Cuiabá, 26 de Julho de 2016
  • Bárbara Sá

    Bárbara Sá

  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Eduarda Fernandes

    Eduarda Fernandes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Julia Munhoz

    Julia Munhoz

  • Lana Motta

    Lana Motta

  • Lídice Lannes

    Lídice Lannes

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

| 26/07/2016, 00h:00 - Atualizado: 05h atrás

Espaço de poder machista

Olga_200_fora

 Olga Lustosa

Se alguém te disser para ficar longe da política e mesmo que se enumere mil razões para que você o faça, não vire as costas para a realidade de que as mulheres são a maioria dos eleitores brasileiros, que existem no país mais de 6 milhões de mulheres a mais do que homens, que quase 40% destas mulheres são efetivamente as responsáveis pelo sustento de suas famílias.

Considere ainda que a expectativa de vida das mulheres elevou-se a um patamar de mais de 77 anos em média e, embora tenha se registrado aumento da participação das mulheres no processo eleitoral de 2014, os números ainda estão bem abaixo do que preceitua a própria lei eleitoral e poucas, muito poucas mulheres se elegeram. Estranho? Nem tanto, num país onde não se cumpre o estabelecido nos estatutos partidários nem na legislação.

A lei eleitoral brasileira está morta, inexiste. O Ministro do STF Marco Aurélio, embora pregue punição aos partidos pelo descumprimento da lei, laconicamente reconhece que, na prática, os partidos não investem e nem garantem condições mínimas de estruturas de campanhas para as mulheres candidatas, preferem registrar candidatas fictícias para burlar a lei que os obriga a preencher o mínimo de 30% das vagas com mulheres, a fazer o repasse de pelo menos 5% dos recursos do fundo partidário para criação de programas de promoção e difusão da participação política das mulheres. Parece pouco, mas nem isso acontece.

Não é bem verdade que o voto é nossa única arma e oportunidade para mudar, para indicar o rumo que queremos para nossa cidade e para nosso país. Certamente há mil outras formas de atuação que também fazem a diferença, que podem promover mudanças substanciais. O consenso é que as mudanças precisam acontecer nas bases onde mulheres valorosas são líderes comunitárias, presidentes de clubes de serviços, organizadoras de reuniões.

A participação feminina não pode continuar nesse desempenho pequeno, não atingindo sequer a marca dos 10% na Câmara Federal, mas alimentando a ilusão de uma participação legítima, quando no máximo, servimos para legitimar as candidaturas masculinas. Ciente dessa necessidade, a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados tem promovido encontros e incentivado a ampliação da participação feminina na política de modo geral.

Mas com o corporativismo masculino instalado no Congresso Nacional, qualquer mudança que realmente altere as regras do jogo para torná-lo igualitário, parece improvável. Este ano, tem eleições para as Câmaras Municipais e os números que o País apresenta são vergonhosos. De todos os vereadores eleitos no Brasil, apenas 12% são mulheres e na eleição de 2014 cinco estados não elegeram nenhuma mulher para a Câmara Federal e entre eles está nosso querido estado de Mato Grosso. (os outros são: Sergipe, Paraíba, Espírito Santo e Alagoas).

Adiantadas articulações estão em andamento na capital e pelo que se ouve as mulheres continuarão no backstage, organizando comitês, reuniões, balançando bandeiras e pregando cartazes. 

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com  

Postar um novo comentário

RUMO ÀS ELEIÇÕES | 25/07/2016, 17h:59 - Atualizado: 06h atrás

Após ameaça de apoiar PMDB, vereador do PSD ganha força para vice de Mauro


Gilberto Leite

domingos_savio

Nome de Domingos Sávio teria sido avaliado com atenção na reunião realizada na tarde desta 2ª

O vereador Domingos Sávio (PSD) ganhou força como possível candidato a vice na chapa do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), que deve assumir o projeto da reeleição nos próximos dias. A possibilidade foi aventada como solução para manter a unidade da aliança que elegeu o governador Pedro Taques (PSDB) em 2014, após o presidente estadual do PSD, vice-governador Carlos Fávaro, externar descontentamento com a demora do socialista em assumir o projeto da reeleição, sinalizando que pode levar a sigla a se coligar com o PMDB, caso a pré-candidatura do deputado estadual Emanuel Pinheiro se concretize. 

 O nome de Domingos Sávio foi avaliado com atenção na reunião realizada hoje (25) à tarde, no apartamento do governador Pedro Taques (PSDB), no bairro Santa Rosa, na Capital. O encontro político contou com a participação do próprio Mauro Mendes, do chefe da Casa Civil Paulo Taques, dos deputados federais Nilson Leitão e Fábio Garcia, que presidem o PSDB e o PSB no Estado, respectivamente e Fávaro. 

Os dirigentes teriam chegado à conclusão que vale a pena ceder a vice ao PSD para manter coesos os partidos que apoiaram Taques em 2014. Com exceção do PDT, partido com o qual o governador rompeu em agosto do ano passado para aderir ao PSDB, todos os outros tendem a subir no palanque de Mauro Mendes neste ano. 

Além disso, Domingos Sávio pode se enquadrar no perfil defendido por Mauro para vice: bom de voto e com capacidade de auxiliar na gestão. Isso porque está no quarto mandato de vereador e foi secretário municipal de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, quando fez o enfrentamento com os ambulantes irregulares. Quando deixou o cargo no Executivo, assumiu a liderança do prefeito na Câmara. 

Um  quadro ligado ao governador classificou a  possibilidade de emplacar Domingos Sávio para vice como “nuvem que está se formando”. Entretanto, ressaltou que a política é dinâmica  e o “vento pode dissipá-la” rapidamente. 

Após a rodada de conversa com os dirigentes, Fávaro teria se comprometido a discutir o assunto nas instâncias do PSD. Uma nova conversação deve acontecer nos próximos dias,  mas a decisão final deve ser tomada somente às vésperas de 5 de agosto, quando encerra o prazo para realização das convenções partidárias. 

Fávaro diz que Mauro banca "noiva bonita" e pode aceitar aliança com o PMDB

  Além de Domingos Sávio, existe a possibilidade de emplacar o atual presidente da Câmara, Haroldo Kuzai (Solidariedade) como vice. O PSDB também pleiteia o cargo e apresenta o vereador Adevair Cabral como alternativa. Nas últimas horas, o nome do dirigente tucano Carlos Avalone também passou a ser cogitado. 

Mauro vai exigir de aliados vice que seja bom do voto e com perfil técnico

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Muniz | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 18h55
    1
    0

    EM RELAÇÃO AOS NOMES ELENCADOS NA IMPRENSA ULTIMAMENTE, O NOME DO VEREADOR DOMINGOS SÁVIO, É DE LONGE É O MELHOR, OU NO MÍNIMO, O MENOS PIOR... SE CONCRETIZAR, SERÁ UMA DECISÃO MUITO INTELIGENTE PARA CUIABÁ.

  • moaci bispo | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 18h50
    1
    0

    moaci bispo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 25/07/2016, 17h:34 - Atualizado: 06h atrás

O CO2 na evolução da vida

romildo gonçalves 400 artigo

 Romildo Gonçalves

Enquanto existir dióxido de carbono na natureza a vida seguirá seu curso, evoluindo e dinamizando a lei do fluxo e refluxo na terra. Essa é a lógica da existência da vida. 

Esse extraordinário gás tão depreciado por ambientalistas "meio pataca" e ongueiros desconexos, é um dos mais importantes elementos fundamentais para a existência da vida na terra, permitindo assim a continuidade dos seres vivos no planeta azul.

Se, por razões outras, um dia o dióxido de carbono deixar de existir, a vida literalmente também o deixará. Isso é fato, isso é ciência. Tudo que é orgânico, que tem ou teve vida, tem carbono em sua composição. Não há como ser diferente.

Conforme explicitado acima, o dióxido de carbono = CO2, é um gás vital de que os seres vivos, especialmente as espécies vegetais, precisam para transformar o carbono em oxigênio e, de maneira intrínseca, dar continuidade à própria vida e, consequentemente, à vida animal.

Sem bases sustentáveis, alguns espertinhos criaram grande celeuma visando faturar financeiramente com o tal crédito de carbono. Sem esforço, alegam exagero do e no aquecimento global, como se no dia seguinte tudo tivesse terminado...

E mais, apontam a humanidade como principal causadora dos males da terra, esquecendo, ou pior, desconhecendo e desconsiderando, ciclos e fenômenos naturais locais, regionais e globais, como a emissão de particulados na atmosfera, a exemplos dos vulcões.

Certamente pensam estes acéfalos que, se morrêssemos todos, a terra estaria salva. No real, desconhecem que tais fatores independem da humanidade. A questão aqui é cíclica, é natural e tem como senhor dos senhores o astro rei. E ponto.

Só para exemplificar! O vulcão Copahue, ali no Chile, ao voltar a expelir gás de efeito estufa e carbono por, no mínimo quatro dias, ou nos últimos quatro a seis bilhões de anos. Independentemente da presença humana na terra, a natureza vai continuar seguindo seu curso.

Tem-se hoje no mundo pelo menos duzentos vulcões em atividades na nave terra. Apenas o Pinatubo nas Filipinas, em apenas um ano, jogou na atmosfera mais gases do efeito estufa que todos os habitantes da terra o fizeram desde a origem do planeta terra. Interessante, não?

Na prática cotidiana, sabemos que o resfriamento da terra tem sido pior que o aquecimento. A Groenlândia já teve pastagens e florestas quando a terra era mais quente, possibilitando vida aos vegetais. 

Não podemos e não devemos poluir o planeta, utilizar os recursos bióticos e abióticos de maneira aleatória ou gratuita. Manejá-los de forma racional requer conhecimento das ciências, consciência, respeito e civilidade no trato com a vida. 

Ademais, é de bom alvitre que gestores, governantes... atenham-se às artimanhas falaciosas de ambientalistas "meio pataca" e ongueiros desconexos apregoando ao vento sem a menor sustentabilidade científica a eliminação do = CO2, como se esse fosse o vilão da história. Porque não é!

No discurso dos últimos cinco mil anos, a terra esfriou 0,80 graus Celsius. A história e o histórico do clima no mundo continuam mostrando, em pleno século 21, certo equilíbrio na evolução da temperatura. 

Então, como os ongueiros "meio pataca" explicam tal fenômeno? Novos ciclos e novos períodos virão, essa é a lógica da vida.

Romildo Gonçalves é biólogo, professor e pesquisador em Ciências Naturais da UFMT e da Secretaria de Estado de Educação e doutorando em Agricultura Tropical

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Mrs.Betty Mabel | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 17h53
    0
    1

    Mrs.Betty Mabel, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 25/07/2016, 10h:05 - Atualizado: 25/07/2016, 10h:19

Governador fará a 3ª mudança na Saúde e advogado de Nova Mutum é o mais cotado


O governador Pedro Taques está prestes a efetivar a terceira mudança no comando da Saúde do Estado. Deve nomear nos próximos dias no cargo o advogado João Batista, de Nova Mutum. A definição foi acertada numa conversa informal, mas não será confirmada oficialmente por agora.

joao batista nova mutum 345

Advogado João Batista deve ser próximo secretário estadual de Saúde

Batista atuou como secretário municipal de Saúde na gestão Adriano Pivetta, da qual se afastou em 30 de junho para concorrer a vereador, mas acabou desistindo da pré-candidatura. Sua indicação partiu dos irmãos e prefeitos Adriano e Otaviano Pivetta, respectivamente, de Nova Mutum e Lucas do Rio Verde.

Na Saúde municipal, Batista conseguiu implementar o que se chama de "salto de qualidade". Por conta disso, o setor ganhou destaque nos três mandatos de Adriano. E essa referência agradou o governador.

Este Blog apurou que o maior obstáculo que pode até dificultar a nomeação, embora Batista e o próprio Taques já tenham avançado nas negociações, é o fato do futuro secretário de Estado estar filiado ao PDT, legenda que hoje faz oposição ao Palácio Paiaguás. Integra, inclusive, a executiva estadual do partido.

Com R$ 1,4 bilhão anual, a Saúde divide com a Educação o segundo maior orçamento da máquina estatal, composta por 22 secretarias e que , juntas, empregam cerca de 100 mil servidores. O maior "bolo" orçamentário está com a Segurança Pública, com previsão de "abocanhar" R$ 1,9 bilhão neste ano.

Esta será a terceira mudança na Saúde nestes 16 meses do Governo Taques. O ex-pedetista e hoje tucano começou com Marco Bertúlio. Em outubro do ano passado, o substituiu por Eduardo Bermudez. Agora, deve nomear João Batista.

É uma área que se tornou calcanhar de Aquiles do governo. O secretário Bermudez não está conseguindo dar celeridade aos processos, inclusive na compra de medicamento. Enfrenta desgaste também porque os hospitais regionais, mesmo sob gerenciamento de OSSs, não estão funcionando regularmente e acumulam demandas, trazendo reflexos negativos à administração estadual.

 Outras mudanças

A intenção do governador é promover mudanças não só na Saúde, após a Assembleia Legislativa aprovar a segunda etapa da reforma administrativa, que resultará no "enxugamento" de algumas pastas e órgãos. Estão previstos, no "pacote", remanejamentos de membros do primeiro escalão. Paulo Taques, por exemplo, vai assumir o Gabinete de Articulação Política, deixando a Casa Civil para o hoje adjunto de Turismo, Luiz Carlos Nigro. Várias outras pastas passaram por troca de secretários, como Educação, Segurança, Planejamento, Fazenda, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • roberto | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 21h06
    1
    0

    Nessa hora , às favas o PDT . Certamente ele vai dizer : O Zeca Viana é gente boa , mas pisa na bola de vez em quando.

  • José Antônio | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 14h38
    4
    0

    Mudar por mudar, nada resolve. O atual secretário tem boa formação mas nenhuma articulação política no estado. Enquanto a Fazenda continuar administrando a Saúde,de nada vão adiantar mudanças. Enquanto não houver um compromissamento Orçamentário adequado para fazer frente ás necessidades da saúde, vamos continuar com um governo de polícia e não de saúde. Inocente o advogado que sai de uma cidade com recursos e que planeja seus gastos, para assumir uma secretaria que ao final do mes decide quem fica de fora do recebimento. Essa é a política administrativa da saúde do estado. Parabéns novo secretário!

  • Claudio Vilela - Sorriso | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 14h31
    1
    2

    Conheço o João Batista de longas datas, é uma pessoa que tem seus defeitos como qualquer ser humano, mas é também um baita de um profissional. As pessoas fazem criticas a ele, porque ele não faz o estilo da velha política em troca de favores. Creio que será um grande secretário. Parabéns Taques pela ótima escolha.

  • Socorro | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 14h04
    5
    0

    Socorro mesmo, ninguém da conta da saúde, agora este joao ..Já é figura carimbada, não faz nada na saúde municipal, imagina no estado....governo incompetente.

  • Rebeca | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 13h10
    5
    0

    Duvido. Batista é Vice-Presidente do PDT-MT.

  • Marcos Brawes | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 12h23
    2
    2

    Muito bom... João implantou um moderno sistema de gestão saúde mutuante. Vai ser um bom representante.

| 25/07/2016, 07h:47 - Atualizado: 25/07/2016, 07h:48

Arte de negociar

Sandra Alves articulista texto e capa

Sandra Alves

Enxergar além de fatos e versões, um desafio interessante. Dentre muitos conceitos de política, aquele que a define como “a arte de negociação para compatibilizar interesses” talvez seja o mais conveniente para que um jovem estudante e eleitor percorra as linhas deste texto um pouco mais.

"Mãe, eu não sei como você consegue assistir esse programa repetido tantas vezes: Secretário preso, Rêmora, Lava Jato, PT, governo, economia, crise, corrupção, lei", bradou o filho inconformado! E se o início da conversa intriga o filho, não deixa de imprimir a dúvida à mãe. Os poucos minutos em frente à TV quando aperta o botão ON, sintonizando o canal de política, retoma cotidianamente o discurso da “esquizofrenia política”, levando imediatamente ao clique no programa seriado de comédia ou musical.

Incrível como a condição de filho relega aos pais aquilo que, teoricamente, é chato. Todavia, um pouco de paciência e alguns raciocínios simples podem alterar os rumos da discussão. No caso de pais que trabalham com agricultura e pecuária, afora as condições de clima e produção, é necessária uma política para manter o preço da produção (vender ao exterior, transformar em produtos, etc), para concretizar a venda, receber o dinheiro e dar ao filho a mesada, que ele tanto almeja ver elevada para trocar de celular. E no caso de servidores públicos o raciocínio é ainda mais simples. Boa política para aumentar a arrecadação e pagar os salários dos servidores públicos, de onde também saem as mesadas.

Esta foi a parte simples da conversa. Num segundo momento é necessário explicar fatores mais complicados. Existe um discurso que pretende rever drasticamente a questão previdenciária no País. Entretanto nenhuma campanha informa verdadeiramente os dados do sistema previdenciário, o que deveria mudar, qual a providência necessária e o resultado que poderá ser alcançado. A intensa manifestação de que a previdência social do Brasil é a culpada por todo o retrocesso vai se massificando nos canais de imprensa. Sem nenhum tipo de critério objetivo. Como se os atuais idosos do país vivessem em suntuosas casas de luxo com diversos subsídios para suas necessidades. Não é exatamente o que vejo nas filas em frente à Previdência Social e nas casas da população idosa do país.

E antes que estes olhos jovens desistam destas linhas, dizer que se fará no país novas ferrovias (uma já apelidada de “Nova Madeira Mamoré”), novas rodovias, novos aeroportos, não é a mesma coisa de sua concretização, prova disto o VLT de Cuiabá. Falácias políticas que não se sustentam por falta de planejamento estratégico e pelo esfacelamento das ideologias políticas.

No cenário estadual, é hora de acompanhar a discussão sobre mudança de partido de candidatos; a finalidade de suas viagens e encontros com outros políticos e a busca de investimentos do exterior; os resultados alcançados pela reorganização funcional. A inflação, a redução dos empregos, o aumento do custo de vida, como esses aspectos estão sendo avaliados no Estado é matéria que o jovem deve se inteirar para seu próprio futuro profissional e social. Que tal um curso para compreender o orçamento público? Imagine os resultados de uma sociedade em que não fosse suficiente alegar que não existe orçamento para isto ou aquilo, quando se compreendesse o que significa emenda parlamentar e suplementação por excesso de arrecadação.

“Mãe, você está tão linda hoje; já arrumei meu quarto; fui na academia; lavei a louça! Pode adiantar minha mesada?”  Uma olhada para o pai, os irmãos, aguardando a manifestação de aliados. A consideração do comportamento durante toda a semana. O quarto está de fato arrumado ou apenas as roupas sujas foram empurradas para debaixo da cama é a questão mais importante. “A arte de negociação para compatibilizar interesses”, política que os jovens fazem magistralmente nos assuntos que tocam seus interesses. Preste atenção na negociação dos homens e a verá repetidamente, em tempos de eleição, como se estipulam mesadas.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

| 24/07/2016, 10h:54 - Atualizado: 24/07/2016, 10h:58

Concessão de benefício fiscal em ano eleitoral também sofre impedimento


voce sabia eleicoes 2016 blog notas

 

O Tribunal Superior Eleitoral considera um “obstáculo” ter, em ano eleitoral, a implementação de benefício fiscal referente à dívida ativa do município. Da mesma forma se posiciona contrário ao encaminhamento à Câmara Municipal de projeto de lei, no mesmo período, objetivando a previsão normativa voltada a favorecer contribuintes inadimplentes.

Isso por entender que a concessão de benefícios fiscais se trata de uso ilegal, indevido ou abusivo de transferência de valores, que pode beneficiar uma parte e desequilibrar o pleito eleitoral. Saiba mais aqui. Fique por dentro.

Postar um novo comentário

articulações | 24/07/2016, 09h:36 - Atualizado: 24/07/2016, 09h:38

Assunção quer resgatar Sinop e promete campanha limpa contra vice de Juarez


Gilberto Leite/Rdnews

Fernando Assunção_gilberto leite (11).jpg

    Fernando Assunção promete campanha limpa

O vereador Fernando Assunção (PSDB), pré-candidato a prefeito de Sinop, já conta com o apoio de sete partidos para a disputa. A lista inclui o PSDB no qual é filiado, DEM, PPS, PSDC, PSD, PSB e PEN. “Além destes, posso dizer que o diálogo está bastante maduro com PDT e PSC. A aliança não está cristalizada, mas as perspectivas são boas”, declarou em visita ao

Segundo Assunção, o grupo representa a aliança  que garantiu a vitória e sustenta o governador Pedro Taques (PSDB). Além disso, lembra que poderá contar com apoio do próprio tucano e de lideranças como o deputado federal Nilson Leitão e o deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM).

“Vamos fazer a campanha baseada em propostas, novas ideias e regaste para Sinop voltar a ser capital do Nortão. O objetivo é unir a sociedade sinopense para fazer política voltada ao futuro e para as pessoas que mais precisam”, completa. 

Assunção também acredita que o debate será polarizado com Rosana Martinelli (PR), que é vice do prefeito Juarez Costa (PMDB), e pretende sucedê-lo na chefia do Executivo. Avalia que a republicana fará campanha limpa, mas não nega que tem restrições a integrantes do grupo político da adversária. “Tenho ressalvas a pessoas do grupo da Rosane que tem  comportamentos de campanha  que não concordo.  Do nosso lado, vamos trabalhar falando em futuro”.  

O tucano ainda evita criticar Juarez. Argumenta que todos os gestores deixam sua contribuição ao município e que a campanha tem que ser voltada aos projetos futuros e não às falhas do passado. “Essa administração não fez os investimentos sociais necessários nem fez o devido diálogo com a sociedade civil organizada. Estas situações estão entre os itens que queremos corrigir”, conclui.

Postar um novo comentário

| 24/07/2016, 09h:08 - Atualizado: 24/07/2016, 09h:14

Ambiente de trabalho favorável

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Uma das coisas que aprendi nestes anos como funcionária pública, prestando serviço à Secretaria de Saúde do município de Cuiabá, é que o ambiente de trabalho é sagrado. Deve ser respeitado. Como o convívio é diário, os colegas acabam virando família e os problemas muitas vezes resolvidos em sessões coletivas de terapia. Não há como conviver com um clima desfavorável, não há como produzir, não há como alcançar metas se o ambiente é de animosidade.

As relações cotidianas devem ser sustentadas com base no orgulho mútuo, confiança e no gostar. Esse forte elo de credibilidade e respeito deve ser alimentado todos os dias, sempre permeado pela camaradagem e boa vontade. Admiro parceiros de trabalho que são honestos e possuem opinião própria, assim como aqueles que sempre sorriem e que têm uma palavra de estímulo e apoio.

O ambiente de trabalho nas empresas mais bem sucedidas é objeto de estudo no mundo inteiro, e cientistas se esforçam para encontrar uma fórmula de sucesso que faça com que o clima seja sempre favorável e a obter um padrão do que é um excelente ambiente para se trabalhar, com qualidade de vida e consequentemente com produtividade aumentada, motivação e sem frustrações.

A Organização Mundial da Saúde (2010) dimensiona a saúde, o bem-estar e a segurança no trabalho como aspectos de fundamental importância na produtividade, competitividade e sustentabilidade das organizações: “A riqueza do negócio depende da saúde dos trabalhadores” e define local de trabalho saudável como aquele em que “trabalhadores e gestores colaboram em um processo contínuo de melhoria para proteger e promover a saúde, o bem-estar, a segurança e sustentabilidade do local de trabalho.”

Brigas, picuinhas, divergências, devem ser resolvidas de maneira amigável. As reuniões de trabalhos devem ser pautadas no respeito e pensando no bem comum, e, além disso, cada um deve cumprir as suas atribuições, deixando o papel de fiscalizador ou gestor para quem é designado para tal. O nosso grande problema é não nos concentrarmos nos nossos afazeres, e ainda ficarmos de olho na rotina dos demais colegas. Nós vivemos em espaços comuns e temos objetivos compartilhados, portanto a observância das políticas de boa convivência é primordial. A dignidade das pessoas devem ser preservadas, e o clima deve ser estimulante e produtivo, dinâmico e diversificado.

Independente do cargo que a pessoa ocupe, espera-se que o tratamento seja cordial e que a sinergia entre os profissionais seja preservada. É necessário partilhar informações, respeitar as atribuições, conferir crédito a quem de direito, cumprir metas e reportar-se prévia e diretamente ao responsável.  Pessoas que prezam pela simpatia, atenção, disposição social e comunicam-se com os colegas de trabalho de forma adequada são valorizadas e alcançam o sucesso. Procure conhecer melhor as pessoas, mostrar empatia, bom humor e esforçar-se para chamar o colega pelo nome. É necessário prática diária.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, mestre em Saúde Coletiva, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

| 24/07/2016, 08h:31 - Atualizado: 24/07/2016, 08h:39

Porta dos Fundos volta a ridicularizar a fé

victorio galli artigo 400

Victório Galli

Como bom brasileiro, acredito que o senso de humor é uma característica positiva de nosso povo.

Vivemos em um país sem censura, logo cada um pode usar o humor para falar do que bem entender. Mas devemos compreender os motivos que levam alguns artistas a se valerem desta prerrogativa para a prática de chacota da crença de quase 90% dos brasileiros. A resposta está na tentativa histérica, odiosa e ideológica de destruir as bases da civilização ocidental: a filosofia grega, o direito romano e a fé cristã.

Sou cristão, o que me torna alvo deste mundo pós-moderno e “progressista”, onde o ódio aos cristãos está na ordem do dia. Podem espernear e nos atacar, mas nunca nos calarão. Não seremos intimidados por suas “esquerdices”. Como não estão acima da lei, há de se levar em conta que o artigo 208 do Código Penal caracteriza como crime “vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”.

O grupo humorístico “Portas dos Fundos” não tem tido testosterona suficiente para atacar o Estado Islâmico e outras crenças. O ataque contra a revista “Charlie Hebdo”, no ano passado, com mortes sendo causadas por muçulmanos que não admitiam piadas com sua religião, certamente jamais irão ser planejadas por cristãos. Nós usamos da palavra, da verdade e do debate, não somos terroristas, nem usamos das armas dos marxistas que são a mentira, a desordem, a desonra, o deboche e a iniquidade.

Minha formação teológica me ensinou que existe uma lei maior, que ensina o perdão e o amor ao próximo e principalmente a justiça.

Tudo isso deve ser levado em conta quando vejo que, mais uma vez, o grupo humorístico “Porta dos Fundos” publica um vídeo que zomba da figura de Jesus. Desde sua fundação, eles fizeram cerca de 25 episódios ridicularizando a religião, sobretudo o cristianismo. Ao que consta, pelo menos dois de seus integrantes – Fábio Porchat e Gregório Duvivier – são declaradamente ateus.

Recentemente, o deputado federal pastor Marco Feliciano, que também é do PSC, debateu com os integrantes do grupo em um programa de rádio. Os desafiou a fazer piadas com Maomé ou com o islamismo. O integrante do grupo e ator Gregório Duvivier aproveitou a oportunidade para atacar a bancada cristã, afirmando que os deputados católicos e evangélicos, da bancada, atrasam o Brasil. O ator usou da legalização do aborto para expor seu desapontamento com os deputados cristãos. Talvez agora, como provocação, o PDF fez mais um vídeo contra o cristianismo, novamente evitaram ataques contra os islâmicos ou outras crenças. Escolheram a crença dos milhões de brasileiros.

O episódio mais recente do “Porta dos Fundos”, retrata um médico dizendo a um cristão que tudo deu certo na cirurgia da sua esposa. Só que ao invés de agradecer o médico, o homem diz: “Obrigado, Jesus”. Entra em cena então hipoteticamente, “Jesus”, interpretado por Fábio Porchat, que tenta mostrar para o homem, personagem, que todos os seus conceitos estão errados.

Afinal, “Jesus nada teve a ver com a situação”, seguindo um roteiro de escárnio. Diante da insistência do homem em mostrar sua fé, o “cristo” vivido pelo ator mata a esposa que saía da cirurgia como medida de retaliação, num ato de crueldade. Na sequência, desafia o Diabo a causar a morte de uma outra cristã, que estava na sala de espera. Fábio Porchat, ator que interpreta Jesus, consente e ainda acha graça da situação.

Esse vídeo, assim como a maioria dos que são produzidos pelo Porta dos Fundos (PDF), terá milhões de visitas. Os milhões de exibições de cada episódio que ataca Jesus atestam que, de modo especial, os brasileiros mais jovens estão aceitando a ideia de que a fé é ridícula ou mesmo relativizando aquilo que temos de valores e princípios. E pior, achando isso engraçado. Estamos vendo a pavimentação do relativismo revolucionário.

Mais uma vez vemos em ação uma tática comum ao marxismo cultural, que é ateísta na sua essência. A ideia transmitida pelo grupo não é um ataque a existência do Cristo em que acredita a maior parte da população brasileira. Eles agem de forma mais sutil, negando os conceitos cristãos sobre quem é Deus e como Ele age neste mundo.

 Somente em 2016 foram três vídeos diferentes em que fizeram isso. Em março, no episódio “Jesus te ama”, Cristo aparece em um supermercado “desmistificando” a ideia que ama todas as pessoas. Um mês depois, fizeram outro material onde mostravam Cristo como uma espécie de miliciano violento, que coagia as pessoas a crerem Nele.

 Atacar pastores, padres e a igreja, satirizando suas práticas é algo recorrente no humor, presente em programas de televisão no Brasil. Contudo, essa tentativa de “desconstruir” o Jesus dos Evangelhos é bem mais perigosa. Não se nega sua historicidade, tampouco seus ensinamentos morais. O objetivo é transformar a fé Nele em algo ridículo, absurdo e, sobretudo, ineficiente.

 Desde o início, o grupo Porta dos Fundos (em 2012) tem provocado polêmicas como forma de chamar atenção, zombando de tudo e de todos. Por causa do sucesso do grupo, atores desconhecidos foram alçados à condição de celebridades.  Acredito que isso deveria nos causar preocupação, pois “celebridades” estão ganhando o status de “intelectuais” e de “formadores de opinião”. Fora das telas, eles estão ligados a um movimento ideológico de esquerda, que usa bordões como “mais tolerância”, “menos preconceito” e “mais amor”. Infelizmente, não demonstram isso com as pessoas que discordam deles. Meu apelo não é por censura, mas por reflexão. Até quando veremos impassíveis, tantos ataques aos fundamentos de nossa sociedade?

 Vivemos em um período histórico que tenta impor um relativismo total. O marxismo não vem apenas como uma doutrina econômica ou política. Trata-se de uma crença, uma visão de mundo, uma fé centrada no ser humano. As experiências dos países que tentaram fazer isso mostram que os frutos não são bons. Invariavelmente, os primeiros a serem censurados, perseguidos e mortos foram os cristãos e judeus. Refletir é preciso, o que estão fazendo no Brasil não é somente piada, é a defesa de uma ideologia. Não percamos o humor, tampouco o senso crítico e nem a vergonha na cara.

Victório Galli é deputado federal. E-mail: dep.victoriogalli@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • JEFERSON MATOS | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 13h37
    6
    3

    Eu gostaria de saber por que tu incentiva que o Porta dos Fundos faça piadas com Maomé? O que tu ganha com isso? Acaso o Islã te incomoda tanto assim a ponto de querer piadas? Por que tu não respeita as outras crenças?

  • JEFERSON MATOS | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 13h32
    6
    3

    Caro profeta Galli, se tu realmente conhecesse as escrituras como diz que conhece, amaria seu próximo e o aceitaria como ele é. O julgamento é para Deus, e somente Deus pode julgar. Pare de fomentar a discórdia e vá trabalhar, pare de se incomodar com o que é alheio, cuide de sua vida.

  • Jaques | Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016, 11h42
    5
    0

    Deputado, experimento praticar o que Jesus ensinou, ( Amar o próximo como a ti mesmo). Deixe de disseminar ódio, o senhor só pratica sem peso humorístico o que está a criticar neste texto. Deus não se alegra nem de sua conduta e nem das coisas que o sr está criticando.

  • Carlos Nunes | Domingo, 24 de Julho de 2016, 10h29
    3
    1

    JESUS é maior do que tudo isso...a última senhora prá quem ele apareceu revelou que - quando viu o seu Sagrado Coração bem de perto, avistou todos os planetas, sistemas solares, galáxias, etc. - JESUS JÁ É COSMICO; o Cristo que habita em cada um de nós, como gotas d'água, formam um mar imenso. Na certa JESUS, que observa tudo, esta dizendo: Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem. A Porta dos Fundos achou uma forma de ganhar dinheiro em cima da fé dos outros; bem também alguns estão vendendo o Céu, a Salvação, DEUS, a peso de ouro...o olha que isso acontece faz tempo. Na Bíblia, na época do Daniel, os sacerdotes faziam o rei colocar muitos tesouros num templo, para deus (vai saber qual); aí o templo era lacrado, e no dia seguinte o tesouro tinha desaparecido; aí diziam deus levou tudo a noite. O Daniel, suspeitando do fato, espalhou um pó (cinzas) no chão, sem os sacerdotes saberem é claro. Na manhã seguinte, quando o rei, o Daniel chegaram, havia as pegadas de pessoas, e levava a uma passagem secreta...lá encontraram tesouros, e os sacerdotes. O rei mandou cortar a cabeça de todo mundo, pois fora enganado um bocado de tempo. Que deus que nada, eram eles que surrupiavam todo tesouro. Então quando falarem que DEUS precisa de dinheiro, de bens, etc, para doar prá DEUS...não dê nada, pois tudo pertence a ele, o Universo inteiro. É para encher os bolsos de alguém. Depois falam que não existe reencarnação...muitos sacerdotes de hoje, são os mesmos da época do Daniel, que voltaram com o mesmo defeito...ganhar dinheiro às custas de DEUS. É por isso que o lema do Walter Rabello vai servir para sempre: Creio no DEUS que criou o Homem e não no deus que o Homem criou. Tem deus que o Homem criou só prá ganhar dinheiro, ou não?

rumo às urnas | 23/07/2016, 09h:09 - Atualizado: 23/07/2016, 09h:55

Partidos formam chapão para concorrer contra Thelma em Chapada dos Guimarães


Pelo menos quase 10 partidos se articulam em um forte embate contra a pré-candidata à Prefeitura de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (PSDB). O PR, que tem como pré-candidato definido e ex-prefeito Gilberto Mello, conta hoje com o apoio de quatro partidos, sendo o DEM, PSB, PSC e PC do B. Enquanto isso, a tucana está aliada às siglas Solidariedade, PHS e PRB, mas espera ainda a definição quanto ao apoio do PSD, que deve ser decisiva principalmente para escolha do candidato a vice.

Por outro lado, o prefeito Lizu Koberstain (PMDB) deve anunciar, até amanhã (24), que não irá para a reeleição e que também deve apoiar a candidatura do republicano. “Estamos afunilando ainda a aproximação com o PT, PMDB, PP e PDT. Nossa ideia é fazer um “chapão” para polarizar o embate com a Thelma”, conta Gilberto. O ex-prefeito espera que as lideranças destas legendas se apresentem o quanto antes para compor o "frentão".

Reprodução

thelma_blog.jpg

   Ex-deputada federal e pré-candidata à Prefeitura de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira

O PTB também deve definir até semana que vem se vai acompanhar Gilberto no município. Quanto à vaga de vice o PSB indicou Otávio Melo. A indicação pode garantir o apoio político e de estrutura do deputado federal Fábio Garcia (PSB). De todo modo, a expectativa é de que as chapas proporcionais sejam formadas da seguinte maneira: Chapa 1 – PR, DEM e PSB; Chapa 2 – PSC, PC do B, e PTB; com a possibilidade de uma terceira via – PT, PMDB, PP e PDT.

Para Thelma, as negociações com os partidos estão dentro do esperado. “A nossa convenção acontece em 1º de agosto e lá teremos tudo acertado, principalmente o nome do vice que vai compor a chapa comigo”, diz Thelma ao . Para a vaga de vice da tucana, até o momento, apenas Osmar Fronner (PRB) colocou o nome à disposição.

Sobre o fato de um grande “chapão” estar se formando contra ela no município, a ex-deputada desconversa e reforça que a campanha está caminhando dentro do esperado.

Outros candidatos

Atualmente, estão declarados pré-candidatos a prefeito em Chapada dos Guimarães, além de Thelma, os empresários Didi da Pousada (PTN) e Sidnei Varanis (Rede Sustentabilidade), Odete Trechaud (PV), e o ex-prefeito Gilberto Mello (PR).

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Elineuza Campos Moreira | Sábado, 23 de Julho de 2016, 11h38
    5
    1

    Aretana, Telma está no meio desta maluquice de abrigo de elefantes ? Se for verdade, ela deve estar fumando maconha estragada. Temos que fazer campanha para ela não ter nenhum voto aquí em Chapada.

  • GERALDO | Sábado, 23 de Julho de 2016, 10h56
    2
    0

    Só voto no Gilberto Mello se a vaga de vice for preenchida pela doutora Jane Anffe mas, se manter o Otávio Melo como vice votaremos na Telma.

  • Aretana Arruda Campos | Sábado, 23 de Julho de 2016, 10h54
    4
    2

    SE ALGUEM VOTAR NESSA SENHORA, ETARÁ AFUNDANDO CHAPADA DE VEZ . OUTRO DIA OUVÍ UMA ENTREVISTA DELA NO RÁDIO EM QUE ELA DIZ QUE APOIA ESSE PROJETO ABSURDO DE UMA ONG PARA TRAZER ELEFANTES PARA CHAPADA. COM ISSO A TELMA MOSTROU QUE É MAIS IRRESPONSÁVEL QUE A TAL DA JÚNIA DONA DA ONG E A SEMA, QUE IRRESPONSÁVELMENTE LIBEROU AS LICENÇAS AMBIENTAIS PARA ESSA ESTUPIDEZ. VOTO ATÉ EM UM JUMENTO, MAS NÃO VOTO EM QUEM APOIA ESSA SANDICE.

| 23/07/2016, 06h:53 - Atualizado: 23/07/2016, 07h:01

A massificação do Ensino

Gilberto Leite/Rdnews

akio materia estreia colunista

 Akio Maluf

Em uma “Pátria Educadora”, onde mais “jovens tem acesso a educação”, ainda é de se surpreender com tamanha ignorância, preconceito e doutrinação em massa acadêmica. Principalmente nos nível básico e médio, onde o importante não é saber porque alguém realizou tal feito, mas sim qual o feito.

Vivemos em um mundo onde os alunos devem se tornar máquinas capazes de responder uma questão de múltipla escolha em menos de 3 minutos, deve se lembrar daquele macete pra não precisar ler o texto todo e saber responder, deve não tentar entender e sim acertar. 

Esquecemo-nos, também, que educação não é só o que está dentro dos livros e que boa parte dela está nas atitudes do professor e da forma como somos criados durante as fases inciais, como por exemplo:

Não adianta estar escrito no livro sobre a “Queima dos Sutiãs”, das conquistas de voto e toda luta que a mulher tem tido desde os primórdios e não intervir em piadas machistas ou permitir brincadeiras de mau gosto que são “coisas de meninos”.

Não adianta ensinar através do livro sobre a igualdade entre todos e dizer para um menino que ele não pode brincar com uma boneca, que rosa não é cor de menino, que ele não pode chorar porque é homem ou para parar de frescura que é coisa de menina.

Não adianta apenas colocar no livro e cobrar de forma fechada, em frase fechada, nas opções “A”, “B”, “C” e “D”, pois de nada cresce um jovem sem poder exercitar a escrita, lembre-se que um dos primeiros atos do Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso foi o retorno da redação como exame obrigatório nas Universidades.

Por mais que não adiante, é assim que muitos estão sendo cobrados hoje, que seus filhos e netos provavelmente serão cobrados, mas você ainda pode fazer algo a respeito.

O primeiro passo é sempre participar na educação familiar, pois somente a família pode num primeiro momento ajudar suprir essa falha e mostrar para seus filhos que o processo investigativo é mais importante que o de “decoreba”, o segundo, lógico, é aquela boa e velha estante cheia de livros.

Pode até parecer sem sentido, mas fugir da curva do ensino massificado, da obrigação apenas do vestibular, pode ajudar muito as futuras gerações que virão a compreender melhor o mundo, a sociedade e ajudar a acabar com muitas das barreiras sociais que ainda vivemos.

A massificação do ensino é tão absurdo que a cada dia que passa estamos avaliando nossos jovens mais  pela habilidade em decorar um manual, uma apostila ou uma doutrina do que pela capacidade de resolver um problema, de interagir em equipe ou desenvolver um projeto.

Não podemos permitir que as gerações por vir aprendam individualmente, que saiam dos colégios massificados achando que as prova de múltipla escolha os preparou para o mundo, é preciso que a preocupação seja com a formação moral e não com o acerto no vestibular.

Por fim, acompanhemos a atual situação, acompanhemos a situação dentro de nossas famílias, incentivemos o processo investigativo intelectual, a leitura e as brincadeiras do portão pra fora, pois não só de leitura individual em casa vive um jovem. Assim como lutemos para que o atual modelo que visa avalia apenas a capacidade em decorar não perdure por muito mais tempo. 

Akio Maluf Sasaki é acadêmico de Direito da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), atua em cooperação internacional do turismo e escreve neste Blog todo sábado - akio@pontodeapoioturismo.com.br

Postar um novo comentário

Encontro Estadual | 22/07/2016, 15h:24 - Atualizado: 22/07/2016, 15h:37

Blairo reafirma apoio a Mauro, até sem PP, mas campanha só na TV e redes sociais


Gilberto Leite

Blairo Maggi PP

 Blairo também afirma que a participação do primo Eraí Maggi, para vice de Mauro, está descartada

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, reafirmou que o PP deve acompanhar o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, no projeto da reeleição que será anunciado na próxima semana. Na presença do socialista, adiantou que os compromissos no governo federal não permitirão engajamento na campanha e a participação será restrita às redes sociais ou propaganda eleitoral gratuita de rádio e TV. 

 “O PP com toda certeza vai acompanhar a candidatura do Mauro e se não acompanhar, eu vou. Já deixei isso bem claro, não é de hoje esse posicionamento. Agora, vamos aguardar a posição final do Mauro, o momento em que ele vai confirmar a candidatura à reeleição”, declarou Blairo Maggi durante o Encontro Estadual do PP realizado em Cuiabá nesta sexta (22). 

Mauro Mendes, que intensificou as agendas políticas nos últimos dias para viabilizar a candidatura à reeleição, prestigiou o Encontro Estadual do PP. Entretanto, evitou contabilizar o apoio da sigla como certo e fez questão de destacar o apoio dos progressistas ao longo do mandato. 

“O PP é um partido que temos dialogado muito nos últimos anos. O deputado federal Ezequiel Fonseca é um grande parceiro e o vereador Paulo Araújo fez parte da base desde que assumiu na Câmara. O senador Blairo Maggi é um amigo que conquistei na política, assim como Terezinha que assinou ficha de filiação. Vim expressar meu respeito ao PP e aos partidos políticos”, pontuou o prefeito de Cuiabá. 

Sobre a participação na campanha em Cuiabá e nos municípios onde o PP apresentará candidatura própria, Blairo fez questão de deixar claro que será restrita às redes sociais e ao horário gratuito de rádio e TV. Justifica que estará ausente do Brasil durante quase todo mês de setembro, cumprindo agendas ministeriais na China e na Índia com a companhia do presidente da República interino Michel Temer (PMDB). 

 Blairo também lembrou que a indicação do primo, Eraí Maggi, para vice de Mauro Mendes, que chegou a ser cogitada há alguns meses está descartada. O sojicultor, filiado ao PP desde 2013, não pretende participar do processo eleitoral. “Embora ele esteja apto para disputar, porque é filiado ao partido, não tem essa pretensão. Isso ficou claro na conversa que tivemos”, concluiu. 

Embora Blairo defenda a participação do PP na coligação pró-reeleição de Mauro Mendes, a sigla ainda está dialogando com os possíveis adversários Valtenir Pereira (PMDB) e Julier Sebastião (PDT). A decisão final será tomada na convenção marcada para 5 de agosto. 

Encontro Estadual 

 O Encontro Estadual do PP buscou a capacitação e preparação dos envolvidos no pleito eleitoral 2016. Durante toda a  sexta, foram realizadas palestras nas áreas de marketing digital; mudanças na legislação eleitoral, prestação de contas e bate-papo político.

Postar um novo comentário

| 22/07/2016, 00h:00 - Atualizado: 21/07/2016, 23h:05

Arrependidos anônimos e inocentes úteis

ceara artigo sexta 400 padrao

Antonio Cavalcante

Percebe-se um ar de tristeza enorme em muitos cidadãos, que, assim como eu, participaram de várias manifestações contra a corrupção em anos bem recentes, mas que hoje se dão conta de que foram usados como “massa de manobra” para que uma quadrilha tomasse conta dos destinos do nosso país.

Golpes não é nenhuma novidade no Brasil. Por aqui já tivemos vários: Independência do Brasil, em 1822, Golpe da Maioridade de dom Pedro II, em 1840, Proclamação da República, em 1889, golpe de ditadura Vargas, em 1937, golpe militar de 1964, e o atual, este que na realidade é mais uma conspiração midiático-parlamentar-judicial, um “complô de bandidos” que trama contra os avanços sociais e o Estado Democrático de Direito.

Infelizmente, ainda temos uma “massa” de pessoas alcunhadas de “coxinhas”, que, por não ter ainda lhes “caído a ficha”, já estão sendo chamadas de “trouxinhas”, ou seja, de inocentes úteis. Estes, ingenuamente ou não, cínicos ou bobos, continuam bradando contra a democracia como se estivessem “lutando” contra a corrupção.

A inovação do golpe de 2016 em curso, em relação ao de 64, é que, desta vez, os golpistas não se utilizam das forças militares. Mas a forma de convencimento, os discursos “anticorrupção” e “anticomunista”. Os atores envolvidos, a exemplo de setores do Judiciário, Ministério Público, OAB, grupos “religiosos fundamentalistas”, empresas de comunicação, políticos derrotados em seguidas eleições, interesses de grandes empresas nacionais e multinacionais, são os mesmos.

O segundo mandato do Governo Dilma não era a “8ª maravilha” do mundo da política, mas devemos reconhecer a existência de uma série de entraves deliberadamente criados para desestabilizar o país e contaminar a gestão da presidenta. Basta dizer que a operação Lava Jato começou juntamente com as convenções partidárias em 2014 e tende a se encerrar em 2016, justamente com a conclusão do Golpe (mas será que a corrupção acabou?).

Não se questiona aqui o combate à corrupção, pois muita “gente graúda” está sendo processada, condenada e presa como nunca foram até há uma década. Hoje, cadeia no Brasil não é mais como se falava antes, apenas para “preto”, “pobre” e “puta”. Mas para alguns, até parece que a corrupção no Brasil só foi “descoberta” agora, no período de 2002 a 2014, quando de fato, pela primeira vez os bandidos de colarinho branco estão sendo punidos. Pois não é?

Do contrário, onde foram processados e presos os personagens dos grandes escândalos anteriores e que foram amplamente denunciados até mesmo em livros, como “A Privataria Tucana”, “Operação Banqueiro”, “O Brasil Privatizado”, O Principe da Privataria, “Honoráveis Bandidos”, “A outra História do Mensalão”, Sanguessugas do Brasil” e tantos outros? A verdade é que nenhum político ou partido defensores do Golpe de 2016 foram processados ou presos. Tudo leva a crer que a operação Lava Jato é mesmo seletiva e, seguramente, faz parte do enredo golpista.

Assim, como os coxinhas, instâncias destacadas do Judiciário e Ministério Público se permitiram também serem instrumentos do golpe, uma vez que ficou notório para a sociedade que ministros do Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte do país, discutiram aumento de salário com políticos que são réus da Lava Jato.

E estes “parceiros” nunca foram presos, ainda que exista pedido do Ministério Público nesse sentido, e os mesmos “parceiros” teriam sido denunciados em diversos acordos de colaboração (delação) premiada. Todavia, parece que o mais importante era reservar R$ 40 bilhões para o pagamento de suas excelências, montante estimado do rombo criado nas finanças nacionais com o aumento do Judiciário.

O que deve envergonhar algumas pessoas, como a mim mesmo, por exemplo, ainda que não se expressem publicamente seus arrependimentos, é que de alguma forma contribuíram para a deflagração de um cenário catastrófico, ao participarem das manifestações “contra a corrupção”, com ampla cobertura da grande mídia historicamente golpista.

E vejam que aqui só citamos apenas alguns dos aspectos que estão piorando a vida nacional, como o aumento desenfreado do custo dos alimentos, ainda que o governo admita repassar R$ 200 bilhões para o setor agrícola. Mas o que não fica claro é que esse recurso financeiro que sai dos cofres da “viúva” é destinado a quem planta soja e cria boi, porque a agricultura familiar fica a ver navios. Portanto, o aumento do arroz, feijão e leite é apenas o começo, coisas bem piores virão por aí.

Muitos dos arrependidos anônimos que estavam nas manifestações mais recentes do “Fora Dilma” (mas desses atos golpistas nazi-doidos eu não participei), eram estudantes se preparando para concursos públicos e, por enquanto, a depender dos golpistas, podem tirar a “apostila da chuva”, porque não serão abertos certames públicos para contratação. Além de precarizar e piorar os serviços públicos, essa medida vai atingir diretamente uma geração de estudantes que já se preparam há muito tempo.

O Golpe traz ainda outras consequências sérias: a aposentadoria de nossos idosos que ficará mais difícil. Os golpistas já estão anunciando que a idade mínima para pedir a concessão da aposentadoria subirá para 75 anos, e haverá mais impacto para as mulheres, cuja idade mínima deverá aumentar bem mais, se equiparando aos homens.

Os serviços de saúde devem piorar (se é que isso será possível), em face dos ataques ao Sistema Único de Saúde (SUS), vemos notícias de que os golpistas querem prestigiar os planos de saúde privados, aqueles em que o doente precisa pagar antes da consulta senão morre!

O Brasil piorou. O cenário internacional está desalentador, mas o Golpe em nosso país contribui para degradar ainda mais. Os diversos governos democráticos estão em silêncio e não reconheceram a Trupe Golpista que deseja comandar o país, uma prova de que poderemos ficar isolados do resto do mundo.

Por fim, devemos reconhecer que a dívida ativa, dinheiro que a União tem a receber de sonegadores é de quase R$ 1 trilhão, o tamanho aproximado de um orçamento anual. Entre os patrocinadores do Golpe estavam diversos devedores contumazes, que vinham sendo cobrados. Entre eles estava um diretor da Federação das Indústrias de São Paulo (FIESP), que deixou de pagar R$ 7 bilhões, dinheiro que é maior que o orçamento de 16 Estados.

Assim como esse caloteiro, muitos milionários exploradores do trabalho alheio não pagam impostos no Brasil (o que é crime pior tanto quanto a corrupção), e a possibilidade de serem executados judicialmente pelo Governo Dilma, é que os levou a sustentar as manifestações golpistas.

Puro oportunismo, sem nenhuma preocupação com o país.

E, fechando o raciocínio: o Brasil reserva mais de 40% de seu orçamento para pagar os credores bancários, dívidas sobre as quais existem dúvidas quanto à sua legitimidade, mas que já foram pagas (mais de uma vez), portanto, estamos sendo lesados. Já havia uma decisão governamental de se fazer uma auditoria da dívida pública, porém, como os golpistas nomearam ministros e dirigentes do Banco Central indicados pelo sistema financeiro, podemos ter a certeza de que o dinheiro reservado para os bancos vai superar em 40 vezes o que se destina à saúde pública.

E de auditoria da dívida nada mais se falará.

Errar é humano, insistir na defesa do Golpe é demonstrar muita vontade de sofrer! Além do mais, por maior que seja o grau da alienação dos “Trouxinhas”, é preciso entender que não se combate a corrupção combatendo a democracia.

Antonio Cavalcante filho, cidadão, escreve às sextas-feiras neste Blog. E-mail: antoniocavalcantefilho@outlook.com

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • gabriel pensador | Sábado, 23 de Julho de 2016, 20h27
    1
    3

    para com isso ,deixa disso,kkkkkk,olha os tais coxinhas ,os petistas e todos aquelesa que roubam tem que ir pro xilindró,sai dessa ceará você é mais uma viúva do poder vermelho quer foi pra casa do C....vai dormir que teu mal é sono,bestão!

  • Wagner | Sábado, 23 de Julho de 2016, 17h46
    5
    0

    A Kátia Abreu disse na TRIBUNA que desses 175 alardeados 50 Bi foram para custear o Golpe , e 30 Bi para emendas a deputados e Senadores . Hoje vemos que só o aumento para o Judiciário foi de 30 Bi. Ora bolas se tava tão ruim assim porque estão jogando fora 110 Bi?Então a conta será de 90 Bi de déficit, e não 175Bi. Inflaram para poder fazer o que quiser,e sabedores que tem o Congresso no Bõlso. (0 Bi de déficit é pouco , pois a Dilma deixou em reservas 370 Bi de Dólares !!!

  • Dornele$ | Sábado, 23 de Julho de 2016, 06h54
    2
    6

    lula e dilma ficaram no desgoverno, por longos 13 anos. Essa dívida nunca foi cobrada dos mega financiadores da cumpaheirada, e agora esse xiita vem falar em cobrança? Acorda filho, quer culpar quem?

  • Ademir | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 16h04
    7
    5

    Quanta asneira digitada por este cidadão que perdeu boquinha cheia de mortadela, e agora em 12 anos de PT quer que tudo se mude num estalo, que do buraco que colocaram o Brasil, a culpa é de quem entrou agora, e que a sua chefa ex-presidenta Dilma escondeu todos estes dados perversos da economia só para ganhar uma eleição e depois tudo apareceu, toda a podridão e cheiro de mortadela podre!!!

  • Adriana | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 15h50
    8
    4

    Algumas perguntas? Esse cidadão é o que mesmo?? Trabalha onde?? Qual o benefício que já proporcionou a sociedade??

  • Dornele$ | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 12h09
    12
    5

    lula e dilma ficaram no desgoverno, por longos 13 anos. Essa divída nunca foi cobra, agora esse xiita vem cobrar? Acorda filho, quer culpar quem?

  • Cintia | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 11h14
    18
    6

    Por mais que seja o grau de fanatismo dos petistas, ainda me surpreendo com tamanha falta de senso crítico. Tem hora que da dó. Como argumentar com fanáticos?

  • JEFERSON MATOS | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 10h12
    20
    6

    Comentar o que né? Cinceridade Ceará, fala çério, tu acredita em cada vírgula que tu escreve? Escreve sóbrio?

  • Alta Floresta | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 09h59
    17
    5

    Você mora no Brasil????

  • Dener Além | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 08h57
    21
    5

    Volta pro mar, oferenda...

| 22/07/2016, 00h:00 - Atualizado: 21/07/2016, 22h:47

E agora, Wagner?

edesio do carmo artigo 400

Edésio Adorno

O sojicultor Reck Junior montou um condomínio político formado por seis agremiações partidárias e pode conquistar o apoio do PP do ministro Blairo Maggi, visando a consolidação de seu projeto de governar a cidade de Tangará da Serra a partir de janeiro do próximo ano.

Reck é jovem, estreante na política, mas não é nenhum neófito. O amadorismo passa longe dele. Assessorado por estrategistas e por profissionais de marketing, não permite ser manipulado por quem quer que seja. Aceita conselhos, nunca cabresto.

Prova a assertiva alhures o fato do deputado estadual Wagner Ramos ser do mesmo partido e um dos cabos eleitorais mais ilustres de Reck não ter acesso livre ao “QG Pró-Reck”. A razão é simples: nas eleições de 2012 o parlamentar foi responsabilizado pela derrota do empresário Rubens Jolando, que largou na frente e chegou na lanterna.

Por ser instável e volátil em seus posicionamentos, Ramos experimenta elevada rejeição popular e baixa capacidade de aglutinação política. Reck tem consciência disso, tanto que nesse período de pré-campanha tem evitado publicar fotos ao lado do desgastado parlamentar.

Ruralista e pré-candidato a prefeito, Reck Junior tem gás para queimar. Aliás, tem metanol tanto de cana de açúcar quanto de milho. É piloto de corrida; sempre pisou fundo e queimar combustível de alta octanagem é seu forte, daí o slogan: Acelera Tangará!

Em sua acelerada caminhada rumo à prefeitura, Reck aceita o apoio de Wagner Ramos, desde que fique restrito aos bastidores e sem nenhuma ostensividade. Ramos quebrou a cara. Deve continuar apoiando a candidatura do correligionário como retribuição ao apoio recebido em 2014, mas está contrariado, segundo nos confidenciou uma importante liderança partidária que integra o arco de aliança liderado pelo PSD.

A insatisfação do parlamentar que planejava dar as cartas na campanha e turbinar sua imagem visando as eleições de 2018 é tanta que pode redundar em cisão ou em apoio tipo faz de conta. Ramos teria tentado emplacar um vice de sua confiança, mas a ordem no comando de campanha é escolher um vice melhor posicionado entre os partidos aliados em pesquisa qualitativa a ser realizada pelo instituto Vetor.  E agora, Wagner?

Edésio Adorno é advogado em MT, reside em Tangará da Serra e escreve exclusivamente para este Blog toda sexta-feira. E-mail: edesioadorno@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Felisberto | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 19h08
    0
    0

    Falar mal é fácil. ...

  • Felisberto | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 19h03
    0
    1

    Falar mal dos outros é fácil...

  • Aroldo Lima | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 17h00
    1
    0

    Se RECK nao ficar esperto, foi-se o burro com a corda...

  • jose roberto | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 14h14
    2
    0

    Não acredito no que estou lendo. O deputado Wagner fez uma reunião no Assentamento Antonio Conselheiro e garantiu que se o Reck for eleito, ele (Wagner) vai escolher vários secretários. Será que ele mentiu?

  • JOÃO N. SOARES | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 10h32
    3
    0

    Como a imprensa de Tangará da Serra não tem coragem de mostrar o lado obscuro dos políticos, acho importante esse espaço onde o DR. Edesio Adorno escreve sem medo contra quem quiser. Estou gostando. Wagner pode atrapalhar de novo o Reck.

  • Ferreira | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 09h46
    5
    0

    Parabéns Dr. Edésio, concordo com a sua opinião em gênero, numero e grau. Até que enfim a população vai conhecendo o verdadeiro Wagner Ramos. Ele só pensa no seu próprio umbigo, é um dinheirista e pau mandado do Blairo. Sempre se acomodou nas sombras do poder. Votei nele em duas eleições passadas e até me resusava em acreditar em algumas atitudes dele... Mas agora descobri a sua verdadeira faceta e voto nele NUNCA MAIS. Lascou com o DR. Rubens e com o próprio Reck quando da sua campanha pra Aprosoja. Sujeito mentiroso e descumpridor das promessas, e espero que não seja reeleito.

  • Dejaina M Silva | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 08h34
    5
    0

    Na mosca! Gostei. Disse tudo. Wagner já abusou demais da confiança do povo de Tangará da Serra. Fala mal do governador; abraça o governador. Não sabe o que quer ou sabe exatamente o que quer. Não me representa, mesmo!

  • Roberta A S Gomes | Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016, 06h32
    6
    0

    Esse deputado não me representa. Ele pensa que pode tudo, mas não passa de um falastrão. Reck faz bem em não deixar ele tomar conta de sua campanha. Seo Rubens Jolando só perdeu porque acreditou no Wagner

| 21/07/2016, 17h:54 - Atualizado: 21/07/2016, 17h:58

Lei veda distribuição gratuita de bens e valores pela administração pública

voce sabia eleicoes 2016 blog notas

 

Durante todo este ano eleitoral, a administração pública está proibida de distribuir bens e valores para a população, tais como cestas básicas, lotes residenciais, materiais de construção, valores em espécie, vales para consumo em supermercados e postos de combustível e passagens aéreas ou terrestres para uso de cunho particular. Também é vedado ao gestor promover festas ou eventos com interesse particular.

As doações podem ocorrer apenas em casos de calamidade pública ou estado de emergência ou ainda em situações que programas sociais autorizados em lei já estejam em execução orçamentária no exercício anterior.

Clique aqui e saiba mais sobre o assunto.

Postar um novo comentário

| 21/07/2016, 09h:36 - Atualizado: 21/07/2016, 09h:47

Lucimar confirma ir à reeleição; Jayme garante que Taques vai subir no palanque


Com um ano e meio de mandato, a ser completado um mês após o pleito eleitoral em outubro, a prefeita de Várzea Grande Lucimar Campos  já decidiu disputar a reeleição e deve comunicar  o DEM oficialmente na reunião marcada para sexta (22). A candidatura espera receber apoio do governador Pedro Taques (PSDB). A informação foi confirmada pelo marido da democrata, o ex-senador Jayme Campos (DEM). 

“Lucimar decidiu colocar o nome à disposição para buscar outro mandato porque ainda tem muito para ser feito em Várzea Grande. É mais uma possibilidade que será avaliada pelo DEM já que outra liderança manifestou desejo de concorrer”, declarou Jayme em entrevista ao

Gilberto Leite/Rdnews

Lucimar campos_gilberto leite (2).JPG

Jayme diz que, além de Lucimar, DEM também deve avaliar nome do presidente da sigla, Gonçalo

Jayme também disse que, apesar do PSDB ter lançado a pré-candidatura a prefeito do empresário William Cardoso, o governador teria assegurado apoio à reeleição de Lucimar. O comunicado, segundo Jayme, foi feito pelo chefe da Casa Civil Paulo Taques, na semana passada, em almoço na residência do democrata. 

“O William Cardoso é um rapaz de excelente qualidade, mas o governador se comprometeu a apoiar Lucimar. (...) Acredito que chegaremos ao entendimento com o PSDB”, completou Jayme.

De acordo com Jayme, o DEM também deve avaliar o nome do presidente do Diretório Municipal, Gonçalo Almeida, como possível candidato a prefeito. O dirigente foi vereador, presidiu a Câmara de Várzea Grande e comandou a secretaria de Obras na gestão de Nereu Botelho. 

Além disso, o DEM vai avaliar a lista de pré-candidatos a vereador e as possíveis coligações. Somente aliança com o PT está vetada por determinação do Diretório Nacional. 

A convenção do DEM será realizada em 5 de agosto. Até a data, a direção partidária pretende intensificar o diálogo com os possíveis aliados. 

Lucimar assumiu a prefeitura em 7 de maio de 2015 por determinação da Justiça Eleitoral. Segunda colocada nas eleições de 2012, com 44.286 mil votos (32,87%), chegou à chefia do Executivo porque o primeiro colocado Walace Guimarães (PMDB) acabou cassado por suspeita de caixa 2 na campanha. 

Justiça cassa o mandato de Walace; Lucimar assumirá a Prefeitura de VG

 Contando com Lucimar e William Cardoso, que recebeu apoio do vice Arilson Arruda (PSD),  Várzea Grande tem, até hoje, cinco pré-candidatos a prefeito. A lista inclui o deputado estadual Pery Taborelli (PSC), o empresário Wilson Grafite (PSB) e o vereador Kalil Baracat (PMDB). 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • MARCOS | Quinta-Feira, 21 de Julho de 2016, 16h47
    7
    2

    O TREM DE TABORELLI VAI PEGAR VCS CAMPOS

  • MANÉ | Quinta-Feira, 21 de Julho de 2016, 15h34
    6
    2

    SE O CORONEL SARUE DISSE QUE DEVEMOS ANALISAR TAMBÉM O PRESIDENTE DO PARTIDO GONÇALO ALMEIDA ELE DEU A ENTENDER QUE QUE SE TABORELY FOR REALMENTE CANDIDATO ELE TIRA A CURICA LUCIMAR DO PAREO E OUTRA DEPOIS DESSA PRISÃO DO PERMINIO NO PALANQUE QUE O TAQUES SUBI O PALANQUE CAI E O CANDIDATO CAI QUE ATÉ ESBORRACHA, GENTE QUEM CONHECE JAYME QUE COMPRA ELES CAMPOS NÃO VÃO EM BOLA DIVIDIDA, ATÉ HOJE ELES SÓ PEGARAM GALINHA MORTA NA DISPUTA, EU ACHO QUE A CURICA CORRER, QUEM VIVER VERÁS, EU VOTO KALIL.

  • Benedita Arruda | Quinta-Feira, 21 de Julho de 2016, 11h45
    3
    10

    Ainda bem que Lucimar Chegou para arrumar a cidade. Voto nela e todos do quarteirão de casa já me disseram que votam nela. È a corrente forte de união em Várzea Grande.

| 21/07/2016, 07h:36 - Atualizado: 21/07/2016, 07h:45

Política, mulheres e cotas

maria rita colunista

Maria Rita Uemura

Dos 195 países ou territórios existentes no mundo menos de 60 são ou já foram governados por mulheres. Atualmente menos de 20 países têm o gênero feminino liderando, ou seja, apenas 10% dos governos mundiais são chefiados por mulheres. Levando em consideração que o sexo feminino representa quase metade da população e da força econômica da Terra dá para notar como o gênero é pouco representado politicamente.

Em março deste ano, a Justiça Eleitoral brasileira lançou na grande mídia uma campanha publicitária voltada a demonstrar à população essa absurda disparidade. Os motivos para isso são diversos e nem cabe aqui enumerá-los. Deixo apenas uma informação histórica relevante: a mulher só teve direito a voto no Brasil a partir do ano de 1932. Para isso, ela deveria ser casada e com autorização do marido. Podiam votar também as viúvas e solteiras que tivessem renda própria. Sendo assim, as mulheres votam no Brasil há apenas 84 anos.

Da era Vargas para o século 21 diversas leis foram criadas com o intuito de diminuir esta grande diferença. Entre elas criou-se um sistema de cotas para a inscrição de candidatos a cargos do sistema proporcional nas esferas municipais, estaduais e federal. Assim cada partido ou coligação deve apresentar, do total de candidatos, o mínimo de 30% e o máximo de 70% de cada sexo, para vereadores, deputados estaduais e federais.Outra conquista das mulheres é a lei que destina um tempo mínimo 20% da propaganda eleitoral voltada a participação feminina.

Particularmente não gosto da manutenção de cotas como única forma de corrigir uma desigualdade histórica. Acredito que possa ser uma ferramenta pontual e pertinente, porém com data de validade. Basta analisar os números de mulheres que se candidatam no país e as que efetivamente são eleitas. Apesar de representarem 30% das candidaturas, na média, apenas 10% se elegem. 

Sendo assim, as cotas já cumpriram o seu papel neste processo e sua manutenção não ajudará em nenhum avanço. Está na hora de mais mudança. É preciso criar discussões e ambientes propícios para o surgimento de mulheres líderes. Mas infelizmente nem o que está na lei é cumprido na totalidade. Três dias atrás o TRE multou 10 partidos por descumprimento do tempo mínimo de propaganda eleitoral “feminina” em Mato Grosso. Quando nem o que é obrigatório é levado a sério fica difícil acreditar que novas medidas neste sentido podem surgir.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

| 21/07/2016, 07h:32 - Atualizado: 21/07/2016, 08h:11

Eleições e era do marketing político digital

Maria Augusta artigo

Maria Augusta Ribeiro

Eleições em que candidatos eram munidos de campanhas de marketing caras, excesso de photoshop e discursos espetaculares para garantir um lugar ao sol não existem mais. O eleitor mudou e o cenário digital agora será palco de campanhas em tempo real.

Com a popularização da internet wi-fi, o acesso à educação online e à vida via redes sociais farão com que os candidatos também migrem para este universo, onde o virtual tem que ser real.

Palavras de ordem como “eu vou trabalhar em prol da educação, saúde e segurança” não colam mais, e os candidatos deverão ter em mente que, se não for objetivo, autêntico e rápido, ficará para trás.

Qualquer eleitor, por mais simples que seja, tem um smartphone com acesso à internet e Facebook, e estará atento ao que for publicado pelo candidato. Quem não representar gerações de nativos digitais estará fora da disputa, e o máximo que fará serão memes com a sua cara. Sim, meu caro candidato, uma vez que fizer bobagem, falar asneira e burlar sistemas, terá alguém se encarregando de publicar na internet e virará piada facilmente.

Se pudesse dar um bom conselho, este seria: candidato, contrate profissionais habilitados em marketing digital, eles serão especialistas em planejamento, codificação e desenharão estratégias para fazer com que seja visível no universo digital.

Quem acredita que o marketing digital é formado pelo sobrinho que entende de internet, ou que pagar anúncio no Facebook é garantia de sucesso, helllooo! Você já está fora do páreo!

Se entende que, na periferia, ninguém se importa ou não irá ver suas campanhas nas redes sociais de péssima qualidade. Entenda: somos 3 bilhões de pessoas conectadas na internet, e metade delas tem Facebook. Fez bobagem ali, o povo faz post aqui.

Em tempos de crise econômica, Operação Lava-a-Jato e afins, o marketing digital politico é a ferramenta barata, essencial, e que pode conquistar o eleitor, mas deve ser feito por profissionais qualificados.

Acreditem: a internet tem poder de mudança na campanha eleitoral 2016 sim, e se for feita com qualidade, pode dar visibilidade a propostas políticas objetivas, amplificar o que um candidato faz pela sociedade, e ainda conquistar eleitores engajados.

Maria Augusta Ribeiro é especialista em Netnografia e coordenadora de Comunicação da BPW Brasil - belicosa555@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Carlos Nunes | Quinta-Feira, 21 de Julho de 2016, 09h12
    1
    1

    Nas próximas eleições municipais, nós, os eleitores, os verdadeiros donos do Poder através do voto, só temos que mudar é a nossa Mentalidade Política, e saber que...Eleição é igual Departamento de Pessoal, podemos Demitir e Contratar pessoas para nos representar, elas são só NOSSOS EMPREGADOS. Quem vamos Demitir e Quem vamos Contratar para ser o prefeito e o vereador, eis a questão. Ontem os telejornais deram um susto no cidadão...depois que o governo da Dilma afundou a Economia Brasileira, colocou-a no buraco fundo; vem aí as MEDIDAS IMPOPULARES do Temer, tais como: Terceirização em Geral, mexida na Previdência, e nos direitos trabalhistas, etc. Tudo para ferrar o trabalhador. Na Terceirização, o que era público, pois é mantido com o dinheiro do nosso impostos, não vai ser mais, vamos ter um sócio privado. Na Previdência, vai aumentar o número de anos necessários para aposentar, exemplo: a mulher que hoje aposenta com 60 anos, vai passar a aposentar com 65 anos. Será que vai aumentar a idade dos homens? De 65 para 70...bem aí o cara aposenta com 70 anos, vive mais alguns anos e morre, e deixa tudo pró governo. Já nos direitos trabalhistas, ontem nos telejornais, apareceram vários especialistas a favor, mais o que será que vão fazer com o trabalhador? Pois é, o governo do PT transformou o Brasil numa espécie de Grécia NA MARRA...e é o trabalhador que vai pagar a conta. Se o Temer mostrasse como serão essas MEDIDAS IMPOPULARES, antes das eleições municipais, o PMDB perdia em todo lugar - PT por ter afundado o país, e PMDB por querer dar o remédio amargo ao povo. Mas como ele não é besta, vai anunciar as medidas depois das eleições é claro. Como seguro morreu de velho...é bom nas próximas eleições não votar em nenhum candidato desses partidos...vem aí as MEDIDAS IMPOPULARES do Temer. Tá igual aquele famoso filme do Mel Gibson: O TROCO...tem que dar o troco neles naquilo que eles mais gostam...O PODER, que é nosso, e nós só emprestamos.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 732