Blog do Romilson Cuiabá, 29 de Maio DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

MILITARES

Para Fávaro, intervencionistas desconhecem história e não exercem papel de cidadã

Por 02/06/2018, 08h:00 - Atualizado: 03/06/2018, 07h:56

Pré-candidato ao Senado pelo PSD, o ex-vice-governador Carlos Fávaro atribui as manifestações pela intervenção militar à falta de conhecimento da história. Além disso, afirma que os chamados intervencionistas preferem entregar aos militares a responsabilidade de administrar o país para não exercerem suas responsabilidades enquanto cidadãos.

Gilberto Leite/Rdnews

vice governador carlos favaro

Pré-candidato, Fávaro diz que os intervencionistas pedem a volta dos militares ao poder por desconhecer a história

“A crise existe porque as pessoas se afastam da política, se afastam do seu dever de cidadão e delegam para os outros a responsabilidade de administrar o país. É muito fácil pedir para os militares fazer uma intervenção e calar todo mundo. Quem pede isso, nem sabe o que é”, afirmou Fávaro em entrevista ao .

Fávaro também lembrou o caso do caminhoneiro que reivindicava intervenção militar na BR-364 e ficou magoado após ser agredido por militares que usaram a força para desobstruir a pista para passagem de um comboio sob escolta. Segundo ele, a situação inusitada comprova a falta de conhecimento dos intervencionistas.

A greve dos caminhoneiros ocorreu por 10 dias e parou o Brasil. Em Mato Grosso houve desabastecimento de combustível, alimentos como frutas e verduras e ração para animais, até mesmo o fenômeno do canibalismo em granjas de aves e suínos foi registrado. Os bloqueios nas BRs só tiveram um fim depois do presidente Michel Temer anunciar dois acordos feitos com os caminhoneiros e garantir a redução de R$ 0,46 por litro de óleo diesel e outras demandas. Em alguns casos, os manifestantes só cederam com a ação das forças policiais e do Exército.

“Democracia é difícil, significa respeitar as pessoas. O problema é que muitos confundem democracia com anarquia, que acham que podem tudo e tem muitos direitos e poucos deveres. Ao invés de intervenção militar, o Brasil precisa de brasileiros com compromisso com um novo país. Se cada um fazer sua parte, ser um cidadão mais responsável, nós teremos uma grande nação”, completou.

Além do episódio do caminhoneiro, a ação dos intervencionistas chamou atenção em Cuiabá no decorrer da semana. Manifestantes de verde e amarelo fizeram passeatas e chegaram a se ajoelhar em frente aos quartéis pedindo para os militares derrubarem o presidente da República Michel Temer (MDB) com objetivo de “salvar” o Brasil do comunista que imaginam que está sendo implantado.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Maurício Pereira | Quinta-Feira, 13 de Setembro de 2018, 08h31
    0
    0

    A crise existe porque as pessoas se afastam da política, se afastam do seu dever de cidadão e delegam para os outros a responsabilidade de administrar o país.SE NÃO FOSSE PARA DELEGAR RESPONSABILIDADES AOS POLÍTICOS PARA ELES ADMINISTRAREM O PAIS, NÃO SERIA NECESSÁRIO ELEGER NINGUÉM COM ALTOS SALÁRIOS E REGALIAS.

  • Marcus | Domingo, 03 de Junho de 2018, 08h55
    2
    1

    Tudo quanto cidadão que mete a mão grande no dinheiro público e contra a intervenção militar porque sera. Porque tem que continuar a meter a mão como numa maldição. Votiiiii cruz credo desse povo

  • Davi | Sábado, 02 de Junho de 2018, 16h27
    5
    2

    A Marcha Pela Família foi uma série de manifestações públicas ocorridas entre 19 de março e 8 de junho de 1964 no Brasil em resposta ao que foi considerado pela sociedade uma ameaça comunista representada pelas ações dos grupos radicais e pelo discurso em comício realizado pelo então presidente João Goulart em 13 de março daquele mesmo ano. Na data, o mandatário assinou dois decretos, permitindo a desapropriação de terras numa faixa de dez quilômetros às margens de rodovias, ferrovias e barragens e transferindo para a União o controle de cinco refinarias de petróleo que operavam no país. Além disso, prometeu realizar as chamadas reformas de base, uma série de mudanças administrativas, agrárias, financeiras e tributárias, garantindo o que chamava de justiça social, que NA VERDADE NÃO PASSAVE DE UM GOLPE COMUNISTA, que transformaria o Brasil em uma Cuba ou Venezuela, estatizando a propriedade privada. A CF de 1988 foi criada e promulgada sob a égide de corruptos e de viés comunistas, os terroristas de outrora criaram uma constituição que lhes garantiu a ascensão ao poder, o enfraquecimento ou engessamento dos militares e a impunidade. Após a "redemocratização" a educação cumpriu bem o seu papel criando o ambiente de alienação ideológica e de ativismo político cego que nos conduziu à aceitação de um governo corrupto como se não tivéssemos outra opção, grande parte desse processo de doutrinação se fundamenta nos livros didáticos fornecidos pelo MEC.

PÓS-CASSAÇÃO

Ex-senadora agora monta escritório advocatício com 2 ex-assessores

Por 28/05/2020, 21h:55 - Atualizado: 07h atrás

selma arruda 680

Juíza aposentadora e senadora com mandato prematuramente cassado neste ano por crimes eleitorais, Selma Arruda ainda não conseguiu licença da Ordem para atuar como advogada.

Postar um novo comentário

EM RONDONÓPOLIS

Governo Bolsonaro ama índio, diz ministra em MT veja

Por 28/05/2020, 18h:44 - Atualizado: 28/05/2020, 18h:50

damares discurso 680

A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), com um cocar sobre a cabeça, arrancou aplausos em Rondonópolis nesta quinta ao dizer que estava ali realizando a maior obra do Governo Bolsonaro, que é cuidar de vidas.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Leonildo | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 21h09
    2
    2

    Que mentira!!!! E a boiada acredita....

  • Alberto | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 20h47
    3
    1

    Bolsonaro ama índio? Kkkkkk. Quem foi que disse que a cavalaria americana, ao contrário da nossa, foi competente ao exterminar os índios americanos.

EM RONDONÓPOLIS

Senador é ignorado e deixa ato constrangido

Por 28/05/2020, 13h:01 - Atualizado: 28/05/2020, 13h:09

damares favaro 680

O senador Carlos Fávaro (PSD) passou o maior constrangimento hoje, em Rondonópolis, durante ato de entrega de alimentos e máscaras faciais a povos indígenas com a presença da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos)

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Cristiano | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 16h08
    7
    20

    Medeiros é o candidato do Bolsonaro ao senado!

  • Lourinil | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 15h56
    13
    31

    Ele estava no lugar errado. Nem senador é só está na cadeira pq fez manobras , o jeitinho para estar lá. O lugar é legalmente da juíza que foi tirada , na proxima eleição Coronel Fernanda a candidata do Presidente

  • Benedita | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 15h33
    12
    37

    Queria uma beira; si fu, o Medeiros veio foi junto com a comitiva; parabéns deputado José Medeiros, nosso futuro senador!

BATALHA JURÍDICA

Pedido de Albano para voltar ao TCE será julgado pelo Supremo na terça

Por 28/05/2020, 12h:28 - Atualizado: 28/05/2020, 12h:31

gilmar mendes 680

A Segunda Turma do Supremo julga na sessão da próxima terça (2 de junho), um agravo regimental do conselheiro Valter Albano, pleiteando retorno ao cargo. O pedido de HC chegou a entrar na pauta ontem, mas a presidente, ministra Cármen Lúcia, não o colocou em julgamento porque a sessão já havia extrapolado o prazo.

Postar um novo comentário

EM RONDONÓPOLIS

2 pré ao Senado disputam espaço em ato com ministra

Por 28/05/2020, 10h:30 - Atualizado: 28/05/2020, 10h:35

fernanda victorio galli 680

Rúbia Fernanda (de blusa rosa) e seu suplente da chapa ao Senado, Victorio Galli, aguardando chegada da ministra

Dois pré-candidatos à suplementar ao Senado, tenente-coronel Rúbia Fernanda (Patriota), e o deputado José Medeiros (Pode), participam do ato nesta manhã, na sede da Conab, em Rondonópolis, com a presença da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Postar um novo comentário

PREOCUPAÇÃO

Por questão de segurança, Michelle Bolsonaro cancela agenda em MT

Por 28/05/2020, 07h:07 - Atualizado: 28/05/2020, 07h:20

michelle bolsonaro 680

Por recomendação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a primeira-dama Michelle Bolsonaro cancelou sua participação no evento de entrega de cestas básicas para comunidades indígenas hoje, em Rondonópolis.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Elias | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 14h31
    6
    1

    Jedae, raça infame é a tua. Vira este disco. Todo mundo vê o que essa corja está fazendo para dedtruir o Brasil. Somente você e sua corja de mau caráter ainda defende estes milicianos. Pior, não tem a capacidade tem postar um comentário sem agredir petistas, disseminando ódio, espalhando peçonha. Gente gomo você são o câncer da sociedade e precisa ser extirpado com urgência.

  • Jedae | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 10h20
    5
    12

    Ver petistas, comunas e toda raça infame chorar, não tem preço. Bolsonaro, só precisa fazer duas coisas. Primeiro: Não deixar haver roubos em todos os níveis. Segundo: Nunca mais deixar o poder cair nas mãos dessa quadrilha, que se intitula progressistas. De quebra, limpar esse STF, repleto de corruptos e vendidos. Nem sei quem é pior. Se é o ex-carregador de malas do mula ou o ex do Temer, enterno vice da anta!!!!!!!!!

  • MOSSUETO | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 09h46
    9
    4

    Ridícula essa justificativa, o nosso País nunca teve esse tipo de ameaças, mas a falta de postura e respeito com os eleitores é que está gerando esse tipo de reação.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2548