ARTIGOS

Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020, 09h:04 | Atualizado: 26/10/2020, 09h:10

Caiubi Kuhn

De onde tirar dinheiro na crise? 

Caiubi Kuhn

Caiubi Kuhn

Em época de eleição surgem inúmeros discursos mágicos para resolver os problemas dos municípios. Mas, de onde as futuras prefeitas e prefeitos podem tirar recursos para fazer gestões que possam atender as demandas dos cidadãos? Para além dos recursos municipais e das emendas parlamentares, é preciso ressaltar a importância e relevância do acesso a recursos existentes em fundos específicos. 

No Brasil existem inúmeros fundos, somente relacionados a governo federal são mais de 100. Com um volume de recursos que ultrapassa R$ 220 bilhões. 

Sim, é muito dinheiro e nem estamos falando ainda dos fundos estaduais ou mesmo fontes internacionais. Para acessar esse dinheiro as prefeituras precisam construir projetos para aplicar os recursos conforme a orientação de cada um dos fundos, ou seja, é preciso equipe técnica para construção destes documentos e acompanhamento destas políticas seguindo o previsto nas legislações específicas. 

Se seu candidato ou candidata defende soluções mágicas e que não passem por gestões técnicas e eficientes, pule fora enquanto é tempo

Caiubi Kuhn

A Constituição de 1988 foi a base para criação de muitos destes fundos direcionados a políticas setoriais. E sim, temos em todos os municípios demandas que podem ser atendidas com esses recursos. Mas é preciso que as prefeituras construam políticas públicas nas áreas em que buscam fontes financeiras. Em geral, para acessar os fundos é necessário que existam conselhos municipais, políticas setoriais em funcionamento e um controle social dos recursos realizado por representantes da sociedade civil. E, apesar de burocrático, tudo isso contribui para que os recursos sejam aplicados com precisão e eficiência.

O acesso a recursos públicos, seja de fundos ou de outras fontes financeiras, precisam ser realizados embasados por estudos técnicos e projetos. E, após conseguir esse dinheiro, a aplicação deve ser acompanhada por meio de indicadores e métricas. Esse é o melhor caminho para a correta aplicação do dinheiro público e para conseguirmos mais resultados com menos recursos. 

Se seu candidato ou candidata defende soluções mágicas e que não passem por gestões técnicas e eficientes, pule fora enquanto é tempo. Busque pessoas que entendam que só teremos um país que funcione, quando tivermos gestões que saibam a importância de um bom projeto e uma boa execução, ou seja, gestões que saibam que sempre podem melhorar. Precisamos de pessoas que pensem assim nas prefeituras. 

Caiubi Kuhn é geólogo, especialista em Gestão Pública e mestre em Geociências pela UFMT.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

2 da AL em chapas distintas à AMM

nininho 400   Dois deputados estaduais estão divididos em chapas de honra da eleição da AMM, que acontece no próximo dia 15. O curioso é que Ondanir Bortolini, o Nininho (foto), filiado ao PSD e hoje presidente de honra da entidade comandada pelo segundo mandato consecutivo por Neurilan Fraga (PL), caiu fora da...

Trentini perde de novo para Pitucha

roland trentini 400 curtinha   Na queda-de-braço nos bastidores, o ex-prefeito por três mandatos de Alto Garças, Roland Trentini (foto), perdeu de novo para o rival político histórico, o também ex-prefeito Júnior Pitucha. Ambos, que já protagonizaram disputas acirradas, tensas e...

2 maiores líderes sob crise partidária

mauro mendes 400 curtinha   Os dois maiores chefes de Executivos em MT hoje enfrentam problemas partidários internamente. O governador Mauro Mendes (foto), mesmo sendo a principal estrela do DEM no Estado, não está confortável dentro do partido por causa de conflitos com os irmãos Júlio e Jayme Campos....

MM e deputados derrotados do MDB

carlos bezerra 400 curtinha   Por coincidência, deputados do MDB que tiveram seus candidatos derrotados nas urnas estão de afagos com o governador Mauro. E até convidaram-no para deixar o DEM e migrar para o MDB, numa articulação do cacicão do partido, o federal Carlos Bezerra (foto), que puxou a corda da...

Os Maia fincam força no Legislativo

silvio maia 400   O ex-prefeito por quatro vezes de Alto Araguaia, Maia Neto, perdeu nas urnas na majoritária, mas ganhou na proporcional. De um lado, a irmã Martha Maia, seu braço-direito durante todos os mandatos, foi derrotada à prefeita por Gustavo Melo, que se reelegeu. Por outro, Maia Neto viu dois dos seus...

Reeleito, Gustavo derruba o clã Maia

gustavo melo 400   O jovem prefeito de Alto Araguaia, Gustavo de Melo (foto), de 36 anos, manteve mesmo o "apertado" favoritismo, conforme mostrou na reta final a pesquisa do instituto Analisando, e derrotou o clã Maia. Venceu por 962 votos de diferença. Filiado ao PSB, Gustavo chegou a 4.805, enquanto Martha Maia (PP) registrou 3.840...