Cuiabá, 06 de Dezembro de 2016
  • Alexandra Lopes

    Alexandra Lopes

  • Bárbara Sá

    Bárbara Sá

  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Eduarda Fernandes

    Eduarda Fernandes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Julia Munhoz

    Julia Munhoz

  • Lana Motta

    Lana Motta

  • Lídice Lannes

    Lídice Lannes

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Rodivaldo Ribeiro

    Rodivaldo Ribeiro

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

TRANSPORTE | 09/09/2011, 17h:50 - Atualizado: 09/09/2011, 18h:32

Empreiteiras aceleram obras na BR-163 para integrar os Estados

    Em meio às negociações para a viabilização da ferrovia Cuiabá-Santarém, o governador Silval Barbosa (PMDB) vistoriou as obras de duplicação e pavimentação da BR-163, no trecho entre a Capital mato-grossense e o município do Pará, conhecido também como a Rota da Integração.

     A expectativa é que tudo seja concluído até o final do próximo ano, criando, enfim, um caminho adequado para a escoação da produção de Mato Grosso, em especial das cidades do Nortão.

     A rota é tida como a mais viável logisticamente porque permite a redução de custos tanto no trecho terrestre, como marítimo. Para se ter uma ideia, de Lucas do Rio Verde até Santarém são percorridos 1,4 mil quilômetros, enquanto até Santos são mais de 2 mil. Já no caminho feito pelos navios a economia é de pelo menos 5 mil milhas, proporcionando uma economia de 30%.

     São mais de 700 quilômetros sem pavimentação, mas as empreiteiras trabalham a todo vapor e é possível ver intervenções em vários trechos da rodovia. A ideia é que a via facilite o escoamento das mais de 34 mil toneladas de grãos produzidas por ano.

     Em meio aos debates sobre a ferrovia Cuiabá-Santarém, por diversas vezes Silval fez questão de frisar que as obras vão ser tocadas até o final. “O governo federal disse que pode faltar dinheiro para tudo, menos para finalizar a BR-163”, garantiu o peemedebista.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • jarbas theodoro mastella | Domingo, 17 de Maio de 2015, 13h41
    1
    0

    o centro oeste é um paraiso,tanto que meu primogenito nasçeu nele.é meu sonho trabalhar na br 163.se alguem tiver um contato de alguma empresa envolvida nessa obra me informe ,sou tec.de segurança de trabalho e enc de produçao.obrigado.

| 06/12/2016, 00h:58 - Atualizado: 01h atrás

De cabeça para baixo

Rui Perdigao artigo 400

Rui Perdigão

Quando alguém pensa que nada pode ficar mais complicado ou chega a um momento que tudo lhe parece fazer sentido, eis que mais rochas se soltam e rolam montanha abaixo. Nesse sobressalto em que todos correm, cada um para seu lado, o Poder Judiciário busca legislar numa pseudo iniciativa popular e manifesta-se não só pré-disposto a paralisar se insatisfeito com o andamento do processo, como também se mostra renitente em alterar a prática de aposentadoria compulsória, com todas as mordomias, quando confirmadas gravíssimas irregularidades no exercício das suas funções.

Por sua vez, o Poder Legislativo legisla a um ritmo vertiginoso com oportunas sessões noturnas proponentes de leis que, isentas de discussão eleitoral ou plenária, visam uma vez mais abrir brechas para refugio das responsabilidades criminais ou morais dos eleitos. Um autêntico e viscoso baile de máscaras onde as personagens são a camuflagem do momento, profundamente incoerente e vazia de conteúdo sério.

Já o Poder Executivo descumpre regularmente com a sua função revelando total incapacidade de governar o seu povo e avança consistentemente para calamidades financeiras, para o aprofundamento das desigualdades sociais e desmonte da administração pública. Orçamentos e licitações são peças virtuais, invariáveis a cada exercício.

A estes Poderes junta-se de cabeça baixa a comunicação social que todos os dias perde a pauta da imparcialidade e materializa a construção de partes muito concretas. Entidades de regulação e fiscalização também elas perdem a cabeça com oportunas trocas de favores, assim como instituições de prevenção e segurança pública se prendem com compadrios e vinganças de sangue.

A academia, transmissora de saber, aos poucos vai ficando à beira da omissão de liberdade e contemporaneidade. O poder econômico e financeiro segue perdidamente o lucro inquestionável, distribuindo os maiores venenos à sociedade. Os sindicatos aparelham-se a jeito de ficarem falando consigo mesmos e as igrejas anunciando a palavra divina avolumam riquezas terrenas longe de qualquer salvação.

A ideia de que tudo isto são pequenos e pontuais desvios de percurso é um erro fatal que esconde a verdadeira dimensão dos golpes proferidos na essência das instituições. Desvirtuam-se por completo as suas missões e a realidade do país apresenta-se crua e dura.

Mas existem cabeças que não têm tempo a perder com devaneios. Cabeças que em condições desfavoráveis imperativamente precisam cuidar das suas crianças, dos seus velhos e enfermos e ir trabalhar dia após dia se a saúde e a idade o permitir. Atormentadas, dormentes, estas cabeças aguentam, aguentam e vão aguentando até que um elo se feche e una todas as indignações.

Desenganem-se aqueles que acreditam que a luta contra a corrupção será o elo, não é, pois por muito ambíguo que possa parecer a corrupção une e desune. A verdadeira luta é uns furos mais acima. É contra a ausência de dignidade humana e mais uma vez a história nos ensina que sem ela muitas cabeças podem também se perder nas guilhotinas da revolta.

Rui Perdigão é administrador, consultor e presidente da Associação Cultural Portugueses de Mato Grosso

Postar um novo comentário

| 06/12/2016, 00h:00 - Atualizado: 08h atrás

Distrações

Olga_200_fora

Olga Lustosa

Dias atrás eu escrevi: “Já é dezembro”, depois repreendi a mim mesma entendendo ser falha grave não haver percebido o passar do tempo. Onde andei tão distraída? O que ocupou-me de tal forma a mente, que segui os dias sem reparar-lhes? Nunca mais há de ser assim. Nunca mais hei de espantar-me com o passar do tempo, com a natural chegada de dezembro.

Por mais que a vida seja imprevisível, que o caos seja registrado em quase todas as partes, por mais que tenhamos sido remetidos a viver emoções variadas, em estados mentais extremamente desafiadores, o passar do tempo, porém, não pode ser furtivo, tampouco a mente pode estar tão absorta em devaneios ou realidades que prendem e cegam. Um dia após o outro, as velas precisam ser ajustadas, para que o barco siga em paz e não seja vitimado pelas inesperadas turbulências das águas.

Dezembro chega sob o medo ou tristeza, frustração, firmeza, quietude interior, almas restauradas, assim como sentimentos que vem e passam, instabilidade, impermanência.E não é hora de sentar-me confortável entre cânticos e decorações para inventariar perdas e ganhos. Um ano é um tempo tão longo para ser mensurado apenas por ações concretas. E o quanto sonhei? E o rosário que desfiei pela paz, pela liberdade, pela natureza, pela segurança, por melhor salário, pela saúde, pelo fim da corrupção, pela defesa dos valores que acredito?

Dezembro chega sem assombros. Traidores, infiéis, delatores, semi deuses, anjos, arcanjos também sobrevivem o passar do ano. Assim, como restos a pagar, passam de um ano para outro, sorrateiros, vaidosos, inflados por um ego implacável. De janeiro a dezembro fomos atraídos para debates intensos, onde tivemos que nos valer da liberdade de escolher, de criticar, omitir, esconder, votar e eleger. 

Um ano onde a palavra democracia e liberdade foram exaustivamente usadas, manipuladas e até mal tratadas. Impeachment, governo novo, cassação, eleição roubaram nossas atenções, limitaram a percepção de que fomos vendados e arrastados por caminhos que bem conhecemos. Não há grandes novidades nesse e o cansaço toma conta de quem viveu o ano, mesmo não estando intensamente atenta ao passar dos dias.

O descuido e distração, pelos quais culpei-meinicialmente podem tersalvado-me de enveredar por atritos desnecessários, concessões indesejadas, para sanar minhas próprias necessidades.Se falei demais, devo ter falhado no ato de ouvir, mas não quis percorrer segura o caminho do meio. Levei em consideração muitas ideias contraproducentes, inacabadas, mas quis discernir o que aceito e o rejeito, em termos éticos.

O texto é sobre não deixar-se distrair por paixões ou emoções, não apegar-se a um viver carregado de rotina que atrapalha perceber o passar dos dias. Sim, chegou dezembro! Como todos, comprei coisas que não usei, culpei-me por não estar constantemente com amigos que verdadeiramente amo. Interrompi muito do meu viver, com imagens, mensagens, superficialidades. Esse tempo não recupero mais!

 Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com  

Postar um novo comentário

Novo ICMs | 05/12/2016, 14h:52 - Atualizado: 05/12/2016, 15h:02

Dilmar se articula para aprovar reforma em duas semanas e não descarta decreto


Gilberto Leite

Dilmar Dal Bosco

Líder do Governo, deputado Dilmar considera plausível, se necessário, implementar a reforma por meio de decreto, uma vez que as leis podem ser feitas pelo governador sem tramitar na Assembleia

O líder do governo na Assembleia, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), espera que até a próxima semana o projeto da reforma tributária seja aprovado em primeira votação. “Vamos conversar com os deputados. O governo precisa arrecadar, não tem outro caminho”, explica o parlamentar ao .

Enquanto Dilmar busca celeridade na aprovação, há um movimento de deputados da oposição que prometem travar o projeto para melhor discutí-lo. Na audiência realizada na última terça (29), Valdir Barranco (PT) pediu que a reforma fosse votada apenas no ano que vem. Caso isso ocorra, a nova lei fiscal só entrará em vigor no início de 2018, pois só pode ter validade no ano seguinte.

Apesar de buscar entendimento com os colegas, segundo o democrata, é provável que haja pedido de vista nas Comissões de Fiscalização e Constituição e Justiça (CCJ), locais por onde tramita o projeto, antes de ser deliberado ao Plenário. “Os deputados podem fazer quatro pedidos de vista e eles estão no direito”, explica.

Em resposta às investidas dos opositores, o governo não descarta fazer a reforma tributária por meio de decretos. Dilmar avalia que é plausível, uma vez que as leis podem ser feitas pelo governador sem tramitar na Assembleia. “O governo precisa tomar uma atitude sobre arrecadação”, salienta.

De todo modo, Dilmar acredita que a nova minuta da reforma, encaminhada à federação do setor empresarial, conselhos de contabilidade e administração, poderá dar celeridade no trâmite. No entanto, o parlamentar não descartou inserir emendas que sejam sugeridas, “ou até mesmo fazer um substitutivo integral”, ressalta.

Reforma Tributária

O projeto prevê a unificação das alíquotas no Estado criando três faixas de cobrança, uma para cada eixo de arrecadação. A justificativa é que a nova lei traria isonomia aos contribuintes. O governo garante que a nova proposta não irá gerar aumento nos tributos pagos pelos segmentos econômicos.  Segundo o Estado, a reforma tributária trará isonomia para as empresas, já que as tributações de ICMS flutuam entre 2,5% até 25%. 

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio-MT), por exemplo, disse ser contrária à reforma caso ela eleve impostos que incidem sobre o setor comercial.

Postar um novo comentário

| 05/12/2016, 10h:01 - Atualizado: 05/12/2016, 11h:15

Cotado para ir ao Senado, Fávaro expõe apoio a Jayme para concorrer ao cargo


de Sinop

Com o nome cotado para disputar uma das vagas ao Senado em 2018, Jayme Campos (DEM) parece já contar com aval não só do partido. O presidente estadual do PSD e vice-governador, Carlos Fávaro, que também foi provocado por correligionários para a disputa, limitou-se a dizer que o líder democrata tem seu apoio para o próximo pleito. “Jayme Campos tem meu apoio”.

Fávaro foi apontado como principal opção do partido para disputar o Senado. Cogitado pelo deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), o líder da sigla acredita que ainda é muito cedo para definir os quadros de 2018.

Gilberto Leite/Rdnews

lucimar_maluf4.jpg

Jayme Campos disputa ao Senado em 2018, cargo que ocupou até 2014, quando não foi à reeleição

Segundo o vice-governador, o resultado das eleições deste ano fortaleceu o partido. Um dos exemplos citados por Fávaro é o do empresário Roberto Dorner (PSD), que mesmo tendo sido derrotado em Sinop, deve disputar o próximo pleito.

“A eleição acabou e seu Roberto Dorner é uma grande liderança, tem potencial político muito forte e o partido conta com ele para as eleições de 2018. Vamos debater com ele qual o melhor projeto pra ele e para o partido, para ele disputar as eleições 2018 com nosso apoio”.

Eleições Municipais

O PSD elegeu 40 representantes na majoritária, sendo 24 prefeitos e 16 vice-prefeitos. Além disso, a sigla fez os vereadores mais bem votados do Estado. Com Toninho de Souza, em Cuiabá e Jânio Calistro, em Várzea Grande.

No total, o PSD reelegeu 10 prefeitos, sendo 14 novos nomes que estarão a frente das prefeituras entre 2017 a 2020. Entre os reeleitos está o prefeito de Àgua Boa Mauro Rosa, o Maurão, e entre os novos nomes o empresário Luiz Binotti, em Lucas do Rio Verde.

Fabris lança Fávaro para o Senado em 2018 com Jayme na 1ª suplência

Postar um novo comentário

| 05/12/2016, 00h:00 - Atualizado: 04/12/2016, 17h:26

Novo defensor-geral

Sandra Alves articulista texto e capa

Sandra Alves

O defensor Silvio Jeferson Santana irá comandar a Instituição a partir de 2 de janeiro do próximo ano. O governador Pedro Taques confirmou a escolha do novo defensor público-geral no dia 1º deste mês para exercício no próximo biênio (2017/2019).

Silvio foi o mais votado na eleição realizada em 11 de novembro, recebendo 98 votos dos 167 que votaram para defensor público-geral e conselheiros. 

Silvio é defensor desde fevereiro de 1999, iniciou suas atividades em Várzea Grande, atuando na 3ª Vara Criminal (entorpecentes, crimes contra os costumes e delitos de trânsito). Promovido por antiguidade a Defensor Público de Segunda instância em abril de 2004, foi o primeiro corregedor-geral-adjunto, função que exerceu até 2006. 

O novo defensor-geral têm larga experiência na Administração Superior. Convidado para o cargo de subdefensor em três gestões (2009-2010, 2013-2014, 2015-2016) e eleito conselheiro (2011-2012), participou de diversas atividades e decisões na Instituição, além de comissões, dentre as quais se destacam as dos dois últimos concursos para defensor (2010 e 2016) e a que apresentou projeto de lei que atualizou a LCE 146/2003. 

Em seu plano de gestão, no período eleitoral, Silvio apresentou um conjunto de ações divididas em seis eixos estratégicos: aperfeiçoamento da gestão; infraestrutura e modernização; transparência e democratização; humanização; valorização e fortalecimento de defensores, servidores e estagiários; atuação político-institucional e financiamento da Defensoria Pública.

A mensagem final do plano de gestão apresentado dispõe que a gestão se propõe a conjugar a administração de curto prazo e o atendimento das necessidades da Instituição e da sociedade com o planejamento e a construção do futuro da Defensoria Pública. E ainda, que é preciso estar consciente de aperfeiçoamentos e atualizações devem ser efetuadas, dentro de uma lógica de excelência dos serviços públicos e de metas realistas. 

Em sua primeira manifestação após a confirmação de seu nome para o cargo, Silvio disse que pretende dar continuidade ao plano de gestão da Defensoria. “Nosso programa foi apresentado à classe, que optou por minha candidatura, encabeçando a lista tríplice encaminhada ao governador. Agora esperamos muito trabalho pela frente, não só em prol de nossos assistidos, como também dos Defensores Públicos e servidores”, disse.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Valentino Deungaro sinop mt | Segunda-Feira, 05 de Dezembro de 2016, 07h47
    0
    0

    OS DEPUTADOS FEDERAIS DE MATO GROSSO QUE VOTARAM ESTABELECENDOS PUNIÇÕES A JUIZES PROMOTORES E AUTORIDADES EM GERAL DEVERAM TER DIFICULDADE PARA SE ELEGER EM 2018 POR QUE ESTE PROJETO FACILITA AINDA MAIS A CORRUPÇÃO. O ELEITOR DE MATO GROSSO VAI VER QUE ELES TEM INTERECE QUE AS AUTORIDADES TENHA MENOS PODER DE PUNIR.

avaliação | 04/12/2016, 10h:22 - Atualizado: 04/12/2016, 10h:27

Ex-líder da Gestão Silval, Romoaldo aponta erros em governador como antecessor


Líder no Governo Silval Barbosa (PMDB) por três anos, o deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB), afirma que o governador Pedro Taques (PSDB) comete o mesmo erro do peemedebista. “Peca no relacionamento dos secretários com os deputados”, explica.

Romoaldo refere-se ao não atendimento das emendas dos colegas. Segundo ele, os parlamentares são cobrados quando vão às bases eleitorais em razão de recursos para aquisição de ambulância, construção de posto de saúde, ou reforma de quadra de esporte e estrada. “Quando o Estado não faz isso, o parlamentar fica desmotivado e, muitas vezes, contrariado com as orientações do líder”, pontua.

Reprodução

romoaldo_1.jpg

Deputado Romoaldo, ex-líder da Gestão Silval, diz que Taques comete mesmo erro que peemedebista

Para o peemedebista, o papel do líder no Legislativo é fundamental para atender as demandas do Parlamento. Avalia a função desempenhada por Dilmar Dal Bosco (DEM) na gestão tucana como parceiro dos deputados. “Esperamos que o governo, com toda essa crise que está instalada, consiga efetivar as emendas que estão bastante atrasadas. Não vai existir líder bom, não é aqui na Assembleia e no país, se não atender as demandas parlamentares”.

Em 2013, após ficar três anos na liderança do governo Silval, Romoaldo “pediu o boné” em razão de atritos entre deputados e secretários, o mesmo que ocorre na gestão tucana. À época, segundo ele, a situação ficou insustentável porque não encontrou no ex-chefe da Casa Civil Pedro Nadaf a mesma empatia dos antecessores Eder Moraes e José Lacerda. A “gota d'água” teria sido o esforço para aprovar a autorização do empréstimo de R$ 120 milhões para investir na Arena Pantanal.

Com a saída de Romoaldo, o ex-deputado por cinco mandatos Jota Barreto foi escolhido. Barreto teve a missão de colocar panos frios na relação entre deputados e secretários.

Romoaldo considera frustrante o governo anunciar a liberação de emendas e depois não cumprí-las. O constrangimento, conforme o deputado, é depois as pessoas o cobrarem acerca da promessa que havia feito, como uma ambulância para o Hospital do Câncer, sendo uma para Guarantã do Norte e uma ao Hospital Geral Universitário (HGU). “Essas emendas são fundamentais para quem trabalha na área de saúde, e recuperação de dependentes químicos. O não pagamento de emenda na dependência química impossibilita você tirar as pessoas da rua. Impossibilita um tratamento”.

De todo modo, o peemedebista acredita que o governo vem tentando melhorar a relação entre os Poderes Executivo e Legislativo. “Muitas vezes ele (Taques) errou por inexperiência, teimosia. A gente vê agora, depois da eleição de Cuiabá, acho que o governo levou susto, e está se recompondo, buscando entendimento entre os Poderes no sentido de acertar. Vi uma mudança de postura após a derrota, acendeu a luz vermelha, ou mudamos ou 2018 não vai ter (reeleição),” considera.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • EUCHARIA DANIEL | Segunda-Feira, 05 de Dezembro de 2016, 10h36
    0
    0

    Você foi rejeitado por bancos e outras instituições financeiras? Você precisa de um empréstimo de consolidação ou uma hipoteca? Não procure mais porque estamos aqui para fazer todos os seus problemas financeiros uma coisa do passado. Nós emprestamos fundos para indivíduos e empresas que necessitam de assistência financeira à taxa de 2%. Nenhum número de segurança social exigido e nenhuma verificação de crédito necessária, 100% garantido. Quero usar este meio para informá-lo de que prestamos assistência confiável e beneficiária e teremos prazer em lhe oferecer um empréstimo. Envie-nos um email hoje em: (euchariadanielloanfirm@gmail.com) para aplicar agora para um empréstimo.

  • Valentino Deungaro sinop mt | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 19h46
    1
    4

    SILVAL BARBOSA, FOI O PIOR GOVERNADOR, E O MAIS CORRUPTO QUE MATO GROSSO JÁ TEVE,DESDE A SUA CRIAÇÃO EM 1748 , PORTANTO A 268 ANOS CORRE O RISCO DO DR PEDRO TAQUES SER O SEGUNDO PIOR DEVIDO A CRIS ECONOMICA, O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DEVERA FECHAR 7 COMARCAS NO ESTADO, COMARCAS CRIADAS A 35 A 4O ANOS ATRAS, O ESTADO ESTA TOTALMENTE QUEBRADO. ESTA FALTANDO RECURSOS ATE PARA PAGAR OS SERVIDORES.DO JUDICIARIO.

  • Valentino Deungaro sinop mt | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 13h26
    5
    1

    SR GOVERNADOR PEDRO TEQUES A ERA DO DITADOR POLITICO, JÁ SE PASSOU A MUITO TEMPO AGORA O QUE VALE É A DEMOCRACIA;

  • Carlos Nunes | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 11h37
    4
    0

    Não dá nem pra gente avaliar os erros do governo do Taques, porque parece que ele tem duas faces: 1) uma hora parece que não tem dinheiro pra nada, não paga RGA, não repassa para os Poderes, nem pra os Hospitais Filantrópicos, fica parecendo que está numa pindaíba financeira - pode ser até verdade, pois já vivemos na época das vacas magras, do dinheiro curto. 2) outra hora parece que está nadando em dinheiro, e até pode retomar a obra fracassada do VLT, onde vai começar emprestando MILHÕES, depois que a cidade estiver toda aberta, esses MILHÕES viram BILHÃO. O Dr. Ruy Ohtake, especialista em VLT, percorreu todo o trecho do VLT, e disse: para fazer a Obra BEM FEITA, vai demorar mais de 4 anos. Obra BEM FEITA custa caro, é demorada, e é difícil de fazer. Só obra marca vote custa barato, é rapidinha; igual a ciclovia do Rio, que não aguentou uma ondinha do mar, e despencou, matando dois brasileiros. Abrir uma cidade não é brincadeira, é coisa séria. Depois que a cidade estiver toda aberta, o dinheiro vai ter que aparecer NA MARRA, seja quanto for (Milhão ou Bilhão) senão vai ser o maior fiasco nacional. Vão dizer: os bobós cheira-cheira já foram tapeados uma vez, quando o Silval aparecia na TV, dizendo: podem deixar que, com 1 Bilhão e 400 Milhões, termino a obra ANTES da Copa começar. Agora estão sendo tapeados outra vez? Estão dizendo que, com 600 Milhões fazem a obra. Gastam 600 Milhões agora, e o próximo governador, a partir de 2019, vai ter que gastar mais 600 Milhões...vai dar 1 Bilhão e 200 Milhões. MT tem 141 municípios, onde será que esse dinheirão vai fazer uma falta danada.

| 04/12/2016, 08h:58 - Atualizado: 04/12/2016, 09h:09

Crianças sustentáveis na era consumista

marcela prado 400 artigo

Marcela Prado

A vida é mesmo um ciclo. Nossos pais eram crianças não consumistas, nossa geração inaugurou a era do consumo, que chegou ao ápice agora, com nossos filhos e estamos tentando reverter essa situação, com a inclusão da sustentabilidade no mundo infantil.

Não precisamos ir muito longe. As crianças do século XX tinham suas roupas feitas pelas mães e usadas até virarem trapos, os brinquedos eram, na sua maioria, artesanais. Era a época dos carrinhos de madeira, bilboquê, pião, bonecas de pano, bola de meia, bola de gude, dos vestidos de algodão, dos calçados ortopédicos, enfim, de coisas que a infância acabava e eles não, eram repassados para amigos, primos, e faziam a alegria de alguém novamente.

Já no século XXI, as crianças se tornaram mais consumistas do que os próprios pais. As propagandas passaram a ter como público-alvo o infantil, que, com os pais cada vez mais ausentes em virtudes de trabalho, faculdade e outros compromissos, procuraram supri-la com os brinquedos da moda, deixando de perceber, o quão eles eram descartáveis e seu filhos também estavam ficando.

Até que pouco tempo atrás, estamos falando de, no máximo, três anos, percebemos como estamos criando nossos filhos cada vez com menos consciência ambiental e resolvemos "voltar ao que era antes".

Podemos observar hoje que na mesma loja de brinquedos onde encontramos o vídeo game da última geração ou a boneca que lembra perfeitamente um bebê de verdade, fazendo inclusive que tenhamos que cuidar da sua higiene, temos como opção caminhões de madeira, ábacos, quadro para brincar de escolinha, o antigo pião...

O que aconteceu? O excesso do descartável fez com que acordássemos e percebêssemos o quão ricas estão as empresas deste ramo e fomos nós que proporcinamos isso, o quão insatisfeitos e intolerantes começaram a se tornar nossos pequenos filhos, pois o “ter” se tornou mais importante do que o “ser” desde as mais tenras idades, o “eu quero”, “compra pra mim” desenfreado precisava de um basta diante de tamanho desperdício de objetos e infância.

Descobrimos que é possível ter uma criança sustentável na era consumista, explicando que ela pode ter um brinquedo que não passa na propaganda, porém dura mais; que aquela roupinha ou o sapato podem ser usados em mais de uma festa sem problemas; que ela também tem o dever de cuidar do meio ambiente e produzindo menos lixo ela estará ajudando bastante.

O importante é que cada vez mais tentemos demonstrar às nossas crianças que o consumo irresponsável, não importa de qual produto, resultará em uma agressão ao meio ambiente, aí sim, estaremos criando cidadãos sustentáveis.

Marcela Prado é especialista em Direito Ambiental Urbano, em Direito Processual Civil e Difusos e Coletivos, bacharel em Direito e Tecnóloga em Gestão no Serviço Público - email: marcelaprado1979@gmail.com

Postar um novo comentário

| 04/12/2016, 00h:00 - Atualizado: 03/12/2016, 10h:50

Igor Queiroz: um orgulho!

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Uma das vantagens de escrever semanalmente artigos para este site é ter a oportunidade de conhecer histórias absolutamente surpreendentes. Sempre encontro alguém que sugere um assunto, ou que me apresenta a pessoas que contribuem para a sociedade de forma positiva ou que está indignada com alguma situação que geralmente está relacionada à saúde pública, que é a minha área de atuação. É um privilégio.

Esta semana, através de um querido amigo de décadas, tive acesso à trajetória de Igor Queiróz. Campeão da terceira etapa do Torneio da Juventude em Natal/RN, seletiva para as Olimpiadas da Juventude de 2018.

Primeiro lugar no ranking brasileiro de Luta Olímpica Estilo Livre até 76 kg, com 20 pontos à frente do seu adversário. Titular da Seleção Brasileira de Luta Olímpica Estilo Livre até 76 kg. Convocado para um treinamento internacional e um torneio na Argentina de 11 à 19 de dezembro do corrente ano.

Este jovem atleta, embora tenha obtido sucesso nas competições sofre com a falta de patrocínio. Todos sabemos que o custeio de uma modalidade esportiva não é barato. Quando viaja, por exemplo, paga as suas passagens aéreas do seu próprio bolso. Os seus pais fazem o possível e o impossível para que ele possa ascender em sua carreira de atleta, mas nem sempre os recursos são suficientes. 

Um competidor do seu nível necessita de passagens aéreas, hospedagem nas competições fora da cidade de residência, além de suplementos alimentares, suporte médico e fisioterapeutico, equipamentos e local para o treino, e não tem apoiadores ou patrocinadores. É triste. 

O fato que mais me tocou foi o relato de um acontecimento no mínimo estarrecedor: certa vez Igor não tinha as sapatilhas adequadas, os seus adversários emprestaram para que ele pudesse competir, e como forma de agradecimento a delegação de Mato Grosso comprou alimentação a mais (marmitex) para dividir com os atletas presentes. 

Trata-se de um jovem de 15 anos, absolutamente talentoso no esporte que escolheu, orgulho da sua cidade, e que não tem amparo. Pratica a sua modalidade com recursos próprios. Apesar de ter direito ao bolsa atleta não recebe o recurso há dois anos. 

Nesta situação, sinto-me completamente sensibilizada e à vontade para pedir que os empresários olhem com bons olhos este nosso atleta, e que se prontifiquem a ajuda-lo. 

Em suas redes sociais vi um recado do seu pai, que aqui cabe perfeitamente: tenha fé e mantenha-se firme. Isso mesmo Igor! Treine, treine, treine...Dedique-se ao máximo.

Seja o melhor em sua modalidade. Mantenha-se focado no seu objetivo. Os louros serão colhidos por mérito próprio, você verá. O seu nome já está gravado na história do esporte do nosso Estado.

E eu que nem sabia que Cuiabá tinha atletas que praticavam Luta Olimpica... Sou grata às belas oportunidades que a vida me proporciona!

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, mestre em Saúde Coletiva, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • iori | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 15h08
    1
    0

    Parabens Igor Queiroz! Otima materia. Oxala que nossos governantes atentem e ajudem nossos jovens. Vamos propor um programa AJUDA SOLIDARIA! Nao podemos esquecer do grande incentivador e grande luta do Pablo Queiroz, lideranca no Tijucal.

  • Waldeir | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 13h10
    1
    0

    Esta é UMA OPORTUNIDADE PARA O GOVERNO DE MATO GROSSO AGIR E AJUDAR AS NOSSAS CRIANÇAS A SEREM MAIS QUE VENCEDORES... CUMPRA A LEI CF/88 E BEM COMO O ECA/90. DÊ APOIO PARA O NOSSO FUTURO DE BRASIL E MATO GROSSO... ACORDA GOVERNO DE MATO GROSSO... ACORDA SOCIEDADE E VAMOS COBRAR O QUE É NOSSO DE DIREITO...

| 03/12/2016, 09h:53 - Atualizado: 04/12/2016, 10h:30

Wilson tem 2ª chance de retomar obra do rodoanel; secretário afirma ser prioridade


O secretário estadual de Cidades (Secid), Wilson Santos (PSDB), tem a segunda chance de trabalhar pela retomada da obra do Rodoanel, lançada em sua gestão enquanto prefeito de Cuiabá. “Me sinto obrigado, não digo de terminar, mas retomá-la será importante. Vamos acompanhar de perto isso”, explica, referindo-se que a execução ficará a cargo da secretaria de Infraesturtura (Sinfra).

A obra do Rodoanel lançada há 10 anos como uma das soluções para aliviar o tráfego pesado em Cuiabá e Várzea Grande, foi paralisada devido a suspeita de rombo de R$ 9 milhões. Na administração Chico Galindo (PTB) a obra ficou a cargo do Dnit para que o município não ficasse com o nome no Cadin, o que impossibilitaria o recebimento de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Por fim, foi celebrada uma parceria com o governo estadual, que não conseguiu dar início aos trabalhos ainda na administração Silval Barbosa (PMDB).

GcomMT/Maria Anffe

wilson santos em coletiva de imprensa vlt.jpg

    O secretário da Secid, Wilson Santos afirma que entre as prioridades está a retomada do rodoanel

Wilson lembra que idealizou, planejou e executou 8,5 km da obra, e de 3 a 4 km sendo tocada em parte. O rodoanel rendeu ao tucano ações da Justiça por suspeita de improbidade administrativa. Na eleição deste ano, inclusive, o caso foi usado bastante pelo adversário vitorioso Emanuel Pinheiro (PMDB).

O projeto compreende todo o Contorno Norte de Cuiabá/Várzea Grande, BR-163, tendo 52 Km de extensão. Com o término da construção do Rodoanel, o tráfego pesado e intenso das rodovias será desviado da região central de Cuiabá e Várzea Grande, permitindo a redução do tempo de viagem, de custos de manutenção e operação dos veículos, além de proporcionar condições satisfatórias à segurança dos motoristas e pedestres.

A gestão Pedro Taques (PSDB) lançou licitação para contratação da empresa que será responsável pela obra. Segundo o secretário da Sinfra, Marcelo Duarte, serão necessários R$ 700 milhões para conclusão da obra. O montante é 100% maior do que o previsto inicialmente, equivalente a R$ 350 milhões.

Interior

Outra prioridade na gestão do tucano na Secid, que tem prazo de validade, até março de 2018, quando deixa a pasta para concorrer à reeleição, é terminar as obras que a secretaria possui com os municípios, como pavimentação asfáltica, água, esgoto, e drenagem, por exemplo.

O deputado licenciado espera contar com ajuda dos colegas e dos parlamentares do Congresso Nacional para encaminharem emendas para a secretaria. Conforme Wilson, as emendas de 2015 e 2016, da Câmara e Senado, somam R$ 13 milhões.

À nível estadual existe um movimento, liderado pelo deputado Zé Domingos Fraga (PSD), para que 50% da emenda seja destinada à pasta, cerca de R$ 2,5 milhões por parlamentar. Wilson apoia a ideia e acredita que com essa parceria poderá concluir várias obras do interior. “Serão tratadas com prioridades, tenho recebido deputados de todos partidos, bem como prefeitos. Então emendas receberão tratamento prioritário”, explica. 

As obras iniciadas por meio de emendas são reivindicações que fizeram com que, dentre outros motivos, o ex-secretário da Secid Eduardo Chiletto deixasse a pasta. Os deputados reclamavam que as demandas não eram atendidas. Por isso, Wilson afirma que faz questão de atendê-los.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Carlos Nunes | Sábado, 03 de Dezembro de 2016, 11h57
    2
    0

    Depois que o Riva e o Guizardi abriram o bico, e fizeram a delação premiada, apontando diversos lobos em pele de cordeiro...precisaria tomar uma decisão URGENTE URGENTÍSSIMA no Brasil inteiro, e especialmente em MT. Colocar o Exército Brasileiro para tomar conta de todas as Concorrências Públicas e Licitações do país e do estado. O ralo da Corrupção, sem dúvida alguma, é por aí. Fechou o ralo, a Corrupção diminuiu uns 90%. Nesta matéria diz: a obra do Rodoanel foi paralisada devido a suspeita de rombo de R$ 9 Milhões. Mais uma? Em quantas mais tem ralo da Corrupção? Olha que o Riva só contou uns 20% do que ele realmente sabe; o que vai acontecer quando ele contar 50%; e 80%? Pois é, é nas Concorrências Públicas e Licitações que tudo de sacanagem acontece, ou não?

| 03/12/2016, 08h:10 - Atualizado: 03/12/2016, 09h:22

Sou gay?

 

akio materia estreia colunista

   Akio Maluf Sasaki

Você pode até não ser, eu posso não ser, mas muitos jovens se deparam com esta pergunta todos os dias e não sabem o que fazer. Tal dúvida costuma afastar o jovem da família, dos amigos e até mesmo dos professores, infelizmente, mas é possível mudar este cenário.

Por ser um dos maiores tabus dentro do ensino fundamental e médio, não raro os jovens não sabem o que está acontecendo, desconhecem os sentimentos e acabam aprendendo na rua ou com “amigos” o que é realmente “aquilo diferente que ele sente”.

Isso se ele tiver sorte de não ser “zoado”, de não sofrer “bullying” ou tomar um “surra pra ver se aprende a virar homem”, situação que costuma afastar esses jovens da família ou do colégio. Essa situação de “surra pra virar homem” é algo tão sério que até mesmo deputado Jair Bolsonaro afirmou em entrevista que daria uma surra nos filhos, caso decidissem se tornar homossexuais (como se ser gay ou não fosse alguma escolha).

A juventude acredita que a aceitação que mais importa é do pai e da mãe, não dos amigos, mas esquece que existem leis do mundo dos “homens”, que são piões e autorizam até mesmo a morte dos “gays”. O preconceito sofrido pelos gays no Brasil é terrível, desde piadas bestas no colégio até aquelas um pouco mais maduras na faculdade, isso que não falei do perigo de andar de ónibus sozinho.

É preciso respeitar a todos os seres humanos, independentemente de cor, religião e orientação sexual, assim como é preciso abrir a mente para entender que o que você aprendeu na igreja ou dentro de casa pode ser mudado, principalmente quando envolver a vida de outra pessoa.

O fato de alguém ser gay não o desqualifica para qualquer profissão, situação ou momento que você dividiria com alguém, mas para isso é preciso conscientizar as pessoas, as empresas e os empregadores um tanto quanto retrógrados, mas devagar acredito qual situação seja possível e tranquilo.

Por fim, não se preocupem com o que os outros vão dizer, e como vão te tratar, mas procure ser feliz. A vida é muito curta pra desperdiçarmos apenas  com o que pensa os outros a nosso respeito. Independente da sua orientação sexual ou não, você deve ser inserido no mercado de trabalho, você deve batalhar e impedir que os jovens do futuro sofram as mesmas mazelas que você um dia sofreu.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), preside a comissão dos Estagiários da OAB/MT, atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Carlos Nunes | Sábado, 03 de Dezembro de 2016, 12h44
    2
    0

    Ciência Oriental devia ser ensinada nas Escolas, explicaria muita coisa. Por exemplo, que existem duas polaridades: Yang (masculino, +)) e Yin (feminino, -). Mas na combinação entre elas, podem gerar 3 sexos: se o homem e a mulher no momento da fecundação estiverem na fase Yang, nasce Menino (Yang); se estiverem na fase Yin, nasce Menina (Yin); mas se o homem estiver na fase Yang, e a mulher na fase Yin (ou vice-versa), pode nascer o 3º sexo...Yang e Yin ao mesmo tempo. Os orientais diziam que, numa época muito remota, nasceria uma pessoa hermafrodita; isso desapareceu durante a evolução, mas ficou os resíduos - corpo de homem, mas cabeça (forma de pensar) de mulher; ou corpo de mulher, mas cabeça de homem. Será que é difícil explicar isso para as crianças, os jovens; que o 3º sexo existe? Há certo tempo, um canal de TV mostrou uma cidade inteira, lá do lado da Índia, onde só tinha homens que vestiam de mulher - desprezados, e expulsos pelas famílias, fundaram uma cidade que foi crescendo; o que demonstra que o fenômeno é mundial. Já são milhões no mundo inteiro. Até no átomo tem 3 partes: Protons (+), seria masculino; Eletrons, seria feminino (-); e os Neutrons, uma combinação dos dois, (+ e -).

transição | 02/12/2016, 14h:57 - Atualizado: 02/12/2016, 15h:15

Mauro critica equipe de Emanuel que sugeriu anular 4 decisões de sua gestão


Luiz Alves

Mauro Mendes

Prefeito Mauro Mendes diz que, antes de falar algo tão grave e tão profundo, equipe de transição deveria ter procurado Prefeitura para buscar as informações que sua equipe tem o dever de entregar

O prefeito Mauro Mendes (PSB) criticou e contestou a orientação dada pela equipe de transição do prefeito eleito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), de anular quatro decisões tomadas pelo gestor nos últimos meses. A equipe teria informado a Emanuel que Mauro não a teria comunicado a respeito do teor dessas medidas.

 As decisões são referentes à RK Partners Assessoria Financeira e Gestão de Recursos Ltda, uma das credoras do Grupo Galvão, que assumiu o comando da  CAB Cuiabá, a PPP da iluminação pública, lotes de licitação para pavimentação asfáltica e ainda concorrência do transporte municipal.

 “Nós entregamos pra eles todas as informações necessárias. Antes de falar algo tão grave, e tão profundo, eles deveriam procurar a Prefeitura. Eles devem buscar todas as informações e nós temos o dever de entregar”, disse.

 Conforme o publicou  na quarta (30), a equipe de Emanuel viu falta de transparência e decisões à revelia. Por isso, sugeriu ao peemedebista, a ser empossado em 1º de janeiro que, de imediato, rescinda contratos e anule decretos do atual prefeito.

Advogados que também acompanham essa fase de transferência de administração reforçam a tese. “Não dá pra começar uma transição com alguém falando algo tão importante, tão relevante, de uma maneira tão vazia e sem conteúdo, eu tenho lá relatórios que podem fundamentar toda decisão que nós tomamos, decisões técnicas que preservam o interesse público, que fora acompanhadas pelo Ministério Público”, disse o prefeito.

 Mauro considera  lamentável a  afirmação da equipe de Emanuel. “Mas eu tenho certeza que o prefeito Emanuel, com a responsabilidade que ele tem, não vai entrar em conversinha, se quer discutir e conhecer com profundidade, está aberto lá. Eu nunca  fui procurado e não sei se eles procuraram a nossa equipe pra pedir alguma informação, mas todas as informações estão públicas”, finalizou. 

Transição orienta Emanuel a anular 4 decisões polêmicas do prefeito Mauro

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Valentino Deungaro sinop mt | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 19h32
    2
    0

    SR GOVERNADOR,ESTE DELATOR GIOVANI PUBLICADO POR MIDIA NEWS EM 01/12/2016 CONTRA OS DEPUTADOS DO PSDB MALUF E NILSON LEITÃO. EU QUERO SABER SE ENQUADRA NO SEU DITADO POPULAR, SE TEM JABOTI NO PAU OU E ENCHENTE OU E MÃO DE GENTE.

  • fabio Jorge Hitz | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 17h06
    3
    2

    Olha o pagamento do Mauro ter feito campanha para Emanuel .Como pode o super prefeito com 70 % de aprovação dizendo que o processo é duvidoso, partindo do principio que cheira corrupção .... Pessimo o aliado do Mauro agir assim.

  • januario | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 16h54
    4
    2

    Prefeito o Sr fez o que achou que deveria fazer na sua gestão. Não pediu palpite pra ninguem. A partir de janeiro o Prefeito e ele. Pegue seu banquinho e saia de mansinho. Ou acha que o Mané vai por uma mesa beliche no sétimo andar??? Desapega

| 02/12/2016, 09h:13 - Atualizado: 02/12/2016, 15h:43

Entre brigas e conspirações, chefe do MPE e governador cada vez mais se distanciam

Queda-de-braço começou na eleição em Cuiabá, com Taques apoiando Wilson e, Prado, com Emanuel, e segue agora pela escolha da lista tríplice com vistas a comandar a instituição


Há uma briga fraticida nos bastidores entre o procurador-geral de Justiça do Estado Paulo Prado e o governador Pedro Taques. Essa queda-de-braço começou nas eleições deste ano em Cuiabá e avançou para outra eleição, a dos promotores e procuradores pela lista tríplice que resultará na escolha do nome que sucederá o próprio Prado no comando do MPE.

José Medeiros

paulo taques paulo prado 520

Governador Pedro Taques (PSDB) e o chefe do MPE, procurador de Justiça Paulo Prado, travam embates

Prado é concunhado de Emanuel Pinheiro, prefeito eleito da Capital. O Palácio Paiaguás, sob Taques, que foi o principal cabo eleitoral do colega tucano Wilson Santos, "bombardeou" o peemedebista de denúncias e reclama, em privado, que o chefe do MPE teria "poupado" Emanuel de eventuais investigações. Prado, por sua vez, vê tentativa de interferência do Executivo no trabalho de membros da instituição.

Sobre eleição no MPE, Prado, na trincheira, lançou três candidatos a sua sucessão, sendo eles José Antonio Borges, Mauro Curvo e Eliana Maranhão. Já a ex-secretária de Taques, promotora Ana Luiza Peterlini, que tocou a pasta de Meio Ambiente por 15 meses, entrou na disputa. Nos bastidores, comenta-se que ela, se conseguir votos para entrar na lista tríplice na eleição que acontece no próximo dia 14, seria escolhida pelo governador.

E Paulo Prado está bravo com essa possibilidade e tem ajudado a "detonar" o governo, tanto que o conteúdo da delação de Giovani Guizardi, preso na operação Rêmora e solto nesta semana, "vazou" simultaneamente aos principais veículos de comunicação. Nela, o empresário cita suposto dinheiro para caixa 2 da campanha de Taques, em 2014. Segundo fontes, esse "vazamento" teria "dedo" de Paulo Prado, agindo na base do chamado "chumbo trocado".

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Davi | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 07h17
    0
    0

    Sinceramente, o texto centraliza seus argumentos numa suposta atuação anti-ética do Procurador, mas a questão mais importante não foi posta em debate, teria mesmo o governador recebido dinheiro ilícito para campanha? A delação da Odebrech diz que sim. Resta aguardar o deslinde da ação, mas pelo ocorrido na SEDUC não estranhem que tenhamos outra decepção.

  • Neto | Sábado, 03 de Dezembro de 2016, 10h34
    7
    2

    O governador se distanciou de Paulo Prado pelos motivos errados, ou seja, por causa da investigação do GAECO na SEDUC, que resultou na prisão do secretário Permínio Pinto, o mais próximo de Taques.

  • Durvalino | Sábado, 03 de Dezembro de 2016, 07h54
    4
    6

    A bem da verdade, o Paulo Prado tenta chantagear o Governador, ameaçando-o com investigações fantasiosas, vazando noticias na imprensa q possam lançar suspeitas sobre Taques, tudo, enfim, para impedir que o Governador exerça o seu direito CONSTITUCIONAL de escolher QUALQUER um dos três mais votados pelos membros do MP.

  • Rodrigo | Sábado, 03 de Dezembro de 2016, 07h47
    2
    4

    Pela Lei, o Governador pode rejeitar a lista tríplice, caso Ana Luiza fique de fora. Neste caso, poderia ser feita nova eleição. Ou seja, ele vai emplacar Ana Luiza, de qualquer jeito.

  • Carla | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 23h45
    6
    2

    Se o senhor Governador já não estiver preso ou deposto quem sabe ele consiga colocar os cupinchas dele no comando do MPE para limpar a barra dele e de seu bando. Fica a dica

  • Gilston | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 21h52
    6
    2

    Eu não sei o porque ainda o o MPE insiste em fazer eleição já que, o Pedro Taques birrento, ja deixou claro que não adianta espernear, ele vai escolher a promotora Ana Luiza Peterlini que foi sua secretária na sema. Veja o que ele vem falando todo dia " É um direito constitucional meu e não abro mão”, respondeu Pedro Taques, ao ser questionado se vai respeitar o mais votado na lista tríplice. Pedro Taques foi lembrado de ter feito um compromisso de campanha de nomear sempre o candidato mais votado. O governador pregou em discurso e afirmou ter sempre defendido essa tese quando professor de Direito de escolher sempre o mais votado, porem, o que ta pegando é a entrada da Peterlini na parada. Se eu foce um membro do MPE ia unir com demais pares e sugerir pra ninguém votar nela, já que a eleição seria de carta MARCADA. Peternini, já entra com grande vantagem por ser amigo do governador e seria uma eleição desleal. Gente, pense comigo aí, pra que eleição então né. Na defensoria Pedro Taques fez questão de escolher o mais votado, porem, no MPE ele governador vem com esta conversa de prerrogativa que tem e não vai abrir mão. Pra um bom entendedor, não adianta em nada o José Antonio ou outro promotores, que não seja a sua Peterlini, ser o mais votado, vai levar tinta do taques.

  • joaoderondonopolis | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 19h35
    7
    3

    Pelo jeito que as coisas andam, o governador só aceitando a sua palavra, em 2018 nem o partido que está filiado não vai querer a reeleição do governador. O Dr. Prado merece respeito pelo seu trabalho e trajetória. Parabéns Dr. Prado.

  • odenir ferreira | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 19h00
    0
    0

    odenir ferreira, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Davi | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 17h09
    17
    3

    Sinceramente, o texto centraliza seus argumentos numa suposta atuação anti-ética do Procurador, mas a questão mais importante não foi posta em debate, teria mesmo o governador recebido dinheiro ilícito para campanha? A delação da Odebrech diz que sim. Resta aguardar o deslinde da ação, mas pelo ocorrido na SEDUC não estranhem que tenhamos outra decepção.

  • Lustosa | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 15h38
    15
    2

    Claramente se nota nessas picuinhas todas que não há critério ao se escolher alguém de notório saber jurídico para indicação de preenchimento desse importante cargo, mas apenas "o quem vai me servir melhor". Não fosse essa queda de braço, a melhor pessoa dessa lista já apresentada é, sem dúvida, a Drª Eliana Maranhão. Mas como tudo neste país de faz de conta, a decisão é política.

| 02/12/2016, 08h:46 - Atualizado: 02/12/2016, 09h:09

O erro e o acerto de Taques

edesio do carmo artigo 400

Edesio Adorno

O instituto jurídico da colaboração premiada não é bom e nem ruim; depende do uso que dele se faz. Delatar comparsas, fornecer informações que contribuíam para o desbaratamento de condomínios do crime e indiquem o caminho do dinheiro roubado tem sido a válvula de escape da cadeia para muitos delinquentes poderosos.

Quem delata não pode fazer ilação, condicionalizar e muito menos empregar o verbo no futuro do pretérito.

Em depoimento ao Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), o empresário Giovani Belatto Guizardi, preso durante a deflagração da “Operação Rêmora” sob a acusação de participar do assalto à secretaria de Estado de Educação, firmou acordo de colaboração com o Ministério Público nas investigações de corrupção naquela pasta. Até ai tudo bem.

Guizardi, com base no que viu e viveu, prestou um depoimento mixuruca que não serve de base para sustentar acusação ministerial contra os personagens por ele nominados.

Das duas, uma: ou se julga esperto a ponto de passar a lábia nos promotores com afirmações fantasiosas ou seu depoimento teria sido meticulosamente preparado para livrá-lo das grades e, na hipótese de condenação, ser beneficiado com substantiva redução de pena.

Não defendo impunidade e nem compactuo com atos de corrupção. Penso que o melhor destino para um ladrão do dinheiro público seria a cadeia ou o Portão do Inferno. Se restar provado que o presidente da Assembleia, deputado Guilherme Maluf (PSDB), participou de forma direta ou indireta do esquema de corrupção montado na secretaria de Educação, que seja compelido a devolver a grana e pague, preferencialmente no Centro de Custódia de Cuiabá, por seus pecados.

Por questão isonômica, defendo que critério idêntico seja adotado com relação ao deputado federal e presidente do PSDB, Nilson leitão, caso os investigares consigam provas suficientes para incriminá-lo.

A primeira vista, tenho que a colaboração prestada pelo mafioso empresário Giovani Belatto Guizardi é fraca, vazia e sem consistência, ao menos em um ponto. O que saiu na imprensa, se não for corroborado por elementos robustos de prova, não é o bastante para lançar por terra a imagem dos deputados Maluf e Leitão.

Guizardi precisa avançar e fornecer informações mais precisas, caso contrário, pode ter sua colaboração anulada por se assemelhar um tiro de festim.

Alegando que o empresário Alan Malouf “teria” dito que precisaria “operar” na secretaria de Educação do Estado para recuperar R$ 10 milhões que teriam sido gastos na campanha eleitoral de 2014 do governador Pedro Taques (PSDB). Se de fato Alan disse isso, por óbvio que se trata de exploração do prestigio que nunca teve e do uso indevido do nome do chefe do Executivo.

Guizardi confessa que participa de esquema de corrupção desde o governo passado. É, portanto, um bandido flagrado na prática de crime continuado há vários anos contra a administração pública.

As confissões do empresário Giovani Belatto Guizardi são afirmações de um indivíduo que permaneceu preso por sete meses e receia voltar para a cadeia. Não é um homem sério e suas palavras não inspiram credibilidade.

O governador Pedro Taques fez a coisa errada quando entregou a pasta da educação a um grupo político e baixou a guarda na vigilância. A bíblia adverte que maldito é o homem que confia em outro homem.

Fez a coisa certa quando exonerou todos os supostamente envolvidos no caso de corrupção investigados pela operação Rêmora. Quem escreveu uma história de combate à criminalidade, chegou ao governo devassando as contas da gestão passada e adotando práticas anticorrupção não pode ter seu nome lançado a vala comum por confessos delinquentes do colarinho branco.

Entendo que as declarações de Guizardi precisam se comprovadas por provas substantivas e, ao final das investigações, quem praticou malfeitos que seja responsabilizado na forma da lei.

Ou: quem pariu seus Mateus que os embale. O Governo Pedro Taques suporta criticas; a popularidade do governador esta em baixa, mas sua integridade ética permanece intacta e inatingível por um empresário corrupto que teme voltar para a cadeia. Investigação, sim; destruição de reputação, nunca. Nossa gente agradece. 

Edésio Adorno é advogado em MT e escreve exclusivamente para este Blog toda sexta-feira. E-mail: edesioadorno@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Davi | Domingo, 04 de Dezembro de 2016, 13h33
    1
    0

    Sinceramente Edésio, data vênia, o texto aparenta muito ter sido encomendado, pois em outro acordo de delação, o da empresa Odebrech, o delator apontou exatos 10 milhões para o governador em exercício bancar sua campanha em 2014. Caso essa delação seja corroborada com outras provas, restará evidente que Pedro Taques usou de caixa 2 e a corrupção na seduc teve como objetivo quitar sua dívida. Mas, por enquanto, são só suposições.

  • Carlos Nunes | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 18h42
    3
    0

    E viva os delatores premiados! Se não fosse eles, os heróis às avessas, não pegaria nenhum corrupto; começaram a pegar corruptos, por causa dos delatores premiados abrirem o bico, contarem tudo, tintim por tintim. É difícil pegar corrupto, porque ele recebe a mala de dinheiro e não passa recibo - aí vira missão impossível. Mas quando aparece o delator premiado, aí a casa caí. Pois é, quem vai salvar o Brasil, por incrível que pareça, são os delatores premiados, e os sonegadores que estão repatriando o dinheiro...esses bilhões tem salvado a pátria, tampado vários rombos. Aí, a gente pensa: puxa vida, se o cara não tivesse sonegado, teriam roubado tudo, pelo menos sobrou alguma coisa para tampar os buracos. O perigo é o novo sonegador, que a esta hora pensa: sonego agora, anos depois apareço com o dinheiro, e vou ser um herói. Será que isso vai aumentar a sonegação no Brasil? A que ponto chegou a pátria amada Brasil - depender de delatores premiados e sonegadores.

  • Marcelo Araujo da Silva | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 14h31
    0
    2

    Marcelo Araujo da Silva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Regis Oliveira | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 14h20
    9
    1

    Oh! Vazaram a delação, mas isso é abusivo... Pera aí, mas até pouco tempo vazaram conversas presidencial e td com palmas e em nome do "combate a corrupção"... Ah! Mas agora é diferente tão vazando coisas do PSDB... Bem nesse caso... Então isso não vem ao caso.

  • Willian | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 13h18
    3
    0

    Nem todos foram exonerados. Entre no portal da transparência e verás, que por exemplo. o Wander Luís, continua recebendo seu salário e sua lotação continua sendo a superintendência de acomp. e monit. escolar.

  • Antonio jurista | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 10h38
    4
    6

    O processo penal é público, salvo algumas hipóteses em que o segredo é necessário para garantir o avanço das investigações. Os deputados Guilherme Maluf e Nilson Leitão citados na delação de Guizardi tem foro privilégiado. Se culpados, serão julgados por instância superior. Então, os nomes deles deveriam ser preservados e as provas colhidas encaminhadas para as autoridades competentes. O vazamento só tem um objetivo: fortalecer a imagem dos promotores do Gaeco e conquistar apoio popular contra a lei de abuso de autoridade. Esse vazamento é uma prova desse abuso. Se não tem competência para investigar deputado estadual, deputado federal e nem governador, jogar o nome dessas autoridades na imprensa é algo verdadeiramente abusivo. Essa prática precisa ser combatida. Acertou o articulista Adorno.

  • Cidadão Arenapolis | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 09h32
    3
    4

    O depoimento do delator Guizardi teria vazado por membros do MP com o interesse de despertar a população para combater a lei do abuso de autoridade aprovada pela Câmara dos Deputados. Leitão que votou a favor da tese dos procuradores acaba ser servido no espeto. Coisa feia esta acontecendo na política e no judiciário. Gostei, com ressalva do texto do edesio.

| 02/12/2016, 00h:02 - Atualizado: 02/12/2016, 00h:12

Remendando a lona, "seo" Pedro?

ceara artigo sexta 400 padrao

Antonio Cavalcante

Quando ainda estava no Senado, e filiado ao PDT, partido da aliança de sustentação da presidenta Dilma, inclusive com indicação de cargos na estrutura do Ministério do Trabalho, o então senador Pedro Taques já era um crítico contumaz do governo legitimamente eleito pelo povo, que cabia a ele, como senador da base, apoiar.

Daí, não demorou muito para o “Seo” Pedro se aliar com o que há de mais conservador, retrógrado e direitista na política brasileira: os derrotados nas eleições de 2002, 2006, 2010 e 2014, os mesmos que, com o apoio do PIG (Partido da Imprensa Golpista), e do agora então governador de Mato Grosso, deram um golpe no Estado Democrático de Direito, violando a nossa jovem democracia. E assim, de uma só tacada, retiram direitos dos trabalhadores, entregam nossas riquezas para as multinacionais, e de sobra, quebram o país.

Mas, “Seo” Taques não aprende. Nem mesmo como ex-filiado do PDT se quer aprendeu com os conselhos do velho Leonel Brizola, que não se deve confiar na Globo, quando dizia: “Quando vocês tiverem dúvidas quanto a que posição tomar diante de qualquer situação, atentem… Se a Rede Globo for a favor, somos contra. Se for contra, somos a favor!”.

Quando ainda senador, seguidamente condenava proposições políticas do governo Dilma Rousseff, como sendo meros “puxadinhos” para solucionar casuísmos. Todavia, com a caneta na mão, e governando Mato Grosso, Taques faz ainda pior do que aqueles aos quais criticava. Dizia ele, representar o “novo”, porém, seus métodos remontam ao coronelismo. Prometia um governo técnico, no entanto, nunca se viu tantas indicações políticas em todos os escalões da máquina administrativa.

Quando anunciou o desejo de promover uma reforma administrativa, se imaginou que daria nova dimensão à estrutura burocrática do Estado, tornando-a mais ágil, mas não é o que parece. A máquina continua inchada e pesada, os penduricalhos e enfeites parecem árvores de Natal. E a reforma tributária, outro gargalo, só está sendo discutida por um só segmento social, coincidentemente aquele onde se pode identificar parcela considerável de sonegadores de impostos e empresários beneficiados com políticas de isenções fiscais. Fazendo exatamente como faz o golpista Michel Temer.

É conhecida a minha opinião de que o país tem uma carga tributária mal distribuída, que penaliza os consumidores, os trabalhadores, as pessoas empobrecidas e oferece benefícios a bancos, de modo que no Brasil é mais aconselhável especular do que produzir.

Basta dizer que um procurador federal da força tarefa da lava jato, “combatente da corrupção”, comprou imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida lá no Paraná, um bem subsidiado com recursos públicos para a moradia de pessoas carentes, e o destinou à especulação imobiliária. Aprendeu rápido o “mancebo”.

Especulação também é ato de corrupção.

O filósofo, jurista e pensador italiano, socialista liberal Norberto Bobbio, já nos alertava: "O fascista fala o tempo todo em corrupção. Fez isso na Itália em 1922, na Alemanha em 1933 e no Brasil em 1964. Ele acusa, insulta e agride, como se fosse puro e honesto. Mas, o fascista é apenas um criminoso comum, um sociopata que faz carreira na política.

No poder, essa direita não hesita em torturar, estuprar e roubar sua carteira, sua liberdade e seus direitos. Mais do que a corrupção, o fascista pratica a maldade".

Pois bem,

O senhor Taques não chamou as entidades sindicais de trabalhadores, mesmo aqueles que têm expertise na arrecadação de impostos, para discutir a tal reforma tributária. As donas de casa não foram convidadas para debater o assunto, mesmo sendo elas que vão à mercearia todo o dia, e adquirem os produtos da cesta básica, alimentos essenciais para a vida das famílias, e que são altamente tributadas.

Para debater este assunto, só estão sendo chamados setores que sempre se beneficiaram de baixos impostos, seja com os descontos generosos nos débitos com o Estado, seja com os chamados incentivos fiscais. Sabe-se que as isenções foram usadas para o cometimento de crimes diversos, inclusive o ex-governador e secretários estaduais estão presos há mais de um ano por este motivo. Houve momento em que Mato Grosso perdoou até mesmo impostos para loja de perfumes (produto nada essencial), o que é um escárnio para quem paga 17% de imposto sobre a conta de luz e a farinha de mandioca, só para citar como exemplos.

Mudança na tributação interessa a todos, a discussão deve ser transparente, com base em dados reais e do modo como está fazendo, o governo pode até “melhorar” ainda mais a situação do agronegócio, que tem mais 20 anos para explorar Mato Grosso e depois “abandonará o barco”. Mas vai penalizar gerações de mato-grossenses.

A reforma administrativa é outro “puxadinho”, ou pode ser um remendo na lona se considerar que a gestão é um espetáculo circense. Parece que, ao invés de extinguir os tais gabinetes (são vários e sem função relevante), economizando milhões para os cofres públicos, o governo prefere alocar em sua estrutura políticos derrotados nas últimas eleições.

“Seo” Taques não aprende mesmo, de jeito nenhum!

Está perdendo uma chance valiosa que a vida lhe dá para deixar o governo andando de modo regular em 2018, sem sobressaltos, contribuindo para que - além da imagem de auxiliar o golpe contra a democracia – possa também ser o político que fez justiça fiscal e puniu os sonegadores, acabou com a farra fiscal, e extinguiu os incentivos, que tira dinheiro dos pobres e dá aos ricos.

Os impostos não são justos no Brasil, mas na sua esfera de competência, Mato Grosso bem que poderia distribuir riquezas e promover a verdadeira justiça fiscal. Porém, pelo que vemos até aqui, “Seo” Pedro prefere caminhar pelas trilhas traiçoeiras do usurpador Michel Temer, que ao contrário de uma “Ponte para o Futuro”, como foi anunciado em seu programa, é exatamente o contrário, uma pinguela para o passado, que levará a perdas de direitos dos trabalhadores com gravíssimas consequências, sobre tudo para os mais pobres.

Tudo isso, sem falar na pior de todas as corrupções, que é a corrupção infinitamente maior, a mãe de todas: a corrupção dos entreguistas e vendilhões lesa-pátrias.

Antonio Cavalcante Filho, cidadão, escreve às sextas feiras neste Blog. E-mail: antoniocavalcantefilho@outlook.com

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Carlos Nunes | Sábado, 03 de Dezembro de 2016, 08h11
    1
    1

    Convenhamos...quem arregaçou a Economia Brasileira, causando o desemprego de 12 milhões de trabalhadores, e deixando uma herança maldita, foi o PT, a Dilma. Causas? Bem, além da roubalheira desgraçada, debaixo do nariz deles, onde usaram a maior empresa nacional, a Petrobrás, de fachada; tiveram diversas: má gestão, política econômica errada, prioridade equivocada - enquanto devia tratar de melhorar a Educação, a Segurança, a Saúde, estava de braços dados com a FIFA corrupta, onde depois presidente e secretário foram até expulsos por corrupção. Cometeram dois crimes: de responsabilidade, punida pelo Impeachment, e de irresponsabilidade, porque causaram tudo isso. Agora ninguém nem sabe avaliar o tamanho da crise, nem quanto tempo ela vai durar; mas pelo visto é pior do que a gente pode imaginar. A que ponto a pátria amada Brasil chegou? Hoje depende dos delatores premiados para minimizar a Corrupção, e dos sonegadores, que estão repatriando o dinheiro, para tampar os rombos com os Bilhões que sonegaram. Então, viva os delatores premiados, e viva os sonegadores - vocês são os heróis nacionais, às avessas, mas são. No país da inversão absurda de valores, delatores premiados e sonegadores viraram heróis. Cada um que repatria os Bilhões, é aplaudido de pé.

  • Fagundes | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 17h06
    1
    2

    Em que mundo o Sr vive? Lamentável... O Sr demonstra ser uma figura pequena e limitada.

  • Ademir | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 15h29
    4
    2

    O teu Partido, o PT que acabou com o país, que deu com uma mão, roubou com duas, e afundou de vez no buraco sem fim, mais de 20 milhões de pais de família desempregados, PIB negativos, teve 12 anos de poder e nunca faz reforma nenhuma, nem tributária, nem trabalhista, nada, só roubou e ai Antonio Cavalcante??

  • alexandre | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 12h13
    9
    3

    ideologia e idolatria, a esquerda teve a sua chance e fez besteira, pixulecou por um plano de permanência eterna no poder, igual a venezuela, estamos de olho no Temer, se fizer besteira vai ter o mesmo destino da dilma.

  • JEFERSON MATOS | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 11h04
    11
    1

    Guri, tem uma coisa que concordo contigo: Taques governador é muito diferente do Taques procurador, senador... O Taques procurador era uma pessoa que em teoria não se aliaria com o que há de mais pútrido na política. independente do partido que nos governe, parece que a sacanagem está no DNA político.

  • Antônio | Sexta-Feira, 02 de Dezembro de 2016, 06h25
    14
    6

    Sr. Antônio cavalcanti... tudo o que vc falou do Taques assino em baixo...mas dai defender o PT...fala sério ! Que mundo o sr. Vive ? Como pode ser inteligente por um lado e ignorante por outro ? Acorda cidadão

| 01/12/2016, 11h:34 - Atualizado: 01/12/2016, 11h:45

Maluf cobra do Executivo repasse de R$ 68 milhões, mas descarta enxugamento na AL


O Governo do Estado, que já anunciou que fará o repasse do duodécimo aos Poderes e órgãos autônomos somente em 05 de dezembro, deve R$ 68 milhões para a Assembleia. O presidente do Legislativo, Guilherme Maluf (PSDB), aguarda a regularização da pendência para passar o comando para o sucessor Eduardo Botelho (PSB).

“Esse recurso faz falta no nosso caixa e ainda não  sei como vai ser o acerto desses recursos, mas temos que nos adequar”, declarou Maluf em entrevista ao .

Maluf também revelou que nos próximos dias deve se reunir com Botelho e os secretários de Estado Paulo Taques (Casa Civil), Seneri Paludo (Fazenda) e Gustavo Oliveira (Planejamento) para debater a regularização da situação até 1º de fevereiro quando encerra a atual gestão da Assembleia. “São meses com orçamento travado. Por isso, vamos sentar com o governo e fazer transição financeira”, completou.

Apesar do atraso no repasse do duodécimo, Maluf descarta enxugamento de pessoal ou corte nas despesas de custeio do Legislativo. Afirma que qualquer medida será tomada após Botelho assumir a presidência. “Botelho está levantando os dados, mas sem previsão de enxugamento do quadro por enquanto. A situação está sendo analisada”, concluiu o presidente.

Gilberto Leite/Rdnews

guilherme maluf_gilberto leite (3).jpg

Presidente da Assembleia Guilherme Maluf aguarda regularização dos repasses para entregar o cargo

Salários

O calendário de pagamento dos  servidores  da  Assembleia também sofreu alteração devido ao atraso no repasse do duodécimo pelo Poder Executivo. Com isso, os salários devem ser depositados até 10 de dezembro.

O atraso no pagamento do duodécimo também causou transtornos aos servidores do Tribunal de Contas (TCE). O presidente Antonio Joaquim também determinou o pagamento da folha somente após a regularização do repasse constitucional ao órgão. 

O Ministério Público e o Tribunal de Justiça também estão na mesma situação, entretanto, não se posicionaram. O Executivo já atrasou o repasse do duodécimo em outras duas ocasiões.

Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), no qual o  Governo se compromete a repassar os recursos em sete parcelas, foi firmado para evitar que os Poderes e órgãos autônomos ingressassem na Justiça contra o Executivo. 

Para justificar o atraso no duodécimo, o governador Pedro Taques  (PSDB) alega  que o fluxo de caixa não está com desempenho adequado. Isso significa que as despesas crescem mais que a arrecadação do Estado. 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Valentino Deungaro sinop mt | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 12h21
    3
    0

    UMA CORREÇÃO DINHEIRO EM INDEVIDO

  • Valentino Deungaro sinop mt | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 12h03
    3
    0

    TODOS OS DEPUTADOS ESTADUAIS DA ERA RIVA, QUE RECEBERAM CHEQUES OU DINHEIRO EM ESPECIE DA AL,DEVERAM DEVOLVER O VALOR COM JUROS E CORREÇÃO MONETÁRIA;

| 01/12/2016, 07h:59 - Atualizado: 01/12/2016, 16h:03

O luto

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita Uemura

Adotamos um filhote de cachorro que foi abandonado na esquina de casa. Nossa cadela prontamente passou a amamentar aquela bolinha de pelo branco recém tirada da mãe. Foi emocionante. Sabíamos que isso era uma possibilidade, mas vê-la amamentar no mesmo dia em que o filhote chegou nos mostrou como a vida é bela. Um mês e meio convivendo com o pequeno em casa. Roendo nossos calcanhares ao passar pelo quintal. Destruindo pequenas coisas como todo filhote saudável, sendo meigo como todo pequeno ser, ele rapidamente nos cativou. Eis que ontem ao entrarmos com o carro na garagem atropelamos o filhote e ele morreu. 

Foi devastador. Meu filho mais velho de oito anos já havia se apegado ao cachorrinho e interagia muito com ele. Este foi seu primeiro contato real com a morte, seu primeiro luto. Já havíamos conversado muito sobre o tema. Costumo lembrá-lo com frequência de que a qualquer momento uma pessoa próxima a nós pode falecer e que um dia todos terão o mesmo fim. Mas falar sobre uma coisa e muito diferente de viver. Ele ficou muito comovido. Na verdade, eu nunca o vira tão desolado, foi muito forte a situação. Ainda mais por ele ter sido testemunha do acidente.

Esta situação ocorreu logo após o desastre aéreo com o time da Chapecoense. Um acontecimento raro e de grande comoção. Ambos os fatos me fizeram pensar sobre como a vida é realmente efêmera. Num instante estamos todos aqui, com nossa energia circulando por vários espaços e de repente não mais.

Nossa sociedade moderna e ocidental tem por filosofia ignorar esta verdade incontestável: um dia todos iremos morrer. Todo o resto é passível de mudar. Ninguém engana a morte. Por mais que tenha dinheiro, sabedoria, beleza, merecimento, juventude, importância ou qualquer característica que julgamos relevante para evitar tal situação.

Talvez a necessidade de manter em constante movimento o trem do consumo nos faça viver com a certeza de amanhã e depois poderemos aproveitar tudo o que acumulamos. Acreditamos que precisamos desesperadamente daquela bolsa, do tênis ou do último lançamento do celular para sermos felizes. Para preencher aquele vazio que cada um carrega. Sabendo que podemos sair de casa e não voltar, tendo isso como uma possibilidade real e uma reflexão diária talvez muito do que nos cerca não faria tanto sentido.

Só sei que a ida prematura do filhote com quem convivi e a notícia do desencarne dos passageiros daquele avião me fizeram lembrar que nosso tempo na Terra é curto. Temos prazo de validade e temos que fazer cada segundo valer realmente a pena.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Joel Pedro | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 10h48
    5
    0

    Depois da homenagem realizada em Medelin para as vítimas do acidente, no horário marcado para o jogo contra a Chapecoense, sou também torcedor do ATLÉTICO NACIONAL!

  • Joel Pedro | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 10h19
    4
    0

    Hoje somos todos CHAPECOENSE!

| 30/11/2016, 17h:42 - Atualizado: 30/11/2016, 18h:00

Transição orienta Emanuel a anular 4 decisões polêmicas do prefeito Mauro

Prefeito eleito tende a anular concessão da CAB, frear PPP da iluminação, 3 lotes para pavimentação e licitação do transporte


Emanuel Pinheiro

 Prefeito eleito de Cuiabá recebe sugestão da transição para anular 4 atos do prefeito Mauro Mendes

Sob orientação da equipe de transição e do corpo jurídico, o prefeito eleito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) tende a anular ao menos quatro decisões polêmicas de Mauro Mendes (PSB) anunciadas nestes últimos três meses de mandato, como a entrega da concessão dos serviços de saneamento para a RK Partners Assessoria Financeira e Gestão de Recursos Ltda, uma das credoras do Grupo Galvão, que toca a CAB Cuiabá, a PPP da iluminação pública, lotes de licitação para pavimentação asfáltica e ainda concorrência do transporte municipal.

Este Blog apurou que a equipe de transição informou a Emanuel que em nenhum momento Mauro fez comunicado sobre essas medidas impactantes, nem para ouvir seus membros e muitos menos para opinar. Vê falta de transparência e decisões à revelia. Por isso, sugeriu ao peemedebista que será empossado em 1º de janeiro que, de imediato, rescinda contratos e anule decretos do atual prefeito. Advogados que também acompanham essa fase de transferência de administração reforçam essa tese.

No caso da intervenção na CAB, mesmo detectando uma série de irregularidades numa gestão temerária, ou seja, a caducidade, devido à concessionária não cumprir uma série de cláusulas, o prefeito decidiu manter o contrato de concessão, exigindo apenas que os serviços de água e esgoto passem a ser explorados pela RK Partners Assessoria Financeira e Gestão de Recursos, uma das credores da CAB. Emanuel Pinheiro recebeu essa decisão com estranheza. E está disposto a rescindir o contrato de concessão, mesmo sob pena do Município pagar multa milionária.

Também será anulado o processo de PPP que envolve nada menos que R$ 712 milhões na concessão, por 30 anos, a uma  empresa para explorar iluminação pública. O futuro prefeito, sob orientação da equipe jurídica, está disposto ainda a cancelar três lotes de licitação para pavimentação asfáltica que somam R$ 13,7 milhões.

 Outra orientação dos integrantes da transição para Emanuel é no sentido de pôr fim a um processo lançado no apagar das luzes do atual mandato de promover audiências públicas para concorrência pública de linhas de ônibus, sem, antes, apresentar o edital.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • joaoderondonopolis | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 09h37
    6
    3

    Se Emanuel anular estas 4 decisões de Mendes, já começa bem. Doa a quem doer.

  • inaldo | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 09h22
    5
    1

    quero ver esse povo falar que quem está montado na grana da cidade na iluminação publica éa empresa de um deputado do PSB. é isso ai emanuel tem que rever isso mesmo.

  • Carlos Nunes | Quinta-Feira, 01 de Dezembro de 2016, 08h35
    6
    1

    Parabéns a equipe de transição! Não é possível que o atual prefeito, no apagar das luzes do seu governo, no capítulo final, queira tomar decisões que vão afetar o futuro de Cuiabá. Nada de Terceirizar a Iluminação Pública, que tem dinheiro garantido (MILHÕES), quando todo mês pagamos a conta de energia; ou resolver o problema da CAB, que precisa ser melhor avaliado; e a concorrência no transporte municipal; lotes de licitação para pavimentação asfáltica. Agora vai ser inaugurada uma fonte luminosa musical, comprada lá da China, por 3 MILHÕES DE REAIS, enquanto o Pronto Socorro está superlotado - não seria melhor ter pego esses 3 MI e aplicado na Saúde? Pra que fonte luminosa chinesa? Se não tiver segurança pra ela 24 horas, os crackeiros são pegar tudo que ela tenha de valor...só para comprar o bagulho. Era melhor ter aplicado na Saúde e salvado vidas. Agora vão gastar dinheiro na segurança dessa fonte...eternamente.

  • mteus | Quarta-Feira, 30 de Novembro de 2016, 23h55
    7
    2

    Muito sabia decisão do futuro prefeito em anular tudo esta lambaças ai do ex-prefeito Mauro Mendes. A onde já se viu um gestor, em final de feira, fazer transações de grande impacto ha sociedade cuiabana, com é o caso da CAb e as trocas das lampada atuais pra LEED , sem consultar o verdadeiro prefeito Emanuel. Mauro Mendes, tava ou tá armando um baita abacaxi pro Emanuel descascar, e depois, sair como o salvador da Pátria. Mauro ta de olho na campanha de 2018 e por isso que ta fazendo estas lambança toda ai na cidade pra dizer na campanha que ele é que resolveu os problema da Cab e da iluminação pra leed. Tem que ficar de olho nas obras que serão entregue sem acabamento final que será mais uma bomba pro emanuel resolver. Quem não fez em 4 anos, não vai fazer em 30 dias chuvosa, em final de mandato.

  • Otavio | Quarta-Feira, 30 de Novembro de 2016, 22h10
    9
    1

    Parece que está montando uma prefeitura paralela. O que não fez em quatro anos está fazendo em um mês. Como pode indicar o diretor para a iniciativa privada que quer assumir o contrato com a empresa concessionária? E essa empresa nem é do ramo. Como pode correr com uma licitação de valor tão alto para fechar a ppp, sem comunicar ao prefeito eleito? Pra que serve o tce e as normas de transição?

| 30/11/2016, 15h:56 - Atualizado: 30/11/2016, 16h:31

O empreendedorismo da delação

Rui Perdigao artigo 400

Rui Perdigão

As atuais medidas anticorrupção em discussão no Congresso Nacional configuram-se interessantes, oportunamente atrasadas e em certos pontos um pouco exageradas como considero ser o caso de recompensa monetária por delação.

Essa prática de remunerar financeiramente um delator faz-me recordar velhas leis que pagavam por bandido morto-ou-vivo, numa intensa promoção cultural de que bandido bom é bandido morto. Para mim bandido bom é bandido detido, julgado e se for o caso devidamente encarcerado privado da liberdade. Tenha ele colarinho branco e olhos azuis ou chinelo rasgado e pele preta. O combate ao crime contra pessoas não é mais importante que combater o crime contra o patrimônio, mas precisamos não esquecer que o patrimônio não é só material é também imaterial, no qual se inclui a liberdade, o conhecimento entre outros pilares de uma sociedade saudável, onde todo o individuo tem direito ao seu silêncio livre de tortura.

Por outro lado, esta proposta de lei veste-se de algo de que, por princípio, não gosto. Os delatores. Considero-os traidores. A traição, independentemente de ser praticada por criminosos, políticos, amantes ou outros quaisquer indivíduos, desumaniza o ser, retira-lhe integridade e capacidade de assumir os atos per si, Em tempos de guerra, onde matar está legitimado e as partes se odeiam, o traidor é banido por ambos os beligerantes, considerado um verme, individuo que ninguém deseja a seu lado, pessoa repulsiva desprovida de honra.

Não deixo também de observar que quando o Judiciário, ancorado no Poder Legislativo, aprofunda o recurso há delação, como forma de estender o longo braço da lei, acaba entrando por caminhos que a história já nos mostrou serem muito perigosos, caminhos que degradam as relações humanas e agravam ainda mais as já abstrusas relações sócias.

No caso da delação premiada, não consigo vê-la como exemplo de um sucesso antecipado de uma ressocialização objetivada pelo próprio sistema e no caso da delação comprada o que vejo é a afirmação do vil metal como matriz de relações, por cima de qualquer outro valor humanista. Isto sem esquecer a sinalização que a delação faz sobre a incompetência dos serviços investigativos que nalguns casos, haja reconhecer, se sente incomodada em perseguir determinadas linhas de investigação. Mas se as provas caírem no colo, sempre Pilatos poderá dizer que nada mais poderia ter feito.

E recuso-me também a esquecer que quem propõe e faz estas leis é quem fez as que permitem a acumulação, ocultação e fuga de dinheiros roubados, desviados, inventados.... Não seria mais sério, justo e barato resolver a questão na base?

Para terminar esta minha delação considero que a passa em cima deste bolo podre se coloca com manifestações pessoais de magistrados, personalidades pelas os quais procuro ter o maior respeito quando expressas no processo com especial destaque na sentença. Fora dele, o bolo exala um odor promiscuo característico de um organismo em decomposição.

Rui Perdigão é administrador, consultor e presidente da Associação Cultural Portugueses de Mato Grosso

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Carlos Nunes | Quarta-Feira, 30 de Novembro de 2016, 16h52
    3
    0

    O negócio é que a Corrupção virou uma praga nacional; e corrupto não passa recibo quando pega mala de dinheiro...não gera provas. Pra descobrir um, é a maior dificuldade, quase uma missão impossível. Sem provas, era difícil pegar corrupto; aí surgiu a figura do delator premiado; começaram pegar um delator, e ele abria o bico, derrubava vários corruptos, igual aquele jogo do dominó, onde se derrubar uma pedra, caem várias. Então, e viva os delatores premiados! Contem tudo, salvem o Brasil; igual os sonegadores, que agora estão fazendo a repatriação do dinheiro, e enchendo o caixa do governo...Se não existisse os sonegadores, não existia dinheiro agora, a turma já tinha rapado tudo - nós conhecemos só a pontinha minúscula do iceberg da Corrupção, o iceberg inteiro É GIGANTESCO.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 859