Cuiabá, 18 de Janeiro de 2017

Legislativo

A | A

Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 17h:08 | Atualizado: 11/01/2017, 17h:21

Oscar não teme retaliação do MPE e afirma que a CPI não faz negociatas

JLSiqueira/AL

oscar_JLSiqueira.JPG

Deputado Oscar Bezerra (PSB) diz que não descarta a possibilidade de convocar o procurador-geral de Justiça Paulo Prado e o antecessor Marcelo Ferra para prestarem esclarecimentos à CPI do MPE

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), que deve assumir nos próximos dias a presidência da CPI do MPE, criada para investigar supostas irregularidades na emissão e pagamento de cartas de crédito trabalhistas para procuradores e promotores de Justiça, não teme sofrer retaliação do órgão fiscalizador. “Cada um está cumprindo sua função. O Ministério Público tem prerrogativa de investigar o governo estadual, prefeituras e a própria Assembleia e está fazendo seu trabalho. Neste caso, cabe ao Parlamento investigar o MPE e vamos fazer isso com toda seriedade. Não existe nenhum tipo de negociata. Cada um faz o seu trabalho”, declarou. 

Oscar Bezerra não descarta a possibilidade de convocar o procurador-geral de Justiça Paulo Prado e o antecessor Marcelo Ferra para prestarem esclarecimentos. Entretanto, afirma que qualquer convocação deve ser aprovada pelos membros da CPI do MPE. 

“É natural que as pessoas, independente de quem seja,  que cometeram qualquer ato ilícito, seja investigadas. O Colegiado vai definir as  oitivas de pessoas citadas nos depoimentos”, completou o socialista. 

Com o andamento dos trabalhos, a investigação da CPI do MPE  foi ampliada para apurar a existência de problemas  no controle interno, pagamento da Parcela Autônoma de Equivalência (PAE), além de pagamentos indevidos de verbas salariais e indenizatórias aos membros da instituição. Oscar Bezerra foi favorável à ampliação. 

“Votei pela ampliação da investigação porque depoimentos apontaram novas irregularidades. Vamos investigar qualquer beneficio que possa ter  problemas”, concluiu. 

Instalada em novembro de 2015, a CPI do MPE iniciou os trabalhos somente em fevereiro do ano passado e paralisou as atividades durante o processo eleitoral. O encerramento estava previsto para o último dia 30 de novembro, mas as investigações foram prorrogadas por mais 180 dias e entrarão 2017 adentro. A comissão, que será presidida por Oscar Bezerra, tem Leonardo Albuquerque (PSD) como relator.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • wilson t | Quinta-Feira, 12 de Janeiro de 2017, 10h49
    0
    0

    Oi?! Como assim? A Luciane Bezerra esta nos autos da Sodoma 3 que recebeu propina de 700 mil e nada apareceu e ele nao seria suspeito em estar na cpi do mp? negociata?uhm..... sei não

Matéria(s) relacionada(s):