Blog do Romilson Cuiabá, 30 de Setembro DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

EMBATE JURÍDICO

Lideranças influentes no passado, Henry e Fabris agora são barrados


O estadual Gilmar Fabris (DEM) e o federal Pedro Henry (PP) são barrados à reeleição pelo TRE-MT, sob Rui Ramos

  Eles já foram políticos tão prestigiados e influentes que um quase foi nomeado ministro do governo do presidente Lula e o outro presidiu a Assembleia Legislativa por dois anos e se tornou o todo poderoso nos governos Júlio e Jayme Campos. Agora, estão com registros indeferidos, são considerados fichas sujas e não podem disputar as eleições deste ano. Tratam-se do deputado federal Pedro Henry (PP) e do estadual Gilmar Fabris (DEM). Ambos são polêmicos, não têm papas na língua, se envolveram em escândalos e confusões.

    Henry é médico-anestesista e mora em Cáceres, cidade-pólo do Oeste mato-grossense. É tido como o cacique político da região. Está no quarto mandato. Fabris é pecuarista. Possui fazenda em Pedra Preta, vizinha a Rondonópolis, pólo da região Sul. Ele exerce o terceiro mandato. No caso de Henry, ele conseguiu salvar o mandato em meio à acusação de envolvimento no mensalão, escândalo que quase derrubou o governo do presidente Lula em 2005, e ainda na chamada máfia das sanguessugas, esquema de superfaturamento na compra de ambulâncias para prefeituras a partir de emendas parlamentares. Enfrentou até CPI e foi absolvido pelo plenário da Câmara. Agora, perdeu o mandato, a partir de uma representação do MPE junto ao TRE. Foi acusado de comprar votos em Cuiabá em sua campanha à reeleição em 2006. Se não conseguir êxito no embargo de declaração junto ao TSE, ficará impedido de disputar o quinto mandato.

    Pedro Henry iniciou carreira na vida pública como vice-prefeito de Cáceres, pelo PPS, em 1992. Depois foi diretor-administrativo da Sanemat. Elegeu-se deputado federal pelo PDT, em 1996. Em 1998, foi eleito novamente pela Câmara, desta vez pelo PSDB. Seu terceiro mandato veio em 2002, pelo PPB (atual PP), quando teve 120.840 votos, até então o mais votado da história da bancada federal mato-grossense. Depois, mesmo enfrentando uma série de denúncias, se reelegeu com 73.312. Também foi filiado ao PTB, de 1989 a 1991, mas não exerceu mandato eletivo pelo partido. Chegou a assumir a liderança da bancada do PP na Câmara. Tinha trânsito livre no Palácio do Planalto e foi até convidado pelo presidente Lula para assumir Ministério. Divergências internas e briga com o então presidente da Câmara, Severino Cavalcanti, impediram-no de integrar o primeiro escalão do Executivo.

    Fabris e polêmicas

   Ex-vereador por Rondonópolis (89/92), Gilmar Fabris ganhou espaço na política com a força do seu padrinho Júlio Campos, desde o período em que este foi governador (83/86). Com aval dos Campos, assumiu a presidência da Assembleia de 95 a 96. Lançou a pedra fundamental da obra da sede própria do Legislativo, inicialmente orçada em R$ 30 milhões. Logo no começo, a obra acabou embargada por suspeita de superfaturamento. O prédio foi inaugurada uma década depois.

     Fabris é daqueles que não levam desaforo para casa. Toda vez que subia à tribuna, principalmente quando era presidente, o clima ficava tenso. O deputado se envolveu em tanta confusão que até uma urna de lona usada nas eleições no passado foi encontrada em sua fazenda. Ele alegou que fora um presente que recebera. Fabris é um dos poucos parlamentares com coragem de vir a público defender o ex-policial civil, "comendador" João Arcanjo Ribeiro, preso por ligação com o crime organizado. Até hoje tem contato com o amigo.

     Eleito com 20.057 votos em 2006, após dois mandatos na suplência, Fabris é considerado um coronel político. Costuma endossar o discurso com expressões pejorativas, em tom agressivo e intimidador. Enfrentou vários embates na AL. Em 2004, numa discussão sobre greve dos profissionais da educação com a então deputada Vera Araújo, ele amedrontou a petista. Lembrou que quando presidia a AL presenciou discussões acirradas e até agressão física na galeria: "Isso aqui é igual luta de boxe. E não adianta! Cada um tenta acertar ... é no rim, é no estômago e ... assim vai até Ã lona!."

Enquete: Qual deve ser o destino de Henry e Fabris nestas e

Qual deve ser o destino de Henry e Fabris nestas eleições?

Reconquistar direito de disputar o pleito ( Votos: = 22.45% )
 
 
Mantê-los cassados ( Votos: = 75.22% )
 
 
Tanto faz! ( Votos: = 1.17% )
 
 
Sei lá! ( Votos: = 1.17% )
 
 

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • joão Batista de Souza | Quarta-Feira, 11 de Agosto de 2010, 23h56
    0
    0

    João do Junco, continuando: Chega de mensalão, chega de sanguessuga, chega de 30%, chega de liminares para ficha-suja, chega de Pedro Henry...

  • Jedae | Terça-Feira, 10 de Agosto de 2010, 21h10
    0
    0

    Eita! Tem peão, neguinhos e branquinos, que não dormem ha dias. O barraco caiu. É hora de arrumar as gavetas, a teta secou!

  • Eliezer Martins | Terça-Feira, 10 de Agosto de 2010, 17h34
    0
    0

    Este caso PH ja esta enxendo o saco dos cacerences,pois este cacique de cáceres ja faz um bom tempo que era para ter pegado sua mala de primeiro socorro e ter voltado para sua antiga profissão anestesista.pois de bom para cacres a 11 anos que estou aqui não vi nada a não ser obras eleitoreiras de ultimas horas,so para dizer que fez e nada mais obras pela metade com as pavimentações asfalticas que forão feitas no mandato do seu irmão RH isso é uma vergonha para nosso municipio e nossa gente. agora vem dizendo com seu apadrinhado candidato a Dep.Estadual Leomar Mota o que fez e que vai continuar fazendo so se for nada isso chega esta na hora de caceres mudar tomar vergonha e voltar a se desenvolver com pessoas que tenhão compromisso com nosco ou com nossa cidade nos não merecemos isso

ENGENHARIA E AGRONOMIA

Sob clima tenso, Crea-MT elege presidente nesta 5ª

Por 30/09/2020, 21h:51 - Atualizado: 17min atrás

joao valente 680

Sob clima tenso, marcado por embates na Justiça, ameaças e acusações mútuas, quatro candidatos disputam nesta quinta, 1º de outubro, a presidência do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT).

Postar um novo comentário

CORRIDA AO SENADO

Agro rachado em 3 candidaturas; os Maggi e Mauro reforçam Fávaro

Por 30/09/2020, 16h:51 - Atualizado: 05h atrás

Leopoldo Silva

carlos favaro 680

Os primos Blairo e Eraí Maggi se juntaram ao governador Mauro Mendes para reforçar a campanha à reeleição do senador Carlos Fávaro, do PSD.

Postar um novo comentário

BASE NA CÂMARA

Bolsonaro recompõe quadro de vice-líderes e mantém Medeiros

Por 30/09/2020, 10h:53 - Atualizado: 30/09/2020, 10h:55

bolsonaro vice-lideres 680

O presidente Jair Bolsonaro e os novos vice-líderes do Governo na Câmara Federal, entre eles José Medeiros

O presidente Bolsonaro deu mostras de que continua tendo o deputado mato-grossense José Medeiros, candidato a senador pelo Podemos, na cota de aliados fiéis e de confiança.

Postar um novo comentário

LERO-LERO

Copiando bordão do irmão na campanha à vereadora

Por 30/09/2020, 10h:04 - Atualizado: 30/09/2020, 10h:06

giseli almeida 680

A apresentadora de TV Giseli Almeida usa em sua campanha à vereadora por Cuiabá o mesmo bordão explorado por vários anos pelo irmão Sérgio Ricardo, na época em que também concorreu à Câmara Municipal e a prefeito.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Carlos aleluia santos | Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020, 21h49
    0
    0

    Carlos aleluia santos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • CABEÇÃO | Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020, 14h02
    1
    1

    O QUE INOJA NA POLÍTICA SÃO INDIVÍDUOS COMO ESSE SERGIO RICAÇO, QUANDO FOI DEPUTADO FAZIA UM MONTE DE AÇÕES EM BENEFÍCIO DOS POBRES, ATÉ CASA ELE DAVA, DEPOIS DE ALCANÇOU SEUS OBJETIVOS FINANCEIROS NUNCA MAS FEZ NADA,RAÇA INFAME

VÁRZEA GRANDE

Para Jayme, é normal chegar água nas torneiras a cada 2 dias

Por 29/09/2020, 20h:51 - Atualizado: 29/09/2020, 20h:55

Geraldo Magela

jayme campos 680

O senador Jayme Campos, prefeito de fato, mas não de direito, tem passado apurado em Várzea Grande.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • mario | Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020, 09h16
    6
    2

    normal com os problemas que esta ai no dae de vg né,ga,biarras, instalaçoes clandestinas etc... pq voces campos tiveram decadas no poder e não consertaram esse negocio da agua, não vem com desculpas djaime e nem djulinho, vcs foram incompetentes, hoje vg poderia estar livre desse problemas, mas vcs só olhao para vcs mesmos.

  • eve | Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020, 09h09
    6
    1

    Quem mandou eleger esses tipos de politicos que so pensão em poder. Aprende Varzea Grande, foi eleito pelo povo .

  • antonio da silva | Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020, 08h38
    8
    1

    Agora é a hora de tirar esses campos do poder.

EM CUIABÁ

Partido que negociava com 2 a prefeito se torna mula sem cabeça

Por 29/09/2020, 15h:06 - Atualizado: 29/09/2020, 15h:10

adilson levante 680

O PSB, que estava namorando os dois principais candidatos a prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro e Roberto França, não avançou para casamento com nenhum deles. E virou mula sem cabeça.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Piada pronta | Terça-Feira, 29 de Setembro de 2020, 22h13
    0
    0

    Quem falou isso sob coordenação de Levante??? Kkkkk ele é ao mais um na chapa. Ali quem preside e decide se chama MAX RUSSI e a executiva.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2608