Cuiabá, 25 de Abril de 2015
  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

| 25/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 01h atrás

O consultor de viagens

akio materia estreia colunista

Akio Maluf

Em homenagem ao dia do Consultor de Viagens, nada mais justo que apresentar para  a sociedade a importância desta profissão e os benefícios que um consultor pode trazer à sua viagem, planos e projetos. Assim como você tem o seu médico, professor, dentista e personal trainer, ter seu consultor de confiança só irá lhe trazer agilidade e benefícios em sua viagem. Um consultor de viagens não cuida apenas de emitir-lhe os bilhetes aéreos, mas ele trabalha a sua rota para que ela seja a mais barata possível, ele estuda os mapas das cidades para que seu hotel seja bem localizado e você não sofra com bairros pesados ou com muitos assaltos.

O Consultor (Agente de Turismo) costuma agir nos três momentos de uma viagem: que são a pré-viagem, a viagem e o pós-viagem, pois estão preparados, treinados e disponíveis exclusivamente para atuar em todas as fases com maestria, precisão e carinho.

Durante a fase de pré-viagem os consultores terão disponíveis em seus sistemas os melhores preços em bilhetes, uma gama de hotéis seletos, sistemas para reservas de restaurantes, roteiros prontos, dicas locais e você terá, além da agilidade na confirmação da reserva, a certeza que não irá visitar um hotel que não existe ou que o hotel não recebeu a sua reserva.

Um exemplo bem próximo foi o problema que o Hotel Urbano enfrentou com um fornecedor online de passagens, onde as reservas efetuadas não foram pagas e a Avianca afirmou que não iria embarcar os passageiros, situação triste, pior ainda pois aqueles que compravam suas passagens precisavam brigar contra um computador, um atendente online e um call center que, como sabemos, é feito para você perder tempo e não resolver nada. Mesmo que tal situação viesse a acontecer com o fornecedor de uma agência de viagens (Pouco provável), o seu consultor logo te realocaria em um novo voo ou resolveria o problema, evitando desta maneira horas e mais horas de dor de cabeça e uma provável não viagem.

No que se trata da viagem em si, é sempre importante ter um consultar para qual ligar durante a viagem, você pode precisar da segunda via de algum voucher, documento, numero de reserva, pois não é raro um passageiro esquecer algo e ter um transtorno grande depois tentando encontrar, além de que você pode precisar de assistência para auxiliar com imprevistos e remarcar passagens, hotéis ou reservas de restaurantes.

No pós-viagem, ter um consultor irá facilitar muito a sua viagem, pois não é raro necessitar de auxilio para tramitar um pedido de reembolso para uma seguradora, assim como auxilio para com sua bagagem extraviada e, os comuns, débitos não “conhecidos” no cartão, como por exemplo multas e pedágios não pagos que as companhias debitam nos cartões sem avisar, assim como por qualquer item “quebrado” nos hotéis, situações essas que costumam pegar os brasileiros de surpresa, uma vez que não é “assim que funciona” na nossa cultura.

Portanto, novamente homenageio essa profissão querida, que tem tornado os sonhos de muitas pessoas realidades todos os dias e aproveito para reforçar os pontos positivos de ter o seu consultor particular, pois essa maravilhosa profissão tem sua única e total atenção focada no bem estar de seus clientes, visando sempre o melhor preço, com a melhor acomodação e a realização plena de todos os seus sonhos.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

| 24/04/2015, 17h:19 - Atualizado: 06h atrás

Wilson é escalado para articular aprovação do Bom Pagador; votação ocorrerá na 3ª


O deputado estadual e líder de Governo na Assembleia, Wilson Santos (PSDB), defende a apreciação, na próxima terça (28), da mensagem de autoria do Executivo que trata do programa Bom Pagador. Com a aprovação do projeto, o Governo deverá quitar cerca de 80% das dívidas deixadas pela gestão passada, sob Silval Barbosa (PMDB).

O projeto está em tramitação e prevê o pagamento de restos a pagar por meio de um leilão reverso, ou seja, recebe primeiro o fornecedor que oferecer o maior desconto. De acordo com o deputado, escalado para articular a aprovação do Bom Pagador, o Governo aguarda a apreciação dos parlamentares para dar início aos pagamentos. 

Wilson ainda ressalta que o governador Pedro Taques (PDT) faz esforço para pagar a dívida de R$ 912 milhões, como forma de não prejudicar os empresários. O parlamentar acredita que a maior parte dos deputados votará a favor, uma vez que Taques atendeu a principal reivindicação do Parlamento, ao anunciar que fará o pagamento em até três parcelas, mas sem desconto, dos credores que têm até R$ 150 mil para receber.

Gilberto Leite/Rdnews

Wilson_Santos

Deputado estadual Wilson Santos (PSDB) é escalado para articular aprovação do Bom Pagador

Segundo Wilson, Silval empenhou R$ 400 milhões nos últimos meses de governo, sem a previsão orçamentária para o pagamento. No total, a gestão passada deixou cerca de R$ 700 milhões de restos a pagar. “Mais de R$ 400 milhões estão aí nos ombros do governador Taques. Muitos virariam de costas e diriam: esta dívida não é minha, não vou pagar. Mas, Taques é diferente, é legalista e aceita paga-la, propondo várias formas de quitar a dívida”.

Para o tucano, a última gestão fez uma barbaridade com as contas do Estado. “A barbaridade é tanta que mais da metade da dívida foi inscrita nos últimos oito meses do ano passado. Algo que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) proíbe”. O deputado ressalta ainda que outros fizeram esta dívida, inclusive, de forma irresponsável e criminosamente. “Mas, o governador assim como fez no início de março, com o Bank of American, pagando R$ 103 milhões por compromissos e dívidas feitas por outros gestores, também honrará centavo por centavo daquilo que é legal. Taques está inaugurando um novo tempo em Mato Grosso, de respeito à legalidade”.

Opções

O pacote de medidas adotado pelo Governo disponibiliza três maneiras para os credores receberem, sendo o parcelamento da dívida com desconto, a compensação dos débitos com créditos relacionados à dívida ativa, bem como um “leilão reverso”, no qual serão feitos pagamentos integrais das propostas vencedoras, ou seja, as que propiciem maior desconto ao Executivo. Além disso, o Governo também anunciou que pagará de forma integral os credores que têm até R$ 150 mil a receber do Estado. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Walter liz | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 21h35
    1
    0

    Ilustre deputado, quem fez a lambança não foi o silval e a turma dele ? , então vá para cima deles é punam eles e não as empresas com este calote.

  • marcos | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 18h24
    1
    1

    nao ia falar mas ao meu modo de ver e conhecer muitoooo bem a casa e seu funcionamento o wilson nao terá vida longa como lider Do executivo... é q para ser lider do executivo perante aos companheiros da casa a pessoa tem ser admirado pelos pares ...como wilson todo mundo sabe que é liso demais ele nao agrega essa simpatia dentro... ali tem q ser do estilo J barreto tranquilo e sereno todo mundo acompanha pelo oq o cara é nao pelo oq o executivo quer

| 24/04/2015, 07h:45 - Atualizado: 01h atrás

Golpes na obtenção de crédito

elga_figueiredo_imagem_texto_sexta

Elga Figueiredo

Consumidor, muita atenção na hora de fazer empréstimos, financiamentos, depósitos de valores ou qualquer outra transação financeira com uma instituição, confirme se ela está autorizada a funcionar pelo Banco Central. Se alguma empresa lhe oferecer crédito de forma muito vantajosa, facilitada, dispensando avalistas, ou que não façam consultas a cadastros restritivos, desconfie! Essa situação apresenta indícios de golpe.

A rigor, ninguém está livre de sofrer o famoso golpe do crédito, portanto, na contratação de operações de empréstimos ou financiamentos, todo cuidado ainda é pouco! Procure sempre uma instituição autorizada pelo Banco Central, em hipótese alguma forneça seus dados pessoais nem cópia de documentos para desconhecidos, nunca faça nenhum depósito inicial para obter empréstimos, principalmente, em contas de pessoas físicas.

E ainda, evite fazer empréstimos com empresas desconhecidas que veiculam anúncios em jornais, internet ou outros meios de comunicação e que não possuam uma sede física, ou seja, um endereço conhecido.

No caso dos aposentados que são as vitimas preferidas dos golpistas nos empréstimos consignados, devido à hipossuficiência, por recebem pontualmente, e pela garantia do benefício até o fim da vida, o que facilita a liberação do credito, varias medidas foram tomadas para resguardar a terceira idade: os pagamentos de bancos denunciados por irregularidades nos empréstimos serão bloqueados, como também, vale enfatizar que só é permitido que o aposentado comprometa, no máximo, 30% do orçamento, mesmo que faça mais de um empréstimo.

Existem varias normas previstas no amparo legal ao consumidor na hora da busca por credito que são importantes aos mesmos o conhecimento destas, como: a obrigatoriedade de as instituições financeiras emitirem, em cinco dias úteis, boleto ou documento de pagamento detalhado, quando o beneficiário quiser quitar antecipadamente suas operações de empréstimo ou com cartão de crédito. O boleto ou documento de pagamento informará o valor total do empréstimo, o desconto para o pagamento antecipado e o valor líquido a pagar. 

As instituições também devem informar previamente, o valor total financiado, a taxa mensal e anual de juros, acréscimos remuneratórios, moratórios e tributários, o valor, número e periodicidade das prestações e a soma total a pagar por empréstimo. Ao assinar o contrato, o beneficiário deverá exigir sua via, impreterivelmente! 

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Mr. Peter Johnson | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 18h41
    0
    0

    Mr. Peter Johnson, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 24/04/2015, 00h:46 - Atualizado: 24/04/2015, 01h:02

Serys deixa bandeiras à esquerda, se filia ao PRB da Universal e quer ir à prefeita


serys marly 530

Ex-deputada e ex-senadora, Serys Marli saiu do PT em 2012, passou pelo PTB e agora decide aderir ao PRB

A ex-senadora Serys Marli, professora aposentada da UFMT, decidiu se filiar ao nanico PRB, ligado à Igreja Universal do Reino de Deus do bispo Edir Macedo. Este Blog apurou que a decisão, a ser oficializada nos próximos dias, será recebida com surpresa até pelos aliados da ex-petista e ex-petebista. Para quem deseja disputar as eleições municipais de 2016, deve estar filiado até um ano antes do pleito.

Aos 69 anos, completados no dia 4 deste mês, Serys salta de um extremo para outro. Foi de militância à esquerda por décadas, inclusive em defesa das minorias e da bandeira do arco íris, do movimento LGBT. Agora, tende a conviver com filiados conservadores que se opõem a essas lutas e, alguns deles, tidos até como fundamentalistas.

Independente disso, a esperança de Serys é de, na nova agremiação partidária, mesmo considerada pequena, construir candidatura à prefeita de Cuiabá, desta vez sem obstáculos internos. Seria a segunda tentativa. Pretende cooptar à legenda todo o seu grupo.

No PT, onde foi deputada estadual por três mandatos (91/99) e senadora (2003/2010), Serys acabou perdendo espaço devido a brigas com outras correntes. Pediu desfiliação em outubro de 2012, alegando ter sido prejudicada politicamente pelo chamado grupo majoritário, em vários momentos. 

Em 2006, concorreu ao governo estadual sem apoio do bloco majoritário petista. Quatro anos depois, queria tentar à reeleição como senadora e, de novo, foi preterida. Disputou para deputada federal. Em 2012, assim que deixou a sigla petista, anunciou que apoiaria Mauro Mendes (PSB), eleito prefeito de Cuiabá no segundo turno.

No pleito do ano passado, Serys, já no PTB, vivia também expectativa de entrar na disputa para o Senado. E, de novo, perdeu espaço. Decidiu neste ano sair do partido comandado no Estado pelo ex-prefeito Chico Galindo. Agora, pretende recomeçar, desta vez em um partido que terá ela como principal estrela no Estado.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Arnoldo | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 20h12
    0
    0

    José Marques, ela ERA mulher de fibra.... Mas isso já faz algumas décadas!

  • JOSE MARQUES BRAGA | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 14h48
    5
    1

    SERYS É UMA MULHER DE GARRA E LUTA PELO QUE ACREDITA. ACREDITOU NA ESQUERDA BRASILEIRA QUE FAZ DISCURSOS DE ESQUERDA E AGE COMO EXTREMA DIREITA. COMO ELA EXISTEM MUITOS ELEITORES E AGENTES SOCIAIS À MARGEM DO PROCESSO ELEITORAL. A VIDA É FEITA DE INOVAÇÕES E A ESQUERDA NÃO É PROPRIETÁRIA DAS BANDEIRAS DE INOVAÇÕES. A HISTÓRIA TEM MUITOS EXEMPLOS DE POLÍTICOS CONSERVADORES QUE FIZERAM VERDADEIRAS REVOLUÇÕES COM EFEITOS MULTIPLICADORES NA SOCIEDADE. ESTÁ PROVADO DE QUE QUEM FAZ A DIFERENÇA SÃO AS PESSOAS QUE FORMAM AS AGREMIAÇÕES PARTIDÁRIAS OU INSTITUIÇÕES E NÃO AS TERMINOLOGIAS CRIADAS DE FRASES DE EFEITOS QUE VIRARAM MITOS, COMO DIREITA E ESQUERDA. " JÁ IMAGINOU A CESTA ESCOLA NUM DISCURSOS DE ERQUERDAS? POIS ENTÃO, O PT ESTÁ SE MANTENDO NO PODER ATRAVÉS DA DENOMINADA "CIDADANIA TUTELADA" TÃO COMBATIDA POR ELE. ENTÃO, NADA DE SE SUPREENDER COM MUDANÇAS DE LADO E AINDA BEM ANTES DO PLEITO ELEITORAL. QUEM VAI JULGAR SÃO OS VOTOS NAS URNAS....

  • Alfredo | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 14h32
    4
    1

    Bola pra frente Serys!!! Filiarei com você e nem por isso deixarei de ser católico. Prefeita já!!!

  • Sérgio | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 10h43
    5
    1

    Agora ela encontrou seu verdadeiro caminho para ser feliz.... até que o partido ache alguém para lhe passar a perna!

  • TOMAZ MATHEUS FRACHINI | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 08h32
    6
    9

    ESTAMOS COM A SENADORA... NAO IMPORTA O PARTIDO...FUTURA PREFEITA...

| 23/04/2015, 17h:17 - Atualizado: 23/04/2015, 17h:35

Concorda ou não com projeto do governo de pagar em parcelas dívidas "herdadas"


interrogacao enquete

 

Está no ar uma nova enquete. A pergunta agora é sobre a mensagem do governo estadual, que propõe pagar, em parcelas, dívidas herdadas de administrações passadas até R$ 150 mil por credor. Pelos cálculos do Palácio Paiaguás, conseguiria, com isso, resolver 80% das pendências. A proposta de Taques, no quarto mês de mandato, deve ser apreciada em segunda votada na próxima semana. E você, o que acha disso? O atual governo está ou não agindo certo com esse tipo de proposta? Vote na enquete na capa do portal. E aqui, logo baixo, deixe o seu comentário.

A pergunta anterior foi a seguinte: "Você acha que Riva aceitaria acordo de delação premiada para contar tudo à Justiça acerca de esquemas feitos, principalmente na Assembleia?" Votaram 1.412 internautas - o sistema só permite registro de um voto por IP de computador. A maioria (663 votos - 46,9%) clicaram na opção "Não, aguenta tudo sozinho", ou seja, não acreditam que o ex-presidente da Assembleia abrirá o jogo. Já para 26,9% (381 votantes), Riva, que está preso, aceitaria delação premiada. Veja abaixo o resultado completo.

riva enquete delacao

Resultado da enquete em que a maioria votou acreditando que Riva recusaria acordo de delação premiada

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • jose dalmo ferreira | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 20h12
    5
    3

    nao concordo. si esta reconhecendo adivida, ou paga ototal. ou considera calote parcial;

| 23/04/2015, 16h:57 - Atualizado: 23/04/2015, 16h:58

MT é "campeão" em desmatamento em março; Feliz Natal lidera lista de pesquisa


Portal UOL

quadro_portal-UOL.jpg

 Mato Grosso é recordista de desmatamento no país, de acordo com pesquisa

Mato Grosso, mais uma vez, aparece no topo da lista dos Estados que mais desmataram no Brasil. Conforme dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), o Estado responde por três quartos de todo o desmatamento registrado em março deste ano. O cenário negativo é tema de reportagem publicada no Blog InfoAmazônia, do Portal Uol, em reportagem assinada pelo jornalista Stefano Wrobleski.

Segundo a pesquisa, sete dos 10 maiores em desmatamento estão no Estado, campeão na produção de grãos. Feliz Natal, inclusive, encabeça a lista dos recordistas na devastação da Amazônia Legal com 17,2 km² de alertas de desmatamento.

A cidade, inclusive, chegou a fazer parte da lista de municípios prioritários da Amazônia, entre 2009 e 2013 – quando saiu da lista e passou a ser classificado como “monitorado e sob controle”. Na relação do Ministério do Meio Ambiente estão os locais que registram as maiores taxas de desmatamento e que continuam registrando aumento.

Para se ter uma ideia, em março, a Amazônia registrou 58 km² de alertas de desmatamento. O número é praticamente três vezes maior do que os 20 km² registrados, no mesmo período, em 2014.

Outras cidades 

Além de Feliz Natal,  entre as cidades mato-grossenses que estão no topo da lista negativa estão Itaúba, União do Sul, Gaúcha do Norte, Juara e Novo Ubiratã.

Leia aqui a reportagem do Uol

Portal UOL

quadro_verde_portal-UOL.jpg

 Conforme pesquisa, acima os pontos vermelhos demonstram áreas desmatadas em Feliz Natal

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Viviane | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h09
    3
    0

    E não sei de onde que a Secretária cumpriu o Contrato de Gestão dos 100 dias! Acho que ficou só no arcabouço da legislação.

cadeira na AL | 23/04/2015, 16h:42 - Atualizado: 23/04/2015, 17h:47

Defesa de Taborelli aguarda o voto de ministro e sinaliza que vai recorrer no STF


A defesa do deputado estadual coronel Pery Taborelli (PV) afirma que irá aguardar a vinda do voto do ministro Admar Gonzaga, que pediu vistas do processo, para só então tomar providências quanto aos recursos possíveis para a permanência do deputado no Parlamento. A defesa explica que haverá embargo de declaração no prazo de 5 dias após o voto, pois, segundo os advogados, o voto do ministro Gilmar Mendes tem obscuridades.

Ocorre que Taborelli está a um passo de deixar o Legislativo. Em decisão desta quinta (23), os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, João Otávio de Noronha, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), votaram a favor do recurso de Valdir Barranco (PT), ex-prefeito de Nova Bandeirantes, que busca a diplomação como deputado estadual. De acordo com o advogado de Barranco, Rodrigo Ciryneu, assim que decisão for finalizada, os 19.227 votos do petista serão contabilizados, fazendo com que ele “tome” a vaga de Taborelli, que obteve 18.526 votos.

Neste sentido, entre as obscuridades apontadas pela defesa de Taborelli está o fato de Gilmar Mendes ter alegado que as contas, inicialmente reprovadas de Valdir Barranco (PT), foram agora aprovadas pela Câmara Municipal, não é válido, uma vez que o decreto que aprovou as contas do petista foi suspenso por decisão liminar da juíza da comarca de Nova Monte Verde. Para a defesa, o ministro não se atentou a isso.

A defesa alega ainda que não é da jurisprudência daquela corte, no caso o TSE, apreciar o acerto ou desacertos de contas aprovadas ou rejeitadas pela Câmara. “Então o ministro fugiu totalmente ao entendimento que já é pacificado naquela Corte”, dizem os advogados. Os juristas ainda destacam que existem dois processos já julgados, determinando a remessa dos autos aos Tribunais de origem e surpreendentemente o voto do ministro caminhou fora do entendimento do TSE, “então haverá embargo de declaração no primeiro momento para sanar essa obscuridade que existe. E após podemos pensar num recurso extraordinário para o Supremo Tribunal Federal. Nós não descartamos a possibilidade de recursos para o Supremo”, finaliza.

Barranco tem maioria de votos no STJ e está a um passo de assumir AL

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • sérgio | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 17h29
    0
    0

    Oba! Mudou o discurso, Júnior!!!! coitado, ainda vi ter muita decepção na vida. Vai mudar de opinião cada vez que o vento muda de sentido!!!! Vivendo e aprendendo!!!

  • Junior | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 15h21
    0
    0

    Caro Sérgio, muito embora respeite a sua opinião, o que não é o seu caso, ressaltando que, vivemos numa democracia e com isso, tenho o direito de manifestar minha opinião, o que parece você não saber ou não entender. Outro detalhe, “ninho tucano”? Você está usando comentário feito pela Folha de São Paulo em 06/02/2010? Em primeiro lugar, caso você não saiba o significado de Ventriloquia ou ventriloquismo, segundo Wikipédia, a enciclopédia livre. “é a arte de projetar a voz, sem que se abra a boca ou mova-se os lábios, de maneira que o som pareça vir doutra fonte diferente do falante”. Mas como você usou o significado baseado na matéria da Folha de São Paulo, foi traído pela interpretação. Procure ler mais um pouco antes de querer debater sobre o comentário dos outros, que mais uma vez repito, é direito meu de manifestar opinião. Só mais um detalhe, não sou filiado a nenhum partido político, não sou adepto de nenhum simpatizante político e só para constar, não tenho nenhum interesse em que A ou B esteja na AL.

  • Sérgio | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 10h40
    1
    1

    Junior, você tem nenhum conhecimento de causa. Portanto, guarde tua opinião de ventríloquo para emitir lá no ninho tucano.

  • jose fernando prado | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 08h33
    5
    1

    REFAZENDO MEU COMENTÁRIO: DEPUTADO QUE AMEAÇA SEUS PARES COM ARMA DE FOGO, EM PLENÁRIO, CONFORME NOTICIADO PELA MÍDIA, DEVERIA SER PUNIDO INCONTINENTE, POR AFRONTAR NOSSAS LEIS.

  • jose fernando prado | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 08h12
    1
    0

    jose fernando prado, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Junior | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 07h42
    6
    0

    Não dá nem pra dizer que seria a famosa troca do "seis por meia dúzia". Esse Cel Taborelli tá se achando o comandante da AL. Já diz o ditado... quer realmente conhecer uma pessoa? Atribua a este ser humano o direito de portar uma arma de fogo e o livre direito de usa-la, ou conceda a este mesmo ser humano a oportunidade de estar no poder, e verás quem realmente é uma pessoa de bem e que não sucede as tentações. Um cara que vai armado para a AL, que se acha o dono do mundo, se cair, cai tarde! Agora, o outro? Difícil até comentar, se está recorrendo ao meio jurídico para conseguir viabilizar seus votos, que está sendo investigado por manobras no INCRA. Portanto, vai sair o ruim e entrar o pior, ou vice versa.

  • Ariosvaldez Rodrigues de Lima | Sexta-Feira, 24 de Abril de 2015, 07h30
    1
    0

    Ariosvaldez Rodrigues de Lima, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Ricardo Marcos | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h38
    5
    16

    Na minha opinião Barranco não deveria nem ter concorrido ao legislativo, complicado para a população perder um parlamentar que luta pelo povo, pela segurança pública, apresentou projeto de lei para melhorar o acesso a informação de defcientes visuais, tirar Taborelli e colocar Barranco é uma afronta a população matogrossense.

  • edson | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h35
    17
    4

    Ja rodou coronel, nao soube nem fazer amizade no parlamento. Achou que la era quartel.

  • ana c m silveira | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 18h21
    14
    3

    Barranco da nele e faz essa tropa de Oficias voltarem ao quartel. Insina ao cel. Q e discursao de maerias de interresse publico

| 23/04/2015, 10h:19 - Atualizado: 23/04/2015, 10h:46

Nunca vi um centavo de fundo partidário, dispara Blairo contra aumento aprovado


Guilherme Alves Filho/Assessoria 2010

Blairo-Maggi-com-Dilma-e-Silval.jpg

Blairo Maggi durante campanha em 2010, ao lado de Silval e Dilma. Republicano diz que sempre custeou suas campanhas e nunca recebeu verba do Fundo

O senador Blairo Maggi usou a tribuna nesta quarta (22) para criticar a aprovação da emenda sugerida pelo Congresso Nacional de aumentar para R$ 867,5 milhões o repasse ao Fundo Partidário, “sugestão” sancionada pela presidente Dilma Rousseff (PT) e já publicada no Diário Oficial da União. A previsão inicial no orçamento era de R$ 289 milhões. 

Aproveitando o aparte concedido pela senadora Ana Amélia (PP-RS), o republicano disparou contra a medida e afirmou nunca ter sido contemplado com esses recursos. “Não sei onde e porque vai tanto dinheiro nessas verbas partidárias já que, pelo menos nas eleições que participei, nunca vi um centavo de fundo partidário”. Blairo, um dos empresários mais ricos do país, sempre custeou as próprias companhas e do seu grupo, o que pesa no posicionamento sobre aumento do fundo.

Blairo, que faz parte da base de sustentação da petista, ainda criticou a postura do Congresso Nacional em apresentar essa demanda. “Acho que foi de muito mal tom esse aumento. O Governo não tem nem recurso para fazer frente aos serviços já contratados no passado”. Segundo o senador, a iniciativa segue na contramão da necessidade do “arrocho” difundido tanto pelos legisladores quanto pelo Palácio do Planalto. E completou. “Há momentos que se pode pedir algo a mais e há momentos que tem que dar algumas coisas para conseguir avançar. Nesse momento, nós não soubemos dar a nossa parte”.

Congresso triplica recursos para partidos ao aprovar Orçamento 2015

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • JOSE MARQUES BRAGA | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 11h39
    6
    0

    PRÁ QUEM SÓ USA OS PARTIDOS PARA REGISTRAR ELEIÇÃO E TEM SACOS DE DINHEIRO, O ASSUNTO NÃO INTERESSA. ACHO QUE DEVERIA REGULAMENTAR O USO DO FUNDO PARTIDÁRIO. FINANCIAR CAMPANHAS DE CANDIDATOS COM PROJETOS PRÉ-DEFINIDOS PELOS PARTIDOS SERIA UMA BOA OPÇÃO. ASSIM PODERIA EVITAR A PROMISCUIDADES ENTRE EMPRESAS E RECEITAS PÚBLICAS. O PROCESSO DE CORRUPÇÃO TEM INCIO NAS CAMPANHAS ELEITORAIS. COMO GASTAR MILHÕES SE AS RENDAS LEGAIS DOS ELEITOS PASSAM LONGE DOS VALORES GASTOS? COMEÇA NO PROCESSO ELEITORAL A INVIABILIDADE DOS MANDATOS QUE GOVERNAM PARA GRUPOS ECONÔMICOS E A POPULAÇÃO FICA À MARGEM DOS BENEFÍCIOS E DA PRINCIPAL RAZÃO DA EXISTÊNCIA DO PÚBLICO: REDUZIR AS DESIGUALDADES SOCIAIS DO MODELO DE PRODUÇÃO EM VIGOR QUE É EXCLUDENTE. INFELIZMENTE AS VOZES DA MAIORIA QUANTITATIVA É MASSACRADA PELA MINORIA DETENTORA DO PODER ECONÔMICO. MUITOS TALENTOS DEIXAM DE CONTRIBUIR PARA O PODER POR FALTA DE RECURSOS PESSOAIS E POR NÃO ENTRAR NO SISTEMA CORRUPTO EM SEU MODELO.

  • Donizete Ferreira do Nascimento | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 10h32
    9
    0

    Quanto à demanda de aumento, concordo: é totalmente indevida e inoportuna, num momento de dificuldade, especialmente; sobre o auto financiamento, vejo problemas, pois na prática, se compra a própria eleição e isto gera disparidades entre candidatos. Tem que haver limites bem nítidos.

| 23/04/2015, 07h:30 - Atualizado: 23/04/2015, 07h:41

Viajar é preciso

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

Adoro meu trabalho. Sinto que, através dele, é possível transformar positivamente a vida de muitas pessoas. A energia que recebo dos clientes e parceiros é muito boa. Tenho certeza de que sou felizarda e isso me deixa realizada. Mas tudo em demasia é um problema. Apesar de estar sempre viajando pelos lugares mais lindos do Estado, de vez em quando, é preciso respirar outros ares. Depois de um ano sem férias, que defino como viagem sem relação com trabalho, finalmente nos demos o devido direito. Queria estar num lugar onde nada nos fizesse lembrar de trabalho e a única preocupação fosse escolher um lugar para comer.

Escolhemos uma praia. Adoro o mar, principalmente fora de temporada. Sem filas, clima gostoso e preços mais camaradas. O destino foi o Rio Grande do Norte, na cidade de Tibau do Sul, mais especificamente, a praia de Pipa. Uma vila cosmopolita. Gente do mundo todo que se reflete em cozinha internacional com sotaque nordestino.

Levamos meus pais, meus sogros e nosso filho. Uma viagem que nunca achei que seria possível, pois conciliar a agenda de três famílias em pleno mês de abril é bem complicado. Mas como combinamos há meses foi difícil receber um não de todos eles. Alugamos um carro enorme e caímos na estrada. Escolhemos uma casa em meio a uma bela mata, para nos sentirmos mais próximos de casa.

Chegando lá foi fácil perceber o maior beneficiado do descanso. Meu filho de seis anos. Na verdade a palavra descanso não se aplica bem a férias com criança. Praia o dia todo, dia todo mesmo. Com direito a caldos, aula de surf e infinitos empreendimentos na areia. Como nós precisávamos disso. Este tempo com ele foi muito importante. Mas não menos importante foi ter o resto da família. As conversas despretensiosas na varanda, as lembranças da infância, as risadas e todo o pacote foram essenciais. Oito dias sem TV recarregaram baterias.

Infelizmente o trabalho me achou algumas vezes. Facebook, whatsapp e e-mails tiveram que ser respondidos, mas até o contraponto foi importante. Valorizei cada minuto a companhia das pessoas mais importantes da minha vida. Tivemos ótimos momentos. Oxigenei as ideias, adquiri novas referências e também tive a oportunidade de conhecer novas pessoas. Como foi bom. Agora aqui da sala de embarque do aeroporto penso no pequeno prejuízo que tive: perdi a GO PRO no mar, rs. Minha câmera a prova d´água, cujo cartão de memória vale ouro, ficou com Iemanjá. Saiu barato. Terei que guardar na cabeça todos os registros. 

Ainda no aeroporto de Natal encontrei um casal de Tangará da Serra, clientes do Ultra. Ouvi da Marialda que estou “com uma cara ótima”, pois nas provas estou sempre correndo. Foi bom ouvir isso. Preciso viajar mais. Desligar um pouco da rotina e ficar 100% em família. Isso é prioridade, nada mais é tão importante. Já chamaram meu voo. Amanhã é como segunda feira. Volta toda a rotina. Tempo de trabalhar mais um pouco para viabilizar outro descanso. Desta vez não vou esperar um ano, a vida escorre entre os dedos. 

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

| 22/04/2015, 18h:49 - Atualizado: 22/04/2015, 19h:39

Júnior Mendonça cita dívida de R$ 6 mi de Riva e descreve como esquema era feito


A juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda, ouviu, na tarde desta quarta (22), as quatro primeiras testemunhas de acusação do processo que levou o ex-presidente da Assembleia José Riva (PSD) à cadeia. Entre as testemunhas estão Tatiana Laura da Silva Guedes, Edna Aparecida de Matos, Aurea Maria de Alvarenga Gomes Nassarden e o empresário Júnior Mendonça, que ficou conhecido como o “delator” da Operação Ararath, que apura esquemas de lavagem de dinheiro e crimes financeiros no Estado. Além disso, o empresário também cita o suposto esquema que envolvia Riva em fraudes no Legislativo, o que desencadeou, por meio do MP, a Operação Imperador.

O primeiro a depor foi Júnior Mendonça, que a todo o momento pareceu tranquilo e confortável com o interrogatório. Respondeu os questionamentos de forma clara. As primeiras perguntas abordaram a relação dele com Riva. O delator explicou que conheceu o ex-presidente da Assembleia por meio de Eduardo Jacob, ex-advogado de Riva, já falecido. Destacou que o primeiro contato foi em 2006, quando Jacob ligou para Mendonça informando que Riva precisava de um empréstimo.

Segundo Mendonça, Riva foi o seu primeiro cliente no meio político e que o primeiro empréstimo foi no valor de R$ 2 milhões. Como garantia, na época, Riva passou sua residência no bairro Santa Rosa e uma carta promissória. Conforme o empresário, os empréstimos foram crescendo e entre 2006 e 2010 Riva chegou a movimentar R$ 10 milhões em empréstimos.

Mário Okamura

quadro_imperador.jpg

Segundo Júnior Mendonça, Riva era sempre direto e tratavam apenas de negócios, ou seja, dinheiro

De acordo com o delator, Riva era sempre direto quando se encontravam, tratavam apenas de negócios, ou seja, dinheiro. No entanto, quando a relação começou a estremecer, Mendonça chegou a questioná-lo quanto à destinação dos valores. Riva, por sua vez, alegava que era para abastecer o “sistema”, composto por deputados e imprensa.

Mendonça conta ainda que todos estes valores eram repassados para Riva por meio de cheques ou TEDs, sempre nominais a quem o ex-parlamentar lhe passava. O social-democrata pagava o agiota sempre em espécie, por meio do secretário Ademar Adams, que faleceu em outubro de 2010. Os pagamentos eram feitos na Assembleia ou no escritório da Global em Várzea Grande, cujo um motorista no carro do Legislativo levava o montante para Mendonça. Os débitos eram feitos em parcelas de R$ 50 a R$ 250 mil. Após a morte de Adams, Mendonça alega que passou a ter dificuldades para receber de Riva.

O empresário deixa claro ainda que o ex-deputado tinha a necessidade de ser barrado, pois não conseguia liquidar a dívida, que hoje chega a quase R$ 6 milhões. “Eu cobrava um juros de 3%, a nota promissória que tenho hoje é R$ 5,7 milhões, que na verdade está em poder da Justiça. Só foram pagas três parcelas de R$ 400 mil”.Além Riva, Mendonça emprestou dinheiro para outros dois deputados na época, R$ 2 milhões para Sérgio Ricardo, hoje conselheiro do TCE, e outros R$ 90 mil para Mauro Savi. O conselheiro quitou a dívida, já a de Savi quem quitou foi Riva.

As outras testemunhas Tatiana Laura da Silva Guedes, Aurea Maria de Alvarenga Gomes Nassarden, ex-mulher de Elias Nassardem e mulher de Jean Carlos, irmão de Elias, respectivamente, alegaram desconhecer de possíveis movimentações ilegais da Livropel, empresa as quais eram sócias.  Ambas, contudo, afirmaram que o poder aquisitivo dos respectivos citados melhorou após a empresa passar a fornecer material para o Parlamento. Aurea inclusive chegou a reconhecer sua assinatura em diversos documentos mostrado pela defesa de Riva, no entanto, alegou que nunca esteve na Assembleia e que logo no início da empresa assinou uma procuração, passando os plenos poderes a seu cunhado, Elias. Aurea argumentou ainda que, em 2006, quando a empresa foi constituída, acreditava que deveria ser em seu nome, pois o nome do conjugue estava com restrições.

Já a última testemunha, Edna Aparecida de Matos, analista contábil do Ministério Público, foi incumbida de analisar a documentação relativa à aquisição de material para a Assembleia. O que mais chamou a atenção, segundo ela, foi a quantia exorbitante de materiais para escritório. Lembrou que existem pedidos de 70 milhões de envelopes pardos e milhares de tonners e cartuchos, quando na verdade, o Parlamento, dependendo da época, constava com cerca de 140 a 160 impressoras, conforme inventário permanente.

A servidora ressaltou também que não foi apresentado nenhum registro contábil das empresas citadas, bem como registro das movimentações financeiras junto a Sefaz, tornando a operação ilegal. Amanhã (23) depõem Wilson da Silva Oliveira, Augusto César Menezes e Silva, Arlindo Santos Macedo e Evandro Ferraz Lesco.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • paulo | Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015, 16h50
    2
    0

    Quero ver devolver o dinheiro do povo.

  • Jordi | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 21h26
    7
    1

    O dito cujo é testa de ferro. Todos sabem de quem...

  • MARCIO | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 20h23
    9
    1

    RIVA, MAURO SAVI, ROMUALDO. SAÕ TRES DA MESMA ESCOLA. IRMÃOS PERALTAS.

| 22/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 21/04/2015, 18h:36

Tribunal do Século 21

Podia ser melhor e mais rápido, se o Congresso já tivesse aprovado o Conselho Nacional dos Tribunais de Contas

antonio_joaquim_nova_dentro_texto

Antonio Joaquim

O modelo tradicional de atuação dos Tribunais de Contas, focado apenas na fiscalização, auditoria e julgamento da legalidade e legitimidade das contas públicas, está fadado ao esgotamento. A instituição tem que dar mais qualidade a esse “trinômio” e ampliar a sua ação na orientação e capacitação e no estímulo ao controle social. Em síntese, tem que se aperfeiçoar na primeira missão e investir mais na segunda, de maneira a dar as respostas que a sociedade espera e merece.

Não se trata aqui de discurso fácil, mas de prática do que é verdadeiramente possível. Falo com a experiência de 15 anos no cargo de conselheiro e por pertencer a um dos Tribunais de Contas que tem servido de referência entre os 34 existentes no Brasil. O TCE-MT sofreu uma profunda transformação nos últimos 10 anos e realiza todas essas atividades com muita maturidade e grande êxito. Mas é correto admitir que nem todos os TCs já alcançaram esse estágio. Muitos enfrentam dificuldades e correm contra o tempo, contando com o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (ATRICON) - entidade que presidi em 2012-2013 e que me credenciou a essa leitura do contexto nacional.  

Podia ser melhor e mais rápido, se o Congresso já tivesse aprovado o Conselho Nacional dos Tribunais de Contas. O CNTC promoveria a nossa fiscalização (como faz o CNJ no Judiciário) e estabeleceria planejamento e metas para todos alcançarem um patamar mínimo.  O CNTC também velaria pela observância da Constituição  e da Lei da Ficha Limpa quanto da indicação e escolha dos membros para os TCs (o problema não é o modelo de escolha, igual ao do STF, mas a sua burla pelo Executivo e Legislativo).  

O aperfeiçoamento passa pela inteligência na fiscalização, qualidade nas auditorias e tempestividade nos julgamentos. Já o avanço passa por ações educativas e que estimulem a boa governança, a integração das instituições de controle e que levem os Tribunais de Contas ao encontro do cidadão. No TCE-MT temos vários exemplos, como os programas Gestão Eficaz, PDI, Consciência Cidadã e TCE Estudantil.

No caso da qualificação do trinômio fiscalizar-auditar-julgar, deve-se utilizar os recursos tecnológicos para que a fiscalização trabalhe com informações estratégicas. Pautar as auditorias pela relevância e materialidade. Observar a legalidade e legitimidade dos gastos públicos, mas principalmente atentar para os resultados, fazendo uso de instrumentos corretivos como Termos de Ajustamento de Gestão (TAG). Esse instrumento foi usado recentemente em ajuste assinado com a Secretaria de Estado de Saúde, visando solucionar as mais de 50 deficiências apontadas por auditorias operacionais feitas na área da saúde. Vejo as auditorias operacionais como o futuro do controle externo.

 O controle externo deve privilegiar a concomitância, até para se trabalhar como que em biópsias e não em autopsias, onde o estrago maior já ocorreu. Na prevenção, usar mecanismos como medidas cautelares, intervindo antes de o prejuízo ser irreparável para o erário. De que vale uma licitação perfeita, correta, se no final não houve nenhum benefício para a sociedade? No Brasil, tem muito desperdício licitado. Se a corrupção navega na impunidade, vejo que o desperdício folga na falta de foco em resultados. Finalmente, julgar 100% dos processos do exercício anterior.  Julgar tardiamente é praticar injustiça.

No campo educativo, utilizar programas de capacitação como o Gestão Eficaz, que o TCE-MT realiza há quase 10 anos. Enfoca os assuntos contábeis e administrativos em que se verifica a maior incidência de falhas nas contas públicas. São cursos direcionados aos prefeitos, vereadores, secretários, diretores e servidores públicos. A perspectiva é a de que as falhas representam prejuízo e, os acertos, correspondem à boa aplicação dos recursos públicos.

Com o PDI, programa que tem cinco eixos e já chegou em 40 prefeituras, nosso Tribunal de Contas vem orientando Prefeituras Municipais e órgãos estaduais a adotarem a cultura do planejamento estratégico. O TCE compartilha sua experiência praticamente sem custos para os órgãos interessados, em esforço para melhorar a gestão pública.  O PDI ainda foca a capacitação de cidadãos membros dos Conselhos Municipais, em uma parceria com a UFMT. São 80 horas aula com certificado de conclusão. Além de noções gerais de cidadania, qualifica-se o cidadão para controle social. Esse programa será ampliado em 2016, tal a sua relevância.

Já o programa Consciência Cidadã, também em execução há vários anos, promove debates sobre temas de interesse da sociedade, como a transparência. A perspectiva é a de que nenhuma instituição tem a tutela de tantas informações sobre gestão pública quanto os Tribunais de Contas - verdadeiros armazéns de informações. Há ainda o  TCE-Estudantil, que por anos a fio vem organizando visitas de milhares de estudantes ao TCE-MT. A perspectiva é a educação para a cidadania.

No próximo mês de maio, o TCE-MT começa um novo programa, denominado Democracia Ativa - uma contração de democracia representativa. Vai aproximar o Tribunal de Contas e as Câmaras de Vereadores, com intuito de sanar dúvidas sobre Contas de Governo e Contas de Gestão, articular a fiscalização da transparência como determina a Lei de Acesso à Informação e oferecer palestras sobre Leis Orçamentárias. A perspectiva é qualificar a rede de controle com o aprimoramento e melhoria no desempenho da atuação parlamentar.

Aliás, em 2016, a exemplo do que ocorreu em 2008, o TCE vai buscar a parceria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e do Ministério Público para realizar capacitações para candidatos a cargos eletivos com enfoque na legislação que norteia a administração pública. Depois, principalmente para prefeitos eleitos e após a diplomação, oferecer orientações relacionadas à transição da gestão. 

Em suma, nossas instituições estão saindo da perigosa zona de conforto que representa o modelo tradicional de atuação. E existe um inequívoco esforço nacional nesse sentido. A ATRICON aprovou 11 Resoluções com diretrizes para o aprimoramento, dentro do projeto Qualidade e Agilidade dos Tribunais de Contas. E definiu procedimento bi-anual de avaliação com marco de medição de desempenho.

Acredito que a decisão pela transformação é o primeiro grande passo e já ele foi dado em muitos Tribunais. Conseguir aliados é o segundo movimento e estamos em marcha. Com a certeza de que, no prosseguir, temos o caminho sem volta para o Tribunal do Século 21.

Antonio Joaquim é conselheiro e ouvidor-geral do Tribunal de Contas de Mato Grosso e escreve exclusivamente para este Blog às quartas-feiras.www.anjoa@tce.mt.gov.br 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Oliveira | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 10h52
    10
    1

    Caro e nobre Conselheiro Antonio Joaquim, venho a tempos acompanhando ou pelo menos tentando acompanhar a trajetória do nosso TCE. Principalmente em relação aos empreendimentos realizados nos últimos 20 anos. "Com o PDI, programa que tem cinco eixos e já chegou em 40 prefeituras, nosso Tribunal de Contas vem orientando Prefeituras Municipais e órgãos estaduais a adotarem a cultura do planejamento estratégico. O TCE compartilha sua experiência praticamente sem custos para os órgãos interessados, em esforço para melhorar a gestão pública. O PDI ainda foca a capacitação de cidadãos membros dos Conselhos Municipais, em uma parceria com a UFMT. São 80 horas aula com certificado de conclusão. Além de noções gerais de cidadania, qualifica-se o cidadão para controle social. Esse programa será ampliado em 2016, tal a sua relevância". Confesso sinceramente que realmente a estrutura cresceu bastante fisicamente apenas. As peças estão bem montadas e devidamente ajustadas, mas falta ao meu ver, "agilidades", tudo anda muito vagarosamente em camará lenta. Refiro-me ao PDI e a Escola de contas. Participei do último curso sobre "CONSELHOS", ocorrido no final do último semestre de 2014 e até o presente momento não dispomos ainda do nosso "Certificado de conclusão". Por mais que tenho buscado não consegui obter resposta sobre essa finalidade. Tenho total respeito por essa nobre instituição, já participei de outro curso e esse é o segundo. Todos foram de real e total importância com objetivos bem definidos e material didático de primeira qualidade com uma equipe docente bem qualificada. Essas boas iniciativas estão de "PARABÉNS". È lamentável que esteja tendo esse tipo de atraso.

| 21/04/2015, 09h:53 - Atualizado: 21/04/2015, 10h:01

Nome de Taques entra no debate sobre candidaturas à Presidência da República


O debate nacional sobre possíveis candidaturas à Presidência da República em 2018 começa a incluir naturalmente o nome de Pedro Taques. E essa alternativa pode ganhar dimensão e respaldo que muitos nem imaginam, principalmente se daqui a dois anos o governador tiver um bom conceito administrativo. É muito forte o seu discurso pela moralidade e ética. Provou ser bom legislador. Falta agora a chancela de “bom gestor”.

A opção vem na onda da cobrança por candidatos ficha limpa. Certamente, Taques sobrevive à depuração de nomes em meio a tantos que estão manchados por envolvimento em escândalos e a outros que volta e meia vão parar na cadeia.

José Medeiros

pedro taques 530 analise

Governador Pedro Taques alimenta expectativa de deixar PDT e, nos bastidores, mira projeto à Presidência

Conspira também a seu favor o fato do petismo, que deve ficar 16 anos no poder, estar em frangalhos, com a moral no chão. E mais: as oposições batem cabeça porque não apresentam nomes capazes de absorver as vozes das ruas. Procuram novos projetos, que não sejam o tucano Aécio Neves e nem Marina Silva, que sonha em deixar o PSB para fundar logo a Rede Sustentabilidade.

O assédio político a Taques aumentou por causa da vacância de quadros com perfil capaz de consolidar projeto à sucessão de Dilma Rousseff. Procuram-no grupos empresariais, representantes de entidades e dirigentes partidários. E ele deu sinais de que tanto pode deixar o PDT para se firmar de vez como oposição ao Palácio do Planalto quanto topar uma candidatura presidencial.

De fato, é corajoso.  Em 2010, Taques, já conhecido nacionalmente pela atuação dura contra o crime organização e a corrupção envolvendo figuras graúdas dos meios político e empresarial, pediu exoneração do cargo vitalício de procurador da República para concorrer ao Senado. E se deu bem nas urnas. No Senado, viu abrir brechas para concorrer à Presidência, mesmo sabendo que só serviria de plataforma para visibilidade e mais projeção pública. E encarou. Perdeu para Renan Calheiros de 18 a 56 naquele 1º de fevereiro de 2013. 

Como é cedo para abrir essa discussão pela corrida ao Planalto, o governador mato-grossense faz de conta que nada está acontecendo. Mas, nos bastidores, se vê mergulhado em conversações intensas em âmbito nacional.

Postar um novo comentário

Comentários (26)

  • Kléber | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 16h52
    6
    5

    Será que ele ganharia pelo menos para governador de MT de novo? Detalhe: candidato a presidencia ele tem todas as chances de ser, claro. O Levi Fidelix nao foi? Luciana Genro... Eymael... Rui Costa Pimenta... Eduardo Jorge... Quantos votos receberam? Ah. fala sério. A gente vê e lê cada coisa. Mas mesmo assim, melhor ler e ver isso que ser cego e/ou surdo né!

  • Marcio | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 15h09
    11
    12

    Coitado. Não ganha nem do Muvuca no debate.

  • Lucas | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 13h49
    11
    9

    Aí sim o Brasil para !!! Pedro "tartaruga" Taques piada !!!

  • Davino Padilha Vieira | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 13h05
    15
    2

    Acredito na idoneidade moral do nosso Governador, pelo seu histórico no MPF e no Congresso Nacional, mas para não cair na vala dos políticos tradicionais que se usam de mentiras somente para obter votos, ele teria que cumprir com todos os acordos salariais anteriores, que ele afirmou durante a campanha que cumpriria, como o da Polícia Militar, que atingiu todas as metas estabelecidas por esta administração.

  • Julio | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 13h04
    5
    2

    Julio, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Eloir Celso Kuntz | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 09h16
    6
    0

    Eloir Celso Kuntz, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Artur | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 09h10
    16
    9

    Isso é piada, esse governo Taques está sendo a mesma coisa do Governo Silval, basta verem a contratação da empresa de limpeza e conservação que foi feita pela Secretaria de Saúde, totalmente ilegal e pura maracutaia, vão lá averiguar e irão ver que foi totalmente em desacordo com a lei.

  • leo | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 08h53
    14
    9

    eu até votaria nele, pra sumi do mato grosso, fora desgovernador

  • Rebeca | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 05h59
    9
    18

    2018, com crise ou sem crise, ninguém tira de Lula-Sérgio Cabral, a Presidência.

  • José Medeiros | Quarta-Feira, 22 de Abril de 2015, 05h54
    5
    0

    José Medeiros, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 21/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 21/04/2015, 18h:36

Quem não sabe dialogar, não sabe rezar

Olga_200_fora

Olga Lustosa

Saímos de casa de carro com os vidros escuros, talvez para não ver o que acontece do lado de fora. Desenvolvemos uma visão que só enxerga para dentro de nós mesmos. Estamos doentes, sofrendo de mundanidade e esta doença anestesia a alma e nos transporta para um mundo artificial, onde os homens doentes, acometidos pela mundanidade são incapazes de perceber a realidade dos outros.

Estamos compelidos a destruir os valores que regem a vida e personalizar o mundo dos outros, como “meu” mundo; a verdade que impera é a minha verdade, o Deus que governa é o meu Deus! O mundo sou eu e 7 bilhões de outros seres humanos, aos quais sou indiferente

Essa dureza de coração fecha os homens em si mesmos e eles não sabem dialogar, porque desaprenderam a ouvir. ”Quem não sabe dialogar, não sabe rezar”, afirmou o Papa Francisco dias atrás. O que o Papa chama de mundanidade, o sociólogo polonês Zygmunt Bauman chama de modernidade líquida.

De certa forma, ambas expressões remetem ao derretimento dos sentimentos compartilhados; ao embrutecimento da sensibilidade; a fragilidade do amor; a incapacidade de olhar e enxergar o outro. Inegavelmente, a modernidade está caracterizada pela fragmentação, sobretudo porque o individuo transformou-se em um caçador de prazeres e tem se esquivado da necessidade de se olhar profundamente um dentro do outro e estabelecer parcerias e vínculos. 

 A vida moderna, agitada, cheia de paradoxos, antagonismos nos condena à viver embriagados, aturdidos com tantas coisas novas desfilando diante dos nossos olhares. Mas sabe? De todas as coisas que nos atraem e tocam nossos corações, a primeira delas deveria ser o outro, o irmão.

Entretanto, estamos vivendo uma estranha incapacidade de tomar a vida com afetividade e humanidade, de olhar abrangente uns aos outros. Por que? Porque o outro pode ser uma ameaça dentro das nossas cidades do medo e num mundo inseguro, a segurança passa a ser um valor, que na prática, reduz todos os outros. 

Numa sociedade tão individualizada é o mercado com seu poder de sedução, que preenche os espaços deixados pelos ideais e pelo romantismo. Passa a ser chocante para as pessoas com certo senso moral assistir ao espetáculo da corrupção e viver a atmosfera de desagregação e indiferença que permeia as instituições conduzidas por homens acometidos pela mundanidade.

Poderemos, é claro, remodelar a condição humana na forma de algo melhor do que ela tem sido até agora, tornar o mundo mais hospitaleiro para os homens, para que seja possível atingir a felicidade com mais poder humano e com a consciência de que a vida vivida fechada em si mesma, baseada nas distrações pode ser divertida, mas a sensação do divertimento passa, e o olhar do outro sob os ombros, pode desconcertar. Balancear, equilibrar as nossas relações é o desafio que carregamos, pois não podemos nos mover, tampouco viver em meio ao redemoinho. 

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

esporte | 20/04/2015, 10h:05 - Atualizado: 20/04/2015, 10h:23

Grito de federações revela débitos de 5 anos do Bolsa Atleta; Estado faz cadastro


Rodinei Crescêncio

ananias filho

Ananias Filho foi um dos secretários de Esportes que não pagou o Bolsa Atleta

O “grito” das 25 federações esportivas, que reclamam da falta de pagamento dos convênios firmados entre as instituições e o Governo, levanta um debate interessante às vésperas da realização dos jogos Olímpicos no Brasil: qual é o olhar de Mato Grosso e do país para o setor.

Se, de uma forma geral, o Brasil não tem feito a lição de casa direito, tendo em vista que a chiadeira é geral e tem impacto nos resultados obtidos pela nação nos campeonatos dentro e fora do país, em Mato Grosso a situação é ainda pior.

Para se ter uma ideia, conforme o presidente da Federação Mato-grossense de Ciclismo (FMTC), Manoel Lima, o secretário-adjunto de de Esportes, Pedro Sinohara reconheceu que o pagamento do programa Bolsa Atleta enfrenta problemas desde 2010, quando o cadastro não foi homologado por falta de orçamento.

Federações reclamam de abandono de 50 mil atletas; Governo ameniza

Assim, há 5 anos, os atletas ouvem promessas de uma regularização que nunca se concretizou. O próprio Rdnews divulgou, em 2013, que a dívida com os atletas vinha se acumulando e já superava os R$ 3 milhões. À época, o então secretário Ananias Filho disse que “o programa foi homologado em 2011, mas só pagamos 2 meses. Faltam 10 meses de 2011 e o ano inteiro de 2012”. Mas o deputado e ex-secretário da pasta, Baiano Filho (PMDB), chegou a cobrar também a quitação nove parcelas de 2010 - saiba mais aqui e aqui.

O fato é que, de 2010 até agora, passaram 5 secretários e nenhum resolveu o celeuma. As ingerências começam justamente no ano em que Silval Barbosa (PMDB) assume a administração estadual, quando assumiu o Executivo em razão da renúncia do titular, Blairo Maggi (PR), eleito senador. Depois, o peemedebista foi reeleito. Faltou pulso e até pode-se dizer que foram omissos os ex-secretários Baiano, Carlos Azambuja (2011 - 2012); José de Assis Guaresqui (2012), Ananias Filho (2012 – 2014). Agora, o abacaxi caiu no colo de Leandro Carvalho, secretário de Cultura e Esportes. 

De todo modo, cada gestor, em maior ou menor grau, deixou a situação virar uma bola de neve. Segundo Manoel, cada atleta cadastrado tem direito a R$ 800 mensais, ou seja R$ 9,6 mil por ano. O não pagamento dos benefícios, segundo ele, “hoje beiram a casa dos R$ 10 milhões”,  herdados por Taques. O presidente da federação argumenta que atletas de Sinop, a 503 km de Cuiabá, por exemplo, percorrem o país para representar o Estado em competições com equipamentos e não recebem apoio no custeio de despesas com passagens, hospedagem, alimentação, entre outras.  

Entre os destaques do Estado, que têm tido bons resultados, apesar da falta de apoio, está o ciclista Daniel Pianovski, que é um dos seis primeiros atletas do ranking brasileiro de ciclismo, na categoria mountain bike. “Mais de um terço das Bolsas Atletas serão destinados aos atletas das modalidades do Ciclismo Olímpico e Cross Country Olímpico”, reclama o dirigente.

Segundo ele, Pianovski teve o cadastro aprovado em 2012, até hoje não recebeu nada. “Já é difícil se manter no esporte e temos o objetivo de ficar entre os seis primeiros em nível nacional”, reclama Daniel. O ciclista ainda disse que até hoje está à espera de receber a bolsa. “Tenho o direito de receber o auxílio desde 2010, pois me enquadrei nos requisitos que a lei prevê. Fizemos o protocolo na Secretaria Estadual de Esportes e até o momento não tivemos nenhuma resposta”, disse. 

Em visita a Sinop, segundo a federação, Sinohara explicou que o cadastro de 2010 não foi homologadoo por falta de recursos. Ainda segundo ele, agora, é preciso que os atletas façam um novo cadastro. A estimativa é que a partir do 2º semestre os atletas serão beneficiados, provavelmente apenas em setembro. 

Lei

Conforme a lei nº 8.157, de 13 de julho de 2004 que criou o programa, para receber o benefício, o atleta precisa possuir títulos nacionais em eventos oficiais do calendário do Ministério dos Esportes e ter obtido até o 6º lugar nessas competições.

Ainda de acordo com a lei, o valor mensal da ajuda de custo para a categoria estudantil é de R$ 500 e da categoria nacional é de R$ 800. O dinheiro deve ser empregado na aquisição de uniforme, custeio do transporte, da alimentação e da hospedagem deste pessoal em competições. 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • jefferson luis da conceição | Segunda-Feira, 20 de Abril de 2015, 23h03
    7
    0

    olá pessoal cada pessoa receber pelo que estudou tanto quanto delegado policia como investigador ou escrivão ambos tem curso superior e são merecedor de um salarios dgino, ate porque trabalhamos a qualquer tempos no território de mt, e nós não temos horas ser for chamado teremos que ir, seja aonde mandar a palavra chave é cumpra-se ordem legal da autoridade.somos bem diferentes da demais categoria de servidores publicos, se governador acionar a segurança publica tudo é de imediato.e não temos o direito de dizer não é regra geral é a lei. renovo apreço estado democrático social direito artigo 5º inciso iv da cr 1988 em vigor.

| 20/04/2015, 07h:31 - Atualizado: 20/04/2015, 11h:07

Conjuntura política

sandra_alves_colunista_segunda-feira

Sandra Alves

A conjuntura muda no Brasil a cada 48 horas. As crises atingem diversos segmentos e os reflexos sociais não são bons. Uma crise moral, ética e política. A prisão do tesoureiro do partido político que governa o país; os movimentos de ruas e das redes sociais; os escândalos de corrupção. Analisar o contexto social do país e apontar a direção a que os fatos conduzem é tarefa árdua e perigosa.

A redução do número de pessoas que compareceram ao movimento de 12 de abril dava a impressão de que o Governo retomava a direção do país, especialmente após apontar Michel Temer para a negociação política com o Legislativo. Entretanto, a prisão de Vacari, tesoureiro do PT, e o parecer dos ministros do TCU acerca das contas da presidente Dilma de 2014 (pedalada fiscal) reacenderam os pavios de bomba das crises que assolam o país.

Existe um clima de instabilidade em todas as instituições sociais. O Governo Federal é instável, com acontecimentos não vistos anteriormente no país, como convites a Ministérios e suas negativas pela imprensa; no Governo Estadual, Governador e Deputado trocam farpas utilizando metáforas em discursos. Judiciário, Defensoria e Ministério Público fazem deslocamentos de profissionais sem planejamento prévio, com desrespeito ao estado democrático quando o magistrado busca cumprir metas do CNJ, cujo tempo e modo visaram mais os holofotes que ao cumprimento da lei.

O cenário faz, muitas vezes, descrer em qualquer mudança no Brasil. Existe um mar de denúncias na esfera federal e estadual como, por exemplo, o uso dos correios nas eleições, os fundos de pensão comprando títulos do exterior de países como Bolívia e Peru; a cúpula do partido do PT presa atualmente, mas sendo este partido que ganhou as eleições (denúncias a nível federal). Na esfera estadual basta citar a sigla VLT.

Um conjunto de fatos que poderia conduzir a algum tipo de responsabilidade, mas vive-se uma crise moral grave. Fatos clarividentes como depoimentos, apontamentos de contas no exterior, desvios de dinheiro. O brasileiro não reage à crise ética e moral, a oposição política é desarticulada. Não importa a gravidade dos escândalos, as pessoas não questionam, não refletem, e o quadro se perpetua no país.

A reunião formal entre os líderes dos partidos políticos da oposição e os líderes dos movimentos populares que realizaram os movimentos de 15 de março e 12 de abril esta semana, entretanto, foi um passo significativo. Começa a se criar um nível de articulação para verificar ações contundentes, que tenham um objetivo específico.

É importante ressaltar, todavia, que uma sociedade que vai à rua questionar o governo, mas que paga propina, estaciona o carro em local proibido, joga lixo na rua, fura a fila, desrespeita o idoso, procura pelo "jeitinho brasileiro" para levar algum tipo de vantagem, não é condizente com o espírito de mudança necessário.

Tudo o que foi apontado torna a crise vivida no Brasil muito mais grave. É necessário interpretar a realidade, ter consciência de que uma ação solitária não conduz à mudança. Chegou a hora de ser profissional! Não basta ser oposição ao governo, às instituições e com isto tornar-se oportunista, hipócrita, visando tão somente ocupar o poder exercido por outrem. Hoje, o papel de opositor visa derrubar o governo e assumir o poder. E depois? Sair dos diversos estados de crise hoje exige mais que atitude. É preciso adicionar a atitude uma pitada de conhecimento e uma super dose de moral e ética.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Arnaldo | Terça-Feira, 21 de Abril de 2015, 21h48
    8
    1

    Alexandre, cidadão correto? Logo você, um radical que acha que o seu umbigo é o centro do universo? Conta outra! Quem te conhece sabe que tipo de imprestável você é....

  • Jonas | Terça-Feira, 21 de Abril de 2015, 19h20
    8
    1

    Alexandre, você esta noiado? Viajar na maionese desse jeito significa o que?

  • alexandre | Segunda-Feira, 20 de Abril de 2015, 13h25
    9
    1

    sou cidadão correto, nao tem jeitinho, pelo menos o povo está acordando para as mentiras e MKT do PT, dilma é só o começo, e´preciso limpar as instituiçoes mudar todos os politicos profissionais nao comprometidos com o povo, hoje vejo Ministro da justiça e Procurador da união se portando como miltitante fanático, é preciso melhorar o Judiciário pois estao tentando acabar com o CNJ. mudar o partido e presidente vai melhorar o pais,de fato as oposiçoes estão muito quietas se fosse o contrário o PT tinha declarado greve geral todo o MST, CUT estaria nas ruas fechando rodovias, é o que eles sabem fazer...

  • Arthur Bianchini | Segunda-Feira, 20 de Abril de 2015, 10h40
    7
    0

    Como sempre uma publicação maravilhosa que me deixa com uma pergunta "martelando" aqui na cabeça... E depois?

| 19/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 17/04/2015, 14h:52

Capacitação constante: chave do sucesso

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

A constante qualificação profissional reflete positivamente na carreira de qualquer indivíduo. Aquele que está em constante evolução tem mais chances no mercado de trabalho cada vez mais exigente e concorrido. Adquirir novos conhecimentos, participar de eventos inerentes à sua área de atuação, e estar envolvido com pessoas que possam influenciar-nos e inspirar-nos traz, sem dúvida, um impulso para que possamos seguir adiante nesse vasto caminho da construção do conhecimento e da prática.

E foi com imensa satisfação que recebi a feliz notícia vinda da ABO (Associação Brasileira de Odontologia, Seção de Mato Grosso): foi aprovado o projeto de criação do Departamento de ASB (Auxiliar em Saúde Bucal) e TSB (técnico em Saúde Bucal) desta entidade. Um avanço para estes profissionais que são de extrema importância no exercício da Odontologia. O que seria de nós cirurgiões-dentistas sem a competente, dedicada e sempre necessária equipe auxiliar? Esses profissionais tem importante papel dentro da equipe odontológica, e poderão contar agora com descontos em ações, cursos e eventos promovidos pela ABO.

Para associar-se ao Departamento de ASB e TSB da ABO-MT o profissional deverá estar inscrito e adimplente no CRO-MT (Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso), e a sua anuidade será de 10% do valor referente a anuidade do Cirurgião-Dentista. Além de participar das ações promovidas pelo departamento, os associados terão desconto nos cursos de formação e qualificação. Para o corrente ano estão programados os cursos de qualificação em Estratégia Saúde da Família e Instrumentação Cirurgica.

O que faz o diferencial neste competitivo mercado de trabalho é definitivamente a vivência, a busca constante de qualificação e o conhecimento adquirido. Os profissionais com melhores colocações são aqueles que estão em constante evolução e que justamente por isso destacam-se, rompem barreiras e contribuem para o desenvolvimento da empresa onde prestam serviço.

A competitividade impera em nossa sociedade, e o sucesso não depende apenas do diploma, mas sim de um profissional com perfil dinâmico, preparado, capaz de enfrentar desafios, e que incorpore novidades em sua atuação, daí a necessidade de desenvolver habilidades, de tornar-se um indivíduo produtivo, que esteja pronto para desenvolver de maneira ímpar as suas funções específicas, lapidadas constantemente com a aquisição de novos conhecimentos.

Em diversos segmentos a defasagem de qualificação profissional está trazendo prejuízos gigantescos e não é de agora, foi semeada no decorrer da história e só vista a olho nu agora, com o desenvolvimento do país e a evolução da tecnologia. A busca de informação é fator de sucesso em qualquer área. Por definição capacitar é ficar ou se tornar apto, sendo assim, invista em você, capacite-se!

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Hélio Augusto Gomes | Domingo, 19 de Abril de 2015, 17h10
    13
    0

    O sucesso não ocorre por acaso. Parabéns a sua felicidade em valorizar o auxiliar bucal e técnico bucal. A saúde bucal agradece! A sociedade sustentável exigem a sua candidatura à Presidência do Sinodonto-MT. Mãe natureza te protege!

| 18/04/2015, 21h:23 - Atualizado: 20/04/2015, 00h:31

Presidente da Câmara e a tese absurda de se ganhar um bom salário para não roubar


Luiz Alves

julio pinheiro 530

Presidente da Câmara Júlio Pinheiro defende a tese segundo a qual deve-se ganhar bem para não roubar

Júlio Pinheiro, presidente pela segunda vez da maior das 141 câmaras municipais do Estado, saiu com um comentário que está dando o que falar. Perguntado pelo repórter do Rdnews, Jacques Gosch, se iria reajustar o valor da verba indenizatória dos colegas parlamentares cuiabanos, já que existe uma lei que propositalmente vincula em até 75% o valor do benefício dos deputados estaduais, que elevaram a chamada VI para R$ 65 mil, Pinheiro ponderou que não o fará neste primeiro momento.

Depois, avaliou que vereador ganha pouco. Em Cuiabá são 25 parlamentares. Cada um deles recebe R$ 15,9 mil e tem direito a reembolso por meio da VI de R$ 25 mil.

aspa

 

A certa altura da entrevista, Júlio Pinheiro assinala:

"Tenho 20 anos de vida pública. Mereço ganhar bem para fazer a coisa certa. Administro o duodécimo de R$ 40 milhões e não posso ser tentado a roubar. Preciso de um bom salário para não correr o risco de não fazer como os gestores da Petrobrás" - confira aqui.

Ele foi traído pelas palavras? Demonstrou-se ingênuo? Será que um homem público que toca o Legislativo de uma Capital pensa assim mesmo, de que ganhar pouco estimula a desonestidade, o roubo, a corrupção?

Não tem sentido. Ele foi muito infeliz. Deveria pedir desculpas publicamente pelas declarações equivocadas. Quantos usufruem de altos salários e foram pegos roubando o erário e estão presos? Honestidade independe de condição social, cultural e religiosa. É uma questão de caráter e princípio.

Mas Júlio Pinheiro, com seus 55 anos, que serão comemorados no próximo 9 de maio, não está nem aí. Embora seja considerado um político populista, fanfarrão e sem credibilidade de um líder, sabe jogar nos bastidores e isso o segura no poder como também ajuda-o a sair das muitas confusões em que se envolveu.

A classe política já está com a imagem no chão e Júlio Pinheiro, enquanto representante desta, ainda alimenta a tese da desconfiança. Perdeu a noção do ridículo.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Pedro Luis | Segunda-Feira, 20 de Abril de 2015, 09h08
    17
    0

    Não adianta criticar o Julio Pinheiro. Os responsáveis por isso são os eleitores que o colocaram lá. Se não querem políticos desse tipo, é só não votarem nele. SIMPLES ASSIM. O politico reflete a sociedade, e cada sociedade tem o politico que merece.

  • Ademir | Domingo, 19 de Abril de 2015, 19h59
    18
    0

    Pois estes depoimentos deste presidente é de quem não tem caráter, honestidade, espírito público, pensar no povo e na cidade antes de tudo, este é simplesmente um passa fome que vive de política como muitos outros sem caráter!!!

  • olga | Domingo, 19 de Abril de 2015, 12h07
    21
    0

    A honestidade não pode ser programa de governo. É um atributo pessoal do qual deveria ser dotado todos os políticos. Boa parte de nossos políticos contribui para o descrédito da classe, mas não nos esqueçamos que fomos nós que elegemos. Devemos pensar bem antes de votar.

  • Cuiabana | Domingo, 19 de Abril de 2015, 08h59
    22
    0

    Que absurdo essa declaração, quem é honesto,já nasce hhonesto, sabe ser guardião do que não lhe pertence. Infelizmente o homem que era para dar bom exemplo aos demais na câmara municipal, tem essa visão distorcida.

  • adilson Ribeiro | Domingo, 19 de Abril de 2015, 08h38
    20
    2

    Esse tipo de politico que me faz pensar que a política do Brasil não tem mas jeito infelizmente .

  • Mario | Sábado, 18 de Abril de 2015, 23h29
    18
    2

    Só observem a cara do cidadão. Essa cara já diz tudo...kkkkk será que o homem é honesto?

| 18/04/2015, 00h:00 - Atualizado: 17/04/2015, 16h:53

Budapeste, a Paris do leste!

akio materia estreia colunista

Akio Maluf

Conhecida como a Paris do leste por causa dos seus prédios históricos, Budapeste é uma capital encantadora, dividida em duas partes pelo Rio Danúbio, de baixo custo e com diversas opções para turistas, seja você se primeira ou segunda viagem, pois consegue encantar todos aqueles que lá resolverem parar para apreciar a beleza de uma cidade que parou no tempo.

Começando pelo primeiro item ao se preparar uma viagem, falaremos de custos: Em Budapeste não é utilizado o euro como moeda corrente e sua moeda local é desvalorizada em relação ao Real, situação pela qual favorece os brasileiros no ato de reservar hotéis, passeios e restaurantes, vale lembrar que apesar da vantagem econômica em relação a serviços, bens de consumo seguem o padrão europeu de preços e você não terá vantagem alguma se estiver planejando comprar um iphone.

Se você é jovem e está planejando mochilar, Budapeste te encantará com sua extremamente agitada e barata vida noturna, pois lá se encontram casas noturnas de primeiro nível,  como por exemplo a Morrison's Two, um bar de ruínas famoso em toda a europa (Szimpla Kert) e, para fechar com chave de ouro, a Budapeste Bath Party, uma festa que ocorre nas termas após o seu fechamento e conta com Dj's famosos e um ambiente agradável, além de contar com toda a estrutura das termas a disposição dos banhistas.

Akio Maluf

Budapest

Budapeste possui pontos turísticos maravilhosos como o Parlamento, o Palácio Real, a Andrassy Ut

Caso seu interesse seja passar mais do que duas noites e não a vida noturna, Budapeste possui pontos turísticos maravilhosos como o Parlamento, o Palácio Real, a Andrassy Ut  (Champs Elysee de Budapeste), as termas, as cavernas do castelo, a Igreja de São Matheus e a ponte de Lanchid, todos esses lugares são maravilhosos e a recomendação é fazer em sentido horário o tour pela cidade, começando e retornando para Peste, pois é o lado mais novo da cidade.

Independente do foco e da idade, os pontos que você não poderá deixar de visitar durante sua estadia na Paris do Leste são o Parlamento, o Palácio Real, a Andrassy Ut, a Ponte de Correntes e a Igreja de São Matheus, pois são construções de cunho medieval, belas e extremamente conservadas da modernidade contemporânea em virtude do tempo de atraso econômico sofrido durante a intervenção da URSS com o socialismo.

Portanto, se estiver planejando uma viagem para algum lugar que fuja o comum, Budapeste estará te esperando com seus pontos turísticos lindos, sua cidade maravilhosa, população atrativa e suas diversas opções para todas as idades, mas, antes de tudo, consulte seu agente de viagens para que sua experiência possa ser a melhor possível.

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Sílvio P de Novaes | Sábado, 18 de Abril de 2015, 12h01
    18
    1

    Sensacional a dica. E o legal é que a gente viaja no texto. Parabéns ao colunista por nos blindar com orientações turísticas interessantes.

  • nizilda Maluf | Sábado, 18 de Abril de 2015, 11h45
    16
    1

    Bela dica turística. Parabens

  • Hélio Augusto Gomes | Sábado, 18 de Abril de 2015, 10h53
    17
    0

    Bela dica cultural e histórico. Recebe o meu aplauso, e cartão verde ecológico. O turismo sustentável agradece!

INíCIO
ANTERIOR
1 de 649