Blog do Romilson Cuiabá, 19 de Junho DE 2019 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Uma proposta para melhorar os serviços da Polícia Civil

Por 15/04/2019, 09h:02 - Atualizado: 15/04/2019, 09h:10

Edleusa Mesquita

Edleusa Mequita

Há muito tempo tem se falado sobre o baixo efetivo da Polícia Civil em Mato Grosso e suas implicações, principalmente quanto à sensação de insegurança por parte da população e sobre a demora na abertura e conclusão de inquéritos. A Polícia Judiciária Civil (PJC) está em 78% do Estado e para dar cumprimento ao seu papel investigativo conta com apenas 2.090 investigadores e 687 escrivães. O número é pequeno diante da quantidade de ocorrências registradas todos os dias e a sociedade clama por maior agilidade nas investigações e pela conclusão dos inquéritos.

O número (de investigadores) é pequeno diante da quantidade de ocorrências registradas todos os dias e a sociedade clama por maior agilidade nas investigações e pela conclusão dos inquéritos

Precisamos, urgentemente, de concurso público para profissionais da atividade-meio e guarda patrimonial, mas, sobretudo, precisamos otimizar o trabalho nas delegacias. Para tanto, há cerca de um ano, o Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso (Sinpol-MT), entregou à diretoria da PJC uma proposta para unificação dos cargos de investigador e escrivão, dessa fusão surgiria o novo cargo: o Oficial de Polícia Judiciária (OPJ). Nosso objetivo é fazer com que o mesmo policial que atende as ocorrências possa investigar o caso face à abertura do inquérito dando celeridade, maior materialidade e desafogando cartórios e delegacias. 

A Lei 407/2010 mostra que as atividades do cargo de escrivão e investigador de Polícia Civil são semelhantes em vários aspectos e reúnem os mesmos requisitos de investidura, estrutura de carreira, nível salarial e iguais atribuições de polícia investigativa e repressiva. Portanto, podemos sim unificar as duas categorias sem prejuízos ao trabalho ou ao Plano de Cargos, Carreiras e Salário (PCCS), inclusive garantindo aos aposentados os mesmos direitos garantidos aos policiais da ativa na nova função.

Existe um projeto piloto de unificação dos cargos no Ceará, mais precisamente na cidade de Aracati, apresentado pelo presidente Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará, Francisco Lucas, que vem mostrando resultados eficientes.

O novo cargo apresenta outras vantagens, entre elas o retorno mais rápido das viaturas da PM às suas áreas de atuação, já que os registros de ocorrência e o tempo de resposta aos flagrantes serão otimizados com a diminuição da burocracia administrativa. Também, o ganho no gerenciamento de crises por parte dos delegados em casos da ausência de um ou mais policias ao serviço. Se houver a necessidade de um OPJ faltar ao serviço, o delegado poderá indicar outro profissional da mesma categoria e com as mesmas habilidades para substituí-lo imediatamente. Hoje, na falta de um escrivão ou investigador o profissional só pode ser substituído por outro da mesma função trazendo prejuízos ao trabalho.

Com a implantação do projeto OPJ a atividade cartorária também ganhará celeridade. Hoje, os cartórios estão lotados de inquéritos por causa do crescente número de ocorrências e do contingenciamento de investigadores; situação que será resolvida já que todos os policiais estarão capacitados para investigar e concluir os processos. Caberá a cada delegado, ou ainda a nova categoria, definir o policial responsável por cada investigação. Num primeiro momento, pode-se criar uma força-tarefa capaz de concluir os inquéritos antigos e enviar todo o material já apreendido ao Fórum, dando à sociedade a certeza de uma PJC mais célere em suas atividades.

Precisamos, urgentemente, de concurso público para profissionais da atividade-meio e guarda patrimonial, mas, sobretudo, precisamos otimizar o trabalho nas delegacias

Quanto aos plantões e ao expediente, ainda precisamos (escrivães e investigadores) definir como vai funcionar. A proposta de unificação dos cargos entregue à diretoria da PJC é sugestiva e pode ser alterada a qualquer momento. Acho justo que esta definição seja feita em conjunto por todos os policias após a criação e oficialização do novo cargo. Quanto ao expediente, acredito que continuará como hoje: esquipes de serviço e plantão definidas por escala.

Por fim, quero ressaltar que o projeto OPJ tem também como proposta a integração dos policiais civis desviados de função ou afogados na burocracia, readequando os cargos técnicos-administrativos e de segurança. Estes servidores de nível médio farão a parte de ofícios e guardas dentre outras funções, ajudando a desafogar a atividade-meio para que os demais policiais possam atuar na atividade-fim. Ou seja, na investigação.

Estamos trabalhando para demonstrar aos escrivãs e investigadores que a criação do OPJ é a melhor saída para darmos celeridade ao trabalho de Polícia Judiciária Civil e equidade aos servidores. Esperamos a adesão de todos, pois uma categoria organizada e unificada certamente será mais forte na busca de novos direitos e na garantia dos já adquiridos.

Edleusa Mesquita é presidente do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso (Sinpol-MT). E-mail: presidencia@simpolmt.org.br

Postar um novo comentário

FESTIVAL CACERENSE

Shows do FIPE custarão à prefeitura R$ 985 mil; Léo Santana, R$ 310 mil

Por 19/06/2019, 15h:00 - Atualizado: 16min atrás

leo santana 680

O cantor Léo Santana se apresenta por cerca de duas horas no Festival no dia 11 de julho e vai faturar R$ 310 mil

Os shows artísticos do 38º Festival Internacional de Pesca Esportiva (FIPE) vão custar aos cofres da Prefeitura de Cáceres R$ 985 mil.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Aldo | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 15h36
    0
    0

    Aí falta dinheiro para educação, saúde, etc... Crise, onde está essa crise que tanta gente fala.

AMM gasta quase R$ 200 mil com empresas para eventos e cursos

Por 19/06/2019, 12h:01 - Atualizado: 04h atrás

neurilan fraga 680

 

A contratação pela AMM da Tortorelli Consultoria tem chamado atenção de prefeitos associados. O presidente de terceiro mandato da entidade municipalista Neurilan Fraga assinou contrato de R$ 173,3 mil para a empresa organizar eventos e promover cursos de interesse da AMM.

Postar um novo comentário

COMUNICAÇÃO

Pérsio "ressuscita" O Estado de MT

Por 19/06/2019, 10h:17 - Atualizado: 06h atrás

persio briante

Pérsio Briante, Tiago, Gean André, Michele e o colunista Hebert Matos mostram a 1ª edição do jornal impresso

Em mais um passo desafiador para os novos tempos, marcados pela velocidade acelerada das mídias eletrônica e sociais, o empresário Pérsio Briante resolve refundar o jornal O Estado de Mato Grosso. O empresso diário, em cores e com 16 páginas, começou a circular ontem. A solenidade que marcou inauguração do moderno parque gráfico, em Cuiabá, foi bastante concorrida.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • André | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 10h51
    1
    0

    Que moral tem esse Governo para bloquear recursos nossos? Um Governo que não cumpre lei tem altoridade para que? É a justiça? Está sendo justa ou defendendo o seu? Lamentável deprimente a Situação em que vemos justiça e Executivo....

  • Pedro Parente | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 10h40
    0
    3

    Que venha ao menos um Jornal de direita no MT. Pois já estamos cassado de jornais esquerdista.

EFEITO-GREVE

Sob ordem judicial, governador já bloqueia 30% de repasse do Sintep

Por 18/06/2019, 21h:05 - Atualizado: 05h atrás

Tchélo Figueiredo

mauro mendes governador 680

 

Cumprindo determinação judicial, o governador Mauro Mendes já mandou a secretaria de Fazenda bloquear 30% do repasse mensal do Sintep, algo em torno de R$ 200 mil.

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Alice | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 14h38
    4
    5

    C pontos cortados e mesmo assim em greve é sinal q o salário não faz falta p os professores. Continuem em greve o Sintep vai pagar as contas de vcs😂😂😂😂😂😂

  • Cristiano | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 13h36
    0
    0

    Cristiano , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • SEM ESCOLA | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 11h42
    9
    8

    têm pessoas do governo que fica 24 horas nos sites, para curtir reportagem que favorecem o governo, vamos pra cima Sintep essa briga e nossa, se não for agora nunca mais. ggggRRREEEVVVVEEEE

  • SEM ESCOLA | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 11h39
    12
    8

    têm pessoas do governo que fica 24 horas nos sites, para curtir reportagem que favorecem o governo, vamos pra cima Sintep essa briga e nossa, se não for agora nunca mais. ggggRRREEEVVVVEEEE

  • Ana Lucia Andruchak | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 11h11
    14
    8

    Governador que se elege dizendo que vai pagar RGA e defender direitos do funcionalismo público e depois de eleito, atrasa salários, não paga direitos e usa de repressão e atos ilegais, pode ter certeza que seu nome ficará manchado na história política de Mato Grosso, como uma pessoa sem caráter!!!

  • SEM ESCOLA | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 11h04
    15
    10

    sintep não acabe com a greve enquando o pedido do sindicato não for atendido, para os poderes nem precisaram fazer greve o aumento foi automatico, vamos pra cima nem que a greve dure 3 meses, ai sim vai entrar para a história do estado.

  • Hpr | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 09h51
    3
    0

    Hpr, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Hpr | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 09h35
    13
    15

    Esse dinheiro é dinheiro do servidor, descontado da folha do servidor. Se o dinheiro não for repassado ao sindicato, o governo está fazendo é apropriação ilegal do dinheiro do servidor.

  • Hpr | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 09h31
    14
    11

    O sindicato não recebe do governo, recebe de nós servidores. Nós autorizamos o desconto do nosso salário a ser repassado ao sindicato.

  • Maria | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 06h37
    18
    20

    Indecente este senhor! Ilegal e imoral a atitude desesperada do senhor Mauro Mendes. O Sintep é uma entidade sindical. Seus recursos financeiros lhe são conferidos por seus filiados e filiadas por livre vontade. O Estado deve arcar com o dever de fornecer educação aos seus cidadãos e cidadãs com recursos determinados pela lei. Se ele não consegue cumprir leis e pensa que o Estado é simplesmente uma das suas empresas, deve renunciar. Vá administrar as suas empresas, senhor Mauro Mendes! O Estado é outro organismo, bem diferente do que a sua pouca inteligência consegue absorver! Tire as mãos dos recursos do Sintep que não lhe pertencem e nem ao Estado!

INAUGURAÇAO DA UFR

Bolsonaro deve visitar Rondonópolis

Por 18/06/2019, 20h:25 - Atualizado: 18/06/2019, 20h:30

Marcos Correa

jair bolsonaro 680

Presidente Jair Bolsonaro, em reunião nesta 3ª com líderes do Governo e do Podemos, entre eles José Medeiros

Depois de Barra do Garças, no Araguaia, Rondonópolis, cidade pólo da região Sul, deve ser a segunda cidade mato-grossense a receber a visita do presidente Jair Bolsonaro.

Postar um novo comentário

PROPAGANDA

Juíza libera 3 informes publicitários

Por 18/06/2019, 19h:00 - Atualizado: 19/06/2019, 06h:44

Mayke Toscano

mauro camargo 680

 

Mesmo com orçamento para tal, o governo estadual só está conseguindo liberação da Justiça para fazer campanhas publicitárias em etapas e, assim mesmo, no caso daquelas consideradas emergenciais. Essa limitação trava a gestão do secretário adjunto de Comunicação, jornalista Mauro Camargo.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • daniel | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 06h10
    2
    0

    Pior governador da história de Mato Grosso. Transformou as secretarias em cabide de emprego.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2378