Legislativo

Quarta-Feira, 01 de Janeiro de 2014, 08h:40 | Atualizado: 01/01/2014, 08h:55

RETROSPECTIVA

Em 2013, Rui Prado é reeleito com eleições judicializadas

   Fotos: Rodinei Crescêncio -- Rui Prado foi reeleito em processo tumultuado. Já Carlos Fávaro soube construir o consensoO ano de 2013 foi marcado por polêmicas nas eleições de associações e federações do Estado. Uma das mais tumultuadas foi à recondução de Rui Prado ao comando da Famato, em 14 de maio. Ele disputou subjudice e venceu ao obter 50 votos contra 30 conquistados pelo oposicionista Antônio Galvan.

   Rui Prado era acusado de desrespeitar o estatuto da Famato e a Lei Geral das Eleições, que proíbem reeleições consecutivas. Ocorre que, eleito como vice na chapa encabeçada por Homero Pereira (PSD), assumiu a diretoria da Famato em 2007, quando o ruralista renunciou à presidência para tomar posse na Câmara Federal. Assim, em tese, estaria disputando a reeleição pela segunda vez consecutiva.

   Embora a situação tenha causado polêmica, Prado foi reeleito e, em 6 de novembro, a Justiça do Trabalho julgou improcedente ação que pretendia anular a eleição que o reconduziu para ordenar um orçamento de R$ 7 milhões. Outra eleição tumultuada foi a que reconduziu José João Bernardes ao comando da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) para o próximo triênio.

   Após uma guerra judicial, em 14 de novembro, Bernardes concorreu sozinho, depois que a Justiça, ás vésperas da eleição, cassou liminar que permitia a participação da chapa de oposição, encabeçada por Vilmondes Tomain e Rogério Romanini concorresse. A Justiça entendeu que eles desrespeitaram o regimento interno.

   Já Carlos Fávaro soube se articular e, diferentemente de Rui e Bernardes, conseguiu costurar consenso. Ele foi reconduzido ao comando da Aprosoja em 4 de novembro e continuará à frente da associação no biênio 2014/2015.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Malouf e acerto com quadrilha de Silval

Em mais um depoimento à juíza Selma, da 7ª Vara Criminal da Capital, Alan Malouf, quando questionado acerca de um esquema no Governo Silval que resultou no desvio de R$ 16 milhões do erário, reconheceu ter recebido R$ 950 mil num contrato de gaveta e que não pagou impostos sobre o montante. Contou que em 2010 foi procurado por Eder Moraes, então secretário da Casa Civil, para poder realizar a solenidade de posse do governador para mil...

Ex-governador nega "surra" de Piran

valdir piran curtinha   O emblemático encontro entre Valdir Piran (foto) e Silval para acerto de contas foi questionado pela promotora de Justiça Ana Bardusco, durante depoimento do ex-governador na 7ª Vara Criminal de Cuiabá, nesta quinta. Diferente do que afirmou o ex-secretário Nadaf, Silval amenizou a...

Propinoduto "bancou" posse de Silval

alan malouf curtinha   O Buffet Leila Malouf, que tem como um dos sócios o delator Alan Malouf (foto), recebeu uma "bolada" para fazer a cerimônia de posse de Silval como governador. De fato, o evento realizado em 1º de janeiro de 2011 foi marcado por muito requinte. Na época, não se falava em valores. Eis que agora,...

Tirando dúvidas no CCC sobre propina

pedro nadaf depoimento curtinha   No 3º dia de confissão de Silval à Justiça, nesta quinta, ele contou que conversava com os demais membros da organização criminosa nos momentos de brechas, especialmente na hora da limpeza das celas, dentro do Centro de Custódia de Cuiabá, onde esteve preso por...

Forçando a barra para homenagear pai

vinicyus clovito curtinha   Diferente do pai Clovito Hugueney, parlamentar sensato que teve o 3º mandato de vereador interrompido por sua morte há 2 anos, Vinicyus Hugueney (foto), vereador de 1º mandato licenciado e hoje à frente da pasta de Trabalho e Desenvolvimento da Capital, não demonstra as mesmas habilidades...

Mais 11 em situação de emergência

Mais 11 municípios têm situação de emergência reconhecida pelo governo estadual, após prefeitos terem pedido socorro por causa de problemas ocasionados, principalmente com as chuvas. No mês passado, o Estado havia homologado situação de emergência em 15 cidades. Desta vez, o governador Taques referendou decretos municipais já assinados pelos gestores de Canabrava do Norte, Chapada dos Guimarães, Colniza,...

Citando outros líderes para ter delação

cezar zilio   A demora na homologação da colaboração premiada de Silval junto ao Supremo se deve, entre outras coisas, ao entendimento da Corte de que líder de organização criminosa não pode delatar. E percebe-se que o ex-governador se esforça para não ser enquadrado como tal. Nos...

O silêncio de Silval sobre conselheiros

De volta nesta quarta à sala da juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal da Capital, Silval Barbosa foi perguntado sobre comentários do seu ex-secretário Pedro Nadaf de que dinheiro do Estado teria, em forma de propina, abastecido bolso de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. Em resposta, o ex-governador que comandou o Estado de março de 2010 a dezembro de 2014 se limitou a dizer que prefere não comentar sobre esse assunto. Selma...

Efeito-Silval e tensão no meio político

walace guimaraes vg   Réu em vários processos, cinco deles na 7ª Vara Criminal de Cuiabá (nas quatro fases da Sodoma e mais a Seven), o governador Silval Barbosa tem provocado muita tensão no meio político, inclusive entre figurões, a cada notícia de que prestará depoimento. De sua boca...