEITAS PÚBLICAS. O PROCESSO DE CORRUPÇÃO TEM INCIO NAS CAMPANHAS ELEITORAIS. COMO GASTAR MILHÕES SE AS RENDAS LEGAIS DOS ELEITOS PASSAM LONGE DOS VALORES GASTOS? COMEÇA NO PROCESSO ELEITORAL A INVIABILIDADE DOS MANDATOS QUE GOVERNAM PARA GRUPOS ECONÔMICOS E A POPULAÇÃO FICA À MARGEM DOS BENEFÍCIOS E DA PRINCIPAL RAZÃO DA EXISTÊNCIA DO PÚBLICO: REDUZIR AS DESIGUALDADES SOCIAIS DO MODELO DE PRODUÇÃO EM VIGOR QUE É EXCLUDENTE. INFELIZMENTE AS VOZES DA MAIORIA QUANTITATIVA É MASSACRADA PELA MINORIA DETENTORA DO PODER ECONÔMICO. MUITOS TALENTOS DEIXAM DE CONTRIBUIR PARA O PODER POR FALTA DE RECURSOS PESSOAIS E POR NÃO ENTRAR NO SISTEMA CORRUPTO EM SEU MODELO.

  • Donizete Ferreira do Nascimento | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 10h32
    13
    0

    Quanto à demanda de aumento, concordo: é totalmente indevida e inoportuna, num momento de dificuldade, especialmente; sobre o auto financiamento, vejo problemas, pois na prática, se compra a própria eleição e isto gera disparidades entre candidatos. Tem que haver limites bem nítidos.

| 23/04/2015, 07h:30 - Atualizado: 23/04/2015, 07h:41

Viajar é preciso

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

Adoro meu trabalho. Sinto que, através dele, é possível transformar positivamente a vida de muitas pessoas. A energia que recebo dos clientes e parceiros é muito boa. Tenho certeza de que sou felizarda e isso me deixa realizada. Mas tudo em demasia é um problema. Apesar de estar sempre viajando pelos lugares mais lindos do Estado, de vez em quando, é preciso respirar outros ares. Depois de um ano sem férias, que defino como viagem sem relação com trabalho, finalmente nos demos o devido direito. Queria estar num lugar onde nada nos fizesse lembrar de trabalho e a única preocupação fosse escolher um lugar para comer.

Escolhemos uma praia. Adoro o mar, principalmente fora de temporada. Sem filas, clima gostoso e preços mais camaradas. O destino foi o Rio Grande do Norte, na cidade de Tibau do Sul, mais especificamente, a praia de Pipa. Uma vila cosmopolita. Gente do mundo todo que se reflete em cozinha internacional com sotaque nordestino.

Levamos meus pais, meus sogros e nosso filho. Uma viagem que nunca achei que seria possível, pois conciliar a agenda de três famílias em pleno mês de abril é bem complicado. Mas como combinamos há meses foi difícil receber um não de todos eles. Alugamos um carro enorme e caímos na estrada. Escolhemos uma casa em meio a uma bela mata, para nos sentirmos mais próximos de casa.

Chegando lá foi fácil perceber o maior beneficiado do descanso. Meu filho de seis anos. Na verdade a palavra descanso não se aplica bem a férias com criança. Praia o dia todo, dia todo mesmo. Com direito a caldos, aula de surf e infinitos empreendimentos na areia. Como nós precisávamos disso. Este tempo com ele foi muito importante. Mas não menos importante foi ter o resto da família. As conversas despretensiosas na varanda, as lembranças da infância, as risadas e todo o pacote foram essenciais. Oito dias sem TV recarregaram baterias.

Infelizmente o trabalho me achou algumas vezes. Facebook, whatsapp e e-mails tiveram que ser respondidos, mas até o contraponto foi importante. Valorizei cada minuto a companhia das pessoas mais importantes da minha vida. Tivemos ótimos momentos. Oxigenei as ideias, adquiri novas referências e também tive a oportunidade de conhecer novas pessoas. Como foi bom. Agora aqui da sala de embarque do aeroporto penso no pequeno prejuízo que tive: perdi a GO PRO no mar, rs. Minha câmera a prova d´água, cujo cartão de memória vale ouro, ficou com Iemanjá. Saiu barato. Terei que guardar na cabeça todos os registros. 

Ainda no aeroporto de Natal encontrei um casal de Tangará da Serra, clientes do Ultra. Ouvi da Marialda que estou “com uma cara ótima”, pois nas provas estou sempre correndo. Foi bom ouvir isso. Preciso viajar mais. Desligar um pouco da rotina e ficar 100% em família. Isso é prioridade, nada mais é tão importante. Já chamaram meu voo. Amanhã é como segunda feira. Volta toda a rotina. Tempo de trabalhar mais um pouco para viabilizar outro descanso. Desta vez não vou esperar um ano, a vida escorre entre os dedos. 

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

| 22/04/2015, 18h:49 - Atualizado: 22/04/2015, 19h:39

Júnior Mendonça cita dívida de R$ 6 mi de Riva e descreve como esquema era feito


A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda, ouviu, na tarde desta quarta (22), as quatro primeiras testemunhas de acusação do processo que levou o ex-presidente da Assembleia José Riva (PSD) à cadeia. Entre as testemunhas estão Tatiana Laura da Silva Guedes, Edna Aparecida de Matos, Aurea Maria de Alvarenga Gomes Nassarden e o empresário Júnior Mendonça, que ficou conhecido como o “delator” da Operação Ararath, que apura esquemas de lavagem de dinheiro e crimes financeiros no Estado. Além disso, o empresário também cita o suposto esquema que envolvia Riva em fraudes no Legislativo, o que desencadeou, por meio do MP, a Operação Imperador.

O primeiro a depor foi Júnior Mendonça, que a todo o momento pareceu tranquilo e confortável com o interrogatório. Respondeu os questionamentos de forma clara. As primeiras perguntas abordaram a relação dele com Riva. O delator explicou que conheceu o ex-presidente da Assembleia por meio de Eduardo Jacob, ex-advogado de Riva, já falecido. Destacou que o primeiro contato foi em 2006, quando Jacob ligou para Mendonça informando que Riva precisava de um empréstimo.

Segundo Mendonça, Riva foi o seu primeiro cliente no meio político e que o primeiro empréstimo foi no valor de R$ 2 milhões. Como garantia, na época, Riva passou sua residência no bairro Santa Rosa e uma carta promissória. Conforme o empresário, os empréstimos foram crescendo e entre 2006 e 2010 Riva chegou a movimentar R$ 10 milhões em empréstimos.

Mário Okamura

quadro_imperador.jpg

Segundo Júnior Mendonça, Riva era sempre direto e tratavam apenas de negócios, ou seja, dinheiro

De acordo com o delator, Riva era sempre direto quando se encontravam, tratavam apenas de negócios, ou seja, dinheiro. No entanto, quando a relação começou a estremecer, Mendonça chegou a questioná-lo quanto à destinação dos valores. Riva, por sua vez, alegava que era para abastecer o “sistema”, composto por deputados e imprensa.

Mendonça conta ainda que todos estes valores eram repassados para Riva por meio de cheques ou TEDs, sempre nominais a quem o ex-parlamentar lhe passava. O social-democrata pagava o agiota sempre em espécie, por meio do secretário Ademar Adams, que faleceu em outubro de 2010. Os pagamentos eram feitos na Assembleia ou no escritório da Global em Várzea Grande, cujo um motorista no carro do Legislativo levava o montante para Mendonça. Os débitos eram feitos em parcelas de R$ 50 a R$ 250 mil. Após a morte de Adams, Mendonça alega que passou a ter dificuldades para receber de Riva.

O empresário deixa claro ainda que o ex-deputado tinha a necessidade de ser barrado, pois não conseguia liquidar a dívida, que hoje chega a quase R$ 6 milhões. “Eu cobrava um juros de 3%, a nota promissória que tenho hoje é R$ 5,7 milhões, que na verdade está em poder da Justiça. Só foram pagas três parcelas de R$ 400 mil”.Além Riva, Mendonça emprestou dinheiro para outros dois deputados na época, R$ 2 milhões para Sérgio Ricardo, hoje conselheiro do TCE, e outros R$ 90 mil para Mauro Savi. O conselheiro quitou a dívida, já a de Savi quem quitou foi Riva.

As outras testemunhas Tatiana Laura da Silva Guedes, Aurea Maria de Alvarenga Gomes Nassarden, ex-mulher de Elias Nassardem e mulher de Jean Carlos, irmão de Elias, respectivamente, alegaram desconhecer de possíveis movimentações ilegais da Livropel, empresa as quais eram sócias.  Ambas, contudo, afirmaram que o poder aquisitivo dos respectivos citados melhorou após a empresa passar a fornecer material para o Parlamento. Aurea inclusive chegou a reconhecer sua assinatura em diversos documentos mostrado pela defesa de Riva, no entanto, alegou que nunca esteve na Assembleia e que logo no início da empresa assinou uma procuração, passando os plenos poderes a seu cunhado, Elias. Aurea argumentou ainda que, em 2006, quando a empresa foi constituída, acreditava que deveria ser em seu nome, pois o nome do conjugue estava com restrições.

Já a última testemunha, Edna Aparecida de Matos, analista contábil do Ministério Público, foi incumbida de analisar a documentação relativa à aquisição de material para a Assembleia. O que mais chamou a atenção, segundo ela, foi a quantia exorbitante de materiais para escritório. Lembrou que existem pedidos de 70 milhões de envelopes pardos e milhares de tonners e cartuchos, quando na verdade, o Parlamento, dependendo da época, constava com cerca de 140 a 160 impressoras, conforme inventário permanente.

A servidora ressaltou também que não foi apresentado nenhum registro contábil das empresas citadas, bem como registro das movimentações financeiras junto a Sefaz, tornando a operação ilegal. Amanhã (23) depõem Wilson da Silva Oliveira, Augusto César Menezes e Silva, Arlindo Santos Macedo e Evandro Ferraz Lesco.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • paulo | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 16h50
    10
    0

    Quero ver devolver o dinheiro do povo.

  • Jordi | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 21h26
    13
    2

    O dito cujo é testa de ferro. Todos sabem de quem...

  • MARCIO | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 20h23
    12
    1

    RIVA, MAURO SAVI, ROMUALDO. SAÕ TRES DA MESMA ESCOLA. IRMÃOS PERALTAS.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 649