Executivo

Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 09h:19 | Atualizado: 11/01/2017, 13h:08

Atraso

Folha de professores tem problema, mas governo garante que paga hoje

A folha de pagamento de parte dos professores do Estado não foi paga por completo ontem (10), último dia legal para quitar os salários.

Conforme a secretaria de Fazenda, houve um erro de processamento por parte do banco, mas o dinheiro deve estar na conta até o final da manhã.

A Sefaz não soube dizer o número de pessoas prejudicadas nem o valor que deixou de ser pago. Ressalta, porém, que as liberações estão sendo realizadas em ordem alfabética. 

A folha líquida de dezembro soma R$ 409 milhões para pessoal da ativa, inativo e pensionista, sendo que os valores dos recebimentos são creditados nas respectivas contas dos funcionários. Do total, R$ 269 milhões correspondem à folha dos funcionários em atividade e R$ 140 milhões são destinados aos inativos e pensionistas.

O Governo do Estado estabeleceu calendário de pagamento para o dia 10 do mês seguinte ao trabalhado, o que desagradou os servidores que recebiam no último dia do mês trabalhado. Antes  da mudança, o Executivo precisou fazer escalonamento dos pagamentos. As mudanças são em decorrência da crise econômica. 

Governo interrompe escalonamento e folha sai todo dia 10 por 8 meses

  • Nota do governo
  • O Governo de Mato Grosso esclarece que realizou todos os procedimentos para o pagamento dos servidores públicos estaduais no prazo legal, 10 de janeiro. Em razão do não pagamento a alguns servidores, o Governo do Estado solicitou, por meio da Secretaria de Fazenda (Sefaz), informações do Banco do Brasil, que reconheceu um atraso no processamento na folha de alguns servidores da Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc).
  • O Banco do Brasil informou à Secretaria de Fazenda que o problema já foi corrigido e que os pagamentos que ficaram pendentes foram realizados na manhã desta quarta-feira (11.01).

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Pedro Cáceres | Quinta-Feira, 12 de Janeiro de 2017, 13h19
    0
    0

    Pedro Taques foi eleito Senador da República e posteriormente governador do Estado com o apoio incondicional dos servidores públicos. Entretanto, na eleição ao governo do Estado, em busca de financiamento de campanha se aliou ao agronegócio. Em razão dessa parceria teve como vice Carlos Fávaro e fez TUDO O QUE O AGRONEGÓCIO exigiu, especialmente as desonerações fiscais que abalam até hoje a economia do Estado e em nome dessa parceria se voltou contra os servidores de carreira que sempre lhe apoiaram e agora se vê num bêco sem saída. Se Fávaro ou o Blairo sair ao governo estará Pedro Taques abandonado pelo agronegócio, que deverá seguir um dos seus e não conta mais com o apoio dos servidores.

  • rocha | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 18h50
    0
    0

    Pedrinho pede para sair !!!!! incompetência pura !!! Nunca mais Taxiii

  • alexandre | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 14h27
    1
    0

    A greve da SEDUC não foi declarada ilegal os 61 dias ?, quem inscreve em divida ativa é a PGE e eles não conseguem cobrar os grandes devedores, quanto mais os pequenos, para inscrever em divida ativa tem que haver PAD, contraditorio e ampla defesa e a SEDUC não tem condição de fazer PAD de 60% dos servidores demoraria uns 5 anos ou mais, outra coisa: vai descontar as faltas em janeiro quando não há contrato de trabalho em vigência ? todos os acertos e descontos devem ser feitos na rescisão do contrato, portanto se o governo não fez, " quem dorme perde direitos" que assuma o adiantamento liquido negativo, os poucos que ainda vão trabalhar sem receber são os que tem respeito aos alunos e querem a renovação do contrato, ameaçar pratica comum deste governo, por isso não consegue o apoio dos servidores, lembre se que os contratados são via CLT portanto é no TRT 23 que seria a briga e lá o governo não manda...

  • ROBSON JOSÉ | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 13h32
    4
    0

    Nesse caso as contas que deveriam ser pagas no dia 10, é o Banco do Brasil que será responsável pelos juros cobrados? Já que, segundo o governo, é o Banco o responsável pela falha, nesse caso, o governo do Estado de Mato Grosso que já não respeita mais o trabalhador, deveria ao menos exigir essa responsabilidade do banco, seria o mínimo que o Estado faria para o servidor. Não se esquecendo que, determinadas financeiras, no caso de atraso no dia 10 é cobrado o juro do dia 30, já que o vencimento era no dia 30 de cada mês.

  • willian | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 11h30
    11
    0

    Essa é boa, o mês passado aconteceu a mesma coisa. Essa será a mesma desculpa todo mês. Pior que o banco não pode rechaçar o que dizem, pois caso contrário, o governo contrata outro para gerir suas contas.

  • cristiano carvalho | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 11h19
    11
    0

    Todo mês a mesma desculpa, salários sendo pagos em pingadinho durante o ultimo dia em que ele deve pagar. Nos meses anteriores ocorreu atraso nos salários dos aposentados. Isso só demonstra a total falta DE RESPEITO DO GOVERNO COM OS SERVIDORES PÚBLICOS

  • Teka Almeida | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 09h54
    11
    3

    Todo mes a mesma desculpa pela incompetência. Esse P.T conseguiu fazer do nosso estado uma ESTAGNAÇÃO.

Matéria(s) relacionada(s):

Malouf e acerto com quadrilha de Silval

Em mais um depoimento à juíza Selma, da 7ª Vara Criminal da Capital, Alan Malouf, quando questionado acerca de um esquema no Governo Silval que resultou no desvio de R$ 16 milhões do erário, reconheceu ter recebido R$ 950 mil num contrato de gaveta e que não pagou impostos sobre o montante. Contou que em 2010 foi procurado por Eder Moraes, então secretário da Casa Civil, para poder realizar a solenidade de posse do governador para mil...

Ex-governador nega "surra" de Piran

valdir piran curtinha   O emblemático encontro entre Valdir Piran (foto) e Silval para acerto de contas foi questionado pela promotora de Justiça Ana Bardusco, durante depoimento do ex-governador na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, nesta quinta. Diferente do que afirmou o ex-secretário Nadaf, Silval amenizou a...

Propinoduto "bancou" posse de Silval

alan malouf curtinha   O Buffet Leila Malouf, que tem como um dos sócios o delator Alan Malouf (foto), recebeu uma "bolada" para fazer a cerimônia de posse de Silval como governador. De fato, o evento realizado em 1º de janeiro de 2011 foi marcado por muito requinte. Na época, não se falava em valores. Eis que agora,...

Tirando dúvidas no CCC sobre propina

pedro nadaf depoimento curtinha   No 3º dia de confissão de Silval à Justiça, nesta quinta, ele contou que conversava com os demais membros da organização criminosa nos momentos de brechas, especialmente na hora da limpeza das celas, dentro do Centro de Custódia de Cuiabá, onde esteve preso por...

Forçando a barra para homenagear pai

vinicyus clovito curtinha   Diferente do pai Clovito Hugueney, parlamentar sensato que teve o 3º mandato de vereador interrompido por sua morte há 2 anos, Vinicyus Hugueney (foto), vereador de 1º mandato licenciado e hoje à frente da pasta de Trabalho e Desenvolvimento da Capital, não demonstra as mesmas habilidades...

Mais 11 em situação de emergência

Mais 11 municípios têm situação de emergência reconhecida pelo governo estadual, após prefeitos terem pedido socorro por causa de problemas ocasionados, principalmente com as chuvas. No mês passado, o Estado havia homologado situação de emergência em 15 cidades. Desta vez, o governador Taques referendou decretos municipais já assinados pelos gestores de Canabrava do Norte, Chapada dos Guimarães, Colniza,...

Citando outros líderes para ter delação

cezar zilio   A demora na homologação da colaboração premiada de Silval junto ao Supremo se deve, entre outras coisas, ao entendimento da Corte de que líder de organização criminosa não pode delatar. E percebe-se que o ex-governador se esforça para não ser enquadrado como tal. Nos...

O silêncio de Silval sobre conselheiros

De volta nesta quarta à sala da juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal da Capital, Silval Barbosa foi perguntado sobre comentários do seu ex-secretário Pedro Nadaf de que dinheiro do Estado teria, em forma de propina, abastecido bolso de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. Em resposta, o ex-governador que comandou o Estado de março de 2010 a dezembro de 2014 se limitou a dizer que prefere não comentar sobre esse assunto. Selma...

Efeito-Silval e tensão no meio político

walace guimaraes vg   Réu em vários processos, cinco deles na 7ª Vara Criminal de Cuiabá (nas quatro fases da Sodoma e mais a Seven), o governador Silval Barbosa tem provocado muita tensão no meio político, inclusive entre figurões, a cada notícia de que prestará depoimento. De sua boca...