Blog do Romilson Cuiabá, 26 de Junho DE 2019 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Até onde vai a pressão popular

Por 19/05/2019, 11h:12 - Atualizado: 19/05/2019, 11h:17

ROBERTO PARENTONI

Roberto Parentoni

O ex-presidente Michel Temer foi preso duas vezes e colocado em liberdade o mesmo número de vezes. Sabemos todos, pelo noticiário da imprensa, as razões que o levaram à prisão. E da mesma forma e pelo mesmo canal, as motivações para a sua soltura. Agora o ex-presidente está em casa, vivendo a sua “liberdade” com algumas restrições impostas pela Justiça. Ainda assim, muitos brasileiros foram às redes sociais mostrar o seu descontentamento com a “nova” soltura do ex-presidente.

Não cabe neste artigo entrar no mérito das circunstâncias daqueles que o mandaram para a prisão e, em igual forma, das razões daqueles que o soltaram. O que quero, pois entendo que é tema relevante, é tratar da reação da Justiça às pressões das manifestações populares, que de uns tempos para cá, mais precisamente depois do aparecimento das Redes Sociais na Internet, ganham volume e força toda vez que a pauta do Tribunal apresenta caso rumoroso da esfera política. Como no caso em tela, o do ex-presidente Temer.

Reação da Justiça às pressões das manifestações populares,  de uns tempos para cá, mais precisamente depois do aparecimento das Redes Sociais na Internet, ganham volume e força toda vez que a pauta do Tribunal apresenta caso rumoroso da esfera política

É fato que o ex-presidente nunca foi um político carismático e que contra ele pesam acusações graves. Entretanto, nunca é demais recordar, o ex-presidente Temer é apenas acusado e nada além. Se ele é culpado ou inocente quem vai decidir é a Justiça, após argumentações da acusação e defesa. Não as ruas e nem as redes sociais. Na prática, convém não esquecer, o ex-presidente não foi julgado ainda em nenhuma instância, ou seja, não foi condenado a nada. Gostem dele ou não, fato é que existe um rito processual, igual para todos os cidadãos, que precisa ser seguido. 

O povo tem o direito e é salutar que se manifeste pacífica e livremente, sobretudo porque vivemos num País democrático. No entanto, é importante que o cidadão, manifestante ou não, saiba que a pressão das ruas e/ou das redes sociais não pode e nem deve mudar um veredito, que precisa se ater apenas ao que consta nos autos do processo. Não dá e nem pode ser diferente.

Juiz não é super-herói e muito menos carrasco. Existe uma tábua de leis, o famoso Código Penal, que lhe impõe limites e, em tese, obstrui qualquer possível prática de arbitrariedade. Não dá para atender a vontade das ruas e das redes sociais se esta contraria os autos do processo e não encontra amparo no Código Penal. Juiz tem que ter ouvidos moucos!

Não raro, quando o tema veredito x vontade popular vem à tona, tem sempre um leigo que invoca o antigo ditado popular que diz “que a voz do povo é a voz de Deus”. Pode até ser, mas fora do âmbito da Justiça. Até porque, não se pode esquecer que foi o povo quem condenou Jesus, o filho de Deus, e libertou Barrabás, bandido confesso. Em tempos de fake news movidas a whatsapp, todo o cuidado é pouco. E a Justiça sabe disso.

Roberto Parentoni é advogado criminalista

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • O Doutrinador | Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019, 11h52
    0
    0

    Concordo totalmente com a opinião exposta. Vivemos em um país onde a lei é igual para todos, não existem casos de privilégios a determinados grupos, não existem injustiças nesse país as quais o nosso amado judiciário não possa intervir e garantir os anseios de pacificação necessários, através de suas decisões que direcionam corretamente toda a sociedade para níveis cada vez maiores de ordem e progresso. É notório que o sistema judiciário atual tem feito um excelente trabalho em resolver as desigualdades sociais. Vejo cada vez mais juízes questionando exageros em seus penduricalhos, o que mostra como esse grupo está totalmente alinhado ao combate aos privilégios.

  • O Doutrinador | Segunda-Feira, 20 de Maio de 2019, 11h48
    0
    0

    Concordo totalmente com a opinião exposta. Vivemos em um país onde a lei é igual para todos, não existem casos de privilégios a determinados grupos, não existem injustiças nesse país as quais o nosso amado judiciário não possa intervir e garantir os anseios de pacificação necessários, através de suas decisões que direcionam corretamente toda a sociedade para níveis cada vez maiores de ordem e progresso. É notório que o sistema judiciário atual tem feito um excelente trabalho em resolver as desigualdades sociais. Vejo cada vez mais juízes questionando exageros em seus penduricalhos, o que mostra como esse grupo está totalmente alinhado ao combate aos privilégios.

BRIGAS INTERNAS

Conflito com presidente "autoritário" da Ager motiva saída de diretores

Por 26/06/2019, 15h:00 - Atualizado: 06h atrás

fabio calmon ager 680

 

As trocas de cadeiras de diretores da Agência de Regulação dos Serviços Delegados (Ager-MT) estão sendo motivadas pelo clima tenso criado a partir da condução autoritária e de difícil relacionamento imposta pelo presidente Fábio Calmon, seja com membros da diretoria, seja com servidores em geral.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Alexandre | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 20h08
    0
    1

    Alexandre, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • angela maria | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 16h21
    10
    1

    A diretora Keile era um peso morto. Pra restabelecer a ordem, a harmonia e a paz, e a agencia voltar ao normal, tem sair o Fabio , o Pateta do Ismail Daniel, Romélia louca e as suas amigas.

  • rafael Mendonça | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 16h12
    11
    2

    fora Calmon. A Acer não merece você.

  • O ATALAIA | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 15h59
    10
    3

    Infelizmente ainda existem pessoas autoritárias que saem pelo mundo arrogando ares de juiz e reprimindo a qualquer preço aqueles que nao se enquadram em seu modelo. São ressurgencias do velho e do obsoleto que tentam impor suas regras e retardar inovações e modernismos que se impõe como imperativos da ordem e do progresso.

  • Arlindo Cruz | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 15h47
    10
    2

    Essa diretora q saiu tb não era flor q se cheire e com esse presidente eram dois polos super negativos dentro da Ager. Portanto, um mal saiu e falta o outro super mal tb sair com a equipe q ele levou, para q a Ager possa progredir e respirar em paz.

  • Reguladora | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 15h24
    16
    2

    Filho do Taques. Levou a prepotência do ex-chefe para dentro da AGER. Nunca na história da agência passou o cara dissimulado tão quanto esse cidadão. Atropela o regimento da Instituição, tomando decisões sem votos da diretoria reguladora Tá na hora do Governador acordar. Mauro Mendes, o camarada esta acabando com a Agência.

HOMENAGEM

Padre Lothar merece muito mais

Por 26/06/2019, 13h:20 - Atualizado: 08h atrás

Denilson Paredes

padre lothar 680

 

Aos 81 anos e com 52 de sacerdócio, o padre alemão Lothar Bauchrowitz, da paróquia São José Operário, em Rondonópolis, vai receber uma Moção de Aplauso da Assembleia Legislativa. Ele merece uma homenagem muito mais representativa pelos serviços prestados à comunidade carente.

Postar um novo comentário

RUMO A 2020

3 devem ir a prefeito de Alta Floresta

Por 26/06/2019, 09h:40 - Atualizado: 26/06/2019, 01h:01

ademir brunetto 680

 

Em Alta Floresta, uma das cidades polos do Nortão, três nomes conhecidos devem dar largada rumo à prefeitura, hoje tocada pelo emedebista Asiel Bezerra.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • paula goetz | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 11h01
    0
    0

    Meu Deus do Céu....Alta Floresta vai falir de vez...

REGULAÇÃO

2 indicados para a diretoria da Ager

Por 25/06/2019, 23h:10 - Atualizado: 26/06/2019, 00h:54

jose rodrigues 680

 

O governador Mauro Mendes decidiu contemplar um dos aliados da época de quando foi prefeito de Cuiabá, o advogado José Rodrigues Rocha Júnior, que será indicado para o cargo de diretor-regulador de Ouvidoria da Agência de Regulação dos Serviços Delegados (Ager-MT. Também tem aval do Palácio Paiaguás para assumir a Diretoria de Transportes, Emerson Almeida de Souza, que já atua como advogado da autarquia.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Dantes | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 16h55
    2
    0

    O advogado Emerson Almeida com certeza fará uma excelente gestão, pois competência e compromisso com a Agência não faltarão.

  • Julio Jose de Campos | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 15h47
    2
    0

    Justa e excelente escolha para a Diretoria da AGER.

  • O ATALAIA | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 10h52
    3
    0

    A AGER vem, desde sua criação, em 2001, buscando sua autonomia e independencia, mas fatores politicos tem surgido, dificultando o alcance desses objetivos. Com a utilização de seus proprios tecnico na direção do órgão essa possibilidade vai se tornando exequível.

  • tedi | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 10h06
    7
    0

    Merecido . Mato Grosso só tem a ganhar , boa sorte.

  • Nailio Pereira | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 09h52
    7
    2

    Já estava na hora de JR comandar algo nesse estado, pois tem muita gente bem menos competente comandando. Boa sorte Zé ... Jesus Cristo no comando.

  • Fernando Medeiros | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 08h09
    7
    2

    Nada mais justo, Zé Rodrigues é um grande amigo.... parabéns

TAXAS

OSCIP terá de devolver R$ 1,9 mi superfaturado e perde 10 contratos

Por 25/06/2019, 19h:04 - Atualizado: 25/06/2019, 19h:14

joao batista tce 680

 

O TCE-MT está acabando com a farra das OSCIPs, que têm faturado alto diversas prefeituras usando o trunfo de parcerias para cobrar taxas administrativas com valores elevados.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Pedrosa Pedreira | Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 13h18
    0
    0

    Pedrosa Pedreira, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

PROTELAÇÃO

Por que o TRE veloz na cassação de Selma agora não julga embargos?

Por 25/06/2019, 14h:13 - Atualizado: 25/06/2019, 14h:17

Geraldo Magela

selma arruda tre 680

 

Pergunta que não quer calar:

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Joaquim Nabuco Miranda de Carvalho | Terça-Feira, 25 de Junho de 2019, 16h22
    14
    4

    Doutora Selma foi uma decepção. Deveria pedir pra sair e abandonar a vida pública.

  • mauricio souza | Terça-Feira, 25 de Junho de 2019, 16h21
    10
    1

    Gostei da definição: tartaruga com câimbra. Bem isso. kkkk

  • A. Carlos | Terça-Feira, 25 de Junho de 2019, 14h42
    10
    0

    Com a palavra, o TRE-MT.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2381