Judiciário

Terça-Feira, 10 de Janeiro de 2017, 22h:48 | Atualizado: 11/01/2017, 14h:08

Estou surpreso, pois chefe do MPF já arquivou o caso, diz ex-governador

Gilberto Leite

Blairo Maggi _ ministro _ coletiva

Ex-governador Blairo Maggi disse estranhar decisão do magistrado, já que a Procuradoria-Geral da República o inocentou da acusação de que teria envolvimento na compra de vaga no TCE para Sérgio

O senador licenciado e ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), disse estar surpreso com a decisão do juiz Luiz Aparecido Bertolucci, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, que determinou afastamento de Sérgio Ricardo da cadeira de conselheiro do TCE e também a indisponibilidade de bens, até o limite de R$ 4 milhões, de 9 pessoas, entre elas o próprio Blairo.

Segundo o ex-governador, desde abril do ano passado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, determinou arquivamento de todas as acusações que pesavam contra ele na chamada Operação Ararath. O chefe do Ministério Público Federal entendeu que não haviam nos autos indícios suficientes de crimes praticados contra o ex-governador e nem vislumbrou outras diligências úteis à formação da justa causa para oferecimento de denúncia. "Por isso, me surpreendeu a decisão, ainda que provisória, do juiz de receber a denúncia contra mim".

Blairo Maggi, que comandou o Estado de 2003 a 2010, pondera ainda que "nada de novo foi acrescido ao processo". Entende que o juiz agiu na contramão do entendimento do Procurador-Geral da República, a quem coube apurar as denúncias. "Com a consciência tranquila, estou pronto para prestar todos os esclarecimentos à Justiça e, recorrer da medida, por entender não ter sido justa a decisão proferida, ainda que liminarmente".

Além de Blairo e Sérgio, vão ficar com bens bloqueados o conselheiro aposentado do TCE, Alencar Soares, acusado de ter vendido a cadeira vitalícia, o filho de Alencar, empresário Leandro Soares, o ex-secretário de Fazenda Eder Moraes, os ex-deputados Humberto Bosaipo e Geraldo Riva, o ex-governador Silval Barbosa e o empresário Gercio Marcelino Mendonça Júnior.

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual, Sérgio comprou a vaga de Alencar por R$ 8 milhões. No esquema fraudulento foram usados recursos públicos e operados por Júnior Mendonça. O MPE sustenta que Blairo, governador na época, estimulou e permitiu a utilização de factoring como forma de levantar recursos e, assim, cumprir "despesas políticas". Esse procedimento avançou sob Silval, que assumiu a cadeira de governador a partir de abril de 2010. Júnior Mendonça foi quem abriu a boca. Citou reuniões para discutir o assunto e até depósitos bancários milionários.

Postar um novo comentário

Comentários (15)

  • Julio | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 16h36
    0
    0

    A Justiça solta um empresário que afirmava ter provas contra o governador Pedro Taques antes dele entabular o acordo de delação premiada e agora reabre um processo arquivado contra Blairo Magi. É bem Mato Grosso! kkkk

  • Davi | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 15h35
    2
    0

    Retaliação de Taques que pretende se reeleger por w.o.

  • Davi | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 15h26
    0
    0

    Davi, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Deovaldo | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 13h20
    1
    0

    Porque que agora tudo é retaliação de taques,,,A policia federal está neste encalço desde 2012,,,,,tem que prender estes safados sim,,,chega de roubar da gente povoburro

  • cleide | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 13h05
    1
    0

    Bom, alguns comentários dizem que pode ser a turma do "homem honesto, muito honesto" que já começou a tramar contra o ministro, para que este não tenha chances de disputar novas eleições. Pode ser. E é bom que faça campanha contra, o ministro tb não é santo. Concordo com o João de Rondonópolis. Mas que nome então podemos pensar para 2018?

  • SURPRESO, NÃO TÔ MAIS | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 11h02
    9
    0

    SURPRESO EU ESTARIA SE A JUSTIÇA O ESQUECESSE.

  • jj | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 10h02
    3
    0

    jj, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • tonny | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 09h54
    10
    0

    Blairo Maggi deveria estar na Cadeia. Blairo e Silval afundaram Mato Grosso.

  • LISBETE | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 08h33
    10
    0

    A LEI É PARA TODOS, SEM EXCEÇÃO. SILVAL BARBOSA CHEGOU AO FUNDO DO POÇO E O SENHOR BLAIRO FOI ALÇADO AO PODER. ISSO SÓ NO BRASIL.

  • joaoderondonopolis | Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 07h52
    10
    1

    Acredito que a população de MT não deve votar em Blário, nem em Mendes e pior ainda em Taques.

Matéria(s) relacionada(s):

Frustrado pela própria desorganização

emanuel pinheiro curtinhas   O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro foi vítima da desorganização da própria gestão ao não conseguir chegar ao Parque Tia Nair a tempo de assistir a apresentação da Esquadrilha da Fumaça neste domingo. Ficou preso na trânsito que congestionou...

Malouf e acerto com quadrilha de Silval

Em mais um depoimento à juíza Selma, da 7ª Vara Criminal da Capital, Alan Malouf, quando questionado acerca de um esquema no Governo Silval que resultou no desvio de R$ 16 milhões do erário, reconheceu ter recebido R$ 950 mil num contrato de gaveta e que não pagou impostos sobre o montante. Contou que em 2010 foi procurado por Eder Moraes, então secretário da Casa Civil, para poder realizar a solenidade de posse do governador para mil...

Ex-governador nega "surra" de Piran

valdir piran curtinha   O emblemático encontro entre Valdir Piran (foto) e Silval para acerto de contas foi questionado pela promotora de Justiça Ana Bardusco, durante depoimento do ex-governador na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, nesta quinta. Diferente do que afirmou o ex-secretário Nadaf, Silval amenizou a...

Propinoduto "bancou" posse de Silval

alan malouf curtinha   O Buffet Leila Malouf, que tem como um dos sócios o delator Alan Malouf (foto), recebeu uma "bolada" para fazer a cerimônia de posse de Silval como governador. De fato, o evento realizado em 1º de janeiro de 2011 foi marcado por muito requinte. Na época, não se falava em valores. Eis que agora,...

Tirando dúvidas no CCC sobre propina

pedro nadaf depoimento curtinha   No 3º dia de confissão de Silval à Justiça, nesta quinta, ele contou que conversava com os demais membros da organização criminosa nos momentos de brechas, especialmente na hora da limpeza das celas, dentro do Centro de Custódia de Cuiabá, onde esteve preso por...

Forçando a barra para homenagear pai

vinicyus clovito curtinha   Diferente do pai Clovito Hugueney, parlamentar sensato que teve o 3º mandato de vereador interrompido por sua morte há 2 anos, Vinicyus Hugueney (foto), vereador de 1º mandato licenciado e hoje à frente da pasta de Trabalho e Desenvolvimento da Capital, não demonstra as mesmas habilidades...

Mais 11 em situação de emergência

Mais 11 municípios têm situação de emergência reconhecida pelo governo estadual, após prefeitos terem pedido socorro por causa de problemas ocasionados, principalmente com as chuvas. No mês passado, o Estado havia homologado situação de emergência em 15 cidades. Desta vez, o governador Taques referendou decretos municipais já assinados pelos gestores de Canabrava do Norte, Chapada dos Guimarães, Colniza,...

Citando outros líderes para ter delação

cezar zilio   A demora na homologação da colaboração premiada de Silval junto ao Supremo se deve, entre outras coisas, ao entendimento da Corte de que líder de organização criminosa não pode delatar. E percebe-se que o ex-governador se esforça para não ser enquadrado como tal. Nos...

O silêncio de Silval sobre conselheiros

De volta nesta quarta à sala da juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal da Capital, Silval Barbosa foi perguntado sobre comentários do seu ex-secretário Pedro Nadaf de que dinheiro do Estado teria, em forma de propina, abastecido bolso de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. Em resposta, o ex-governador que comandou o Estado de março de 2010 a dezembro de 2014 se limitou a dizer que prefere não comentar sobre esse assunto. Selma...

MAIS LIDAS