Cuiabá, 20 de Setembro de 2014

Executivo

A | A

Terça-Feira, 30 de Março de 2010, 21h:47 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:25

CUIABÁ

Prefeitura destrói garagens para ter fachada na entrada da Capital

  A prefeitura de Cuiabá demoliu nesta terça (30) garagens localizadas em um terreno, em frente à rede de Supermercado Atacadão, no Porto. A administração municipal tentava desapropriar a área há cerca de 20 anos. Antes a equipe de técnicos pretendia construir no local um terminal rodoviário. Agora vai ser implantado uma espécie de portal. “Após muita negociação, conseguimos fazer uma troca com os proprietários. A prefeitura doou áreas em outras localidades e eles concordaram em retirar as ações da Justiça e permitir a desapropriação”, explica o secretário de Infraestrutura, Euclides Santos.

  Segundo ele, será construído um portal de entrada da Capital, além da implantação de melhorias estruturais que favorecerão o fluxo de carros na área, que faz divisa com Várzea Grande e enfrenta problemas de congestionamento. “Queremos deixar esse local mais bonito porque desse jeito não dá para ficar”. O secretário de Trânsito e Transportes Urbanos, Edivá Alves, disse que a obra será concluída em 30 dias. “Estamos tentando também uma parceria com o Atacadão para dividir os custos”, disse.

  Ele adiantou que devem ser realizados alargamentos de ruas, mudanças no posicionamento de semáforos e a troca da entrada da rede de supermercados. “Esse conjunto de mudanças melhorará o trânsito”. A prefeitura não decidiu ainda se executará a obra com recursos próprios ou se realizará uma licitação para contratação de uma empreiteira. “Também não sabemos quanto será necessário para a execução do projeto”, admitiu Edivá.

Postar um novo comentário

Comentários (15)

  • Leandro | Sexta-Feira, 02 de Abril de 2010, 02h28
    0
    0

    Realmente ali era uma calamidade pública no transito de Cuiabá, quem vinha de Várzea Grande para a Capital sempre teve problemas na entrada da av. coronel duarte, esperamos que seja um belo portal de entrada..

  • Dorival Pereira | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 14h47
    0
    0

    Na verdade esta area nao é para o povo Cuiabano, e sim para que o Atacadao cresça seu espaço, acorda povo Cuiabano, isso de nada nos beneficia e sim as grandes empresas, como Atacadao e aquele podto no meio do Canteiro, obras concluidas, somente para quem tem dinheiro, venham beber a agua do Primeiro de Março, e verao a verdadeira gestao para poucos do Pinoquio. Sou Cuiaba de coração.

  • Internauta | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 14h39
    0
    0

    Obra de 30 dias??? Espero que o resultado seja proporcional aos anseios da população em área tão disputada, há tanto tempo. O projeto deveria ser impecável. Tempo para isso tiveram. Cuidado gestores.

  • Araripe de Macedo Nunes | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 14h09
    0
    0

    As garagens se mantinham no local por força de liminar: entraram na Justiça e adiaram o quanto puderam a saída do local. Isso ocorreu na administração de Roberto França, o que quer dizer que WS pegou um problema já criado e conseguiu resolvê-lo, como tem feito na maioria absoluta das situações que enfrenta. E vai fazer muito mais quando se eleger governador em outubro próximo, apesar do bando de pessimistas que torce contra ele.

  • Juliano | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 12h19
    0
    0

    Quem apoia WS, deve ser milhionário e não ta nem aí, deve ter água em casa todo dia, anda de helicoptero e não precisa de asfalto(buracos e trânsito), não precisa de pronto socorro e tudo o mais. Segundo mandato foi só pra fazer caixa de campanha, pois o dinheiro ninguem viu.

  • odenir | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 10h28
    0
    0

    verdade

  • B Silva | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 10h21
    0
    0

    Essa área em questão não deveria em tempo algum ser trocada por outra nem muito menos ser indenizada, pois é fruto de grilagem pelos atuais posseiros. Pior ainda se o Wilson Pinóquio vendeu essa área no primeiro mandato como afirma um leitor, posso até acredtitar depois que ele vendeu a rua Tufik Affi. É demais seu Wilson, vende, depois troca e depois indeniza, manobras prá dificultar as mazelas. Fora Pinóquio!

  • Ricardo Sena de Atacama | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 09h38
    0
    0

    Atenção pessoal: esse problema agora resolvido foi herança do Gordo. A população desavisada deve ser alertada que WS herdou esse problema e inúmeros outros do Roberto França e conseguiu uma solução. Aliás, a maioria das coisas erradas do Gordo o prefeito Wilson tem corrigido. É assim que faz. Avante Wilson, até a vitória rumo ao Paiaguás.

  • Jedae | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 09h27
    0
    0

    Nasci no Dom Aquino. De ponta a ponta. Ali tudo é grilado. Neste pedaço, existiu o antigo bairro chamado de Terceiro. ESte bairro acabou com a grande enchente de 1974. Tudo ali é grilado. Vai do hipermercado até o bairro Grande Terceiro. Nesta faixa de terreno, ao lado do rio, ninguem tem escritura de nada. Não deveria haver negociação alguma!

  • maria do rosario almeida | Quarta-Feira, 31 de Março de 2010, 09h14
    0
    0

    QUERO DIZER AO DEMOSTENES E ALINOR.A ÁREA EM FRENTE AO ATACADÃO FOI VENDIDA SIM SENHOR PELO PREFEITO WILSON SANTOS NO 1º MANDATO.SE NÃO ACREDITA VA ATÉ O SETOR DE LICITAÇÃO E EXIJA OS DOCUMENTOS.COMO CIDADÃO VC. PODE E DEVE FAZER ISSO.A SEGUNDA VENDA A RUA TUFIK AFFI, NÃO SERIA A MELHOR OPÇÃO PARA ENTRADA PARA O ESTACIONAMENTO DO ATACADÃO? SEM TER QUE ATRAPALHAR O TRANSITO QUE VEM DE V.GRANDE.