Cuiabá, 20 de Fevereiro de 2017

Executivo

A | A

Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 16h:39 | Atualizado: 11/01/2017, 17h:05

CAB Cuiabá

Interventor rebate prefeito e diz que não é submisso ao fiscalizar serviço

Gilberto Leite/Rdnews

marcelo oliveira_gilberto leite (1).jpg

Diretor operacional da RK Partners e Interventor da CAB, Marcelo Oliveira, não vê conflito entre as atribuições da Arsec e pontua que, o importante é  a concessionária cumprir o contrato assinado

O diretor operacional da RK Partners e interventor da CAB Cuiabá, Marcelo Oliveira, rebateu o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), sobre a Arsec ter o poder de indicar e, ao mesmo tempo, fiscalizar a direção operacional da concessionária. “Eu vejo problema em ser submisso. Porém, a partir do momento em que você não é submisso e que esteja lá para, realmente, fazer cumprir o contrato, eu não vejo nenhum problema”, afirma o interventor.

No decreto em que determinou a inspeção nos contratos da CAB, assinado em 1º de janeiro, Emanuel questionou o poder da Arsec. Para o prefeito, as atribuições de indicação e fiscalização não estão claras. Por isso, pediria explicações à agencia reguladora.

O ex-secretário de Obras pontua, ainda, que a declaração do prefeito é um retrocesso considerando, em sua opinião, que a CAB ficou encarregada do saneamento por quatro anos e não fez nada pela Capital. Ele sustenta, ainda, que tem comprometimento com Cuiabá e que o cargo se faz necessário para fiscalizar o andamento das obras. “O que precisa é ter pessoas comprometidas com saneamento porque, senão, vai acontecer o mesmo que aconteceu. Ficaram quatro anos ai e cadê investimento em água e esgoto?”, questiona.

A CAB Cuiabá ainda encontra-se em intervenção até a RK Partners ter autorização de todos os municípios em que a CAB realizava os trabalhos de saneamento. Conforme o novo contrato, a concessionária tem compromisso de viabilizar R$ 204 milhões em 18 meses, sendo R$ 91 milhões para sistema de água e R$ 113 milhões para o esgotamento sanitário. 

 Nos próximos sete anos, RK Partners deverá investir R$ 1,21 bilhão para coletar e tratar 100% do esgoto em Cuiabá. À empresa foi concedido o prazo de 180 dias para iniciar os trabalhos, ou seja, até maio deste ano.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Gerson Carrera | Quinta-Feira, 12 de Janeiro de 2017, 10h42
    0
    0

    Gerson Carrera, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • eduardo | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 18h22
    3
    1

    E as coisas irão ficar como antes querem apostar ??

Matéria(s) relacionada(s):