Cuiabá, 28 de Março de 2017

Variedades

A | A

Sexta-Feira, 17 de Fevereiro de 2017, 08h:20 | Atualizado: 19/02/2017, 10h:23

BIOCONSTRUÇÃO

Teto verde é solução sustentável para melhorar clima e aparência de locais

Gilberto Leite

Teto Verde

Teto feito de vegetação tem funções múltiplas e estética é bela. Trata-se de ótima opção para Cuiabá

As construções sustentáveis, ou ecologicamente corretas ou alternativas, tornaram-se uma boa solução para quem procura conforto, menores custos e maior qualidade de vida. Em Cuiabá, o Espaço Gayananda, um escritório de arquitetura e engenharia especializado em projetos de telhados verdes e demais bioconstruções, oferece a possibilidade de criação do projeto e sua posterior realização.

Comandado pela engenheira civil, especializada em bioconstrução, Dilênia Lara, e pela arquiteta, urbanista e bioarquiteta Ana Paula Livero, o Gayananda faz também casas de hiperadobe, uma evolução das antigas casas de adobe só que muito mais fortes, resistentes e sem os problemas comuns a esse tipo de construção tradicional, como a infestação por certos tipos de insetos, alguns inclusive transmissores de doenças como a de chagas, além de uma durabilidade muito maior.

As soluções apresentadas por elas são ideais para transformar o visual de casas, edifícios ou escritórios, além de contribuir para fazer de aglomerações urbanas mais leves, frescas, menos poluentes e mais orgânicas, explica a engenheira Dilênia. “Se conseguíssemos fazer um bairro com teto verde, o microclima melhoraria nesse lugar, ficaria mais ameno, mais arejado. É só um dos efeitos positivos de bioconstruções ou da chamada construção alternativa”, conta ao .

Elas, arquiteta e engenheira (mais um engenheiro agrônomo, Gabriel Mancilla, marido de Dilênia), trabalham de maneira a fazer com que, no lugar de telhados e forros tradicionais, utilizem-se camadas de material reciclável (como o madeirite), mantas impermeabilizadoras e de filtragem e, por fim, terra e plantas propriamente ditos. A vegetação cresce sobre esses verdadeiros jardins suspensos.

Os custos de aplicação variam de acordo com os materiais e o sistema preferido, mas elas garantem ter os meios para conseguir preços justos e boas soluções para mão de obra reduzida, inclusive.

Para além da beleza propriamente dita, a engenheira esclarece que a água da chuva é filtrada por debaixo do teto, assim como as águas utilizadas em lavanderias e cozinhas, e podem ser reutilizadas em outro jardim, nos ambientes abaixo dos tetos, por exemplo. Ela mesma mantém, nos fundos da casa dela, uma varanda com teto verde, um jardim logo abaixo com um mini-lago. Tudo ecologicamente sustentável, praticamente sem impacto ao meio ambiente.

Ela reforça também a ideia de que, como ambientes de teto verde são mais arejados, ajudam a economizar energia elétrica, por exemplo, além de ajudar a dirimir as chamadas ilhas de calor, “mas isso depende de um número maior de casas utilizando a técnica”, esclarece. 

Galeria: Teto Verde

Isso acontece porque esse tipo de telhado absorve até 90% mais calor que sistemas de cobertura convencionais e ainda impede que o calor seja propagado para o interior da construção. Se não excluir completamente o uso de ar condicionado (caso de Cuiabá, cujas temperaturas são reconhecidamente muito elevadas), diminui e muito a necessidade de mantê-lo ligado por horas a fio.

Outras vantagens, apontadas por Gabriel, é o fato de plantas produzirem oxigênio e, a partir disso, melhorar a qualidade do ar não só do ambiente, mas até mesmo do entorno, além de ajudar a absorver barulho e melhorar o isolamento acústico. Fala também de, como retêm água da chuva, tornar mais simples o processo de reutilização da água e ajudar a evitar que ela preencha as galerias urbanas; ultimamente, um dos grandes problemas das cidades, sempre cheias de pontos de alagamento (quem é obrigado a passar pela Fernando Correa nestes dias de chuva sabe do que o agrônomo está falando).

"Nós procuramos construir utilizando o que a natureza oferece"

Nesse mesmo raciocínio, ajuda também a reduzir a incidência de enxurradas, outro grande problema dos dias atuais em espaços urbanos comunitários.

Regulagem da umidade do ar, promoção do equilíbrio ambiental, com utilização de plantas nativas, criação de habitat para pássaros e pequenos animais, principalmente quando são  usadas plantas nativas, além da criação de mais um espaço para o convívio familiar -- “você não costuma subir no telhado de sua casa, porque normalmente ele não aguenta pessoas em cima dele, mas pode muito bem fazer isso sobre um teto verde”, lembra Dilenia -- também são citados.

Por fim, ela resume a filosofia de construção que sua empresa tenta implantar: “Nós procuramos construir utilizando o que a natureza oferece. Evitamos ao máximo materiais industrializados”.

 Quem quiser conhecer o trabalho do Espaço Gayananda pode entrar em contato pelos telefones (65) 3365-3720 ou pelos celulares da arquiteta Ana Paula (99962-9397) e da engenheira Dilênia (99622-5922).

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Alzira Sampaio | Sábado, 18 de Fevereiro de 2017, 19h44
    0
    0

    Projeto maravilhoso, essa é a solução.. Parabéns!!!

  • Nina Lima | Sexta-Feira, 17 de Fevereiro de 2017, 09h53
    3
    0

    Olha a solução ai!! Cuiabá mais Verde.

Matéria(s) relacionada(s):