Cuiabá, 22 de Dezembro de 2014

Municípios

A | A

Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2011, 14h:15 | Atualizado: 28/01/2011, 15h:54

RIO BRANCO

Candidato a prefeito defende cassado por compra de votos

   Os eleitores de Rio Branco voltarão às urnas em 20 de fevereiro para escolher o novo prefeito, já que o eleito em 2008, Antônio Milanezi (PT), teve o mandato cassado por compra de votos, assim como seu vice, José Miguel (PT). O candidato Geovani Ferrari (PT) concorre ao comando do Executivo, entretanto diz que acredita na inocência de Milanezi e revela que pretende dar continuidade ao trabalho do prefeito cassado. “Apesar da cassação, eu acredito na inocência do meu colega de partido. Foi uma injustiça, mas o TRE entendeu que ele era culpado e a justiça teve que ser feita. Isso eu respeito, mas acredito nele”, pondera. Além de Geovani, concorre também ao cargo Antônio Xavier de Araújo pela coligação "100% Rio Branco".

   Em relação aos planos de governo, caso ganhe as eleições, o petista garante que pretende continuar os projetos já iniciados por Milanezi, priorizando a saúde e a educação. Garante que mesmo não podendo fazer campanha política na rádio da cidade, já que a emissora é comunitária, irá gastar  "sola do sapato" nos dias que antecedem a eleição. Segundo ele, os gastos previstos para a campanha devem chegar a R$ 150 mil. Geovani foi secretário de Saúde do município por quatro anos na gestão passada, presidente da Câmara por dois anos e segundo ele, trabalha como professor atualmente.

   O prefeito cassado Antonio Milanezi perdeu o mandato após uma denúncia ter sido feita por meio de uma gravação em vídeo que mostrava a tentativa de compra de votos. Mesmo tendo recorrido, perdeu o cargo. Geovani o defende e diz que foi tudo um mal entendido por parte do TRE. “Foi num comício e na hora que houve uma conversa entre ele e uma outra pessoa, estavam gravando e o Tribunal entendeu que era tentativa de compra de votos".

  

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia