Executivo

Terça-Feira, 12 de Setembro de 2017, 17h:34 | Atualizado: 13/09/2017, 08h:48

preservação do sigilo

Mesmo após decisão judicial, governo não fornece dados de exportação para o TCE

Gilberto Leite

Gustavo Oliveira

Secretário Gustavo diz que o Governo já dá novo tratamento à desoneração de exportação

O secretário estadual de Fazenda (Sefaz), Gustavo de Oliveira, explicou nesta terça (12) que o Governo, mesmo após decisão judicial, ainda não forneceu os dados sobre exportação para o Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT) e que só isso só será feito quando não couberem mais recursos. “A gente entende ainda que a preservação do sigilo fiscal precisa ser feita”, diz.

Em 28 de agosto, o desembargador José Zuquim Nogueira determinou, por meio de liminar, que a pasta repassasse ao TCE informações fiscais sobre as operações de exportação. Desde o primeiro semestre, o órgão tenta judicialmente ter acesso a esses dados, já que segundo o Tribunal essa fiscalização é imprescindível para o controle total das contas do governo.

Gustavo comentou que não sabe quando esses dados deverão ser repassados para o TCE e que, por enquanto, a Procuradoria Geral do Estado (PGE/MT) está cuidando dos prazos e tentando verificar se existe uma possibilidade legal para que as informações continuem sigilosas.

Além disso, ele pontua que outras medidas estão sendo tomadas. “Em paralelo a isso, nós estamos dando todo um novo tratamento principalmente para as questões de desoneração de exportação dentro da secretaria de Fazenda. (Com isso) a gente deve ter algumas respostas melhores de arrecadação”, argumenta durante evento de apresentação da Prosposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto de Gastos do governo.

Imbróglio

Desde novembro do ano passado o TCE tenta, em tratativas com dois ex-secretários, Paulo Brustolin e Seneri Paludo, e com o atual titular da Sefaz, ter acesso a dados como o relatório do montante exportado, por empresa, no período de 2013 ao primeiro semestre de 2016, indicando o segmento econômico ao qual pertence e a situação cadastral; planos de fiscalização que contemplem o controle de exportações (período de 2013 a 2016); relatórios sobre levantamentos/autuações efetuados em decorrência de fiscalizações no período mencionado; relatórios gerenciais e estudos produzidos pela Sefaz relativos a controle e fiscalização.

A “briga” entre o TCE e o governo estadual foi para outro campo em abril, quando o órgão controlador protocolou na Justiça uma ação para conseguir a liberação desses dados. O caso foi para a via judicial após a Sefaz negar as informações que foram requisitadas por uma equipe de auditores públicos externos designados para essa atividade.

Após a judicialização, o governador Pedro Taques chegou a comentar que o presidente do TCE, conselheiro Antônio Joaquim estava “usando o órgão como trampolim eleitoral”. Joaquim negou a acusação e disse que apenas defendia a instituição.

Ainda em abril, o desembargador Zuquim indeferiu o pedido do TCE citando, à época, que “os Poderes ainda são distintos, embora devam ser harmônicos, evitando-se o abuso em detrimento do interesse da coletividade”. Além de negar o pedido, o magistrado extinguiu o mandado de segurança impetrado pelo Tribunal.

Seguindo a questão, no mês passado a Turma de Câmaras Reunidas do Tribunal de Justiça reverteu a decisão do desembargador de extinguir a ação do TCE. Os votantes acompanharam a decisão da desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, que acabou assumindo a relatoria do mandado de segurança.

Em 28 de agosto, no movimento judicial mais recente sobre o caso, Zuquim voltou atrás da decisão que havia tomado em abril e determinou que a Sefaz repassasse ao TCE as informações fiscais relativas às exportações de Mato Grosso. Os órgãos interessados já foram notificados, mas como explicou Oliveira, nesta terça, a PGE busca uma forma de recorrer.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • João | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 14h43
    0
    1

    Governo déspota e autoritário que não responde a ninguém. Não cumpre nem mesmo decisão judicial.

  • nilton | Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017, 08h43
    1
    1

    tem liminar e não cumpre? Estado de Transformação mesmo

Matéria(s) relacionada(s):

Controladores de ROO e o baixo salário

Em Rondonópolis, o prefeito Zé do Pátio foi obrigado, por decisão judicial, a empossar controladores internos do Município. Mas, depois, simplesmente "lavou as mãos". Os controladores têm, entre outras atribuições, a missão de proteger o patrimônio, fiscalizar e combater a corrupção. A atuação é equiparada ao do trabalho desenvolvido pela CGU. O problema é que esses profissionais...

Prefeitos empurram pré-candidatura

neurilan fraga curtinha   Neurilan Fraga (PSD) tem recebido incentivo de prefeitos, os quais representa como presidente da AMM, para ser candidato. Em princípio, seu nome era citado como opção à Câmara Federal. Mas agora pode entrar no páreo para deputado estadual. Abriu-se essa brecha por causa da...

Lutava pra sair e agora luta pra entrar

antonio joaquim curtinha   Antonio Joaquim enfrenta um drama pessoal e um embate jurídico um tanto curioso. Lutava para sair e agora luta para entrar no TCE-MT. Até semana passada, antes da operação Malebolge, Joaquim dizia que já havia dado sua contribuição no tribunal e que, após 17 anos de...

Perri, apoio e decisão com o "fígado"

rogers detran curtinhas   A decisão de Orlando Perri de afastar Rogers (foto) do comando da Segurança e ainda impor a este tornozeleira eletrônica causou muitos debates internos, especialmente depois da reação dura do governador Taques. De um lado, os colegas de Pleno prestaram solidariedade a Perri e...

Secretário destrava 10 obras da Copa

wilson_santos No cargo se secretário de Cidades há quase 9 meses, Wilson Santos (PSDB), em visita à sede do Rdnews, comemora o fato de ter conseguido destravar 10 obras da Copa de 2014. Admite que ainda restam pelo menos mais 4 para retomar, o que deve ocorrer no próximo ano, além do VLT. O reinício das obras do...

Desembargador denunciado no CNJ

orlando perri   Orlando Perri (foto) vai ser representado no CNJ. Quem o denunciará será Pedro Taques. O  governador se mostra revoltado com a decisão do desembargador de, mesmo com parecer contrário do MPE, mandou afastar Rogers do cargo de secretário de Segurança e ainda determinou que este use...

Taques define Perri como juiz acusador

pedro taques curtinha   Pedro Taques (foto) reagiu de forma dura e enérgica à decisão cautelar do desembargador Perri, que determinou afastamento de Rogers do comando da Segurança e ainda o impôs tornozeleira eletrônica, por entender que este usou o cargo para tentar obter documentos sigilosos ou...

Diretoria recebe apoio de servidores

luiz_henrique_curtinha O Sindicato dos Trabalhadores do TCE e a Associação dos Aposentados e Pensionistas do Tribunal emitiram nota de apoio à nova gestão do órgão fiscalizador, alterada por força de decisão judicial. O apoio acontece 6 dias após o STF afastar 5 membros do Pleno, acusados em...

Incompetência e os voos cancelados

z� do patio curtinha   O prefeito Zé do Pátio, de Rondonópolis, é tão incompetente que não consegue manter regularizados pagamentos para funcionamento do aeroporto municipal Maestro Marinho Franco. Para se ter ideia, há 9 meses a prefeitura não paga dois bombeiros militares...