Executivo

Terça-Feira, 10 de Janeiro de 2017, 16h:32 | Atualizado: 10/01/2017, 16h:42

CadÚnico

Em 3º ano de mandato, Governo cria “Bolsa-família” de R$ 100 por mês

José Medeiros

Max Russi Setas

Titular da Setas, Max Russi (PSB), já apresentou o plano, ainda sem nome definido, para o governador Pedro Taques (PSDB) e recebeu aval para a sistematização do modelo pautado na transversalidade

Ao custo de R$ 3,5 milhões mensais nas despesas do Executivo, 35 mil famílias mato-grossenses serão beneficiadas por um plano estratégico, aos moldes do Bolsa Família, que é articulado pelo governo estadual, por meio da secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas) e vai destinar R$ 100 por mês a cada família em situação de vulnerabilidade social.

Previsto para ser lançada em fevereiro, a ação visa trabalhar a família como núcleo de resgate social, segundo o Governo. Ao mesmo tempo, dá um caráter mais humanitário à gestão Taques, tendo em vista que o governador entra no seu 3º ano de mandato e se prepara para a reta final da gestão como potencial candidato à reeleição.

Nos dois primeiros anos da administração, o governador enfrentou períodos de desgate marcados pelos efeitos da crise econômica no Estado e no país, greve de servidores públicos por reajuste salarial, atraso em repasses a municípios, especialmente na área da Saúde, embates com setor produtivo na tentativa de implantar - em tempo recorde - uma reforma tributária, e dificuldades no relacionamento com o Legislativo.

O titular da Setas, Max Russi (PSB), já apresentou o plano, ainda sem nome definido, para o governador Pedro Taques (PSDB) e recebeu o aval para iniciar a sistematização do modelo, que irá trabalhar a transversalidade das políticas públicas. Para tanto, áreas como educação e saúde, entre outras, serão convocadas a trabalharem de forma ostensiva na ação governamental.

Por meio do plano, as trinta e cinco mil famílias que serão selecionadas dentro do público do Cadastro Único (CadÚnico), deverão receber o auxílio mensal de R$ 100, para serem investidos principalmente em alimentação. No entanto, em contrapartida, para receber o valor, terão que atender a uma série de condicionalidades, como por exemplo, frequência escolar dos filhos.

A intenção é assegurar o desenvolvimento social e humano, utilizando para isso os serviços públicos essenciais, garantindo melhores condições de saúde, educação, cidadania, oportunidades de trabalho e geração de renda. Tudo, isso, conforme explica Max Russi, garantirá que o cidadão ganhe recursos e ferramentas para deixar a vulnerabilidade social.

“Nós articulamos essa grande ação de governo, para garantir uma ferramenta de porta de saída das condições de vulnerabilidade social, dessas pessoas que hoje se encontram em situações precárias. E para isso, iremos trabalhar a família toda como um núcleo, para que todas as áreas sejam desenvolvidas”, considerou o gestor.

Para Taques, o plano será uma das grandes frentes de trabalho do Governo, no amparo aos vulnerabilizados. “É uma ação que eu quero aplicar, que trará resultados para a população”, avaliou. Ainda de acordo com Taques, o plano deverá ser lançado oficialmente em fevereiro, para que as famílias comecem a receber o auxílio o quanto antes.

Para que o plano seja executado, será preciso contar ainda com os agentes comunitários de saúde, assistentes sociais, coordenadores, além de um comitê de acompanhamento, que tratará da evolução e êxito da ação. Ao todo, deverão ser mais 7,4 mil pessoas envolvidas na transferência de renda.

Plano

As famílias que serão atendidas estão inclusas no CadÚnico e possuem renda familiar inferior a meio salário mínimo. Para que os beneficiados consigam desenvolver melhor os parâmetros do plano, cada família será acompanhada por uma equipe composta por agente comunitário de saúde, assistente social, e coordenadores.

Estes terão a função de identificar as demandas sociais, encaminhamento das providências necessárias, auxiliar as famílias a terem acesso a vacinação, medicação, planejamento e monitoramento da execução das atividades propostas e desempenhadas, entre outros. Tudo isso com intuito de garantir que as famílias consigam sair da vulnerabilidade. (Com Assessoria

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • rocha | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 19h00
    0
    0

    olha o desespero para 2018 !!! kkkkkkk .... Bolsa família mato grossense ... piada !!!

  • MORADOR | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 11h20
    1
    0

    NADA CONTRA, PORÉM O ESTADO NÃO TEM DINHEIRO PRA NADA, E AGORA CRIA O BOLSA FAMILIA DE MT? MUITO ESTRANHO O GOVERNO TAQUES.

  • joaoderondonopolis | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 07h57
    2
    0

    Taques para a reeleição não deve ter pelo menos 300.000 votos que são dos servidores, podendo chegar a 500.000. by, by by

  • Francisco Carlos de Lima Oliveira | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 04h17
    4
    0

    Dinheiro para comprar votos o Estado tem?

  • Regis | Terça-Feira, 10 de Janeiro de 2017, 19h21
    4
    0

    Uai...Mas não era bolsa esmola?

  • joao | Terça-Feira, 10 de Janeiro de 2017, 18h34
    6
    1

    Mesmo com tudo isto, não vai se reeleger.

Matéria(s) relacionada(s):

Frustrado pela própria desorganização

emanuel pinheiro curtinhas   O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro foi vítima da desorganização da própria gestão ao não conseguir chegar ao Parque Tia Nair a tempo de assistir a apresentação da Esquadrilha da Fumaça neste domingo. Ficou preso na trânsito que congestionou...

Malouf e acerto com quadrilha de Silval

Em mais um depoimento à juíza Selma, da 7ª Vara Criminal da Capital, Alan Malouf, quando questionado acerca de um esquema no Governo Silval que resultou no desvio de R$ 16 milhões do erário, reconheceu ter recebido R$ 950 mil num contrato de gaveta e que não pagou impostos sobre o montante. Contou que em 2010 foi procurado por Eder Moraes, então secretário da Casa Civil, para poder realizar a solenidade de posse do governador para mil...

Ex-governador nega "surra" de Piran

valdir piran curtinha   O emblemático encontro entre Valdir Piran (foto) e Silval para acerto de contas foi questionado pela promotora de Justiça Ana Bardusco, durante depoimento do ex-governador na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, nesta quinta. Diferente do que afirmou o ex-secretário Nadaf, Silval amenizou a...

Propinoduto "bancou" posse de Silval

alan malouf curtinha   O Buffet Leila Malouf, que tem como um dos sócios o delator Alan Malouf (foto), recebeu uma "bolada" para fazer a cerimônia de posse de Silval como governador. De fato, o evento realizado em 1º de janeiro de 2011 foi marcado por muito requinte. Na época, não se falava em valores. Eis que agora,...

Tirando dúvidas no CCC sobre propina

pedro nadaf depoimento curtinha   No 3º dia de confissão de Silval à Justiça, nesta quinta, ele contou que conversava com os demais membros da organização criminosa nos momentos de brechas, especialmente na hora da limpeza das celas, dentro do Centro de Custódia de Cuiabá, onde esteve preso por...

Forçando a barra para homenagear pai

vinicyus clovito curtinha   Diferente do pai Clovito Hugueney, parlamentar sensato que teve o 3º mandato de vereador interrompido por sua morte há 2 anos, Vinicyus Hugueney (foto), vereador de 1º mandato licenciado e hoje à frente da pasta de Trabalho e Desenvolvimento da Capital, não demonstra as mesmas habilidades...

Mais 11 em situação de emergência

Mais 11 municípios têm situação de emergência reconhecida pelo governo estadual, após prefeitos terem pedido socorro por causa de problemas ocasionados, principalmente com as chuvas. No mês passado, o Estado havia homologado situação de emergência em 15 cidades. Desta vez, o governador Taques referendou decretos municipais já assinados pelos gestores de Canabrava do Norte, Chapada dos Guimarães, Colniza,...

Citando outros líderes para ter delação

cezar zilio   A demora na homologação da colaboração premiada de Silval junto ao Supremo se deve, entre outras coisas, ao entendimento da Corte de que líder de organização criminosa não pode delatar. E percebe-se que o ex-governador se esforça para não ser enquadrado como tal. Nos...

O silêncio de Silval sobre conselheiros

De volta nesta quarta à sala da juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal da Capital, Silval Barbosa foi perguntado sobre comentários do seu ex-secretário Pedro Nadaf de que dinheiro do Estado teria, em forma de propina, abastecido bolso de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. Em resposta, o ex-governador que comandou o Estado de março de 2010 a dezembro de 2014 se limitou a dizer que prefere não comentar sobre esse assunto. Selma...

MAIS LIDAS