Blog do Romilson Cuiabá, 05 de Agosto DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

RUMO ÀS URNAS

Mendes e Taques fazem campanha "casada" e preocupa os adversários

 Fernando Ordakowski

Mauro Mendes e Pedro Taques correm por fora e tumultuam processo com as suas pré-candidaturas majoritárias

  A forma audaciosa até no jeito de "fazer política" da dupla Mauro Mendes e Pedro Taques não só está assustando como deixa os adversários preocupados. Numa pré-campanha casada ao governo e ao Senado, respectivamente, eles surgem "do nada" nos eventos, inclusive em solenidades privadas e tentam "roubar" a cena. No megaleilão realizado neste sábado pelo pecuarista e prefeito Maurício Tonhá, o Maurição, em Água Boa, por exemplo, Mendes e Taques marcaram presenças, o que deixou o governador Silval Barbosa (PMDB), que busca a reeleição com apoio do PR de Maurição, um tanto deslocado. Alegando compromissos oficiais, Silval ficou pouco tempo no município. Até então, em meio a pecuaristas e várias autoridades convidadas, o peemedebista, ao lado do ex-governador e pré-candidato ao Senado Blairo Maggi, se sentia em casa e com a sensação de que ali estava tudo dominado eleitoralmente.

    Quando Mendes e Taques chegaram, o clima de pré-campanha aflorou ainda mais no ambiente. Ali estavam os principais pré-candidatos ao Paiaguás e ao Senado. Antes, os grupos políticos se encontraram também em Ribeirão Cascalheira, durante audiência pública sobre regularização fundiária da região. Desta vez, não só Mendes e Silval se fizeram presentes, mas também o ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos, que concorre à sucessão estadual pelo PSDB e com apoio do DEM e PTB.

    Mendes corre por fora num processo eleitoral até agora polarizado entre Silval e Wilson. Ele disputou e perdeu no segundo turno para prefeito da Capital em 2008 e, após trocar o PR de Maggi pelo PSB, entrou na corrida majoritária e considera essa decisão um caminho sem volta. A inserção do nome do empresário tende a provocar, pela primeira vez, eleição de dois turnos para governador. O bloco se reforça com a decisão corajosa de Taques, de abandonar a carreira de procurador da República, com salário superior a R$ 20 mil, para encarar disputa de senador pelo PDT. Seu principal adversário é Maggi.

   Os postulantes a cargos majoritários mantêm intensa agenda antes mesmo das convenções, que acontecem entre 10 e 30 de junho. Aos poucos, com definição de rumo dos partidos, o quadro começa a se desenhar. São três nomes fortes para governador e a tendência é que a briga pelas duas cadeiras representativas de Mato Grosso no Congresso Nacional também seja acirrada.

Postar um novo comentário

Comentários (27)

  • silvano | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2010, 16h16
    0
    0

    Esse MM é tão sortudo que nem o carro dele está usando na campanha . Está indo de taxi..... é mole. é mole , mais sobe.

  • marquinhos | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2010, 12h14
    0
    0

    Gente , aqui de Lucas estou sentindo um cheirinho de mudança do quadro; Será que o Blário e Silval não vai reagir prá tirar esse Mauro da parada . Dê a ele a vice ou então acione Brasilia . Tem que ser URGENTE , pois se deixar a coisa contaminar ai vai ficar mais difícil, ainda mais depois dessa da SERYS se debandar pró homem.

  • dejango | Segunda-Feira, 19 de Abril de 2010, 08h19
    0
    0

    Tirando essa coisa de segurança particular do governador maggi, e acho que ele vai devolver o dinheiro assim como o Zaeli já deve ter feito, o Maggi deu um novo rumo ao desenvolvimento do estado. Acho que ele, o Maggi não devia ficar atrelado a essa questão de partido e continuar com essa mentira de ter que apoiar o Sinvaldo, no fundo ele sabe que o Sinvaldo será outro Murilo e isso não será bom nem para MT e nem para seus negócios. Então Maggi, fica fingido apoio ao Sinvaldo e continue a torcer pela vitória do Mauro, vc sabes que é o único que tem o seu perfil e capaz de dar continuidade ao belo trabalho feito pelo seu governo. Mas não esqueça de ressarcir os cofres públicos sob pena de todo um trabalho ficar manchado, e o senhor sabe que nem tudo que é legal é moral. Fica aqui uma pergunta? O Sinvaldo também está desfrutando desse previlégio? O Maggi ainda está protegido com o dinheiro PÚBLICO?

CORRIDA AO SENADO

Júlio e Jayme fecham com Leitão sem consultar Mauro e racham DEM

Por 05/08/2020, 08h:49 - Atualizado: 04h atrás

Rdnews/arquivo

mauro mendes jayme campos julio campos

Governador Mauro Mendes, que é ignorado pelos irmãos Jayme e Júlio Campos no acordo político com Nilson Leitão

Os irmãos Júlio e Jayme Campos arrumaram um problemão dentro do DEM com a decisão isolada de fechar acordo com Nilson Leitão (PSDB), com Julinho entrando de primeiro-suplente na chapa ao Senado.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Carlinhos do DEM | Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020, 10h44
    0
    0

    Desde quando o Governador Mauro Mendes, deu palpite nas decisões internas do DEM, nunca, aliás despois de eleito e empossado como Governador, Mauro Mendes e sua equipe, deu um chega pra lá, no DEM e só prestigia seus amiguinhos do tempo da Prefeitura, e seus velhos aliados do PSB, a turma do DEM verdadeiro e autentico é tratado a pão e agua nesse Governo. Por que ele nunca quis apoiar Julio para o Senado ? Agora não tem oque reclamar com a decisão da maioria absoluta do DEM, em rejeitar Faváro e apoiar o Nilson Leitão,que sempre tratou o DEM com respeito e amizade. Vamos ver de quem DEUS gista mais em 15 de novembro.Ok

  • Ellen Cristina | Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020, 10h07
    0
    2

    Quem manda no DEM é o Presidente Fabinho que vai fechar coligação formal com Favaro. Leitão acha que está forte apenas porque Pivetta pode desistir pra apoiar ele.

  • José Eduardo | Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020, 09h05
    4
    1

    Quem manda no DEM é a dupla JJ, o resto é resto.

GESTÃO NEURILAN

TCE vê irregularidades e mantém suspenso um "acordão" da AMM

Por 04/08/2020, 18h:33 - Atualizado: 04/08/2020, 18h:43

Thiago Bergamasco

domingos neto tce 680

Neurilan Fraga, dirigente da AMM, entidade que representa as prefeituras mato-grossenses, recorreu ao TCE, na esperança de derrubar a decisão que mandou suspender um acordo milionário com a oscip Instituto Assistencial de Desenvolvimento (IAD).

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Líderes Comunitários | Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020, 09h06
    4
    0

    Conselheiro Domingos Neto merece ser aplaudido, contrato milionário, AMM quanto tempo este Neurilan no comando, a transparência é tudo em uma gestão pública, TCE órgão fiscalizador

  • jose carlos | Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020, 07h23
    2
    0

    jose carlos, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • LARGA O OSSO | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 22h14
    5
    0

    Invetigem os contratos: Jornal oficial do Richard, Locação horas voô do Roberto e material de expediente e informática do Pitter, há anos essas empresas são vencedoras das licitações da AMM.

DISPUTA ENTRE PARTIDOS

E segue a briga pelo comando da Fapemat

Por 04/08/2020, 12h:31 - Atualizado: 04/08/2020, 12h:44

mauricio munhoz 680

O comando da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado (Fapemat) vem sendo disputado pelo DEM, PSD e MDB.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Sergio fontes | Quarta-Feira, 05 de Agosto de 2020, 08h33
    2
    0

    O Maurício foi o vencedor do Premio Celso Furtado de Economia, título concedido pelo Ministério da Integração Nacional, é mestre pela Universidade Federal de Mato Grosso e tem um livro sobre a lei Kandir adotado por diversas Universidades brasileiras.

  • Observadora | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 21h48
    2
    2

    Esses indicados de pesquisa entendem o quê? Sabem pelo menos o que é um currículo Lattes? Possuem um curso de doutorado? Importante deixar claro que um cargo desse exige competência técnica, senhor governador!

  • Nicolau | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 15h50
    7
    3

    Munhoz não era assessor do Riva? Agora é adjunto do Mauro Mendes na Sinfra? Interrssanre! Tudo farinha do mesmo saco.

NOS BASTIDORES

Júlio se articula com 2 pra ser primeiro-suplente ao Senado

Por 04/08/2020, 10h:03 - Atualizado: 04/08/2020, 10h:03

julio campos 680

Júlio Campos quer ser a "noiva" da vez.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Da SILVA | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 19h54
    3
    0

    Sem duvida alguma Júlio Campos o melhor nome para nós representar no parlamento nacional, estou com Júlio, o resto nao me representa.

  • Da SILVA | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 19h53
    2
    0

    Sem duvida alguma Júlio Campos o melhor nome para nós representar no parlamento nacional, estou com Júlio, o resto nao me representa.

  • Ronaldo Garcia | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 17h43
    4
    2

    Infelizmente o DEM mais uma vez erra, ao sabotar a candidatura vitoriosa de Julio José de Campos, ao Senado Federal. Pisou na bola o Governador Mauro e sua gente em apoiar o Faváro, ao inves do Julio, esse cidadão só defende o Grupo Maggi e nao o povo de Mato Grosso. Agora irei votar no Nilson Leitão por causa do Julinho.

SEM CRISE

Mesmo com pandemia, 7 cartórios de Cuiabá faturam R$ 7 mi em julho

Por 03/08/2020, 18h:56 - Atualizado: 03/08/2020, 18h:59

Romilson Dourado

cartorio 7 oficio 680

Não há pandemia capaz de interromper os bons faturamentos dos cartórios extrajudiciais de Mato Grosso. As sete principais serventias de Cuiabá, que estavam atendendo sob agendamento, fecharam julho com R$ 7,5 milhões no caixa.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Filpo | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 01h05
    3
    0

    Cartório é o maior pequi para enriquecer, nenhuma empresa dá tanto lucro. É o Brasil concentrando renda e fazendo péssima distribuição de lucro em nome da burocracia.

RUPTURA SEM VOLTA

A tentativa frustrada de Júlio de unir Emanuel e Mauro

Por 03/08/2020, 14h:30 - Atualizado: 03/08/2020, 14h:29

emanuel pinheiro julio campos 680

Prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro (MDB) e Júlio Campos (DEM), que foi prefeito, deputado, governador e senador

Acumulando experiência de mais de 40 anos de vida pública, Julio Campos enfrenta uma situação paradoxal.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Firmo Oliveira filho | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 19h03
    0
    0

    Chega de arranjos, está na hora de políticos vendidos sumirem do cenário e dar vêz a pessoas responsáveis.

  • FERNANDO MENDES DA SILVA | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 12h18
    3
    0

    O GOVERNADOR TÁ CORRETO NÃO QUERER FICAR ATRELADO A VELHA POLITICA DO MT, QUE SÓ NOS TROUXE TRISTEZA E NOS DEIXOU MALEZAS....OLHA SÓ SAÚDE...

  • Cassiano | Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020, 01h01
    6
    4

    MM demostra falta de tato político e muita auto-suficiência pessoal, esquece que é governador e precisa do Prefeito da capital e da maior cidade do Estado para fazer um bom governo. E o pior, num momento difícil para a população como nunca se viu antes.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2580