Cuiabá, 21 de Outubro de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Gabriele Schimanoski

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriele Schimanoski

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Larissa Malheiros

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Larissa Malheiros

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

RONDONÓPOLIS | 05/11/2013, 10h:43 - Atualizado: 05/11/2013, 13h:43

Prefeitura faz cadastro para garantir isenção de pedágio


Foto: A Tribuna -- Praça de pedágio na MT-130 continua provocando polêmica  Os pequenos produtores da região Sul de Mato Grosso, que precisam utilizar a MT-130 para vender os produtos em Rondonópolis e não tem condições financeiras de arcar com o pedágio todos os dias, continuam a luta pela isenção da taxa. Em reunião com o vice-prefeito Rogério Salles (PSDB) ficou definido que eles terão de fazer uma ficha cadastral onde devem constar os dados da propriedade, o nome do morador, os dados do veículo e a quantidade de vezes que passa pela praça de pedágio por dia e mensalmente.

   Deve ser cadastrado um veículo por família, sem limite de tamanho de propriedade, englobando assentados, sitiantes, fazendeiros e moradores da região, que moram até 30 km da praça de pedágio. O prazo de entrega do cadastro será até 20 de novembro. A intenção é que os cadastrados sejam beneficiados com a gratuidade.

  A polêmica começou quando a concessionária Morro de Mesa instalou a praça de pedágio na MT-130 e passou a cobrar a taxa, tida como alta para os pequenos produtores da região. Eles reclamam que, se tiverem de pagar todos os dias, não terão mais lucratividade com os produtos vendidos na cidade.

   Há cerca de um ano, a Câmara de Rondonópolis fez uma indicação à Assembleia, pedindo que a lei aprovada pelos deputados estaduais, concedendo a concessão para à Morro de Mesa e estabelecendo o pedágio, fosse revisada e que os pequenos produtores ficassem isentos. Em troca, a concessionária receberia incentivos por parte do Estado. No entanto, a lei isentando os sitiantes da taxa de pedágio foi vetada pelo governador Silval Barbosa (PMDB).

   O pedágio entrou em operação em 2012. A MT-130 liga Rondonópolis e Primavera do Leste. A praça de pedágio fica a menos de 5 km de Rondonópolis, para quem segue para Primavera do Leste (213 km de Cuiabá). Automóveis e camionetes estão pagando R$ 6,50 cada vez que passam pelo local. Motocicletas pagam R$ 3,25. O pedágio também é cobrado na entrada de Primavera do Leste.

   Campo Limpo

   Enquanto uma solução não é encontrada para o assunto, os pequenos produtores tiveram que encontrar um caminho alternativo para seguir para Rondonópolis e vender os produtos. Eles estão utilizando a estrada vicinal do Campo Limpo, por isso, solicitaram ao vice-prefeito que fosse realizada a conservação da estrada.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Zé Poxoréo | Terça-Feira, 05 de Novembro de 2013, 11h34
    0
    0

    É certo aquele ditado "terra de cego quem te olho é rei"! Esse pedágio é mais um verdadeiro caso de policia em Mato Grosso. Deviam verificar os métodos dessa concessão e se a concessionária tem cumprido seus deveres. Enquanto já que ninguém enxerga, o povo paga!

| 21/10/2014, 18h:30 - Atualizado: 03h atrás

Ao vivo, às 8h30, deputado estadual eleito Saturnino Masson – mande sua pergunta


O RDTV desta quarta (22) conta com a participação ao vivo do deputado estadual eleito Saturnino Masson (PSDB), eleito com 16.262 votos, o que representou 1,10% dos votos válidos. Ex-prefeito de Tangará da Serra, o tucano deve trabalhar voltado à defesa da bancada ruralista. Também foi o parlamentar mais velho eleito já que completa 70 anos no próximo dia 29 de novembro.

Os internautas interessados em colaborar com essa entrevista devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br, a partir das 8h30, ou ainda acompanhar a transmissão, em tempo real, na TV Mato Grosso (canal 27), para a Baixada Cuiabana.

Postar um novo comentário

Transição | 21/10/2014, 15h:57 - Atualizado: 06h atrás

Equipe de transição acompanha obras da Copa, MT Saúde, MT Prev e MT Par - veja

Em reunião, a equipe de transição ainda definirá responsabilidades


O governador eleito Pedro Taques (PDT) decidiu ampliar o número de setores atendidos pela equipe de transição. Além das 12 áreas contempladas com base na reforma administrativa, que poderá ser implantada a partir de 2015, também serão criadas coordenadorias para analisar dados referentes às obras da Copa, MT Saúde, MT Prev e MT Par. Os integrantes receberão a missão de analisar os dados fornecidos pela atual gestão para projetar as medidas que serão adotadas no início do próximo governo.

Segundo o coordenador da equipe de transição, prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT), as quatro áreas são problemáticas e precisarão de atenção especial. “Os problemas ficarão para o próximo governo. Então, precisamos avaliar cada situação com prudência para definir o melhor rumo”. O acompanhamento das obras da Copa, MT Saúde, MT Prev e MT Par será realizado por membros da própria equipe de transição. As responsabilidades serão definidas em reunião ainda nesta semana.

Davi Valle/Rdnews

pivetta_transicao_obras.jpg

Otaviano Pivetta, coordenador da equipe, diz que áreas destacadas precisam de  atenção especial

O setor mais problemático são as obras da Copa. O VLT, por exemplo, está com a execução atrasada e enfrenta problemas estruturais como no Viaduto da Sefaz, que está interditado sob risco de desabamento. No que diz respeito às outras obras de mobilidade, a trincheira do Santa Rosa também está atrasada, apresenta rachadura e acabou paralisada para elaboração de laudos. Na campanha eleitoral, Taques prometeu concluir todas as intervenções além de buscar punição para eventuais responsáveis por malfeitos.

No MT Saúde, o desafio do novo governo será avançar na sua reestruturação. Ao longo da gestão Silval Barbosa (PMDB), o plano dos servidores do Estado chegou a ser ameaçado de extinção e foi alvo de CPI na Assembleia. A remodelação aprovada pelo Legislativo contou com aval do Fórum Sindical e já está em fase de implementação.

Edson Rodrigues/Secopa

trincheira_santa_rosa_capa.jpg

Trincheira Santa Rosa é uma das obras da Copa atrasada e que apresenta diversas irregularidades

Outra questão delicada é o MT Prev. O projeto de lei que prevê a unificação da previdência dos servidores dos três Poderes está paralisado no Legislativo há quase um ano, apesar das cobranças do governo federal para regularizar a questão previdenciária, inclusive com ameaça de não renovar a Certidão de Regularidade Previdenciária de Mato Grosso tornando o Estado inadimplente. Além disso, o Governo alega que a aprovação é fundamental para sanear a situação do setor, que já apresenta déficit de R$ 400 milhões e pode chegar a R$ 1 bilhão em cinco anos.    

Coordenador anuncia 12 membros da equipe de transição – confira lista

Já o MT Par foi criado em dezembro de 2012 para promover a geração de investimentos em Mato Grosso, colaborar, apoiar e viabilizar a operacionalização do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas sob as diretrizes do Conselho Gestor de Parcerias Público-Privadas. Além disso, uma das responsabilidades do programa é comprar e vender participações acionárias, podendo constituir empresas com ou sem propósito específico, firmar parcerias e participar do capital de empresas públicas ou privadas; bem como gerir os ativos patrimoniais e financeiros a ela transferidos pelo Estado, por meio da Administração Direta ou Indireta, ou que tenham sido adquiridos a qualquer título. Entretanto, até o momento só consumiu recursos sem apresentar resultados concretos.

Postar um novo comentário

| 21/10/2014, 13h:58 - Atualizado: 08h atrás

Sem representantes na AL, prefeito aposta na contribuição de vereadores em Barra


De Barra do Garças

Rdnews

beto_farias_interna.jpg

Prefeito lamenta desastre nas urnas para região do Araguaia

Barra do Garças ficará mais quatro anos sem um representante com domicílio eleitoral na região do Vale do Araguaia na Assembleia e na Câmara Federal. O fracasso dos candidatos nas urnas é encarado pelo prefeito Beto Farias (PSD) como um sinal de que algo está errado e que conceitos precisam ser revistos nos próximos pleitos. O social-democrata, contudo, já tem alternativas para suprir esta lacuna.

Com bom relacionamento com o deputado reeleito Baiano Filho (PMDB) e com a eleição de Janaína Riva (PSD) no Legislativo, o prefeito espera que ambos possam ser os futuros interlocutores da cidade. “Baiano já tem serviços prestados a região e a Janaína é do meu partido. Portanto, contamos com eles”.

Para a Câmara Federal, Beto afirma que recebeu manifestações de todos os deputados eleitos, que se colocaram à disposição do município em Brasília. Ressalta que mantém um bom relacionamento com o deputado federal reeleito Carlos Bezerra (PMDB), que já vinha trabalhando pela cidade. “Além disso, contamos com o apoio do senador eleito Wellington Fagundes (PR), que sempre prestou serviços a Barra do Garças. Agora, com a votação que teve na eleição estará com os olhos voltados ainda mais para os nossos problemas”, espera.

Desastre nas urnas

Beto Farias lamenta o resultado das urnas que deixou a região mais uma vez sem representantes. Explica que o Araguaia apresentou bons nomes, no entanto, o eleitor optou por dividir os votos e hoje já repensa a forma de votar nas próximas eleições. Diante da situação, diz que os 33 municípios do Vale do Araguaia terão prejuízos nos próximos quatro anos.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Antonio Moreira Vila St Antonio | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 16h50
    4
    0

    Prefeito Beto, você foi a maior decepção dos barragarcensses o senhor esta fazendo um tipo de politica retrogada que só vista em um passado remoto, pensamos que o senhor seria um politico de visão futuristica, mas não, acha que o povo tem que ficar como esta, pobre e sem direito de ter uma boa saude uma educação de qualidade, o senhor não valoriza funcionario, mas o senhor pode ter certeza, na proxima eleição para prefeito o senhor terá a resposta compativel co sua administração que é muito ruim, um retrocesso para Barra do Garças.

| 21/10/2014, 11h:42 - Atualizado: 21/10/2014, 12h:17

Leitão se consolida como líder do PSDB


Fernando Ordakowski

nilson_leitao_500

Nilson Leitão foi o mais votado a federal, com 127.749 votos, e é o principal nome do PSDB no Estado

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) se tornou a maior revelação do PSDB nas eleições deste ano. Mais votado, entre os candidatos a federal, com 127.749, o tucano se consolidou como principal nome da legenda, que já foi a maior do Estado à época em que Dante de Oliveira estava à frente do Palácio Paiaguás. Até 2010, quando o ex-prefeito de Sinop conquistou o primeiro mandato na Câmara Federal, após muito esforço, o maior expoente do PSDB era o ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos que disputou, sem sucesso, o Governo há 4 anos e, agora, se elegeu deputado estadual. A boa performace de Leitão neste ano se explica pelo fato dele ter aproveitado todas as “brechas” para se fortalecer, seja em Mato grosso comandando o PSDB e tendo relação próxima ao governador eleito Pedro Taques  (PDT), seja no cenário nacional, onde se tornou líder da Minoria no Congresso e estreitou relação com o correligionário e candidato à Presidência da República, Aécio Neves.

Postar um novo comentário

1º turno | 21/10/2014, 10h:47 - Atualizado: 04h atrás

Maior votação de Aécio no país é em cidade de MT; desintrusão justificaria


Rdnews/Arquivo

suia_missu_500.jpg

Alto Boa Vista vota em peso em Aécio; desintrusão justifica a rejeição da Dilma

Alto Boa Vista (a 1.060 km de Cuiabá) foi responsável por dar ao candidato à Presidência, Aécio Neves (PSDB), a maior porcentagem de votos válidos do país no primeiro turno. O tucano recebeu 82,56%, o que representa 1.766 eleitores do primeiro turno. Dilma Rousseff (PT) obteve 14,17%, representando 303 pessoas e Marina Silva (PSB) 1,92%, 41 eleitores. O levantamento foi feito pelo site G1.

A rejeição da petista na região é justificável em decorrência da desintrusão que ocorreu em dezembro de 2012. Na ocasião, o cumprimento da decisão judicial determinou a retirada de cerca de sete mil produtores rurais habitantes na gleba Suiá Missu, transformada na terra indígena Xavante Marãiwatsédé. Dessa forma, tendência é que no segundo turno Aécio amplie ainda mais os votos, pois eleitores de Marina Silva (PSB) podem votar no tucano devido a declaração de apoio da socialista.

Após a desocupação, muitos produtores rurais alegaram que não tinham para onde ir, além de reclamarem que foram desassistidos pelos governos federal e estadual. Com isso, ruralistas faleceram em decorrência da vida precária que levavam. Em outros casos alcoolismo e depressão têm sido registrados na região.

 Esses fatores foram fundamentais para que a vitória de Aécio nas urnas. O principal retrato da revolta com o governo federal é demonstrada pelo então presidente da Aprosul, Florêncio Paulo Borges. Em abril deste ano, em entrevista ao Rdnews, o produtor rural afirma que era eleitor de Dilma, mas que, a partir do momento da desocupação ficou revoltado com a petista.

Dilma

A cidade que mais votou em Dilma no país foi Belágua, no Maranhão, onde teve 92,13%, que corresponde a 3.593 eleitores, Marina 4,46%, 172 votos, e Aécio com 2,08%, 81 votantes.

Ex-moradores da Suiá Missu cobram a ajuda dos governos Dilma e Silval

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Joaquim Bach | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 14h36
    1
    2

    A sofrida população da região foi induzida a escolher a "vilã" errada. A decisão de desintrusão da área foi tomada pelo STF. Não cabia a Dilma, nem a qualquer autoridade discutir depois do trânsito em julgado. A única opção era cumprir a ordem da Corte Suprema. Alguns políticos e parte da imprensa fizeram e continuam fazendo questão de confundir.

  • CAPITAO BATO | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 13h36
    3
    2

    OUSEJA 92% BEM MAIOR QUE 82 % SEM FALAR QUE 3593 VOTOS MUITO MAIOR QUE 1766 QUASE O DOBRO NÉ..... PODE REPETIR VOTAÇAO QUE MESMO ASSIM É DILMA...

| 21/10/2014, 09h:50 - Atualizado: 06h atrás

Orçamento de Cuiabá registra déficit de R$ 35 mi na arrecadação e prefeito fará cortes


Iara Rezende

capa mauro ludio

Prefeito de Cuiabá Mauro Mendes  prevê fazer cortes divido à baixa arrecadação

O prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) aguarda estudo realizado pelas pastas de Gestão e Fazenda para decidir quais medidas tomará para continuar o processo de reequilíbrio das contas públicas. Entre janeiro e setembro, o orçamento deste ano já registra um déficit de R$ 35 milhões. No ano passado, a LOA foi estimada em R$ 1,9 bilhão.

Num primeiro momento, a estratégia é cortar gastos relacionados ao custeio, como água, luz, telefone, combustível e aluguel de carros. Posteriormente, conforme fontes, pode ser que ocorram enxugamentos, por exemplo, em contratos. Com todas essas ações, o socialista quer assegurar a manutenção da execução de obras importantes, como é o caso do programa Novos Caminhos.

Outras saídas adotadas pelo Palácio Alencastro, para alavancar a arrecadação, sem aumentar os impostos, é a realização do mutirão junto às pessoas e empresas que não pagam impostos. Até agora, desde que teve início, foram firmados 532 acordos e os valores renegociados chegam a R$ 1,3 milhão.

Além disso, ontem (20), o presidente do TJ, Orlando Perri, determinou que sejam refeitos os cálculos acerca do precatório do espólio de Clorinda Vieira de Matos. Assim, a prefeitura acredita que será ressarcida em R$ 906 mil, ao invés de ter que pagar R$ 12 milhões, como pedem advogados. 

Essa não é a primeira vez que Mauro precisa tomar atitudes para se adequar à queda nas receitas. Em julho deste ano, Mauro determinou contingenciamento de 10% no previsto do orçamento da Fonte 100 para 2014. 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • FHERNANDO GONÇALVES | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 10h52
    1
    0

    DIANTE DE TODA ESTA SITUAÇÃO AINDA FALA EM CONSTRUÇÃO DE HOSPITAL,A PERGUNTA E POR QUE AGORA QUE SEU ALIADO POLITICO GANHOU A ELEIÇÃO PARA GOVERNADOR O PREFEITO TENTE ARTICULAR UMA PARCERIA E DÊ CONTINUIDADE NO HOSPITAL ESTADUAL JÁ QUE O ALICERÇO ESTA EM PÉ E SEGUNDO O PRÓPRIO PREFEITO EXISTE POR PARTE DA PREFEITURA 25 MILHÕES EM CAIXA, O QUE JÁ SERIA SUFICIENTE DE CONTRA PARTIDA PARA O GOVERNO DO ESTADO, A FINAL O PRONTO SOCORRO NÃO ATENDE APENAS A CAPITAL MAS SIM O ESTADO E ALGUNS RESTANTE DO PAIS

  • Zé Poxoréo | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 10h04
    2
    1

    Divulgar a relação e os gastos com os DAS ninguém quer né! Em termos de gestão de pessoal a impressão que se tem é que a prefeitura continua como sempre foi, se todos resolverem comparecer no mesmo dia não cabe no prédio!

| 21/10/2014, 00h:00 - Atualizado: 21/10/2014, 07h:31

Espectro do medo ronda política brasileira

olga_artigo_domingo

Olga Lustosa

Não importa o resultado das eleições, o Brasil continuará sendo o maior país da América Latina, nossas instituições democráticas continuarão sólidas.  Avanços acontecem inexoravelmente, independente de quem for o presidente; rupturas e adoção de novas  políticas públicas também. Então, medo de que? De quem? A democracia não produz o socialismo e os programas de transferência de renda em governo democrático, não são extintos sem a votação do Congresso. Segundo artigo datado deste mês na revista Forbes, o Brasil está melhor agora do que há 12 anos e apesar da economia mais fraca, os investidores não estão deixando o país. Não estamos na década de 1990 e Brasil não é a Argentina. 

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman diz que a maioria dos medos humanos transcendem os limites de tempo e espaço enquanto permanecem na fantasia e estes regulam o comportamento dos seres humanos mesmo quando não há ameaça direta, mas velada.  Os perigos e medos derivados das ameaças irresponsavelmente propagadas contaminam a ordem social, pois o medo é mais terrível quando se é difuso, disperso, e quando ele flutua livremente por todos os lugares, sem amarras, âncoras, ou uma causa clara.

Ao adotarem a prática da disseminação do medo, os marqueteiros políticos desafiam a eficácia da política baseada na racionalidade e capitalizam as emoções e ansiedades dos eleitores, manipulam seus medos, fazendo com que estes se transformem em votos. A política do medo é definida como uma estratégia para lidar com o desconhecido, com a insatisfação e agitação popular.  A dinâmica adotada aqui está fora desses paradigmas, pois convenhamos, não há desconhecidos, tampouco estranhos nessa eleição.

Como analisar a emoção do medo neste contexto senão como uma forma de política de varejo, que em si mesma não é satisfatória? Creio que a verdadeira questão é apoiar quem acreditamos que tem as ferramentas para realmente resolver o problema da desigualdade, quem tem controle sobre a estrutura governamental para promover mais mudanças, desenvolvimento econômico mais equitativo e políticas públicas, que possam ter impacto sobre a desigualdade no longo prazo.

A política é um jogo de relações públicas. É por isso que há continuidade nas administrações; porque vários comportamentos são sistematizados, tem amarras legais na burocracia estatal e as mudanças tem que ser gradativas.  Não há cenário que possibilite uma reforma total nas instituições existentes, uma redistribuição radical do poder político e econômico. Em tempo, a reconstrução política passa inevitavelmente pela reconstrução da sociedade.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Laura almeida | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 18h33
    0
    0

    Laura almeida, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Pesquisa | 20/10/2014, 19h:25 - Atualizado: 21/10/2014, 09h:17

Dilma já soma 52% contra 48% de Aécio


Reprodução Folha de S. Paulo

Pesquisa Hoje20

 A pesquisa Datafolha, que entrevistou 4.389 eleitores em 257 cidades, foi realizada nesta segunda

A pesquisa Datafolha, divulgada há pouco, mostra Dilma Rousseff (PT) com 52% das intenções de voto contra 48% do adversário Aécio Neves (PSDB). Os números levam em consideração apenas os votos válidos, descartando brancos, nulos e eleitores indecisos. Conforme o instituto, essa é a primeira vez que a petista aparece na frente do tucano neste segundo turno.

O levantamento foi feito nesta segunda (20). Segundo o Datafolha, a pesquisa está no limite da margem de erro de 2% para mais ou para menos. Nas duas rodadas anteriores neste segundo turno, Aécio sempre apareceu na frente com 51% contra 49% de Dilma. Os resultados também indicavam empate técnico. Em votos totais, Dilma tem 46% e Aécio, 43%. Nas anteriores, eram 43% e 45% com vantagem para o tucano. Brancos e nulos somam 5% e antes chegavam a 6%. Indecisos são 6%, ou seja, o mesmo patamar anterior.

Na rejeição, Aécio tem 40%. Dilma, por sua vez, chegou a 39%. É a primeira vez que o tucano ultrapassa a candidata à reeleição neste quesito. O instituto ouviu 4.389 eleitores em 257 municípios. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR 011402014. 

Postar um novo comentário

Comentários (24)

  • anderson | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 21h38
    1
    1

    DEIXO UM TRCHO DAMUSICA DE CAZUZA 'BURGUESIA' VENHA NO YOUTUBE DEPOIS INTEIRA. DIZ ASSIM- " a burguesia fede...a burguesia quer FICA rica..enquanto houver burguesia..nao vai ouvir poesia!!!! tucanos,nunca mais! voto 13 voto dilma.nao porque amo dilma,creio que alternacia do poder mas o PSDB NAO REPRESENTA ISTO.SIGNIFICA RETROCESSO. SIGNIFICA CRESCER QUE NEM RABO DE CAVALO-RABO DE CAVALO CRESCE PRA BAIXO.O pt tem que sair mas nos vivemos a epoca de nao termos mais representantes politicos.por isso insisto no pt ainda. psdb trara o APARTHEID SOCIAL-RICO E RICO,POBRE E POBRE,MISERAVEL E MISERAVEL,exclusao social,ao inves de inclusao social.

  • ANTONIO MARCOS | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 18h51
    1
    1

    Aécio lidera corrida presidencial, diz Instituto Veritá Candidato do PSDB tem 53,2% dos votos válidos, contra 46,8% de Dilma

  • ANTONIO MARCOS | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 18h39
    0
    0

    ANTONIO MARCOS, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Felipe Matos | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 16h03
    7
    7

    É Dilma de novo com a força do povo. Assim pode né RDnews?

  • Davino Padilha | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 15h32
    7
    7

    Esse Instituto Datafolha é o mesmo que dava 15% pra Aécio, no entanto, ele obteve 35% dos votos. Seguindo a mesma lógica matemática Aécio deveria ter 70%. O PT tem desconstruído instituições sérias e aparentemente aparelhado até institutos de pesquisa consagrados no país. Dia 26 é o dia da verdade. Taques venceu no primeiro turno contra dados de pesquisas e Aécio também lograra vitória.

  • wagner | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 15h13
    2
    3

    Lembra daquele remédio Veritás? A sua propaganda dizia que levanta o moral e até defunto. É remédio ou Instituto?

  • fernando | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 15h06
    7
    5

    Mato grosso quer mudança agora e aecio presidente 45

  • benedita | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 14h38
    10
    4

    Aécio lidera corrida presidencial, diz Instituto Veritá, Candidato do PSDB tem 53,2% dos votos válidos, contra 46,8% de Dilma, até o voto final vai ficar esta gangorra!

  • Mane | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 14h36
    1
    0

    Mane, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Ralf | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 11h26
    10
    3

    Ja estou fazendo a minha parte para conter a INFLAÇÃO, conforme falou o secretario de politica econômica do ministério da fazenda deste atual governo. Parei de comer CARNE e agora só vou comer OVO, até a INFLAÇÃO baixar.

Judiciário | 20/10/2014, 18h:21 - Atualizado: 21/10/2014, 10h:52

Presidente do TJ pede para Taques poupar Poder Judiciário da redução orçamentária


Assessoria

Taques, Perri

 Governador eleito Pedro Taques, entre os desembargadores Orlando Perri e Paulo da Cunha falou que o Poder Judiciário porderá contribuir com as transformações que Mato Grosso precisa vivenciar

O governador eleito Pedro Taques (PDT) fez, na manhã desta segunda (20), a primeira visita à cúpula do Poder Judiciário após as eleições de 05 de outubro. O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Orlando Perri, esboçou preocupação com a possível redução do orçamento para 2015.

Na reunião, Perri propôs a participação do Judiciário no estudo da LDO e LOA que foi retirada da pauta da Assembleia, a pedido do próprio Taques, para retificações. "Eu até brinquei com o governador dizendo que nós já estamos trabalhando no osso, não temos nada de gordura a oferecer ao Executivo”, disse o desembargador.

 Perri, que estava acompanhado do  recém-eleito presidente da Corte, desembargador Paulo da Cunha, também colocou o Tribunal de Justiça à disposição para encontrar uma saída aos problemas na saúde pública e diminuir o número de ações interpostas. O magistrado explica que não é atribuição da Justiça administrar o orçamento do setor, mas indiretamente vem fazendo ao julgar ações e deferir decisões que interferem na gestão, pela deficiência dos serviços que são oferecidos à população.

 Segundo Taques, o Tribunal de Justiça também pode contribuir para as mudanças necessárias na administração pública.  Para o governador eleito, as pautas levantadas na conversa ainda devem ajudar  as equipes de transição. “Quero ouvir o Tribunal de Justiça, pois tenho certeza que o Poder Judiciário também está imbuído neste momento de transformação do nosso Estado com respeito, por óbvio, à independência dos poderes, mas tudo é o Estado de Mato Grosso”, destacou.  

 Na visita, que durou pouco mais de uma hora, os três debateram outras pautas importantes.  Entre elas a regularização fundiária e a execução fiscal.

Presidente Eleito

O desembargador Paulo da Cunha ressaltou que a visita de Taques revela a consideração do governador para com o Poder Judiciário. “Tanto eu quanto o atual presidente pedimos para não mexer no nosso orçamento que já é diminuto para as nossas necessidades”, concluiu. (Com Assessoria)

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • JANUÁRIO | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 13h26
    1
    0

    Por que???? O Judiciário é mais importante que a segurança que está um caos???? pois a bandidagem está invadindo, inclusive, os castelos desses senhores da Justiça. O Judiciário é mais importante que o sistema da saúde para a população que está morrendo nas portas dos hospitais públicos???? O Judiciário precisa de tanto dinheiro assim para por nas ruas os bandidos que a polícia prende???? Ou é para pagar o auxílio moradia da juizada e a URV que já está quase toda calculada?????

  • Paulo Roberto Sabão | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 11h15
    0
    0

    Oque vejo no TJ de Cuiabá, é um luxo só. Tudo muito bonito. Excelentes salarios,funcionários impecaveismente,bem vestidos,o piso dá para pentear os cabelos de tão limpo.Mais esse luxo todo não é só do TJ. ai vem também o tribunal de Contas, e a Assembléia. É um outro mundo,eles estão certos. Enquanto no poder Executivo,a realidade é totalmente diferente. Os prédios estão virando verdadeiras "TAPÈRAS". Quando chove é só goteiras,sem contar com algumas outras sedes que estão condenadas,como é o caso da SEDRAF. A Justiça deveria ser igual, para todos os poderes.

  • Luiz Carlos | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 02h38
    2
    0

    Éééééé foi pedir bença, +-isso, hhhhhaaaaaaa se não o 🚖 hoooo 🚀💥

Transição | 20/10/2014, 15h:14 - Atualizado: 20/10/2014, 18h:26

Após se reunir com Pivetta, Taques debate fusões e cortes de pastas com categorias

Pivetta diz que cortesia entre membros designados por Taques e representantes de Silval Barbosa demonstra maturidade política


O governador eleito Pedro Taques (PDT) reafirmou  o desejo de “enxugar” a máquina pública e reduzir o número de comissionados na estrutura administrativa do Estado. Entretanto, a decisão final sobre a redução do número de secretarias das atuais 19 para 12, conforme proposta apresentada na semana passada, será anunciada somente após amplo debate com os aliados políticos e com a sociedade. A informação é do prefeito licenciado de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT), que foi designado para coordenar a equipe de transição.

Taques e Pivetta se reuniram, nesta segunda (20) pela manhã, para avaliar o andamento da transição. No encontro, o governador eleito foi informado sobre a atuação dos 12 membros da equipe, que já analisam os dados fornecidos pelo Executivo sobre os diversos setores da gestão estadual.  “Com as informações obtidas pela equipe de transição será possível fazer um raio X da situação do Estado para definir as ações que serão adotadas logo no início do mandato”, explica o coordenador.

Davi Valle/Rdnews

pivetta_capoa.jpg

Otaviano Pivetta, coordenador de Taques, diz que ações serão adotadas logo no ínicio do mandato

Pivetta também disse que o Governo está cumprindo todos os acordos e até disponibilizou um gabinete no Palácio Paiaguás para a equipe de transição.  “Agora, o trabalho começou efetivamente. Durante todo dia, os integrantes da equipe se reúnem com os representantes da atual gestão e fazem visitas técnicas nas secretarias. Acredito que os resultados começarão a aparecer na próxima semana”.

Proposta extingue 2 pastas e funde outras 9 - veja aqui como deve ficar

De acordo com Pivetta, o governo do Estado está agindo com correção ao colaborar com a equipe de transição.  Para o coordenador, a cortesia entre os membros designados por Taques e os representantes do governador Silval Barbosa (PMDB) demonstra a maturidade política e o espírito republicano dos dois grupos. “Pelo andamento até agora, acredito que não teremos problemas. A decisão democrática da maioria dos mato-grossenses está sendo respeitada”.

 Sobre a redução do número de pastas através de fusões e extinções, Pivetta disse que o governador se mostrou simpático a proposta da equipe de transição. “A discussão está aberta. O Pedro sempre defendeu o enxugamento da máquina para garantir a eficiência do Estado. A diminuição dos comissionados é uma necessidade. O Estado não é o Sine”, concluiu.

Coordenador anuncia 12 membros da equipe de transição – confira lista

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Zelimar Tolentino | Terça-Feira, 21 de Outubro de 2014, 07h54
    6
    1

    Vamos ver a vontade de quem irá prevalecer, se a do governador eleito Pedro Taques ou se a do pretenso governador de fato Otaviano Pivetta. Tá começando mal essa história.

| 20/10/2014, 10h:31 - Atualizado: 20/10/2014, 18h:27

Assembleia deve encerrar legislatura com 7 CPIs instauradas em 4 anos; 3 votadas


cpi pchs al

CPIs das PCHs, Telefonia Móvel e MT Saúde foram únicas votadas em Plenário

Ao criar a CPI da Trimec para investigar pagamentos suspeitos realizados pela empreiteira de mesmo nome em serviços para o governo Silval Barbosa (PMDB), a atual legislatura dos deputados estaduais instaurão sua 6ª CPI. A CPI da Trimec deve ser implantada para rebater a da Cooamat (Cooperativa Agroindustrial de Mato Grosso), que é suspeita de fraude e simulação de negócios e tem como sócio o produtor Eraí Maggi (PP) e parentes, além de funcionários do grupo Bom Futuro. Se somarmos com a CPI da Saúde da legislatura anterior, que até hoje aguarda votação, esse número sobe para sete.

A CPI da Cooamat, criada faltando cerca de dois meses para o fim desse mandato, deve ficar para os próximos deputados eleitos concluírem, uma vez que, não há tempo hábil para o processo de investigação que deve levar cerca de 90 dias. Porém, o deputado José Riva (PSD), acredita que o inquérito deverá ficar pronto em apenas 60 dias.

Mário Okamura/Rdnews

cpis instaladas assembleia.jpg

Assembleia criou várias CPIs em 4 anos, mas só a do MT Saúde apresentou resultados que levaram à melhoria do setor investigado

Além da CPI da Saúde, também segue emperrada a votação da CPI da Telefônia Móvel, a qual teve seu relatório concluído, já foi apresentada por duas vezes, porém, ainda aguarda votação. O documento apresentado na Comissão aponta uma dívida ativa de R$ 69,4 milhões por parte das operadoras de celular com o Governo e foi criada para apurar uma suposta apropriação indébita e atraso no repasse do ICMS, cobrado nas contas de telefone. Outro ponto investigado pelos deputados foi à qualidade dos serviços prestados.

As CPIs das PCHs e do MT Saúde já foram votadas. A primeira estava em poder da mesa diretora desde 2011 e pedia a suspensão de licenças ambientais concedidas a pequenas hidrelétricas no Estado, que teriam sido liberadas sem o rigor necessário, utilizando de influência política. Já a do MT Saúde foi instalada em outubro de 2012 a fim de investigar a situação financeira, contábil e administrativa do plano destinado ao servidor. A CPI da Unemat, por sua vez, teve que ser extinta, pois os membros nunca compareciam às reuniões. Ela havia sido criada para apurar supostos desmandos na instituição na gestão do ex-reitor Taisir Karim e também denúncias de fraudes no maior concurso público realizado pelo Estado, por meio da Unemat, em 2009.

A maior parte das CPIs foi mais palco de polêmicas do que um instrumento de melhoria efetiva. A que mais trouxe resultado foi a do MT Saúde, pois garantiu a revisão e reestruturação do plano de saúde dos servidores. Além disso, engrossou o conteúdo para a denúncia contra o ex-presidente da autarquia, Yuri Bastos, oferecida pelo Ministério Público, por suposta participação em desvio de recursos, o qual deixou um rombo de R$ 3,3 milhões ao erário.

É possível que até o final deste mandato uma oitava CPI seja instaurada para investigar a empresa Nhambiquaras de propriedade do empresário e deputado estadual eleito Eduardo Botelho (PSB). O intuito também é averiguar os contratos assinados com o governo do Estado. O requerimento está na Assembleia e veio à tona pelo deputado estadual Walter Rabello (PSD), que já teria cooptado as oito assinaturas necessárias.

Postar um novo comentário

| 20/10/2014, 00h:18 - Atualizado: 20/10/2014, 00h:37

Líderes racham agronegócio e empurram Fávaro para Aécio enquanto Neri é Dilma


Eles são produtores, líderes classistas e têm os mesmos interesses pessoais dentro do agronegócio e, nesta reta final da campanha de segundo turno, fazem jogo de cena, um em defesa da reeleição da presidente Dilma e outro pela eleição de Aécio. Carlos Fávaro (PP), vice-governador eleito, estava com a petista no segundo turno, mas virou Aécio, acompanhando posicionamento do governador eleito Pedro Taques (PDT). Neri Geller, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e indicado pelo PMDB e com empurrão de Blairo Maggi, revela ser Dilma desde "criancinha". Neri tenta salvar o emprego e, Fávaro, ganhar a confiança de Taques.

Fernando Ordakowski

carlos favaro neri geller

Vice-governador eleito Cárlos Fávaro (PP) quer Aécio, enquanto o ministro Neri Geller (PMDB), Dilma

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • VILMAR SCHERER | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 21h23
    4
    1

    Ministro Neri Geller é um homem preparado e ele sabe que o seu cargo é temporario. Mas gostaria de salientar que ele defende quem deu oportunidade a ele, tbem nos do setor produtivo sabemos o conhecimento e o trabalho que o Neri tem feito desde o TRATORAÇO em Brasilia onde começava uma grande luta do endividamento agricola. Depois como dep.fed., sec CNA e hoje ministro. Sei que a sua luta continuara em 2015 a favor de toda a classe produtora(assentados, pequenos, medios e grandes produtores).

  • bernardo | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 11h02
    1
    1

    bernardo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • ster | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 07h06
    0
    0

    ster, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 20/10/2014, 00h:00 - Atualizado: 19/10/2014, 13h:27

Whatsapp é poder

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Não sei se a população brasileira respira política, mas os grupos do whatsapp têm nos vídeos, fotos e textos das campanhas eleitorais, puro oxigênio. Certo, afinal já afirma há tempos John Naisbitt que "a nova fonte de poder não é o dinheiro nas mãos de poucos, mas informação nas mãos de muitos". Poder (do latim potere) é a capacidade de deliberar, agir e mandar e também, dependendo do contexto, a faculdade de exercer a autoridade, a soberania, o império. E informação é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados, de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa, animal ou máquina) que a recebe.

Premissa maior, informação é poder. Premissa menor, whatsapp leva informação. Conclusão, whatsapp é poder. Raciocínios lógicos são fundamentais para a evolução social. Entretanto, quando se trata de sociedade humana os fatores externos ponderáveis se agigantam e nenhuma conclusão pode decorrer de um raciocínio lógico simples.

As campanhas eleitorais, neste momento, são polarizadas em dois grupos, de forma que existe opção. "Só existe opção quando se tem informação. Ninguém pode dizer que é livre para tomar o sorvete que quiser se conhecer apenas o sabor limão", afirma Gilberto Diemnstein. Agora, a próxima questão é saber se o limão é limão. Daí, é limão porque alguém diz que é; porque está na foto; porque aparece no vídeo. É através da informação - é limão! - que conceitos são gerados acerca do certo e do errado, que são formadas opiniões sobre determinados assuntos, que cada um cria as suas próprias verdades.

Verificar a fonte da informação e sua confiabilidade é fundamental para formar um conceito. Mas, no whatsapp, as informações brotam de forma incessante. O primeiro vídeo nem terminou de ser deletado e o aviso de mensagem já aponta um novo. Como adveio de um "grupo" privado - pessoas de seu relacionamento - você confia na informação, repassa.

É tanto vídeo, tanta foto, tanto texto que já não é mais possível saber fonte, quiçá veracidade. Apesar disto, a conclusão whatsapp é poder permanece correta. Cabe a cada um utilizar seu senso crítico para julgar a informação contida neste poderoso instrumento que conduz ao poder.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado nomeada, tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Gestão | 19/10/2014, 17h:07 - Atualizado: 20/10/2014, 10h:47

A partir de janeiro, Taques vai começar a colocar em práticas promessas eleitorais


Mário Okamura

taques_quadro_500.jpg

Governador eleito Pedro Taques prometeu investir em segmentos que considera prioridade para MT

Eleito com 57,25% dos votos, o próximo governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), deverá priorizar algumas ações nas áreas da saúde, educação, segurança, programas sociais, desenvolvimento econômico e infraestrutura, conforme suas promessas de campanha e informações do plano de Governo. No primeiro segmento, por exemplo, o pedetista pretende reestruturar hospitais e construir outras unidades em Cuiabá, Barra do Garças e Tangará da Serra. Além disso, quer qualificar os profissionais e modernizar a gestão por meio do resgate da Escola de Saúde. 

A saúde foi um dos pontos mais criticados por Taques durante a campanha eleitoral. Em seu plano de Governo, ele explanou que essa é uma das áreas sociais mais importantes e classificou a atual situação como preocupante, tendo em vista o quadro geral da saúde da população e a ineficácia do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado. Destacou ainda as elevadas taxas de incidência de doenças como hanseníase, tuberculose e leishmaniose. “Esta área deve envolver esforços e ações da administração pública e da iniciativa privada nas diferentes escalas e esferas de poder de maneira a proporcionar o melhor nível de oferta e de qualidade dos serviços de saúde e o desenvolvimento institucional do SUS”, afirma.

Davi Valle/Rdnews

taques_cortes_500.jpg

Governador eleito Pedro Taques disse que vai investir principalmente em saúde

Na Educação, outra área fortemente criticada, o governador eleito quer implementar o modelo de educação integral, renovar o ensino médio e reformular os currículos escolares, construir o campus da Unemat na Capital e em Várzea Grande, além de redistribuir e reestruturar os cursos e desenvolver programas de acompanhamento escolar.

Contextualiza que a Educação mato-grossense apresenta índices preocupantes, especialmente no que se refere à população analfabeta, e nos altos índices de reprovação no Ensino Médio, conforme consta em seu plano de governo. Dados apresentados por Taques dão conta de que Mato Grosso ocupa o 17º lugar no ranking de analfabetismo, com cerca de 262 mil pessoas que não sabem ler e nem escrever, situação que o governador eleito pretende mudar.

Ainda em seu plano, Taques pontua que de uma lista de 18 crimes, 12 cresceram em números absolutos e em taxa por 100 mil habitantes, conforme o Anuário da Segurança Pública de 2013. As estatísticas revelam que crimes contra a vida e contra o patrimônio são recorrentes, principalmente em Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop, Cáceres, Tangará da Serra, Confresa e Pontes e Lacerda.

Por conta disso, o pedetista quer retomar a Polícia Comunitária, aumentar e equipar as bases, modernizar armamentos, equipamentos e viaturas, integrar o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil. O futuro chefe do Executivo também assumiu o compromisso de realizar concurso público e reestruturar o setor. 

Em outros setores, como Programas Sociais e Desenvolvimento Econômico, quer a prevenção ao crime e reinserção de menores infratores e reeducandos no mercado de trabalho, e ainda simplificar a política tributária e rever os incentivos fiscais. Na Infraestrutura do Estado, Taques garante que concluirá as obras do MT Integrado e todas as voltadas para a Copa do Mundo que não conseguirão ser entregues pelo atual governador, Silval Barbosa (PMDB). 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • marcio | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 08h21
    3
    0

    tem que ficar ligado na LDO desse ano que aprovarem na AL esse vai ser o impulso para ano que vem sem perder tempo....

  • Gilston Matheus | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 17h34
    9
    3

    Digite o texto aqui Boa sorte ao Pedro Taques, mas, eu acredito que nos primeiros anos ELE vai ficar patinando no mesmo lugar, sem fazer uma obra se quer, o que é pior, pondo a culpa no governo anterior como já é de costume para os novos governates tanto ao governo como prefeito. Este é o meu Brasil.

  • José Manuel Carlos Garcia | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 17h19
    7
    2

    A onde ficou o Agronegócio, que a maioria dos produtores votaram em você, UM estado forte no setor, será que vamos ter um governo, contra o desenvolvimento da Agricultura familiar?

| 19/10/2014, 16h:00 - Atualizado: 21/10/2014, 10h:05

Ao vivo, deputado federal Nilson Leitão


Davi Valle/RDNews

nilson leitao-12-05-2014-Davi Valle (12).JPG

Deputado federal reeleito Nilson Leitão (PSDB) é o convidado ao vivo do RDTV nesta 3ª - participe

O deputado federal reeleito Nilson Leitão (PSDB) é o entrevistado ao vivo do RDTV desta terça (21) para falar sobre os trabalhos que pretende dar continuidade na Câmara. O tucano conquistou o 1º lugar nas urnas com 127.749 votos, o que representou 8,78% dos votos válidos. 

Além disso, como presidente do PSDB em Mato Grosso, o convidado vai fazer um balanço das conquistas da legenda no último pleito assim como revelar as articulações visando a eleição de Aécio Neves (PSDB) para presidente neste segundo turno.

Os internautas interessados em colaborar com essa entrevista devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br, a partir das 8h30, ou ainda acompanhar a transmissão, em tempo real, na TV Mato Grosso (canal 27), para a Baixada Cuiabana.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Adauberam | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 20h09
    6
    2

    Por que o P S D B não fala a verdade para a população que durante seu gorverna so governava para uma parte da sociedade (os ricos)

Balanço | 19/10/2014, 08h:45 - Atualizado: 19/10/2014, 17h:28

Ministro cita ampliação de mercados entre as principais ações na pasta de Agricultura


Davi Valle/Rdnews

ministro da Agricultura Neri Geller

Ministro Neri Geller faz balanço da gestão e diz que Brasil aumentou exportações

Há sete meses como ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller (PMDB) afirma que a gestão foi dedicada à ampliação das ações desenvolvidas na secretaria de Políticas Agrícolas, bem como expansão do mercado de exportação para China, Rússia, Egito e Irã. “Nesta questão melhoramos a imagem do Brasil lá fora”, explica o ministro em visita ao Rdnews.

Com a abertura para novos países, Neri ressalta que houve um aumento no valor agregado das exportações para o país. Além do mais, foram habilitadas 106 plantas industriais do Brasil para a Rússia, ou seja, novos frigoríficos de bovino, suíno e aves estão capacitados para serem exportados. “Principal beneficiado é Mato Grosso, que dobrará a capacidade de produção, agrega valor, além de gerar mais empregos”, sustenta.

Outro trabalho da gestão, segundo Neri, foi a regulamentação do Código Florestal que havia sido aprovada há dois anos, no entanto, sem sua efetividade. O ministro afirma que houve enfrentamento, principalmente, com o Meio Ambiente. A regularização, contudo, foi aprovada pela presidente Dilma integralmente. “Em 60 dias sentamos com a Aprosoja e Famato para elaborar a regularização”, conta.

Ministro cita ainda investimentos para a reestruturação portuária em Lucas do Rio Verde e Sinop com superiores a R$ 200 milhões, advindos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). Além disso, Neri ressalta o aumento do Plano Safra que subiu de R$ 115 bilhões para R$ 153 bilhões, e a compra de materiais agrícolas para o melhor desempenho da agricultura como colheitadeiras. Neste sentido, afirma que o programa voltado para armazenamento de produtos disponibilizou a taxa de juros de 3,5% com três anos de carência e 15 anos para pagar a compra de armazéns. “Isso resolveu o déficit de armazenamento no país e, principalmente, em Mato Grosso”, explica.

Novos enfrentamentos

O ministro afirma ainda que pretende atuar na legislação trabalhista para defender a produção sem que o empregado perca os direitos garantidos por lei. Para Neri, é preciso uma flexibilização como permitir que funcionários trabalhem durante a chuva.  “O funcionário fica impedido de trabalhar por causa da legislação trabalhista”, explica.

 Outros temas que Neri pretende abordar caso a presidente Dilma rousseff (PT) seja reeleita e ele continue no posto são logística e demarcação indígena. Isso porque, há 13 anos tramita na Câmara Federal a PEC 215, que transfere a competência da União na demarcação das terras indígenas para o Congresso Nacional. A categoria indígena é contra, já que boa parte dos parlamentares são da bancada ruralista e tem interesses escusos. A proposta também possibilita a revisão das terras já demarcadas. “Este é um tema que o Governo colocou um freio”, finaliza.

Postar um novo comentário

| 19/10/2014, 01h:00 - Atualizado: 18/10/2014, 05h:56

Pacientes idosos: cuidados especiais

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Cerca de 10% da população brasileira é composta por pessoas com mais de 60 anos e, ao mesmo tempo, devemos levar em consideração o fator de aumento da longevidade, onde a expectativa média de vida é de 73 anos, porém, com muitos indivíduos vivendo até o limite biológico que equivale aos 90 até 100 anos. Esse aumento se dá devido à melhoria das condições de vida, estratégias preventivas, programas de controle de natalidade e o avanço da medicina.

Os profissionais de saúde devem estar preparados para atender a contento esses pacientes, pois o processo de envelhecimento se dá de forma diferente para cada indivíduo e os cuidados devem ser mais específicos. É importante conhecer o histórico do paciente a ser tratado e tomar como postura um tratamento individualizado. Um paciente idoso que sofre de doenças crônicas, mas que se encontram controladas, como por exemplo hipertenção ou diabetes é considerado saudável, pois elas não causam nenhuma sequela e nem limitam a funcionalidade do indivíduo.

A odontogeriatria é uma especialidade da odontologia voltada para o atendimento da população idosa, focando nas suas particularidades, aspectos psicológicos e alterações na cavidade oral resultantes do avanço da idade. É focada no atendimento das necessidades de prevenção, cuidado e tratamento das estruturas do sistema mastigatório do paciente. O paciente geriátrico é complexo, já vivenciou várias experiências de vida e passou por mudanças. A esfera psicológica pode ser razão para muitos distúrbios físicos e é por isso que os seus problemas devem ser tratados em conjunto. Deve-se buscar atende-los como um ser humano completo, sem focar exclusivamente no tratamento odontológico. Várias manifestações sistêmicas se refletem em manifestações bucais.

A atuação odontológica deve ocorrer em todos os níveis: promoção, prevenção e reabilitação. A educação para uma saúde bucal satisfatória deve estar presente. A grande dificuldade encontrada no atendimento aos idosos está diretamente ligada à deficiência do nosso sistema de saúde. A educação continuada dos profissionais voltados para esta especialidade é uma saída mais que perfeita para suprir esta lacuna. Uma vez qualificado este cirurgião-dentista e sua equipe pode fazer com que o paciente idoso sinta-se bem e confiante diante do ambiente e do tratamento. Sabemos que a ingestão de alguns fármacos podem implicar na diminuição do fluxo salivar, sangramento gengival e lesões bucais, e um profissional preparado pode fazer com que esses sintomas possam ser melhor administrados.

É necessário que o ambiente físico das clínicas odontológicas sejam adequados. Precisamos de rampas para facilitar a locomoção, portas de consultórios amplas, banheiros modificados, ambientes tranquilos, pessoal especialmente treinado e consultas relativamente curtas com priorização dos horários. Um protocolo de atendimento ao paciente geriátrico é primordial, dessa forma podemos aumentar a sua expectativa de vida, com qualidade, independência e saúde.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

| 18/10/2014, 17h:41 - Atualizado: 19/10/2014, 08h:56

Oposição, prefeito de Barra aposta que terá boa relação com o novo governador


de Barra do Garças

.

beto_farias.jpg

Oposição a Pedro Taques, prefeito de Barra do Garças Roberto Farias afirma que pretende manter diálogo com governador eleito e vai buscar parcerias em 2015

O prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias (PSD), acredita que não terá dificuldades de relacionamento com o governador eleito Pedro Taques (PDT) a partir de 1º de janeiro de 2015, mesmo sendo oposição. O social-democrata fez questão de manter contato com o futuro governador e abrir um canal de diálogo para parcerias entre Estado e município. “Creio que, acima dos interesses partidárias, estão os interesses da coletividade. O governador já demonstrou que vai governar para todos”, avalia o prefeito.

Beto Farias espera também que Taques cumpra os compromissos que fez à região e ponha fim ao estigma de ‘Vale dos Esquecidos’ atribuído ao Vale do Araguaia nos últimos anos. “Ele teve uma expressiva votação em Barra do Garças e espero que esse respaldo popular possa ser revertido em benefícios para a cidade e seu povo. O governador é uma pessoa séria, mostrou que está preparado para governar o Estado e seu governo tem tudo para dar certo. Isso é bom para Barra, o Araguaia e Mato Grosso”, ressalta.

O prefeito de Barra disse também que tão logo Pedro Taques seja empossado pretende agendar uma audiência para levar os primeiros pleitos do município. “Estaremos lá de pires nas mãos pedindo que ele nos ajudem a solucionar os problemas que a cidade enfrenta. Queremos apoio para a saúde, a educação e obras de infraestrutura”, pontua.

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Davino Padilha | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 14h35
    0
    0

    O Prefeito escolheu apoiar o candidato errado e a população pode pagar caro por isso. Mas torço que não.

  • Artur | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 14h19
    0
    0

    o Eziarone vc não mora aqui então não da palpite.

  • Eziarone Moreira dos Santos | Segunda-Feira, 20 de Outubro de 2014, 10h40
    0
    0

    Cada povo tem o governo que merece, ninguém em uma democracia chega ao poder sem o devido respaldo popular. Sou um apaixonado por Barra do Garças e toda região denominada de Vale do Araguaia, Região povoada por uma gente de alta qualidade, trabalhadores e hospitaleiros, mas que não conseguem eleger um representante no parlamento estadual e federal, isso é lamentável, até parece que falta maturidade política nesse povo. Vamos nos unir em torno dos nossos problemas e eleger gente que gosta de gente, e gente nossa da nossa região e, não trocar seu voto por cesta básica, tijolos, promessas. Quem vende seu voto não pode reivindicar mudanças. É no seio do nosso povo que encontraremos homens e mulheres que efetivamente farão as mudanças que o vale do araguaia precisa. OBS.: Para de falar mal dos representantes que vocês elegeram, o melhor lugar para essa avaliação é nas urnas, e votando com patriotismo em pessoas sérias e comprometidas com o povo.

  • Henrique dias | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 15h41
    1
    0

    A BATATA DESSE ULTIMO CORONEL DE BARRA DO GARÇAS-MT ESTÁ ASSANDO,É SÓ OLHA O PROCESSO DELE NO TSE, ISTO É SE ELE TERMINAR SEU PLEITO. PIOR PREFEITO DE TODOS OS TEMPOS ATÉ MESMO PIOR DO QUE O CHAPARRAL, O CARA SÓ TEM UMA OBRA PARA PODE FICAR COMEMORANDO UMA PRAÇA E MAIS NADA. SÓ SEI DE UMA COISA MEU POVO BARRAGARCESSE ENQUANTO ESSE POVO DE FARIAS ESTIVER NA FRENTE DE NOSSA PREFEITURA NOSSA CIDADE NUNCA VAI SAIR DE ONDE ESTAMOS E AS FAZENDAS DA FAMILIA DELES SÓ AUMENTANDO!!!! SÓ SEI DISTO.

  • Rebeca Cantarini | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 09h20
    3
    1

    Não adianta Beto e Walace elogiarem. Pão e água. Até porque Taques e Aécio possui planos em 2016....

  • Benier Marcos | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 08h56
    1
    3

    Roberto Farias, tem credibilidade e moral pra levar os pleitos junto ao governador Pedro Taques. O governador teve muitos votos em Barra, a população daqui acredita nele e com certeza irá fazer muito por nossa região. Beto é a principal liderança do Araguaia, parabéns ao jovem prefeito.

  • Valéria | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 07h59
    2
    1

    É um cara de pau esse prefeito, até parece que ele age dessa forma na sua administração com a oposição.

  • Eu Amo Barra | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 07h45
    2
    1

    O seu Pai foi o que mais contribuiu para que o vale do Araguaia se tornasse o vale dos esquecidos e agora você Beto, você um incompetente, mas muito esperto para o seu lado você esta pior do que o Chaparrau, Wanderlei, e Wilmar juntos, você conseguiu juntar tudo de ruim que estes trés tinham, porque você não absorveu a parte boa destes ai, você é ruim de mais, o povo já esta vendo, só você e seus pucha sacos e que não veem.

  • Ademar | Domingo, 19 de Outubro de 2014, 04h56
    1
    2

    O prefeito Beto tem razão; prometeu tem que cumprir e Governador Eleito já vai pegar o veiculo andando, que é o Hospital que está preste a ser inaugurado entre outras; Anel Viario, MT 100, Aguas Quentes, Pontes sobre o Córrego Fundo, Beira Rio e entre outras. Portanto, andrei com o Beto é diferente e ele faz. PARABÉNS BETO!

  • Andre | Sábado, 18 de Outubro de 2014, 23h03
    3
    1

    Benier você só serve para puchar saco, porue não tem competencia nem conhecimento, o Beto colocou você no INDEA e agora ele vai ter que colocar você de volta na prefeitura, lá e um cabide de emprego mesmo, tem muitos funcionários que só recebem e trabalham lá no DETRAN, prefeito o MP vai ficar sabendo.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 686