Cuiabá, 27 de Agosto de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Gabriele Schimanoski

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriele Schimanoski

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Larissa Malheiros

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Larissa Malheiros

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

| 27/08/2014, 07h:44 - Atualizado: 01h atrás

2º turno com qualquer um dos três

vinicius_artigo_quarta

Vinicius de Carvalho

Uma análise de autoria do jornalista Romilson Dourado, publicada pelo Rdnews na semana passada, sobre a estratégia dos candidatos a governador suscitou um debate importante, do qual quero participar. Antes de entrar na questão propriamente política, quero fazer uma observação.

Minhas ponderações baseiam-se no quadro atual de candidaturas, seus resultados nas pesquisas de intenção de voto e potencial de crescimento. Quer dizer, é uma avaliação estritamente política. Não me aterei a questões jurídicas sobre a continuidade ou não de candidaturas, que são objeto de questionamento na Justiça Eleitoral. Feita esta consideração, vamos aos pontos. 

Como já venho apontando há algum tempo, vejo grandes possibilidades de termos um inédito enfrentamento em segundo turno para Governador em Mato Grosso. Ao fazer uma média das quatro principais pesquisas já divulgadas (Mark Freitas, Gazeta Dados, Vetor e Ibope) encontramos 33,5% para o senador Pedro Taques, 15,5% para Lúdio Cabral e 14% para o deputado José Riva. Apenas por estes números é possível vislumbrar uma situação de empate técnico entre o líder nas pesquisas (Pedro Taques) e os demais candidatos somados, que atingem 29,5%, além dos candidatos com menor pontuação (Muvuca e José Roberto). 

Quando olhamos a votação espontânea vemos um grande ainda muito volatilizado. A votação espontânea é avaliada por especialistas em pesquisas eleitorais como voto sedimentado e de difícil reversão. Também neste caso vemos Pedro Taques com uma média de cerca de 20% e Lúdio e Riva com números inferiores a 10%. Este quadro dá uma liderança grande para Taques e o coloca numa posição muito confortável para passar ao segundo turno, mas não o garante. Temos, ainda, um elevado percentual de eleitores indecisos para esta disputa. Com a entrada no ar do horário eleitoral e dos debates, a campanha eleitoral de fato começa a envolver a população. 

Outro fator ainda agregar e que é que o Senador Pedro Taques é o único dos candidatos a Governador que já disputou uma eleição majoritária estadual. Lúdio concorreu apenas a pleitos proporcionais e a Prefeitura de Cuiabá e Riva só a Prefeitura de Juara e contendas para deputado estadual. Esta característica coloca Taques numa situação de maior conhecimento do eleitorado em relação a seus adversários mais diretos. 

Outro aspecto que não pode desprezado é que o senador Pedro Taques está com sua pré-candidatura posta desde pelo menos a eleição de 2010. Sua vitória surpreendente, com votação expressiva, o colocou numa posição de grande favoritismo desde então. Já Riva e Lúdio tiveram suas candidaturas confirmadas no final do prazo das convenções. Eles teriam, portanto, bom potencial de crescimento, podendo ambos superar a marca de 20%. 

No caso de Riva uma forte barreira para um possível crescimento são os elevados índices de rejeição identificados pelas pesquisas, sempre na faixa de 20% a 30%. Este também, em caso de ida ao segundo turno, pode ser um facilitador para o seu eventual adversário. 

Diante deste quadro, pontuo que a estratégia traçada pelas campanhas de Lúdio e Riva é a mais correta, no sentido do estabelecimento de um pacto de não-agressão e de centrar as baterias no líder as pesquisas. Ambos compõem a base tanto do Governo do Estado quanto do federal e têm como principal interesse a realização do segundo turno. De acordo com a evolução das intenções de voto mais à frente poderia haver uma disputa mais acirrada deles sobre quem passa. Ou, num cenário menos provável mas possível, um segundo turno entre os dois.  Acompanhemos os próximos fatos. 

Vinicius de Carvalho Araújo é gestor governamental do Estado, mestre em História Política, professor universitário e escreve neste Blog toda quarta-feira vcaraujo@terra.com.br www.professorviniciusaraujo.blogspot.com

Postar um novo comentário

| 26/08/2014, 19h:00 - Atualizado: 3min atrás

Ao vivo, secretário de VG, Roldão Lima


.

roldao_vg.jpg

Roldão Lima Junior, que é secretário de 3 pastas em VG, participa ao vivo do RDTV desta 4ª - participe

O RDTV desta quarta (27) conta com a participação ao vivo do secretário Especial de Gabinete e da Copa em Várzea Grande, Roldão Lima Junior, para revelar os avanços registrados na atual administração, comandada por Walace Guimarães (PMDB). O gestor ainda vai falar sobre as mazelas do município na área de infraestrutura já que ele responde também pela pasta de Serviços Públicos e Transportes e como está o relacionamento com o Governo do Estado no intuito de garantir o desenvolvimento da cidade.

Os interessados em participar dessa entrevista, que começa ao vivo às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz a repercussão do primeiro debate realizado entre os candidatos ao Governo de Mato Grosso, transmistido pela TV Record (canal 10).

Postar um novo comentário

| 26/08/2014, 18h:02 - Atualizado: 26/08/2014, 18h:02

Uma Câmara sob controle de Júlio Pinheiro


Fernando Ordakowski

charge_julio_pinheiro.jpg

Vereador Júlio Pinheiro (PTB) pela 3ª vez é eleito presidente da Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá

É intrigante e causa preocupação o fato de um parlamentar com perfil de Júlio Pinheiro conseguir se “segurar” na presidência da maior Câmara Municipal do Estado. Não conta com credibilidade perante a opinião pública, vive se envolvendo em confusão e em conchavo com os vereadores. Esta é a terceira vez que Pinheiro se elege à presidência da Câmara de Cuiabá, o que o credencia a controlar um duodécimo de R$ 34,3 milhões. Júlio Pinheiro nunca conseguiu se eleger com votação expressiva. Começou na suplência, ganhou condição de titular e, em 2012, foi eleito com 3.426 votos. O Legislativo cuiabano, que alimenta o conceito negativo por causa de escândalos envolvendo alguns vereadores, tem esperança de melhorar a imagem curiosamente tendo na presidência um Júlio Pinheiro.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Victor Luis | Quarta-Feira, 27 de Agosto de 2014, 06h31
    0
    0

    Victor Luis, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Rogeria | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 18h10
    5
    0

    Bom lembrar que o Julio Pinheiro apoia o digníssimo senador da justiça

Repercussão | 26/08/2014, 16h:41 - Atualizado: 26/08/2014, 16h:53

Riva diz que esperava decisão e se prepara para retorno, após viagem de campanha


Iara Rezende/Rdnews

riva_repercussao_STJ_interna.jpg

Deputado Riva retoma comando da AL

O candidato ao Governo, deputado estadual José Riva (PSD), afirma que já esperava o resultado da decisão do ministro Og Fernandes, do STJ, que autorizou o retorno do social-democrata à presidência da Assembleia. Segundo ele, sempre acreditou na decisão, em função da não oportunização das provas. “Não vi a decisão ainda, mas acho normal”, declara em entrevista ao Rdnews.

Conforme o parlamentar, depois de uma viagem de campanha vai avaliar a situação com sua equipe, mas ressalta que provavelmente retomará ao posto na próxima sessão, após o compromisso. O deputado Romoaldo Júnior (PMDB) ocupava o cargo até então.

Afastado a 15 meses da presidência da Assembleia, Riva teve o registro de candidatura indeferido devido às condenações na Justiça por improbidade administrativa. Agora, após a decisão do STJ, terá argumentos para convencer o TSE a reformar a decisão do Tribunal Regional Eleitoral, que barrou a candidatura.

Afastado há 15 meses, Riva obtém liminar e volta a comandar AL

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • NILSINHO 4 MARCOS | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 22h44
    4
    4

    Em primeiro lugar quero parabenizar o colega Pedro pelo seu comentário, outra coisa é o Governador RIVA 55, não tem essa de depois de uma viagem de campanha vai avaliar a situação com sua equipe... V. Excelência vai voltar já com toda honraria que é de direito, e mandar para o horário eleitoral assim, RIVA 55 depois de quinze meses injustiçado a verdade chega a tempo. O que a mídia fez quando pediram seu afastamento terá que ser feito agora com o retorno, essa noticia tem que chegar nos 141 municípios. Será que vou ter que ir pra Cuiabá pra ajudar nessa coordenação.

  • José da Rocha Filho | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 20h34
    7
    1

    Pedro, duas observações: 1- Primeiro você tem razão quanto as lacunas da justiça. Se assim não fosse, não teríamos um candidato com 118 processos e 4 condenações nas costas querendo ser governador; 2- Lamentavelmente o nível de conhecimento da maioria dos eleitores é baixa. Falta de informação devida à questões sobre as quais já escrevi aqui. Portanto, a urnas refletem é esse grau de desconhecimento dos eleitores. Fosse a população esclarecida e nem com as lacunas da justiça determinados políticos conseguiriam se manter na vida pública.

  • Moreira | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 19h41
    6
    2

    Riva nunca deixou de ser presidente de ALMT, pois todos ali são subordinados a ele. Nada de novidade, a podridão alí é bem maior que no governo de silval.

  • Júlio Santos | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 17h23
    19
    13

    Qual é a novidade? Por acaso o Riva deixou de ser presidente por pelo menos um dia?

  • LIND BERG MOREIRA | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 17h23
    15
    16

    CONTINUA FICHA SUJA, Tem nada a ver uma coisa com outra, Riva continua impugnado agora pelo TSE, adeus Riva. Agora tem que preparar para ARARATH 6 quem vem ai dentre de poucos dias. STJ é a terceira instância, a lei diz condenado na 2ª instância (TJ)

  • Pedro | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 17h12
    19
    10

    Seguinte...deixe quem quiser colocar o seu nome á disposição da população que o faça, e a população que os julgue, isso sim é um Estado Democrático, pois infelizmente nos bastidores da justiça existem várias lacunas e influências já as urnas refletem a vontade do povo para o povo, essência da democracia.

Rumo às urnas | 26/08/2014, 14h:26 - Atualizado: 26/08/2014, 16h:53

Mauro diz que não pede votos para Aécio e garante fidelidade à candidatura de Marina


Davi Valle

mauro aeciohj26

 Mauro Mendes acompanhou Aécio em Cuiabá, mas garante fidelidade à candidatura de Marina Silva

Após rumores de possível apoio ao candidato à presidência da República Aécio Neves (PSDB), o prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) se defende e afirma que seguirá orientação do PSB nacional. “Eu sou do PSB e a candidata do nosso partido é a Marina Silva, vamos apoiá-la, todos nós conhecemos as circunstancias eleitorais que levaram a isso”, afirmou.

Esse possível mal estar se deu após a participação do prefeito Mauro Mendes no ato pró-Aécio, em Cuiabá, na última terça (19). “Eu nunca disse que pediria voto para o Aécio, nós fizemos um acordo para recebermos bem e de braços abertos todos aqueles que estariam no palanque ao lado do candidato a governo do Estado, Pedro Taques (PDT), um palanque aberto em prol dos interesses da nossa coligação”, justificou Mauro.

Mauro lembrou também que seu discurso durante o ato foi de estadista, representando o Executivo municipal. “Aécio Neves é um senador da República, um candidato a presidência e eu como prefeito da Capital tenho o dever de receber bem aqui todas as autoridades políticas”, complementou.

 Quando questionado se subiria no palanque da candidata à presidência da República Dilma Rousseff (PT) caso fizesse uma visita a capital mato-grossense, o dirigente do PSB foi enfático. “Ela não faz parte da minha coligação. Se for um encontro eminentemente político eu não estarei lá, pois, o meu partido não está coligado regionalmente e nem nacionalmente com o partido da presidente Dilma”, finalizou. 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • eduardo abreu | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 20h05
    1
    1

    Mauro mendes percebeu o crescimento vertiginoso de marina silva, mas, antes tarde do que nunca....Marina Presidente representar uma nova forma de governar, considerando a ética, a transparência administrativa e a sustentabilidade ambiental. enquanto por aqui, grande parte dos candidatos ao governo do estado teimam em negligenciar a questão ambiental, e fazer coro com setores econômicos que sempre viram o meio ambiente como empecilho ao desenvolvimento, o que é um ledo engano, até porque as atividades agropecuária precisa de água, de ar e da evapotranspiração da florestal, está tudo interligado nesse planeta, portanto não dá para pensar em desenvolvimento sem avaliar as consequências sobre o equilíbrio ecológico tão tênue que envolve a terra. Sigam o exemplo da marina, é possível ganhar votos sendo responsável ambiental e priorizando a sustentabilidade na plataforma governamental.

  • Diniz Miranda | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 18h18
    5
    3

    Sábado,dia 30/08/14 - ás 8 HS - II ADESIVAÇO DA MARINA LOCAL. Av. Mato Grosso Militância da REDE DE SUSTENTABILIDADE

  • Juliano Costa | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 18h13
    6
    2

    O Mauro é um oportunista isso sim. Sempre do lado do que convém aos seus interesses.

| 26/08/2014, 13h:53 - Atualizado: 26/08/2014, 14h:31

Em VG, Taques denuncia a inexistência de políticas públicas voltadas aos moradores


Assessoria

Taques VG

 Pedro Taques, candidato ao Governo pelo PDT, participou de caminhada na avenida Couto Magalhães

O candidato ao Governo pela coligação Coragem e Atitude pra Mudar, Pedro Taques (PDT), visitou o comércio da avenida Couto Magalhães, nesta segunda (25), em Várzea Grande. O ato político reuniu cerca de 500 pessoas, que se mostraram solidárias ao compromisso de mudança assumido pelo pedetista. “O governo tem o compromisso de melhorar a qualidade de vida das pessoas não só em Várzea Grande, mas em todas aquelas que padecem de políticas públicas ineficientes ou inexistentes”, explicou.

A comerciante Ana Maria, 57 anos, é uma das várzea-grandenses que apoia o projeto político. Para ela, a boa imagem de Taques vem dos tempos em que atuava como procurador da República e o credencia a assumir a cadeira principal do Executivo estadual.“Ele tem todas as condições de ser governador. É claro que vai pegar uma bomba, muita sujeira que vai ser deixada por esse governo atual, mas é o único que tem capacidade de mudar essa situação”, completa.

Na companhia do pedetista, o senador Jayme Campos (DEM), cuja base eleitoral é o segundo maior do Estado, também destacou a postura do candidato como fator propulsor para o grande número de adesões que vem recebendo ao longo da corrida eleitoral. O democrata afirmou que “as portas do município estão abertas” para o projeto de Taques.

Pedro Taques tem intensificado o “corpo a corpo” em locais públicos, com o objetivo de dialogar com os cidadãos e descobrir quais os pleitos mais urgentes, de modo que a população contribua com sugestões ao plano de governo.(Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • DONA BENEDITA | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 17h26
    5
    5

    TADINHA DA MINHA VARZEA GRANDE, ASSOLADA PELA PESSIMA GESTAO DA FAMILIA CAMPOS E AGORA A CONTINUIDADE COM O SENADOR PEDRO. DEUS NOS SALVE

  • Angela Barros | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 16h05
    4
    4

    Infelizmente minha VG é uma terra sem lei :(

| 26/08/2014, 10h:31 - Atualizado: 26/08/2014, 14h:30

Wellington se reúne com Silval para definir 1º suplente; Yanai e Ferrarin são cotados


jorge_yanai.jpg

Jorge Yanai pode ser suplente de Wellington

O cargo de primeiro suplente da vaga na chapa ao Senado encabeçado por Wellington Fagundes (PR) segue vago. Após a desistência de Sidnei Bellincanta (PR), cotado para o posto, o partido enfrenta dificuldade para encontrar o substituto de José Ramalho (PR), que foi "barrado" devido pendências com a Justiça Eleitoral. Por enquanto, o senador Blairo Maggi e Wellington “batem o pé” e querem alguém do PR. O prazo para a escolha da suplência se encerra nesta quarta (27).

Por outro lado, o governador Silval Barbosa (PMDB) e o prefeito de Sinop, Juarez Costa (PMDB), coordenador da campanha do petista Lúdio Cabral no Nortão, indicaram o médico Jorge Yanai e Rogério Ferrarin, ambos do PMDB. O nome dos dois já apareceu neste pleito. O primeiro, inclusive, foi cogitado para a vaga de suplente, mas acabou sendo preterido. O fato, inclusive, gerou mal estar entre o grupo e Juarez, mas, depois, foi contornado. Ferrarin, por sua vez, refutou da ideia de disputar esta eleição quando foi convidado para ocupar a vaga de vice na chapa de Lúdio.

Diante do cenário, antes da definição,  Wellington se reúne com Silval ainda hoje (26). O peemedebista estava em viagem a São Paulo. Com o nome cotado para ocupar a vaga, Yanai se mostra confiante e não pensaria duas vezes para aceitar o convite. A decisão de sua escolha pode pesar o fato de ser médico e representante da região Norte, além de ter sido indicação de Juarez. “Até agora não recebi nenhum contado, mas vejo com muita importância representar Mato Grosso no Senado”, ressalta.

 Jorge Yanai reside há 35 anos em Sinop, onde possui um hospital. Na vida pública o peemedebista foi deputado federal (91 a 94), bem como suplente de senador na chapa de Jonas Pinheiro (Falecido), em 2010. Yanai ocupou o Senado por pouco mais de quatro meses e enfatiza que atuou, principalmente, na área de logística. “Tive um foco especial nas hidrovias”, salienta.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Julio César | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 16h09
    5
    3

    Zeca Chiarelli do PR e o melhor nome. Yanai não, e devagar demais, não tem opinião própria.

  • Julio César | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 16h06
    5
    3

    Zeca Chiarelli do PR e o melhor nome. Yanai não, e devagar demais, não tem opinião própria.

| 26/08/2014, 09h:08 - Atualizado: 26/08/2014, 09h:11

Pacifistas ou vingadores?

olga_artigo_domingo

Olga Lustosa

Desde o estabelecimento dos primeiros “estados”, a conquista ou retomada de um lugar, dá-se no curso das guerras, o que aconteceu até mesmo com tribos indígenas, como os Yawalapiti que foram atacados, sofreram baixas e mudaram-se muitas vezes, até se estabelecerem no Parque Indígena do Xingu.

A história tem se repetido insistentemente em eventos similares por toda parte do mundo e as cenas bárbaras exibidas na mídia recentemente ( pessoas decapitadas, corpos exibidos crucificados) faz-me crer que não há nenhuma maneira possível para corrigir esses problemas a curto prazo. A intolerância, o racismo, o nacionalismo exacerbado, sempre estiveram incorporados em muitas das nossas instituições e poucas são as pessoas que estão seriamente comprometidas em discutir a justiça social e trabalhar na construção da paz duradoura. É visível que o engajamento humanitário é superficial e serve apenas para agitar a opinião pública e tirar à atenção das intenções reais que movimentam a grande industria da guerra. Mostram aviões jogando caixas com comida e água para os que se refugiaram nas montanhas, mas esses mesmos aviões jogam também armas, com as câmeras desligadas.

Os Estados Unidos gastam com armamentos mais do que os 10 países que mais gastam juntos. O governo Frances e o Alemão anunciaram que vão também enviar armas para o Iraque. E para que servem as armas senão para matar pessoas?

Os homens aprenderam com a história que eles podem ocupar um país, que não o seu, por muitos anos, mas nunca para sempre. Um dia precisam desocupar e apelar para providencias pacíficas aos organismos internacionais. Os países estão fazendo novos arranjos geográficos e políticos, mudando de um grupo de apoio para outro, trocando uma oligarquia por outra, igual a passada. A democracia, os direitos civis continuam um sonho distante para muitos, porque os países poderosos, por interesse econômico e estratégico, apoiam governos que não são democráticos. Sabemos que não há anjos governando países e alguns países, segundo comentaristas irônicos, não são propriamente países, mas corporações internacionais.

As guerras custam muito dinheiro, que poderia ser investido em ações sociais, desenvolvimento sustentável. A novidade agora são as mulheres que aderiram ao trabalho nas zonas de guerras, como forma de se manterem vivas. Fico a pensar como crescerão os órfãos da guerra; que sentimentos florescerão em seus corações; se apelarão para a paz ou ressurgirão vingadores, para enfrentar o mesmo inimigo, como soldados, militantes e extremistas.

Os atos de barbárie da guerra foram rapidamente imitados por aqui. Numa rebelião na Penitenciária de Cascavel, Paraná, dois detentos foram decapitados. Tristes trópicos!

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

 

Postar um novo comentário

| 25/08/2014, 19h:55 - Atualizado: 26/08/2014, 09h:19

RDTV traz detalhes do 1º confronto entre candidatos ao Governo de Mato Grosso


Gazeta

debate_gazeta

RDTV traz detalhes de 1° debate dos candidatos ao Governo nesta 3ª; ao vivo, presidente do Sindspen

O RDTV desta terça (26) traz ao vivo, a partir das 8h30, os detalhes do 1º debate entre os candidatos ao Governo de Mato Grosso realizado pela TV Record (canal 10), do Grupo Gazeta de Comunicação, e que foi retransmitido pela webtv. A equipe do programa acompanhou os bastidores do confronto entre os postulantes ao Palácio Paiaguás: Lúdio Cabral (PT), Pedro Taques (PDT), José Riva (PSD), José Marcondes (PHS), o Muvuca, e José Roberto (PSOL).

Ainda uma entrevista ao vivo com o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários de Mato Grosso, João Batista de Souza, para revelar as condições de trabalho nas unidades prisionais do Estado.

Os interessados em participar dessa entrevista, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Postar um novo comentário

| 25/08/2014, 19h:03 - Atualizado: 25/08/2014, 19h:20

Retransmissão do debate pelo RDTV gera inúmeros comentários e discussões no chat


Mais uma vez, o RDTV, webtv do grupo RDNews, marca posição na cobertura da política mato-grossense. O canal retransmitiu na manhã desta segunda (25), simultaneamente, por meio do endereço www.tv.rdnews.com.br, o debate promovido pela TV Record Canal  10, do Grupo Gazeta de Comunicação, entre os cinco candidatos ao Governo, embate conduzido pelo jornalista Antonio Carlos e Silva. Além da transmissão, o grupo Rdnews também contribuiu com o debate. Teve participação do jornalista Jacques Gosch, editor do portal, no primeiro bloco do programa.

Internautas de qualquer lugar do mundo puderam acompanhar e comentar, por meio do chat do programa, o primeiro confronto dos postulantes ao Palácio Paiaguás: Lúdio Cabral (PT), da base situacionista e da coligação “Amor a Nossa Gente”; Pedro Taques (PDT), oposicionista e da aliança “Coragem e Atitude para Mudar”;  José Riva (PSD), apontado como terceira via e da coligação “Viva Mato Grosso”; José Marcondes (PHS), o Muvuca, da coligação “Mobilizar e Humanizar” e ainda José Roberto (Psol), que defende uma candidatura independente. Dezenas de pessoas permaneceram por um bom tempo fazendo comentários no chat, enquanto transcorria o debate. E até travaram discussões acirradas em defesa desse ou daquele candidato.

Davi Valle/Rdnews

debate tv record

Candidatos Pedro Taques, Lúdio Cabral, José Riva, o mediador Antonio Carlos, Muvuca e José Roberto

Postar um novo comentário

confronto na TV Record | 25/08/2014, 16h:55 - Atualizado: 26/08/2014, 10h:02

Apesar de "esquentar" no estúdio, debate de candidatos fica morno nos bastidores


Davi Valle

debate_bastidores_2.jpg

Vice de Lúdio ao Governo, teté Bezerra "tricotando" com o candidato a senador Wellington Fagundes

O primeiro debate entre os cinco candidatos a governador, realizado pelo Grupo Gazeta, retransmitido pelo RDTV, nesta segunda (25), esquentou somente no último bloco, quando os candidatos Lúdio Cabral (PT) e José Riva (PSD) voltaram às baterias contra o adversário Pedro Taques (PDT). Apesar disso, foi “morno” nos bastidores. A tranquilidade resultou do acordo firmado entre as coordenações das campanhas, vetando a aglomeração de cabos eleitorais nas imediações da TV Record e restringindo o acesso somente aos assessores mais próximos. Tudo para evitar desde transtornos no trânsito até o acirramento dos ânimos.

A direção do Grupo Gazeta reservou salas para as assessorias dos candidatos assistirem ao debate em espaços privativos. Integrantes da cúpula da campanha do Lúdio, entretanto, preferiram ficar no saguão que dá acesso ao estúdio onde ocorreu o confronto. A candidata a vice Teté Bezerra (PMDB), a esposa de Lúdio Ana Regina, o coordenador jurídico José do Patrocínio, o marqueteiro Carlos Rayel e o deputado federal Valtenir Pereira “não arredaram o pé do saguão”, onde a imprensa aguardava o desfecho do debate. Gustavo Vandoni, responsável pelo marketing da campanha de Taques, também acompanhou o debate naquele local. 

Davi Valle

debate_bastidores_1.jpg

Esposa de Lúdio, Ana Regina, ao lado do deputado Valtenir Pereira, posa para foto durante debate

O prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) chegou na comitiva de Taques e foi acomodado na sala do diretor-presidente do Grupo Gazeta Dorileo Leal. O socialista, que saiu antes do término do embate, alegando compromissos da prefeitura, avalia que os candidatos tiveram a oportunidade de falar sobre os temas mais relevantes que interessam ao eleitor mato-grossense. “Certamente alguns temas extrapauta, que se referem às vidas pessoais ou pregressas dos candidatos, também podem e devem ser debatidos”.

O candidato a senador Wellington Fagundes (PR) chegou acompanhando Lúdio, mas deixou o local logo no início do debate. Ao retornar, já no penúltimo bloco, explicou se ausentou para tratar da indicação do novo primeiro suplente da chapa junto ao senador Blairo Maggi (PR) e outras lideranças republicanas.

Outra figura que atuou nos bastidores foi o Procurador Mauro (PSOL), hoje disputando vaga na Câmara Federal, que acompanhava o candidato a governador José Roberto (PSOL). José Marcondes, o Muvuca (PHS), foi o único que dispensou acompanhantes.

Esposas

Ao contrário de Ana Regina, Janete Riva e Samira Martins, esposas de Riva e Taques, respectivamente, apareceram somente no início e após o final do debate para acompanhar as entrevistas dos maridos. O vice de Riva, Aray Fonseca (PSD), permaneceu todo tempo na sala reservada. O vice de Taques, Carlos Fávaro (PP), sequer compareceu na TV Record.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Ronaldinho CPA | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 23h19
    8
    4

    Dr. Lúdio Cabral se mostrou o mais preparado para governar. Deu vergonha dos outros na TV. Parabéns ao RDNews pela cobertura.

| 25/08/2014, 15h:48 - Atualizado: 25/08/2014, 15h:49

Durante debate, Lúdio tenta "descolar" imagem do governo Silval e ressalta Dilma


Davi Valle

ludio_debate_3.jpg

Lúdio, candidato pelo PT, chega acompanhado pela família, pela vice Teté e por Wellington Fagundes

O candidato petista Lúdio Cabral tentou “descolar” a sua imagem do desgaste vivido pelo Governo Silval Barbosa (PMDB) e reforçou a sintonia com a gestão Dilma Rousseff (PT). Em debate realizado pela Record e retransmitido pelo RDTV, o petista, por pelo menos três oportunidades, se esquivou e vendeu a imagem de que representa um novo ciclo no Estado, um novo modelo de governar.

O posicionamento ficou claro quando foi questionado sobre o caos na Saúde e as obras da Copa, classificadas como mal feitas pelo candidato José Roberto (PSOL). Assim, Lúdio buscou evitar que a rejeição da gestão Silval, seu principal apoiador, respingue em sua campanha. O discurso do petista, entretanto, é contraditório. Acontece que ele se apresentou como um novo governo, mas é justamente o candidato de Silval. O momento mais tenso foi quando Pedro Taques (PDT) elencou uma série de falhas do governo, reforçou a ligação de Lúdio com o peemedebista e perguntou se tinha solução para as falhas.

Davi Valle

ludio_debate_1_.jpg

Lúdio Cabral tenta se desvincular de Silval

Visivelmente irritado, Lúdio reclamou que Taques se vende como o novo, no entanto, tem em seu palanque representantes de antigas gestões como os ex-prefeitos de Cuiabá Wilson Santos (PSDB) e Chico Galindo (PTB), além do atual gestor Mauro Mendes (PSB). Depois, protestou que a secretaria de Saúde de Cuiabá é comandada por pessoas indicadas por Taques. Na réplica, o pedetista ironizou: “peço desculpas ao Lúdio se ele ficou nervoso”.

Momentos antes, em meio aos questionamentos, réplicas e tréplicas, Lúdio apontou um acerto e um erro do governo peemedebista. Afirmou que o MT Integrado é positivo e estratégico, porque vai interligar 44 municípios. Por outro lado, condenou a implementação das OSS no Estado, prometendo retomar a gestão das unidades de Saúde.

Apesar disso, o petista tentou isentar Silval, sob a justificativa de que não foi o PMDB que trouxe o modelo, mas sim o PP do candidato a vice de Pedro Taques (PDT), Carlos Fávaro. Médico, Lúdio garantiu ainda revitalizar hospitais municipais e investir na reestruturação.

Outro tema debatido nos primeiros blocos foi à falta de logística. Lúdio puxou a “fila” sobre o assunto. Para tanto, perguntou a Pedro Taques qual sua proposta para o setor. Após a explanação do pedetista, o petista afirmou pensar como o ex-presidente da República Juscelino Kubitschek, responsável pela construção de Brasília e que promoveu um intenso processo de desenvolvimento no país.

Para sustentar a afirmação, ressaltou que seu plano de metas prevê, por exemplo, a pavimentação de 1,6 mil km em estradas e que vai dar continuidade ao MT Integrado. Por fim, nas considerações finais, Lúdio agradeceu a Deus, reforçou a necessidade de um diálogo constante com a sociedade e agradeceu a população e apoiadores. “Nós iremos realizar um governo novo de verdade. Eu sei cuidar de pessoas e é nesse foco que vou continuar”.

Davi Valle

ludio_debate_2.jpg

Ao lado do adversário Pedro Taques (PDT), Lúdio busca manter equilíbrio durante debate na Record

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Heitor Jandir | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 23h05
    13
    12

    Ludio foi sem dúvida o que se mostrou mais preparado. Podem falar o que quiser, mas as imagens estão aí pra comprovar. Abs

  • Dr. Marques | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 23h03
    15
    7

    O senador não conseguiu responder uma pergunta sequer, ficou mudando de assunto. Sem dizer que ficou feio demais para um ex-procurador aceitar acusações tão graves calado. Quem cala consente, fica a dica. Sem puxar sardinha de ninguém e sendo sincero, acho que o Ludio foi o melhor no debate, seguido de Muvuca, Riva e José Roberto.

  • cleyton | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 22h31
    17
    10

    pelo grande numero de manchetes já sabemos quem a rd news esta apoiando e quem ela vai detonar na campanha não esta sendo nem um pouco parcial com os candidatos mais sim já decidiu um e vai apoia-lo.

  • cleyton | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 22h31
    6
    9

    cleyton, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • José Sérgio | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 20h01
    19
    17

    Hoje mostrou devido o desespero dos adversários, que Taques come no primeiro turno!

  • claudio santos | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 18h56
    25
    28

    parabéns, Lúdio, grande vencedor...com firmeza e detalhes da propostas, foi o único que mostrou que MT pode ser melhor

  • selma fontes | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 18h20
    29
    23

    Pedro Taques é o unico precupado com mato grosso. ludio e riva não conseguem sair do banheiro

  • selma fontes | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 18h18
    22
    21

    Pedro Taques é o unico precupado com mato grosso. ludio e riva não conseguem sair do banheiro

  • DONA ROGERIA | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 17h08
    41
    36

    LUDIO ARREBENTOU NO DEBATE. SEM MAIS. GRATA

  • joao cuiabano | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 16h24
    13
    4

    joao cuiabano, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 25/08/2014, 15h:26 - Atualizado: 25/08/2014, 15h:46

Riva usa debate para "metralhar" Taques com acusações e esquece de propostas


Davi Valle

Riva_interna_3.jpg

Candidato José Riva chega acompanhado da esposa Janete na sede do Grupo Gazeta de Comunicação

No primeiro debate entre os candidatos ao Governo, realizado pelo Grupo Gazeta de Comunicação, nesta segunda (25), o deputado estadual e candidato José Riva (PSD) usou a maior parte de seu tempo para atacar o adversário, senador Pedro Taques (PDT). Em diversos momentos, o social-democrata alfinetou o pedetista, na tentativa de desequilibrar o candidato, líder nas pesquisas de intenção de votos. Iniciou o confronto agradecendo a Deus pela oportunidade. No primeiro bloco, foi questionado pelo jornalista do Rdnews, Jacques Gosch, sobre sua proposta de reestruturação da máquina pública.

O social-democrata respondeu que Mato Grosso precisa de um choque de gestão. Explica que há necessidade de enxugar os gastos públicos. Diz que o atual governo é omisso à população e que sua intenção é aproximar o Executivo estadual da sociedade. Ressalta que o Estado tem setores que necessitam de mais servidores, por isso, vai contratar profissionais para suprir demanda, como o caso da Saúde.

Nos dois primeiros blocos, Riva mais atacou Taques do que “vendeu seu peixe”. Se preocupou em apontar falhas do senador e se esqueceu de apresentar aos eleitores suas propostas. Em dado momento, sob clima tenso, o candidato pedetista perguntou à Riva sobre o orçamento da Assembleia, já que o social-democrata foi gestor junto com o 1º secretário, Mauri Savi (PR).

Davi Valle

Riva_interna_1.jpg

Candidato Riva durante o debate

O deputado explicou que o orçamento do Legislativo estadual de 2013, último ano em que foi presidente, equivaleu a R$ 327 milhões, sendo que cada parlamentar custou R$ 3 milhões, com gastos em folha de pagamento e investimentos. Reforçou que a Assembleia é um dos Poderes mais modernos do país. Na ocasião, alfinetou o pedetista alegando que o Senado gasta R$ 33 milhões por senador, quase três vezes mais que um deputado.

No terceiro bloco, os ataques ficaram explícitos. Riva perguntou ao pedetista como pretende convencer os eleitores de que fará diferente para reverter o quadro em que a Saúde no Estado se encontra. Taques, sob tom de ataque, respondeu que fará o hospital regional funcionar e não ficar por conta das OSS, inclusive, foi contra a implantação deste sistema. Em contrapartida, Riva disse que até agora Taques não cumpriu com nenhuma proposta feita como senador e que tem preocupação em quem irá substituí-lo. Destacou o imbróglio envolvendo a suplência do pedetista.

Neste sentido, Taques diz que apresentou projetos não só para Mato Grosso, mas para o país, como transformar corrupção em crime hediondo. “Como senador fiscalizei as obras da Copa. Quero ser governador para mudar a forma da atual administração pública”.

No quarto bloco, Riva insistiu em “abordoar” Taques. Questionou quanto à corrupção. Colocou em “cheque” o caso Cooperlucas, no qual Taques, à época, era procurador-chefe do Ministério Público. Segundo Riva, a situação gerou rombo de R$ 3 bilhões. Taques respondeu que os candidatos não devem baixar o nível do debate, mas que nunca se manifestou no caso, inclusive, tem uma série de documentos que comprovam. Destacou que suas contas foram aprovadas sem ressalvas pelo TCE e que é diferente do candidato que teve o registro de candidatura indeferido pelo TRE. 

Nas considerações finais, Riva agradeceu ao povo mato-grossense e ressaltou que deseja transformar o Estado com sua força, experiência e capacidade. Voltou a questionar Taques quanto à relação com o prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, insinuando que o pedetista é contraditório em suas declarações contra a corrupção.

Davi Valle

Riva_interna_2.jpg

Riva não mediu esforços para atacar o adversário Taques, usando o tempo para alfinetar o pedetista

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Ondino Lima Neto | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 10h20
    6
    1

    Ondino Lima Neto, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Mauro | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 18h47
    30
    13

    Já disse em comentário anterior, nem doido atira pedra em árvore que não tem frutos, vamos de TAQUES. quem não quiser, vai de VLT ou de CAMBURON !!!!

  • Fernando | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 18h14
    20
    24

    O Riva , lúdico e muvuca,simplesmente arrancaram a mascara do Taques. Realmente, essa matéria eh tendenciosa!

  • José Vieira | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 17h30
    21
    16

    TaquesNEws!

  • luiz antonio | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 15h47
    48
    28

    que proposta ele tem pra fazer? esta junto com esse governo inoperante desde o inicio, riva está é com medo do pedro taques, é o deses pero tomando conta kkkkkkkkkk, 12 neles, primeiro turno

  • LUIZ FERNANADO | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 15h46
    13
    3

    LUIZ FERNANADO, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • ANTONIO | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 15h38
    33
    45

    o materia tendenciosa... a mascara do taques esta caindo... e Riva esta mostrando.. o taques bate e esconde a mão o riva não mostra a cara e defende-se

CONFRONTO NA TV RECORD | 25/08/2014, 15h:20 - Atualizado: 25/08/2014, 16h:08

Taques é bombardeado pelos adversários, não sorri, responde "rápido" e com firmeza

Lúdio, José Riva, Muvuca e José Roberto questionam e provocam candidato do PDT, que pronunciou propostas 12 vezes no debate


O senador Pedro Taques, líder nas intenções de voto ao governo estadual, saiu do debate de quase duas horas da TV Record Canal 10, nesta segunda, com o lombo ardendo de tanto levar porrete. Foi questionado, provocado e até agredido verbalmente pelos quatro oponentes, especialmente por José Riva (PSD), Lúdio Cabral (PT) e José Marcondes, o Muvuca (PHS). O candidato do Psol, José Roberto, o mais “engessado” de todos, também lançou críticas ao pedetista.

Taques não sorriu em nenhum momento. Ex-membro do Ministério Público Estadual, parecia estar num júri popular. Se mostrou firme, embora numa linha mais light, e lançou frases de efeito. Em alguns momentos, foi irônico, como na resposta a Riva, quando pediu para o deputado não o medir pela mesma régua e, em outra situação, quando declarou que não precisa passar óleo de peroba no rosto.

O candidato do PDT pronunciou “propostas” 12 vezes. Reforçou ser candidato de oposição. Principal alvo, ele usou a estratégia de responder rapidamente cada questionamento e emendar com citação de dados e números, numa abordagem negativa das administrações tanto em âmbito estadual quanto federal e quase sempre concluía com promessas de melhor ou mudar esse ou aquele setor. E reclamou que os adversários estavam partindo para baixaria.

Davi Valle/Rdnews

pedro taques debate 25 agosto

Senador Pedro Taques, candidato a governador pelo PDT, no debate da TV Record Canal 10 nesta 2ª

Nos três primeiros blocos, o debate foi “morno”. Só “pegou fogo” no final. Riva tentou desqualificar Taques. O culpou pela crise na saúde em Cuiabá, já que o PDT indicou os secretários do setor da gestão Mauro Mendes e ainda o acusou de fazer parte da lista de investigados da operação Ararath, de não controlar os gastos excessivos no Senado, de “proteger” o coordenador-geral da campanha Otaviano Pivetta no caso Cooperlucas.

Muvuca, por sua vez, chegou a provocar o pedetista, acusando-o de ser “laranja” de Eraí Maggi, de Pivetta e de Mauro Mendes. Lúdio também disparou contra Taques. Disse que o adversário tem “cara de pau” de atacar e desviar as atenções, não respondendo aos questionamentos. José Roberto afirmou que Taques carrega no palanque “dinossauros” da política, como os ex-prefeitos cuiabanos Wilson Santos e Chico Galindo.

Em meio aos bombardeios, Taques se defendeu. E respondeu, em muitos momentos, numa linha dura.

 O primeiro confronto foi importante para se ter noção de postura, equilíbrio, das ideias, propostas e do pensam sobre diferentes setores os candidatos ao Palácio Paiaguás. De fato, a campanha começa para valer a partir de agora, após esse debate e entrando na segunda semana do horário eleitoral.

Davi Valle/Rdnews

pedro taques debate tv record

Com a esposa Samira, Pedro Taques chega à Record, com Paulo Taques, Osvaldo Sobrinho e Mauro

Postar um novo comentário

Comentários (24)

  • MARIA | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 10h29
    6
    2

    Olha só o título desta matéria! ao tem isenção!

  • Luis Antonio | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 10h12
    5
    3

    Luis Antonio, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Romulo Dias | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 08h32
    7
    0

    Romulo Dias, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Zé Paulo | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 07h51
    9
    4

    É sério essa análise? Taques não respondeu nada do que foi perguntado. Seja do caso cooperlucas, seja sobre propostas. Só sabia falar que "se Deus permitir será governador de MT". Pra quem era ateu antes de se aventurar na carreira política ta falando em Deus demais.

  • GONÇALVES | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 23h26
    4
    1

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK GALERA NO DEBATE QUE EU ASSISTI O TAQUES SE SAIU PÉSSIMO POIS NÃO RESPONDEU NENHUMA ACUSAÇÃO, ALÉM DE FICAR CLARO QUE NÃO POSSUI NENHUMA PROPOSTA CONSISTENTE. TEVE HORA QUE FIQUEI COM VERGONHA ALHEIA DA FORMA COMO ELE MUDAVA DE ASSUNTO E FICAVA NERVOSO.

  • Camila B. | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 23h22
    4
    1

    Não sei qual debate vcs viram, mas o que eu assiti o Ludio arrebentou com todos, Taques não conseguiu responder nenhuma pergunta.

  • GARCIA | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 23h21
    4
    1

    TAQUES NÃO RESPONDEU NENHUMA ACUSAÇÃO, PAGOT, PEDRO HENRY, PRONTO SOCORRO, CHICO GALINDO E WILSON SANTOS, NADA. ACEITOU TUDO CALADO. NESSE MATO TEM CACHORRO

  • JOAO DA SILVA | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 22h56
    5
    3

    JOAO DA SILVA, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • JOAO DA SILVA | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 22h56
    16
    12

    VOCÊS TAO COM MEDO DE TAQUES, SER GOVERNO, PQ SENÃO VÃO SER TODOS PRESOS, POR ISSO ESSE DESESPERO,QUEM NÃO DEVE NÃO TEME,EU QUERO VÊ VOCÊS NA CANA.KKKKKKK

  • Ana Margarida de Jesus | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 21h06
    29
    23

    Quero parabenizar o candidato a governador Pedro Taques pela coragem e firmeza em suas respostas.Demonstrou seriedade e respeito pelos seus eleitores.

| 25/08/2014, 12h:48 - Atualizado: 26/08/2014, 14h:06

Juíza remete recurso de Riva para Pleno do TJ avaliar menção de Taques na Ararath


A juíza Ana Cristina de Silva Mendes, da Vara Criminal de Cuiabá, responsável por relatar recurso processo protocolado por José Riva (PSD) referente a proibição de mencionar o nome do adversário nas urnas Pedro Taques como investigado pela Operação Ararath, remeteu a ação para o Tribunal de Justiça. Conforme a corregedoria do TJ, ela se pressupôs incompetente para julgar o caso, pois Riva tem foro privilegiado, já que é deputado estadual. O caso fica, então, sob responsabilidade do Pleno do TJ e o teor da decisão da juíza só será disponibilizado nesta tarde.

Taques processou Riva por calúnia, difamação e dano moral, em representação criminal no Mistério Público Federal (MPF), além de pedido de investigação na Polícia Federal, Corregedoria do  Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e notícia-crime na Corte.

A juíza Ana Cristina ficou com o julgamento pelos crimes de calúnia e difamação por Riva ter acusado Taques e sua esposa Samira Martins de serem investigados pela Operação Ararath. O advogado Paulo Zamar Taques, responsável pelas ações, apresentou todas as certidões em que comprova que não existem investigações na Polícia Federal ou MPF e que os ofendidos não respondem a nenhuma ação penal. 

Devido à falsa imputação, Taques requer, por meio de liminar, que Riva se abstenha de propagar a relação entre a Operação Ararath e o requerente com multa de R$ 20 mil para cada descumprimento da ordem. Além disso, o pedetista solicita indenização por danos morais no valor de R$ 25 mil a ser convertida em benefício do Asilo dos Idosos ou da Casa Lar Caminho do Redentor.

Após acusações sobre Ararath e Cooperlucas, Taques processa Riva

Postar um novo comentário

| 25/08/2014, 12h:09 - Atualizado: 25/08/2014, 12h:18

Ministro chega em Cuiabá nesta 3ª a fim de fortalecer as candidaturas de Dilma e Lúdio

Ricardo Berzoini, ministro de Relações Institucionais, se reúne amanhã com prefeitos e vices da base aliada da presidente


O ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini (PT), estará em Cuiabá nesta terça (26) para participar do ato político que reunirá prefeitos e vice-prefeitos dos partidos que integram a base aliada da presidente Dilma Rousseff (PT). O encontro será no Delmond Hotel, a partir das 18h, e tem o objetivo de fortalecer a candidatura da petista à reeleição.

O presidente estadual do PT, William Sampaio, que também é coordenador-geral da campanha da presidente em Mato Grosso, explica que o ministro falará aos gestores municipais sobre a importância em reeleger Dilma. Além disso, Berzoini deverá manifestar apoio à candidatura de Lúdio Cabral (PT) ao governo do Estado.

A tendência é que lideranças de outros partidos, como PDT e PP, compareçam ao ato político, como Eraí Maggi (PP) e Carlos Fávaro (PP). Embora as siglas façam parte do arco de aliança encabeçado por Dilma Rousseff, em Mato Grosso está na coligação Coragem e Atitude pra Mudar, que faz oposição ao PT, entre eles o cabeça da chapa Pedro Taques (PDT). Além disso, o PSD, que no Estado lançou a candidatura de José Riva ao governo, também deve marcar presença na visita do ministro.

Postar um novo comentário

| 25/08/2014, 11h:10 - Atualizado: 25/08/2014, 11h:47

Interdição de viaduto reflete incompetência


A interdição do recém-inaugurado viaduto localizado em frente à secretaria de Fazenda, sobre a Avenida do CPA, representa mais uma frustração tanto para a população quanto para o Governo de Silval Barbosa (PMDB). A pecha de incompetência recai sobre o consórcio VLT/Cuiabá-Várzea Grande- composto pelas empreiteiras Astep, CAF Brasil, CR Almeida, Magna e Santa Bárbara - e, principalmente, sobre o secretário Maurício Guimarães, da Secopa. Não bastasse as inaugurações às pressas de poucas obras para a realização da Copa, elas ainda apresentam problemas graves de estrutura, o que traz até sentimento de insegurança para quem precisa transitar pelas intervenções que já apresentaram problemas em algum momento.

Fernando Ordakowski

mauricio guimaraes charge

Maurício Guimarães, secretário da Secopa, se vê acuado por viaduto da Sefaz  não estar concluído 

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • Buarque | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 17h30
    0
    2

    É isso que Riva e Silval fizeram por Mato grosso. Por isso eu voto Ludio pela renovação.

  • pedro carpaxo | Terça-Feira, 26 de Agosto de 2014, 15h27
    1
    1

    MAURICIO GUIMARAES ESTA SUMIDO, ANTES DA COPA APARECIA TODO DIA NA TV E NOS JORNAIS, AGORA QUE ERA A HORA DE DAR SATISFAÇÕES AO POVO CUIABNA

  • pedro | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 21h28
    9
    2

    governador silval incompetente....sem planejamento, e ainda vem dizer que ta tudo bem? só se for para seu bolso....

  • marcos | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 18h04
    8
    2

    veaduto uma porcaria, melhor sem ele, alem disso ao retornar ao centro, mal posicionado bem no meio da avenida, incompetencia do governo....não quis ser candidato a nada, por que não tem nada pra dizer o que ele fez...

  • Peter Griffin | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 17h48
    7
    3

    E o Governador Silval Barbosa? Ele também deve se responsabilizar em grande parte!!!

  • Zé Poxoréo | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 16h31
    10
    2

    Se lembrarem daquela declaração do Eder Moraes na qual ele afirmava que havia recebido ordens expressas para atrasar as obras, fica fácil entender a situação desse coitado. É claro que essas obras estão na base do quanto pior melhor!

  • Antonio Paulo | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 15h54
    3
    1

    Antonio Paulo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • tonny | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 14h47
    19
    0

    É isso o que Riva e Silval fizeram por Mato Grosso.

  • Santos | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 14h01
    8
    1

    É isso ai Prof. Nivaldo, faço da suas palavras as minhas.

  • Ademir | Segunda-Feira, 25 de Agosto de 2014, 13h21
    2
    0

    Ademir, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 25/08/2014, 00h:00 - Atualizado: 24/08/2014, 23h:58

Lei do mínimo esforço

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

A velocidade do mundo é o argumento mais utilizado para justificar a condescendência com a repetição de atos (imitação) de outras pessoas sem qualquer análise intelectual (pensar). A questão que se coloca é simples: qual a profundidade da análise feita antes de imitar um comportamento?

As redes sociais são a "bola da vez", pois ensejam as "febres virais". Você é obrigado a fazer caridade doando uma determinada quantia em dinheiro quando desafiado por outra pessoa a jogar um balde de gelo sobre sua cabeça; aceitando o desafio, você economiza, doando apenas dez por cento do valor. Fantástico, faz o bem e sucesso na web! É inegável que os meios tecnológicos possibilitam o conhecimento de fatos de modo imediato ao seu acontecimento em qualquer lugar do mundo. O problema é a velocidade do juízo de valor que cada um realiza diante da informação e/ou comportamento e sua imediata imitação.

A imitação é uma das formas de educação, no sentido de aprendizado geral para a vida. As crianças observam o comportamento dos adultos e moldam suas atitudes de acordo com estes, acrescidas outras variáveis como a personalidade. A repetição de comportamentos, deste modo, é fator fundamental na vida. O que não pode ser suprimido neste processo, todavia, é a análise intelectual e ética sobre os acontecimentos e comportamentos que chegam ao ser humano, sob o pífio argumento da necessidade de ação/reação imediata diante da velocidade dos eventos mundiais.

Participar do desafio do balde de gelo é um ato de benevolência? Ou trata-se de mais uma das inúmeras estratégias de marketing pessoal gratuito buscado pelas pessoas (famosas e não famosas)? Por que o fato de se ridicularizar com os arrepios e gritos da água e do gelo caindo sobre a cabeça conduz ao sacrifício menor (pagamento de menor valor em dinheiro)? Se a questão é a caridade, ao fazer o sacrifício a pessoa deveria doar mais, afinal está sendo caridosa.

Claro que os novos instrumentos tecnológicos (redes sociais, apps, etc) pela interação social que possibilitam contribuem para a discussão e para o debate, também por intermédio das brincadeiras e desafios. O que não pode ocorrer é a entrada no campo do "se todo mundo faz, irei fazer também", sem uma reflexão sobre o agir. Aliás, "todo mundo" não existe. Existe Fulano, Beltrano e outras pessoas, o que não significa todo o mundo. E não é porque a velocidade da informação aumentou ou porque outras pessoas fazem que se deva imitar/repetir comportamentos sem compreender seu sentido. Sob a desculpa da rápida reação está o cômodo afastamento de uma análise crítica (pensar).

O imitar faz parte da vida do ser humano, mas precisa ser limitado pelo raciocínio e pelo pensamento. Na lei do mínimo esforço a pessoa curti, compartilha e faz a mesma coisa que "todo mundo" está fazendo. Só que o argumento da velocidade não é mais suficiente, todos já estão adaptados. Então, é hora de pensar antes de ser contagiado por qualquer "febre viral" e começar a imitir alguém.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado nomeada, tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

INíCIO
ANTERIOR
1 de 707