Blog do Romilson Cuiabá, 02 de Julho DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Cuiabá

Polêmico projeto "Cidade Limpa" retorna à Câmara para votação

    O polêmico projeto Cidade Limpa, que vai implementar regras para a colocação de em front lights, outdoors, placas, cartazes, faixas e totens na Capital, terá que passar novamente pelo crivo dos vereadores antes de ser sancionado. Ocorre que das 13 emendas apresentadas pelos parlamentares, o prefeito de Cuiabá Wilson Santos (PSDB) barrou 4. Agora, os vetos serão submetidos à apreciação dos 19 vereadores que podem manter ou não os vetos. “Ele aprovaram, por exemplo, uma emenda que prevê 180 dias para a implementação da proposta e não achamos que seja necessário tanto tempo, por isso vetamos”, afirmou o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Archimedes Pereira. Caso o veto seja mantido, a lei entrará em vigor em 90 dias.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • amazonia sustentável | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 21h27
    1
    1

    como pode esse secretário denominar tal projeto de "cidade limpa" se a cidade está uma sujeira, os parques municipais se transformando em matagais e os terrenos baldios aumentando sem controle na cidade. mais trabalho arquimedes, e menos discurso. até agora esse secretário só faz discurso em cima do trabalho dos outros, e os fiscais da smades estão totalmente de braços cruzados, sem motivação pois falta comando.

  • edson nogueira | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 20h16
    0
    1

    esse projeto deveria mudar de nome. "cidade limpa" nas atuais circunstâncias que cuiabá se encontra, com dezenas de bolsões de lixões espalhados pela cidade, com suspeitas gravíssimas sobre o contrato com a empresa qualix, com os mais de 50 mil terrenos baldios espalhados pela cidade, alguns inclusive localizados na região central da cidade, então, qualquer projeto que parta do poder executivo municipal já nasce com vicio de credibilidade, com muitas nuvens de suspeitas. em relação a questão de disciplinar os outdoors, há vários anos vem ocorrendo a redução desses painéis na cidade, e na verdade, deveriam era investigar os contratos de gaveta que foram feitos nestes últimos anos entre a prefeitura com as empresas desses painéis, onde ninguém sabe para onde foi parar a grana. para se ter um idéia, cada painel front-light tinha um custo de R$10 mil/ano, e os murmurinhos são fortes em relação ao fato de que teve gente nesta gestão municipal que acabou embalsando muita grana neste esquemão. então, agora querem enganar com esse projeto "cidade limpa", que peca por dois motivos: primeiro porque cuiabá está uma imundice, lixões para toda parte, e segundo, porque precisaria primeiro investigar esses contratos de gaveta que forma formalizados entre a smades e as empresas do setor.

Assembleia Legislativa

Muniz e Pivetta não vão à reeleição

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Joao de Melo Paiva | Quarta-Feira, 13 de Janeiro de 2010, 21h45
    5
    4

    Joao de Melo Paiva, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • MOSSUETO | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 20h55
    7
    2

    Aos matogrossenses, os meus parabens, estão mais politizados, conscientes da importancia de seu voto, os ratos são os primeiros a perceber que o navio vai afundar, e muito antes de todos perceberem, vão deixando os porões e estes ja perceberam que o não será sonoro e as suas candidatura será uma roubada. Aos poucos vamos banindo essa casta que tanto nos oprimem e chegara um dia, que a politica sera praticada por pessoas de bem, que pensa na população, e não em seu projeto pessoal.

  • bento o vampiro brasileiro | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 20h42
    2
    8

    Caititu fora do bando vira comida de onça, sabia percival e pivetti hó desculpe piveta?

Rumo a 2010

Não subirei no palanque de Wilson, afirma Rabello

   Mais de um ano após a eleição à Prefeitura de Cuiabá, o único deputado estadual cassado no Estado, Walter Rabello, presidente municipal do PP, ainda dispara críticas à gestão Wilson Santos (PSDB). Ele adianta que não subirá no palanque do tucano caso o PP opte por apoiar o “galinho”. “Não posso trair o povo que votou em mim. Não tenho nada pessoal contra o prefeito, mas seria muito contraditório da minha parte pedir votos para ele”.

Postar um novo comentário

Comentários (18)

  • Valentin Serpa | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 19h07
    4
    5

    Não quero, não devo e não pretendo votar no Wilson, mas, se o Walter insistir em falar que o Wilson não presta, vou votar no Wilson. Tudo que o Walter fala, entenda o contrário.

  • Oscar Lombardi Fernandes | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 13h04
    7
    3

    Caro Walter, Você está correto! Esse Prefeito vive se elegendo vendendo ilusões à população.A cidade está um caos. Mas novas eleições virão e as coisas por certo mudarão. Abraços.

  • alessandro | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 12h15
    4
    5

    mais uma vez nossa cidade é feita de degrau para sobirem para o Governo do Estado. Wilson Santos foi um bom politico para o legislativo (creio eu). Executivo tanto municipal quanto estadual necessita de administradores e não politicos. Cuiabá nunca sairá dessa bagunça se continuar aceitando esse procedimento politico de servir de escada.

Tangará da Serra

Jaconias leva assuntos políticos a Ladeia no hospital

Júlio Ladeia já respira mais sem aparelhos e discute política

   O prefeito licenciado de Tangará da Serra, Júlio Ladeia (PR), está se recuperando bem do acidente de carro que sofreu na MT-010, em 15 de dezembro. Quem garante a melhora é o vice e atual prefeito em exercício, José Jaconias (PT), que o visitou no último domingo (10). Conforme ele, o gestor está tão bem que até já discute os rumos dos trabalhos a serem feitos na cidade e algumas questões políticas.

Postar um novo comentário

Descontração

De volta à década de 70, Ângela Maria canta Tango Pra Tereza

   Do coro da igreja aos palcos dos programas de calouros. Foi assim que Ângela Maria começou a sua carreira musical, deixando para trás o nome de batismo, Abelim Maria da Cunha, e cantando às escondidas. Dessa maneira, a cantora evitava ser identificada pela sua família. Como ganhou todos os concursos dos quais participou, foi convidada à cantar na rádio Mayrink Veiga. Logo depois, em 1951, gravou seu primeiro disco.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Germano Souza Cruz | Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2010, 11h26
    2
    3

    Numa rápida olhada à foto da página principal pensei que se tratava da cantora altogarcensse VANESSA DA MATA. Mas só pensei...

Resgate Histórico

Abreu efetiva na AL servidores sem concurso

 
Jorge Abreu (PMN), então deputado e que faleceu num acidente aéreo em setembro de 1998, foi um dos que ajudaram a efetivar na Assembleia Legislativa antigos ocupantes de cargos DAS. Na foto, ele aparece entregando homenagem a um dos servidores. Gilmar Fabris (ex-PFL e hoje DEM), que veio a presidir o Legislativo e hoje ainda exerce mandato parlamentar, surge do lado, lendo frase na placa. Nos anos 1990, a Mesa Diretora estabeleceu a chamada Lei dos 45, em que funcionários com muito tempo de Casa e/ou que tivessem algum filho portador de necessidades especiais ou até mesmo pais dependentes não poderiam ser demitidos. Na época, a AL, sob a presidência de Fabris, havia realizado concurso público. Os funcionários estavam em desespero, principalmente por causa da fama de Fabris de "linha dura" com os servidores. Era forte o comentário de que ele iria aproveitar o concurso para substituir a maioria, alguns até com 15 anos de casa. Entre os que foram exonerados pelo então presidente estava José Carlos Carvalho de Souza, o Zé do Nordeste, que veio a ser secretário de Finanças e de Governo do prefeito cuiabano Wilson Santos (PSDB).  Foi graças a essa Lei dos 45 que dezenas de servidores foram efetivados e, assim, mesmo sem concurso público, garantiram estabilidade.
Foto: Demóstenes Milhomem

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Prof. Luis Carlos Ferreira | Segunda-Feira, 11 de Janeiro de 2010, 15h15
    3
    0

    Que me desculpem e perdoem... mas, os olhares em torno do homenageado me dão arrepios. Olhares soturnos, que causam certo constrangimento.