Cuiabá, 29 de Julho de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Thaisa Pimpão

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Thaisa Pimpão

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

| 28/07/2014, 19h:49 - Atualizado: 06h atrás

Taborelli mantém apoio a Taques e repudia debandada de líderes da aliança de Taques


14012014taborelli

 Pery Taborelli, candidato à Assembleia pelo PV, repudia debandada por interesses de ordem pessoal

O vereador por Várzea Grande Pery Taborelli (PV), candidato a Assembleia nas eleições deste ano, negou as especulações de que teria abandonado o projeto político do senador Pedro Taques (PDT) ao governo do Estado para apoiar a candidatura do deputado José Riva (PSD) também ao Paiaguás. O postulante ainda repudiou a saída de lideranças das alianças já firmadas.

Para Taborelli, aqueles que mudam de lado no meio do processo eleitoral, especialmente os que deixam de lado as deliberações partidárias para defender interesses próprios, agem de modo não condizente com a postura “ética” esperada de um homem público. Por esse motivo, reiterou que não há qualquer possibilidade de que venha a abandonar a empreitada eleitoral de Taques neste pleito.

Recentemente, diversos nomes que até então caminhavam com o pedetista desistiram das candidaturas. Entres eles estão o deputado estadual Antonio Azambuja (PP), que se posiciona contrário ao entendimento do partido de se coligar com Taques e declarou apoio a Riva. Também anunciaram recuo o empresário Alexandre Demarchi (PTB) e os vereadores por Cuiabá Leonardo de Oliveira (PTB), Oséas Machado (PSC) e  Mário Nadaf (PV), além de Lilo Pinheiro e outros nove candidatos à Assembleia pelo PRB.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • paulo | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 21h49
    1
    0

    Deputado como o senhor vai conseguir o registro de candidatura ????

| 28/07/2014, 16h:20 - Atualizado: 09h atrás

Ao vivo, candidato ao Governo, José Riva


Widson Maradona

riva_capa.jpg

Candidato ao Governo de MT, José Riva (PSD), será entrevistado ao vivo do RDTV desta 3ª - participe

O RDTV desta terça (29) conta com a participação ao vivo do candidato ao Governo de Mato Grosso, José Riva (PSD), que encabeça a chapa "Viva Mato Grosso". O social-democrata obteve a votação de deputado estadual mais expressiva nas eleições-2010 no Estado com 93.594 votos.

Na carreira política, Riva já comandou a prefeitura de Juara por dois mandatos na década de 80. Em 1994, foi eleito para ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa onde permanece no quinto mandato. Foi presidente da Casa, inclusive, por quatro vezes. Depois de anunciar aposentadoria da política, com o discurso municipalista, o parlamentar resolveu disputar o comando do Palácio Paiaguás no pleito deste ano.

Para colaborar com essa entrevista, que começa ao vivo às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz os detalhes das regras da Justiça Eleitoral sobre a primeira prestação de contas obrigatória dos candidatos sobre os gastos já realizados e estimados para campanha deste ano.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • João Santos | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 22h49
    3
    2

    So vota nesse senhor quem não gosta de MT, o nosso estado prcisa de pessoas limpas com dignidade para o governo. Nao quem tem mais de 100 processos por corrupção.

  • Jose Listo | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 21h41
    0
    4

    Sr.Jose Riva. .na sua vasta experiência na vida política, vc concorda que na disputa a uma ao governo ou senado todo candidato já tem a sua prévia de votos em seus redutos e prováveis locais onde receberam ou não votos, sendo assim o Senhor de olhos fechados já se garantiria para um segundo turno ?

  • DEVAIR VALIM DE MELO | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 20h43
    1
    4

    SENHOR RIVA. SENDO ELEITO GOV; VAI IMPLANTAR UMA POLITICA DE DESENVOLVIMENTO PARA A BAIXADA CUIBANA POIS O PROGRESSO JA ESTA CHEGANDO EN TODAS REGIOES DO ESTADO ATRAVES DO AGRONEGOCIO, EX; BAIXO E ALTO ARAGUAIA.NOROESTE, MEDIO NORTE .NORTAO,ATE A REGIAO DA GRANDE CACERES ESTA DIMINUUINDO A POBREZA E O DESEMPREGO AGORA BAIXADA CUIABANA ONDE ESTA A MAIOR DENSIDADE POPULACIONAL E A REGIAO MENOS DESENVOLVIDA DO ESTADO E COM NENHUMA POLITICA REGIONAL PARA BAIXADA. SENDO GOV FARA OK ?

  • Edivaldo Moreira | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 20h35
    0
    2

    Edivaldo Moreira - Nova Xavantina. Sou eleitor e defensor do nome Riva ao governo de Mato Grosso. Quem conhece Riva, vota e defende-o. Quero saber qual a estratégia que ele vai usar na campanha para mostrar que ele não é o monstro que o Pedro Taques vem tentanto implantar ao longo dos anos?

  • leandro | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 19h04
    2
    6

    Boa noite governador sou seu eleitor mas o q o senhor pretende fazer em qestaum no seu plano de governo sobre aeroportos haja visto q o governo do estado abandonou os municípios e ninguém ajuda na qestaum documentos para a anac órgão regulador um exemplo aeroporto de alta floresta com voos cancelados...qal seu plano para isto..

  • Ana Luz Correia | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 18h06
    2
    4

    Deputado Riva, o que o Senhor, como Governador, pensa sobre a reestruturação das polícias em MT?

  • Rocha | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 17h27
    2
    3

    Ocupando o Executivo, como o senhor irá lidar com as investidas do legislativo solicitando demandando repasses adicionais de recursos (ou "temporão") utilizando-se de artifícios pouco recomendáveis, qual seja = "se não vier recursos adicionais, vou instalar CPI TAL ou TAL."?

Rumo às urnas | 28/07/2014, 14h:04 - Atualizado: 28/07/2014, 14h:07

Em Juína, Riva consegue cooptar apoio do PMDB, PV e DEM por discurso municipalista


Assessoria

riva_juina.jpg

Candidato ao Governo José Riva com autoridades do PSD e lideranças de Juína, onde conseguiu apoio 

Os presidentes municipais do PMDB, DEM e PV de Juína declararam apoio ao candidato a governador José Riva (PSD). O ato político que reuniu dezenas de lideranças do município aconteceu na noite deste domingo (27). Robson Amorim, presidente municipal do PMDB e secretário de Planejamento e Indústria e Comércio de Juína, afirma que os peemedebistas se reuniram na última semana e decidiram rejeitar a candidatura de Lúdio Cabral (PT) ao Governo, para apoiar Riva por unanimidade.

O dirigente partidário também lembra que, durante os quatro anos que esteve à frente da Câmara Municipal, sempre recebeu o apoio de Riva quanto às demandas da região. “Em Juína, temos divergências políticas com o PSD, partido de Riva, mas vamos caminhar juntos, pois entendemos que é o melhor para a cidade e para Mato Grosso”.

Presidente municipal do PV, Josemir Côrrea, o Gringo, também declara apoio a Riva. Apesar do PV estadual apoiar o adversário Pedro Taques (PDT), o dirigente revela que o partido em Juína estará engajado na campanha do social-democrata. “Mesmo o nosso partido estando em outra coligação apoiamos Riva. Aqui é a base dele, não temos como remar contra a maré, por isso, montamos um grupo forte para apoiar ele ao Governo”.

Na última semana, o ex-prefeito de Juína Genésio Gustavo Boer (DEM) desistiu de disputar a eleição para deputado federal e anunciou apoio a Riva. Ontem, participou do evento e disse que trabalhará incansavelmente para eleger o candidato do PSD. “Precisamos pensar não apenas em nós, do DEM, mas no Estado, que carece de um governador municipalista, que conhece cada canto deste Mato Grosso e sabe o que cada região precisa”.

Diante dos apoios, Riva agradeceu aos dirigentes partidários e afirmou que diariamente recebe adesões de todos os partidos. “Muitos nos procuram para apoiar a nossa candidatura em função do trabalho prestado no Estado”. O encontro em Juína contou com a participação do próprio Riva e de candidatos a deputado federal e estadual da coligação “Viva Mato Grosso”.

Candidatura

Boer era o único candidato a deputado federal do DEM, mas segundo ele, as traições da coligação “Coragem e Atitude para Mudar” o fizeram desistir. “O DEM foi traído pelo grupo, que não conseguiu ter liderança forte, o candidato ao Governo [Pedro Taques] não teve as rédeas da campanha. Por isso, lideranças estão saindo”.

Conforme o ex-prefeito, existe um desconforto dentro da coligação, uma vez que não conseguiram unir o grupo para fazer um trabalho fortalecido. “Você percebe que existem cartas marcadas no grupo de Pedro Taques, por isso, me senti no direito de renunciar desta candidatura”. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Lúcia | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 14h43
    1
    2

    Olá, gostaria de saber quando começa as inscrições de técnico de urna do Ceará ? já participei de 4 eleições ,e esse ano estou disponível para ser novamente um técnico de urna . Quero informações através do meu imail .

  • Ivete de fatima Thimotheo da costa | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 14h14
    3
    2

    Ivete de fatima Thimotheo da costa, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 28/07/2014, 09h:44 - Atualizado: 28/07/2014, 10h:04

Pinheiro deixa Taques após pressão para fechar acordos e já faz campanha para Riva


Fernando Ordakowski

julio pinheiro jose riva pedro taques

Júlio Pinheiro, que preside Câmara de Cuiabá, troca de opção ao Governo, de Pedro Taques para Riva

O presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Júlio Pinheiro, que estava com a relação política estremecida com José Riva desde o processo de cassação de João Emanuel, genro do deputado, agora não fala em outro nome a não ser do cacique do PSD como candidato a governador. Em princípio, era Pedro Taques desde "criancinha". Recebeu o pedetista na Câmara Municipal para este apresentar o plano de governo a todos os vereadores. Naquele momento, Pinheiro declarou que faria campanha para Taques. Veio o segundo encontro e ambos se desentenderam porque o petebista impôs duas condições. Primeiro, que o colega de partido Dilemário Alencar fosse espécie de coordenador da campanha de Taques, tudo para se licenciar e abrir espaço no Legislativo para o suplente Néviton Fagundes. Segundo, que o pedetista o apoiasse em eleições futuras, tanto para a reeleição à presidência da Câmara quanto para deputado estadual. Taques não aceitou as "propostas". Chegou a sugerir o vereador licenciado Domingos Sávio (Solidariedade), secretário do prefeito Mauro Mendes, para a coordenação. Como não teve aval e nem afagos de Taques, Pinheiro procurou Riva, onde encontrou "carinho político" e sentiu-se tanto em casa que promete apoio ao candidato do PSD de 18 dos 25 vereadores.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • JOSE ANTONIO | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 17h56
    3
    4

    RIVA DEVE SER MELHOR PARA ESSE GRUPO QUE ACOMPANHA ELE VÃO PRA RUA QUE VCS IRAM SENTIR O PESO DA POPULAÇÃO, DIGO ISSO COM SEGURANÇA, O POVO QUE MUDANÇA, RIVA NÃO APRESENTA ESSA MUDANÇA ESPERADA PELO POVO ...

  • Paulo | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 12h14
    0
    1

    Paulo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • vinicios de moraes | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 12h04
    0
    1

    vinicios de moraes, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • antonio dias | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 10h20
    18
    12

    parabéns Julio Pinheiro você e um cara inteligente sabe que o melhor pra MT e RIVA parabéns.

| 28/07/2014, 09h:43 - Atualizado: 28/07/2014, 09h:53

Ex-presidente da Sanecap diz que o povo está satisfeito com a concessão da CAB


Davi Valle/Rdnews

aray fonseca-24-07-2014-Davi Valle (5).JPG

Aray Fonseca garante que a população está satisfeita com os trabalhos da CAB

Ex-presidente da Sanecap na gestão Chico Galindo (PTB), e atual candidato a vice na chapa de José Riva (PSD) ao Governo, o médico Aray Fonsenca (PSD, afirma que hoje a população agradece pela concessão da autarquia à iniciativa privada. Conforme ele, se a licença não fosse feita, a Capital estaria sofrendo com a falta de água até hoje, assim como no decorrer dos jogos Copa do Mundo. “Agora a população está satisfeita, quero ver quem vai reclamar contra”, ressalta o social-democrata em visita ao Grupo Rdnews.

Apesar da afirmação de Aray, as reclamações da população acerca da concessionária vencedora do trâmite CAB Cuiabá são recorrentes, ao ponte de a empresa ter sido alvo de uma CPI instalada pela Câmara de Cuiabá. No relatório final da CPI, aprovado no último mês, ficou comprovado que não há cronograma para o cumprimento de metas da cláusula contratual que fixa o prazo de 3 anos para universalização de água e 10 anos para a rede de esgoto. Faltam 9 meses para o prazo de 3 meses terminar.

Para sustentar que a concessão foi ideal, Aray acredita que Cuiabá sofreria os mesmo problemas que, hoje, São Paulo enfrenta com a falta de abastecimento de água. Além disso, o ex-presidente da Sanecap lembra que a autarquia estava endividada e sem poder fazer empréstimos para resolver os problemas de falta de água. “Quando fui presidente tinha bairros que ficavam 15 dias sem abastecimento”, conta.

Para Aray, existem alguns serviços como saneamento básico, telefonia e luz, que a iniciativa privada é mais competência e ágil que a pública, para dar celeridade aos trabalhos. Agora, o candidato ressalta que se a Prefeitura de Cuiabá não estiver satisfeita com os trabalhos, pode rescindir o contrato. “Se não fez é porque está satisfeita”, concluiu.

Relatório da CPI da CAB é aprovado; Faissal quer intervenção

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Márcio | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 22h03
    1
    0

    Este cidadão declarou à Justiça Eleitoral que possui, em espécie, mais de R$ 1.600.000,00. Quanta capacidade de economizar e guardar dinheiro embaixo do colchão.

  • Raimundo Mendes | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 21h05
    1
    0

    Já falei e vou repetir. Esse senhor esta ouvindo o passarinho cantar e não sabe onde. Que pessoa despreparada, meu Deus.

  • Rafael Martins | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 20h47
    1
    0

    Isso é subestimar a inteligência do povo Cuiabano. Esse Aray foi o pior gestor publico que o município de Cuiabá já teve .Passou pela secretaria de saúde e a Sanecap deixando a marca da desorganização e incompetência.Os grandes desafios da administração publica requer profissional com outro perfil.

  • Cristina | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 19h50
    2
    0

    É de uma falta de conhecimento e preparado vergonhoso. Consulte os Procons e veja com a CAB é avaliada pela população. Consultem os antigos funcionários da Sanecap e conheçam a versão Dr. Aray Fonseca. #vergonhaalheia.

  • Ademir | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 19h02
    3
    0

    Como pode um cidadão que nada fez na área como presidente, nada inovou, nada acrescentou, e ainda diz que esta CAB é boa para os cuiabanos, isso mostra o despreparo de um vice que quer ir para o Governo em 2015, sem ser formador de opinião inteligente, pois além de estarem em primeiro lugar nos Procons de reclamação, a atual gestão da Prefeitura nada pode fazer contra os mesmos sem antes acabar os prazos dados para sanarem os problemas de água e esgoto, só depois disso que rescinde o contrato, e nem isso sabe!!!

  • ZE | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 13h15
    6
    2

    FALE POR VOCÊ SR. ARAY, E NÃO PELO POVO DE CUIABÁ, QUE ESSA ACAB, VEIO PARA ACABAR.

  • ANGELO SILVA DE OLIVEIRA | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 09h50
    1
    0

    ANGELO SILVA DE OLIVEIRA, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 28/07/2014, 09h:40 - Atualizado: 28/07/2014, 09h:46

Piana "fecha" apoio a Wellington e espera reunião para definir candidato ao Governo


Rodinei Crescêncio/Rdnews

érico piana

Érico Piana aguarda reunião com DEM para definir quem apoiará ao Governo

A reunião do DEM de logo mais, às 14h, na sede do partido, deve receber os 11 prefeitos dos municípios comandados pelos democratas para tentar ajustar o apoio em torno do candidato ao Governo, senador Pedro Taques (PDT). Isso porque muitos prefeitos têm pensamentos divergentes, visto que apoiam candidatos de outras siglas que não pertencem a coligação "Coragem e Atitude pra Mudar", encabeçada pelo pedetista na corrida ao Palácio Paiaguás.

Este é o caso do prefeito de Primavera do Leste, Érico Piana (DEM), que declarou apoio ao candidato ao Senado, deputado federal Wellington Fagundes (PR), após a desistência de reeleição do senador Jayme Campos (DEM). Piana enfatiza ainda que, dependendo do desfecho da reunião, pode subir no palanque de outro candidato ao Governo. “Após a reunião vou tomar uma decisão”, enfatiza em entrevista ao Rdnews.

Piana justifica que o apoio a Wellington é em decorrência de que o republicano foi fundamental para a vinda do Instituto Federal de Educação (IFMT) para o município. Hoje o Instituto atende 350 estudantes e conta com diversos cursos profissionalizantes. O prefeito afirmou ainda que irá apoiar o suplente de deputado estadual Luizinho Magalhães (PSD), que é candidato à Assembleia.

 As trocas de apoios entre os três candidatos ao Governo, Pedro Taques, pelo bloco de oposição, Lúdio Cabral (PT), pela base governista, e José Riva (PSD) como uma terceira via, são recorrentes nesta eleição. Candidatos e prefeitos que são filiados a partidos que apoiam o pédetista ou o petista estão debandando para o lado de Riva.

O social-democrata, enfatiza, inclusive, que 70 prefeitos já declararam apoio a sua candidatura. Esta articulação do social-democrata e necessária, tendo em vista que a sua coligação é formada, apenas, por cinco partidos PSD, Solidariedade, PTC, PTN, PEN e PRTB. 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Maria Aparecida da Silva | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 20h54
    0
    1

    Se for municipalista vai com RIVA.

  • Ondino Lima Neto | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 10h40
    12
    5

    Com a desitência do Jayme, a tendência do DEM é se dividir entre o Lúdio e o Riva.

  • ANA COUTO | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 10h12
    11
    4

    Não é verdade. QUEM BATALHOU E CONSEGUIU LEVAR O INSTITUTO foi o DEPUTADO FEDERAL VALTENIR. O deput Welinton sempre pegando carona. Em Barra do Garças ele promete o rodoanel há 15 anos. Já em Rondonópolis a travessia urbana é uma vergonha, a saída para pedra preta nem se fala. Está na hora do Ministério Público investigar pra valer.

| 28/07/2014, 00h:00 - Atualizado: 28/07/2014, 07h:54

Liminares e lógica

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Em diversas entrevistas durante a semana, profissionais do Direito tentavam explicar à população a lógica das liminares em HC. Se você é bacharel em Direito ou atua na área não teve problemas para entender a frase de introdução do tema. O problema é que a maioria da população não consegue, com razão, compreender porque, diante de um mesmo fato, um juiz entende ser necessária a prisão e outro não.

A discussão se fez a partir das decisões contraditórias de prisão e liberdade de Elisa Quadros, a "Sininho", denunciada segundo a lei de crime organizado em razão das ações em protestos. Houve uma prisão provisória; uma decisão de liberdade; uma prisão preventiva; outra decisão de liberdade.

Restou para a população a interrogação acerca da lógica utilizada pelo Judiciário: afinal, se a pessoa foi acusada de cometer um "crime organizado", como pode um juiz determinar a prisão para a "garantia da ordem pública" e outro conceder a liberdade se os fatos são os mesmos?

Não cabe aqui descrever uma aula de Direito Processual Penal para explicar como funciona o sistema, não se trata de matéria simples. Entretanto, cabe questionar como um sistema com o objetivo de reprimir o crime na sociedade pode alcançar seu fim não sendo compreensível por seus integrantes.

Do ponto de vista da população, o caso "Sininho" esta divergência de posições jurídicas leva a péssimas conclusões acerca do sistema. O raciocínio funciona assim: a) o fato analisado é o mesmo; existiram decisões determinando a prisão e decisões concedendo a liberdade; b) caso o juiz que determinou a prisão esteja correto, aquele que determinou a liberdade é incompetente ou corrupto; c) caso o magistrado que determinou a liberdade esteja correto, aquele que determinou a prisão é incompetente; d) caso os dois magistrados estejam corretos, o sistema não é lógico e a população não pode confiar nele.

Quem conhece o Poder Judiciário e o sistema legislativo brasileiro sabe que as premissas apontadas acima estão equivocadas. O Direito Processual Penal e o Poder Judiciário são complexos e a compreensão técnica de seus institutos demanda uma série de informações, mas cumprem sua finalidade, ao garantir aos cidadãos instrumentos para a defesa de direitos, especialmente a liberdade.

Mesmo sem qualquer conhecimento acerca do conteúdo do processo de Sininho, é possível, considerando o sistema processual, a ocorrência de decisões a princípio conflitantes. A pessoa tem direito de questionar uma primeira decisão. É a forma de o sistema buscar garantir ao cidadão a maior justiça possível em seu caso particular.

De volta ao ponto inicial, o problema não está nos magistrados e em suas decisões, mas na complexidade das normas que regem sua atuação. Por outro lado, já tarda o momento em que o conhecimento acerca dos sistemas jurídicos seja levado à população, para que esta possa compreender o funcionamento, questionar, apontar mudanças. Quem sabe com isto a concessão de tantas "liminares" alcance, algum dia, alguma lógica.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado nomeada, tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

| 27/07/2014, 18h:51 - Atualizado: 28/07/2014, 16h:23

Projeção para Câmara é de 213 mil votos; chapão pró-Taques deve eleger 3 - confira


O quociente eleitoral para a Câmara Federal deve ficar em 213.140 votos, revela o consultor eleitoral Valdecir Calazans. Pelas suas projeções, duas coligações têm condições de superar 500 mil votos e garantir três cadeiras cada.

deputado_federal_quociente

Cálculos acima revelam que quociente eleitoral para deputado federal deve ficar em 213,1 mil votos

O chapão de 8 partidos que estão com Pedro Taques ao governo estadual (PSDB, DEM, PDT, PTB, PRP, PSL, PSC e PRB) tende a alcançar a 589,6 mil votos. Nessa projeção, elegeria dois federais e um terceiro entraria na sobra, pela segunda média. Os nomes mais fortes são do federal Nilson Leitão, assim como do colega tucano Rogério Salles; do suplente de federal Victório Galli (PSC), de Fábio Garcia e Túlio Fontes (ambos do PSB), do ex-deputado federal José Augusto Curvo, o Tampinha (PDT), e do deputado estadual Ezequiel Fonseca (PP).

quociente federal

Estudo aponta chance das coligações pró-Taques e pró-Lúdio conquistarem 3 vagas cada na Câmara

A outra aliança que pode conquistar 3 vagas é composta pelo PMDB, Pros, PR e PT e que sustenta o palanque do candidato a governador Lúdio Cabral. Projeta-se chegar a 528,1 mil votos. Entram com maiores chances de vitória os federais Valtenir Pereira (Pros), Carlos Bezerra (PMDB) e Ságuas Moraes (PT), assim como Murilo Domingos e Jota Barreto, ambos do PR.

A chapa de cinco legendas (PSD, Solidariedade, PTC, PEN e PTN) que apoia José Riva ao Palácio Paiaguás pode alcançar a 422,1 mil votos, suficientes para garantir uma vaga pelo quociente e outra pela sobra. Entre os nomes de “peso” dessa aliança estão o federal Eliene Lima e o vice-governador Chico Daltro. As demais coligações não reúnem chances de obter, sequer, uma das oito vagas que serão abertas ao Estado na Câmara Federal.

deputado_federal_cotados

Estudo revela quais são os nomes mais cotados por partido e/ou coligação à Câmara dos Deputados

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Carlos | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 10h48
    1
    10

    Bom dia, com certeza, desta vez nos vamos eleger um representante legitimo nosso, o deputado Vitorio Galli, homem fiel as suas origens, trabalhador e cumpridor de suas palavras. Este merece e tudo faremos para tê-lo na câmara s sermos verdadeiramente representados.

  • Fabiotardim | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 07h12
    4
    3

    Esse dai ta mais perdido q azeitona na boca de banguelo. Vai errar bastante nomes

  • Marcos | Domingo, 27 de Julho de 2014, 22h54
    8
    4

    Acho que vocês estão enganados, pois um candidato pode obter o quociente sozinho - o procurador Mauro.

| 27/07/2014, 18h:28 - Atualizado: 28/07/2014, 15h:33

Quociente à AL é de 72 mil votos; aliança pró-Lúdio fará maior bancada - veja a lista


Os candidatos estão numa briga dura para deputado estadual. São 330 inscritos, embora alguns já tenham desistido e outros serão barrados pela Justiça Eleitoral. Apesar do TRE não ter divulgado o eleitorado oficial, o quociente projetado deve ficar em 72.533 votos. Isso quer dizer que cada partido, que decidiu disputar com chapa pura, ou coligação só vai conseguir assegurar uma vaga na Assembleia cada vez que atingir esse teto. É possível que o candidato, dependendo da coligação, consiga se eleger até com 22 mil votos.

valdecir_calazans

O consultor eleitoral Valdecir Calazans revela projeções tanto de quociente quanto dos mais cotados

Os cálculos foram feitos pelo consultor eleitoral Valdecir Calazans, da Visão Assessoria. Para chegar a esse quociente, ele estudou o crescimento vegetativo do eleitorado nas eleições passadas, considerando abstenções, votos nominais, nulos, brancos e de legenda. E se atentou as regras da Lei 4.737, em vigor desde 1965, que orientam como se calcula o quociente eleitoral.

deputado_estadual_quociente

Considerando quociente eleitoral de 72,5 mil votos, a aliança governista pró-Lúdio deve eleger até 8

Os concorrentes estão distribuídos em 8 coligações. Calazans debruçou nos nomes e fez espécie de “pente fino” para saber quais têm mais chances de vitória. Fez até checagem do potencial eleitoral daqueles que já disputaram eleições, tanto para deputado quanto para prefeito e vereador. Sobre os que concorrem pela primeira vez, o consultor buscou informações durante as convenções partidárias e se baseou também em tracking telefônico. “Chegamos o mais próximo possível da realidade”, enfatiza Calazans, ao se referir à lista dos mais cotados.

Pelos cálculos de Calazans, a aliança que reúne o PT do candidato a governador Lúcio Cabral e mais o Pros, PMDB, PR e PC do B deve conquistar cerca de 520 mil votos. Seriam suficientes para eleger sete pelo quociente e mais um pela terceira média. E desse bloco governista quais os nomes com chances reais de êxito nas urnas? São eles: os deputados Mauro Savi, Ondanir Bortolini, o Nininho, Emanuel Pinheiro, Sebastião Rezende, Wagner Ramos e Neldo Egon (todos do PR), Ademir Brunetto (PT) e os parlamentares peemedebistas Baiano Filho e Romoaldo Júnior, além do advogado Francisco Faiad.

O PSD do candidato a governador José Riva e que disputa com chapa pura pode atingir a 417,8 mil votos. Vive expectativa de fazer uma bancada com seis. Os mais cotados são Janaína Riva, os deputados Walter Rabello, Zé Domingos, Pedro Satélite e Airton Rondina, o Português, os ex-prefeitos Meraldo Sá (Acorizal) e Celso Banazeski (Colíder) e o suplente de deputado Gilmar Fabris.

A coligação de seis partidos que fazem parte do arco de alianças de Pedro Taques a governador, formada pelo PSDB, PDT, DEM, PTB, PSL e PPS deve obter 408,4 mil votos. Assim, há chance de assegurar 5 cadeiras, podendo chegar a seis pela segunda média. Os principais nomes dessa coligação são os democratas Dilmar Dal Bosco e Júlio Campos Neto, os tucanos Wilson Santos, Guilherme Maluf, Carlos Avalone e Saturnino Masson, e os pedetistas Zeca Viana e Maria Izaura. O ex-deputado Márcio Pandolfi, embora citado, desistiu da disputa.

PSB e PP, outra coligação do palanque de Taques, deve assegurar duas vagas se chegar a 145,1 mil votos. As maiores apostas são Oscar Bezerra, Max Russi e Carlos Brito (os três do PSB), e Deucimar Silva e Francisco Vuolo, pelo PP. Também entram na lista o empresário Eduardo Botelho (PSB) e o ex-reitor da Unemat, Adriano Silva (PP).

A Frentinha que também está com Taques tem chance de eleger um deputado, já que projeta alcançar ao menos 86,4 mil votos. Entre os principais estão dos vereadores Peri Taborelly e Mário Nadaf.

quociente estadual

Projeções apontam quociente e as chances de conquista de vaga à AL de cada partido e/ou coligação

Outro bloco com cinco pequenos partidos que fazem parte do palanque de Riva, puxados principalmente pelo ex-deputado e ex-prefeito de Rondonópolis Zé do Pátio, pode garantir uma vaga, dentro da expectativa de conquistar mais de 90 mil votos. Os candidatos isolados tantos do Psol quanto do PT do B não trazem expectativa de garantir vaga na Assembleia.

deputado_estadual_cotados

A partir de estudo ampliado, nas projeções e alianças, surge lista com os mais cotados à Assembleia

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Cacerense | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 21h31
    0
    0

    Respeito a posição do pesquisador porem Dr. Leonardo de Cáceres terá uma votação espetacular e deve ser um dos eleitos neste pleito

  • Zé da Silva | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 15h02
    1
    3

    A coligação F fará duas vagas. Certamente estão na disputa Wancley, Taborelli e Madureira.

  • Clauberto Franco | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 12h20
    2
    3

    este estudo tem 50 % de certeza, outro 50% não é possível ser avaliado porque ainda falta 2 meses de campanha, as coisas tende a mudar, ficaram alguns nome de fora, complementando (Leonardo de Cáceres, Drº Kleber Amorim de Rondonópolis, Renivaldo de Cuiabá entre outros, é possível fazer uma estimativa adicionando possíveis nomes que não alterará, alimentando com cenário futuro, Governador Pedro Taques / Carlos Favaro, 12, Coragem pra mudar.

  • Prof. Marquinhos | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 11h16
    4
    4

    Por favor senhores desfaçam esses equívocos da relação de nomes com possibilidades de eleição para Deputados Estaduais conforme última pesquisa divulgada por este site. Cadê o nome do Dr. Leonardo de Cáceres, que aparece em 9º lugar no geral dos maior intenção de votos no Estado. Faz favor!!!

  • JOÃO DO JUNCO | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 09h57
    5
    3

    E O EX-REITOR ADRIANO SILVA? POSSIBILIDADE ZERO DE ELEIÇÃO? EM CÁCERES DIZEM QUE ELE TERÁ CERCA DE 6 MIL VOTOS.

  • ANA LUCIA | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 09h28
    9
    12

    Riva vai levar no primeiro turno!! ele trabalha a décadas pelo estado e o povo sabe quem trabalha e quem só tem gogó....tapinhas nao elege mais politicos sem trabalho....

  • André Melo | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 07h40
    4
    6

    Não existe coligação formada pelo PSDB, PDT, DEM, PTB, PSL e PPS . Exite sim coligação formada pelo PSDB, PDT e DEM. E nela é impossível não lembrar do Dr. Leonardo de Cáceres.

  • Julio Campos Neto | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 07h26
    4
    2

    Houve um erro nesta análise em relação as composições. A nossa composição, Atitude para mudar II, é formada apenas por DEM, PSDB e PDT.

  • jose antonio bruno marietto | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 06h05
    2
    5

    Conforme prognostico do analista, nao consta o candidato Jose Eduardo Botelho.

  • Carlos Ferraz | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 05h28
    5
    5

    Ao Adriano Cuiaba digo: Se o quociente eleitoral é de 72 mil votos, isso significa que a frentinha PTB / PSL / PPS precisa somar 72 mil votos para colocar 1 deputado. Simule a votação dos candidatos, na minha opinião não soma 30 mil votos. A projeção está corretíssima, essa frentinha não atinge o quociente eleitoral, já a outra frentinha PRP / PSC / PSDC / PRB / PV poderá colocar até dois.

| 27/07/2014, 17h:55 - Atualizado: 28/07/2014, 09h:02

Presidente do Sindicato Rural de Cuiabá


O presidente do Sindicato Rural de Cuiabá, Ricardo Arruda, participa ao vivo do RDTV desta segunda (28) e vai falar sobre os preparativos para a realização da 50ª Expoagro, que será realizada entre 31 de julho e 10 de agosto, no Parque de Exposições Senador Jonas Pinheiro, em Cuiabá (MT). O evento é considerado o mais importante do agronegócio de Mato Grosso e pretende movimentar R$ 20 milhões em negócios.

O convidado também vai repercutir o empenho dos representantes do segmento na política para fortalecer o setor.

Para colaborar com essa entrevista, que começa ao vivo às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Postar um novo comentário

Campanha | 27/07/2014, 10h:53 - Atualizado: 28/07/2014, 09h:53

15 anos sem sair do papel, anel viário em Barra do Garças é promessa de Wellington

Agora candidato ao Senado faz campanha e "renova" promessa


De Barra do Garças

Francis Amorim/Rdnews

wellington fagundes em barra do garças (500x375).jpg

Wellington Fagundes, durante campanha em Barra, ainda fala de anel viário

O deputado federal Wellington Fagundes, candidato ao Senado pelo PR, quer superar, em 2014, o recorde pessoal de ter sido o político com a maior votação da história de Barra do Garças. Neste sábado, durante a visita do grupo encabeçado por Lúdio Cabral (PT) ao município, o parlamentar lembrou com entusiasmo o apoio que recebeu do eleitorado local nas eleições de 2010, com 16.996 votos.

Usando sempre camisa verde, que ele classifica como a cor da esperança, Wellington declarou seu amor pela cidade com a qual mantém vínculo político e empresarial desde a sua primeira eleição, em 1990. "Me sinto em casa em Barra do Garças. Aqui conquistei amigos e a maior votação que a cidade já deu a político. Retribuo esse respaldo com trabalho", disse.

Ao se apresentar como candidato ao Senado, o deputado ressaltou que mantém como prioridades para a região do Vale do Araguaia obras de infraestrutura, como a pavimentação da BR-070 e da MT-100, investimentos na educação, saúde e turismo e aquele que ele considera o seu maior desafio: o contorno urbano de Barra do Garças, com a construção de duas pontes nos rios Garças e Araguaia e uma percurso de 9,9 km de rodovia.

Para a construção do anel viário, serão necessários investimentos no montante de R$ 70 milhões, dos quais R$ 20 milhões já estão depositados na conta do governo do Estado para o início da obra, que ainda esbarra nas questões ambientais. "É um desafio tirar esse tráfego pesado do centro de Barra do Garças. É inadmissível que a população seja penalizada como é diariamente com carretas e mais carretas cruzando sua principal avenida", observa. A iniciativa o parlamentar não sai do papel há mais de 15 anos, sendo “bandeira” em todas as suas campanhas eleitorais.

O contorno viário beneficiaria, além de Barra do Garças, as cidades de Pontal do Araguaia e Aragarças, em Goiás, que vivem o mesmo drama pelo intenso tráfego de veículos de cargas no setor central. 

Durante sua passagem por Barra do Garças, Wellington Fagundes reforçou que para manter os investimentos na região será preciso à reeleição da presidente Dilma Rousseff para à presidência e Lúdio Cabral para governador.

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • geraldo oliveira | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 11h34
    1
    0

    E por isso que precisamos mudar, e não e só a promessa do anel viario que nao sai do papel, tem hospital regional, MT 100 e BR 158, e um monte de obras inacabadas... e por isso vamos todos com Evandro Carlos o Federal que conhece e vive no Araguaia

  • Antônio Matos | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 11h32
    0
    0

    Antônio Matos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Joao Mattias Neto | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 10h42
    1
    0

    Joao Mattias Neto, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Leonardo | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 07h52
    6
    0

    Raniel Corte, deve ter muitas denúncias a fazer sobre WF, uma vez que Raniel foi prefeito de Pontal do Araguaia, cidade que tem o maior interesse nesta obra, ele sabe bem o que é negociar emendas com o deputado "trintinha"

  • Valdeli Forte Ferreira | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 00h25
    7
    0

    Faço das palavras do senhor Ângelo Cortes de Mello, as minhas, vamos de Rui Prado 555 - PSD, o Welinton Fagundes só é de prometer e não cumprir.

  • Paulo | Domingo, 27 de Julho de 2014, 20h58
    10
    0

    Whellibgton tem 12 de dep federal e nada fez... Agora quer falar em finalizar anel viario! Mais uma promessa de campanha vazia!

  • raniel corte | Domingo, 27 de Julho de 2014, 20h23
    2
    0

    raniel corte, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Gonzaga Neto | Domingo, 27 de Julho de 2014, 19h39
    10
    0

    Chega de promessas WF. Ninguém aguenta mais. Inventa outra. Se depender deste eleitor, ele não terá mais votos neste Estado. Quando era candidato nas últimas eleições para deputado federal, ele disse a mesma coisa a respeito do anel viário. Carretas e mais carretas no centro de Barra não dá e ele finge que não sabe de nada. E as mortes que acontecem sempre, ao longo da avenida que cruza a cidade? Quinze anos não foram suficientes para construir o anel viário e o sr. WF já está a 24 anos lá em Brasília, para não defender nossos interesses.

  • joaoderondonopolis | Domingo, 27 de Julho de 2014, 17h29
    13
    0

    Quinze (15) anos de promessa do anel viário de Barra, quer apostar comigo que ele vai ai prometer de novo? vocês tem que virar as costas para ele e para quem ele pedir para votar. Sinop respondeu na altura, Cáceres respondeu na altura também, a população de Guiratinga está aguardando a ligação asfáltica até A. Garças e já fazem 20 anos e vai ter resposta, e em outras cidades de MT não foram diferente.

  • Henrique dias | Domingo, 27 de Julho de 2014, 17h18
    15
    0

    Eu queria que o nobre deputado de não sei quantos pleitos e pretenso candidato ao senado (nunca será), respondese ao povo do vale do araguaia para onde foram os milhões que foram liberados para o Anel do Vigario na época do seu amigo Wanderley farias, depois na gestão do também pretenso deputado estadual chaparral (nunca será) e agora na gestão do pior prefeito de barra do garças, ele fala que o dinheiro está depositado então nessas 03 gestões já da para fazer tal promessa de mais de 20 anos.

| 27/07/2014, 09h:28 - Atualizado: 28/07/2014, 07h:13

Taques pede voto de Wellington em seu reduto eleitoral e diz ser a melhor opção


O candidato ao Governo, senador Pedro Taques (PDT), pediu o voto do candidato ao Senado deputado federal Wellington Fagundes (PR) em seu reduto político, Rondonópolis. A atitude foi em resposta a entrevista concedida pelo republicano ao RDTV, a qual disse que o senador era muito competente e deveria continuar no Legislativo para dar continuidade aos trabalhos.

“Wellington disse que sou competente e deveria ficar no Senado. Pode ter certeza que vou ser governador de Mato Grosso e quero seu voto Wellington, vote em mim que você sabe que sou melhor que o outro candidato”, ironiza Taques em discurso durante reunião.

Wellington diz que Taques pode cair ao deixar Senado para disputar

Wellington é candidato pelo grupo do adversário de Taques, Lúdio Cabral (PT). No RDTV, justificou que não votaria no pedetista para que ele ficasse mais quatro no Senado. Isso porque Taques foi eleito em 2010 e o mandato de senador é de 8 anos, assim, se não ganhar a eleição, continua no Congresso.

Essa é a segunda vez que Taques retruca a justificativa de Wellington. A primeira também foi no RDTV, já que o candidato concedeu entrevista depois do deputado e na mesma ocasião pediu o voto do republicano. O vídeo da reunião foi publicado no Youtube pelo FolhaMax.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Maria | Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 11h17
    4
    2

    Vai em frente senador PT q/ atrás vem mto gente p/a elege-lo no primeiro turno.

  • Chacal | Domingo, 27 de Julho de 2014, 16h30
    0
    0

    Chacal, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Maria | Domingo, 27 de Julho de 2014, 14h02
    13
    4

    Ê Pedro Taques, não é melhor cuidar primeiro do seu grupo de sustentação, ou seja, dos partidos da coligação que o lançaram candidato? A "aliança" está desmoronando e ele nem aí, continua viajando como se nada tivesse acontecendo ... vai ser individualista , frio, presunçoso assim lá não sei onde!

  • TOMAZ MATHEUS FRACHINI | Domingo, 27 de Julho de 2014, 10h05
    17
    8

    O Pedro Taques depois de perder vários candidatos a Deputados e o de Senador só resta mesmo pedir voto mesmo para seus concorrentes, ah Taques não esquece da proxíma vez de pedir voto para o Dr. Ludio que é o melhor para Mato Grosso.

| 27/07/2014, 00h:00 - Atualizado: 27/07/2014, 09h:06

A importância do uso do fio dental

jackelyne_artigo_domingo

Jakelyne Pontes

Muitas vezes deixamos de dar importância ao uso do fio dental. O que ouço muito é que a correria do dia-a-dia não deixa muito tempo para que esse passo importante na higiene bucal seja feito a contento, ou mesmo que simplesmente não é usado, mas a verdade é que o fio dental, que deve ser usado antes da escovação, é um passo que não deve ser negligenciado na escovação. Ele remove a placa bacteriana e os restos de alimento onde a escova não alcança, muito menos os enxaguantes bucais, por mais eficiente que seja a técnica de escovação.

Pessoas que apresentam sangramento gengival tem receio de usar o fio dental achando que vai piorar o problema, mas o que acontece é exatamente o contrário, o seu uso acaba por remover restos alimentares e bactérias alojados na gengiva, melhorando o seu estado de saúde e consequentemente o sangramento. Na verdade é um ciclo, se a gengiva sangra e o indivíduo não usa o fio dental acaba piorando o sangramento ainda mais. O certo é não apresentar sangramento que pode indicar presença de inflamação resultando em gengivite e até mesmo periodontite. Observe o comportamento da gengiva por três dias seguidos, caso persista procure o seu cirurgião-dentista para diagnosticar o problema e orientar sobre o tratamento.

A maneira correta de passar o fio dental é envolvendo o dente a ser limpo e deslizando suavemente com movimentos de vai e vem no sentido gengiva e depois no sentido da face dos dentes usada na mastigação. Em hipótese alguma devemos usar força para essa tarefa, pois podemos injuriar a gengiva. Para pacientes que apresentam sensibilidade gengival, ou mesmo apinhamento dos dentes existem modelos de fios mais suaves e macios porém resistentes, e ainda podemos lançar mão da fita dental, que é uma espécie de fio dental, porém mais fina e larga. Também existem os fios encerados ou não, com e sem sabor, alguns inclusive contém flúor, sendo assim não há motivos para deixar de usá-lo. Pessoas que usam aparelho ortodôntico devem passar o fio dental acima do fio ortodôntico, inserindo no espaço entre os dentes e fazendo movimentos na mesma forma que as que não usam o aparelho.

Não devemos usar o mesmo pedaço de fio dental para todos os dentes da arcada dentária. Então, é recomendado que usemos cerca de 40 cm em cada escovação enrolando-o ao redor de cada dedo médio e deixando cerca de 10 cm de fio livre que deve ser apreendido pelos polegares e indicadores deslizando suavemente entre os dentes. Desenrole mais fio dental, a medida que for necessário. Pacientes que não têm o hábito de usá-lo corre maior risco de desenvolver cárie entre os dentes justamente pelo acúmulo de placa bacteriana neste local.

Mesmo se durante um certo período da vida não usamos o fio dental com frequência, nunca é tarde para começarmos a usá-lo e assim mantermos uma higiene bucal satisfatória e conferirmos mais saúde à gengiva.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este Blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

| 26/07/2014, 16h:35 - Atualizado: 27/07/2014, 11h:10

Riva promete criar uma secretaria regional para atender municípios de Mato Grosso


De Barra do Garças

Assessoria

Riva em barra.jpg

 José Riva, candidato ao Governo, em campanha durante visita a Barra do Garças

Barra do Garças será uma das cidades beneficiadas com a criação da secretaria de Desenvolvimento Regional num eventual governo do deputado José Riva (PSD), candidato à sucessão do governador Silval Barbosa (PMDB). O projeto faz parte do plano de governo do social-democrata, que ontem (25), visitou a cidade no seu primeiro ato público na região do Vale do Araguaia, onde se reuniu com lideranças políticas e empresariais da região.

A meta do candidato é descentralizar a gestão estadual por meio da implantação de secretarias regionais que a princípio, beneficiaria também os municípios de Rondonópolis, Cáceres e Sinop. Além das secretarias, Riva pretende também interiorizar o seu secretariado com ações itinerantes por todo o Estado.

O candidato segue o modelo de Santa Catarina, que implantou há muito tempo as secretarias regionais e a iniciativa deu certo. “Estamos realizando estudos para descentralizar a gestão pública. Precisamos fortalecer os municípios e, no meu governo, quero colocar a administração também no interior. Quero uma gestão onde os secretários estaduais não fiquem dentro da sala, pois precisamos de gestores na base para ouvir o povo”, disse o candidato. 

Ainda em Barra do Garças, José Riva defendeu a construção de um hospital regional para absorver a demanda de pacientes e concretização da ferrovia Mato Grosso/Pará como forma de baratear o frete para o escoamento da produção agrícola que hoje é levada para o porto de Santos (SP). A linha férrea ligaria o Nordeste de MT e o sul do PA ao porto de Itaqui, no Maranhão. (Com assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Henrique | Domingo, 27 de Julho de 2014, 10h33
    3
    2

    Em relação a proposta deste candidato informo aos eleitores que já existe uma secretaria no governo que deveria prestar esse tipo de assistência que é a SECID que estava sob o comando de Chico Daltro. A SECID possui, salvo engano, 06 secretaria adjuntas e inúmeros DGAs. Para importamos o modelo de Santa Catarina precisaríamos conhecer o perfil dos políticos, do TCE, do MPE e dos secretariados daquele Estado, coisa que ninguém menciona. Em Mato Grosso vivemos ainda um cenário de clientelismo e coronelismo na política. Onde cada Partido tem o seu cacique com patrimonio digno maior que PIB de alguns municípios brasileiros. Agora eu pergunto, com uma secretaria desse proposta pelo Riva, quais seriam o perfil desses dirigentes? QUANDO OS HOMENS DE BEM OMITEM, O MAL TRIUNFA!!!!!!

  • Hudson Saturnino | Domingo, 27 de Julho de 2014, 08h04
    4
    5

    Senhor Anderson! Estar a frente do Legislativo não credencia o parlamentar a implementar políticas públicas, apenas propor. Enquanto gestor, sou simpatizante do plano de governo do candidato RIVA, que em seu bojo inclui a descentralização do governo do Estado, criando as secretarias regionais, de forma a provocar o desenvolvimento territorial respeitando as diferenças culturais, sociais e econômicas dos quinhões matogrossense.

  • Roberto | Domingo, 27 de Julho de 2014, 00h48
    1
    6

    Talvez o Anderson Vidal dos Santos não saiba que qualquer projeto que verse sobre a organização do poder executivo, Leia-se criação de secretarias, aumento de efetivo da polícia, deve emanar do próprio governador, caso apresentado por algum deputado, este projeto padece de inconstitucionalidade! Como governador Riva criará a esta secretaria!

  • Anderson Vidal dos Santos | Sábado, 26 de Julho de 2014, 20h12
    10
    11

    Nobre Presidente José Riva o senhor esta a frente da Assembleia há 20 anos, e por que não criou a referida secretaria e o aumento do efetivo da Polícia e agora como candidato vem e diz que vai solucionar todos os problemas. Se o senhor não fez isso até hoje, agora então que não vai fazer mesmo.

  • Jésus BG | Sábado, 26 de Julho de 2014, 19h45
    11
    6

    Promessas muito boas

  • joaoderondonopolis | Sábado, 26 de Julho de 2014, 19h10
    13
    14

    Se deferida a candidatura de Riva, é o fim da justiça brasileira.

  • BENEDITO JULIANO JOSETTI DA ROSA | Sábado, 26 de Julho de 2014, 17h04
    5
    7

    O SENHOR VAI ME DECUPAR MAIS MORRO EM BARRA DO BUGRES E TINHA ACORDO COM PSD DE BARRA MAIS NÃO FOI HONRADO SERA QUE VAI CUMPRIR ESTA PROMESSA SEI NÃO .

| 26/07/2014, 12h:06 - Atualizado: 26/07/2014, 16h:53

Em Sorriso, Taques afirma que o Governo atrapalha produtor e promete melhorias


Assessoria

pedro taques sorriso.jpg

Pedro Taques, candidato ao Governo, em encontro com lideranças em Sorriso

O candidato ao Governo, senador Pedro Taques (PDT), se reuniu, neste sábado (26), com lideranças da região Norte e candidatos da coligação “Coragem e Atitude pra Mudar”, no auditório do Sindicato Rural, em Sorriso. Na ocasião, o pedetista foi cobrado acerca do compromisso dos repasses do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). Taques, por sua vez, garantiu destinação de 50% do Fundo aos 141 municípios, conforme projeto de lei aprovado na Assembleia, no final do ano passado.

Taques ressaltou a necessidade de investimento em logística para atender as demandas da população e dos produtores rurais. “Da porteira para dentro o produtor resolve, porém, da porteira para trás o Estado atrapalha”, ressalta o candidato referindo-se as dificuldades que a categoria enfrenta em decorrência da precariedade das rodovias.

Ontem (25), Taques esteve em Rondonópolis onde participou do encontro do PPS e de candidatos da região Sul, liderado pelo presidente estadual do partido e prefeito do município, Percival Muniz. Com a presença de cerca de 300 pessoas, o socialista ressaltou que Taques irá ganhar no primeiro turno, além de acreditar que o governo do pedetista será dedicado, principalmente, à segurança pública e saúde.

Taques chegou em Sorriso às 8h e deve ficar até as 13h. Depois do encontro com as lideranças da região, o candidato vai caminhar pelas ruas da cidade para ouvir as reivindicações dos munícipes. Após o corpo a corpo, volta para Cuiabá, onde no domingo (27), visita as feiras livres da Capital.

 Em visita a Sorriso, Taques está em companhia dos prefeitos de Nova Mutum e Sorriso, Adriano Pivetta (PDT) e Dilceu Rossato (PR), respectivamente. O curioso é que Dilceu pertence ao partido que apoia o candidato adversário Lúdio Cabral (PT), além de ser correligionário do deputado federal Wellington Fagundes, que concorre ao Senado. 

Além destes, acompanham o pedetista o candidato a vice, Carlos Fávaro (PP) e o deputado federal, Nilson Leitão (PSDB), que tentará a reeleição, contudo, está cotado para assumir a vaga ao Senado deixada por Jayme Campos (DEM) após sentir-se "isolodo" no bloco oposicionista. A coligação que sustenta a candidatura de Taques é composta por 13 partidos, sendo eles PDT, PP, PSB, PSDB, DEM, PPS, PV, PTB, PSDC, PSC, PRP, PSL e PRB.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • josé | Domingo, 27 de Julho de 2014, 13h19
    4
    3

    Taques nunca teve sorriso kk

  • Chacal | Domingo, 27 de Julho de 2014, 07h25
    9
    6

    Após a 1ª fase da debandada, o Taques perdeu o sorriso.

  • Getúlio | Sábado, 26 de Julho de 2014, 18h09
    7
    1

    O Rossato é incompetente administrativamente e míope politicamente, o seu desgaste mais atrapalha do que ajuda.

  • Itamar machado | Sábado, 26 de Julho de 2014, 16h17
    9
    7

    A isenção fiscal do agronegócio deixou a receita do estado aos frangalhos!, como deveremos acreditar nessa falacia leviana de um candidato que é professor em direito constitucional?!. Quantos aos patrocinadores bilionários nada a dizer!!

  • Itamar machado | Sábado, 26 de Julho de 2014, 16h07
    8
    4

    A isenção fiscal do agronegócio deixou a receita do estado aos frangalhos!, como deveremos acreditar nessa falacia leviana de um candidato que é professor em direito constitucional?!. Quantos aos patrocinadores bilionários nada a dizer!!

  • Jose Moreira Figueira | Sábado, 26 de Julho de 2014, 14h50
    9
    6

    Falar que isso que aquilo o produtor, a saúde, educação, segurança pública,etc. etc.. e muito fácil, e discuso de campanha, quero ver mesmo e medidas concretas porque tudo isso rétrogado, não convence mais niguém, qual e seu plano de governo, plano este efetivo, e não meras teorias,.......

| 26/07/2014, 00h:00 - Atualizado: 26/07/2014, 09h:43

Respeito ao meio ambiente preserva vida

gilson_sabado_colunista

Gilson Nunes

Traçar uma meta ou definir métodos que aproximem a relação dos seres vivos, pelo menos no planeta terra, nunca foi, ou dá sinais de que possa ser interesse do ser humano, posto que ele é, categoricamente, o responsável direto pelo equilíbrio entre a fauna, seja aquática ou não, e a flora. O mundo está se desfazendo não é de hoje. Os países de primeiro mundo, que detêm as maiores tecnologias em diversas áreas, incluindo pesquisas de toda ordem, inclusive em áreas nucleares, são os primeiros a darem o mau exemplo.

Prova disso é a situação dos Estados Unidos que basicamente não possuem florestas aos seus arredores. A Europa percorre os mesmos caminhos. O assunto é tão grave que até o consumo de água é regulado pelo Estado. Para se ter uma ideia, cada família recebe uma certa quantidade de água potável por mês, conforme o número de pessoas nela existente. O consumo de água, portanto, se resume no princípio da economia. 

O Brasil parece não ter percebido que o seu maior patrimônio está concentrado nas potencialidades das florestas, dos seus mananciais, sua enorme diversidade nativa, sua vegetação e reino animal. A cobiça e a ganância do poder econômico, aliadas à falta de políticas que educa, conscientizam e punem os infratores são os motivos mais comuns.

A falta de conscientização da sociedade em geral, sua imprudência e egoísmo vêm transformando e modificando toda geografia do mundo ecológico: são devastações ilegais de madeiras, concentração de garimpos que estraçalham territórios tornando-os totalmente improdutivos. É oportuno lembrar que em pleno Pantanal mato-grossense, no município de Poconé (a 100 km de Cuiabá), a quantidade de garimpos abandonados mostra a devassa do meio ambiente pela ganância da extração de ouro. Trata-se de um retrato geograficamente pejorativo que se pode registrar em um dos pontos turísticos mais pitorescos do Estado de Mato Grosso. Ao que tudo indica os infratores não foram obstruídos, tampouco punidos pelo estrago ecológico que fizeram.

Ainda é irrelevante o interesse do homem por um convívio ecologicamente razoável. A distância entre o “querer” e a “descoberta” da necessidade desse convívio está muito longe de se realizar, posto que a legislação vigente, categoricamente articulada pelas autoridades e instituições competentes, não é respeitada. As leis são mensuradas pelos órgãos, mas esses, por sua vez, são impedidos de atuar com o rigor necessário devido à falta de infraestrutura e de contingente em seus estabelecimentos, favorecendo, assim, os malfeitores e imprudentes. 

O certo é que o homem precisa descobrir, urgentemente, alguma forma de se conscientizar da necessidade da preservação do meio ambiente, posto que o respeito a ela é a certeza incomensurável de uma qualidade que todos desejam ostentar.

Gilson Nunes é jornalista e funcionário público e escreve neste Blog todo sábado. E-mail: gnunes01@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

| 25/07/2014, 17h:01 - Atualizado: 25/07/2014, 17h:03

Candidatos apelam à religiosidade por voto


Fernando Ordakowski

charge_candidatos.jpg

Os 3 principais candidatos ao Governo: Pedro Taques (PDT), Lúdio Cabral (PT) e José Riva, do PSD

Em época de campanha candidatos costumam aparecer rotineiramente em locais com aglomeração de pessoas, seja em velórios, em celebrações religiosas e manifestações. Os três principais concorrentes ao governo estadual, sendo eles Pedro Taques (PDT), Lúdio Cabral (PT) e José Riva (PSD) deram a largada da campanha participando de uma missa na igreja São Benedito, em Cuiabá. De lá para cá, não pararam mais de apelar à religiosidade, tudo pelo voto.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Geiziele Santos | Sábado, 26 de Julho de 2014, 10h05
    5
    2

    Pedro taques não é Ateu ?? pra ganhar a política ele aceita Jesus?? por isso eu voto no Muvuca..ç. não é vira folha

  • benedito costa | Sexta-Feira, 25 de Julho de 2014, 21h22
    2
    0

    O que Deus, não deve estar pensando deles. Será que merecem um lugarzinho no céu?

| 25/07/2014, 15h:26 - Atualizado: 25/07/2014, 15h:31

Após pedido do TCE, procurador diz que não teme e que cartas de crédito são legais


Rdnews

procurador_prado_interna.jpg

Procurador-geral de Justiça, Paulo Prado

O procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, diz que cartas de crédito pagas a membros do Ministério Público Estadual são legítimas. Segundo ele, as cartas de crédito foram emitidas de acordo com as exigências e dispositivos legais. Além disso, ressalta que está tranqüilo quanto à requisição de informações do conselheiro substituto do TCE, Luiz Carlos Pereira, e que está à disposição para responder sobre os fatos.

Conforme Prado, até mesmo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que esteve em Cuiabá no último dia 11, ratificou seu posicionamento. “São créditos de origem ilícita e legítimos que sofreram o pagamento através da carta de crédito”, disse Janot, na ocasião. De todo modo, de acordo com o chefe do MP, os cálculos estão corretos e, por isso, não tem nada a temer e considera salutar a requisição do conselheiro. “Até mesmo para encerrarmos esta questão de uma vez por todas”. 

Acontece que o Tribunal de Contas do Estado instaurou, nesta sexta (25), auditoria para verificar a existência de possíveis irregularidades na obtenção de cartas de créditos por promotores do MP, segundo documentos apreendidos na 5ª etapa da Operação Ararath, desencadeada pela Polícia Federal. Neste sentido, foi dado ao procurador Paulo Prado o prazo de 15 dias para enviar informações solicitadas pela Corte. (Com Assessoria)

TCE instaura auditoria e investiga fraude nas cartas de crédito

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • José da Rocha Filho | Sexta-Feira, 25 de Julho de 2014, 17h39
    7
    1

    Vai dar em quê? Nada. São todos farinha do mesmo saco. Segunda a ARARATH, é claro.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 696