ARTIGOS

Terça-Feira, 27 de Agosto de 2019, 07h:20 | Atualizado: 27/08/2019, 07h:28

Tiago Abreu

Amam 50 anos

Tiago Abreu artigo

Durante este ano de 2019, a Associação Mato-grossense de Magistrados (Amam) comemora seu cinquentenário, completado no dia 8 de dezembro do ano passado. É uma data que, via de regra, deve sempre ser bastante comemorada. Mas em nosso caso o gosto é ainda mais especial, dada a importância que a entidade conquistou ao longo desse tempo, com suas ações sociais, o trabalho em prol do aperfeiçoamento intelectual e cultural de magistrados e a participação em discussões importantes para a sociedade.

Durante este meio século de existência, a Amam passou por muitas fases e enfrentou mudanças significativas tanto de ordem política como administrativa. Basta lembrar que a Associação nasceu em plena ditadura militar e antes da divisão do estado. Acompanhou a aprovação da aprovação da Lei Orgânica da Magistratura e viu nascer a primeira Constituição após a redemocratização do país, em 1988, ambos instrumentos importantes na definição e direitos e prerrogativas dos magistrados.

Seu idealizador foi o então juiz de Direito Athayde Nery de Freitas, que em 1968 fundou a entidade juntamente com os magistrados: Assis Pereira da Rosa; Benito Augusto Tiezzi; Carlos Avallone; Domingos Sávio Brandão de Lima; Ernani Vieira de Souza; Jesus de Oliveira Sobrinho; João Gomes Guimarães Filho; José Antonio de Castro; José Damásio de Souza; Leão Neto do Carmo; Licínio Carpinelli Stefani; Milton Malulei; Odiles Freitas Souza; Osvaldo Meier; Pantaleão Blanc Rinaldi; Rafael Arcanjo de Arruda; Willian Droschic; Wolnei de Oliveira. Um dos primeiros atos do grupo foi a eleição do desembargador Oscar Ribeiro Travassos como o primeiro presidente.

Durante todos esses anos a Associação vem trabalhando pelo crescimento do prestígio e independência do Poder Judiciário

Poucos anos depois, em 1972, a Amam já se mostrava atuante como fórum para discussão de temas afeitos à magistratura realizando um congresso de magistrados. O evento foi um sucesso, reunindo 43 dos 50 juízes em atividade no estado, mesmo os participantes tendo que percorrer grandes distâncias. Todos tiveram estadia e alimentação pagas, graças à ajuda do governador de Mato Grosso à época, José Manuel Fontanillas Fragelli, pois a entidade não possuía recursos para custear todas as despesas.

Em 1978, após a divisão dos estados, o então vice-presidente Athayde Nery de Freitas assumiu a direção da Amam no lugar de Milton Armando Pompeu de Barros, que havia renunciado para presidir o TJMT, marcando a história mais uma vez. Sob seu comando, a entidade foi dividida, criando-se a Amam Sul com a transferência dos magistrados do estado vizinho para a associação correspondente, ficando Odiles Freitas de Souza como o presidente da Amam para o biênio 1978/1979.

Durante todos esses anos a Associação vem trabalhando pelo crescimento do prestígio e independência do Poder Judiciário, bem como na defesa dos interesses da magistratura estadual e o cumprimento das garantias constitucionais ao exercício de tão nobre ofício. Ao mesmo tempo, a Amam tem se dedicado a desenvolver ações voltadas à melhoria das condições de vida do povo mato-grossense. Vocações que garantiram à entidade a concessão das declarações de utilidade pública estadual e municipal.

E há que se destacar também o estímulo à cultura do Direito e à promoção do aprimoramento dos magistrados. A história da Amam se confunde com a criação da Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT), da Escola da Magistratura Mato-Grossense (EMAM) e da Academia Mato-grossense de Magistrados (AMA), de publicações como a Revista Amamjus, a inauguração da Biblioteca Desembargador Wandyr Clait Duarte e a instalação do Grupo de Estudos na Amam.

Não é exagero, portanto, considerar que importantes capítulos da história dos 300 anos de Cuiabá e 271 anos de Mato Grosso foram escritos pela Amam e seus associados. Podemos ir além, lembrando que uma sociedade democrática se faz com uma magistratura unida e um Judiciário forte, preocupações que direcionam nossas ações desde os primórdios.

Tiago Abreu é juiz de Direito em Cuiabá e presidente da Associação Mato-grossense de Magistrados (Amam). E-mail: paueprosa@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

DEM agora sem amarras dos Campos

frankes siqueira curtinha 400   Sem o controle absoluto dos Campos, como nas últimas duas décadas, desde quando era PFL, o DEM, que não elege vereador em Cuiabá desde 2004, vive melhores expectativas, agora sob comando da ala ligada ao governador Mauro. É presidido pelo secretário de Estado de Governo,...

O pulo de Elias do PSDB para o DEM

elias santos 400 curtinha   Elias Santos (foto), irmão do deputado Wilson, agiu como estrategista na construção de sua pré-candidatura a vereador por Cuiabá. Concluiu que teria mais dificuldades de obter êxito nas urnas no PSDB porque os dois vereadores tucanos que vão à...

DEM e voz na Câmara após 16 anos

marcelo bussiki 400 curtinha   O DEM (antigo PFL) passa a ter voz na Câmara da Capital 16 anos depois. Aproveitando a janela de março em que a Justiça Eleitoral permite mudança de legenda sem risco de perda do mandato, dois vereadores migraram para o Democratas, sendo eles Marcelo Bussiki (foto) e Gilberto Figueiredo, que...

MDB agora com 2 na Câmara-Cuiabá

juca do guaran� curtinha 400   O MDB do prefeito Emanuel Pinheiro, que não elegeu vereador em 2016 em Cuiabá, agora ganha duas vozes na Câmara. Tratam-se de Juca do Guaraná (foto), militante histórico do nanico Avante que resolveu migrar para a legenda emedebista, e do recém-empossado...

PT segue sem voz na Câmara-Cuiabá

bob pt 400 curtinha   O PT, presidido em Cuiabá por  Elisvaldo Almeida, o Bob (foto), está mesmo "queimado" e sem prestígio. Em meio ao troca-troca de partido entre os vereadores cuiabanos, aproveitando a janela de março, cujo prazo para mudanças para quem deseja se candidatar em outubro encerrou-se neste...

Deputado, única causa e os interesses

xuxu 400 curtinha   Xuxu Dal Molin (foto), deputado pouco atuante e limitado a defender a bandeira do agronegócio, é mais um daqueles que demonstram, na prática, usar a política para beneficiar os seus. De familiares de agricultores, Xuxu bateu duro, se posicionando contra a proposta encaminhada pelo governador Mauro...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.