Cuiabá, 25 de Maio de 2017

Polícia

A | A

Quinta-Feira, 20 de Abril de 2017, 08h:29 | Atualizado: 20/04/2017, 09h:54

sinop

Após suspeita de agressão pela mãe, bebê passa por exames e é liberado


De Sinop

Após a realização de exames periciais na bebê de apenas três meses que supostamente teria sido agredida pela mãe, em Sinop, foi constatado que as manchas no corpo da criança são provenientes da própria cor da pele, ou seja, foi descartada a hipótese de que a pequena teria sido agredida. Entretanto, a bebê ainda apresenta sinais de desnutrição. Os exames foram feitos no IML na manhã desta quarta (19).

Thiago Valeriano

conselheira.jpg

Conselheira Helena diz que acompanhará caso 

A conselheira Helena Bertoleti Veras, que acompanha o caso, explica ao que assim que a equipe médica viu a criança, acionou imediatamente o Conselho Tutelar. “Eles ligaram aqui e nós nos encaminhamos para o posto de saúde. Na verdade, a médica fez o trabalho dela”, ressalta.

Ocorre que em casos como esse, para que possa ser realizada a perícia, é necessário que seja registrado um boletim de ocorrência. “Nós fomos até a delegacia para que tudo fosse feito para descobrir o que tinha ocorrido.”

A mãe e a criança foram levadas pela conselheira até o IML para fazer os exames. “Como nada foi comprovado, as duas foram liberadas e já estão em casa”, diz Bertoleti. No entanto, o Conselho Tutelar irá acompanhar a família, pois uma nutricionista receitou uma dieta para a bebê, a fim de reestabelecer o peso da criança. “Na casa existem outras crianças, mas todas saudáveis. Nós vamos continuar acompanhando essa família”, conclui.

Entenda

Na tarde desta terça (18), os enfermeiros da Unidade Básica de Saúde (UBS), do bairro jardim Violetas, em Sinop, acionaram o Conselho Tutelar, após a mãe de um bebê de três meses levá-la até a unidade para exames de rotina.

Ocorre que ao analisar a criança, a equipe que atendeu achou estranho as manchas pelo corpo da bebê, bem como o peso que estaria abaixo do normal e indicou que fosse efetuada um exame pericial para saber se os supostos hematomas eram ocasionados por agressão. Sendo assim, a conselheira que atendeu o caso registrou um boletim de ocorrência por suposta agressão corporal.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia