Cuiabá, 26 de Outubro de 2014

Eleições-2014

A | A

Terça-Feira, 14 de Maio de 2013, 15h:39 | Atualizado: 14/05/2013, 18h:19

Eleições 2014

Especialista diz que VG está órfã de líderes e deve fabricar nomes

Analista considera que não há fortes expectativas na AL

Foto: Rodinei Crescêncio -- Vinícius de Carvalho   O articulista político Vinícius de Carvalho avalia que Várzea Grande está órfã de lideranças políticas e terá muita dificuldade de “fabricar” nomes fortes para as próximas eleições. Ele observa que os partidos não se preocuparam em construir carreiras fortes no município, com raríssimas exceções como o de Jayme Campos (DEM). Carvalho lembra que a cidade já teve três deputados estaduais e hoje não tem nenhum.

   O analista se refere à época em que o prefeito Wallace Guimarães (PMDB), o jornalista Maksuês Leite (PRB) e o atual conselheiro do TCE Campos Neto (DEM) detinham cadeira na Assembleia. Por ser o segundo colégio eleitoral do Estado, o município se tornou um curral eleitoral, bastante assediado pelos candidatos de Cuiabá, mas sem qualquer representatividade política no Legislativo e na Câmara Federal. “Hoje a representação política de Várzea Grande está empobrecida”, classificou em entrevista ao RDTV, tv web do portal RDNews, nesta segunda (13).

   Dentre as candidaturas que se desenham na antiga cidade industrial para 2014, Carvalho só vê expressividade em Jayme Campos (DEM) e Tião da Zaeli (PSD) para deputado federal. Em sua conjectura, Jayme se projetará à Câmara Federal no lugar do irmão Júlio, porque teme o fato de Mato Grosso ter a tradição de não reeleger senador. “O único senador mato-grossense reeleito até hoje foi Jonas Pinheiro”, evidencia.

   Para a Assembleia, a situação estaria muito mais indefinida. “Vão ter que produzir algum nome, porque hoje não há ninguém de peso”. Articulam para concorrer ao pleito os vereadores de 1º mandato Dr. Waldir Bento (PMDB) e Pery Taborelli (PV). Também são cogitados Júlio Campos Neto e Lucimar Campos, ambos do DEM.

   O especialista acredita que Maksuês Leite também possa ressurgir no cenário político. Ele era grande promessa nas eleições majoritárias de 2008, mas acabou abortando precocemente a carreira ao se envolver em escândalo político.

   Na época, ele era o número 1 nas pesquisas de intenção de votos, mas recuou na disputa para beneficiar Júlio Campos que foi derrotado por Murilo Domingos. Denúncias deram conta de que o jovem político teria recebido muito dinheiro para desistir do pleito.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • EDUARDO RAMOS | Terça-Feira, 14 de Maio de 2013, 13h06
    0
    0

    ESSE CARA VIVE EM OUTRO MUNDO,,, VERDADEIRAMENTE NÃO SABE O QUE FALA. TIRAR LIDERANÇAS DE JÚLIO E JAYME CAMPOS..... AGUARDEMOS E VEREMOS.

  • Mario Mendes | Terça-Feira, 14 de Maio de 2013, 11h49
    0
    0

    especialista de nada ,órfã e vc de informaçao sobre Varzea Grande ,va ate o bairro mapim veja o nome pres. de bairro ,va ao Cristo Rei va pq do lago ,sao Mateus ,jd gloria todos esses bairros e outros mais tem sim nomes muito fortes so nao tem HOMENS ricos ou de família tradicional para ter apoio do poder publico nen dinheiro para financiar campanha

  • mauro | Terça-Feira, 14 de Maio de 2013, 11h29
    0
    0

    não só varzea grande, como também cuiaba, de ter , tem, mas não querem sair com chapa majoritaria.... tem que gastar....

  • José Sério | Terça-Feira, 14 de Maio de 2013, 09h45
    0
    0

    Pode ser especialista em outra área, dizer que Tião teria alguma possibilidade política me deixou em dúvidas.

Matéria(s) relacionada(s):