Cuiabá, 25 de Maio de 2017

ECONOMIA E AGRONEGÓCIO

A | A

Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 19h:45 | Atualizado: 21/04/2017, 08h:31

FIT Pantanal

Onça não é mais predador em MT, é atrativo turístico, citam realizadores

Gilberto Leite

Taques na abertura da FIT Pantanal

Na abertura da FIT Pantanal nesta quarta (20), governador Pedro Taques pontua que turismo é dinheiro, é riqueza, é economia para MT crescer cada vez mais

Com o objetivo de inovar o mercado do turismo mato-grossense, teve início nesta quinta (20) a Feira Internacional do Turismo do Pantanal (FIT). O evento, que está sendo realizado no Centro de Evento do Pantanal, em Cuiabá, é voltado para os empresários da área, mas também receberá atrações culturais e gastronômicas para o público em geral. 

Na solenidade de abertura, o governador Pedro Taques (PSDB) destacou a iniciativa pela retomada do evento. "Essa feira internacional ficou muito tempo parada, 8 anos. Na nossa administração, em 3 anos, esta já é a segunda.  Não tivemos condições de fazer em 2015, mas fizemos em 2016 e, agora, em 2017, com rodadas de negócios, discussões sobre a melhoria do turismo, sustentabilidade", diz. 

Taques pontua que turismo é negócio, é dinheiro, é economia para que nós possamos cada vez mais crescer. "Queremos mostrar que turismo é investir na indústria sem chaminé, na criação de emprego e renda e progresso para o nosso Estado". 

O governador cita atrativos turísticos do Estado e afirma que o cidadão de Mato Grosso, do Brasil e do Mundo, precisa conhecer a Caverna do Jabuti em Curvelândia, o mel de Conquista D´Oeste, Chapada dos Guimarães, Nobres, as cachoeiras e de Tangará, festas de Querência, entre outros que revelam o potencial não só da natureza, como também da cultura e da gastronomia regional. 

O secretário Adjunto de Turismo, Luiz Carlos Nigro, explica que o tema sustentabilidade foi escolhido porque é necessário que o ecossistema seja preservado. "Porque nossos atrativos, em sua grande maioria são naturais. Rios, fauna e flora precisam ser conservados para que possamos ter as próximas gerações aproveitando essa maravilha que Deus nos deu".

Gilberto Leite

FIT Pantanal Nigro

Nigro diz que MT reverte a história da onça que, de predador, vira atrativo e dá lucro aos fazendeiros

Nigro destaca que o turismo transforma regiões e "leva aos mais distantes locais empregos e recursos. Com apoio do governador Pedro Taques, vamos transformar o turismo em um dos pilares do desenvolvimento econômico de Mato Grosso", acrescenta.

O secretário cita, ainda, que Mato Grosso está revertando, graças ao turismo, uma história de muitos anos. "A onça, que antes era considerada um predador, que dava prejuízo para as fazendas, hoje dá um grande lucro para os fazendeiros porque nós mudamos o perfil do turismo no Pantanal mato-grossense. Tínhmaos somente a pesca como grande atrativo. Hj temos hoteis funcionando praticamente o ano todo, por causa do ecoturismo", observa.

Público

A expectativa dos organizadores é que a feira seja visitada por 100 mil pessoas até o próximo domingo (23), último dia. Em entrevista ao , o coordenador da FIT Pantanal, Jaime Okamura, conta sobre as novidades da realização nesse ano.

Ele explica que o turismo precisa ser entendido como um produto e que o principal objetivo desta edição da FIT é mostrar as novidades do mercado e lembrar o empresariado da importância de ser inovador e criativo, principalmente durante tempos de crise econômica.

Jaime cita a importância de o turismo pensar em novidades até mesmo para questões tradicionais. “Não adianta você ficar falando que tal comida é deliciosa e não pode mudar. Você tem que fazer um novo visual, uma nova roupagem para atrair o próprio cliente. Mesma coisa o lado cultural. Você tem que preservar a cultura, claro, mas tem que trazer novidades e principalmente utilizar uma nova forma de comunicação”, argumenta.

Gilberto Leite

Jaime Okamura

Em entrevista à jornalista Lídice no RDTV, Jaime diz que observação de felinos tem crescido no Estado

Ele cita que Mato Grosso tem tido um perfil de turismo seletivo e que o aspecto mais relevante para esse tipo de serviço atualmente no Estado é a sustentabilidade, e que por isso o empresário precisa estar antenado nesse novo nicho de mercado. 

O coordenador exemplifica que uma pessoa que viajava para Mato Grosso há 10 anos para realizar pesca esportiva não é mais considerado um turista, já que atualmente se respeita as leis ambientais. Ele afirma que a comunicação atual é para que as pessoas pesquem os peixes, tirem algumas fotos e os devolvam para a água.

Jaime conta que uma atividade que tem crescido no Estado é a observação de felinos. Para lidar com essa questão específica, o coordenador exemplifica que o empresariado local precisa planejar o atendimento a esse tipo de prática.

“O que o turista vai fazer durante o período em que a onça pintada não aparece? Ele vai descansar nesse meio tempo? Precisamos ficar atentos e pensar no que vamos oferecer para os clientes durante esse tempo.”, exemplifica.  

Feira

Apesar de acontecer há mais 10 anos, esse está sendo considerado o segundo ano de realização da  FIT Pantanal. Jaime explica que o evento era chamado de Festa Internacional do Pantanal e mudou sob essa nova administração justamente para dar o foco ao turismo como um negócio. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):