Blog do Romilson Cuiabá, 27 de Maio DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

PMDB

Vice-presidente rebate "bobó cheira-cheira" de Taques e diz que ele discrimina o povo

Por 08/05/2014, 12h:49 - Atualizado: 08/05/2014, 13h:14

.

marcio lacerda.jpg

Vice-presidente PMDB Marcio Lacerda rebate Taques

Após causar polêmica nas redes sociais, a declaração do senador Pedro Taques (PDT) de que “as pessoas pensam que nós somos bobós cheira-cheiras” durante propaganda partidária na televisão despertou a ira de algumas lideranças dos partidos que compõem a base governista. Exemplo disso é o vice-presidente estadual do PMDB, Márcio Lacerda, que reagiu à suposta provocação com a publicação de artigo intitulado “Bobó cheira-cheira”. 

No texto, o peemedebista lembra que a expressão cuiabana significa pessoa ingênua, boba, “idiota”. Assim, para ele, o comentário pode se transformar em um símbolo de discriminação e preconceito, tal como aconteceu com a banana atirada por um torcedor europeu em direção ao craque brasileiro no Villarreal, Daniel Alves, – episódio que também gerou diversas polêmicas no país. Acrescenta ainda que a "ofensa" do parlamentar se dirige à maioria das pessoas do povo. “E aí a discriminação, porque a ele, obviamente, ninguém teria a pretensão de tentar ludibriar”, completa. 

No pronunciamento, feito na última segunda (5), Taques teceu duras críticas ao governo Silval Barbosa (PMDB) em relação ao atraso das obras da Copa do Mundo e, especialmente, quanto à promessa de entrega do VLT até a realização do mundial – o que não acontecerá. Afirmou que a população está mais do que impaciente com a mentira, “com a cara de pau de alguns que veem dizer que as obras não foram prometidas para a Copa do Mundo”. 

Sobre isso, Lacerda rechaçou as declarações de que Cuiabá e Várzea Grande “estão literalmente destruídas pelas obras da Copa 2014”. Questiona se o parlamentar presume que algum “bobó tcheira” acredita que as intervenções estão sendo realizadas apenas para eventuais turistas ou se terão a finalidade de preparar as cidades para o futuro.

 O peemedebista contrapõe as críticas e ressalta que das 12 capitais que sediarão o evento esportivo, apenas o governo de Mato Grosso optou pelo VLT e enfatiza que o foi o único Estado a “enfrentar o poderoso cartel das empresas de ônibus que infernizam a vida dos moradores das grandes cidades brasileiras”. Além disso, minimiza os efeitos do BRT, defendido por Taques, que classifica a opção como somente “ônibus travestidos de modernidade”. 

Em resposta ao senador, Lacerda defende que nenhuma obra pública do porte das que são realizadas na Capital deixam de sofrer soluções de continuidade ou paralisações em função de intervenções judiciais, além de problemas de pagamentos e licenciamentos ambientais, por exemplo. 

Ao final do artigo, “agradece” Taques por “reacender” o espírito de cidadania que “andava meio acomodado” e por provocar a vontade de manifestar e escrever um pouco da experiência acumulada em seus 71 anos. “Nunca deixei de estar engajado nas lutas da sociedade. Desde a escola como estudante secundarista, depois universitário e, como cidadão e militante político desde sempre. Apenas e tão somente mais um bobó tcheira”, finaliza. 

Taques aparece em propaganda partidária e critica Governo

Veja artigo na íntegra

“Bobó cheira-cheira”

A antiga expressão tão comum na minha infância e juventude mato-grossenses de então e, que a rigor se dizia apenas – bobó tcheira, usada pelo “maior senador” do Brasil e certamente dos maiores ex-procuradores federais –, expressão esta que rotulava pessoas ingênuas, limitadas intelectualmente, de poucos conhecimentos que seriam facilmente enganadas. Mais tarde conhecidas também como “trouxas” e outras expressões pejorativas pode se transformar em um símbolo de discriminação e preconceito, tal como ocorreu com a banana atirada ao craque brasileiro Daniel Alves.

Seguramente o ilustre Senador, quando a empregou se referia à maioria das pessoas do povo, e aí a discriminação, porque a ele, obviamente, ninguém teria a pretensão de tentar ludibriar.

Ao afirmar que Cuiabá e Várzea Grande estão literalmente destruídas pelas obras da Copa 2014, insinuando que os atrasos são deliberados, além da negligência, da incompetência, por mero capricho e manifesta intenção de atrasar.

Será o Senador presume que algum bobó-tcheira acredita que essas intervenções que tiveram início aos 290 anos de Cuiabá e que certamente serão responsáveis pelo grande salto de modernização da infraestrutura e mobilidade urbanas, que transformarão nossas duas cidades e seus entornos, estão sendo realizadas tão somente para que eventuais turistas venham assistir aos quatro jogos da Copa do mundo programados para cá? Ou, por acaso elas teriam a finalidade maior de preparar Cuiabá e Várzea Grande para o seu grande futuro e a Copa apenas criou oportunidade para que pudéssemos acessar os financiamentos, que de outra forma, talvez nos próximos 50 anos não fossem possíveis?

Senão, vejamos: dentre as 12 capitais da Copa apenas para Cuiabá e a cidade gêmea Várzea Grande, o Governo do Estado de Mato Grosso optou pelo VLT considerada das mais eficientes soluções para transporte de massa em todo o mundo. Mato Grosso, aliás, foi o único Estado do Brasil, cujo Governador resolveu enfrentar o poderoso cartel das empresas de ônibus que infernizam a vida dos moradores das grandes cidades brasileiras e não pelo BRT – ou seja, apenas ônibus travestidos de “modernidade”, opção veementemente defendida pelo Senador permanecendo crítico à opção adotada, o VL. Certamente a qualquer bobó tcheira a quem fosse oferecido escolher entre um ônibus superlotado e lento e um vagão refrigerado e rápido do VLT, optaria por este, e você?

Atraso das obras – O ilustre Senador e ex-procurador sabe como poucos do país, que nenhuma obra pública do porte das que estão sendo realizadas e, não só as da copa, deixam de sofrer soluções de continuidade ou paralizações decorrentes de alguma intervenção judicial, por parte de quem perdeu a licitação, ou está sendo desapropriado, além de problemas de pagamento, de licenciamentos ambientais, aliás, uma boa parte deles por iniciativa dos Ministérios Públicos (Estadual e Federal), de onde o Senador é oriundo.

Os embargos e as consequentes paralizações são determinados até por decisões liminares. A suspensão dos embargos, por sua vez, demora mais um pouco, não é Senador? Apenas a título de exemplo – os Estudos de Impactos Ambientais da Hidrovia, que prefiro denominar Ecovia Paraná-Paraguai, em seu trecho Cáceres - Corumbá, estão suspensos por uma Decisão Liminar concedida em uma Ação Civil Pública impetrada por V. Excia e encontram-se suspensos há mais de 15 anos. Note-se que são apenas estudos e, de Corumbá para baixo, a mesma via opera normalmente, desde antes da Guerra do Paraguai.

Certamente o planeta lhe é “grato” pelos milhões de toneladas de Co² emitidos na região. Os trabalhadores, pela falta de emprego e de salários, os produtores rurais e a população da região Oeste do estado pelo atraso no seu desenvolvimento. Finalmente os transportadores rodoviários e a indústria petroleira por alguns bilhões de dólares a mais em seus caixas.

Veja Senador, que na Região Oeste, área de influência da Ecovia, vive mais de 400.000 (quatrocentas mil) pessoas. É muita gente Senador, e quinze anos é muito tempo!

Cuiabá e Várzea Grande – estou convencido até de que tenham um pouco mais de sorte, pois, as obras estão sendo viabilizadas em até cinco anos. Talvez até porque V. Excia. Com sua competência e zelo pela causa pública tenha deixado o Ministério Público Federal.

Obrigado Senador por reacender em mim o espírito de cidadania que andava meio acomodado e por provocar minha vontade de manifestar e escrever um pouco da experiência vivida nos meus 71 (setenta e um) anos. Nunca deixei de estar engajado nas lutas da sociedade. Desde a escola como estudante secundarista, depois universitário e, como cidadão e militante político desde sempre. Apenas e tão somente mais um bobó tcheira.

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • kelymar arruda | Terça-Feira, 27 de Maio de 2014, 15h37
    3
    0

    Na minha opinião o Senador Taques esta correto em suas colocações, sim por que agora todos os políticos pensam que a população é ''Bobó cheira-cheira'' sim fazem a cara da pessoas de idiotam. Só lamento

  • kelymar arruda | Terça-Feira, 27 de Maio de 2014, 15h31
    2
    1

    Na minha opinião o Senador Taques esta correto em suas colocações, sim por que agora todos os políticos pensam que a população é ''Bobó cheira-cheira'' sim fazem a cara da pessoas de idiotam. Só lamento

  • GILBERTO WOLF | Sábado, 17 de Maio de 2014, 09h06
    3
    0

    O povo está cansado de tanta corrupção e desvio de dinheiro público... Estão realmente brincando com a inteligência do povo... Corja de Sanguessugas... Política é uma palavra que significa... BEM COMUM... O MELHOR PARA OS CIDADÃOS... Não o acumulo de riquezas por politiqueiros, que hoje formam um grande CARTEL de Crime Organizado, se apoderando do bem público como se fossem proprietários. Enquanto isso, serviços essenciais estão sendo oferecidos com péssima qualidade e tudo que é SERVIÇO PÚBLICO, representa LIXO, MORTE EM CORREDORES DE HOSPITAIS, ETC... ACORDA BRASIL

ELEIÇÃO AO SENADO

Julinho prestes a jogar a toalha

Por 26/05/2020, 16h:59 - Atualizado: 26/05/2020, 17h:03

Rodinei Crescêncio/Rdnews

julio campos 680

Julio Campos (DEM) não admite publicamente, mas, em conversa reservada com os mais próximos, já fala em jogar a tolha sobre eleição suplementar ao Senado.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Filpo | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 20h53
    2
    5

    Por duas razões o grupo de jc acha que ele não deve tirar o time de campo: primeiro é que ele está bem pontuado e, segundo, eles acham os principais competidores são relativamente fracos, irão dividir votos no nortão, e perderão nas principais das demais regiões para ele. São favas contadas.

  • Leonardo | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 18h42
    9
    2

    Tá igual o irmão dele, só monta em cavalo já arriado! Kkkkk

MESA DA ASSEMBLEIA

Negociação de Bezerra para Max abrir caminho à Janaina Riva

Por 26/05/2020, 10h:42 - Atualizado: 26/05/2020, 10h:47

carlos bezerra 680

O cacique do MDB, deputado Carlos Bezerra, entrou no circuito para convencer Max Russi (PSB) a desistir de vez da disputa à Primeira-Secretaria da próxima Mesa da Assembleia.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Lulu | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 18h26
    7
    3

    E José Riva volta a ser o ordenador de despesas da Casa Cidadã....

  • Critico | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 16h33
    1
    0

    Critico, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • DE OLHO | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 15h25
    15
    6

    O FRUTO NÃO CAI LONGE DO PÉ !! vejam quem é o pé da JANAINA.

ARTICULAÇÃO

A investida de um suplente para se tornar secretário de Estado

Por 25/05/2020, 18h:27 - Atualizado: 25/05/2020, 18h:30

oscar bezerra 680

Com a desistência de Faissal Calil do comando da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação e retorno à cadeira na Assembleia, o primeiro-suplente Oscar Bezerra perdeu espaço e ficou sem perspectiva para viabilizar sua candidatura a prefeito de Juara.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Roberto | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 09h06
    3
    5

    Efa Forte, comente sobre a gestão desta família aí em Juara. Luciane Bezerra fez um bom trabalho a frente da Prefeitura?

  • Efa Forte | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 07h53
    9
    1

    Esse cidadão acabou com a carreira política da sua esposa. Nem sei como consegui dormir. Agora quer ser prefeito novamente. É brincadeira esse nosso Mato Grosso. E ainda vai ganhar, pois são muito ricos.

  • Comentarista | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2020, 19h13
    1
    3

    E eu achando que era o adjunto que queria ser

Rondonópolis

Vice nega elo com ex-filiado que denuncia prefeito e vereadores

Por 25/05/2020, 11h:32 - Atualizado: 25/05/2020, 11h:42

ubaldo vice-prefeito 680

O vice-prefeito de Rondonópolis, empresário Ubaldo Tolentino de Barros, que já está no quarto partido em menos de 10 anos de vida pública, tratou de se antecipar, aplicando "vacina" em si próprio,  sobre uma denúncia grave feita pelo radialista e apresentador de TV, Waldemir Costa, contra o prefeito Zé do Pátio e vereadores.

Postar um novo comentário

INSTITUTO FEDERAL

Na disputa à Reitoria, uma ameaça à hegemonia de um antigo grupo

Por 24/05/2020, 22h:39 - Atualizado: 25/05/2020, 07h:33

deiver alessandro ifmt 680

Apoiado pelas chamadas bases de servidores com sentimentos de mudanças, o professor Deiver Alessandro Teixeira, diretor-geral do Campus do IFMT Cuiabá Bela Vista, se tornou uma ameaça à hegemonia do grupo do reitor Willian de Paula, que comanda o Instituto Federal de Mato Grosso há mais de duas décadas, ainda da época da escola técnica e CEFET.

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Giuliano Robledo | Terça-Feira, 26 de Maio de 2020, 21h18
    1
    0

    Sempre ouvi falar muito bem do trabalho do Professor Deiver e da Equipe do Bela Vista e tenho comprovado toda a boa fama nas mídias e redes sociais e a notoriedade entre os colegas conhecidos. Parabéns Professor Deiver pela iniciativa de pré-candidatura!

  • Carlos Costa | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2020, 23h55
    0
    0

    Carlos Costa, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • gislaine.costa2022 | Segunda-Feira, 25 de Maio de 2020, 22h38
    7
    3

    E vamos de Deiver! A eleição não será fácil. A máquina sempre jogou pesado nas eleições. Olhem as portarias. Tem remoção de servidor acontecendo mesmo com as atividades suspensas! Vamos ficar de olho.

EFEITO-PANDEMIA

Coronavírus vai matar reeleição de muitos prefeitos

Por 24/05/2020, 21h:27 - Atualizado: 24/05/2020, 22h:57

z� do patio 680

A Covid-19 deve matar o projeto de reeleição de muitos prefeitos, seja por causa de denúncias de irregularidades e má aplicação dos recursos à saúde, seja pela postura adotada em relação à pandemia. 

Postar um novo comentário

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2546