ARTIGOS

Domingo, 06 de Agosto de 2017, 10h:54 | Atualizado: 06/08/2017, 11h:02

A solução perfeita e a miopia de uma equipe

cynthia lemos artigo artigo

Cynthia Lemos

Em uma reunião com a equipe de gerentes, o diretor de uma rede de restaurantes tradicionais em São Paulo diz: “Temos que diminuir as despesas, nosso lucro está indo embora pelos excessos, desperdícios. Fiz uma análise em relação ao concorrente e descobri que eles faturam menos que nós, porém, tenho visto que eles fazem muito mais investimentos que a gente. Nosso lucro está indo embora em falta de controle e altos custos, precisamos cortar as despesas”, conclui o diretor.

Os gerentes ouvem e concordam que precisam cobrar de toda a equipe atenção e ação neste aspecto. Assim um dos gerentes do grupo se reúne com seu time e diz: “Todos precisamos economizar. A nossa meta é diminuir as despesas, pois o nosso lucro está indo todo embora nos altos custos e desperdício!"

Observando isso os maîtres, o comprador, os cozinheiros, auxiliares e outros membros da equipe acatam a informação e começam a buscar soluções para o problema em questão:

  •       * O filé do cardápio substituíram por colchão mole;
  •       * O azeite por óleo de girassol em um galheteiro bonito;
  •       * O cafezinho "cortesia", trocaram a marca por um tipo C;
  •      * O catchup caseiro de tomates robustos e vermelhos por sachês de conteúdo rosa pink cheio de corantes.

 

E assim várias alterações estavam sendo feitas com afinco por cada um deles em "prol" da empresa. A intenção deles era a melhor. Iriam conseguir resolver o problema apontado ali.

Mas os clientes notaram as mudanças e as reclamações começaram...

O maître (líder do salão de atendimento) cansado de tantas queixas vindas dos clientes, tenta várias vezes - sem resultado - conversar com seus colegas, porém eles alegam estarem fazendo cada um a sua parte, que o maître deveria parar de reclamar e cumprir com a sua função de contornar as reclamações, fazer o cliente se acostumar, evitando que o freguês fosse embora.

"Maître resistente. Tem dificuldades em lidar com mudanças! Será que ele não entendeu o que nosso patrão disse? Que se não cortarmos custos podemos fechar?", avalia um membro da equipe com outros colaboradores.

O maître cansado de ser rotulado como o resistente e chato da turma, resolve procurar o gerente da unidade, que de costume faz sua gestão a maioria do tempo dentro da sua sala em frente ao computador, esperando o final do mês para analisar seus relatórios e ver os resultados de seus direcionamentos. Ali o líder de salão desabafa ao gerente.

"Estou cansado! Não estou entendendo este novo direcionamento. Trabalho aqui há anos e não acredito que essa seja a essência do nosso restaurante. Estamos perdendo a qualidade desde a última reunião há 20 dias. Os clientes queixam comigo e eu não consigo contornar essa situação, pois esse novo formato não condiz com a essência, a identidade dos nossos restaurantes!”, argumenta o maître.
E ali, o maître vai compartilhando tudo que está acontecendo e o gerente enfurecido com as informações que está recebendo também desabafa.

"Por isso que não vamos para frente, quem disse que era para cortar custos desse jeito? Será que eles não conhecem nosso jeito, nossa política? Eu quero uma reunião extraordinária agora! Com líderes assim como posso ficar na estratégia? Parece que em tudo tenho que por a mão?!", diz o gerente.

Porém, não assumindo sua parte no processo de informar, ensinar e verificar, o gerente acha que o problema está só na equipe e dessa forma não assume sua parte sobre o problema que está a se apresentar ali.

Eu estava na sala, ouvi o maître, o gerente, sabendo da reunião e intenção da diretoria pude perceber que se tratava de uma grande oportunidade de aprendizado, naquele momento entendi que havia ali uma dinâmica muito mais complexa do que a visão apresentada por cada uma das partes e todos estavam limitados.

O desafio, a meta, a informação havia sido passada e repassada como aquela brincadeira infantil chamada telefone sem fio, conhecem? As decisões estavam pautadas sobre uma ótica limitada, míope da informação.

Não investigaram as causas, as variáveis envolvidas, a informação foi passada sem ser tratada, aprofundada, ensinada pelo seu gestor a equipe operacional. Arrisco dizer até pelo seu diretor, que talvez não reforçou o suficiente sobre a importância de se abraçar a mudança, sem sacrificar a essência, a identidade do negócio, ou seja: o cliente.

Eles (cozinheiros, comprador, etc) só estavam a cumprir com "maestria" e fidelidade o que foi pedido, porém a partir da referência de compreensão deles!

Assim, quero alertar aqui sobre a importância de se comunicar com clareza. Toda meta, objetivo e informação devem ser ensinados, exemplificados e verificados! Resultados positivos e sustentáveis de uma liderança, de uma empresa dependem disso.

Leve essa reflexão ao seus colegas de trabalho, para que todos possam expandir a consciência e gerar ações transformadoras em seus ambientes de trabalho!

Cynthia Lemos é psicóloga empresarial e coach na Grandy Desenvolvimento Humano e especialista no desenvolvimento de líderes e empresas

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Parlamentar anda cabreiro até na AL

sebastiao rezende 400 curtinha   Sebastião Rezende (foto), que exerce o 5º mandato, anda cabreiro e assustado, até mesmo na hora de circular pelos corredores da Assembleia. E não pode avistar um jornalista que sai correndo. Na terça, após a sessão ordinária, o deputado acelerou os passos quando...

10 anos "adormecida" sobre Energisa

gisela 400 curtinha   Depois de mais de 10 anos atuando no Procon, a advogada e primeira-suplente de deputada federal Gisela Simona (Pros) agora que se acordou para a gravidade sobre a prestação de serviços da Energisa, campeã de reclamações junto ao próprio Procon. Passou todos esses anos sem mover...

Demitida por ter apoiado Bolsonaro

josenai 400 curtinha   A aprovação em seletivo não foi suficiente para que o contrato da professora Josenai Terra (foto), que se estenderia até dezembro deste ano, fosse cumprido pela Unemat Campus Tangará da Serra. A professora lecionava desde 2017, mas em setembro de 2018 foi a única contratada para...

Prioridade do DEM é reeleger Bussiki

marcelo bussiki 400 curtinha   Dos 25 vereadores, inclusive todos determinados a buscar a reeleição, um deles vai concorrer numa condição um tanto confortável. Trata-se de Marcelo Bussiki (foto), que integra o grupo político do governador Mauro, de quem, aliás, foi controlador-geral do...

Detran-MT recria taxa e fixa R$ 316

Entra em vigor a partir de hoje a lei 10.956, que cria uma taxa de R$ 316 para registro de contrato de financiamento de veículo, com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil, de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor. A taxa será paga pelas agências financeiras e não pelos compradores. A partir de agora o serviço passa a ser executado e gerenciado 100% pelo Detran-MT. Por se tratar de nova...

Efetivos ilegais temem delação de Riva

Não são só os deputados e ex-parlamentares que estão em desespero por causa da eminente delação do ex-presidente da Assembleia José Riva junto ao MPE. Quem também se encontra em apuros são aqueles servidores que já enfrentam processo na Justiça por terem sido supostamente efetivados de forma ilegal à época em que Riva comandava a AL. Segundo o MPE,  eles foram estabilizados por atos administrativos...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O que você acha das denúncias, principalmente sobre pagamento de propina, feitas pelo ex-presidente da AL José Riva, que tenta fechar delação?

São verdadeiras

Nem tudo é verdade

Acho que ele está mentindo

Não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.