Cuiabá, 18 de Setembro de 2014

Curtinhas

  • Notórios parlamentares

    Quarta-Feira, 17/09/2014 17h:09

    valtenir_curtinha.jpg   Valtenir Pereira (foto), que busca o 3º mandato à Câmara, tem se destacado como um dos parlamentares mais atuantes, conforme o levantamento Atlas Político. Além dele, Jayme Campos (DEM) aparece no 10º lugar, como político mato-grossense com melhor colocação no ranking elaborado. Valtenir aparece na 86ª colocação entre os membros da Câmara. Foram considerados a representatividade dos parlamentares, o número de projetos e emendas constitucionais, discursos ou intervenções em discussões no plenário e fidelidade partidária. Na coligação composta pelo PR, PMDB, PT e Pros, Valtenir é um dos que devem obter votação expressiva. O bloco governista acredita, ainda, obter 4 das 8 vagas. Os prováveis eleitos e/ou reeleitos seriam, além de Valtenir, Bezerra e Ságuas, e até com chance de Jota Barreto se tornar federal.

  • Missão árdua rumo à AL

    Quarta-Feira, 17/09/2014 12h:54

    neto galindo   Neto Galindo (foto) será um herói se conseguir vaga de deputado estadual. Explica-se: ele concorre por uma coligação de 3 partidos (PTB, PPS e PSL) considerada muito fraca. O principal nome é do próprio Neto, filho do ex-prefeito da Capital Chico Galindo, dirigente regional do PTB. Mesmo se vier a repetir a votação do pai, que se elegeu à AL em 2006 com 11.329 votos por uma Frentinha ou até se chegar a 30 mil votos, Neto corre risco de ficar de fora. O quociente eleitoral é de 68,1 mil votos. E fora Neto, jovem empresário bem articulado e carismático, os demais candidatos não demonstram perspectiva de boa votação, capaz de ajudar nos votos de legenda para se conquistar uma vaga. Entre os que estavam no páreo pela coligação e desistiram estão o empresário Fabinho Defanti, da Gráfica Print, e o vereador cuiabano Leonardo Oliveira.

  • Lúdio e montagem na tv

    Terça-Feira, 16/09/2014 23h:12

    No debate da rádio Mix Cuiabá, na segunda, o senador Pedro Taques (PDT) foi questionado sobre quem são seus suplentes no Senado. Ele enfatizou que o 1º é o policial rodoviário federal José Medeiros (PPS), de Rondonópolis, e o 2º é o empresário sinopense Paulo Fiuza (PV). Explicou que há disputa na Justiça entre os dois, já que Fiúza reivindica a primeira-suplência devido a erro no protocolo no sistema do TRE. Eis que a campanha do principal adversário do pedetista ao governo, petista Lúdio Cabral, levou o assunto para o horário eleitoral, usando método de montagem. Exibiu recorte de trechos da entrevista, dando impressão de que Taques desconhecia a ordem da suplência ou estaria sendo omisso. Lúdio apresentou no seu programa algumas das respostas dadas por Taques no debate "de modo descontextualizado". Queria ridicularizar o concorrente". A defesa do líder nas pesquisas recorreu e a Justiça Eleitoral suspendeu o programa do petista.

  • Taques barra Mandioca

    Terça-Feira, 16/09/2014 17h:57

    taques_curtinha.jpg   A juíza do TRE Ana Cristina Silva Mendes deferiu pedido de liminar da coligação Coragem e Atitude pra Mudar, liderada por  Pedro Taques (foto), suspendendo a propaganda eleitoral do candidato a deputado federal Lúcio Mandioca (PHS) por atacar de forma dissimulada a honra e moral, veiculando acusações caluniosas, ridicularizantes e difamatórias contra o pedetista. Na peça, Lúcio acusa Taques de plagiar um projeto incluído no seu plano de governo e encerra mandando “mandioca” para o candidato do PDT. A magistrada ainda estipulou multa diária  de R$ 5 mil em caso de descumprimento da decisão.  A juíza ressalta que a propagação de fatos supostamente inverídicos ligados ao representante, claramente tem o condão de causar potencial lesividade a sua campanha e nítido desequilíbrio no pleito eleitoral.

  • Janete, candidata mais rica

    Terça-Feira, 16/09/2014 17h:16

    Janete Riva (PSD), candidata ao Governo, mal começa a campanha e já entra em contradição. No ato de lançamento da candidatura, semana passada, anunciou que faria uma campanha “franciscana”, com dignidade para ganhar a eleição. No entanto, nesta 3ª, a social-democrata declara bens estimados em R$ 4 milhões, com gastos de campanha na casa dos R$ 35 milhões. O fato causa certa estranheza para quem pretendia realizar uma campanha “humilde”. Entre a lista de bens está uma aeronave avaliada em R$ 1 milhão, uma fazenda em Juara com o mesmo valor, além de empresa, apartamento de luxo, e uma mansão onde reside com a família, no bairro Santa Rosa, na Capital. Neste sentido, Janete é a candidata mais rica na disputa pelo Palácio Paiaguás. Em segundo lugar está Pedro Taques que soma R$ 1 milhão enquanto Lúdio tem bens que totalizam R$ 233 mil. Antes de ser barrado pela Justiça Eleitoral, Riva havia declarado bens estimados em R$ 1,9 milhão.

  • PSD e vagas de deputado

    Terça-Feira, 16/09/2014 17h:03

    walter_curtinha.jpg   O PSD, que se viu forçado a lançar Janete Riva ao Governo depois que Riva foi barrado pela Justiça Eleitoral, possui nove candidatos a estadual com possibilidade de serem bem votados. O problema é que o partido só deve garantir entre quatro e seis vagas, considerando o quociente eleitoral de 68,1 mil votos. Os mais votados são Walter Rabelo (foto), Zé Domingos e Português, que já exercem o mandato de deputado, além de Janaina Riva, Meraldo Sá e Luizinho Magalhães. Uns acreditam que a troca de cabeça de chapa a governador possa refletir negativamente na votação dos concorrentes proporcionais. Outros, porém, apostam que uma situação nada tem a ver com a outra e que, portanto, não implicará em perda de votos dos candidatos a estadual. De todo modo, todos estão tensos com a instabilidade no partido. 

  • Deputados de fora da AL

    Terça-Feira, 16/09/2014 16h:55

    marinho_curtinha.jpg   Nove dos 24 deputados optaram por não tentar a reeleição. São eles: Riva (PSD), Alexandre César (PT), Luiz Marinho (foto), do PTB, Jota Barreto e João Malheiros (ambos do PR), Teté Bezerra (PMDB) e Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja (os dois do PP) e Luciane Bezerra (PSB). Destes, Teté concorre à vice-governadora na chapa do petista Lúdio Cabral, e Ezequiel disputa vaga de federal. Riva se esforça para emplacar a filha Janaina Riva à vaga na Assembleia, Marinho faz campanha para o irmão Eduardo Botelho e Luciane para o marido Oscar Bezerra. Eles saem, mas querem deixar alguém da família no poder. Alguns destes parlamentares, que encerram o mandato daqui a quatro meses, não deixarão saudade porque tiveram uma atuação pífia, entre eles Azambuja, Malheiros, Barreto e Alexandre César.

  • Savi rumo à presidência

    Terça-Feira, 16/09/2014 16h:44

    savi_curtinha.jpg   Mauro Savi (foto) é um dos deputados com a campanha à reeleição mais bem estruturada, com base consolidada no Nortão e avançando para o Médio Norte e Baixada Cuiabana. Primeiro-secretário da Mesa, Savi tende a ser o mais votado, podendo superar 60 mil votos. Por isso, nos bastidores o comentário é de que ele será o próximo presidente da Assembleia. Na mesma atoada, o hoje presidente Romoaldo Júnior (PMDB) caso se reeleja com votação expressiva terá assegurado o posto de 1º secretário. Terá surgido a partir das urnas de 2014 e para as próximas legislaturas a dupla Savi-Romoaldo, substituindo outra que perdurou por muito tempo, composta por Riva-Sérgio Ricardo. Tanto Savi quanto Romoaldo disputam por um chapão composto de 5 partidos (PMDB, PR, PT, Pros e PC do B), que deve garantir 10 das 24 vagas.  

  • 2 empréstimos milionários

    Terça-Feira, 16/09/2014 11h:39

    O governo estadual acaba de recorrer a mais dois empréstimos milionários. Uma operação de crédito foi feita junto ao BB de R$ 110,3 milhões. A outra totaliza R$ 381,1 milhões na Caixa Econômica. As autorizações passaram pela Assembleia Legislativa. Os recursos serão utilizados no financiamento de contrapartida do Programa Minha Casa Minha Vida Urbano e Rural, mantido pelo governo federal. Conforme as regras do financiamento, o BB e a CEF, para pagamento do principal, juros e demais encargos financeiros e despesas da operação, vão debitar na conta do Estado, a partir do próximo ano, já sob gestão de um novo governador, os montantes necessários à amortização. A "era Silval" fez outros empréstimos volumosos, entre eles um de R$ 1 bilhão para o MT Integrado, R$ 1,5 para o VLT, outro de R$ 1 bilhão para renegociar dívidas e quase R$ 700 milhões para construção da Arena Pantanal. Todos esses financiamentos tiveram a 1ª parcela para pagamento empurrada para 2015.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 802