Cuiabá, 20 de Fevereiro de 2017

Órgãos

A | A

Quinta-Feira, 05 de Janeiro de 2017, 09h:33 | Atualizado: 05/01/2017, 14h:37

contabilidade pública

Prefeito solicita ao TCE inclusão de Cuiabá no projeto piloto de gestão

Antônio Joaquim, convidado para encontro com gestores, diz que Sigesp, em teste em 4 prefeituras, será um grande legado que o Tribunal oferecerá gratuitamente aos municípios, por meio da AMM

antonio joaquim prefeitos 810

Em café da manhã nesta 5ª, o presidente da AMM Neurilan Fraga, o deputado federal Victório Galli, o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro, o presidente do TCE-MT Antonio Joaquim, e vários prefeitos e ex-prefeitos, momentos antes de se dirigirem à AMM para participar da eleição, que manterá Neurilan à frente da entidade 

O prefeito da Capital Emanuel Pinheiro aproveitou um café da manhã com vários colegas gestores e com a presença do presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Antonio Joaquim, nesta quinta, no hotel D'Luca, para solicitar que o TCE inclua Cuiabá como município piloto do Sistema Integrado de Gestão Pública (Sigesp). Joaquim se fez presente a convite do próprio Emanuel, que até lhe deu carona. O presidente do TCE disse ser possível, sim, estender essa experiência à gestão em Cuiabá.

Ele considera um grande legado de seu mandato o desenvolvimento do Sigesp, software de contabilidade pública em fase de desenvolvimento e implantação pelo TCE e que depois será, por meio de convênio com a Associação Mato-Grossense dos Municípios, oferecido gratuitamente aos municípios. Trata-se de um sistema de gestão administrativa e financeira, que contempla os subsistemas contábil, administrativo, de prestação de contas, de gestão de pessoas, tributária, virtualização e tramitação de processos, portal serviços web e portal transparência, enfim, todas soluções de informática necessárias para um órgão público cuidar de sua gestão e prestar contas.

Orçado em R$ 2,5 milhões, o Sigesp está sendo desenvolvido há dois anos por uma empresa de solução de informática licitada pelo TCE. E vem sendo testado com apoio das prefeituras de Chapada dos Guimarães, Nossa Senhora do Livramento, Poconé e Campo Verde. Agora, Cuiabá também passará por essa experiência. Antonio Joaquim planeja concluir esse sistema neste ano. Caberá à AMM coordená-lo junto aos municípios.

O presidente observa que hoje há prefeituras que fazem empenhos e, dias depois, por alguma razão, inclusive motivado por interesses pessoais, resolvem cancelá-los, assim como nos processos licitatórios. A partir da implantação do Sigesp, o gestor não terá como retroceder numa decisão dessa e, se assim o proceder, precisará se justificar. O sistema, que grava tudo, funciona como espécie de auditoria simultânea. Vai dar transparência e credibilidade, pois elimina possibilidades de manipulação, além de gerar economia aos cofres públicos e desburocratizar o sistema de recebimento de informação, o Aplic.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • TOTONHO PICANÇO | Sexta-Feira, 06 de Janeiro de 2017, 12h08
    2
    1

    DESSA TURMA SÓ PRESTA O QUE ESTÁ DE PÉ, O NEZINHO, ESSE É BOM DEMAIS. O RESTO É A DESTRUIÇÃO DO POUCO QUE RESTA DE CUIABÁ.

  • Gaspar Jordão | Sexta-Feira, 06 de Janeiro de 2017, 09h57
    0
    3

    Parabens ao TCE - Mt, tem que arrocha, cumpri com seu papel institucional que é a de coibir qualquer possibilidade que poir ventura venha a surgi e a melhor forma e a preventiva, porque depois que o dinheiro tive no bolso e dificil de recupera.

  • Justino | Quinta-Feira, 05 de Janeiro de 2017, 19h11
    0
    0

    Justino, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • dauzanades | Quinta-Feira, 05 de Janeiro de 2017, 12h02
    3
    1

    EU ATÉ CONFIAVA NO EMANUEL, MAS ELE ESTAR COM ESTE EX PREFEITO DE LIVRAMENTO, FOI O CUMULO DO ABSURDO. LÁ EM LIVRAMENTO NÃO TEM NENHUMA PENSÃO, A CIDADE VIROU UMA BOCA DE FUMO, SÓ ROUBO URBANO E RURAL, ASFALTO PARECE UMA CAPA DE PAPELÃO TODO DEFORMADO. TEM DEZENAS DE IRREGULARIDADES, NA SUA GESTÃO, SÓ PARENTES COMANDAVAM. CADA COISA IRREGULAR OU LIGADA A ENRIQUECIMENTO ILICITO, USANDO O GOLPE DA HERANÇA EM NOME DE TERCEIROS PARA AUMENTO DE PATRIMONIO, E NADA, MAS NADA NEM NINGUEM

Matéria(s) relacionada(s):