Cuiabá, 27 de Maio de 2015
  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

TRIBUNAL DE JUSTIÇA | 21/11/2011, 21h:10 - Atualizado: 21/11/2011, 21h:28

Depois de 17 anos, TJ começa a pagar URV para os funcionários

      Depois de 17 anos, diversas greves e um longo processo de negociação, os servidores do Poder Judiciário vão começar a receber as perdas salariais que tiveram durante a conversão da moeda brasileira em 1994, quando o cruzeiro real passou a ser real. Nesta segunda (21), o presidente do Tribunal de Justiça Rubens de Oliveira determinou o pagamento dos funcionários referentes à Unidade Real de Valor (URV).

      Apenas os funcionários que têm até R$ 11,9 mil a receber devem assinar o termo que foi disponibilizado na página da instituição. Eles irão receber tudo numa única parcela. Conforme Rubens de Oliveira, os recursos serão restituídos até 5 de dezembro. “Os servidores que têm crédito acima desse valor vão receber R$ 5 mil, a serem pagos em duas parcelas, a primeira em dezembro e a segunda em janeiro”, salienta o desembargador.

     Ele garante ainda que se houver sobra orçamentária no final do exercício de 2011, ela será utilizada para o pagamento de servidores que possuem créditos de menor valor. Com a medida, a diretoria do TJ se antecede às ações judiciais e facilita o processo. Conforme termo de compromisso firmado entre o TJ e Sinjusmat, os servidores deveriam ajuizar ação de execução para recebimento de seus direitos relativos à URV. Para quitar todo o débito com os mais de 4 mil servidores, que têm direito ao benefício, estima-se que serão necessários aproximadamente R$ 200 milhões.

 

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • joao batista de brito santos | Quarta-Feira, 11 de Fevereiro de 2015, 18h52
    2
    1

    Quem estava servindo neste tempo do urv tem direito! (exercito)

  • joeni barbosa de sousa | Quinta-Feira, 29 de Janeiro de 2015, 19h53
    0
    2

    joeni barbosa de sousa, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • jose m vasconcelos | Quinta-Feira, 11 de Dezembro de 2014, 15h19
    2
    0

    gostei da decisão, mais gostaria de saber como fica situação dos funcionário publico do estado do ceara?

  • JOSE APARECIDO MACHADO | Domingo, 25 de Maio de 2014, 22h46
    4
    1

    quero receber minha urv o mais rapido possivel , se fosse descontos era rapidinho precis trocar o governo nessa eleicao ele e rico nao precisa nada nem ser governador denovo acabou com a policia no geral e uma pouca vergonha fora geraldo

  • Robson Pereira Lima | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 21h46
    5
    1

    Sou servidor Público Estadual, pertenço ao quadro de servidores da Secretaria de Segurança Púbica de Mato Grosso, sou Policial Civil, já estou me aposentando além de do direito da URV, também tenho a carta de crédito, gostaria de saber do Governo, preciso receber tanto a URV, como a carta crédito qual é a prioridade para nós que estamos nos aposentando, não tenho residência fíxa e acho que com esse dinheiro compraria minha casa própria. Quando o Governo vai pagar essas pessoas?

  • euza maria de oliveira | Quinta-Feira, 03 de Abril de 2014, 20h10
    2
    0

    eu espero que seja cumprida essa ord

  • Emiliana | Quinta-Feira, 13 de Fevereiro de 2014, 23h00
    6
    2

    Sou funcionária pública da (Seduc) no Tocantins, desde 1982, sou efetiva, e gostaria como e quando vou receber o que é nosso por direito? preciso pagar minhas contas e usufruir enquanto estou viva e consciente.

  • Sandra Santos | Quarta-Feira, 05 de Fevereiro de 2014, 15h59
    9
    3

    Gostaria de saber como fica a situação dos funcionário publico do estado de são paulo, que teria direito ao reajuste da urv? sou funcionaria efetiva desde 1987, e gostaria de saber como fica nossa situação.

  • GEILSON | Terça-Feira, 28 de Janeiro de 2014, 11h07
    3
    1

    QUERO SABER DE ALGUEM SE EU POSSO PAGAR MINHAS CONTAS DO GOVERNO COM PRECATORIAS, POISD SE ELE TEM O DIREITO DE NOS PAGAR OS ATRASADOS COM PRECATORIA ACREDITO QUE ELE NOS DA O DIREITO DE FAZER O MESMO, NADA MAIS JUSTO

  • antonio carlos silva macedo | Domingo, 24 de Novembro de 2013, 17h17
    7
    0

    Sou funcionario público do estado do rio de janeiro desde 15 de junho 1972 (PMERJ) fui pra Reserva Remunerada em 01 de julho de 2004 no posto de 2º TEM PM RR,pois na ativa eu era SUB-TEN PM ,VI UMA REPORTAGEM ,QUE SE REFERIA A DEVOLÇAO DA DIFERENÇA DA URVs,tenho direito

| 27/05/2015, 19h:46 - Atualizado: 03h atrás

Taborelli diz que decisão do TSE não o tira da Assembleia e afirma estar tranquilo


Gilberto Leite/Rdnews

taborelli_advogados.jpg

Deputado estadual Pery Taborelli (PV) entre advogados Darlã Hebert Vargas (esq.) e Lenine Póvoas

Após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acatar parcialmente o recurso do ex-prefeito de Nova Bandeirantes Valdir Barranco (PT), bem como mandar remeter a decisão ao Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TER/MT), para rever a sentença do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que o tornou inelegível, a equipe jurídica do deputado estadual Pery Taborelli (PV) afirma estar tranquila em relação à situação.

Em entrevista coletiva, nesta quarta (27), os advogados que patrocinam a defesa do parlamentar, Lenine Póvoas e Darlã Hebert Vargas, explicam que em nenhum momento o TSE deferiu o registro de candidatura do petista. “Não existe a possibilidade de Valdir Barraco assumir, porque para isto é indispensável o registro de candidatura”.

Taborelli, por sua vez, argumenta que confia na Justiça para seguir os trabalhos na Assembleia. “Qualquer que seja o resultado cumprirei tranquilamente. Mas é o Barranco que tem que provar a situação dele”, reforça. Apesar disso, depois do parecer do TSE, o deputado deixou a sessão vespertina sem falar com a imprensa e visivelmente abalado.

Barranco tem votos validados pelo TSE, mas situação segue indefinida

 O jurista Lenine lembra ainda que o TSE derrubou a decisão do TRE, no que tange a impugnação do registro de candidatura de Barranco proposta pelo Ministério Público, em 2007. Segundo ele, ainda faltam analisar as contas de gestão do ex-prefeito de 2008 e 2009, analisadas pelo TCE. “À época, o TRE não julgou as duas contas de gestão, por não preencher um dos requisitos que Barranco foi impugnado, que é rejeição de contas”, explica.

Gilberto Leite/Rdnews

lenine_povoas.jpg

Lenine Póvoas, filho da presidente do TRE, Maria Helena Póvoas, diz que mãe ficará fora do caso

TRE 

Com a volta do processo para o Tribunal em Mato Grosso, e em razão da defesa do deputado ser composta por Lenine Póvoas, filho da presidente do Tribunal, Maria Helena Póvoas Gargaglione, a desembargadora ficará impossibilitada de presidir a sessão, quando o caso foi levado ao Pleno. “Não há impedimento da minha atuação neste caso, só a minha mãe que não poderá presidir a sessão”, justifica.

Postar um novo comentário

artigo | 27/05/2015, 15h:27 - Atualizado: 08h atrás

A derrota da contrarreforma política é um alento para a democracia, diz advogado

advogado_artigo.jpg

 

A derrota do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), ao tentar impor ao país uma absurda contrarreforma política, soa como um alento à democracia em tempos tão reacionários no Congresso Nacional.

Pelas propostas por ele engendradas a ferro e fogo, a ponto de destituir às vésperas da votação o presidente da Comissão Especial de Reforma Política, de seu próprio partido, por pontuais divergências, levadas ao plenário da Câmara, na noite de terça (26), seria abolido o voto proporcional e o país passaria a adotar nas eleições de deputados o chamado “distritão”. Ou seja, seria institucionalizado o financiamento de campanhas eleitorais pelas empresas, as eleições municipais e gerais seriam unificadas, assim como os mandatos, todos de quatro anos, com proibição de reeleição ao Executivo.

Por mais que tente, não consigo enxergar, em nenhuma das propostas do imperador do Legislativo, nenhum avanço democrático, mas retrocessos típicos de períodos políticos conturbados, como o que vivemos, e a racionalidade orienta que alterações tão profundas na Constituição da República não sejam feitas ao sabor do momento, ainda mais goela abaixo.

O “distritão” é exemplo típico. Ao raso argumento de que a população não consegue entender as razões e o funcionamento do sistema proporcional, que nada obstante assegura exatamente a “proporcionalidade” da representação popular no Parlamento, inclusive de suas minorias, Mr. Cunha & Cia. vendiam o discurso fácil – e perigoso – de que os eleitos devem ser simplesmente aqueles deputados mais votados em cada Estado, sem qualquer ponderação quanto à representatividade que a sua linha ideológica, pretensamente representada por seu partido político, tenha alcançado nas urnas.

Isso impediria a oxigenação política no Legislativo, amesquinharia os partidos e consagraria definitivamente a eleição pela fortuna ou fama do candidato. Um aceno ao totalitarismo, que nesse particular colocaria o Brasil ao lado do Afeganistão e da Jordânia, únicos países a adotar o modelo para a eleição de deputados.

A constitucionalização do financiamento privado das campanhas, notadamente por empreiteiras, também veio embalada pelo argumento populista e inconsistente de que o financiamento exclusivamente público tiraria dinheiro de setores, como saúde e educação, para ser investido nas campanhas eleitorais. Financiar a democracia é tão importante quanto. E não enfrenta minimamente a realidade de que atualmente os financiados são também despachantes das empresas financiadoras junto ao Governo e ao próprio Congresso, e de que não há nenhuma isonomia entre os candidatos, por isso, a bancada majoritária é sempre empresarial.

Neste sentido, não pode ser desconsiderado que esta proposta de emenda constitucional era uma tentativa de tornar sem efeito a declaração de inconstitucionalidade do financiamento privado de campanhas eleitorais (ADI 4650, impetrada pela OAB, relator o min. Luiz Fux), já sacramentada por maioria de 6 votos no Supremo Tribunal Federal, mas cuja conclusão, providencialmente –para Cunha – vem sendo procrastinada há mais de um ano pelo pedido de vistas do ministro Gilmar Mendes.

A unificação das eleições e mandatos de quatro anos para todos os cargos eletivos, com proibição de reeleição ao Executivo, são também pretensões antidemocráticas que teriam como resultado não o barateamento das campanhas eleitorais e o impedimento de utilização da máquina administrativa pelos governantes, aliás, quanto ao ponto, parece melhor generalizar a desincompatibilização, como já ocorre quando o governador concorre ao Senado, por exemplo, mas o fortalecimento da alienação política da população, que somente a cada quadriênio, em meio a uma campanha de divulgação curta e intensiva por centenas ou milhares de candidatos, seria chamada a optar de uma só vez desde a plataforma de governo nacional até as questões locais insertas nas propostas dos candidatos a vereadores.

A proibição da reeleição, por fim, vem sendo difundida como indispensável pelos mesmos que, em 1997, reclamaram a sua aprovação e a alcançaram em meio a acusações e até confissões de mercancia. Representa na verdade a veiculação da ira de uma parcela da sociedade, e maior da classe política, contra a gestão federal que se estenderá por 16 anos, lá colocada e repetidamente mantida pela vontade da maioria da população brasileira. 

Seja este ou aquele o governante federal, estadual ou municipal, quatro anos é pouco tempo para uma administração, e não existe sentido em vedar que o povo possa reconduzir aquele que tenha a sua aprovação. A alternância de poder, para ser saudável, não pode impor a descontinuidade administrativa como condição. Se o sistema político-eleitoral brasileiro precisa de uma reforma, não era dessa.

José Renato de Oliveira Silva é advogado especialista em direito eleitoral e professor. (zerenatoadv@hotmail.com)

Postar um novo comentário

Assembleia | 27/05/2015, 13h:37 - Atualizado: 27/05/2015, 13h:40

Fabris afirma que fazer oposição é démodé e elogia diálogo com governador Taques


O deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), que lidera o bloco Social, Trabalho e Democracia, formado por 10 parlamentares do PSD, PMDB, PDT e Solidariedade, avalia que o conceito de oposição está ultrapassado. Segundo ele, as mensagens do Executivo que beneficiam a sociedade devem ser aprovadas sem levar em consideração os partidos ou coligações. “Fazer oposição não funciona mais. Ficou démodé. Todo mundo junto não dá conta de fazer, imaginem fazendo oposição. Hoje em dia, o Governo tem que ter todo mundo a favor ou contra quando estiver errando”.

Fabris também diz que a prática de fazer oposição sistemática ficou ultrapassada. Conforme o parlamentar, a política evoluiu e já não permite que deputados peçam vistas somente para inviabilizar projetos, com objetivo de desgastar a situação e se fortalecer para o próximo processo eleitoral. “Hoje a sociedade acompanha a ação dos parlamentares e exige que exista diálogo em prol do desenvolvimento do Estado. O radicalismo não é bem visto”. 

Não será mamão com açúcar, avalia Fabris sobre Governo Taques na AL

Além disso, o social-democrata elogiou a iniciativa do governador Pedro Taques (PDT) de reunir os deputados estaduais para promover o diálogo entre Executivo e Legislativo. Fabris, que alegou motivos de ordem pessoal para não comparecer no almoço realizado no Palácio Paiaguás em 26 de março, foi recebido individualmente alguns dias depois. “Sai com uma boa impressão. O governador falou de projetos na área da infraestrutura e outros assuntos. Acho que o Governo está no caminho certo”, conclui. 

Taques almoça com 16 deputados e consolida base na AL

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Nacy Albuquerque | Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015, 14h16
    7
    2

    Isso aí deputado. Governar na era do coronelismo não dá mais. Agora tem que arregaçar as mangas e colocar os pés na estrada para realizar obras. Deputado de coragem que fala tudo o que pensa. Parabéns!

  • Lindomar Silva | Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015, 14h10
    7
    2

    esse tem postura de lider.

| 27/05/2015, 07h:00 - Atualizado: 27/05/2015, 07h:33

Ética e Política

silvio artigo quarta-feira

Silvio Fidelis

Ao fazer uma reflexão sobre ética na política em nosso país, deparo-me com diversas indagações, algumas interrogações, às quais ainda busco respostas. Leio, pesquiso, busco sempre estar informado quanto ao tema, pois acredito que, como cidadão, que preciso estar atento ao que está acontecendo no campo da política.

Acredito que todo cidadão deveria ter esse hábito pois, quando chegar o período eleitoral, não ficará dependente apenas das informações que chegam, sobretudo as derivadas da Lei da Ficha Limpa, que deveria ajudar o eleitor a escolher corretamente seu candidato. Mas alguém aí pode afirmar, categoricamente, que esta lei, que apresenta algumas brechas, realmente impede a candidatura dos  fichas sujas? 

Aí que entra em campo esta palavra, a ética, que pode ajudar a definir quem é merecedor de nossa confiança. A ética é o nome dado ao ramo da filosofia dedicado aos assuntos morais. Derivado do grego, significa aquilo que pertence ao caráter. A ética observa condutas, averiguando o distanciamento delas em relação às inumeráveis virtudes louvadas pela razão predominante na vida social. E faz classificações. Qualificando-as de justas ou injustas, oportunas ou inoportunas, honestas ou desonestas, leais ou desleais.

Agora vamos analisar a ética dentro do campo da política do nosso país. Como a ética está sendo aplicada pelas esferas dos Poderes em nosso Brasil?  Pelos exemplos diários nos telejornais, a ética e a política são sistemas inconciliáveis. São escândalos como o “Mensalão”, nome dado à prática corrupta da compra de votos de parlamentares entre 2005 e 2006. Tem ainda o “Petrolão” da Operação Lava Jato, que investiga um grande esquema de lavagem e desvio de dinheiro envolvendo a Petrobras.

Outro exemplo, a Operação Ararath, uma ação da Policia Federal que está combatendo crimes contra o sistema financeiro e que envolve grandes empesas e políticos de nosso Estado. Infelizmente, se esticar os exemplos de corrupção precisaríamos de mais espaço.

Os sentimentos de raiva, desprezo, repulsa são exaltados pelo cidadão cumpridor de suas obrigações, ao tomar conhecimento pela mídia a que ponto chegou à falta de ética no trato da coisa pública. A que ponto chegou o nível de corrupção entre aqueles que detêm cargos públicos e que foram eleitos para representar o povo. Povo que tem a responsabilidade de escolher quem os representa e que vem demonstrando sua indignação. 

No último mês de março deste ano, cerca de 1 milhão de brasileiros foram às ruas para clamar pelo fim da corrupção no meio político.

Como se sente o cidadão comum, que levanta de madrugada, leva horas para chegar ao seu local de trabalho em um transporte público precário e que assiste na plateia parlamentares eleitos com o voto popular legislarem em causa própria, para aumentarem os próprios salários e benefícios, enquanto discutem dias e meses para aumentar de forma irrisória o salário mínimo? Como se não bastasse isto, medidas provisórias são editadas ao bel-prazer dos governantes. O que foi decidido ontem, já não vale hoje. Daí vem à indagação: para onde estamos caminhando?

A rigor, não deveríamos pensar na política ética, apenas em época de eleição. Se tivermos ética na política, teremos educação, saúde e segurança de qualidade, que são direitos básicos de todos os cidadãos; mas que, na prática, suas aplicabilidades são capengas, pela deformação ética daqueles que deveriam zelar pela sua materialidade.

Vivemos uma encruzilhada na história do Brasil, momento em que fatos corruptos vêm à tona e mostram uma quebra dos parâmetros éticos. Momento importante em que ações da lei evidenciam que a impunidade pode sim, ser combatida. Por outro lado, é importante que os cidadãos não permaneçam de braços cruzados vendo as coisas acontecerem. 

Gosto muito de um pensamento do filósofo e político inglês Edmund Burke: "Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada". Precisamos de mais pessoas comprometidas não somente com palavras, mas com ações, com cobranças fortes àqueles que nos representam. 

Silvio Fidelis é professor, mestre e doutor em Educação, escritor e escreve exclusivamente neste Blog toda quarta-feira - e-mail: sa-fidelis@uol.com.br - Instagram silvioafidelis

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • João Benedito | Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015, 16h00
    1
    0

    Ética na politica, como trabalhar isso no Brasil?! Complicado professor. Bem plausível o tema do seu artigo. Acho que nós brasileiros deveríamos nos impor mais em relação ao tema. Parabéns.

  • Loudes | Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015, 12h40
    6
    0

    Para falar em ética não é preciso ir longe. Tem condenados em processos falando de ética. Não é um disparate?

  • Dirceu Fornaziere | Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015, 08h35
    6
    2

    Quando vimos e assistimos Senadores da Republica em especial de mato grosso se declarar envergonhado ou traído pelo governo federal e depois em outro ato se juntar para derrotar o povo, é de se envergonhar mesmo. Na verdade isto tudo é jogo de cena para valorização do próprio passe e aquisição de força para nomeação de apadrinhados. Ética, política e fortunas não se misturam.

| 26/05/2015, 23h:25 - Atualizado: 26/05/2015, 23h:50

Senador por MT, Medeiros assina pedido de investigação criminal contra presidente


Jefferson Rudy

jose medeiros

Líder do PPS no Senado, José Medeiros reforça a representação contra Dilma

José Medeiros foi um dos 11 líderes de partidos de oposição que colocaram suas assinaturas na representação criminal contra a presidente Dilma Rousseff feita nesta terça na Procuradoria-Geral da República.

Na petição, eles pedem que a presidente petista seja responsabilizada pelas chamadas “pedaladas fiscais", usadas para disfarçar a fragilidade das contas públicas no primeiro mandato de Dilma. Assinam a representação os líderes do PSDB, DEM, Solidariedade e do PPS na Câmara e no Senado.

Medeiros, que se tornou senador no lugar do hoje governador Taques, assinou como líder da bancada do PPS. Também é o único da sigla no Senado. Ele se firma como opositor ao governo petista. O bloco busca, com isso, um caminho alternativo ao pedido de impeachment. Considera que esse processo criminal é mais grave.

O procurador-geral Rodrigo Janot terá agora dois caminhos. Ele pode arquivar ou enviar a petição para o Supremo com pedido de abertura de ação penal para investigar Dilma. Se a opção for o STF, este terá de submeter o pedido à Câmara. Aí, os parlamentares terão de decidir, por maioria de dois terços, se autorizam ou não investigar a presidente da República.

Enquanto Medeiros reforça o bloco opositor ao Palácio do Planalto, os outros dois senadores mato-grossenses, Wellington Fagundes e Blairo Maggi, da bancada do PR, seguem agindo como situacionistas e não concordam com a denúncia feita contra a presidente.

Confira a íntegra da representação.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Alexandre | Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015, 10h22
    7
    1

    o PR é PT enquanto forem base de apoio e ajudados no agronegocio...

cuiabá | 26/05/2015, 18h:45 - Atualizado: 26/05/2015, 18h:46

Mauro atualiza planta genérica em 6,59% e já elabora estudo para alterar IPTU 2016


O prefeito Mauro Mendes (PSB), por meio de decreto, atualiza a Planta Genérica de Valores de Cuiabá, em 6,59%. A publicação foi feita no Diário Oficial de Contas, nesta segunda (25), e a recomposição é baseada no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que terá impacto nos boletos a serem gerados em 2016.

Assim, na prática, haverá uma elevação do valor pago no IPTU, levando em consideração o IPCA, que recompõe as perdas inflacionárias. O último aumento real na planta genérica ocorreu em 2010, na gestão Chico Galindo (PTB), após aval do Legislativo.

Patrícia Sanches/Rdnews

santullo_planta.jpg

Secretário municipal de Fazenda, Pascoal Santullo Neto, que explica atualização da planta genérica

O valor da planta genérica é calculado considerando a área onde está o imóvel; o valor do metro quadrado; localização, melhorias públicas, além da classificação em tipo luxo, fino, alto, normal, baixo, popular e modesto (Classe A a G). O índice faz parte da composição do valor a ser pago no IPTU. Ocorre que a legislação prevê a cobrança de 2% do valor venal dos imóveis territoriais e 0,4% do dos prediais.

Conforme o secretário municipal de Fazenda, Pascoal Santullo Neto, o decreto atualizado por Mauro é referente à correção monetária da planta genérica, realizada todo ano. O secretário afirma que uma comissão já foi criada e os trabalhos serão iniciados em junho para elaborar a revisão da planta genérica, que ocorre de quatro em quatro anos.

Explica que tem até outubro para apresentar à Câmara Municipal a fim de alterar o valor do IPTU do próximo ano. "Este ano a prefeitura vai promover a revisão dos valores. Por exemplo, um terreno em que a rua não era asfaltada, a prefeitura faz toda a parte de saneamento básico do local. Este imóvel terá revisão do valor do IPTU para ser aplicado no ano que vem".

Arrecadação

O IPTU é uma das principais fontes de receita da Prefeitura de Cuiabá. Neste ano, a administração estima arrecadar R$ 111,8 milhões. Em 2014, foram R$ 96,7 milhões e, em 2013, 85,4 milhões. Mesmo assim, o valor ainda é considerado baixo pelo Executivo, principalmente se comparado com as demais Capitais.

Postar um novo comentário

| 26/05/2015, 10h:36 - Atualizado: 26/05/2015, 10h:45

Taques deve aderir ao PPSB para ocupar espaço de Eduardo e tentar Presidência


O governador Pedro Taques deve deixar o PDT apostando em um projeto macro, o de ser candidato à Presidência da República em 2018. E coragem não lhe falta, haja vista a decisão de deixar a carreira vitalícia no Ministério Público Federal para ser candidato a senador e, três anos depois, já concorrer à presidência do Senado.

Sem fazer alarde, Taques participa de uma "costura" política nacional, muito além da fronteira mato-grossense.  Uma das alternativas seria aderir ao futuro PPSB, que surgirá da fusão do PPS com PSB. Taques entraria para ocupar espaço deixado pelo ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que morreu num acidente aéreo em agosto do ano passado, em plena campanha presidencial.

pedro taques carreira

Ex-senador e governador Pedro Taques define novo partido nos próximos dias e poderá tentar o Planalto

Líderes nacionais de oposição ao governo do PT têm pressa. Entendem que, quanto mais cedo avançar no projeto, melhor para projetar na mídia e no horário eleitoral o futuro candidato.  Fontes revelam que Taques só está aguardando a criação oficial da nova legenda para aderi-la o quanto antes.

Tende a se tornar principal "estrela" da sigla no horário eleitoral. Entrará como voz da oposição e com discurso anticorrupção, numa linha de combate ao governo petista, prestes a completar 12 anos no poder e já combalido. Embora não perca o foco nacional, o hoje pedetista precisa, primeiro, passar no teste como governador. Uma reprovação popular aqui o impedirá de "decolar" rumo ao Palácio do Planalto.

Ex-filiado

Os próprios pedetistas não veem Taques mais como filiado. Aliás, ele não participa dos encontros nacionais da agremiação e muito menos se interessa pelo comando estadual, sob o deputado Zeca Viana. Aos aliados próximos que querem se filiar, principalmente secretários, o governador tem pedido para aguardar. Sua intenção é levar várias lideranças para o novo partido.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Ivan Deluqui | Terça-Feira, 26 de Maio de 2015, 16h56
    7
    2

    Só pode ser piada mesmo tem q mostrar primeiro para nós a q veio, ate então não vejo nada de novo ou de serviços prestados, obra então nada, cortar DGAs,DAS não o faz um lider como AÉCIO, cristovão buarque, ao contrario tem muita estrada pra andar meu governador PEDRO.

  • Rocha | Terça-Feira, 26 de Maio de 2015, 14h30
    12
    4

    Só pode ser piada !! KKKKKKKKK

| 26/05/2015, 00h:00 - Atualizado: 25/05/2015, 14h:05

A ética da autenticidade

Olga_200_fora

Olga Lustosa

A primeira fonte de preocupação do ideal da autenticidade seria a ética. Para ser autêntico, é preciso entender e respeitar os limites da própria verdade e a autenticidade do pensamento do outro. Ser fiel a mim significa ser fiel à minha originalidade, a forma como eu me defino e articulo minhas potencialidades.

Esta virtude confundiu-se com o individualismo, esta liberdade moderna, onde as pessoas podem escolher o seu modelo de vida, decidir em consciência as suas convicções e configurar os projetos de vida sem considerar a existência de outros seres e suas ricas histórias de vida.

Esta confusão instalou-se na medida em que nos desvinculamos dos nossos antigos horizontes, onde sentíamos parte de uma ordem cósmica na qual cada ser possuía lugar numa hierarquia da sociedade humana.

A exacerbação do eu como mal moderno e a defesa da autenticidade em todas as instâncias da vida, é um descrédito, porém, na cultura moderna, uma vida boa é aquela que cada indivíduo procura à sua maneira, centrar-se em si mesmo. O que tanto estreita quanto desregula nossas vidas.

Não estamos falando do direito de escolher para si as convicções que se pode abraçar e determinar a vida de maneira que os antepassados não puderam fazer; mas da implicação de práticas individualistas, que determinam o destino por si mesmo, com concentração no eu interior.

E o outro? A cultura vulgar da autenticidade leva as pessoas a falar o que pensam e viver fechados em interesses particulares, desfrutando apenas de satisfações pessoais, prazeres pequenos e fugazes. 

A perda ou enfraquecimento dos horizontes morais estão ligados à formas degeneradas do ideal de autenticidade, como o individualismo. Nesta perspectiva a autenticidade tende a favorecer a prioridade do indivíduo e seus desejos acima de tudo.

O filósofo Charles Taylor entende que nossa compreensão sobre a autenticidade precisa ser modificada e o compromisso com essa virtude, não implica um compromisso com o egoísmo, com a imposição de vontades e caprichos individuais.

Podemos decidir os objetivos que queremos perseguir e que contribuem para a nossa qualidade de vida, mas podemos, aliado a isso, ajudar outras pessoas a florescer, num conjunto bem ordenado de preferências pelo bem comum.

A realidade, é que nosso relacionamento com outras pessoas é constitutivo da nossa identidade, e assim, se não aproveitarmos a oportunidade para conviver, compartilhar idéias, e ativamente desenvolver a sociedade em que vivemos, o que passa por nossa identidade vai se desenvolver de forma muito atenuada.

Temos que falar dessa tensão causada pela utilização da autenticidade como fator de individualismo e hedonismo e descobrir como é que vamos conciliar uma forma de estar em nossas vidas individuais e em nossas conexões políticas e sociais com outros indivíduos.  

 O individualismo gera egoísmo e formas narcísicas de expressar a autenticidade e a autenticidade pode ser um ideal digno se desenvolvido num contexto de valores apropriados.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

investimentos | 25/05/2015, 18h:42 - Atualizado: 25/05/2015, 18h:51

Defensoria pede incremento de R$ 8 mi no orçamento e preenchimento de 16 vagas


O governador Pedro Taques (PDT) recebeu, nesta segunda (25), o chefe da Defensoria Pública, Djalma Sabo Mendes, para alinhar as parcerias estabelecidas e reforçar a necessidade de estruturar a instituição para atender todas as Comarcas do Estado, no prazo de um ano. A discussão incluiu incremento orçamentário e realização de concurso para suprir o déficit de 16 defensores públicos.

Segundo Djalma, hoje a Defensoria Pública executa orçamento anual de R$ 98 milhões. Entretanto, apenas folha de pagamento consome R$ 90 milhões sobrando R$ 8 milhões para o custeio do órgão. “O plano de expansão para o interior passa pela ampliação dos recursos financeiros. No orçamento ideal, o valor do custeio seria dobrado. Precisamos de, pelo menos, mais R$ 8 milhões para fazer frente às demandas”.

Lucas Ninno/Gcom

reuniao_taques_djalma.jpg

Governador Pedro Taques em reunião com chefe da Defensoria Pública, Djalma Sabo Mendes

Sobre a realização de concurso público a fim de preencher o déficit existente, o defensor-geral afirmou que Taques se mostrou preocupado em atender a demanda. Conforme ele, o governador não sinalizou com data, mas garantiu que o assunto receberá atenção da equipe de Governo. “Por ter origem no meio jurídico, o governador Pedro Taques conhece as necessidades da Defensoria. Isso facilita a interlocução. Ele sinalizou a elaboração de agenda de discussão e prometeu colocar o secretariado para debater o assunto”.

Nos próximos dias, nova reunião deverá ser marcada entre a Defensoria e a equipe econômica do Governo, sob a coordenação do chefe da Casa Civil, Paulo Taques. O secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, também deve participar dos debates.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Deodato | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 21h27
    6
    1

    A justiça embora não apresentando melhora alguma só faz aumentar o seu orçamento ano após ano. Não sei aonde iremos chegar com altos salários e baixa eficiência.

| 25/05/2015, 11h:16 - Atualizado: 25/05/2015, 11h:30

Seis dos 15 secretários de Lucimar foram de Jayme; prefeita tem 7 mulheres no staff


secretariado vg atualizado

No quadro de secretários de Várzea Grande, sob Lucimar Campos, há 7 mulheres, e ex-assessores de Jayme

A prefeita várzea-grandense Lucimar Campos montou um secretariado com a cara de Jayme Campos, que comandou o município por três mandatos. Levantamento feito por este Blog revela que seis dos 15 integrantes do primeiro escalão fizeram parte da equipe do cacique do DEM. Curiosamente, a equipe tem sete mulheres na cadeira de secretária - confira no quadro acima.

 Juarez Toledo Pizza foi secretário de Fazenda da gestão Jayme e agora retorna ao staff na pasta de Governo. Olinto Pasinato atuou como braço do ex-prefeito na elaboração de projetos e captação de recursos, inclusive do PAC, e conduz a Administração.

Lucimar definiu Cesar Miranda para a Gestão Fazendária. Ele foi secretário de Estado de Meio Ambiente (antiga Fema e hoje Sema) no goveno Jayme e respondeu como chefe de gabinete no Senado do próprio democrata. Zilda Pereira Leite, que por alguns anos fez oposição dura aos Campos, se juntou ao grupo, tornando secretária de Educação do ex-prefeito e reassume o posto de novo, agora sob Lucimar. Era do PDT e está no DEM.

Luiz Celso, secretário de Viação e Obras, integrou a equipe de Jayme no primeiro mandato e o acompanhou nos oito anos no Senado. José Augusto de Moraes, de volta à pasta de Planejamento, também fez parte do secretariado de Jayme.

De fato, Lucimar, segunda colocada nas urnas de 2012 e empossada neste mês por causa da cassação de Walace Guimarães (PMDB), concluiu a montagem da equipe com ajuda e interferência do esposo. Apesar disso, o quadro é composto de pessoas com perfil mais técnico. Há servidores de carreira no primeiro escalão, como Sadora Xavier (Procuradoria-Geral), Márcia Mançoso (Controladoria-Geral) e Helen Farias (Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável).

 A prefeita acatou sugestões do vice-prefeito, médico e empresário Arilson Arruda, que emplacou Cassius Clay na Saúde, assim como o ex-prefeito Carlos Gomes, que conta com o parente Breno Gomes no Serviços Públicos e Mobilidade Urbana. São poucas as indicações políticas. Os poucos filiados pertencem ao DEM e ao PTB, como a empresária Kathe Martins (Assistência Social), esposa do ex-deputado José Carlos de Freitas.

Postar um novo comentário

| 25/05/2015, 00h:31 - Atualizado: 25/05/2015, 00h:58

Prefeitos e aumento que vão de 1,5% a 9%

Nezinho, de Nossa Senhora do Livramento, autoriza reajuste de 19,8% para equiparar subsídio dos professores ao piso nacional


Prefeitos estão concedendo reajustes salariais a seus servidores, que variam de 1,5% a 9%, e incluindo eles próprios. Lino Cupertino Teixeira (PR), de Figueirópolis D’Oeste, concedeu 8,34% de aumento nos vencimentos e subsídios dos servidores efetivos e comissionados. Considerou a variação do INPC de maio de 2014 a abril deste ano. Os mesmos 8,34% foram considerados pelos prefeitos de Nobres, Sebastião Gilmar da Silva, o Gilmarzinho (PSD); e de Tapurah, Luiz Umberto Eickhoff (PDT).

lisu prefeito chapada

Lisú Koberstain (PMDB) reajusta em 9% a folha do funcionalismo de Chapada dos Guimarães

Lisú Koberstain, que era vice e assumiu Chapada dos Guimarães (PMDB) em definitivo, em março, com a renúncia de José Neves (PSDB), autorizou reajuste de 9%.

Em Nossa Senhora do Livramento, o prefeito Carlos Roberto da Costa, o Nezinho (PP), para atingir o piso nacional dos professores da educação básica, anunciou aumento de 19,85% na folha de maio aos profissionais do setor. Assegura que o aumento salarial não eleva as despesas com folha além do limite permitido pela lei fiscal.

Em Jauru, a prefeita Enércia Monteiro dos Santos (PT) deu aumento de 8,34% não só para os efetivos, mas também para aqueles que ocupam cargos comissionados, incluindo ela própria, o vice, secretários e adjuntos. Enércia passa a ganhar R$ 13,5 mil. O vice Eliseu Marcelino da Rocha (PSC) receberá R$ 6,7 mil. Conforme o decreto 63, assinado pela petista, o subsídio de secretário vai a R$ 4,2 mil e, de adjunto, a R$ 3,2 mil, ficando inferior ao vencimento de assessor administrativo representativo, com salário de R$ 4 mil.

baixinho piovesan prefeito porto dos gauchos 245

Baixinho Piovesan (Pros) dá aumento de 1,5% aos servidores de Porto dos Gaúchos e não inclui DAS

O menor reajuste foi concedido pelo prefeito de Porto dos Gaúchos, Moacir Pinheiro Piovesan, o Baixinho (ex-PSB e hoje Pros). Conforme a Lei 561, sancionada no último dia 21 após receber respaldo dos vereadores, o funcionalismo terá aumento de 1,5%, com validade a partir de 1º de maio. Ficam de fora do reajuste o próprio prefeito, vice, secretários e demais em cargos de provimento em comissão, e também servidores do Plano de Cargos e Carreira da Educação.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • victor | Terça-Feira, 26 de Maio de 2015, 08h51
    2
    2

    Noticias com fontes duvidosas, será?

  • Ilario Rezer | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 15h42
    4
    1

    Informo que sobre a matéria onde diz que a Prefeitura Municipal de porto dos Gaúchos Efetuou o menor reajuste salarial do estado informo que: Os servidores municipais da educação receberam um reajuste salarial conf. lei n 543/2015 porcentual de 6,87%, lei 537/2014 porcentual de 3,07 e lei 553/2015 porcentual de 5,7447%, totalizando 13,68% O porcentual de todos os funcionários da prefeitura incluindo prefeito e secretários teve um reajuste 6,87% conf. lei 543/2015 Estes reajustes foram realizados em Janeiro de 2015 Agora em maio teve mais um reajuste de 1,5% sobre folha salarial dos funcionários efetivos concursados, menos aos funcionários da educação, prefeito, secretários e comissionados, totalizando em reajuste real aos funcionários concursados de 8,37% Este reajuste de 1,5% colocado na matéria é só uma diferença salarial a partir do mês de Maio 2015 Ilario Rezer CPF 267.763.911,49 Secretario de Finanças

| 25/05/2015, 00h:00 - Atualizado: 25/05/2015, 14h:06

Diversos ciclos

sandra_alves_colunista_segunda-feira

Sandra Alves

Belfort nocauteado por Weidman parece uma daquelas fases negras que insistem em se manter indefinidamente. Período negro que não respeita a continuidade entre ciclos bons e ruins. Na política, os escândalos de corrupção não foram suficientes, o período negro se perpetua nos cortes orçamentários. Na violência urbana, não bastam os assaltos com revólveres, agora entra a faca que mata ou aleija sem justificativa.

Os preparativos para a luta foram emoldurados por clima de revanche e extrema rivalidade. Afinal, Weidman tem sido o carrasco de muitos lutadores brasileiros, especialmente de Anderson Silva, nosso maior campeão na categoria. Belfort poderia lavar a honra dos brasileiros. Os primeiros segundos da luta fazia acreditar que é possível ressurgir um campeão.

Mas Weidman aguentou a sequência de mais de vinte golpes duríssimos do brasileiro. Quando Belfort parou de bater e assumiu o cansaço depois de sua explosão de golpes, Weidman respirou fundo, levou a luta para o chão (derrubou o brasileiro) e o nocauteou impiedosamente.

O que aconteceu com Belfort nesta madrugada de sábado é o que acompanha a vida de diversos brasileiros. Olhamos o desafio de produzir, de trabalhar, de organizar o país, de fazer política, de criar associações, de integrar sindicatos, de passar em concursos, de ser empresário, de construir uma família, um relacionamento, uma amizade, com a ingenuidade de que bastará se empenhar e fazer o seu melhor para obter o resultado.

Sagrar-se vencedor é tarefa árdua, conjunção de esforços de muitos fatores e pessoas. É inata a fraqueza do ser humano, que depende de seus semelhantes. Um grande lutador precisa de seu técnico, preparador físico, patrocinador, academia, outros lutadores para treinar, um empresário para buscar suas lutas e pessoas que ame para lhe dar motivação. Do mesmo modo o médico, o juiz, o defensor, o jornalista, o político e todos nós. É conjugação de raça, tempo, modo e colaboração.

Ocorre que o espírito irascível do ser humano lhe insufla o ar da prepotência. Bate no peito com força e afirma: eu vou fazer! Mas talvez não. Por mais que você se esforce, em algum momento, você não consegue caminhar sozinho. Talvez falhe o corpo, a inteligência ou apenas as demais pessoas para lhe acompanhar em sua campanha.

Nas crises familiares, na falta de investimento em saúde e educação, a violência se perpetua de modo cada vez mais grave. A última semana teve nas manchetes as investidas de pessoas armadas com facas contra outras, o roubo de bicicletas, poucos valores monetários, jóias, ceifando-lhes a vida. É o momento de cada um bater no peito e falar: redução da maioridade penal! Pronto. E o Governo, em outra situação, mas no mesmo sentido, na última sexta bateu no peito: corte de 69,9 bilhões!

Cada cidadão neste momento paga o preço. Amargar a derrota de Belfort foi difícil, mas não foi tão constrangedor como ter que ouvir do campeão “parem de me vaiar, é para vocês curtirem o espetáculo, eu ganhei, parem de me vaiar!”. Weidman foi melhor no combate. Belfort deixou pelo caminho uma parte do coletivo, fiou-se na raça e na vontade, que em alguns momentos não são suficientes.

A hora de lutar para que o ciclo de crise seja superado no país, um esforço que precisa ser coletivo. Quando cada um pára de vaiar a conquista alheia e se inspira em fazer suas próprias conquistas, quando você assume seu papel de líder, quando a maturidade te leva a apoiar quem esteja mais bem preparado; quando você percebe que não precisa ser provado por uma vida toda; quando basta ser você mesmo.

Um você que admira a vitória de Weidman, procurando saber quais foram seus passos. Um você que não se acomoda com a situação da violência urbana, insurgindo-se contra a falta de iniciativas. Um você que se imiscui nas instituições sociais e políticas, para contribuir e fiscalizar, porque não basta ser observador. Um você que tem a consciência de que a vida é construída da consecução de ciclos, bons e ruins, cuja durabilidade depende do empenho de cada um.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

| 24/05/2015, 19h:40 - Atualizado: 24/05/2015, 19h:54

Silval esticou corda para servidores e agora Taques encara categoria com rédeas curtas


José Medeiros

taques justica servidores

Governador Pedro Taques demonstra pulso firme neste início de mandato e os servidores fazem pressão

Acostumados a levar vantagem nas negociações sobre o governo Silval Barbosa, que cedia demais e cobrava de menos, servidores de diferentes categorias resolveram partir para cima de Pedro Taques. Queriam deixá-lo acuado. Acreditavam que o momento de testar a fera seria agora, no início do mandato, ainda mais se tratando de um ex-servidor público federal.

É um batalhão de pessoas. São cerca de 96 mil servidores estaduais. Na longa lista de reivindicações, há pedido de reajuste salarial, de concurso público, de diárias, de verba indenizatória, enfim, de tudo que reflete em melhoria para o bolso e para as condições estruturais de trabalho.

Com Silval no Palácio Paiaguás era moleza. E ficava mais fácil para servidores terem os pleitos atendidos quando recorriam primeiro à Assembleia e arrastavam juntos deputados para pressionar o Executivo. E foi assim que muitos conseguiram alterar regras para equiparação salarial ao de outras categorias e incluir penduricalhos. Ao mesmo tempo, empurrou no quadro de pessoal mais cargos comissionados, chegando a sete mil vagas.

Consciente de que servidor sempre quer mais, Taques preferiu deixar a “corda” esticar. Abriu-se para a conversa. Numa decisão inédita, se reuniu por várias horas com o Fórum Sindical. Anotou que, se fosse atender 50% das reivindicações, descumpriria a lei fiscal, extrapolando o teto de gastos com pessoal. Puxou a corda. Não deu trégua às pressões de deputados. Veio a chiadeira.

Servidores do Detran, que há 90 dias tinham feito greve reivindicando concurso público, cruzaram os braços por um dia em sinal de protesto porque o governo concedeu reajuste imediato de 3,11%. Entendem que o percentual deveria ter sido de 6,22% para atender a reposição integral do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Surgiram mais pressões, mesmo o Executivo assegurando que a diferença no percentual de aumento será complementada. Taques anunciou nova rodada de negociação para esta segunda com o Fórum Sindical.

De fato, enfrentar queda-de-braço com servidores não é nada vantajoso. Traz desgaste, mesmo se tratando de um governo que rompe barreiras, se propondo a, dentro de uma nova visão administrativa, implementar mudanças de conceitos, controlar e aplicar bem o dinheiro público e não perder a confiança, a moral e a respeitabilidade da população. Por outro lado, precisa ter pulso firme e encurtar a corda, sob pena de ser engolido por uma categoria que, com raras exceções, mais pensa no bolso do que em prestar bons serviços à coletividade.

Postar um novo comentário

Comentários (17)

  • José da Rocha Filho | Terça-Feira, 26 de Maio de 2015, 22h11
    2
    1

    José da Rocha Filho, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Jose | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 11h17
    6
    3

    Aconteceu neste sexta-feira, no Palácio Paiaguás. Zé Pedro Taques impôs arrocho amplo, geral e irrestrito no salário de todos os servidores estaduais de Mato Grosso. Com muita agressividade, proibindo o acesso da imprensa à reunião, medida implementada bovinamente por sua assessoria, governador recebeu sindicalistas do Fórum Sindical, na manhã desta sexta-feira, simplesmente para dizer-lhes que o reajuste salarial para eles já estava definido. Zé Pedro,vejam só, que apareceu acompanhado de todos os seus secretários e também do presidente da Assembleia, deputado estadual Guilherme Maluf, resolveu desrespeitar a Lei 8.278, que disciplina o pagamento integral das perdas inflacionárias, as mais diferentes categorias de trabalhadores, no Estado. O INPC de janeiro a dezembro de 2014 foi de 6,22% mas Zé Pedro só vai pagar 3,11% de reajuste. Recorde-se que, durante a administração anterior, do governador Silval Barbosa (PMDB), as perdas inflacionárias jamais deixaram de ser pagas. A conversa de Pedro Taques com os sindicalistas foi marcada pelo tom agressivo, em que sindicalistas não tiveram o menos espaço para debaterem a proposta oficial. A representante do Sindicato do Detran, única a tentar questionar a decisão unilateral do governador com relação ao pagamento das perdas salariais recebeu um corte abrupto do próprio Zé Pedro: ?É 3,11% ou vocês ficam de fora. Quer que eu tire os servidores do Detran da relação de reajuste?? Representantes dos Peritos Criminais e da Sema também tiveram que enfrentar réplica agressiva do governador de Mato Grosso. Para enquadrar o professor Orlando, que falou pelo maior sindicato de Mato Grosso, o sindicato dos professores, Pedro Taques, através de um papelzinho que lhe repassado pelo secretário Permínio Pinto, da Educação, se ocupou em deixar bem claro que não estava falando com o líder maior do Sintep, na óbvia tentativa de desqualificar suas reclamações: ? O senhor não é o presidente do Sintep, é só um diretor, não é mesmo?? Além do chega pra lá nos sindicalistas, a imprensa também foi simplesmente proibida de acompanhar a reunião, coisa que jamais aconteceu em reuniões anteriores do Fórum Sindical com representantes do Governo do Estado. Medo de que uma frase fora do combinado, de algum sindicalista, pudesse ir parar na manchete de um dos jornais e sites que o Governo se preocupa tanto em controlar? O tempo das audiências públicas, tão alardeado no início da administração, vai sendo tranquilamente enterrado pelo atual governador, sem que nenhum dos seus serviçais, digo, secretários, reaja ao seu estilo ?papai-sabe-tudo?. Coube à jornalista Ana Rosa Fagundes, na maior sem cerimônia, proibir que até mesmo a tradicional foto da abertura da reunião fosse feita. ?As fotos oficiais da reunião estarão à disposição no site do governo?, informou Ana Rosa, agora encarregada de fazer valer a ?versão oficial?, custe o que custar. É assim que Zé Pedro Taques constrói a transparência do seu governo?

  • Felipe Matos | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 11h00
    5
    1

    Felipe Matos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • claudio | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 10h21
    5
    2

    claudio, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Maycon | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 09h41
    15
    1

    Tem um servidor com o apelido de popolinario, que fez um comentário, que na minha opnião ele não é servidor e sim um baba ovo do governo, mais se é servidor e se vc acha que a situação do estado esta tão ruim assim, te dou dois conselho, primeiro doa o seu salário para ajudar o estado ou exonera, pois pelo visto a sua situação financeira esta muito boa, agora, a minha e as dos demais servidores eu te garanto que esta muito pior do que a do estado e por isso eu não abro mão do reajuste. Bora fazer greve gente...

  • Carlinhos | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 09h33
    19
    1

    Gente do RDNEWS nós sabemos como funciona a relação entre mídia e governo.

  • elizeu | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 09h06
    13
    0

    LEMBRANDO QUE OS 6,22% É REFERENTE À INFLAÇÃO DE JAN/2014 A DEZ/2014 QUE É PAGO EM MAIO/2015, SE FOSSE OLHAR INFLAÇÃO DE MAIO/2014 A ABRIL/2015 O CORRETO É 8,34% DE CORREÇÃO DO INPC, POIS ESTAMOS UM VIVENDO UM PERIODO DE ESTAGFLAÇÃO NA ECONOMIA NACIONAL OU SEJA ESTAGNAÇÃO DO CRESCIMENTO E AUMENTO DA INFLAÇÃO JÁ GERANDO UMA PERDA DE 2,12% DIFERENÇA ENTRE (8,34-6,22=2,12%) OU SEJA NÓS SERVIDORES VAMOS MAIS UMA VEZ DAR A NOSSA PARCELA DE SACRIFICIO EM PROL DO ESTADO, PORÉM QUEREMOS AO MENOS UMA TABELA DE QUANDO NOS PAGARÃO A OUTRA PARTE (3,11%) SE PARCELADO E EM QUANTAS PARCELAS EM QUE MESES???

  • Mteus | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 08h15
    21
    2

    Muito estranho..., Por que será que a imprensa local esta sempre fazendo matéria de reportagem que só agrada ao governo hên! Será que é pra agradar a Secom MT! Gente, são 96 mil pessoas descontente contra uma só pessoa ideia diferente. No Brasil Dilma massacra trabalhadores, aqui, o homem reclama da Dilma mas tambem usa o mesmo chicote e discurso contra os trabalhadores. Não temos mais escolhas.

  • dalva | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 07h26
    10
    5

    12 anos passados foi um lamento para a maquina do estado, dois governador que não queriam saber de nada , um faz de contas , empurrava com a barriga e por fim a causa da copa do mundo, que terminou com esses problemas todos , blairo maggi deixou a batata quente para o silval e que deixou para pedro taques....

  • Eduardo Pranton | Domingo, 24 de Maio de 2015, 23h49
    27
    3

    Primeiramente a revisão salarial através do INPC é mandamento constitucional, até mesmo para o salário mínimo e tem o condão de impedir que o salário do trabalhador seja depreciado. Tem previsão também na Constituição Estadual que estabelece como data base 1º de maio. Além do mais foi o próprio Governador, enquanto candidato que se comprometeu a manter os acordos celebrados por Silval Barbosa e desonrou sua palavra. Mas é assim mesmo, servidor público só é lembrado nas eleições, mas ano que vem tem eleições para Prefeito e vereadores, quero ver candidato da base governista vir pedir meu voto e da minha família. Quem quer saber o quanto é bom ser servidor público preste concurso público com milhares de pessoas, estudando como um condenado, sacrificando suas horas de lazer, depois veja como falta os instrumentos de trabalho, coisas essenciais e como somos cobrados, venha ver como falta pessoal e o servidor tem que se desdobrar para atender a todos e ainda estar sorrindo para a população.

| 24/05/2015, 00h:00 - Atualizado: 24/05/2015, 19h:56

Denúncias no CFO

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

No dia 16 de abril de 2015, por intermédio de três colegas cirurgiões-dentistas que compõem o Plenário do CFO, foi entregue à Procuradoria da República um documento contendo várias irregularidades na administração dessa autarquia federal.

Trata-se de denúncias de gravíssimas de irregularidades na gestão do referido conselho que se provadas caracterizam práticas de atos de improbidade administrativa como: não submissão de orçamentos à aprovação do órgão colegiado, excesso de concessão de diárias, gratificações indevidas à servidores, contratação de serviço de mídia e publicidade sem licitação, superfaturamento de obras, substituição de bancos na contratação de boletos de pagamentos e dilapidação do patrimônio. Tais fatos estão abalando a confiabilidade que a classe sempre depositou nesta autarquia.

Fiquei estarrecida com tais informações, e penso que o fato necessita de ampla publicização, apuração dos fatos e responsabilização dos autores. Importante citar que o CRO de Mato Grosso foi o primeiro a publicar nota de repúdio através das mídias sociais e contatos de e-mail, seguido dos CROs do Amazonas, Espírito Santo, Paraná, assim como o Sinodonto (Sindicato dos Odontologistas) de Mato Grosso e Sergipe - leia, abaixo, a nota do CRO de MT.

Criado pela Lei nº 4.324, de 14 de abril de 1964 e, instituído pelo Decreto nº 68.704, de 3 de junho de 1971, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) é uma autarquia, ou seja, é auto-suficiente, tem autonomia sobre si próprio. É o CFO que supervisiona a ética odontológica em todo o território nacional, além disso zela e trabalha pelo bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente.

Ainda julga processos éticos e centraliza as informações sobre cursos de especialização registrados e reconhecidos, bem como sobre o número de inscritos em todo o Brasil, entre cirurgiões-dentistas, auxiliares de saúde bucal, técnicos em saúde bucal, técnicos em prótese dentária, auxiliares de prótese dentária e clínicas odontológicas.

Sendo assim é uma instituição de extrema importância em nosso exercício profissional. Vale lembrar aqui que uma categoria forte, é uma categoria bem representada, que busca em seus componentes posturas de defesa da classe odontológica. 

É no CFO que a figura do Delegado Eleitor, no pleno exercício da democracia elege através do seu voto os membros efetivos e suplentes do CFO. Este nada mais é que o  representante do Conselho Regional de Odontologia (CRO) de cada Estado brasileiro, e o seu voto não é pessoal, e sim resultado de um consenso de toda uma classe, agindo assim como nosso porta-voz.  

O CFO possui câmaras técnicas nas mais diversas áreas da odontologia, que assessoraram a Comissão de Ensino do CFO na questão das especialidades, quando solicitadas, assim como diversas comissões cujos objetivos são analisar, manter, fazer levantamentos, cumprir com as legislações, emitir pareceres, apresentar sugestões, fazer estudos, representar, apreciar, desenvolver, acompanhar, coordenar, atuar, promover. E os atores principais desta salada de verbos somos nós cirurgiões-dentistas, daí a importância de nosso voto, engajamento e comprometimento com a nossa classe.

Não é possível que a classe odontológica seja desrespeitada e que providências não sejam tomadas. É necessário que tenhamos atitude e que evoquemos a ética e a honestidade que são pilares vitais da conduta do CFO, inclusive constante em seus anais. Trata-se do nosso dinheiro, o dinheiro das contribuições anuais. Que a verdade seja restabelecida com urgência, seja ela qual for.

Reprodução

cro_500 

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Lourdes | Domingo, 24 de Maio de 2015, 13h42
    13
    2

    isso nao saiu em lugar nenhum. precisa ser divulgado mesmo. corrupçao.chega disso.

  • Andrea Coelho | Domingo, 24 de Maio de 2015, 08h15
    12
    2

    Transparência e respeito é o mínimo que merecemos dos nossos representantes.

| 23/05/2015, 10h:53 - Atualizado: 25/05/2015, 07h:55

Zilda fala em caos na Educação e promete solucionar os problemas com agilidade


Assessoria

Zilda Pereira Leite

 Ex-deputada Zilda Pereira Leite promete corrigir problemas na Educação de Várzea Grande e já solicita novo prazo a prefeita Lucimar Campos

 Em meio ao caos da educação em Várzea Grande,  a secretária da pasta e ex-deputada Zila Pereira Leite, admite que as escolas estão sofrendo com a violência, falta de estrutura e até com o fornecimento de merenda como já fora publicado pelo Blog do Romilson na última sexta (22). Mesmo com a lista grande de problemas,  ela garante que minimizará com agilidade todo a situação encontrada nos primeiros dias de gestão e está trabalhando com afinco para ver  as escolas em boas condições de uso.  

 "Sozinha não farei nada, mas contarei com essa grande equipe de educadores. Desde a pessoa que recepciona (os alunos) na portaria da escola até o professor e diretor para que a educação de Várzea Grande retome os patamares que sempre tivemos na gestão do senador Jayme Campos", declara.

 Para minimizar os problemas, de forma emergencial, a prefeita Lucimar Campos (DEM) em menos de 15 dias de gestão já liberou R$ 300 mil para a pasta, que além da Educação, contempla Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande. A verba será destinada a renegociação com fornecedores, uma vez que, muitos deles suspenderam a prestação de serviços.

 Para o vereador Nilo Campos (PV), a secretária tem um currículo invejável e terá a grande missão de assegurar uma educação que garanta o acesso, permanência e sucesso dos alunos dentro de sala de aula. "Todo o trabalho dos profissionais que gerenciam a educação deve estar voltado para essa meta de não só de garantir o acesso das crianças em idade escolar, como também propiciar condições para o seu desenvolvimento integral", afirma. 

 Nilo Campos complementa, ressaltando que o objetivo é promover uma escola pública de qualidade. "Precisamos de ações que norteiam o trabalho dos profissionais da educação. Estas ações devem estar voltadas para o funcionamento eficaz das escolas, pelo estímulo ao aperfeiçoamento dos professores, os recursos materiais necessários ao dia a dia da comunidade escolar e a orientação de todo o processo pedagógico, incluindo a valorização". (Com Assessoria)

Falta merenda, escolas têm de carne estragada e fornecedores "apertam" Zilda 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • João Batista | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2015, 09h19
    4
    1

    João Batista, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zuleica | Sábado, 23 de Maio de 2015, 15h14
    8
    1

    A Zilda todos conhecem, é de muita política e de poucos resultados. A educação vai melhorar em alguns setores e piorar em outros...

  • JULIO PEDROSO | Sábado, 23 de Maio de 2015, 14h11
    9
    1

    http://www.rdnews.com.br/ CURTINHAS EXECUTIVO LEGISLATIVO JUDICIÁRIO ÓRGÃOS MUNICÍPIOS VARIEDADES EMPRESA & CIA MATÉRIAS ESPECIAIS PARTIDO ELEIÇÕES-2014 CONTEÚDO A | A Sábado, 28 de Março de 2015, 19h:44 | Atualizado: 30/03/2015, 08h:57Assembleia nomeia 383 DAS e contempla ex-deputados Zilda e Pinto e ex-vereadoresMais 400 serão contratados para recompor quadro comissionadoRomilson Dourado zilda pereira ex-deputada A ex-deputada Zilda Pereira Leite, já aposentada, atua agora como assessora do deputado Wilson Santos A nova Mesa da Assembleia nomeou oficialmente os primeiros 383 de um quadro que deve chegar a 600 ocupantes de cargos comissionados. Essa primeira relação sai publicada no Diário Oficial de segunda. Tratam-se de DAS que já estão trabalhando desde 1º de fevereiro, data do início desta Legislatura. Na mesma edição, a publicação oficial exonera 76, com data de 31 de janeiro, e que já estavam no pacote dos quase 900 demitidos há dois meses. Com 24 deputados, a AL recebe R$ 32 milhões de duodécimo mensal. O quadro de servidores, entre efetivos e comissionados, deve ficar em 1,8 mil, o que representa cerca de 200 a menos se comparada à legislatura passada. dito pinto O ex-deputado Dito Pinto Entre os 383 notáveis que entraram na folha da AL desde o mês passado e só agora conhecidos oficialmente estão os ex-deputados Dito Pinto, que retorna à Casa como ouvidor-geral, com salário de R$ 16 mil, e Zilda Pereira Leite, agora como assessora parlamentar do deputado Wilson Santos. Zilda exerceu outras funções, como de secretária de Educação de Várzea Grande, onde já concorreu e perdeu para prefeita. Zilda e Pinto, que até o mês passado presidia a Agência estadual de Desenvolvimento Metropolitano (Agem), já são aposentados. Ela como professora e, Pinto, pelo extinto FAP da Assembleia. Também na equipe de Wilson está o velho aliado Andelson Gil do Amaral, que foi seu assessor na Câmara Federal e depois secretário de Cuiabá quando exerceu mandato de prefeito. Dois ex-vereadores por Cuiabá foram para o quadro do deputado Eduardo Botelho, sendo eles Caio Cesar de Andrade, em assessoria parlamentar, e Ricardo Adriane, como chefe de gabinete. O irmão da ex-deputada federal Thelma de Oliveira, Ronaldo Pimentel Figueiredo, do diretório do PSDB de Cuiabá, trabalha agora como assessor do deputado Saturnino Masson. Entre os nomeados pelo ex-prefeito jaciarense e parlamentar de primeiro mandato Max Russi está o empresário Marcelo Ivan Klein, da empresa Viva Publicidade. A recomposição dos cargos comissionados vem sob muita expectativa, após a reviravolta provocada pela nova Mesa, comandada pelo trio Guilherme Maluf (presidente), Botelho (primeiro-vice) e Ondanir Bortolini, o Nininho (primeiro-secretário). Assim que foi empossada, decidiu implementar choque de gestão. Suspendeu todos os contratos, que passam por auditorias, e pagamentos com fornecedores e ainda exonerou quase 900 DAS. Aos poucos, as equipes estão sendo recompostas.Como que ela vai trabalhar em dois lugares ao mesmo tempo

| 23/05/2015, 09h:22 - Atualizado: 23/05/2015, 18h:29

Zelandes e mais 2 de Várzea Grande pulam do PT e devem seguir Serys no nanico PRB


zelandes santiago desfiliacao pt 210

Zelandes Santiago deixa o PT após 30 anos

Sem boas perspectivas em um partido com a moral no chão devido aos escândalos e com o governo Dilma Rousseff sem rumo e sob forte desgaste popular, mais três militantes históricos no Estado saltam do barco. Pediram desfiliação do PT o sociólogo Zelandes Santiago dos Santos, que presidiu o Departamento de Água e Esgoto (Dae-VG) até o mês passado, na gestão Walace Guimarães, Ze Geraldo, ex-secretário de Organização do petismo do município, e Chico Chapéu de Couro.

Todos concentram atuação em Várzea Grande. Eles deixam o PT para trás e já com destino definido. Devem se filiar ao PRB até setembro, acompanhando a ex-senadora Serys Marli, que também decidiu aderir ao partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus do bispo Edir Macedo.

Saiba mais aqui sobre a opção partidária de Serys, que pretende concorrer de novo à prefeita de Cuiabá.

Zelandes, Geraldo e Chapéu de Couro eram da Utopia e Vida (hoje Militância Socialista), corrente ligada ao ex-deputado estadual Gilney Viana e à ex-vereadora por Cuiabá Enelinda Scala. O vereador Ivan dos Santos, ex-líder do prefeito Walace na Câmara, fica mais enfraquecido com as desfiliações, pois os três lhe davam sustentação política interna.

Em carta-despedida, Zelandes, após 30 anos no petismo, escreve o que todos já sabem, que “o PT não é mais o mesmo”. “(...) Lutei e ajudei a construir, organizar e chegar ao poder central deste país; as lutas e organizações de classe já não pertencem ao seu projeto partidário ou não é mais sua prioridade de discussão em suas reuniões, plenárias, encontros e congressos. A pauta agora é outra, instituições governamentais e quem as ocuparam, qual tendência será contemplada”.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Felipe Matos | Domingo, 24 de Maio de 2015, 15h34
    7
    3

    A volta por cima do PT será mais leve. Sem o peso de muitos oportunistas. Ver esses três falando de militância é pra rir.

  • Herbert | Sábado, 23 de Maio de 2015, 23h03
    12
    4

    Do ex grupo da extinta Serys Marly só restam os gurreiros BOB e Lázaro Donizete, esses resistiram de pé e enobrecem os milhões de militantes desse partido que apesar dos erros ainda é o único instrumento que capaz de fazer as mudanças profunda e estruturais que o Brasil merece. Parabéns aos que na dificuldade e por motivos inesplicáveis abandonam o Partido. Já imaginaram que se cada um de nós abandonássemos nossas familias em momentos de crise. Aos guerreir@s que permanecem na luta minhas sinceras saudações, respeito e solidariedade. Partido, Partido é dos trabalhadores.

  • Antonio | Sábado, 23 de Maio de 2015, 16h44
    9
    6

    Desejo sorte aos 3 e a Sra. Serys Marly. Infelizmente, o PT se tornou esse mar de CORRUPÇÃO. Agiram corretamente... Do lado do PT não dava pra ficar.

  • Rebeca | Sábado, 23 de Maio de 2015, 12h06
    11
    3

    PRB do vice-prefeito ARILSON ? Sei...Serys nada. É Lucimar, o motivo, né Zelandes ?

  • Léo | Sábado, 23 de Maio de 2015, 10h42
    17
    4

    Não é propriamente a moral do partido que está no chão, na verdade é a "ração" dos ratos que acabou e daí pulam do barco. Me diz se alguém que servia a Walace tem moral para achar que alguém está sem rumo. Em tudo na vida é sempre bom ser testado em duas situações: Na bonança surgem muitos oportunistas e em momentos de dificuldades só ficam quem verdadeiramente militantes. Os que estavam só pela "boquinha" não aguentam jejum.

| 23/05/2015, 06h:49 - Atualizado: 23/05/2015, 15h:12

Ao doutor em construção

akio materia estreia colunista

Akio Maluf

Comemora-se no dia 19 de maio o dia do estudante de direito, pessoa de coração valente, justa e sonhadora, que estuda todo os dias para ajudar a construir uma sociedade melhor. Data importante para o sonho que mais leva jovens às salas de aula nesta pátria verde e amarela.

Quase toda criança já sonhou em ser um juiz, promotor ou advogado, sejam pelos filmes, familiares, amigos e até pessoas que admiram, os profissionais de direito nunca passam desapercebidos em qualquer lugar que estejam, são lembrados sempre que existe algum problema e são as primeiras pessoas a quem recorrerem em uma necessidade.

Tamanho prestigio social não é algo injusto, todas as noites sem dormir, as provas sobre livros gigantescos, o trabalho social nos núcleos jurídicos, o impulso social enquanto estagiários, aquele velho professor que não deu a aula pois não encontrava as calças e até mesmo aquele que deu a aula pois percebeu que o outro colega não estava em sala de aula, tudo faz parte do rol de motivos pelos quais se referem a estes jovens, no futuro, como doutores.

Todo estudante de direito se recorda de ter sido chamado, pelo menos uma vez, de chato, teimoso ou sonhador, sendo por estes motivos: chato pois tudo o que ele consegue falar depois de passar meses estudando trata de direitos, normalmente humanos e fundamentais.

Teimoso, é algo comum, pois um estudante de direito irá sempre defender com sua vida e honra os direitos e garantias, ele sabe que mesmo os pequenos direitos devem ser defendidos.

Sonhador pois sempre acredita que o cumprimento devido das leis fará com que a sociedade brasileira continue evoluindo e que a vida irá ser mais harmoniosa, as leis só são feitas e cumpridas para que o povo possa viver bem. O Judiciário é apenas um órgão que está presente no nosso dia a dia para proteger os homens de bem e defender os fracos.

Não bastasse essas qualidades, faz parte do cotidiano o sacrifício e a abdicação, não existe acadêmico que nunca deixou de ir em uma festa, de beber com os amigos, de jogar aquele jogo ou de estar com alguma pessoa, tudo em nome de uma profissão, um sonho, uma carreira, com um detalhe, uma carreira onde tudo o que você irá fazer é ajudar as pessoas, independente se for para provar a inocência ou permitir uma condenação justa, você irá passar o resto da sua vida ajudando pessoas.

A parte que mais merece as devidas homenagens, sem dúvidas, são as pessoas que marcam as carreiras e possibilitam elas, os queridos professores, momento pelo qual eu aproveito para fazer uma referência a alguns dos homens e mulheres que tive o maior prazer e orgulho de receber um pouco de seu conhecimento:

Aos professores Bruno Castro, Vladia Soares, Vanessa Martha, Valério de Oliveira Mazzuoli, Antonio Veloso Peleja Junior, Pedro Paulo Peixoto, Bergas, João Bosco Monteiro (Bosquinho), Silvio Soares, Emanuela Echeverria, Jeverson Quintero, Márcio Vidal, Carlos Eduardo Silva, Carlos Rafael, Saulo Tarso e muitos outros mais, vocês todos são professores diferenciados que marcam seus alunos pelo comprometimento e carinho.

Portanto, aqui fica minha homenagem para todos aqueles que estudam, estudaram e possibilitam que o dia do estudante de direito seja essa data incrível, que remete sempre a bons momentos na vida de todos aqueles que compartilham deste desafio.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

| 22/05/2015, 10h:08 - Atualizado: 22/05/2015, 10h:32

Falta merenda, escolas reclamam de carne estragada e fornecedores "apertam" Zilda


zilda pereira leite 240

Zilda Pereira renegocia com os fornecedores para ao menos restabelecer fornecimento de merenda

A ex-deputada Zilda Pereira Leite, que comanda a superpasta de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande, começa a enfrentar embaraços administrativos. Enfrenta dificuldades para resolver questões básicas. As escolas estão sem merenda há duas semanas. Para piorar, surge denúncia sobre entrega de carne estragada em algumas unidades escolares.

Numa ação emergencial, a prefeita Lucimar Campos, que tomou posse há 14 dias, liberou nesta quinta R$ 300 mil para Zilda conseguir renegociação efetiva com alguns fornecedores. Sem perspectiva de receber pagamento regular, muitos deles suspenderam prestação de serviços. Estão temerosos devido ao impasse e à instabilidade política no município.

O ex-senador Jayme Campos disse que sua esposa Lucimar "herdou" o caos administrativo do antecessor Walace Guimarães. Observa que, de fato, está faltando merenda escolar porque a gestão passada deixou acumular dívidas com fornecedores, mas que tudo está sendo resolvido. "A Zilda está chamando os fornecedores para buscar entendimento".

Segundo Jayme, o ex-prefeito deixou R$ 3 milhões de dívidas. E casos de cobrança não faltam. Ex-prefeito de três mandatos, o cacique político do DEM revela que um fornecedor o interceptou na rua para reclamar que forneceu bananas à prefeitura e a dívida já soma R$ 70 mil. Descobriu-se que o governo passado deixou acumular R$ 240 mil com compra de pães e R$ 1 milhão com a empresa Limpa Fossa Tatuzão, inclusive por meio de contrato sem licitação. 

"A cada dia a gente toma um susto com tantas coisas erradas que se faziam na prefeitura. É escândalo atrás de escândalo", dispara Jayme. Segundo ele, agora os procedimentos são outros. "Estão sendo feitos dentro da legalidade, com checagem de contratos e outras medidas para evitar irregularidades".

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • jane | Sábado, 23 de Maio de 2015, 21h59
    6
    2

    Estavam tanto desejando o cargo ?!! Ja sabiam como estavam as condiçoes da prefeitura quando o outro prefeito assumiu. Agora civiram pelo menos tinha merenda de qualidade para as crianças!!Toma Prefeita Jaime kkk

  • marilia sousa | Sexta-Feira, 22 de Maio de 2015, 10h53
    17
    1

    tenho que admitir que tudo que o senador jaime falou ta certissimo e era o que tinha que ser feito ha mto tempo

INíCIO
ANTERIOR
1 de 650