Cuiabá, 01 de Setembro de 2014
  • Camila Cecílio

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cecílio

  • Camila Cervantes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Camila Cervantes

  • Francis Amorim

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Francis Amorim

  • Gabriela Araújo

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriela Araújo

  • Gabriele Schimanoski

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Gabriele Schimanoski

  • Glaucia Colognesi

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Glaucia Colognesi

  • Jacques Gosch

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Jacques Gosch

  • Larissa Malheiros

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Larissa Malheiros

  • Patrícia Sanches

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Patrícia Sanches

  • Talita Ormond

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Talita Ormond

  • Tarso Nunes

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Tarso Nunes

  • Valérya Próspero

    Com os jornalistas do
    Grupo RDNews

    Valérya Próspero

Judiciário | 27/09/2011, 12h:11 - Atualizado: 27/09/2011, 17h:44

Sinjusmat fica sem respaldo de greve; TJ espera TC sobre URV

Sinjusmat fracassa na tentativa de greve; Tribunal espera aval do TCE para pagar URV

Rubens de Oliveira   O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rubens de Oliveira, aguarda a conclusão do relatório de uma comissão técnica do Tribunal de Contas do Estado para saber, de fato, o montante das diferenças salariais derivadas da transição da Unidade Real de Valor (URV) para moeda Real, em 1994. Somente depois disso é que o Judiciário vai disponibilizar, com precisão e segurança, o que cada servidor tem direito a receber. A previsão é de que o relatório do TCE seja concluído até sexta (30). A URV foi um indexador que passaria a corrigir diariamente preços, salários e serviços, como uma espécie de moeda. Teve validade de março a julho de 94.

    Enquanto o TJ se diz empenhado em resolver o impasse, Rosenwal Rodrigues, em campanha pela reeleição no Sinjusmat e para demostrar empenho e conquistar a simpatia dos servidores, passou a liderar movimento por nova greve, mesmo já tendo levado a categoria a paralisar as atividades por 128 dias e retornado ao trabalho sem resultado satisfatório.

    A articulação é para cruzar os braços a partir de 3 de outubro. Rosenwal tem feito assembleias e, estrategicamente, deixado para colocar em votação a proposta de greve quando a maioria dos servidores deixa a reunião, restando para votar os seus aliados, como aconteceu em Rondonópolis nesta segunda. O sindicalista dispara críticas ao que chama de intransigência do presidente Rubens, que administra um quadro de 5 mil servidores cuja folha anual chega a R$ 430 milhões.

    Uma estratégia da Mesa Diretora do TJ tem anulado as ações políticas de Rosenwal. Rubens resolveu encaminhar para cada servidor uma carta explicativa acerca do pagamento da URV. Ele destaca no documento, sem citar nome, que há informações infundadas e inconsistentes disseminadas para os servidores e observa que isso pode gerar dúvidas quanto às ações que estão sendo desenvolvidas pela administração, visando atender a reivindicação da categoria.

    Embates

    O Sinjusmat obteve no ano passado decisão judicial favorável ao pagamento da URV aos servidores sindicalizados. Depois, esse direito foi estendido aos demais, por decisão administrativa do Conselho de Magistratura, referendada pelo Tribunal Pleno. Nesse caso, os sindicalizados que subscreveram a ação judicial podem receber a URV tanto pela via judicial quanto pela administrativa. Já os servidores que não são vinculados ao sindicato podem ajuizar ação ou aguardar o pagamento pela via administrativa.

    A presidência do TJ assegura que se comprometeu em disponibilizar R$ 11 milhões dos recursos orçamentários para pagamento parcial da URV e aguarda uma decisão do governo quanto à proposta de ampliar esse valor com recursos do Tesouro Estadual. Assegura que está sendo negociado diretamente pelo presidente do Sinjusmat, buscando fazer uma programação de pagamentos parciais. O Tribunal destaca que só conseguirá avançar mesmo quando receber do TCE os cálculos das diferenças salariais. Adianta para possibilidade de duas formas de pagamento.

    Pela via administrativa, seriam utilizados os R$ 11 milhões, com contrapartida do governo, se vier a ser concretizada, ampliando a capacidade de pagamento. A outra seria a via judicial, por meio de Requisição de Pequeno Valor (RPV), pela qual, após executada a sentença, os detentores dos créditos até o limite de R$ 9,2 mil poderão recebê-los de uma só vez, num prazo de 120 dias. Busca-se também negociação via precatório na ordem cronológica. Nesse caso, os credores maiores de 60 anos ou portadores de doença grave podem receber até 3 vezes o valor da RPV, ou seja, R$ 27,6 mil, com prioridade na ordem de pagamento.

    Na carta, Rubens de Oliveira diz que a administração tem se empenhado para encontrar mecanismos que assegurem o pagamento da URV e outros direitos dos servidores, assim como já feito em relação à liberação de R$ 300 a título de auxílio-alimentação. Cita ainda aumento de 16% e mais 6,7% de reposição salarial.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Ronaldo | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 18h04
    0
    0

    Primeiro o comentário do Professor Antonio Fagundes: Não coloque mão na cumbuca alheia, se está satisfeito com o seu sálario não teria feito greve, e o seu sindicato fez. Se não tem vale alimentação você está perdendo tempo peça ao seu gestor ou então vai fazer novela. Segundo comentário do Afonso Melo: Você hoje já tomou tanta porrada na página do enoque e não aprende, deixa de ser baba ovo, se atirar no s... do patrão acerta a sua boca. Emprego não se conquista dessa forma, se não deu faça outro concurso.

  • Maria José | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 15h28
    0
    0

    pelo amor de Deus senhor presidente, pague aos servidores aquilo q lhes é de direito,ñ é justo que servidores qeue se aposentaram a três anos ñ receberam até hoje ñ só a URV mais tambem seus direitos, com ferias , licênça premio e tc... conheço gente que esta no limite .

  • antonio fagundes | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 13h58
    0
    0

    Não conheço pessoalmente esse Presidente do Tribunal de Justiça, mas tenho acompanhado as noticias do Poder Judiciário e há muito tempo não vejo, uma administração tão tranquila, serena e realizadora como essa, por exemplo, eu nunca vi o judiciário metendo a cumbuca em questões de drogas, queimadas e saúde como tenho visto nesta gestão. Esse projeto realizado hoje no porto de cuiabá, é prova disso, quando que se viu falar em uma ação dessa grandeza em nosso Estado. Outra questão que tenho observado é o tratamento com o servidor, e prova disso, conforme a reportagem, são os aumentos salariais e o auxilio alimentação. Só para registrar, sou professor da rede estadual de ensino e não recebo esse auxilio alimentação.

  • Afonso Melo | Terça-Feira, 27 de Setembro de 2011, 12h51
    0
    0

    Primeiramente confio em Deus, que a solução deste problema da URV, está próximo de ser resolvido. Segundo acredito nos homens de boa vontade, que trabalham honestamente e fundamentalmente com a verdade, pois tenho certeza q sua Excelência, o Presidente do Tribunal, não tem motivos, nem necessidade de mentir a seus servidores, e mais ele não disputa reeleição p/presidência do TJ, ao contrário dos politicos q a todo custo querem se manter no poder, mesmo q seja preciso mentir, ameaçar, enganar, chantagear, achando que os servidores são idiotas. Temos q relembrar todos os fatos anti e pós greve, para tomarmos uma decisão consciente.

| 01/09/2014, 00h:00 - Atualizado: 31/08/2014, 21h:36

Macaco

sandra_artigo_segunda

Sandra Alves

Em determinadas semanas, o ser humano seria mais feliz com a ignorância de fatos sociais. A banda larga, a TV a cabo, a imprensa escrita, se todos os meios de informação estivem em colapso nos últimos dias não viria a conhecimento público a jovem e bela moça branca gritando aos berros "macaco"; os vídeos do garoto Bernardo. Retratos da falência do ser humano.

O preconceito é tema complexo, entretanto, com a vivência social dois aspectos devem ser distanciados. A um, grande parte da sociedade de hoje se formou sob o influxo do tema. Quem não se lembra dos avôs expressando seu preconceito ao brigar com um dos filhos que dissolveu o casamento, ou resolveu unir-se a uma pessoa "de cor". O desmantelamento dos preconceitos exige informação e tempo. Mas existe um aspecto que não pode mais ser negado: preconceito é crime. Por mais que você não seja obrigado a gostar de alguém, a conviver com alguém que seja diferente de você, não se pode mais admitir qualquer conduta no sentido de humilhar qualquer ser humano, independente do motivo alegado.

As imagens da jovem branca, gritando exasperadamente na arquibancada do jogo de futebol, a palavra "macaco" com o nítido propósito de humilhar o goleiro do time adversário que ganhava o jogo de futebol, não trata do preconceito intrínseco à pessoa humana, mas da externalização fria e consciente, da vontade de humilhar um ser humano.

E considerando o sentido da palavra vida, o garoto que, segundo uma psicóloga que analisou os diversos vídeos do pai e madrasta (acusados de homicídio) que circularam pelas redes sociais e telejornais nacionais, "foi morto psicologicamente várias vezes, pelo convívio doentio dentro de sua unidade familiar, antes de seu homicídio".

Cabe a seguinte reflexão: quantas vezes somos responsáveis por matar outro ser humano com nossas palavras, nossos atos, nosso egoísmo e falta de amor. Acredito que ao ver os vídeos de Bernardo muitas famílias multiparentais (formadas com pessoas que trazem de relacionamento anterior filhos e constroem uma família com múltiplos tipos de parentesco) respiraram aliviadas por terem a estabilidade emocional necessária no início do relacionamento para conciliar os milhares de conflitos que surgem na construção deste tipo familiar.

Famílias multiparentais é um desafio de amor. Entretanto, a dificuldade não é motivo justificante dos absurdos vistos cotidianamente, com madrastas perversas, enteados cruéis, pais e mães condescendentes. É hora de chamar as pessoas às suas responsabilidades.

Neste momento, o Estado precisa intervir para socorrer da morte as famílias. Um Poder Judiciário com mecanismos para socorrer Bernardo quando aos 11 anos foi sozinho ao fórum pedir ajuda porque seria morto pela madrasta; um Executivo que promova campanhas de conscientização acerca do respeito ao ser humano; um Legislativo que compreenda o que acontece na sociedade, para editar leis.

E por falar em Executivo e Legislativo, a pessoa que receberá seu voto está preparada para lidar com os desafios sociais aqui propostos? O candidato tem real comprometimento com suas promessas ou já foi eleito outras vezes e nada fez? A responsabilidade sobre o rumo do País é de cada um ao consignar o voto nas próximas eleições. Pense em quais notícias você quer ver estampadas na imprensa de agora em diante.

Sandra Cristina Alves é defensora pública do Estado nomeada, tabeliã, registradora de imóveis, ex-analista do TJ/MT e escreve exclusivamente neste Blog toda segunda (sandrac.alves@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • oliveira | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 08h34
    0
    0

    O povo quer ouvir a proposta de governo de cada candidato, seja quem for o candidato fugir de debate e um desrespeito contra o povo, se o candidato não sabe sair de uma determinada situação de um debate esse candidato não esta preparado para representar o povo de seu estado, temos que saber os meios de comunicação são essenciais e prioritários para levar a informação a todos os cidadães do nosso estado, Eu quero aqui dizer ao marqueteiro do Pedro Taques que foi a maior burrice que ele já fez, orientando ele para fugir do debate, eu como muito outros eleitores estávamos ansiosos para ver a proposta de governo dele, foi uma decepção para nos eleitores, fugiu da raia, fugiu de confronto de perguntas e resposta que interessava ao povo, perdeu meu voto.

confronto na TBO | 31/08/2014, 22h:44 - Atualizado: 31/08/2014, 22h:48

Muvuca, Riva e Lúdio usam ausência como "trunfo" contra Taques durante 2º embate


Davi Valle/Rdnews

capa_blog.jpg

Durante o intervalo do debate na TBO, candidatos se concentram para perguntarem uns aos outros

O segundo debate entre os candidatos ao Governo, realizado pela TBO Canal 8, começou sem um concorrente: Pedro Taques (PDT). A ausência foi um “prato cheio” para que os demais postulantes usassem o fato para alfinetar o pedetista, que justamente deixou de participar do embate prevendo a situação devido ao último confronto. De todo modo, no primeiro momento, os candidatos explanaram o motivo pelo qual desejam governar Mato Grosso. Todos estavam calmos, agradeceram familiares e a Deus pela oportunidade.

José Roberto (Psol) foi o primeiro a ser sorteado. Disse que o momento é de mudança. Em seguida foi Lúdio Cabral (PT), pediu para Deus o iluminar e que ser candidato foi uma decisão tanto pessoal como coletiva. Ressaltou que apresentar alternativa que sinaliza um governo novo. Muvuca (PHS) agradeceu à mãe e disse que teve um encontro com Deus antes do debate, para tocar seu coração. José Riva (PSD), por sua vez,  disse que vai gerar oportunidade para o povo mato-grossense proporcionando renda e emprego.

No segundo bloco, o clima começou a esquentar. Lúdio, Riva e Muvuca se uniram para atacar Taques. O petista, inclusive, ao iniciar uma pergunta disse que seria para o pedetista ausente, sobre o imbróglio envolvendo a ata de suplente em relação ao pleito de 2010. Riva, por sua vez, voltou a falar do prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), que é coordenador da campanha de Taques.

Muvuca chamou Taques de candidato “fujão”. Citou o ditado “me diga com quem andas, que direi que és”, se referindo também a Pivetta devido ao caso Cooperlucas, ao delator Fernando Mendonça e até mesmo aos ex-prefeitos Chico Galindo (PTB) e Wilson Santos (PSDB), que deixaram a Capital com obras inacabadas e são amigos de Taques. Riva aproveitou o ensejo para completar “o candidato que fugiu pode, inclusive, fugir de Mato Grosso, pois a pressão será grande”. 

Do quarto bloco em diante, os postulantes se centraram nas propostas e esqueceram um pouco de Taques. Focaram as perguntas entre si em relação aos gargalos enfrentados no Estado, como logística, saúde e educação. Por fim, nas considerações finais, agradeceram a todos, reforçaram os projetos de campanha e aproveitaram, mais uma vez, para bombardear o candidato pedetista com ataques devido à ausência no confronto.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • benedita | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 23h01
    8
    5

    Isto é que é falta de foco, ao invés de aproveitarem o tempo para expor suas propostas, planos, ficam atirando pra todo lado, falando em falta de respeito, tem candidato ali que desconhece o significado de rerspeito, por isso que Pedro Taques não foi, assim ao contrário dos que o chamam de fujão e etc, mostrou que os outros só queriam espezinhar. Quem fez papel de TONTO, Caras pálidas?

COMENTÁRIO | 31/08/2014, 22h:31 - Atualizado: 11min atrás

Líder, Taques toma decisão correta e deixa os adversários no debate "atirando" ao léu


Davi Valle/Rdnews

debate tbo2

Mediador Onofre Júnior se ajeita na poltrona antes de iniciar debate da TBO com 4 dos 5 candidatos

Pedro Taques acertou em não comparecer ao debate da TBO, ao vivo, deste domingo. Deixou os seus concorrentes com munições nas mãos. Sem o alvo de corpo presente, tiveram que guardá-las e as que foram disparadas não surtiram tanto efeito porque foram lançadas ao léu.

Eles não esperavam pela ausência do líder nas pesquisas de intenção de voto. Se prepararam para “bombardear” o pedetista de críticas, ataques e provocações, assim como fizeram no confronto da TV Record Canal 10 no último dia 25. Naquele duelo, Taques reagiu de forma light. Saiu como vítima, embora muitos entenderam que “amarelou”, fugindo do perfil de parlamentar linha dura e briguento. Com foco no cargo de Executivo, ele já se conforma com a condição de vidraça. Sabe que não é mais "estilingue". Desta vez, preferiu o aconchego do lar. Acompanhou o debate ao lado de familiares e assessores.

Como Taques não deu as caras, Lúdio Cabral, José Riva, José Roberto e Muvuca tiveram que repensar as estratégias. Ficaram nas perguntas entre eles. Não tinham como questionar candidato ausente.

Entre perder ou perder, Taques optou pelo certo em vez do duvidoso. A presença seria uma aposta de risco. Alguns membros do conselho político defenderam que o pedetista fosse ao duelo. Mas o próprio Taques bateu o pé, alegando que o circo estava armado é que seria provocado o tempo todo. Foi o que se viu. Centraram fogo nele. Entre os quatro, não houve um questionamento duro. Só faltaram combinar um chazinho. Taques pode até levar carimbo de "fujão" e perder alguns votos mais por causa de declarações contraditórias, já que na eleição para senador, em 2010, chamou de "arrogante" candidato que não comparece a debate. Por outro lado, se tivesse aparecido, levaria porrete do começo ao fim. Em casa, ficou menos arranhado.

Davi Valle/Rdnews

candidatos tbo debate

Muvuca, o espaço vazio destinado ao candidato Pedro Taques, Lúdio Cabral, José Roberto e José Riva

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Lúcia | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 09h29
    0
    0

    Lúcia, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • José Licubrino | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 09h23
    2
    0

    O público que assistiu o debate é diferente do outro debate. Infelizmente, tem gente que prega uma coisa e faz outra. Achei um erro muito grande faltar ao debate. Pedro perde meu voto.

  • Luiz Antonio | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 09h14
    0
    0

    Luiz Antonio, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Ricardo - Rondonópolis | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 09h01
    0
    0

    Ricardo - Rondonópolis, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Celino Teodoro de Melo | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 08h27
    0
    0

    Celino Teodoro de Melo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • joaoderondonopolis | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 08h12
    5
    8

    Parabéns Taques, ir a debate pra que? os candidatos não vão a lugar algum, um o partido está sendo extinto do país e não tem propostas, o outro está impugnado e 36% dos processos dos candidatos a governador do país e tem poucos dias para continuar na campanha. Ararath 6 vem ai.

  • BITO10 | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 08h00
    1
    0

    BITO10, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • IVAN NUNES | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 07h39
    10
    5

    ACHO UMA FALTA DE CONSIDERAÇÃO COM O PÚBLICO, ISSO NÃO PEGA BEM SR. PEDRO TAQUES...É BOM RESPEITAR OS ADVERSÁRIOS E MOSTRAR SUAS PROPOSTAS....SERÁ QUE O SR. ESTA COM MEDO DE ATAQUE?...DALHE RIVA.

  • claudinei | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 07h32
    8
    10

    Os sem votos ficaram sem niguem pra bater, Valeu Pedro Taques ! aqui na minha família são 15 votos unanimemente seu, tomos no 12 !!!

  • João de Deus | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 06h45
    5
    2

    Covarde.

executivo | 31/08/2014, 19h:46 - Atualizado: 31/08/2014, 19h:48

Por "culpa" do VLT, passe livre em Várzea Grande fica para ano que vem, diz Walace


Reprodução

walace_onibus.jpg

Prefeito Walace adiou implantação do passe livre em Várzea Grande

O prefeito de Várzea Grande Walace Guimarães (PMDB) adiou mais uma vez a implantação do passe livre para estudantes do município. Uma de suas principais promessas de campanha, o passe livre só deve começar a vigorar no penúltimo ano de gestão do peemedebista. O secretário especial de Gabinete e da Copa em Várzea Grande, Roldão Lima Junior, afirma que o benefício deve entrar em vigor em 2015.

Conforme ele, a demora se deve a espera pela implantação do VLT. “Como o VLT vai demorar, o prefeito pediu para fazer no modal convencional no ano que vem”, ressalta o secretário em entrevista ao Grupo Rdnews. Questionado sobre a negociação com a empresa União Transporte para colocar o passe livre em prática, o secretário afirma que ela sofrerá o menor impacto, já que quem vai pagar a diferença na passagem será o cidadão e a prefeitura. “A empresa vai continuar recebendo”, avalia. 

Ao todo, pelos menos 26 mil alunos vão deixar de pagar passagem de ônibus coletivo. O impacto no orçamento será de R$ 200 mil ao mês. Muitos dos alunos na cidade estudam em Cuiabá devido a rede pública estadual não dar conta de receber todos jovens aptos a frequentar o ensino médio, além, é claro, dos universitários. Diante disso, a tendência é que a rigidez que seria exigida no primeiro momento, de só estudantes de escolas públicas do município terem direito ao passe livre, seja revista.

Passe livre será implantado no 1º semestre de 2014, afirma Walace

Postar um novo comentário

| 31/08/2014, 16h:00 - Atualizado: 20min atrás

Ao vivo, coordenador de Marina Silva em MT; 2º debate entre candidatos ao Governo


Davi ValleRDNews

Suelme Evangelista

Coordenador da campanha de Marina Silva em MT, Suelme Evangelista, ao vivo nesta 2ª - participe

O RDTV desta segunda (01º) traz a cobertura completa do 2º debate entre os cinco candidatos ao Governo de Mato Grosso realizado na noite de domingo pela TV Brasil Oeste no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL). Confira os principais momentos registrados em frente e atrás das câmeras, nos bastidores, durante as 2h30 previstas para o confronto.

Além disso, o programa conta com a presença ao vivo do coordenador da campanha da presidenciável Marina Silva (PSB) em Mato Grosso, Suelme Evangelista, para revelar as articulações da vinda da socialista ao Estado.

Os interessados em colaborar com essa entrevista, que começa às 8h30, devem acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br ou clicar no botão RDTV disponível no topo do portal RDNews.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • jose arruda | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 00h07
    3
    2

    ela não vem mais

  • eduardo | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 21h09
    3
    6

    esse cidadão não tem nada a ver com marina silva, não deve saber nem conceituar o que é meio ambiente...quem fala por marina silva em mato grosso somos nós, ambientalistas, que sempre fomos.

| 31/08/2014, 14h:43 - Atualizado: 31/08/2014, 15h:13

Agronegócio agora busca se aliar à Marina


Fernando Ordakowski

carlos fávaro

Diferente de outras épocas, o ex-presidente da Aprosoja-MT e candidato a vice-governador de Pedro Taques, Carlos Fávaro (PP), quer aproximadação do setor produtivo com a presidenciável Marina Silva

Carlos Fávaro, ex-presidente da Aprosoja-MT e candidato a vice-governador da chapa de Pedro Taques, mudou o discurso em relação à Marina Silva depois que esta cresceu nas intenções de voto e apresenta chances reais de ser a próxima presidente da República. Antes criticava a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora pelas posições duras contra o agronegócio. Agora, Fávaro faz coro a vozes do setor produtivo que querem recebê-la sem preconceito e com braços abertos em Mato Grosso. Em campanha, a presidenciável do PSB deve visitar nos próximos dias o Estado campeão na produção de grãos. O agronegócio quer eliminar o distanciamento e o estereótipo estabelecido para se buscar uma relação intermediária. Marina, por sua vez, faz discurso "apaziguador", já que precisa dos produtores para consolidar sua eleição. A resistência do setor ao nome da presidenciável vem do tempo em que ela ocupou o Meio Ambiente (2003-2008). Na época, condenou o aumento do desmatamento para que houvesse a expansão da produção de grãos e da pecuária na Amazônia Legal. Sempre defendeu a tese de que é possível aumentar a produtividade sem elevar a área plantada e que o agronegócio pode conviver com os preceitos da sustentabilidade.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • eduardo | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 21h13
    6
    3

    hummmm, agora só falta dizer que o setor do agronegócio vai aderir ao movimento ambientalista....não adianta dissimular, marina silva sabe quem sempre defendeu o meio ambiente, e quem sempre do outro lado, combatendo a legislação ambiental, desmatando e queimando florestas.

  • ROMILDO GONÇALVES | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 17h23
    4
    3

    VAMOS HOUVIR A FILHA DE OSÍRIS PORQUE NÃO?

| 31/08/2014, 10h:58 - Atualizado: 31/08/2014, 17h:33

Blairo contraria palestrantes e afirma que Marina Silva é messiânica e dissimulada

Aliado de Dilma, senador espera que candidata do PSB cumpra promessa de 1 mandato porque vê desastre para agronegócio

O empresário e senador  Blairo Maggi, uma das vozes do agronegócio brasileiro, agiu tardiamente em defesa da reeleição da presidente Dilma Rousseff.  E começou atacando a ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (PSB), que já empata nas intenções de voto com Dilma no primeiro turno (34% a 34%) e seria eleita presidente num eventual segundo turno contra a petista (50% a 40%), conforme revela a pesquisa Datafolha da última sexta (29).

Rodinei Crescêncio

Blario Maggi

Blairo Maggi diz que Marina é messiânica, personalista, teimosa e dissimulada

O ex-governador mato-grossense foi tão duro em sua intervenção, durante evento promovido pela multinacional FMC, em Buenos Aires (Argentina), que definiu Marina como “messiânica, personalista, teimosa e dissimulada”. Contrapôs-se à opinião dos palestrantes que discutiam as perspectivas da economia brasileira de 2014 e 2018, sendo eles o ex-ministro da Fazenda e consultor Mailson da Nobrega, o coordenador da GV Agro e ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues, e o jornalista Merval Pereira, segundo revela reportagem da revista Globo Rural – confira aqui.

Quando a palavra foi aberta para as perguntas da plateia, Blairo, do Grupo Amaggi, se identificou como produtor rural e, de acordo com a matéria, expôs em público o que antes vinha dizendo em conversas reservadas. "Se ela (Marina) for eleita, a única promessa que espero que ela cumpra é que não concorra a um segundo mandato, porque ela será um desastre para o nosso setor. Vi como age quando foi ministra", disparou o senador.

Cabo eleitoral de Dilma, de quem foi financiador na eleição de 2010, Blairo citou avanços alcançados no atual governo, como crédito a juros compatíveis e investimento em logística, e afirmou que mesmo numa situação de economia fraca, os produtores têm hoje um parque de máquinas que lhes dá condições de seguir produzindo. “Com Marina, não haverá refresco".

Após passar um ano ensaiando a terceira candidatura a governador e recuar já próximo das convenções, Blairo se mostra distante do processo eleitoral em solo mato-grossense. Até agora, só gravou participação no horário eleitoral em apoio à candidatura ao Senado do colega do PR, deputado Wellington Fagundes. Ele tem ignorado o candidato Lúdio Cabral (PT), da base governista. Quanto à Dilma, promete montar núcleo de apoio no Estado, o que não aconteceu até agora.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Eron Cabral | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 23h57
    8
    2

    O Sr. Brairo perdeu de continuar calado, se envolveu em vários escandalos sendo agora um mais recente, quando era governador só fez asfaltos em regiões aonde tinha fazendas, como um grande Produtor era para dar exemplo e entender o que Sustentabilidade, se preocupa com os seus, por isto levou o Trofeu Moto Serra de Ouro e depois fez um teatro que estava preocupado com o Meio Ambiente, essa é a velha politica, que não vai mais ter vez no Brasil, á Nova Politica é nos que fomos e a rua e nós preocupamos com o Brasil de amanhã, infelizmente um senador não saber de certas coisas, deveria é ler maiis.

  • Lucas Faria | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 18h47
    12
    1

    O Cão de Guarda da Dilma começou a morder, esta fazendo isto pois foi intimado pela Dilma do PT, aliás o que o Blairo fez pra Mato Grosso foi implantar pedágios pra todo o lado, além de pagar caro no pedágio e mais impostos, temos que transitar por estradas esburacadas, como entre Rondonópolis e Primavera

  • Dornele$ | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 17h12
    10
    8

    Felipe Matos, você só come soja? Deixa ser tonto. Qualquer um, faz melhor que a turma do PT. Dilmax já foi!

  • antonio | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 14h18
    16
    9

    Quem é Blairo Maggi para criticar a sra Marina. O sr se vendeu ao grupo do Lula. Seu governo foi marcado pela pilatragem que corrou o estado. Vem posar de bom moço agora. Vai cuidar de seus negócios.

  • ZÉ DO BREJO | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 13h42
    15
    12

    TA COM MEDO NÉ MAGGI, MARINA VEM AI PARA ACABAR COM A FARRA DO AGRONEGÓCIO QUE SOMENTE BENEFICIA POUCOS E O POVÃO QUE SE DANE COM FALTA DE SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PUBLICA.

  • Felipe Matos | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 13h19
    13
    11

    Com Marina na presidência, coisa que duvido pq a Dilma certamente se reelegerá, a Economia de MT está ferrada. O que sustenta nossa Economia é o agronegócio e essa senhora com certeza irá tratar os produtores rurais de MT com a polícia, como ela já fez qdo foi ministra do Meio Ambiente. Aliás, se o agronegócio ir mal o Brasil tb irá mal pq são os grãos que garantem q nossa balança comercial seja positiva. Essa Marina tb está propondo colocar o pré-sal em segundo plano. Ou seja, as economias de Estados como RJ, SP e ES tb estarão ferradas, pq é do Petróleo q eles extraem a maior parte de seus orçamentos. Marina será uma tragédia nacional, caso ganhe. Que Deus nos livre!

  • Antonio | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 12h24
    9
    10

    Voce nao tem moral pra fala de ninguém. Olha pra o próprio rabo.

Eleições | 31/08/2014, 08h:50 - Atualizado: 31/08/2014, 08h:59

Candidatos se enfrentam hoje em debate; RDTV retransmite 2º confronto ao Governo


Mário Okamura

debate_tbo_ok.jpg

Candidatos ao Palácio Paiaguás terão nova oportunidade de mostrar porque desejam governar MT

Os cinco candidatos ao Governo vão se confrontar novamente em debate, neste domingo (31), a partir das 20h, pela Rede TBO, canal 8, que transmitirá ao vivo no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). O embate também será retransmitido pelo RDTV, a TV web do Grupo Rdnews. Neste caso, basta acessar o endereço www.tv.rdnews.com.br. Pedro Taques (PDT), Lúdio Cabral (PT), José Riva (PSD), José Roberto (Psol) e José Marcondes, o Muvuca (PHS) terão mais de duas horas para apresentar as propostas e ideias.

No primeiro debate realizado entre os postulantes, na última segunda (25), pelo Grupo Gazeta de Comunicação, o clima foi tenso entre Taques, Lúdio e Riva, que usou a maior parte de seu tempo para atacar o pedetista. Por isso, a tendência é que haja novos ataques e polêmicas envolvendo o encontro. De todo modo, caso houver acusações pejorativas, e for contestado pelo postulante, o mediador Onofre Ribeiro decidirá se vai conceder o direito de resposta. Caso for permitido, o candidato apontado como ofensor terá 50% do tempo cortado.

Este segundo debate será dividido em sete blocos, sendo o primeiro destinado para a apresentação de cada candidato. Todos responderão o porque desejam governar Mato Grosso. Já no segundo bloco, entidades como Fecomércio, CDL, Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri), Fórum Sindical dos Trabalhadores, Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SHRBS) farão perguntas e o mediador sorteará qual candidato responderá.

No terceiro, quarto, quinto e sexto blocos, os concorrentes ao Palácio Paiaguás farão perguntas entre si. Conforme as regras, nenhum ficará sem perguntar ou responder. No último bloco, por fim, cada candidato poderá fazer suas considerações finais, apresentando propostas e ideias de melhorias para o Estado.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • mteus | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 16h02
    4
    1

    Perda de tempo acistir este filme chaamdo debate. Eles vão repetir o que ja foi dito lá na gazeta, um falando do outro e assim por diante. Mas uma coisa e certa todos tem a solução pra saude agora na campamnha e depois a culpa é do Silval Barbosa que ja ta numa hora desta de pijama descançado.

| 31/08/2014, 00h:00 - Atualizado: 30/08/2014, 21h:35

Aplausos professora Gisely!

jackelyne_artigo_domingo

Jackelyne Pontes

Algumas histórias de dedicação, sensibilidade e porque não dizer de amor são dignas de serem contadas para que sirvam de inspiração para as pessoas. Exemplos de profissionais comprometidos com o seu oficio e que realmente entendem o verdadeiro significado de formar cidadãos nos passam desapercebido pelas vistas sem receber as merecidas glórias. A grande notícia é que desta vez não será assim, e eu, afortunada que sou, por poder colaborar com este espaço, posso dividir com muitos este achado.

A vida é mesmo cheia de surpresas e, muitas vezes, caminhos inesperados se cruzam para nos revelar valores que talvez nunca conheceríamos. Esta descoberta começa com o convite para participar de um curso de aperfeiçoamento em pacientes especiais oferecido pelo município de Cuiabá, de onde faço parte do quadro de funcionários. O curso em si já foi extremamente rico em experiências e que culminou com uma semana de estágio clínico no Centro Estadual de Odontologia para Pacientes Especiais (CEOPE). A oportunidade foi propicia para conhecer profissionais de todo o Estado. Formamos uma rede de troca de experiências e, em um desses dias, recebemos fotos de um trabalho digno de aplausos.

Arquivo

dentista_1

Trabalho artesanal realizado pela professora Gisely Correia

Foi tão emocionante, inspirador e, ao mesmo tempo, surpreendente conhecer o trabalho de alguém que sabe dar o melhor de si e que consegue, de maneira simples, com materiais reciclados e uma linguagem clara e objetiva, conscientizar seus alunos, daqueles que fazem parte do círculo familiar e de amizade destes, e de forma indireta toda a comunidade escolar das boas práticas de saúde, da importância do cuidado com o corpo e mais especificamente qual a maneira de conquistar uma saúde bucal satisfatória.

Reconhecer o seu valor profissional é o mínimo que podemos fazer neste momento. Se pensarmos em sua remuneração salarial nos indignamos em saber que é equivalente a 51% do valor médio obtido, em 2012, pelos demais profissionais com nível superior completo. Se pensarmos em suas condições de trabalho, sabemos que nem sempre é a ideal e que medidas para acelerar as mudanças nos nossos indicadores educacionais depende de esforços integrados de atores e instituições nas três esferas de governo e em toda a sociedade.

É preciso avançar na valorização e reconhecimento dos trabalhadores em educação, dar oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional aos professores e demais trabalhadores da educação. Só teremos educação de qualidade com bons professores como a professora Gisely Correia de França da Escola Municipal Moacyr Gratidiano Dorileu, localizada no Bairro Coxipó, em Cuiabá. Munida de materiais didáticos, confeccionados com materiais reciclados, ela conduz os seus alunos pelos caminhos do conhecimento. E, durante todo o ano letivo, de forma continuada, aborda temas de saúde e nos deixa emocionados e cheios de orgulho. A sua metodologia possui componentes afetivos, cognitivos e comportamentais e acaba por influenciar dentro e fora do ambiente escolar impactando de maneira positiva toa a sociedade.

Parabéns professora! Você é uma profissional valiosa e não existe obra maior que um educador possa produzir do que os benefícios futuros do seu trabalho. Nós, profissionais da odontologia a aplaudimos e torcemos para que você siga construindo a educação de forma simples e eficaz como suas criações. A nossa gratidão é eterna como o seu legado.

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista, filiada ao Sinodonto-MT (Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso) e escreve exclusivamente para este Blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Gisely França | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 21h38
    4
    0

    Atribuo toda Glória a Deus!!! A quem peço sabedoria todos os dias!! Agradeço também aos meus Gestores: Diretora: Maria Aparecida Martini, Coordenadora: Genice Figueiredo e ao Secretário: Luiz Mauro, por sempre me apoiarem em todos os Projetos desenvolvidos por mim na Escola. Agradeço ao Trabalho de Higiene bucal que sempre visita a Escola que eu trabalho e observou o nosso trabalho. Agradeço também a você DR. Cirurgiã dentista Jackelyne Pontes em desejar tornar público este trabalho e creio que a Educação precisa de mais pessoas como você, pois já presenciei e presencio muitos Projetos maravilhosos desenvolvidos por meus colegas que também poderiam ser publicados. Obrigada! Muito obrigada!!!!

Rumo às urnas | 30/08/2014, 17h:06 - Atualizado: 31/08/2014, 09h:00

Taques se encontra com presidenciável Eymael e reitera propostas para famílias


Assessoria

taques_eymael_interna.jpg

Durante encontro com presidenciável Eymael e lideranças, Pedro Taques discute políticas públicas

O candidato ao governo estadual Pedro Taques (PDT) se encontrou, na manhã deste sábado (30), com o candidato à presidência da República José Maria Eymael (PSDC), que veio a Cuiabá para campanha eleitoral. Na ocasião, Taques reafirmou seu compromisso de trabalhar por políticas públicas voltadas ao bem estar das famílias mato-grossenses.

O PSDC integra a coligação “Coragem e Atitude pra Mudar”, composta por 13 partidos, sendo PDT, PP, DEM, PSDB, PSB, PPS, PV, PTB, PSC, PSDC, PRP, PRB e PSL. Eymael aproveitou a reunião para ressaltar que a aliança em Mato Grosso não é ocasional, mas sim devido ao alinhamento de valores. Estiveram presentes o prefeito Mauro Mendes (PSB), o coordenador-geral da campanha Otaviano Pivetta (PDT), o suplente de senador Osvaldo Sobrinho (PTB) e o presidente estadual do PSDC Josmar Alderete.

Após o evento, Taques, que não acompanhou o presidencial, cumpriu agenda interna de campanha, gravando alguns programas eleitorais. Em seguida, foi ao encontro de representantes e pastores da Assembleia de Deus no Estado. Amanhã (31), o candidato terá um grande encontro com seus familiares e apoiadores, onde contará com a presença de 500 pessoas. O pedetista ainda aproveitará o dia para gravar mais programas eleitorais e se preparar para o debate promovido pela TBO Canal 8, a partir das 20h.

Campanha

Nesta semana Taques participou da sabatina promovida pela Federação das Indústrias do Estado (FIEMT). Na ocasião, afirmou ser favorável à redução da carga tributária, bem como ao custo das logísticas de produção como combustível e energia.

O candidato pelo PDT também deixou clara sua posição favorável em relação aos cortes no administrativo estadual, visando o combate a corrupção. Segundo ele, só assim será possível aumentar os incentivos fiscais e diminuir as alíquotas do ICMS, combustível, energia e das telecomunicações.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Mr Jack Warmer | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 06h16
    3
    2

    Mr Jack Warmer, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

| 30/08/2014, 15h:59 - Atualizado: 30/08/2014, 16h:01

Rogério Salles é punido e deve retirar do ar programa eleitoral envolvendo Wellington


A Justiça Eleitoral proibiu o candidato ao Senado Rogério Salles (PSDB) de continuar exibindo, em seu horário eleitoral gratuito, uma propaganda que relaciona o candidato do PR, Wellington Fagundes, ao ex-secretário Eder Moraes (PMDB), preso na Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal no combate a crimes contra o sistema financeiro e administração pública em Mato Grosso.

A decisão é da juíza Ana Cristina Mendes, onde afirma que a vinculação do nome de Wellington a Eder, de forma descontextualizada na propaganda eleitoral, tem a intenção expressa de induzir o eleitor ao erro de julgamento. Isto, para que o candidato Wellington seja prejudicado. A magistrada ainda fixou multa de R$ 5 mil em caso de a propaganda continuar sendo exibida.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • beto campos | Segunda-Feira, 01 de Setembro de 2014, 09h28
    0
    0

    Conheço o Rogério Salles. Ele não é homem dessas baixarias. É honrado e sério. Infelizmente está sendo marionete e não precisa disso. A continuar assim não será eleito. Beto Campos.

  • Mrs Farid Stephen | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 06h22
    3
    1

    Mrs Farid Stephen, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Rumo às urnas | 30/08/2014, 13h:10 - Atualizado: 31/08/2014, 17h:30

Lúdio visita municípios, faz carreata em Rondonópolis e recebe apoio do ministro


Assessoria

ludio_interna.jpg

Candidato ao Governo Lúdio Cabral ao lado do candidato ao Senado Wellington em carreata no interior

O candidato ao Governo pela Coligação “Amor à Nossa Gente”, Lúdio Cabral (PT), percorreu alguns municípios do Sul do Estado, na manhã deste sábado (30), finalizando as visitas em Rondonópolis, onde realizou uma carreata nas principais avenidas da cidade. Entre os municípios que esteve consta Dom Aquino, Jaciara, São Pedro da Cipa e Juscimeira.

Após o almoço, o candidato retorna a Capital para, a partir das 15h, cumprir agenda visitando o Congresso Estadual da Igreja Assembleia Madureira, que deve se estender até o início da noite. Neste domingo (31), além de descansar, o petista participará apenas de reuniões internas com a coordenação de campanha,  avaliando seu programa de governo e se preparando para o debate entre os candidatos realizado na TBO Canal 8, a partir das 20h, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Nesta semana, Lúdio contou com a visita e o apoio do ministro dos Transportes Paulo Passos (PR). O republicano esteve em Cuiabá ontem (28), em evento oficial para discutir os investimentos do governo federal em Mato Grosso e o incremento da logística no Estado.

O ministro é o terceiro integrante do primeiro escalão a apoiar Lúdio no Estado. Desde o início da campanha, o petista participou de atos políticos com os ministros Henrique Paim (Educação) e Ricardo Berzoini (Relações Institucionais), ambos do PT.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • janaina c. mirna | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 01h22
    5
    4

    abuso de poder politico

  • Jorge Luiz | Sábado, 30 de Agosto de 2014, 14h40
    3
    9

    Não sei se chorar para alguém de Brasília vir a Mato Grosso e dizer que apoia ele é realmente apoio; tem candidato que chora para os outros implorando apoio e depois diz que está recebendo apoio, por exemplo, esse Ludio.

executivo | 30/08/2014, 09h:51 - Atualizado: 30/08/2014, 10h:53

Silval poderá ser investigado por beneficiar renovação de contratos, avalia promotor


Reprodução

promotor_ezequiel.jpg

Promotor Ezequiel Borges diz que decreto é afrontoso

O promotor de Justiça Ezequiel Borges destacou, na tarde desta sexta (29), que o governador Silval Barbosa (PMDB) pode responder por improbidade administrativa, por não cumprir processo licitatório para contratação de empresas de transportes intermunicipais. Explica que irá solicitar ao procurador-geral da República que apure as responsabilidades do peemedebista pelo descumprimento de decisões judiciais transitadas em julgado, inclusive do Supremo Tribunal Federal.

Borges também ressalta o descumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) realizado na gestão do governo Blairo Maggi (PR). Revela que a medida a ser adotada será a retomada do processo de execução da multa. “Será analisada eventual responsabilidade patrimonial, em ação autônoma, dos agentes públicos responsáveis, por dar causa à multa atualmente devida pelo Estado”, afirma o promotor.

Borges ao avaliar a conduta do governador, lembrou que Silval, em ofício dirigido em 2011 ao presidente do Tribunal de Contas, teria descrito sua "dedicação e empenho para apresentar para a sociedade mato-grossense o melhor serviço público de transporte coletivo intermunicipal" e que estava atuando "com firmeza e afinco, objetivando, sempre, a melhoria do serviço público", o que, evidentemente, só seria possível com a implantação de um novo modelo de concessão que estava sendo consolidado na licitação.

De todo modo, o promotor assegura que o decreto  é afrontoso e lesivo ao interesse público. Destacou que o governador também oferece mimos aos empresários, e além de presentear às concessionárias com a prorrogação, permite que o próprio Estado dê garantia complementar às instituições financeiras quando as empresas de ônibus buscarem financiamentos para renovação de sua frota.

Segundo o presidente da Ager, Carlos Carlão, o novo decreto 2.499 de 20 de agosto deste ano, não terá participação ativa do órgão. Disse ainda que as recomendações feitas pelo MP serão atendidas e que nesta segunda (1º de setembro) vai encaminhar ao órgão todas as informações solicitadas.

Decreto de Silval tira autonomia da Ager; Carlão atenderá ao MP

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Pedro Elias | Sábado, 30 de Agosto de 2014, 11h33
    3
    5

    O GOV Vai responder por muita coisa ainda!!!

| 30/08/2014, 00h:00 - Atualizado: 30/08/2014, 12h:55

Setembro: o que comemorar?

Gilson_Nunes_sabado

Gilson Nunes

O ano de 2014 tem sido um tanto quanto paradigmático ante aos acontecimentos até agora ocorridos. O carnaval é uma festa popular e acontece todos os anos, mas, em seguida, veio a Copa do Mundo e um semblante de dúvidas pairava no ar quanto o seu sucesso. Nada de degradante ou decepcionante, não fosse a lavada de 7 a 1 para a Alemanha. Em seguida, todo o país levou seus holofotes para as coligações políticas e, por conseguinte, a definição de quem iria ser o candidato aos cargos de governador, senador, deputado estadual e federal. Até agora, nada de novo, tudo estava previsto e planejado. Mas não ficou só nisso.

O ano de 2014 não tem sido um ano dos melhores ou promissores para a sociedade brasileira. O Brasil perdeu um dos maiores escritores, dramaturgo e poeta, Ariano Suassuna; um dos maiores atores e crítico cinematográfico, José Wilker; o humorista Canarinho da Praça é Nossa; um dos maiores comentaristas esportivos do Brasil, Luciano do Vale; o capitão da seleção brasileira de 1956, Belline; o ator global, Paulo Goulart; um dos maiores empresários do Brasil, Antônio Ermírio de Moraes; e, na política, um dos candidatos a presidente do Brasil, Eduardo Campos, que, com a frase: “Não vamos desistir do Brasil”, ratifica a esperança de um povo em virtude de que o Brasil é viável por possuir todas as condições de qualidade de vida, basta que para isso, seja levado a sério.

Além desses, tem-se outros que a minha memória não lembra, por isso, te peço perdão caro leitor. São personagens que, de certa forma, foram responsáveis por incentivar suas gerações a construir uma nova fórmula de vida profissional, considerando cada um em sua especialidade.

Em 2014, considerando que faltam apenas quatro meses para o fim do ano, não aconteceu nada que motivasse o brasileiro a promover uma comemoração festiva e alegre, a não ser o seu aniversário. Quem ainda não comemorou o seu não teve nada a comemorar.

A fita do momento é o pleito eleitoral. A propaganda eleitoral gratuita na TV e na mídia, em geral, tem revelado que os candidatos fazem suas campanhas falando dos mesmos problemas de 10 ou 20 anos atrás, e que nunca foram resolvidos, solucionados. É como se ele, o candidato, usasse o Control “C”, Control “V”, de “planejamentos das campanhas desses anos passados, os decorassem para reutilizar na campanha desse pleito. Todos dizem a mesma frase: “eu estou preparado”.

Até o fim desse melancólico ano, ainda resta uma esperança para que o povo comemore um feito ou ocorrido que lhe traga satisfação. Se apostarmos na política, acreditamos que um bom motivo seria, por exemplo, que o candidato eleito tenha o compromisso de fazer refletir positivamente na sociedade um novo modelo de gestão que será praticado, onde os anseios da sociedade sejam colocados em primeiro lugar. Para que isso aconteça, antes da aplicação desse “novo modelo”, ao invés do candidato eleito ficar remoendo que vai dar um “choque de gestão” na saúde, na segurança e na saúde, seria interessante que ele tentasse implantar a democracia de fato e de verdade.

A princípio, fazer com que haja reciprocidade de respeito entre os representantes do povo e as entidades representativas de classe; incluindo-se aí que os governantes assumam, com humildade, o total respeito à Constituição Brasileira. Fazer com que a credibilidade das instituições seja resgatada e que o cidadão tenha orgulho de ser brasileiro não apenas pelo fato de que o Brasil possui riquezas naturais e minerais em abundância, mas pelo simples prazer de dizer que o Brasil está conquistando o direito de ser democrático. De pesadelos e decepções a sociedade está cheia. Quem sabe se até o fim do ano, os candidatos eleitos sejam o motivo de comemoração do povo brasileiro! 

Gilson Nunes é jornalista e funcionário público e escreve neste Blog todo sábado. E-mail: gnunes01@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

| 29/08/2014, 18h:07 - Atualizado: 29/08/2014, 18h:08

Decreto de governador tira autonomia da Ager; presidente atenderá pedidos do MP


Rdnews

carlos_carlao_blog.jpg

Carlos Carlão, presidente da Ager

O presidente da Ager, Carlos Carlão do Nascimento, explica que o novo decreto 2.499 de 20 de agosto de 2014, que prorroga o tempo de contratos das linhas de transportes intermunicipais para 17 anos e também estipula 25 anos para as novas linhas licitadas, não terá participação ativa do órgão.

Carlão revela que o novo decreto derruba a responsabilidade da autarquia sobre o processo licitatório. Argumenta que por recomendação do Ministério Público vai atender ao Governo apenas no artigo 7 do novo decreto. “Este decreto anula a responsabilidade da Ager no processo licitatório. Apenas iremos fazer os estudos do artigo sete”, disse em entrevista ao Rdnews.

O artigo estabelece que a Ager realize os estudos das linhas e a viabilidade econômica. O MP solicitou que a Agência não atenda a solicitação do decreto para desempenhar funções como descrito nos artigos 8, 9 e10. Recomenda que a Ager se abstenha por comportarem providências manifestamente ilegais e inconstitucionais, suscetíveis de controle prévio desta entidade pública.

O presidente afirma ainda que as recomendações serão atendidas, e destaca que na segunda (1º de setembro) irá encaminhar para o MP todas as informações solicitadas.

Postar um novo comentário

| 29/08/2014, 17h:53 - Atualizado: 29/08/2014, 17h:59

Adversários repetem ataque contra Taques


Fernando Ordakowski

charge_taques_ludio_riva_debate.jpg

Candidatos ao Governo se reencontrarão em novo debate neste domingo, na TBO Canal 10. Pedro Taques (PDT) deve duelar com Lúdio Cabral (PT) e José Riva (PSD) durante os sete blocos do embate

A exemplo do primeiro confronto onde o ringue foi na TV Record Canal 10, os candidatos a governador se reencontram neste domingo à noite, desta vez na TBO Canal 10. E o pedetista Pedro Taques, líder na corrida ao Palácio Paiaguás, deve receber de novo uma saraivada de ataques. Os concorrentes Lúdio Cabral (PT), José Riva (PSD), José Roberto (Psol) e Muvuca (PHS) perceberam que no primeiro duelo Taques não reagiu às provocações e pretendem adotar a mesma estratégia. Serão mais de duas horas de debate, dividido em sete blocos, que serviram para avaliar não só as propostas, como para ver até onde o bom humor de Taques consegue chegar.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Severino | Domingo, 31 de Agosto de 2014, 09h14
    9
    3

    Taques é o pior de todos, Falso paladino, assim como Demostenes Torres em goias. Por isso voto Riva 55.

  • Maria Luverdense | Sábado, 30 de Agosto de 2014, 23h08
    6
    1

    Se for como o primeiro debate, vai sofrer apagão e tomar nocaute no primeiro round. Não tem preparo.

  • Claudio | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 20h31
    12
    12

    Força Pedro Taques, o povo está com vc, não revida as provocações, estão provocando porque são perdedores.

  • joaoderondonopolis | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 20h00
    12
    12

    Taques é o bom, ganha no primeiro turno, mas também duelar com candidatos rejeitado pela justiça e rejeitados pela a população. Vamos Taques colocar 500.000 votos a mais que a soma dos dois.

Governo | 29/08/2014, 17h:23 - Atualizado: 30/08/2014, 09h:53

MP aciona Estado e quer revogação de decreto que renova contratos por 17 anos


Reprodução

onibus_licitacao_intermunicipal.jpg

MP revoga decreto que prorroga para mais 17 anos contrato de renovação das empresas de transporte intermunicipal. Recomenda que a Ager tome providências imediatas para revogação

O Ministério Público quer revogar o decreto 2.499 de 20 de agosto de 2014, que prorroga para mais 17 anos o contrato de renovação das empresas de transportes intermunicipais, e para 25 anos às empresas que devem enfrentar o processo licitatório. Além disso, esclarece que o decreto é inconstitucional e afronta decisões jurisdicionais, uma vez transitadas em julgado, inclusive do Supremo Tribunal Federal. O MP solicita que a Ager adote providências, não permitindo que a decisão tenha efeito.

Isso porque o decreto 1.019/2012, do governador Silval Barbosa (PMDB), tinha autorizado a licitação para contratação de novas empresas. Na época foi realizada a concorrência pública 01/2012 e 01/2013, que logo foi contestada por municípios do Araguaia devido à ausência de audiência pública e, por isso, alegaram que tinham desrespeitado a legislação.

De todo modo, a Concorrência foi engavetada. Quase três anos depois o governador derrubou o decreto de licitação e editou uma nova determinação, favorecendo as empresas que há anos comandam o ramo de transportes no Estado e que terão seus contratos renovados automaticamente até 31 de dezembro de 2031. Neste caso, 17 anos. Já os contratos de concessão terão o prazo de 25 anos, contados a partir da data de publicação no Diário Oficial do Estado.

Neste sentido, o MP recomendou que a Ager tomasse providências imediatas para revogação deste decreto. Ressalta que a invalidação das etapas já realizadas em relação à concorrência pública é um ato abusivo, ilegal e inconstitucional. Além de pedir o esclarecimento se na época havia alguma decisão judicial ou ato administrativo impedindo a continuidade da concorrência pública 01/2013.

Também pede para que seja informado as empresas classificadas e o montante total desembolsado para realização dos estudos que levaram à elaboração do Plano de Outorga aprovado, destacando ainda, com comprovação técnica adequada, se esse material é suficiente para atender à reestruturação do sistema conforme previsto no decreto 2.499/2014.

Empresas sucateadas

Vinte empresas de seis grupos comandam as linhas de transportes intermunicipais em Mato Grosso. A maior parte atua antes mesmo da lei das licitações, que iniciou em 1988. E são consideradas “sucatas” pelo tempo de uso. Desde então, empresas e deputados fazem pressão para que estas continuem a ter contrato com o Governo. O processo licitatório que iria ocorrer em 2012 e foi engavetado, tem como umas das exigências em seu edital que a empresa não tenha inadimplência, considerado um dos temores das empresas que estão atoladas em dívidas milionárias.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Zé Poxoréo | Sábado, 30 de Agosto de 2014, 08h29
    4
    5

    Estranho hein! Embora a maioria das medidas tomadas por esse governo soe desconfiança, mas é bastante estranho dar esse presentão para as empresas de ônibus justo em fim de mandato e em época de eleições.

  • José da Rocha Filho | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 19h42
    3
    7

    Fala mais forte as contribuição para campanhas e a força dos deputados ligados à empresas de ônibus

  • analine | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 18h08
    10
    3

    Só em MT que essas coisas acontecem. Queria que o governador Silval e a PGE que deve ter feito o decreto, pegasse um ônibus de Cuiabá até Juína ou até Pontes e Lacerda pra saber com que condições o povo é transportado. Vai Silval, eu te dou a passagem

Presidenciável | 29/08/2014, 08h:51 - Atualizado: 29/08/2014, 17h:33

Nós produtores vamos receber Marina sem preconceito e com respeito, garante Fávaro


Reprodução

marina_silva

Marina Silva será recebida pelo setor produtivo de MT para apresentar proposta

O candidato a vice-governador da chapa de Pedro Taques (PDT), o produtor rural Carlos Fávaro (PP), já sinaliza simpatia à candidatura da presidenciável Marina Silva (PSB). Durante viagem realizada nesta quinta (28) pela região oeste do estado, Fávaro afirma que os produtores devem ouvir as propostas da socialista.

O progressista lembra que Marina vem com histórico bom nas últimas eleições presidenciáveis e tem uma boa quantidade de votos já estabelecida, conquistando cada vez mais o público urbano.

Sobre o apoio dos produtores, Fávaro acredita que a resistência do passado pode ser quebrada caso a candidata consiga mostrar seu planejamento e compromisso de forma clara com o setor. Também reforça que o agronegócio é a “mola propulsora” da economia brasileira e não pode ficar refém de políticas idealistas e ideológicas. 

O produtor rural garante que ela tem que mudar sua postura, já que, antes, apresentava posicionamento ideológico na votação do novo Código Florestal, que na época foi bem preocupante para o setor. “Eu tenho certeza que todo setor gostaria de ouvir as propostas dela como presidente da República. Seu posicionamento claro e objetivo é importante”, ressalta.

Postar um novo comentário

Comentários (15)

  • Felipe Matos | Sábado, 30 de Agosto de 2014, 21h01
    7
    1

    Ok o Brasil ficou o primeiro e o segundo semestre em recessão técnica, mas os dados antecedentes apontam que nos dois últimos trimestres haverá crescimento e portanto o PIB de 2014 será positivo. Mas o mais importante de tudo isso, apesar da Mais Grave Crise Econômica da história do mundo desde 1929, o Brasil quebrou? Estamos com desemprego recorde? Os salários foram arrochados? Aboliram os concursos públicos? O governo aumentou impostos? Retirou o crédito pra compra de carro, casa, eletrodoméstico? Cortou programas educacionais com o ProUni? etc. A resposta é: pela primeira vez na história do Brasil isso não aconteceu. Enfrentamos a crise sem sacrificar o povo. Portanto o meu voto é na Dilma pq as medidas econômicas que Marina e Aécio estão propondo já foram aplicadas no governo FHC e nós sabemos a desgraça que foi.

  • Rafael | Sábado, 30 de Agosto de 2014, 10h04
    5
    3

    A ingratidão desse setor e uma coisa de outro mundo,quando no período do PSDB as rodovias do Estado fechadas com protesto dos produtores falidos,veio o governo lula começou a mudar a se valorizados de sua importância na economia brasileira veio governo Dilma continua a da sua contribuição para que setor continue crescendo ,rodovias sendo duplicadas,ferrovias sendo construídas liberação de empréstimos com juros baixo para os produtores, ainda assim as coisas não tão boas para setor, tenha certeza que com Marina pode ficar ainda pior. E outra muitas coisa nesse Pais vem mudando pela postura de Nossa Presidente não aceita negocia interesses que não seja o povo brasileiro. Pensem bem Marina já provou do que e capaz quando foi Ministra e outra ela e ambientalista .

  • AFONSO | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 22h39
    9
    2

    SEM PRECONCEITO COM TODA CERTEZA... AGORA RESPEITO, É ALGO QUE SE CONQUISTA QUANDO SE TEM COM SEUS PARES, COISA QUE ESSA ¨SENHORA¨ NÃO TEVE COM A POPULAÇÃO SOFRIDA, HERÓICA E DESBRAVADORA DO NORTÃO DO ESTADO... QUANDO ENTÃO MINISTRA DO MEIO AMBIENTE, ATERRORIZOU TODA A REGIÃO COM FALSOS CONCEITOS QUE HOJE ELA NEGA EM REDE NACIONAL... MUITO FACIL, CANETAR E MANDAR DENTRO DE UM GABINETE, ENQUANTO O POVÃO SE ARREBENTA PRA GANHAR O PÃO DE CADA DIA... MAIS FALSA QUE NOTA DE 3 REAIS... TO FÓRA...

  • Marcelo | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 16h20
    7
    5

    Temos que ouvir as propostas de todos os candidatos, principalmente os novos que estão entrando, porque a do PT nós já sabemos, o País em recessão financeira, sem crescimento, temos que buscar novos rumos para a economia do País, e isso só vai ocorrer se mudarmos os Partidos que governam nosso País. Não queremos dar continuidade nisso que está ai. Fora PT.

  • JOSÉ DOS SANTOS | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 15h42
    7
    4

    CONCORDO COM O COMENTÁRIO DO MOREIRA EM GÊNERO NÚMERO E GRAU

  • Maciel | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 15h35
    8
    4

    Mato Grosso vai expor as contradições dessa senhora que em cada lugar que vai, fala o que o povo quer ouvir. Quero ouvir o seu discurso anti agronegócios, quero ver se ela tem a coragem de repetir o que tem falado publicamente em suas propagandas e entrevistas.

  • Moreira | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 15h19
    8
    8

    As pessoas tem uma ideia muito distorcida da Marina, principalmente as do interior e do agronegócio. Algumas taxam-na de extremista, mas na verdade, quem se chega ao extremo, são os produtores que nem o diálogo aceitam com a presidenciável. Marina é apenas uma defensora de um país onde se produza, ao máximo, gerando o mínimo de impactos ao ambiente, e isso, ao meu ver, vai de encontro com que todos nós, cidadãos de bem, queremos de um governo razoavelmente comprometido com as gerações futuras e com a qualidade de vida.

  • Beneditta | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 14h44
    7
    3

    palavras de Prado em um jornal de circulação diária com o nome da capital: "Prado acredita que o crescimento de Marina deva-se ao momento de comoção que o país vive com a morte de Eduardo Campos, mas analisa o cenário como temerário devido aos posicionamentos dela no passado com viés ideológico. “Não é com radicalismos que se governa um país plural como o Brasil. A classe do agronegócio teme pelo radicalismo, principalmente pelas questões ambientais. Não voto na Marina e recomendo não votar”, afirmou Se ela ganhar as eleições vão todos dizer que ela será a esperança do agronegócio,

  • Clauberto Franco | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 14h25
    5
    7

    nós mato-grossense temos que estar aberto para dialogo com todos candidatos a presidente, mas devemos preocupar primeiro com nosso Estado Mato Grosso, para isso vamos de Taques no12, pra mudar.

  • Anastácio Dias | Sexta-Feira, 29 de Agosto de 2014, 13h01
    8
    3

    Com todo respeito Carlos, produtor tem dinheiro de sobra mas votos são pouquíssimos, considerando o artigo que seu colega de aprosoja escreveu há alguns dias denegrindo a imagem da presidenciável já mostra a cordialidade com a qual ela será recebida em seu meio.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 708