Blog do Romilson Cuiabá, 30 de Outubro DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

Segurança Pública

Assaltantes provocam pânico em municípios; "força" policial se vê impotente e humilhada

09/01/2010, 09h:15 - Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

    Quadrilhas especializadas em assalto a banco têm provocado pânico em várias regiões, principalmente em Paranatinga (Leste) e Canarana (Vale do Araguaia). Com metralhadoras e fuzis, cujo uso só é permitido pelas Forças Armadas,  bandidos já fizeram dois assaltos a agências bancárias de Paranatinga num intervalo de três meses. Na primeira ação, levaram mais de R$ 1 milhão. Cercaram a cidade, com vários reféns e incendiram veículos. Chegaram por volta de 9 horas na agência e atiraram contra a vidraça para entrar. O assalto durou cerca de 30 minutos e três funcionários foram levados como reféns. A polícia correu.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • vivaldo marcorio | Sábado, 09 de Janeiro de 2010, 20h00
    2
    0

    Se policiamento trabalhase de verdade isso era café pequeno pra esse aparato que esta ai

  • Wagner Souza | Sábado, 09 de Janeiro de 2010, 18h39
    1
    2

    Fico triste em ver um comentário de uma pessoa mal informada como o Sr. Silva, quando o edital foi aberto para que fizesse a minha inscrição, nele dizia que em minha cidade só haveria 60 vagas para concorrer. Consegui passar em 47º no meio de mais de 2500 inscrito, por isso vejo o direito de reclamar sim da transferência. Consegui passar com muitas dificuldades na época até para permanecer na minha profissão. O Estado não cobra daqueles que são responsáveis por conduzir a instituição de uma forma democrática e sim pelo abuso de poder que é dado ao Comando Geral. Não vou falar da má estrutura que temos, ela não impede de nós trabalharmos com o que temos, vamos com fé e coragem para trazer segurança à sociedade. Seja de qualquer forma que é imposta, o Sr. Silva deixa ainda bem claro no seu comentário poderá ser transferido, para isso a um critério a ser respeitado: voluntário, antiguidade, casado, residência fixa, faculdade, etc... Para construir uma casa leva se tempo, agora imagina você construir trabalhando na segurança pública.

  • Renato Junqueira Vilela | Sábado, 09 de Janeiro de 2010, 17h08
    1
    1

    Mediante essa onda de assaltos,violencias,assasinatos,e insegurança total hoje campeando no Estado de Mato Grosso, só resta uma solução: Convocar o ex-Governador JULIO CAMPOS, e o seus xerifes de l983 a l987,como Desembargados Oscar Travasssos,na Secretaria de Segurança Pública,Coroneis Silverio e Evangelista,no Comando da Policia Militar,e Delegado João Capetinga,no Comando da Policia Civil de MT,(se é que esses cidadãos estejam ainda vivos),para assumirem o Governo do Estado de Mato Grosso,e seus aparatos da segurança da população do nosso Estado.Porque no tempo do Governo Julio Campos,tinhamos paz,chegavamos a andar pelas ruas e até dormir com total tranquilidade.Pois Bandido,Criminosos,Assaltante eram tratados como mereciam,ou seja na base da Borrachada e pauladas no lombo do cretino.É uma pena que hoje Mato Grosso esteja desses jeito.O Policial deixou de ser valorizado,vive acuado,e nós povo que pagamos impostos e trabalhamos somos refem em nossos lares. Reaja Governador Blairo.E que saudades que tenho do Governo Julio Campos.

Comunicação

Jurista mostra-se crítico implacável do atual governo

09/01/2010, 09h:12 - Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

   A revista Carta Capital traz uma entrevista com o jurista Fábio Konder Comparato. Professor emérito da USP, doutor pela Sorbonne e Honoris Causa pela Universidade de Coimbra, Comparato observa que a atual Constituição já foi remendada 68 vezes, mas em nenhuma dessas ocasiões o povo foi consultado. O jurista tornou-se um crítico implacável do atual governo. “Lula não enfrentou os grandes problemas nacionais. E não o fez porque põe em primeiro lugar o seu poder e prestígio”, avalia. Comparato diz ainda que Lula tenta exercer influência sobre ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) nomeados por ele. “Alguém do próprio Supremo me contou que o presidente, em alguns casos, antes do julgamento, chama os ministros que nomeou para dizer qual a vontade dele. Eu espero que eles não cumpram a vontade do presidente”, afirma.

Postar um novo comentário

Comunicação

Brasil conta as vítimas da tragédia do Réveillon, diz IstoÉ

09/01/2010, 08h:54 - Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

   "O Brasil que conta as vítimas das tragédias do Réveillon não se deu conta de que o clima já mudou e de que é preciso rever as leis para impedir, cada vez com mais rigor, a ocupação de áreas de risco", diz trecho da reportagem especial da revista IstoÉ que chega a Mato Grosso a partir deste domingo (10). Conforme levantamento feito pela revista, em menos de um mês as chuvas mataram 138 brasileiros, causaram prejuízos estimados em mais de R$ 1 bilhão e destruíram o mito de que o Brasil é um país imune a grandes desastres naturais. "As mudanças climáticas que mobilizam o mundo deixaram de ser uma previsão e há fartura de tecnologia para se saber que casas encravadas na encosta de uma região com índices pluviométricos historicamente elevados têm uma probabilidade razoável de simplesmente ser carregadas com chuvas intensas. O clima mudou, e a tendência é de que histórias trágicas como as relatadas nessa primeira semana de 2010 se repitam com cada vez mais frequência, caso o poder público continue atribuindo aos céus a culpa pelos seus mortos".

Postar um novo comentário

Comunicação

Cientistas tentam ampliar capacidade da memória

09/01/2010, 08h:40 - Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

   A revista Veja que chega ao Estado neste domingo (10) tenta desvendar os mecanismos que nos permitem lembrar e esquecer fatos da nossa vida. A ciência vem avançando no conhecimento dos mecanismos da memória e de como fazer para preservá-la. Pesquisas recentes permitem vislumbrar o dia em que será uma realidade a manipulação da memória humana. Isso já está sendo feito em animais. "No ano passado, cientistas americanos e brasileiros mostraram ser possível apagar, em laboratório, certas lembranças adquiridas por cobaias. Melhor: tudo indica que as mesmas técnicas podem ser usadas também para conseguir o efeito inverso: ampliar a capacidade de reter fatos e experiências na mente. E, há duas semanas, pesquisadores da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, nos Estados Unidos, detalharam como as proteínas estão relacionadas ao surgimento de lembranças nos neurônios. Como ocorreu com o DNA no século passado, os códigos fisiológicos que regulam a memória estão sendo decifrados".

Postar um novo comentário

Comunicação

Época mostra chegada da TV 3-D a preços acessíveis

09/01/2010, 08h:15 - Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

    Na revista Épova que chega às bancas mato-grossenses a partir deste domingo (10) os resultados da maior feira de eletrônicos do mundo. Trata-se da Consumer Electronics Show, que aconteceu na semana passada em Las Vegas, Estados Unidos. Mais de 110 mil pessoas que passaram pelo local puderam conhecer as novidades da tecnologia, desde os mais avançados celulares, televisores e PCs até brinquedos, eletrodomésticos e carros. "No burburinho dos corredores da CES, 2010 foi eleito o ano do cumprimento de diversas promessas do mercado de tecnologia que se arrastavam pela década de 2000. A principal delas é a chegada da terceira dimensão a produtos que podemos comprar. Durante anos, os fabricantes apresentaram protótipos de TVs e filmadoras. Pela primeira vez elas apareceram com data de lançamento e preço", diz trecho da reportagem.

Postar um novo comentário

INVESTIGAÇÃO

MCCE vê silêncio geral diante da corrupção

09/01/2010, 07h:45 - Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

   O arauto do combate à corrupção em Mato Grosso, Antonio Cavalcante Filho, o Ceará, se mostra preocupado com a omissão das entidades e instituições e com a falta de unidade da população na luta por uma "política limpa". Entende que esse silêncio contribui para manter Mato Grosso um dos Estados onde há mais políticos de todas as esferas envolvidos com escândalos de desvio de recursos públicos. À frente do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) desde 1999, Ceará conta que sente a desmotivação das pessoas em só reclamar nos bares e não nos palcos certos, como, por exemplo, na caminhada contra a corrupção ocorrida em 9 de dezembro, em Cuiabá, quando não conseguiu reunir 30 pessoas.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Ceará Filho | Sábado, 09 de Janeiro de 2010, 18h10
    0
    0

    Por que o Ceará não pega no pé do Faiad, candidato a deputado federal, pelo Bezerra, amigão do peito?

  • Ana | Sábado, 09 de Janeiro de 2010, 17h36
    0
    0

    Por que esse ceara não vai ajudar Helena a cuidar mais dos entereces dos funcionarios da educação municipal ajuda a brigar por um sálario base mais justo onde hoje é so um minimo ; porque Helena só encherga professor como se a educação fosse feita só com essa classe , e também não venha com a mesma ladainha do curso profissionalizante por que esse muitos de nos ja fizemos mas hoje o que nos queremos é um aumento no nosso salario base e votar a nossa licença premia. Então Ceara tem muita coisa no sintep para vc fazer e não ficar o dia inteiro na sede sentado sem fazer nada pensando em arracar alguma coisa dos politico com esse MCCE que so beneficia vc .

  • Jefferson Neves | Sábado, 09 de Janeiro de 2010, 12h14
    0
    0

    A população deveria deixar de ser passiva, enquanto hj se observa milhares de pessoas amontoadas nas policlínicas por falta de atendimento, poderemos observar que qdo temos um movimento pra lutar pelo direito a saúde, essas mesmas pessoas nem tem o trabalho de sair das suas casas pra manifestar a sua insatisfação, e indignação pela falta de competência dos nossos gestores. O ceará merece todo o nosso reconhecimento e deveria contar também com o nosso apoio físico (Participando dos atos, escrevendo etc...), pois muitas vezes tentam desqualificar o seu trabalho pela falta de mobilização dos que deveriam ser os maiores interessados em seu trabalho. Ceará parabéns e continue com o seu brilhante trabalho.