Blog do Romilson Cuiabá, 25 de Setembro DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Divergências

Jayme prega ruptura com governo Maggi, mas bancada do DEM resiste

Deputado Gilmar Fabris   O senador Jayme Campos, pré-candidato do DEM à sucessão estadual, não tem encontrado respaldo da bancada na Assembleia para romper desde já com o governo Blairo Maggi (PR), mesmo nesta fase de transição em que o concorrente ao Paiaguás nas urnas de outubro, peemedebista Silval Barbosa, se prepara para comandar o Estado. A razão é uma só: cargos. Líderes do velho PFL contam com cerca de 300 indicações entre segundo e quarto escalões. São cabos eleitorais que pressionam os deputados para não perderem o emprego de DAS. O que mais resiste a uma ruptura com a chamada turma da botina é o Gilmar Fabris. Contrariado com a cúpula do DEM, ele nem participa das reuniões do partido.

   A bancada é composta por quatro deputados: Chica Nunes (ex-PSDB), Dlceu Dal Bosco, José Domingos e Fabris. O mais afinado com o discurso de Jayme é Dal Bosco, que ora defende o nome do senador para governador, ora torce pela sua desistência, na esperança de vir a ser escolhido como vice numa composição com o pré-candidato tucano Wilson Santos. Jayme, que em 2006 se elegeu senador numa composição com Maggi, reeleito na época, é favorável a tese do DEM sair de vez da administração estadual e tomar outro rumo. Hoje, está mais próximo do tucanato, seguindo a conjuntura nacional.

   Toda vez que o senador inclui a proposta de ruptura nas reuniões internas, parte da bancada na Assembleia reage contra. Os deputados pedem trégua. Querem aproveitar as benesses no governo Maggi o máximo possível. Ex-democratas se desfiliaram para continuar no primeiro escalão, como José Aparecido, o Cidinho (Projetos Estratégicos), Vilceu Marchetti (Infraestrutura) e Neldo Egon (Desenvolvimento Rural). Já Leôncio Pinheiro, presidente da Empaer, atua como bombeiro para apagar o incêndio na relação conflituosa entre o DEM e o governo estadual para, assim, ser preservado no cargo ao menos até 31 de março, quando Maggi renuncia ao mandato para concorrer ao Senado.

  O grupo dos irmãos e ex-governadores Jayme e Júlio Campos têm sede de poder. A última vez que comandou o Estado foi há 16 anos. Hoje no DEM, eles se articulam com a cautela de quem sabe que não pode mais sair derrotado nas urnas e nem fazer composições que venham a ser rejeitadas nas urnas, como a de 1998, quando Júlio Campos perdeu para governador e levou para o mesmo buraco o até então adversário ferrenho Carlos Bezerra (PMDB), que disputou para o Senado.

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Gilmar Brunetto | Terça-Feira, 26 de Janeiro de 2010, 04h48
    1
    0

    Gilmar Brunetto, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • AMBRÓSIO | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2010, 23h16
    0
    1

    HÁ MUITO TEMPO O SENADOR JAIME VEM PREGANDO A RUPTURA COM O GOVERNO ESTADUAL, ISSO É APENAS UMA AMEAÇA. SUGIRO O SEGUINTE: QUE ROMPE EM DEFINITIVO OU PARE COM ESSA AMEAÇA INFANTIL.

  • julio Tadeu | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2010, 20h51
    0
    1

    Eta Jaime, você mamou e sugou todo leite do governo Maggi, agora toca o pé na trazeira deles, qual é sua, você já dançou bonito.

VAIDADES

Disputa de ego entre 2 entidades faz ministra cancelar agenda em Cuiabá

Por 24/09/2020, 16h:25 - Atualizado: 24/09/2020, 16h:29

antonio galvan normando corral

Antonio Galvan, da Associação dos Produtores de Soja, e Normando Corral, que dirige a Federação da Agricultura

Uma disputa pelo protagonista do que seria a construção de uma agenda para a ministra Tereza Cristina (Agricultura) em Cuiabá, envolvendo a Famato e Aprosoja, as duas maiores entidades do agronegócio, acabou jogando por água abaixo a tal programação.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Sem terra de Poconé | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 21h20
    1
    0

    02 pessoas que usam às instituições em benefício próprio. Normando Corral toca a FAMATO dando mordomia e beneficies a seus “amigos”, já Galvan é tido como louco é extremamente vaidoso.... O agro tá muito mal representado nesse momento...

MORTE OU VIDA POLÍTICA

A incógnita Pedro Taques

Por 24/09/2020, 11h:49 - Atualizado: 24/09/2020, 11h:54

pedro taques 680

A resposta das urnas a ser dada a Pedro Taques em 15 de novembro, como um dos 11 candidatos a senador, representará a sua morte política ou então o consagrará como aquele que conseguiu dar a volta por cima.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • luizitosales@gmail.com | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 14h18
    13
    5

    Sou servidor público e tive o desprazer de participar de uma reunião com esse indivíduo quando ela estava (ainda bem) governador. Impressionante a arrogância, prepotência e falta de humildade. Se depender do meu voto, vai continuar no ostracismo político.

  • Joaquim Silva | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 13h42
    10
    12

    Eu voto nele, um dos destaques no Congresso nacional entre 2010 a 2014. Não foi um governador eficiente, mas a eleição aqui é para Senador, cargo que ele já ocupou com tanto brilhantismo que o alçou a Governador. Perfis diferentes, não dá para confundir as atribuições de um e de outro. Ele é político do Legislativo, não executivo, igual Welington Fagundes.

  • Joaquim Silva | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 13h42
    7
    10

    Eu voto nele, um dos destaques no Congresso nacional entre 2010 a 2014. Não foi um governador eficiente, mas a eleição aqui é para Senador, cargo que ele já ocupou com tanto brilhantismo que o alçou a Governador. Perfis diferentes, não dá para confundir as atribuições de um e de outro. Ele é político do Legislativo, não executivo, igual Welington Fagundes.

EM CUIABÁ

PSB deixa Emanuel e espera sim do Paiaguás para fechar com França

Por 24/09/2020, 09h:54 - Atualizado: 24/09/2020, 09h:57

adilson levante 680

O PSB pulou do palanque à reeleição do prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro, deixou a chapa de 38 candidatos a vereador numa saia-justa e está esperando sinalização do Palácio Paiaguás para ver se fecha mesmo aliança com Roberto França (Patriota).

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Candidata | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 20h59
    0
    0

    Nota mentirosa. PSB está firme com Emanuel. Nunca se uniria a Mauro Mendes

  • Psdbista | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 20h59
    0
    0

    MAIOR MENTIRA DO PLANETA. RUSSI SABE QUE O DEM SAÍRA MAIS PERDIDO QUE CACHORRO QUE CAIU DE MUDANÇA E NÃO IA ESTRAGAR A CHAPA DO PSB. DIVULGUEM A VERDADE

  • Ojusticeiro | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 15h15
    5
    0

    Na política vale tudo..... olha Máxi dando pitada na política cuiabana QUA. QUA QUA ele vai e nos eleitores não mais QUA

VISITA

Ministra em agenda do agro em Cuiabá

Por 23/09/2020, 22h:46 - Atualizado: 23/09/2020, 22h:50

tereza cristina 680

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) visita Cuiabá na próxima segunda (28).

Postar um novo comentário

SOJICULTORES

Aprosoja vai renovar diretoria e, por enquanto, um se lança à presidência

Por 23/09/2020, 20h:01 - Atualizado: 23/09/2020, 20h:07

fernando cadore 680

Com cerca de 7 mil associados, a Aprosoja-MT, entidade que representa a categoria de sojicultores que detém o maior peso da economia estadual, escolherá seu novo presidente e outros 11 da diretoria em 9 de novembro.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Juscileide Kliemaschewsk Rondon | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 19h27
    0
    0

    Bando de canalhas! Se serviram da EMBRAPA, empresa brasileira pública para começar o plantio da soja no estado e agora jogam pedra nos serviços públicos!

  • Caio Oliveira | Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2020, 21h06
    6
    0

    Aproenoja...

  • Jose | Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2020, 20h55
    6
    1

    A aprosoja ao invés de se preocupar com as queimadas fica fazendo propaganda pra reforma administrativa

PLANTAÇÃO E COLHEITA

A estratégia de Mauro para 2021

Por 23/09/2020, 15h:25 - Atualizado: 23/09/2020, 15h:30

mauro mendes 680

Independente da busca ou não da reeleição, Mauro Mendes está convicto de que, a partir do próximo ano, irá elevar a popularidade, inclusive em setores, como do funcionalismo público e do agronegócio, que torceram o nariz e fizeram protesto contra o governo por causa das reformas implementadas.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • ROGERIO SENA DA SILVA | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 13h25
    2
    0

    Tá achando que o servidor público é bobó chera chera. Perdemos poder de compra sem RGA e agora diminuiu nosso salário com aumento da alicota previdenciária. Muitos estão com dificuldades pra comprar remédios e entrando em empréstimos. Não esqueceremos terá o mesmo fim de Pedro

  • Charles Dias | Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020, 11h53
    7
    1

    Nunca mais terá o meu voto, enganou os servidores público, não taxou o agronegócio e ainda taxou os Pensionista e Aposentados 14% na alíquota previdenciária. A corda sempre arrebenta para o lado mais fraco. Se o Roberto França eleger para Prefeito vai acontecer a mesma coisa, apoiado por Mauro MENTE!!! ABRE O OLHO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL!!!

  • Marlan | Quarta-Feira, 23 de Setembro de 2020, 20h15
    4
    9

    ...QUE OS ANJOS DIGAM AMEM...

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2605