Cuiabá, 16 de Abril de 2014
  • Ana Maria

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Ana Maria

  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Camila Paulino

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Paulino

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Marcela Machado

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Marcela Machado

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Thaisa Pimpão

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Thaisa Pimpão

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

MINISTÉRIO PÚBLICO | 27/12/2013, 11h:21 - Atualizado: 27/12/2013, 17h:14

MPE reajusta alimentação para R$ 1,2 mil; aumento atinge 9%

   Em ato administrativo publicado neste mês de dezembro no Diário Oficial, o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, aumentou o auxílio-alimentação dos promotores, procuradores e servidores do órgão em 9%. O beneficio no valor de R$ 1,1 mil subiu para R$ 1,2 mil mensais, o que corresponde a R$ 40 por dia. O novo valor passa a valer a partir de 1º de janeiro.

  O custo do benefício, somente com promotores e procuradores é de R$ 260,4 mil mensais. Anualmente, o valor chega a R$ 3,1 milhões.

  Prado garante que os maiores beneficiados com o reajuste são os servidores. Ele explica que o valor é o mesmo para procuradores, promotores e servidores. Ainda segundo ele, para o aumento do benefício, foi levado em consideração o índice da inflamação no decorrer deste ano que chegou a quase 6%. Também teriam influenciado o aumento da cesta básica e a majoração do quilo do alimento nos restaurantes.

  Segundo Prado, o reajuste não precisou passar pela apreciação do Poder Legislativo porque já havia um limite autorizado pela Assembleia e o acréscimo respeitou o teto. O curioso é que o valor recebido pelos membros do MP é 2,5 vezes maior do que o recebido pelos magistrados estaduais que hoje é de R$ 475. No Tribunal de Justiça, o auxílio alimentação para os juízes e desembargadores foi instituído este ano. Antes ele contemplava apenas servidores.

  Sobre a diferença significativa entre o auxílio-alimentação dos membros do MP e dos membros do Judiciário, Prado salienta que “o TJ oferece um valor menor porque tem muito mais servidor e por isso o impacto na folha é bem maior. Nós que somos um órgão menor, mais enxuto, dá para valorizar mais o servidor”.

  Além do auxílio-alimentação, os membros do MPE recebem outros cinco benefícios sendo eles transporte, moradia e ajudas de custo quando mudar de cidade e para aquisição de livros e materiais didáticos. Somados, os seis benefícios incorporados podem acrescentar quase R$ 10 mil aos salários que variam entre R$ 18 mil a R$ 25 mil de acordo com o cargo, tempo de serviço e entrâncias em que atuam.

Promotores e procuradores têm salários de até R$ 25 mil

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Gilmar Brunetto | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 21h02
    0
    0

    Para os usuários do MT Saúde a contribuição do Estado é inconstitucional segundo o Tribunal de Contas, porém para alguns só falta agora o auxilio amante.

  • Elson Pereira | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 15h48
    0
    0

    Entendo que os doutos promotores devem ter um cardapio balanceado, visto cumprirem uma rotina exaustiva, que não permitem deslocarem até suas residências e efetuarem as ditas refeições nelas, como todo brasileiro trabalhador que sobrevive com mísero salario minimo, o que representa para uma familia composta de três membros, de almoço e janta individual no valor de R$12,00 para tds, lembrando que inexiste a palavra café da manhã, mas como colaboramos menos para o crescimento deste Brasil inusitado, que Autoridades ganham cada vez mais e trabalham cada vez menos, como dizia um velho apresentador da TV Brasileira "ISSO É UMA VERGONHA", que faz o Estado são o povo, então mobilizemos e mostremos que somos um povo pacífico, ordeiro, consciente, mas cansado das roubalheiras dessas figuras.

  • Hans Maier | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 14h37
    0
    0

    Não é à tôa que o Sr Paulo Prado está muito, mas muito, acima do peso. Vejam a foto, que fofura.Estou cada dia mais envergonhado com as chamadas "autoridades" deste país.

  • cELSO bIZARRO | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 12h50
    0
    0

    O Pessoal lá em cima só tão que aumenta salários /benefícios para eles, sabedores de que existe inflação, agora e nós cá embaixo não merecemos tambémpt

  • Celino Teodoro de Melo | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 11h48
    0
    0

    Eles trabalham domingo e feriado? R$ 40,00 X 30/dias = R$ 1.200,00...Isso é sacanagem com a maioria do cidadão de MT e do Brasil em geral...Enquanto a maioria ganha um salário mínimo por mês, essa cambada vai embolsar, quase 2 salários mínimos só para comer...São, realmente um bando de comilões, sem o que fazer, só pensam em se esbaldar...Às custas, é claro do pobre e esfolado cidadão de MT...Vão trabalhar, cambada de sem o que fazer e deixem de surrupiar os cofres públicos...

  • Ezequiel Salomão da Silva Salomão da Sil | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 11h41
    0
    0

    Caro colega Romilson porque voCê não faz uma pesquisa sobre esse absurdo, se a população aprova ou não essa palhaçada do "MISTÉRIO PUBLICO".

  • Ezequiel Salomão da Silva | Sexta-Feira, 27 de Dezembro de 2013, 11h35
    0
    0

    Nãoooooooooooooooooooooooooooooooo acriditooooooooooooooooooooooooooooooooooo!

| 15/04/2014, 18h:09 - Atualizado: 15/04/2014, 18h:12

Câmara aprova e Prefeitura de Cuiabá deve pagar verba indenizatória à Força Municipal


A Câmara de Cuiabá em meio à polêmica da cassação ou não do vereador João Emanuel (PSD), aprovou hoje (15) o projeto do Executivo que autoriza a indenização por desempenho, a ser paga aos militares que atuarão na Força Municipal de Segurança da Capital. O pagamento vai ser efetuado por meio de Verba Indenizatória, prevista no orçamento da secretaria municipal de Apoio à Segurança Pública.

A Força Municipal é o resultado de um termo de cooperação assinado entre a Prefeitura de Cuiabá, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil. Estará apta a atuar nas unidades de saúde, escolas públicas, feiras livres e grandes eventos, como a Copa do Mundo. O efetivo passará a atuar assim que o decreto for assinado pelo prefeito Mauro Mendes (PSB).

Com este projeto aprovado, o oficial Militar e delegado, por exemplo, vão receber R$ 20 por hora trabalhada nos dias de semana. Nos feriados e finais de semanas receberão R$ 24, limitando a 8 horas/dia e 90 horas/mês. A princípio, 10 viaturas personalizadas estarão à disposição da Força Municipal. As equipes serão formadas por policiais militares e civis, além de bombeiros, que se voluntariarem a trabalhar em seu período de folga, sendo remunerados pela prefeitura.

De acordo com a proposta, a remuneração dos outros agentes de segurança será feita da seguinte maneira: aos subtenentes e sargentos militares e escrivães de polícia, o pagamento de R$ 16 por hora trabalhada nos dias de semana, e R$ 18 aos finais de semana e feriados, limitado a 8 horas/dia e 90 horas/mês. Aos cabos e soldados militares e aos investigadores de polícia, serão R$15 por hora trabalhada nos dias de semana e R$ 17 nos finais de semana e feriados. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • domicio | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 20h04
    0
    0

    O TCE , O MPE, não vao se pronunciar sobre esse absurdo que foi aprovado na casa do dos horrores 2014?. não e legal e mto menos e imoral. onde esta o direito do descanso do poilcia.

| 15/04/2014, 16h:17 - Atualizado: 15/04/2014, 16h:26

Ao vivo, cientista analisa caso João Emanuel


Arquivo/RDNews

camara_capa.jpg

No RDTV, analista repercute cancelamento da sessão que apreciaria a cassação de ex-presidente da Câmara

O RDTV desta quarta (16) vai mostrar todos os detalhes da sessão da Câmara de Cuiabá que apreciaria o pedido de cassação do ex-presidente da Casa, Vereador João Emanuel (PSD). Uma decisão da Justiça provocou uma reviravolta no andamento dos trabalhos, impedindo a realização dessa matéria. Confira os argumentos usados pela defesa do parlamentar, a repercussão disso tudo nos bastidores e os encaminhamentos tomados pela mesa diretora do legislativo cuiabano.

Para analisar todos esses fatos, o cientista político João Edisom é o convidado ao vivo do RDTV. O bate-papo começa às 8h30 e permite a interação do internauta, que deve acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Postar um novo comentário

| 15/04/2014, 11h:18 - Atualizado: 15/04/2014, 11h:42

Walace passa apurado em Várzea Grande


Fernando Ordakowski

walace

Prefeito Walace Guimarães (PMDB) afirma que "herdou" 500 milhões de dívidas e, sob desgaste política, está tentando ajustar administração em Várzea Grande

O prefeito Walace Guimarães (PMDB) está passando apurado para administrar Várzea Grande, segundo maior município do Estado com 300 mil habitantes. "Herdou" nada menos que R$ 500 milhões em dívidas. Dos 200 bairros, 120 não possuem asfalto. Somente 14% têm cobertura de esgotamento sanitário tratado. Metade das residências não recebe água regularmente nas torneiras e 70% do que se produz são perdidos por causa da rede envelhecida, inadequada e dos tubos de péssima qualidade debaixo da terra. A falta de infraestrutura é tanta que Várzea Grande figura na triste estatística de um dos 100 piores municípios do país em esgotamento sanitário. Com um ano e três meses de mandato, Walace, um médico que entrou na vida pública como vereador e depois como deputado estadual, afirma que, primeiro, teve de "arrumar" a casa. Para conseguir a regularização fiscal, gastou R$ 100 milhões. Com isso, o município está apto a receber recursos, saindo da condição de inadimplente. Conseguiu regularizar a folha salarial do funcionalismo e espera, com a conquista de R$ 333 milhões do PAC, avançar na questão do saneamento.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Hernani Monteiro da Silva | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 18h01
    0
    0

    Hernani Monteiro da Silva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Manoel Gomes de Arruda | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 14h02
    0
    0

    Manoel Gomes de Arruda , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • linda | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 13h43
    0
    0

    Acredito que o prefeito Walace esta muito mal assessorado, o que falta muito é competencia p administrar varzea grande, hoje nao temos nada a comemorar, as ruas emburacadas,falta de agua, esgoto a saude esta pior do que um caos a falta de segurança e na cidade toda, hoje não podemos deixar nem os nossos filhos so em casa, em fim tem que ser feito um novo lealte na cidade eu moro em um bairro nobre da cidade, nobre de de nome esta uma vergonha temos agua que escorre dia e noite na rua um mal geiro insuportavel

| 15/04/2014, 09h:47 - Atualizado: 15/04/2014, 10h:11

Deputado-empreiteiro e a luta por pedágio


Fernando Ordakowski

nininho

Deputado Nininho, um dos acionistas que explorava cobrança de pedágio na 130

O deputado-empreiteiro Ondanir Bortolini, o Nininho (PR), tem se movimentado de todas as formas nos bastidores na esperança de retomar a cobrança de pedágio na MT-130, entre Rondonópolis-Poxoréu-Primavera do Leste. Ele é um dos acionistas da Morro da Mesa, que explora a concessão. Recorreu à Justiça, mas não obteve êxito. O Ministério Público bate duro. Não só pediu a suspensão da praça de pedágio, como quer que a empresa faça ressarcimento de R$ 80 milhões. De fato, a concessionária demonstrou incompetência neste curto período “cuidando” da rodovia estadual. Foi até multada pelo Procon de Rondonópolis em R$ 3,3 milhões, após registro de 29 denúncias, entre elas de falta de acostamento, de matagal às margens da pista, de buracos, de sinalização deficitária, da inexistência de sinal de telefonia móvel e de serviço precário de guincho e ambulância. Nininho parece não estar nem aí para o cidadão que até demonstra disposição para pagar o pedágio, mas desde que a via tenha boas condições de trafegabilidade.

Postar um novo comentário

| 15/04/2014, 08h:19 - Atualizado: 15/04/2014, 10h:49

Glebas Cristalino e a Maiká são transferidas da União para o Estado; Intermat regulariza


Após 30 anos de disputa judicial, foi assinado o termo de Cessão de Direitos e Doação das glebas Maiká e Cristalino/Divisa, passando a gestão da área da União para Mato Grosso. Em reunião ontem (14) no município de Marcelândia, o governador Silval Barbosa (PMDB) e o ministro do Desenvolvimento Agrário Miguel Rossetto (PT) decidiram que a regularização das terras será feita através do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) a fim de garantir segurança jurídica e desenvolvimento para a região.

Durante discurso, o governador ressaltou que esta é uma luta antiga e que a partir de agora todos estão aptos a regularizar sua propriedade. “Os produtores devem ir ao Intermat, encaminhar seus processos e regularizar suas áreas com urgência”, disse.

O governador ainda destacou que a regularização das terras vai valorizar as propriedades e que o crescimento do agronegócio dará oportunidade aos moradores devido à chegada de indústrias e empresas.

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) afirmou que o convênio firmado para regularização de terra irá dar segurança jurídica para os empreendedores, ajudar no desenvolvimento da região e no crescimento do PIB.

Além de Marcelândia outros municípios beneficiados são Matupá, União do Sul, Nova Santa Helena, Novo Mundo e Alta Floresta. (Com assessoria)

Postar um novo comentário

| 15/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 15/04/2014, 00h:31

A lei do Talião

  1. Versículo 23. mas se resultar dano, então darás vida por vida;
  2. Versículo 24. olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé;
  3. Versículo 25. queimadura por queimadura, ferida por ferida, golpe por golpe.
  4.  
olga_artigo_domingo

Olga Lustosa

No México, na Argentina, no Brasil e provavelmente em muitos outros países está havendo uma onda de reações violentas para responder aos atos de violência praticados por marginais. Nesses casos, as pessoas estão tomadas por sentimentos de vingança e não por sede de justiça.

E ora, se não somos marginais, se repudiamos o disseminação da violência, não devemos agir como tais. Não mais vivemos em estado de natureza, sem regras, sem leis e por mais que se esteja desiludido com o sistema, com a frouxidão das punições, do cumprimento das sentenças, quando “fazemos justiça” com nossas próprias mãos, estas se igualam à mãos dos criminosos, nos colocamos acima da lei e tornamos carrascos. Sem leis, já não seremos uma sociedade civil e vamos degenerar nossa condição humana para uma situação degradante e sem controle.

Ademais, não podemos retroceder ao Código de Hamurábi, uma compilação de leis punitivas antigas e rígidas com 282 cláusulas, decretado pelo rei da Babilônia, Hamurábi, por volta do ano 1772 a.C., para regular as obrigações e deveres nos relacionamentos familiares, religiosos e comerciais e nos desvios de conduta de qualquer natureza. Composto pelo Manual dos Inquisidores, a Lei das XII Tábuas e pela Lei do Talião, o código impõe uma pena para cada tipo de delito, sobretudo observando a Lei do Talião, palavra que vem do latim e significa “tal”, “igual”, o que reforça a tese de se restituir na mesma medida o ato de violência sofrido, ou seja, estabelece o princípio da igualdade entre o crime e a punição.

Contextualizado, é óbvio que o Código de Hamurábi e seus compêndios foram decretados pela conveniência dos homens em converter em leis, suas necessidades sociais para regular a vida humana em sociedade na época.

Eu porém, continuo a defender, a desbarbarização dos seres humanos, embora reconheça que temos vivido tempos de violência levada às extremas conseqüências e não saiba com que arma poderosa venceremos a violência que planta horrores em nossos cotidianos. Mas não existe violência justa, não existe violência necessária.  Nesse sentido, repito Norberto Bobbio, para quem o princípio ético de não matar é absoluto, imperativo e categórico.

O original do Código de Hamurabi, possivelmente o primeiro escrito jurídico do Ocidente, com estabelecimentos de normas penais consideradas muito bem elaboradas para o seu tempo, pode ser visto no bloco original de pedra em que foi escrito no museu do Louvre, em Paris.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Stanley Pires de Ávila | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 11h40
    0
    0

    Colaboro com o comentário do colega Ariosvaldez, e acrescento mais: quando o sangue jorrado pela violência é nosso ou de nossos entes queridos, dificilmente se pensará duas vezes antes de buscar justiça, mesmo a indevida com as próprias mãos. Ocorre que por que a nossa sociedade tornou-se cada vez mais "tolerante" às mazelas da violência, e no quadro de abandono do Estado (quem realmente devia nos assegurar o direito à segurança). Bandido hoje não tem medo de agir violentamente, pois sabe que não terá nenhuma dificuldade em "tacar" o terror, pois todos somos obrigados a depender da "çeguranssa púbrica" (errado mesmo). Duvido que quem hoje condena esses atos de puro extravaso de quem não aguenta mais ser refém de bandido, e quando tem seu direito à segurança violado consigo ou com os seus não deseje lá no fundo no mínimo devolver a violência sofrida.

  • Ariosvaldez Rodrigues de Lima | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 07h30
    1
    0

    Compreendo a cautela do discurso da nobre colunista, entretanto, quero salientar que, numa sociedade séria, bandido é tratado como bandido e cidadão como cidadão... O Brasil está longe de ser considerado um sociedade séria, o nos resta, como resposta à inércia do Estado que sustentamos como nossos tributos é mesmo promover a autotutela... isto não é retroceder, é legítima defesa social!

| 14/04/2014, 19h:25 - Atualizado: 15/04/2014, 18h:16

Em 1985, Dante numa visita à Assembleia e na campanha vitoriosa a prefeito de Cuiabá


Em 1985, Dante de Oliveira, então no PMDB, disputa a Prefeitura de Cuiabá, usando o slogan "Dante Sim, Dante já - o homem das Diretas Já". Estevão Torquato entra como vice da chapa, que sai vitoriosa. Dante deu uma surra de votos nas urnas no médico Gabriel Novis Neves (PDS), candidato do então governador Júlio Campos. Foi nessa época, durante uma entrevista na TV, que Júlio deu uma "banana" para Dante e que muitos interpretam até hoje como se o gesto com os braços tivesse sido um recado para os professores, que estavam em greve. Dante era deputado federal e tinha ganhado projeção em todo país com sua emenda pelas Diretas-Já na eleição para presidente da República, marcando o processo de redemocratização do país. Embora a proposta tenha sido derrotada no Congresso Nacional, serviu de instrumento para o brasileiro garantir de volta o direito ao voto para presidente 21 anos após os anos de chumbo que marcaram a ditadura militar (64/85). Dante veio a ser ministro da Reforma Agrária no Governo José Sarney, ganhou novamente a Prefeitura de Cuiabá e foi governador por dois mandatos. Em 2002 perdeu para Senado e, na campanha de 2006, quando buscava vaga de federal, veio a falecer.

Demóstenes Milhomem

dante em 84

Louremberg Nunes Rocha, Dante de Oliveira, ministro Lyra e o deputado Ferrerinha, na AL, em 1985

Na foto, Dante aparece em visita à Assembleia Legislativa com o ministro Fernado Lyra (Justiça). Estão também o ex-senador Louremberg Nunes Rocha (à esq.) e o deputado na época Antonio Ferreira Neto, o Ferrerinha, de Rondonópolis.

Postar um novo comentário

| 14/04/2014, 16h:15 - Atualizado: 15/04/2014, 09h:03

Ao vivo, deputada Luciane Bezerra nesta 3ª


Rodinei Crescêncio/RDNews

14042014luciane

Deputada Luciane Bezerra ao vivo no RDTV desta 3ª

O RDTV desta terça (15) conta com a presença ao vivo da deputada estadual Luciane Bezerra, que vai falar sobre os trabalhos desenvolvidos na Assembleia Legislativa assim como revelar as últimas articulações do PSB, uma vez que é vice-presidente da sigla em Mato Grosso, junto ao grupo que trabalha pela chapa de oposição ao Governo Silval.

Para participar do bate-papo, que começa às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz a manifestação do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller (PMDB), sobre a filiação do ex-juiz Julier Sebastião à legenda. E ainda como está a retomada do projeto Faixa Verde em Cuiabá e a proposta apresentada na Câmara de Vereadores que prevê a cobrança fracionada dos estacionamentos privativos.

Postar um novo comentário

| 14/04/2014, 12h:35 - Atualizado: 14/04/2014, 12h:39

CCJ aprova parecer da Comissão de Ética; Reunião de líderes receberá documento


Os membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara já aprovaram o parecer sobre o relatório da Comissão de Ética. O documento atenderia a todos os trâmites formais que levam cassação de João Emanuel (PSD). Assim, não haveria vícios ou irregularidades que acatem na inconstitucionalidade do processo. Isso inclui a ampla defesa que teria sido atendida dentro da legalidade, ao contrário do que alega o social-democrata.

Segundo o presidente da CCJ Faissal Calil, a ampla divulgação do vídeo contra o parlamentar na imprensa foi decisiva para validar o relatório da comissão. Assim, o argumento de João Emanuel de não ter tido acesso ao material não procede ao ponto de ele não poder elaborar sua defesa. “Houve realmente quebra de decoro”, diz o vereador.

Agora cabe à Mesa diretora colocar o relatório em votação amanhã (15). Na sessão, João Emanuel havia arrolado 53 testemunhas, mas os vereadores entendem que o número é desnecessário e ele poderá levar 10. O tempo para manifestar defesa é ilimitado, o que pode estender consideravelmente o encontro. O ex-presidente poderá também exibir o vídeo de empresária que teria defendido o parlamentar e dito que era tudo armação.

A reunião de líderes com demais vereadores foi transferida para a tarde, ainda sem horário definido. Nela, eles passam a ficar cientes do conteúdo do processo a fim de poder votar na sessão extraordinária de amanhã (15). Faissal afirma que o regimento interno prevê que o presidente também vote, assim, Julio Pinheiro não teria voto de minerva. E todos da CCJ reforçaram que votam pela cassação.

 O presidente da CCJ também aponta que a defesa de João Emanuel tenta travar o processo de todas as formas. Entrou com recurso dizendo que a reunião deveria ser convocada com 3 dias de antecedência, mas foi indeferido. “A defesa está tentando de todas as formas anular os trabalhos, tanto na Justiça quanto de forma administrativa, ao tentar impedir reunião da CCJ e sessão de julgamento”,  relata Faissal.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Dornele$ | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 13h05
    0
    0

    Dornele$, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 14/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 13/04/2014, 21h:56

Início, fim e o meio!

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Ansiedade, euforia, medo, coragem, desespero e felicidade! Imagine uma situação em que todos estes sentimentos aflorem. Talvez tenha vindo a sua mente um meteoro caindo sobre a terra, e naquele exato momento você abraçando a pessoa que mais ama! É claro que você não seria muito normal caso tivesse pensado nisto!Mas, não. Nem é preciso tal cena cinematográfica ou esquizofrênica para ser possível ver as emoções que citei no semblante de um ser humano. É suficiente uma "confraternização de encerramento"! Ou melhor, aquela festinha de despedida.

Há poucos instantes tive a grata satisfação de participar deste evento. Todo aquele aspecto formal que deveria alinhavar o encontrou se desfez na doçura do sorriso do primeiro a usar a palavra. Dizia ele que não tinha preparado um discurso, já que não se havia previsto tal solenidade, mas mesmo assim - quem dispõe sempre de um plano "B" - sacou do bolso um pequeno papel amarelado, com escritas a mão, para externar seu agradecimento pela convivência com pessoas que lhe somaram de modo incomensurável.

A confraternização foi oferecida para concluir um período de dois anos de atividade - gestão, para os mais técnicos. Neste local específico, hoje é tempo de mudar a gestão. Algumas pessoas saindo, outras chegando. E mais algumas continuam. Isto não importa muito na verdade: quem está chegando está vindo de algum lugar; quem está saindo vai conhecer um novo horizonte; e quem fica, bem, quem fica tem a alegria de viver com quem finda e com quem inicia.

Certo, deixando a filosofia e voltando a minha observação do ambiente. Estive ali olhando tudo e todos por mais um instante. Vi nos olhos da pessoa mais "durona" da reunião um mar de lágrimas, contido e disfarçado, mas estava lá.

Duas colegas grávidas eram a todo tempo contempladas, representavam de forma simples as novas vidas que se aproximam - significavam ali a necessidade de seguir adiante. Um líder que se despedia daquele local - alçando vôos mais altos - falou de forma emocionada sobre o desafio na empreitada dos últimos dois anos. Eu consigo sintetizar suas palavras na frase "fazer a diferença na história através de nossos atos, atos que digam respeito a consideração pelas pessoas!"

Este tipo de encontro é sempre um momento único. Sabe aquela pessoa que você julga antipática e insensível? A voz dela também embargou ao ter que dizer algumas palavras. E aquela outra que primeiro chega e por último sai do trabalho, após ser chamada, caminha acanhadamente até o centro para receber as homenagens devidas. Esse turbilhão de pensamentos vieram me acompanhando no trajeto do trabalho ao lar. Como a manifestação da vida humana, naquele momento em que baixamos todas as nossas defesas e deixamos vir à tona o aspecto mais sensível de nossa alma, pode ser algo tão fantástico!

Uma emoção de momento: breve, passageira, fulgás! Provavelmente sim. Não nos permitimos viver desarmados e expor nossos sentimentos no dia a dia. Guardamos tudo para os momentos de "confraternização de fim de ano", para as "festas de despedida", para o início disso e o fim daquilo. Sugiro um caminho mais perigoso. Ouça as pessoas, interesse-se por pessoas. Sorria mais! Ás vezes é tudo meio desesperador, os sentimentos se intensificam e se misturam. Mas enfim, por que não? Que tal ser um pouco maluco beleza? "O início, o fim e o meio"!

Sandra Cristina Alves é tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

| 13/04/2014, 22h:49 - Atualizado: 13/04/2014, 23h:08

Lúdio só tem Valtenir de dirigentes da base


Fernando Ordakowski

ludio valtenir

Lúdio Cabral, que tem Valtenir Pereira como o único apoiador dos presidentes dos 9 partidos da base

Lúdio Cabral se lançou como pré-candidato a governador pelo PT, após correntes do partido terem negociado filiação do então juiz federal Julier Sebastião para liderar o projeto majoritário. O maior motivador do ex-vereador foi outro ex-vereador, ex-petista e hoje deputado federal pelo Pros, Valtenir Pereira (ex-PSB). Para uns, Valtenir percorreu dezenas de municípios defendendo o nome de Lúdio ao Governo para não tê-lo como concorrente à Câmara Federal. A principal base eleitoral de ambos é Cuiabá. Para outros, Valtenir percebeu que Lúdio seria o nome mais leve, carismático, com recall da campanha de 2012 e pontencial eleitoral capaz de, pelo bloco governista, contrapor o oposicionista Pedro Taques (PDT). O problema é que Julier foi para o PMDB e Blairo Maggi reavalia a hipótese de ser candidato ao Paiaguás, além do vice-governador Chico Daltro (PSD) também se colocar no páreo. Em meio ao racha e bate-cabeça, apenas Valtenir, um dos nove dirigentes dos partidos da base (PR, Pros, PMDB, PC do B, PSD, PP, PSC, PRB e PP), defende Lúdio na corrida ao Governo, mesmo o petista aparecendo entre segundo e terceiro lugar nas intenções de voto, atrás de Taques e Blairo.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Paulo | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 11h12
    1
    2

    Claro, Valtenir tem razão em lançar Lúdio candidato a governador, caso Lúdio não engrene na condição de Governador, vai concorrer as vagas de deputado federal, e concorrerá contra os interesses de Valtenir, visto que tem o mesmo eleitorado....

| 13/04/2014, 21h:30 - Atualizado: 14/04/2014, 12h:40

Daltro põe defeito em pré-candidaturas e se diz único da base viável para o Governo


O vice-governador Chico Daltro insiste na sua pré-candidatura à sucessão estadual, mesmo os demais líderes do PSD e de outras legendas situacionistas não levando a sério esse projeto majoritário. E ele bate duro, se autodefinindo como único nome do bloco lançado de fato. Na reunião da base governista semana passada, Daltro disparou críticas para todo lado. Disse que o petista Lúdio Cabral está viajando os municípios sem consultar o próprio partido. Sobre o senador Blairo Maggi (PR), nome mais forte do grupo, considera que este segue no muro, se antovalorizando demais e achando que as pessoas têm de implorá-lo para ser candidato. Criticou os institutos de pesquisa, que trazem-no entre os “lanternas”. Afirmou que são "todos comprados".

Na reunião interna, Daltro pontuou que Julier Sebastião não é consenso no PMDB. Reclamou também do fato do PR querer lançar dois candidatos majoritários, no caso Blairo ao Governo e o deputado federal Wellington Fagundes ao Senado. Sugeriu que o partido opte por um dos projetos, abrindo espaço a outras legendas. Cutucou também o deputado Valtenir Pereira (Pros), definindo-o como afobado por tentar antecipar o processo eleitoral.

Ednilson Aguiar

chico daltro

Chico Daltro (PSD) aponta dificuldades de outras siglas e lideranças sobre candidatura majoritária e se autodefine como único nome da situação que foi lançado por unanimidade, sem conflitos internos

Por fim, Chico Daltro enfatizou que ele é o único nome do grupo de 9 partidos ligados ao governo Silval e à presidente Dilma Rousseff definido por consenso pelo PSD, inclusive anunciado em encontro em Cuiabá em fevereiro com a presença da cúpula nacional. Não mencionou, porém, o fato da própria legenda social-democrata ter outro virtual candidato a governador: o presidente da Famato, Rui Prado. E, assim, segue Daltro acreditando na viabilidade de sua candidatura, mesmo não tendo concretizado o sonho de ter se tornado governador, com a renúncia de Silval, para passar a ter o controle da caneta. Sem ela, sua voz não ganha eco.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Dornele$ | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 13h04
    4
    4

    Rrsrssr! Gostei da piada!

  • Lairton | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 10h01
    7
    6

    Sabe de nada Inocente... é Muvuca 2014

  • CAMPO DO BODE | Domingo, 13 de Abril de 2014, 22h36
    4
    4

    CAMPO DO BODE, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 13/04/2014, 17h:04 - Atualizado: 14/04/2014, 12h:41

Barra começa fazer plano de saneamento; empresa fará pesquisa de opinião


de Barra do Garças

Divulgação

sistema de tratamento agua esgoto de Barra do Garcas.jpg

Sistema de tratamento de água  de Barra do Garças

A cidade de Barra do Garças, polo do Araguaia, será uma das primeiras de Mato Grosso a ter um Plano de Saneamento Básico. Uma pesquisa de avaliação compõe o conjunto de informações que vai nortear o projeto para os próximos anos. A planilha foi elaborada pela empresa Hollus, que reuniu segmentos organizados do município para a primeira audiência pública para discutir os focos do futuro plano. 

A empresa buscou na população subsídios que servirão de conteúdo para a peça que será apresentada ao prefeito Roberto Farias (PSD) e, consequentemente, levado ao plenário da Câmara. Além de ouvir a população por meio de questionários, mais duas audiências serão realizadas até a conclusão final do projeto, que prevê investimentos na expansão e melhoria da qualidade da água, ampliação de redes de esgotos e implantação de políticas públicas para o setor. 

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Barra do Garças, Márcio David, a cidade sai na frente de outros municípios ao lançar um plano de saneamento básico com a participação efetiva da população. "A empresa trabalha o projeto sustentado por sugestões e apontamentos dos problemas pelos moradores, parte interessada nas soluções. É um plano ousado e que colocará Barra no topo do saneamento básico em Mato Grosso", diz.

 Dentro do plano, constam os investimentos que estão sendo feitos pela empresa concessionária dos serviços de água e esgoto, a Águas de Barra do Garças. A concessionária prevê a aplicação de R$ 67 milhões em saneamento no município. Deste montante, R$ 30 milhões serão investidos durante os primeiros cinco anos de atuação. 

Ainda de acordo com a empresa, que assumiu o controle dos serviços em 2013 em substituição a Emasa, a ampliação do sistema de coleta e tratamento de esgoto em Barra do Garças serão antecipadas em 18 anos. Ao invés de esperar até 2033, já em 2015 o serviço estará disponível para 70% da população e até o final da concessão, 95% da cidade terá a rede de esgoto disponível, cumprindo com as metas contratuais.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Luizinho Xibiu | Domingo, 13 de Abril de 2014, 20h53
    0
    0

    Gostaria de informar que o Município de Alto Araguaia já tem Plano de Saneamento Básico, desde de 2013. As ações da Prefeitura tem foco preponderante no planejamento elaborado com a participação da sociedade.

| 13/04/2014, 16h:00 - Atualizado: 14/04/2014, 09h:03

Nesta 2ª, superintendente do DNIT em MT


Arquivo/RDNews

estradas_mt

Nesta segunda, ao vivo, superintendente do DNIT vai falar sobre os investimentos nas rodovias de MT

O superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte em Mato Grosso, Luiz Antonio Garcia, é o entrevistado ao vivo do RDTV desta segunda (14). Na oportunidade, vai falar sobre os principais projetos da superintendência, relembrar as ações já realizadas e revelar as metas e desafios para 2014.

Os interessados em participar do bate-papo, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa mostra como está funcionando o Juizado Especial do Torcedor especialmente em dias de jogos na Arena Pantanal e também a bronca do prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), e do presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), Valdecir Luiz Colle (PSD), com a distribuição dos recursos do Governo Federal para as cidades.

Postar um novo comentário

| 13/04/2014, 10h:16 - Atualizado: 15/04/2014, 13h:21

PPS reforça apoio a Taques e descarta aliança com PTB; DEM não barra diálogo


O presidente estadual do PPS, prefeito de Rondonópolis Percival Muniz, rechaça qualquer possibilidade de se unir com os petebistas, assim como abrir espaço para dialogar com o presidente estadual da sigla, ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo.

“Estou com o projeto do senador Pedro Taques (PDT) ao Governo. Não tem nada a ver o Galindo me pedir apoio”, descarta o prefeito. O PTB lançou a pré-candidatura de Luiz Antônio Pagot e agora começa a buscar os apoios.

Percival chegou a declarar que não quer ser empecilho para a pré-candidatura de Taques. Antes, o presidente do PPS era um dos maiores incentivadores do senador ao Paiaguás, no entanto, de uns meses para cá vem demonstrando sinais de desânimo e afastamento do grupo. Nos bastidores, a informação é que o prefeito ficou revoltado com negativa do nome da esposa Ana Carla Muniz a vice do pedetista.

Além do PPS e PDT, o grupo de oposição encabeçado por Taques, é composto pelo PSB, DEM, PSDB e PV. Já a base governista é formada pelo PMDB, PR, PT, PSD, Pros, PC do B, PSC e PRTB. Os pré-candidatos são o petista Lúdio Cabral, vice-governador Chico Daltro (PSD), o pecuarista Maurição Tonhá e Cidinho Santos, ambos do PR. Os dois últimos, contudo, estão praticamente descartados.

DEM

O senador Jayme Campos (DEM), por sua vez, afirma que é válida a pré-candidatura de Pagot, uma vez que quanto mais candidatos mais opções a população terá para escolha. O democrata, contudo, diz que houve um convite por parte do PTB, mas que vai conversar normalmente, como acontece com outros partidos. “É indiscutível a grandeza do PTB e a figura de Pagot pelos serviços prestados a Mato Grosso”, enfatiza o parlamentar. Jayme não descarta também uma conversa para que os petebistas voltem ao grupo.

A sigla de Galindo "namorava" o grupo de Taques, mas decidiu lançar Pagot por demora em algumas definições. Jayme afirma que entende as razões do desligamento. “Essa posição do PTB também é legítima”, ressalta.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Mariana | Terça-Feira, 15 de Abril de 2014, 15h25
    1
    0

    Esse pessoal não faz aliança com o PTB, mas faz com o DEM. Que incoerência, então é para desconfiar que eles estão atrás de outras coisas...

  • Dornele$ | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 14h58
    0
    0

    Dornele$, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Dagmar | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 10h39
    10
    0

    Não consigo entender porque o Taques é a onda do momento isso é só marketing dele ele não faz nada para o povo... Muvuca esse é humilde e luta para uma melhor qualidade de vida para a população

  • Rita | Domingo, 13 de Abril de 2014, 13h25
    3
    1

    Esse PPS aqui no mato groso é muito nanico e fraco, chega a caber dentro de um fusca. Não deve fazer nem um estadual, caso não agarre com o Taques, que é a bola da vez.

  • Marineuza | Domingo, 13 de Abril de 2014, 11h54
    0
    0

    Eu Marineuza fiz o meu cadastro em 2009 e ainda não fui contemplada tem pessoas que fez em 2012 e já foi sorteada e eu ainda não por que já se pássaro 5 anos.

| 13/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 12/04/2014, 22h:58

Diferença gritante entre líder e chefe

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Durante uma palestra brilhante, na semana passada, proferida por um dos meus grandes mestres, a quem eu admiro imensamente (e quem não admira gente inteligente, que pensa e faz o mundo pensar?), refletimos sobre a diferença entre ser chefe e líder. Auditório lotado, todos ávidos para expor sua opiniões e socializar conhecimento. Diante da pergunta dele sobre a diferença em ser líder e ser chefe, muitas falas foram importantes, e eu tomei nota de algumas para que fiquem amalgamadas em minha mente.

Alguém disse “quer conhecer uma pessoa, dê poder a ela!”. Triste afirmação. O poder deveria ser instrumento de aglutinação e não de imposição. Quando a pessoa que ocupa um cargo superior diz “vamos!”, pode ter certeza, ele é um líder, pois um chefe diz “vá!”. Um líder confia, comunica, ajuda, entusiasma, orienta, assume responsabilidades, tem a cooperação como principal bandeira e não promete o que não pode cumprir. Um chefe desconfia, desmoraliza, guarda informações para si, atrapalha, amedronta assedia moralmente, sempre procura culpados para os problemas, usa de sua autoridade para impor seus desejos e ainda promete o que não pode cumprir. Sendo assim, o líder tem vida longa no cargo, e quando o deixa a sua equipe sente-se agradecida pelas experiências trocadas, pelo tempo de trabalho produtivo. Já o chefe tem vida curta no cargo, e quando se desliga a sensação de alívio é imediata.

Um líder chega antes, um chefe chega a tempo, isso é fato. O líder é uma pessoa admirada por todos, porque cultiva a empatia dos seus subordinados, enquanto o chefe com a sua atitude autoritária só consegue ser obedecido porque é ele quem manda. O líder trabalha em descoberto e o chefe encapotado, escondido, camuflado. O líder mantém um bom relacionamento com o seu grupo, conquista a sua simpatia, é respeitado. O chefe cria animosidades, intoxica o ambiente de trabalho, envenena um colega para o outro e assim faz com que o respeito mutuo não exista.

O líder aceita críticas, desde que estas sejam coerentes e construtivas, e munido das informações faz com que estas sirvam de alicerce para o crescimento profissional de sua equipe, é o famoso “pegar o limão e fazer uma limonada”. O chefe não aceita críticas e ainda assedia moralmente a sua equipe, criando conflitos e animosidades, fazendo com o que ambiente de trabalho seja improdutivo, pois toda a energia que deveria ser voltada para o alcance de metas e melhorias acaba sendo desviada.

Em minha vida profissional já tive chefes e líderes, e posso afirmar que todos os líderes são chefes natos, porém, os chefes não deveriam ser intitulados líderes nunca! Na saúde pública, por exemplo, onde o principal ator é o usuário, o gestor deve ser líder. Deve pensar na coletividade e não o seu objetivo pessoal. Deve pensar grande e descentralizadamente visando o bem comum, em resultados positivos e satisfatórios. Não tenha medo, seja líder!

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este Blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Kiko Cuiabano | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 10h26
    0
    0

    Kiko Cuiabano, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • MARTHA | Domingo, 13 de Abril de 2014, 22h33
    1
    0

    EXCELENTE TEXTO, RETRATA BEM A DIFERENÇA ENTRE LÍDER E CHEFE. COMO A AUTORA, JÁ TIVE LÍDERES E CHEFES. OS LÍDERES SÃO O ALICERCE QUE DÃO SUPORTE AO NOSSO CRESCIMENTO PROFISSIONAL, E POR ISSO..SÃO INESQUECÍVEIS!! ENQUANTO OS CHEFES.....HUMMM...OS CHEFES....É PREFERÍVEL NEM LEMBRAR...!!!!

| 12/04/2014, 17h:11 - Atualizado: 13/04/2014, 10h:27

Ex-diretor do Samu, Abdallah tentou implantar projeto, mas foi barrado


Davi Valle/Rdnews

Daoub-Abdallah---foto---davi-valle.jpg

Daoub Abdallah conta que tentou implantar projeto do Samu mas foi barrado

O ex-diretor estadual do Samu e atual secretário de Saúde de Várzea Grande, Daoub Abdallah criticou a atual situação do serviço prestado à população. Há cerca de um ano longe da direção do Samu, ele garante que as condições continuam as mesmas. “Até onde sei faltam insumos e a estrutura está precária”, critica durante entrevista ao Rdnews. 

Adballah pediu demissão no ano passado depois de atrito com o então secretário estadual de Saúde, Mauri Rodrigues, por conta de um projeto reprovado pelo ex-gestor. O plano era implantar o programa Samu 100%, que levava o serviço para municípios do interior.

Ele conta que trabalhou dois anos no projeto que já contava com o apoio das prefeituras e, inclusive, já havia conseguido recursos do Ministério da Saúde. Quando estava quase pronto, Mauri não concordou com a medida. “Eu pedi para sair para deixar ele tocar conforme ele entendia”. 

Por outro lado, acredita que o Samu está melhor assistido pelo atual secretário, Jorge Lafetá. “Acredito que ele dará um jeito nisso e com um carinho especial porque ele começou a carreira médica lá”, diz. A expectativa de Abdallah é que o projeto seja executado em breve.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • pedro | Domingo, 13 de Abril de 2014, 10h59
    3
    1

    Este cidadao é do mesmo grupo do sr, Pedro mensalao henry, fica falando balela agora que ganhou um cargo de VG, Coitado deste povo. Foi do SAMU e nao fez nada. Queria entregar para uma OSS e Mauri nao deixou agora fala besteira, pessoas assim deveria ser tiradas da politica. Por favor DAUDE peça para sair é o melhor que voce pode fazer por varzea grande.

  • dalva | Domingo, 13 de Abril de 2014, 10h47
    1
    3

    secretario de saude, incompetente, por que barrou esse projeto? é a cara do governo silval barbosa.....

  • Dornele$ | Domingo, 13 de Abril de 2014, 10h04
    2
    2

    Isso é cria de Maggi. Depois me falem dos resultados negativos, se é possível ficar pior do que já está!

  • mesquita | Sábado, 12 de Abril de 2014, 21h26
    1
    3

    O melhor diretor que o samu ja teve foi o senhor Daoub,tenho certeza que agora a saúde de várzea grande vai melhorar.

  • Raimundo Mendes | Sábado, 12 de Abril de 2014, 19h35
    2
    3

    Presenciei a determinação do Daud na elaboração do projeto SAMU 100% e a dedicação e o zelo pela implantação nos Municípios e ei que aparece um louco chamado Mauri Rodrigues e simplesmente não aprova o projeto do Dr Daud. O ministério da Saúde já tinha aprovado com louvor a implantação e até garantido recursos para o funcionamento, mas, veio esse incompetente e desequilibrado de Sinop e frusta a realização das ações.

  • Ricardo | Sábado, 12 de Abril de 2014, 19h30
    2
    1

    Pq em vez de se preocupar coma a politica a TRIMEC não acaba a obra da Estrada do Moinho??????????? A chuva ja parou pq esta tudo parado???????? QUerem aditivo???????????

  • Sérgio | Sábado, 12 de Abril de 2014, 19h10
    5
    1

    O Dauod se esqueceu de falar que junto com o PEDRO HENRY e o Vander queria entregar o SAMU para uma OSS. Aí sim só ele acha que era bom. Graças a DEUS e a interferência dos servidores de carreira e do Conselho Estadual de Saúde isto não aconteceu. E também esqueceu de falar que sob a sua sua direção e que o SAMU virou um caos total, consumindo uma fortuna na oficina única com aquelas viaturas velhas, sem médicos efetivos, sem remédios e insumos. Façam uma auditoria durante o tempo em que o DAuod ficou no SAMU e agora vem querer falar dos outros? O Dauod mesmo com a reprovação das OSS queria que o IPAS assumisse o SAMU. E a mais pura verdade e que o Mauri não deixou entregar para uma OSS. Se a SÉS não consegue manter o SAMU da baixada, imagina no eStado todo. Larga de conversa fiada.

  • Rodrigo | Sábado, 12 de Abril de 2014, 17h58
    3
    1

    Gostaria de saber qual projeto foi executado na gestão do Sr. Mauri Rodrigues...um homem que chegou como executor, corajoso, trabalhador...pasmem, sem nenhum legado nem certo e nem errado...simplesmente passou...perda de tempo!

Copa | 12/04/2014, 10h:35 - Atualizado: 12/04/2014, 17h:16

Secretário não teme ser penalizado devido aos atrasos ou obras mal feitas para Copa


Rodinei Crescêncio/Rdnews

secretario copa

Para secretário governo está sendo injustiçado com repercussões negativas

O secretário da Secopa, Maurício Guimarães, garante que não teme processos ou qualquer possível penalização por atrasos, má qualidade ou virtuais irregularidades nas obras da Copa. Ele acredita que as prestações de contas da pasta dos exercícios 2013 e 2014 serão aprovadas com louvor no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O gestor também espera não ser processado pelo Ministério Público já que está fazendo de tudo para que as obras sejam entregues a tempo e no mais perfeito estado.

Acontece que ele e dois fiscais da Secopa já foram multados pelo TCE em R$ 2,1 mil (20 UPF), no último dia 1º, por irregularidades em pagamentos que seriam feitos pelo governo Estadual aos consórcios responsáveis pelas obras dos Centros Oficiais de Treinamento (COTs) da UFMT e do Pari, em Várzea Grande.

Neste levantamento, o TCE descobriu que as ordens de pagamentos eram superiores ao percentual já executado, ou seja, além do apresentado nas medições. A Secopa reconheceu o erro e excluiu o pagamento da planilha antes que fosse efetivado.

Este e outros tipos de falhas nas obras da Copa não são raridades. A avenida Quidauguro, por exemplo, teve afundamento da pista devido a problemas de infiltração, resultado do entupimento de uma boca de lobo. O secretário explica que não houve má qualidade da obra, mas um boicote de autoria não identificada. “O que ocorreu lá foi que um bueiro foi maldosamente entupido com cimento”, frisou o secretário em entrevista ao RDTV.

Ele também classificou como natural a falta de percepção dos fiscais do contrato ao receber a obra com o bueiro entupido. Comparou inclusive com obra doméstica. “Tem problemas que só vão aparecer e que você só vai perceber quando vai utilizar a casa. Um cano entupido, por exemplo, você só vai ver depois que a construtora fez a entrega”, alegou.

Poucos dias após ser inaugurada, a trincheira Ciríaco Cândia também registrou problemas de drenagem, infiltração, rachaduras e alagamentos. A construtora fez os reparos, mas justificou que seguiu o projeto original, que não apresentava execução de canaletas ou sarjetas na via. “Na Ciríaco não foi nem problema de execução da obra, mas de dimensionamento das águas pluviais”, reconhece Guimarães.

Apesar dos transtornos, o secretário garante que os problemas não trouxeram prejuízo aos cofres públicos, porque foram reparados pela mesma empreiteira responsável, Três Irmãos Engenharia Ltda (Av. Quidauguro) e Métrica Construções (Trincheira Ciríaco Cândia), sem ônus para o Estado. Ele ressaltou ainda que todas as obras públicas têm garantia de cinco anos e qualquer defeito neste período deverá ser sanado pelas respectivas construtoras.

Guimarães destacou também que ‘injustamente’ essas situações têm repercutido de forma negativa, mas que diferentemente de gestões passadas só agora o Governo tem exigido o que prevê a legislação que é obrigar a empreiteira a refazer a obra quando esta apresenta problemas assim que inauguradas.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • janjão | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 12h41
    0
    0

    Ele deve estar acreditando na leniência dos orgãos fiscalizadores. Medo e pavor ele tem da cadeia. O resto é alegoria.

  • Zé Poxoréo | Segunda-Feira, 14 de Abril de 2014, 10h36
    0
    0

    Bom, considerando a histórica lentidão dos órgãos fiscalizadores e da própria justiça o secretário tem razão de apostar na impunidade. Aliás, o desfecho do rombo dos maquinários já é prova disso!

  • Cuiabano | Sábado, 12 de Abril de 2014, 19h54
    1
    0

    O MP e quem deve fiscalizar esse cidadão e assessores

INíCIO
ANTERIOR
1 de 663