Cuiabá, 08 de Fevereiro de 2016
  • Ana Maria

    Ana Maria

  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Eduarda Fernandes

    Eduarda Fernandes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

TRIBUNAL DE JUSTIÇA | 21/11/2011, 21h:10 - Atualizado: 21/11/2011, 21h:28

Depois de 17 anos, TJ começa a pagar URV para os funcionários

      Depois de 17 anos, diversas greves e um longo processo de negociação, os servidores do Poder Judiciário vão começar a receber as perdas salariais que tiveram durante a conversão da moeda brasileira em 1994, quando o cruzeiro real passou a ser real. Nesta segunda (21), o presidente do Tribunal de Justiça Rubens de Oliveira determinou o pagamento dos funcionários referentes à Unidade Real de Valor (URV).

      Apenas os funcionários que têm até R$ 11,9 mil a receber devem assinar o termo que foi disponibilizado na página da instituição. Eles irão receber tudo numa única parcela. Conforme Rubens de Oliveira, os recursos serão restituídos até 5 de dezembro. “Os servidores que têm crédito acima desse valor vão receber R$ 5 mil, a serem pagos em duas parcelas, a primeira em dezembro e a segunda em janeiro”, salienta o desembargador.

     Ele garante ainda que se houver sobra orçamentária no final do exercício de 2011, ela será utilizada para o pagamento de servidores que possuem créditos de menor valor. Com a medida, a diretoria do TJ se antecede às ações judiciais e facilita o processo. Conforme termo de compromisso firmado entre o TJ e Sinjusmat, os servidores deveriam ajuizar ação de execução para recebimento de seus direitos relativos à URV. Para quitar todo o débito com os mais de 4 mil servidores, que têm direito ao benefício, estima-se que serão necessários aproximadamente R$ 200 milhões.

 

Postar um novo comentário

Comentários (23)

  • Antonio Carlos Correia | Domingo, 24 de Janeiro de 2016, 13h56
    0
    0

    Acho uma vergonha, esses políticos se aproveitarem das necessidades dos funcionários públicos estaduais para fazerem campanhas eleitorais e se elegerem com promessas de que irão pagar a URV e depois se desculpam alegando que não tem dinheiro, mesmo a justiça dando ganho de causa aos funcionários, o povo tem que se valorizar mais, se vendendo mais caros não acreditando em promessas de políticos inescrupulosos que só pensam neles e no poder que exercem ou vão exercer, mas o bom de tudo isso, é que a morte existe e ninguém consegue fugir desse fim! Pague a URV dos funcionários públicos estaduais, tenham consciência!

  • Jomar | Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2016, 10h24
    0
    0

    Os funcionários lotados na SEAGRI que já estão aposentados irão receber a URV? E qual a data prevista?

  • Cirlei c Braz | Terça-Feira, 17 de Novembro de 2015, 22h46
    0
    0

    Quero informar se nos professores do estado vamos receber quando? Em relação ao governador o que ele diz a respeito? Por quê quem ganha mais está recebendo primeiro? Tem compaixão de nós e devolve nosso direito sr governador

  • Miguel A.J.P | Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2015, 18h05
    1
    0

    Porque so o judiciário e o executivo será que não é funcionários!?

  • railda da silva santana | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2015, 19h49
    0
    0

    quem foi eleito em 2008tem direito a URV ,e motorista execultivo.

  • railda da silva santanar | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2015, 19h45
    0
    0

    os vereadores eleitos em 2008 tem direito a receber urv

  • LIANA | Terça-Feira, 15 de Setembro de 2015, 13h50
    0
    0

    LIANA, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • claudia garcia | Domingo, 21 de Junho de 2015, 15h57
    1
    0

    e os servidores da educação vão receber quando esse beneficio? muitas pessoas já se foram(morreram) e nada. por quë as outras receberam primeiro, porqur ñ paga tudo de vez? queria uma resposta sincera, obrigado.

  • jose MACHADO | Domingo, 07 de Junho de 2015, 07h53
    3
    0

    PORQUE SERA QUE VAO PRIMEIRO PAGAR URV PARA O PODER JUDICIARIO , GOSTARIA DE SABER MAS CORRETAMENTE RESPONSAVEIS ,BANDO DE...

  • joao batista de brito santos | Quarta-Feira, 11 de Fevereiro de 2015, 18h52
    2
    1

    Quem estava servindo neste tempo do urv tem direito! (exercito)

ARTIGO - SILVIA REGINA | 08/02/2016, 16h:32 - Atualizado: 02h atrás

Carnaval com saúde

silvia regina artigo interno

Silvia Regina Cremonez

No Carnaval, as frases mais massificadas são quanto ao uso da camisinha e do sexo seguro, mas, as questões de saúde vão além disso. Devemos pensar em saúde de forma ampla e abrangente, primando pelo cuidado antecipado do bem estar e, acima de tudo, utilizando as informações para aproveitar ao máximo a diversão, mantendo este bem estar.

Divirta-se, use roupas leves, não exagere no consumo de bebidas alcoólicas e, caso as tenha ingerido, não dirija. Evite assim acidentes e confusões. Cabe ressaltar ainda os cuidados necessários frente à situação de emergência em saúde causada pela circulação simultânea de doenças transmitidas pelo vetor Aedes Aegytpi (dengue, zika e chicungunya), agravado ainda pelos casos de microcefalia em recém-nascidos provocado pelo Zika vírus. Portanto, o uso de repelente, roupas confortáveis e que protejam do vetor é indicado. Até parece conselho de mãe, e porque não!

Quando pensamos em cuidados, logo nos lembramos dos cuidados maternos, mas, como gestores da Saúde, é preciso pensar de forma ampla. Quando a equipe de Saúde realiza o planejamento são traçadas estratégias contendo dados e particularidades de cada região, visando a promoção e efetivação das ações de saúde.

No Carnaval, a distribuição das camisinhas é uma das ações, porém, as equipes de saúde são reforçadas para garantir o atendimento aos foliões. Nas cidades em que a festa de Momo é tradição, o reforço é garantido em todos os setores, e a saúde trabalha de forma integrada com a Segurança, Assistência Social e demais setores visando garantir o bem estar do cidadão.

Por isso nunca é demais lembrar a importância do folião portar documento de identificação e o Cartão SUS, que hoje é exigido para o melhor atendimento dos pacientes nas unidades públicas de saúde, mesmo os que possuem plano de saúde, afinal, todos usamos o SUS.

O SUS é imenso, englobando ações de Vigilância Sanitária, Vigilância Epidemiológica, Vacinação, Atendimento desde a Rede Básica até a Média e Alta Complexidade, SAMU, entre outros. Conhecer o SUS, participar desta grande política de saúde é essencial para garantir a efetividade do mesmo. Mas isso é assunto para novas conversas, afinal, é preciso desmistificar que o SUS é apenas grandes filas e sucateamento. Existe um SUS que funciona e é esse que desejamos fortalecer e, o que precisa ser melhorado, de forma coletiva faremos.

Participe ativamente da alegria do Carnaval, descontraia e aproveite muito. E quando passar a festa procure em sua cidade saber mais sobre o SUS, participe dos conselhos de Saúde e utilize o seu poder de cidadão para fortalecer a saúde pública. A população precisa e nós gestores agradecemos, pois o SUS é uma conquista do povo brasileiro e precisa ser mantida.

Silvia Regina Cremonez Sirena é presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems-MT)

Postar um novo comentário

| 08/02/2016, 12h:50 - Atualizado: 06h atrás

Governador faz teste de popularidade no Carnaval de Cuiabá, Chapada e Leverger


Fotos: José Medeiros

pedro taques feira da mandioca

Na passagem pela praça da Mandioca, na região central de Cuiabá, Pedro Taques recebe cumprimentos

Com 13 meses de mandato, já superando a fase de “lua de mel com a população”, o governador Pedro Taques resolveu testar a popularidade, caminhando no meio dos foliões. E foi bem receptivo. Acompanhado da primeira-dama e esposa, advogada Samira Martins, e de alguns secretários, Taques visitou neste Carnaval até agora a Praça da Mandioca, no centro de Cuiabá, e os festejos em Santo Antonio de Leverger e Chapada dos Guimarães. Como um candidato em campanha, cumprimentou com beijos, abraços e apertos de mão, tirou fotos e jantou no meio do povo.

A todo instante, era procurado para posar à fotografia ao lado de grupo de pessoas. Na feirinha da Mandioca, saiu cumprimentando até os que estavam sentados em bares e lanchonetes montados nas ruas paralelas. Encontrou por ali o secretário de Segurança Fábio Galindo, que fazia espécie de blitz com um batalhão de policiais.

pedro taques selfie

Com a esposa Samira, Pedro Taques posa para fotografia no Carnaval em Santo Antonio de Leverger

Junto com o governador chega também um forte esquema de segurança. Mas isso não o impede de sair cumprimentando a todos. No reencontro com pessoas conhecidas, acaba até prolongando o bate-papo.

São poucos os que abordam-no para apresentar algum pleito. Se aproximam mais para fazer registro fotográfico, inclusive usando pau de selfie. Alguns fazem comentários, enquanto cumprimentam o governador, soltando frases como “parabéns pelo governo diferente”, pelo “combate à corrupção”, pela “moralidade”.

pedro taques cozinha

Em Santo Antonio de Leverger, governador Pedro Taques se serve em jantar numa cozinha improvisada

Demonstrando certa simplicidade, Taques até foi se servir numa cozinha simples e montada ao lado da avenida tomada pelos foliões em Leverger. Já em Chapada, mesmo após a polêmica com o prefeito Lisu Koberstain, que não “patrocinou” o Carnaval popular por falta de recursos, levando o Estado a assegurar ao menos o reforço policial, Taques sentiu-se à vontade. Com alguns assessores acompanhando-no, como os secretários Paulo Taques (Casa Civil) e Paulo Brustolin (Fazenda), ele se juntou aos foliões do Bode do Karuá. E, no clima carnavalesco, entrou nas brincadeiras, como "Aí eu vou pra galera!" com um sósia do Seu Boneco da escolinha do Professor Raimundo.

E, assim, segue o governador com a popularidade em alta, por enquanto.

pedro taques boneco

Governador Pedro Taques até ensaia "vai pra galera" com sósia de Seu Boneco, no Carnaval de Chapada

taques chapada bode

Integrantes do Bode do Karuá, no Carnaval em Chapada dos Guimarães, fazem foto com o governador

Postar um novo comentário

| 08/02/2016, 09h:48 - Atualizado: 08h atrás

Foto de prefeito na praia provoca debate em Rondonópolis; Rondofolia foi suspenso


A postagem nas redes sociais de uma fotografia do prefeito Percival Muniz, sentado numa relaxante cadeira na areia da praia, de sunga e com barba aparada, ganhou repercussão, especialmente em Rondonópolis, município administrado por ele pela terceira vez. Aparece sorridente e acompanhado de dois amigos, um deles Gustavo Ihamber, filho do advogado Carlos Ihamber. Percival aproveitou o feriadão para curtir a praia com a família longe de Rondonópolis. Estaria em Ipanema, no Rio.

Como um foguete, a foto foi disparada nos compartilhamentos e invadiu os grupos de WhatsApp no momento em que o debate está acirrado pelo fato do prefeito ter interrompido o tradicional Rondonfolia, carnaval popular que arrastava multidão, sob argumento de falta de recursos, reflexo da crise financeira. Cada edição da festa, incluindo artistas de renome nacional, exige ao menos R$ 1 milhão de investimentos. Enquanto Rondonópolis não realiza o Rondonfolia, municípios bem menores da região Sul e do Vale do São Lourenço, como Alto Garças, Poxoréu, Tesouro e Jaciara, estão atraindo foliões com o Carnaval popular.

percival muniz praia 510

Sentado numa cadeira de praia, o prefeito rondonopolitano Percival Muniz faz pose para a fotografia

Sobre o assunto, vale algumas reflexões:

* Percival está curtindo a praia certamente com o dinheiro dele. Como prefeito, ganha quase R$ 20 mil mensais. É fazendeiro e acumula outras rendas. Dispõe de poder financeiro. Ademais, tem todo direito e liberdade de fazer o que bem entender com sua vida privada.

O prefeito é uma figura popular, gosta de usufruir da boemia, de ouvir e cantar moda de viola e não tem a preocupação de ser visto ao natural por onde passa.

Por outro lado, trata-se de uma figura pública, que exerce mandato graças à vontade da maioria do eleitor rondonopolitano. E divulgar foto curtindo a vida tem apelo popular forte. Pode levar muitos a interpretar a cena como sinal de ostentação e de deboche.

E a imagem de Percival na praia provoca revolta àqueles que esperavam lucrar o se fazer presente entre os 20 mil ou 30 mil que costumavam aparecer no Rondonfolia, seja no antigo aeroporto, seja na avenida Lions Internacional. Essa festa popular foi lançada pelo próprio Percival, em seu segundo mandato. Teve continuidade nas gestões Adilton Sachetti e Zé do Pátio. E agora o seu criador resolve dar uma pausa.

Por isso, recebe elogios de uns, que entendem que o momento é de crise e que o poder público também precisa economizar; e leva porrete de outros, que apontam falta de planejamento, pois poderia, na pior das hipóteses, buscar parcerias privadas para promover a festa do Rei Momo sem onerar o município.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Régis Rodrigues Ribeiro | Segunda-Feira, 08 de Fevereiro de 2016, 16h16
    1
    1

    Deixem Percival descansar. Ele como qualquer outro trabalhador tem direito à férias.

  • Paulino | Segunda-Feira, 08 de Fevereiro de 2016, 15h21
    1
    1

    Ele esta mais que certo. Demagogia desse povinho que acha que carnaval é tudo nessa vida. Vão trabalhar. Vão fazer algo de útil para seu município. Aproveitem esse feriadão para refletir o que vocês querem. Para refletir o que vocês estão fazendo nessa vida. Se estão vivendo ou só passando pela vida. Não tenho a menor satisfação ou alegria por este prefeito, mas, o que impede ele de ir à praia? De ir ao mercado? De ir para Londres, Alemanha, Berlin ou PQP? Se é dinheiro publico, provem e o coloque na cadeia. Se é dinheiro dele, particular, ele tem mais é que aproveitar e vocês, medíocres e hipócritas, que fiquem com seus julgamentos. É por isso que Rondonópolis, Cuiabá e o Brasil não vão pra frente.

  • XIKO | Segunda-Feira, 08 de Fevereiro de 2016, 13h47
    1
    1

    NA MINHA OPINIÃO SE A PESSOA OCUPA UM CARGO PUBLICO, ELE TEM QUE NO MAXIMO SER DISCRETO, EVITAR HOLOFOTES, POQUE CADA UM DE MODO DE PENSAR E ANALISAR, EU ACHO QUE PRIMEIRO ELE TERIA QUE RESOLVER A FESTA POPULAR NA SUA CIDADE, PORQUE ISSO TERIA MUITOS RENDIMENTOS PARA COMÉRCIOS E REDE HOTELARIA LOCAL, AI SIM ELE PARTIRIA PARA ONDE BEM QUISER, FAÇA COMO O GOVERNADOR PEDRO TAQUES SEJA A POPULAR, HUMILDE E JUNTA AO POVO NA MAIOR FESTA POPULAR DO BRASIL.

| 08/02/2016, 00h:00 - Atualizado: 07/02/2016, 19h:10

Contos de Carnaval

Sandra Alves articulista texto e capa

Sandra Alves

Carnaval, euforia, as pessoas pelas ruas de todo o Brasil numa sinergia impressionante. No ritmo vibrante Marry deu um passo para trás saindo da sala de impressão, quando trombou com Matheus no corredor. Bem mais alto que ela, o impacto a jogaria ao chão, não fosse ele tê-la segurado pelo braço trazendo-a ao seu encontro. Aquele segundo constrangedor em que o toque da pele incomoda pela atração instantânea. 

O subconsciente enviou o primeiro alerta quando ele apareceu num determinado sonho, sem muito propósito, aquele jornalista que recém chegara a empresa virava para Marry com ar autoritário, dizendo que seu texto estava fora da forma aprovada pela empresa. A transferência de Matheus para a empresa surpreendeu a todos. Com seus trinta e poucos anos, um brilho contagiante nos olhos castanhos claros, cabelos negros, queixo quadrado e dentes perfeitos, Matheus era capaz de tirar qualquer um do sério com sua autossuficiência.

Naquele ano, Marry ficaria responsável pela redação na empresa e o recém-chegado Matheus teve que substituir um colega que ficara doente. Matheus impediu que Marry fosse ao chão após o solavanco em seu peitoral, quando os braços fortes delineados pela prática de escalada em encostas desafiadoras, segurou-a fortemente. Passados alguns segundos, Matheus informou que deveriam pegar o vôo imediatamente para cobrir um evento.

Marry, com seu trabalho incontestável, contava com o respeito de todos. Suas campanhas eram sinônimo de sucesso. Não era necessário mais que uma hora de reunião para concluir pela solução ideal de cada problema. Apesar da objetividade, a educação e a fineza lhe impediam de disparar qualquer insulto contra quem quer que fosse. Vestia-se com simplicidade e elegância, sendo impossível desaperceber a beleza de sua forma feminina.

Viajar lado a lado, restritos pelo espaço da aeronave, obrigou a troca de palavras que fossem além das matérias do trabalho. As aventuras da adolescência surgiram num momento saudoso retro. Um sorriso doce de menino tímido e levado contrapôs a imagem do autossuficiente autoritário. Todos aqueles músculos pareciam irrigados por uma sensibilidade apaixonante.

Por outro lado, toda a frieza de emoções da mulher mostrava-se abalada ao confessar loucuras realizadas por algumas paixões. O ar feminino, ardente e cheio de fantasias capaz de desequilibrar o mais autossuficiente dos homens. Clima interrompido pelo aviso de apertar os cintos, retornar as poltronas ao sentido vertical e preparar para o pouso.

Toda a madrugada, o dia e a noite seguintes foram intensos, pela música e pelos foliões que continham uma energia sem fim. Os blocos carnavalescos se seguiam em sucessão incansável. A exibição de corpos, fantasias, alegria e muitos beijos eufóricos.  Trabalho cumprido, corpos exaustos, hora de voltar. Voo cancelado e hotéis com lotação completa. Resta como alternativa o compartilhamento de quarto pouco ortodoxo.

Uma bebida para sufragar o cansaço e abreviar o estresse. As microbolhas do fundo da taça continham o presságio de que outras emoções poderiam romper barreiras. Os olhos se encontraram no sorriso. Tomado pelo desejo, sem pensar Matheus trás Marry a seu encontro com seu braço forte passando por suas costas. A respiração de ambos se altera para um ritmo mais ofegante até o beijo. O barulho do carnaval ainda agita a vida lá fora. A fantasia pode durar horas perfeitas, até o que o som do despertador os leve de volta à quarta-feira. 

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Governo Dilma | 07/02/2016, 08h:50 - Atualizado: 07/02/2016, 08h:57

Deputado afirma que Kassab representa gestão medíocre e não dará resposta a MT


O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) avalia que o ministro das Cidades Gilberto Kassab (PSD-SP), que esteve em  Cuiabá na última quinta (04) para ouvir demandas do governo do estado e dos municípios, não vai conseguir apresentar respostas concretas às reivindicações apresentadas pelos gestores. “A visita do Kassab foi a cara do governo Dilma. Recebemos um grande político, gestor premiadíssimo e com qualidade intelectual fantástica, mas por ser ministro de uma presidente medíocre, não conseguiu  dar passo à frente”, atacou o dirigente tucano. 

Gilberto Leite/Rdnews

gilberto kassab_gilberto leite (5).JPG

Ministro das Cidades Gilberto Kassab esteve em Mato Grosso para ouvir as demandas dos gestores

Segundo Nilson Leitão, a crise criada pelo próprio governo Dilma reflete em todos os ministérios, incluído o das Cidades.  Afirma também que apesar de ter assumido compromissos em Cuiabá, Kassab não consegue cumprir o orçamento. “O Ministério do Planejamento corta verbas, corta obras e paralisa os programas federais”, completou.  

Nilson Leitão cita como exemplo as construções de  creches paralisadas em todo país e os cortes no Pró-Infância. Além disso, aponta que o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida também sofre as consequências da política equivocada do governo federal. “O Minha Casa, Minha Vida virou um caos, um programa de desemprego, de quebradeira e de empreiteiras falidas. Então é lógico que é muito difícil ser ministro de uma presidente como essa. O Kassab acaba não tendo muito o que oferecer”, concluiu.  

Taques pede R$ 700 mi para concluir VLT e Kassab garante buscar solução

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • julio | Segunda-Feira, 08 de Fevereiro de 2016, 08h49
    3
    0

    se o ministro e tao ruim pra que fizeram tanta propaganda com a vinda dele ? se o deputado nilson leitao nao parar de querer fazer politica o governdor nao vai trazer nada para o mt. cuidado governador.

  • Homero | Segunda-Feira, 08 de Fevereiro de 2016, 08h36
    4
    0

    Na verdade, na verdade, Nilson Leitão está tentando ocupar espaço em todos os cantos, seja no controle do seu Partido, nas possíveis coligações em Cuiabá e, principalmente, no interior, seja nas demonstrações de amizade íntima com o mais alto mandatário de MT - no caso, o Governador Pedro Taques, seja nas capas de jornais e revistas, tudo para não perder espaço e se mostrar competente como político, almejando, com certeza, futuras eleições. Já os seus discursos na Câmara Federal e em eventos políticos são uma pérola (de se jogar aos porcos), e não refletem qq competência nesse meio. Veja-se o imbróglio que ele e o Deputado Romoaldo se meteram ao discriminarem os leprosos, não sabendo, ambos, porém, que leprosos, enquanto doentes, podem ser curados e não contaminam ninguém, ao contrário de políticos cujo mal cheiro não tem cura, e se impregna na pele de todos aqueles ao seu redor....

  • JOAO | Domingo, 07 de Fevereiro de 2016, 13h09
    0
    2

    HORA DE FALAR A VERDADE PSD APOIA DILMA .............. PLIN PLIN ......... FAVARO VICE DE TAQUES........ AI PODE AI E COERENTE COM A PALAVRA O SR TAQUES.

  • Rebeca | Domingo, 07 de Fevereiro de 2016, 11h25
    4
    0

    Esse Leitão precisa calar a boca urgente. O Governador precisando de recursos, o Ministro disposto à ajudar, e ele como sempre, vindo atrapalhar, como na estória do PMDB semana passada...

| 07/02/2016, 00h:00 - Atualizado: 05/02/2016, 12h:30

Teste da linguinha

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

A Lei 13.002, de 2º de junho de 2014, torna obrigatória a realização do Protocolo de Avaliação do Frênulo da Língua em bebês, em todos os hospitais e maternidades, nas crianças nascidas em suas dependências. A avaliação do frênulo lingual serve para constatar o seu tamanho, em sendo curto de maneiras que prejudique à amamentação recomenda-se a sua secção (frenectomia).

A língua presa (anquiloglossia congênita) é considerada rara pelos pediatras e quando acontece exige um tratamento multidisciplinar por parte do fonoaudiólogo e do odontopediatra.

A justificativa por parte dos parlamentares é que este protocolo evita o desmame precoce, baixo ganho de peso e o constrangimento de alguns adultos que não foram avaliados no momento do seu nascimento e hoje tem dificuldades na fala, sofrendo assim constrangimentos e dificuldades de convívio social.

Os pediatras e fonoaudiólogos divergem quanto ao teste da linguinha. Alguns representantes da saúde dizem que a avaliação do bebê por completo, inclusive do frênulo lingual é feita rotineiramente pelo pediatra, e que a criação destes testes (do pezinho, da orelhinha, do coraçãozinho) é como seccionar o indivíduo e deixar de avalia-lo como um todo. 

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou nota abordando diversos aspectos sobre a lei, dentre eles alegam que o pediatra assistente já faz o “teste da linguinha” na rotina de exames do recém-nascido como parte do protocolo de alta médica. Dizem ainda que para a tramitação da lei o Congresso Nacional não solicitou do Departamentos de Neonatologia e Otorrinolaringologia da SBP um parecer, sendo assim não há evidências científicas que justifique a legislação, e ainda que somente 10 bebês apresentam anquiloglossia em um universo de três milhões de recém-nascidos, o que é considerado um traço estatístico, sendo desnecessária a intervenção cirúrgica imediata.

Os fonoaudiólogos afirmam que  as funções de sucção e deglutição estão diretamente relacionadas com a amamentação, onde a participação dos movimentos da língua é fundamental.  Então, qualquer restrição à livre movimentação da língua pode resultar no comprometimento dessas funções, dificultando a amamentação. 

As opiniões podem ser divergentes, mas o ponto em comum é o bem estar do recém-nascido, que é o que realmente importa. O que deve haver é um protocolo consistente quanto à avaliação do frênulo lingual, seja ele feito pelo odontopediatra, otorrinolaringologista, pediatra ou fonoaudiólogo, e o procedimento cirúrgico (assim como a indicação deste), o “pique na língua”, seja realizado por um profissional habilitado para realiza-lo.

A utilização de protocolos específicos permite atuar de forma planejada, documentando procedimentos para sustentar as práticas clínicas com evidências.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, mestre em Saúde Coletiva, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Eleições | 06/02/2016, 11h:47 - Atualizado: 07/02/2016, 09h:44

Secretário diz que PMDB está no final da fila de prioridades; foco na base de Taques


Um dos principais “cabos eleitorais” para a reeleição do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), neste ano, o secretário de Agricultura Familiar e Regularização Fundiária (Sedraf), Suelme Evangelista, afirma que a prioridade é coligar com os 12 partidos que ajudaram a eleger o governador Pedro Taques (PSDB) ao Palácio Paiaguás, em 2014.

Para Suelme, não se pode perder o alinhamento que existe entre a Prefeitura de Cuiabá e o governo estadual. Por isso, a necessidade de começar as discussões de “dentro para fora” com as 12 legendas, que são (PDT, PP, DEM, PSDB, PPS, PV, PTB, PSDC, PSC, PRP, PSL e PRB). “O PMDB é um dos partidos que estão na linha de prioridades bem distante do nosso radar”, garante o gestor em entrevista ao RDTV - veja abaixo.

De todo modo, o secretário, que já ocupou a pasta de Cidades na Gestão Mauro Mendes, admite que na democracia é salutar que se conversa com todos partidos. “Não há discriminação. O prefeito ainda vai definir o processo político. neste momento não temos que ter objeção a discussão com outra força política”, ameniza.

O fato é que em reunião entre o PSB e o PSDB, na residência do prefeito, ficou acertado que os tucanos irão indicar o vice de Mauro. Além disso, o presidente estadual do PSDB, deputado federal Nilson Letão, garantiu que a legenda não sobe no mesmo palanque dos peemedebistas em razão do legado de má-gestão envolvendo o ex-governador Silval Barbosa, hoje preso. O veto, inclusive, tem o aval de Taques.

Blairo Maggi

Amigo do prefeito Mauro Mendes e preste a ingressar no PMDB, o senador Blairo Maggi (PR), em entrevista ao Rdnews, desconhece qualquer tipo de veto aos peemedebistas e garante que a preferência é por apoiar Mauro. No entanto, ressalta que se existir o impedimento, o partido irá trabalho com candidatura própria na Capital.

Por isso, o PMDB convidou o deputado estadual Emanuel Pinheiro (PR) para filiar-se à sigla. Apesar de adiantar que a tendência é permanecer na legenda, Emanuel afirma que vai avaliar a proposta, uma vez que é próximo a Blairo.

 Diante do impasse, Suelme relata que é preciso afastar o debate de 2018, entre PSDB e PMDB. Acredita que deve focar na reeleição do prefeito, para que continue a boa relação entre os Executivos municipal e estadual. “Cuiabá não pode perder a parceria Mauro Mendes e Taques, acredito que nem um e nem outro vai trair os interesses da sociedade”, aponta.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Homero | Domingo, 07 de Fevereiro de 2016, 08h06
    2
    2

    "O PMDB vai reeditar a dobradinha Lúdio-Faiad, em parceria com o PT e com grandes chances de vitória"... Se Mato Grosso dependesse de analistas políticos-palpiteiros-pentelhos-eleitores desse naipe, poderia se considerar o pior Estado do Brasil. Só os cegos de inteligência e percepção, e desavisados do que o PT fez com o País e o PMDB implantou em MT, para falarem uma asneira dessas... Vade Retrum !!!

  • mauro | Sábado, 06 de Fevereiro de 2016, 20h59
    0
    2

    SE O PMDB APOIAR O PROCURADOR MAURO TIAL UM ABRAÇO

  • Rebeca | Sábado, 06 de Fevereiro de 2016, 12h04
    1
    3

    O PMDB vai reeditar a dobradinha Lúdio-Faiad, em parceria com o PT e com grandes chances de vitória.

| 06/02/2016, 00h:00 - Atualizado: 06/02/2016, 08h:20

O carnaval e a juventude

akio materia estreia colunista

Akio Maluf Sasaki

Não existe data mais esperada pela juventude brasileira do que o Carnaval, momento de festa, de alegria, de "curtição" e até mesmo de liberdade emocional. Época do ano em que muita gente aproveita para "conhecer pessoas novas".

O problema é que o Carnaval em si tem muitos perigos, dependendo do local em que você estiver ele pode trazer riscos para a tua própria vida. Então, é preciso ter cuidado na hora de curtir a festa. Como jovem e também articulista, considero importante lembrar e auxiliar um pouco a juventude com os perigos desta amada festa, para que possamos continuar a ter uma vida normal após a data.

Vamos lá:

O primeiro perigo enfrentado pelos jovens no carnaval é o álcool. Muitas vezes consumido em excesso, outras misturado a bebidas que não deveriam estar acompanhando e, em alguns casos, com drogas, situações estas que trarão sérios problemas para o jovem.

Outro perigo enfrentado é o dos assaltos, como as pessoas costumam economizar muito para as festas, é recomendado o dobro de atenção com estranhos na rua, nunca se sabe quando você irá perder a carteira ou a vida na mão de um marginal armado.

Continuando com os perigos, é importante também tomar cuidado nas relações com terceiros, pois uma infindável lista de doenças poderá ser transmitida através do contato, seja ela um simples sapinho, para AIDS e HPV por exemplo, vale lembrar que ainda não existe cura para a AIDS e mais algumas delas.

Uma vez cumprido o dever de lembrar e informar que existem perigos, vale lembrar que existem festas lindas nas redondezas da Cidade Verde, pois existirão foliões te esperando animados desde a Praça da Mandioca até Chapada dos Guimarães.

Aproveite o Carnaval, curta a festa, divirta-se, aproveite a beleza dos desfiles, mas não se esqueça de se precaver contra qualquer contratempo. Por fim, desejo a todos um excelente Carnaval, que todos possam curtir a folia em paz e um bom começo de 2016 para todos (risos).

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • LUIZ AUGUSTO VIEIRA SILVA | Sábado, 06 de Fevereiro de 2016, 17h15
    1
    0

    Parabéns Akio muito bem recomendado excelente dica...

| 05/02/2016, 12h:07 - Atualizado: 05/02/2016, 14h:46

PSDB convoca base que elegeu Taques e quer aliança às prefeituras; PSB ausente


reuniao psdb

Governador Pedro Taques conduz reunião com aliados e quer fechar composições visando prefeituras

O tucanato abriu oficialmente, nesta quinta, a discussão sobre estratégias e alianças visando as eleições de outubro. Chamou para a primeira conversa representantes dos 13 partidos que ajudaram a eleger Pedro Taques governador e mais o PSD, que passou a ser situacionista a partir do ano passado, com a chegada à presidência regional do vice-governador Carlos Fávaro.

Na sede do PSDB, em Cuiabá, compareceram vozes do DEM, PSC, PPS, PTB, PP, PSDB e de outras siglas nanicas. Embora convidado, o PSB do prefeito cuiabano Mauro Mendes, não mandou representante. Mesmo com sinais de que deve romper com o governo, o PDT foi representado pelo deputado estadual Leonardo Albuquerque, que deve se desfiliar nos próximos dias. Foi pela legenda pedetista que Taques se elegeu tanto senador, em 2010, quanto governador, em 2014.

Agora no ninho tucano, onde sente-se livre para voar, Taques sentou na ponta da mesa, ao lado do presidente regional do PSDB, deputado Nilson Leitão. Entre outras figuras estavam o senador José Medeiros (PPS), o ex-senador Jayme Campos (DEM) e o deputado federal Victório Galli (PSC). O encontrou, que começou às 20h e avançou até as 23h30, se transformou numa mesa redonda.

Em um discurso similar ao explorado na campanha de 2014, pelo alinhamento político dos governos nas três esferas de poder, líderes presentes à reunião reforçaram essa tese. Querem que os partidos da base de Taques caminhem unidos nos municípios. E critérios para escolha de candidaturas a prefeito devem ser definidos até o final deste mês. Nome que melhor pontuar nas pesquisas de intenção de voto levará vantagem.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Cuiabano | Sexta-Feira, 05 de Fevereiro de 2016, 13h58
    8
    1

    Taques virou as costas pra um monte de gente após a vitoria, quem é traído nunca esquece...

  • Lord Xirius | Sexta-Feira, 05 de Fevereiro de 2016, 13h44
    5
    0

    UMA pergunta... PV não faz parte da BASE do TAQUES?

| 05/02/2016, 00h:00 - Atualizado: 04/02/2016, 18h:40

Documento escolar e a inadimplência

elga_figueiredo_imagem_texto_sexta

Elga Figueiredo

É depois do feriado de Carnaval que o ano começa efetivamente para a maior parte da população brasileira. As férias normalmente ocorrem entre esse período e, assim, deixamos os compromissos para depois. Ou seja, o ano letivo de 2016 já vai começar.

Desse modo, importante abordar assuntos que ainda são objeto de dúvida para muitos alunos-consumidores. Lista de material didático, transporte escolar, retenção ou negativa de emissão de documentos. Apesar de serem ilegais, tais condutas ainda são praticadas em alguns estabelecimentos.

Dentre as penalidades pedagógicas, a retenção ou negativa de expedição de documentos, apesar de serem práticas por lei, algumas escolas e faculdades insistem em reter documentos como histórico, diploma, bem como demais documentos necessários à transferência de alunos, como forma de forçar o adimplemento de débitos.

Por expressa proibição legal, a teor do artigo 6˚ § 1˚ da Lei nº. 9870/99, que possui a seguinte redação: "São proibidas a suspensão de provas escolares, a retenção de documentos escolares ou a aplicação de quaisquer outras penalidades pedagógicas por motivo de inadimplemento, sujeitando-se o contratante, no que couber, às sanções legais e administrativas, compatíveis com o CDC, e com os arts. 177 e 1092 do CC, caso a inadimplência perdure por mais de noventa dias".

Destaca-se que quando a instituição de ensino adota tal conduta, além de afrontar a lei 9870/99, constitui um ilícito penal denominado exercício arbitrário das próprias razões, conforme preceitua o artigo 345 do Código Penal brasileiro: "fazer justiça pelas próprias mãos, para satisfazer pretensão, embora legítima, salvo quando a lei o permite". Pena – detenção, de quinze dias a um mês, ou multa, além da pena correspondente à violência.

Tal entendimento se embasa no fato que o estabelecimento de ensino possui outros meios para cobrar eventuais débitos provenientes do não pagamento das mensalidades. Denota-se ainda, que ao mesmo tempo em que a ação impõe real temor ao profissional aluno, também obsta que este se mantenha inserido no mercado de trabalho, em que poderá obter os recursos financeiros, inclusive de modo a quitar as dívidas assumidas durante a época de estudante.

As instituições privadas têm o direito de cobrar e receber as mensalidades. Entretanto, é proibida a retenção dos documentos de transferência, bem como a aplicação de sanções pedagógicas, como, impedir o acesso do aluno inadimplente à sala de aula ou à realização de provas e avaliações, destacando que tal pratica é considerada meios de cobrança abusivo, constrangedor e vexatório.

Essa represária imposta pelas instituições de ensino gera ao aluno situação de constrangimento perante os seus colegas, entre outros, sendo, portanto, razão para ação de indenização por danos morais.

Caso algum estabelecimento de ensino adote essa conduta, o estudante deve, primeiramente, tentar resolvê-la diretamente com a direção do estabelecimento. Se não conseguir, ele deve buscar a Justiça, para requerer, liminarmente, o recebimento dos documentos necessários para sua transferência, e demais direitos.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

| 04/02/2016, 09h:13 - Atualizado: 04/02/2016, 09h:33

Doente e na esperança de "encurtar" o tempo de cadeia, Riva estuda delação


Fotos: Gilberto Leite/Rdnews/arquivo

ex-deputado jose riva 510

José Riva sonda quais seriam as vantagens para si de uma delação premiada para poder "abrir a boca"

O ex-deputado José Riva, hoje em cárcere e doente, passou a avaliar a hipótese de aceitar fazer delação premiada. É o primeiro sinal de que, mais cedo ou mais tarde, pode ajudar a derrubar a República. Ele sabe muito ou (quase) tudo de acordos, contratos e pagamentos feitos pela Assembleia nos últimos tempos, legais e ilegais.

Este Blog apurou que dois de seus advogados sondaram o Ministério Público sobre essa possibilidade. Querem saber, de fato, qual seria a vantagem para o cliente. Por enquanto, o MPE topa. É na Justiça estadual que concentram-se 90% das ações contra Riva. Já o MPF, por conta da operação Ararath e dos desdobramentos em etapas, entende que não deve negociar delação com o homem que mandou na Assembleia por duas décadas e contra o qual há provas robustas.

Como carrega um caminhão de processos e com nome envolvido em atos de improbidade, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e outros crimes, Riva não tem como escapar da cadeia tão cedo. A soma das possíveis condenações pode chegar a 300 anos. Para piorar, está com todos os bens bloqueados.

No próximo 8 de abril, o ex-deputado completa 57 anos. No caso de uma delação premiada, já apresentaram para Riva a seguinte vantagem: ficaria entre dois e três anos em regime fechado, por conta das primeiras condenações, e depois poderia cumprir o restante da pena em prisão domiciliar. Passaria o resto da vida no seio da família. Essa hipótese e mais o fato de estar doente levaram Riva a não mais resistir à delação. Até então ele batia no peito para dizer que é companheiro e que não entregaria ninguém.

Ex-prefeito de Juara e deputado por 24 anos, em praticamente todos eles com voz de comando na AL, Riva sabe muito. Se abrisse a boca à Justiça e apresentasse provas de alguns acordos de bastidores feitos com então colegas parlamentares, seja para ganhar a Mesa Diretora como presidente ou como primeiro-secretário, seja nas contribuições às campanhas eleitorais e outros acordos nada republicanos, muitas autoridades iriam também para a cadeia.

Por enquanto, Riva carrega o fardo sozinho. Mas, como não está aguentando, precisa aliviar o peso para seguir a jornada. E é nessa hora que entra a delação. Para tentar sair da cadeia, mandaria para lá outros figurões. A bomba pode estourar.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Rebeca | Domingo, 07 de Fevereiro de 2016, 11h27
    1
    0

    Riva é que nem Arcanjo. Jamais abrirá a boca. Corre riscos de sofrer o que PC Farias sofreu.

  • BRANCO | Sexta-Feira, 05 de Fevereiro de 2016, 11h16
    2
    0

    MEU PAI DO CÉU!!!! SUPLENTES TODOS DA ASSEMBLEIA IRÃO TOMAR POSSE, E OS EMPRESARIOS???? RIVOTRIL SERÁ POUCO, É MELHOR ESSE HOMEM FICAR ONDE ESTÁ MESMO.

  • cipriano | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 21h10
    4
    0

    se papai noel existe .. riva vai deletar ! só se ele deletar o Mauro Savi, Sergio Ricardo, Romualdo Junior e mais uns Dois ai .. a AL era deles, á muitos anos

  • Marcelo cuiabano | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 16h54
    11
    1

    Caro Riva, voce tem essa possibilidade de delação, vai enfrente, conte tudo, não perca essa oportunidade. para seu coração seja honesto uma unica vez na vida, quem sabe assim você um dia vai ter paz e dormir com conciencia tranquila (no seu caso isso no momento e impossível). enquanto voce esta morto politicamente, socialmente, doente, sem paz, sua família sofre junto com você. cade seus amigos?? parceiros?? colegas do mal? sumiram todos com medo de ir para cadeia e enquanto isso vc paga sozinho... cuidado para não morrer de desgosto e levar com você verdades e fatos que jamais saberemos. outra coisa, tenho certeza que muita gente importante esta torcendo para vc bancar o homem que aguenta porrada e não o bico..... faça algo de bem para vc, a população em geral e principalmente para sua família..... DELAÇÃO RIVA!!!! CORAGEM RAPAZ!! quem sabe vc ainda acha uma vaga no ceu!!!!

  • Mariana de Góes | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 14h37
    14
    0

    É isso aí, Riva. Abra-te a boca. Conte tudo. Cairá, de fato, a República

  • condeprata 1 | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 14h18
    8
    0

    Entre a cruz e a espada

  • Juca do Pequi | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 13h20
    9
    1

    Que situação! Mas creio que ele encerrará seus dias na cadeia. Cerca de 200 processos. Algém já disse que após todos os processos julgados poderia chegar a 960 anos de prisão. Nem Matusalém viveu esse tempo todo.

| 04/02/2016, 07h:24 - Atualizado: 04/02/2016, 08h:24

Pega a metralhadora e trá, trá, trá

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

O refrão do hit do verão já dá o tom do que pode vir na política do Brasil. Escândalo após escândalo após prisão após operação da Polícia Federal vamos lentamente descortinando aquilo que, no fim das contas, nunca foi novidade para a grande maioria. A dificuldade era só aparecer autoridade com peito e estomago para trazer tudo à tona.

Com luz em muitos fatos teríamos prato cheio para a oposição em todas as esferas. Mas a lama está tão alastrada que envolve a todos e pouquíssimos atores deste meio conseguem se capitalizar. Contamos nos dedos os políticos que estão sorrindo com a operação Lava Jato, Zelotes, Triplo X, Ararath (é bem Mato Grosso) e etc.

Nos falta um herói nacional. Alguém em quem acreditar. Uma pessoa em quem votaríamos para fazer justiça, para colocar o país no eixo e corrigir a rota para o crescimento econômico a que vínhamos nos acostumando. Sem esta figura já tenho ouvido em rodas informais um discurso que se repete: o da justiça com as próprias mãos.

Remetendo ao título do artigo e hit do verão já ouvi muita gente estudada, instruída, formadora de opinião dizendo que se não tivesse muito a perder pegaria fácil a metralhadora e começaria a matar políticos corruptos. Este discurso só de ser verbalizado parece acalmar quem o profere. Dá para ver o sorriso no canto da boca. E, devido a corriqueira riqueza de detalhes, parece que já vem sendo formulado há um bom tempo.

“Eu eliminaria aqueles notoriamente corruptos, só para dar um recado. Contrataria um assassino de aluguel e pediria requintes de crueldade”, afirma um. “Eu jogaria uma bomba no Congresso Nacional, afinal nenhum deles presta mesmo”, explica outro. “Eu entraria no Palácio da Alvorada e trá, trá, trá”, coreografa o terceiro.

Apesar das operações policiais, das prisões de figurões do meio empresarial e político sabemos que ainda falta muito para que se moralize o país. Somente com o fim irrestrito da impunidade voltaremos a acreditar que o crime de colarinho branco está de acordo com o que ocorre no restante do mundo. 

Eu tenho medo deste momento. Há quase dois anos vivemos aquele período das manifestações nas ruas. Os escândalos não tinham raízes e tentáculos tão grandes e visíveis quanto hoje. Acredito que se o Governo Federal não assumir uma postura urgente quanto a tudo o que acontece teremos uma guerra civil. Exército de sem-terra, evangélicos ortodoxos, coxinhas e petralhas vão se digladiar nos espaços públicos por líderes corruptos e que não os merecem. Hordas de insatisfeitos, desempregados e desesperados com a crise econômica vão atentar contra a integridade física daqueles que julgam serem os grandes culpados.

Vamos ver como será o início do ano depois do carnaval. Se o hit do verão vai virar hino de um período turbulento ou se veremos algo semelhante a uma pátria educada e liderada como se deve e fazendo jus ao discurso de ordem e progresso que hoje repousa opaco em nossa bandeira.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

artigo | 03/02/2016, 19h:43 - Atualizado: 04/02/2016, 09h:51

Não se atrevam!

Adriana-Vandoni-ok.jpg

   Adriana Vandoni

Pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) publicada, na semana passada, mostra que 65% dos brasileiros consideram a corrupção o problema mais grave do país, à frente da violência, saúde e drogas. Em novembro de 2015, outra pesquisa, do Datafolha, revelou que pela primeira vez, a corrupção era apontada como o maior problema do Brasil para 34% dos entrevistados.

Isso foi revelado também no relatório da Transparência Internacional, que mede a percepção da corrupção em 168 países, onde o Brasil apareceu com o pior índice desde 2008. Em 2014, o país estava em 69º lugar e no ano passado, em decorrência principalmente dos escândalos da Petrobras e ramificações, caiu sete posições, ficando em 79º lugar.

Essas pesquisas revelam o grau de saturação da população com a corrupção. Significa que o povo ultrapassou o limite do “cansei” e está pronto, preparado, para combatê-la e quem se atrever a apoiar os corruptos.

A corrupção não é nova no mundo. Novo no mundo é a tecnologia que faz com que nada, totalmente nada, fique fora do conhecimento público. Qualquer cidadão hoje carrega uma câmera filmadora no bolso, e a utiliza com a mesma desenvoltura que um cinegrafista fazia no passado. Essa “novidade” não pode ser controlada por poder algum, e os fatos inevitavelmente chegarão ao conhecimento dos cidadãos, mesmo à revelia dos bandidos e seus protetores.

Somado a isso, o instituto da delação premiada passou a ter uso mais intenso no Brasil, desde que Marcos Valério mostrou que, sim, criminosos do colarinho branco também ficam presos.

Aos incautos, que imaginam sempre ter uma brecha para se locupletar, um conselho: não se atrevam!

Aos cupinchas de bandidos que agora preparam uma “reação ao golpismo midiático” e organizam atos em defesa dos bandidos federais: não se atrevam!

Aos oportunistas que costumam se aproximar e aproveitar do poder, lembro que ele é efêmero. Temos diversos exemplos aqui mesmo no nosso Estado. Pra esses também reforço: não se atrevam!

O povo está atento. E mesmo cansado de ver a corrupção, mesmo que não saia às ruas todo dia pra protestar, até por ter que trabalhar, não se enganem. O cidadão está no ponto para fazer o que precisa ser feito para afastar os bandidos dos cofres públicos.

Portanto, não se atrevam!

Adriana Vandoni é economista, especialista em Administração Pública pela FGV/RJ e secretária estadual de Transparência e Combate à Corrupção de Mato Grosso.

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • chico macaco | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 15h11
    2
    0

    chico macaco, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Ademar | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 15h08
    7
    0

    kkkkkkkkkkkk....quer ser vereadora e começou a querer aparecer. Tadinha

  • Fernando Roberto | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 15h07
    0
    6

    Parabéns secretária, continue combatendo a corrupção em nosso estado.

  • PEDRO | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 12h58
    8
    1

    CURRUPÇÃO E VERBA DE r$ 150.000,00 PARA CADA DEPUTADO CONTRATAR PELEGOS, ISSO TUDO COM AVAL DO GOVERNO TAQUES, QUE INCLUI EM SUAS COTAS ATE DEPUTADO DO PMDb ...COM A PALAVRA A SENHORA VANDONI ........EM QUAL COTA ESTA?

  • Eleitor | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 11h59
    12
    1

    Essa ai chorou pra ter um "carguinho" no governo pedro taques corre nos corredores que chegou a ter DEPRESSÃO por conta de achar que seria deixada la no blog de FOFOCA POLITICA agora esta ai vendo que o Gabinete que ganhou de presente e que de resultado é só INCHAR A FOLHA SALARIAL agora ta tentando sair candidata a qq cargo eletivo em cuiabá. PIADA SEM GRAÇA

  • adao | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 11h36
    15
    1

    ADRIANA VANDONI, ESSA AI É UMA PIADA. E UMA PIADA SEM GRAÇA.

  • Angelo | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 10h50
    6
    0

    Por que deletaram meu comentário? O que escrevi de errado? isso é censura ...

  • Evandro Alencastro | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 10h25
    22
    1

    Não se atrevam a usar o dinheiro público para viagens de passeio, não se atrevam a usar carro com motorista pagos com dinheiro público para passear, não se atrevam a arrumar uma boquinha(cabide) pago com dinheiro público, pra ocupar seu tempo.... Uma hora a casa cai!!! * E ainda tem coragem de falar em ética, moral e probidade!!!!

  • Fernando | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 09h47
    4
    19

    Continue assim Adriana! E quando digo Adriana, leia-se governo "Pedro Taques", pois estão no caminho certo. Esses que comentam sobre uso de veículo (direito de alguns componentes do governo) estão com dor de cotovelo e miram no cisco no olho alheio, sem querer olhar para a "trave" nos seus próprios olhos, pois não costumava ver ninguém deles comentando sobre as fraudes, falcatruas, roubalheiras e atividades afins do governo passado. Por que? Por que não se manifestaram antes, com as irregularidades terríveis que havia e agora se doem com coisas e corriqueiras e dentro da lei? Se faziam parte do governo de desmandos e estão sem ter o que fazer, não se atrevam a falar asneiras!!!

  • marcos rocha | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 09h30
    20
    3

    Àqueles que usam carro oficial, consumindo desnecessariamente recursos públicos, quando possuem veículos particulares e perfazem salários, mais do que suficientes, para abastecê-los, eu digo: NÃO SE ATREVAM!

ANÁLISE | 03/02/2016, 12h:55 - Atualizado: 03/02/2016, 13h:03

Silval assina a própria sentença com a mesma caneta dos decretos suspeitos


Chamado no passado recente de municipalista, de emergente e de grande líder político que deixara legado na Grande Cuiabá com as obras da Copa-2014, Silval Barbosa se vê hoje sem amigos e nem aliados políticos e ainda com conta a acertar com a Justiça e com a sociedade.

Antes era cortejado. Agora, nem recebe visita dos tais aliados na cadeia, onde passa dia e noite pensando quando vai conseguir sair dali. Já se vão cinco meses na Casa de Custódia, sabendo que ali por perto, na mesma situação, estão também ex-secretários e o ex-deputado José Riva. E novas ações na Justiça vão transformando-o em réu. Carrega a desmoralização de ter sido carimbado como corrupto. Está morto socialmente.

Fotos: Gilberto Leite/Rdnews

silval barbosa prisao

Ex-governador Silval Barbosa, hoje na cadeia, quando saía do Gaeco, após prestar depoimento na terça

A mesma caneta dos atos e decretos na condução do Estado por cinco anos foi usada por ele próprio para assinar sua sentença condenatória. Sem comando, o ex-governador se cercou de figuras dispostas a roubar o Estado. Trabalharam juntos e misturados. Deixou a máquina virar ilha cercada de grupos políticos sem controle. Tornaram-se cúmplices, formando quadrilha, seja em fraudes para conceder benefícios fiscais a empresas e receber propina, seja em venda ilegal de bens do Estado.

Silval se tornou o único a ocupar cadeira de governador em Mato Grosso a virar presidiário e ainda ter na companhia, em cárcere hoje ou já tendo passado por lá, alguns homens de sua confiança, como os ex-secretários Pedro Nadaf, Marcel de Cursi, Sílvio Correa, Roseli Barbosa, Eder Moraes e ex-diretores, com Afonso Dalberto.

Ele foi garimpeiro antes de tomar gosto pela vida pública. Agora come o pão que o diabo amassou. Paga caro pelas traquinagens feitas com dinheiro público. Certamente, acreditava na impunidade, ainda mais se referindo a uma autoridade cercada e protegida por outras autoridades influentes e que havia passado pelos cargos de prefeito de Matupá, de deputado duas vezes, inclusive de presidente da Assembleia, de vice-governador e depois de chefe do Executivo estadual. A assinatura nas ordens de serviços produziu provas contra si, derrubando-lhe a máscara.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Hans Mayer | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 08h56
    1
    0

    Hans Mayer, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Marcio SEFAZ | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 08h37
    10
    0

    Pra camuflar as mazelas do seu governo, Silval beneficiou algumas categorias do Estado com aumentos vultuosos nos seus salários para se omitirem. Órgãos de deviam apontar irregularidades, não conseguiram impedir a roubalheira. Cadê o TCE, cadê a Auditoria do Estado. Nota zero pra essas instituições. Isso é uma vergonha.

  • juarides silva | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 08h24
    12
    0

    tem que estar preso e jogar as chaves fora par não sair mais, teve tudo para ser o melhor governador de MT e só fez besteiras.

  • Sandra silva | Quarta-Feira, 03 de Fevereiro de 2016, 21h23
    1
    1

    Sandra silva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Homero | Quarta-Feira, 03 de Fevereiro de 2016, 13h59
    10
    6

    Dizer mais o quê ?... MT cresce a olhos vistos, graças, principalmente, à iniciativa privada, com raras exceções de contribuição do poder público. Por isso, MT precisa se livrar de políticos como Silval, Riva e Cia. Ltda para que possa crescer com mais força. Existem ainda alguns políticos, quietinhos, cabeças enterradas na areia, que, por terem imunidade parlamentar, estão escapando (aos olhos do público) de processos, mas eles sabem que Silval e todos os outros também tinham a mesma imunidade, mas a casa ruiu e está prestes a cair, e o mesmo poderá acontecer com eles... Tdos os corruptos de MT não perdem por esperar... Maktub !!!

  • Silva | Quarta-Feira, 03 de Fevereiro de 2016, 13h47
    13
    0

    Será se ele fez tudo sozinho? Quando alguém ocupa um cargo alto na administração pública, por acaso vive e anda sozinho? Cadê aquela multidão de amigos?

  • Dilma | Quarta-Feira, 03 de Fevereiro de 2016, 13h36
    1
    1

    Dilma, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 03/02/2016, 00h:00 - Atualizado: 02/02/2016, 16h:35

Turismo em Mato Grosso

silvio artigo quarta-feira

Silvio Fidelis

Mato Grosso é um estado rico em belezas naturais, isso é notável quando observamos o número de turistas que desembarcam aqui a cada ano  atraídos pelas imensas belezas naturais e a rica biodiversidade de nossos quatro polos turísticos: Pantanal, Amazônia, Cerrado e Araguaia. Aqui bem pertinho de nós, na Baixada Cuiabana, em Várzea Grande, temos a Rota do Peixe, uma opção que guarda tradições da cultura culinária a sete chaves.

No cardápio  dos restaurantes do local, é perceptível o sabor inigualável dos pratos típicos oferecidos para quem passa por lá. A Rota do Peixe é integrada pelas comunidades de Bom Sucesso, Pai André e Passagem da Conceição. Os restaurantes, próximos ao Rio Cuiabá, são abastecidos pelos pescadores que vivem  exclusivamente da pesca local.

Nestas comunidades são servidos  pratos típicos, exemplos da nossa melhor culinária regional, dentre os quais a mojica de pintado, ventrecha de pacu, e a deliciosa piraputanga assada. A tradicional farofa de banana  e o suculento pirão também não faltam na preferência dos visitantes, ávidos em saborear estas delícias. 

Essas peixarias são frequentadas num percurso peculiar e tradicional da região, principalmente em dias em que acontecem as tradicionais festas como: a Festa do Pescador, a Festa do Peixe, Festa de Ceramistas, na Festa de aniversário de Várzea Grande em maio, dentre outras. Por tudo isso, o turismo tem muito espaço para crescer na Rota do Peixe.

Nas comunidades locais, muitos artesãos disponibilizam suas residências para a visitação e comercialização dos produtos por eles produzidos. Isso sem duvida, além de valorizar e fortalecer a cultura e o turismo local fomenta  a economia e gera renda para as famílias destas comunidades.

Outro local que gosto muito é o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Distante apenas 64 km da nossa capital, é conhecido por seus paredões com formações rochosas gigantescas, cachoeiras, cavernas, mirantes e cânions. A localização, no centro geodésico da América do Sul, dá margem a teorias sobre a energia mágica que existe no local, mas nem é preciso ser místico para se deixar envolver pela paisagem exótica do Cerrado.

Acredito que na Chapada dos Guimarães exista uma energia especial que impulsiona os visitantes a sempre querer voltar, e eu sou um deles.  O Morro de São Gerônimo  e sua fantástica vista. A Cachoeira Véu de Noiva, com 80 metros de queda livre das águas impressiona os visitantes. O Mirante e a Salgadeira, ambas, infelizmente, atualmente interditadas para visitação, a Casa de Pedra, tudo realmente é encantador.

Pra quem curte o turismo de aventura, o ponto alto é em Jaciara, a 140 quilômetros de Cuiabá, na calha do Rio São Lourenço. No local se reúnem os fãs de rafting e rapel, praticados no Rio Tenente Amaral e na Cachoeira da Fumaça. A cidade é rica em cachoeiras e rios. Jaciara é sem duvidas outro ponto forte do nosso turismo.  Com uma hidrografia privilegiada, o estado tem na cidade de Nobres, ao norte de Cuiabá, sua porção de águas cristalinas em aquários naturais perfeitos para flutuação: os rios Salobra e Triste.  Um local onde o turismo é forte. Nobres  é mais que bonito, é lindo!

Citei algumas atrações turísticas do nosso Estado por entender que não precisamos ir tão longe para contemplar paisagens belas e degustar comidas maravilhosas. Todas essas riquezas fazem de Mato Grosso uma região exuberante e diferenciada e que oferece opções que vêm atraindo muitas pessoas e impulsionando nossa economia e gerando emprego nos locais.

Ao escrever este texto me reascendeu a chama do orgulho por fazer parte daqui. Não tem como não se encantar com as  nossas belezas naturais. São tantas que não terei como citar todas. Este ano vamos também valorizar o que temos de mais belo em nosso estado: a cultura e o turismo.  Vamos aproveitar pra visitar estes e outros locais da nossa rica biodiversidade natural. Se você ainda não conhece, sinta-se desde já convidado. Conheça as nossas riquezas naturais a partir de agora.  Mas prepare as emoções e as energias. Bem vindo a Mato Grosso.

Silvio Fidelis é subsecretário  de Desenvolvimento Urbano, Econômico e Turismo  de Várzea Grande, professor, mestre e doutor em Educação, escritor e escreve exclusivamente neste Blog toda quarta-feira - e-mail: sa-fidelis@uol.com.br -Instagramsilvioafidelis

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Juca do Pequi | Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2016, 13h30
    0
    0

    Caro Durval de Sá Leal Filho, em Vila Bela não existe nem um banheiro público, não existe um terminal rodoviário, muito menos guias turísticos para explicar sobre sua história e suas riquezas naturais. Infelizmente!

  • DURVAL DE SA LEAL FILHO | Quarta-Feira, 03 de Fevereiro de 2016, 10h51
    1
    0

    COMO AS PESSOAS ESQUECE OU FINGE NAO CONHECER AS BELEZAS E RIQUEZAS NATURAIS DE VILA BELA SS TRINDADE-MT.VALE LEMBRAR A RIQUEZA CULTURAL DO POVO VILABELENSE.

  • valmir molina | Quarta-Feira, 03 de Fevereiro de 2016, 09h28
    0
    0

    Grande professor Silvio Fidélis,infelizmente os secretários de turismo que passaram,nada fizeram para melhorar nossa condição belíssima de Estado do eco turismo.

Alívio | 02/02/2016, 14h:09 - Atualizado: 02/02/2016, 15h:19

TRE inocenta Taques em ação por abuso de poder econômico e compra de votos


Gilberto Leite

taques-coletiva_reforma_paulo_brustolin

Pedro Taques (PSDB) era acusado de cometer crime eleitoral em 2014, quando foi eleito governador

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgou improcedente Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) por abuso do poder econômico e político, além de representação por captação ilícita de sufrágio (compra de votos), movida pela coligação Amor à Nossa Gente, liderada por Lúdio Cabral (PT), contra o governador Pedro Taques (PSDB), o vice Carlos Fávaro (PSD) e o produtor rural Eliseu Zulmar Maggi Scheffer, que é irmão do mega sojicultor Eraí Maggi. A decisão unânime foi proferida na sessão plenária desta terça (2). 

Os fatos teriam ocorrido em 03 de maio de 2014, durante as comemorações do Dia do Trabalhador, no município de União do Sul, na Fazenda Santa Tereza, que pertence a Eliseu Zulmar Maggi Scheffer. Naquele dia, as convenções partidárias que confirmaram Taques e Fávaro, à época no PDT e PP respectivamente, como candidatos ao governo do Estado, sequer tinham sido realizadas.  

.

ludio_L.jpg

Denúncia foi feita por coligação de Lúdio Cabral, que foi derrotado nas urnas

Segundo a denúncia da Coligação Amor à Nossa Gente, Taques discursou no “showmício”, prometendo distribuir os recursos do Fethab aos municípios. Além disso, foi servido churrasco e bebidas gratuitamente aos presentes. 

  Na mesma ocasião, a Coligação Amor à Nossa Gente sustenta  ter ocorrido  a utilização de ônibus escolar da Prefeitura de União do Sul para deslocamento de eleitores à fazenda. Afirma ainda que a PM fez segurança no evento particular.     

O procurador regional eleitoral, Douglas Fernandes, apontou, em seu parecer, que a Secretaria Estadual   de Segurança Pública (Sesp)  confirmou ter recebido solicitação de força policial para as festividades de comemoração ao Dia do Trabalhador e atendeu a demanda.

Do mesmo modo, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de União do Sul esclareceu que o veículo identificado nos autos não foi utilizado para o transporte de pessoas naquela data, ao contrário do que apontava a denúncia. 

Douglas Fernandes pontuou que  o veículo em questão fica estacionado na Fazenda Santa Tereza durante os fins de semana, uma vez que aquele local é o início da linha percorrida, durante a semana, pelo referido ônibus .Assim, no entendimento do Ministério Público Eleitoral, não se constatou a utilização indevida do aparato do Poder Público em prol do então pré-candidato ao Governo Taques.

Voto do Relator

Observados as exposições do Ministério Público Eleitoral, o relator do processo e corregedor do TRE, desembargador Luiz Ferreira da Silva, destacou que a fala de Pedro Taques na festa não teve cunho eleitoral.

“Por segundo, porquanto as brevíssimas palavras proferidas pelo então senador Pedro Taques, transcritas no processo, além de parabenizar os trabalhadores presentes naquela oportunidade, cingiram-se a apontar questões atinentes à União que deveriam ser geridas (v.g. estradas, questão indígena, PEC 215, legislação trabalhista etc.), não havendo: qualquer menção ao processo eleitoral que então se aproximava; referência indireta a eventual candidatura, pedido de voto; exposição de qualidades pessoais; ou quaisquer outras afirmações que denotassem a realização de propaganda antecipada para fins de captação irregular de apoio eleitoral”, pontuou o magistrado em seu voto.

O desembargador  também citou que o evento teve como mote as comemorações relativas ao dia internacional do trabalho, havido dois dias antes, não se podendo, pois, vincular sua realização com o processo eleitoral que ocorreu no segundo semestre daquele ano. Este entendimento foi dado com base em notícias de sites , fotos e os depoimentos das testemunhas indicadas pelo próprio requerente, candidato Lúdio Cabral.

O posicionamento do relator do processo foi seguido por todos os membros do pleno. Em seu voto, o desembargador Luiz Ferreira arguiu que o processo era ausente de comprovação de ostensividade, sistematicidade, potencialidade, abusividade, gravidade ou sequer propaganda eleitoral antecipada, bem como a utilização indevida de bens públicos em relação aos fatos alegados. Assim, não há como se obter a condenação pretendida por abuso de poder político ou econômico.

“Ante a insuficiência de provas ou falta de provas robustas deve-se reconhecer a impossibilidade de comprovação de abuso de poder político ou econômico”, concluiu o relator. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Rumo às eleições | 02/02/2016, 09h:39 - Atualizado: 02/02/2016, 09h:59

PSD tem 13 pré-candidatos no Araguaia


O PSD, maior partido em número de prefeitos em Mato Grosso, decidiu lançar 21 pré-candidaturas ao Executivo na região do Araguaia nas eleições deste ano. O levantamento foi feito durante o fim de semana no primeiro Encontro Regional da sigla nos municípios de Barra do Garças e Porto Alegre do Norte.

Conforme o presidente do partido e vice-governador, Carlos Fávaro, o objetivo é lançar o máximo de candidaturas próprias a prefeito. "Esse partido já é forte e queremos aumentar o número de prefeitos e assim dar sustentação a base do governo. Nos municípios que o PSD não tiver nomes vamos tentar fechar com o PSDB do governador Pedro Taques", garantiu Fávaro.

Assessoria

pre candidatos prefeitos araguaia.jpg

 PSD decide lançar 21 pré-candidaturas a prefeitos na região do Araguaia nas eleições deste ano

Acompanhado dos colegas de partido Eduardo Moura, Layr Mota, do vice-presidente e secretário da sigla, Carlos Novaes e Stephano do Carmo, Fávaro ouviu lideranças de 15 cidades do Araguaia. E em conjunto decidiram os nomes a pré-candidatos. Veja quais são na lista.

Até o momento, somente em três municípios do Araguaia está definido que o PSD indicará um vice, mas em chapa com o PSDB, Confresa, Bom Jesus do Araguaia e Araguaiana.

Dessas 21 pré-candidaturas a prefeito, oito nomes não foram decididos ainda. Assim os municípios que ainda serão definidos por meio acordo e amarrações são Nova Xavantina, São José do Xingu, Cocalinho, Campinápolis, Novo São Joaquim, Ribeirãozinho, Ponte Branca, Ribeirão Cascalheira. (Com Assessoria)

  • Lista dos 13 pré-candidatos a prefeito pelo PSD
  • Água Boa - reeleição prefeito Mauro Rosa (Maurão);
  • Alta Araguaia - vereador Gustavo Melo;
  • Alto da Boa Vista -  ex-prefeito Aldecides de Cirqueira;
  • Araguainha - Silvio José de Morais;
  • Barra do Garças - Ubaldino Resende;
  • Canarana - reeleição Evaldo Diehl.
  • General Carneiro - Joaquim Casa Grande;
  • Novo Santo Antônio - vereador Junior Amorim;
  • Porto Alegre do Norte - reeleição prefeito Emival Gomes de Freitas;
  • Santa Terezinha - Cleoviton Nerys Cota;
  • São Félix do Araguaia - ex-prefeito Filemon Limoeiro;
  • Serra Nova Dourada - Edson Yukio Ogatha (Japonês);
  • Vila Rica - vereador Lázaro Gonçalves da Silva.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • matogrossenseroxo | Terça-Feira, 02 de Fevereiro de 2016, 20h20
    0
    0

    e assim vai um monte de aluno construindo seu rumo pois um bom prefessor tiveram no passado

  • Roberto Alcantara | Terça-Feira, 02 de Fevereiro de 2016, 12h20
    1
    0

    Parabéns pelo belissímo trabalho do grupo.

| 02/02/2016, 07h:41 - Atualizado: 02/02/2016, 08h:30

Mundo perfeito?

Olga_200_fora

Olga Lustosa

No estado de Australia do Sul o investimento na saúde consome 31,5% do orçamento do Estado. Logo após o nascimento, o bebê é inscrito no MediCare, para ter o acesso e atendimento facilitados nos hospitais públicos. O nascimento do bebê deve constar numa central do governo que controla o pagamento da licença maternidade.

O estado, sem distinção de renda, deposita pouco mais de 1 mil dólares, por um período de 18 semanas à família. Isso ocorre porque, na maioria dos casos, as empresas não pagam salário integral às mães durante a licença de seis meses. Preserva-se o emprego por um ano, mas o salário cai ao nível de um salário mínimo por mês. Óbviamente essas condições podem ser negociadas, mas, em geral, é isso o que acontece. 

Pouquíssimos hospitais são privados. O médico não pode cobrar se tiver qualquer vínculo de emprego com o governo, mesmo acompanhando paciente num hospital privado. Meu neto Leonardo nasceu num hospital privado, obstetra particular e pediatra do setor público. O plano de saúde foi acionado para cobrir as despesas do parto e o inesperado nascimento prematuro e duas semanas de UTI neonatal não tiveram custo adicional para os pais.

Uma semana após a alta, a casa é visitada por uma enfermeira, que aqui chamam de Midwives. São especialistas em atendimento pós-parto e trabalham tanto para os médicos quanto para hospitais. Ela supervisiona a cicatrização da cirurgia, pesa, mede o bebê, observa-o sendo amamentado e orienta sobre depressão pós-parto.

Na Austrália cerca de 7 em cada grupo de 10 mulheres sentem-se deprimidas quando retornam para casa com o bebê. Uma situação que preocupa o governo. Tanto que na segunda semana, uma agente de saúde, do governo faz acompanhamento da recuperação da mãe e do bebe. Percebe-se através das perguntas uma outra preocupação, a violência doméstica. Na oportunidade, em tom formal, a agente do governo instrui quanto os endereços das entidades as quais deve-se recorrer em caso de necessidade de auxílio. Ao sair, checa o quarto do bebe.

Grandes hospitais são inúmeros em Adelaide. Entretanto o governo está implantando um novo sistema de saúde, que está gerando críticas por parte dos sindicatos dos serviços da saúde e usuários. O projeto chama-se ¨Transformando a Saúde¨ e inicia com a construção de um mega hospital central, com atendimento ambulatorial contemplando todas as especialidades, centro para atendimento e cirurgias de média e alta complexidade, centro de reabilitação, laboratórios e centro avançado de pesquisas.

Disseram-me que o povo na verdade, não está interessado nesse complexo, cuja intenção do governo trabalhista é tornar a Austrália do Sul numa referencia nacional em saúde pública. Alegam ainda que o suntuoso edificio pode não atender as necessidades dos médicos e enfermeiros e que fizeram a opção por uma obra de arquitetura estética, que será entregue a população até o meio do ano.

Os antigos hospitais serão transformados em centros de atendimentos especializados, de forma que, uma vez acometido de um mal, o paciente sabe exatamente para qual unidade deve se dirigir. Haverá um hospital público para ortopedia, outro para mulheres e crianças, hospital cardíaco, outro para tratar doenças cronicas e outros. Estes hospitais estão sendo redesenhados como ambiente para cuidar de pessoas em condições de saúde complexase cronicas.

Explorando o contaditório, percebe-se que este país moderno ignora completamente os 3% da população de origem aborígene. São negligenciados pelos governos, possuem baixa escolaridade, vivem em precária condição de saúde e em estado de pobreza, longe desse mundo aparentemente perfeito.

De Adelaide, Austrália.   

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

INíCIO
ANTERIOR
1 de 709