Cuiabá, 02 de Setembro de 2014

Legislativo

A | A

Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 12h:02 | Atualizado: 13/04/2011, 14h:27

Assembleia Legislativa

Deputados cobram detalhes sobre venda da Cemat; CPI deve apurar

     Após o reajuste na tarifa de energia elétrica, os deputados estaduais exigem do governador Silval Barbosa (PMDB) informações sobre a venda da Rede Cemat à iniciativa privada, ocorrida em 2002 com a autorização de Rogério Salles (PSDB), à época no comando do Palácio Paiaguás. Irritados, os parlamentares encerram na sessão matutina desta quarta (13) para discutir o assunto com diretores da empresa.

     Durante a sessão, Guilherme Maluf (PSDB) subiu à tribuna para defender a exploração do serviço por outras companhias. “Tem que haver concorrência em Mato Grosso. É importante termos outra empresa para a população ter o direito de escolher entre o melhor serviço”.

     Em seguida, Sérgio Ricardo (PR) informou que vai protocolar nesta quarta, no gabinete do governador, um ofício para obter detalhes sobre a venda da Cemat e a responsabilidade entre as partes. “Não temos informações sobre este processo. Precisamos dos documentos para debater o assunto”.

     Ele também defende a concessão de exploração do serviço para novas empresas. “É possível estudar a possibilidade legal de abrir o mercado, como ocorreu com a telefonia. A concorrência é boa para o consumidor”. Além de Sérgio, vão assinar o ofício os deputados Guilherme Maluf e Sebastião Rezende (PR).

     Na reunião da CPI das PCHs desta terça (12), os membros discutiram a possibilidade de incluir nas investigações indícios de irregularidades no fornecimento de energia elétrica pela Rede Cemat. “Já chegamos ao consenso de que o objeto de análise da CPI será ampliado. Só dependemos de algumas questões burocráticas”, informou Sérgio.

CPI das PCHs "mira" Rede Cemat

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Marcos Andrade | Sexta-Feira, 29 de Abril de 2011, 01h09
    0
    0

    Parabens Dep Sergio Ricardo, Percival, Dalmar D Bosco, solicitei uma ligacao de energia em Cuiaba e me enviaram uma carta informando que iriam fazer no prazo de 290 dias (quase um ano) para colocar 3 postes de energia. Isto demostra que esse grupo que recebeu do Dante de Oliveira a Cemat nao tem condicoes financeiras de administrar e atender os consumidores de Mato Grosso. Usam dinheiro publico do BNDES, ELETROBRAS, BANCO DO BRASIL, FUNDACOES DE COMPLEMENTACAO DE APOSENTADORIA DE EMPRESAS PUBLICAS E DA PROPRIA CEMAT e so pensam do ganho e para mandar dinheiro para fora do estado, é parecido com outras que deixamos vir para o estado como a CAVALCA do Parana que veio atraves de quem? Imagina? Veja as ligacoes? Onde foi parar o dinheiro, se é que houve da privatizacao da Cemat que o Dante de Oliveira e sua turma deram de presente. Esperamos que voces facam um servico melhor que a Assembleia de Mato Grosso do Sul, pois alem de tarifas abusivas com aval da Marcia Vandoni (Ager e ANEEL) nao atende os cosumidores que necessitam de energia. BASTA DEVOLVA O PATRIMONIO DO ESTADO DE MATO GROSSO E VAO EMBORA.

  • leo | Quinta-Feira, 14 de Abril de 2011, 14h39
    0
    0

    se for pra valer, até o cemiterio vai tremer.

  • Jedae | Quinta-Feira, 14 de Abril de 2011, 09h25
    0
    0

    riva aproveita e abra uma cpi, para investigar um certo deputado que torrou três milhões de reais com uma churrascaria fantasma. Esse deputado é um tremendo mala sem alça, de papelão, em dia de chuva!

  • analine | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 23h33
    0
    0

    Mas me diga, a concessão de energia não é do governo federal? Esses deputados não podem se meter nisso...que vergonha!

  • ANTONIO CARLOS(TIJUCAL) | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 15h31
    0
    0

    É ISSO AI PAULO MATOS,ASS: SEU LIVRO,ASS:ANTONIO CARLOS,NA VERDADE PAULO O NOSSO ESTADO,E MUNICIPIO SÓ TEM DIRIGENTES,EXPLORADORES DA SOSSIEDADE,VERDADEIROS MORCEGOS,SUGA SAUDE,SEGURANÇA,EDUCAÇÃO,LUZ,AGUA,IPTU,MAS OS IMPOSTOS DISSO TUDO,E NOS,NOS QUE SE DANE,ELES NÃO SABE O QUE FALTA EM MINHA PANELA,E NEN QUEREM SABER,O PROBLEMA É NOSSO,SAI POR AI DE CARRO OU MOTO,COM IPVA ATRASADO,É PATIO DO DETRAM,AI VC VAI VER QUE NÃO É DONO DO CARRO E SIM O ESTADO,SE NÃO TEM DINHEIRO,VAI A LEILÃO PARA O ESTADO NÃO PERDER,QUANDO CAIR NO BURACO,E QUEBRAR O CARRO,O PREJU É SEU,ELES TEM EFICIENCIA PARA COBRAR A SOSSIEDADE,E ALMENTAR O SALARIO DELES,E PARA POR AI.

  • Jedae | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 14h01
    0
    0

    Nobre Paulo Mattos, falou tudo!!!!

  • Jorge Roberto | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 13h58
    0
    0

    Por que só agora com a CPI das PCHs, que há suspeita de favorecimento de um senador matogrossense, estreante no Congresso, levantam questionamentos sobre a rede cemat? Por que não fizeram isso os deputados daquela época (aliás, alguns estão até hoje)? O que mudou? E o senador, por quê não apoia a CPI das PCHs?

  • Emival | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 13h40
    0
    0

    Srs Deputados aproveitam esse animo de cuidar da coisa publica e abram a CPI do MAQUINARIO. aquela do 44 Bi, vcs lembram.

  • Jedae | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 13h16
    0
    0

    riva é na verdade um grande fanfarrão. Nobre deputado, aproveita e abra um cpi também sobre as super maquinas. Vamos ver se o senhor tem todo esse peito. E assim, vamos indo. O lance é jogar pra platéia. Luzes e holofotes no caboclo!

  • Paulo Mattos | Quarta-Feira, 13 de Abril de 2011, 13h04
    0
    0

    E ainda tem a coragem de criticar o Tiririca...Convenhamos, a Assembléia Legislativa de Mato Grosso, por sí só, dá inequívocas demonstrações públicas de que é totalmente alheia aos acontecimentos públicos e privados de Mato Grosso. Como verdadeiros legisladores inoperantes e fiscais incompetentes, são os últimos a saber das coisas. Ou, o que é mais provável, sabem, naquele momento são concordes, exercitando a adjetivação muito bem colocada por Percival Muniz de "caititus", por interesses próprios concordam ou fazem aquilo que chamamos de "vistas grossas" e posteriormente, quando zangados, revoltados, atingidos em seus interesses particulares, resolvem "colocar a boca no trombone" e exigir documentos, provas, contratos, enfim, praticam um impróprio e desatualizado "jus sperneandi". Está sendo assim no caso das tais PCHs. A própria AL, uma das responsáveis pela análise dos processos de concessão e pela posterior autorização daquelas (concessões), instautou uma CPI porque as tais concessões realizadas até hoje, segundo nossos nobres e atuantes parlamentares, encontram-se irregulares, ilegais. Deve-se destacar que essas concessões foram autorizadas há vários anos e somente agora nossos vigilantes e atuantes parlamentares se deram conta de que eles foram excluídos do processo, dando margem a irregularidades nos atos concessórios. Somente agora eles perceberam isso e instauraram uma CPI, cujos investigados, a bem da verdade e por um procedimento correto e justo, deveriam ser também os próprios Parlamentares de antigamente e atuais.No mínimo prevaricaram de suas funções. Agora, a abelha parece que picou alguns dos nossos ilustres parlamentares obrigando-os a sair tardiamente daquele estado lastimável e prejudicial à população matogrossense de sonolência, e querem uma CPI para invtesigar como foi feita e em que circunstâncias deu-se a privatização da Cemat. Como diria o ex-craque Neto "É brincadeira!!!...". Patente fica que em nosso Parlamento temos de tudo: fazendeiros, empreiteiros, sojicultores, financistas, lobbistas, muitos lobbistas, interesseiros de todas as espécies, etc, etc. Só não temos mesmo o essencial num Parlamento: Deputados. Nosso Parlamento transforma-se, a cada dia, em escritório de representação dos interesses mais variados. Menos dos interesses do povo matogrossense.