ARTIGOS

Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020, 00h:00 | Atualizado: 08/04/2020, 15h:31

Alberto Scaloppe

Riscos jurídicos em tempos de crise

albertoscallop_400

Alberto Scaloppe

A calamidade socioeconômica instalada no mundo, em decorrência da epidemia do novo coronavírus, já atinge a dinâmica empresarial do Brasil. Muitos setores perceberam a ausência de musculatura financeira, jurídica e operacional de grande parte das empresas privadas. Também é possível perceber falhas na comunicação com clientes, parceiros, fornecedores e colaboradores.

Deve-se destacar que, diante das demandas sociais e políticas de desenvolvimento adotadas por organizações públicas ou privadas, nacional ou internacionais, bem como diante do colapso econômico ao qual estamos sujeitos, é necessário que as empresas - pequenas, médias ou grandes - promovam a adequação às exigências de competividade no comércio nacional e internacional.

Empresas possuem riscos e geram ônus aos empreendedores e investidores e, sem a adequada orientação jurídica, sem provisão financeira e sem as devidas respostas ao público, credores, investidores e consumidores, revela-se não somente a iminência de afundar na crise sem chances de retorno, mas sobretudo que sem segurança jurídica qualquer caminho é duvidoso.

No contexto empresarial do Brasil as responsabilizações jurídicas e administrativas podem ser imputadas às sociedades empresariais, aos sócios e aos administradores. A facilidade de acesso as informações e ao Judiciário têm revelado a necessidade de Gestão de Riscos Jurídicos para adequação sistemática às normas atualizadas e a cada vez mais elevada exigência no atendimento, fornecimento e produção. Neste conceito, a segurança jurídica permite dimensionar riscos.

A Gestão de Risco Jurídico é um mecanismo contra as práticas que podem resultar em conflitos societários, familiares, sucessório e contratuais

Aberto Scaloppe

A Gestão de Risco Jurídico é um mecanismo contra as práticas que podem resultar em conflitos societários, familiares, sucessório e contratuais, bem como prejuízos financeiros, perda da credibilidade, e em se tratando de crimes, até mesmo da liberdade.

Deve-se atuar preventivamente, tanto no que se refere a problemas internos, envolvendo questões ambientais, tributárias, trabalhistas, societárias e contratuais, quanto a externos, auxiliando na estabilidade da relação entre empresas e seus consumidores e fornecedores. Portanto, esclarecer fatos e sugerir soluções são iniciativas capazes de reduzir impactos.

A atuação em Gestão de Risco Jurídico deve ser preventiva e prospectiva, para preservar políticas de integridade, antever e apresentar oportunidades, bem como orientar condutas defensivas para anteceder eventos prejudiciais ao negócio. A atuação está estrita à análise jurídica, aplicando o conhecimento das normas e da legislação adequadamente às relações jurídicas de cada negócio.

Neste cenário de colapso socioeconômico com consequências jurídicas, o empreendedor deve mapear as legislações aplicáveis ao seu negócio; fazer análise dos decretos e atos normativos editados pela União, Estados e Municípios que beneficiem sua atividade, procurar parceiros e fornecedores para propor aditamento dos contratos onerosos, fazer avaliação de  ações em termos de responsabilização civil, administrativa e criminal da empresa e seus administradores, realizar diagnóstico do contencioso e criar plano de ação para minimizar os passivos; gerenciar o relacionamento da organização com autoridades públicas, comunidades, órgãos reguladores e imprensa; definir uma mensagem de resposta coerente e precisa para todos os públicos afetados pelas modificações no seu empreendimento e, organizar o fluxo das informações coletadas para tomar decisões de forma rápida e segura.

Por fim, é imprescindível que empresas mensurem os impactos da crise e preservem a manutenção socioeconômica do negócio para superar obstáculos.

Alberto Scaloppe é advogado no Scaloppe Advogados Associados

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Contas de prefeita são reprovadas

thelma 400 curtinha   As contas de 2018 da prefeita chapadense Thelma de Oliveira (foto), do segundo ano de mandato, foram reprovadas pelo TCE-MT. Agora, cabe à Câmara Municipal aprová-las ou rejeitá-las. Em seu parecer, o conselheiro interino João Batista apontou 15 irregularidades, sendo 11 delas sobre...

Prefeitos têm de trocar apadrinhados

kleber varzea grande 400 curtinha   Com a decisão do TJ-MT de considerar inconstitucional controlador-geral das prefeituras fora dos quadros efetivos de auditor municipal, muitos prefeitos terão de exonerar seus indicados políticos, vindo a escolher profissionais de carreira, assim como já se tornou prática na...

Controlador-geral agora só de carreira

angelo 400 curtinha   Uma decisão desta quinta do TJ, que julgou procedente, inclusive por unanimidade, uma ADIN proposta pela Associação dos Auditores e Controladores Internos do Estado (Audicom), presidida por Angelo Oliveira (foto), acaba, na prática, com os chamados controladores-gerais dos municípios...

Elogio à compra econômica do Estado

janaina riva 400 curtinha   Embora lançando críticas pontuais de vez em quando, a deputada Janaina Riva (foto) tem feito constantes defesa do Governo Mauro e elogiado ações da administração, especialmente na saúde pública. Sobre a decisão do governo de comprar 120 respiradores da China,...

MDB em clima de racha em Tangará

joao jose 400 curtinha   Em Tangará da Serra, o MDB enfrenta racha. O prefeito Fabio Junqueira, com apoio de filiados históricos, quer lançar à sucessão municipal o seu secretário de Infraestrutura e antigo gestor do Serviço de Água e Esgoto, Wesley Lopes Torres, sobrinho do ex-vereador Daniel...

Advogados disputam cadeira no TJ-MT

andre pozetti 400 curtinha   É extensa a lista de advogados que estão se movimentando, nos bastidores, para a cadeira vitalícia de desembargador do Tribunal de Justiça, sob indicação do Quinto Constitucional da OAB/MT. Caberá ao Colégio de Conselheiros da Ordem, composto por 33 advogados,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.