Cuiabá, 23 de Abril de 2014
  • Ana Maria

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Ana Maria

  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Camila Paulino

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Paulino

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Marcela Machado

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Marcela Machado

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Thaisa Pimpão

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Thaisa Pimpão

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

Judiciário | 27/09/2011, 12h:11 - Atualizado: 27/09/2011, 17h:44

Sinjusmat fica sem respaldo de greve; TJ espera TC sobre URV

Sinjusmat fracassa na tentativa de greve; Tribunal espera aval do TCE para pagar URV

Rubens de Oliveira   O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rubens de Oliveira, aguarda a conclusão do relatório de uma comissão técnica do Tribunal de Contas do Estado para saber, de fato, o montante das diferenças salariais derivadas da transição da Unidade Real de Valor (URV) para moeda Real, em 1994. Somente depois disso é que o Judiciário vai disponibilizar, com precisão e segurança, o que cada servidor tem direito a receber. A previsão é de que o relatório do TCE seja concluído até sexta (30). A URV foi um indexador que passaria a corrigir diariamente preços, salários e serviços, como uma espécie de moeda. Teve validade de março a julho de 94.

    Enquanto o TJ se diz empenhado em resolver o impasse, Rosenwal Rodrigues, em campanha pela reeleição no Sinjusmat e para demostrar empenho e conquistar a simpatia dos servidores, passou a liderar movimento por nova greve, mesmo já tendo levado a categoria a paralisar as atividades por 128 dias e retornado ao trabalho sem resultado satisfatório.

    A articulação é para cruzar os braços a partir de 3 de outubro. Rosenwal tem feito assembleias e, estrategicamente, deixado para colocar em votação a proposta de greve quando a maioria dos servidores deixa a reunião, restando para votar os seus aliados, como aconteceu em Rondonópolis nesta segunda. O sindicalista dispara críticas ao que chama de intransigência do presidente Rubens, que administra um quadro de 5 mil servidores cuja folha anual chega a R$ 430 milhões.

    Uma estratégia da Mesa Diretora do TJ tem anulado as ações políticas de Rosenwal. Rubens resolveu encaminhar para cada servidor uma carta explicativa acerca do pagamento da URV. Ele destaca no documento, sem citar nome, que há informações infundadas e inconsistentes disseminadas para os servidores e observa que isso pode gerar dúvidas quanto às ações que estão sendo desenvolvidas pela administração, visando atender a reivindicação da categoria.

    Embates

    O Sinjusmat obteve no ano passado decisão judicial favorável ao pagamento da URV aos servidores sindicalizados. Depois, esse direito foi estendido aos demais, por decisão administrativa do Conselho de Magistratura, referendada pelo Tribunal Pleno. Nesse caso, os sindicalizados que subscreveram a ação judicial podem receber a URV tanto pela via judicial quanto pela administrativa. Já os servidores que não são vinculados ao sindicato podem ajuizar ação ou aguardar o pagamento pela via administrativa.

    A presidência do TJ assegura que se comprometeu em disponibilizar R$ 11 milhões dos recursos orçamentários para pagamento parcial da URV e aguarda uma decisão do governo quanto à proposta de ampliar esse valor com recursos do Tesouro Estadual. Assegura que está sendo negociado diretamente pelo presidente do Sinjusmat, buscando fazer uma programação de pagamentos parciais. O Tribunal destaca que só conseguirá avançar mesmo quando receber do TCE os cálculos das diferenças salariais. Adianta para possibilidade de duas formas de pagamento.

    Pela via administrativa, seriam utilizados os R$ 11 milhões, com contrapartida do governo, se vier a ser concretizada, ampliando a capacidade de pagamento. A outra seria a via judicial, por meio de Requisição de Pequeno Valor (RPV), pela qual, após executada a sentença, os detentores dos créditos até o limite de R$ 9,2 mil poderão recebê-los de uma só vez, num prazo de 120 dias. Busca-se também negociação via precatório na ordem cronológica. Nesse caso, os credores maiores de 60 anos ou portadores de doença grave podem receber até 3 vezes o valor da RPV, ou seja, R$ 27,6 mil, com prioridade na ordem de pagamento.

    Na carta, Rubens de Oliveira diz que a administração tem se empenhado para encontrar mecanismos que assegurem o pagamento da URV e outros direitos dos servidores, assim como já feito em relação à liberação de R$ 300 a título de auxílio-alimentação. Cita ainda aumento de 16% e mais 6,7% de reposição salarial.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Ronaldo | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 18h04
    0
    0

    Primeiro o comentário do Professor Antonio Fagundes: Não coloque mão na cumbuca alheia, se está satisfeito com o seu sálario não teria feito greve, e o seu sindicato fez. Se não tem vale alimentação você está perdendo tempo peça ao seu gestor ou então vai fazer novela. Segundo comentário do Afonso Melo: Você hoje já tomou tanta porrada na página do enoque e não aprende, deixa de ser baba ovo, se atirar no s... do patrão acerta a sua boca. Emprego não se conquista dessa forma, se não deu faça outro concurso.

  • Maria José | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 15h28
    0
    0

    pelo amor de Deus senhor presidente, pague aos servidores aquilo q lhes é de direito,ñ é justo que servidores qeue se aposentaram a três anos ñ receberam até hoje ñ só a URV mais tambem seus direitos, com ferias , licênça premio e tc... conheço gente que esta no limite .

  • antonio fagundes | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 13h58
    0
    0

    Não conheço pessoalmente esse Presidente do Tribunal de Justiça, mas tenho acompanhado as noticias do Poder Judiciário e há muito tempo não vejo, uma administração tão tranquila, serena e realizadora como essa, por exemplo, eu nunca vi o judiciário metendo a cumbuca em questões de drogas, queimadas e saúde como tenho visto nesta gestão. Esse projeto realizado hoje no porto de cuiabá, é prova disso, quando que se viu falar em uma ação dessa grandeza em nosso Estado. Outra questão que tenho observado é o tratamento com o servidor, e prova disso, conforme a reportagem, são os aumentos salariais e o auxilio alimentação. Só para registrar, sou professor da rede estadual de ensino e não recebo esse auxilio alimentação.

  • Afonso Melo | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 12h51
    0
    0

    Primeiramente confio em Deus, que a solução deste problema da URV, está próximo de ser resolvido. Segundo acredito nos homens de boa vontade, que trabalham honestamente e fundamentalmente com a verdade, pois tenho certeza q sua Excelência, o Presidente do Tribunal, não tem motivos, nem necessidade de mentir a seus servidores, e mais ele não disputa reeleição p/presidência do TJ, ao contrário dos politicos q a todo custo querem se manter no poder, mesmo q seja preciso mentir, ameaçar, enganar, chantagear, achando que os servidores são idiotas. Temos q relembrar todos os fatos anti e pós greve, para tomarmos uma decisão consciente.

| 23/04/2014, 10h:33 - Atualizado: 02h atrás

Willian não esconde a falta de entusiasmo com Lúdio; sigla decide futuro no sábado


27032014ludio

O pré-candidato Lúdio Cabral terá que driblar a "rejeição" de líderes da sigla para continuar campanha

Nem mesmo com o ex-juiz federal Julier Sebastião da Silva (PMDB) fora do alcance do PT, o presidente estadual da sigla, Willian Sampaio, demonstra apoio ao projeto político do ex-vereador por Cuiabá, Lúdio Cabral (PT), ao Governo. Isso porque o líder petista defendia o ex-magistrado como principal nome à chapa majoritária, entretanto, Julier preferiu se filiar ao PMDB também para concorrer ao Palácio Paiaguás.

Mesmo sem respaldo de algumas lideranças, Lúdio aposta em sua pré-candidatura e já percorre municípios do interior para angariar apoio dos diretórios municipais. Por outro lado, o médico deverá passar por avaliação da legenda neste sábado, a partir das 11h, durante encontro de delegados na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), em Cuiabá.

De acordo com Sampaio, o evento tem o objetivo de resolver a política geral do PT, especialmente em relação ao futuro político do ex-vereador. Os delegados do partido confirmarão a construção de palanque para a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e neste contexto, o nome de Lúdio será homologado ou não como pré-candidato.

Sem manifestar entusiasmo, o presidente afirma que o candidato do PT será aquele que a legenda escolher. “O cenário está aberto, não há candidatura de consenso. Temos reiterado que manteremos o grupo e o consenso de que não vamos permitir um passo atrás no desenvolvimento do Estado, o que aconteceria caso Pedro Taques (PDT) ganhasse”, dispara. O curioso é que quando Julier estava no páreo, o presidente defendia com ênfase a sua pré-candidatura, bem diferente do que vem acontecendo com o correligionário.

 Sobre o possível apoio que pré-candidato petista estaria recebendo do prefeito de Rondonópolis, Percival Muniz (PPS), Willian Sampaio garante que não sabe sobre o assunto e reforça o gestor faz parte do grupo oposicionista.

Postar um novo comentário

| 23/04/2014, 08h:07 - Atualizado: 04h atrás

Morre, aos 54 anos, marqueteiro e ex-secretário de Comunicação Paulo Leite


paulo leite

Paulo Leite

Morreu nesta quarta, aos 54 anos, o marqueteiro e ex-secretário de Estado de Comunicação, publicitário Paulo Leite. Ele estava hospitalizado no Santa Rosa, em Cuiabá. Paulo era obeso. Passou a enfrentar uma série de complicações, agravadas pela diabetes e problemas cardíacos. Seus rins haviam paralisados. Não resistiu e veio a óbito às 5 horas. Seu corpo será velado na Capela Dom Bosco, a partir das 10h30. O enterro está previsto para às 17 horas no cemitério Parque Cuiabá.

Natural de Bauru (SP), Paulo chegou a Mato Grosso na década de 1980. Era casado com a culinária Luciana Leite. Deixa dois filhos menores de idade, sendo eles João Gabriel e Luiz Felipe. Nos últimos 20 anos, Paulo conduziu campanha publicitária de diversos candidatos. Foi secretário-adjunto de Comunicação do Governo Júlio Campos (83/86) e conduziu a Secom estadual na gestão Jayme Campos (91/94). Desde a saída de Jayme do Palácio Paiaguás, passando pela Prefeitura de Várzea Grande até chegar à cadeira de senador, Paulo Leite o acompanhava, ora como marqueteiro, ora como conselheiro político.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Paulo de Tarso | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 10h49
    1
    0

    A Expoagro e a Festa do Peão de Boiadeiro de Água Boa-MT e eu temos muito a agradecer ao Paulo Leite. Descanse em paz. Meus sentimentos a família.

  • Antonio Grisolia | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 10h37
    1
    0

    Nossa, que noticia triste. Meus sentimentos aa familia enlutada e ao Senador Jaime Campos, de quem era um grande amigo.Que Deus conceda o consolo.

  • Fernando Augusto De Lamonica Freire | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 09h13
    1
    0

    Mato Grosso fica mais pobre com a perda de uma pessoa admirável.

| 23/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 23/04/2014, 01h:24

30 anos das “Diretas-já”

vinicius_artigo_quarta

Vinicius de Carvalho

A próxima sexta-feira marcará o aniversário de 30 da votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que pretendia restaurar as eleições diretas no Brasil ao final do regime civil-militar. É curioso hoje observar as imagens da época e ver que a elite política pós-redemocratização saiu dali. É possível vermos Lula (PT), Brizola (PDT), Fernando Henrique Cardoso, Mário Covas e Franco Montoro (formadores futuros do PSDB), Tancredo Neves e Ulysses Guimarães (PMDB) e outros.

Pela tradição histórica, em processos de mudança de regime político os detentores do poder acabam traçando ou tendo muita influência na transição. Isto só não ocorre quando a ordem vigente acaba entrando em colapso, como no caso de genuínas revoluções. Ao final da ditadura militar, as elites políticas mais alinhadas ao Governo acabaram perdendo a capacidade de operar este processo, por uma série de razões.

Coube, portanto, à oposição se articular com dois objetivos principais. Primeiro, evitar que o processo de abertura política “lenta, gradual e segura” iniciado pelo General Geisel em 1974 tivesse uma contra-marcha, isolando com a força da população eventuais grupos radicais. Segundo, formar uma elite política que pudesse construir o novo momento brasileiro, evitando assim o risco de um vazio institucional e os perigos que isto sempre traz. 

Para Mato Grosso, a emenda das “Diretas-já” teve  um apelo especial, uma vez que o seu propositor foi o então deputado federal Dante de Oliveira (PMDB). Por isto a emenda ficou conhecida em todo o país como “Emenda Dante de Oliveira”. Mas por que Dante de Oliveira?

Já nos primeiros dias de seu mandato, Dante apresentou uma PEC que restabelecia eleições diretas para a Presidência da República já na sucessão do general Figueiredo. No entanto, dado quórum exigido pela Constituição de 1967, de 2/3 para aprovação de emendas constitucionais, havia um ceticismo muito grande por parte das forças políticas quanto à aprovação. No dia 25 de abril de 1984 a emenda foi derrotada no plenário da Câmara dos Deputados, porque faltaram 22 votos para alcançar o quorum constitucional, como descrito pelo próprio Dante em livro.

As razões para o destaque obtido pela emenda de Dante de Oliveira para ser discutida dentre as várias que tramitavam no Congresso Nacional para o restabelecimento de eleições diretas são as mais diversas. Foi uma proposta de campanha, como atesta o último pronunciamento de Dante de Oliveira como deputado estadual, e, como se tratava da primeira grande mobilização popular desde o golpe militar, não se sabia muito bem como seria a reação das Forças Armadas, inclusive em relação ao propositor.

O fato de ser um deputado jovem (30 anos), desconhecido, visto estar em seu primeiro mandato, ligado à ala histórica do PMDB e de um Estado do interior do país (Mato Grosso), teve forte efeito simbólico para identificar um anseio popular que viria das entranhas do Brasil e de uma juventude que nunca votara para presidente. Se fosse qualquer outro deputado mais experiente ou de um Estado mais populoso poderia haver resistência dentro e fora do PMDB para aprovação da emenda.

Na política de Mato Grosso a emenda “acelerou” a carreira de Dante, fazendo-o ultrapassar quadros mais velhos e que estavam na frente da fila do PMDB. Cito aqui Milton Figueiredo, Gilson de Barros e Padre Pombo. Todos eles eram nomes fortes na a eleição de 1985 para a Prefeitura de Cuiabá, que acabou sendo vencida por Dante de Oliveira. Que as “Diretas-já” nos ensinem sempre a como mudar um país pela via pacífica e democrática.

Vinicius de Carvalho Araújo é gestor governamental do Estado, mestre em História Política, professor universitário e escreve neste Blog toda quarta-feira vcaraujo@terra.com.br www.professorviniciusaraujo.blogspot.com

Postar um novo comentário

| 22/04/2014, 20h:39 - Atualizado: 22/04/2014, 20h:54

Base diz ter 3 pré-candidatos, mas implora por Blairo para "barrar" Taques ao Governo


Fernando Ordakowski

blairo ludio chico daltro julier

Blairo Maggi assiste base aliada bater cabeça, embora tenha lançado 3 opções à disputa ao Governo

A preocupação de se manter no poder da chamada base aliada, hoje composta de 9 partidos e com ao menos um (PP) querendo pular fora, é tanta que todos passaram a depositar esperanças numa candidatura a governador de Blairo Maggi. O senador, por sua vez, não está nem aí. Ele insiste na tese de que não deseja concorrer à sucessão estadual pela terceira vez. Em duas disputas ganhou no primeiro turno. E não só líderes do PMDB, PR, PP, PT, PSC, Pros, PC do B, PP e PSD querem Blairo no páreo. A classe política em peso se movimenta nesse sentido. O desafio é derrotar o pré-candidato oposicionista, senador Pedro Taques (PDT), que avança rumo ao Palácio Paiaguás, enquanto os situacionistas batem-cabeça à espera de Blairo. Sem o ex-governador no páreo, o bloco se divide. Uns querem o petista Lúdio Cabral, outros apostam no peemedebista e recém-filiado Julier Sebastião. Também corre por fora o vice-governador Chico Daltro. Blairo assiste as articulações à distância. Está nos EUA e pensa até em adiar por mais uns dias o retorno a MT.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • roberto | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 09h26
    2
    2

    juntando tudo não dá um!

  • renato | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 08h56
    6
    6

    Como jornalista que diz ser, o sr. Muvuca não poderia cometer dois erros em um texto tão curto.

  • macelo | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 08h39
    6
    2

    porque senador Blairo não sai o Silval ta fazendo uma campanha ta uma beleza em MT a copa então nem se fala 100% concluida os professores estão tão felizes as estradas estão então não falta nada . Quero ver nas urnas coloca o riva de vice e vem para o nortão pedir voto porque na capital vai tomar um paulada .Foi o pior governo dos últimos anos nunca teve tão ruim .Só tem um jeito e Pedro Taxi o resto é resto e .

  • Paulo | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 08h36
    13
    1

    Engraçado cade o MUVUCA ai no Meio ?? a população quer Muvuca nas Noticias para Governador ele também é candidato.

  • José Marcondes Muvuca | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 22h04
    5
    3

    Vc escreve como se só existisse somente esses dois lados, né Sr. Romilson Dourado. Ignora até o fato de eu ter alcançado 2% em todas as pesquisas. É birra ou o quÊ?

| 22/04/2014, 19h:41 - Atualizado: 22/04/2014, 20h:18

Dilma segura agenda para não dar brecha às mobilizações e evitar vaias e protestos

Num esforço pela reeleição e buscando melhorar popularidade, presidente fará até entrega de diploma a alunos do Pronatec


   Dilma Rousseff pisa os pés em Cuiabá nesta quinta pela primeira vez como presidente da República. Ela terá três agendas. Mas, alegando questão de segurança nacional, outros detalhes só são divulgados na véspera. Por trás dessas informações desencontradas está uma preocupação política do Palácio do Planalto. A presidente teme antecipar como serão os seus passos, tudo para não dar brecha para mobilização das massas e de representantes de segmentos determinados a fazer protesto e a vaiá-la. Como não está com a popularidade nas alturas e nem em condições tão favoráveis nas pesquisas de intenção de voto, embora conseguiria hoje garantir a reeleição, a estratégia é não se expor tanto. Vai cumprimentar pessoas que criteriosamente serão escolhidas para ficar próxima dela para posar para fotografia como fãs e eleitoras da presidente. Conceder entrevista coletiva nem pensar.
 
   Outra preocupação do Planalto na capital mato-grossense é quanto ao risco de se ter repercussão negativa pela visita a Arena Pantanal que não está totalmente concluída. Falta, por exemplo, finalizar a instalação das cadeiras. O curioso é que o estádio já foi palco de um jogo com cerca de 20 mil expectadores, entre Mixto e Santos em fevereiro, e no sábado, dois dias após a "inspeção" a ser feita por Dilma, abre os portões para Luverdense e Vasco.

Roberto Stuckert Filho

dilma rousseff

A presidente Dilma Rousseff, como estratégia para evitar mobilização das massas, o que aumentaria o risco de receber vaias ou enfrentar protesto, divulga agenda a poucas horas de pisar pés em Cuiabá

   Disposta a falar o que a nação quer ouvir, com otimismo exagerado sobre feitos na economia, no desenvolvimento do país e nada de tocar em questões delicadas, como a situação da Petrobrás, maior empresa pública do Brasil mergulhada em crise por causa de ingerência, Dilma terá mais dois compromissos em Cuiabá, além da visita à Arena. Vai entregar casas de um residencial no bairro Altos do Parque II, próximo ao Parque Cuiabá. E depois participa de entrega de diplomas a alunos que fizeram o curso técnico pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Ficará cerca de 5 horas em solo cuiabano. São pequenos eventos que preenchem a genda de uma presidente que sonha com a reeleição.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Felipe Matos | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 11h03
    0
    2

    O Romilson só pode está de sacanagem. A Dilma preocupada com protestos das massas contra ela kkkkkkk. Fala sério, nas manifestações do ano passado não houve nenhum fora Dilma. Houve sim fora Cabral e fora Alckmin. Com toda a campanha atual negativa da Mídia contra o governo, contra a Petrobrás, etc, as pesquisas da mesma Mídia apontam que a Dilma possui aprovação da maioria dos brasileiros, enfim. Menos né senhor Romilson bem menos.

  • Wagner | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 10h11
    2
    0

    Eu acho que a turminha das vaias não passa dos 80. Da outra vez foram 79. Essa foi boa; psdb partido que não seduz...

  • Maria Auxiliador Cirilla | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 10h10
    1
    1

    aqui em Varzea Grande estamos mobilizandos a população, pois é uma vergonha o que fizeram com o aeroporto e esse tal de vlt que prometeram. Nós queremos saber sobre o discurso que na copa não iriam gastar dinheiro público e o governo só meteu a mão! Vamos estar la para manifestar asim!

  • zé ricardo Neves | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 09h29
    2
    1

    Temos que nos mobilizar não para protestar nas ruas e acabar com pancadaria que anda acontecendo,,,mas sim mostrar para a presidenta,, que estamos cansados dessa gestão que está acabando com o País,,,,,VAMOS DAR UM NÃO A DILMA NAS ELEIÇÕES DE 2014, COMO RESPOSTA PARA O QUE ESTÁ ACONTECENDO ......FORA DILMA

  • roberto | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 09h23
    2
    1

    Não adianta ela correr, o povo vai atras e vai vaia-la com muito ímpeto pela sua incompetência e malfeito que vem fazendo ao país. chega de malfeito, roubalheiras, escândalos e mais escândalos, o país não merece passar por essa vergonha nacional.

  • jackson | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 08h44
    2
    1

    Sinceramente espero que o povo reflita muito para votar.....Fala tanto do Povo, governa para o Povo... e vai exatamente evitar a exposição ao Povão.... Eleitores vamos analisar antes de votar......

  • Manoel | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 06h57
    2
    2

    Os cotovelos estão a flor da pele. PSDB- partido que não seduz com Alkmin falta agua com FHC faltava luz!!!

  • joaoderondononopolis | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 20h33
    3
    0

    Vai sair de Rondonópolis com destino a Cuiabá 10 ônibus para a presidente Dilma.

| 22/04/2014, 17h:05 - Atualizado: 03h atrás

Ao vivo, presidente de Comissão da OAB


Arquivo/RDNews

22042014aude.jpg

Presidente da OAB-MT, Maurício Aude, responde ao vivo perguntas do internauta no RDTV desta 4ª

O RDTV desta quarta (23) conta com a participação ao vivo do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB/MT), Maurício Aude, para tratar sobre as últimas atividades da entidade, inclusive, a fim de cobrar mais transparência nas ações do Governo do Estado e o andamento das obras da Copa do Mundo.

Para colaborar com o bate-papo, que começa às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicando no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Além disso, o programa traz os detalhes da última sessão da Câmara de Cuiabá realizada sob a promessa de se instaurar mais um processo contra o ex-presidente João Emanuel (PSD) por quebra de decoro. Na tribuna, os parlamentares cuiabanos cobraram explicações até do deputado estadual José Riva (PSD), sogro do social-democrata investigado, por supostas declarações dadas à imprensa, insinuando a má conduta de alguns vereadores.

Às 18h30 - Presidente da OAB-MT cancela participação no RDTV

Devido a uma viagem urgente a São Paulo, o presidente da OAB-MT Maurício Aude cancelou a participação no RDTV desta quarta (23). Diante do imprevisto, o presidente da Comissão de Fiscalização dos Gastos Públicos da OAB-MT, Ivo Matias, estará no programa para responder os questionamentos dos internautas sobre as ações da entidade. 

Postar um novo comentário

| 22/04/2014, 12h:22 - Atualizado: 02h atrás

João Emanuel entra com denúncia contra Júlio Pinheiro no TCE por fraude em lei

Acusação se refere à aprovação de suplementação "escondida"


Rodinei Crescêncio

12-jo?o-emanuel--fotos-ney.jpg

João Emanuel quer que Julio Pinheiro responda por possível fraude em lei

O vereador João Emanuel (PSD) entrou hoje (22) com denúncia no Tribunal de Contas contra o atual presidente da Câmara, o vereador Júlio Pinheiro (PTB). A acusação é que a lei orçamentária que autoriza o Executivo à suplementação de mais de R$ 365 milhões entrou em vigor na vigência da presidência de Pinheiro em 2012 sem passar por votação em plenário, o que, segundo eles, é fato gravíssimo que demanda investigação pormenorizada. “Está tudo muito nebuloso e queremos que o TCE tome providências”, diz Eduardo Mahon, advogado do parlamentar.

Segundo a denúncia, ao consultar as atas de votação das respectivas sessões legislativas, que aprovaram a suplementação, comprova-se que aparentemente não foram apreciados os processos que teriam gerado a legislação mencionada.

Trecho da denúncia afirma que “tal é a fraude que o processo 388/2012 que autoriza a abertura de crédito suplementar em R$ 70 milhões foi enviado para a Câmara no dia 17/12/2012, tendo sido recebido no dia seguinte, 18/12/2012, constando um ‘carimbo da sessão plenária’ do dia 18 de dezembro de 2012, mas com ‘parecer futuro’ no dia 20/dez/2012”.

Para provar, de acordo com Mahon, foi anexado ao processo as atas em questão dos supostos dias de votação. “Mas não será surpresa se até meio-dia Júlio Pinheiro aparecer com uma ata diferente”, comenta.

Mahon ainda lembra que Júlio Pinheiro havia feito o mesmo, criar a lei sem votação, no caso do aumento do valor do IPTU para 2013, mas que por meio de ação direta de inconstitucionalidade promovida pela Mesa Diretora então presidida por João Emanuel, foi considerada inconstitucional.

Assim que o processo for protocolado na Ouvidoria do TCE vai para o relator das contas da Câmara de Cuiabá e será feita uma investigação. Tendo resultados, só então vai para julgamento, que precisa ser até o final do ano.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Carlos Lira | Quarta-Feira, 23 de Abril de 2014, 09h55
    0
    0

    Até que enfim a casa do seo julio pinheiro caiu, agora, chupa essa manga petebista, quem deve estar curtindo isso de camarote é o prefeito Mauro Mendes, que não queria julio presidente do parlamento

  • jackson | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 16h49
    3
    1

    Palhaçada!!! esse cidadão não tem moral para acusar ninguém. Quem deu uma verdadeira aula de como desviar dinheiro público foi ele, e agora quer posar de bonzinho???? Acorda cidadão seu eleitor não cai mais nessa.

| 22/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 22/04/2014, 13h:01

Bardo - a transitoriedade da vida

Transitoriedade da vida nos mostra que toda segurança material que lutamos para adquirir pode desaparecer num momento

olga_artigo_domingo

Olga Lustosa

Nada é permanente e todos e tudo um dia morre. Nós devíamos saber disso. Muitos de nós não nos ajustamos à impermanência da vida. Entretanto, se pensarmos profundamente que nada podemos fazer para mudar isso, viveremos melhor. Devemos seguir o fluxo da vida, nos adaptarmos as mudanças e entender que nada do que temos tem garantia de permanência. Mudanças acontecem a toda hora e com todos. Precisamos sentir, ajustar e, em seguida, aproveitar ao máximo o que a vida nos dá. Temos que aprender absorver os sentimentos de perda e tristeza, e seguir em frente com o que temos.

A transitoriedade da vida nos mostra que toda segurança material que lutamos tanto para adquirir pode desaparecer num momento. Embora a mudança constante possa nos fazer infelizes, a roda da existência gira implacável, mesmo em meio a raios de agonia. Nossas emoções fluem como água e levam para o buraco as experiências que acumulamos, as respostas óbvias que tínhamos para tudo. A história tem provado uma e outra vez e vai continuar provando que nada neste mundo é duradouro. Todas as coisas com as quais nos agarramos se vão. Tantas lições para aprender!

Eventualmente nos agarramos ao que nos parece permanente, confiável e imutável.  No mundo físico, pensamos em rochas e montanhas como coisas imutáveis. No entanto, a ação do tempo provoca grandes mudanças nas formações rochosas. O que é que faz com que a transitoriedade difunda tanto terror em nossas vidas? Talvez porque seja inegociável. 

Emocionalmente, todos nós ansiamos pela estabilidade permanente, sonhamos com segurança financeira, família feliz, boa saúde e juventude. No entanto, enquanto nossa visão míope persistir, temos a tendência de viver relações inflexíveis no mundo flexível que nos rodeia.  Eu diria que o medo do impermanente não é de todo um problema dos jovens, porque esta geração já é definida por aquilo que é passageiro, o que é novo envelhece em um ritmo cada vez mais acelerado. A incapacidade de se comprometer, a opcionalidade, são características desta época em que tudo é vivido em alta velocidade.

Muitas pessoas assimilam bem a natureza mutável da vida, tanto que nota-se em muitos, um certo agir com discernimento desapaixonado .  Acredito que seja possível descobrir uma forma de felicidade também passageira, transitória, que proporcione um centro de segurança neste círculo da impermanência. Sim, pode ser possível dar uma base sólida a esse mundo incerto.   E desde que a impermanência é a única característica permanente das nossas vidas no planeta, devemos trabalhar com ela e não contra ela.

Olga Borges Lustosa é cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olga@terra.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Thelma de Oliveira | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 15h54
    0
    0

    Oi Olga, gostei muito deste teu artigo. Vc retratou com muita sensibilidade circunstâncias que todos nós atravessamos em algum momento da nossa vida. Parabéns!

| 21/04/2014, 19h:02 - Atualizado: 21/04/2014, 19h:30

Da cadeia Henry orienta PP a ir com Taques


Fernando Ordakowski

pedro henry

Mesmo da cadeira, ex-deputado Pedro Henry segue no PP e dá palpites políticos

Pedro Henry continua filiado ao PP e, mesmo cumprindo pena em regime semiaberto por participação no esquema do mensalão - foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a uma pena de 7 anos e 2 meses e mais ao pagamento de R$ 962 mil em multas -, tem dado palpites políticos e orientado a direção do partido sobre candidaturas e possíveis alianças. Por causa da forte ligação com os irmãos Júlio e Jayme Campos, deputado federal e senador pelo DEM, respectivamente, Henry pediu que o presidente da legenda Ezequiel Fonseca feche composição para apoiar Pedro Taques (PDT) ao governo. Ele não aceita em hipótese alguma que o PP esteja com Julier Sebastião, ex-juiz federal com quem Henry travou embates jurídico e político e que agora está filiado ao PMDB com pretensão de também concorrer à sucessão estadual. Ademais, Henry ficou na bronca com o governador Silval Barbosa, que o tirou do comando da pasta da Saúde e exonerou também seus apadrinhados da secretaria.

Mesmo sob orientação de Henry, que ainda conta com espólio político da Grande Cáceres, onde foi vice-prefeito e pela região se elegeu federal três vezes, Ezequiel está "no muro" quando perguntado sobre que rumo o PP vai tomar, se prosseguir na base governista, aliados a Silval e à administração Dilma, ou se partir para a oposição, no projeto encabeçado por Taques ao Palácio Paiaguás e com Jayme na corrida à reeleição.

Pré-candidato a deputado federal, Ezequiel não quer magoar Henry. Sabe que, mesmo desgastado e desmoralizado para muitos, ainda exerce influência política na região Oeste e, se não radicalizar, tem chances de atrair eleitores do ex-cacique do PP.

Como não há controle rigoroso sobre os passos de Henry na cadeia, ele passa o dia usufruindo de privilégios. Recebe visitas, assiste a TV e fala ao telefone. Durante o dia trabalha. Henry é servidor público desde 1987, com cargo de médico legista, e estava afastado para exercer mandato de deputado federal.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Maria Augusta Ferreira | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 13h15
    5
    1

    Tudo faria do mesmo saco, Paladino da moralidade, mas por conveniência política aproxima dos corruptos, a população irá enxergar isto...

  • Marcos Reis | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 10h06
    3
    4

    acho que há um erro grotesco na matéria, se o Pedro Henry não gosta do Julier, vc não viu ele com raiva quando falam de Pedro Taques perto dele. kkkk, Esequiel e Asambuja estão perdidos, pois do lado do PMDB eles não se elegem!

  • Donizete Ferreira do Nascimento | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 08h39
    6
    0

    Isto que eu chamo de companhia incômoda...

  • André | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 08h29
    6
    3

    Sabem de nada Inocente, é muvuca governador , Muvuca é o NOVO... vamos povo pensar no novo...

  • adejair | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 19h43
    6
    4

    Eu não falei que quem manda no PP e o mensaleiro, corrupto e preso Pedro Henry. Senador Pedro Taques cai fora desse PPH, deixa esse Ezequiel e Azambuja do lado. O senhor não precisa deles pra ganhar a eleição e com eles o senhor corre o risco de perder. Olha o que esse povo fez com a Saude de Mato Grosso. e quando o sr. ganhar tira essas OSS, peço em nome do povo de Mato Grosso. Fora PP.

| 21/04/2014, 16h:30 - Atualizado: 22/04/2014, 09h:01

Mauro cobra recursos para hospital


O RDTV desta terça (22) mostra os detalhes da reforma do hospital São Benedito em Cuiabá, unidade que deve servir como referência para as cirurgias de alta complexidade. Mesmo diante do desafio, o prefeito da Capital Mauro Mendes (PSB) cobra os investimentos prometidos pelos Governos Estadual e Federal. Confira também traz uma matéria especial sobre ideologia partidária e se essa “filosofia” influencia no voto do eleitor.

Ainda a resposta do vereador por Várzea Grande, Pery Taborelli (PV), à condenação que teve na Justiça. Além de ter o direito político suspenso por três anos, o parlamentar vai ter que pagar uma multa de R$ 30 mil.

Para assistir o programa, que começa às 8h30, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicando no menu RDTV disponível no topo do novo portal do Grupo RDNews. Simultaneamente, a população da Baixada Cuiabana pode ainda assistir o webjornal por meio da TV Mato Grosso (canal 27).

Postar um novo comentário

RESGATE HISTÓRICO | 21/04/2014, 14h:59 - Atualizado: 21/04/2014, 15h:30

Roberto Cruz faz discurso após conquistar comando da Assembleia com aval de Júlio


Em 1984, com respaldo do então governador Júlio Campos, Roberto Evaristo Cruz faz discurso após ganhar a presidência da Assembleia Legislativa. Nos 25 anos de vida pública, foi deputado por 3 mandatos e vereador por Barra do Garças. Morreu em 2001, aos 57 anos. Era mineiro de Cataguazes e chegou a Barra do Garças como funcionário do Banco do Brasil e se tornou um dos grandes pecuaristas da região. Na esteira da colonização do Vale do Araguaia por sulistas no início dos anos 70, montou o projeto Itaquerê, que deu origem ao hoje município de Novo São Joaquim. Roberto Cruz foi autor de projetos de emancipação de 10 municípios.

Demóstenes Milhomem

roberto cruz

Oscar Ribeiro, Djalma Rocha, Ubiratan Spinelli e Roberto Cruz, que discursa após ganhar Mesa da AL

Na foto, Roberto (à dir) aparece ao lado dos velhos aliados e então deputados Ubiratan Spinelli, de quem foi sucessor na presidência da Assembleia, Djalma Rocha e Oscar Ribeiro. No fundo, Oswaldo Sobrinho. Por alguns dias, Roberto Cruz foi governador, em substituição a Wilmar Peres de Farias (já falecido).

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • José Marques Braga | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 17h37
    0
    0

    Homem de um coração generoso. Apesar de atuar em partido liberal, como pessoa deixou boas lembranças no CEPROMAT. Que Deus o recompense.

  • Jessica | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 05h18
    0
    0

    Só gente boa...

  • Jair Pereira | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 21h50
    1
    3

    Realmente, a prática do bererê no processo eleitoral da AL é antigo.

| 21/04/2014, 11h:44 - Atualizado: 22/04/2014, 12h:25

Blairo volta dos EUA dia 5; base engessada e com 3 pré-candidaturas na "trincheira"

Sinalização do Palácio do Planalto sobre provável candidatura do republicano ao Governo empolga lideranças e partidos da base


A base governista segue de stand by, enquanto o senador licenciado Blairo Maggi cuida dos negócios empresariais nos Estados Unidos. Retorna ao solo mato-grossense em 5 de maio. Curiosamente, ele próprio afirma que não quer ser candidato a governador, após ocupar o cargo por 7 anos e 4 meses, mas o bloco situacionista, composto hoje por 9 partidos, vive expectativa de demovê-lo da ideia. O plano B, caso Blairo definitivamente saia fora, seria lançar um dos três postulantes pelo mesmo bloco, sendo eles o petista Lúdio Cabral, o peemedebista Julier Sebastião e o social-democrata, vice-governador Chico Daltro.

Ednilson Aguiar

blairo maggi

Blairo Maggi faz mistério sobre projeto ao Governo

Blairo é o nome da base situacionista que, conforme pesquisas, mais tem chance de ganhar o Palácio Paiaguás, contrapondo a forte candidatura do oposicionista Pedro Taques (PDT). Os governistas foram informados que a presidente Dilma e o ex-presidente Lula sinalizaram sobre a possibilidade de Blairo entrar no páreo. Por isso, mesmo que o senador republicano desconverse sobre o assunto, a base acredita na candidatura.

Fora Blairo, o nome que melhor pontua nas intenções de voto é de Lúdio, mas, curiosamente, a corrente majoritária petista, por estar mais ligada a Julier, se movimenta nos bastidores para boicotá-lo. Julier, por sua fez, enfrenta dificuldades de adesão dos filiados do seu próprio partido e, para piorar, figura na condição de lanterna nas pesquisas. Chico Daltro se gaba de ser o único nome lançado pelo PSD de forma "unânime", enquanto os demais enfrentam embates internos, apesar da legenda de Daltro também contar com a pré-candidatura à sucessão estadual do presidente da Famato, Rui Prado.

O quadro majoritário só ficará mais claro no próximo mês, quando Blairo retornar do exterior e fazer comunicado oficial de sua decisão. Enquanto isso, militantes do PR, PMDB, PT, PC do B, PSD, PSC, PRB, PP e Pros seguem sem rumo.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • joao | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 17h46
    0
    0

    Eu já falei e repito, após a copa vai haver prisões em MT, aguardem.

  • Pedro Lopes | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 17h14
    0
    0

    A cada dia que se passo me entristeço mais e mais com politica. O governo, os deputados estaduais e vereadores, estão cada dia mais e mais afundados em falcatruas. Depois da copa muita coisa vai acontecer. Tenho certeza e fé em Deus que isso vai acontecer, pq sinceramente, não aguento mais. PF, MPF, por favor apurem de verdade os fatos. Obras da Copa, cadeiras superfaturadas, VLT que não sai. Além de muita coisa estar acontecendo nos bastidores. Intervenção em MT já!

  • marcos | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 10h26
    0
    0

    canditado a governador tem que focar o planejamento da administração estadual em saude e segurança publica, infra estrutura, os candidatos te mque parar de inventar moda, de fazer o eleitorado de bobo, vamos ver o plano de governo dos candidatos.....to de olho.

  • amancio | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 08h27
    6
    0

    Tomara que ele não seja candidato mesmo...Por que é Muvuca 2014...

  • joaoderondononopolis | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 08h02
    4
    3

    O PR já deveria estar com a relação de candidatos preparado, fica esperando pelo BM que já falou mais de 10 x que não é candidato. E tem mais, se for candidato não aguenta 15 dias de campanha, devido diversos escândalos em seu governo que ainda não foram explicados a população.

  • cuiabano | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 20h45
    4
    0

    candiatos a govenador tem que focar na administração, na area da saude, segurança publica, estradas, fazer planos nessas areas, parar de brincar de governar.

  • pedro | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 19h16
    8
    4

    larga o cara, ele ja disse que não pretende ser candidato, o duro é não querer ser e ir forçado....só fico pensando na area da saude, e segurança publica, que ele deixou lastimavel...

| 21/04/2014, 10h:25 - Atualizado: 21/04/2014, 12h:29

Novo projeto para criação de municípios avança no Senado; MT tem 56 processos


Rdnews

quadro_20_distritos_emancipacao municipios novos.jpg

 

Com a aprovação da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) do novo projeto que cria municípios no país está cada vez mais próximo de Mato Grosso ganhar mais cidades que reivindicam emancipação. A mensagem anterior foi vetada integralmente pela presidente Dilma Rousseff (PT).

O principal motivo da mensagem ser barrada seria aumento de gastos aos cofres públicos. O deputado estadual José Riva (PSD), autor de 14 projetos que cria municípios, acredita na derrubada dos vetos ou num acordo entre o Senado e a presidente para evitar o engessamento do crescimento brasileiro.

O novo projeto, apresentado pelo senador pelo Paraná Mozarildo Cavalcanti (PTB) prevê regras mais restritivas como número mínimo de 6 mil habitantes nas regiões Norte e Centro-Oeste, 12 mil na Região Nordeste e 20 mil nas regiões Sul e Sudeste. Isso evitaria também o surgimento excessivo de municípios.

Outra medida foi que as novas cidades terão que ter 200 km², bem como uma arrecadação de, pelo menos, 10% da média dos municípios do Estado. Riva justifica que atualmente existem distritos a 200 km de distância da sede. “Os últimos municípios criados, em 2000 (Itanhangá e Ipiranga do Norte), registram avanços e atendem a população com muito mais eficiência”, lembra.

Ao todo, Mato Grosso tem mais de 56 pedidos de emancipação, mas a tendência é que menos de 20 saiam do papel, já que não têm os requisitos mínimos para ganharem "independência".

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • José Bonifácio | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 16h30
    0
    0

    Os municípios de Mato Grosso já existentes estão todos falidos, imagina criarem novos para dividir a mixaria dos repasses! Para com isso gente.

  • edemar bueno | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 15h04
    0
    0

    Sou morador em um Distrito, e sinto na pela a falta de investimento em minha comunidade. Para desenvolver precisamos emancipar já..O mais lamentável é agente ver nossos Senadores do MT, ter uma atitude covarde, obstruindo as votações da derrubada do veto das emancipações. Mas as eleições vem ai, eles não perdem por esperar... Edemar Bueno..

| 21/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 20/04/2014, 23h:17

Boxe

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Hora de rever as últimas notícias e organizar a agenda para a próxima semana, com a tranquilidade de ganhar mais um dia de folga do feriado prolongado. TV ligada em um daqueles canais de lutas, que agradam a muitos. Logo a atenção foi dispersada pelo anúncio de um combate de boxe entre o "velho" e o "novo".

Um lutador de 49 anos coloca seu cinturão em jogo. Um cartel de 54 vitórias e apenas 6 derrotas perfaziam seu currículo. Até aqui não há problema - ao menos para quem assistirá a luta! O mais intrigante (afastada a questão da idade do lutador) é o fato deste aceitar como adversário um jovem boxeador de 29 anos, igualmente detentor de título mundial de pugilismo.

A depender da idade do telespectador, a identificação com um dos personagens será inevitável. De um lado a experiência; os anos vividos; as diversas armadilhas superadas e as que causaram derrotas; a frieza que o sofrimento da vida impinge; a ciência de que o tempo resolve muitos problemas, mas também trás novos. De outro, a impetuosidade da juventude; a força do músculo; a necessidade do desafio; a confiança na agilidade da mente e do corpo. O sonho de uma vida inteira de vitórias e conquistas. O inesperado de cada momento vivido pela primeira vez. Dois títulos em jogo. A melhor opção seria cada um permanecer com o seu, mas o sistema obriga a novos desafios, a grandes lutas.

O clímax nos punhos a postos. A repetição nas mais diversas searas da vida. Abandonar o cargo público (estabilidade, poder, atuações judiciais que tiram da zona de conforto políticos, empresários e cidadãos) para buscar a representatividade popular, desafiar o sistema. Arrogância do vigor da juventude, perseverança, impetuosidade nos caminhos traçados pela primeira vez no sistema ou ingenuidade?

O primeiro round ficou no velho jogo de estudos entre os adversários. No segundo, o jovem campeão e desafiante deixou claro que teria força suficiente para os dez próximos, independente de sua guarda baixa. O velho lutador, guarda alta, consciência do desafio. Um golpe certeiro que recebesse do adversário poderia levá-lo à lona. A experiência fez com que resistisse e aplicasse um golpe em sucessão a outro, forma constante e planejada. De outra sorte, o jovem agüentou o primeiro, o centésimo e muitos outros golpes, manteria a guarda baixa, confiando em sua força, descobriria nesta luta que pode agüentar muitos golpes, mas não todos. Momento único, sagrou-se o campeão mais velho da história do boxe!

Finda a emoção e torcida decorrentes da luta assistida - referência de força, poder e superação. Sem perceber que se manteve fascinado pelo esporte violento - liberação dos instintos reprimidos pelos modelos de civilidade - voltou os olhos novamente para a agenda: compromissos confirmados. Hora de aproveitar o feriadão de segunda-feira!

Sandra Cristina Alves é tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Rosa Maria Pereira de Assis | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 21h42
    0
    0

    Cadê a lista dos contemplados das casas que foram sorteadas hoje?

| 20/04/2014, 11h:34 - Atualizado: 20/04/2014, 11h:49

Mauro, em meio a dificuldades e projetos


Fernando Ordakowski

mauro mendes

Prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, que enfrenta dificuldades e lança projetos

O prefeito Mauro Mendes se esforça para "destravar" a máquina e resolver pepinos administrativos que vêm atravessando gestões, como as dificuldades para atender demandas na saúde, agravadas com falta de médicos, de estrutura e até de medicamento. Até agora mais lançou obras do que fez inauguração. Ruas centrais estão sendo pavimentadas junto com obras do governo estadual no embalo dos projetos voltadas aos preparativos da Capital para a Copa do Mundo. O foco do prefeito-empresário tem sido os Centros Municipais de Educação Infantil, com previsão de entrega de uma unidade por mês, sendo 12 neste ano e 30 até 2016. Mauro lançou os projetos Porto Cuiabá, Parque das Águas, e de revitalização do Horto Florestal e do Parque Tia Nair. Promete contemplar também com infraestrutura os casarões, igrejas e o Centro Histórico. Garante que, após as chuvas, vai retomar o Novos Caminhos para asfaltar, até junho, 25 km de novas ruas e recuperar o asfalto de outros 50 km de vias, com recursos próprios, e 130 km de pavimentação com financiamento. Tem a missão de concluir outros projetos, como do hospital São Benedito, de duas UPAs e de um novo pronto-socorro. Por enquanto, mas tem abacaxi para descascar do que grandes feitos para comemorar.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Marquinho | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 13h22
    8
    1

    A culpa é do próprio Prefeito pela sua inexperiência e incompetência em administrar setor publica. Na campanha eleitoral: “Se eleito.., Cuiabá não faltara recurso para grandes obras, pois sou administrador e disso eu entendo”. Mas o que se vê por ai é obra (torre antena TV) construído por ELE, sendo derrubada pela simples chuva. Agora fala que não tem varinha mágica pra fazer aparecer dinheiro e asfaltar meu bairro pq dom Bosco. Deveria economizar dinheiro publico gastada nestas propaganda de obras virtuais só de projetos.

  • JANUÁRIO | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 13h05
    6
    1

    Sinceridade Romilson este sítio tá mais parecendo um "puxadinho" do Alencastro que qualquer outra coisa. Fale da promessas para resolver todos os problemas da saúde em Cuiabá no 1º ano de governo, que este cidadão fez em campanha. Mostre as dezenas de pessoas que são arremessadas de um lado para outro buscando por uma consulta médica no PS, UPAs, etc. francamente.

  • Tereza Cristina Arruda Mendes | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 11h09
    3
    1

    Muito bom Prefeito com essa obras, sabemos que os recursos estão difíceis, o que tenho a perguntar é simples "PORQUE A PREFEITURA DE CUIABÁ ISENTOU O CONSORCIO DO VLT DE PAGAR O ISS QUE É MAIS DE 20MILHOES E A PREFEITURA DAQUI DA VG NAO ISENTOU, POIS NÃO ERA EXIGENCIA DA FIFA????" O Secretario da Fazenda não sabe ou não passou informação para o Srº pois estava na Adm. passada. Mesmo assim não enviou nenhuma Lei pra câmara revogando esta ISENCÃO.

  • Vania Arruda Pimentel | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 10h12
    3
    1

    Troca o secretário de saúde medico sem experiência passou da hora.

ASSEMBLEIA | 20/04/2014, 08h:46 - Atualizado: 21/04/2014, 11h:02

Apesar de ser da mesma base, empresário não deve seguir linha de irmão deputado


O empresário do setor de transportes, Eduardo Botelho, pretenso candidato à Assembleia, caso confirme a empreitada eleitoral, não deve seguir a mesma linha de atuação do irmão, deputado Luiz Marinho (PTB), que foca suas ações nas áreas do social e da saúde. O petebista não disputará a reeleição, mas já articula deixar o membro da família em seu lugar no Legislativo. Ao evitar falar sobre a tese da “familiocracia”, Botelho sustenta que irá apenas colocar o nome à disposição do PSB, partido ao qual é filiado, na convenção para tomar a decisão sobre o futuro político. “O caminho é longo até lá”.

No caso de os socialistas apoiarem sua candidatura e a resposta das urnas ser positiva, o empresário adianta que sua principal bandeira será a área de infraestrutura. “É preciso realizar um estudo do Estado para definir a questão das estradas e do transporte, principalmente nos municípios onde há a dificuldade de escoamento”.

Outro ponto ressaltado pelo pré-candidato é a redistribuição dos recursos do Fethab, cujo projeto de lei foi aprovado na Assembleia, no ano passado, e passará a valer a partir de 2015. Para ele, a matéria é importante, pois valoriza as cidades e descentraliza a aplicação de verbas somente na Capital, como vem ocorrendo.

Familiocracia

Além de Luiz Marinho, o deputado José Riva (PSD), presidente do Legislativo por quatro vezes e hoje afastado, também decidiu não mais concorrer à reeleição. Terá a filha Janaína Riva como candidata em seu lugar. A deputada Luciane Bezerra, por sua vez, optou por concorrer à Câmara Federal e para vaga na Assembleia vai contar com o esposo Oscar Bezerra, ex-prefeito de Juara.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Carlos Silva | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 11h35
    0
    0

    Será que ele vai querer aumentar o transporte intermunicipais. Como faz com o transporte coletivo de Cuiabá. Esse adora fazer aumento. Será que vai defender o povo ou os empresários.

  • Fagner Raione | Terça-Feira, 22 de Abril de 2014, 08h48
    3
    0

    Isso me faz lembrar as eleições praticamente ganha de ANTERO e DANTE e hoje faz parte da história política de Mato Grosso, isso porque, os citados, teve "algum serviço" prestado, imagina quem não tem? Ainda mais nessa familiocracia, onde o irmão como deputado e nada, foram a mesma coisa!

  • Kiro e familia | Domingo, 20 de Abril de 2014, 20h22
    3
    4

    Eduardo... Sim a caminhada será muito longa,mas seus amigos irá te ajudar a trilhar esse caminho. Conte comigo e minha familia... Deus nos abençoará neste caminho.

  • arnaldo de lima | Domingo, 20 de Abril de 2014, 16h26
    0
    3

    Falar em leverger. O nosso santo antonio e livramento so lembro d milton figueiredo, ate hj imbativel....

  • JOSE LUIS DE ARRUDA E SIILVA | Domingo, 20 de Abril de 2014, 13h56
    1
    5

    Sr. Eduardo Botelho, e um homem inteligente, trabalhador, tenho certeza que fará um bom trabalho na Assembléia Legislativa.

  • Rodrigo | Domingo, 20 de Abril de 2014, 09h43
    2
    4

    O PSB elegerá Botelho, dono da União, e com forte reduto em Leverger e VG.

| 20/04/2014, 00h:00 - Atualizado: 20/04/2014, 11h:28

Segurança para a saúde: medida acertada

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Desde a quarta-feira, dia 16, a Policlínica do Coxipó conta com a segurança de policiais 24 horas por dia. São três turnos de trabalho. A informação é que o serviço se estenderá às demais unidades de saúde. Iniciativa louvável por parte da gestão. Sabemos o quanto usuários e profissionais ficam expostos aos inúmeros riscos, principalmente nos plantões noturnos e madrugadas. Trabalhar com a sensação de tranquilidade dá ao servidor a chance de se concentrar no seu ofício, e voltar a sua atenção inteiramente ao paciente.

O serviço vai resguardar as pessoas que frequentam e prestam serviço na unidade de saúde de assaltos, agressões morais, psicológicas e quaisquer outro tipo de violência. Esse é um grande avanço, pois há algumas semanas, neste mesmo espaço, relatei uma ação violenta por parte de um assaltante contra o guarda e o colega cirurgião-dentista desta mesma unidade. Esse tipo de articulação entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Secretaria de Estado de Segurança Pública, através de um Termo de Cooperação é uma solução válida para a nossa realidade onde frequentemente pessoas exaltadas desrespeitam o servidor em ambiente de trabalho, e o entorno dos prédios geralmente encontramos terrenos baldios sem a conservação adequada, com matagal tomando conta.

Quando falta segurança, quando o médico, o cirurgião-dentista, o enfermeiro e toda a equipe de saúde corre risco pelo simples fato de atuar em seu local de trabalho a qualidade do serviço tende a diminuir. Com este sistema de segurança  ainda serão beneficiados aqueles que a procura de vagas para atendimentos passam a madrugada em filas internináveis. É um bom começo, uma luz no fim do túnel.  A segurança pública está elencada entre as prioridades da população, é uma necessidade especial. Os índices de criminalidade crescem vertiginosamente, aumentando o sentimento de insegurança e impunidade, e essa estratégia permite que o ambiente de trabalho seja mais seguro e salutar para o trabalhador. A prevenção de incidentes já é uma vitória.

Segundo o gestor a partir do dia 23 de abril, as policlínicas do Pascoal Ramos, Pedra 90 e Verdão e também a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Morada do Ouro também contarão com segurança armada, e se isso se concretizar a população com certeza ficará mais tranquila ao frequentar essas unidades principalmente no período noturno que é quando os servidores ficam mais vulneráveis.

A presença do profissional de segurança inibe o comportamento mais exaltado. Entendemos que quando sentimos dor ficamos com os nervos alterados e temos reações mais intensas, e é exatamente nesse momento que episódios de violência podem acontecer. Zelar pela integridade do funcionário público pé dever do gestor, pois este está na linha de frente e lida diretamente com a insatisfação do usuário quanto aos serviços prestados. Quando sabemos que nossos atos estão sendo observados de perto tendemos a agir com mais educação e cautela, trata-se aqui de uma medida onde todos saem ganhando. 

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este Blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • geraldo | Domingo, 20 de Abril de 2014, 12h18
    1
    0

    Realmente,eu acho que o prefeito fez pela primeira vez alguma coisa que presta,dar segurança aos médicos,enfermeiros, dentistas e todos os outros funcionários da saúde e também dos pacientes.

| 19/04/2014, 11h:58 - Atualizado: 19/04/2014, 12h:06

A pedido da Executiva, "membros" do Rede filiam-se ao PSB para concorrer à eleição


.

eron_rede_MT_capa.jpg

O 2ª da esquerda para direita, Eron Cabral, porta voz da comitiva do Rede em MT, com os demais membros, no momento que protocolaram o registro no TRE com 6 mil rubricas para criação do partido

Apesar de Marina Silva anunciar a pré-candidatura como de vice na chapa encabeçada pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), para a eleição presidencial, a Comitiva que tentou construir o partido Rede Sustentabilidade afirma que uma ala do grupo não gostou desta decisão, contudo, irá apoiá-la. “Esperamos que ela (Marina) consiga reverter e se torne a postulante”, enfatiza o porta-voz Eron Cabral. O acordo da composição Campos e Marina foi fechado na última segunda (14).

A “fusão” do Rede com o PSB foi uma “cartada” dos dois líderes das agremiações, uma vez que a tentativa de Marina criar o partido foi por água a baixo. Os planos foram frustrados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que barrou a criação da sigla por não ter atingido a quantidade necessária nas coletas de assinaturas. Para a efetivação de uma sigla são necessários 492 mil rubricas, exigidas por lei. Contudo só foram validadas pelos cartórios eleitorais, apenas 442 mil. A decisão foi polêmica. No Estado, a comitiva conseguiu colher mais de 6 mil rubricas. Atualmente, o então Rede possui 500 “filiados”.

Após a “surpresa” da decisão da Corte, a Executiva do Rede determinou, para quem quisesse disputar as eleições, que se filiasse ao PSB. Diante disso, segundo Eron, existem quatro pré-candidatos nas proporcionais, sendo três para Assembleia e um à Câmara federal. “Nenhum tinha coligação com outro partido e nem exercia cargo político” explica.

Outra orientação da Executiva é que o Rede no Estado apoie a pré-candidatura de Pedro taques (PDT) ao Governo, tendo em vista que as diretrizes da Nacional firmaram acordo, em conversa com o senador, além do fato de o PSB compor a aliança pedetista. “Tivemos uma reunião com o Taques e vimos que temos os mesmos ideais”. Apesar de pender para o lado do grupo de oposição (PDT, PSB, PSDB, DEM, PPS e PV) esta aliança ainda não foi homologada.

Com a entrada dos membros da comitiva do Rede, o grupo deve se encorpar ainda mais para montar palanque para Campos, bem como confrontar com a base governista, que tem como pré-candidatos o petista Lúdio Cabral, o vice-governador Chico Daltro (PSD) e o ex-juiz Julier Sebastião da Silva (PMDB).

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Marcos Nunes | Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014, 00h31
    1
    2

    Sou sinpatizante desta Rede, mesmo que não virou partido, já tive oportunidade de participar de reunião da Rede em MT e eles realmente discutem o que realmente interessa para nós cidadões, parabens ao Grupo da Rede-MT, vcs estão no caminho certo indo com o Senador Pedro Taques.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 665