Cuiabá, 18 de Abril de 2014
  • Ana Maria

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Ana Maria

  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Camila Paulino

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Paulino

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Marcela Machado

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Marcela Machado

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Thaisa Pimpão

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Thaisa Pimpão

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

RESGATE HISTÓRICO | 18/04/2014, 15h:53 - Atualizado: 02h atrás

Reunião em 84 para definir quem lançar ao Senado entre Doutor Paraná e Louremberg


Numa reunião em 1984, o então deputado Milton Figueiredo debate com os correligionários Sebastião Oliveira, o Doutor Paraná, e Louremberg Nunes Rocha para saber quem lançar como candidato a senador pelo grupo. Por fim, a decisão partidária foi pelo nome de Louremberg, que saiu vitorioso nas urnas.

Demóstenes Milhomem

milton figueiredo

Louremberg Nunes Rocha, Sebastião Oliveira, o Doutor Paraná, e Milton Figueiredo, participam de uma reunião, em 84, para definir candidatura ao Senado; Louremberg é escolhido e ganha nas urnas

Doutor Paraná, que faleceu em 2004, foi pai de Dante de Oliveira, que exerceu mandatos de prefeito de Cuiabá, de deputado federal, de Ministro da Reforma Agrária e de governador por duas vezes. Antes de ter o filho na vida pública, Paraná exerceu cargo de deputado estadual por duas vezes, de procurador do TCE, presidiu a OAB-MT e foi prefeito de Santo Antônio de Leverger. Milton Figueiredo, que morreu em 1993, foi deputado estadual e federal nos anos 70 e 80. É pai de Rodrigo Figueiredo, ex-secretário-executivo do Ministério das Cidades. Louremberg foi senador, deputado federal, secretário estadual de Educação e secretário de Governo da Prefeitura de Cuiabá e hoje está entregue ao ostracismo político.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • pedro | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 17h26
    0
    0

    é, mas com o salario de aposentado que o louremberg tem até eu largaria de politica rss

| 18/04/2014, 10h:24 - Atualizado: 08h atrás

Em Rondonópolis, 7 parlamentares querem disputar vaga na AL e na Câmara Federal


.

quadro_roo

 Como não precisam renunciar ao mandato, há inflação de pré-candidatos na Câmara de Rondonópolis

Terceira cidade mais populosa de Mato Grosso e com a segunda economia mais rica do Estado, de acordo com dados do IBGE, Rondonópolis é um importante polo de Mato Grosso. O município registra uma inflação de précandidatos à Assembleia e à Câmara Federal, que são vereadores. Pelo menos 6 se articulam, afinal, trata-se de uma situação "confortável"  na medida em que eles não precisam renunciar ao mandato e, de quebra, ainda ganham projeção estadual.

Entre os que ensaiam candidatura está Rodrigo da Zaeli (PSDB). O tucano afirma ser pré-candidato a deputado estadual para lutar pelas demandas e problemas da região Sul, algo que ele diz não estar sendo feito pelos já eleitos.

Têm base na cidade os estaduais Jota Barreto, Sebastião Resende, Ondanir Bortolini, o Nininho, todos do PR, e Teté Bezerra (PMDB); além dos federais Wellington Fagundes (PR) e Carlos Bezerra (PMDB).

Todos vão a reeleição e/ou buscar outros cargos, como é o caso de Wellignton que almeja concorrer ao Senado. Justamente, por  isso, a tendência é que a disputa seja acirrada, dificultando a eleição dos  vereadores. Por outro lado, a participação deles é importante porque também ajuda a somar votos para a legenda. O quociente eleitoral para estadual é de 70 mil votos e para federal 213 mil.

Pré-candidatos

Outro vereador qe também pretende concorrer à AL é Reginaldo Santos (PPS). Ele acredita que para o Sul realmente crescer é preciso que os deputados tenham um olhar mais municipalista. “Tudo acontece localmente. É necessário conhecer de perto e ouvir a população. O interior precisa de deputados que vivenciem as demandas das prefeituras. Só assim a gestão será mais efetiva”, comenta.

Segundo ele, isso fica claro no caso do pedágio da MT-130. O vereador conta que muitos pequenos produtores do entorno da cidade foram afetados e a questão nem ao menos foi discutida com o povo. Outra questão levantada por Reginaldo é que o foco do governo estadual e também dos deputados geralmente é em Cuiabá. Para ele, os outros 140 municípios sofrem com isso.

Até o momento, há cinco pré-candidatos a deputado estadual e dois a federal, sendo Thiago Muniz (PPS) e Denilson Sodré, o Dico (Pros). O presidente da Câmara Ibrahim Zaher, pré-candidato a estadual, explica que esse grande número é devido à vontade de renovação que não vem só dos políticos em si, mas de toda a sociedade. Como o consciente eleitoral é de 70 mil votos, Ibrahim acredita que ter muitos candidatos de uma mesma região às vezes é um risco, pois os votos podem ser muito pulverizados. “Mas ainda assim é importante tentar o máximo de cadeiras possíveis”, acrescenta. Reginaldo destaca que há muitos pré-candidatos, mas não necessariamente todos irão para o pleito em outubro, então essa quantidade pode diminuir, mas também aumentar.

As maiores demandas da região Sul, de acordo com Rodrigo, são a infraestrutura, que é um clamor popular, e a saúde, que sofreu alguns cortes de recursos que ainda não foram sentidos pela sociedade. Reginaldo ainda acrescenta a questão de segurança, que é precária. “Esse setor é competência do Estado, não da prefeitura. Como vereadores e prefeitos não podemos fazer nada, mas como deputados, podemos reverter essa situação”, salienta. Além de Ibrahim, Rodrigo e Reginaldo, Adonias Fernandes (PMDB) também é pré-candidato à Assembleia.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • ze antonio | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 15h55
    0
    0

    kkkkk.... cido silva soh o que me faltava... quase nem eleito foi pra vereador imagine a deputado... kkkkk

  • partidaria | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 13h52
    0
    0

    o vereador cido silva e candidato a deputado estadual pelo PP,.este e mais certo e com chance reais de ser Deputado estadual.

| 18/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 17/04/2014, 23h:47

Abusos das financeiras

Elga_artigo_sexta

Elga Figueiredo

Ao comprar um carro, a maioria absoluta das pessoas opta por algum tipo de venda a prazo, sendo que mais de 70% dos automóveis são vendidos por meio de financimentos. Muitos consumidores que têm veículo financiado, após quitação deste, vem enfrentando um problema frequente e grave, qual seja, a demora na desalienação do veiculo. Quando o consumidor contrata um financiamento de automóvel, empresta dinheiro de uma instituição financeira, e esta paga a concessionária que vendeu o veículo, ou seja, passa-se a dever o valor do financiamento à instituição que concedeu o crédito, ficando o veículo adquirido alienado. Isso quer dizer que enquanto não for quitado o financiamento, o carro poderá ser tomado pelo financiador, em caso de inadimplência, e ainda, fica impedida a transferência do veiculo.

Contudo, após a quitação do contrato pelo consumidor, a financeira deve providenciar a retirada da alienação, e é aí que começa a dor de cabeça! Muitas são as reclamações de consumidores que aguardam há mais de dois anos pela desalienação do veículo por parte das financeiras. Segundo normativa do Contran - Conselho Nacional de Trânsito -, as instituições financeiras têm até 72 horas para dar baixa na alienação de um veículo financiado por CDC, no caso do Leasing, tem o banco até 5 dias, liberando assim o veículo para a transferência de propriedade.

Portanto, em caso de negligência da financeira em informar a quitação do veículo, obstando a transferência do mesmo, logo configura-se o efetivo dano ao consumidor originado da negligência da empresa que não cumpriu integralmente a sua obrigação de dar baixa no gravame, desalienando o veículo definitivamente. Outrossim, importante pontuar que caso o consumidor atrase na sua obrigação para com a instituição financeira, em menos de 30 doas já estará recebendo em seu lar um aviso de encaminhamento de seu nome às centrais de restrição ao crédito, tais como SPC e Serasa, ou sendo notificado da reintegração da posse do veículo.

Note-se que é requisito fundamental ao ato translativo do domínio a inscrição e transferência junto ao Detran para o pleno domínio do bem móvel. Desse modo, induvidosa é que a demora na desalienação do veículo causa transtornos ao consumidor.

Portanto, se você está sendo vítima dessa situação desagradável e de total desrespeito perante o consumidor, ingresse com uma ação judicial, requerente em sede de liminar e mediante a comprovação da quitação do financiamento a desalienação do veículo, é no mérito indenização pelos prejuízos de ordem patrimonial e moral sofrido.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta-feira - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Eron Cabral | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 14h43
    0
    0

    Boa tarde, não concordo plenamente com está senhorita, sou empresario do ramo de Loja de Veículos Semi Novos e Vice-Presidente da AGENCIAUTO-MT que representa 300 Lojas hoje em nosso estado e as maiorias das Financeiras dão Baixa sim no Gravame e olha que não venho aqui defendelas, mas hoje os Financiamentos contratados pelos clientes, a maioria dos Bancos e Financeiras são sérios, isto pode sim acontecer mas em algum caso exploratico, portanto senhores cidadões, não vamos generalizar falando que os consumidores tem dor de cabeça na hora da Baixa do Gravame, isto pode acontecer com casos específicos, estou á disposição, mas não poderia deixar de contribuir com este assunto que nos interessa.

| 17/04/2014, 15h:01 - Atualizado: 17/04/2014, 15h:05

Ministro avalia como "boa" obras da Copa; garante VLT pronto até final de dezembro


Ednilson Aguiar/Secom

ministro_interna_cidades_2.jpg

Ministro Gilberto Occhi ao lado do governador Silval Barbosa visitou o Centro de Manutenções do VLT

O ministro das Cidades, Gilberto Occhi, em visita a Cuiabá, nesta quinta (17), afirmou que até 30 de maio todas as obras necessárias para a realização dos jogos da Copa estarão prontas. Destacou as principais, como o aeroporto Marechal Rondon, avenida da FEB, estrada da Guarita, trincheira do Verdão e a Arena Pantanal. “Fechamos este acordo em reunião com as empreiteiras responsáveis por estas obras”.

Gilberto chegou do aeroporto, às 8h40, e recebido pelo governador Silval Barbosa (PMDB), percorreu o trajeto que os turistas irão fazer até o estádio. Diante disso, classificou o andamento das obras como boa. Em relação às outras demandas, principalmente o Veículo Leve Sobre Trilhos, ressalta que deve ficar pronto somente no final deste ano. “Este prazo é estipulado em contrato”. O curioso é que o estabelecido no contrato era para que o VLT ficasse pronto neste mês.

Para conseguir visitar as demais obras de mobilidade urbana, o ministro sobrevoou a Capital e Várzea Grande, por cerca de 20 minutos. Constatou que ambos os municípios enfrentam problemas. Segundo Gilberto, no entanto, o restante das obras inacabadas não preocupa, uma vez que para os jogos os feitos necessários estarão prontos. “Não temos preocupação com as inconclusas, pois o planejamento é atender a obrigação das de Responsabilidade da Fifa”.

Silval, por sua vez, explicou que o ajuste final vai ser feito com intuito de recepcionar bem os turistas. O peemedebista também voltou com o discurso antigo e elogiou o governo federal pela parceria na execução das obras. “É uma sintonia que desde o início vem dando certo. Se não fosse a parceria, nós não conseguiríamos”. 

Ednilson Aguiar/Secom

ministro_interna_cidades_1.jpg

Em visita a Cuiabá, Gilberto Occhi também vistoriou as obras na Arena Pantanal acompanhado de Wellington Fagundes (à esquerda), vice-governador Chico Daltro, Silval e técnicos responsáveis

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Rolf Hans | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 08h14
    1
    0

    ...SÓ NÃO FALOU DE QUE ANO.....

  • Antonio Luiz Anhaia | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 20h03
    1
    0

    Cadê as cadeiras governador? Se essas fotos são atuais, atrás do senhor não há nenhuma cadeira, e aí, está brincando com paga impostos neste estado. gostaríamos de que fôssemos respeitados para que a recíproca fosse verdadeira. Prof Antonio.

  • Carlos | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 18h06
    1
    0

    Logo se ve o ministro e politico bionico, nem passou pelo crivo do povo. Garantir VLT ate dezembro em pleno ano politico. So pode estar falando como polico, que de obras nao entende nada e esta muito mau acessorado. Se nao tem o que falar observa nao fala besteira.

| 17/04/2014, 14h:37 - Atualizado: 17/04/2014, 14h:56

Lueci ainda tenta "salvar" João Emanuel


Fernando Ordakowski

lueci ramos joao emanuel

Lueci Ramos (PSDB) é uma das poucas parlamentares que tentam salvar João Emanuel da cassação

João Emanuel (PSD) está prestes a perder o mandato de vereador, mesmo tendo sido o mais votado nas eleições de 2012, com 5.824 votos. Em princípio, tinha apoio de quase todos os colegas parlamentares, tanto que ganhou a presidência da Mesa Diretora. Mas, à medida que se afundava em escândalos, ingerência, confusão e posições contraditórias, Emanuel perdia aliados. Mesmo tendo feito acordos espúrios com alguns deles, conforme insinuações e recado do próprio vereador investigado, portanto, tendo-os de "rabo preso", o ex-presidente não está conseguindo reconquistar apoio. Somente 5 parlamentares torcem pela manutenção do mandato, principalmente Lueci Ramos (PSDB), a mesma que esteve do lado de Chica Nunes e de Lutero Ponce, ex-presidentes que também saíram desgastados e sob pecha de corruptos. Outros ainda aliados de Emanuel são Clovito e Domingos Sávio (Solidariedade), Maurélio Ribeiro (PSDB) e Alan Kardec (PT). Os dias de João Emanuel como vereador e na vida pública estão contados.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Gilmar Brunetto | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 12h59
    1
    0

    Ela deve estar na lista da turma da extorsão

  • Rejane Pereira | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 10h29
    1
    0

    Rejane Pereira, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • nelson | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 08h28
    3
    1

    Joaozinho conseguiu cair sozinho,os vereadores estão contra ele, bem como a população, cada dia que passa mais falcatruas vão aparecendo, quem esta ganhando com isso são os advogados da defesa, tenho certeza vai aparecer mais rolos por aí

  • MARCIO | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 07h42
    1
    0

    MARCIO, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Antonio Luiz Anhaia | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 19h51
    6
    0

    Eu penso que, essa senhora já deveria estar longe da Câmara Municipal há muito tempo, uma inútil como vereadora, alguém conhece um projeto grandioso dela para Cuiabá, que descreva para nós. Além que parece que está respondendo processo como fantasma em uma secretaria munipal(recebendo sem trabalhar) como assistente social. Quem será que vota nela? Faz um grande favor para Cuiabá não vote mais nela, pegue seu dinheirinho e vote em outro que possa ajudar nossa cidade. Aí vc é verdadeiro cidadão.

  • jackson | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 16h41
    4
    0

    É aquele velho ditado" me digas com quem andas, que direi quem tu és". Lueci Ramos, que eu me lembre nunca fez nada pela nossa cidade, e tem o cargo de vereadora como profissão. Fato lamentável.

  • Artur | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 16h28
    8
    1

    A Vereadora Lueci já deveria estar fora da Câmara de Cuiabá a muito tempo. Para ser mais exato, na cadeia, este sim é o lugar que ela merece.

| 17/04/2014, 09h:41 - Atualizado: 08h atrás

Eraí interfere, confunde cenário e aceita ser vice de Taques se Blairo aderir ao palanque


eraí maggi

Eraí Maggi deseja ser vice de Pedro Taques ao governo, desde que o primo Blairo esteja no palanque

O empresário Eraí Maggi, antigo financiador de campanhas eleitorais, tem usado o PP para novas barganhas políticas mas, devido à falta de habilidade e traquejo, mais dificulta do que facilita acordos com vistas às composições majoritárias. A cada reunião, o rei da soja apresenta uma nova tese. Ele recebeu, por exemplo, convite do senador Pedro Taques, virtual candidato a governador pela oposição, para ser vice da chapa, numa dobradinha PDT-PP. Topou. Dias depois, retomou a conversa para apresentar algumas condicionantes.

Eraí afirmou que aceita ser vice de Taques, mas desde que o PR, que hoje integra a base dos governos Silval Barbosa (PMDB) e Dilma Rousseff (PT), também esteja no palanque. Se isso não for possível, ao menos que o senador Blairo Maggi, principal estrela da legenda republicana, venha fazer parte do bloco. Eraí bateu a porta do primo. Queria uma orientação e resposta. Estrategista e já batizado de "rei do gesso", de tanto postergar decisão sobre candidatura ou não a governador, Blairo em nada orientou Eraí sobre o rumo que este deve tomar. Como Blairo não fala, Eraí também "enrola". Blairo dificilmente estará com o colega Taques por força da conjuntura nacional.

Eraí também foi convidado para ser o primeiro-suplente ao Senado da chapa de Wellington Fagundes, dirigente regional do PR e no sexto mandato de deputado federal. Também aceitou e impôs condições, uma delas de, uma vez a chapa eleita, se tornar senador ao menos por 4 anos. E, assim, Eraí vai se articulando. "Atira" para todos os lados. É daqueles que, seja numa rodada de negociação com empresários dos segmentos do agronegócio, seja em encontros políticos, se apresenta como "o cara". Partido político para ele pouco importa. O que deseja mesmo é levar vantagem, numa mistura de público com privado.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Mauro | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 09h08
    4
    0

    Taques não sabe de nada..Inocente é muvuca Governador daqui para frente

  • henri costa | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 06h45
    2
    0

    Se isso acontecer é a maior traição de uma familia(maggi) contra todo um grupo que a mais de 16 anos da sustenção aos projetos economicos desta bilionaria familia.E blairo se tornara o maior traidor de uma politica e ficará caracterisada a maior concentração de senhores do poder em nosso estado onde ficará visivel que o pobre, o colono, o pequeno empresario e principalmente a classe trabalhadora não tem vez....onde estara reunido num so grupo o feldario(taks), o poderoso chefão(maggi) e toda cupula do agronegocio.

  • Alessandro | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 14h07
    7
    0

    Muito inteligente esse tal de Eraí. A Dilma deu para o Blairo o miniatério mais importante para o agronegócio, Blairo tentando emplacar o diretor da CNA, e o Eraí querendo ganhar notoriedade com cargo público se aproximando de Pedro Taques, considerado perdona non grata pelo planalto central porque seu partido integra a base de sustentação e ele ataca a presidenta. Vai passear Eraí!

  • Wagner | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 13h47
    8
    3

    O Taques é tão fraco, mas tão fraco que depende de um vice.

  • Rodrigo | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 12h22
    7
    0

    Eraí é uma perca de tempo. Foi Suplente de Dante em 2002, financiou a campanha do PSDB contra o primo Blairo, e ainda quer pedir apoio...

  • maria texeira | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 11h12
    7
    0

    O ideal era que só participassem do jogo politico idealistas e nao dinheiristas.

| 17/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 17/04/2014, 09h:09

Nova fase do Conselho de Turismo

Atrativos como a Salgadeira e o Portão do Inferno estão fechados e o acesso à cidade de Chapada dos Guimarães está esburacado

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

O município com maior vocação turística de Mato Grosso aguarda com timidez a chegada do maior evento esportivo do mundo bem no seu quintal. Há menos de dois meses do início dos jogos da Copa de Mundo de Futebol, muito do que foi prometido para a cidade de Chapada está longe de ser concretizado. Centro de convenções, melhoria dos aparelhos turísticos, duplicação ou ampliação da Rodovia Emanuel Pinheiro e outras promessas ainda estão no papel.

Apesar da beleza da cidade ter estampado a campanha de Cuiabá como cidade sede, nossa charmosa cidade até agora mais perdeu do que ganhou com o grandioso evento. Atrativos como a Salgadeira e o Portão do Inferno estão fechados e a perspectiva de abertura parecem distantes. Além disso, o acesso à cidade está todo esburacado e os produtos turísticos que resistiram carecem de nova roupagem para agradar os consumidores mais exigentes.

Diante de tal cenário, alguns empresários toparam assumir a tarefa de dar novo fôlego ao turismo local por meio da representação no Conselho de Turismo do município. Ontem mesmo o grupo tomou posse legalmente e já estuda maneiras de desenvolver o setor. Para a nova diretoria encabeçada por empresários representantes da Associação Comercial, do segmento de atrativos turísticos e das agências de turismo o maior desafio será a implementação da Lei do Voucher. Esta lei irá alterar a forma de arrecadação da prefeitura, criará uma plataforma de gerenciamento de visitação dos atrativos, normatizará a relação entre guias e agências e garantirá que os produtos sejam vendidos dentro de um alto padrão de segurança.

A lei foi criada ainda na gestão do ex-prefeito do município, mas só agora encontrou força política por parte dos atores do setor público e privado para entrar em vigor. Implantá-la significa entre outras coisas um grande desgaste político. É sabido que dentro do município existe ainda uma série de empresas que possuem alvará apesar de não estar legalmente constituídas. Outra dificuldade será convencer os grandes empresários a destinar uma pequena parte de sua arrecadação para o Fundo do Turismo municipal. Tal fundo irá permitir autonomia ao grupo para sanar demandas apontadas pelo próprio setor por meio de reuniões. Para isso, a nova gestão do COMTUR pretende contar com o apoio da prefeitura no sentido de fiscalizar todas as empresas envolvidas.

A gestão participativa do grupo tem como pretensão “arrumar a casa”. Ao organizar a arrecadação acreditamos, sim faço parte do conselho, que o setor turístico deixará de ser uma vocação para se tornar um segmento de alta produtividade. O momento político e a energia dos empresários são favoráveis. Acredito que com o apoio de todos os players envolvidos teremos a oportunidade de fazer história. Está na hora de abandonarmos o próprio umbigo para buscarmos o crescimento coletivo. Todos os que quiserem contribuir estão convidados a participar das reuniões as quartas no Centro de Atendimento ao Turista.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Felipe Desiderio Estivil Bustos | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 18h33
    0
    0

    Acredito nesta nova força dos VOLUNTÁRIOS. Temos a Casa dos Conselhos ( abandonada), para os ENCONTROS.

  • Juraci | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 17h10
    0
    0

    O inferno está cheio de bem intecionados. Moro em Cuiabá e cada vez que quero tomar banho de cachoeira tenho que contratar essas agências que cobram os olhos da cara por passeios de 2 horas no parque, se querem desenvolver o turismo em Chapada tem que acabar com esse monopólio onde só entrar no parque com guia, é uma área pública e o Icmbio tem que acabar com essa roubalheira contra o povo brasileiro...Ganhar dinheiro assim é fácil, tem que acabar com esse privilégio, quero ver ganhar baseado em bons serviços e preços compatíveis...

| 16/04/2014, 16h:30 - Atualizado: 17/04/2014, 09h:06

Nesta 5ª, Agência do Vale do Rio Cuiabá


Arquivo/RDNews

dito pinto

Presidente da AGEM-VRC, Benedito Pinto, participa, ao vivo, do RDTV nesta quinta

O RDTV desta quinta-feira (17) conta com a participação, ao vivo, de Benedito Pinto, que é o presidente da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá. Na oportunidade, ele vai falar sobre a atuação da entidade, que tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento integrado dos municípios de Várzea Grande, Cuiabá, Santo Antonio de Leverger e Nossa Senhora do Livramento. As demandas iniciais envolvem as áreas da saúde, transporte coletivo, resíduos sólidos e saneamento básico.

Os interessados em colaborar com o bate-papo, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicando no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Ainda no programa, os detalhes da paralisação feita pelos servidores do Departamento de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) e o conteúdo da petição protocolizada no Tribunal de Justiça (TJMT) pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), documento que comprovaria o acesso do ex-presidente da Câmara de Cuiabá, vereador João Emanuel (PSD), ao vídeo apontado como uma das provas contra o parlamentar na investigação feita pelo Ministério Público, material que o social-democrata garantiu desconhecer o teor.

Postar um novo comentário

| 16/04/2014, 15h:43 - Atualizado: 16/04/2014, 16h:11

Na trincheira, Silval e Maurício tocam obras


Fernando Ordakowski

silval mauricio

Governador Silval Barbosa e o secretário Maurício Guimarães: obras e problemas

O governador Silval Barbosa e seu secretário da Secopa, Maurício Guimarães, entram agora numa fase tensa. Passam a ser mais cobrados quanto à conclusão das obras voltadas à Copa do Mundo. Afinal, faltam dois meses para o primeiro jogo do Mundial na Arena Pantanal, que vai sediar 4 partidas. A Arena está praticamente concluída, mas outras obras macro, não. Os projetos de execução dos centros de treinamento andam a passos de tartaruga, assim como trincheiras e viadutos, além dos trilhos do VLT e da ampliação do aeroporto internacional Marechal Rondon. Ao mesmo tempo que propaga ser o governador que está revolucionando a Região Metropolitana, antecipando grandes obras que demorariam 40 anos para ser realizadas, Silval enfrenta desgaste porque muitas delas estão em andamento há mais de dois anos e sem data para conclusão. Enquanto isso, se vê obrigado a ficar na trincheira e a caminhar sob proteção para não ficar tão vulneráveis a críticas e ataques, principalmente de motoristas que enfrentam vias esburacadas.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • MARCELO | Sexta-Feira, 18 de Abril de 2014, 07h39
    0
    0

    AS EMPREITEIRA QUE ESTA RECEBENDO NESSAS OBRAS SÃO DE POLITICO E DAI QUE SAI O DINHEIRO DA CAMPANHA SE SÉ FAZER UM TERMO ADITIVO PARA COMPROVAR GASTO .

  • José da Rocha Filho | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 10h17
    0
    1

    Com todo esse dinheiro que veio para o estado, dava para fazer um ótimo governo. Bastava um pouco de competência.

  • Heloisa Magalhães | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 10h15
    0
    1

    Falta é de COMPETÊNCIA, ISSO SIM! Realmente penso que perdeu a grande oportunidade de ser o melhor governador de todos os tempos!!!

  • José da Rocha Filho | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 10h13
    0
    1

    Ficar na trincheira? Isso é fácil. As ruas de Cuiabá tem tantas!

  • Laerte | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 08h49
    10
    1

    Eu acredito e espero que a População NUNCA mais irá votar nesse Governador sem compromisso ...Vamos votar em Muvuca Povo HUMILDE.

  • GILTON | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 07h47
    2
    1

    Tem muita gente contra as obras e a copa, mas, diz que não é contra as obras dá pra entender!! Quem não se lembra de que pessoas maldosas pararam as obras inclusive do VLT na justiça sem provar nada nenhuma de fraudes!Isso ninguém vê sem falar à chuva que foi mais este ano. É por isso que eu nunca fui linguarudo “maldoso coração doente” sobre estas obras. Querendo ou não, governador atual tem seus méritos e corajoso em tocar as obras.

  • pedro | Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014, 21h29
    2
    0

    silval perdeu a oportunidade de ser o melhor governador do estado, falta planejamento na area de segurança publica, mais material humano, falta de grana? não acredito, falta de vontade eu acredito....

| 16/04/2014, 14h:21 - Atualizado: 16/04/2014, 14h:24

1/3 do MT Prev é discutido e polêmica de autonomia dos órgãos é sanado, diz petista


Rodinei Crescêncio

alexandre_cesar_interna.jpg

Deputado Alexandre César (PT)

Na reunião da Comissão Especial da Assembleia para implementar o Fundo Previdenciário, o MT Prev, o relator deputado Alexandre César (PT) afirma que um terço do texto já teve o consenso dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, que fazem parte do Fundo. “Avançamos em dois pontos que eram preocupantes, mas ainda há outros”, explica o petista no encontro que ocorreu nesta terça (15).

As duas polêmicas eram acerca do que diz respeito à autonomia dos órgãos nas aposentadorias e pensões, além da manutenção do sistema, por meio da contribuição patronal dos Poderes, que também teve avanços num formato que dá segurança para todos. Ficou esclarecido, segundo o deputado, que os órgãos públicos terão autonomia quanto às avaliações dos requisitos e na concessão da aposentadoria. “Isso é direito de cada poder público”. Isso porque havia preocupação de que o MT Prev pudesse, de alguma forma, ferir o direito que eles têm nestes aspectos, inclusive, previstos na Lei Orgânica da Magistratura, do Ministério Público e da Defensoria.

No próximo dia 23, a Comissão, presidida pelo deputado José Riva (PSD), volta a se reunir para analisar outros pontos do projeto do Executivo. Alexandre César explica que da mensagem original está sendo criado um substitutivo elaborado pelas partes que compõe o MT Prev. “Tomamos como base o material do Governo, no entanto, estamos, praticamente, fazendo um novo projeto”. O MT Prev é uma exigência da Constituição onde diz que é preciso ter um sistema único de previdência nos Estados, municípios e União. O prazo é até junho.

Participam da reunião, os deputados que integram a comissão: José Riva, Alexandre César, Wagner Ramos, Emanuel Pinheiro e Ezequiel Fonseca, representantes do Governo, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Defensoria Pública, Fórum Sindical, sindicatos e associações representativas dos servidores.

Lei Kandir

Nos próximos dias, a comissão apresenta proposta ao governador Silval Barbosa (PMDB) para que o governo federal ajude o MT Prev com aporte financeiro, como forma de compensação pelas perdas do Estado, por meio da Lei Kandir, que somam aproximadamente R$ 2 bilhões todos os anos. Para Riva esta seria uma forma da União dar mais segurança e tranqüilidade aos servidores. (Com Assessoria)

AL busca recursos da União para MT Prev

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • A | Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014, 16h22
    0
    0

    ISTO E´ UMA VERGONHA COM A POPULAÇÃO ANO PASSADO O MEU IPTU VEIO 400.00 REAIS AGORA 1.500.00 REAIS ///// ELES FALAO QUE FICOU 10 ANOS SEM CORRIGIR O VALOR VENAL AI AUMENTA OS 10 ANOS DE UMA SÓ VEZ SEM A POPULAÇÃO SE PREPARAR PARA MAIS UM IMPOSTO DE SURPRESA

| 16/04/2014, 12h:13 - Atualizado: 16/04/2014, 12h:19

MCCE garante que desembargadora foi induzida ao erro e protocola petição no TJ


O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) vai peticionar hoje (16), às 14h, no Tribunal de Justiça, ação demonstrando para a desembargadora Maria Aparecida Ribeiro que ela foi induzida ao erro no relatório que cancelou ontem (15) a sessão de possível cassação do vereador João Emanuel (PSD) por quebra de decoro parlamentar.

A desembargadora afirmou na ocasião que os documentos encaminhados para a defesa estavam incompletos, faltando cópia em DVD do vídeo obtido durante a Operação Aprendiz. Já o MCCE vai juntar à petição  interceptação telefônica em que João Emanuel pede cópia do suspeito DVD ao seu advogado, Eduardo Mahon. "Depois que entregarmos a petição vamos liberar as provas", diz o membro do movimento Antônio Cavalcante Filho, o Ceará.

Além do CD com a gravação que demonstra que João Emanuel tinha acesso ao vídeo desde 28 de novembro, com cópia para Riva e Silval, o MCCE junta no processo no TJ uma cópia de petição onde se atesta que desde o ano passado o vereador teve acesso a todas as evidências judiciais contra ele. (com assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • xa co bolo | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 11h55
    0
    0

    Fernando Pessoa, Geraldo, gilmar kkkk vcs sao cumplices da impunidade pois a sociedade civil tem direito e deveres ..acho q vcs nao estao conectados na realidade ..com certeza sao amigos beneficiados dos CORRUPTOS DE MT .. vcs estao confundindo tudo. quem deve nos prestar contas e explicar decisoes sao nosssos politicos e nao um cidadao indiguinado pela corrupcao,,mas sim procuraar saber o que os agentes piblicos aprontam com nosso dinheiro ..nao confundaam mais e tratem de ler mais sobre jesus que vcs irao entender do que falo. se jesus estivesse aqui nao iriam curtir comentaarios tao mal fundamentados .. oohhhh Jesus perdoe os ..eles nao sabem o que dizem ,,nem o que fazem

  • Fernando Pessoa | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 00h57
    2
    2

    O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) gostaria de sabre se vc que é da Ong da moral vc vai entrar com pedido de cassação contra o presidente da casa JULIO PINHEIRO agora quero ver se vc é da moral mesmo ????

  • geraldo | Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014, 14h05
    6
    4

    Não acho que esse senhor seja desonesto mas, santo não tem nenhum abaixo do céu,portanto,não adianta querer ser o melhor,o mais honesto o sem pecado, não devemos julgar ninguém porque não somos tão puro e cristalino como foi Jesus. Não conheço a desembargadora e nem o réu no processo, meu comentário é porque já estamos cansados de ver tantos querendo ser o profeta.

  • Gilmar | Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014, 13h33
    7
    4

    Se eu fosse a Desembargadora mandava desentranhar a petição dos autos e devolvê-la ao subscritor. Este MCCE quer aparecer. Só se manifesta em um processo judicial quem é parte ou custus legis (ministério Público) ou, quem, previamente se habilita como amicus curis e/ou assistente de acusação (em processo criminal), o que não é a hipótese, pois este dito MCCE não se adéqua em nenhuma destas hipóteses.

EM SUIÁ MISSU | 16/04/2014, 08h:45 - Atualizado: 17/04/2014, 09h:06

Reportagem mostra cenário de destruição, drama e o reflexo econômico no Araguaia

Rdnews traz 6ª o retrato de uma gleba-cidade que está demolida


Davi Valle/Rdnews

Patricia Sanches suia missu moradores

Jornalista Patrícia Sanches entrevista casal Lourival e Divina, que teve casa destruída em Suiá Missu

O Rdnews publica no feriado de Sexta-Feira Santa uma reportagem especial de capa sobre Suiá Missu, uma cidade-gleba que surgiu há mais de duas décadas entre Alto Boa Vista e São Félix do Araguaia e que, em meio a conflitos entre posseiros e índios, teve seus habitantes não-índios expulsos à força pela polícia em dois momentos. A jornalista Patrícia Sanches, editora-executiva do portal, e o repórter-fotográfico Davi Couto Valle, viajaram 1.200 km, de Cuiabá ao distrito Estrela do Araguaia, também conhecido como Posto da Mata. Permaneceram na região por 3 dias. Encontraram ali um cenário de destruição, similar a cenas de filme de guerra. Quase 4 mil foram despejados. Foram demolidos na última desintrusão, no início deste mês, além de casas de concreto e barracos, 6 igrejas, 1 posto de combustível e 1 restaurante. Só ficou de pé a estátua de Cristo de braços abertos.

Fotos: Davi Valle/Rdnews

suia missu casas destruidas

Após a saída de quase 4 mil habitantes, casas, igrejas e estabelecimentos comerciais são destruídos

A Funai auxilia agora os índios da nação Xavante, que estão numa aldeia próxima e vão fazer a chamada perambulação com vistas ao reconhecimento da área. A reportagem ouviu autoridades, representantes de entidades e antigos moradores, como o casal Lourival e Divina Peres. Eles tinham a última casa de concreto de pé na área, resistiram à ordem de desocupação, foram atingidos por bombas de efeito moral lançadas contra os moradores, passaram mal e foram para o hospital. No retorno, encontraram a casa destruída.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • José da Rocha Filho | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 14h43
    0
    0

    `´E uma pena que este sério veículo de comunicação ainda não exista quando essa área foi ocupada pelos invasores. Certamente teria mostrado outra destruição ocorrida. A destruição do meio , da cultura dos moradores e principalmente e de vidas humanas . A destruição depende do ponto de vista.

  • Albino Pfeifer Neto | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 13h48
    0
    0

    Bom enquanto tivermos legisladores, judiciário e executivo desta qualidade, para dizer outra coisa, não teremos uma nação. O Brasil precisa de homens que amem seu País e não estas pessoas que estão no poder pelo dinheiro! A Revolução pelo voto começa este ano!! ORDEM E PROGRESSO!!

  • Geraldo David | Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014, 11h03
    1
    0

    O que me chama a atenção é o poder da fé desse povo humilde. Seis igrejas!

  • Ednor Feranades Vieira | Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014, 10h21
    2
    0

    Ex-produtor da Suiá Missu com depressão mata mulher em seguida se suicida em Novo Santo Antônio. No total já são registrados 28 mortes dos ex moradores da Suiá Missú, 8 foram por suicídio. E istoaconteceu na Terça Feira passada.

| 16/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 16/04/2014, 09h:26

95 anos do Instituto Histórico e Geográfico

vinicius_artigo_quarta

Vinicius de Carvalho

Hoje quero falar sobre o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso (IHG-MT), do qual sou o atual presidente, por ocasião de seu aniversário. No último dia 8 de abril, o IHG-MT completou 95 anos de fundação pelo então presidente do Estado, Arcebispo Dom Aquino Corrêa. Isto faz dele, portanto, a instituição cultural mais antiga em atividade do Estado.

Naquele ano do bicentenário de Cuiabá, o objetivo de Dom Aquino era criar um espaço onde os principais intelectuais da época pudessem se reunir para discutir as obras científicas mais importantes em áreas afins e contribuir para a formação da opinião em Mato Grosso. Sua criação foi inspirada pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, fundado por membros da corte do imperador Dom Pedro II no Rio de Janeiro em 1838 com objetivos similares e adaptado de instituições europeias.

Logo depois, em 1921, foi  instalado também por Dom Aquino o Centro Mato-Grossense de Letras, depois transformado na atual Academia Mato-Grossense de Letras (AML). As duas instituições continuam irmanadas ainda hoje, dividindo o imóvel denominado de Casa Barão de Melgaço. Num período em que o Estado ainda não tinha um curso superior sequer, a criação de um espaço como este foi fundamental para fomentar a produção e circulação de conhecimento naquele imenso território que abrangia também os atuais Mato Grosso do Sul e Rondônia.

Ao longo de sua existência, a Casa Barão de Melgaço foi acumulando um acervo dos mais importantes, em cumprimento a sua missão original de preservação da memória estadual. São mais de 12 mil volumes entre livros, jornais, revistas, arquivos de família, fotos, cartas, manuscritos, escritos tipografados, dentre outros. Importante destacar que este acervo está todo catalogado e em boa medida digitalizado, com consulta permitida de acordo com as normas.

Com o passar do tempo, o IHG-MT passou a desempenhar imprescindível função de articulação entre diversas instituições hoje existentes na área. Existem sócios egressos das universidades, dos meios de comunicação, da área cultural e dos diversos centros de documentação existentes hoje no Estado e mesmo fora, por meio dos sócios corespondentes. Nos últimos dez anos foram recebidos importantes apoios governamentais, como a restauração do imóvel, a adesão ao programa dos Pontos de Cultura do Ministério da Cultura e, no ano passado, o acesso à totalidade do imóvel, numa importante conquista das duas instituições junto ao governo atual.

Aos 95 anos seus principais desafios são continuar e expandir suas atividades, preparando-se para o seu próprio centenário em 2019, que coincidirá com o tricentenário de Cuiabá. Deveremos ser capaz de se atualizar num ambiente marcado pelas novas mídias, a profissionalização do terceiro setor (entidades sem fins lucrativos) e a captação de recursos junto as mais variadas fontes financiadoras.

Como em 1919, a instituição deverá contribuir para a discussão sobre a identidade cultural mato-grossense, em face da diversidade hoje presente em seu território. É sabido que Mato Grosso foi um dos Estados que mais cresceu no Brasil nas últimas três décadas. Este processo de crescimento econômico foi proporcionado por uma forte corrente migratória vinda de outras regiões brasileiras e países.

Além disso, já havia populações mais tradicionais vivendo aqui, como os grupos indígenas, quilombolas e aquela localizada nos municípios mais antigos como Cuiabá, Rosário Oeste, Cáceres, Diamantino, Vila Bela da Santíssima Trindade, Barra do Garças, dentre outros. Auxiliar na compreensão deste novo Estado que está surgindo está entre as tarefas mais importantes a serem desempenhadas pelo IHG-MT nos próximos anos. Vida longa à instituição.

Vinicius de Carvalho Araújo é gestor governamental do Estado, mestre em História Política, professor universitário e escreve neste Blog toda quarta-feira vcaraujo@terra.com.br www.professorviniciusaraujo.blogspot.com

Postar um novo comentário

| 15/04/2014, 18h:09 - Atualizado: 15/04/2014, 18h:12

Câmara aprova e Prefeitura de Cuiabá deve pagar verba indenizatória à Força Municipal


A Câmara de Cuiabá em meio à polêmica da cassação ou não do vereador João Emanuel (PSD), aprovou hoje (15) o projeto do Executivo que autoriza a indenização por desempenho, a ser paga aos militares que atuarão na Força Municipal de Segurança da Capital. O pagamento vai ser efetuado por meio de Verba Indenizatória, prevista no orçamento da secretaria municipal de Apoio à Segurança Pública.

A Força Municipal é o resultado de um termo de cooperação assinado entre a Prefeitura de Cuiabá, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil. Estará apta a atuar nas unidades de saúde, escolas públicas, feiras livres e grandes eventos, como a Copa do Mundo. O efetivo passará a atuar assim que o decreto for assinado pelo prefeito Mauro Mendes (PSB).

Com este projeto aprovado, o oficial Militar e delegado, por exemplo, vão receber R$ 20 por hora trabalhada nos dias de semana. Nos feriados e finais de semanas receberão R$ 24, limitando a 8 horas/dia e 90 horas/mês. A princípio, 10 viaturas personalizadas estarão à disposição da Força Municipal. As equipes serão formadas por policiais militares e civis, além de bombeiros, que se voluntariarem a trabalhar em seu período de folga, sendo remunerados pela prefeitura.

De acordo com a proposta, a remuneração dos outros agentes de segurança será feita da seguinte maneira: aos subtenentes e sargentos militares e escrivães de polícia, o pagamento de R$ 16 por hora trabalhada nos dias de semana, e R$ 18 aos finais de semana e feriados, limitado a 8 horas/dia e 90 horas/mês. Aos cabos e soldados militares e aos investigadores de polícia, serão R$15 por hora trabalhada nos dias de semana e R$ 17 nos finais de semana e feriados. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Neto | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 20h54
    0
    0

    Tem uma grave distorção na matéria, porque não se trata de uma força municipal e sim do pagamento de uma migalha para os policiais militares ESTADUAIS, que já trabalham em uma carga horária sobrecarregada. Mas com o salário atual da PM que é uma vergonha certamente haverá muitos dispostos a fazer este "bico institucionalizado". Depois se o PM tomar decisões equivocadas em razão do excesso de carga horária se lembrem que a Prefeitura de Cuiabá tem participação nisso... Mauro Mendes sou teu fã, mas dessa vez vc está errado...

  • domicio | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 20h04
    1
    1

    O TCE , O MPE, não vao se pronunciar sobre esse absurdo que foi aprovado na casa do dos horrores 2014?. não e legal e mto menos e imoral. onde esta o direito do descanso do poilcia.

| 15/04/2014, 16h:17 - Atualizado: 16/04/2014, 09h:05

Ao vivo, cientista analisa caso João Emanuel


Arquivo/RDNews

camara_capa.jpg

No RDTV, analista repercute cancelamento da sessão que apreciaria a cassação de ex-presidente da Câmara

O RDTV desta quarta (16) vai mostrar todos os detalhes da sessão da Câmara de Cuiabá que apreciaria o pedido de cassação do ex-presidente da Casa, Vereador João Emanuel (PSD). Uma decisão da Justiça provocou uma reviravolta no andamento dos trabalhos, impedindo a realização dessa matéria. Confira os argumentos usados pela defesa do parlamentar, a repercussão disso tudo nos bastidores e os encaminhamentos tomados pela mesa diretora do legislativo cuiabano.

Para analisar todos esses fatos, o cientista político João Edisom é o convidado ao vivo do RDTV. O bate-papo começa às 8h30 e permite a interação do internauta, que deve acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Postar um novo comentário

| 15/04/2014, 11h:18 - Atualizado: 15/04/2014, 11h:42

Walace passa apurado em Várzea Grande


Fernando Ordakowski

walace

Prefeito Walace Guimarães (PMDB) afirma que "herdou" 500 milhões de dívidas e, sob desgaste política, está tentando ajustar administração em Várzea Grande

O prefeito Walace Guimarães (PMDB) está passando apurado para administrar Várzea Grande, segundo maior município do Estado com 300 mil habitantes. "Herdou" nada menos que R$ 500 milhões em dívidas. Dos 200 bairros, 120 não possuem asfalto. Somente 14% têm cobertura de esgotamento sanitário tratado. Metade das residências não recebe água regularmente nas torneiras e 70% do que se produz são perdidos por causa da rede envelhecida, inadequada e dos tubos de péssima qualidade debaixo da terra. A falta de infraestrutura é tanta que Várzea Grande figura na triste estatística de um dos 100 piores municípios do país em esgotamento sanitário. Com um ano e três meses de mandato, Walace, um médico que entrou na vida pública como vereador e depois como deputado estadual, afirma que, primeiro, teve de "arrumar" a casa. Para conseguir a regularização fiscal, gastou R$ 100 milhões. Com isso, o município está apto a receber recursos, saindo da condição de inadimplente. Conseguiu regularizar a folha salarial do funcionalismo e espera, com a conquista de R$ 333 milhões do PAC, avançar na questão do saneamento.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Pery Taborelli da Silva Filho | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 23h21
    1
    0

    É FALACIOSA A FALA DO EXECUTIVO MUNICIPAL POIS, O MUNICÍPIO ESTÁ COM GASTOS COM PESSOAL, ACIMA DO LIMITE CONSTITUCIONAL, OU SEJA, O LIMITE É 54% E ESTÁ 54,74%. DESSA FORMA, NÃO É EMITIDO NENHUMA CERTIDÃO PARA QUE O MUNICÍPIO REALIZE APORTE FINANCEIRO. TENHO DITO.

  • Hernani Monteiro da Silva | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 18h01
    0
    0

    Hernani Monteiro da Silva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Manoel Gomes de Arruda | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 14h02
    0
    0

    Manoel Gomes de Arruda , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • linda | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 13h43
    1
    0

    Acredito que o prefeito Walace esta muito mal assessorado, o que falta muito é competencia p administrar varzea grande, hoje nao temos nada a comemorar, as ruas emburacadas,falta de agua, esgoto a saude esta pior do que um caos a falta de segurança e na cidade toda, hoje não podemos deixar nem os nossos filhos so em casa, em fim tem que ser feito um novo lealte na cidade eu moro em um bairro nobre da cidade, nobre de de nome esta uma vergonha temos agua que escorre dia e noite na rua um mal geiro insuportavel

| 15/04/2014, 09h:47 - Atualizado: 15/04/2014, 10h:11

Deputado-empreiteiro e a luta por pedágio


Fernando Ordakowski

nininho

Deputado Nininho, um dos acionistas que explorava cobrança de pedágio na 130

O deputado-empreiteiro Ondanir Bortolini, o Nininho (PR), tem se movimentado de todas as formas nos bastidores na esperança de retomar a cobrança de pedágio na MT-130, entre Rondonópolis-Poxoréu-Primavera do Leste. Ele é um dos acionistas da Morro da Mesa, que explora a concessão. Recorreu à Justiça, mas não obteve êxito. O Ministério Público bate duro. Não só pediu a suspensão da praça de pedágio, como quer que a empresa faça ressarcimento de R$ 80 milhões. De fato, a concessionária demonstrou incompetência neste curto período “cuidando” da rodovia estadual. Foi até multada pelo Procon de Rondonópolis em R$ 3,3 milhões, após registro de 29 denúncias, entre elas de falta de acostamento, de matagal às margens da pista, de buracos, de sinalização deficitária, da inexistência de sinal de telefonia móvel e de serviço precário de guincho e ambulância. Nininho parece não estar nem aí para o cidadão que até demonstra disposição para pagar o pedágio, mas desde que a via tenha boas condições de trafegabilidade.

Postar um novo comentário

| 15/04/2014, 08h:19 - Atualizado: 16/04/2014, 10h:46

Glebas Cristalino e a Maiká são transferidas da União para o Estado; Intermat regulariza


Após 30 anos de disputa judicial, foi assinado o termo de Cessão de Direitos e Doação das glebas Maiká e Cristalino/Divisa, passando a gestão da área da União para Mato Grosso. Em reunião ontem (14) no município de Marcelândia, o governador Silval Barbosa (PMDB) e o ministro do Desenvolvimento Agrário Miguel Rossetto (PT) decidiram que a regularização das terras será feita através do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) a fim de garantir segurança jurídica e desenvolvimento para a região.

Durante discurso, o governador ressaltou que esta é uma luta antiga e que a partir de agora todos estão aptos a regularizar sua propriedade. “Os produtores devem ir ao Intermat, encaminhar seus processos e regularizar suas áreas com urgência”, disse.

O governador ainda destacou que a regularização das terras vai valorizar as propriedades e que o crescimento do agronegócio dará oportunidade aos moradores devido à chegada de indústrias e empresas.

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) afirmou que o convênio firmado para regularização de terra irá dar segurança jurídica para os empreendedores, ajudar no desenvolvimento da região e no crescimento do PIB.

Além de Marcelândia outros municípios beneficiados são Matupá, União do Sul, Nova Santa Helena, Novo Mundo e Alta Floresta. (Com assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • valdir correia | Quinta-Feira, 17 de Abril de 2014, 15h44
    0
    0

    o que aconteceu foi a legalização da grilagem de terras publica estas áreas era da união foi invadida por grandes latifundiário inclusive o governador Silval Barbosa é um grande grileiro de área nesta região, eu fico triste com este PT que da tudo para grande exploradores cade a REFORMA AGRARIA só mentira.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 664