Cuiabá, 20 de Outubro de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Gabriele Schimanoski

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Larissa Malheiros

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Larissa Malheiros

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

Várzea Grande | 04/01/2014, 11h:30 - Atualizado: 04/01/2014, 20h:18

Até dia 30, Jaqueline deixa Saúde para concorrer a deputada federal


 

 

capa-jaquelinehj3.jpg

Secretária de Saúde de VG Jaqueline Guimarães sairá candidata à Assembleia

  O prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), estabeleceu prazo até 30 de janeiro para que os integrantes da administração que pretendem disputar as eleições deste ano entreguem os cargos. Na lista das possíveis exonerações está a primeira-dama e secretária de Saúde Jaqueline Guimarães, além do diretor do Pronto-Socorro Renato Tetila.

  Os substitutos serão escolhidos por Walace a partir de critérios técnicos. Segundo o peemedebista, a gestão da saúde não deve ser partidarizada. “Não vamos politizar a saúde. A escolha é pessoal já que a responsabilidade e as cobranças recaem sobre mim”, afirmou.

  Jaqueline, que irá tirar 10 dias de recesso para descansar com a família, deve pedir exoneração do cargo no próximo dia 15. Fora do comando da Saúde, pretende intensificar a articulação da candidatura a deputada federal.

  Essa não é a primeira vez que Jaqueline tanta uma vaga na Câmara Federal. Em 2010, pelo nanico PHS, a secretária de Saúde chegou perto de conquistar uma vaga ao obter 31.921 votos, que garantiu o posto de primeira suplente do deputado federal Eliene Lima (PSD).

  A primeira-dama se filiou ao PMDB em setembro do ano passado com a justificativa de que no mesmo partido do marido, poderá trabalhar melhor sua candidatura. “A candidatura é viável. A consolidação depende da análise feita em conjunto com o partido”, explica Walace.

  Outro que deve deixar o staff nos próximos dias é Tetila, que pretende disputar uma cadeira na Assembleia. Ele se filiou ao PP com intuito de ampliar a bancada progressista, atualmente formada pelos deputados Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja.

Jacqueline ingressa no PMDB para tentar Câmara Federal

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Julio Muzzi | Sábado, 04 de Janeiro de 2014, 22h51
    1
    0

    Ambos são boas pessoas, bem articulados, e que vem lutando por Varzea Grande.

  • diego | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 23h41
    2
    1

    diego, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuzi Kalafate | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 22h08
    3
    1

    É uma pena né, quando a pessoa vai querendo acertar, vem a Política e tir do lugar gerando descontinuidade na administração

  • Elifas Jose Ribeiro Ribeiro Ribeiro | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 20h58
    1
    3

    Serå que ela ira descansar onde ?junto com os pobres da periferia de vadju? Pra dai ja ir angariando votos pra dep.federal? Acho ela vai pra zöropa (sic).miami.

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, 18h09
    5
    0

    Mato Grosso e suas capitanias hereditárias. Aqui é mesmo um feudo!

Pesquisa | 20/10/2014, 19h:25 - Atualizado: 11min atrás

Dilma tem 52% dos votos válidos e Aécio aparece com 48%, diz Instituto Datafolha


 

Reprodução Folha de S. Paulo

Pesquisa Hoje20

 A pesquisa Datafolha, que entrevistou 4.389 eleitores em 257 cidades, foi realizada nesta segunda   

A pesquisa Datafolha divulgada há pouco mostra Dilma Rousseff (PT) com 52% das intenções de voto contra 48% do adversário Aécio Neves (PSDB). Os números levam em consideração apenas os votos válidos, descartando brancos, nulos e eleitores indecisos. Conforme o instituto, essa é a primeira vez que a petista aparece na frente do tucano neste segundo turno.

O levantamento foi feito nesta segunda (20). Segundo o Datafolha, a pesquisa está no limite da margem de erro de 2% para mais ou para menos.

Nas duas rodadas anteriores neste segundo turno, Aécio sempre apareceu na frente com 51% contra 49% de Dilma. Os resultados também indicavam empate técnico.

Em votos totais, Dilma tem 46% e Aécio, 43%. Nas anteriores, eram 43% e 45% com vantagem para o tucano. Brancos e nulos somam 5% e antes chegavam a 6%. Indecisos são 6%, ou seja, o mesmo patamar anterior.

Na rejeição, Aécio tem 40%. Dilma, por sua vez, chegou a 39%. É a primeira vez que o tucano ultrapassa a candidata à reeleição neste quesito.

O Datafolha ouviu 4.389 eleitores em 257 municípios. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR 011402014. 

Postar um novo comentário

Judiciário | 20/10/2014, 18h:21 - Atualizado: 01h atrás

Presidente do TJ pede para Taques poupar Poder Judiciário da redução orçamentária


Assessoria

Taques, Perri

 Governador eleito Pedro Taques, entre os desembargadores Orlando Perri e Paulo da Cunha falou que o Poder Judiciário porderá contribuir com as transformações que Mato Grosso precisa vivenciar

O governador eleito Pedro Taques (PDT) fez, na manhã desta segunda (20), a primeira visita à cúpula do Poder Judiciário após as eleições de 05 de outubro. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Perri, esboçou preocupação com a possível redução do orçamento para 2015.

Na reunião, Perri propôs a participação do Judiciário no estudo da LDO e LOA que foi retirada da pauta da Assembleia, a pedido do próprio Taques, para retificações. "Eu até brinquei com o governador dizendo que nós já estamos trabalhando no osso, não temos nada de gordura a oferecer ao Executivo”, disse o desembargador.

 Perri, que estava acompanhado do  recém-eleito presidente da Corte, desembargador Paulo da Cunha, também colocou o Tribunal de Justiça à disposição para encontrar uma saída aos problemas na saúde pública e diminuir o número de ações interpostas. O magistrado explica que não é atribuição da Justiça administrar o orçamento do setor, mas indiretamente vem fazendo ao julgar ações e deferir decisões que interferem na gestão, pela deficiência dos serviços que são oferecidos à população.

 Segundo Taques, o Tribunal de Justiça também pode contribuir para as mudanças necessárias na administração pública.  Para o governador eleito, as pautas levantadas na conversa ainda devem ajudar  as equipes de transição. “Quero ouvir o Tribunal de Justiça, pois tenho certeza que o Poder Judiciário também está imbuído neste momento de transformação do nosso Estado com respeito, por óbvio, à independência dos poderes, mas tudo é o Estado de Mato Grosso”, destacou.  

 Na visita, que durou pouco mais de uma hora, os três debateram outras pautas importantes.  Entre elas a regularização fundiária e a execução fiscal.

Presidente Eleito

O desembargador Paulo da Cunha ressaltou que a visita de Taques revela a consideração do governador para com o Poder Judiciário. “Tanto eu quanto o atual presidente pedimos para não mexer no nosso orçamento que já é diminuto para as nossas necessidades”, concluiu. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Transição | 20/10/2014, 15h:14 - Atualizado: 01h atrás

Após se reunir com Pivetta, Taques debate fusões e cortes de pastas com categorias

Pivetta diz que cortesia entre membros designados por Taques e representantes de Silval Barbosa demonstra maturidade política


O governador eleito Pedro Taques (PDT) reafirmou  o desejo de “enxugar” a máquina pública e reduzir o número de comissionados na estrutura administrativa do Estado. Entretanto, a decisão final sobre a redução do número de secretarias das atuais 19 para 12, conforme proposta apresentada na semana passada, será anunciada somente após amplo debate com os aliados políticos e com a sociedade. A informação é do prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT), que foi designado para coordenar a equipe de transição.

Taques e Pivetta se reuniram, nesta segunda (20) pela manhã, para avaliar o andamento da transição. No encontro, o governador eleito foi informado sobre a atuação dos 12 membros da equipe, que já analisam os dados fornecidos pelo Executivo sobre os diversos setores da gestão estadual.  “Com as informações obtidas pela equipe de transição será possível fazer um raio X da situação do Estado para definir as ações que serão adotadas logo no início do mandato”, explica o coordenador.

Davi Valle/Rdnews

pivetta_capoa.jpg

Otaviano Pivetta, coordenador de Taques, diz que ações serão adotadas logo no ínicio do mandato

Pivetta também disse que o Governo está cumprindo todos os acordos e até disponibilizou um gabinete no Palácio Paiaguás para a equipe de transição.  “Agora, o trabalho começou efetivamente. Durante todo dia, os integrantes da equipe se reúnem com os representantes da atual gestão e fazem visitas técnicas nas secretarias. Acredito que os resultados começarão a aparecer na próxima semana”.

Proposta extingue 2 pastas e funde outras 9 - veja aqui como deve ficar

De acordo com Pivetta, o governo do Estado está agindo com correção ao colaborar com a equipe de transição.  Para o coordenador, a cortesia entre os membros designados por Taques e os representantes do governador Silval Barbosa (PMDB) demonstra a maturidade política e o espírito republicano dos dois grupos. “Pelo andamento até agora, acredito que não teremos problemas. A decisão democrática da maioria dos mato-grossenses está sendo respeitada”.

 Sobre a redução do número de pastas através de fusões e extinções, Pivetta disse que o governador se mostrou simpático a proposta da equipe de transição. “A discussão está aberta. O Pedro sempre defendeu o enxugamento da máquina para garantir a eficiência do Estado. A diminuição dos comissionados é uma necessidade. O Estado não é o Sine”, concluiu.

Coordenador anuncia 12 membros da equipe de transição – confira lista

Postar um novo comentário

| 20/10/2014, 10h:31 - Atualizado: 01h atrás

Assembleia deve encerrar legislatura com 7 CPIs instauradas em 4 anos; 3 votadas


cpi pchs al

CPIs das PCHs, Telefonia Móvel e MT Saúde foram únicas votadas em Plenário

Ao criar a CPI da Trimec para investigar pagamentos suspeitos realizados pela empreiteira de mesmo nome em serviços para o governo Silval Barbosa (PMDB), a atual legislatura dos deputados estaduais instaurão sua 6ª CPI. A CPI da Trimec deve ser implantada para rebater a da Cooamat (Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso), que é suspeita de fraude e simulação de negócios e tem como sócio o produtor Eraí Maggi (PP) e parentes, além de funcionários do grupo Bom Futuro. Se somarmos com a CPI da Saúde da legislatura anterior, que até hoje aguarda votação, esse número sobe para sete.

A CPI da Cooamat, criada faltando cerca de dois meses para o fim desse mandato, deve ficar para os próximos deputados eleitos concluírem, uma vez que, não há tempo hábil para o processo de investigação que deve levar cerca de 90 dias. Porém, o deputado José Riva (PSD), acredita que o inquérito deverá ficar pronto em apenas 60 dias.

Mário Okamura/Rdnews

cpis instaladas assembleia.jpg

Assembleia criou várias CPIs em 4 anos, mas só a do MT Saúde apresentou resultados que levaram à melhoria do setor investigado

Além da CPI da Saúde, também segue emperrada a votação da CPI da Telefônia Móvel, a qual teve seu relatório concluído, já foi apresentada por duas vezes, porém, ainda aguarda votação. O documento apresentado na Comissão aponta uma dívida ativa de R$ 69,4 milhões por parte das operadoras de celular com o Governo e foi criada para apurar uma suposta apropriação indébita e atraso no repasse do ICMS, cobrado nas contas de telefone. Outro ponto investigado pelos deputados foi à qualidade dos serviços prestados.

As CPIs das PCHs e do MT Saúde já foram votadas. A primeira estava em poder da mesa diretora desde 2011 e pedia a suspensão de licenças ambientais concedidas a pequenas hidrelétricas no Estado, que teriam sido liberadas sem o rigor necessário, utilizando de influência política. Já a do MT Saúde foi instalada em outubro de 2012 a fim de investigar a situação financeira, contábil e administrativa do plano destinado ao servidor. A CPI da Unemat, por sua vez, teve que ser extinta, pois os membros nunca compareciam às reuniões. Ela havia sido criada para apurar supostos desmandos na instituição na gestão do ex-reitor Taisir Karim e também denúncias de fraudes no maior concurso público realizado pelo Estado, por meio da Unemat, em 2009.

A maior parte das CPIs foi mais palco de polêmicas do que um instrumento de melhoria efetiva. A que mais trouxe resultado foi a do MT Saúde, pois garantiu a revisão e reestruturação do plano de saúde dos servidores. Além disso, engrossou o conteúdo para a denúncia contra o ex-presidente da autarquia, Yuri Bastos, oferecida pelo Ministério Público, por suposta participação em desvio de recursos, o qual deixou um rombo de R$ 3,3 milhões ao erário.

É possível que até o final deste mandato uma oitava CPI seja instaurada para investigar a empresa Nhambiquaras de propriedade do empresário e deputado estadual eleito Eduardo Botelho (PSB). O intuito também é averiguar os contratos assinados com o governo do Estado. O requerimento está na Assembleia e veio à tona pelo deputado estadual Walter Rabello (PSD), que já teria cooptado as oito assinaturas necessárias.

Postar um novo comentário

| 20/10/2014, 00h:18 - Atualizado: 20/10/2014, 00h:37

Líderes racham agronegócio e empurram Fávaro para Aécio enquanto Neri é Dilma


Eles são produtores, líderes classistas e têm os mesmos interesses pessoais dentro do agronegócio e, nesta reta final da campanha de segundo turno, fazem jogo de cena, um em defesa da reeleição da presidente Dilma e outro pela eleição de Aécio. Carlos Fávaro (PP), vice-governador eleito, estava com a petista no segundo turno, mas virou Aécio, acompanhando posicionamento do governador eleito Pedro Taques (PDT). Neri Geller, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e indicado pelo PMDB e com empurrão de Blairo Maggi, revela ser Dilma desde "criancinha". Neri tenta salvar o emprego e, Fávaro, ganhar a confiança de Taques.

Fernando Ordakowski

carlos favaro neri geller

Vice-governador eleito Cárlos Fávaro (PP) quer Aécio, enquanto o ministro Neri Geller (PMDB), Dilma

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • bernardo | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 11h02
    0
    0

    bernardo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • ster | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 07h06
    0
    0

    ster, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 20/10/2014, 00h:00 - Atualizado: 19/10/2014, 13h:27

Whatsapp é poder

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Não sei se a população brasileira respira política, mas os grupos do whatsapp têm nos vídeos, fotos e textos das campanhas eleitorais, puro oxigênio. Certo, afinal já afirma há tempos John Naisbitt que "a nova fonte de poder não é o dinheiro nas mãos de poucos, mas informação nas mãos de muitos". Poder (do latim potere) é a capacidade de deliberar, agir e mandar e também, dependendo do contexto, a faculdade de exercer a autoridade, a soberania, o império. E informação é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados, de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa, animal ou máquina) que a recebe.

Premissa maior, informação é poder. Premissa menor, whatsapp leva informação. Conclusão, whatsapp é poder. Raciocínios lógicos são fundamentais para a evolução social. Entretanto, quando se trata de sociedade humana os fatores externos ponderáveis se agigantam e nenhuma conclusão pode decorrer de um raciocínio lógico simples.

As campanhas eleitorais, neste momento, são polarizadas em dois grupos, de forma que existe opção. "Só existe opção quando se tem informação. Ninguém pode dizer que é livre para tomar o sorvete que quiser se conhecer apenas o sabor limão", afirma Gilberto Diemnstein. Agora, a próxima questão é saber se o limão é limão. Daí, é limão porque alguém diz que é; porque está na foto; porque aparece no vídeo. É através da informação - é limão! - que conceitos são gerados acerca do certo e do errado, que são formadas opiniões sobre determinados assuntos, que cada um cria as suas próprias verdades.

Verificar a fonte da informação e sua confiabilidade é fundamental para formar um conceito. Mas, no whatsapp, as informações brotam de forma incessante. O primeiro vídeo nem terminou de ser deletado e o aviso de mensagem já aponta um novo. Como adveio de um "grupo" privado - pessoas de seu relacionamento - você confia na informação, repassa.

É tanto vídeo, tanta foto, tanto texto que já não é mais possível saber fonte, quiçá veracidade. Apesar disto, a conclusão whatsapp é poder permanece correta. Cabe a cada um utilizar seu senso crítico para julgar a informação contida neste poderoso instrumento que conduz ao poder.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado nomeada, tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Gestão | 19/10/2014, 17h:07 - Atualizado: 08h atrás

A partir de janeiro, Taques vai começar a colocar em práticas promessas eleitorais


Mário Okamura

taques_quadro_500.jpg

Governador eleito Pedro Taques prometeu investir em segmentos que considera prioridade para MT

Eleito com 57,25% dos votos, o próximo governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), deverá priorizar algumas ações nas áreas da saúde, educação, segurança, programas sociais, desenvolvimento econômico e infraestrutura, conforme suas promessas de campanha e informações do plano de Governo. No primeiro segmento, por exemplo, o pedetista pretende reestruturar hospitais e construir outras unidades em Cuiabá, Barra do Garças e Tangará da Serra. Além disso, quer qualificar os profissionais e modernizar a gestão por meio do resgate da Escola de Saúde. 

A saúde foi um dos pontos mais criticados por Taques durante a campanha eleitoral. Em seu plano de Governo, ele explanou que essa é uma das áreas sociais mais importantes e classificou a atual situação como preocupante, tendo em vista o quadro geral da saúde da população e a ineficácia do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado. Destacou ainda as elevadas taxas de incidência de doenças como hanseníase, tuberculose e leishmaniose. “Esta área deve envolver esforços e ações da administração pública e da iniciativa privada nas diferentes escalas e esferas de poder de maneira a proporcionar o melhor nível de oferta e de qualidade dos serviços de saúde e o desenvolvimento institucional do SUS”, afirma.

Davi Valle/Rdnews

taques_cortes_500.jpg

Governador eleito Pedro Taques disse que vai investir principalmente em saúde

Na Educação, outra área fortemente criticada, o governador eleito quer implementar o modelo de educação integral, renovar o ensino médio e reformular os currículos escolares, construir o campus da Unemat na Capital e em Várzea Grande, além de redistribuir e reestruturar os cursos e desenvolver programas de acompanhamento escolar.

Contextualiza que a Educação mato-grossense apresenta índices preocupantes, especialmente no que se refere à população analfabeta, e nos altos índices de reprovação no Ensino Médio, conforme consta em seu plano de governo. Dados apresentados por Taques dão conta de que Mato Grosso ocupa o 17º lugar no ranking de analfabetismo, com cerca de 262 mil pessoas que não sabem ler e nem escrever, situação que o governador eleito pretende mudar.

Ainda em seu plano, Taques pontua que de uma lista de 18 crimes, 12 cresceram em números absolutos e em taxa por 100 mil habitantes, conforme o Anuário da Segurança Pública de 2013. As estatísticas revelam que crimes contra a vida e contra o patrimônio são recorrentes, principalmente em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Cáceres, Tangará da Serra, Confresa e Pontes e Lacerda.

Por conta disso, o pedetista quer retomar a Polícia Comunitária, aumentar e equipar as bases, modernizar armamentos, equipamentos e viaturas, integrar o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. O futuro chefe do Executivo também assumiu o compromisso de realizar concurso público e reestruturar o setor. 

Em outros setores, como Programas Sociais e Desenvolvimento Econômico, quer a prevenção ao crime e reinserção de menores infratores e reeducandos no mercado de trabalho, e ainda simplificar a política tributária e rever os incentivos fiscais. Na Infraestrutura do Estado, Taques garante que concluirá as obras do MT Integrado e todas as voltadas para a Copa do Mundo que não conseguirão ser entregues pelo atual governador, Silval Barbosa (PMDB). 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • marcio | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 08h21
    3
    0

    tem que ficar ligado na LDO desse ano que aprovarem na AL esse vai ser o impulso para ano que vem sem perder tempo....

  • Gilston Matheus | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 17h34
    7
    3

    Digite o texto aqui Boa sorte ao Pedro Taques, mas, eu acredito que nos primeiros anos ELE vai ficar patinando no mesmo lugar, sem fazer uma obra se quer, o que é pior, pondo a culpa no governo anterior como já é de costume para os novos governates tanto ao governo como prefeito. Este é o meu Brasil.

  • José Manuel Carlos Garcia | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 17h19
    6
    2

    A onde ficou o Agronegócio, que a maioria dos produtores votaram em você, UM estado forte no setor, será que vamos ter um governo, contra o desenvolvimento da Agricultura familiar?

Balanço | 19/10/2014, 08h:45 - Atualizado: 19/10/2014, 17h:28

Ministro cita ampliação de mercados entre as principais ações na pasta de Agricultura


Davi Valle/Rdnews

ministro da Agricultura Neri Geller

Ministro Neri Geller faz balanço da gestão e diz que Brasil aumentou exportações

Há sete meses como ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller (PMDB) afirma que a gestão foi dedicada à ampliação das ações desenvolvidas na secretaria de Políticas Agrícolas, bem como expansão do mercado de exportação para China, Rússia, Egito e Irã. “Nesta questão melhoramos a imagem do Brasil lá fora”, explica o ministro em visita ao Rdnews.

Com a abertura para novos países, Neri ressalta que houve um aumento no valor agregado das exportações para o país. Além do mais, foram habilitadas 106 plantas industriais do Brasil para a Rússia, ou seja, novos frigoríficos de bovino, suíno e aves estão capacitados para serem exportados. “Principal beneficiado é Mato Grosso, que dobrará a capacidade de produção, agrega valor, além de gerar mais empregos”, sustenta.

Outro trabalho da gestão, segundo Neri, foi a regulamentação do Código Florestal que havia sido aprovada há dois anos, no entanto, sem sua efetividade. O ministro afirma que houve enfrentamento, principalmente, com o Meio Ambiente. A regularização, contudo, foi aprovada pela presidente Dilma integralmente. “Em 60 dias sentamos com a Aprosoja e Famato para elaborar a regularização”, conta.

Ministro cita ainda investimentos para a reestruturação portuária em Lucas do Rio Verde e Sinop com superiores a R$ 200 milhões, advindos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). Além disso, Neri ressalta o aumento do Plano Safra que subiu de R$ 115 bilhões para R$ 153 bilhões, e a compra de materiais agrícolas para o melhor desempenho da agricultura como colheitadeiras. Neste sentido, afirma que o programa voltado para armazenamento de produtos disponibilizou a taxa de juros de 3,5% com três anos de carência e 15 anos para pagar a compra de armazéns. “Isso resolveu o déficit de armazenamento no país e, principalmente, em Mato Grosso”, explica.

Novos enfrentamentos

O ministro afirma ainda que pretende atuar na legislação trabalhista para defender a produção sem que o empregado perca os direitos garantidos por lei. Para Neri, é preciso uma flexibilização como permitir que funcionários trabalhem durante a chuva.  “O funcionário fica impedido de trabalhar por causa da legislação trabalhista”, explica.

 Outros temas que Neri pretende abordar caso a presidente Dilma rousseff (PT) seja reeleita e ele continue no posto são logística e demarcação indígena. Isso porque, há 13 anos tramita na Câmara Federal a PEC 215, que transfere a competência da União na demarcação das terras indígenas para o Congresso Nacional. A categoria indígena é contra, já que boa parte dos parlamentares são da bancada ruralista e tem interesses escusos. A proposta também possibilita a revisão das terras já demarcadas. “Este é um tema que o Governo colocou um freio”, finaliza.

Postar um novo comentário

| 19/10/2014, 01h:00 - Atualizado: 18/10/2014, 05h:56

Pacientes idosos: cuidados especiais

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Cerca de 10% da população brasileira é composta por pessoas com mais de 60 anos e, ao mesmo tempo, devemos levar em consideração o fator de aumento da longevidade, onde a expectativa média de vida é de 73 anos, porém, com muitos indivíduos vivendo até o limite biológico que equivale aos 90 até 100 anos. Esse aumento se dá devido à melhoria das condições de vida, estratégias preventivas, programas de controle de natalidade e o avanço da medicina.

Os profissionais de saúde devem estar preparados para atender a contento esses pacientes, pois o processo de envelhecimento se dá de forma diferente para cada indivíduo e os cuidados devem ser mais específicos. É importante conhecer o histórico do paciente a ser tratado e tomar como postura um tratamento individualizado. Um paciente idoso que sofre de doenças crônicas, mas que se encontram controladas, como por exemplo hipertenção ou diabetes é considerado saudável, pois elas não causam nenhuma sequela e nem limitam a funcionalidade do indivíduo.

A odontogeriatria é uma especialidade da odontologia voltada para o atendimento da população idosa, focando nas suas particularidades, aspectos psicológicos e alterações na cavidade oral resultantes do avanço da idade. É focada no atendimento das necessidades de prevenção, cuidado e tratamento das estruturas do sistema mastigatório do paciente. O paciente geriátrico é complexo, já vivenciou várias experiências de vida e passou por mudanças. A esfera psicológica pode ser razão para muitos distúrbios físicos e é por isso que os seus problemas devem ser tratados em conjunto. Deve-se buscar atende-los como um ser humano completo, sem focar exclusivamente no tratamento odontológico. Várias manifestações sistêmicas se refletem em manifestações bucais.

A atuação odontológica deve ocorrer em todos os níveis: promoção, prevenção e reabilitação. A educação para uma saúde bucal satisfatória deve estar presente. A grande dificuldade encontrada no atendimento aos idosos está diretamente ligada à deficiência do nosso sistema de saúde. A educação continuada dos profissionais voltados para esta especialidade é uma saída mais que perfeita para suprir esta lacuna. Uma vez qualificado este cirurgião-dentista e sua equipe pode fazer com que o paciente idoso sinta-se bem e confiante diante do ambiente e do tratamento. Sabemos que a ingestão de alguns fármacos podem implicar na diminuição do fluxo salivar, sangramento gengival e lesões bucais, e um profissional preparado pode fazer com que esses sintomas possam ser melhor administrados.

É necessário que o ambiente físico das clínicas odontológicas sejam adequados. Precisamos de rampas para facilitar a locomoção, portas de consultórios amplas, banheiros modificados, ambientes tranquilos, pessoal especialmente treinado e consultas relativamente curtas com priorização dos horários. Um protocolo de atendimento ao paciente geriátrico é primordial, dessa forma podemos aumentar a sua expectativa de vida, com qualidade, independência e saúde.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

| 18/10/2014, 17h:41 - Atualizado: 19/10/2014, 08h:56

Oposição, prefeito de Barra aposta que terá boa relação com o novo governador


de Barra do Garças

.

beto_farias.jpg

Oposição a Pedro Taques, prefeito de Barra do Garças Roberto Farias afirma que pretende manter diálogo com governador eleito e vai buscar parcerias em 2015

O prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias (PSD), acredita que não terá dificuldades de relacionamento com o governador eleito Pedro Taques (PDT) a partir de 1º de janeiro de 2015, mesmo sendo oposição. O social-democrata fez questão de manter contato com o futuro governador e abrir um canal de diálogo para parcerias entre Estado e município. “Creio que, acima dos interesses partidárias, estão os interesses da coletividade. O governador já demonstrou que vai governar para todos”, avalia o prefeito.

Beto Farias espera também que Taques cumpra os compromissos que fez à região e ponha fim ao estigma de ‘Vale dos Esquecidos’ atribuído ao Vale do Araguaia nos últimos anos. “Ele teve uma expressiva votação em Barra do Garças e espero que esse respaldo popular possa ser revertido em benefícios para a cidade e seu povo. O governador é uma pessoa séria, mostrou que está preparado para governar o Estado e seu governo tem tudo para dar certo. Isso é bom para Barra, o Araguaia e Mato Grosso”, ressalta.

O prefeito de Barra disse também que tão logo Pedro Taques seja empossado pretende agendar uma audiência para levar os primeiros pleitos do município. “Estaremos lá de pires nas mãos pedindo que ele nos ajudem a solucionar os problemas que a cidade enfrenta. Queremos apoio para a saúde, a educação e obras de infraestrutura”, pontua.

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Davino Padilha | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 14h35
    0
    0

    O Prefeito escolheu apoiar o candidato errado e a população pode pagar caro por isso. Mas torço que não.

  • Artur | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 14h19
    0
    0

    o Eziarone vc não mora aqui então não da palpite.

  • Eziarone Moreira dos Santos | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 10h40
    0
    0

    Cada povo tem o governo que merece, ninguém em uma democracia chega ao poder sem o devido respaldo popular. Sou um apaixonado por Barra do Garças e toda região denominada de Vale do Araguaia, Região povoada por uma gente de alta qualidade, trabalhadores e hospitaleiros, mas que não conseguem eleger um representante no parlamento estadual e federal, isso é lamentável, até parece que falta maturidade política nesse povo. Vamos nos unir em torno dos nossos problemas e eleger gente que gosta de gente, e gente nossa da nossa região e, não trocar seu voto por cesta básica, tijolos, promessas. Quem vende seu voto não pode reivindicar mudanças. É no seio do nosso povo que encontraremos homens e mulheres que efetivamente farão as mudanças que o vale do araguaia precisa. OBS.: Para de falar mal dos representantes que vocês elegeram, o melhor lugar para essa avaliação é nas urnas, e votando com patriotismo em pessoas sérias e comprometidas com o povo.

  • Henrique dias | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 15h41
    0
    0

    A BATATA DESSE ULTIMO CORONEL DE BARRA DO GARÇAS-MT ESTÁ ASSANDO,É SÓ OLHA O PROCESSO DELE NO TSE, ISTO É SE ELE TERMINAR SEU PLEITO. PIOR PREFEITO DE TODOS OS TEMPOS ATÉ MESMO PIOR DO QUE O CHAPARRAL, O CARA SÓ TEM UMA OBRA PARA PODE FICAR COMEMORANDO UMA PRAÇA E MAIS NADA. SÓ SEI DE UMA COISA MEU POVO BARRAGARCESSE ENQUANTO ESSE POVO DE FARIAS ESTIVER NA FRENTE DE NOSSA PREFEITURA NOSSA CIDADE NUNCA VAI SAIR DE ONDE ESTAMOS E AS FAZENDAS DA FAMILIA DELES SÓ AUMENTANDO!!!! SÓ SEI DISTO.

  • Rebeca Cantarini | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 09h20
    3
    1

    Não adianta Beto e Walace elogiarem. Pão e água. Até porque Taques e Aécio possui planos em 2016....

  • Benier Marcos | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 08h56
    1
    2

    Roberto Farias, tem credibilidade e moral pra levar os pleitos junto ao governador Pedro Taques. O governador teve muitos votos em Barra, a população daqui acredita nele e com certeza irá fazer muito por nossa região. Beto é a principal liderança do Araguaia, parabéns ao jovem prefeito.

  • Valéria | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 07h59
    2
    1

    É um cara de pau esse prefeito, até parece que ele age dessa forma na sua administração com a oposição.

  • Eu Amo Barra | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 07h45
    2
    1

    O seu Pai foi o que mais contribuiu para que o vale do Araguaia se tornasse o vale dos esquecidos e agora você Beto, você um incompetente, mas muito esperto para o seu lado você esta pior do que o Chaparrau, Wanderlei, e Wilmar juntos, você conseguiu juntar tudo de ruim que estes trés tinham, porque você não absorveu a parte boa destes ai, você é ruim de mais, o povo já esta vendo, só você e seus pucha sacos e que não veem.

  • Ademar | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 04h56
    1
    2

    O prefeito Beto tem razão; prometeu tem que cumprir e Governador Eleito já vai pegar o veiculo andando, que é o Hospital que está preste a ser inaugurado entre outras; Anel Viario, MT 100, Aguas Quentes, Pontes sobre o Córrego Fundo, Beira Rio e entre outras. Portanto, andrei com o Beto é diferente e ele faz. PARABÉNS BETO!

  • Andre | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 23h03
    2
    1

    Benier você só serve para puchar saco, porue não tem competencia nem conhecimento, o Beto colocou você no INDEA e agora ele vai ter que colocar você de volta na prefeitura, lá e um cabide de emprego mesmo, tem muitos funcionários que só recebem e trabalham lá no DETRAN, prefeito o MP vai ficar sabendo.

| 18/10/2014, 16h:00 - Atualizado: 20/10/2014, 09h:35

Ao vivo, às 8h30, senador eleito Wellington Fagundes no RDTV - mande sua pergunta


Davi Davi/RDNews

wellington Fagundes

Senador eleito Wellington Fagundes (PR) participa ao vivo do RDTV desta 2ª - veja e mande sua pergunta

O RDTV desta segunda (20) conta com a participação ao vivo do senador eleito Wellington Fagundes (PR) para falar sobre os trabalhos que pretende desenvolver no Congresso Nacional. Deputado federal por seis mandatos, o republicano venceu as eleições com 48,19% dos votos válidos. Como presidente do PR em Mato Grosso, o convidado vai fazer um balanço das conquistas da legenda no último pleito assim como revelar as articulações visando a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno.

Os internautas interessados em colaborar com essa entrevista devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br, a partir das 8h30, ou ainda acompanhar a transmissão, em tempo real, na TV Mato Grosso (canal 27), para a Baixada Cuiabana.

Postar um novo comentário

| 18/10/2014, 15h:41 - Atualizado: 18/10/2014, 18h:21

Eleição da Mesa da AL pode ter surpresa

Base do futuro governo Taques tem minoria e ainda está rachada, mas promete avançar para conquistar comando do Legislativo, enquanto governistas avaliam se apoiam ou saem fora de Savi


Fernando Ordakowski

Zeca Viana e Mauro Savi 500.jpg

Zeca Viana e Mauro Savi estão entre os deputados que já iniciaram a discussão pelo comando da AL

A eleição para presidência da Assembleia, que ocorre em 1º de fevereiro, não tem um favorito. De um lado está o primeiro-secretário da Mesa, deputado reeleito para o terceiro mandato Mauro Savi (PR), que afirma possuir comando sobre o bloco de 13 dos 24 parlamentares. De outro, está a futura base governista com 11 eleitos e/ou reeleitos e com alguns pretensos candidatos, entre eles o pedetista Zeca Viana, o tucano Guilherme Maluf, o democrata Dilmar Dal Bosco e o socialista Eduardo Botelho. Como o jogo eleitoral da Mesa está apenas começando, as discussões ainda reservam surpresas. É possível até que nenhum dos que se dizem candidatos hoje seja o escolhido daqui a 4 meses para tocar um Legislativo que recebe cerca de R$ 30 milhões de duodécimo mensalmente.

Postar um novo comentário

ARTIGO | 18/10/2014, 10h:49 - Atualizado: 18/10/2014, 10h:58

Exercício da medicina, preciosa vocação


joao bosco unimed

João Bosco Duarte

Neste mês de outubro são comemoradas duas datas importantíssimas: o Dia do Professor (15) e o Dia do Médico (18). Mais do que profissões, tomo a liberdade de classificar tanto o exercício do magistério quanto o da medicina como verdadeiros sacerdócios. Faço esta afirmação com o conhecimento de causa de quem já militou nas duas áreas. Lecionei na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), cadeira da qual já me aposentei, e atuo como médico urologista, ramo em que me especializei e ao qual me dedico com afinco.

Hoje, aqui neste espaço, gostaria de discorrer especificamente sobre a importância medicina. Estando à frente da Unimed Cuiabá, temos trabalhado pela valorização dos profissionais da saúde. Valorização com ampla abrangência, é importante ressaltar. Além de remuneração digna e justa, buscamos proporcionar todas as condições necessárias ao bom atendimento dos pacientes, questão que passa pelo aparelhamento dos médicos, o que costumamos chamar de retaguarda.

Isso tem ficado evidente em nosso Pronto Atendimento, por exemplo. Localizada bem no Centro de Cuiabá a unidade, que acaba de completar dois anos de funcionamento, tornou-se referência para a comunidade local. Podemos atribuir este reconhecimento a vários fatores, mas cabe aqui destacar as condições de trabalho oferecidas aos médicos e equipe. Instalações bem montadas, competente equipe de apoio e adoção do Protocolo de Manchester, que proporciona maior organização e agilidade no atendimento, são elementos de grande importância para que o médico realize consultas e demais procedimentos com tranquilidade e segurança.

A rotina do exercício da medicina, bem sabemos, é pesada. Requer imensa dedicação e abnegação. Médicos e médicas de todas as especialidades, frequentemente, abrem mão do tempo de convívio com familiares e amigos para poderem estudar, se especializar e, assim, melhorar cada vez mais a qualidade da prestação de serviços aos seus pacientes. Aí reside o caráter do sacerdócio, mencionado no início deste texto.

Sacerdócio requer vocação. Então, neste Dia do Médico, data escolhida em razão de ser o dia dedicado a São Lucas, o médico-apóstolo cuja trajetória, datada de mais de dois mil anos, muito nos ensina até hoje (e continuará ensinando às próximas gerações), quero parabenizar a todos aqueles que escolheram, assim como eu escolhi, muitos anos atrás, dedicar-se a cuidar da saúde das pessoas, pelo honrado caminho que decidiram trilhar.

Que continuemos firmes, lutando pelo fortalecimento do exercício da medicina, que carece, em nossa nação, de decisões governamentais respeitosas e coerentes. E a todos os colegas médicos, nada mais importante a desejar, nesta data, do que a benção da saúde. Que ela seja concedida a todos nós, bem como às nossas famílias, cujo apoio, sabemos, é fundamental para que possamos seguir na estrada de nossa vocação.

João Bosco de Almeida Duarte é médico e presidente da Unimed Cuiabá

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Alberto | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 07h31
    1
    0

    Sr. Médico J. Busco, nao obstante as suas colocações esse protocolo adotado, e um tanto discutível, veja: eu fui com meu filho de 9 anos lá barão, uma hora para ser atendido sendo preterido por duas vezes. Ele tem 9 anos e com dor de cabeça e de barriga. Porém foi entendido pela enfermeira que não era urgente. Porém depois de ver tal disparate protestei e de imediato fui atendido. Quero dizer o seguinte, depois de me inteirar desse protocolo, constatei que faltou por parte da enfermeira na anamnese saber mesmo que em poucos detalhes do histórico no meu caso da criança. Penso que se não tivesse reclamado ficaria com certeza mais tempo. Ato ao laboratório firam excelentes just in time e solícitos, penso que o protocolo tem de ser melhor aplicado ou melhor estudado para uma suplicação mais relevante.

  • benedita | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 18h58
    1
    0

    O presidente tem razão é pesada mesmo, afinal com o valor da consulta paga pela cooperativa sem fins lucrativos os médicos tem que se desdobrar para atender o máximo de pacientes, aquela conversa se ser atendido pelo medico de sua preferencia com hora marcada é tudo balela, como diz o povo, diz que que tá pior que o SUS.

  • wagner | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 13h51
    0
    0

    Só devia senhor, ensinar´lhes AMOR!!! E menos dinheiro. Topa?

| 18/10/2014, 10h:14 - Atualizado: 18/10/2014, 17h:53

Para se desvincular do desgaste da família, Janaína tentará mostrar identidade própria


Davi Valle/Rdnews

Janaína Riva-14-10-2014-Davi Valle (7).JPG

Janaína Riva vai mostrar identidade própria para se desvincular de escândalos

Segunda mais votada nas eleições para a Assembleia, Janaína Riva (PSD) disse que pretende se desvincular do desgaste acumuladas na família por meio de posicionamentos e identidade própria enquanto parlamentar. Isso porque seu pai, deputado estadual José Riva, sua mãe, Janete Riva, e seu marido, o vereador cassado João Emanuel, todos do PSD, já estiveram envolvidos em escândalos e polêmicas. 

Riva e Janete já foram presos pela Polícia Federal por suposta participação em irregularidades deflagradas pelas operações Ararath e Jurupari, respectivamente. João Emanuel, por sua vez, teve mandato cassado em abril deste ano por envolvimento em esquema de fraudes em licitação na Câmara de Cuiabá. Ele foi alvo da operação Aprendiz, conduzida pelo Gaeco, e perdeu seu direito de atuar como vereador.

Por conta desses episódios, Janaína destaca que não participará nas eleições para presidir a Mesa Diretora. Para ela, o primeiro ano de mandato será o momento de adquirir experiência e focar em uma atuação tranquila. Lembra que, desde criança, sua vida está ligada à política e ressalta que, se não fosse por sua família, não teria chegado ao cargo que ocupará a partir de fevereiro do ano que vem. “Tudo que meu pai fez, sendo bom ou sendo ruim. Tudo que o João fez, sendo bom ou ruim, ou que minha mãe fez pelo Estado, não pode se vincular a minha pessoa. Eu tenho que ter esse direito de poder exercer o meu mandato com a minha forma e meu jeito de ser”, reforça.

Aposta ainda que a população vai saber diferenciar sua atuação com a dos seus familiares no decorrer do mandato. “Preciso de um tempo para mostrar minha identidade, mas jamais vou esconder de onde eu vim, porque isso é o que me proporcionou chegar na AL. Imagina se seria fácil para uma mulher, jovem de 25 anos, mãe de dois filhos, já fui mãe solteira inclusive, por um certo período, chegar a um cargo como esse, que é de desejo, de poder e que só 24 pessoas conseguem chegar?” questiona.

Janaína salienta que foi eleita para atuar como oposição ao governador eleito, Pedro Taques (PDT), e que se pautará pela coerência e prudência no exercício dessa missão.

Sobre os processos que Riva responde na Justiça, Janaína observa que, com o fim do mandato dele, vai ficar tudo pra trás e serão águas passadas. “Com certeza meu pai vai ter a oportunidade de se dedicar a resolver todas as questões jurídicas, mas também sei que isso me ensinou muito, que determinados sacrifícios não valem a pena ao final do mandato e de uma vida pública”, afirma.

Para ela, o que mais desgastou a imagem de Riva foi permanecer tanto tempo na presidência do Legislativo. “Isso foi alvo de muita inveja e muitas perseguições políticas”, comenta. Dessa forma, a social-democrata afirma que não seguirá o mesmo caminho.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Antonio Souza | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 18h05
    4
    2

    Se trabalhar só a metade do pai já está de bom tamanho, e quanto aos fofoqueiros de plantao, esses sempre irao existir, faça seu trabalho e pronto.

  • Antonio Souza | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 17h27
    1
    2

    Se trabalhar só a metade do pai já está de bom tamanho, e quanto aos fofoqueiros de plantao, esses sempre irao existir, faça seu trabalho e pronto.

  • ezequiel paixaõ | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 16h17
    4
    2

    Acredito que o que ela pretende fazer é quase impossível. Só foi eleita por causa do pai, que ainda tem alguns seguidores, fora isso, infelizmente não tem nada de atrativo. Marido cassado em maus feitos, mãe envolvida em denúncia de escravidão. Tarefa dura.

  • Da Barra do Garças | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 15h43
    6
    1

    Janaininha vc vai fazer tudo o que seu Pai mandar. Esse discurso é prá boi dormir.

  • ines | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 15h09
    1
    4

    Oi Janaína. Parabéns pela expressiva votação. Você é jovem, é mulher, é da era da tecnologia. Conta com a experiência politica e administrativa familiar como nenhum outro candidato ou candidata. Culta como é. também sabe quais são os verdadeiros anceios da maioria dos cidadãos. Ou seja: educação, saúde, segurança , qualidade de vida e transparência com a coisa pública, pois nem tudo que é direito é também justo e é moral. Que Deus lhe dê sabedoria e que faça de você, de fato, uma grande parlamentar.Precisamos de lideres comprometidos com o futuro dos nossos filhos e netos. É a sua vez de mostrar o seu trabalho...

  • Reginaldo | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 13h48
    0
    0

    Reginaldo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Cuiabano | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 13h09
    5
    2

    COMO SERA ESTA IDENTIDADE PROPRIA? PORQUE PARA LIVRAR SE DO SOBRENOME RIVA SÓ EM OUTRA ENCARNAÇÃO!!!!!!!

  • jose roberto | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 10h33
    4
    1

    Essa sim tem uma tarefa difícil!

| 18/10/2014, 05h:27 - Atualizado: 18/10/2014, 05h:45

Organizações Tabajaras apresentam...

Gilson_Nunes_sabado

Gilson Nunes

Existem dois produtos à venda no mercado que prometem solucionar todos os problemas do povo brasileiro. Embora distintos, em suas características básicas, eles conhecem os meandros por onde passam esses problemas, se avolumam, suas origens e prováveis destinos. Tais produtos são tão diferentes entre si que até o sexo é diferente. Entretanto, o que me deixa intrigado é que, mesmo sendo eles paradoxais, ainda conseguem ter em comum uma postura estratégica que julgam ser imprescindível para conquistar freguês por freguês, um a um. Mas, tanto eu, quanto eles sabem o “buraco” pode estar mais embaixo ou mais em cima. O fato é que o freguês só saberá o resultado de um desses produtos ao afim dos próximos quatro anos.

 Pode parecer que o tempo estipulado seja muito elevado para o cumprimento das promessas de resolução dos problemas sociais, mas, uma coisa é certa, nem um produto e nem o outro produto vai poder afirmar, categoricamente, que os problemas, ou alguns, serão resolvidos, definitivamente. Por exemplo, a questão da saúde no Estado de Mato Grosso, vem sendo reclamada por toda a população, e os motivos são: falta de estrutura física, falta de equipamento que possibilite o profissional diagnosticar melhor o paciente, a falta desse profissional em tempo integral, falta de remédios, e por aí afora. A imprensa local não se cansa de dizer que a saúde do Estado vive na UTI. 

Mato Grosso vive uma nova era, com expectativas de progresso e de olho num futuro que, se o tiro não sair pela culatra, vai colocá-lo nos trilhos. Por falar em trilhos, um dos remédios que poderá vir a ser realidade vai ser exatamente o Veículo Leve sobre trilhos (VLT), que já foi motivo de questionamentos em termos do custo benefício. Outros sintomas problemas vividos pela sociedade se espelham na saúde, infraestrutura, segurança, educação e, mais isso e mais aquilo. 

A oxigenação da esperança está contida nos discursos com a indicação dos produtos ainda a serem consumados pelo povo Brasil afora. Os seus, os meus, os nossos problemas irão se acabar a partir do dia primeiro de janeiro de dois mil e quinze. Será? 

Os produtos de que falamos não estão sendo lançados pela primeira vez. Eles tornaram-se conhecidos por todos em outras ocasiões, outras oportunidades, desde outros carnavais, a perder de vista. Se, por analogia esses produtos pudessem ser comparados a um remédio, que serve para tratamento de gestões crônicas, melhor mesmo é o freguês ler primeiro a bula de cada um, identificar, se possível, se o produto não possui contra-indicação e aí sim, fazer a sua opção. 

O destino do pais e de sua família está em nossas mãos. Tenhamos responsabilidade na hora do voto.  Cuidado com falácias!

Gilson Nunes é jornalista e funcionário público e escreve neste Blog todo sábado. E-mail: gnunes01@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • edisilva | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 21h21
    0
    0

    ocorre que as vezes, tem gente q esquece da realidade, realidade essa q ajuda na sobrevivencia de sua propria família. espero q quando falas em responsabilidade de voto, lembre q talvez seu teto dependa de o melhor governo q é o atual e não se traia de sua realidade. sabes do que se trata, não?

| 17/10/2014, 17h:55 - Atualizado: 17/10/2014, 17h:56

Justiça determina início de obra na MT-344; Estado diz que empresa atua no local


Reprodução

mt-344_interna.jpg

Várias pessoas utilizam a MT-344 diariamente para trabalhar e estudar. Há trechos cheios de buracos

O governo do Estado tem 30 dias para iniciar as obras de reparação e sinalização horizontal da rodovia MT-344, que liga Jaciara ao município de Campo Verde. A Justiça acatou o pedido de liminar do Ministério Público e ainda prevê multa diária estabelecida em R$ 20 mil por dia de atraso.

Na ação, consta que a estrada que dá acesso aos dois municípios e passa dentro da comarca de Dom Aquino está abandonada. Diante disso, o promotor de Justiça, Milton Mattos da Silveira Neto, pontua que não há sinalização e proteções laterais na pista, além de curvas acentuadas, ausência de acostamentos e a péssima condição asfáltica. Destaca que as atuais condições que encontra-se a estrada tem causado risco de acidentes.

 Diante da situação, o Governo informa que existe licitação ganha pela empresa Três Irmãos LTDA, orçada em R$ 23 milhões, para refazer toda a capa asfáltica, no entanto, até esta sexta (17) não houve nenhuma intervenção. Em contrapartida, a Justiça aponta que há diversas notícias de acidentes em razão da falta de manutenção da rodovia. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Zé Poxoréo | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 11h27
    1
    0

    O MP deveria aproveitar o ensejo e cobrar a garantia do trecho que liga Campo Verde a Chapada dos Guimarães a rodovia foi construida a pouco tempo e já se encontra esburacada.

ARTIGO DE NILSON LEITÃO | 17/10/2014, 16h:42 - Atualizado: 20/10/2014, 00h:41

Porque voto em Aécio

nilson leitao artigo

Deputado Nilson Leitão

Em que pese o aparelhamento do Estado, as mentiras e o vale-tudo da campanha da presidente Dilma, os números do primeiro turno não lhe foram favoráveis a ponto de garantir vitória como supunham governistas, apadrinhados e sugadores da máquina estatal. Por esta razão, vivemos hoje, o momento mais importante da história política do Brasil nos últimos anos.

É o momento em que os brasileiros, ricos ou pobres, letrados ou analfabetos, jovens ou idosos, moradores das metrópoles ou da mais afastada das vilas, tem a oportunidade de analisar com mais atenção os candidatos e suas propostas, formar juízo de valor e decidir pela mudança do quadro político que aí está, como já atestam os institutos de pesquisa.

Ainda que estejamos empenhados em levar nosso candidato à vitória, é imperioso que o façamos conscientes de que a mudança pela mudança não fará bem aos brasileiros ou ao Brasil. A mudança que desejamos é antes de tudo a quebra de um paradigma, onde os valores da família serão o Norte a nos guiar para a melhoria real na vida de cada cidadão de forma igualitária, sem jogar uns contra os outros, como temos visto no atual governo.

Aécio é o meu candidato não apenas pela aprovação conquistada ao fim de sua gestão no governo mineiro. Nem mesmo por ser neto de Tancredo ou presidente de meu partido. Aécio é o meu candidato porque ele reúne as condições necessárias para conduzir o Brasil a um patamar mais elevado diante dos olhos do mundo. Voto em Aécio porque acredito em sua capacidade de realizar as reformas que há tanto esperamos, como a tributária e política, por exemplo. Voto em Aécio porque sua experiência como gestor o credenciam a criar políticas públicas de combate à criminalidade ou dar um salto na melhoria da qualidade do ensino público. Voto em Aécio porque seu plano de governo contempla crianças e adolescentes, jovens, adultos e idosos.

O brasileiro está órfão de governo. Há uma sensação de que o governo só existe para cobrar impostos, e o pior; os valores arrecadados são desviados no pagamento de propinas ou no superfaturamento de obras que, lançadas, nunca acabam. Governar é antes de tudo priorizar e, Aécio tem, assim como eu, o entendimento de que cada brasileiro deve ser visto como se fosse nosso pai, mãe, irmão, filho ou sobrinho. Pessoas às quais dedicamos nossa vida priorizando sempre o seu bem estar.

Quero mudanças pelo fim do populismo, da demagogia e oportunismo típicos do atual governo. Por fim, voto em Aécio porque acredito que a alternância de poder é o único mecanismo capaz de garantir a soberania nacional e a altivez de cada brasileiro.

Nilson Leitão é ex-prefeito de Sinop, ex-deputado estadual, reeleito para o segundo mandato de deputado federal com a maior votação (127.748 votos) pelo PSDB, coordenador da campanha de Aécio Neves em MT e escreve este artigo especialmente para o Blog do Romilson

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Lazaro | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 23h31
    2
    7

    Aécio quer mudar o que?? Ele só fala em aprimorar o que a Dilma já faz. Esses tucanos são bons apenas em discurso decorados.

  • Jun Sakamoto | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 22h34
    7
    2

    Este PT já deu o que tinha que dar. Precisamos de um gestor, para colocar o Brasil em crescimento novamente, precisamos produção, empregos, eliminar a corrupção e roubalheira, enfim, um choque de gestão, assim como Aécio fez em MG.

  • Cicero Jr | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 20h34
    8
    2

    Vota em a Aécio significar mudança, chega de PT 12 anos e ainda vem falar de um Brasil novo. mudança é 45.

  • anderson | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 17h09
    2
    11

    sabe porque gente amiga que o simbolo do PSDB DE AECIO NEVES E UM TUCANO? PRA LEVAR AS PESSOAS NO BICO COM SUAS CONVERSAS FIADAS E ABSTRATAS. OUTRA COISA-VEJO MUITA GENTE DIZER QUE O FERNANDO HENRIQUE CARDOSO CUJO ATENDE PELO APELIDO DE "F H C " E UM ESTADISTA INTELECTUAL,ESTA IMORTALIZADO NA ADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS COM TODA A SUA ' sabedoria'.POREM DEIXO UMA REFLEXAO A VOCE= SERA QUE FHC ESTA IMORTALIZADO NO CORAÇAO DOS BRASILEIROS,COO EU E ECOMO VC QUE LES ESTA MENSAGEM COMO ' LULA ESTA'? CREIO QUE NAO.GOVERNO LULA DEIXOU SAUDADES PELA SUA SABEDORIA E SUA SENSIBILIDADE POLITICA PRA COM OS MAIS POBRES EM ADMINISTRAR.TROUXE A DIGNIDADE,A ESPERANÇA AO MAIS NECESSITADO,TROUXE AS 3 REFEIÇOES QUE PROMETIA NO SEU DISCURSO DE POSSE,NO QUAL EU CHOREI. TROUXE O CARINHO DE TODOS NOS,O RESPEITO E A SAUDADE GOVERNO LULA, COISA QUE O GOVERNO FHC NEM E LEMBRADO POR NOS NOS COMO COISA BOA,APENAS COMO O GOVERNO DA EXCLUSAO SOCIAL E MAIS NADA. LULA,SE-MI-ANALFABETO NAO PRECISA DE TITULOS DE ACADEMIA DE LETRA NAO.OBAMA DISSE-ELE,(lula) e O CARA!BONO VOX DO U2,TAMBEM DISSE. LULA E DO POVO,CHEIRA POVO,E VEM PRO POVO,SABE MUITO BEM TOMAR BANHO DE POVO,COISA QUE FHC E SUA ADJACENCIAS DESCONHECEM. E UMA PENA QUE DILMA NAO SOUBE DAR CONTINUIDADE A ERA ' LULA'.ATE TENTOU,MAS FALTOU-LHE SENSIBILIDADE E SABEDORIA DIVINA,COISA QUE LIVROS , ESTUDOS NA TRAZEM... EU SOU MUIO FELIZ POR TER FEITO PARTE DA MUDANÇA QUE LULA PROPORCIONOU A NOS BRASILEIROS. A SORTE ESTA LANÇADA-VOTEM CONSCIENTE- FAÇA UMA ANALISE PELO RETROVISOR 'Da vida ' e pensem bem antes de votar.nao anulem seu voto nem vote em branco. sua vida mudou,vote dilma 13 sua vida nao mudou,vote aecio 45 mas votem com responsabilidade

  • Maria Antonia | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 10h48
    12
    6

    Eu voto no Aécio Neves porque precisamos de alternância no Poder, que é um dos Pilares da DEMOCRACIA, não podemos deixar um único partido perpetuar no PODER, Aécio reúne as características que hoje estamos precisando. Quando vejo essa lambança que o governo Federal vem fazendo com o dinheiro público fico preocupada, tenho filho e pretendo ter netos, for não freada essa locomotiva louca da corrupção logo teremos um PAÍS RICO em recursos naturais, matéria prima em abundância, pecuária e agricultura. Gostaria de saber em qual caixão vai todos esse dinheiro desviado (roubados), quando esses políticos morrerem. Sei que Aécio não é santo, mas sei que é a única porta de passagem que temos neste momento de derrubar esses PETRALHAS...FORA DILMA, LULA, JOSÉ DIRCEU, PALOCCI, GENOÍNO, ETC....

  • JOAO BATISTA VAZ CEBOLA | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 15h15
    11
    16

    Texto medíocre, pobre por se tratar de um deputado federal. Tenho vergonha de viver aqui quando vejo isso. (nojo)

  • Zilmar Assis de Lima | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 07h21
    17
    11

    Graças a Deus o nosso coração é movido pela esperança, E hoje, a minha esperança e a esperança de milhares de Brasileiros é pelo, um futuro melhor, melhor na saúde, na segurança, na educação, em fim a minha esperança esta no Aécio Presidente 45..

  • Rui Nova Mutum | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 07h00
    14
    21

    Dilma fez aeroporto para o Povo brasileiro bem feito ou aos trancos e barrancos mas fez , já Aécio vez para o tio dele com o dinheiro do Povo, Olha a diferença. Dilma não se opôs a criar a CPI da Petrobras já o PSDB ganhou dinheiro para esvaziar a CPI em 2009. Oposição é igual a comentarista de futebol só comenta depois do fato ter acontecido. Só sei te dizer uma coisa ganhe quem ganhar não vai mudar a política brasileira. vc sabe por que o cachorro e o melhor amigo do ser humano? pois o mesmo não conhece dinheiro. dia 26 divide por 2 = 13 neles

  • wagner | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 06h18
    0
    3

    wagner, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • benedita | Sexta-Feira, 17 de Outubro de 2014, 20h06
    20
    11

    Maria, voce deve ter seus motivos para defender a Dilmãe, mas falar em mudança em um governo de um partido que há 12 anos está no poder, voce esquece um dos pilares da democracia a ALTERNANCIA no PODER. Só isto elimina a mudança dilmista, afinal 12 anos já deu tempo para fazer o que vieram prometendo e não cumpriram. Aécio é o nov?Não ele é a alternancia no poder!

ARTIGO DE NERI GELLER | 17/10/2014, 16h:25 - Atualizado: 20/10/2014, 00h:41

Porque voto na Dilma

neri geller artigo

Ministro Neri Geller

É com muito orgulho que integro a equipe da presidenta Dilma Rousseff. No papel de ministro da Agricultura, tenho percorrido o Brasil para defender os interesses do agronegócio e de um projeto de governo focado no crescimento econômico e na inclusão social. Falo de uma gestão que, por meio do Bolsa Família, retirou mais de 22 milhões de brasileiros da extrema pobreza e que impulsionou a maior mobilidade social da história deste país.

Hoje, mais de 110 milhões de brasileiros (50% da população) pertencem à classe média. Faço a defesa de um governo que desde 2009 já entregou 1,8 milhão de moradias pelo Minha Casa, Minha Vida, programa criado e conduzido com firmeza pela presidenta Dilma e que já investiu mais de R$ 228,3 bilhões em empreendimentos, gerando emprego direto para mais de 3,4 milhões de trabalhadores.

Este é um governo que soube enfrentar com determinação uma das piores crises econômicas ocorridas no cenário internacional, mantendo o nível de emprego entre os mais altos das últimas décadas. Afinal, que país pode se orgulhar de nos últimos quatro anos ter gerado mais de 5 milhões de empregos e estar sempre beirando a situação de pleno emprego? Um governo que não poupou investimentos em saúde e educação e que tem no Pronatec um dos mais bem-sucedidos programas de capacitação de jovens e adultos para o mercado de trabalho. Até o final deste ano, mais de oito milhões de pessoas terão se formado em todo o Brasil, com qualificação para competir por uma vida digna para suas famílias.

Quando o assunto é o agronegócio, afirmo com toda certeza que estamos falando da maior atenção já dada por um governo a este que é um dos pilares da economia brasileira. Quem é produtor, gestor público ou líder classista sabe muito bem do que estou falando. Para citar apenas alguns exemplos, posso começar mencionando o Código Florestal, sancionado pela presidenta em 2012, e que deu ao País uma das melhores propostas ambientais de todo o mundo, contribuindo também para tirar milhares de produtores da ilegalidade. 

Hoje, nossos produtores sabem que podem contar com o governo federal para investir na produção. Na safra atual, são mais de R$ 156 bilhões de reais em crédito (85% deste valor com juros controlados), o que nos permite vislumbrar mais uma colheita recorde de grãos, superior a 200 milhões de toneladas. E o que é mais importante, com uma taxa de juros que varia de 4% a 6,5%, bem abaixo da taxa selic. O que significa dizer que hoje a agricultura brasileira conquistou um espaço que nunca teve na política nacional de crédito.

Estamos falando de uma política agrícola que colocou o Brasil entre os maiores produtores mundiais de alimentos e que nos permite estabelecer relações comerciais com mais de 170 mercados mundo afora. No comércio internacional, estamos entre os três maiores exportadores de alimentos. Somos o maior exportador mundial do complexo soja, derivados da cana-de-açúcar - como o açúcar e o álcool - de café, de tabaco, de laranja; segundo maior de milho; terceiro maior de algodão. Nossas vendas de proteína animal crescem a cada ano, resultado de uma produção competitiva e ações de governo que conferem segurança e confiança aos compradores de outros países.

E vamos avançar ainda mais, de modo especial neste celeiro da produção nacional que é a região Centro-Oeste. O avanço da fronteira agrícola para o Centro-Norte do país, investimentos em pesquisa e adequadas políticas de crédito resultaram no crescimento acelerado da produtividade e dos volumes das safras nesta região. Com os investimentos projetados para a próxima década, a proposta, além de melhorar o acesso por vias importantes para as regiões Sul e Sudeste, é ampliar o volume de produção escoado para os portos no denominado Arco Norte, que atualmente é de 10 milhões de toneladas de grãos. Esse panorama vai mudar gradativamente nos próximos dez anos, com a instalação de novos terminais nos sistemas de Macapá (Santana), Belém (Vila do Conde e Outeiro) e São Luis (Tegram). Somados aos terminais existentes em Santarém (PA) e Itacoatiara (AM), a projeção é que haja uma movimentação superior a 60 milhões de toneladas de grãos até o ano de 2025.

E para essa transformação foi fundamental a aprovação da Lei da Concessão de Portos (Lei 12.815, 05.06.2013), que estabelece um novo marco para investimentos na área portuária, assim como a concessão para Modernização das Rodovias que, entre outros projetos, vai recuperar todo o trecho da BR-163 até a divisa do Mato Grosso com o Pará. Em terminais, vale lembrar o Intermodal de Rondonópolis, que é o maior terminal já construído no Brasil (18 milhões de toneladas/ano), o terminal Portuário de Vila do Conde, em Barcarena (PA), e a Estação de Transbordo de Miritituba, que receberão 2 milhões de toneladas já em 2014. A região receberá ainda nos próximos anos investimentos em oito terminais, sendo para 2015 os de CIAMPORT (FIAGRIL) e ADM.

A Ferrovia de Integração Leste-Oeste (FIOL) já está sendo implantada no trecho de Ilhéus à Caitité, na Bahia. Serão 1.527 km até a Ferrovia Norte Sul, em Figueirópolis (TO). Também se encontra em processo de licitação a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO), que terá 900km e ligará Lucas do Rio Verde  até a Norte Sul, em Campinorte (GO). Pela Hidrovia do Rio Madeira (Grupo Hermasa), já estamos transportando quatro milhões de toneladas de grãos.

Acrescente-se a isso, os investimentos para ampliação e reforma de armazéns públicos e privados. O segmento da armazenagem foi contemplado no Plano Agrícola e Pecuário com recursos de R$ 25 bilhões para os próximos cinco anos.

Por estes e muitos outros resultados concretos é que defendo a continuidade do atual projeto de governo. Tenho certeza que a população brasileira é sensível aos enormes avanços econômicos e sociais que nos últimos anos colocaram o Brasil entre as seis maiores economias do mundo e, mais do que isso, trouxeram esperança e dignidade para milhões de famílias em todo o país.

Neri Geller é ex-vereador por Lucas do Rio Verde, ex-deputado federal e ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e escreve este artigo exclusivamente para o Blog do Romilson

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • Roberto Resende | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 09h27
    1
    4

    Voto na Dilma quantas vezes for preciso, quando que o país teve tantos projetos sociais, tirando mais de 40% da pobreza absoluta, dando oportunidades para os jovens estudarem, conseguindo sua casa própria, quando que o país teve um FIES pra custear seus estudos etc... só não vota na Dilma esse povo do agronegócio que só pensa em cada vez ficar mais rico, desmatando tudo pela frente, e não pensa naquele que está ali do seu lado pedindo um prato de comida. voto na Dilma sem medo de ser feliz.

  • SILVIO | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 08h10
    5
    1

    LOGICO QUE TEM QUE VOTAR NA DILMA E O MEDO DE PERDER A BOQUINHA.

  • Ronildo de Jesus | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 23h53
    3
    3

    Vejo muitos megas fazendeiros que odeiam a Dilma e amam o Aécio. Mas esses mesmos magnatas do agronegócio, tem frota de aviões, tem inumeras linhas de financiamentos dos bancos publicos, vivem esbanjando dinheiro em carros importados e em viagens internacionais, geram pouquíssimos empregos, contam com varios incentivos fiscais e alfandegários e ainda quando há perdas nas vendas, o governo recompõe as perdas com dinheiro público. Caso ganhe, quais outras regalias os tucanos irão oferecer a eles com o nosso dinheiro público??? No Brasil poucos ganham muito e muitos ganham poucos.

  • marvel peter | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 17h39
    0
    0

    marvel peter, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Rogério | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 10h33
    13
    3

    110 milhões de brasileiros na classe média? Quem lê esse tipo de matéria não é alienado ao ponto de acreditar nessa fábula.

  • marcelo | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 09h32
    16
    3

    A Teta ta boa vai ser desmamando o ministro tampão.

  • Arlindo Fonseca | Sexta-Feira, 17 de Outubro de 2014, 17h54
    19
    6

    Sr. Ministro, o senhor está cumprindo seu papel em defender mais um mandato para sua chefa. Mais só um fato é suficiente para o povo de MT não votar em Dilma. O falso lançamento da Ferrovia FICO, no início de 2010 em Lucas do Rio Verde. Nem projeto havia, até hoje nada de concreto foi feito. Outro fato, pesquisa da CNT ( Confederação Nacional do Transportes) divulgou pesquisa informando que 85,2% das rodovias de MT estão reprovadas, depois de 12 anos do governo do PT.

  • Moraes P de Albuquerque | Sexta-Feira, 17 de Outubro de 2014, 17h36
    13
    24

    Neri soube enumerar com conhecimento dos fatos muitas coisas feitas por este governo. Por isso estou com ele.

  • Mariana de Freitas | Sexta-Feira, 17 de Outubro de 2014, 17h35
    21
    9

    O ministro está, em verdade, defendendo o próprio emprego. Se a Dilma perder, o que acho bem provável, ele estará de fora. Será mais um desempregado

  • MARIA | Sexta-Feira, 17 de Outubro de 2014, 17h33
    16
    20

    Parabéns Ministro! Muito honroso o reconhecimento que o senhor faz! só uma coisa que gostaria de ver contemplada em suas próximas comunicações públicas: a questão da agricultura familiar, os pequenos produtores. No mais, parabéns!

INíCIO
ANTERIOR
1 de 686