Blog do Romilson Cuiabá, 29 de Maio DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Plano de Governo da base situacionista prevê ações para 20 anos, revela Lacerda

Por 22/03/2014, 15h:05 - Atualizado: 22/03/2014, 15h:26

Apesar de não definir o nome do pré-candidato ao governo nas eleições deste ano, a base governista (PMDB, PR, PT, PSD, Pros, PC do B, PRB e PSC) destacou três membros de cada partido para elaborarem o Plano de Governo para os próximos 20 anos. “Primeiramente, estamos estudando tudo que está dando certo no Estado e o que precisa mudar”, reforça o secretário estadual de Meio Ambiente, José Lacerda (PMDB), que auxilia nos processos dos trabalhos.

A execução é voltada no desenvolvimento das políticas públicas, principalmente, nas áreas de saúde, educação, infraestrutura e segurança. O peemedebista explica que a elaboração deste trabalho é importante, visto que esses serviços são um complemento das necessidades da população, sendo que ela que vai gerar os primeiros recursos financeiros para poder ter um salto de qualidade de desenvolvimento do Estado. “Até pouco tempo não tínhamos energia, agora nós exportamos”, enfatiza. Para Lacerda, graças a este fator pode-se ter um desenvolvimento industrial que ainda carece no Estado.

O secretário justifica que o pequeno ganho no setor industrial e a  falta de mais receita do Estado se deve, especialmente, a Lei Kandir. Ela prevê a isenção do ICMS sobre as exportações de produtos primários e semielaborados ou serviços. Conforme Lacerda, devido à retirada de tributos, o governo estadual deixa de arrecadar cerca de R$ 2 bilhões por ano. Tudo porque, segundo ele, o Estado exporta 70% de tudo que produz. O recurso é devolvido para o Estado, porém, sem a fixação dos valores.

Lacerda argumenta que se fosse ressarcido o recurso que o Estado perde com a isenção do imposto, as obras que o Executivo faz, principalmente, para a Copa de 2014 seriam feitas com recursos próprios. “Mato Grosso é um Estado rico, mas por causa de algumas questões de natureza jurídica, ele acaba perdendo o desenvolvimento”, enfatiza. O secretário pontua que neste Plano vai ser inserido um diálogo com a União para debater acerca dos tributos.

A elaboração das propostas é recorrente das eleições deste ano e, em breve, vai ser apresentado à população. Enquanto a base não define o pré-candidato ao Paiaguás, o grupo de oposição, encabeçado pelo senador Pedro Taques (PDT), segue costurando aliança. Pela ala situacionistas, são cotados para concorrer o médico Lúdio Cabral (PT), o vice-governador Chico Daltro (PSD), o ex-prefeito de Água Boa Maurição Tonhá (PR) e o juiz federal Juilier Sebastião da Silva, que deve se filiar ao PMDB.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Marcos Aurélio | Domingo, 23 de Março de 2014, 14h23
    3
    0

    Peraí, essa proposta de derrubar a Lei Kandir é do Muvuca. Agora os cardeais da política vão copiar as ideia de um simples jornalista que veio para revolucionar com suas ideias??? O povo não é bobo. A derrubada da Lei Kandir já está no plano de governo do Muvuca, que o RDnews fez questão de não divulgar.

  • Ana Lima | Domingo, 23 de Março de 2014, 11h57
    0
    0

    Plano???? Não houvi falar da ZPE, que é um instrumento de geração de emprego e renda e um grande maquina de arrecadação de imposto que pode ajudar muito o Estado. Não houvi falar em construções de Hospitais, não ouvi falar que as Ferrovias vão serem executadas em 2015, afinal, esse grupo esta quase 10 anos no governo, (MAGGI E SILVAL),não ouvi falar em proteção ao meio ambiente desse cidadão, não ouvi falar em investimento da segurança pública, educação, estradas e combate a corrupção.

  • marco aurelio | Domingo, 23 de Março de 2014, 09h24
    1
    1

    Já encontra-se comprovado pela confissão do representante da coligação que houve alteração dos fatos na ata da convenção partidária – José Medeiros não foi escolhido como primeiro suplente – sendo que a atual situação da chapa não retrata a verdade da reunião. O conjunto probatório já é suficiente para caracterizar a materialidade do delito previsto no art. 350 do Código Eleitoral: configura como crime o ato de inserir, em documentos públicos, declaração falsa ou diversa da que deveria ser escrita, para fins eleitorais. Cabe agora a Procuradoria Regional Eleitoral, requisitar à Polícia Federal, abertura de inquérito policial, para investigar o possível cometimento de fraude em relação à ata de convenção do Partido. O registro do primeiro suplente na chapa, da forma como foi feito, merece ser anulado, sob pena de se estar legitimando a ilegalidade, a ilicitude e a imoralidade total do processo eleitoral. As candidaturas devem ser formalizadas pela coligação, de acordo com o interesse global dos partidos. Com a abertura do Inquérito Policial, será possível apurar quem foi o OPORTUNISTA e o DESONESTO que estaria envolvidos na prática do possível crime, logicamente os envolvidos são aquelas pessoas que se beneficiariam na utilização da ata adulterada da convenção partidária para promover o pedido de registro do primeiro suplente perante a Justiça Eleitoral. Evidente que referida fraude não foi praticada isoladamente, acreditamos que houve uma comunhão de esforços e unidade de desígnios, inseriram em documento particular, declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, para fins eleitorais. O representante da coligação estava presente e redigiu a ata da convenção, estando plenamente ciente da existência da ata original na qual deliberava que Paulo Pereira Fiuza Filho, foi escolhido como primeiro suplente na chapa do senador Pedro Taques. O representante da coligação, admite que nunca houve uma reunião partidária que deliberou pela indicação do Sr. Jose Medeiros, para ocupar a primeira suplência na chapa do senador Pedro Taques. Portanto, basta analisar o teor das duas atas para se concluir que elas possuíram conteúdos distintos, o que começa a indicar que quem realizou a segunda (falsificada) teve o intuito de que esta prevalecesse sobre a primeira (verdadeira). Não bastasse isso, outros elementos que confirmam a prática do crime de falsidade ideológica: a perícia realizada constatou a fraude nas assinaturas. Referidas pessoas comportaram-se como verdadeiros OPORTUNISTA e DESONESTO, desrespeitando a decisão dos convencionais para atender seus interesses pessoais, o que não pode ser tolerado pela Justiça Eleitoral. Tanto é verdade que o Sr. José Medeiros, sabendo que não foi escolhido para ser o primeiro suplente, assinou uma petição ao TRE pedindo a inversão da ordem de suplência, com objetivo de evitar que a escolha democrática fosse alijada. Resta claro que houve uma manobra ardilosa e de má-fé daqueles que resolveram falsificar a ordem de suplência em detrimento, por consequência, da vontade dos demais filiados do partido e que já havia sido deliberado. A conduta descrita no art. 350 da Lei nº 4.737/65 (Código Eleitoral), que prevê: “Art. 350. Omitir, em documento público ou particular, declaração que dêle devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, para fins eleitorais: Pena - reclusão até cinco anos e pagamento de 5 a 15 dias-multa, se o documento é público, e reclusão até três anos e pagamento de 3 a 10 dias-multa se o documento é particular.” O dolo dos agentes encontra-se comprovado mais especificamente pelo fato de que alguém foi beneficiado em prejuízo de outro. Indicando com isso, que não apenas tinha conhecimento do que estava ocorrendo, como também planejou ou contribuiu para a prática do ilícito. Não há dúvida, outrossim, de que o crime teve finalidade eleitoral, pois a falsidade inverídica realizada teve o intuito de manifestar uma vontade: A PRIMEIRA SUPLENCIA. As circunstâncias foram graves, pois podemos presumir que o crime foi praticado mediante concurso de agentes, o que é elemento facilitador da sua prática. As consequências do ilícito também merecem reprovação, pois o crime ocasionou transtorno ao Senador e ao Legitimo Primeiro Suplente e a todos os eleitores que durante toda campanha tinham informação que o primeiro suplente era Paulo Fiuza. Assim, forçoso concluir, pois, que a indisfarçável contrafação torna absolutamente ilegítimo o registro de candidatura do primeiro suplente, baseando, insista-se por necessário, num documento inidôneo que não comprova a “decisão da maioria absoluta dos órgãos executivos de direção dos partidos políticos coligados, conforme determina o artigo 64, parágrafo 3º da Resolução do TSE nº 22.717/2008. Pois bem, resta apenas a intervenção do Ministério Público, para que de início a investigação para apurar que cometeu o crime perante a Justiça Eleitoral.

PÓS-CASSAÇÃO

Ex-senadora agora monta escritório advocatício com 2 ex-assessores

Por 28/05/2020, 21h:55 - Atualizado: 27min atrás

selma arruda 680

Juíza aposentada e senadora com mandato prematuramente cassado neste ano por crimes eleitorais, Selma Arruda ainda não conseguiu licença da Ordem para atuar como advogada.

Postar um novo comentário

EM RONDONÓPOLIS

Governo Bolsonaro ama índio, diz ministra em MT veja

Por 28/05/2020, 18h:44 - Atualizado: 28/05/2020, 18h:50

damares discurso 680

A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), com um cocar sobre a cabeça, arrancou aplausos em Rondonópolis nesta quinta ao dizer que estava ali realizando a maior obra do Governo Bolsonaro, que é cuidar de vidas.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Leonildo | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 21h09
    3
    2

    Que mentira!!!! E a boiada acredita....

  • Alberto | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 20h47
    3
    1

    Bolsonaro ama índio? Kkkkkk. Quem foi que disse que a cavalaria americana, ao contrário da nossa, foi competente ao exterminar os índios americanos.

EM RONDONÓPOLIS

Senador é ignorado e deixa ato constrangido

Por 28/05/2020, 13h:01 - Atualizado: 28/05/2020, 13h:09

damares favaro 680

O senador Carlos Fávaro (PSD) passou o maior constrangimento hoje, em Rondonópolis, durante ato de entrega de alimentos e máscaras faciais a povos indígenas com a presença da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos)

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Cristiano | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 16h08
    7
    22

    Medeiros é o candidato do Bolsonaro ao senado!

  • Lourinil | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 15h56
    14
    32

    Ele estava no lugar errado. Nem senador é só está na cadeira pq fez manobras , o jeitinho para estar lá. O lugar é legalmente da juíza que foi tirada , na proxima eleição Coronel Fernanda a candidata do Presidente

  • Benedita | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 15h33
    12
    37

    Queria uma beira; si fu, o Medeiros veio foi junto com a comitiva; parabéns deputado José Medeiros, nosso futuro senador!

BATALHA JURÍDICA

Pedido de Albano para voltar ao TCE será julgado pelo Supremo na terça

Por 28/05/2020, 12h:28 - Atualizado: 28/05/2020, 12h:31

gilmar mendes 680

A Segunda Turma do Supremo julga na sessão da próxima terça (2 de junho), um agravo regimental do conselheiro Valter Albano, pleiteando retorno ao cargo. O pedido de HC chegou a entrar na pauta ontem, mas a presidente, ministra Cármen Lúcia, não o colocou em julgamento porque a sessão já havia extrapolado o prazo.

Postar um novo comentário

EM RONDONÓPOLIS

2 pré ao Senado disputam espaço em ato com ministra

Por 28/05/2020, 10h:30 - Atualizado: 28/05/2020, 10h:35

fernanda victorio galli 680

Rúbia Fernanda (de blusa rosa) e seu suplente da chapa ao Senado, Victorio Galli, aguardando chegada da ministra

Dois pré-candidatos à suplementar ao Senado, tenente-coronel Rúbia Fernanda (Patriota), e o deputado José Medeiros (Pode), participam do ato nesta manhã, na sede da Conab, em Rondonópolis, com a presença da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Postar um novo comentário

PREOCUPAÇÃO

Por questão de segurança, Michelle Bolsonaro cancela agenda em MT

Por 28/05/2020, 07h:07 - Atualizado: 28/05/2020, 07h:20

michelle bolsonaro 680

Por recomendação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a primeira-dama Michelle Bolsonaro cancelou sua participação no evento de entrega de cestas básicas para comunidades indígenas hoje, em Rondonópolis.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Elias | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 14h31
    6
    1

    Jedae, raça infame é a tua. Vira este disco. Todo mundo vê o que essa corja está fazendo para dedtruir o Brasil. Somente você e sua corja de mau caráter ainda defende estes milicianos. Pior, não tem a capacidade tem postar um comentário sem agredir petistas, disseminando ódio, espalhando peçonha. Gente gomo você são o câncer da sociedade e precisa ser extirpado com urgência.

  • Jedae | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 10h20
    5
    12

    Ver petistas, comunas e toda raça infame chorar, não tem preço. Bolsonaro, só precisa fazer duas coisas. Primeiro: Não deixar haver roubos em todos os níveis. Segundo: Nunca mais deixar o poder cair nas mãos dessa quadrilha, que se intitula progressistas. De quebra, limpar esse STF, repleto de corruptos e vendidos. Nem sei quem é pior. Se é o ex-carregador de malas do mula ou o ex do Temer, enterno vice da anta!!!!!!!!!

  • MOSSUETO | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 09h46
    9
    4

    Ridícula essa justificativa, o nosso País nunca teve esse tipo de ameaças, mas a falta de postura e respeito com os eleitores é que está gerando esse tipo de reação.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2548