Cidades

Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 11h:20 | Atualizado: 20/08/2019, 16h:18

ABUSO DE AUTORIDADE

Bandidos terão "carta branca" para enfrentar a PM, diz tenente-coronel

Rodinei Crescêncio

enente Coronel PM Wanderson Nunes de Siqueira

Tenente-Coronel Wanderson Nunes de Siqueira vê perigo em proibir algemas e outros itens

Bandidos terão carta branca para enfrentar o Estado se o presidente Jair Bolsonaro (PSL) sancionar a Lei de Abuso de Autoridade, reguladora de condutas.

Este é o maior temor do tenente-coronel PM Wanderson Nunes de Siqueira, presidente da Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar de Mato Grosso.

"Se este Projeto de Lei não for vetado (e virar lei), vai gerar uma ação inversa do bandido para com o policial e isso é um perigo muito grande", adverte. Segundo ele, da forma que o projeto está elaborado, o uso de algemas hoje, se o indivíduo não apresentar resistência, é abuso de autoridade. "Mas ele (o preso) pode não estar oferecendo resitência naquele momento e daqui a pouco se insurgir contra a vida de um policial ou de um terceiro".

Destaca o oficial que algemas não são usadas por acaso. "Já tivemos vários policiais que foram mortos ou que tiraram a vida do bandido porque houve conflito na hora da prisão", ressalta.

Ele falou sobre o assunto em ato nesta manhã (20), realizado por membros do Ministério Público do Estado, Ministério Público Federal, magistrados, Polícia Federal, Receita Federal, Polícia Civil e Militar, no saguão da Assembleia.

Esse projeto é uma batata quente, porque, se aprovado do jeito que está, vai trazer o caos à área de segurança pública

O propósito do protesto, de acordo com os envolvidos, é chamar atenção da sociedade e de deputados para obstáculos que esta lei imporia, se passar a vigorar, a quem combate o crime organizado e a corrupção.

Para ele, esse projeto é "uma batata quente, porque, se aprovado do jeito que está, vai trazer o caos à área de segurança pública".

Entre os atingidos pela proposta, acredita que o policial é tratado de maneira mais complicada. Pode, por exemplo, ser afastado, preventivamente, da cidade onde a suposta vítima reside. "Isso irá gerar problema (inclusive) administrativo de transferência".

Sendo assim, "pedimos apoio de todos com a #vetaPLabusodeautoridade", apela o tenente-coronel. O que querem com esta movimentação na rede é sensibilizar o presidente Bolsonaro, para ele vetar o projeto, ao menos até que seja melhor discutido.

Acontece que o texto já foi aprovado no Senado e na Câmara Federal e aguarda somente a sanção presidencial.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • KACO | Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 17h15
    2
    2

    o PT fortaleceu as instituições e deu liberdade para prender e investigar. pois bem, e agora..?? quem era o mocinho e quem é o bandido...??? a verdade vencerá a mentira... agora vcs vão ver o que vcs mesmos colocaram no poder.

  • Oi? | Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 14h09
    1
    4

    Baseadas na Lei, serão as próprias autoridades (policiais, judiciais etc.) que dirão se houve abuso ou não. Neste caso, não querem aplicar a lei a si próprios? Não confiam em seu próprio julgamento?

  • adair ferreira | Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 13h13
    2
    5

    SE O PRESIDENTE VETAR O PROJETO... A CAMARA VAI DERRUBAR O VETO

  • Elson Oliveira | Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 12h30
    15
    2

    Se esse Projeto de Lei for aprovado dessa forma, aí sim teremos o poste mijando no cachorro... Absurdo total! A bandidagem tá tomando conta do País e tem gente querendo ajudar

  • Carlos Alberto | Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019, 12h11
    4
    23

    Errado tudo tem que ter limites... Tem que aprovar a lei de abuso autoridade sim... E urgente, para normatizar...

Galvan vai deixar PDT e ir pra o PRTB

antonio galvan 400 curtinha   Embora não tenha perdido de vistas o Aliança pelo Brasil, partido que está sendo criado por Bolsonaro, Antonio Galvan (foto), presidente da Aprosoja e que acabou levado à frigideira dentro do PDT em meio ao embate por tentativa de candidatura ao Senado, se mostra disposto a ingressar no...

"Pátio igual gato, comendo e miando"

jose medeiros 400 curtinha   O deputado José Medeiros (Podemos), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, disse que o prefeito Zé do Pátio, de Rondonópolis, está parecendo gato, comendo e miando, pois recebe recursos federais, inclusive de programas habitacionais e, mesmo assim, ainda alardeia nos...

Adair lançará ex-vice em Alto Paraguai

adair 400 curtinha   O ex-prefeito de Alto Paraguai, advogado emedebista Adair José Alves Moreira (foto), não vai disputar novamente, apesar da insistência do seu grupo. A tendência é de apoiar o seu ex-vice Luiz Figueiredo, com quem administrou a cidade de 2013 a 2016. Luiz também é do MDB e...

Deputado bolsonarista critica prefeito

claudinei deputado curtinha 400   O deputado Claudinei Lopes (foto), morador em Rondonópolis, ficou na bronca com o discurso populista do prefeito Zé do Pátio, para quem o povo nordestino votou em massa no PT e que não tem conseguido construir mais casas populares porque, diferente dos governos petistas, o presidente...

Sem Senado e tudo pela Mesa da AL

max russi curtinha 400   Presidente regional do PSB-MT, o deputado Max Russi (foto) tem participado das discussões para definição de candidaturas ao Senado, na suplementar de abril, mas não mais como pré-candidato. Seu desafio é outro. A prioridade é a busca da reeleição como...

Lúdio desiste e PT perde com Barranco

ludio cabral 400 curtinha   O deputado Lúdio Cabral (foto) estava se movimentando para tentar convencer o PT a lançá-lo ao Senado, por aclamação, e ainda instigar o diretório estadual a buscar recursos junto à Nacional para a campanha. Mas o tiro saiu pela culatra. O guru do partido no Estado,...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.