ARTIGOS

Sexta-Feira, 21 de Agosto de 2020, 09h:40 | Atualizado: 21/08/2020, 09h:47

José Wenceslau

Os três pilares do crescimento econômico pós-pandemia

Jos� Wenceslau

José Wenceslau

Para retomarmos a economia, é necessário observar três pilares: histórico, econômico e regional, minha afirmação é baseada na experiência de empresário no segmento de materiais de construção em Cuiabá, há 40 anos.

Tenho recebido muitas visitas, e consultas de empresários e comerciantes em busca de suporte, de uma saída para seus negócios. O momento é bastante delicado, pois a Covid-19  e seus efeitos negativos com prejuízos econômicos, sociais e na saúde atingem todos.

Minha orientação sempre foi para manter a esperança e o foco, pois é o momento de cada um repensar seu negócio para atender as medidas de biossegurança. Precisamos reinventar o comércio e a maneira de vender.

É bom lembrar que, historicamente, após uma crise mundial a economia tem uma retomada muito rápida, as perdas causadas pela Covid-19 serão recuperadas, a expectativa é que ainda seja no último trimestre de 2020, e em 2021 seja um dos melhores cenários econômicos dos últimos anos. 

Um dos motivos, é que devido ao período em que o comércio ficou fechado, o consumo ficou represado. Quem estava em casa confinado comprava somente o básico para sobreviver. Já temos registros de aumento nas vendas do varejo, então quando a Covid-19 for embora de vez, esse consumidor virá com força para comprar.

Por isso, volto a ressaltar: é preciso que cada um prepare seu negócio e suas equipes porque vem aí um novo consumidor no pós-pandemia. Empresários e comerciantes precisam estar preparados para um novo conceito de atendimento ao consumidor. A internet e o delivery estão aí exigindo de cada um adaptações e mudanças urgentes para sobressair num mercado altamente competitivo.

Com acesso à internet, o consumidor que tinha medo de usar o cartão de crédito (eu me incluo nisso), perdeu esse medo. Estou usando a internet e descobrindo um mundo novo de compras que tem um preço diferente.

Conclamo empresários e comerciantes para repensarmos nossos negócios, mas o Estado tem que vir junto, diminuir a tributação e ser menos cobrador de impostos

José Wenceslau

E por que essa diferença? Porque nas lojas físicas temos uma carga tributária muito pesada. É exatamente nesse ponto que o Estado tem que fazer sua parte e diminuir essa alíquota para que nossos produtos dentro de Mato Grosso fiquem mais competitivos. Caso contrário, nossas lojas físicas vão virar showroom do consumidor que vai até a loja, fotografa o produto e o código de barras. Depois, entra na internet e compra o mesmo produto por um preço mais em conta. E esse consumidor está correto porque temos que olhar a economia no nosso bolso.

Conclamo empresários e comerciantes para repensarmos nossos negócios, mas o Estado tem que vir junto, diminuir a tributação e ser menos cobrador de impostos. E vamos olhar a médio e longo prazo, preparando nossos negócios para o final de ano porque a economia começa a girar.

Bem, e o fato econômico merece nossa atenção: nós brasileiros estamos acostumados com a inflação relativamente alta, com juros de 10%, 15% ao mês, mas hoje são vários investidores que estão com dinheiro nos bancos recebendo juros atualmente na casa dos 2% ao ano, na taxa Selic.

São indicativos de que esse dinheiro investido em poupança e várias formas de aplicações financeiras vai sair e vir para o mercado. Vai haver reforma de casa, troca de um carro novo, um investimento dentro do comércio, uma construção nova. A tendência é de investir em si próprio e na família. Viajar e fazer passeios para conhecer as belezas de Mato Grosso, do Brasil e do mundo, ao invés de ficar recebendo 2% ao ano com o dinheiro parado no banco.

O momento também é propício para renegociação de dívidas com juros baixos. A Selic, que é a taxa básica de juros da economia, está em 2% ao ano. Quem for postergar dívidas não deve aceitar pagar taxa de juros alta, pois com uma taxa baixa, é possível pagar a médio, e longo prazo.

Mais um ponto positivo para Mato Grosso, é a alta do dólar frente ao real, pois somos líder em produção de comodities e de proteínas no Brasil, com isso, as exportações ficaram mais atrativas para os produtores do Estado, e o dinheiro do agronegócio movimenta a economia.

Com a “engrenagem rodando”, o comércio e os negócios voltam a vender bem, permitindo o ganho de dinheiro, fomentando a geração de empregos, permitindo que milhares de famílias continuem com renda. E o Estado recolhe os impostos, e pode reverter em saúde, educação, segurança e infraestrutura para todos os cidadãos.

José Wenceslau de Souza Júnior é presidente da Fecomércio, Sesc, Senac e Sindcomac em Mato Grosso, e comerciante há mais de 40 anos. Email: presidencia@fecomerciomt.org. br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Eduardo Soares de Sa - Business Consult | Quarta-Feira, 26 de Agosto de 2020, 12h17
    0
    0

    Caro amigo Júnior! Seus comentários e observações, foram pontuais, importantes e de grande relevância. A pandemia, despertou no consumidor o gosto de novos hábitos de consumo, que não tem volta e o e-commerce é o caminho natural, cabendo ao ente público o dever de urgentemente, rever sua forma impositiva e inquisitória de cobrador, pois, empresário não é “um bando de sonegadores” empresário gera renda, gera ganho, gera competitvidade e o ente público deve embarcar na era positivista e participativa, fomentando o mercado de tal modo, que o investimento neste, seja a melhor opção que os 2%. A relação laboral está tendo uma profunda mudança nos hábitos de outrora, os formatos estão mudando com o “home office” e haverá mais tempo livre, nascendo um consumidor com mais tempo, com mais ferramentas práticas, rápidas e mais baratas para atende-lo. Embora, isso não seja novidade, Domenico De Masi, sociólogo italiano, já trazia o conceito de "ócio criativo", que não está ligado ao negativo do ócio e sim ao fator que estimula a criatividade pessoal. Tom Peters, em sua trilogia, “Reiventando o Trabalho” também traz as mudanças nas formas de menos tarefas e mais projetos, mais excelência e menos departamentos e destaca que a marca passar ser VOCÊ, o consumidor irá avalia você.... Realmente seus apontamentos, para as empresas e empresários que devem se preparar, manter o foco, formalizar seus ações com projetos de prazos de médio e longo prazo, que o imediatismo de antes. Deverá sim, fortalecer a relação entre o produto/atendimento e o consumidor, pois, não há mais espaço no comércio para aventuras, o consumo não pode ser tratado como um “bobó cheira cheira” esse novo consumidor, com acesso imediato as informações, com seus aplicativos de WhatsApp, Facebook, Instagram, Twitter e por aí vai, impulsionará esse nova fase de investimento e uma enorme partes dos ativos aplicados nos “2%” irão migrar. Novas oportunidades de negócio surgirão e a roda irá gira de forma ultra rápida. Parabéns pela sua matéria.

Fernanda em almoço com Bolsonaro

fernanda 400 bolsonaro curtinh   A coronel Fernanda, candidata à senadora pelo Patriota, almoçou com Bolsonaro nesta sexta, em uma fazenda, em Sorriso. A militar foi a única que teve o apoio declarado do presidente na eleição suplementar ao Senado que acontece em 15 de novembro. Mais cedo, por volta das...

Prefeita cobra duplicação e ferrovia

rosana_curtinha   A prefeita de Sinop Rosana Martinelli aproveitou a visita do presidente Jair Bolsonaro na Capital do Nortão para cobrar uma solução para a duplicação da BR-163, sob concessão, e também pediu empenho na Ferrogrão e a implementação de porto seco na cidade. O...

Podemos se alia à esquerda em Barra

sandro saggin 400 curtinha   O direitista Podemos, comandado no Estado pelo deputado Medeiros, fechou coligação com partidos de extrema esquerda em Barra do Garças, como PC do B, PT e Pros. Sandro Saggin (foto), até então pré-candidato a prefeito pelo Pode, recuou e compôs com o grupo liderado pelo...

Coordenador quer mostrar obras de EP

vanderlucio curtinha   Coordenador da campanha de Emanuel Pinheiro à reeleição, Vanderlúcio Rodrigues (foto) garante que o grupo vai focar na divulgação de propostas e não fará ataques pessoais aos 7 adversários. O ex-secretário de Obras Públicas avalia que o grupo...

Tucano ainda com sequelas da Covid

ricardo saad curtinha 400   O vereador cuiabano e presidente do PSDB na Capital, Ricardo Saad (foto), segue na luta para reverter as sequelas deixadas pela Covid-19. Mesmo Dois meses após ser infectado, diz que 53% do seu pulmão ainda está comprometido e que, por isso, sente muita falta de ar. Candidato à...

Tentando golpe político em Tangará

amauri 400 curtinha   O deputado estadual Paulo Araújo (PP) sofreu uma tentativa de golpe vinda de uma pessoa em quem ele confiava totalmente, o seu ex-assessor Amauri Paulo Cervo (foto). Até há poucos dias, Amauri estava lotado no gabinete do deputado, na AL, quando se licenciou com intenção de concorrer...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você está animado para votar nas eleições de novembro?

sim

não

nem sei!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.