Cidades

Sábado, 22 de Fevereiro de 2020, 14h:44 | Atualizado: 23/02/2020, 08h:25

Carnaval com proteção

Contaminação por HIV dispara e aumento em MT chega a 448% em quase 10 anos

Em menos de uma década o número de pessoas contaminadas com o vírusdo HIV disparou em Mato Grosso. Entre os anos de 2011 e 2019 a alta chegou a 448,8%, passando de 174 em 2011 para 955 casos confirmados da doença no ano passado. Os homens são maioria, principalmente os jovens a partir dos 15 anos. Para se ter uma ideia, do total de contaminados em 2019, 696 eram do sexo masculino. Os dados são da secretaria estadual de Saúde (SES-MT). 

Para evitar que esse número cresça ainda mais, a Ses-MT vai intensificar a campanha de prevenção neste Carnaval com a distribuição de 2 milhões de preservativos nos 141 municípios de Mato Grosso, além de ações publicitárias e educativas para conscientização. O público alvo são jovens entre 15 e 24 anos, justamente a faixa etária que vem apresentando elevações nos casos de infecção pelo vírus.

Rodinei Crescêncio/Arte/Rdnews

Quadro HIV MT

Quadro mostra evolução dos casos de HIV registrados em MT nos último 9 anos, segundo dados divulgados pela Ses; alta chegou a 448,8%

Os profissionais que atuam nos serviços especializados de pacientes com HIV ou Aids passaram por capacitação continuada realizada pela Ses-MT. A responsável pelo Programa Estadual de Vigilância, Prevenção e Controle das ISTs, HIV/Aids e HV, Valéria Francischini, explicou que as constantes campanhas e distribuição de exames de sorologia feitas pelo Ministério da Saúde têm facilitado o diagnóstico. 

Como resultado do investimento educacional e no tratamento, a incidência do vírus em pessoas cada vez mais jovens, como adolescentes de 15 anos, tem aumentado no Brasil, já que o HIV tem sido descoberto e tratado logo em seus primeiros sinais. 

"É algo que temos observado em todo o país, temos um sistema de informação e capacitação dos profissionais de saúde, que estão mais atentos. Fomentar isso faz com que o diagnóstico não seja tardio. Eles [pacientes] passam a se cuidar cada vez mais cedo e têm melhor qualidade de vida". 

A realidade da epidemia do HIV/AIDS em Mato Grosso mostra aumento nos casos de HIV nas faixas etárias mais produtivas, dos 20 aos 39 anos de idade, no sexo masculino, com escolaridade fundamental incompleta, sugerindo que o aumento nas notificações pode estar relacionado ao diagnóstico precoce e ao tratamento em tempo oportuno.

Em 2019, foram notificados 696 casos de HIV em homens e 358 em mulheres. Valéria, no entanto, ressaltou que o banco de dados da Ses-MT é finalizads com retroativo de dois anos. Por conta disso, os dados do ano passado com relação ao vírus ainda não são definitivos, ou seja, podem aumentar ou reduzir. 

Antigamente, quando não existiam remédios, tínhamos mais casos de Aids, que é a doença manifestada caso o paciente não faça tratamento para o HIV

Valéria Francischini

Com relação aos registros em adultos, é possível observar que, desde 2011, as notificações de HIV crescem constantemente. No ano em questão, foram 174 casos, em 2012 foram 215 e em 213 a Pasta notificou 286. Já em 2014, as notificações saltaram para 440 e, no ano seguinte, para 629.

Em 2016, foram 685 casos de HIV em adultos notificados, contra 924 em 2017. Por fim, a Ses-MT registrou 856 pessoas com HIV em 2018, diminuição tímida, já que no ano seguinte o número voltou a subir. Para Valéria, o aumento na incidência do vírus também é um dos resultados dos avanços da medicina.

"Antigamente, quando não existiam remédios, tínhamos mais casos de Aids, que é a doença manifestada caso o paciente não faça tratamento para o HIV. As pessoas já chegavam doentes nos serviços de saúde. Hoje em dia melhorou muito com relação à melhores condições de vida. Em contrapartida, o fato de haver tratamento, sugere que alguns deixem de se cuidar", avalia. 

Segundo dados epidemiológicos da Vigilância Epidemiológica da Ses-MT, no período de 2016 a 2019 houve o registro de 3.376 casos de AIDS em adultos; no mesmo período 397 gestantes foram infectadas pelo vírus HIV. Valéria ressaltou que, qualquer indíviduo pode ser infectado pelo vírus. "Não tem cor, raça, gênero, estado civil ou classe social". 

Rodinei Crescêncio

Jos� Gomes

José Ramos de Lima na Casa da Mãe Joana, onde mora e recebe tratamento para controlar a AIDS, que está indetectável, por conta da medicação

Rotina com HIV 

José Ramos de Lima, de 44 anos, costumava trabalhar como garçom antes de descobrir que estava com HIV. Atualmente, ele vive na Casa da Mãe Joana, instituição que dá apoio aos portadores do vírus, onde mora desde 2005. José descobriu o vírus após ser contestado pela ex-mulher, que recebeu o diagnóstico para a doença durante o pré-natal. 

"Ela foi no meu trabalho e disse: 'você tem Aids'. Ela também contraiu a doença. Tenho um filho de 15 anos, o Gregory Ryan, graças a Deus ele não tem a doença. Quando descobri [que tinha HIV] fiquei chorando pelos cantos, deprimido", lembrou. 

O presidente do local, Paulo Rodrigues, contou ao , que o tratamento tardio acarretou em algumas sequelas na saúde de José, como a neurotoxoplamose, que faz com ele ande e fale com dificuldade. De acordo com Paulo, ele chegou extremamente debilitado e magro na instituição. 

O HIV em José só foi descoberto quando a Aids se manifestou e ele teve crises graves de problemas de saúde. Apesar das sequelas, atualmente o vírus dele está indetectável, ou seja, José não transmite mais o HIV, graças ao tratamento e a rotina proporcionada pela Casa da Mãe Joana, que disponibiliza os remédios e atendimentos médicos necessários. 

Rodinei Crescêncio

Jos� Gomes e Paulo Rodrigues

O presidente da Casa da Mãe Joana Paulo Rodrigues e o morador José Ramos de Lima, durante entrevista exclusiva à jornalista Bruna Barbosa

Paulo explicou que tal rotina é necessária para os cerca de 20 internos que moram no local, alguns deles desde 1993. "Se ficam aqui, comendo, dormindo e tomando o remédio nas horas certas, eles ficam bem. O problema é quando alguns saem daqui, lá fora não conseguem manter a mesma vida, quando volta, chegam extremamente debilitados de novo". 

Por ser a única casa que dá esse tipo de assistência em Mato Grosso, muitas pessoas do interior que são diagnosticadas com HIV também procuram a instituição quando precisam vir à Capital. A Casa da Mãe Joana sobrevive de doações, no entando, Paulo ressaltou que constantemente o local precisa de alguns alimentos perecíveis, como carnes e outros tipos de "mistura" para as refeições. 

Para ajudar a Casa da Mãe Joana, o contato deve ser feito através dos telefones (65) 999231-9424 ou (65) 3644-3343.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Sem alarde, vereador muda de partido

viniciys clovito curtinha   De última hora e sem alarde, o vereador pela Capital Vinicyus Hugueney (foto) resolveu deixar o PP e se filiou ao Solidariedade. Com isso, o PP não se torna o único com a maior bancada. Está com três vereadores, assim como o PV e o PSDB. No SD, Vinicyus vai concorrer internamente com...

Irmão de Thelma na lista dos traidores

ronaldo pimentel 400 curtinha   Na carta aberta assinada por Ricardo Saad, que preside o PSDB cuiabano, ele reclama de dívidas milionárias herdadas de antecessores, inclusive dos R$ 4 milhões de pendências somente do pleito de 2016, e menciona, entre outras coisas, que "(...) há correligionários, que estavam...

A bronca de Saad com Wilson Santos

ricardo saad curtinha 400   O vereador Ricardo Saad (foto), presidente do PSDB da Capital, resolveu disparar a metralhadora verbal contra colegas tucanos. Sobre o ex-prefeito e hoje deputado Wilson Santos, considera que este nada fez para ajudar o partido a se reestruturar, visando as eleições de outubro. Mesmo sendo vice-presidente...

Janela tira muitos políticos do calvário

gilberto figueiredo curtinhas   O fechamento da janela partidária, que encerrou-se no último sábado, dia 4, marcou o fim de um longo calvário aos partidos, que tiveram que suportar em seus quadros políticos que não estavam mais de “alma”, mas somente de “corpo”. Na Câmara...

Só 2 vereadores não vão à reeleição

felipe wellaton curtinha 400   Apenas dois entre os 25 parlamentares cuiabanos não vão buscar a reeleição. O licenciado Gilberto Figueiredo, que trocou o PSB pelo DEM, quer concorrer a prefeito, assim como Felipe Wellaton (foto), que até trocou de partido, saindo do PV e agora no Cidadania. Pretende disputar...

4 fora da reeleição em Rondonópolis

thiago muniz 400 curtinha   Dos 21 vereadores de Rondonópolis, somente quatro não vão à reeleição, sendo eles Thiago Muniz (foto), agora no DEM, Hélio Pichioni (PSD), Jailson do Pesque-Pague e Rodrigo da Zaeli (ambos do PSDB). Eles garantem se tratar de um caminho sem volta. Destes, dois tentam...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.