Cuiabá, 27 de Julho de 2015
  • Alline Marques

    Alline Marques

  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Eduarda Fernandes

    Eduarda Fernandes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

avaliação | 27/07/2015, 14h:53 - Atualizado: 04h atrás

Contas da gestão Silval chegam à AL e passam por comissões antes de votação


Reprodução

silval_barbosa.jpg

Silval Barbosa terá contas apreciadas

As contas de governo referentes a 2014, sob comando de Silval Barbosa (PMDB), foram apresentadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) no último dia 16, na Assembleia. Segundo a assessoria da Mesa Diretora, o documento deve ser lido somente em 4 de agosto, data da primeira sessão do Legislativo após o período de recesso parlamentar.

O deputado Zé Domingos Fraga (PSD) informa que o documento será analisado e votado internamente pela Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária (CFAEO), a qual preside e, em seguida, deve passar por trâmite similar na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Concluída esta etapa, os pareceres das comissões devem ser levados ao plenário até o prazo máximo, que é 28 de dezembro.

O parlamentar explica que dos cinco integrantes da CFAEO, apenas três podem assumir a relatoria do processo, sendo eles Eduardo Botelho (PSB), Wagner Ramos (PR) e Zé do Pátio (Solidariedade). Isso porque o vice-presidente da comissão, Silvano Amaral (PMDB), já está designado como relator da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) e o próprio social-democrata tem intenção de assumir a relatoria da Lei Orçamentária Anual (LOA). “Eu quero ser relator da LOA”, revela.

Nos bastidores, há rumores de que Zé do Pátio teria intenção de ser o relator das contas de Silval, mas a informação não é confirmada, tampouco descartada por Zé Domingos. “O que posso garantir é que não vamos permitir que interesses pessoais interfiram. Vai ser uma avaliação técnica”. Outros dois processos importantes devem ser distribuídos entre os membros da CFAEO, sendo as contas do TCE e o Plano Plurianual (PPA).

Postar um novo comentário

| 27/07/2015, 00h:00 - Atualizado: 27/07/2015, 08h:11

Mato Grosso vai bem

sandra_alves_colunista_segunda-feira

Sandra Alves

Questionar se Mato Grosso supera a crise nacional é pergunta imperativa hoje. O Estado integra a Federação, mas em que medida a crise federal afeta as questões internas?

De algum modo é possível o afastamento dos fatos ocorridos junto a presidente da República, ao Congresso Nacional, à operação Lava Jato, ao disparo do câmbio do dólar, tudo em relação à economia e política de Mato Grosso? O governador Pedro Taques, os representantes do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria e Assembleia estão no divisor de águas do momento político-econômico.

Há algum tempo não se via a imprensa nacional discutindo tantos acontecimentos na velocidade que se vê hoje. Se na semana anterior a operação “Lava Jato”, com suas investigações, chegou até à presidência da Odebrech, uma das maiores empresas nacionais, bem como ao deputado Eduardo Cunha, atual presidente da Câmara dos Deputados, com denúncias de propinas da casa de 5 milhões de dólares, esta semana o destaque foi o descrédito de Joaquim Levi.

O Governo Federal admitiu seu fracasso, por intermédio da equipe econômica, ao anunciar a redução da meta fiscal em mais de 90%. É a incapacidade do governo de economizar dinheiro para pagar juros, de investir em infraestrutura, de fazer a economia crescer.

E o mercado econômico nacional e internacional interpretou a mensagem no pior cenário possível, a cotação do dólar disparou, os índices da Bovespa caíram. São os diversos cenários de uma grave crise econômica e política.

Apesar do contexto nacional, Mato Grosso vai bem. Na sexta (24), o ministro do Supremo Tribunal Federal participou na Capital de audiência de custódia inaugural, com o objetivo de humanizar o processo penal e acelerar o trâmite da análise da prisão cautelar; recebeu a medalha do mérito Judiciário Desembargador José de Mesquita.

O STJ prestigiou o Estado com a presença da ministra Nancy Andrighi, que recentemente participou do lançamento do “Mutirão Fiscal”, uma parceria entre os Poderes, fundamental neste momento, e que tem como expectativa a arrecadação de R$ 700 milhões. No programa, o cidadão pode fazer o pagamento dos débitos com redução de 100% das multas, mais parcelamento do crédito principal.

A arrecadação de impostos no Mutirão Fiscal – que soma esforços do Estado e município - corroborará com a construção novo pronto socorro de Cuiabá, desafogando grandes demandas em relação à saúde. A inauguração do hospital São Benedito, para realização de cirurgias de alta complexidade, representou mais um passo em direção ao atendimento da população. 

O programa de políticas públicas “Transforma Mato Grosso”, com mais de 3 mil ações em diversas áreas, é um dos maiores desafios assumidos por governador nas últimas décadas. Um contexto de representação e atividades do Estado com o potencial de superar crises.

A falta de diretrizes federais na política e economia afetam Mato Grosso, especialmente pela crise na infraestrutura. Por outro lado, como Estado produtor do setor primário (maior exportador de grãos do país), minimiza o impacto da recessão econômica.

Economistas e cientistas políticos, ao analisarem o cenário nacional, apontam que a crise política e econômica ainda não possui data para seu fim. Não se trata de simples ajuste fiscal a ser promovido pela equipe econômica do governo federal, pois esta não possui instrumentos para alterar a economia de forma suficiente.

O país gasta mais que arrecada; diversas despesas são vinculadas ao PIB; os incentivos fiscais e as regras para arrecadação diferem em muitos setores, inviabilizando a organização do país e a retomada da confiança do mercado.

Mato Grosso não olha para a recessão, caminha em direção ao crescimento. Medidas de contenção e freios nas despesas são propostas. Investimentos com a preocupação da identificação da despesa, pontuados nas áreas de saúde, educação e infraestrutura são a nova constante. O prestígio das ações pelas autoridades citadas é prova disto. Apesar do Brasil, Mato Grosso vai bem!

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Miriam F. de Queiroz | Segunda-Feira, 27 de Julho de 2015, 17h01
    0
    1

    Concordo plenamente, Sandra. O governo está fazendo uma boa administração.

  • Sandra Cristina Alves | Segunda-Feira, 27 de Julho de 2015, 16h35
    1
    0

    Prezado Pagot, obrigada por seu comentário. A elegância e a educação na apresentação de sua opinião, com os argumentos pertinentes deixa esta defensora do debate bastante feliz! Forte abraço.

  • Luiz Antônio Pagot | Segunda-Feira, 27 de Julho de 2015, 13h39
    2
    0

    Calma doutora Sandra. Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Alegar que o MT vai bem apesar do Brasil é ser muito parcial na análise. Nosso agronegócio é pujante e alavanca a economia mato-grossense por uma série de circunstâncias: nos últimos anos um bom dinheiro foi investido em infraestrutura, não faltaram recursos para financiamento de caminhões, máquinas e implementos a juros subsidiados, as safras tiveram sucessivos aportes inclusive com equalização de preços para o milho e algodão. Também grandes investimentos foram feitos em habitações populares e saneamento. E, houve ampla disponibilidade de recursos através de financiamento pelo Bndes e outros bancos oficias à centenas de empresas de MT. Nosso povo é trabalhador e destemido mas nossa nação colabora e muito com nosso desenvolvimento. Pagot.

SEM CONVERSA | 26/07/2015, 09h:02 - Atualizado: 26/07/2015, 09h:10

Senador diz que Dilma é inflexível, isolada e precisa melhorar diálogo - confira vídeo


O senador Wellington Fagundes (PR) destaca  a falta de diálogo e isolamento da presidente Dilma Rousseff (PT) como um dos fatores que dificulta a relação com o Congresso e também com a sociedade, que tem demonstrado insatisfação com a gestão da petista. O republicano faz parte da base aliada e ainda foi o coordenador da campanha dela em Mato Grosso no segundo turno.   “Reconheço que ela deveria ter mais diálogo.  Ela é muito inflexível, não tem um grupo de pessoas com diálogo franco e aberto. É muito isolada e podia ser mais receptiva”, comenta.

Wellington adianta que o governo federal precisa corrigir as falhas, fazer a sua parte na contenção de gastos e confirma que está provado que a União gastou mais do que podia. Por outro lado, também aponta que o Congresso tem sua responsabilidade em aprovar medidas que possam ajudar o país a superar a crise. Cobra da oposição responsabilidade.

 

Gilberto Leite

wellington blog 500

 Wellington Fagundes, senador da base governista, critica a falta de diálogo no Palácio do Planalto

Sobre os cortes de ministérios e cargos, o parlamentar acredita que a economia feita não será tão significativa, mas terá um impacto político importante e diz que isto tem sido pauta de diversas reuniões da base aliada. Ele aponta ainda que algumas medidas para enxugamento esbarram no excesso de burocracia.

 O senador ressalta ainda que o governo tem deficiência estrutural e de pessoal, além disso, se fizer um comparativo os repasses aos demais Poderes e órgãos de controle acabam sendo maiores, proporcionalmente, do que para o Executivo, que fica com pouco investimento. “Engenheiro do TCU ganha mais. É importante a fiscalização e o controle, mas tem de ter o Executivo aparelhado”.

 Questionado se tem sentido uma cobrança maior por parte do cidadão devido ao fato de pertencer à base aliada, Wllington refuta essa ideia e sai em defesa do governo. Para ele, as pessoas sabem reconhecer que o BRasil melhorou muito e consegue entender que as transformações são feitas com dificuldade.

 O parlamentar também aproveita para criticar a oposição e cobra responsabilidade. Wellington ainda confirma que alguns tem agido de forma oportunista em vários aspectos, como, por exemplo, demorar para aprovar um projeto que beneficia a população. “Quando você fica só criticando as pessoas questionam. Observam muito. Ser oposição tem de ser com responsabilidade”, conclui.

 Confira, abaixo, trechos da entrevista:

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Maria | Segunda-Feira, 27 de Julho de 2015, 11h06
    1
    0

    Ahnahan ... deixa só o país sair desse emaranhado de crise política que contaminou a economia - pq crise econômica mesmo não tem! -, e todo mundo vai voltar a ser lambe botas! É só pq o Governo Federal está em baixa, gerada pelo inconformismo de quem perdeu a eleição e não se conforma, como menino mimado!

  • Eduardo Pranton | Domingo, 26 de Julho de 2015, 11h58
    2
    3

    Se até WF que é seguidor da Presidente diz isto é sinal claro que a política petista está em franco declínio.

| 26/07/2015, 00h:00 - Atualizado: 26/07/2015, 06h:41

A remuneração que merecemos

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Toda a categoria tem pensado exaustivamente sobre qual a remuneração que merecemos pelos serviços prestados à saúde pública como cirurgiões-dentistas. O servidor público em geral é sem dúvida peça chave para que a máquina funcione com as suas engrenagens em harmonia e a todo vapor.

Todos, seja ele estatutário ou contratado exerce função de extrema responsabilidade e importância,  pois lida com o bem mais precioso do ser humano: a vida.

Quanto mais experiente, preparado e especializado for o servidor, mais ele deve ser valorizado, pois a formação acadêmica e os cursos de atualização, que aliás devem ser uma constante, custam caro e muitas vezes demandam dedicação exclusiva à prática do saber. 

Não é novidade que a baixa remuneração e as péssimas condições de trabalho afastam os bons profissionais e interfere  na qualidade do atendimento à população. Vejo claramente como gênese desse quadro o descaso dos governantes em relação às políticas públicas e sociais, aliado à situação econômica do país que encontra-se mergulhado em um mar de corrupção, propinas, superfaturamentos, desvio de verbas e ao setor privado, que vê a saúde como fonte de lucro.

Sendo assim nós, usuários, nos encontramos em uma situação complicada: se correr o bicho pega, e se ficar o bicho come! Somos reféns de uma saúde pública sucateada e de altos valores e nem sempre bons serviços prestados pelos particulares.

E os profissionais, encurralados em um estado desesperador de inércia, pois mesmo que os gestores tenham consciência de que necessitam de uma remuneração digna, afinal estar em constante aperfeiçoamento, deslocar-se até o local de trabalho, comer, vestir, e ter momentos de lazer entre outros itens constantes no amplo conceito do que é qualidade de vida e saúde custam caro.

Para reivindicar um direito adquirido como as perdas acumuladas durante os anos, e vejam, não estamos falando de aumentos estrondosos, mas sim de um direito do trabalhador, enfrentamos a burocracia de reuniões agendadas e desmarcadas, longos períodos de negociação, além de que somos nós os responsáveis por provarmos por “a+b” que a defasagem salarial é real, e que merecemos essa consideração por parte da gestão. 

A relação profissional-paciente é baseada nos preceitos de respeito, conhecimento e confiança, que esbarram no sucateamento de hospitais públicos, prontos-socorros e unidades de saúde, onde faltam equipamentos, recursos humanos, medicamentos e insumos básicos, e profissionais mal remunerados, e também nas restrições do serviço privado que impedem que o profissional lance mão de todos os recursos em benefício do paciente.

Por outro lado, nenhum profissional da saúde pode usurpar do dinheiro público, oferecendo um serviço baseado na máxima muito conhecida do “você faz de conta que me paga, que eu faço de conta que trabalho”  e deixando de cumprir sua carga horária. 

Todos queremos o que é justo: boas condições de trabalho com remuneração digna, condizente com o grau de formação e tempo de serviço do profissional, sem nenhuma insinuação de guerra santa com os gestores, queremos um jogo aberto, com negociações às claras e critérios positivos. Os usuários e trabalhadores agradecem.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Sinop | 25/07/2015, 08h:49 - Atualizado: 25/07/2015, 08h:58

Leitão afirma que Juarez estagnou Sinop; secretário de Governo vê rancor pessoal


    A medida em que as eleições de 2016 se aproximam, o tom das críticas do deputado federal Nilson Leitão (PSDB) contra o desafeto Juarez Costa (PMDB), prefeito de Sinop já no segundo mandato, começa a endurecer. Nesta semana, o tucano afirmou que o município não avançou nestes quase oito anos de gestão.

Como Juarez cumpre agenda fora de Sinop, o secretário de Governo Roberto Trevisan, o Betão (Pros), tomou as dores do chefe e rebateu o parlamentar. "A gente até estranha essas críticas. Parece rancor pessoal". declara.

Rdnews

leitao e juarez 500

 Prefeito Juarez Costa e deputado federal Nilson Leitão são desafetos e trocam farpas publicamente

Entre as deficiências apontadas por Leitão estão o período que o Hospital Regional funcionou aquém da capacidade total, o atraso na reforma do Aeroporto de Sinop e a morosidade das obras na rede de esgoto do município. "Não há novidades no governo do Juarez. Não tem nenhuma obra importante que possa dizer que fez a diferença dentro da história de Sinop", atacou o parlamentar.

Betão ainda aproveitou para dizer que a Prefeitura de Sinop conta com emendas parlamentares para promover o crescimento do município. Além disso, alfinetou Leitão dizendo que, apesar dos anos como deputado federal, o tucano viabilizou apenas R$ 1,07 milhão para investimento em asfalto.

Leitão e Juarez são desafetos desde quando o peemedebista começou a se articular para disputar a Prefeitura de Sinop, em 2008. Agora, o tucano lidera a oposição na tentativa de derrotar o grupo adversário em 2016.  Nomes PSDB e do DEM ainda estão sob avaliação.

Em 2012, Juarez disputou a reeleição e saiu vitorioso com 63% dos votos válidos. A oposição tinha como candidato o ex-deputado estadual Dilceu Dal Bosco (DEM). (Com informações do site Nova Edição)

Postar um novo comentário

| 25/07/2015, 00h:00 - Atualizado: 24/07/2015, 21h:05

E lá se vai meio ano...

akio materia estreia colunista

Akio Maluf Sasaki

O ano começou de maneira meio torta, um pouco conturbado, desesperador para alguns, arrochado para outros e em crise para toda uma nação.

Aquele que antes era o país do futebol, do crescimento e do consumo no estilo americano, hoje se vê em meio à uma crise no futebol, a crise atingiu também o crescimento da nação e o consumo, ah, o consumo, alguém viu ele por aí?

Durante o primeiro semestre a nação brasileira acompanhou minuto a minuto, tal como faz em partidas de futebol, a aprovação das contas de governadores, com ressalvas impensáveis e quase impossíveis, aqueles que “gastaram” a verba destinada para as capitais da “Fifa World Cup” e não entregaram as obras.

Assim como tem acompanhado o processo que irá julgar as contas da Presidência da República, mas já sem esperanças de que algo concreto possa ser feito, vez que a história já demonstra que no Brasil a capacidade de indignação pública vem só se perdendo.

Isso sem contar o que se passa no judiciário, onde temos investigações atingindo as maiores empresas do Brasil, com os maiores contratos públicos, concomitantemente com os 3 maiores representantes do povo: A Presidente da República, o Presidente do Senado e o Presidente da Câmara dos Deputados.

Independentemente de quem está certo ou errado, ver através da mídia que os baluartes de nossa nação estão comprometidos, que aqueles que poderiam intervir em favor da sociedade também estão jogando contra a sociedade, bem, até agora, esse é 2015 no cenário político.

Quando o trabalhador achava que não poderia ficar pior, ele descobre que seus direitos trabalhistas não seriam mais seus direitos, que o PIS não poderia ser sacado, que teriam que trabalhar mais para ter direito ao seguro e que a energia, a água e o combustível teriam grandes aumentos.

No centro de tudo, quando nada podia ficar pior, descobrimos a maior de todas as crises, a da educação, momento em que professores ao longo dá “Pátria Educadora” toda estão cruzando os braços.

Já no mundo, 2015 é um ano de algumas vitórias interessantes para a sociedade, pois Cuba e Estados Unidos retornaram suas ações diplomáticas após 50 anos, ao mesmo tempo assinou acordos com o Brasil para a isenção de visto em curto prazo.

Ocorreu, também, a liberação das exportações de carnes e produtos brasileiros para vários países no mundo que antes os restringiam e um avanço no número de medalhas nos jogos Pan Americanos, mostrando que o Brasil está finalmente vendo o resultado de seus investimentos.

Mas nem tudo no mundo, até agora, foi uma benção, infelizmente temos acompanhado o Estado Islâmico cometer atrocidades sem que ocorra uma intervenção, assim como temos visto a Rússia começar a se rearmar e produzir armas nucleares, tudo em nome da conquista de um “novo” território.

Bem, este até agora foi nosso 2015, se ele continuará assim ou não vai depender de nós, do poder de indignação dos brasileiros, dos nossos gestores e principalmente da justiça brasileira, o mundo tem tido um saldo positivo maior em relação ao Brasil, não podemos permitir que continue assim, poisa função do cidadão é, quando não bem representado, cobrar efetivamente seus gestores e participar da construção de sua nação.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Cenário Econômico | 24/07/2015, 19h:11 - Atualizado: 24/07/2015, 21h:42

Perfeitamente superável, diz Lewandowski sobre crise político-econômica no Brasil


Após a primeira audiência de custódia do Estado, realizada na tarde desta sexta (24), no Tribunal de Justiça, em Cuiabá, e ser condecorado pelos trabalhos a frente do Conselho Nacional de Justiça e do Superior Tribunal Federal, o ministro Ricardo Lewandowski, comentou sobre temas polêmicos, como a situação político-econômica enfrentada pelo país.

Questionado sobre um possível desgaste do Governo Dilma Rousseff (PT), o ministro foi bastante cauteloso ao culpar, mais uma vez, a crise internacional pelos efeitos devastadores sentido pelos brasileiros. Além disso, Lewandowski ponderou que o país passou recentemente por um “problema de transição” que, segundo ele, está sendo humanizado no Congresso Nacional, por meio da reforma política. “Estamos readequando nossas instituições políticas ao cenário atual, não apenas no Brasil e no mundo”.

Gilberto Leite

ministro_lewandowski

Cercado pela imprensa, ministro Ricardo Lewandowski diz que crise econômica no país é superável

Durante os eventos, que duraram cerca de duas horas, o presidente do STF fez questão de deixar clara a opinião sobre a crise financeira. “Então é um momento de transição, vivemos uma democracia plena, o Judiciário funcionando, uma imprensa com plena liberdade, portanto, uma crise perfeitamente superável”.

Ficha Limpa

Perguntado sobre o fato de Mato Grosso ter, em liberdade, um dos políticos com a "ficha mais suja" do país, José Riva (PSD) e, diante disso, da funcionalidade da lei da Ficha Limpa, Lewandowski se limitou a dizer que considera um enorme avanço a criação desta legislação.

O ministro lembrou que sofreu certa resistência quanto à constitucionalidade da lei diante do STF, em 2010, época da implantação. “Felizmente esta lei está em pleno vigor e não acredito que haverá retrocessos. Representa, sem dúvida, um avanço na cultura política brasileira”.

Gilberto Leite/Rdnews

ministro_lewandowski

Durante evento, ministro Lewandowski evita polemizar em relação ao governo da presidente Dilma

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Ednaldo pereira | Sábado, 25 de Julho de 2015, 09h10
    1
    2

    meus parabems ,ministro Lewandowski, continue a pessoa seria que o senhor é

| 24/07/2015, 16h:09 - Atualizado: 24/07/2015, 16h:13

Justiça condena ex-prefeito a devolver R$ 500 mil ao erário, devido à improbidade


A Justiça condenou o ex-prefeito de São José do Povo Antonio Cândido da Paixão, por improbidade administrativa, obrigando a restituir o erário em R$ 512 mil. A decisão resulta de ação civil pública interposta pelo Ministério Público Estadual.

Em primeiro grau, o ex-gestor já havia sido condenado à suspensão dos direitos políticos por três anos, multa civil correspondente a três vezes o valor do salário que recebia em 2003, e a proibição de contratar com o poder público. No mesmo parecer, ficou impedido de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, pelo prazo de três anos, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual fosse sócio.

Entretanto, o MP apelou da sentença para que Paixão também fosse condenado ao ressarcimento ao erário, considerando que auditoria do Tribunal de Contas constatou déficit na execução orçamentária de R$ 237 mil, e insuficiência de disponibilidade financeira para pagamento das obrigações no valor de R$ 275 mil.

A situação indica que o ex-prefeito realizou despesas superiores à receita do município, acarretando grave desequilíbrio nas contas, com aumento do grau de endividamento de São José do Povo. Como a decisão transitou em julgado, não cabendo mais recurso, agora o MP promoverá o cumprimento da sentença.

Desvio na previdência

Consta ainda na ação do MP, que entre 2001 e 2004, época em que Antonio Cândido Paixão exercia o cargo de prefeito, o município deixou de recolher ao Fundo de Previdência as contribuições descontadas diretamente da folha dos servidores públicos. A ausência dos repasses resultou em desvio de R$ 161 mil.

Outro lado

O Rdnews tentou localizar Antonio Paixão, mas não foi encontrado para comentar a condenação. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Judicialização | 24/07/2015, 13h:15 - Atualizado: 24/07/2015, 13h:17

Ônibus pega fogo; leitor cobra agilidade em licitação do transporte intermunicipal


No início desta semana, um ônibus intermunicipal da empresa Transjaó pegou fogo próximo a Cáceres, enquanto transportava 21 passageiros. A empresa afirma que o veículo estava com a manutenção em dia e defende que o incidente foi um fato isolado.

Equipe técnica da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos (Ager) deve vistoriar a frota da agência. Caso sejam encontradas irregularidades ou indícios de falta de manutenção, a empresa pode perder a concessão.

O caso remete a uma velha história que caminha a passos lentos referente ao processo de licitação das linhas intermunicipais. No vídeo enviado ao Rdnews por um leitor é possível ver o ônibus tomado pelas chamas. “Isso que dá quando não tem licitação. Os passageiros correm risco de vida na região de Cáceres. Onde está a fiscalização?”, reivindica o internauta.

Em abril, o presidente da Ager, Carlos Carlão Nascimento, disse que a licitação para concessão seria concluída este ano. Porém, agora ele revela ao Rdnews que o prazo pode ser estendido, pois o poder de concessão passou a ser compentência da secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra). “O governo passado fez um decreto atribuindo este poder à Ager, mas outro decreto em setembro revogou esse poder”, conta.

De acordo com Carlos Carlão, oito lotes foram licitados e contam com empresas vencedoras. Contudo, aponta receio de que até essa parte do processo seja cancelada, caso o atual Governo assim decida. Sobre o assunto, o secretário da Sinfra, Marcelo Duarte Monteiro, diz que é preciso cautela para avaliar a situação. “É algo muito complicado e não podemos dar um passo errado porque pode resultar em muitos anos de briga judicial”, esclarece o secretário.

Rdnews

carlos_carlao_blog.jpg

 Presidente da Ager Carlos Carlão espera Governo decidir sobre processo licitatório do transporte público

Imbróglio da concessão

O debate sobre a concessão do sistema de transporte intermunicipal se arrasta desde 2007. Naquele ano, o ex-governador Blairo Maggi (PR) firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público. A intenção era realizar o processo licitatório até março de 2010.

O prazo previsto no TAC acabou descumprido. Com isso, foi aprovado Plano de Outorga em 2012, quando foram iniciadas as licitações, que chegaram a sagrar um grupo de empresas vencedoras. Ocorre que em agosto do ano passado, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) publicou decreto 2.499/2014, que prorrogava os contratos de concessão do sistema até dezembro de 2031.

O documento, assim, trancava o processo licitatório para contratação das empresas e ainda dava direito às atuais instituições permanecerem operando no Estado, sem sequer estarem regularizadas. Já em setembro de 2014, o Tribunal de Justiça acatou pedido do MP e suspendeu a validade do decreto.

O sistema de transporte é formado por oito mercados. Baixada Cuiabana, Rondonópolis, Barra do Garças, São Félix do Araguaia,  Tangará da Serra, Alta Floresta, Cáceres e Sinop. Os mercados são divididos em dois lotes.

 Cinco empresas venceram o processo. Viação Novo Horizonte, Viação Xavante, Jundiá Transportadora Turística, Empresa de Ônibus Rosa, e ainda o Consórcio Metropolitano de Transportes, que tem como empresa líder a União Transportes e Turismo. Este último será responsável por operar o lote um, do mercado um, que compreende a região da Baixada Cuiabana.

Ager promete concluir a licitação do transporte intermunicipal este ano

Postar um novo comentário

| 24/07/2015, 07h:20 - Atualizado: 24/07/2015, 21h:03

Transplante renal em Cuiabá

elga_figueiredo_imagem_texto_sexta

Elga Figueiredo

A omissão do estado de Mato Grosso para com as vitimas de insuficiência renal que necessitam de um transplante caminha para o fim! Já e definitivo, Cuiabá voltara a realizar transplantes de rins! Por muitos anos a população em geral, e bem mais a população carente do nosso estado, ficou desassistida quanto ao transplante renal, tendo que se socorrer de outros estados para obter uma sobrevida.

Há mais de 2 décadas atrás o antigo Hospital Geral Universitário realizou o primeiro transplante de rins em Cuiabá, depois o hospital privado Santa Rosa despontou como referencia em Cuiabá em transplantes renais, e fazia o atendimento de pacientes pelo SUS.

Todavia, com a troca de governo no ano de 2003 e por problemas internos que em nada tinham haver com qualidade no atendimento, bem como dos profissionais que eram altamente qualificados, fora cortado o convenio e investimentos, bem como operou-se o descredenciamento.

Contudo, essa velha e problemática situação hoje faz parte de um triste passado, e as perspectivas futuras são as melhores com a volta da realização dessa cirurgia tão importante em nosso estado e principalmente na nossa capital.

Cuiabá e uma cidade que possui profissionais qualificados e competentes para realização desse procedimento (transplante renal), motivo pelo qual a realização de tal cirurgia aqui será uma grande benfeitoria aos cuiabanos.

Já são realizados em nossa Capital, transplantes de córnea, enxerto ósseo, esta sendo implantado no hospital Santa Rosa que será pioneiro em Mato Grosso a realizar o transplante de medula óssea.

Como já abordado anteriormente em meu artigo “Doar Órgãos é doar vida; declare a sua vontade” doar é legal, nos dois sentidos da palavra, “... No Brasil, a doação de órgãos é regulamentada pela Lei número 9.434/97, que dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante. Portanto, afirmo que estamos todos amparados legalmente na realização do ato de doar.

Existem várias formas de declarar sua vontade de ser um potencial doador de órgãos. A primeira é claro, dizer aos familiares que é a mais importante, já que é uma exigência legal o consentimento familiar para poder ser realizada a retirada dos órgãos. Geralmente as famílias respeitam a vontade do seu ente querido, haja vista que entendem estar realizando o último desejo do mesmo”.

Enfim temos uma ótima noticias aos cuiabanos, principalmente aos necessitados que precisam, pelo menos, de alguma esperança de dias melhores.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

Confronto | 23/07/2015, 17h:27 - Atualizado: 23/07/2015, 17h:31

Calistro defende Walace, cobra solução aos problemas de VG e aponta incompetência


O presidente da Câmara de Várzea Grande, Jânio Calistro (PMDB), resolveu entrar na briga entre o prefeito cassado Walace Guimarães, também do PMDB, e o ex-senador Jayme Campos, marido da prefeita da segunda maior cidade do Estado, Lucimar Campos (ambos do DEM). “Quem casa com a viúva tem que assumir os filhos”, ironizou o vereador, sobre as reclamações feitas pelo casal acerca das supostas mazelas da gestão Walace. As declarações foram feitas durante sessão de quarta (22).

Para Calistro, os problemas existem e sempre existirão a todo o momento, seja no passado, hoje e no futuro. Segundo ele, alguns precisam ser resolvidos “de imediato, como o caos na saúde e a falta da merenda na Educação”, alfineta.

Gilberto Leite/Rdnews

janio_calistro_500

Presidente da Câmara de VG, Jânio Calistro defende gestão de Walace após declarações de Jayme

Sem citar nomes, o presidente do Legislativo reclama do fato de pessoas “ficarem falando ao vento, sem serventia e sem nada fazer”. Para ele, a postura demonstra a busca por esconder a própria incompetência. “Se houve dolo por parte de alguém, que a Justiça investigue e faça sua parte para punir o culpado. É para isso que existe o Ministério Público, o Gaeco e o TCE”.

Ataques

As declarações acontecem após Jayme comparar a gestão Walace à facção criminosa do PCC. “Assaltavam e saqueavam o erário público desta cidade. Muitos não gostam de ouvir, principalmente os que estão instalados nesta quadrilha”, disse o democrata durante a solenidade da reforma do pronto-socorro municipal.

Entre os problemas identificados pela atual administração está o fato de 400 mil remédios terem vencido, compra de merenda e supostas ingerências na gestão. “Eu nunca participei e jamais participarei de qualquer conluio capaz de fraudar o bem público”, ressalta Calistro, que assumiu o comando da prefeitura por 24h e que, por 28 meses, ajudou a dar sustentabilidade para Walace, cassado pela Justiça Eleitoral por prática de caixa 2, nas eleições de 2012. (Com Assessoria)

Jayme compara a gestão Walace ao PCC e diz que era "assalto" ao erário

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • luciano | Sexta-Feira, 24 de Julho de 2015, 10h28
    0
    1

    luciano, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • luciano | Sexta-Feira, 24 de Julho de 2015, 10h19
    1
    0

    luciano, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • wilma | Sexta-Feira, 24 de Julho de 2015, 09h26
    0
    1

    wilma, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 23/07/2015, 07h:43 - Atualizado: 23/07/2015, 07h:54

Mato Grosso no Pan 2027

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

Até o momento, três atletas do Estado conquistaram quatro medalhas nos Jogos Pan-Americanos do Canadá. O nadador Felipe Lima levou a prata nos 100 metros peito. O judoca David Moura atropelou todos os pesos pesados da categoria e garantiu uma medalha de ouro.

Já a canoísta Ana Sátila trouxe para o Brasil medalhas de ouro e prata em provas de canoa e caiaque. Nos próximos dias, Eberson Matucari irá representar Mato Grosso e o Brasil em provas de atletismo. Talvez tenhamos ainda mais o que comemorar.

Essas medalhas advindas de esportes tão diferentes demonstram como cada atleta percorreu um caminho distinto para a vitória. Todas são histórias de superação e amor ao esporte. O judoca trilhou o caminho do pai experiente.

O nadador se destacou nos campeonatos estaduais e foi treinar em São Paulo. Já a canoísta entrou em contato com o esporte num projeto social no interior, foi treinada pelo pai e hoje treina no Paraná. Os três atletas defendem as respectivas seleções de suas modalidades. 

Estes resultados isolados e aleatórios evidenciam a falta de um projeto do governo estadual a médio e longo prazo em benefício do Esporte.Se continuar assim nos próximos anos só nos resta continuar a torcer para que prodígios sortudos e perseverantes consigam trazer algum resultado.Precisamos o mais breve possível de bons projetos de fomento aos mais variados esportes. Isso envolve estruturas de qualidade e a remuneração de bons profissionais. 

Assistindo as provas de bicicleta no velódromo do Pan fiquei pensando “como alguém em Cuiabá teria acesso a uma pista coberta dessa para treinar? Como uma menina poderia se iniciar na ginastica rítmica? Como alguém participa de um pentatlo moderno pela primeira vez morando em Mato Grosso? ”. Se em Cuiabá já é difícil o contato com um grande número de esportes olímpicos, o leitor pode imaginar o acesso que se tem a estas atividades em Aripuanã, Cláudia ou Guarantã do Norte?

Hoje o novo governo vive um momento de apertar os cintos. Dívidas herdadas, obras inacabadas e tudo o que já sabemos para resolver. Com este diagnóstico negativo é compreensível que o investimento no Esporte seja momentaneamente tímido. Acredito que assim que o caixa do governo melhorar este cenário poderá se desenhar de maneira mais otimista.

O esporte é uma ferramenta excelente para setores chave como a Saúde e a Segurança. Que nos grandes eventos esportivos a serem realizados daqui 12 anos Mato Grosso possa comemorar muitas medalhas.  Isso seria reflexo de um governo equilibrado, justo, inteligente, solidário e dinâmico. 

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

resposta | 22/07/2015, 16h:26 - Atualizado: 22/07/2015, 18h:52

Ex-secretário de Saúde nega compra de medicamento vencido em Várzea Grande


Reprodução

daoud_abdallah.jpg

Daoud Abdallah nega fraude na pasta enquanto esteve à frente

O médico e ex-secretário de Saúde de Várzea Grande Daoud Jaber Abdallah nega qualquer aquisição de medicamento vencido, durante 2014 e parte de 2015. Em nota, o ex-gestor esclarece que nunca comprou nenhum medicamento vencido ou a vencer.

Abdallah cita que houve um caso, em 2015, onde uma empresa chegou a enviar remédios que venceriam em apenas três meses, entretanto, a remessa não foi aceita e a empresa foi notificada para que fosse buscar o material, não havendo qualquer pagamento para a mesma. “Mas até o dia em que deixei a gestão, a empresa ainda não havia buscado aquele medicamento rejeitados”, afirma.

O ex-secretário lembra que alguns remédios foram doados por Sorriso, entre 2014 e 2015, e que a prática é comum entre os municípios para evitar a perda dos mesmos. “Se na data atual tem algum deles que não foi utilizado e está vencido, não tenho conhecimento disso. De qualquer forma, não foi realizada a aquisição desse medicamento, foi doação, e, sendo assim, não houve pagamento por eles”, esclarece.

Abdallah também explica que durante a gestão a licitação para o descarte de lixo hospitalar estava sendo realizada, o que incluiria a incineração de medicamento vencido adquiridos em outras administrações e a cidade foi a primeira a requerer junto ao Tribunal de Contas informações quanto ao sistema informatizado, que controla o estoque de medicamentos (SIGAF).

Por fim, o médico alega que houve muito empenho em resolver os grandes problemas pelos quais Várzea Grande passava. “Afinal, a cidade teve quatro prefeitos e sete secretários de saúde nos últimos dois anos”, desabafa.

As afirmações de Abdallah são referentes à investigação feita pelo Ministério Público, após a prefeita Lucimar Campos (DEM) abrir processo administrativo interno, no qual descobriu a existência de 400 itens de remédios em situação irregular. Segundo o relatório divulgado pela democrata, diversos do medicamento foram adquiridos em quantidade maior do que a necessária, durante a gestão do prefeito cassado Walace Guimarães (PMDB), entre 2012 e 2014.

O relatório foi encaminhado para o Ministério Público, que apura a situação. De acordo com o procurador-geral substituto William de Almeida Brito Júnior, a representação poderá esclarecer se houve mau uso de recursos públicos, avaliar o prejuízo financeiro total e apontar os responsáveis. O órgão fiscalizador entrou com uma representação interna com pedido de medida cautelar.

MP de Contas vai investigar o caso dos medicamentos vencidos em VG

Eis, abaixo, os tópicos destacados pelo ex-secretário Daoud Abdallah acerca da polêmica envolvendo medicamento vencido em Várzea Grande.

  • 1) Durante o período em que estive à frente da Secretaria de Várzea Grande, por quase todo o ano de 2014 e parte de 2015, não foi realizada a aquisição de nenhum medicamento vencido ou a vencer. É muito importante isso ficar registrado. Ao contrário, houve uma empresa, no início do ano de 2015 que nos enviou medicamentos que venceriam em três meses, a qual foi devidamente notificada no sentido de que não os aceitaríamos e que os buscasse. Não houve qualquer pagamento por esses medicamentos. A empresa realizou nova entrega de medicamentos com prazo de validade dentro dos padrões. Até o dia em que deixei a gestão, a empresa ainda não havia buscado aqueles medicamentos rejeitados.
    2) Nos anos de 2014 e 2015, o município de Sorriso doou medicamentos à Várzea Grande, o que é prática comum entre os municípios para evitar a perda de medicamentos. Se na data atual tem algum deles que não foi utilizado e estão vencidos ou próximos a vencer, não tenho conhecimento disso, tem que ser verificado no local. De qualquer forma, não foi realizada a aquisição desses medicamentos, foi doação, e, sendo assim, não houve pagamento por eles.
    3) No período em que estive na gestão da Secretaria de Saúde, estava sendo realizada licitação para o descarte do lixo hospitalar e entre eles envolvia a questão da incineração  de medicamentos vencidos (adquiridos de antigas gestões) pois existem regras da vigilância sanitária.
    4) Várzea Grande foi o primeiro município a requerer junto ao Tribunal de Contas do Estado informações quanto ao sistema informatizado que controla o estoque de medicamentos (SIGAF). Já tinham sido realizadas algumas ações nesse sentido, inclusive, firmado um Termo de Cooperação com o Estado de Minas Gerais para a disponibilização do sistema deles. Enfim, não houve qualquer ato ilegal durante a minha gestão da Secretaria de Saúde de Várzea Grande no que diz respeito à aquisição de medicamentos. Houve muito empenho em resolver os grandes problemas pelos quais o Município vinha passando. Afinal, o mesmo teve 4 prefeito e 7 secretários de saúde nos últimos 2 anos. Vários problemas foram solucionados: redução da folha, saindo de 445 cargos comissionados para 92, conseguimos recursos para reforma do pronto socorro na ordem de 2 milhões, cuja reforma foi licitada e expedida ordem de serviços em abril deste ano, uma Upa porte 3 foi construída e equipada por meio de um TAC com MP onde inclui 2 ambulâncias, outra obra da UPA porte 1 foi licitada e com 2 milhões em caixa para concluir a construção, dos 15 PSF que conquistamos todos possuem recurso em caixa na ordem de 6 milhões, sendo 9 PSF em construção, 1 para licitar e 4 em litígio com a construtora. Com isso sairíamos de uma cobertura de atendimento à população de 22% para 85% dando um impacto grande na saúde do município, além da construção do novo SAE com recurso em caixa na ordem de 650.000, obra já licitada. Quanto a outros entraves, foram dados os primeiros passos para a solução.

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • BELMIRO JUNIOR | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 17h33
    0
    1

    É ISSO AI DRº DAOUD ABDALLAH, NÓS DO PESCA E CIA PIQUIRI O APOIAMOS, POIS CONHECEMOS A SUA BOA ÍNDOLE E O SEU JEITO DE ADMINISTRAR O BEM PUBLICO DE FORMA BEM PROFISSIONAL. QUEM PERDE COM ISSO É O POVÃO DE VG. E É POR ESSE MOTIVO QUE VC FAZ PARTE DO NOSSO GRUPO EXTREMAMENTE SELETO. E POR VC ESTAR PASSANDO POR ESSE MOMENTO DE HISTÓRIAS MENTIROSAS. É QUE NOSSO PRESIDENTE ANTONIO HELIO(TONINHO) JÁ ESTA ORGANIZANDO NOSSA PESCARIA. PESCA E CIA PIQUIRI.

  • Lucia Costa | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 10h01
    3
    0

    Vamos dar um basta nessa palhaçada povo de VG, estão tentando colocar a culpa nesse rapaz sendo que há por trás disso grandes problemas que prejudicam a nossa sociedade, acorda meu povo, esse medicamento foi doação da cidade vizinha, isso graças a parceria firmada pelo doutor. To com o senhor DR Daudi! Volta para cuidar da gente!

  • Joao Rogerio | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 09h56
    1
    1

    antes de levantar acusações tem que provar, suspeitas antes de investigadas sãi capazes de deteriorar a figura desse homem honesto e trabalhador

  • Sebastiao Junior | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 09h48
    2
    0

    Estou com o DR.DAUDI sempre se preocupou com o nosso povo! Um absurdo tentarem manchar a imagem de um politico tão competente, hoje nós pobres somos atendidos no pronto socorro de VG , antes muito vizinho meu morria.

  • antonio carlos | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 09h36
    3
    0

    As informações prestadas pelo ex-Secretário Daud são precisas e de fácil constatação. Importante destacar que em 2012 na Gestão do Tião Zaeli, o secretário de saúde fez um grande levantamento de medicamentos , encaminhou para auditoria e MP, e envolvia gestões deste 2007 até 2012. Que virou este processo????

  • Paulo do Jardim Glória | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 07h16
    2
    1

    Tem q saber as verdades antes de dengrir a imagem de alguém. Olha só, o doutor Daude é homem trabalhador, começou a vida vendendo côco na várzea grande.

  • Bruna | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 21h57
    2
    0

    Sou mas uma suspeita em afinar e confiar na responsabilidade e no profissionalismo do Daoud Abdallah!! Seu esclarecimento foi ótimo!!

  • Maria Luiza Silva | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 21h52
    2
    0

    Quem não deve não teme DR Daoud, conheço seu trabalho e integridade, um grande profissional.O senhor tem todo o meu respeito.

  • Eduardo VG | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 20h49
    1
    1

    Parabéns Dr. Daude pelos seu posicionamento não esperava outra coisa do senhor. Pessoa de credibilidade, filho da terra e comprometida com a saúde do povo varzeagrandense a verdade sempre irá prevalecer contra mentira.

  • Bruna | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 20h32
    2
    0

    Sou mas uma suspeita em afinar e confiar na responsabilidade e no profissionalismo do Daoud Abdallah!! Seu esclarecimento foi ótimo!!

| 22/07/2015, 15h:34 - Atualizado: 23/07/2015, 13h:35

Preocupação com quem anda de moto

secretario_artigo.jpg

Thiago França

Das invenções que o homem já produziu, a roda pode ser considerada um dos feitos mais fascinantes e também um dos mais devastadores. Ela permitiu um grande avanço no desenvolvimento tecnológico, mas vem tirando milhares de vidas a cada ano em todo o mundo, além do altíssimo custo social, como resultado de acidentes e violências, principalmente no trânsito. 

A preocupação maior é com quem anda sobre duas rodas. Os acidentes envolvendo motocicletas são crescentes em todas as regiões, em decorrência do aumento da frota e das facilidades no financiamento destes veículos.

Segundo o portal Mobilize Brasil, nos últimos seis anos, o número de motos aumentou 127,8% em Cuiabá. No Brasil, os números são assustadores, mais de 19 milhões de motocicletas, conforme apontam as estatísticas do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).

Atrelados ao crescimento desenfreado da frota estão as atitudes incompatíveis dos condutores. Trafegar em ziguezague ou em excesso de velocidade, transitar sem roupas apropriadas, sem o capacete de segurança, mudar repentinamente de faixa de trânsito, e efetuar manobras arriscadas ou ultrapassar veículos sem os cuidados indispensáveis.

Tais atitudes contribuem para formação de um conjunto de irregularidades e desafios ao perigo, levando o Brasil a ser classificado com a 2ª maior taxa de mortalidade em acidentes com motos no mundo, segundo o Mapa da Violência 2013, feito pelo Instituto Sangari. São 7,1 óbitos para cada grupo de 100 mil habitantes. Nos últimos 15 anos a taxa de mortalidade sobre duas rodas aumentou 846,5%.

Diante disso, a Prefeitura de Cuiabá, em parceria com a iniciativa privada, realizará no próximo sábado ( 25), no Ginásio Verdinho, o projeto “MotoEducação”, cujo objetivo visa desenvolver uma série de ações educativas, de conscientização, bem como ofertar diversos serviços gratuitamente.

Sabemos que o problema do trânsito não está próximo do fim, mas depende da soma de esforços de cada um de nós. E nosso papel, enquanto poder público, é o de mobilizar a sociedade, através de ações educativas e culturais como estas, para promover a preservação e valorização da vida. Afinal, educar para o trânsito é educar para a vida!

Thiago França é secretário de Mobilidade Urbana de Cuiabá

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Rodrigo Valle | Quinta-Feira, 23 de Julho de 2015, 11h41
    1
    1

    Secretário, a SMTU poderia instalar um quebra molas na avenida Presidente Marques esquina com a Cursino do Amarante? Pois que sobe a Cursino do Amarante saindo do Bairro Duque de Caxias e Goiabeiras tem muita dificuldade para atravessar e ir em direção ao Centro.

| 22/07/2015, 00h:00 - Atualizado: 21/07/2015, 19h:46

Aproveite bem as férias

silvio artigo quarta-feira

Silvio Fidelis

O mês de julho marca o meio do ano, e, é neste período, que muitas pessoas gostam de dar uma pausa para viajar e descansar. As escolas, universidades e faculdades entram em recesso, é o momento programado por muitas famílias, momento de união e de pegar a estrada e explorar novos destinos.

Sou professor é sei que esse período é bem esperado, principalmente pelos estudantes e professores que aguardam ansiosamente por este mês, apesar de ouvirmos que é apenas tempo de recesso.

Tudo bem, dá para descansar do mesmo jeito. Os jovens aproveitam este período e invadem maciçamente os cinemas, praças de alimentação dos shoppings, basta visitar estes locais para ver.  Já os professores colocam a vida em ordem, organizam toda a metodologia para o próximo semestre e acabam trabalhando nesse período.

Poucas coisas na vida são tão boas quanto viajar. Mas para aproveitar esse mês de folga, bem no meio do ano letivo, e encontrar uma viagem que caiba no sonho e no bolso, é fundamental se planejar. Programar-se financeiramente é outro fator que devemos ficar atentos, definir o destino e o roteiro.

Para quem vai sair de férias agora, de que forma viajar?  Avião tem a vantagem de ser mais confortável e rápido, sendo assim, é a principal opção para destinos com maior distância. Para quem gosta de aproveitar as paisagens nas viagens, viajar de ônibus e de carro são as melhores opções.

Se for viajar de carro, é imprescindível fazer uma revisão mecânica  completa e conferir se a documentação está em dia, garantindo assim a segurança da família.

Mas entendo que têm àqueles que preferem ficar em casa curtindo outras atividades. Então vamos aproveitar e ficar atentos em cuidar da saúde. Sim, aproveitar esse período para fazer os seus exames anuais, pois a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças são fatores extremamente importantes e, por falta de tempo, acabamos  deixando de lado. Então porque não aproveitar as férias para ficar em dia com a saúde?!

Outra opção é o intercambio cultural. Analiso que  um intercâmbio cultural é sempre uma excelente forma de conhecer novos lugares e renovar os conhecimentos. Para quem quer aprender ou aprimorar um segundo idioma, o período de férias é um momento propício para mergulharmos em um nova cultura. Sermos “obrigados” a nos comunicar na língua do país o qual visitamos, é uma boa maneira para acelerar nosso aprendizado.

Independentemente do que se vai escolher para fazer nas férias, devemos ficar atentos e ter na consciência de que as férias são  essenciais para todas as pessoas por diversos motivos. O primeiro deles é que o corpo e a mente necessitam de um tempo para aliviar a tensão.

Outro fator importante diz respeito à criatividade: você já deve ter notado que pensar em boas ideias quando se está cansado é algo extremamente difícil. Agora, imagine como o seu cérebro está depois de todos esses meses de trabalho? Mesmo que você não perceba, o seu cansaço influencia no fluxo criativo e, portanto, tirar férias pode renovar os seus pensamentos. 

Então vamos aproveitar as férias para estar com os velhos amigos que se encontram distantes. Vamos ler alguns livros, ver alguns filmes, ouvir música, visitar exposições, experimentar pratos diferentes, saborear, de fato, o convívio da familiar. As férias são tão fundamentais que, o direito às férias, inclusive,  integra o conjunto de garantias conferidas pela legislação visando à defesa do lazer e repouso da pessoa empregada.

Por fim, nunca devemos esquecer que as férias são a chance que você tem de refletir tranquilamente sobre as suas atividades. Você está satisfeito com aquilo que tem feito? Gostaria de mudar sua função, seu emprego? Coloque os fatores positivos e negativos na balança, meça suas expectativas e, principalmente, planeje as mudanças necessárias. Afinal, você dificilmente terá tempo para isso quando voltar ao trabalho. Sua saúde agradece!

Silvio Fidelis é professor, mestre e doutor em Educação, escritor e escreve exclusivamente neste Blog toda quarta-feira - e-mail: sa-fidelis@uol.com.br - Instagramsilvioafidelis

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Antonio Prates | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 19h40
    1
    0

    Acho o mês de julho maravilhoso exatamente por poder programar as minhas férias com as dos filhos, parabéns por lembrar da importancia do descansar nas férias professor, eu mesmo já estou em férias com a família.

  • Rodrigo | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 17h30
    1
    0

    Parabéns pela Matéria professor , todos devemos descansar um pouco e aproveitar o convívio da família , principalmente os Mestres da Educação , estamos sentido sua falta aqui na VG ,,,

  • Cibeleinha | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 15h39
    1
    0

    Isso mesmo querido professor é o que eu estou fazendo tirando as minhas merecidas férias de 09 meses. Bjs. saudades.

artigo | 21/07/2015, 17h:23 - Atualizado: 21/07/2015, 17h:23

Conquistas, avanços e sonhos a realizar

paulo_taques.jpg

Paulo Taques

Ouvir com atenção, com responsabilidade e com verdade para atender as demandas e as necessidades da população tem sido um dos grandes desafios do Governo Pedro Taques (PDT), nestes sete meses de gestão. Desafio que se soma a outros tantos, mas que se faz presente como pano de fundo em todas as decisões governamentais. 

Ao lançar o Programa Transforma Mato Grosso, o governador vem a público não só reiterar os compromissos assumidos com o eleitor durante a campanha, mas, também, prestar conta à população sobre as conquistas e os avanços obtidos por toda a equipe de governo, que trabalha de forma integrada e baseada no conceito de transversalidade das políticas públicas.

A palavra de ordem é transformar. Transformação que continuará sendo a mola propulsora para a realização das três mil ações anunciadas pelo governador, que deverão ser cumpridas até dezembro deste ano, e que foram chanceladas pelos secretários estaduais, com a assinatura do 2º Acordo de Resultados. Para isso serão investidos mais de R$ 3 bilhões, incluindo operações de crédito que serão revertidas em obras e serviços.

Ao contrário da lacantina feita por algumas "viúvas" do passado, que pregam de forma irresponsável as sementes da insegurança, da incerteza e da discórdia, querendo fazer parecer que o Estado estava parado, com olhos voltados ao retrovisor, os números apresentados pelo Governo deixam claro que o solo por aqui é desértico para maledicências, mas absolutamente fértil para a dedicação ao trabalho, a legalidade, as posturas éticas e para as ações responsáveis.

Neste sentido, ressalto algumas ações significativas na Saúde, Segurança Pública, Educação, entre tantas que foram realizadas também na  Cultura, Esporte e Lazer, Trabalho e Assistência Social, Justiça e Direitos Humanos, Ciência, Tecnologia e Inovação, Cidades, Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística, Desenvolvimento Econômico, Planejamento, Fazenda e Gestão.

Na área da saúde vale destacar a regularização dos repasses aos municípios e o apoio à gestão municipal na construção do novo pronto-socorro, bem como o repasse para a realização de cirurgias no Hospital São Benedito. Aquisição de ambulâncias para atender a todos os municípios, em parceria que deve ser destacada e louvada com a Assembleia, em uma clara demonstração de comprometimento dos deputados com as causas de interesse do cidadão, cujos esforços também vão permitir a diminuição da fila de espera nos procedimentos cirúrgicos e afins.

Pública e notória também foi a situação degradante que encontramos na área da segurança pública, com índices alarmantes de criminalidade, baixo efetivo e ausência de equipamentos, o que levou o governador Pedro Taques a determinar que fosse realizado um esforço de toda a equipe, para que o cenário se revertesse e à população fosse restituída a paz e a tranquilidade.

Até dezembro deste ano 2,6 mil policiais estarão compondo as forças de segurança do Estado e há previsão de abertura de processo de convocação, em janeiro de 2016, dos 740 candidatos do cadastro de reserva da Polícia Militar. E neste bojo de conquistas registro também a aquisição de 300 caminhonetes, 100 motocicletas, 150 fuzis, 50 metralhadoras modelo HK, 630 pistolas e 3 mil coletes à prova de bala. Em todos os municípios chegará, pelo menos, uma caminhonete para a PM.

Na área da educação não foi diferente. O Governo cumpriu os acordos com os servidores e vem intensificando com a categoria a discussão da Escola Ciclada. Priorizou a reforma e a ambiência de unidades escolares em vários municípios e vem expandindo e melhorando a infraestrutura de atendimento no ensino fundamental, com a conclusão de escolas em 19 municípios.

Infelizmente este espaço é pequeno para apontar três mil ações. Mas a qualquer cidadão é permitido saber quais são elas, inclusive conhecendo em detalhes o segundo acordo de resultados firmado com os secretários. Basta acessar transforma.mt.gov.br, que está tudo lá! Aliás, outro compromisso do governador: transparência com a coisa pública.

É esse cenário de desenvolvimento econômico-social que se desenha a cada amanhecer, em cada um dos 141 municípios de Mato Grosso. Aqui não falamos em crise, mas em oportunidades. Temos absoluta convicção de que estamos no caminho certo. Acreditamos naquilo que estamos fazendo, pois gestão e planejamento são palavras de ordem em nosso Governo. Não se enganem: Mato Grosso é um Estado em transformação!

Paulo Taques é secretário-chefe da Casa Civil

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Maria | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 08h08
    3
    0

    Até agora fez efetivamente o quê ? O discurso é uma especialidade da gestão atual.

saúde | 21/07/2015, 16h:00 - Atualizado: 21/07/2015, 16h:03

Mauro e Taques classificam como trunfo inauguração de hospital após 30 anos


O prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), e o governador, Pedro Taques (PDT), aproveitaram a solenidade que deu início aos atendimentos no Hospital São Benedito, na manhã desta terça (21), para destacar que esta é a primeira unidade hospitalar inaugurada em mais de 30 anos, na Capital.

Ambos ressaltaram a expectativa que gira em torno do novo hospital, que é diminuir as filas e o cenário caótico enfrentado pelo pronto-socorro. “Nos próximos 60 dias todos nós perceberemos uma melhora nesta unidade por conta do São Benedito”, pontua Mauro.

Gilberto Leite/Rdnews

mauro_taques.jpg

Prefeito de Cuiabá Mauro Mendes e governador Pedro Taques comemoram inauguração de unidade

O governador define o momento como um marco para a Saúde na Capital. “Há 31 anos não inaugurávamos um hospital como este”. Com capacidade mensal de 500 cirurgias, tanto urgentes quanto eletivas, a nova unidade deve receber pacientes de todo o Estado.

Taques aproveitou a oportunidade para convidar o ministro da Saúde, Arthur Chioro, para retornar a Mato Grosso, no próximo mês, a fim de lançar o programa referente à erradicação da hanseníase. Segundo ele, durante a visita interna, o ministro sinalizou positivamente para o convite.

Chioro, acompanhado por uma comitiva, visitou as dependências do Hospital São Benedito, em seguida, durante breve coletiva à imprensa, frisou que este foi um dos poucos hospitais que inaugurou com 100% das obras concluídas. “Raramente encontramos uma situação em que o hospital está efetivamente pronto para funcionar. Saímos do centro cirúrgico e entrou o primeiro paciente”, disse.

O ministro também negou a possibilidade de ocorrer atraso no repasse anual de R$ 36,8 milhões para a manutenção da unidade, devido ao corte sofrido no orçamento do Ministério da Saúde, em R$ 11,77 bilhões. “Estamos vivendo um momento de grandes investimentos no Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o país”.

Enquanto o governador discursava, um membro da equipe o interrompeu para avisar que a primeira cirurgia havia sido concluída. O paciente se tratava de um jovem cuiabano, vítima de acidente envolvendo motocicleta.

Confira, abaixo, o discurso do prefeito Mauro Mendes.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • luiz | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 15h18
    0
    0

    Já se fazia necessário ter isso a muito tempo. Agora é esperar para ver acontecer o desafogo do PSMC, ver para crer. Cuiabá merece muito mais que isso. Estão fazendo as coisas na ordem inversa, devido o CAOS. A saúde primária está a desejar. Ela é quem previne o CAOS existente e contínuo. Quando se fará isso?

  • joao | Quarta-Feira, 22 de Julho de 2015, 11h21
    1
    0

    Nada disso, fez a obrigação, acho que não vai render dividendos na eleição de ambos, até porque as conquistas da população estão abaixo do prometido na campanha dos dois. Ninguém é bobo.

| 21/07/2015, 07h:08 - Atualizado: 21/07/2015, 07h:13

Moralidade calibrada

Olga_200_fora

Olga Lustosa

Estamos fazendo política com raiva? Sinto que há neste momento uma ligação íntima e complexa entre a raiva e a política. A prática de fazer política com ódio não é só aceita, mas defendida por várias correntes filosóficas, que entendem que a amabilidade e não-violência, são utilizadas como uma tentativa de impor a moralidade dos que governam sobre os governados.

Eles argumentaram que a raiva política tem um papel fundamental a desempenhar e é necessária para promover mudanças profundas. Tenho dúvidas!

Porém, lendo o ensaio sobre a raiva, de Seneca, decido crer que a raiva política é  um problema filosófico que podia ser tratado pela argumentação, com debates enriquecedores. A ira que ronda o congresso nacional, as faces de ódio que são exibidas, as palavras de efeito cortantes são frutos podres de uma árvore que detém idéias ora racionalizadas demais, ora radicais sobre o comportamento das pessoas e sobre o mundo.

E o problema delas segundo a avaliação negativa de Sêneca é que estas pessoas criam expectativas de dominação demais. O congresso nacional está sendo conduzido sob um ataque de ira, com a casa fechada a presença popular e seu o presidente passa o dia atacando todo mundo.

O que Sêneca diria é que, as confusões, injustiças e barbeiragens lá cometidas não são surpreendentes dado ao perfil dos que lá colocamos. Assim, seu primeiro conselho seria que fôssemos mais pessimistas, ao ajustar nossa visão de mundo aos reveses da vida. 

A onda de conservadorismo extrapolou no Congresso Nacional, com os discursos moralizadores, propondo restrições aos avanços que pareciam historicamente consolidados no Estatuto da Família, restringindo a constituição da família apenas com a união entre um homem e uma mulher; na questão da proteção jurídica aos embriões, na cura gay, entre outras medidas. Não nos surpreendamos se o Congresso pautar votação de medidas restritivas contra o rock, alegando que este tipo de música cria uma escada que desvia do caminho do céu.

É a cultura de demonizar o outro, de vilipendiar as crenças que asseguram a compreensão e respeito as liberdades individuais. Há certo cinismo no ar quando falam de Estado laico e estão a derrubar os avanços conseguidos a duras penas, em nome de uma moralidade falsa e eleitoreira. 

Sabemos que não podemos moldar o mundo de acordo com nossas convicções e retorno a Sêneca e a uma comparação que ele faz no ensaio citado. Disse que somos, como cães amarrados a uma carroça em movimento. A coleira é longa o bastante para termos alguma liberdade, mas não permite que cada um vá para onde quer. O cão logo se dá conta que ele precisa se contentar em seguir a carroça e que é bem melhor segui-la do que se debater contra algo que não se pode mudar e acabar se estrangulando.

Contudo, as noções de Seneca sobre raiva encontra amparo na maioria dos códigos morais e religiosos: a raiva é um dos sete pecados do catolicismo; é igualada com o desejo não correspondido no hinduísmo; é definida como um dos cinco obstáculos no budismo; no judaísmo, a raiva é considerado um traço negativo; e no Alcorão, a raiva é atribuída aos inimigos de Maomé.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • marta | Terça-Feira, 21 de Julho de 2015, 16h55
    1
    0

    Parabéns, concordo com vc a raiva só leva as pessoas para o lado sombrio da vida alimenta o ódio e atrapalha o raciocínio lógico.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 659