ARTIGOS

Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 15h:47 | Atualizado: 04/08/2020, 15h:51

Caiubi Kuhn

Onde está o dinheiro da Fapemat?

Caiubi Kuhn

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (FAPEMAT) é uma instituição que foi criada para fomentar o desenvolvimento científico e tecnológico do estado. A ideia segue as melhores tendências do mundo, onde por regra, os estados e países cumprem um importante papel no fomento ao desenvolvimento de pesquisa.

Em teoria, 2% da receita proveniente de impostos, deduzidas as transferências aos municípios, seria aplicada à Fapemat e ao Fundo Estadual de Educação Profissional (FEEP), ficando garantido o mínimo de 0,5% (meio por cento) da citada receita a cada entidade, observando sempre a divisão proporcional das dotações a ela destinadas. Isso pelo menos é o que está previsto no Artigo 354.º da Constituição do Estado. Mas onde está esse dinheiro?

Os pesquisadores mato-grossenses sabem muito bem que a Fapemat nunca viu esse montante de recurso, que os projetos de pesquisa por ela financiados normalmente não possuem montante superior a 50 mil reais e que esse dinheiro demora às vezes mais de dois anos para chegar ao destino final, que é a produção de ciência. A falta de investimento em pesquisa atrasa o estado e as instituições que nele estão.

Os órgãos de controle e os deputados parecem não ver esse descumprimento claro da constituição estadual, cobrindo seus olhos com a venda obscura do atraso. Será que não temos ninguém no Ministério Público ou na Assembleia Legislativa que esteja disposto a lutar pela ciência e pela constituição?

O investimento nesta área possui como resultado a melhoria de processos, criação de patentes, ganhos de produtividade, redução de impactos negativos no âmbito social e ambiental, formação de pessoal altamente qualificado e melhoria da gestão através de estudos e indicadores apropriados. A pesquisa é a base para o desenvolvimento de um país, por isso, Alemanha, Coreia do Sul, China, Israel, Estados Unidos e muitos outros investem massivamente nesta área.

Talvez essa também seria uma boa pauta os sindicatos ligados a educação, afinal esse tema afeta a todos da área

Caiubi Kuhn

No Brasil, o melhor exemplo é a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), que possui um orçamento anual de 1% do total da receita tributária do Estado. Em 2017, a FAPESP aplicou mais de 1 bilhão em financiamento de projetos de pesquisas, bolsas, apoio a jovens pesquisadores, apoio à Infraestrutura, programa de apoio à pesquisa em parceria para inovação tecnológica (PITE) e programa FAPESP pesquisa inovativa em pequenas Empresas (PIPE). O sucesso das instituições paulistas de ensino nos rankings nacionais e internacionais se deve em partes ao amplo suporte fornecido pela fundação estadual.

Fazer pesquisa custa tempo e dinheiro. Em muitas áreas uma simples reagente pode custar mais de mil reais, um equipamento às vezes um milhão. Não existem recursos para desenvolvimento de pesquisa dentro do orçamento das universidades federais e estaduais, ou seja, cada professor pesquisador deve buscar fontes de financiamento para suas pesquisas e de seus orientandos. O desenvolvimento da agricultura no estado e de outras áreas tiveram e tem ainda diariamente a mão de pesquisadores atuando para melhorar a produtividade e as técnicas aplicadas. Mas quantos avanços estamos deixando de descobrir por falta de pesquisas na Amazônia, no Cerrado e no Pantanal?

E outra...

O parque científico e tecnológico do estado se tornará mesmo um local de desenvolvimento de ciência sem uma política sólida de ciência e tecnologia? Ou será apenas um terreno utilizado como propaganda por vários governos. É possível realizar pesquisa sem recursos? Por que um centro de pesquisa viria para Mato Grosso usar nossa internet precária e nossa logística ruim?

Talvez essa também seria uma boa pauta os sindicatos ligados a educação, afinal esse tema afeta a todos da área. Ou talvez seja a hora do Ministério Público, o parlamento, ou o Tribunal de Contas exigirem do governo que se cumpra o previsto na constituição. Mas no momento o que vemos é mais uma vez o governo tentando reduzir o papel da fundação. A ciência no estado pede socorro. Sem ciência não existe desenvolvimento social ou econômico.

Caiubi Kuhn é professor da Faculdade de Engenharia (UFMT Campus Várzea Grande), geólogo, mestre em geociências e especialista em gestão pública. caiubigeologia@hotmail.com

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Domingos Martins | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 16h04
    1
    0

    Muito bem Prof. Caiubi, enfim uma voz convergente com a minha do que vem acontecendo na FAPEMAT há anos. Não é possível que se descumpra a Lei de forma sucessiva e nada é feito, ainda mais quando o assunto envolve formação de pessoal para o desempenho das mais elevadas atividades como no ensino, pesquisa, serviços, empresas e indústria, numa região tão carente de pessoal altamente qualificado, embora tão pujante no agronegócio.

Tião com Flávio e "pau" nos Campos

tiao da zaeli 400 curtinha   A maior bronca dos Campos em Várzea Grande hoje é com o ex-prefeito Tião da Zaeli (foto), que motivou o amigo e empresário Flávio Vargas, dono do frigorífico Frical, a entrar na disputa à sucessão municipal. E Flávio conseguiu construir um amplo arco de...

A única dos maiores fora da reeleição

rosana martinelli 400 curtinha   Seis dos 10 prefeitos dos maiores municípios de MT poderiam disputar a reeleição neste ano por estarem no primeiro mandato ou já tendo exercido outros não consecutivos. E, destes, somente Rosana Martinelli (foto), de Sinop, não se recandidatou. Percebeu dificuldades...

Poconé tem 4 no páreo; Euclides dança

euclides santos 400 curtinha   Em Poconé, o ex-prefeito Euclides Santos (foto) nadou e morreu na praia. Numa queda de braço dentro do PSDB, Euclides, que havia se mudado para Cuiabá e tem o filho na disputa para vereador, perdeu espaço e autonomia para a ex-prefeita Meire Adauto, presidente municipal da legenda tucana e...

Fernanda em almoço com Bolsonaro

fernanda 400 bolsonaro curtinh   A coronel Fernanda, candidata à senadora pelo Patriota, almoçou com Bolsonaro nesta sexta, em uma fazenda, em Sorriso. A militar foi a única que teve o apoio declarado do presidente na eleição suplementar ao Senado que acontece em 15 de novembro. Mais cedo, por volta das...

Prefeita cobra duplicação e ferrovia

rosana_curtinha   A prefeita de Sinop Rosana Martinelli aproveitou a visita do presidente Jair Bolsonaro na Capital do Nortão para cobrar uma solução para a duplicação da BR-163, sob concessão, e também pediu empenho na Ferrogrão e a implementação de porto seco na cidade. O...

Podemos se alia à esquerda em Barra

sandro saggin 400 curtinha   O direitista Podemos, comandado no Estado pelo deputado Medeiros, fechou coligação com partidos de extrema esquerda em Barra do Garças, como PC do B, PT e Pros. Sandro Saggin (foto), até então pré-candidato a prefeito pelo Pode, recuou e compôs com o grupo liderado pelo...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você está animado para votar nas eleições de novembro?

sim

não

nem sei!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.