ARTIGOS

Sábado, 28 de Março de 2020, 17h:01 | Atualizado: 28/03/2020, 17h:12

Daniele Fukui

Possibilidade de suspensão dos tributos

Daniele Fukui Rebou�as

Daniele Fukui 

Com a aprovação pela Assembleia, nesta sexta (27), do Decreto Estadual número 424, de 25/03/2020, que reconhece o Estado de Calamidade Pública em Mato Grosso, por 90 dias, que inclusive, pode ser prorrogado, desde que justificado, surge à possibilidade para as empresas contribuintes buscarem o adiamento do prazo para pagamento dos tributos federais (IR, CSLL, PIS, COFIS).

Primeiramente é importante destacar que, apesar de o Governo Federal ter aprovado várias medidas de enfrentamento da situação de emergência do coronavírus, tais como a carência para as empresas do Simples Nacional recolher seus impostos, com relação ao adiamento do prazo para pagamento dos impostos federais pelas empresas que atuam no lucro real e presumido não houve prorrogação até a presente data (28/03/2020), com exceção do FGTS.

Dentro deste contexto, as empresas enquadradas no lucro real e presumido, com o objetivo de minimizar os impactos da quarentena horizontal da população, e demissões de massa em razão do COVID-19, foram até o Judiciário buscar a postergação do prazo para pagamento destes tributos federais (IRPJ, CSLL, PIS, COFINS), e como resultado, vários juízes tem acolhido o pedido (TRF1-DF; TRF3-SP (Barueri; Sorocaba; Ribeirão Preto); TRF2-RJ), com base na Portaria 12/2012, ainda vigente, autorizando empresas situadas em estados que tenham decretado estado de calamidade pública a adiar o pagamento dos impostos federais pelo prazo de 3 (três) meses.

E neste sentido é importante salientar ainda que, apesar do artigo 3º da portaria 12/2012 prever sobre a necessidade de regulamentação, não paira dúvida de que a situação que estamos vivenciando atualmente com o coronavírus (COVID-19) dispensa tal exigência, pois se trata de uma excepcionalidade, uma situação jamais vivenciada no mundo, logo, não se restringe a um ou outro município.

Surge à possibilidade para as empresas contribuintes buscarem o adiamento do prazo para pagamento dos tributos federais

Daniele Fukui

E o mais importante, o Fisco não poderá aplicar penalidade, como juros de mora e atualização do valor monetário, previstos no parágrafo único do artigo 100 do CTN, para o caso do pagamento em atraso dos tributos federais, com base na portaria 12/2012 e decreto estadual 424/2020, devidamente aprovado pela Assembleia (desde que amparado por decisão liminar).

Portanto, surge uma opção de folego para os empresários e contribuintes de Mato Grosso, no caso não vir a ser autorizado pelo Governo Federal a postergação do prazo para pagamento dos tributos administrados pela Receita Federal do Brasil (IR, CSLL, IPI, PIS e COFINS), que poderão com base na legislação mencionada, e aliado aos princípios da boa-fé, razoabilidade e proporcionalidade, buscar este direito no Judiciário, como medida de enfrentamento para a situação que estamos vivendo e que com certeza afetará os negócios e a economia de uma forma geral.

Daniele Fukui Rebouças, advogada especialista em Direito Tributário. Pós-graduanda em Direito Processual Civil pela UFMT. Membro do Conselho de Contribuintes da SEFAZ/MT. Conselheira Estadual na Diretoria da OAB/MT. Presidente da Comissão de Estudos Tributários e Defesa do Contribuinte da OAB/MT. Email - daniele@fukuireboucas.com

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Prorrogação de mandatos até 2022

Muitos prefeitos e vereadores já trabalham com a hipótese de ganharem mais dois anos de mandato, "esticando" o atual para 2022. O Senado está prestes a aprovar uma PEC para tornar coincidentes os mandatos eletivos. Nesse caso, mandato dos prefeitos, vice e dos vereadores, eleitos em 2016, teria duração de seis anos. E, a partir das urnas de 2022, as eleições passariam a ser gerais para presidente, governadores, prefeitos, senadores, deputados e...

"Cenário apocalíptico" e respiradores

z� do patio 400 curtinha   Um mês depois do escândalo sobre a compra e pagamento de quase R$ 4 milhões por 22 respiradores falsificados, o prefeito Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, tomou duas decisões, mas nenhuma delas no sentido de investigar eventuais falhas de servidor da...

Binotti, a popularidade e a oposição

luiz binotti 400 curtinha   O grupo político do hoje vice-governador Otaviano Pivetta, que comandou Lucas do Rio Verde por mais de duas décadas, terá dificuldades para reconquistar o comando local no pleito deste ano. O pré-candidato Marino Franz, que foi vice de Pivetta e depois prefeito, será o...

Um mês no Senado e com um projeto

carlos favaro 400 curtinha   Em um mês como senador, Carlos Fávaro (foto), oficialmente com 12 assessores, por enquanto, fez dois pronunciamentos da tribuna, não atua na relatoria de nenhuma propositura e apresentou um projeto, justamente o que pede socorro financeiro a um dos setores do agronegócio, o algodoeiro. Na...

Desagregador luta pra retornar à Ager

fabio calmon 400   Fábio Calmon (foto), que foi adjunto da Sinfra no Governo Taques e depois nomeado presidente da Ager-MT, não desiste da Agência, mesmo sabendo que ali se tornou uma pessoa non grata por uma série de situações. Foi carimbado de incompetente, burocrata, arrogante e desagregador. O governador...

Oportunismo e na defesa de Bolsonaro

niuan ribeiro curtinha 400   Niuan Ribeiro (foto), presidente do Podemos em MT, agora virou defensor do Governo Bolsonaro. Eis o que o vice-prefeito de Cuiabá escreveu no Instagram, em postagem acompanhada de sua foto, sobre o conteúdo da reunião ministerial de 22 de abril que expôs várias faces do governo. "Apesar...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.