Cuiabá, 28 de Abril de 2016
  • Alline Marques

    Alline Marques

  • Ana Maria

    Ana Maria

  • Camila Cervantes

    Camila Cervantes

  • Eduarda Fernandes

    Eduarda Fernandes

  • Francis Amorim

    Francis Amorim

  • Gabriele Schimanoski

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Jacques Gosch

  • Patrícia Sanches

    Patrícia Sanches

  • Tarso Nunes

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Valérya Próspero

COMUNICAÇÃO | 23/06/2012, 11h:50 - Atualizado: 23/06/2012, 11h:53

IstoÉ detalha o "vale tudo" rumo às urnas

     A reportagem de capa da revista IstoÉ desta semana traz o “vale tudo” dos políticos na busca por alianças para as eleições deste ano. Os destaques são para o apoio selado entre o deputado federal Paulo Maluf (PP) e o pré-candidato a prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) encabeçado pelo ex-presidente Lula; e para a aliança do pré-candidato a prefeito de São Paulo José Serra (PSDB) e o primeiro ministro exonerado no Governo Dilma Rousseff (PT) após denúncias de corrupção, ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento (PR). Com o apoio do PR, Serra passa a contabilizar 6min 43s de programa eleitoral.

     A revista classifica os apoios como “um verdadeiro mercado de compra e venda”. Lembra que Lula e Maluf sempre foram arqui-inimigos. Ressalta também que Serra tinha buscado o apoio do progressista, mas não conseguiu porque o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria se recusado nomear um apadrinhado de Maluf na máquina estadual. Já Lula garantiu um cargo no ministério das Cidades.

     O discurso do novo presidente do Paraguai Federico Franco também foi destaque. Ele pede união dos paraguaios ao ser empossado 24 horas depois do rápido processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo, que foi alvo de críticas por parte da oposição. Ele é apontado como culpado pelo confronto entre militares e sem-terra, em Cuaraguaty, ocorrido no último dia 15 e que resultou na morte de 17 pessoas. O processo de impeachment está sendo encarado como golpe pelo Governo e por setores da sociedade. O mandato do novo presidente termina em 2013.

Postar um novo comentário

Toma lá dá cá | 28/04/2016, 14h:00 - Atualizado: 07h atrás

Janaína não tem coragem de falar frente a frente, reage secretário sobre críticas


 O chefe da Casa Civil Paulo Taques criticou a postura da deputada estadual Janaína Riva (PMDB) em relação ao acordo sobre o pagamento das emendas parlamentares e a entrega das 141 ambulâncias adquiridas com os R$ 20 milhões devolvidos pela Assembleia em 2015. Segundo ele, a peemedebista concordou com as condições apresentadas durante o almoço e, depois, usou a tribuna para fazer críticas. 

“O que Janaína Riva falou na tribuna, não teve coragem de falar frente a frente comigo. A deputada deveria ser mesma pessoa no almoço e  na tribuna. Para nós,  não teceu nenhuma critica”,  declarou o chefe da Casa Civil. 

  Paulo afirmou ainda que Janaína compareceu no almoço realizado no Palácio Paiaguás na última terça (26) e agradeceu o  empenho do governo para entregar as ambulâncias aos municípios, deixando a definição de  prioridades para os deputados estaduais. Além disso, alega que a parlamentar até elogiou a postura do Executivo em relação às emendas. 

“No almoço, a deputada Janaína disse que entende a dificuldade financeira e que aceita e vê com bons olhos o pagamento de R$ 2 milhões em emendas. Até porque eu disse e repito, os R$ 2 milhões poderão ser  aumentados com a melhora do fluxo financeiro do Estado”, concluiu.

Ronaldo Mazza

janaina riva presidindo al.jpg

Janaína Riva usou a tribuna para reclamar do acordo proposto pelo Executivo e criticar administração

 Discurso 

Na sessão matutina desta quarta (27), Janaína classificou o almoço entre representantes do Executivo e 17 deputados estaduais como indigesto. Afirmou ainda que não existe acordo e que se os parlamentares aceitarem R$ 2 milhões em emendas, estarão agindo na ilegalidade  junto com o governo. 

  “Não tem acordo. As emendas não são dos deputados e sim dos eleitores. A lei estabelece o valor R$ 4,8 de milhões. Será que a Assembleia vai ficar desmoralizada como no caso das ambulâncias?”, questionou .

Cada deputado receberá R$ 2 mi em emendas; ambulâncias entregues

  Sobre as ambulâncias, Janaína pontuou que o Legislativo devolveu R $ 20 milhões e o governo não teve competência para fazer a compra. “Esse  Governo é acostumado com dispensa de licitação e quando tem que fazer a coisa séria,  com processo licitatório, não tem competência para entregar”.  

Emendas Impositivas

A PEC das Emendas Impositivas, de autoria do deputado estadual Zé Domingos Fraga (PSD), estabelece que 1% da Receita Corrente Líquida do Estado no exercício anterior deve ser aplicada nas emendas parlamentares. Com isso, o valor destinado a cada deputado chegaria a R$ 4,8 milhões neste ano e metade dos recursos tem destinação determinada, sendo 12% para saúde, 25% para educação, 6,5% para esportes e 6,5% para cultura.

Ambulâncias

Conforme o governo, a  secretaria estadual de Gestão (Seges) já expediu ordem de serviço para a fábrica construir as ambulâncias. A previsão indica que os equipamentos serão entregues a partir de junho, beneficiando 50 municípios por mês até contemplar os 141. 

Deputados cobram emendas e não vão aceitar "dar calote" nas bases

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Ricardo Barbosa Lopes | Quinta-Feira, 28 de Abril de 2016, 16h08
    4
    1

    PRERROGATIVAS DA TRIBUNA SECRETÁRIO. OU O SENHOR ACHA QUE A DEPUTADA IRIA FALAR CARA A CARA E DEPOIS SER PROCESSADA? NESSE GOVERNO, QUE SÓ TEM MEMBROS DO JUDICIÁRIO EM TODOS OS SETORES, A GENTE TEM QUE PENSAR BEM ANTES DE SE PRONUNCIAR. A DEMOCRACIA ESTÁ SENDO RISCADA DA VIDA DOS BRASILEIROS, ESPECIALMENTE POR AUTORIDADES FAVORÁVEIS AO GOLPE COM O AFASTAMENTO DA PRESIDENTA DILMA

  • Ricardo Barbosa Lopes | Quinta-Feira, 28 de Abril de 2016, 16h07
    2
    1

    PRERROGATIVAS DA TRIBUNA SECRETÁRIO. OU O SENHOR ACHA QUE A DEPUTADA IRIA FALAR CARA A CARA E DEPOIS SER PROCESSADA? NESSE GOVERNO, QUE SÓ TEM MEMBROS DO JUDICIÁRIO EM TODOS OS SETORES, A GENTE TEM QUE PENSAR BEM ANTES DE SE PRONUNCIAR. A DEMOCRACIA ESTÁ SENDO RISCADA DA VIDA DOS BRASILEIROS, ESPECIALMENTE POR AUTORIDADES FAVORÁVEIS AO GOLPE COM O AFASTAMENTO DA PRESIDENTA DILMA

VG | 28/04/2016, 10h:21 - Atualizado: 03h atrás

Jayme chama Taborelli de bipolar e diz que deputado usa tribuna como palanque eleitoral


O ex-senador Jayme Campos (DEM), correligionário e marido da prefeita de Várzea Grande Lucimar  Campos, rebateu as críticas do deputado estadual Pery Taborelli (PSC) contra a duplicação da Avenida Filinto Müller. Da  tribuna, o parlamentar, que pretende disputar a sucessão da democrata nas eleições de outubro, declarou que a obra provocará danos ao município levando à falência os empresários que ainda não se recuperaram  dos prejuízos causados pela implantação do VLT. 

 “Várzea Grande tem dois prefeitos, um de fato e outro de direito, que não se entendem nem têm projeto para cidade. Agora querem causar mais  danos  com a duplicação que não atende aos anseios da sociedade”, declarou Taborelli ainda na terça (26),  indicando que Jayme comanda a administração municipal. 

Gilberto Leite/Rdnews

jayme campos vg  (1).jpg

 Jayme Campos rebate Pery Taborelli e diz que só faz críticas destrutivas, sem compromisso com VG

Segundo Jayme, Taborelli faz críticas destrutivas porque não tem compromisso com a população de Várzea Grande. Além disso, afirma que a duplicação da Avenida Filinto  Müller inclui pista  de rolamento, ciclovia e iluminação com lâmpadas de LED ao custo de R$ 27 milhões, e realiza o sonho de melhorar a mobilidade urbana do município. 

“Taborelli, como sempre, age de maneira deselegante, antiética, desrespeitosa e  truculenta contra a população de Várzea  Grande. Esse tipo de crítica desrespeita as famílias daqueles que perderam a vida no trânsito”, dispara o ex-senador.  

Sobre a  insinuação  que não se entende com Lucimar, Jayme lembra que é casado há 42 anos com a mesma  esposa. “Não sei se o Taborelli mantém o relacionamento há tanto tempo. Só quero dizer que é difícil casal tão unido como o nosso. Não vou levar em conta essa fala porque  todo Mato Grosso sabe que o deputado  é bipolar. 

 Jayme também disse que Taborelli usa a tribuna da Assembleia como palanque eleitoral sem nunca ter apresentado projetos de relevância para  sociedade. “Fui  senador, governador e prefeito por três mandatos sem recorrer a esse tipo de prática. Taborelli quer ser prefeito, mas não mostrou nem a que veio como deputado estadual”, concluiu. 

Em lançamento de obra, Jayme diz que VG não aceitará mais picaretas

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • willian | Quinta-Feira, 28 de Abril de 2016, 18h01
    0
    1

    Meu Senhor. Quantos anos VG esteve nas mãos dos Campos? É o que é até hoje por isso. Não estou dizendo que o discurso em sua essência não tenha razão, mais gritar, fazer caretas, subir em palanque, será que o povo de VG ainda vai suportar isso (ladainha de Campos)? Ainda bem que não moro lá para viver isso.

| 28/04/2016, 08h:25 - Atualizado: 28/04/2016, 08h:51

Os limites de Bolsonaro

jose roberto toledo artigo jornalista

José Roberto

Na mais recente pesquisa do Ibope, Jair Bolsonaro (PSC) atingiu 11% de potencial de voto para presidente. Dez dias antes, o deputado registrara 8% de intenções de voto em dois cenários eleitorais no Datafolha. As pesquisas medem coisas distintas: em uma, se o eleitor votaria ou não no defensor do golpe de 1964; em outra, se ele prefere Bolsonaro a todos os outros candidatos testados. Se o Ibope comparou opiniões diferente sobre o mesmo presidenciável, o Datafolha comparou presidenciáveis entre si.

 Apesar das diferenças, os resultados apontam a mesma tendência: com seu discurso radicalmente conservador, o deputado cativa uma porção significativa do eleitorado. Não é grande o suficiente para levá-lo a um segundo turno presidencial, mas é o bastante para garantir-lhe, por exemplo, vaga em debates nacionais na TV com outros candidatos a presidente. Se isso vier a acontecer, ele pode crescer mais? Qual é o limite de Bolsonaro?

 Os cruzamentos da pesquisa Ibope dão pistas. Primeiro, é preciso decompor os 11% de potencial de voto de Bolsonaro: 5% são eleitores que dizem ter certeza de que votariam nele, e os outros 6% afirmam apenas que poderiam votar. Os graus de certeza fazem diferença. Em uma eleição, o deputado talvez acabasse com grande parte dos 5% certos, mas não com todos os 6% que admitem a possibilidade de votar nele. É por isso que Bolsonaro aparece com entre 6% e 8% no Datafolha, dependendo de quem mais está na disputa. Eleger é comparar. A lista de candidatos muda tudo.

 De volta à pesquisa Ibope, descobre-se que Bolsonaro é o mais desconhecido entre os sete nomes testados: Lula, Marina Silva, Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin, Ciro Gomes e ele. Mais da metade do eleitorado, 54%, diz não conhecê-lo o suficiente para opinar – apesar de todas as polêmicas em que ele se meteu. Se, em uma campanha presidencial com ampla cobertura de TV, debates e propaganda eleitoral, esse porcentual cair a uma taxa equivalente à de Marina, 13% ou 14%, como se posicionariam os outros 40% que passariam a conhecê-lo? 

 Essa foi a primeira vez que o Ibope mediu o potencial de voto do presidenciável do PSC. Por isso não é possível saber como seu potencial se comporta através do tempo. Mas dá para comparar as preferências de diferentes segmentos sociais e, a partir daí, arriscar uma projeção para o total. 

 Bolsonaro é menos desconhecido entre os mais ricos (34%) e entre quem fez faculdade (37%). São segmentos minoritários e superpostos do eleitorado – não necessariamente eles antecipam como votarão quem é mais pobre ou estudou menos. Mas o grau de conhecimento sobre o militar é inversamente proporcional à renda e à escolaridade: mais pobre e menos escolarizado é o eleitor, mais desconhecido é Bolsonaro. À medida que cresce o conhecimento, crescem rejeição e potencial de voto. Mas em que proporção?

 Comparando-se as respostas de todas as faixas de renda e escolaridade, não é absurdo imaginar que 3 de cada 4 eleitores que hoje desconhecem Bolsonaro passariam a dizer que não votariam nele de jeito nenhum, e que 1 a cada 4 engrossaria seu potencial de voto. No limite, de um quarto a um quinto do eleitorado admitiria votar (o que é diferente de preferi-lo aos demais) em Bolsonaro ao final de uma campanha que o tornasse tão conhecido quanto Marina é hoje. E sua rejeição chegaria a dois terços dos eleitores, mesmo patamar em que está a de Lula.

 Não dá para Bolsonaro se eleger presidente, mas é o suficiente para provocar um estrago entre outras candidaturas. Hoje, a maior superposição de eleitores potenciais de Bolsonaro é com Marina: 36% de quem votaria com certeza ou poderia votar nele também admite votar nela. E 22% de quem votaria nela admite votar nele. São eleitores conservadores, evangélicos ou eleitores que buscam uma novidade? Talvez ambos.

José Roberto Toledo é colunista político do jornal Estadão

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Conrado | Quinta-Feira, 28 de Abril de 2016, 10h19
    1
    2

    Onde aconteceu GOLPE em 64? Parece que o repórter está preocupado com Bolsonaro. Foi o congresso que destituiu o Presidente em 64. Bolsonaro está preocupando a PeTezada. .. Mito!!!

| 28/04/2016, 00h:00 - Atualizado: 27/04/2016, 22h:24

Piscina pública de Chapada

maria_rita_artigo_quinta

Maria Rita

O Córrego Prainha, próximo à nascente, testemunhou o desenvolvimento histórico de Chapada dos Guimarães. Desde 1779, ano em que a Igreja de Santana foi reerguida, onde se localiza atualmente, os moradores que foram surgindo já tinham o costume de lavar a roupa naquelas águas. Para ser mais precisa, todo o entorno do largo da igreja até onde hoje se localiza a piscina pública do município.

O lugar era muito diferente. O córrego corria sinuoso entre pedras grandes que eram utilizadas pelas mulheres como base para o antigo costume de bater as roupas. Toda tarde havia um grande encontro das lavadeiras que aproveitam o momento para colocar o papo em dia. Mais tarde, a piscina foi construída e o lugar viveu o auge da atividade social. Dá para acreditar que ao redor da piscina chegou a ser realizado um desfile de moda? 

Os anos se passaram e o lugar foi lentamente esquecido. Prefeitos, deputados e governadores viraram as costas para a piscina, que passou a abrigar muito mato, usuários de drogas, namorados em busca de privacidade e, quando a chuva permite, jovens que se refrescam na piscina. 

O Parque da Quineira, que engloba o Bosque Jonas Oliveira Martins e é o nome oficial da região da piscina pública, era municipal, mas em 2006 foi estadualizado com o intuito de proteger os recursos naturais. O motivo é nobre uma vez que parte da captação de água da cidade advém da nascente do Córrego Prainha. Mas em 10 anos pouca coisa havia sido realmente feita para melhorar a área.

Muita gente olha para aquele bosque e imagina diversos aparelhos públicos construídos. Este verão mesmo, a piscina foi muito utilizada. Adultos nadando e crianças se divertindo. Meu filho e meu marido, por exemplo, frequentaram muito o lugar e juntos discutimos como ele poderia ser bem aproveitado. Revitalização do entorno, iluminação adequada, supervisão de guarda vidas, bancos para sentar, um teatro de arena para apresentações culturais, equipamentos de ginástica para a melhor idade e coisas do tipo trariam nova vida ao lugar.

Eis que ontem chega uma notícia muito bacana. O governador em exercício e deputado estadual, Guilherme Maluf, destinou uma emenda de R$ 500 mil para realização de projeto de revitalização do lugar. Ontem, na Câmara Municipal, testemunhei a assinatura do convênio com o Governo e a prefeitura. Estiveram presentes no ato o secretário de Turismo, Luiz Carlos Nigro, e o secretário de Educação, Lazer e Esporte, Permínio Pinto. Este último em sua fala garantiu que em um mês o projeto estará pronto, e talvez em três meses a obra comece.

A piscina pública merece esta atenção, a população precisa de espaços públicos de lazer e os jovens necessitam de atividades que os ocupem de maneira sadia. Não cheguei a ver o auge da piscina na década de 1970, mas mal posso esperar ver aquele lugar ser ocupado novamente.

Maria Rita Ferreira Uemura é jornalista, empresária, diretora da empresa de eventos de aventura ULTRAMACHO e escreve exclusivamente toda quinta-feira neste Blog (www.ULTRAMACHO.com.br) - e-mail: ferreirauemura@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Jane Corrêa de arruda | Quinta-Feira, 28 de Abril de 2016, 18h00
    0
    0

    Adorei a notícia sempre que passo por essas Imediações da piscina eu visualizo algo como esse projeto parabéns ?????pela iniciativa vamos tirar do papel e colocar em pratica????????

Caravana da Integração | 27/04/2016, 14h:32 - Atualizado: 27/04/2016, 14h:45

No Peru, governador assina termo de cooperação e destaca importância da ZPE


 O governador Pedro Taques (PSDB), que lidera a comitiva de Mato Grosso na Caravana da Integração, assinou declaração conjunta de cooperação internacional com a intendente Regional de Arica e Parinacota no Peru, Gladys Acuña Rosales, buscando a integração em diversas áreas com a região Norte do Chile para desenvolvimento econômico e social.

O termo assinado nesta terça (26) prevê ajuda mútua no suporte para atividade comercial, industrial e o setor de serviços, através de mecanismos de apoio, em coordenação com os diferentes níveis do Estado. 

No campo da agriculta, o termo prevê a cooperação para a implantação de práticas bem sucedidas em políticas públicas usadas em ambas regiões. A finalidade é incentivar e promover um melhor desempenho nos setores da aquicultura e agricultura. 

Taques falou sobre a importância da assinatura do documento. O tucano destacou a necessidade de fortalecimento da ligação dos Estados da América Latina. 

Além disso, Taques  falou sobre a possibilidade dos produtos de Mato Grosso ganharem o Pacífico pelo Porto de Arica, o que faria o tempo de transporte diminuir em cerca de 15 dias. "Mato Grosso é um gigante, produzimos muito e precisamos dos portos para escoar nossa produção e Arica pode nos ajudar nisso. Hoje, desenvolvimento é sinônimo de paz, superação da pobreza e qualidade de vida", destacou. 

José Medeiros

Taques_acordo

 Governador Pedro Taques assina termo de cooperação com a intendente com Gladys Acuña Rosales

ZPE de Cáceres 

  Durante a assinatura de acordo de cooperação entre Mato Grosso e Tacna, no Peru, na noite de terça, Taques reforçou que o fortalecimento da ZPE de Cáceres é um dos objetivos da Caravana da Integração, composta por integrantes do Estado, empresários, entidades do setor produtivo e políticos. O  roteiro  incluiu Bolívia, Chile e Peru. 

As empresas e indústrias que se instalarem na ZPE têm vantagens como incentivos fiscais para fomentar às atividades. Outra vantagem é que na Zona de Processamento haverá postos da Receita Federal e do Ministério da Agricultura, para que todos os produtos de lá saiam prontos para exportação. 

Taques ainda lembrou a importância de manter relações econômicas com os países vizinhos. Apenas o Peru tem 30 milhões de habitantes, o que pode favorecer o comércio. “Nosso estado produz em 40% do seu território e produzimos muito. Só que, mais do que produzir, nós precisamos exportar”, afirmou.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo, a primeira missão para consolidar as relações comerciais é trabalhar junto com o governo brasileiro e boliviano, para terminar a pavimentação da rodovia de 315 km que liga Santa Cruz de La Sierra à San Matias. Outra importante ação é consolidar um voo que ligue Santa Cruz até Cuiabá. O último passo é transformar a ZPE em uma plataforma de acesso a esses mercados consumidores.

“É uma grande plataforma para atendermos o mercado da Bolívia, do Paraguai, do Chile, do Peru. Visitamos no Chile, em Iquique, uma zona comercial onde, em 2015, metade dos US$ 3,6 bilhões de dólares comercializados, foram vendidos para o mercado boliviano. E a ZPE tende a funcionar da mesma forma”, afirmou.

 Para o vice-governador Carlos Fávaro (PSD), a ZPE colabora com a integração comercial e também com a industrialização dos produtos, agregando valor a produção local. “Mais do que novos parceiros comerciais, estamos visitando um novo mercado consumidor para a produção de Mato Grosso. Essa caravana abre portas que vão nos ajudar a consolidar e fortalecer a ZPE de Cáceres”, disse.

O prefeito de Cáceres, Francis Maris (PSDB), afirmou que este conjunto de ações vai melhorar a indústria e a arrecadação do Estado e, consequentemente, a vida dos mato-grossenses. “Há muito tempo que falamos que temos que integrar com os países vizinhos. A ZPE vai facilitar essas vendas. As nossas indústrias serão mais competitivas em função da isenção de impostos”, opinou.

ZPE

No último dia 18 de abril, Taques assinou o termo de autorização de abertura de licitação, que dá início aos trâmites legais do processo licitatório para implantação da primeira etapa da ZPE. Foram 26 anos de espera, desde que o projeto foi idealizado. Nessa primeira fase os investimentos serão de R$ 16 milhões, já garantidos pelo executivo estadual.Sob responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), 17 empresas já estão pré-cadastradas para se instalar no local. (Com  Assessoria)

Postar um novo comentário

| 27/04/2016, 08h:30 - Atualizado: 27/04/2016, 08h:42

O taekwondo na infância

nestor fidelis texto interno e capa

Nestor Fidelis

Como ignorar que nestes dias as crianças têm acesso a tantos meios de diversão e distração fisicamente inertes, ou seja, que não favorecem o desenvolvimento físico nem sua capacidade de relacionamento interpessoal?

Além disso, muitos pais têm verdadeira fobia de deixarem seus filhos viverem mais livres (como era “no seu tempo”), diante da violência que existe na sociedade atual, tanto nas cidades grandes, quanto nas menores.

Aliado a este fato, a necessidade de que pais e mães laborem em local distante do lar e, com isso, optem por deixar os filhos em escolas ou academias inadequadas se tornar uma armadilha.

Ao longo das últimas décadas, as artes marciais têm ocupado um relevante papel na formação do caráter de adultos e de crianças, porque, se levadas a sério, elas podem ser caracterizadas como filosofia de vida e esporte, isto é, uma mescla de teoria e prática de doutrina-oriental-meio para o desenvolvimento espiritual que, por sua vez, faculta o desenvolvimento mental e físico do ser humano.

A expressão “marcial” decorre da origem militar das artes marciais, cujo objetivo nas antigas nações orientais era o de formar exércitos de soldados super-disciplinados e qualificados para defenderem seu território. Esses valores podem ainda ser alcançados.

O taekwondo é uma das artes marciais mais praticadas em todo o mundo na atualidade. De origem coreana e tendo se espalhado pelo ocidente, principalmente, entre as décadas de 1960 e 1970, a “arte dos pés e das mãos”, ou o “caminho dos pés e das mãos” chegou a Mato Grosso em 1982, pois foi o destino de um dos primeiros grão-mestres que vieram da Coreia.

Kwang Soo Shin, o estimado, mui respeitado e tão conhecido mestre Shin, após alguns anos em São Paulo, tendo lecionado no Esporte Clube Pinheiros, fundou na avenida Marechal Deodoro, no bairro Santa Helena, em Cuiabá, a ShinTaekwondo Club, berço de valorosos taekwondistas brasileiros.

E hoje o taekwondo é praticado em diversas academias e escolas, pois traz inúmeros benefícios para pessoas de todas as idades, mas, sobretudo, para as crianças, por estarem em formação, sendo que os principais são:

  • a) contribui para a formação da retidão do caráter (cidadão de bem) por meio do desenvolvimento de virtudes como a humildade e o respeito
  • b) estimula o desenvolvimento da autoestima
  • c) desenvolve a coragem, a capacidade de concentração, a disciplina,a desinibição, a autoconfiança, a autovalorização, o autodomínio físico e emocionale o senso e desejo de justiça
  • d) auxilia na coordenação motora, no fortalecimento do corpo e na sua flexibilidade
  • e) estimula o prazer de estar em movimento, de aprender e se aperfeiçoar, conhecendo e superando a si mesmo
  • f) ensina a se defender e a ser pacífico
  • g) desenvolve a união entre as pessoas e faculta o nascimento e o estreitamento dos laços de amizade
  • h) desenvolve o civismo e patriotismo
  • i) fortalece o sistema imunológico, dentre outros tantos benefícios outros

 

Todavia, para se alcançar tais resultados é fundamental que haja uma conjugação de fatores, dentre os quais destaca-se: o(s) professor(es) ou mestre(s); o local; o ambiente; a participação dos pais. 

Aprende-se que, ao ver uma pessoa lutar, caminhar, falar ou de qualquer forma se portar será possível saber quem foi seu mestre, pois a tendência é que o discípulo reproduza o que aprendeu.

A força do exemplo arrasta, ao passo que as palavras ou as orientações não vivenciadas são frágeis e mortas. Daí a necessidade de o professor ou mestre estar vigilante para o seu papel de ser referência o tempo todo, não somente no dojan (local em que se treina), mas o tempo todo e nas mais diversas circunstâncias.

É necessário que a academia não seja apenas um local de prática desportiva, mas de puro e pleno respeito mutuo. Conquanto o taekwondo seja um esporte olímpico cercado de tecnologias modernas (nada obstante tal caráter tenha desvirtuado a beleza da luta e a riqueza das técnicas), é importante ter em mente que se trata de uma arte marcial, e isso sim possibilita uma infinidade de oportunidades de crescimento.

Para tanto, algazarras, assovios displicentes, falta de ordem, sujeira de toda ordem, maledicência, ironias intempestivas, posturas para se sentar ou se portar em pé, distrações equivocadas, condutas arrogantes e prepotentes, vestimentas esdruxulas, desorganização de todos os materiais e de cada canto, troca de roupas em local indevido, dentre outros tantos comportamentos irregulares não devem fazer parte do ambiente.

Também é fundamental que os pais conheçam e convivam com o professor ou mestre no ambiente de treinamentos e aprendizados. Os pais têm muito a contribuir e a colaborar, também, e talvez se permitam aprender valores relevantes para suas vidas.

Com a observância dos citados requisitos, os professores ou mestres, juntamente com os pais dos alunos lograrão alcançar o fim colimado que é tornar realidade todos os benefícios acima expendidos, levando-se em conta que educar é a arte de formar caracteres, e o taekwondo tem tudo para ser extremamente relevante na infância e para toda a vida do seu praticante.

Nestor Fernandes Fidelis é advogado com especialização em Direito do Estado, Direito Público, Direito Constitucional e Finanças Públicas, doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad del Museo Social Argentino, facilitador e palestrante de cursos e seminários, professor do curso de pós-graduação em Direito Eleitoral do ICE/Escola do Legislativo e escreve exclusivamente para este Blog toda quarta-feira - nestor@nestorfidelis.adv.br

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Maria Nelsi Baumbach | Quarta-Feira, 27 de Abril de 2016, 22h40
    0
    0

    gostei de mais

  • Luneta | Quarta-Feira, 27 de Abril de 2016, 09h19
    3
    0

    O TAEKWONDO sempre será uma arte de ensino e postura para jovens e adultos ante às adversidades da vida cotidiana.

| 26/04/2016, 20h:40 - Atualizado: 26/04/2016, 20h:53

Prevenção e combate à hipertensão

hebert medico artigo

Herbert Donizeti

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) realiza neste 26 de abril a Campanha Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, que é uma alerta para o reconhecimento da Hipertensão Arterial (Pressão Alta)  e seu  controle adequado.

Este dia é de reflexão sobre a importância desta doença cardiovascular. Trata-se de uma doença de causa multifatorial que sofre importante influência de fatores genéticos em até 75% dos casos e também de fatores ambientais sendo os mais influentes: excesso de peso, aumento da ingestão de sal.

Estudos clínicos têm enfatizado que cerca de 30% de todas as causas de mortes são ocasionadas por doenças cardiovasculares.

Também tem sido demonstrado que a hipertensão arterial é fator risco independente para outras doenças cardiovasculares. Isto significa que quando esta doença está presente aumenta de modo significativo a possibilidade de surgimento de outras doenças cardiovasculares independente da presença de outras condições clínicas.

Atualmente, a hipertensão atinge em média 30% da população brasileira, chegando a mais de 50% na terceira idade e está presente em 5% das crianças e adolescentes. É responsável por 40% dos infartos do miocárdio, 80% dos acidentes vascular cerebral (AVC) e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. No mundo, de acordo com a OMS, cerca de 7 milhões de pessoas morrem a cada ano e 1,5 bilhão, adoecem por causa da pressão alta.

Estima-se que 50% das pessoas com pressão alta não sabem que estão hipertensos e dos que sabem apenas 25% são aderentes ao tratamento. O controle da hipertensão arterial diminuiu o AVC em cerca de 42% e a doença das artérias coronárias em 15%.

Associada ao diabetes mellitus, colesterol elevado e tabagismo, faz parte dos denominados fatores de risco modificáveis, ou seja, que podem ser controlados, através de modificação no estilo de vida como: dieta com baixo teor de gorduras, sal até 5 g ao dia, implementação de frutas legumes, verduras e cereais, redução de carboidratos; prática de exercícios, principalmente aeróbicos; abolição ou restrição de bebidas alcoólicas; interrupção do tabagismo; controle de peso. E se necessário controle com medicamentos.

Como cardiologista e atuante na área de arritmias cardíacas, reconheço pela prática clínica e através de estudos clínicos que determinadas arritmias cardíacas de modo especial a Fibrilação Atrial sofre influência importante da pressão arterial, e que seu controle adequado poderá  evitar a recorrência desta arritmia,  quer o paciente esteja em tratamento predominante clínico ou após tratamento minimamente invasivo por ablação por cateter.

Portanto, como pode-se observar o reconhecimento e o controle adequado da hipertensão arterial possibilita melhora da qualidade de vida e da sobrevida.

Hebert Donizeti Salerno é cardiologista arritmologista e eletrofisiologista da Cardioritmo, em Cuiabá

Postar um novo comentário

articulações | 26/04/2016, 15h:06 - Atualizado: 26/04/2016, 15h:09

Maluf defende bancada estadual à frente do PSDB; Leitão adia debate para maio


O governador em exercício, deputado Guilherme Maluf (PSDB), defende que a presidência estadual do PSDB seja comandada por um deputado estadual. Além dele mesmo, destaca os colegas Wilson Santos e Saturnino Masson como possíveis postulantes ao cargo.

Entretanto, o presidente estadual da legenda, deputado federal Nilson Leitão, explica que a discussão ganhará força no mês que vem. Isso porque, segundo ele, em 2015, o mandato foi estendido por mais um ano, o que ficou atemporal das eleições gerais do PSDB, que ocorrerão somente no ano que vem. “Ainda não tem nada definido”, conta ao Rdnews, tendo em vista que as eleições devem ocorrer neste ano ou em 2017.

Além dos nomes sugeridos por Maluf, Leitão acrescenta que o vice-prefeito de Rondonópolis, Rogério Salles, também é cotado para assumir a presidência da sigla, assim como o presidente municipal do PSDB, Carlos Avallone. “Defendo qualquer nome que seja filiado ao partido. O PSDB não tem problema e será um nome de consenso”, desconversa acerca de uma preferência.

Rdnews

Nilson Leitão-21-10-2014-Davi Valle (19).JPG

    Presidente estadual do PSDB, Nilson Leitão diz que a discussão ganhará força somente em maio

Em relação às ações à frente do partido, Leitão elenca que o aumento de um para quatro deputados estaduais, o fato de ter sido o candidato mais votado, entre os federais, e a filiação do governador Pedro Taques, foram os principais feitos. Em 2014, Leitão obteve 127.749 votos. “A vinda do Taques foi o ponto alto do partido”, destaca, se referindo à troca do PDT pelo PSDB, em agosto passado.

Neste sentido, Maluf afirma que Leitão foi importante na reconstrução da legenda, desde quando assumiu em 2011. Entretanto, ressalta que agora um deputado da bancada estadual assumindo o cargo, prepararia o partido para a eleição de 2018. “Essa é a minha defesa no momento para a condução da sigla”, conclui.

Postar um novo comentário

LRF | 26/04/2016, 12h:14 - Atualizado: 26/04/2016, 12h:38

Governo "culpa" sanção de leis de carreira dos servidores pelo atual inchaço da folha


O governo do estado culpou a aprovação de leis de carreira dos servidores pelo crescimento da folha de pagamento. Segundo o governo, as leis foram aprovadas sem planejamento nos últimos 10 anos, o que tem causado o desequilíbrio econômico vivenciado atualmente, que levou inclusive a extrapolar o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

No ano passado, o gasto com pessoal teve aumento proporcional equivalente a mais que o dobro do aumento da Receita Corrente Líquida, chegando a 15% em decorrência das leis de carreira aprovadas anteriormente.

Entre os anos de 2013 e 2014 foram aprovadas 14 leis de carreira dos servidores públicos estaduais, impactando em R$ 269 milhões na folha de pagamento. Estudos realizados pela equipe técnica do governo do estado apontam que, se fossem desconsiderados os aumentos originados pela aprovação das leis, o Estado não teria extrapolado o limite máximo da LRF.

“Mato Grosso hoje é um dos estados que está acima do limite máximo da LRF, ocupando a quarta colocação. Outros 11 estados já estão acima do limite prudencial. Então o que vemos é uma situação generalizada. Os Estados têm hoje a maior perda real de receita desde a crise de 2009, o que está dificultando o cumprimento dos limites legais com gastos de pessoal”, explicou o secretário de Estado de Gestão, Júlio Modesto.

Gilberto Leite

IMG_2670.JPG

Secretário de Gestão, Júlio Modesto, pondera que lei do reajuste só vale se respeitar limite prudencial

Capacidade de pagamento

De acordo com Modesto, fica evidente que não foi considerada a capacidade de pagamento das despesas de pessoal do Poder Executivo frente ao crescimento das receitas correntes. “Devido à falta de planejamento nos últimos 10 anos em relação a despesa de pessoal do Poder Executivo, que representa a maior despesa do Estado, foi gerado um desequilíbrio que supera 74 pontos percentuais de variação positiva acima do crescimento das receitas, com ganho real médio anual acima da inflação na ordem de 12% para os servidores públicos, extrapolando os limites permitidos pela LRF”.

Os 74 pontos percentuais citados pelo secretário Júlio Modesto dizem respeito ao crescimento da Despesa de Pessoal em comparação com o da Receita Corrente Líquida (RCL) entre 2006 e 2015. O acumulado de despesa de pessoal totalizou 230% no período, enquanto que o da RCL ficou em 156%. “Esse cenário se mostra insustentável a longo prazo, e é o que já estamos vivenciando atualmente. Além dos impactos já realizados que hoje geram tal desequilíbrio, o Estado tem ainda compromissos até 2023 com leis de carreira, que prevê aumentos acima da inflação”, alertou o gestor.

Conforme o secretário, diante do cenário econômico apresentado e, considerando a prioridade máxima determinada pelo governador Pedro Taques, que é o pagamento da folha em dia, a equipe econômica do Estado já está adotando todas as medidas necessárias para que o Poder Executivo tenha condições de cumprir as obrigações, resguardando o bom atendimento ao cidadão e os investimentos nas políticas públicas estabelecidas no plano de Governo.

“Foi determinado pelo governador que todas as possibilidades para a manutenção e crescimento das receitas, e os cortes necessários com os gastos da máquina pública, sejam tomadas a fim de que não cheguemos à mesma situação vivida em mais de 10 estados brasileiros que já estão parcelando salários e outros que já definiram não possuir condições de aplicar o RGA este ano”, afirmou Modesto.

RGA

O Reajuste Geral Anual (RGA), que tem como data base o mês de maio, alcançou uma média de 5,41% nos últimos 10 anos. O índice para o RGA de 2016 está previsto em 11,28%, mais que o dobro da média da última década. “Este é um impacto na folha que não estava previsto para 2016 e temos trabalhado duramente para chegar a uma conclusão positiva juntamente com o Fórum Sindical. Temos realizado diversas reuniões com os representantes dos sindicatos, apresentando os números e ouvindo sugestões. A ida até os poderes para apresentar os números e propor o pacto contra a crise é uma determinação do governador, mas também há um grande anseio por parte do Fórum Sindical e dos sindicatos de que essa relação de proximidade aconteça e todos façam esforços neste ano de crise”, enfatizou Modesto.

O secretário lembrou ainda que apesar da Lei nº 8.278, que regulamenta o pagamento de reposição inflacionária no Estado de Mato Grosso, criada em 2004, é preciso que se observe os parágrafos dois e três do artigo terceiro da Lei, onde está previsto que o RGA só deverá ser pago desde que seja respeitado o índice prudencial da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e a capacidade financeira do Estado. “Por isso estamos trabalhando para esgotar todas as possibilidades antes de tomar uma decisão final”, concluiu. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Sthefany | Quarta-Feira, 27 de Abril de 2016, 08h45
    3
    0

    Diminui o salário desses políticos safados não querem ne..

  • Marcia Regina | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 18h31
    7
    0

    Acho graça quando o governo fala em crescimento de despesa com funcionalismo enquanto a receita líquida caiu. Ora, e os tais incentivos e renuncias fiscais escandalosas para setores que faturam milhões? Então a culpa desse desequilibrio é do servidor? Toma vergonha nessa cara secretário!

  • Pedro | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 18h06
    4
    0

    Se gestores passados não tivessem saqueados os cobres público em vários milhões de reais talvez não tivesse chegado neste nível, agora colocar a culpa nos servidores e no mínimo uma falta de argumentos, se virem querem meu Rga como é de direito.

  • Candelária Montheiro Campos | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 17h38
    4
    0

    FALTA DE PLANEJAMENTO DESSE GOVERNO! A LEI existe e é para ser cumprida. Lemos nos jornais, todos os dias, os roubos atribuídos ao Governo passado, mesmo roubando, o que estão dizendo, ELES cumpriram com as lei, tinham PLANEJAMENTO PARA TUDO, ARRECADAR A PROPRINA DELS DE CADA DIA E O COMPROMISSO COM AS LEIS DE CARREIRAS. SÁLARIO É ALIMENTO.

  • eduardo | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 16h47
    4
    0

    Os senhores estão de sacanagem e como sempre culpam os servidores,,é simples exoneram os comissionados e contratados. e façam concurso

  • Teka Almeida | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 16h15
    6
    0

    Senhor secretário, não adianta falar que a culpa está na lei das carreiras dos servidores e muito menos que não houve planejamento dos governos anteriores. As lei existem, foram aprovadas e planejadas tanto que durante os dez últimos anos foram pagas religiosamente em dias e com RGA na data base certa, ou seja, em maio e 100% incorporada. Se houve falta de planejamento foi da parte desse governo, totalmente inexperiente. Alardearam tanto os primeiros decretos do governo para equilibrar o estado e o resultado está ai, 2015 RGA dividido em duas parcelas, proposta de mudar a data de pagamento, 2016 então nem falo, pois na avaliação desses super-hiper-mega-competentíssimo secretariado está atolado. Desde a chegada do governo de transformação não existe uma só única lei assinada a favor do funcionário público. Mas lhe garanto que saberemos avaliar e dar a resposta na hora certa.

| 26/04/2016, 00h:00 - Atualizado: 25/04/2016, 22h:35

A vida caça jeito

Olga_200_fora

Olga Lustosa

Quando se conta uma piada interessante pela primeira vez para um determinado grupo de pessoas, todos riem muito. Ao contar a mesma piada para o mesmo grupo pela segunda vez, poucos riem. Ao contá-la novamente para o mesmo grupo, ninguém mais ri.

Assim estamos nós; reclamando das mesmas coisas, da política à vida amorosa, dia após dia. É preciso reagir aos acontecimentos, aprimorar os argumentos, ceder, mudar, avançar para um estado de coisa sem essa velha fragilidade de temer as turbulências ou mudanças. 

Eu sou resmungona e ás vezes repetitiva como muitas pessoas. Eu reclamo por impaciência de ter discutir os mesmos problemas todos os dias, sem nenhum fato novo para dar combustível a novas leituras. Eu resmungo por sou incapaz de considerar normal essa bagunça que virou meu país.

Mas sinceramente? É hora de lembrar que nada muda da noite para o dia, nada muda se não mudarmos nós, se não sairmos do estado de paralisia e negatividade, se não aprendermos a colocarmo-nos numa posição de indivíduos merecedores de respeito. O que sempre foi assim, não tem que ser assim para sempre.

Não devemos ignorar a existência das crises pelas quais passamos, tampouco viver como se não houvesse amanhã, senão as coisas podem ficar muito pior antes de melhorar. Queixar-se não é necessariamente o primeiro passo para a mudança se a insatisfação não encontrar um meio de ecoar. Assim como o inverso, calar-se e aceitar a situação ruim e aprender a conviver com ela, ajuda a perpetuar a insatisfação. Devemos prestar atenção nas mensagens que transmitimos e ouvimos. Pessoas muito rápidas para criticar e julgar não se interessam e não são respeitosos com o ponto de vista dos outros.

Há pouco vimos o quanto os políticos são intolerantes e arrogantes uns para com os outros quando divergem ou tem seus interesses contrariados. São homens birrentos! E não tomemos nós essa divergência como sinal de liberdade. Nesse caso é birra mesmo! É a forma como se trata a política, as demandas do povo, os interesses do País. O contexto político atual segue frágil e despadronizado, embora gozemos de uma democracia que resiste bravamente ao processamento dos desmandos, da pessoalidade e da falta de ideias novas.

Os partidos permitem qualquer acordo, entendimento, coalizão imediatista para conquistarem a condição para governar. E repetindo sempre a mesma cantilena, dizemos que esse comportamento faz parte da dinâmica política e que o abraço entre amigos e inimigos é um gesto natural já arraigado no cenário político brasileiro. Consideramos porém, que alianças mal explicadas apenas agrega gente, porém enfraquece o cenário pela calibragem mal ajambrada. 

Poucos políticos ainda buscam orientação pragmática substancialmente voltada para os interesses da sociedade, dentro de siglas que não tem identidade nem capacidade para controlar seus filiados comuns, imagina então, os que detém mandato.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

articulações | 25/04/2016, 20h:19 - Atualizado: 25/04/2016, 20h:21

Deputado defende unidade da base para não entregar Mesa Diretora à oposição


O primeiro-secretário da Assembleia, Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), defende a unidade da base governista nas eleições da Mesa Diretora, para evitar que a oposição chegue à presidência do Legislativo. Segundo ele, os deputados estaduais também precisam evitar o acirramento do debate para não acarretar desgaste perante a população.

“Sempre contestei o debate muito antecipado. Estamos trabalhando para reconquistar a confiança da população e a credibilidade da Assembleia. Quando você antecipa uma discussão dessas e os debates se acirram muito cedo, dá impressão que continua a mesma Casa da Mãe Joana que era no passado”, declarou Nininho nesta segunda (25), se referindo ao período em que o Legislativo era comandado por José Riva.

Nininho também defendeu o diálogo entre o atual presidente e candidato à reeleição Guilherme Maluf (PSDB), e o vice-presidente Eduardo Botelho (PSB), que almeja o cargo. Avalia que a ruptura entre os integrantes da base governista fortalece a oposição liderada pelo deputado estadual Emanuel Pinheiro (PMDB).

Gilberto Leite/Rdnews

nininho

Deputado Nininho defende entendimento entre Maluf e Botelho para não haver desgaste da oposição

“Maluf deseja disputar a reeleição e é um direito dele. Então, que converse com Botelho que é da base e sempre trabalhou junto.  Nada mais justo que sentem para tratar desse projeto. Defendo a composição sadia, sem acirramento. Se tivermos maturidade, não vamos entregar a Mesa Diretora para a oposição. Somos 20 na base governista e não podemos perder para nós mesmos por falta de habilidade”.

Além disso, Nininho afirma que a eleição da Mesa prevista para agosto, deve ser adiada para dezembro, conforme a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) apresentada pelo deputado estadual Pery Taborelli (PSC). Sustenta que o Legislativo ficará com dois presidentes e dois primeiros-secretários até fevereiro de 2017, o que pode causar desgastes desnecessários. “Defendo a eleição em dezembro. O processo foi antecipado no passado para atender interesses de alguns e acho que isso é muito ruim”, concluiu.

Entendimento

Maluf, que concorda com Nininho sobre a necessidade de unificar a base governista nas eleições da Mesa Diretora, afirma que já está buscando o entendimento com Botelho. Alega que sempre defendia a composição com o socialista mesmo  antes de se lançar a reeleição. “Coloquei meu nome para presidente, mas podemos compor, inclusive trazendo a oposição”, pontuou. 

Botelho critica Maluf, garante não recuar e deseja procurar Emanuel

O tucano também quer que a Mesa Diretora seja escolhida em dezembro para não coincidir com as eleições municipais. “Alguns deputados devem ser candidatos a prefeito. Se a votação for no final do ano, podemos ter mais clareza do quadro político na Assembleia”, encerrou Maluf que substitui Pedro Taques (PSDB) no governo do Estado até dia 27. 

Wilson defende chapa encabeçada por Botelho e vai trabalhar por um consenso

Postar um novo comentário

| 25/04/2016, 19h:57 - Atualizado: 25/04/2016, 20h:12

Colapso no sistema penitenciário de MT

joao batista artigo

João Batista

Com um orçamento na ordem de R$ 410 milhões para 2016, a secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos ficou de fora do programa de controle da violência divulgado pelo governo Pedro taques.

Em torno de R$ 303 milhões são reservados para a folha de pagamento para todos os servidores que compõe a Sejudh, inclusive de outras secretarias que foram remanejados como se a secretaria não tivesse servidores competentes para assumirem os cargos de confiança. Já R$ 50 milhões são destinados somente para alimentação de presos e servidores que trabalham em regime de plantões; e R$ 10 milhões para contrapartidas para construção de novas unidades.

Apesar do atual secretário de Justiça e Direitos Humanos pregar na mídia local que o governo do Estado, através do secretário, ter conseguido a prorrogação dos atuais convênios de construção, através do Departamento Penitenciário (Depen), como se fosse um grande feito, essa é uma prática antiga desde gestões passadas e que depõe negativamente, pois os atuais convênios vêm do governo passado, através das gestões passadas da Sejudh.

A primeira assinatura de convênios para construção das novas unidades de Várzea Grande data de 2008, sendo renovados desde então todos os anos, sem que o Estado dê conta de executar a obra, mesmo com a maior parte do recurso vindo do governo federal e mesmo a obra tendo sido licitada ainda na gestão passada, mesmo o recurso estando na Caixa Econômica Federal em Cuiabá, o secretário não dá conta de gastar o recurso.

Ainda na última semana, o juiz de Execuções Penais de Cuiabá, Geraldo Fidelis, fez um desabafo na imprensa, preocupado com a superlotação nas unidades de capital, recorde, inclusive, de lotação na Penitenciária Central do Estado (PCE), com apenas 891 vagas e abrigando mais de 2.100 presos. Na sua fala, o juiz afirma que o sistema penitenciário de Mato Grosso corre o risco de voltar aos tempos de antes com constantes rebeliões e motins, tempos em que servidores eram agredidos e presos executados de forma cruel.

Cansado de não ser ouvido pelo secretário da Sejudh, o juiz interditou as unidades da capital, o que não mudou muito a situação caótica das mesmas, a não ser para pior.

Com relação a investimentos em armas e aparelhos no sistema penitenciário de MT, não passa de um engodo, pois a aquisição desses aparelhos se deu no governo passado, através da gestão passada, ficando o atual governo apenas com o direito de explorar os louros na mídia, como se fosse um grande feito seu, bem como a imagem de caloteiro, já que até hoje não pagou os mais de R$ 1,7 milhão à empresa Imbel, a qual vendeu as armas que hoje são utilizadas pelos agentes penitenciários do Estado de MT.

Com as constantes operações realizadas pelo sistema de segurança do Estado, através de suas polícias, caberá ao Judiciário de MT apenas o desgaste público, pois serão obrigados a colocar em liberdade criminosos sem convívio social, já que não terão vagas no sistema penitenciário.

Com isso segue o ciclo da violência, pois uma das finalidades da prisão é servir de exemplo para que o mesmo ou outros que queiram delinquir tenham nas suas prisões uma medida pedagógica, reinando assim a sensação de impunidade que incentiva o cometimento de novos crimes. Aliados a toda essa tragédia grega anunciada, ainda nos deparamos com o comércio livre e promissor, o de drogas dentro das unidades penais de MT.

Proibidos de revistar visitantes e com o número de efetivos insuficientes, além de aparelhos quebrados e sem manutenção, os já combalidos servidores penitenciários retornam todos os dias para suas casas, não com a sensação de dever cumprido, mas com sensação de derrota, de que o bem está perdendo para o mal, não que o mal seja exatamente os presos, mas, sim, a falta de pulso de um governo que demostra não ter coragem de se impor contra os que o apoiaram na sua campanha, na tentativa de resguardar apoio futuro, deixando assim de lado, uma última cartada na tentativa de evitar tal tragédia, determinando uma intervenção severa no sistema penitenciário de MT.

O tempo urge e o crime vem crescendo, aquilo que se construiu ao longo de alguns anos vem se destruindo pelo engessamento da Sejudh. Diante de tal situação, cabe apenas uma indagação, a quem serve o poder público, no caso o sistema penitenciário, ao bem estar da população ou ao desejo de um cidadão?

João Batista Pereira de Souza é presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT).

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • alexandre | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 10h23
    4
    1

    direitos dos manos e ECA.

PSDB | 25/04/2016, 15h:05 - Atualizado: 25/04/2016, 20h:21

Com França e Dorileo, deputado reforça tese de candidatura própria na Capital


O ex-prefeito de Cuiabá Roberto França e o empresário Dorileo Leal, dono do Grupo Gazeta de Comunicação, se filiaram no PSDB na semana passada. A entrada deles no ninho tucano já era esperada e vinha sendo articulada desde o ano passado. Para deputado estadual e ex-prefeito da Capital, Wilson Santos, as adesões fortalecem o discurso da candidatura própria, o que pode contrariar a intenção do governador Pedro Taques de levar o PSDB para a aliança que apoiará à reeleição de Mauro Mendes (PSB).

Nesta linha, Wilson, que nas últimas eleições esteve em lados opostos a Mauro, avalia que no final de julho ou começo de agosto (período que a legislação determina para as convenções) há a expectativa de que o PSDB encare a disputa como cabeça de chapa.

O deputado é um dos tucanos que se posicionam, especialmente internamente, contra a aliança com Mauro. Wilson administrou Cuiabá por quase seis anos e deixou o cargo para disputar o Governo, em 2010. Em 2008, quando garantiu a reeleição à Prefeitura da Capital, os dois polarizaram a disputa e, em 2010, ambos foram derrotados por Silval Barbosa (PMDB) ao Palácio Paiaguás.

dorileo franca

   Empresário Dorileo Leal e ex-prefeito Roberto França se filiam no PSDB e articulam candidaturas

Em 2012, Mauro também esteve do lado oposto ao do PSDB, mas concorreu com Maluf e venceu o pleito para prefeito. Maluf, por outro lado, se reelegeu deputado e hoje comanda a Assembleia. O presidente do Parlamento tem dito que não tem veto a Mauro.

França e Dorileo

Roberto França retorna ao PSDB depois de 15 anos, antes estava no DEM. O ex-prefeito e ex-deputado se desfiliou da sigla, em 2001. Já Dorileo nunca foi do ninho tucano oficialmente, mas sempre manteve estreito relacionamento com membros da legenda. Apesar disso, optou por se filiar no PMDB, em 2012, com a intenção de disputar a Prefeitura de Cuiabá, mas foi deixado de lado pelo cacique Carlos Bezerra, que indicou Francisco Faiad a vice de Lúdio Cabral.

Desde setembro do ano passado, o empresário de comunicação deixou a sigla, agora segue oficialmente para o PSDB e chega como possível candidato, assim como França. Wilson reforça ainda que o partido tem a maior bancada na Câmara Municipal, com cinco vereadores, o governador que possui domicílio eleitoral na Capital, além de outros ex-prefeitos e o presidente da Assembleia. Sendo assim, não poderia ficar de fora da disputa.

“Eu defendo a tese do PSDB ter candidatura própria e sinto que sairá vencedora”. O parlamentar adianta também que no segundo turno é que se deve discutir estas alianças, mas considera importante que os tucanos lancem candidato para enriquecer o debate e dar mais opção de escolha para população.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • gilmar barroso | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 11h38
    4
    0

    pode vir roberto frança ou dorileo vai perde feio para mauro mendes

  • eduardo | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 10h12
    3
    0

    Ao frigir dos ovos todos se igualam,,,falara de Blairo, ia revolucionar, vejam no que deu,,,falaram de mauro como ótimo administrador,,,vejam no que está dando..então o que falta aos políticos é mostrar um projeto real e discutir os problemas e apresentar solução..do mais é só falácia

  • luana | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 09h50
    5
    1

    Roberto França??????? Naaaaaaaaaoooooo! Durante todo o tempo que esteve a frente da prefeitura de Cuiabá, nunca colocou os salários dos servidores em dia, péssimo administrador, político ultrapassado, precisamos de caras novas na política.

  • Jackson | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 06h06
    5
    0

    Wilson, me erra, só pq é lider do Gov. tá se achando...

  • João | Terça-Feira, 26 de Abril de 2016, 05h54
    5
    1

    Roberto França é um excelente nome, já Dorileo não tem um pingo de carisma apesar das boas ações que realiza, no entanto ninguém tira essa reeleição do Mauro Mendes, só se ele fosse condenado e preso por alguma coisa e olhe lá. Após contratar essa empresa Nhambiquara e realizar bons serviços nos bairros de asfalto e águas pluviais dificilmente alguém vota contra, já nos bairros em que as obras estão paradas sim com certeza o povo tá revoltado, falta só tirar o excesso de quebra molas de algumas ruas, a exemplo da Oriente Tenuta em frente ao edifício Global Gaybols, onde mora um secretário que mandou colocar logo dois em frente ao prédio, Ah e também fazer a PM ou o disk-silêncio apreender essas motos que ficam com sirene entre as 22hs até as 4 e não deixa ninguém dormir, até os que pagam essa M já não pagam mais e esses caras não desistem, inclusive trocou a sirene por uma novinha que vai até no meu andar no 14o...Pelo amor hein. Mas então, voltando ao assunto, Wilson tem que cuidar do seu anelzinho o Rodo anel, antes que o M.P. cuide dele e arrombe suas entranhas num processo crime e de Improbidade ADM, gestacional do gestor, pós graduado em gestão de buteco de grilo...

| 25/04/2016, 00h:00 - Atualizado: 25/04/2016, 07h:37

E depois do feriado

Sandra Alves articulista texto e capa

Sandra Alves

Acordar! Primeiros movimentos de um lado ao outro da cama, a relutância em erguer o corpo em direção contrária ao colchão foi grande. E, se normalmente é um movimento complicado, após o feriado é um pouco mais. Enfim, banho, escovar os dentes, café da manhã. Ligar a TV! Não, a pauta de notícias faz refletir: e se eu não tivesse levantado da cama hoje? Um milhão de aborrecimentos a menos! 

A população sai às ruas para questionar a política e a condução do país. Em todos os lugares o assunto é o direcionamento do país. A resposta política é imediata: impeachment! Tantos outros defendem o governo sob os mais diversos argumentos.

Um jovem de 20 anos ao trabalhar como pedreiro manifesta sua profunda decepção. Ele não tem informações e conhecimento aprofundados sob os fatos e seus desdobramentos, mas sua afirmação comove: se até aqueles que saíram do povo e da pobreza nos decepcionaram quando chegaram ao poder, em que mais eu poderia acreditar?

Conhecimento, neurociência, internet, informação, notícia minuto a minuto. No avião, ao lado de um embaixador pude ouvir histórias acerca da motivação de poucos que trabalham incessantemente para que os conflitos no Egito, Síria e Arábia não acabem. Carros bomba, mortos, guerras. E três dias atrás a notícia de que a China continua realizando testes de mísseis de longo alcance. E em enorme desfaçatez afirma que: "esses testes não têm como alvo qualquer país ou destino". 

Qual é o problema da humanidade? Um homem casa-se com uma mulher e a mantém presa em cativeiro, sendo dopada por medicamentos, espancada e torturada durante dois anos; policiais mataram pessoas acusadas de serem criminosas; pessoas criminosas assassinaram policiais em seu trabalho; e quantas pessoas morreram em colisões frontais de veículos nas estradas nesse final de semana.

Chega de notícias, hora de cumprir obrigações laborais. Entretanto, de volta ao ponto inicial. O trabalho é feito junto a pessoas! O caminho para solução de um determinado problema apontado por um pode ser totalmente subjugado por outro. Conflito, mediação, conciliação? Ainda bem que a ciência evolui para esta nova área, fazer com que as pessoas resolvam seus problemas, seus conflitos!

O problema é que hoje ninguém está a fim de compor nada! Deixa para lá! Sair da sala e tomar um café, comer um salgado. De repente se encontra alguém interessante por lá, também fugindo da discussão. Cantina! Destino certo.

Nova pauta. Homens! Mulheres! Relacionamentos! Reviver o período da adolescência depois que se torna adulto é mais avassalador ainda. Esperar o encontro à noite para conversar. O que significa: rompimento ou noite romântica? Vai saber. Segundo o neurocientista Antônio Damásio, a complexidade do cérebro humano é fantástica e assustadora!

Paciência. O ser humano é limitado, precisa de tempo para compreender que está apaixonado e parar de fazer besteiras. O ser humano é limitado, precisa de tempo para compreender que belos discursos não acabam com a corrupção, que é necessário prestar atenção no momento de votar. O ser humano é limitado, mas aprisionar, torturar, dopar e matar pessoas não é mais uma mera questão de limites, é distorção da própria essência da vida. 

Novo dia. As amarras do colchão prendem novamente com força avassaladora. E se eu não saísse da cama hoje? Menos aborrecimentos? Talvez. Mas também perderia a chance de questionar a sociedade, ajudar meu colega de trabalho, ouvir sobre o encontro de minha amiga, ser chateada pelo mau humor do meu chefe, pagar contas, ouvir música, ficar preso no trânsito, falar com minha mãe, enfim, viver é isso! Vou levantar!

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado, escritora e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

| 24/04/2016, 23h:43 - Atualizado: 25/04/2016, 00h:00

7 Pecados Comportamentais das redes

Maria Augusta artigo

Maria Augusta

Hoje as redes sociais passaram de simples conexões para ambientes sofisticados, que vendem, influenciam e comunicam de forma diferente. Mas, porque estamos em tantas redes e nao atingimos ninguém? Saiba quais os pecados comportamentais mais praticados em ambiente digital que evitam a interatividade.

Gula: O desejo insaciável por alimento no real invade o digital e o conhecido “fominha” ataca com publicações em excesso, utiliza hashtags demasiadamente ou usa do humor exacerbado para atrair para a sua rede pessoal ou profissional.

Preguiça: Linkedin, Facebook, instagram e inúmeras outras redes sociais em que está presente nao funcionarão sem você. Por isso não adianta estar lá se você nao responde as perguntas dos seus cliente, nao interage com seu público ou simplesmente ignora a possibilidade de compartilhamento de conteúdo alheio.

Avareza: O apego em excesso aos bens materiais vai do real ao virtual. E investir em bens de consumo que depois nao terá como pagar para gerar selfies luxuosos, procurar destinos exóticos só para ser diferente ou ostentar uma realidade financeira que nao é a sua é pecado.

Hello! A onda digital é ser verdadeiro e engajar com o que têm, não com o que possui.

Ira: Hoje os valores morais estão em crise e nao precisa de muito esforço para gerar ira nas redes sociais, basta emitir uma opinião contrária que alguém certamente fará observações desagradáveis. Muitos se utilizam dessa estratégia para gerar interesse de terceiros. Atenção: Isso pode ser tachado de  “bulliyng digital”, o que  é considerado crime e pode render-lhe  a perda do emprego por justa causa, processos por danos morais e materiais e em alguns países até cadeia.

Luxúria: O domínio por paixões egoístas e a necessidade de ter todo o prazer do mundo imperam em ambientes virtuais. Nunca se vendeu tanto pelas redes sociais com apelo em corpos cada vez mais sarados, rostos cada vez mais maquiados e fotos baseadas em “nude”.

O resultado desse comportamento é avassalador. E para ser fitness muitos deixam de ser saudáveis, recorrendo a cirurgias plásticas para se alcançar um padrão que nao é o seu e exploram a nudez para influenciar um público cada vez mais jovem.

Inveja: O olhar malicioso é rei em universo digital, já que para apreciar o belo sempre terá alguém depreciando e emitindo um comentário invejoso apenas para pegar carona na popularidade do outro e  influenciar.

Se nao concorda com comentário emita pontos de vista e não o desrespeito; não gostou do “Look do Dia” guarde para você; aquele perfil não te agrada, não o siga.

Soberba: A superioridade, o orgulho e a arrogância são expressadas sempre que julgamos o conteúdo alheio, o bom gosto ou a incapacidade intelectual de alguém. E isso fica evidente nas redes sociais pois a conexão é instantânea.

O ser humano está tão carente de relações de verdade que transfere esta angústia para as redes sociais e o desejo de ser ouvido fica evidente à medida que não importa quem ouça. Então, se está nas redes sociais, procure adotar a política de boa vizinhança e, em vez de fazer um post para engajar, tenha uma atitude de verdade: use o bom senso!

Maria Augusta Ribeiro é coordenadora de Comunicação da BPW América Latina - belicosa555@gmail.com

Postar um novo comentário

Assembleia | 24/04/2016, 10h:14 - Atualizado: 24/04/2016, 10h:19

Meu pai me aconselhou a tomar cuidado com a Mesa Diretora, revela Janaína Riva


A deputada estadual Janaína Riva (PMDB), filha do ex-presidente da Assembleia José Riva, que está em liberdade desde o último dia 8 de abril, afirmou que o pai está evitando interferir na sua vida política. Entretanto, a peemedebista admite que foi aconselhada a não almejar cargos na Mesa Diretora. 

  “Meu pai me aconselhou a tomar cuidado com a Mesa Diretora, até mesmo para não enfrentar os mesmos problemas que ele. Vou participar dos debates e marcar minhas posições no exercício do mandato, mas sempre fora da Mesa Diretora”, declarou Janaína em entrevista ao Rdnews. 

Riva, que comandou a Assembleia durante duas décadas, alternando períodos na presidência e como primeiro-secretário, se tornou réu em diversas ações penais após deixar a vida pública em fevereiro de 2015. As Operações Imperador, Ventríloquo, Célula Mãe e Metástase desvendaram desvios de  cifras milionárias dos cofres do Legislativo, resultando na prisão do ex-deputado. 

Ronaldo Mazza-ALMT

janaina riva presidindo al.jpg

 Janaína Riva foi aconselhada pelo pai ex-deputado José Riva a não almejar cargos na Mesa Diretora

 Sobre as eleições da Mesa Diretora,  previstas para o final de agosto, Janaína se posiciona contra a reeleição do atual presidente da Assembleia Guilherme Maluf (PSDB). Argumenta que a candidatura foi lançada após interferência do Palácio Paiaguás em assuntos do Legislativo. 

 “Sou contra a reeleição. Cria superpoderes para alguns deputados. A experiência do meu pai comprovou que a alternância de poder é extremamente importante.  Infelizmente, a vontade do Executivo está se sobrepondo na Assembleia”, concluiu. 

Essa não é a primeira vez que Riva emite opinião sobre a carreira política da filha. Há poucos dias, manifestou não ter gostado da sua escolha partidária, após deixar o PSD e se filiar no PMDB. “A Janaína filiou contra a minha vontade, porque por mim ela não filiava no PMDB, ela fazia outra opção”, comentou à época.

É o candidato do Paiaguás, afirma Emanuel sobre Maluf na disputa pela reeleição à AL

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • ZE MARIA | Segunda-Feira, 25 de Abril de 2016, 15h31
    4
    0

    EU SO ACHO QUE RIVA ACHOU QUE NADA DISTO IRIA ACONTECER E O MESMO QUE ESTA ACONTECENDO COM LULA E DILMA ACHANDO QUE ESTA ACIMA DA LEI E PENSANDO QUE FOI ELEITO QUERENDO SER DONOS COMPLETAMENTE ENGANADOS AGORA E PAGAR PELOS CRIMES E FICAR CALADOS E SER CIDADAO COMUM E PAGAR PELOS PECADOS. MEU PAI JA DIZIA ROUBOU UMA AGULHA ROUBA ATÉ UM AVIAO.

  • Ailton Marques | Segunda-Feira, 25 de Abril de 2016, 08h32
    1
    4

    Se esse é um bom conselho, deveria ser dado a todos, não somente à filha. É político, que trabalha pelo bem do povo, ou está à serviço da família?

  • ZE TEODORO | Domingo, 24 de Abril de 2016, 17h27
    4
    3

    POR QUE SERÁ?

  • maria | Domingo, 24 de Abril de 2016, 16h10
    4
    3

    kkkkkkkk

  • Everton | Domingo, 24 de Abril de 2016, 11h31
    6
    9

    Cuidado com os conselhos de seu pai deputada pra não acabar no presídio feminino

  • AMARILDO BELEM | Domingo, 24 de Abril de 2016, 10h40
    6
    3

    LA NAO TEM O CARGO DE 25º VICE PRESIDENTE.

  • Carlos Eduardo | Domingo, 24 de Abril de 2016, 10h36
    8
    1

    Belo exemplo de mestre senhora deputada!

| 24/04/2016, 00h:00 - Atualizado: 24/04/2016, 07h:29

Prevenir é melhor que remediar

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

A tão propagada frase: é melhor prevenir do que remediar nunca foi tão verdade. Tão importante quanto o tratamento de qualquer doença, o diagnóstico precoce é a chave para um prognóstico positivo. No caso do câncer bucal, por exemplo, os números são alarmantes.

Segundo dados de 2016 do INCA (Instituto Nacional de Câncer), a estimativa de novos casos é de 15.490, sendo 11.140 homens e 4.350 mulheres. O número de mortes é alto, segundo dados de 2013: são 5.401, sendo 4.223 homens e 1.178 mulheres.

Sendo assim, a detecção precoce do problema pode ser a chave para a cura. Podemos nos autoexaminar em frente a um espelho, por exemplo, sempre observando todas as estruturas da boca, como : gengiva, língua, bochechas, lábios, céu da boca e assoalho de boca (embaixo da língua).

Se notarmos quaisquer alteração ou lesão que não cicatrize, principalmente se dura mais que 15 dias, devemos procurar um cirurgião-dentista para um exame mais detalhado. 

O câncer é uma doença que acomete tantos países desenvolvidos quanto subdesenvolvidos, no Brasil é a segunda maior causa de morte por doença. O câncer de boca está entre os dez lugares mais frequentes de se ocorrer câncer no nosso organismo, então o problema é sério. Não trata-se de uma doença banal, e que deve ser negligenciada. É um problema de saúde pública. 

A etiologia do câncer bucal é um somatório de ingestão de alimentos industrializados, exposição a pesticidas, etilismo e tabagismo, e ainda as causas intrínsecas como a desnutrição, idade, sexo, fator hereditário e genes oncogênicos. Nós mudamos muito os nossos hábitos ao longo do tempo, incorporamos rotinas completamente estafantes e ainda negligenciamos o autocuidado, o resultado disso é uma maior exposição aos fatores de risco.

Embora seja passível de prevenção o câncer bucal não tem recebido a atenção necessária por parte da população de dos profissionais de saúdem principalmente os nossos gestores, que impreterivelmente negligenciam o diagnóstico e o tratamento. Quanto mais rápido a detecção da doença, menos invasivo é o tratamento. Temos pacientes à espera de exames complementares, há meses aguardando a liberação da central de regulação. Isso chama-se desrespeito ao usuário do SUS (Sistema Único de Saúde).

Faltam laboratórios credenciados para a realização dos exames de patologia bucal, e aqui no Estado sabemos que os profissionais desta especialidade são solícitos, competentes e empenhados, mas somente boa vontade não resolve o problema. É necessário vontade por parte do gestor. Somente avaliação e monitoramento como acontece agora por parte do LACEN (Laboratório Central de Saúde Pública do Mato Grosso) é insuficiente.

Mas a classe odontológica não perde a vontade de fazer um trabalho digno, e os especialistas da área se empenham para fazer sempre o melhor para a população. Iniciativas como a do UNIVAG (Centro Universitário de Várzea Grande) que trabalha com campanhas permanentes de educação e prevenção ao câncer de boca são louváveis.

A primeira etapa ocorrerá na terça (26) das 16 às 18h nas clínicas odontológicas da instituição, e toda a população está convidada a se dirigir ao local para um exame, caso apresente quaisquer alteração ou lesão na boca e que seja suspeita. O serviço é gratuito. Prevenir é melhor do que remediar!

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, mestre em Saúde Coletiva, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Diurianne | Domingo, 24 de Abril de 2016, 16h13
    4
    0

    brilhante artigo Jackelyne Pontes. Realmente o câncer de boca é um problema de saúde pública que tem atingido mais de 15 mil pessoas só no Brasil. E o que eu mais chamo a atenção é que a boca é uma das regiões do nosso corpo mais fácil de examinar e fazer o diagnóstico precoce. Mas mesmo assim os casos ainda chegam nos nossos consultórios em fases avançadas...... Procure o seu cirurgião-dentista a cada 6 meses e faça exames periódicos. Ou participe das campanhas permanentes de prevenção do câncer de boca. A 1a será dia 26/4, das 16 às 18h, na clínica de Odontologia do Univag. CUIDE-SE! PREVINA-SE!

Câmara de Cuiabá | 23/04/2016, 12h:47 - Atualizado: 25/04/2016, 08h:25

Lueci quer vereador como vice de Mauro; Maurélio prefere uma candidatura própria


Três dos cinco vereadores por Cuiabá, que pertencem ao PSDB, defendem que o partido indique um nome para ocupar o cargo de vice do prefeito Mauro Mendes (PSB), caso concorra à reeleição. Essa posição vai ao encontro da defendida pelo governador Pedro Taques (PSDB). Da bancada tucana na Câmara, Lueci Ramos e Adevair Cabral defendem que o vice deverá ser escolhido dentre os cinco vereadores.

Atualmente o PSDB é a maior bancada do Legislativo. Além de Lueci e Adevair, fazem parte da sigla os médicos Maurélio Ribeiro e Ricardo Saad e Renivaldo Nascimento, que deixou o PDT, juntamente com Adevair, para seguir os passos de Taques.

Para Maurélio, se o partido visa projeto de disputar à Presidência da República, em 2018, a legenda precisa trabalhar com candidatura própria em todas as capitais. Entretanto, o médico pontua que a decisão passará pelo crivo de Taques. “Eu defendo que o PSDB tenha candidatura própria. Mas queira não queira (Taques) é a estrela maior, e que vem de um compromisso pessoal que terá que argumentar junto com o PSDB o porquê de aceitar a indicação do vice”, frisa referindo-se a retribuição por o socialista tem apoiado Taques ao Palácio Paiaguás.

Rdnews

vereadores_cuiabá_1 saad maurelio ribeiro lueci ramos renivaldo adevair.jpg

 Vereadores do PSDB têm posições diferentes sobre pleito eleitoral sobre candidatura própria ou vice

O posicionamento do vereador é defendido por uma ala do PSDB, como o ex-prefeito de Cuiabá, deputado estadual Wilson Santos. Nomes como o do secretário Permínio Pinto e do presidente da Assembleia Guilherme Maluf são ventilados como possíveis postulantes à candidatura de prefeito.

Maurélio considera que se o prefeito disputar à reeleição como “trampolim” para uma possível corrida ao Senado em 2018, o cenário muda e o cargo de vice entra em outra esfera de discussão. “Se mantiver os quatro anos a vice perde muito em importância, haja vista que ele não teve vice e ninguém notou. Quero crer que o prefeito não cometerá essa irresponsabilidade”, sustenta. Mauro, inclusive, já afirmou que se disputar a reeleição será para ficar por mais quatro anos.

Lueci, por sua vez, ressalta que os cinco vereadores têm condições de ocupar a vice de Mauro, uma vez que eles vivem as necessidades e anseios da população. “Eu gostaria que o partido fizesse reunião e colocasse os nomes dos cinco vereadores, aquele que tivesse mais votos dentro do partido seria o candidato”, declara.

A vereadora também critica o fato de a discussão acerca da disputa da eleição deste ano está somente na esfera estadual. Segundo a tucana, há um descontentamento de alguns parlamentares em razão de isolá-los. “Precisamos ser ouvidos até porque nos sentimos desrespeitado quando não há comunicação”, desabafa.

Apesar de concordar que o PSDB deva acompanhar com o prefeito, Renivaldo discorda com a indicação de um dos vereadores para ocupar o posto. “Não penso nisso. Precisa ser um nome de consenso. E quem deve bater o martelo é o governador”, pontua.

 O Rdnews tentou contato com o vereador Ricardo Saad, no entanto, o celular do parlamentar estava desligado.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • mauro silva | Segunda-Feira, 25 de Abril de 2016, 10h24
    6
    0

    Candidatura própria ; o projeto é à Presidência da República 2018

  • Antonio | Segunda-Feira, 25 de Abril de 2016, 09h44
    4
    1

    Jorge Luiz, se o país te dá nojo, muda daqui...

  • Jorge Luiz | Sábado, 23 de Abril de 2016, 13h23
    5
    0

    Se for o dela melhor ainda né, é cada um querendo o seu neste país que dá nojo

INíCIO
ANTERIOR
1 de 722