Cidades

Segunda-Feira, 10 de Junho de 2019, 12h:58 | Atualizado: 10/06/2019, 19h:39

VOTO DE CONFIANÇA

Após promessa, motoristas suspendem a paralisação e esperam salários até 4ª veja

Atualizada às 14h30

Dayanne Dallicani

Motoristas greve

De braços cruzados nesta manhã, motoristas do transporte público reunidos no pátio da Pántanal Transporte, uma das empresas concessionárias

Após uma manhã toda sem rodar, a frota do transporte público da Grande Cuiabá deve voltar às ruas ainda nesta tarde (10). A decisão dos motoristas foi tomada a pouco, durante reunião com o secretário Antenor Figueiredo (Semob), no pátio da Pantanal Trasporte. Os funcionários decidiram realizar a paralisação devido ao atraso no pagamento dos salários, fato que estaria acontecendo desde 2018, nas 4 empressas que possuem a concessão: Pantanal Transportes, Integração, Norte-Sul e União Transportes - responsável pelo intermunicipal.

Na prática, os profissionais decidiram dar "um voto de confiança" à prefeitura que, por meio da Semob, pediu a volta ao trabalho, com a garantia de que o Poder público, junto com os empresários, chegaria a uma solução até quarta (12). Antenor tentou convencer a categoria ressalta a dificuldade financeira das empresas e o fato de 280 mil usuários do transporte público estarem sem o serviço. A categoria, que chegou a cogitar deflagrar uma greve por tempo indeterminado, decidiu - com relutância - voltar ao trabalho e esperar a solução prometida.

Devido a paralisação, mais cedo, o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) criticou a categoria e ameaçou buscar a Justiça, caso a greve fosse deflagrada e o serviço não fosse prestado. O movimento ainda trouxe impacto no bolso do usuário que, sem muita opção para ir ao trabalho, tentou utilizar os serviços dos aplicativos de transporte coletivo, como o Uber. Por conta do preço dinâmico, os valores cobrados duplicaram em algumas regiões.

Veja trasmissão ao vivo do Rdnews da reunião dos motoristas:

A promessa

Às 11h desta manhã, o presidente sindical Ledevino da Conceição se reuniu com o secretário Antenor para discutir a questão dos motoristas e chegar ao fim da paralisação. "Até agora não apareceu ninguém da empresa para fazer uma proposta viável fazendo com que o pessoal volte a trabalhar”, comentou o presidente sindical no momento. Os dois combinaram então uma reunião com os motoristas na garagem do Pantanal Transporte, no bairro Novo Paraíso, às 12h.

Segundo Ledevino, o pagamento dos salários dos motoristas vem se atrasando há mais de 18 meses. A briga da categoria é para regularizar a data da remuneração – principalmente após acordo coletivo que previa o pagamento no quinto dia útil de cada mês. A reportagem ouviu alguns motoristas que expuseram que muitos não têm conseguido pagar as contas e prover o lar nesse período.

Já Antenor apontou que a prefeitura “foi pega de surpresa” com a paralisação e que o ato “parou a cidade”. Segundo o secretário, as empresas não apresentaram explicações. Somente os motoristas contaram seu lado e mostraram seu descontentamento com os atrasos do salário.

A folha de pagamento não é de responsabilidade do Executivo municipal. Os empresários do transporte público tentavam empréstimo aos bancos de São Paulo para pagar os salários. Em nota, a Associação Mato-grossense dos Transportes Urbanos (AMTU) pontua que os empresários estão com problemas financeiros e destacou que as empresas quebraram devido ao “sobe e desce” da tarifa de ônibus.

Dayanne Dallicani

Ledevino da Concei��o e Antenor Figueiredo

Antenor Figueiredo (esq.) conversa com Ledevino da Conceição na Pantanal Transportes

Para Levedino, a situação da tarifa “soma” para complicar o atraso dos pagamentos – mesmo que não esteja por dentro do caso. “Não ouvi isso ai. Mas, pelo que a gente acompanha, a situação vem se agravando quando começou esse imbróglio da tarifa”.

Já Antenor acredita que “houve impactos” e pontuou que o edital da licitação do transporte público estará “bastante rígido para esses casos” e que, “no contrato, deve-se amarrar muito mais essa parte de responsabilidade de pagamento de colaboradores”. A questão da licitação do transporte público também veio à tona e até foi apontado como um dos impeditivos para que as empresas conseguissem crédito junto as instituição, já que não há certeza de retorno do investimento caso não vençam o certame.

Inicialmente, a proposta era quitar os salários até esta quinta (13). Mas a medida desagradou os motoristas. Antenor e representantes das empresas pediram um voto de confiança, porém os trabalhadores gritaram “não!” e viraram as costas como desagrado ao pedido – veja o vídeo da primeira proposta abaixo.

Logo após, sindicato, empresas e prefeitura passaram a conversar isolados do grupo. Minutos depois, Ledevino voltou e pediu aos motoristas voltarem a circular pela cidade com a promessa de pagar até quarta (12) e “do secretário Antenor para que isso não aconteça mais”. O gestor da mobilidade urbana de Cuiabá pediu então mais uma vez o voto da confiança.

Apesar da relutância de alguns e desagrado de outros com a medida, a categoria acatou ao pedido da prefeitura e vai aguardar até quarta para receber os salários. Caso a situação não se normalize no mês que vem, a possibilidade é que o sindicato mobilize outra paralisação para protestar contra a medida.

Veja primeira parte da reunião entre prefeitura e motoristas:

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Prorrogação de mandatos até 2022

Muitos prefeitos e vereadores já trabalham com a hipótese de ganharem mais dois anos de mandato, "esticando" o atual para 2022. O Senado está prestes a aprovar uma PEC para tornar coincidentes os mandatos eletivos. Nesse caso, mandato dos prefeitos, vice e dos vereadores, eleitos em 2016, teria duração de seis anos. E, a partir das urnas de 2022, as eleições passariam a ser gerais para presidente, governadores, prefeitos, senadores, deputados e...

"Cenário apocalíptico" e respiradores

z� do patio 400 curtinha   Um mês depois do escândalo sobre a compra e pagamento de quase R$ 4 milhões por 22 respiradores falsificados, o prefeito Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, tomou duas decisões, mas nenhuma delas no sentido de investigar eventuais falhas de servidor da...

Binotti, a popularidade e a oposição

luiz binotti 400 curtinha   O grupo político do hoje vice-governador Otaviano Pivetta, que comandou Lucas do Rio Verde por mais de duas décadas, terá dificuldades para reconquistar o comando local no pleito deste ano. O pré-candidato Marino Franz, que foi vice de Pivetta e depois prefeito, será o...

Um mês no Senado e com um projeto

carlos favaro 400 curtinha   Em um mês como senador, Carlos Fávaro (foto), oficialmente com 12 assessores, por enquanto, fez dois pronunciamentos da tribuna, não atua na relatoria de nenhuma propositura e apresentou um projeto, justamente o que pede socorro financeiro a um dos setores do agronegócio, o algodoeiro. Na...

Desagregador luta pra retornar à Ager

fabio calmon 400   Fábio Calmon (foto), que foi adjunto da Sinfra no Governo Taques e depois nomeado presidente da Ager-MT, não desiste da Agência, mesmo sabendo que ali se tornou uma pessoa non grata por uma série de situações. Foi carimbado de incompetente, burocrata, arrogante e desagregador. O governador...

Oportunismo e na defesa de Bolsonaro

niuan ribeiro curtinha 400   Niuan Ribeiro (foto), presidente do Podemos em MT, agora virou defensor do Governo Bolsonaro. Eis o que o vice-prefeito de Cuiabá escreveu no Instagram, em postagem acompanhada de sua foto, sobre o conteúdo da reunião ministerial de 22 de abril que expôs várias faces do governo. "Apesar...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.