Cidades

Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 16h:44 | Atualizado: 15/05/2019, 17h:54

BLOQUEIO DE BOLSONARO

Alunos e educadores criticam cortes na educação em ato na Alencastro - confira

Dayanne Dallicani

Protesto contra cortes na Educa��o

Alunos da UFMT e de escolas públicas lotam a Alencastro, em Cuiabá; ato se repetiu em mais de 150 municípios de todo o país neste 15 de maio

Na tarde desta quarta (15), manifestantes se reúnem contra o bloqueio de recursos para a educação anunciado pelo Ministério da Educação (MEC), na praça Alencastro, no Centro da Capital. Os cortes e congelamentos das redes de ensino foram destacados pelos participantes do ato ouvidos pelo . A concentração reúne servidores, alunos e professores das redes municipais, estaduais e federais de ensino de Cuiabá, organizados sob as principais centrais sindicais das categorias e também dos movimentos da educação.

Segundo informações da Polícia Militar, 5 mil manifestantes participaram do ato. O protesto foi tido como tranquilo e sem registro de ocorrências. 25 policiais foram designados para fazer a segurança dos participantes e outras pessoas que circulam na região.

Alunos do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), que teve R$ 31,8 milhões bloqueados, pintaram a sigla da instituição no rosto. Manifestantes também seguraram cartazes com mensagens de protesto às medidas anunciadas pelo Governo Federal e em apoio à educação pública, como mostra as imagens abaixo. Além de Cuiabá, atos e manifestações ocorrem nos demais municípios do Estado e também pelo país.

Após discursos e gritos de protestos na praça, os manifestantes fazem uma caminhada pela avenida Getúlio Vargas, rua Barão de Melgaço, avenida Isaac Póvoas, Prainha. Após esse trajeto, os manifestantes voltam a subir a Getúlio para retornar a Praça Alencastro.

O universitário Walmir Junior, secretário geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e estudante de Ciências Sociais na UFMT, diz que o impacto dos cortes é imediato para a instituição. "A universidade hoje não dá conta de pagar suas despesas. O salário dos terceirizados da limpeza e da segurança estão atrasados. Para, além disso, a universidade vem sofrendo uma série de cortes que influenciam diretamente nas suas atividades", relata.

Walmir enfatiza que vários cursos de graduação terão que reduzir suas atividades, principalmente as de campo e laboratórios, por conta do bloqueio de R$ 34 milhões na UFMT. O estudante vê como equivocado o ataque à educação promovido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). "Em nome de uma esquerdização que a academia vive, ele [presidente Jair Bolsonaro] ataca diretamente [as universidades] no sentido de tentar tirar essa esquerda que existe na academia. Mas a gente vê que isso não é real. Hoje, a academia produz muito conhecimento. Todo fruto de avanço que o país tem vêm da academia”.

Veja vídeo da manifestação realizada na Praça Alencastro:

Com 70 anos, o professor Paulo Modesto disse que, nos seus 25 anos de magistério, nunca viu tamanha demonização da educação. Ele lembra que o histórico das universidades brasileiras é por espaço, recursos e reconhecimento. "Uma das grandes riquezas da universidade é a diversidade. Então, é um equívoco imaginar que a universidade só tenha esquerditas ou direitistas. Existe uma diversidade e muita rica em todos os aspectos. Agora, essa demonizarão que se faz agora, eu na universidade nesses anos todos, nunca vi”.

A professora Keila Fraga, que é da rede privada e compareceu a manifestação para apoiar o movimento, avalia que o Governo Federal não deveria "mexer com algo que não deveria". Ela teme que o impacto dos cortes possa impactar as futuras gerações, como sua própria filha de 17 anos. "O sonho dela é entrar na universidade federal. Ela tá vendo esse direito sendo tirado dela", aponta.

O professor José Luiz dos Santos, que atua há 26 anos na rede municipal e estadual, enfatiza que as urgências das escolas são imediatas ao comentar a situação dos cortes na educação. “Não adianta você querer - e o discurso que eles estão fazendo - que vai liberar os recursos em agosto ou setembro. Mas como vamos suportar a realidade da escola nesse período. A gente sabe que não pode esperar. Não dá para esperar. O ano letivo continua e as demandas dele continuam presentes. Não tem como jogar para frente”.

Galeria de Fotos

Credito: Dayanne Dallicani
Alunos da UFMT e de escolas públicas lotam a Praça Alencastro, em Cuiabá; ato se repetiu em mais de 150 municípios de todo o país neste 15 de maio
Credito: Dayanne Dallicani
Além de estudantes da UFMT e escolas públicas, movimentos sindicais também se uniram contra os cortes na educação
Credito: Dayanne Dallicani
Alunos empunham cartazes contra cortes na educação e o presidente Jair Bolsonaro, responsável pelo contingenciamento
Credito: Dayanne Dallicani
Aluno do IFMT segura cartaz com frase do educador Paulo Freire, durante atacado pelo Governo Bolsonaro e seus seguidores

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • giovanni | Quinta-Feira, 16 de Maio de 2019, 09h27
    0
    0

    Gente essa greve é ideológica e partidária!

  • alexandre | Quinta-Feira, 16 de Maio de 2019, 08h29
    0
    0

    Quando vai ser o próximo dia que não vai precisar trabalhar ?

  • Juca | Quinta-Feira, 16 de Maio de 2019, 08h29
    1
    0

    Se não sabem a diferença entre CORTE e CONTINGENCIAMENTO ai fica difícil dialogar com essa gente.

  • alexandre | Quinta-Feira, 16 de Maio de 2019, 08h28
    1
    1

    O PT perdeu porque rou... ..demais, aceita a eleição....

  • Moreira | Quinta-Feira, 16 de Maio de 2019, 07h03
    3
    2

    Sindicalistas e massa de manobra.

  • Cesar VG | Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 21h24
    2
    3

    Segura essa: agora é na rua governo!!!!!

  • Cesar VG | Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 20h27
    1
    3

    Segura essa: agora é na rua governo!!!!!

  • Maria | Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 19h54
    2
    3

    Bolsonaro e todos os ministerios do seu governo, demonstram uma falta de conhecimento científico impressionante! São criaturas toscas, ignorantes, como se desconhecerem o significado e a importância das instituições de ensino p uma sociedade. Fico c a impressão, às vezes, q essa turma do Bolsonaro, saiu de alguns séculos atrás, entrou numa máquina do tempo e veio parar aqui no século XXI. E parece chocada c te q existe e quer reverter. Até o absurdo de educação domiciliar, como se a maioria da população morasse no campo e a família pudesse ensinar leitura e conta p os filhos, em casa mesmo. Ser contrário à vacinação ... Felizmente a população começa a acordar p o grande erro q fez ao eleger um candidato q nuca debateu seu programa de governo c a sociedade brasileira. E pra isso vai insistir pra q ele mude o rumo, olhe para as necessidades do povo, q é a maioria. Essas manifestações de hoje foram um recado claro nessa direção. Basta de tirar direitos do povo trabalhador ! Ele é quem sustenta este país! Nenhim país do mundo se desenvolveu sem investir mto em educação. Se está ruim, não é retirando recursos q se atingirá a melhoria q se deseja.

  • alexandre | Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 17h06
    5
    6

    Bolsonaro dar motivo pra caçar mandato, é tudo que a esquerda quer, soltar o lula, a esquerda dar golpe e lula assumir o poder..

  • deovaldo | Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 16h55
    6
    9

    O admirável que se trata de sindicalistas filiados, todos com suas mentes lavadas pelos 13 anos do PT, pois bem e agora josé o que fazer? , solicito a todos que leem um pouco e o contingenciamento se faz devido a LRF que poderá inferir que o bolsonaro se enquadre em improbidade administrativa, crime esse que pode cassar o seu mandato,,,,fique esperto bugrada e vão estudar , aqui não ptzada

Matéria(s) relacionada(s):

DEM foca projeto pra eleger vereador

beto 2 a 1 400 curtinha   O secretário de Governo do Estado, Alberto Machado, o Beto 2 a 1 (foto), fez uma leitura racional sobre o que representa o DEM na Capital. Novo presidente do diretório municipal, ele está ser articulando para formar uma chapa forte de candidatos a vereador, inclusive tenta atrair lideranças de...

Morre o diretor do SAAE de Chapada

arison albernaz 400 curtinha chapada   Morreu nesta segunda, em acidente automobilístico, o diretor-geral do Sistema de Água e Esgosto de Chapada dos Guimarães (SAAE), Aryson Augusto Adriano Albernaz (foto), de 27 anos. Ele dirigia o veículo Golf, de cor prata, pela recém-asfaltada MT-020, que liga o...

Fabio diz vencer "homem do paletó"

fabio garcia 400 curtinha   Na reunião do DEM na 5ª, no gabinete do presidente da AL, Eduardo Botelho, com presença de oito integrantes da cúpula (Jayme, Júlio, Botelho, Fabinho, João Celestino, Beto, Cesar Miranda e Domingos Sávio), Fábio Garcia (foto), que provocou a maior crise ao mudar...

Morre presidente do Grupo Barralcool

petroni barralcool curtinha 400   Morreu neste sábado, em Cuiabá, aos 88 anos, o diretor-presidente do Grupo Barralcool, João Nicolau Petroni (foto). Ele foi um dos pioneiros no setor sucroenergético do Estado e o primeiro presidente do Sindicado das Indústrias Sucroalcooleiras de MT (Sindalcool). Era...

Abracrim cita arbitrariedade na SESP

michelle marrie abracrim curtinha 400   Michelle Marrie (foto), presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas do Estado, contesta a nota em Curtinhas entitulada "Secretário, Abracrim e saia-justa", sobre o fato de uma advogada ter se infiltrado na coletiva à imprensa concedida pelo...

Governo monitora crise na segurança

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro monitora de perto a crise instaurada no setor de segurança devido à operação desencadeada na Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá, para acabar com regalias de presos "da pesada", que comandam o crime organizado de dentro das celas. Houve...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.