Cuiabá, 20 de Setembro de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Gabriele Schimanoski

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Larissa Malheiros

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Larissa Malheiros

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

Rumo à Copa de 2014 | 16/02/2011, 18h:47 - Atualizado: 17/02/2011, 07h:06

Número de habitantes tira Cuiabá do PAC Mobilidade das Grandes Cidades

Número de habitantes tira Cuiabá do PAC Mobilidade Grandes Cidades


   O governo federal lançou nesta quarta (16) o PAC Mobilidade Grandes Cidades para melhorar a infraestrutura do transporte público nas grandes cidades brasileiras. Serão investidos R$ 18 bilhões e espera-se beneficiar diretamente 39% da população do país que vive em suas regiões metropolitanas. Dentre as 12 cidades-sede da Copa do Mundo, Cuiabá foi a única que não foi contemplada em nenhum dos três grupos previstos no programa.

   O motivo, conforme informou ao RDNews o ministro das Cidades, Mario Negromonte, é o número de habitantes da Capital mato-grossense, que não corresponde a um dos critérios para inclusão nos grupos. Para ser incluída, Cuiabá teria que abrigar uma população igual ou superior a 700 mil pessoas. De acordo com o Censo 2010, ela tem 551 mil. Já Campo Grande, com 787 mil, entrou no programa.

   Perguntado, por meio de sua assessoria, sobre o fato de Cuiabá e Várzea Grande comporem uma população superior a 700 mil, ele explicou que o critério para região metropolitana é acima de 3 milhões de habitantes. É o caso de Vitória, do Espírito Santo, que também ficou de fora e cuja região metropolitana, que inclui Vila Vela e outros, não alcança o número de habitantes previsto no grupo MOB 2. Além de Cuiabá e Vitória, ficaram de fora as seguintes capitais: Aracaju, Florianópolis, Rio Branco, Porto Velho, Macapá, Boa Vista e Palmas.

   O PAC Mobilidade Grandes Cidades vai beneficiar 24 municípios divididos nos seguintes grupos:

   MOB 1: Esse grupo é formado por Capitais de regiões metropolitanas com mais de três milhões de habitantes e corresponde a 31% da população brasileira. As nove cidades desse grupo são: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Recife, Fortaleza, Salvador e Curitiba.

   MOB 2: inclui municípios com população entre um e três milhões de habitantes e corresponde a 4% da população do país. Nesse grupo estão seis cidades: Manaus, Belém, Goiânia, Guarulhos, Campinas, e São Luís.

   MOB 3: é voltado para cidades de 700 mil a um milhão de habitantes e também corresponde a 4% da população brasileira. Fazem parte, os seguintes municípios: Maceió, Teresina. Natal, Campo Grande, João Pessoa, São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu e São Bernardo do Campo.

   O PAC Mobilidade Grandes Cidades vai financiar projetos das prefeituras elencadas que possam trazer melhor funcionamento do transporte urbano, entre os quais: corredores de ônibus exclusivos e de Veículos Leves sobre Pneus (VLP/BRT), e também sistemas sobre trilhos, como trens urbanos, metrôs e Veículos Leves sobre Trilhos (VLT). Também serão selecionados projetos para aquisição de equipamentos voltados para integração, controle e modernização dos sistemas.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • José da Rocha Filho | Quinta-Feira, 17 de Fevereiro de 2011, 09h07
    0
    0

    Ouvi uma emissora dizer que Cuiabá ficou fora por iniciativa pessoal da presidente Dilma. Essa emissora pertence àquele grupo que tomou conta de Mato Grosso durante o tucanato. Vamos deixar de mentiras, gente! Nem todo mundo é desinformado e vai engolindo tudo que vocês falam, escrevem ou mostram.

cenário | 20/09/2014, 08h:48 - Atualizado: 01h atrás

Para Mauro, alinhamento entre governos estadual e federal está próximo de ocorrer

Segundo ele, isso será possível com eleições de Taques e Marina


Davi Valle/Rdnews

mauro_capablog.jpg

Prefeito de Cuiabá Mauro Mendes destaca a importância de haver alinhamento político para a Capital

A 16 dias para as eleições, o prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) ressalta que seria importante para a Capital obter o alinhamento total com os governos estadual e federal. Isso será possível caso Pedro Taques (PDT), líder nas pesquisas de intenção de votos, se consagrar governador e se Marina Silva (PSB) se tornar presidente. “Meus candidatos são o Taques e a Marina e estamos trabalhando para conquistar este objetivo, que sem dúvidas trará benefícios a Capital”.

Apesar disso, Mauro explica que, independente do resultado, vai continuar trabalhando para que Cuiabá receba os recursos necessários a fim de viabilizar obras importantes como a do novo pronto socorro. O alinhamento das gestões é praticamente inédito no Estado, após a retomada da democracia. Para se ter uma ideia, a última vez que isso aconteceu na Capital, foi durante os dois mandatos do ex-prefeito Roberto França, de 1997 a 2000 e de 2001 a 2004, época em que Dante de Oliveira (já falecido) era o governador e o Brasil tinha como presidente Fernando Henrique Cardoso também do PSDB, até 2002.

Após isso, este alinhamento da Prefeitura de Cuiabá com os demais governos foi conflituoso, visto que os prefeitos que passaram pela Capital como Wilson Santos (2005 a 2010), do PSDB, eram oposição do então presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), que assumiu o governo federal em 2003 e ficou até 2010.

Davi Valle/Rdnews

mauro_interna_blog.jpg

Prefeito Mauro explica que trabalhará para trazer mais  recursos para Cuiabá

Neste sentido, Wilson Santos não terminou o mandato como prefeito para sair em disputa eleitoral ao Palácio Paiaguás, cujo principal adversário foi o atual governador, Silval Barbosa (PMDB), que era vice do governador Blairo Maggi (PR), provocando outro embate entre os governos municipal e estadual.

O tucano chegou a dizer em debates, em 2010, que os gestores na época (Blairo e Silval) abandonaram a Baixada Cuiabana, não trazendo indústrias, empresas, ignorando a economia local, bem como a falta de um plano para o desenvolvimento. Com a saída de Wilson, quem assumiu foi o vice-prefeito Chico Galindo (PTB), que também não economizou nas críticas e constantemente reclamava da falta de investimentos na Capital, enquanto a cidade vizinha, Várzea Grande, administrada então pelo prefeito Murilo Domingos (PR), cujo partido era da base aliada de Silval, recebia recursos e ajuda governamental. No cenário federal, Dilma Rousseff (PT) havia assumido e novamente o PTB não fazia parte da aliança nacional.

Galindo reclama que Silval fica nas promessas e que abandonou Cuiabá

De todo modo, atualmente, Mauro tem realizado uma administração menos agressiva, sendo discreto e buscando diálogo com todas as frentes. “Estamos trabalhando para trazer este alinhamento entre os governos, mas isso não são as pesquisas que vão dizer e sim o povo nas urnas em outubro”, conclui. 

Postar um novo comentário

| 20/09/2014, 00h:00 - Atualizado: 01h atrás

Falta proposta ideológica anticorrupção

Gilson_Nunes_sabado

Gilson Nunes

O Brasil está chegando quase no fim de mais uma sequencia de promessas de desenvolvimento, administração pública de alto nível, apresentação de propostas ao nível de pós-graduação em investimentos para a educação e para a saúde. Tudo isso é levado ao cidadão através da mídia. São argumentos sustentados pela teoria de ser o “mais preparado” e qualificado para gerir com competência os arrochos que levaram Mato Grosso ao descontentamento de sua população. Ao bradar tais hipóteses à sociedade, principalmente as mais necessitadas, os candidatos não imaginam a responsabilidade em garantir ao povo todas as soluções capazes de lhes prover uma qualidade de vida salutar.

Com o povo não se brinca. O Estado de Mato Grosso, durante a Copa, viveu um esplendor geográfico com a liberação de algumas obras e o desbloqueio de vias públicas, que foram suficientes para dar orgulho à população cuiabana. Não obstante, dias depois, a “casca de ovo se quebrou e o cheiro..., bem, o cheiro não tem sido dos melhores”. É a clausura inóspita que a fotografia do Estado revelou.

Os candidatos a deputado federal ou estadual disparam acusações uns aos outros, feito uma orquestra desafinada, com senso crítico merecedor de análise nada hilariante. Até aí estaria tudo bem, não fosse pela falta de coerência nos pronunciamentos pertinentes às dificuldades a serem encontradas e uma análise e, por fim, dimensionadas. A dívida do Estado é um dos entraves. São controvérsias com tonalidade de cinismo que predita colocar em dúvida a capacidade intelectual do eleitor. Só para citar um exemplo, e isso não quer dizer que se trata de um ou outro candidato, mas todos, é a postura de cada um, quanto o assunto é “combate á corrupção”.

Desde que a política do toma lá da cá, fora lançada, o apadrinhamento de “amigos” políticos é aplicada para atender as solicitações. São favores que ignoram a legalidade para manter a lealdade do compromisso assumido com o amigo. Esse exercício na verdade tem nome: alimentar interesses pessoais quando, na verdade, haveriam de ser de “interesses sociais”, comunitário.

Por outro lado, essa atitude serve também como porta de entrada para a tal dita cuja “corrupção”. Licitações fraudulentas são apenas um dos muitos exemplos que poderiam ser citados aqui. Moral da história: a corrupção não entra na pauta de compromissos dos candidatos por ser ele um divisor de águas que garante a sustentabilidade governista.

Como combater a corrupção se ela nasce na rotina diária dos trâmites políticos para abastecer a gana dos interesses egoístas dos militantes do poder? Eis a questão! A falta de identidade ideológica está sendo a tônica dos discursos dos candidatos. Enquanto ocorre o embate nos debates, a sociedade reflete sobre o que é preciso ser feito para que Mato Grosso se desenvolva e cresça com dignidade.

Numa hipotética analise cheguei a seguinte conclusão: É preciso que o candidato eleito tenha sobre si a responsabilidade de que uma administração honesta não admite, sequer, o emprego da palavra "transparência" como forma de explicar, para justificar, os costumeiros atos de improbidade administrativa, decoro parlamentar, a técnica da “propinalogia” e tantas outras falcatruas que constrangem a todos os eleitores que depositaram o seu voto na urna ao(s) protagonistas de atos ilícitos.

A sociedade não merece ser ludibriada por um regime que só a tem como “a força de uma democracia soberana,” quando ele, o regime, precisa de seu voto como forma de sobrevivência.

Gilson Nunes é jornalista e funcionário público e escreve neste Blog todo sábado. E-mail: gnunes01@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

Pós-Copa | 19/09/2014, 16h:53 - Atualizado: 19/09/2014, 16h:56

Secretário diz que obras do VLT deixarão "cicatriz" em Cuiabá e vai acionar a Justiça


Davi Valle/Rdnews

montagem-Antenor Figueiredo-19-09-2014-Davi Valle.jpg

Antenor Figueiredo, secretário de Trânsito e Transporte de Cuiabá, em entrevista à Talita Ormond

O secretário de Trânsito e Transporte de Cuiabá, Antenor Figueiredo, afirma que as obras do VLT deixarão “cicatrizes” para o trânsito da Capital. Diante disso, revela ainda que o Consórcio VLT, responsável pelas obras do modal, tem até o próximo dia 29 para liberar a faixa de rolamento na Prainha, uma vez que os trabalhos para a implementação do VLT só serão retomados em 2015.

Caso a desintrusão não seja realizada, Antenor garante que irá buscar meios judiciais, bem como aplicações de multas ao Consórcio. “Já questionei o que eles vão fazer com a Prainha, porque na época de chuva a avenida vai virar uma piscina. Não vejo obra de drenagem ou colocação de tapumes para cobrir o canteiro central”, dispara o secretário em entrevista ao Grupo Rdnews, nesta sexta (19). Confira aqui a íntegra.

Antenor afirma ainda que até agora as obras da Copa só trouxeram prejuízos à população, e o legado que sempre foi dito ainda não foi visto. Neste sentido, o secretário ressalta que a pasta atua como uma espécie de bombeiro, apagando os incêndios ocasionados pelos transtornos no trânsito. Para exemplificar, Antenor aponta os problemas que ocorrem no viaduto da UFMT. Segundo ele, a parte inferior do elevado já tem congestionamento.

Antenor também explica que a secretaria estuda mudança de fluxo ou inversão de via para tentar solucionar o problema. “Fomos pegos de surpresa por algumas obras que foram entregues e não surtiram os efeitos desejados. Cuiabá não suporta mais isso”, lamenta referindo-se também ao Viaduto do Sefaz, uma vez que foi interditado por fissuras nas estruturas.

Outro “legado” que deve ficar com a secretaria será a manutenção das obras após o período sob responsabilidade das empreiteiras, tendo em vista que, de acordo com Antenor, as obras ficarão a cargo das prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande. “Será que teremos obra que dará problema de novo?”, questiona.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Walquíria | Sábado, 20 de Setembro de 2014, 07h12
    0
    1

    Esse competente político por ser candidato duas vezes a vereador e apoiar o Prefeito ganhou o cargo. Mas não entende nada de mobilidade urbana e trânsito, quem paga o pato é a população cuiabana.

  • Clauberto Franco | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 23h13
    1
    0

    larga mão desse VLT o que pode ser feito na minha opinião baseado na qualidade das obras atuais, VLT descer a FEB passa pela ponte velha, entra na av beira rio na obra do novo porto e retorna para várzea grande pela ponte nova, vai economizar alguns milhões, construir em cima do córrego da prainha, kkkkkk, Cuiabá e nem povo merece esse desrespeito.

  • Samuel | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 22h17
    1
    0

    Jamais vi um secretário tão incompetente quanto esse. Na Ufmt existem tantos professores doutores em trânsito e mobilidade urbana que foram escolher um contador para dirigir esse departamento.

  • José Licubrino | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 17h26
    9
    1

    Senhor Secretário, é preciso mudar o trânsito na avenida do CPA devido a interdição do viaduto da SEFAZ. Presta atenção: abra o retorno antes do viaduto, vai melhorar muito pra quem trabalha no Centro Político. Por favor ajude a melhorar o trânsito.

| 19/09/2014, 12h:47 - Atualizado: 19/09/2014, 12h:53

Seleção olímpica brasileira faz amistoso na Arena Pantanal em outubro contra Bolívia


A seleção olímpica brasileira vai estrear na Arena Pantanal com jogo marcado para 10 de outubro. O confronto será com a seleção da Bolívia, país que faz fronteira com Mato Grosso. A partida faz parte da série de amistosos preparatórios para os jogos Olímpicos de 2016, realizados no Rio de Janeiro.

A expectativa é que o jogo leve ao recorde de público na Arena, com capacidade para 44 mil pessoas. O maior público registrado na Arena até agora foi de 38,4 mil pessoas no jogo Flamengo e Goiás, que aconteceu no último dia 10.

A Arena Pantanal já foi considerada um “elefante branco” iminente. Desde sua inauguração, contudo, já foi palco de 11 partidas pós-Copa. O estádio já recebeu jogos de todas divisões do futebol, incluindo confrontos das séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Escalação

O técnico Alexandre Gallo divulgou a escalação do time ontem (18) e conta com algumas novidades, como Samir, do Flamengo, Thalles, Fred, do Shakhtar, e Talisca do Benfica.

Mesmo sendo praticamente a mesma escalação dos jogos que ocorreram em setembro, o técnico convocou apenas jogadores que são sub-21, porque é a geração que será sub-23 nas Olimpíadas.

Gallo explica que os amistosos são importantes, principalmente para os jogadores sentirem a pressão da torcida contra um time forte e experiente. E destaca não acreditar que este seja o time definitivo para os jogos olímpicos. "No futebol brasileiro você nunca tem um grupo fechado. Isso porque daqui a seis meses tem novos jogadores que aparecem e evoluem cada vez mais. Sempre procuramos montar o mais forte".

O comandante da seleção canarinho, acredita chegar nas Olimpíadas com retrospecto positivo. No mês passado, o Brasil disputou três partidas no Catar e venceu dois confrontos ao aplicar 4 a 0 no Catar sub-22 e 3 a 0 na Palestina sub-23. Além disso, a equipe empatou com a seleção principal do Líbano em 2 a 2.

Também reforça que os jogos devem trazer experiência para os jogadores e que é importante jogar nos quatro cantos do mundo. (Com assessoria)

Confira a lista dos jogadores convocados:

  • Goleiros:
  • Jacsson (Internacional)
  • Andrey (Botafogo)
  • Georgemy (Cruzeiro)
  • Zagueiros:
  • Dória (Botafogo)
  • Samir (flamengo)
  • Natan (Palmeiras)
  • Laterais:
  • Fabinho (Monaco)
  • Claudio Wink (Internacional)
  • Douglas Santos (Atlético-MG)
  • Wendell (Bayer Leverkusen) 
  • Meias:
  • Alison (Santos)
  • Matheus Biteco (Gremio)
  • Fred (Shakhtar)
  • Talisca (Benfica)
  • Danilo (Braga-POR)
  • Rafael Alcântara (Barcelona)
  • Atacantes:
  • Ademilson (São Paulo)
  • Luan (Grêmio)
  • Thales (Vasco)
  • Douglas Coutinho (Atlético-PR)
  • Vinicius Araújo (Standard Liege)
  •  Felipe Gedoz (Brugge)

Postar um novo comentário

Judiciário | 19/09/2014, 12h:21 - Atualizado: 19/09/2014, 16h:55

Justiça suspende programa no rádio em que Taques acusa Lúdio de fazer caixa dois


Davi Valle/Rdnews

ludio_blairo_blog_interna.jpg

Lúdio Cabral foi alvo de ataques

A Justiça Eleitoral determinou a suspensão de propaganda eleitoral veiculada no rádio pelo candidato ao Governo Pedro Taques (PDT), em que faz acusações contra o adversário Lúdio Cabral (PT), que entrou com a ação. 

Nela, segundo a denúncia, Taques acusa o petista de praticar crime de caixa dois na campanha de 2012, recebendo R$ 7,5 milhões "por fora" , "por debaixo dos panos", de Eder Moraes, preso na Operação Ararath e solto há algumas semanas.

O juiz-membro do TRE, Alberto Pampado Neto, entendeu que a publicidade tem conteúdo de calúnia e injúria, por isso, deferiu o pedido interposto por Lúdio. "A propaganda eleitoral em questão, em tom desproporcional que ultrapassa, e muito, os limites da mera crítica política, atribuindo diversos atributos injuriosos, proferindo impropérios em desfavor do segundo representante", diz trecho da ação. Caso Taques desrespeite a decisão, a multa será de R$ 5 mil. 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • PACHECO | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 14h53
    8
    1

    Caixa 2 no PT é normal, pois segundo o lula ,disse quando estava na Europa, que este é normal, agora todos sabemos que isto é próprio deste partido.Então porquê querem esconder os fatos que são verídicos.

| 19/09/2014, 12h:00 - Atualizado: 19/09/2014, 12h:08

Por conveniência, Lúdio "esconde" Silval


Fernando Ordakowski

ludio cabral silval barbosa

Lúdio Cabral mantém Silval Barbosa longe dos seus programas na TV e rádio e dos eventos políticos

Por conveniência, o candidato ao Governo Lúdio Cabral (PT) “esconde” o governador Silval Barbosa (PMDB), um de seus principais apoiadores na corrida pelo Palácio Paiaguás. A situação é cômoda para ambos. De um lado, Silval, que vive desgaste devido problemas nas obras da Copa e do MT Integrado, além de caos na Saúde, quer ficar alheio ao processo eleitoral para não se tornar um saco de pancadas. De outro, Lúdio, que busca votos, não almeja assimilar os problemas do aliado, tanto que, nos discursos, afirma não ter compromisso com os erros de nenhuma gestão e que fará auditorias na administração, especialmente nos contratos das obras da Copa. 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • José Licubrino | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 16h44
    2
    8

    Preste a atenção: Blairo e Sival estão juntos a muitos anos. Família Maggi apoia Pedro Taques, é família unida. Qual é o maior cabo eleitoral de Pedro Taques? Tire suas conclusões.

  • RODRIGO | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 15h27
    14
    1

    SANTO ANTº DE LEVERGER TBM SÓ DA TAQUES.....É12

  • Jorge Luiz | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 13h29
    17
    3

    E quem não sabe que o Iludido é o candidato desse Desgoverno de Mato Grosso? Sua vice é quem?

  • marcelo | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 12h54
    18
    4

    E o seu maior cabo eleitoral esta em 4 º nas pesquisa e claro dos piores do brasil e você vem com sensacionalismo dizendo que faz hospital, escola, estrada sai dessa vida.Tem que dar um basta nessa turma do PT .por isso que vamos e Pedro Taxi de 12 .pra acabar com a farra do dinheiro publico que esta sendo usado ate pra fazer campanha de certo .

  • claudinho | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 12h35
    16
    3

    Juscimeira so da taques

| 19/09/2014, 07h:52 - Atualizado: 19/09/2014, 07h:57

Garantia legal e a dada pelo fornecedor

Elga_colunista

Elga Figueiredo

Quando adquirimos um produto, sabemos que ele encontra-se amparado por duas garantias, a do contrato estabelecido com o fornecedor e a do Código de Defesa do Consumidor. A garantia contratual é o prazo concedido pelo fornecedor ao consumidor, para reclamar dos defeitos do produto, e está disposto no manual do produto. Trata-se de mera liberalidade do fornecedor de dar a seu cliente um prazo para que este possa reclamar sobre eventual defeito do produto adquirido, é estabelecida na avença entre as partes da relação de consumo.

Já a garantia legal de um produto trata-se de norma legal e, dessa forma, deve ser respeitada. Portanto, o consumidor tem o prazo de 90 da compra, sem que nada possa ser cobrado do mesmo, ou seja, nesta garantia o consumidor não pode arcar com nenhum tipo de despesa referente a vício no produto, ex: taxas de envio do aparelho para uma assistência técnica em outro Estado, peças do aparelho, visita técnica, entre outros.

Assim tem-se que nada pode ser cobrado do consumidor no período da garantia legal, isto é valido para qualquer produto em seus 90 dias de garantia inicial, variando claro, o tempo de 90 dias para bens duráveis e 30 dias para bens não duráveis.

Tendo em vista que o prazo de 90 dias (produtos duráveis) e 30 dias (não duráveis) da garantia, também é o prazo que o consumidor tem para reclamar ao fornecedor sobre qualquer vício ou defeito constatado, e ainda sendo tal prazo decadencial, importante falar sobre a questão que esta sendo bastante debatida, no que se refere ao aumento do prazo da garantia legal.

Existe uma mobilização, da qual compartilho o entendimento, que pugna pelo elastecimento do período da garantia legal para os produtos comercializados em nosso país. A garantia legal que é de três meses aqui no Brasil, em outros países como os da Europa, por exemplo, a garantia é de 2 anos.

Denota-se que esse aumento do prazo da garantia legal de 03 meses para 2 anos ofereceria mais conforto e segurança ao consumidor que é hipossuficiente e costumeiramente não se atenta aos prazos inerentes a relação, como também por obvio, serviria para melhoria dos produtos comercializados, sendo esse elastecimento válido.

Por fim, importante frisar que o prazo de decadência para a reclamação de defeitos surgidos no produto não se confunde com o prazo de garantia pela qualidade do produto, que pode ser convencional ou, em algumas situações, legal. O Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 26, não traz, exatamente, um prazo de garantia legal para o fornecedor responder pelos vícios do produto. Há apenas um prazo para que, tornando-se aparente o defeito, possa o consumidor reclamar a reparação.

Elga Figueiredo é empresária e advogada, especialista em direito do consumidor e escreve exclusivamente neste Blog toda sexta-feira - e-mail: elgafigueiredo@hotmail.com

Postar um novo comentário

| 18/09/2014, 19h:20 - Atualizado: 19/09/2014, 09h:24

Ao vivo, secretário de Trânsito de Cuiabá


Davi Valle/RDNews

antenor_onibus.jpg

Antenor Figueiredo, que é secretário de Trânsito e Transporte Urbano de Cuiabá, , nesta 6ª - participe

O secretário de Trânsito e Transportes Urbanos de Cuiabá, Antenor Figueiredo, é o convidado ao vivo do RDTV desta sexta (19) para falar sobre as ações da prefeitura no intuito de coibir excessos nas ruas e avenidas da capital por meio, por exemplo, da instalação dos radares e lombadas eletrônicas.

Os interessados em colaborar com essa entrevista, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz os gastos previstos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) para as eleições-2014.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Ribeiro | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 07h50
    3
    0

    Quando vão implantar passarelas em Cuiabá próximo ao shopping Pantanal, Centro Político e Administrativo Shopping Goiabeiras em frente a Rodoviária para dar mais fluidez ao trânsito.

Judiciário | 18/09/2014, 18h:23 - Atualizado: 19/09/2014, 12h:41

TJ decide aposentar compulsoriamente juiz que realizou audiência com morto em MT


TV Globo

juiz juiz Marcos José Martins de Siqueira

  Juiz Marcos José Martins de Siqueira já pode recorrer no CNJ

O Pleno do Tribunal de Justiça aprovou por unanimidade, na sessão desta quinta (18), a aposentadoria compulsória do juiz Marcos José Martins de Siqueira. O magistrado, que atua na Comarca de Várzea Grande, é acusado de ter presidido audiência com a presença de um morto.

 A aposentadoria compulsória é considerada a mais alta punição administrativa no Judiciário. O magistrado fica proibido de atuar, no entanto, continua recebendo salário proporcional ao tempo de serviço.   

 O processo tramitava no Pleno desde março quando o relator, desembargador Sebastião Barbosa de Farias, votou pela aposentadoria. Agora, o juiz aposentado compulsoriamente pode apresentar recurso pedindo a revisão da decisão no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

 Audiência

 Conforme os autos,  Olympio José Alves,  falecido em 2005, “participou”  da audiência na 3ª Vara Cível de Várzea Grande em 2010,  quando reconheceu dívida no valor de R$ 8 milhões.

Na ocasião, o  juiz Marcos José Martins de Siqueira determinou a liberação do alvará para pagamento do valor. A dívida, “reconhecida”  por um farsante que se passou pelo morto teve como beneficiária a empresa Rio Pardo Agro Florestal.

Os advogados da empresa, André Luiz Guerra e Alexandre Perez do Pinho, devem ser alvos de representação na OAB Seccional Mato Grosso. A informação é do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Perri. 

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Nilomar Cunha | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 12h19
    4
    1

    Ei, a audiência com o morto poderia ter sido psicografada, ou seja, estamos pré-julgando a paranormalidade. Um dia um tio meu, por ocasião da abertura de um testamento, invocou Cabral e Isaac Newton em memória daqueles que haviam sido os patriarcas. Só não deu certo porque minha tia invocou Joanna Darc que desmentiu tudo.

  • bortolon | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 08h50
    6
    1

    isso e uma vergonha pra nos brasileiro a

  • Pedro Lucas | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 08h30
    5
    1

    Vida difícil essa de juiz, não? Agora, como Cristão, tenho que alertar os Sr. juízes: Isso que vocês fazendo é ERRADO! A justiça divina é a única e verdadeira e é sob ela que vocês serão julgados! Ops, isso é uma coisa que me conforta.

  • IVAN NUNES | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 08h11
    10
    0

    QUANDO UM FUNCIONÁRIO PÚBLICO COMETE UM ERRO GRAVE É DEMITIDO A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO, PORQUE ISSO NÃO ACONTECE COM OS DEMAIS?...VÃO APOSENTAR PARA O RESTO DA VIDA! ISSO É UMA ABERRAÇÃO...!"O BRASIL É UMA PAÍS DE TODOS"

  • Pedro Lucas | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 08h07
    6
    1

    Vida difícil essa de juiz, não? Agora, como Cristão, tenho que alertar os Sr. juízes: Isso que vocês fazendo é ERRADO! A justiça divina é a única e verdadeira e é sob ela que vocês serão julgados! Ops, isso é uma coisa que me conforta.

  • Paulo | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 07h38
    6
    1

    O vergonha meu Deus. A mais alta punição de um magistrado é o castigo dele ficar aposentado, dormindo e pescando o resto da vida. Isso é revoltante na nossa justiça. Será que um dia ainda vai ter uma reforma do judiciário para mandar pra cadeia Juíz que cometer crimes e fazer valer o que está na Constituição, "que todos são iguais perante a Lei"?

Eleições | 18/09/2014, 14h:54 - Atualizado: 18/09/2014, 18h:39

Eduardo é 2º presidenciável a visitar MT; vinda de Dilma e Marina ainda não é certa


Reprodução

eduardo_jorge_capa.jpg

Presidenciável Eduardo Jorge chegará em solo mato-grossense nesta 6ª para ato político na Capital

A 17 dias da eleição à Presidência da República, apenas dois dos cinco principais presidenciáveis pisam em solo mato-grossense. O primeiro foi Aécio Neves (PSDB) e, agora, será a vez do candidato Eduardo Jorge (PV). Ele vai realizar um ato, neste sábado (20), em Cuiabá, com a presença de militantes. É aguardada também a participação do candidato ao Governo, senador Pedro Taques (PDT), do qual o PV faz parte da coligação Coragem e Atitude pra Mudar.

O presidenciável vai chegar na Capital, nesta sexta (19), às 21h. No sábado, pela manhã, o candidato vai caminhar ao redor da Lagoa Encantada, no CPA III, onde deve falar sobre suas propostas para o tratamento de saneamento básico. Mais tarde, por volta das 9h30, vai conceder coletiva no Hotel Deville, na avenida Isaac Póvoas, para expor suas propostas para Mato Grosso. Eduardo Jorge vai embora às 14h30, mas antes disso deve realizar o “corpo a corpo” com os eleitores de Cuiabá, desde a Praça da República até à Praça Ipiranga.

Este percurso, inclusive, é o mesmo feito pelo candidato Aécio, quando esteve no Estado há um mês. O tucano, que fez visitas em Cuiabá e depois em Sinop, pode voltar para percorrer a região do Araguaia. Esta hipótese, contudo, é praticamente descartada pelas lideranças mato-grossenses.

Com a vinda de Eduardo Jorge vão faltar as presenças dos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PSB), Luciana Genro (Psol) e Pastor Everaldo (PSC). No caso da visita da socialista, é articulada pelo prefeito de Cuiabá e presidente estadual do PSB, Mauro Mendes, que já afirmou a dificuldade em trazê-la em razão da extensa agenda que Marina ainda tem que cumprir.

Já a vinda de Dilma, nos bastidores o comentário é de que a presença da petista é descartada, uma vez que a presidente tende a priorizar os grandes centros como Rio de Janeiro e São Paulo, uma vez que a disputa eleitoral está acirrada nestes locais, principalmente com a candidata Marina. Mesmo assim, o candidato Lúdio Cabral (PT) afirma que a cúpula do partido mantém esforços para garantir a vinda de Dilma.

Aécio defende Pacto Federativo e a gestão voltada para logística

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • francisco | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 14h00
    0
    1

    e o quarto mauro iasi,aecio,e emaey e eduardo jorge

  • João Moessa de Lima | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 20h07
    2
    1

    Pelas minhas contas é o terceiro já veio Aécio Neves e um outro estou na dúvida do nome.

  • Renato | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 18h32
    2
    1

    Esses dias eu vi o Aécio e depois Eymael com Taques. Não seria o 3º.

  • Batista | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 15h42
    3
    1

    Apenas corrigindo: o Eymael já esteve em Cuiabá no fim de agosto, assim como o Mauro Iasi do PCB esteve por aqui no começo de agosto.

| 18/09/2014, 10h:00 - Atualizado: 18/09/2014, 18h:40

Pátio reclama falta de espaço no horário eleitoral e coloca a culpa em presidente


.

zé do pátio

Candidato à Assembleia, Zé do Pátio reclama da falta de espaço em programas

O candidato a deputado estadual José Carlos do Pátio (Solidariedade) reclama da falta de espaço dentro do partido. Sem inserções nos programas eleitorais, o ex-prefeito de Rondonópolis perde a oportunidade de utilizar a ferramenta mais disputada em campanha, a televisão e o rádio. Embora lamente a situação, ele garante que seu trabalho não está sendo prejudicado. 

A assessoria do candidato comunicou que a exclusão de Zé do Pátio do programa eleitoral do Solidariedade aconteceu depois que o presidente estadual do partido, Adalto de Freitas, o Daltinho, dividiu o tempo por conta própria. Dessa forma, deixou de fora alguns postulantes da proporcional e optou por inserir fala da esposa sobre a ala feminina da legenda.

Zé do Pátio chegou a gravar os programas, um de 10 segundos e outro de 30 segundos, mas só foi veiculado uma vez, no início da campanha. O problema chegou a ser levado para a Justiça Eleitoral, que entendeu se tratar de questão interna e que não poderia ser resolvida no âmbito judicial.

O clima piorou após declarações do advogado do Solidariedade nacional, André Bacellar, a um veículo de comunicação de que Pátio não precisaria de inserção em programa eleitoral e que seus eleitores não assistem televisão. “Durante meus 30 anos de vida pública, o maior aprendizado que tive foi que para ganhar é necessário agregar força, ou seja, o contrário do que está sendo praticado pela executiva estadual do Solidariedade”, afirma o candidato. 

A reportagem tentou por diversas vezes entrar em contato com Adalto de Freitas para comentar sobre o assunto. No entanto, não obteve sucesso e nem retorno até a publicação desta matéria. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • matheus | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 11h32
    0
    1

    esse zé e so problema,saiu do pmdb e foi expulso da prefeitura,e agora ta dando trabalho para o sd ta desesperado ze vai pra rua pedir voto eu sou mais outros bom nome do sd to fora do ze

  • LUIZ | Sexta-Feira, 19 de Setembro de 2014, 10h38
    0
    1

    PATIO ASSIM COMO WILSON ENTRARAM EM BARCOS ERRADOS NA ELEIÇÃO PASSADA, ESTÃO PAGAMENTO O PREÇO, SÓ QUE ACHO O WILSON SE ELEGE, JÁ PATIO A BRIGA É MUITO GRANDE EM RONDONOPOLIS, ESTA CHEGANDO A HORA DE PENDURAR AS CHUTEIRAS...........MAS ESSE POVO É INSISTENTE DEMAIS....

  • juarez | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 17h07
    7
    0

    coitado desse daltinho, quer tirar proveito do tempo de candidatos bons como Zé e Irineu Jr. e vai acabar tendo menos votos que eles

  • José Charles | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 12h21
    1
    4

    Zé do Pátio não vai fazer 15 mil votos. Esperem e confiram.

  • Ronaldo Ramos | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 12h09
    4
    1

    Esse Daltinho tem que saber que quanto mais votos a nossa coligação tiver à chance de fazermos mais deputados aumenta, quando se tem um grupo deve-se pensar em todo o conjunto não só no individualismo, por isso que você vai ser um eterno suplente. Eu sou e estou com ZÉ DO PÁTIO, pra o que der e vier é o ZÉ que o povo quer.............................

| 17/09/2014, 22h:51 - Atualizado: 18/09/2014, 17h:24

Hoje na AL, Barreto e Ezequiel têm chances reais a federal - veja quem são os cotados


Em palanques opostos, dois deputados estaduais vivem expectativas reais de se tornarem federais. De um lado está Jota Barreto (PR), que faz parte do palanque do candidato a governador pela situação, petista Lúdio Cabral. De outro, Ezequiel Fonseca (PP), integrante do bloco oposicionista de Pedro Taques (PDT). E nesse jogo eleitoral dois líderes do PSD, o vice-governador e o deputado federal Eliene Lima, brigam entre si na esperança do grupo agora liderado por Janete Riva ao Palácio Paiaguás conquistar ao menos uma vaga na Câmara.

Pelo blocão governista, composto pelo PR, PT, PMDB e Pros, quatro devem garantir vaga. E os mais cotados são os já federais Valtenir Pereira (Pros), Carlos Bezerra (PMDB) e Ságuas Moraes (PT). A quarta vaga ficaria com Barreto, que entrou como uma das vozes da região da Grande Rondonópolis, tentando ocupar espaço do federal de seis mandatos Wellington Fagundes, que concorre ao Senado.

O quociente eleitoral é de 210,1 mil votos. Estão em jogo oito vagas para representação mato-grossense na Câmara. Dos que exercem mandato hoje, somente Roberto Dorner (PSD), Júlio Campos (DEM) e Wellington não tentam novo mandato.

bancada federal disputa

Por cada coligação, surgem nomes com maiores chances na disputa por cadeira de deputado federal

Pelo blocão de oposição, que conta com 10 partidos, a expectativa é de garantir entre três e quatro vagas. Os mais cotados são o já federal Nilson Leitão (PSDB), da Grande Sinop; o ex-secretário de Governo de Cuiabá, Fábio Garcia (PSB), apoiado pelo prefeito da Capital Mauro Mendes; o ex-prefeito rondonopolitano Adilton Sachetti, também do PSB; e Ezequiel Fonseca, dirigente do PP e representante da região Oeste. Também está no páreo como um dos cotados pelo grupo de Taques o suplente de federal Victório Galli (PSC).

A coligação do PSD corre risco de ficar de fora. No máximo, asseguraria uma vaga. O próprio Daltro se mostra preocupado e até desmobilizou alguns "cabeças" de sua campanha. O que pode levar esse grupo, que lançou Janete ao governo em substituição a José Riva, barrado pela Lei da Ficha Limpa, é o fato do deputado Dorner ter desistido de uma nova disputa. Ele seria candidato para mais de 50 mil votos. Mesmo que Daltro e Eliene venham a obter 60 mil votos cada, a coligação dificilmente terá votação de legenda dos demais candidatos suficientes para avançar além de uma cadeira.

Postar um novo comentário

Comentários (22)

  • José Bolo Flor | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 17h49
    3
    1

    e o Procurador Mauro? Cuiabá e a baixada está em peso com ele, será que ele não vai ser a zebra da vez? os votos de protestos!.

  • Luiz Antonio | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 16h17
    1
    5

    Mauro Garcia... nosso futuro Dep. Federal do nortão!!!

  • joana silva Oliveira | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 16h15
    1
    1

    joana silva Oliveira, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Odair Reinehr | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 16h07
    3
    1

    Mauro Garcia vai se tornar o melhor Deputado Federal que Mato Grosso ja teve ... vamu que vamu Mauro Garcia o Deputado Federal do Nortão. Mauro Garcia neles.

  • santos | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 16h03
    5
    1

    Enquanto vcs ficam puxando s..de candidatos a Petrobrás tá se acabando, a educação de mato grosso e a segurança também. abra os olhos, favor só serve como beneficio temporário, mas a nossa vida dura mais que isso.

  • felipe | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 15h52
    4
    1

    kkkkkkkkk....Juscy Ribeiro e a famosa quem????? nunca ouvi falar

  • Thiago Inácio | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 15h33
    5
    1

    acredito que essa pesquisa esteja equivocada, pois ao contrario do que ela não diz, escuto proposta de uma candidata que não aparece na mesma, que é Jusci Ribeiro, unica Mulher decidida a fazer a mudação, e que está sendo bem vista pela população de Mato Grosso, ainda mais pela defesa da mulher que é a maioria no Estado, e não aparece nessa cotação. uma vergonha, pois a a omissão da candidata, não irá calar a voz dos eleitores e eleitoras do Estado. Meu voto é Jusci.

  • Caio Dias | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 15h26
    1
    5

    Eu acho uma vergonha um estado na qual só temos uma mulher nos representando, como deputada federal e ser excluída da Cotação sendo que nos municípios e de clareza que a maioria dos votos e dela. Eu sou Homem e voto em uma mulher e voto em Jusci Ribeiro

  • Noel | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 15h19
    1
    0

    Noel, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • francisco | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 14h26
    5
    0

    fabio nao ganha prega o novo com chica nunes respresentado em reuniao

Rumo às Urnas | 17/09/2014, 22h:02 - Atualizado: 18/09/2014, 10h:24

Mauro diz que Taques não tem “sangue de barata” e acusa Lúdio de fazer demagogia


Iara Resende

Mauro Ludio

 Mauro chegou no Palácio Paiaguás acompanhado pelos secretários Kleber Lima e Alberto Machado

O prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB), que faz parte da coordenação da campanha do candidato a governador Pedro Taques (PDT),  afirma que o pedetista não tem “sangue de barata” e vai reagir  contra as “conversas  fiadas” lançadas pelos adversários. Segundo o socialista, a troca de acusações não é natural, mas faz parte da  história politica brasileira. “Candidatos com  chances de ganhar são mais atacados e os que estão perdendo buscam alguma estratégia para mudar  o rumo da eleição. Pau que bate em Chico, bate em Francisco”, avaliou após reunião com o governador Silval Barbosa (PMDB), na tarde desta quinta (17), para tratar de parceria para construção no novo Pronto Socorro na Capital.

Conforme o prefeito, o adversário Lúdio Cabral (PT) age como “irresponsável, demagogo e inconsequente” ao atribuir as mazelas da saúde em Cuiabá ao secretário Werley Peres (PDT), que foi indicado por Taques para assumir a pasta. Para Mauro, o setor enfrenta problemas  nos 5.564 municípios do Brasil. “A incompetência é do PT da presidente Dilma Rousseff, que está no poder há 12 anos”, reagiu.

Mauro também rebateu as críticas de Lúdio, que acusa o grupo político pró-Taques de não cumprir a promessa de construir o novo Pronto Socorro na Capital no início do mandato e, agora, promete a construção de hospital com 350 leitos. “Faz 10 anos que o PT, que comanda o governo federal,  promete o Hospital Universitário que até agora não foi concluído. Então, deveria ter desapeado do poder porque não resolve o problema até hoje?”, questiona .

 Na opinião de Mauro, os candidatos deveriam concentrar aos ataques aos problemas enfrentados por Mato Grosso. De acordo com o gestor, os eleitores estão mais interessados nas soluçãoes para saúde, educação e infraestrutura apresentadas na campanha. 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • NUNES | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 11h38
    6
    0

    MAURO ESSE PRONTO SOCORRO ERA PRA ESTAR PRONTO JA SEGUNDO SUA PROPAGANDA ELEITORAL EM 2012 E ATÉ AGORA SÓ TEM PROJETO. VAI TRABALHAR MAIS E FALAR MENOS, CUMPRIR AS PROMESSAS É SEMPRE BOM.

  • Celia | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 11h29
    5
    0

    ...mais promessas....2016, é ano eleitoral...infelizmente, ainda tem gente que CREDITA EM PROMESSAS.......

  • jose alves da silva | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 07h27
    9
    13

    A COISA MAIS ESTRANHA É ESSE ILUDIO SER CANDIDATO PORQUE JÁ PERDEU PARA PREFEITO DE CUIABA COM TODA MENTIRA QUE ESSA TURMA DO PT PMDB PR TENTA ENGANAR O POVO DESSA VEZ DINOVO NÃO VÃO CONSEGUIR O POVO ESTA CONSCIÊNTE E ATNENTO E QUER MUDANÇA AFINAL JÁ SÃO 12 ANOS ESTA NA HORA DE LARGAR A MAMATA.

  • JOVM | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 23h13
    2
    1

    JOVM, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Vilson Nery | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 23h11
    17
    9

    Diga com quem tu andas que te direi quem és, Taques. Ajudei a te eleger em 2010, mas hoje me arrependo amargamente. Entrou no sistema e deixou a ânsia de ser governador lhe consumir, fazendo pactos que não são dignos de uma pessoa que foi eleita como a esperança para tudo de errado que acontece em nosso estado. O que vimos foi um senador que esqueceu o mandato para fazer pactos com todos que ele próprio condenava com o único objetivo de chegar ao governo. Esqueceu todas as promessas de campanha. Quando ouço o senhor falando sobre a vergonha que é o repasse que a Assembleia recebe, ai que me decepciono ainda mais, também concordo que aquilo é uma pouca vergonha, mas se o senhor realmente é contra, como senador que é e só o senhor ou os deputados federais podem fazer, por que não apresentou uma emenda a Constituição baixando esse percentual que as Assembleias recebem, não só em MT, mas em todos o país? Passou 4 anos la sem falar nada sobre isso e só agora vem bater nisso. Decepção, esse é o sentimento que tenho pelo senhor.

| 17/09/2014, 18h:30 - Atualizado: 18/09/2014, 09h:05

Ao vivo, assessorir jurídico do MCCE-MT


Davi ValleRDNews

RDTV Ceara MCCE

Coordenador do MCCE em Mato Grosso, Antonio Cavalcante Filho (Ceará), ao vivo nesta 5ª - participe

O coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral em Mato Grosso, Antonio Cavalcante Filho, o Ceará, participa ao vivo do RDTV desta quinta (18) para falar sobre os últimos acontecimentos envolvendo as eleições-2014, a exemplo dos indeferimentos das candidaturas de José Riva (PSD) e José Marcondes (PHS) ao Governo e o tom mais embativo registrado nas campanhas ao Senado.

Os interessados em colaborar com esse bate-papo, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no botão RDTV no topo do portal RDNews. Simultaneamente, o programa é transmitido para a Baixada Cuiabana por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

08h15 - Assessor jurídico do MCCE estará ao vivo

O assessor jurídico do MCCE em MT, Vilson Nery, será o entrevistado ao vivo do RDTV desta quinta (18) devido à impossibilidade do coordenador da entidade participar do programa.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • ANTONIO | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 14h40
    2
    1

    Como o assessor esta vendo o abuso de poder do grupo de taques ? Que medidas o MCCE irá tomar ?

  • Belmiro | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 08h07
    6
    3

    Gostaria de saber do Ceará como pode um cidadão fiscalizar os erros politicos se ele faz parte do sistema?

Rumo às Urnas | 17/09/2014, 16h:00 - Atualizado: 17/09/2014, 22h:16

Lúdio rebate Blairo e declara que postura do senador na campanha é contraditória


Davi Valle/Rdnews

ludio_blairo_blog_interna.jpg

Candidato ao Governo Lúdio Cabral alfineta Blairo Maggi (PR)

O candidato a governador, Lúdio Cabral (PT), da coligação Amor à Nossa Gente, voltou a questionar a posição que o senador Blairo Maggi (PR) está adotando nesta campanha. Ocorre que o republicano, mesmo sendo de partido aliado, se omitido do processo eleitoral, mas conta com vários afilhados políticos e parentes financiando o adversário Pedro Taques (PDT). “Estranhei esse posicionamento do senador porque é contraditório. Ele disse que não participaria do processo eleitoral, mas seus familiares e apoiadores mais próximos participam da campanha do adversário, inclusive com financiamentos milionários?”, aponta Lúdio.

O petista também questiona o  fato da família Maggi ser a maior doadora da campanha de Taques, que já arrecadou mais de R$ 11 milhões. Depois de ter o nome envolvido na Operação Ararath, que investiga crimes contra o sistema financeiro, Maggi disse que se omitiria do processo eleitoral. “Ele escolheu se omitir, o que já não é um comportamento adequado para um senador da República que tem filiação partidária, mas não podemos ignorar o fato de que a família Maggi, ao financiar o adversário, joga contra a nossa campanha e, consequentemente, contra a campanha da presidente Dilma à reeleição”, completa.

Blairo conta com o primo Eraí Maggi e o homem de confiança Luiz Antônio Pagot como alguns dos principais coordenadores da campanha de Taques. Neste sentido, o presidente estadual do PT, William Sampaio, afirma que não adianta dizerem que estão com a Dilma, pois quem apoia a reeleição da presidente está com ele. Ressalta que ambos estão no mesmo projeto para fazer de Mato Grosso um Estado ainda melhor e que Taques é adversário da presidente. “Ou seja, quem não está com a gente está no grupo dos milionários. Será que existe algum acordo com o candidato Pedro Taques para que sejam escondidos inclusive alguns erros do passado?”. (Com Assessoria)

Blairo diz que nunca fez acordo com Lúdio e critica reclamação do petista

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Devalter Freitas | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 08h45
    0
    2

    Devalter Freitas, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • castranha | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 06h36
    1
    1

    castranha, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Augusto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 21h43
    11
    9

    Senhor Lúdio, quem disse q Dilma ta com vc, que eu saiba Dilma e Lula ta evitando vir a Mato Grosso, porque se ela vim e pra subir no Palanque de TAQUES não seu. Acorda Lúdio, só o nome já fala Lúdio Iludido.

  • Augusto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 21h37
    3
    2

    Senhor Lúdio, quem disse q Dilma ta com vc, que eu saiba Dilma e Lula ta evitando vir a Mato Grosso, porque se ela vim e pra subir no Palanque de TAQUES não seu. Acorda Lúdio, só o nome já fala Lúdio Iludido.

  • João Moessa de Lima | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 20h28
    14
    8

    Senhor Ludio Cabral tem todo razão de exercer o direito do esperneio, que exerça! Não sou fã do Sr. Blairo Borges Maggi no entanto acho que deu uma explicação sobre a campanha absolutamente clara e coerente com o que vem dizendo de há muito, quanto aos seus familiares estar doando para seu adversário a explicação foi ainda mais clara e justa.

  • Rebeca Cantarini | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 19h31
    14
    9

    Lúdio vai acabar com a mamata da AMaggi e do Grupo Bom Futuro e Scheffer. É a vez dos produtores familiares, que se tornarão, em breve, grandes produtores.

  • CLAUDIO | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h19
    16
    10

    belas palavras Jorge Luiz, o Ludio prova com isso que o limite dele mesmo é um POSTO DE SAUDE.

  • Jorge Luiz | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h00
    17
    14

    mimimimi, eu quero dindin do Maggi, mimimi, ele não quer dar, mimimi, vou chorar, buábuábuá. cresce cara, quando alguém não quer tua amizade não fica dizendo todo dia que não quer, pois, uma única vez já basta. Você (Lúdio) deve crescer com suas propostas e ter aqueles ao seu lado tem que merecê-los e não exigir que fique com a sua companhia.

| 17/09/2014, 14h:43 - Atualizado: 17/09/2014, 14h:45

Ministro e o apoio de faz de conta a Lúdio


Fernando Ordakowski

charge_neri_geller.jpg

Ministro Neri Geller diz apoiar a campanha de Lúdio ao Governo, mas nos bastidores torce por Taques

O ministro Neri Geller (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), filiado ao PMDB, tem afirmado publicamente que apoia Lúdio Cabral ao Governo. Mas esta adesão à campanha do petista, que tem a peemedebista Teté de vice, só está expressa em fotografia e em algumas entrevistas. Nos bastidores, o candidato de Neri chama-se Pedro Taques (PDT). É neste grupo de oposição que o ministro mato-grossense se sente à vontade, pois tem nele fortes aliados como o vice de Taques, Carlos Fávaro e o rei da soja Eraí Maggi (ambos do PP), além de outros líderes dos segmentos do agronegócio.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Felipe Matos | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h24
    2
    3

    Felipe Matos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Dr, JOÃO OSORIO DOS SANTOS | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 15h56
    1
    1

    Dr, JOÃO OSORIO DOS SANTOS, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 17/09/2014, 14h:35 - Atualizado: 17/09/2014, 19h:14

Polícia Civil libera "laranjas", mas mantém conselheiro da Cultura e a esposa presos


A Polícia Civil liberou 20 pessoas apontadas como “laranjas” no esquema de desvio de recursos nas secretarias de Cultura de Cuiabá e do Estado, desmantelado pela Operação Alexandria na última segunda (15). Os suspeitos foram liberados pelo delegado Gianmarco Paccola após prestarem depoimento na Delegacia Fazendária (Defaz).

Somente o conselheiro Alceu Marcian Cazarin e a esposa, Elaine Cristina da Silva Naves, considerados como mentores do esquema, permanecem presos. Eles devem ser encaminhados ao sistema prisonal ainda nesta semana. Entre os “laranjas” liberados pela Polícia Civil estão estão empregadas domésticas, militares do Exército, personal training, zeladores e frentistas. O delegado considerou que os envolvidos não representam perigo para sociedade e se comprometeram a colaborar com as investigações.

O  grupo desarticulado pela Operação Alexandria é acusado de ter desviado R$ 1 milhão por meio de projetos culturais que tinham os recursos liberados, mas nunca saiam do papel.  O dinheiro era depositado nas contas em nome dos “laranjas”, que ficavam com 2% ou 3% do valor, enquanto o restante era embolsado pelos integrantes do Conselho Estadual de Cultura envolvidos na fraude.

 As prisões da Operação Alexandria foram executadas em Cuiabá, Rondonópolis e São José dos Quatro Marcos. Os três suspeitos que não foram capturados na segunda seguem na condição de foragidos. 

Operação Alexandria prende 21 pessoas por fraudes na Cultura - confira

Postar um novo comentário

| 17/09/2014, 09h:06 - Atualizado: 17/09/2014, 15h:22

Se Lúdio não mudar de atitude, jamais vai deixar de ser vereadorzinho, rebate Júlio


O deputado federal Júlio Campos (DEM) rebateu crítica do candidato ao Governo Lúdio Cabral (PT), que durante o programa eleitoral se referiu ao democrata como “velharia” da política mato-grossense. Para o deputado, é perda de tempo o petista tentar criticá-lo já que ele não está no páreo.

“Nem eu nem o Jayme estamos concorrendo nessas eleições. Não tenho motivos para respondê-lo, porém, caso o candidato não mude suas atitudes jamais vai deixar de ser um vereadorzinho”, dispara Júlio, em entrevista ao Rdnews.

O deputado ainda alfineta que se um dia Lúdio chegar onde ele chegou ou fizer a metade do que fez por Mato Grosso, aí vai poder falar alguma coisa. “Entretanto, quem nasceu para ser vintém não chegará a centavo”, completa.

O democrata faz questão de lembrar sua trajetória política como governador do Estado, senador, deputado federal por três vezes, sendo o mais votado nos ano de 78 e 1986, para mostrar a diferença entre ele e o petista. 

Para o deputado, que faz parte da “Coligação Coragem e Atitude para Mudar”, cujo candidato ao Governo é Pedro Taques (PDT), o cenário eleitoral, que traz Lúdio como segundo colocado nas intenções de voto, não deve mudar. “Nós da coligação acreditamos na vitória no primeiro turno. Só se acontecer algum fato inesperado, mas seguimos confiantes de que vamos sair vitoriosos nesse primeiro momento”, finaliza.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • benedita | Quinta-Feira, 18 de Setembro de 2014, 10h05
    0
    1

    Será que Deus não tem mais o que fazer, afinal há conflitos muito mais importantes acontecendo com o genocídio de milhares de pessoas, agora, pedir a DEUS segundo turno é muita mediocridade, a entrada de marina no cenário da disputa eleitoral esta fazendo os mas se a candidata a reeleição nem vai pisar no MT para apoiar o iLúdio, o Lulla não mais lá, é que deveria vir, afinal na outra eleição ele veio e o iLúdio se iludiu e deu no que deu. Qu!e campanha mequetrefe

  • Victor Luis | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 16h03
    8
    11

    Ludio não passará de um vereadorzinho ? Que tal presidente de bairro ? SERÁ QUE GANHA?

  • Batista | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 14h09
    12
    12

    Se Lúdio não quer velharia na política, tinha que ter dispensado Carlos Bezerra. Mas, escolheu a mulher dele como vice.

  • Cleison | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 14h03
    16
    7

    OS CAMPOS COM CERTEZA REPRESENTAM TUDO AQUILO QUE A DE MAIS ARCAICO NA POLITICA DO NOSSO ESTADO, E APESAR DE ESTAREM JUNTOS COM QUEM DIZ SER A MUDANÇA ELES NÃO SÃO E ISSO É FATO. VEREADORZINHO OU NÃO O QUE O LUDIO NÃO PODE FAZER É TER AS MESMAS PRATICAS DESSA TURMA.

  • Paulo Sérgio | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 12h02
    22
    6

    Um político que se diz experiente, como esse Julio Campos se acha, não poderia nunca usar a expressão "vereadorzinho" para tentar desqualificar ninguém. Entao quer dizer que para ele, vereador não é nada ? Ou, esta abaixo da linha da dignidade dele ?

  • Vicente Trindade Neto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 11h59
    19
    5

    O Júlio Campos tem experiência própria já foi Governador, Senador e agora Deputadozinho e dos bem fracos e cassado, e agora não se elege mais nem pra Presidente de Bairrozinho, pro bem de MT.

  • Vicente Trindade Neto | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 11h58
    8
    4

    O Júlio Campos tem experiência própria já foi Governador, Senador e agora Deputadozinho e dos bem fracos e cassado, e agora não se elege mais nem pra Presidente de Bairrozinho, pro bem de MT.

  • Getulio Arrantes | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h39
    4
    0

    Getulio Arrantes, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • elias melo | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h00
    16
    8

    os campos não podem esquecer que eles são bananeiras que deu cacho.(rsrsrsr), ja era agora é um nova fase, um no leque de politicos no qual Ludio assim como outros protagonisam....

  • Felipe Matos | Quarta-Feira, 17 de Setembro de 2014, 10h00
    19
    13

    A campanha do Taques está em desespero. Estão usando todo seu poder de comunicação para desqualificar o Lúdio. Mas teremos segundo turno.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 715