Cuiabá, 03 de Dezembro de 2016

Curtinhas

  • Ato simples e posse na praça

    Sexta-Feira, 02/12/2016 12h:01

    emanuel pinheiro prefeito curtinha   Emanuel Pinheiro assegura que o orçamento para cerimonial de sua posse em 1º de janeiro, no Centro de Eventos do Pantanal, será "enxuto", muito longe de alcançar o valor divulgado na nota nesta Curtinha "R$ 700 mil para posse de EP". O prefeito eleito disse que dará exemplo de corte de gastos no primeiro dia de mandato e, diferente do montante das posses de Mauro à Prefeitura de Cuiabá e de Silval e de Taques ao governo estadual, superior a R$ 600 mil, o evento terá um custo muito aquém desse valor. "Minha determinação é para conter gastos. A cerimônia será glamousora, como merece Cuiabá, mas simples, sem comida e sem bebida", enfatiza o peemedebista, que destaca a importância de ter participação maciça da população. Assim que chegar da viagem a Brasília e a São Paulo nesta sexta, Emanuel vai se reunir com a comissão que está cuidando do cerimonial. Só então, terá ideia do custo que ficará o evento. Ele adianta que a solenidade será simples tanto em 1º de janeiro quanto no dia seguinte, quando dará posse a seus secretários em plena praça Alencastro, que fica de frente ao Palácio Alencastro.

  • R$ 700 mil para a posse de EP

    Sexta-Feira, 02/12/2016 10h:22

    marcia pinheiro curtinha   Cálculos preliminares do cerimonial, sob Fernando Baracat, que está organizando a solenidade de posse de Emanuel Pinheiro à Prefeitura de Cuiabá, chegam a nada menos que R$ 700 mil. Só de despesas com convites são R$ 160 mil. A organização quer confeccionar 10 mil convites, ao custo unitário de R$ 16 reais. A futura primeira-dama da Capital Márcia Pinheiro está ajudando a programar o evento. Ela defende que a solenidade, que será em 1º de janeiro no Centro de Eventos do Pantanal, a partir das 18 horas, seja transmitida simultaneamente em talões a serem montados em 14 bairros. Entre outras despesas estão R$ 75 mil com locação do Centro de Eventos. A menos de um mês para entregar o mandato, o prefeito Mauro não aceita pagar essa conta.

  • Justino e maior chance de vencer

    Sexta-Feira, 02/12/2016 08h:38

    justino malheiros curtinha   O grupo dos 11 da base do prefeito eleito Emanuel estabeleceu até o próximo dia 9 para decidir quem será candidato à presidência do Legislativo cuiabano. A esse bloco estão se juntando ou dois ou os quatro que garantiram vaga pelo PV. Há cinco nomes colocados com vistas ao comando da Câmara, sendo eles dos vereadores Paulo Araújo (PP), Juca do Guaraná (PT do B), Dilemário (Pros), Lilo Pinheiro (PRP) e Justino Malheiros, o Tininho (PV). Destes, quem detém maior força nas articulações é Justino, que conta com ajuda do pai, ex-presidente da Câmara, ex-deputado e ex-secretário de Estado João Malheiros, que é amigo pessoal de Emanuel. Eleito pela 1ª vez, Justino contrariou orientação do PV, que apoiou Wilson Santos, e fez campanha para Emanuel nos dois turnos, assim como Veloso, outro eleito pelo PV. Se Justino conseguir atrair os 4 "verdes", que formam a maior bancada, incluindo Mário Nadaf e Felipe Wellaton, o grupo terá 15 dos 25 votos, mais que suficiente para ganhar a Mesa.

  • Queimados começam a desistir

    Sexta-Feira, 02/12/2016 08h:02

    chico 2000 curtinha   Há uma "inflação" de virtuais candidatos à presidência da Câmara de Cuiabá. Dos 25 que tomam posse em 1º de janeiro para, no mesmo dia, escolher membros da Mesa Diretora, os que mais se articulam são Misael Galvão (PSB) e Chico 2000 (foto). O problema é que ambos estão "queimados". Misael não carrega crebidilidade e nem é considerado confiável entre os próprios parlamentares. Chico 2000 viu a imagem ir à lona com a denúncia de abuso sexual contra uma menina de 11 anos. É investigado em um inquérito policial instaurado pela Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente. Por causa disso, o vereador reeleito pelo PR com 3.620 votos já admite que não será mais candidato à Mesa. Também "jogaram a toalha" os tucanos Renivaldo e Adevair e também Gilberto (PSB), que chegou a ensair candidatura.

  • Maluf tem chance ao Senado

    Quinta-Feira, 01/12/2016 16h:27

    guilherme maluf curtinha senado   Guilherme Maluf (PSDB) está disposto a alçar voo mais alto na vida pública. Começou como vereador por Cuiabá, se tornou deputado, exercendo hoje o 3º mandato, assumiu a presidência da AL, se garantiu na próxima Mesa como primeiro-secretário e agora pretende viabilizar projeto ao Senado. Em 2018, serão abertas duas vagas, com conclusão dos mandatos de Blairo (PMDB) e Medeiros (PSD). E Maluf está de olho numa dessas cadeiras, ainda mais depois que o colega tucano Nilson Leitão, que tinha a mesma pretensão, recuou com a derrota política em Sinop. Tranquilo, conciliador e daqueles políticos que prezam pelo diálogo, Maluf foi testado e aprovado como gestor. Na presidência, adotou medidas duras de contenção de gastos, contrariando muitos interesses, inclusive dos colegas parlamentares, e impôs uma gestão transparente e em parceria com MPE, o que melhou o conceito e a imagem do Legislativo mato-grossense. Se tiver respaldo incondicional do tucanato, inclusive do Palácio Paiaguás, Maluf parte para uma investida majoritária com chances reais de vitória. Começou bem pela Baixada Cuiabana, onde está seu principal reduto eleitoral, com apoio, desde já, de várias lideranças.

  • Wilson quer reeleição na AL

    Quinta-Feira, 01/12/2016 13h:48

    wilson santos curtinha O secretário de Cidades Wilson Santos (foto), do PSDB, avisou hoje que sua permanência na pasta tem data para terminar. O tucano fica até março de 2018, quando sairá para concorrer à reeleição como deputado estadual. Março é o prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para que secretários deixem o posto a fim de disputar cargo eletivo. Wilson espera que a retomada das obras do VLT seja o carro chefe para conseguir se reeleger na AL. Ele foi derrotado em outubro, no 2º turno, quando disputou à Prefeitura de Cuiabá e perdeu para Emanuel Pinheiro. Agora, segue na equipe do governador Taques, provavelmente articulando para tentar reverter o desgaste da eleição na Capital.

  • Quase 3 anos comandando TCE

    Quinta-Feira, 01/12/2016 13h:24

    valter albano curtinhas   Se Antonio Joaquim se aposentar mesmo do TCE-MT em julho, como se comenta nos bastidores, para ter mais tempo com vistas a percorrer o Estado em pré-campanha a governador, o comando do órgão passará ao hoje vice-presidente do Conselho Deliberativo, conselheiro Valter Albano (foto). Caberá a este concluir os seis meses restantes do atual mandato. E o próprio Albano reassumirá a presidência, dentro de um acordo de "rodízio" entre os integrantes do Pleno. Assim, ficará dois anos e seis meses como presidente. Pela ordem, a presidência ficaria com Campos Neto, o mais jovem dos 7 conselheiros, mas ele preferiu abrir mão. Quer adquirir mais experiência. Já a cadeira vitalícia de Joaquim abrirá um campo de batalha pela indicação. Deputados querem a vaga, mas o próprio Joaquim tem dito que a indicação, pela primeira vez na história, terá de partir do Ministério Público de Contas. 

  • Saída do TCE-MT e novo projeto

    Quinta-Feira, 01/12/2016 12h:57

    antonio joaquim curtinha   O presidente do TCE-MT Antonio Joaquim tem declarado que deixará o órgão fiscalizador no final de 2017, coincidindo com a conclusão do mandato de presidente. Mas, em privado, especula-se que ele pode antecipar em seis meses o pedido de aposentadoria. Nesse caso, sairia em julho. O conselheiro, que já foi deputado estadual e federal e secretário de Estado, está entusiasmado porque muitas lideranças passaram a incentivá-lo a voltar à militância política, inclusive na esperança de tê-lo em projeto majoritário, possivelmente a governador no pleito de 2018. O PMDB já escancarou as portas, na esperança de tê-lo como principal "estrela". Mas, alheio a questões político-partidária, Joaquim tem uma agenda intensa programada para o período de março a julho do próximo ano com os programas Democracia Ativa, Consciência Cidadã e Gestão Eficaz. Pretende percorrer 9 pólos, sendo Lucas e Cáceres (em março), Sinop e Rondonópolis (abril), Confresa e Primavera do Leste (maio), Juína (junho) e Várzea Grande e Barra do Garças (julho).

  • Criação do PSPB e candidatura

    Quinta-Feira, 01/12/2016 12h:22

    dejair e alair curtinha pspb   Dejair Soares e Aladir Rocha lideram movimento em MT pela criação de mais uma agremiação partidária, o Partido do Servidor Público do Brasil (PSPB). No Estado, buscam obter 20 mil assinaturas para, a exemplo de outras 17 Unidades da Federação, fazer o registro no TRE. A expectativa é de até maio do próximo ano já ter conseguido ao menos as 500 mil assinaturas necessárias em todo o país para se conseguir a chancela do TSE. Animado, Dejair acredita até na possibilidade da nova sigla lançar candidato a governador. Bem articulado, sugere até o nome do ex-deputado e hoje secretário de Saúde de Várzea Grande, Luiz Soares, como cabeça de chapa ao Palácio Paiaguás. Aposta que o PSPB surgirá forte e num momento oportuno, considerando o "pacotão" de medidas do presidente Temer e do governador Taques e que vão afetar o funcionalismo e o serviço público. A dupla entende que o novo partido será mais uma ferramenta na defesa dos direitos dos servidores e não como concorrência dos sindicatos das diferentes categorias.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 1106