ARTIGOS

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro de 2020, 06h:54 | Atualizado: 24/02/2020, 06h:58

Melanie Tonsic

Métodos adequados de solução de conflitos

Melanie de Carvalho Tonsi

A justiça brasileira há décadas não vem conseguindo tomar decisões na velocidade necessária. Os fatores são diversos: a globalização, que dinamizou as relações sociais, fazendo com que as normas jurídicas perdessem efetividade diante de casos concretos cada vez mais complexos; o processo de conscientização de direitos, sobretudo, após a consolidação da ordem democrática, gerando uma necessidade maior por justiça; o advento dos direitos sociais e dos direitos de 3ª geração, que exigem uma atuação positiva do Estado; a jurisdicionalização dos conflitos sociais; entre outras razões.

As mais recentes estatísticas demonstram que a cada dez processos protocolizados, somente três são efetivamente julgados, em um prazo médio de oito anos

 As mais recentes estatísticas demonstram que a cada dez processos protocolizados, somente três são efetivamente julgados, em um prazo médio de oito anos. A burocracia e a falta de magistrados suficientes para julgar todas as ações que são demandadas todos os dias no Brasil desanima muita gente a buscar seus direitos perante a Justiça. Além disso, essa demora leva também ao reforço de uma descrença no Poder Judiciário. O Judiciário está inegavelmente sobrecarregado.

Tal crise não é exclusividade do nosso país. A própria Convenção Europeia para a Proteção dos Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais, em seu art. 6º, parágrafo 1º, já reconhece que: “a Justiça que não cumpre suas funções de um prazo razoável é, para muitas pessoas, uma Justiça inacessível”.

Este cenário fez ressurgir a procura pelos métodos alternativos de resolução de disputas. O chamado fenômeno da ADR (Alternative Dispute Resolution), denominado de Métodos Adequados de Resolução de Conflitos – os MASCs, no Brasil -, tem ganhado a consciência da advocacia que compreende que a melhor forma de pacificar a sociedade é simplesmente partir para a comunicação harmônica e cooperativa, evitando eternas disputas e desgastes.

Os últimos anos foram de grande relevância na consolidação desses procedimentos no Brasil

Privilegiam-se os métodos de autocomposição, como é o caso da mediação e da conciliação, que age de forma mais ágil e eficiente, adequando o processo às reais necessidades das partes e com a mesma segurança jurídica, como é o caso da arbitragem.

Os últimos anos foram de grande relevância na consolidação desses procedimentos no Brasil, revelando um crescente aumento do número de processos de mediação e arbitragem, mas também, devemos destacar, demonstrando a louvável cooperação do Judiciário, que vem inegavelmente dando respaldo à difusão e implantação desses institutos.

Resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou a criação de Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos em cada Tribunal brasileiro, além da instalação de Centros Judiciários de Solução de Conflitos nas Comarcas. Ressalta-se, então, o brilhantismo do Judiciário, que salvo raras exceções, é favorável à mediação e a arbitragem privadas.

Notadamente, a rapidez e a eficiência da arbitragem em relação ao Judiciário são indiscutíveis, sobretudo porque atualmente existem mais de 110 milhões de processos em andamento e esse número aumenta a cada dia.

Para avançarmos em direção a uma resolução de conflitos mais célere, menos onerosa e desgastante e de maior qualidade, os métodos extrajudiciais de solução de conflitos podem e devem ser utilizados pela sociedade, seja por pessoa física ou jurídica. Não apenas como forma de obter satisfação de seus interesses, mas também e, sobretudo, como forma de acesso à Justiça em sua plena dimensão.

Melanie de Carvalho Tonsic é advogada, palestrante, consultora, mediadora, arbitralista e fundadora e presidente da ACORDIA Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem. Ela é membro da Comissão de Mediação e Arbitragem da OAB/MT e membro da AB2L – Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs. Contatos: melanie@acordia.com.br e contato@acordia.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Contrato para tocar eventos do TCE

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, fechou um contrato anual com a Infortouch Agência e Comunicação, Eventos e Produtos Alimentícios, aproveitando ata de registro de preços  do Tribunal de Justiça de MT, com adesão-carona num processo de 2019. A empresa vai faturar R$ 376,9 mil para atender demandas do TCE em toda logística de eventos, envolvendo as etapas de planejamento,...

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.