Cuiabá, 28 de Fevereiro de 2017

Arte e Cultura

A | A

Sexta-Feira, 16 de Dezembro de 2016, 08h:27 | Atualizado: 18/12/2016, 06h:20

Jornalista lança livro sobre a história do algodão e de pioneiros em MT

Lucas Ninno

Livro_algodao

Escritora Martha Baptista durante lançamento do livro que conta a história do algodão no Estado

Algodão – Os Pioneiros que Transformaram Mato Grosso em um Grande Produtor poderia ser só mais um livro institucional, não tivesse a jornalista e escritora Martha Baptista tomado o cuidado de fazer, além das diversas entrevistas, um apanhado histórico completo sobre o ciclo da matéria-prima de 95% de tudo que vestimos, mesmo com a descoberta de diversos outros materiais sintéticos.

À parte os derivados de petróleo já misturados na feitura de roupas há meio século, o algodão ainda reina soberano nas vestimentas da maior parte da população do planeta.

O Estado, lembra o livro, é o maior produtor da fibra de todo o Brasil. Por aqui, os índios Xarayes já utilizavam-no para produzir roupas e ornamentos desde antes da chegada dos portugueses.

Num recorte minucioso, um trabalho que consumiu mais de um ano de pesquisa e escrita, Baptista lembra o passo a passo para a valorização do fruto, ainda no século 19, quando o cultivo começa a ser sistematizado à maneira europeia, por meio das informações obtidas pelos pesquisadores e cientistas da Expedição Langsdorff (especificamente o livro de Hercule Florence Viagem Fluvial do Tietê ao Amazonas), pois, pontua Baptista, os indígenas já se serviam muito bem da cultura algodoeira desde o século 15 (de acordo com as referências de Cabeza de Vaca e, mais recentemente, a arqueóloga Maria Clara Migliacio e a historiadora Ariane Aparecida Carvalho de Arruda).

Ricamente ilustrado, o volume traz desde desenhos pontilhados típicos da idade média, dos traços de tons pasteis e maior proximidade com as paisagens tais quais elas eram, características dos anos de 1800, até desenhos técnicos de máquinas de descaroçar, teares, rodas de fiar, além de muitos e muitos povos indígenas, até chegar ao maquinário moderno, com os tratores gigantes de fabricação norte-americana, israelense e alemã que cortam a paisagem atual de Mato Grosso.

Galeria: História do algodão em MT

“Nosso intuito é fazer um registro da história de desbravadores que, fiéis ao espírito dos verdadeiros empreendedores, ousaram fazer algo novo no coração do Brasil”, escreveu o presidente da Associação Mato-grossense de Produtores de Algodão (Ampa), Gustavo Viganó Piccoli, presidente da Ampa no biênio 2015/16.

Ao longo das 184 páginas do livro, além das imagens várias, há depoimentos dos produtores pioneiros do cultivo mecanizado de algodão e a história da fundação da própria Ampa em 1997, numa descrição do caminho percorrido por Mato Grosso até a liderança da produção brasileira.

colheita algodão

 MT é campeão na produção de algodão e livro ajuda a compreender com Estado chegou ao posto

Personagens como o ex-governador Dante de Oliveira e Cloves Vettorato, protagonistas do episódio de criação do Programa de Apoio ao Algodão de Mato Grosso (Proalmat), são lembrados nas páginas do livro.

Também há a presença do talvez mais famoso dos produtores pioneiros, o empresário Olacyr de Moraes, e os não tão conhecidos por quem não é do meio, mas de importância evidente devido ao quanto produzem, como Ignácio Mammana Netto e  cotonicultores ainda ativos como Benjamim Zandonadi (de Campo Verde).

Mas a história contada no livro vai muito além ao recorrer a pesquisadores e cronistas de viagem para relatar a intensa produção algodoeira em várias regiões do estado por pequenos produtores, desde a Rondonópolis dos anos 1950, que ganhou o título de Rainha do Algodão por aqueles tempos.

A obra conta ainda sobre a chegada do bicudo-do-algodoeiro às lavouras paulistas, paranaenses e nordestinas, e, mais tarde, a Mato Grosso, num processo classificado por pesquisadores como "um divisor de águas".

"A história do algodão em Mato Grosso é muito rica e bonita. Muitos são os personagens que se destacaram na implantação da cultura no cerrado em diversos momentos, enfrentando pragas, doenças, dificuldades de infraestrutura e um sem número de desafios que foram sendo vencidos com a pesquisa e o desenvolvimento de novas tecnologias, a busca de conhecimento e, principalmente, a união que é uma marca dos produtores que se aglutinaram em torno da Ampa", comenta Décio Tocantins, diretor executivo da Ampa e personagem da história. 

Livro

O livro Algodão – Os Pioneiros que Transformaram Mato Grosso em um Grande Produtor foi editado pela Entrelinhas Editora e será distribuído pela Ampa a todas as bibliotecas de Mato Grosso e também às instituições relacionadas ao algodão de outros estados.  A obra, lançada neste mês, traz na capa uma obra original do artista mato-grossense Jonas Barros.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):