Blog do Romilson

| 30/09/2016, 07h:28 - Atualizado: 30/09/2016, 07h:40

Vaza, Taques!

ceara artigo sexta 400 padrao

Antonio Cavalcante

Eu confesso a vocês que tenho pela democracia o respeito que se deve ter a uma criança impúbere, que merece toda a atenção e carinho, sob pena de não prosperar e ter uma fase adulta problemática. Uma analogia simples, mas que evidencia que a nossa jovem democracia é algo em movimento, e que devemos todos dedicarmos nossos esforços para que ela seja melhorada e aperfeiçoada dia a dia. Creio que a democracia seja o mais comum dos bens comuns, duramente conquistado pela humanidade.

Num momento como esse, quando a bandeira das privatizações do “Deus Mercado” se apropria de tudo, não apenas da máquina do Estado, do suor e sangue dos trabalhadores, mas até mesmo da democracia, a gente fica se perguntando: o que adiantou tantas lutas pela vida, pela liberdade, pela justiça, pelo bem comum? De que valeram tantos sacrifícios, se o que vem triunfando até agora são os interesses do “Deus” Dinheiro”, com suas Bolsas de Valores, seus Paraísos Fiscais e suas mídias mercenárias e golpistas? Bendito seja quem nesses momentos de desânimo cultivar a esperança e prosseguir lutando.

É por essa razão que, mesmo após o golpe branco das elites sanguessugas do Brasil, contrariadas nos seus mesquinhos interesses econômicos pelo projeto político da presidenta Dilma, (que seria o de servir aos interesses coletivos, promover o bem comum), que ainda insisto em votar, desde que os partidos apresentem propostas e candidatos que eu possa confiar. Nesta eleição municipal, sinto a inadiável necessidade de uma renovação geral, de não se reeleger ninguém, muito menos ainda votar nos candidatos dos partidos golpistas.

E vou dizer mais: tive enormes decepções com o voto que dediquei na eleição de 2014, porque uma coisa é você depositar a confiança em alguém que representa os valores tradicionais da política. Outra bem diferente é apostar em quem se apresenta como “o novo” e promete dar um trato diferente à gestão pública e à democracia, mas eleito, faz exatamente o contrário.

Quando aquelas promessas de campanha do atual governador foram rompidas, senti que fui roubado duplamente: no voto dado por confiança, e na minha esperança de um país melhor, de uma cidade mais acolhedora, de um Estado para o povo! Com isso, é natural que qualquer cidadão passe a ter medo de votar de novo. Ter a Esperança roubada como num assalto, me parece um crime tão grave quanto o de lesa-pátria, pois destrói o sonho das pessoas, nocauteando violentamente as suas crenças de cidadania, e isso, não pode ficar impune.

Digo isso porque o senhor José Pedro Taques foi para mim a maior decepção política que vivi nesses longos 60 anos de vida, dos quais, mais de quarenta envolvido nas lutas dos movimentos sociais, tendo nesse período, passado por diversas experiências, entre elas a da violência que nos foi imposta pelo golpe civil militar de 1964.

A gestão de Pedro Taques também é violenta!

O senhor Taques veio para o governo estadual depois de abandonar um mandato no Senado, e isso já não era um bom sinal, pois se revelava como mais um político carreirista, do tipo que mal acaba uma eleição e já pensa na próxima, e em nada se diferencia das “velhas raposas” que já estávamos cansados de tolerar. Se esqueceu bem rápido de que a eleição gera um mandato sagrado, o povo dá o poder, e concede essa graça mediante uma esperança que não pode ser quebrada (muito menos por golpes).

De cara instala no governo um grupo de secretários que atendem aos interesses dos ricos e rompem o “contrato” com o eleitor, de fazer uma gestão voltada para os vulneráveis, inclusive os municípios menores. Isso nos primeiros dias de 2015. Se recusa a taxar a riqueza de grandes latifundiários e multinacionais do agronegócio, comprometendo assim, a saúde financeira daquela maioria absoluta dos municípios de Mato Grosso e das justas reivindicações dos servidores públicos, refletindo negativamente na saúde, na educação, enfim, na qualidade de vida da população.

Quando o governo rompe com o compromisso de pagar o reajuste anual aos servidores, que se referem às perdas inflacionárias do último ano, um hábito que ocorria desde sempre, põe em cheque a vida e bem-estar da família de mais de 100 mil servidores estaduais. E isso tem reflexo inclusive no comércio local, que é destinatário dos gastos dessas pessoas, afinal, servidor público não tem contas correntes em paraísos fiscais e nem investe seus ganhos no estrangeiro.

Pensei que não havia mais notícia ruim do Governo Taques.

Mas começam a aparecer os escândalos de corrupção, que se sucedem em alta velocidade, há gente de enorme confiança do governo, que ocupou cargos relevantes na captação de recursos para a campanha eleitoral, e depois nomeado na gestão pública, que está vendo o “sol nascer quadrado”. E as notícias é de que coisas piores virão à tona, inclusive quando se desvelar quem (e de que modo) pagou a “festa da posse”.

Dá a impressão que o governo ético já deixou de existir.

Até já ouvi um zum-zum-zum de que os recursos financeiros para funcionar o Poder Judiciário e o Ministério Público também começam a atrasar, mas isso significa que as investigações e os processos contra a corrupção poderão ser afetadas? O futuro responderá.

Fato é que neste mês de setembro de 2016 os servidores públicos recebem mais uma notícia ruim, decorrente do déficit de competência desse governo: os salários vão atrasar. Primeiro para uns, depois para outros, e o futuro não é nada promissor.

O governo comete “pedaladas” fiscais quando atrasa recursos constitucionais para outros Poderes; quando atrasa salário de servidores; quando “cria” um programa para ajudar seus amigos nas eleições. É o caso da “Caravana da Transformação”, que fez campanha eleitoral aos candidatos do médio norte e do nortão do Estado. A tal “Caravana” não é um programa de governo que conste da LDO e nem da Lei Orçamentária. Se buscarmos a origem, notamos que é um gasto absurdo, feito apenas para alavancar candidaturas, isso porque funciona em período vedado pela ceguíssima Justiça Eleitoral.

A “cereja do bolo” foi o pagamento de quase meio milhão de reais feito ao candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, senhor João Doria (também conhecido como João Dólar). Não se sabe que tipo de serviço ele prestou ao Estado de Mato Grosso para ter o direito de receber uma quantia milionária, justo quando temos tantas carências.

Há motivos de sobra para o impeachment do governador, pois cometeu crime de responsabilidade mais de uma vez. Não foi ele o primeiro governador que orgulhosamente “peregrinava” pelo país a fora defendendo um golpe contra a democracia apelidado de “impeachment”? Para ele, Dilma que não cometeu nenhum crime de responsabilidade nem sequer foi citada nas investigações de corrupção ou nas delações premiadas, teria que ser cassada de qualquer jeito, se não fosse pelas “pedaladas” teria que ser pelo “conjunto da obra”. E para concluir, enriquecendo ainda mais as obras e o legado do  senhor José Pedro Taques, ele deve enfrentar mais uma greve geral, senão várias, decorrente da sua arrogância e incompetência.

E a palavra de ordem será “Vaza, Taques”!

Antonio Cavalcante Filho, cidadão, escreve às sextas feiras neste Blog. E-mail: antoniocavalcantefilho@outlook.com

Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • Flavio Muller | Sábado, 01 de Outubro de 2016, 19h41
    2
    3

    Quando vejo uma matéria como essa que trata o agronegocio como algo maligno, fica escancarado que foi escrita por um hipócrita que esqueçeu que garças ao produtor rural o Estado se mantêm e ele come carne, arroz, feijão, toma cerveja ...

  • Ruth | Sábado, 01 de Outubro de 2016, 08h57
    3
    2

    O que não se sabe é que muitos conspiraram contra o governo da Dilma. Não digo que tenha sido um bom governo, ou que a Dilma tenha sido competente para governar o país, apenas digo que existem forças ocultas aos nossos olhos, porém visível à percepção dos mais instruídos, que lutam para dominar o país e nos controlar em benefício dos grandes empresários. O sr. Pedro Taques nos decepciona quando deixa de cumprir as leis alegando não ter dinheiro em caixa. Nunca vi governador mais "chorão" que esse, que joga a culpa apenas na gestão passada. Estamos precisando de solução governador...ao que parece, o que mais interessa ao sr. é se perpetuar no poder a qualquer custo. Pena que ao eleitor/cidadão desavisado o sr. possa parecer o salvador do Estado, digo uma coisa, e apenas uma: grandes decepções virão com a sua turma no poder.

  • Jorge | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 16h46
    4
    0

    Jorge, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • AMA | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 14h30
    8
    1

    Um erro não justifica outro, e acho que a população não pode defender os erros do Pedro Taques só por raiva da Dilma, será que por ter defendido o impedimento da Dilma o governador pode cometer desmandos pelo estado afora, afrontando os próprios poderes, principalmente a Justiça Eleitoral e as autoridades não fazem nada, será que estão compactuando com mal-feitos, é triste isso para a democracia.

  • Alexandre | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 11h54
    10
    7

    O nobre dono da matéria ,pelo escrito ,defende a Sra Dilma ,ou seja , Pasadena/Palocci,r encontrado por Dilma. Se Silval Alcapone desviou tudo que a imprensa e os autos dizem,,,,Taques tem e terá dificuldades pra honrar compromissos...E eu não votei em Taques.

  • Dener Além | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 11h19
    10
    9

    Esperar o que de um cidadão que defende Lula e Dilma???

  • Ademir | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 11h14
    9
    8

    É Mussarela Cearense acabou a mamata, aprenda a trabalhar, a ser diferente dos seus amigos chupa cabras, dos sanguesugas, dos que vivem de corrupção, de vida boa, de greve, de fazer passeatas em dias úteis de trabalho, porque não trabalham, e são o atraso do Brasil, mas acabou, esperneie, chore, vá no Pronatec achar um curso como a Dilma disse, do seu partido!!!

  • Edson | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 09h37
    12
    9

    O nobre cidadão esta parecendo papagaio de pirada, Golpe, ra, loro, Golpe!

  • Carlos Nunes | Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016, 09h29
    12
    12

    Também agora tá tudo explicado...Taques pegou um governo, onde um ex-governador devia dinheiro até pra Agiota, 45 milhões; e para pagar a dívida começou a meter a mão no dinheiro de tudo quanto é jeito. Se a gente deve um pouquinho pra alguém já fica preocupado; quanto mais se devesse 45 milhões. Vote! Agora o Brasil todo está nessa bagaça danada porque PT, Dilma, arregaçaram a Economia Brasileira, causando o desemprego de 12 milhões de brasileiros...os telejornais informaram que, nos últimos 12 meses mais de 1 Milhão e Seiscentos mil trabalhadores perderam o emprego, E isso vai piorar em 2017, pois ainda não inventaram um passe de mágica para fazer dinheiro aparecer - quem não tem dinheiro, vai continuar sem dinheiro; e o caixa dos governos federal, estadual, municipal, vão continuar vazios; e o bolso do povo vazio e endividado. Outro dia um aposentado chorava as mágoas, dizia que ganhava até bem, mas foi inventar de fazer empréstimo consignado em seu nome, mas para um filho, um neto e um sobrinho, e todos eles estão desempregados, e não podem pagar a conta, mas o dinheiro vem descontado de sua aposentadoria todo mês, então ele recebe uma miséria, pois o empréstimo foi de 5 anos. A última bomba divulgada na internet, é que o TCU está recomendando que todos os bens da Dilma sejam confiscados, por causa dos prejuízos com a refinaria de Pasadena. Todos os responsáveis deverão cobrir os prejuízos.

É contra | 23/08/2017, 08h:58 - Atualizado: 05h atrás

Após sondagem, Lucimar afirma que é hora de Jayme voltar para casa e não disputar nova eleição


Se depender da prefeita de Várzea Grande Lucimar Campos (DEM) o marido e ex-senador Jayme Campos não disputa a eleição do ano que vem. “Terminando o mandato (de prefeita) temos que ir para casa se Deus quiser”, disse Lucimar à imprensa durante a entrega dos cartões do programa Pró-Família, na Escola Adalgisa Barros, em Várzea Grande.

Apesar de não exercer cargo eletivo desde 2014, o secretário municipal de Assuntos Estratégicos deve desempenhar papel importante na viabilização da reeleição do governador Pedro Taques (PSDB). Em conversas com aliados, Jayme chegou a ser sondado sobre a possibilidade de aceitar o cargo de vice na chapa que será construída para 2018.

Gilberto Leite

lucimar campos_ pedro taques

Lucimar Campos elogia a atuação de Pedro Taques e garante que nele se pode confiar

Lucimar, por sua vez, se mostra contrária, mas faz questão de elogiar o Governo Taques. Para ela, o tucano vai mudar a saúde e fazer transformação na educação. “Mato Grosso não é fácil por causa da extensão territorial. Ele (Taques) está sofrendo na finança, mas é um homem em que podemos confiar”, sustenta.

O governador, por sua vez, desconversou sobre a sondagem. Mas, ressalta que o governo e o município estão juntos em várias obras, como a duplicação da avenida Filinto Muller e na reforma do Ginásio Fiotão. “Jayme Campos é um grande aliado nosso”, pontuou o tucano.

Jayme, por sua vez, se mostra animado em encarar as urnas no ano que vem. Uma das opções seria o Senado ou até mesmo o Executivo. Ele foi governador no início da década de 90 e não descarta totalmente a possibilidade de encarar a vice. 

O democrata pondera, entretanto, que ainda é prematura a discussão sobre as eleições. Aconselhou Taques a se entender com o vice Carlos Fávaro (PSD) com quem está com as relações estremecidas e citou Mauro Mendes e Fabio Garcia como boas alternativas do DEM para a chapa majoritária. Ambos devem se filiar na legenda.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Alice Rodrigues | Quarta-Feira, 23 de Agosto de 2017, 14h50
    0
    2

    Essa é a nossa grande prefeita de Várzea Grande. Sempre sincera, mas d Lucimar Mato Grosso precisa de Jaime para governador.

  • advair | Quarta-Feira, 23 de Agosto de 2017, 12h59
    0
    1

    esse discurso alem de antigo é ultrapassado, ta duvidando aguarde...ela no palanque pedindo voto!

| 23/08/2017, 00h:00 - Atualizado: 23/08/2017, 00h:02

A preservação da vida sob dois aspectos


ana lacerda colunista quarta

Ana Lacerda

A vida há de ser preservada sob dois grandes aspectos. O primeiro: diz respeito à preservação dos recursos naturais e ao meio ambiente sem descurar o desenvolvimento sustentável. O segundo: proteger a garantia alimentar, que é o verdadeiro suporte da dignidade da pessoa, responsabilidade do Governo, para que haja a harmonia social por uma sólida condição de vida da população brasileira.

Estes dois grandes e fundamentais direitos são de igual importância na valoração da vida, ou seja, sem meio ambiente e recursos naturais não se vive, como também, sem a garantia alimentar muito menos. Então para proteger um, não podemos aniquilar o outro.

Sabe-se que a defesa do meio ambiente é necessária como condição de vida e desenvolvimento sustentável para uma sadia qualidade de vida, mas não se pode transformar essa proteção em veículo de abusos e humilhações, sacrificando de forma violenta e arbitrária a população rural, sem critérios de justiça e sem limites por partes dos agentes públicos, que, de uma forma geral, vivem a época da síndrome da proteção ambiental.

Transformar os proprietários em vilões dos direitos difusos e passar a tratá-los como marginais, punindo-os de forma arbitrária

Transformar os proprietários em vilões dos direitos difusos e passar a tratá-los como marginais, punindo-os de forma arbitrária, com a imposição de multas milionárias, absolutamente fora da capacidade contributiva do contribuinte e com caráter de confisco de bens, isto fere os princípios da dignidade humana.

Por fim, recente estudo da Embrapa avaliou pela primeira vez o alcance territorial da legislação ambiental em todo o país. E concluiu que o conjunto de todas as áreas protegidas levou a uma restrição legal de uso das terras sobre mais de 93% do bioma Amazônia, colocando na ilegalidade grande parte das atividades econômicas regionais, caracterizando, assim, enorme penalidade ao sistema produtivo frente ao atual sistema de proteção ambiental.

Ana Lacerda é advogada do escritório Advocacia Lacerda e passa a escrever exclusivamente neste espaço às quartas-feiras. E-mail: analacerda@advocacialacerda.com

Postar um novo comentário

| 22/08/2017, 17h:27 - Atualizado: 22/08/2017, 17h:37

Medeiros deixa PSD e assina filiação no Podemos


Assessoria

jose-medeiros-assina-ficha-de-filiac3a7c3a3o-do-podemos.jpg

 Senador José Medeiros assina ficha de filiação na sala de  Álvaro Dias

Sem espaço para construir sua candidatura à reeleição, o senador José Medeiros deixou o PSD e se filiou ao Podemos a convite do colega Álvaros Dias, que é pré-candidato a presidente pelo partido. A filiação foi realizada na tarde desta terça (22), em Brasília (DF). O já havia adiantado ontem a migração de Medeiros.

Em nota, Medeiros, que chegou a conversar com outras siglas, reafirma seu compromisso com o Estado e o país e garante que os seus princípios continuam os mesmos. Esta é a segunda mudança partidária do senador desde que assumiu a cadeira no Senado, em 2014, quando o governador Pedro Taques (PSDB) foi eleito, tendo sido 1º suplente na chapa pelo PPS.

“Os princípios continuam os mesmos, mas estou pronto para viver novas histórias. São vinte anos de militância política, e chegou a hora de mudar! Essa transição está acontecendo gradativamente”, afirma.

O senador Álvaro Dias disse que Medeiros é uma grata surpresa no Senado. O mato-grossense ganhou destaque graças aos seu posicionamento duro em relação ao PT e a gestão da presidente impeachmada Dilma Rousseff. E, por outro lado, defensor ferrenho de Michel Temer (PMDB), vice da petista e que passou a comandar o país. “É um homem ético, com senso de responsabilidade e muita vontade de trabalhar em favor do sofrido povo brasileiro. Mato Grosso tem um excelente senador que o representa”, declara. 

A presidente nacional do Podemos, deputada Renata Abreu, afirmou que o senador representa o novo na política. “Medeiros trabalha dia e noite para honrar Mato Grosso. Por tudo o que representa para o Brasil e para o Estado, no Podemos, ele poderá ser julgado pelos mato-grossenses e, se Deus quiser, continuar sua trajetória de lutas por dias melhores”, pontua.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Paulo Lima | Quarta-Feira, 23 de Agosto de 2017, 13h28
    0
    0

    Paulo Lima, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • evaldo | Quarta-Feira, 23 de Agosto de 2017, 09h40
    0
    0

    Quer ser suplente de blairo maggi ou mauro mendes.

  • Lourenço Cruz | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 19h34
    1
    0

    Foi o que lhe restou antes da volta pra casa.

| 22/08/2017, 09h:40 - Atualizado: 22/08/2017, 09h:55

A tirania da alegria digital


maria augusta artigo 400

Maria Augusta

A sociedade moderna está conectada o tempo todo. Porém, estudos sugerem que isso não é saudável. Crianças e jovens que interagem nas redes sociais pelo menos uma hora por dia estão mais propensos a serem pessoas cada vez mais infelizes. Por que?

Já reparou como todo mundo é sarado, feliz e rico no Instagram? Ou publica apenas conteúdo bacana no Facebook? E quem dirá os mega currículos no Linkedin?

Por mais que a gente negue, as redes sociais criam bolhas em torno de nós que expõe apenas o que desejamos interagir, e isso nos desconecta da realidade.

Segundo um estudo feito pela Universidade de Sheffield nos U.S.A. e apresentado na conferência anual da sociedade Royal de economia este ano, crianças e jovens que passam mais de uma hora por dia em qualquer rede social têm 14% de chances de serem infelizes.

A ideia de se comparar o tempo todo é prejudicial para um adulto. Agora, imagine uma criança de 11 anos? Nunca se viu tanta cirurgia plástica, Botox e tratamentos direcionados para adolescentes em razão de se ter peles perfeitas como a de perfis no Instagram.

Cada vez mais meninas aceitam menos o corpo que têm, pois ficam idealizando um corpo via fotos com filtros, correções e photoshop

Cada vez mais meninas aceitam menos o corpo que têm, pois ficam idealizando um corpo via fotos com filtros, correções e photoshop, publicadas em perfis muitas vezes de pessoas que trabalham com o físico e a dieta extrema.

Além disso o estudo comprovou que, ao se aceitar menos a realidade, crianças e jovens estão sujeitos ao cyberbullyng com mais frequência, unicamente porque não conseguem bloquear os perfis de quem os agride.

Principalmente as plataformas de fotos e vídeos como Instagram, Snapchat e o cotidiano Whatsapp publicam sempre fotos de pessoas lindas, felizes e bem sucedidas.

A comparação com perfis irreais do cotidiano vivido por uma criança ou jovem é capaz de desencadear comportamentos de insatisfação para a vida toda, onde sempre irão se comparar a algo distorcido da realidade que vivem.

Outro fator prejudicial é que esta comparação será feita em seus relacionamentos, com sua equipe de trabalho, e impactará em líderes futuros super motivados e bem sucedidos, mas que jamais serão capazes de reconhecer suas fraquezas, recompensar sua equipe, e nem estabelecer afeto.

A obrigação de ser positivo o tempo todo nas redes sociais talvez não cause impacto nas pessoas com valores morais bem estruturados e amparados pela família bacana que têm. Mas, em crianças e jovens, onde isso não está totalmente desenvolvido, pode proporcionar uma vida pautada nas experiências alheias, sentimentos depressivos e infelicidade o tempo todo.

Isso não significa que as redes sociais são responsáveis por criar pessoas deprimidas. Porque qualquer diagnostico psíquico é tarefa para um médico. Mas a ideia de que a tecnologia é responsável pela criação de seus filhos está começando a ter a resposta que todos não queriam. Sim, ela pode ser prejudicial para seu filho se você não educa-lo a usar a internet de forma consciente.

Dizem que, entre o estímulo e a resposta há um espaço para a nossa escolha. É ela que será capaz de determinar nosso crescimento e nossa liberdade. Afinal, a habilidade que nos torna resilientes é pensar como vamos encarar uma queda ou rejeição, e assim nos preparar para ultrapassar outros desafios impostos pela vida.

Tenho um amigo que a cada conversa sobre estudos de impacto do digital em nosso comportamentos diz: “Amiga, lá vem você assustar a gente de novo”. Mas, a ideia serve de alerta, sim: se pais, educadores e nós como sociedade não começarmos a aceitar a responsabilidade pela nossa atividade online iremos sempre culpar a tecnologia pelos resultados desastrosos dessas nossas escolhas.

A tirania da felicidade digital é o resultado do nosso comportamento nas redes sociais, barrando assim o desenvolvimento da sociedade em desenvolver crianças e jovens preparados para lidar com a rejeição ou com os problemas do cotidiano, e assim deixamos de preparar pessoas emocionalmente fortes para a sua vida que pode ser humilde, mas que pode ser feliz e fazer todo o sentido.

Os filmes “Hector à procura da felicidade” e “Já estou com saudades” relatam bem como pessoas conseguiram encontrar momentos felizes em suas jornadas de vida nem sempre tão bacanas assim, mas cheias de propósito, em vez de ficar o tempo todo reclamando nas redes sociais, sentido desgosto de si mesmos em chats, ou infelizes a vida inteira.

Aos pais e educadores o alerta é em código vermelho, se me entendem... É melhor começar a estabelecer experiências em conjunto com seus filhos e alunos para proporcionar conexão, inovação e troca de experiências, tanto no real quanto no digital, pois o equilíbrio nunca é demais. Menos teclar e mais conversa cara a cara.

Maria Augusta Ribeiro é profissional da informação, especialista em Netnografia e Comportamento Digital - belicosa.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • loan | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 14h25
    0
    0

    loan, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Nos bastidores | 22/08/2017, 08h:29 - Atualizado: 22/08/2017, 09h:57

Interlocutores sondam se ex-senador aceita ser vice de Taques; democrata aconselha ouvir o povo


Apesar de não exercer cargo eletivo desde 2014, o ex-senador Jayme Campos (DEM) deve desempenhar papel importante na viabilização da reeleição do governador Pedro Taques (PSDB). Tanto que chegou a ser sondado por interlocutores do tucano sobre a possibilidade de aceitar o cargo de vice na chapa que será construída para 2018.

Um deles foi o presidente da Assembleia Eduardo Botelho (PSB). Amigo íntimo de Jayme, o parlamentar prepara sua migração para o DEM, juntamente com quadros do PSB como os deputados federais Fabio Garcia, Adilton Sachetti e o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, por divergências com a direção nacional do PSB.

jaymecampos_pedrotaques

Jayme Campos é "sondado"  para ser vice em chapa de Pedro Taques

Jayme, que foi governador no início da década de 90, não descartou totalmente a possibilidade de encarar a disputa a vice. O democrata também é lembrado para concorrer ao Senado ou até mesmo para voltar ao Palácio Paiaguás.

No entanto, Jayme afirmou que ainda é prematura a discussão sobre as eleições. Aconselhou Taques a se entender com o vice Carlos Fávaro (PSD) com quem está com as relações estremecidas e citou Mauro e Fabio como boas alternativas do DEM para a chapa majoritária.

Sempre lembrado para sucessão de Taques, Mauro já descartou concorrer ao Governo do Estado. Toparia enfrentar a disputa ao Senado se conseguir contornar a crise financeira que afeta suas empresas até o período eleitoral. Já Fabio sequer comenta a possibilidade de ser candidato majoritário.

A sondagem foi a continuidade da conversa que tiveram na última terça (15), na residência de Jayme, no bairro Água Limpa, em Várzea Grande. Taques, Botelho e outros dirigentes do grupo político foram até o democrata para ouvir suas opiniões acerca do cenário para as eleições do ano que vem.

Taques ouviu de Jayme que mais do que consultar os partidos aliados e seus pretensos candidatos, precisa prestar atenção no que pensa o eleitorado. Depois o democrata defendeu a necessidade de construir uma hegemonia que agregue os principais líderes do Estado, incluindo o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), que pode ser o fiel da balança na consolidação do projeto da reeleição.

Além disso, Jayme alertou que o desafio de Taques é construir a unidade do grupo que o sustenta sem perder força política. Em caso de desagregação, o democrata prevê risco para a reeleição que ainda é considerada tranqüila.

Conversações

O ex-senador também conversou com Fávaro, que esteve em Várzea Grande na última sexta (18), representando o Executivo na entrega de obras do PAC na região do Parque dos Lagos. Disse que é parceiro, inclusive para ajudá-lo a permanecer como vice-governador na chapa de Taques.

Ainda na sexta, aproveitou a presença do deputado federal Nilson Leitão (PSDB) para dizer que poderia apoiá-lo ao Senado. A declaração foi considerada como gentileza já que tanto Jayme quanto o tucano sabem da dificuldade de viabilizar dias candidaturas majoritárias do mesmo partido.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • bosco | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 14h39
    6
    1

    O Carlos favaro já bebeu a guá desse pote, já sabe o gosto, não quer vice, é futuro governador com apoio do agronegócio.

  • joaoderondonopolis | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 13h02
    1
    9

    Não. não e não, MT quer Jayme candidato ao governo em 2018, bem como Júlio Campos ao senado.

  • joaoderondonopolis | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 13h01
    1
    9

    Não. não e não, MT quer Jayme candidato ao governo em 2018.

  • cidadao | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 12h21
    2
    6

    Vai sózinho à candidatura majoritária que voce ganha Jayme. Vem Tsunami por aí... se segura!!!!!

| 22/08/2017, 00h:00 - Atualizado: 21/08/2017, 16h:38

A falta de esperança é letal


Olga_200_fora

Olga Lustosa

Condeno nos termos mais fortes possíveis todos os flagrantes de ódio, fanatismo e violência, de qualquer lado que venha, empunhado sob qualquer bandeira: ideológica ou a violência urbana clássica e crônica.

Em tempo de crise a modalidade de matar são as mais baratas; atentados por meio de atropelamentos, como aconteceu em Charlottesville, Estados Unidos e Barcelona, na Espanha e já somam oito no ano de 2017.

Em Barcelona, os terroristas espalharam terror e caos, mas houve uma correria para promover assistência imediata aos feridos e estabilizar o desespero dos moradores com diálogo, programa de restauração da confiança na proteção dada pelo governo e acompanhamento das vítimas.

Nos Estados Unidos, não foi bem assim. A primeira reação do presidente foi igualar as forças e a causa dos que se enfrentavam. Colocou os defensores da supremacia branca, que gritavam exaltando o preconceito racial e a misogenia, no mesmo nível dos que saíram às ruas para combater o preconceito.

Os grupos não vinham da mesma base de crenças e Trump sabia disso porque ele próprio crê na supremacia de uma raça sobre as outras. Tanto que em entrevista, David Duke, um ex-líder da KuKlux,Klan admiteque o presidente americano os empoderou. Então, em Charlottesville não foi um protesto que tomou rumo violento, a violência sempre esteve ali, latente no sistema de crença daqueles indivíduos racistas.

Estamos avançando no século XXI e não importa qual seja sua visão de mundo, chega! Não podemos ser ambíguos com relação a violência e amarrar nossos destinos a estes fatores que geram perturbação constante e medo. Os grupos radicais florescem nas democracias, onde se aproveitam da pluralidade política e da liberdade de se associarem.

Como se vê, os riscos são eminentes e talvez permanentes de a violência promovida pelo terrorismo e pela supremacia de grupos extremistas ainda ir longe, porque nem mesmo numa democracia todas as pessoas agem moralmente.

A pós modernidade vem atestando a falência de muitos valores que tínhamos. Que liberdade pós-moderna é essa que estamos vivendo?

Que reflete a descrençana existência de um caminho seguro para ser feliz, que faz crescer a incerteza quanto o quefazer, que naturaliza a predileção pelo radicalismo efêmero, pela fé fragmentada epela falta de compaixão? Estamos habitando espaços vulneráveis e querem a todo custo que estejamos preparados para absorver a cultura dos atentados.

Em tempos difíceis como estes, de crises evidentes dos valores fundamentais, vivemos sob ameaça dos atentados cotidianos em Cuiabá, onde a violência impiedosa empilha pessoas nas cadeiras de fios nos corredores do Pronto Socorro; a todo momento lemos mensagens de amigos relatando violência sofrida por estes ou familiares, mas as informações oficiais desmentem meu relato e anunciam a queda nos índices de violência na região metropolitana de Cuiabá.

No Brasil, entretanto, dados oficiais registrados nos órgãos de segurança nacional confirmam que 155 cidadãos são assassinados por dia e o país fecha o semestre com mais de 28 mil casos de homicídios.

Olga Borges Lustosa é socióloga, cerimonialista pública e escreve exclusivamente neste Blog toda terça-feira - olgaborgeslustosa@gmail.com e www.olgalustosa.com

Postar um novo comentário

| 21/08/2017, 16h:24 - Atualizado: 21/08/2017, 16h:27

Advogada Ana Lacerda integra time de colunistas


Gilberto Leite/Rdnews

ana lacerda blog 620

Especialista nas áreas agrária e ambiental, a advogada Ana Lacerda passa a escrever artigos no Rdnews às quartas

A advogada Ana Lacerda é a nova colunista do portal Rdnews e do Blog do Romilson. Ela passa a assinar a coluna toda quarta-feira. Formada em Fisioterapia e, depois, em Direito, há quase quatro anos, pela Universidade de Cuiabá, Ana atua forte nas áreas do direito agrário e ambiental.

E é por esse caminho que vai pontuar, esclarecer, orientar e fomentar o debate em seus artigos junto aos nossos leitores, sem perder de vistas outros diferentes temas. São áreas fundamentais, tanto que as principais atividades têm reflexo nas questões agrária, com suas demandas dominais e de posse, assim como ambiental, envolvendo, entre tantas demandas, licenciamento e suas fases e autos de infração junto a órgãos como Ibama, Intermat, Sema e Incra.

Integrante da banca Advocacia Lacerda, da qual fazem parte profissionais com ampla experiência na vida pública, como o pai, ex-deputado e ex-secretário de Estado Zé Lacerda, e também o ex-secretário Wilson Sanches, Ana Lacerda adianta que vai nortear seus artigos na área jurídica numa linguagem clara, simples e objetiva, de modo a contribuir para o conhecimento da sociedade, especialmente acerca do funcionamento e dos trâmites nos órgãos públicos.

Pretende trazer informações sobre a importância de audiências públicas. Nos textos da nova colunista, os leitores serão orientados até no sentido de, em meio a temas complexos e polêmicos, tomar decisões de forma preventiva.

Ana Lacerda substitui o também advogado Lenine Póvoas, que por quase um ano escreveu artigo no Rdnews/Blog do Romilson às quartas. A ele, o nosso agradecimento pela grande contribuição e colaboração. À Ana Lacerda, as boas vindas.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Ernesto | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 07h47
    1
    0

    Parabéns sucesso dra Ana lacerda

  • Jeovah Feliciano de Sousa. | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 06h23
    1
    0

    Parabéns ao RDNews e a Dra Ana Lacerda. Conheço o trabalho da Dra Ana e sei que vai contribuir muito na área de Regularização Fundiária.

  • adriana | Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017, 23h18
    1
    1

    Parabéns Dra Ana LAacera, tenho certeza que irá contribuir muito a toda sociedade de Mato Grosso.

  • Gutemberg Abreu | Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017, 16h32
    3
    2

    Um grande jurista! parabéns pelos artigos!

| 21/08/2017, 10h:40 - Atualizado: 21/08/2017, 10h:45

Medeiros trata sobre desfiliação "harmoniosa" com Kassab; senador deve ir para o Podemos


Embora ainda não tenha tomada uma decisão definitiva, o senador José Medeiros admite não deve permanecer no PSD. Pondera que já tratou sobre a sua saída com os presidentes regional e nacional do partido, o vice-governador Carlos Fávaro e o ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, respectivamente. A ideia, segundo ele, é que este processo seja "harmonioso".  Esta será a segunda troca de partido e pouco mais de um ano. Medeiros deixou o PPS no ano passado, onde permaneceu por 20 anos.

Sem espaço para construir sua candidatura à reeleição, o senador é cortejado por vários partidos. "Não dá para lançar dois nomes numa agremiação só", disse ao , numa referência a Fávaro que se movimenta para disputar o Senado.

Gilberto Leite

Jos� Medeiros

Senador José Medeiros (PSD) quer disputar à reeleição, por isso, deve se filiar ao Podemos

Medeiros chegou a praticamente definir a sua ida para o PR, mas, agora, está inclinado a migrar para o Podemos (antigo PTN). Segundo ele, as conversas estão bem adiantadas com a legenda, que tem o senador Álvaro Dias como pré-candidato à presidência da República. "Estamos conversando e a tendência é que eu vá para o partido e concorra à reeleição", disse Medeiros, descartando, inicialmente, uma candidatura à sucessão do governador Pedro Taques (PSDB).

Ocorre que Álvaro sonda nomes para a disputa ao Executivo, o que lhe garantiria palanque em Mato Grosso. Chegou a sondar também o ex-senador Antero Paes de Barros, outra possibilidade para a majoritária.

Ungidos

Mesmo buscando opções para viabilizar sua candidatura à reeleição em 2018, o que poderá levá-lo à oposição ao grupo de Taques, Medeiros disse não vê no momento nenhum distanciamento do tucano, pelo contrário, há uma junção com Taques.

"Estamos ungidos. Desde que entrei tenho ajudado muito o governo, óbvio que se há distanciamento, é porque ele tem uma gama de partidos e ele não pode fechar compromisso com o Medeiros. Política é assim, cada um tem que buscar seu espaço. Poderemos até não estarmos juntos nas eleições, mas não há rusgas e nem problemas", enfatizou.

Eleito suplente pelo PPS, Medeiros se efetivou na vaga após a eleição de Taques como governador, em 2014.  Desde então, o social-democrata tem ganhado destaque graças às suas posições políticas, com posicionamento duro em relação ao PT e a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff. E, por outro lado, defensor ferrenho de Michel Temer (PMDB), que passou a comandar o país.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Andre N. | Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017, 16h35
    0
    0

    Eu gostava dele mas ter se tornado um defensor do governo Temer foi decepcionante. Talvez eu vote nele por falta de alternativas e pq apoio o Podemos.

  • gilmar barroso | Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017, 19h06
    3
    3

    ESSE SENADOR JA TEM MEU VOTO UM DOS MELHORES SENADOR DO BRASIL

  • AUREMÁCIO CARVALHO | Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017, 11h24
    6
    6

    SUBSTITUIU À ALTURA, O SEN PEDRO TAQUES, QUE ERA CONSIDERADO UM DOS MELHORES SENADORES. TEM BOA ATUAÇÃO NO SENADO. O PARTIDO NÃO PODE NEGAR SEU DIREITO A CANDIDATAR-SE NOVAMENTE. DAÍ, É JUSTA SUA MUDANÇA DE SIGLA PARTIDÁRIA. MATO GROSSO PRECISA DELE.

  • Lucas | Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017, 10h54
    6
    7

    Excelente senador! É uma pena que lhe falta capital e capilaridade política para ser eleito. De qualquer forma, tem meu voto!

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2031