Cidades

Sexta-Feira, 17 de Maio de 2019, 17h:58 | Atualizado: 19/05/2019, 11h:08

POLÊMICA

Agredida no Fórum registra BO e diz que PMs pediram para mentir em policlínica

Reprodução

POLICIAIS_FORUM

Dois dos três policiais que atenderam a ocorrência no Fórum de Cuiabá; PM afirma que a mulher caiu ao chão

A mulher que se envolveu em uma confusão no Fórum de Cuiabá na última quarta (15) afirmou que foi agredida por policiais e orientada por eles a mentir durante atendimento médico. Ela registrou um boletim de ocorrência sobre o caso, após os militares a acusarem de desacato.

Camila Carvalho Leite, 34 anos, disse, no boletim de ocorrência, que participou de uma audiência na Vara da Família, na quarta, para debater sobre a pensão alimentícia dos filhos.

Na audiência, o ex-companheiro dela apresentou a proposta de pagar R$ 200 a cada criança. Segundo a mulher, a proposição a transtornou, pois o homem não entrega nenhum valor aos filhos desde dezembro passado.

Ela relatou que ficou nervosa com a proposta e gritou durante a audiência, dizendo que as crianças estão passando fome. Camila ainda mencionou que está com uma ordem de despejo da casa onde mora com os filhos. Por ela não aceitar a proposta, a audiência foi encerrada.

Conforme o boletim de ocorrência, Camila disse que estava muito nervosa e saiu da sala de audiência. Ao voltar para o local, notou que o pai dos seus filhos e a esposa dele, que também é a advogada do homem, haviam saído por outra porta.

Ela disse ter se sentido enganada com a saída do ex e correu pelo corredor do Fórum, em direção ao estacionamento externo, onde encontrou o homem e a advogada. A mulher declarou que tentou argumentar com o ex e disse que não era justo o que ele e a esposa estavam fazendo, pois ela está desempregada, além de não receber pensão há seis meses.

Conforme Camila, a advogada teria dado risada do relato sobre as dificuldades financeiras. A mulher disse ter surtado com a postura da companheira do pai dos filhos e deu murros na lataria do carro dela.

Em seguida, segundo o relato de Camila, dois policiais militares se aproximaram dela, a seguraram pelos braços e quando ela iria se virar, recebeu um soco na boca. Depois, conforme o registro policial, ela caiu no chão. Ao recobrar a consciência, Camila disse que estava caída no chão, com sangue escorrendo pela boca e com o cotovelo dolorido.

Ela contou que os policiais a levantaram e a levaram para a viatura, dizendo que ela estava presa. Camila comentou que foi levada à policlínica para costurar a boca. No percurso, disse que os policiais falaram para ela dizer que caiu. Segundo a mulher, os militares disseram que "a corda sempre arrebenta do lado mais fraco".

Após receber atendimento na policlínica, ela foi levada à Delegacia do Verdão, foi ouvida e liberada. Em seguida, o advogado da mulher a levou para registrar boletim de ocorrência. Ele pediu que sejam solicitadas as filmagens das câmeras de segurança do estacionamento externo do Fórum da Capital, para que as imagens sejam analisadas.

A mulher afirmou que são falsas as informações dadas pelos policiais, que a acusam de desacato.

Versão da PM

Segundo o Boletim de Ocorrência feito pela PM, Camila foi conduzida à Central de Flagrantes por desacato à autoridade. Alegam que a guarnição foi acionada pela equipe do Fórum devido desentendimento entre Camila e a advogada, mulher do ex-companheiro dela.

Ainda segundo a narrativa, a mulher estava exaltada e tentava agredir a jurista, tendo sido dado ordem para que ela se afastasse do veículo, mas que Camila, exaltada, xingava os policiais. “Quero que vocês vão para a P*** que P*** com a advogada".

Asseguram que foi necessário o uso de força moderada, quando um sargento “segurando pelo braço, puxou-a para longe da advogada”. PMs alegam que Camila tentou se desvencilhar das autoridades e, quando o policial tentou a imobilizar pela 2ª vez, a mulher caiu no chão e machucou a boca, tendo sido encaminhada à Policlínica do Verdão, onde recebeu atendimento, sendo levada depois, sem uso de algemas, para a Central de Flagrantes.

PM comenta caso

Por meio de nota, a Corregedoria da Polícia Militar informou que ainda não recebeu denúncia referente à ocorrência. Porém, a instituição já está levantando documentos e solicitando informações com a Coordenadoria Militar do Tribunal de Justiça para tomar as medidas necessárias à apuração da conduta dos policiais.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Prefeitos e dinheiro público com shows

marquinhos do dede curtinha   Algumas prefeitos estão aproveitando datas comemorativas, como o aniversário de seus municípios, para promover farra artística com dinheiro público. Em Paranatinga, por exemplo, o prefeito Marquinhos do Dedé (foto) autorizou gastar R$ 115 mil em dois shows dentro da...

Possível duelo entre Pátio e Sachetti

adilton sachetti curtinha   Em 2008, Adilton Sachetti (foto) era prefeito de Rondonópolis e, com a máquina a seu favor, tentou a reeleição e, mesmo assim, foi derrotado por Zé do Pátio. No próximo ano, 12 anos depois, os dois devem se enfrentar de novo nas urnas. Agora em posições...

Situação de emergência na MT-100

As péssimas condições de trafegabilidade da MT-100, agravadas por ingerências e irresponsabilidade de empreiteiras que fizeram obras pela metade, levaram o governo estadual a decretar situação de emergência no trecho entre Torixoréu e Pontal do Araguaia e sob interferência da Defesa Civil. Com isso, está sendo possível executar obras paliativas sem licitação, uma forma de amenizar o transtorno,...

Após governador, prefeito vai à Bolívia

francis maris curtinha   Duas semanas depois do governador Mauro e dois secretários terem ido à Bolívia tratar da comercialização do gás e do fornecimento de ureia para MT, o prefeito de Cáceres Francis Maris (foto) e sua vice Eliene Liberato vão fazer igual. Ambos ficarão 10 dias em...

Articulação rumo ao Palácio Alencastro

cidinho curtinha   Continua repercutindo nos meios sociais, políticos e empresariais a festa do ano realizada em Cuiabá, na última quarta, pelo ex-senador Cidinho (foto). Para comemorar o cinquentenário e Bodas de Prata com a esposa Marli Becker, ele recebeu mil convidados, desde grandes empresários do PIB...

Câmara, Misael, corte de VI e pepino

misael galvao curtinha   Sobrou para o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (foto), o pepino de providenciar o corte de uma fatia generosa da VI dos vereadores por Cuiabá. Isso porque, o Supremo decidiu que os parlamentares poderão receber, a título de reembolso, até 60%  dos...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.